Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE LICUNGO

DELEGAÇÃO DE QUELIMANE
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA
LICENCIATURA EM ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO DA EDUCAÇÃO
Cadeira: Prática Pedagógica Geral
Estudante: Cristino Naricha

Docente:

FICHA DE CONTEÚDO
Referências:
 LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola Pública. A Pedagogia critico-social dos conteúdos. Colecção Educar .Loyola,
1985.
Nº de
pág. TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS
Observação
Contextualizaçao
3 A prática escolar consiste na concretização das condições que asseguram a realização do trabalho docente. Tais condições não
se reduzem ao estritamente "pedagógico", já que a escola cumpre funções que lhe são dadas pela sociedade concreta que, por
5 sua vez, apresenta-se como constituída por classes sociais com interesses antagônicos, (LIBÂNEO, 1985).
Por sua vez, LIBÂNEO (1985), declara que utilizando como critério a posição que adotam em relação aos condicionantes
sociopolíticos da escola, as tendências pedagógicas foram classificadas em liberais e progressistas, a saber:

1.TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS


A pedagogia liberal sustenta a idéia de que a escola tem por função preparar os indivíduos para o desempenho de papeias
8 - 20 sociais, de acordo com as aptidões individuais. Para isso, os indivíduos precisam aprender a adaptar-se aos valores e às normas
vigentes na sociedade de classes, através do desenvolvimento da cultura individual (LIBÂNEO, 1985).
No entanto, a ênfase no aspecto cultural esconde a realidade das diferenças de classes, pois, embora difunda a idéia de
igualdade de oportunidades, não leva em conta a desigualdade de condições.
Portanto, de forma sucinta, na pedagogia liberal a escola prepara o indivíduo para a sociedade, no entanto possui uma forma de
organização baseada na propriedade privada dos meios de produção, denominada sociedade de classes (idem).

1.1.Tendência Liberal Tradicional


Papel da escola - A atuação da escola consiste na preparação intelectual e moral dos alunos para assumir sua posição na
sociedade. O compromisso da escola é com a cultura, os problemas sociais pertencem à sociedade.
10 - 15 Conteúdos de ensino - São os conhecimentos e valores sociais acumulados pelas gerações adultas e repassados ao aluno como
verdades. As matérias de estudo visam preparar o aluno para a vida, são determinadas pela sociedade e ordenadas na
legislação. Os conteúdos são separados da experiência do aluno e das realidades sociais, valendo pelo valor intelectual, razão
pela qual a pedagogia tradicional é criticada como intelectualista e, às vezes, como enciclopédica, (LIBÂNEO, 1985).

Métodos - Baseiam-se na exposição verbal da matéria e/ou demonstração. Tanto a exposição quanto a análise são feitas pelo
professor, observados os seguintes passos: a) preparação do aluno (definição do trabalho, recordação da matéria anterior,
despertar interesse); b) apresentação (realce de pontos-chave, demonstração); c) associação (combinação do conhecimento
novo com o já conhecido por comparação e abstração); d) generalização (dos aspectos particulares chega-se ao conceito geral,
é a exposição sistematizada); e) aplicação (explicação de fatos adicionais e/ou resoluções de exercícios), (LIBÂNEO, 1985). A
11-16 ênfase nos exercícios, na repetição de conceitos ou fórmulas na memorização visa disciplinar a mente e formar hábitos.
No que tange a relação professor-aluno, LIBANEO (1985) acrescenta que os métodos são exposição e demonstração verbal da
matéria. O discente aprende por meio de seu próprio esforço. Portanto, o docente é a autoridade maior, não existe relação
professor-aluno e o aluno não questiona. A aprendizagem é receptiva e mecânica.

1.2.Tendência Liberal Renovadora Progressiva

Nesta tendencia a finalidade da escola é adequar as necessidades individuais ao meio social e, para isso, ela deve se organizar
de forma a retratar, o quanto possível, a vida, (LIBÂNEO, 1985).

No que tange aos conteúdos de ensino são estabelecidos em função de experiências que o sujeito vivência frente a desafios
cognitivos e situações problemáticas. Dá-se, portanto, muito mais valor aos processos mentais e habilidades cognitivas do que
a conteúdos organizados racionalmente. Trata-se de "aprender a aprender", ou seja, é mais importante o processo de aquisição
16-17
do saber do que o saber propriamente dito. Ou seja, os conteúdos de ensino são construídos diante das experiências,
descobertas, convivências, em fim por meio da motivação e estimulação de problemas, (LIBÂNEO, 1985)..

Por sua vez, os métodos são por meio de experiências, pesquisas, solução de problemas, aprender fazendo. O professor atua
como auxiliar no desenvolvimento do aluno. Contudo, a aprendizagem ocorre por meio da motivação e estimulação de
problemas. A escola propõe a auto-aprendizagem.

1.3.Tendência Liberal Renovadora não-diretiva

Nesta tendência acentua-se o papel da escola na formação de atitudes, razão pela qual deve estar mais preocupada com
problemas psicológicos do que com os pedagógicos ou sociais. Todo esforço está em estabelecer um clima favorável a uma
18
mudança dentro do indivíduo, isto é, a uma adequação pessoal às solicitações do ambiente. Ou melhor, é uma corrente
pedagógica em que o papel da escola é a formação de atitudes, há uma desvalorização do ensino e supervalorização dos
problemas psicológicos, (LIBÂNEO, 1985).

