Você está na página 1de 22

Portal Price Action

a comunidade oficial do Al Brooks no Brasil

Terminologia do Price Action


 por Felippe Aranha |  postado em: Conteúdo Gratuito |  5

Glossário
Este Glossário de Termos de Operações de Price Action é baseado na LISTA DE TERMOS DE PRICE ACTION (do
livro Trading Price Action Trends, Wiley, 2012).*

Os termos estão organizados em ordem alfabética em relação aos termos originais em inglês, seguidos da
tradução do termo em português.

A maneira mais fácil de se usar este glossário é apertando "ctrl + F", para abrir uma caixa de pesquisa da
página, e então digitar o termo que estiver buscando.

*Em muitos casos, interpretei o texto original e utilizei minhas próprias palavras e exemplos, para tornar mais
fácil o entendimento dos conceitos para os falantes da língua portuguesa. Também tentei, dentro do possível
adaptá-los à realidade do mercado brasileiro.

Espero que seja útil para o seu aprendizado!

abs,

Felippe Aranha

always in- sempre posicionado

Se você fosse obrigado a car no mercado o tempo todo, seja comprado ou vendido, essa seria a sua posição
atual (sempre-posicionado-na-compra ou sempre-posicionado-na-venda). Se a qualquer momento você fosse
forçado a decidir entre iniciar uma operação na compra ou na venda, e estivesse con ante de qual seria a sua
escolha, então, naquele momento, o mercado estaria em modo-sempre-posicionado. Praticamente qualquer um
desses trades requer um impulso na direção da tendência antes que os operadores se tornem con antes.

barbwire - arame farpado

Uma lateralidade de três ou mais barras amplamente sobrepostas, sendo que uma ou mais delas é um doji. É
um tipo de lateralidade estreita, com sombras salientes e que, frequentemente, apresenta barras relativamente
grandes. Iniciantes deveriam parar de operar até que haja um rompimento claro. Traders experientes por vezes
irão comprar abaixo e vender acima de barras.
bar pullback – barra de correção

Em um swing de alta, uma barra de correção é uma barra cuja mínima vai abaixo da mínima da barra anterior.
Em um swing de baixa, é uma barra cuja máxima vai acima da máxima da barra anterior.

bear reversal - reversão de baixa

Uma mudança na tendência, de alta para baixa

blown account - conta explodida

Uma conta cujas perdas zeram com que o saldo casse abaixo da margem mínima requerida pela corretora, e
agora o trader não poderá colocar ordens a menos que deposite mais dinheiro.

breakout – rompimento

A máxima ou a mínima da barra atual vai além de algum preço anterior signi cativo, como a máxima de um
swing de alta ou a mínima de um swing de baixa anterior, a máxima ou mínima de qualquer barra anterior, uma
linha de tendência, uma linha de canal, etc... Se o fechamento car além da máxima ou mínima da barra
anterior, o rompimento terá sido mais forte e a distância entre esse fechamento e a máxima ou mínima da barra
anterior frequentemente se tornará um gap de projeção.

breakout bar (or bar breakout) – barra de rompimento (ou rompimento de uma barra)

Uma barra que cria um rompimento. Geralmente é uma forte barra de tendência.

breakout mode – potencial-de-rompimento

Uma con guração na qual um rompimento em qualquer uma das direções tem o potencial de apresentar
continuidade.

breakout pullback – rompimento-e-correção

Uma pequena correção, que ocorre nas primeiras barras após um rompimento e que pode durar de uma a até
cerca de 5 barras. Por estar enxergando esse contexto como uma correção, você acredita que em breve a
tendência será retomada a favor do rompimento, e que essa correção formará um setup que lhe permitirá
aproveitar essa retomada. Se, ao contrário, você entendesse que o rompimento iria falhar, você então não iria
se referir a esse movimento como uma correção, mas sim como uma falha de rompimento seguida de reversão.
Por exemplo, se houvesse um rompimento de 5 barras acima de uma linha de tendência de baixa, mas você
acreditasse que a tendência de baixa seria retomada em breve, você estaria procurando oportunidades para
entrar na venda, e iria enxergar toda essa con guração como sendo uma bandeira de baixa. Além disso, você
não estaria procurando por compras logo após o mercado romper para baixo, que é algo que você faria se
estivesse encarando esse contexto como sendo uma reversão, ao invés de uma correção.

breakout test – teste do rompimento


Um rompimento-e-correção que volta próximo ao preço de rompimento original para testar stops no zero-a-
zero, e pode ir além ou car aquém do ponto de rompimento por alguns ticks. Isso pode ocorrer tanto dentro
de uma ou duas barras a partir da entrada, quanto após um movimento que se estendeu por 20 barras ou até
mais.

bull reversal - reversão de alta

Uma mudança na tendência, que era uma tendência de baixa e agora é de alta.

buying pressure  - pressão de compra

Compradores-fortes estão se mostrando rmes, e suas compras estão criando barras de tendência de alta,
barras com sombras no fundo, e reversões-de-duas-barras para cima. O efeito é acumulativo e geralmente
acaba sendo seguido por preços mais altos.

candle / candlestick (alguns usam o termo “vela” em português)

Uma representação grá ca do price action, na qual o corpo é a área entre a abertura e o fechamento. Se o
fechamento car acima da abertura, esse será um candle de alta e na maioria dos grá cos do meu material terá
a cor branca. Se o fechamento for abaixo, eu uso a cor preta. As duas linhas nas entre o corpo e a
máxima/mínima são chamadas de “sombras” (alguns analistas técnicos usam o termo “cauda”, e no material em
inglês o termo mais usado é “tail”).

chart type – tipo de grá co

Linha, candle, volume, tick ou outro tipo de grá co.

clímax

Um movimento que foi muito longe e muito rápido, e que agora reverteu a direção para se tornar uma
lateralidade ou uma tendência oposta. A maioria dos clímaxes termina quando ocorre uma ultrapassagem de
uma linha de canal de tendência seguida de reversão, mas na maioria das vezes as reversões se transformam
em lateralidades e não em tendências opostas.

