Você está na página 1de 34

o rk shops

ei r as e W
F

ez
Xad r
e
o god
J

Vitral Imitação
Nº 8 - Edição Gratuita Julho 2009

Reciclagem
mia
r ono
t
Gas Arranjos florais
Poesia
Reflexos D’Arte Reflexos D’Arte Reflexos D’Arte
Indice

Reflexos D’Arte
Editorial
Verão
É uma das quatro estações do ano. Neste período, as temperaturas permanecem elevadas e os dias são longos.
Geralmente, o verão é também o período do ano reservado às férias, às feiras de artesanato, gastronomia,
concertos, música, festivais, festas, etc...
O Verão do hemisfério norte é chamado de "Verão boreal", e o do hemisfério sul é chamado de "Verão austral". O
"Verão boreal" tem início com o solstício de Verão do Hemisfério Norte, que acontece cerca de 21 de Junho, e
finda com o equinócio de Outono nesse mesmo hemisfério, por volta de 23 de Setembro. O "Verão austral" tem
início com o solstício de Verão do Hemisfério Sul, que acontece cerca de 21 de Dezembro, e finda com o equinócio de
Outono, por volta de 20 de Março nesse mesmo hemisfério.
Nos tempos primitivos, era comum dividir o ano em cinco estações, sendo o verão dividido em duas partes: o verão
propriamente dito, de tempo quente e chuvoso (geralmente começava no fim da primavera), e o estio, de tempo
quente e seco — palavra da qual deriva o termo "estiagem".

Chega o verão e com ele as feiras de artesanato. Nas festividades das cidades e vilas fazem também feirinhas de
artesanato. Há música, animação, cor e alegria. A população gosta. Os turistas agradecem. Os artesãos comparecem
vindos de toda parte. Compram-se algumas peças, não muitas, mas quem vende dá-se por satisfeito. Peças expostas
de maneira irregular para a divulgação do artesanato, esta é uma das características dessas feiras. A altura em que
também aparecem as maiores feiras de artesanato. Mas, acabando o verão o que fazer o resto do ano ?

Expôr mercadorias em feiras é um hábito muito antigo, quase tanto quanto a própria noção de comércio. No período
final da idade média, as rotas de mercadores da Europa se transformaram em ponto de encontro para a compra,
venda e troca de produtos. Em especial, nos pontos em que essas rotas se cruzavam, desenvolviam-se feiras
periodicamente, sendo que as maiores se localizavam na região de Champagne, nordeste da França. Vilarejos e
cidades cresceram e fortaleceram as relações comerciais em torno dessas feiras, dando um empurrão decisivo na
burguesia que se desenvolvia de forma cada vez mais convincente. 2
As feiras perduram até hoje, voltadas ao comércio e não só, para sustento ou apenas por hobbie para muitos
artesãos. O que mais chama a atenção em uma feira de artesanato é a variedade, não só no tipo de artesanato, mas
de gente. Muitas vezes junto com as feiras de artesanato temos também eventos culturais e apresentações de
bandas. Vale a pena prestigiar o trabalho dos artesãos e artistas nas diversas feiras da cidade.
As pessoas podem querer comprar uma toalha bordada chinesa por 5 euros ou uma toalha bordada por um dos
artesãos dessas feiras de artesanato, mas têm de conhecer o que compram, e por vezes nem sempre isso se passa.
Preferem comprar mais barato e sem qualidade do que dar valor a um artesão português.
É muito importante que seja registado que o produto é artesanal, que é feito à mão, que é único. Quando se fala em
artesanato, um dos problemas é a concorrência dos mercados asiáticos, africanos e latino-americanos. Peças de
artesanato ou pseudo-artesanato enchem as prateleiras a baixos preços e apresentam-se como “alternativa” aos
produtos artesanais nacionais. Nas lojas chinesas, por vezes, há artesanato tão bom como o nosso. Não pode é
haver confusão entre produtos. Até porque, o artesanato proveniente desses mercados é artesanal,e maior parte
das vezes efectuado por crianças com menos de 10 anos, que trabalham de sol a sol apenas para terem direito a duas
refeições por dia. E, quando esse artesanato chega às feiras quem o vende não faz idéia de como é feito. Ter a
explicação do produto que está a comprar, e saber como ele é feito, isso sim valoriza a peça de artesanato. Toda a
história criada pelo artesão ao executar uma peça enriquece muito o seu produto. Conversando com os artesãos,
percebe-se claramente que a feira é não apenas um local de comércio, mas também uma oportunidade de conhecer
pessoas e algumas delas também com uma paixão pelo artesanato, pintura, artes decorativas, etc... Essa é a opinião
da maioria dos artesãos e artistas que expõem seus produtos em feiras. Muitos deles participam das feiras como
forma de ajudar no orçamento doméstico, e ao mesmo tempo mantém acesa a paixão que sentem pelo ofício.

Posto isto, sempre que queira artesanato e outras peças artesanais e únicas, compre o nosso, português para que
seja divulgado e melhor apreciado.

Reflexos D’Arte
Entrevista
Entrevista à artista Cristina Bernardo

www.cris-art.com

Como caracterizas o teu trabalho?

