Você está na página 1de 62

Francisco Paulo de Sousa

OBJETIVOS:

Proporcionar aos participantes conhecimentos e habilidades


que os capacitem a:
1. Demonstrar o atendimento à parturiente antes, durante e
após o trabalho de parto;
2. Demonstrar os cuidados com o recém nascido;
3. Demonstrar, em um manequim, as formas adequadas de
transporte às vítimas que pela sua condição exijam Transporte
Imediato, tais como: prolapso de cordão ou de membro,
hemorragia no pré ou pós-parto, feto em apresentação diversa
da cefálica.
Anatômia da Gravides
FASES DO TRABALHO DE PARTO
1ª fase: inicia com as contrações e termina
no momento em que o feto entra no canal
de parto.

2ª fase: do momento em que o feto está no


canal de parto até o nascimento.

3ª fase: do nascimento até a completa


expulsão da placenta, que tem duração de
10 a 30 minutos.
Dequitação Placenta
Medir os intervalos de contração através
da contagem do início de uma contração
para o início da contração seguinte.
Pode ser necessário estimular o recém-
nascido a respirar.
Ressuscitar o bebê recém-nascido com um
ressuscitador máscara que é um tamanho
adequado.
Cortando o cordão umbilical.
PARTOS MÚLTIPLOS

Depois que o 1º bebê nascer, começam novamente as


contrações do trabalho de parto. O procedimento para o
nascimento do 2º bebê é o mesmo com relação à parturiente
e o 1º bebê. Clampeie sempre o cordão umbilical do 1º bebê
antes do nascimento do segundo.

PLACENTA ÚNICA PLACENTAS SEPARADAS


SITUAÇÕES DE TRANSPORTE IMEDIATO
1. Transportar imediatamente ao hospital a gestante que
apresente algum dos seguintes problemas:

a. Hipertensão arterial;
b. Cardiopatias;
c. Hemorragias vaginais;
d. Líquido amniótico esverdeado (mecônio);
e. Prolapso de cordão;
f. Apresentação diversa da cefálica: pélvica, transversa ou pélvica
Saída de um líquido esverdeado
pela vagina ( Mecônio );
FORMAS DE TRANSPORTE

GESTANTE COM CONTRAÇÕES UTERINAS, SEM SINAIS DE PARTO IMINENTE

(não se enquadra nas situações de Transporte Imediato, no entanto,


requer forma adequada de transporte).

FORMA DE TRANSPORTE
· Posicione a paciente em decúbito lateral esquerdo ou em DDH com
deslocamento manual do útero para o lado esquerdo;
JUSTIFICATIVA: aliviar a compressão sobre a veia cava inferior aumentando
a circulação sanguínea materna. Evita-se consequentemente hipóxia no feto,
o que levaria a sofrimento fetal, associado ao relaxamento do esfíncter anal,
com a liberação de mecônio, devido à descarga adrenérgica.
PROLAPSO DE MEMBRO OU DE CORDÃO UMBILICAL

Prolapso de membro superior

Prolapso de cordão umbilical


PARTO EM APRESENTAÇÃO PÉLVICA

TRATAMENTO PRÉHOSPITALAR

1. Criar uma via aérea pérvia para o bebê;


2. Informar a mãe que introduzirá os dedos
no canal de nascimento para permitir que
o bebê respire adequadamente;
3. Com a mão DOMINANTE alivie a
compressão do cordão umbilical;
Criar e manter uma via aérea para o bebê
durante um parto pélvico.
4. Com a palma da mão NÃO DOMINANTE voltada para cima, posicione
paralelamente os dedos indicador e médio; introduza-os na vagina, afaste
os
tecidos das paredes da vagina formando com os dedos um “V”;
5. Posicione-os um a cada lado das narinas do bebê criando um espaço que
permita respirar livremente;
6. Se não conseguir efetuar a manobra descrita, tente utilizar a ponta do
dedo
indicador para manter aberta a boca do concepto;
7. Transporte, mantendo a via aérea para o bebê até a chegada ao hospital.
Mantenha um fluxo de oxigênio, por máscara, em direção à face do
concepto;
8. Permita que o nascimento prossiga e dê a assistência necessária durante
o
período de expulsão;
9. Se houver o nascimento durante o transporte siga as etapas de
procedimentos previstas para o tratamento pré-hospitalar da mãe e do
recém nascido.
ABORTOS
O aborto é a expulsão de um feto antes que ele possa sobreviver por si só,
ou seja, no início da gravidez, até em torno da 22º semana,
aproximadamente
NATIMORTO
O RN apresenta sinais que indicam que a morte ocorreu há horas ou dias,
tais como:
maceração da pele, líquido amniótico de cor achocolatada, odor fétido

TRATAMENTO PRÉHOSPITALAR
1. Se o óbito é evidente, não é indicada a tentativa de reanimação;
2. Monitorar a parturiente e tratar qualquer complicação pósparto;
3. Ofertar apoio psicológico à parturiente e a sua família;
4. Envolver o bebê em cobertor apropriado;
5. Transportar para o hospital indicado a parturiente e o bebê em óbito
´ s

Obrigado !!!