Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ – UFPI

CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA – CEAD


COORDENAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA
DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DO MUNDO
PROFESSOR FORMADOR: ALINE DE ARAÚJO LIMA

ATIVIDADE 1

IRACEMA PEREIRA OLIVEIRA

ESPERANTINA-PI/ SETEMBRO DE 2019

IRACEMA PEREIRA OLIVEIRA


ATIVIDADE 1 – QUADRO ESQUEMÁTICO DAS REGIONALIZAÇÕES

Individualmente, faça uma pesquisa em outras fontes e elabore um quadro esquemático


elencando os contextos históricos, os critérios, limitações e críticas acerca das regionalizações
do mundo listadas abaixo:
 Primeiro, segundo e terceiro mundo

Em 1960, o mundo foi regionalizado e/ou classificado em “três


mundos” Primeiro Mundo – Países Desenvolvidos Capitalistas, Segundo
CONTEXTO Mundo – Países Socialistas e Terceiro Mundo – Países
HISTÓRICO Subdesenvolvidos Capitalistas, que é um termo da Teoria dos Mundos,
a expressão surgiu no período da Guerra Fria, para descrever
os países que se posicionaram como neutros na Guerra Fria, não se
aliando nem aos Estados Unidos e os países que defendiam
o capitalismo, e nem à União Soviética e os países que defendiam
o socialismo.
É uma classificação utilizada para distinguir os países durante a
Guerra Fria. O critério de grandeza econômica e nível de
desenvolvimento eram determinantes para designar a subdivisão do
CRITÉRIOS mundo. Eram classificados de acordo com seus aliados. Assim, as
nações consideradas economicamente fortes, bem desenvolvidas, se
classificavam como “primeiro mundo” como estado unidos e seus
aliados. O “segundo mundo” era composto por países do antigo bloco
socialista como união soviética e seus aliados, e no “terceiro mundo”
países não alinhados e neutros, com países capitalistas,
subdesenvolvidos e pobres.
Em áreas muito extensas e diversificadas fazemos generalizações que
desconsideram as particularidades existentes no espaço. Mesmo que essa
LIMITAÇÕES regionalização ainda seja utilizada, ela está evidentemente defasada, pois
já ao existe mais o conjunto de países socialistas representantes do
antigo segundo mundo e a disputa por interesses econômicos e
comerciais entre os países na economia mundial tornou-se mais
complexa e diversificada. Logo o modelo de 3 mundos foi superado.
CRITICAS A crítica que se faz a essas classificações é que, em vez de modificar o
mundo para melhor, mudam apenas os rótulos. As mazelas mundiais
persistem cada vez mais acentuadas

 Norte e Sul

Com o fim do segundo mundo e os sucessivos processos de


independência da 2, que culminaram no aparecimento de novas
CONTEXTO nações extremamente pobres, a divisão entre os três mundos tornou-
HISTÓRICO se obsoleta.Essa regionalização teve impulso a partir da década de
1990 em virtude da dissolução da União Soviética, principal
liderança do antigo segundo mundo.
Considerando que a maior parte dos países subdesenvolvidos se
encontra no sul e os desenvolvidos, no norte, criou-se a divisão norte-
sul. Assim o Critério de classificação utilizado é a linha econômica,
ou seja, o desenvolvimento econômico, mas essa divisão não
representa a divisão do mundo conforme o ordenamento cartográfico
dos hemisférios norte e sul, conforme podemos observar no mapa
CRITÉRIOS abaixo. Os países do Norte são caracterizados pelo elevado Produto
Interno Bruto (PIB) e pelas condições históricas de poder e acúmulo
de riquezas. Geralmente são representados, pelos Estados Unidos,
União Européia e Japão. Porém apesar das boas condições
econômicas, nesses países também existem desigualdades sociais e
pessoas em condições de acentuada pobreza. Já os países do
sul apresentam as maiores taxas de pobreza, violência e problemas
sociais do planeta. Sua situação de dependência econômica se deve
aos processos de colonização, imperialismo e neocolonização
impostos pelas nações consideradas desenvolvidas. Entre os países do
sul, existem aqueles países chamados “emergentes” ou em
desenvolvimento, são os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África
do Sul), os Tigres Asiáticos e o México.