Bem desde criança que sempre gostei de criar, de trabalhar com tudo o que me aparecia à frente, desde papeis que
eram rabiscados até a pedaços de madeira que davam para fazer coisas giras. Dá-me gosto trabalhar com as mãos
e criar. Tento fazer um pouco de tudo, o meu trabalho é muito diversificado, pintura de telas( óleo, Aguarela,
Acrilico), de paredes, trabalhos em estanho, pirogravura, bijutaria, reciclagem, etc...tudo feito com muito amor,
criatividade, originalidade e gosto.

Quando e como inicias-te a tua actividade artística ?

Como já tinha dito anteriormente desde criança que faço alguns trabalhos, mas ficou parado no tempo até que a
sério começou em 2002. Estava eu no meu trabalho do dia a dia que não tem nada a ver com isto, sentia-me cansada
e um pouco saturada. De repente comecei a pensar no que eu gostava mesmo de fazer, o que me dá pica e gosto e de
repente apareceu-me uma tela na minha cabeça, e começaram a chover ideias. Até que decidi começar outra vez
com a minha faceta artistica. E fui tentando fazer umas coisitas. Nisto sou uma autodidacta, gosto de
experimentar e de fazer os trabalhos conforme me vão surgindo na mente. Claro que esta não é a minha actividade
principal, é um hobbie que eu amo muito e que um dia gostava de poder executá-lo a tempo inteiro.

Qual foi a peça que mais prazer te deu criar? Porquê?


3
Todas elas me dão um gozo tremendo a fazer, pois são todas muito queridas para mim, são como se fossem todas
elas meus filhotes. Mas existem cinco quadros que são muito especiais para mim, não porque me tenha dado mais
prazer a fazer, mas porque os fiz para os meus amigos preferidos. Um deles é o quadro que aparece como capa do
meu site www.cris-art.com, outro o do dragão, outro o da letra japonesa que significa amor e os outros dois sãos
tipico africanos. Deram-me um gozo tremendo a fazê-los pois foram feitos com algo em mente, a pensar nos meus
amigos.

Em que pensas quando crias arte?

Penso simplesmente no que estou a fazer na altura, e o quão bem me sabe quando estou entranhada nos meus
trabalhos, fico feliz e o stress nem sei o que é isso na altura. É como se fosse o meu relaxante, provendo o meu
equilíbrio físico, mental e emocional.

Podes participar nesta


rúbrica enviando um mail para :

Entrevista@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Entrevista
Quais são os teus materiais preferidos? Porquê?

Em geral gosto de trabalhar com todos os materias, embora trabalhe mais com uns do que outros, tais como as
tintas (óleo, aguarela, acrilico e pastel), o estanho e a pirogravura.

Quais os teus planos futuros?

Bem um dos planos já se concretizou que foi a realização e on-line do meu site. Tenho mais dois sonhos que são a
abertura de uma galeria e de uma loja de arte, mas isso ainda é cedo, mas claro que com a minha força de vontade eu
vou conseguir chegar lá. Sei que vai ser dificil pois vou precisar de muito capital, mas hei-de conseguir.

O que mais gostas de fazer para além de arte?

Estar com a minha filha, de brincar com ela e de a ensinar e vê-la a desenvolver. Também gosto de nadar, de viajar e
de conhecer novas pessoas e paises. Mas o meu amor além da minha filhota e do meu marido é mesmo a arte.

Como evoluiu a tua vida de artista?

Sou autodidacta, e para que o meu trabalho cresça na qualidade e perfeição tento investigar na internet, em
livros, por pessoas que me dão concelhos. Já fiz algumas exposições, feiras de artesanato, mas com o nascimento
da minha filha tive de parar um pouco, mas irei continuar claro, a luta de conseguir alcançar os meus sonhos não
pára. Agora até é mais forte pois tenho a minha filha e o meu marido a meu lado a apoiarem-me.

Podes participar nesta


rúbrica enviando um mail para :

Entrevista@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Entrevista
O que dizem as pessoas quando vêm e compram as tuas peças?

Eu fico admirada, pois quando pinto ou faço um trabalho de artesanato não penso no público ou no que os outros
irão dizer, criticar ou pensar, mas felizmente sou bem recebida, gostam, conversam sobre as obras e até
descobrem novos pontos de vista. Essa é a parte divertida de se expôr em feiras de artesanato, cada olhar é um
observador diferente e vê uma coisa diferente. Apanhamos de tudo pela frente, mas gostam do meu trabalho,
alguns compram, e portanto acho que têm uma boa opinião. Mas, também há os que não acham muita piada, gostos
são gostos, o que se pode fazer.

Reflexos D’Arte
Ideias

Decorações de interiores

Ferramentas e Materiais
Nesta edição vamos continuar a falar dos materiais necessários para preparar a
superfície ou o espaço a pintar.

TRINCHAS E PINCEIS

Trinchas normais

O equipamento de base deverá incluir algumas trinchas chatas e redondas de diversas dimensões. As trinchas
redondas servem para pintar portas, molduras decorativas, janelas, etc... Já as chatas são sobretudo usadas
em superfícies planas, se bem que uma trincha redonda também possa revelar-se bastante prática neste caso.