No que se refere aos conteúdos, a ênfase que esta tendência põe nos processos de desenvolvimento das relações e da
comunicação torna secundária a transmissão de conteúdos. Os processos de ensino visam mais facilitar aos estudantes os meios
para buscarem por si mesmos os conhecimentos que, no entanto, são dispensáveis..

Os métodos usuais são dispensados, prevalecendo quase que exclusivamente o esforço do professor em desenvolver um estilo
próprio para facilitar a aprendizagem dos alunos Rogers explicita algumas das características do professor “facilitador":
19
aceitação da pessoa do aluno, capacidade de ser confiável, receptivo e ter plena convicção na capacidade de
autodesenvolvimento do estudante, (LIBÂNEO, 1985). Sua função restringe-se a ajudar o aluno a se organizar, utilizando
técnicas de sensibilização onde os sentimentos de cada um possam ser expostos, sem ameaças. Assim, o objetivo do trabalho
escolar se esgota nos processos de melhor relacionamento interpessoal, como condição para o crescimento pessoal.
Contudo, a educação é centralizada no aluno. Quanto a aprendizagem, entende-se que aprender é modificar as percepções da
realidade.

1.4.Tendência Liberal Tecnicista

Nesta tenência a escola funciona como modeladora do comportamento humano, através de técnicas específicas. À educação
escolar compete organizar o processo de aquisição de habilidades, atitudes e conhecimentos específicos, úteis e necessários
20
para que os indivíduos se integrem na maquina do sistema social global, (LIBÂNEO, 1985).

Assim, os conteúdos de ensino são informações ordenadas numa sequência lógica e psicológica, decorrem da ciência objetiva.
Nos métodos de ensino há uma harmonia entre as necessidades dos alunos e os valores sociais.

Nesta tendência , também o professor administra o conteúdo, é um técnico que garante a eficiência do ensino e o aluno recebe
as informações passadas. As relações afetivas entre o professor e aluno são desnecessárias. Aprendizagem é baseada no
desempenho.

2.TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS PROGRESSISTAS


Segundo LIBÂNEO (1985), a pedagogia progressista designa as tendências que, partindo de uma análise crítica das realidades
sociais, sustentam implicitamente as finalidades sociopolíticas da educação. Esta, tem-se manifestado em três tendências: a
20
libertadora, mais conhecida como pedagogia de Paulo Freire, a libertária, que reúne os defensores da autogestão pedagógica;
a crítico-social dos conteúdos que, diferentemente das anteriores, acentua a primazia dos conteúdos no seu confronto cor as
realidades sociais.
2.1.Tendência Progressista Libertadora

Diferentemente das diferentes tendências apresentadas, a educação libertadora, ao contrário, questiona concretamente a
20 - 25
realidade das relações do homem com a natureza e com os outros homens, visando a uma transformação - daí ser uma
educação crítica. Paulo Freire é o principal autor dessa tendência. Esta pedagogia propõe uma educação crítica a serviço da
transformação social, (LIBÂNEO, 1985).

Nessa tendência o papel da escola está baseado na formação da consciência política do discente para agir e modificar a
realidade. Os conteúdos são extraídos por meio de Temas geradores retirados da problematização do cotidiano dos educandos.

No que tange aos métodos de ensino são baseados em grupos de discussão e deve promover a vivência de relações efetivas.
Quanto a relação professor aluno, o professor e aluno são sujeitos do acto do conhecimento, a relação é de igual para igual,
(LIBÂNEO, 1985). A aprendizagem ocorre por meio da troca de experiência em torno da prática social.

2.2.Tendência Progressista Libertária

Esta tendência “pedagogia libertária” espera que a escola exerça uma transformação na personalidade dos alunos num sentido
25 libertário e autogestionário, (LIBÂNEO, 1985).

Por sua vez, os conteúdos são apresentados, mas não exigidos. Os métodos são baseados na vivência grupal na forma de
autogestão. Professor e aluno são livres, uma relação baseada na autogestão. O professor é um orientador. A aprendizagem
grupal é valorizada e a repressão é inibida.

2.3.Tendência Progressista Crítico-social dos conteúdos

Na visão de LIBÂNIO (1985) entende a Pedagogia de tendência progressista crítico-social dos conteúdos, uma tendência
26 - 37 diferente das demais.
Nesta tendência a escola tem como função essencial a transmissão de conteúdos culturais e universais ligados a realidade
social. Os métodos estão relacionados a prática vivida pelos alunos com os conteúdos propostos pelo professor.
O educador é um mediador entre o saber e o aluno, os dois são sujeitos activos. A aprendizagem ocorre pelo esforço do
aluno.podemos talvez dizer que é a tendência que actualmente está em vigor, onde o aluno é centro da atenções, porém tanto o
professor, quanto os alunos, ambos são sujeitos activos no processo de ensino e aprendizagem.