context - contexto

Todas as barras que estão do lado esquerdo do grá co, que mostram a pressão de compra, pressão de venda,
suportes e resistências.  As circunstâncias que dão sustentação ou que se opõe ao setup de uma operação ou ao
seu gerenciamento.

countertrend – contra a tendência

Uma operação ou con guração na direção oposta à tendência atual (a atual direção sempre-posicionado). Essa é
uma estratégia perdedora para a maioria dos traders, já que o risco normalmente é no mínimo do mesmo
tamanho do retorno, e a probabilidade raramente é su cientemente alta a ponto de tornar a equação do trader
favorável.
countertrend scalp – scalp contra a tendência

Um trade baseado na premissa de que a tendência ainda deve se estender mais, mas que uma pequena
correção pode estar iminente. Um trader entra em operações contra a tendência para tentar capturar um ganho
pequeno durante a formação dessa pequena correção. Normalmente essa é uma má ideia e deve ser evitada.

day trade

Uma operação que tem a intenção de ser encerrada no mesmo dia da entrada.

directional probability – probabilidade-direcional

A probabilidade de que o mercado irá se mover um certo número de ticks em uma dada direção antes de atingir
o mesmo número de ticks na direção oposta. Normalmente, um movimento equidistante para cima ou para
baixo tem a probabilidade girando em torno dos 50% na maior parte do tempo, o que signi ca uma chance de
50/50 de que o mercado irá andar X ticks para cima antes de se mover X ticks para baixo, e uma chance de 50/50
de que irá se mover X ticks para baixo antes de antes de se mover X ticks para cima.

doji

Um candle com um corpo pequeno ou sem nenhum corpo. Em um grá co de 5 minutos, um doji teria um corpo
de apenas 1 ou 2 ticks, mas em grá cos diários o corpo poderia chegar a 10 ticks ou mais e ainda assim parecer
que não existe. Nem compradores nem vendedores controlaram a barra. Lembre-se qualquer barra do grá co
só pode ser classi cada como sendo uma barra de tendência ou uma barra de não tendência, e nesse método
nos referimos a qualquer barra de não tendência com o termo “doji”.

double bottom – fundo duplo

Uma formação grá ca na qual a mínima da barra atual é aproximadamente a mesma da mínima de um swing
anterior. Essa mínima anterior pode ter ocorrido há apenas uma barra ou há 20 ou mais barras anteriores. As
duas mínimas não têm de ser exatamente iguais. Também não têm de obrigatoriamente ser a mínima do dia, e
com frequência se forma dentro de bandeiras de alta (uma bandeira de alta em forma de fundo duplo).

double bottom bull ag – bandeira de alta em forma de fundo duplo

Uma pausa ou uma bandeira de alta, em uma tendência de alta, que tenha tido uma correção feita por dois
impulsos para baixo, nos quais ambos tenham feito mínimas próximas do mesmo preço, e a tendência tenha
sido então retomada para cima.

double top - topo duplo

Uma formação grá ca na qual a máxima da barra atual é aproximadamente a mesma da máxima de um swing
anterior de alta. Essa máxima anterior pode ter ocorrido há apenas uma barra ou há 20 ou mais barras
anteriores. Ela não tem de obrigatoriamente ocorrer na máxima do dia, e com frequência se forma dentro de
bandeiras de baixa (nesse caso forma uma bandeira de baixa em forma de topo duplo).
double top bear ag - bandeira de baixa em forma de topo duplo

Uma pausa ou uma bandeira de baixa, que ocorre em uma tendência de baixa, e que tenha dois impulsos de
alta terminando aproximadamente no mesmo preço, formando um topo duplo, para depois retomar a
tendência para baixo.

early longs – compradores antecipados

Traders que compram enquanto um sinal de compra está se formando, ao invés de aguardarem pelo
fechamento da barra.

early shorts  - vendedores antecipados

Traders que vendem enquanto um sinal de venda está se formando, ao invés de aguardarem pelo fechamento
da barra.

EMA

Abreviação em inglês para média móvel exponencial.

entry bar – barra de entrada

A barra durante a qual ocorre a entrada na operação.

exponential moving average - média móvel exponencial (EMA)

Uma Média móvel de N períodos é uma média calculada a partir das últimas N barras, na qual quando ocorre o
fechamento de uma nova barra, a barra mais antiga é descartada do cálculo e a mais recente entra em seu
lugar. A média móvel exponencial tem o seu cálculo levemente modi cado de modo a dar mais importância às
barras mais recentes. Nos exemplos do Brooks Trading Course utilizamos a média móvel exponencial de 20
períodos, mas qualquer média móvel pode ser utilizada.

fade -apostar-contra

Colocar uma ordem na direção oposta à tendência (por exemplo, vender contra um rompimento de alta que
você espere que vá falhar e reverter para baixo).

failed failure – falha-da-falha

Uma falha que também falha e retoma a direção original do rompimento, sendo também, portanto, um
rompimento-e-correção. Por se tratar de um segundo-sinal, ele é mais con ável. Por exemplo, se existe um
rompimento acima de uma lateralidade e a barra que vem logo após o rompimento for uma barra de reversão
de venda, caso o mercado opere abaixo daquela barra, o rompimento terá falhado. No entanto, se dentro das
próximas poucas barras ele operar acima da máxima de uma barra anterior, então a falha do rompimento terá
falhado, e agora o rompimento está sendo retomado. Isso signi ca que a falha no rompimento se tornou na
verdade uma pequena bandeira de alta, e apenas uma correção do rompimento.
failure (a failed move) – falha (um movimento que falhou)

Um movimento no qual o stop de proteção foi atingido antes de que fosse assegurado um ganho de um scalp
mínimo ou antes de o objetivo do trader ser atingido, geralmente levando a um movimento na direção oposta,
já que os traders que foram emboscados serão forçados a sair com uma perda. Atualmente, um objetivo de
scalp no Emini (mini S&P de NY) que tenha 4 ticks requer que o mercado ande 6 ticks a seu favor, enquanto que
um objetivo de 10 ticks na QQQ (ETF negociado na NASDAQ) requer um movimento de 12 centavos a seu favor.

false – falso

Que falhou, falha.