Estes pinceis e trinchas podem ser facilmente encontrados. Uma qualidade média basta para trabalhos
ocasionais. Mas, a duração do seu material dependerá não apenas da qualidade como também de uma utilização
e manutenção correctas.

Trinchas para desenhos a stencil 6


A utilização de um stencil tem de se usar com trinchas ou pinceis especiais. Estas trinchas e pinceis
normalmente tem o pelo mais curto e são mais compactos do que os outros.

Trinchas para bater ou pontilhar

Algumas técnicas utilizadas na pintura das paredes torna-se mais facilitada com a utilização destas trinchas
para bater, permitindo assim atenuar a intensidade de certos efeitos. Estas trinchas apresentam 2 ou 3
formatos.

Broxas

As trinchas rectângulares conhecidas por broxas são utilizadas para pintar grandes superfícies com tinta à
base de água. São muitos eficazes em superfícies muito irregulares, já que é mais difícil pintar com o rolo por
cima das irregularidades. São sempre utilizadas para aplicar tintas texturizadas, pois pretende-se um
acabamento irregular. São, finalmente, muito usadas na aplicação de demãos de preparação, como por
exemplo, o primário em placas de gesso.

Pinceis de “Barba”

Caracterizam-se por uma estrutura flexível e suave. Destinam-se a suavizar as texturas, e usam-se na
execução de marmoreados e de algumas pátinas. Se forem suavemente passados em superfícies pintadas de
fresco, facilitam a mistura de diferentes cores e demãos.

Reflexos D’Arte
Ideias

Decorações de interiores

Ferramentas e Materiais
TRINCHAS E PINCEIS

Pinceis de “Barba”

Existem dois tipos de pinceis de barba, cada um deles no seu campo de aplicação específico: - os pinceis de óleo,
que são utilizados para aplicar velaturas tradicionais ou velaturas alquídicas, normalmente tem cerdas de porco.
- os pinceis de água apresentam uma estrutura mais fina e são fabricados com verdadeiro pêlo de texugo ( que
pessoalmente acho uma afronta à natureza), são utilizados para aplicar velaturas à base d’água.

Trinchas para alisar

Destinam-se a executar a técnica do alisado. São usadas também para imitar a madeira. A sua característica
principal são os longos pêlos regulares, que permitem trabalhar quase horizontalmente em relação à superfície a
pintar sempre com um movimento suave e de arrastamento.

Manutenção das trinchas e pinceis 7


Eliminação de resíduos

Os restos de tinta sintética são eliminados com diluente ou terebentina. Os de tinta à base de água podem ser
removidos simplesmente com água.

Lavagem

Depois de eliminar os resíduos de tinta deve lavar as trinchas e os pinceis em água com um pouco de detergente
ou sabão azul e branco. O detergente líquido é mais fácil de utilizar que o sabão azul e branco. Passe então por
água exerça pressão sobre os pêlos a fim de eliminar a água. Deixe secar naturalmente os pinceis e as trinchas,
por exemplo pendurados num prego.

Recuperação de trinchas seca e rígidas

Muitos pinceis podem ser recuperados se mergulhados em diluente celulósico, que os torna mais flexiveis e
suaves. Dissolve e descola os resíduos de tinta ou verniz. Mas como este diluente é muito agressivo nunca deixe
os pinceis mergulhados por muito tempo. Assim que a trincha adquirir a flexibilidade volte a passá-la por
diluente ou por água e lave novamente muito bem.
Se os pêlos se apresentarem quebradiços e secos, mesmo depois desta recuperação, mergulhe os pinceis em óleo
de linhaça puro durante alguns dias. Este óleo vai alimentar os pêlos, dando assim um prolongamento na vida dos
pinceis e trinchas.

Reflexos D’Arte
Ideias

Decorações de interiores

Ferramentas e Materiais
Manutenção das trinchas e pinceis

Trinchas e pinceis novos

Antes da utilização dos pinceis deve passá-los por água com um pouco de detergente, deixando-os aí
mergulhados durante algum tempo. Após a lavagem, esfregue as trinchas e os pinceis numa lixa, no sentido dos
pêlos para eliminar aqueles que não estiverem solidamente fixados.

Conservação de uma trincha “ Fresca”

Se os seus trabalhos se estenderem por vários dias, não será necessário limpar as trinchas e os pinceis
diariamente. Os pinceis utilizados para aplicar tinta sintética podem ser facilmente conservados durante
alguns dias num frasco com água. A água impede o processo de secagem. Além disso, como a tinta sintéctica
não é solúvel em água, os resíduos de tinta vão manter-se colados ao pincel. Basta pressionar o pincel num papel
absorvente a fim de eliminar totalmente a água quando voltar a necessitar de o usar. Quanto aos pinceis para
as tintas acrilicas ou à base de latex, neste caso basta apenas embalá-los num saco de plástico ou em película
8
aderente, que impede o ar de entrar em contacto com os pêlos e evitará que estes sequem. Mas, neste caso só
é válido de um dia para o outro.