LIMITAÇÕES Essa regionalização não considera a linha do equador para a


demarcação desses dois conjuntos, e não segue risca a delimitação
cartográfica do planeta, havendo aqueles países centrais do
hemisfério sul como é o caso da Austrália, e países periféricos no
Hemisfério Norte, a exemplo da China.
CRITICAS A crítica a essa regionalização é que mesmo dividindo ricos e pobres,
não diminuiu as diferenças sociais.
 Países capitalista e países socialista;
A Segunda Guerra Mundial é um dos períodos da história das
civilizações humanas que foram marcantes para a humanidade e
trouxeram conseqüências aos anos que se sucederam. Ela teve início
em 1939 e deixou mais de 50 milhões de mortos, arrasou as
economias de muitos países do mundo e alterou as fronteiras da
Europa. O fim da Segunda Guerra Mundial ocorreu em 1945. Após o
fim da Segunda Guerra Mundial os Estados Unidos da América
CONTEXTO (EUA) e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS)
HISTÓRICO firmaram-se como os países mais poderosos do mundo (por terem
muito dinheiro, exércitos e armas). As duas superpotências ampliaram
sua liderança a outros países, formando dois blocos, ou grupos, de
países: o bloco capitalista e o bloco socialista.
A disputa entre o EUA e a URSS pela hegemonia (poder) no mundo é
a Guerra Fria (1950 a 1990). Essa disputa recebeu esse nome de
Guerra Fria, pois os Estados Unidos da América (EUA) e a União das
Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) nunca se enfrentaram
diretamente num conflito armado. O confronto entre eles só ocorreu
na diplomacia e pelo apoio a guerras em outras regiões e países do
mundo, como a Guerra do Vietnã, Guerra da Coréia, e do
Afeganistão.
O critério de classificação é o Sistema Político-Econômico dos
CRITÉRIOS países.

LIMITAÇÕES

CRITICAS Não basta mudar as denominações, pois as diferenças são sempre as


mesmas, a classificação não transforma suas características somente
pela mudança de nomes: desenvolvidos, ricos, centrais,
subdesenvolvidos, pobres e periféricos, socialialistas e capitalistas
pois as suas particularidades permanecem.

 Centro e periferia;

Rosa Luxemburgo (1870-1919), filósofa marxista e militante


revolucionária cuja bandeira era “Socialismo ou barbárie”, foi grande
CONTEXTO defensora desta proposta de regionalização. No sistema capitalista,
HISTÓRICO segundo esta concepção, os países centrais e os países periféricos
travam um conflito desigual, no qual não há espaço para que os menos
abastados alcancem qualquer forma de progresso, seja social ou
econômico. Agrupava os países de acordo com sua capacidade
econômica e a influencia política e militar que exerciam no cenário
militar.

È outra forma de regionalização do planisfério mundial, a partir de


CRITÉRIOS variáveis socioeconômicas. O critério é o grau de independência ou
influência que os países exercem no cenário internacional.
No sistema capitalista, segundo esta concepção, os países centrais e os
LIMITAÇÕES países periféricos travam um conflito desigual, no qual não há espaço
para que os menos abastados alcancem qualquer forma de progresso,
seja social ou econômico.
Cada país ocupa um espaço desempenha seu papel no capitalismo
CRITICAS assim a periferia jamais chegará no centro. Porém a globalização
aumentou essas disparidades entre países ricos e pobres.

 Países desenvolvidos e subdesenvolvidos

Sendo o economista Joseph Alois Schumpeter (1883-1950) um dos


precursores desta proposta de regionalização. Ele propôs o conceito de
CONTEXTO desenvolvimento econômico condicionado às ideias de inovação
HISTÓRICO tecnológica e da ruptura do “fluxo circular”. Schumpeter privilegiou a
atuação do empreendedor, do inovador na superação da condição de
pobreza, da precariedade. Assim estabeleceu a divisão do mundo entre
aqueles que se desenvolveram e os que supostamente poderiam se
desenvolver.
O mundo pode ser regionalizado ou denominado de desenvolvidos e
subdesenvolvidos. A ONU (Organização das Nações Unidas)
regionaliza os países conforme o nível de desenvolvimento, levando
CRITÉRIOS em consideração vários indicadores econômicos e sociais. Países
Desenvolvidos ou do Norte são aqueles países que apresentam elevada
industrialização e desenvolvimento técnico cientifico, além de ter um
grande crescimento econômico e industrial, oferece para seu cidadão
uma boa qualidade de vida, em contrapartida, os Países
Subdesenvolvidos ou do Sul possuem características inversas, possuem
industrialização tardia e dependente, não oferece boa condição de vida
à sua população.

LIMITAÇÕES

Em suma, pode-se constatar que não basta mudar as denominações,


pois as diferenças são sempre as mesmas, a classificação não
CRITICAS transforma suas características somente pela mudança de nomes:
desenvolvidos, ricos, centrais, subdesenvolvidos, pobres e periféricos,
pois as suas particularidades permanecem.
 Países desenvolvidos, em desenvolvimento; em transição e subdesenvolvidos

CONTEXTO
HISTÓRICO

CRITÉRIOS

LIMITAÇÕES

CRITICAS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

A regionalização do espaço mundial e os indicadores econômicos. Disponível


em<http://vaiumaajudinhaduds.blogspot.com/2019/03/a-regionalizacao-do-espaco-
mundial-e-os.html>. Acesso em 18 de setembro de 2019.
Regionalização Mundial. Disponível
em<https://www.mundovestibular.com.br/estudos/geografia/regionalizacao-mundial. Acesso
em 18 de setembro de 2019.
Silva, Angela Corrêa da Geografia: CONTEXTOS E REDES/ Angela Correa da Silva,
NelaonBacicOlic, Ruy Lozano – 2.ed.- São Paulo: Moderna,2016. (pág. 63 a71)
O Mundo Regionalizado em Países Capitalistas e Países Socialistas. Disponível
em<https://geografianewtonalmeida.blogspot.com/2011/09/regionalizacao-mundo-
paises.html. >.Acesso em 18 de setembro de 2019.