ve-tick failure – falha-de-cinco-ticks

Uma operação no Emini que alcança cinco ticks além da barra de sinal e então reverte. Por exemplo, um
rompimento de uma bandeira de alta anda cinco ticks, e uma vez que a barra feche, a próxima barra tem uma
mínima que é mais baixa. A maioria das ordens limitadas que estão tentando ganhar um ponto (quatro ticks) de
lucro no Emini iria falhar na missão de ser preenchida, já que geralmente um movimento tem de ir um tick
acima da ordem para garantir que todas as ordens sejam preenchidas. Esse com frequência é um setup para
uma operação na direção oposta.

at – zerado

Se refere a um trader que no momento não tem nenhuma posição em aberto.

follow-through – continuidade

Após o movimento inicial, como um rompimento, é aquela uma ou mais barras que estendem o movimento
(dão continuidade na mesma direção). Traders gostam de ver continuidade na barra seguinte e de preferência
nas próximas várias barras, esperando por uma tendência na qual eles conseguirão ganhar um bom dinheiro.
Por exemplo, se houver uma lateralidade e então barra de tendência de compra fecha acima da máxima da
lateralidade, a barra seguinte será a barra de continuidade. Compradores querem que ela tenha um corpo de
alta, porque isso aumenta as chances de preços mais altos. Vendedores querem um corpo de baixa, porque isso
aumenta as chances de que o rompimento irá falhar e reverter para baixo.

follow-through bar – barra de continuidade

Uma barra que mostra continuidade após uma barra de entrada, normalmente já na barra seguinte, mas às
vezes só vai aparecer a algumas poucas barras mais adiante.

gap

Um espaço entre quaisquer duas barras de preço no grá co. Um gap de abertura é uma ocorrência comum e
estará presente caso a abertura da primeira barra do dia ocorrer além da máxima ou da mínima do dia anterior.
Um gap-de-média-móvel ocorre quando a mínima da barra estiver acima de uma média horizontal ou
descendente, ou quando a máxima de uma barra estiver abaixo de uma média horizontal ou ascendente.
gap bar – barra de gap

Veja barra-de-gap-da-média-móvel.

gap reversal – gap de reversão

Uma formação na qual a barra atual se estende um tick além da barra anterior na direção que fecharia o gap.
Por exemplo, se há um gap de alta na abertura e a segunda barra do dia opera um tick abaixo da mínima da
primeira barra, esse é um gap de reversão.

HFT

Veja trade-de-alta-frequência (High-Frequency Trading)

higher high – máxima mais alta

Um swing que é mais alto do que a máxima do swing anterior.

higher low - mínima mais alta

Um swing de baixa que é mais alto do que um outro swing de baixa anterior.

higher time frame (HTF) - tempo grá co mais alto

Um grá co no qual cada barra representa mais tempo ou mais negócios do que as barras no grá co atual. Por
exemplo, um grá co de 60 minutos é um tempo grá co mais alto em relação a qualquer grá co que tenha
barras de 59 minutos ou menos. Um grá co mensal geralmente é o maior tempo grá co que a maioria dos
traders utiliza.

high-frequency trading (HFT) – trade de alta frequência

Um tipo de programação de trade na qual algumas instituições colocam milhões de ordens por dia, em milhares
de ações, buscando pequenos scalps com ganhos que podem ser tão pequenos quanto centavos, e o
operacional é todo baseado em análise estatística ao invés de fundamentos.

high 1, 2, 3, or 4 - 1ª/2ª/3ª ou 4ª máxima/mínima

Uma 1ªmáxima é uma barra que, durante uma bandeira de alta ou quando próxima ao fundo de uma
lateralidade, tem a sua máxima acima da máxima da barra anterior. Pois bem, se na próxima barra ou em
algumas barras mais adiante, ocorrer uma barra com uma máxima mais baixa, então a próxima barra desta
correção que tiver uma máxima acima da máxima da barra anterior será uma 2ªmáxima. A terceira e quarta
ocorrências que sigam essa mesma sequência serão a 3ª e 4ª máximas. A 3ª máxima também é uma variante de
uma bandeira de alta em forma de cunha.

HTF
veja tempo grá co mais alto.

ii

Barras internas consecutivas, onde a segunda ca dentro da primeira, e a primeira dentro de uma outra barra
anterior e maior. No nal da perna, é uma con guração de modo-potencial-de-rompimento, e pode se
transformar tanto em uma bandeira quanto em um setup de reversão. Uma versão menos con ável é a ii na
qual as barras não possuam nenhuma sombra.

iii

Três barras internas em sequência, é um padrão parecido e levemente mais con ável que a ii.

inside bar – barra-interna

Uma barra com uma máxima que é no mesmo nível ou abaixo da máxima da barra anterior, e com uma mínima
que é no mesmo nível ou abaixo da mínima da barra anterior.

Institution – instituição

Pode ser um fundo de pensão, hedge-fund (fundos de risco), seguradora, banco, corretora, um grande trader
individual, ou qualquer outra entidade que opere um volume su cientemente grande para causar algum
impacto no mercado. O movimento do mercado é um efeito acumulado de várias instituições colocando ordens,
e uma única instituição sozinha normalmente não consegue mover um mercado majoritário por um tempo
prolongado. Instituições tradicionais colocam ordens baseadas em fundamentos, e isso costumava ser o único
fator determinante da direção de um mercado. No entanto, empresas de trade de alta frequência (HFT) agora
têm uma in uência signi cativa no movimento do dia, já que atualmente as suas operações são responsáveis
pela maior parte do volume diário. Empresas de trade de alta frequência são um tipo especial de empresa
institucional, e suas operações são baseadas em estatísticas, não em fundamentos. Instituições tradicionais
determinam a direção e o objetivo, mas matemáticos determinam o caminho que o mercado irá tomar para
chegar até lá.

ioi

Interna-externa-interna - três barras consecutivas, sendo que a segunda barra é uma barra externa e a terceira
barra é uma barra interna. Esse com frequência é um setup com potencial de explosão, no qual um operador
busca comprar acima ou vender abaixo da barra interna.