Reflexos D’Arte
Ideias
Pirogravura

A Arte de Gravar a Fogo


Pirogravura é uma arte e uma técnica para gravar com ferro incandescente os mais variados motivos sobre
madeira, couro e cortiça. De execução simples, tal arte exige apenas preciso controlo das mãos: é necessário
saber acompanhar correctamente a linha do desenho, exercendo continua e constante pressão para que o
resultado seja bem uniforme. Também é importante saber aproveitar os dois tipos de pontas ( normal ou grossa
e fina) que o pirógrafo oferece. Para obter efeitos originais, como o que imita marchetaria ou bico de pena.

Dicas :

!Ao trabalhar com o pirogravador não o deixe ligado por muito tempo. A cada 10 minutos faça uma pausa para
que o aparelho descance. Pode haver super aquecimento e provoca a queima da resistência.
!Ao pegar no pirogravador mantenha-o levemente inclinado - como se estivesse segurando uma caneta. Isto
facilita o seu manuseamento e evita que aqueça demasiado os seus dedos.
!A madeira a ser gravada deve estar sempre crua, sem nenhum tipo de impermeabilização ou verniz.
!As peças de madeira precisam ser bem lixadas antes da pirogravura. Utilize lixa d’água 400. Deve
humedecer as peças antes.
!Faça sempre um teste antes de começar um trabalho cada material tem uma estrutura diferente e tem de se
exercer uma pressão diferente.
!Tenha em atenção ao tipo de madeira que vai utilizar, umas são mais moles e macias que outros. O pinho por
exemplo é uma madeira mole, e tem de se ter isso em conta.
!Pequenos erros de queima podem ser corrigidos com uma lixa 00 para madeira. Mas os erros mais profundos
é difícil de corrigir, por isso tenha muita atenção ao executar o trabalho. 9
!A cortiça é dos materiais mais fácil de trabalhar. O pirogravador deve estar na temperatura mais baixa.
!Para pintar em trabalhos pirogravados há dois procedimentos : tintas à base de água podem ser aplicadas
logo após a gravação. Esmaltes e vernizes só podem ser aplicados após impermeabilização da madeira, com uma
demão de goma-laca. A pátine de betume também deve ser aplicada após impermeabilização.
!A pirogravura fina tem seu grande trunfo nos traços muito delicados. Certos detalhes que não consiga
executar com o pirogravador podem ser disfarçados com o bico de pena( mosquitinho) e nanquim preto.

Reflexos D’Arte
Ideias
Caixinha de madeira
Materiais usados:

Caixinha de madeira, pirogravador, pontas de gravação, lixa 00 para madeira, lixa d’água
400, goma laca, verniz, panos de limpeza, betume judaico e cera incolor.
1º - Humedeça levemente a peça de madeira e lixe-a com lixa d’água 400.
2º - Trace o desenho na caixinha de madeira, ou transfira o risco com o auxilio do papel de carbono. Com a
ponta fina faça a gravação inicial.
3º - Depois com uma ponta mais grossa ou a fina conforme der mais jeito, execute o resto do desenho com os
sombreados e pormenores.
4º - Pincele com uma camada de goma laca
5º - Pincele a peça com betume e depois passando com o pano na cera passe por cima limpando e retirando o
excesso do betume.
6º - Depois finaliza-se com uma demão de verniz.

10

Reflexos D’Arte
Ideias
Pendentes Sol
Material usado:

! Pedaços de napa ou tecido plastificado nas cores laranja e amarelo


! Algodão em rama
! Linha
! Agulha
! Cordel de algodão grosso
! Bolinhas ou outras contas na cor desejada

Passo a passo:
1º - Desenha-se 6 circulos de vários tamanhos , dois a dois para fazer o meio do sol, depois desenha-se 6 efeitos
solares todos com tamanhos diferentes para se sobrepor. Recortando-os de seguida. ( São 3 sois de 3 tamanhos
diferentes, começando por um grande e acabando num mais pequeno).

2º - Coloca-se um circulo, depois um efeito de sol , depois um pouco de algodão em ramo, o cordel de algodão na
posição correcta onde se quer colocar o sol, novamente mais um pedacinho de algodão em rama, o efeito do sol e
outro circulo. Coze-se o circulo um ao outro.

3º Um pouco mais à frente no cordel dá-se um nó coloca-se uma bolinha ou outra conta fecha-se com outro nó.
Deixa-se mais um espaço e efectua-se novamente a colocação de mais um sol

11

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Enfeitar chinelos

Materiais:

! Chinelo a gosto
! Linha e agulha
! Contas e missangas diversas

Passo a passo :

1º Após escolher umas contas e imaginar como se vão cozer nos chinelos pega-se na
agulha com a linha enfiada, e coloca-se a imaginação a funcionar. É só ir cozendo as
contas e as missangas como se desejar.
2º Este trabalho é uma aventura à imaginação e criatividade, pois podes fazer diversos
enfeites nos chinelos. Aqui vai um exemplo dos nossos.

Podes enviar os teus 12


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Jogo de xadrez
Materiais usados:

! Copos em vidro a gosto na quantidade certa para o jogo de xadrez ( 32 copos )


! Gravador de vidro
! Tinta Vitral nas cores Branco e Preto
! Pano de limpeza
! Máscara de protecção

Passo a passo :

1ºLimpar bem os copos na parte de fora com alcool. Deixar secar bem. Passar o desenho para os copos com uma
caneta de acetato.

2ºColocar a máscara. Com a máquina de gravar o vidro, segue-se o risco desenhado devagarinho de maneira a não
se estragar o copo, nem de provocar lascas desnecessárias.

3º Depois de estar o desenho todo gravado. Pinta-se com as tintas vitrais o interior do desenho na cor branca num
conjunto de copos e na cor preta no resto dos copos.

4º Deixa-se secar, e temos aqui um jogo de xadrez bem giro, para se jogar. E beber ao mesmo tempo. Mas
suminhos nada de alcool.

Como é giro nos divertirmos um pouco !!!


13

Loja, design, decoração, workshops. artes decorativas

( Nova Morada )

Galerias São Sebastião, lj 26


2655-319 Ericeira
963259339 Podes enviar os teus
trabalhos para:

blog em: http://fabricaarcoiris.blogspot.com


Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Moldura vidro com tintas Vitral
Material usado:
!Moldura simples de vidro
!Tintas vitral nas cores azul, vermelho, branco, preto, verde, amarelo
!Tinta de relevo na cor preta ou chumbo
!Alcool e um pano
!Caneta de acetato e o desenho

Passo a passo:

1º Passar o desenho para um papel vegetal. Limpar a moldura com o alcool muito bem e deixar secar. Colocar o
desenho na parte de traz do vidro e desenhar o traço com a caneta de acetato.

2º Com a tinta de relevo passar por todo o risco a fim de ficar todo o desenho fechado.

3º Com um palito ou um pincel fino já estragado, colocar as várias tintas na parte de dentro do desenho, como
mostra na figura abaixo. Deixar secar pelo menos 24 horas e acabamos assim mais um trabalho bem giro.

4º No nosso exemplo fizemos o mar com um barco e um farol. Mas pode-se utilizar qualquer desenho que nós
queiramos, aqui vai só a ideia.

14
Podes enviar os teus
trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias

Arranjos Florais
Frascos de cozinha

À medida que conseguirmos secar todo o tipo de coisas ( flores, folhas , frutos, verduras, etc...) veremos
que tudo pode servir para fazer centros de mesa e peças decorativas.
Aqui vai umas ideias para decorar os frascos. Precisa apenas de comprar algumas coisas, e é um trabalho
fácil de fazer. Compra-se uns frascos de cozinha de vidro com a tampa de cortiça e com um pouco de
silicone colam-se as massas, os feijoes, o grão, ( tenham em atenção que o que vai colar na parte superior
da rolha é o que vai colocar dentro do frasco). Depois de secar, passem com um pouco de verniz por cima
para que os alimentos secos não se estraguem e durem mais tempo.

15

Reflexos D’Arte
Ideias

A planta medicinal
Nervos no estômago

Através do sistema nervoso vegetativo, o estado emocional influi de forma decisiva nas funções do estômago.
Este facto foi demonstrado por Pavlov na sua clássica experiência. Cerca de metade das consultas aos
especialistas do aparelho digestivo são motivadas por causas nervosas. Estas plantas combatem os espamos
que afectam o estômago, e equilibram o sistema nervoso vegetativo, com o que evitam as doenças gástricas
causadas por um estado emocional exaltado.

Vamos aqui apresentar algumas plantas e legumes dos quais pode usar para tratamento:

Laranjeira - acalma os espasmos do estômago sedante. Infusão de folhas e/ou flores.

Condurango -Acalma a dor e os espasmos do estômago. Usa-se em Decoção de casca.

Valeriana - sedante, acalma a dor, antiespasmódica, diminui a ansiedade. Infusão, maceração, pó de raiz.

Aspérula-odorífera - Combate os espasmos do estômago e intestino, facilita a digestão. Infusão.

Erva- coalheira - Relaxa os orgãos digestivos, melhora a dispepsia de origem nervosa.


16
Manjericão-Grande - Acalma os espasmos gástricos, melhora as digestões lentas devidas a tensão nervosa.

Manjerona - Acalma os espasmos nervosos do estômago e as digestões pesadas . Infusão , essência

Oregão - Sedante, antiespasmódico, carminativo. Como condimento , infusão, essência.

Reflexos D’Arte
Ideias
Meio Ponto alto
Passo a passo
Seguindo as imagens efectuamos o meio ponto alto, que serve para fazermos malas em
trapilho, camisolas de lã, e de algodão, e outros acessórios de moda.

17

Reflexos D’Arte
Velho Vira Novo
Bonecos
Com embalagens de iogurte líquido, sumos, papas de frutas, garrafas de plástico, cápsulas de café, e um bocadinho
de imaginação é possível fazer uma série de bonecos para a criançada brincar.