ledge - platô

Um platô de alta é uma pequena lateralidade com um fundo criado por duas barras ou mais que têm mínimas
idênticas; um platô de baixa é uma pequena lateralidade na qual o topo é criado por duas barras ou mais com
máximas idênticas.

leg – perna (ou pernada)


Uma pequena tendência que rompe uma linha-de-tendência de qualquer tamanho; o termo é usado apenas
quando existem no mínimo duas pernas no grá co. É qualquer tendência menor que seja parte de uma
tendência maior, e pode ser uma correção (um movimento contra a tendência), um swing em uma tendência ou
em um mercado lateral, ou um movimento a favor de uma tendência que ocorra entre quaisquer duas
correções dentro de uma tendência.

likely – provável/provavelmente

Ao menos 60% de certeza.

long / comprado

Uma pessoa que abre uma posição de compra no mercado ou a atual posição em si.

lot – lote

O menor tamanho de posição que pode ser negociado em um mercado. No Mercado de ações pode-se dizer
ações, e nos mercados futuro e de opções pode-se dizer contratos. *no Brasil, os pro ssionais de corretora
também usam o termo “lote” para se referir a grandes quantidades sendo negociadas ou apregoadas (ex: tem
lote na compra).

lower high – máxima mais baixa

Um swing de alta que tenha uma máxima mais baixa do que a máxima do swing anterior.

lower low – mínima mais baixa

A mínima de um swing de baixa que seja mais baixa do que um outro swing anterior de baixa.

low 1, 2, 3, or 4 - 1ª/2ª/3ª ou 4ª mínima

Uma 1ªmínima é uma barra que, durante uma bandeira de baixa ou quando próxima ao topo de uma
lateralidade, tem a sua mínima acima da mínima da barra anterior. Pois bem, se na próxima barra ou em
algumas barras mais adiante, ocorrer uma barra com uma mínima mais alta, então a próxima barra desta
correção que tiver uma mínima abaixo da mínima da barra anterior será uma 2ªmínima. A terceira e quarta
ocorrências que sigam essa mesma sequência serão a 3ª e 4ª mínima. A 3ª mínima também é uma variante de
uma bandeira de baixa em forma de cunha.

major trend line – linha de tendência majoritária

Qualquer linha de tendência que englobe a maior parte das barras da tela. Tipicamente é traçada usando
pontos que estão a ao menos 10 barras de distância entre si.

major trend reversal – reversão majoritária de tendência


Uma reversão de uma tendência de alta para uma tendência de baixa, ou de uma tendência de baixa para uma
tendência de alta. A con guração deve obrigatoriamente incluir a quebra de uma linha de tendência seguida de
um teste do antigo extremo da tendência.

meltdown – derretida/derretendo

Uma queda feita com um forte impulso de baixa ou com um canal de baixa muito estreito, sem a presença de
correções signi cativas, e que se estende muito além do que os fundamentos justi cariam.

melt-up – bombando/explodindo

Um rali feito com um forte impulso de alta sem a presença de correções signi cativas, e que se estende muito
além do que os fundamentos justi cariam.

micro

Qualquer padrão tradicional pode se formar com apenas uma a cinco barras e ainda assim ser válido, embora
facilmente passe desapercebido. Quando isso ocorre, ele é uma micro versão do padrão. Por exemplo, um
micro topo duplo, formado por apenas 2 ou 3 barras.

micro channel – micro canal

Um canal muito estreito no qual a maioria das barras têm suas máximas ou mínimas tocando a linha de
tendência, e com frequência também a linha de canal. É a forma mais extrema de canal estreito, e geralmente
não apresenta correções, mas algumas raras vezes pode apresentar uma ou duas correções extremamente
pequenas.

micro double bottom – micro fundo duplo

Barras consecutivas, ou quase consecutivas, com mínimas que são aproximadamente no mesmo preço. É uma
bandeira de baixa caso se forme durante um impulso de baixa, mas também pode ser um setup de reversão,
caso ocorra no nal de uma tendência de alta.

micro double top – micro topo duplo

Barras consecutivas, ou quase consecutivas, com máximas que são aproximadamente no mesmo preço. É uma
bandeira de alta caso se forme durante um impulso de alta, mas também pode ser um setup de reversão, caso
ocorra no nal de uma tendência de baixa.

micro measuring gap – micro gap de projeção

Quando as barras anterior e posterior a uma forte barra de tendência não se sobrepõem, esse é um sinal de
força e com frequência leva a um movimento projetado. Por exemplo, se houver uma forte barra de tendência
de alta e a mínima da barra seguinte for acima da máxima da barra anterior a essa barra de alta, o espaço entre
essa mínima da barra seguinte e a máxima da barra anterior é um gap.
micro trend channel line – micro linha de canal

É uma linha de canal traçada entre as máximas ou mínimas de 3 a 5 barras consecutivas.

micro trend line breakout – rompimento da micro linha de tendência

Uma linha de tendência em qualquer tempo grá co, que seja traçada em um intervalo entre 2 a 10 barras, onde
a maioria das barras toca ou está próxima da linha de tendência, e então uma das barras apresenta um
rompimento falso dessa linha de tendência. Esse falso rompimento con gura uma entrada a favor da tendência.
Se vier a falhar dentro de uma ou duas barras, então geralmente haverá a oportunidade de um trade contra a
tendência.

money stop – stop nanceiro

Um stop baseado em um montante xo de dinheiro, como Dólares ou Reais, ou em um número xo de pontos,


como por exemplo dois pontos no Emini ou 100 pontos do mini índice.

moving average – média móvel

É uma média calculada usando-se o preço de fechamento de um certo número “N” de barras (os grá cos neste
curso sempre utilizam a média exponencial de 20 períodos, mas qualquer período serviria), e cada nova barra
que se forma faz com que o cálculo da média descarte o primeiro elemento, que ocorreu há N barras, e coloque
a barra mais recente em seu lugar.

moving average gap bar (gap bar) - barra de gap da média móvel

Uma barra que não toca a média móvel, portanto deixa um espaço (ou um gap) entre a barra e a média móvel. É
importante identi cá-la porque a primeira correção em uma forte tendência, que resultar em uma barra de gap
da média móvel, geralmente é seguida por um teste do extremo anterior da tendência. Por exemplo, quando
existe uma forte tendência de alta e ocorre uma correção que atravesse a média móvel e coloque uma barra
inteira abaixo dela, de modo que esta barra tenha uma máxima que que abaixo da média móvel, esse com
frequência será um bom setup de compra para um teste da máxima da tendência.