A brincadeira começa ao fazer o seu próprio brinquedo. E os adultos chegarão à conclusão que elas, as crianças,
estarão entretidas, interessadas, criativas, em vez de dedicarem-se a fazer, inventar disparates.

Na secção de reciclagem desta edição sugerimos bonecos.

Pegamos numa embalagem redondinha de uma sumo concentrado bem conhecido, fazemos a cabeça com uma bola
de ping pong velha, ou podemos utilizar uma folha de papel e amachucá-la muito bem. Os braços podem ser feitos
com velhas contas, ou ainda pedaços de papel amachucados.

Depois é só deixar a imaginação funcionar.

Para a vestimenta podemos utilizar trapos velhos ou, melhor ainda, fazer um lindo vestido em croché, utilizando
velhos sacos plásticos.

Assim ensinamos as nossas crianças essa arte bem antiga que é o croché!

Nós sugerimos estes bonecos que aqui apresentamos, mas gostaríamos que os nossos leitores apresentassem
outras sugestões.

Podemos contar convosco? 18

Ficamos aguardar!!

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Reciclagem@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Velho Vira Novo

19

Trabalhos realizados por :

Alexandra Rodrigues e Alda Nunes


Para contactar:

Para participares nesta


rúbrica basta enviares um mail para :

Reciclagem@reflexosdarte.com

Http://tralhitas.blogspot.com
Http://armadaemartista.blogspot.com
Http://www.flickr.com/photos/alexis7218/

Reflexos D’Arte
Divagações

A arte do bem fazer

Meu amigo, me disse um dia,


Pega na tua trouxa e parte,
Serei tua luz, serei teu guia,
Utiliza teus dons, pratica a arte.

Na arte, do bem fazer,


Desinteressada e gratuita,
Como devem compreender,
É pura bondade oculta.

Dá pão e água, ao mendigo,


Ele, nos aconcelha a fazer,
Acolhe em tua casa, o peregrino,
Com amor, o deves receber.
20
Levar, aos outros alegria,
Não custa nada, é coisa singela,
Como mue amigo, eu diria,
É uma arte, é a mais bela!...

Autoria : Dora Coimbra


Http:// coimbra.romande.com

Para participares nesta


rúbrica basta enviares um mail para :

Poemas@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Passeios Fotográficos

Nesta rubrica damos algumas sugestões


para belos passeios onde se conjuga o gosto
pela natureza, arquitectura, etc com o gosto
pela fotografia. Não é preciso ser um grande
fotógrafo ou ter uma grande máquina
fotográfica, basta a ideia de querer passar
um dia diferente dos outros, apreciar o que
há de bonito e brincar com a máquina
fotográfica!

Palmela
Origem: site da Câmara de Palmela

História do Concelho

O Concelho de Palmela foi habitado desde as épocas mais remotas, sendo os vestígios
arqueológicos mais antigos, conhecidos na região, atribuídos ao período do Paleolítico
médio.
Palmela foi desde a sua génese um território propício à fixação humana, como nos
documentam os sucessivos testemunhos arqueológicos desde a Pré-História Antiga até
ao período Muçulmano. 21
Em 1147, com a expansão e subsequente ocupação territorial cristã, D. Afonso
Henriques, primeiro Rei de Portugal, conquista Palmela aos Mouros. Em 1185, concede
foral à povoação e doa o castelo de Palmela aos Cavaleiros de Santiago. Seguiram-se,
depois, várias conquistas e reconquistas entre cristãos e muçulmanos, tendo Palmela
sido definitivamente recuperada no reinado de D. Sancho I.
Em 1323, D. Dinis eleva Palmela à categoria de Vila. No ano de 1423, D. João I ordena a
construção de um convento mestral para os "Freires de Santiago" e, em 1443, a Sede da
Ordem Religiosa Militar de Santiago de Espada instala-se no Castelo de Palmela, até à
extinção das Ordens Militares ocorrida em 1834.
A permanência desta Ordem Religiosa Militar foi de primordial importância a vários
níveis político, militar e simbólico dado que, os seus objectivos, para além da vertente
religiosa, promoviam o fomento do povoamento, a defesa do território e a conquista de
novos espaços territoriais.
A 1 de Junho de 1512, D. Manuel I concede um novo foral à Vila.

Em 1755, o terramoto que trouxe a devastação a Lisboa, deixou também as suas marcas
em Palmela.

Reflexos D’Arte
Passeios Fotográficos

Palmela
O Concelho de Palmela é extinto em 1855, sendo então integrado no de Setúbal (actual capital
de distrito). Só a 8 de Novembro de 1926 o concelho foi de novo restaurado, iniciando-se
então uma nova etapa da sua história dois anos mais tarde, criam-se três novas freguesias:
Pinhal Novo, Quinta do Anjo e Marateca.

Actualmente constituído por cinco freguesias Palmela, Marateca, Quinta do Anjo, Pinhal
Novo e Poceirão (criada em 1988) , o concelho abrange uma área de 462 km² onde vivem cerca
de 55 000 habitantes.