news – notícias

Informação inútil gerada pela mídia com o único propósito de vender anúncios e gerar receita para a empresa
de mídia. Não tem nenhuma relação com o trade, é impossível de ser avaliada e deve sempre ser ignorada.

oio

Externa-interna-externa, uma barra externa seguida por uma barra interna, que por sua vez é seguida por uma
barra externa.

oo

Externa-externa, uma barra externa seguida por uma barra externa ainda maior.
opening reversal – reversão na abertura

Uma reversão que ocorre próxima da primeira hora de pregão.

outside bar – barra externa

Uma barra com uma máxima acima ou no mesmo nível da máxima da barra anterior, ao mesmo tempo que tem
uma mínima que vai abaixo ou no mesmo nível da mínima da mínima da barra anterior.

outside down bar – barra externa de baixa

Uma barra externa com um fechamento abaixo da abertura.

outside up bar – barra externa de alta

Uma barra externa com um fechamento acima da abertura.

overshoot – ultrapassar/ultrapassagem

O Mercado ultrapassa algum nível signi cativo anterior, como um ponto de swing ou uma linha de canal.

pause bar – barra de pausa

Uma barra que causa uma parada na tendência. Por exemplo, em uma tendência de alta, uma barra de pausa
tem uma máxima no mesmo nível ou abaixo da barra anterior, ou uma barra pequena com uma máxima que
não vai muito mais do que um tick acima da barra anterior, quando a barra anterior é uma forte barra de
tendência de alta. É um tipo de correção.

perfect trade – operação perfeita

Uma operação perfeita tem uma alta probabilidade de obter um alto retorno quando comparado ao risco. Ela
não pode existir porque nenhuma instituição estaria disposta a entrar do outro lado dela, já que a probabilidade
de sucesso do lado oposto é baixa e o retorno é baixo quando comparado ao risco.

pip / pips

Um tick no Mercado Forex, mas que atento ao fato de que alguns terminais oferecem cotações com uma casa
decimal a mais, que deve ser ignorada.

price action (movimento de preços)

Qualquer mudança de preço, em qualquer tipo de grá co e em qualquer tempo grá co.

probability – probabilidade
É a chance de sucesso. Por exemplo, se um trader procurar dentro das 100 últimas vezes que um setup
con gurou uma operação, e encontrar que em 60 dessas vezes a operação foi lucrativa, então isso indicaria que
esse setup tem cerca de 60% de probabilidade de sucesso. Existem muitas variáveis que não podem ser
totalmente testadas, portanto probabilidades são apenas aproximações e nunca exatas, podendo muitas vezes
ser enganosas.

probably – provavelmente

Ao menos 60% de certeza.

pullback – correção

É uma pausa temporária ou um movimento contrário a um movimento de tendência, swing ou perna, que não
corrige além do início do início do movimento. É uma pequena lateralidade na qual os operadores estão
esperando que a tendência seja retomada em breve. Por exemplo, uma correção de baixa é um movimento de
lateral para cima em uma tendência, swing ou perna de baixa, que deverá ser seguida por pelo menos um teste
da mínima anterior. Ela pode ser tão pequena quanto um movimento de um tick acima da máxima da barra
anterior, ou pode ser simplesmente uma pausa, como uma barra interna.

pullback bar – barra de correção

Uma barra que reverte a barra anterior em ao menos um tick. Por exemplo, em uma tendência de alta, é uma
barra cuja mínima vai abaixo da mínima da barra anterior.

reversal – reversão

Uma mudança para um tipo oposto de comportamento. A maioria dos analistas técnicos usam o termo com o
signi cado de uma mudança de uma tendência de alta para uma tendência de baixa ou de uma tendência de
baixa para uma tendência de alta. No entanto, o comportamento de um mercado lateral é o oposto de
comportamento de um mercado em tendência, portanto quando uma tendência se transforma em uma
lateralidade isso também é uma reversão. Quando uma lateralidade se torna uma tendência isso também é
uma reversão, mas normalmente é chamada de rompimento.

reward – retorno/recompensa/ganho

O número de ticks que um trader espera ganhar em uma operação. Por exemplo, se o trader sair com uma
ordem limitada em um certo objetivo de lucro, o retorno será o número de ticks entre o preço de entrada e o
objetivo de lucro.

risk – risco

O número de ticks entre o preço de entrada e o stop de proteção. É o mínimo que um trader irá perder caso a
operação vá contra ele (é o mínimo porque ainda podem ocorrer vácuo de ordens, custos de bolsa e outros
fatores podem fazer o risco efetivo ser muito maior do que o risco teórico).

risk on – favorável ao risco


Quando traders acham que um mercado está forte, eles estão dispostos a tomar mais riscos e investir em ações
que tendem a subir mais rapidamente do que o mercado em geral, e investem mais em moedas mais
arriscadas, como o Dólar Australiano ou a Korona sueca.

risk o – avesso ao risco

Quando traders acham que o mercado de ações está instável, eles se tornam avessos ao risco, saem de
posições em ações e moedas voláteis para entrarem em investimentos mais conservadores, como Johnson &
Johnson (JNJ), Altria Group (MO), Procter & Gamble (PG), Dólar dos Estados Unidos e Franco Suíço.

risky – arriscado

Quando a Equação do Trader não está clara ou está pouquíssimo favorável para a operação. Também pode
signi car que a probabilidade de sucesso de uma operação é de 50% ou menos, independentemente do risco e
do retorno potencial.

scalp - trade curto

Uma operação que é encerrada com um lucro pequeno, normalmente antes de que haja qualquer correção. No
Emini, quando o intervalo diário de negociação está entre 10 e 15 pontos, um trade de scalp é normalmente
qualquer trade no qual o objetivo de lucro é menor do que 4 pontos. Para o SPY ou para ações, o equivalente
pode ser uns 10 ou 30 centavos. Para ações mais caras, seria o equivalente a $1 ou $2. Pelo fato de o ganho ser
com frequência menor do que o risco, um trader terá de acertar 70% das vezes, o que é um objetivo fora da
realidade para a maioria. Em geral os operadores só deveriam entrar em operações nas quais o potencial de
retorno seja ao menos do tamanho do risco, a não ser que eles sejam excepcionalmente experientes.

scalper

Um trader que tenha como atividade principal operações de pequenos ganhos, normalmente usando um stop
bem pequeno.

scalper’s pro t – ganho de scalper (ou ganho curto)

Um montante que tipicamente um scalper costuma ter como objetivo.

scratch – empate/zero a zero/próximo do zero

Uma operação com resultado próximo a zero, tanto com ganho desprezível quanto com perda desprezível.

second entry – segunda entrada

A segunda vez, após apenas algumas barras da primeira entrada, em que ocorre uma nova barra de entrada
baseada na mesma lógica da primeira entrada. Por exemplo, se um rompimento acima de uma bandeira em
forma de cunha de alta falha e corrige para formar uma bandeira em formato de fundo duplo, essa correção
con gura um segundo sinal de compra da bandeira de alta em formato de cunha.
second signal – segundo sinal

A segunda vez, dentro de um intervalo de poucas barras após o primeiro sinal, em que ocorre um novo
setup/sinal baseado na mesma lógica do primeiro.

selling pressure – pressão de venda

Quando os baixistas mostram sua força, com suas vendas criando barras de tendência de baixa, barras com
sombras no topo e reversões de baixa de duas barras. O efeito é acumulativo e normalmente acaba sendo
seguido por preços mais baixos.

setup – con guração

Um padrão de uma ou mais barras, utilizado por traders como base para colocar ordens de entrada. É
composto por contexto, que são todas as barras à esquerda, e uma barra de sinal. Se uma ordem de entrada for
preenchida, então a última barra do setup se tornará uma barra de sinal.

shaved body – corpo careca

Um candle sem sombras em apenas um, ou nos dois lados. Um topo careca não possui sombra no topo,
enquanto que um fundo careca não possui sombra no fundo.

short – venda/vendido/vender

Como verbo, vender um contrato futuro de ação para iniciar uma nova posição (não para sair de uma posição já
existente). Como nome, aquele que detém uma posição de venda.

shrinking stairs – escadas diminuindo

Um padrão de escadas, no qual o rompimento mais recente anda uma distância menor do que o anterior. É
uma série de três ou mais máximas mais altas em uma tendência de alta, ou mínimas mais baixas em uma
tendência de baixa, na qual o rompimento de cada novo extremo anda uma distância menor além do ponto de
rompimento do que o anterior. Pode ser um padrão de três puxadas, mas não obrigatoriamente necessita ter a
aparência de uma cunha, e pode ser feito por uma série de swings amplos em uma tendência.

signal bar – barra de sinal

A barra imediatamente antes da barra na qual uma ordem de entrada é preenchida (a barra de entrada). É a
barra nal da con guração.

smaller time frame – tempo grá co menor

Um tempo grá co que possui mais barras por hora do que o grá co atual. Se o grá co for baseado em tempo,
cada barra contém menos tempo (por exemplo, um grá co de 3 minutos é menor do que todos os grá cos que
forem de 4 minutos ou mais). Um grá co de tick no qual todas as barras são feitas por apenas um único tick é o
menor tempo grá co que pode existir.
smart traders – traders sagazes

Traders que consistentemente geram lucro e que geralmente estão do lado certo do mercado. Normalmente
operam posições grandes.

spike and channel – impulso e canal

Um rompimento em uma tendência no qual a continuidade ocorre na forma de um canal, com menos
momentum e com negociação de ambos os lados.

stair – escada

Uma puxada para um novo extremo, durante uma tendência formada por lateralidades-em-tendência, ou por
um canal amplo no qual ocorrem séries de três ou mais swings de tendência que se parecem com uma
lateralidade inclinada e mal se assemelham a um canal. Após o rompimento, ocorre uma correção que corrige
ao menos um pouco para dentro da lateralidade anterior, o que não é um pré-requisito para outras
lateralidades que não pertençam a um padrão de escada. Negociações dos dois lados estão ocorrendo, mas um
dos lados está levemente com mais controle, e por isso ocorre a inclinação.

strong bulls and bears - compradores/vendedores fortes

Traders institucionais cujas compras e vendas acumuladas determinam a direção do mercado.

success – sucesso

Quando os operadores conseguem atingir os seus objetivos de ganho lucro antes que os seus stops de proteção
sejam atingidos.

swing

Uma tendência menor, que rompe uma linha de tendência de qualquer tamanho; o termo é utilizado apenas
quando existem ao menos duas pernas no grá co. Elas podem ocorrer dentro de uma tendência mais alta ou
durante um mercado lateral.

swing up –swing para cima

Uma barra que se parece com um impulso para cima no grá co e se estende acima das barras vizinhas. Sua
máxima é no mesmo nível ou acima da barra imediatamente anterior, assim como da penúltima barra.

swing high/low –máxima do swing

Máxima do swing.

swing high/low –mínima do swing

Mínima do swing
swing low – swing para baixo

Uma barra que se parece com um impulso para baixo e se estende para baixo além das barras vizinhas. Sua
mínima é no mesmo nível ou mais baixa do que a barra imediatamente anterior, assim como da penúltima
barra.

swing point – ponto de swing

A máxima de um swing anterior de alta ou a mínima de um swing anterior de baixa.

swing trade / operação de swing

Para um day trader que esteja usando um grá co intraday, como por exemplo o de 5 minutos, é qualquer
operação que dure mais do que um scalp e na qual o operador segure a posição durante uma ou mais
correções. Para operadores que usam tempos grá cos maiores, é uma operação que dura entre horas a dias.
Tipicamente, ao menos parte da operação é mantida sem um objetivo de nido, já que o operador está
esperando que seja um movimento extenso. O retorno potencial normalmente é ao menos duas vezes maior do
que o risco, e a probabilidade normalmente é de apenas 40% a 50%. Em fortes rompimentos, a probabilidade é
com frequência de 60% ou mais, mas nesse caso o risco também normalmente é grande, e os operadores com
frequência realizam lucro parcial no momento em que o retorno se iguale ao risco. Operações de swing
pequenas são chamadas de scalps por muitos operadores. No Emini, quando o intervalo diário médio de
negociação está entre 10 e 15 pontos, uma operação de swing é normalmente qualquer operação cujo objetivo
é de quatro pontos ou mais.