Brasão

De ouro, mão de carnação movente do pé do escudo, segurando uma palma de verde, posta em
pala, acompanhada de duas torres de vermelho, abertas do campo. Em chefe, os escudetos
das armas de Portugal, de azul, postos em cruz, carregado cada um de dez besantes de prata,
os dois dos flancos apontados para o centro, acompanhados de duas cruzes de Santiago, de 22
púrpura, carregada cada uma com uma vieira de ouro. Coroa mural de quatro torres de prata,
listel branco com as letras a negro VILA DE PALMELA.

Fotografias por :

Alexandra Rodrigues

Reflexos D’Arte
Gastronomia

Nesta edição iremos colocar uma receita de uma leitora -


- Açucena Marques -

23
7

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com

Para participares nesta


rúbrica tens de enviar um email para:

Gastronomia@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Gastronomia

TARTE DE FRANGO

INGREDIENTES:

PARA O RECHEIO

!1 frango ou 4 peitos de frango


!1 pacote de mistura chinesa
!1 lata de cogumelos
!1 pacote de bacon em cubinhos
!1 lata de rebendos de soja (a)
!1 lata de rebentos de bambu ( b)
!espinafres (c)
!queijo ralado a gosto (d)

PARA A TARTE

!2 embalagens de massa quebrada (de compra)


!1 gema de ovo

***************
Fazer um refogado com cebola picada, alho, um pouco de azeite e margarina, quando estiver refogado, deitar o frango partido aos 24
bocados. Deixá-lo alourar um pouco,juntando água se necessário. Quando o frango estiver cozido, tirar a pele e desfiar. No molho de
estufar o frango juntar os outros ingredientes, quando estiverem cozinhados juntar o frango já desfiado e misturar tudo.

Com 1 pacote de massa quebrada sem retirar o papel forrar uma forma de pirex recheá-la com o preparado anterior , tapar com o outro
pacote de massa quebrada retirando-lhe o papel , fechá-la dobrando as duas massas quebradas todo em volta da forma. Barrar com a
gema de ovo batida, e leva-se ao forno por cerca de 20 a 30 minutos, conforme se goste mais ou menos dourada .

PS: a, b,c e d são opcionais, todo o recheio pode ser alterado para outro ao nosso gosto

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops

WORKSHOPS
Todos os meses
Http://bluecraft.blogspot.com

Centro Comercial Drugs


Av. Chaby Pinheiro, 25 R/C loja 11
2725 - 265 Mem Martins

25

WORKSHOPS
Visitem o nosso site

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops
Feira de Artesanato - Volta do Duche - Sintra

O GAVE (Grupo de Artistas Vale de Eureka) está na Volta no Duche de Abril de 2009 até Setembro
de 2009 ao 2º Domingo de cada mês

Http://gave2004.blogspot.com

Visitem-nos !!!!

Feira de Artesanato - Ericeira - Na rua principal

O GAVE (Grupo de Artistas Vale de Eureka) está na Ericeira de Março de 2009 até Outubro de 2009
ao 1º e 3º fim de semana de cada mês

Http://gave2004.blogspot.com

Visitem-nos !!!!

!Estrada de Mem Martins, 276


26
!Estrada de Mem Martins
C.C. Galáxia, lj 8 B
2725 Mem Martins
Retrosaria.maio@sapo.pt
219 203 479

Aulas de Bordados

!Castelo Branco
!Ponto Cruz
!Ponto Grilhão
!Bainhas abertas
!Tricôt
!Macramé
!Arraiolos
!Trapilho, etc...

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops

Feira de Artesanato em Azeitão


De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Azeitão, Rossio, Portugal 2º Domindos de cada mês
Para mais informações: saolourencodel@sapo.pt

Feira de Velharias e Artesanato Urbano em Vila


Franca de Xira
De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Vila Franca de Xira, Rua do Chave D'ouro, Portugal
1ºs sábados de cada mês na Rua Almirante Cândido dos Reis, mais conhecida por cá como a Rua do Chave
D'ouro.
O horário é das 9h às 18h.
Para mais informações: mailto:freguesia@jf-vfxira.pt

A 32ª Feira Nacional de Artesanato de Vila do


Conde
Realiza-se de 25 de Julho a 9 de Agosto de 2009
Av. Júlio Graça, Vila do Conde, Portugal
Para mais informações : http://fna.vconde.org/index.php 27

Site de Feiras de Artesanato Internacionais


Https://www.querofeiras.com/viagens%5Ffeiras/

Feira de Artesanato - Queluz - Parque Conde de


Almeida Araujo

O GAVE (Grupo de Artistas Vale de Eureka) está em Queluz de Março de 2009 até Outubro de 2009 ao
último sábado de cada mês. O parque fica em frente à junta de freguesia.

Http://gave2004.blogspot.com

Visitem-nos !!!!

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops
Casa Animada - Massamá

O GAVE (Grupo de Artistas Vale de Eureka) tem um espaço de exposição e venda de Artesanato e
Artes Plásticas no espaço " Casa Animada " em Massamá.

Este espaço tem o nome de Oficina de Artesanato e Artes Plásticas.