test – teste

Quando o mercado se aproxima de um preço que teve signi cado anteriormente, podendo tanto ultrapassar
quanto não chegar a tocá-lo. O termo falha no teste é usado com signi cados opostos por diferentes
operadores. A maioria deles acredita que se o mercado vier a reverter após o teste, então ele foi bem-sucedido,
mas se ocorrer o contrário e o movimento continuar além da área de teste, este então terá falhado e o
rompimento terá ocorrido.

three pushes – três puxadas

Três máximas de swing nas quais cada uma delas é normalmente mais alta, ou três mínimas de swing nas quais
cada uma delas normalmente é mais baixa. Deve ser considerada como uma variante de cunha, e inclusive se
opera da mesma maneira. Quando é parte de uma bandeira, o movimento pode ser em sua maioria horizontal,
e não necessita obrigatoriamente que cada puxada se estenda além do preço das anteriores. Por exemplo, em
uma bandeira em forma de cunha ou em qualquer tipo de triângulo, a segunda puxada pode ser no mesmo
nível, acima ou abaixo da primeira, e a mesma coisa vale para a terceira puxada para baixo.

tick

A menor unidade possível de movimento de preço. Para a maioria das ações é um centavo (no mercado
americano); para o futuro do Título de 10 anos do Tesouro dos EUA, é 1/64 de ponto; para os Eminis, é 0,25
pontos; para o Mini Índice Bovespa é de 5 pontos. Já nos grá cos de tick (onde cada barra é formada após cada
variação de 1 tick) e nas tabelas de Times & Sales (tabela de negócios dos terminais eletrônicos de negociação),
um tick é qualquer operação que ocorra, independentemente do tamanho ou da mudança de preço.

tight channel – canal estreito

Um canal no qual a linha de tendência e a linha de canal estão muito próximas, e as correções, além de serem
pequenas, duram apenas entre uma a três barras.

tight trading range – lateralidade estreita

É uma lateralidade de duas ou mais barras com muita sobreposição entre elas e na qual a maioria das reversões
são pequenas demais para que se opere com lucro quando se entra com ordens stop. Compradores e
vendedores estão em equilíbrio.

time frame – tempo grá co

O quanto de tempo que está contido em uma barra do grá co (uma barra de 5 minutos é feita de barras que se
encerram a cada 5 minutos). Pode também se referir a barras que não se baseiam em tempo, como por
exemplo as que são baseadas em volume ou em número de ticks negociados.

times & Sales - janela de negócios

Janela dos terminais eletrônicos de negociação, que mostra um a um todos os negócios fechados entre os
players, incluindo o horário, o tamanho do lote, o preço e os números de registro das corretoras de compra e de
venda.

tradable - negociável

Uma con guração que você acredita ter uma chance razoável de resultar em ao menos um ganho de scalp.

trader’s equation – Equação do trader

Para entrar em uma operação, você tem de acreditar que a probabilidade de sucesso multiplicada pelo potencial
de ganho seja maior do que a probabilidade de perda multiplicada pelo tamanho do risco. É você quem
determina o retorno e o risco porque o retorno potencial é a distância até o seu objetivo de lucro, enquanto que
o risco é a distância para o seu stop. A di culdade em resolver a equação está em determinar um valor para a
probabilidade, a qual nunca se pode a rmar com certeza. Como orientação, se não estiver convicto, assuma que
você tem de 40 a 50% de chance de acerto, e tente um retorno que seja de ao menos 2x o tamanho do risco. Se
ao invés disso você estiver con ante que a sua operação será bem-sucedida, então assuma que existe 60% de
chance de sucesso, e nesse caso você poderá então realizar lucro com 1x o risco (um objetivo de lucro que seja
igual ao stop de proteção). Considerando que operações perfeitas não podem existir, toda operação terá ao
menos uma variável ruim, seja na forma de uma probabilidade pequena, ou com um retorno que é pequeno
quando comparado ao risco.

trading range – lateralidade


O requerimento mínimo é uma única barra com um intervalo que amplamente se sobrepõe à barra anterior a
ela. É um movimento lateral, e nem os altistas nem os baixistas têm o controle, embora muitas vezes um dos
lados seja mais forte. É com frequência uma correção em uma tendência, na qual essa correção tenha durado
tempo o su ciente para diminuir consideravelmente a sua probabilidade de sucesso. Em outras palavras, os
operadores não têm muita certeza quanto à direção do rompimento no curto prazo, e o mercado deverá
apresentar seguidas tentativas frustradas de rompimento para cima e para baixo. Mesmo assim, normalmente
ainda haverá um rompimento na direção da tendência anterior, fazendo com que essa lateralidade tenha sido
apenas uma correção na tendência de um tempo grá co maior.

trailing a stop – stop móvel

Conforme a sua posição em um trade vai se tornando cada vez mais lucrativa, operadores com frequência irão
mover o stop de proteção com a intenção de proteger parte do lucro que já está em aberto. Por exemplo, se
eles estiverem comprados em uma tendência de alta, toda vez que o mercado zer uma nova máxima, muitos
traders subirão o stop de proteção para logo abaixo da mínima mais alta mais recente.

trapped in a trade – emboscado em uma operação

Um trader que está com uma perda em aberto que não chegou a oferecer nem mesmo o ganho de um scalper,
e se houver uma correção para além do preço de entrada ou de volta à barra de sinal, o trader provavelmente
tentará sair, mesmo que seja com uma perda menos, tentando evitar a perda do valor integral do stop.

trapped out of a trade – emboscado para fora de uma operação

Uma correção que dá um susto no trader e o faz sair da operação, mas essa correção acaba falhando e o
movimento rapidamente é retomado na direção da tendência, tornando difícil emocionalmente para o trader
retornar. O preço atual está muito pior e se o operador quisesse voltar teria de perseguir o mercado.