A Direcção da GAVE espera com o apoio de todos na divulgação do espaço , bem como espera também
estar a conseguir dar mais um passo em frente na divulgação do Artesanato e dos trabalhos dos seus
associados.

Horário da Casa Animada - Massáma

Terça a Sexta das 10h00 às 17h00 - encerrado 13h00 às 14h00


Domingos das 10h00 às 17h00 - encerrado 13h00 às 14h00

Http://gave2004.blogspot.com

Visitem-nos !!!!

Fabrica do Arco-Íris

loja, design, decoração, workshops. artes decorativas


28
Workshops:

Pintura em tecido, pintura em madeira, bijutaria, pintura acrílica, feltro com Agulha,
feltro com sabão, pasta fimo, desenho á vista, découpage, velas artesanais, flores de
sabonete, scrapbooking, biscuit, flores de papel, pintura com espátula

Galerias S. Sebastião, lj. 26


2655-319 ERICEIRA

visite o nosso blog em: http://fabricaarcoiris.blogspot.com/

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops
Feiras de Artesanato de Aveiro

De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Aveiro, Portugal 2º Domingo de cada mês.


Organização: Barrica (Ass. de Artesãos de Aveiro) Contacto: 234 424 014.

Crafts & Design


Até 31-12-2009 em Lisboa, Jardim da Estrela, Portugal
Uma mostra de artesanato e design que já conquistou um espaço muito seu. Ao primeiro domingo de
cada mês no Jardim da Estrela.

Zimbr'ARTE - Feira das Artes e do Artesanato


De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Sesimbra, Portugal 4.º Domingo do mês.
Para mais informações: gdae_ggfm@cm-sesimbra.pt

Feira de Velharias e Artesanato Urbano em


Sintra
De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Sintra,no Jardim do Soldado Desconhecido, perto da estação de
comboios de Sintra, Portugal. 1ºs e 3ºs sábados de cada mês 29
O horário é das 9h às 19h.
Para mais informações: 219236101

Feira de Artesanato de Cascais


De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Cascais, Portugal, 2º Sábado de cada mês, no Largo Visconde da
Luz
Horário: das 9:00 até ás 19 horas
Organização: Grupo Ecológico de Cascais
Contacto: 214 847 136 email: gec@sapo.pt

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops
Artesanato na Vila Alda - Sintra

Primeiros fins de semana de cada mês exposições de artesanato e pintura em Vila Alda em Sintra,
perto do museu Olga Cadaval e no início do comboio que vai para a praia das maçãs.

Feira Alegria - Artesanato Urbano


Até 31-12-2009 em Lisboa, na praça da Alegria
1º e 3º fim de semana de cada mês, Sábado e Domingo.

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

30

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Penso logo Digo

Gelado

Um gelado ou sorvete é um tipo de guloseima doce e fria, tipicamente preparada a partir de derivados do
leite. Pode ser confeccionado com vários sabores: de frutas, chocolate, caramelo ou outros aromas. A
mistura cremosa que lhe dá origem é batida, à medida que vai arrefecendo, para evitar a formação de
cristais de gelo.
O gelado representa, de forma geral, todas as formas de doces frios, sendo comummente utilizado como
sobremesa. No entanto, os especialistas em culinária e os governos de alguns países distinguem vários tipos
de gelado de acordo com as peculiaridades das diferentes formas de fabricação e ingredientes: o sorbet, de
origem turca (Sherbat), assim como o gelato, de origem italiana, são alguns exemplos.

Os gelados comercializados têm uma composição típica:

10-16% de leite gordo (a pasteurização é opcional, em alguns casos);


9-12% de soro de leite, que contém proteínas (como a caseína) e hidratos de carbono;
12-16% de adoçantes: tipicamente uma combinação de sacarose e/ou adoçantes baseados em glucose;
0,2-0,5% de estabilizadores e emulsificantes;
55-64% de água provinda dos sólidos do leite e outros ingredientes.

Estes ingredientes formam apenas a parte sólida do gelado, que é parte do volume final do gelado. Na
verdade, o volume e característica cremosa deve-se ao ar introduzido durante a mistura (agitação) dos
ingredientes.
31
No Brasil, o sorvete começou a ser confeccionado no ano de 1834, na cidade do Rio de Janeiro, quando
chegou, vindo de Boston, um navio com um carregamento de gelo natural.

Esperamos ouvir notícias e saber as tuas


opiniões, dúvidas e sugestões.

Reflexos D’Arte
Participa
Como devem calcular uma revista não é uma coisa
fácil de se organizar e isso requer trabalho e
empenho da nossa parte e agradecemos a vossa
participação.
Neste momento somos poucos a ter esta
responsabilidade, e como tal, pedimos-te que te
juntes a nós participando com ideias, pensamentos e
trabalhos enviando-nos até ao final de cada mês para
sair no próximo.
Se quiseres participar na
revista com os teus trabalhos envia um
mail com fotografias e descrição do passo a
passo para :

Participa@reflexosdarte.com

32

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com
Reflexos D’Arte
Ref lexos D’Arte

Reflexos D’Arte