trend bar – barra de tendência

Uma barra que tem corpo, para qualquer direção, o que signi ca que o fechamento foi acima ou abaixo da
abertura, indicando que houve ao menos um deslocamento mínimo de preços.

trend channel line – linha de canal de tendência/linha de canal

Uma linha na direção da tendência, mas que é traçada no lado oposto das barras (em relação à linha de
tendência. Uma linha de canal de alta ca acima das máximas e sobe para a direita, enquanto que uma linha de
canal de baixa ca abaixo das mínimas e desce para a direita.

trend channel line overshoot – exceder/ultrapassar a linha do canal

Uma ou mais barras que penetram a linha de canal.

trend channel line undershoot – não tocar a linha de canal

Uma barra que se aproxima de uma linha de canal, mas o mercado reverte para o outro lado sem nunca a tocar.
trend from the open – tendência desde a abertura

Uma tendência que começa logo nas primeiras barras do dia e se estende por muitas barras sem correção,
fazendo com que a máxima ou mínima do dia (ou ao menos da maior parte dele) já seja cravado logo durante
esse início de sessão.

trending closes – fechamentos em tendência

Três ou mais barras nas quais os fechamentos estão em tendência. Numa tendência de alta, cada fechamento
ocorre num preço maior do que o fechamento anterior, e em uma tendência cada fechamento ocorre em um
preço mais baixo que o anterior. Se o padrão se estender por muitas barras, é aceitável que hajam uma ou duas
barras nas quais os fechamentos não estejam em tendência (uma correção).

trending highs or lows – máximas ou mínimas em tendência

Conceito parecido com o de fechamentos em tendência, mas sendo baseadas respectivamente nas máximas e
mínimas das barras.

trending swings – swings em tendência

No caso de swings em tendência de alta, são três ou mais swings que tenham tanto as suas máximas como as
suas mínimas mais altas do que as máximas e mínimas do swing anterior. O oposto é válido para swings em
tendência de baixa.

trending trading ranges – lateralidades em tendência

Sequência de duas ou mais lateralidades separadas por um rompimento.

trend line – linha de tendência

Uma linha na direção da tendência; em tendências de alta, sua direita é inclinada para cima e a linha ca abaixo
das barras; em tendências de baixa, sua direita é inclinada para baixo e a linha ca acima das barras.

trend reversal – reversão de tendência

Uma mudança na tendência de alta para tendência de baixa ou de uma tendência de baixa para uma tendência
de alta. Pode ainda ser uma tendência de alta para uma lateralidade, mas essa última mudança de estado é
menos comentada.

Two sided - mercado bi-lateral


Um mercado onde tanto compradores quanto vendedores se mostram com força e bastante ativos, mesmo
que um dos lados deles esteja predominando.

20 moving average gap bars – 20 barras de gap em relação à média


Vinte ou mais barras consecutivas sem tocar a média móvel. Uma vez que o mercado nalmente a toque, isso
normalmente cria um setup para um teste do extremo da tendência.

undershoot – não tocar

Quando o mercado se aproxima, mas não chega a tocar um preço anterior signi cativo, como por exemplo um
ponto anterior de swing ou uma linha de tendência.

unlikely – improvável/não provável

No máximo 40% de certeza.

usually – normalmente

Ao menos 60% de certeza.

vacuum – vácuo

Um vácuo de compra ocorre quando vendedores fortes acreditam que o preço ainda irá subir em breve, por
isso eles aguardam e só irão vender após algum magneto acima ser atingido. O resultado é que a falta de
vendedores forma um vácuo que suga o mercado rapidamente para cima, na forma de uma ou mais barras de
tendência de alta. Uma vez atingido, os vendedores fortes vendem agressivamente e jogam o mercado para
baixo. No vácuo de compra ocorre o contrário, e compradores fortes acreditam que o mercado estará mais
baixo em breve, por isso eles aguardam e não compram até que algum magneto abaixo do preço atual seja
atingido. O resultado é que a falta de compradores forma um vácuo que rapidamente suga o mercado para
baixo na forma de uma ou mais barras de tendência de venda. Uma vez atingido algum magneto, os fortes
compradores compram de maneira agressiva, puxando o mercado de volta para cima.

wedge – cunha

Tradicionalmente é um movimento de três puxadas com cada uma delas se estendendo além da outra, e onde
as linhas de canal e de tendência são minimamente convergentes, criando um formato de triângulo ascendente
ou decrescente. Para um trader, o formato de Cunha aumenta as chances de um trade de sucesso, mas
qualquer padrão com três puxadas se assemelha uma cunha e deve ser operado de maneira igual.  Uma cunha
pode ser um padrão de reversão ou uma correção em uma tendência (uma bandeira de alta ou de baixa).

wedge ag – bandeira em forma de cunha

Uma correção em formato de cunha ou que simplesmente tenha três puxadas, como por exemplo uma
3ªmáxima em uma tendência de alta (que é um tipo de bandeira de alta) ou uma 3ªmínima em uma tendência
de baixa (que é um tipo de bandeira de baixa). Pelo fato de esses exemplos serem trades a favor da tendência,
geralmente se pode entrar no primeiro sinal.

wedge reversal – reversão em formato de cunha


Uma cunha que reverte uma tendência de alta para uma tendência de baixa ou uma tendência de baixa em uma
tendência de alta. Por ser contra a tendência, a menos que seja um sinal muito forte, é melhor entrar no
segundo sinal. Por exemplo, se há uma tendência de baixa e então uma cunha descendente, aguarde o
rompimento acima desse potencial fundo em forma de cunha para tente comprar uma correção para uma
mínima mais alta.

with trend – a favor da tendência

Se refere a uma operação ou setup na direção da tendência que está prevalecendo. Em geral, a direção do sinal
mais recente do 5 minutos deve ser assumida como sendo a direção da tendência. Além disso, se a maior parte
das últimas 10 ou 20 barras estiverem por exemplo acima da média móvel, setups e operações provavelmente
ocorrerão do lado comprador.