Você está na página 1de 16

 Planificação global

Escola ________________________________________________________________________
Grupo disciplinar: 500 Planificação de Matemática
Curso de ______________________________________________________________________
Ciclo de formação – 20____ / 20____ Ano letivo 20____ / 20____

Módulo A7: Probabilidade 21 horas 28 tempos de 45 minutos


Competências a
Conteúdos Estratégias Recursos Avaliação
desenvolver
Revisões – Teoria das – Compreensão da – Traduzir – Manual – Contínua
probabilidades: diferença entre enunciados – Grelhas de
conceitos fenómeno interpretando –
observação
determinístico e situações reais – Fichas informativas direta
Introdução ao cálculo fenómeno aleatório. e utilizando – Fichas de trabalho – Relatórios
das probabilidades – Construção de simbologia – Meios audiovisuais
matemática. – Formativa
modelos de – Jornais, revistas
probabilidade para – Propor aos – Trabalho de
– Espaço de – Calculadora gráfica grupo/individual
situações simples em alunos
acontecimentos. que se admita como atividades – Computadores com
– Operações com razoável o selecionadas de software adequado Prova I
acontecimentos. pressuposto de modo a permitir- – Sensores de recolha Teste escrito.
Propriedades das simetria ou equilíbrio. -lhes trabalhar a de dados
operações – Apreensão das modelação – Exemplos de outras
– Probabilidade matemática, disciplinas que os Prova II
propriedades básicas
condicionada. de uma função massa fazendo-lhes estudantes Apresentação oral
– Acontecimentos de probabilidade. sentir a sua frequentem ou por escrito de
importância no uma situação de
independentes. – Compreensão da
Princípio fundamental mundo atual. modelação
noção de
de contagem. – Explorar matemática,
probabilidade
potencialidades fornecida pelo
condicional.
da calculadora professor.
Distribuição de – Conhecimento das
propriedades da gráfica.
probabilidades
– Variáveis aleatórias probabilidade e sua
discretas. utilização no cálculo
da probabilidade de
– Valor médio e desvio-
acontecimentos.
-padrão.
– Conhecimento do
– Variável aleatória modelo Normal ou
contínua. Distribuição Gaussiano e suas
uniforme. propriedades.
– Distribuição normal.
Distribuição normal na
calculadora.
– Distribuição normal
reduzida.
Distribuição normal
reduzida – cálculo de
probabilidades.
– Distribuição N(μ, σ) –
cálculo de
probabilidades.

2
 Planificação aula a aula
Capítulo 0 – Revisões

Aulas Sugestões metodológicas Recursos


1e2 Conceitos e atividades: páginas 6, 7, 8 e 9 Manual: páginas 6 a 13 e 22 a 29
Teoria das Exercícios 1, 3, 5 e 7: páginas 11, 12 e 13
probabilidades. Exercícios 1, 2 e 4: páginas 22 e 23 Animação: Experiências e acontecimentos
Teste interativo: Teoria das probabilidades –
conceitos

3e4 Conceitos: páginas 14 e 15 Manual: páginas 14 a 19 e 22 a 29


Continuação da aula Exercícios 1, 3, 5, 6 e 7: páginas 17, 18 e 19
anterior. Exercícios 6, 7, 9 e 13: páginas 24, 25 e 27 Animação: Conceito frequencista de
probabilidade
Animação: Lei de Laplace
Teste interativo: Teoria das probabilidades –
conceitos (continuação)
Teste interativo: Teoria das probabilidades –
revisões

3
 Planificação aula a aula
Capítulo 1 – Introdução ao cálculo das probabilidades

Aulas Sugestões metodológicas Recursos


5e6 Conceitos: páginas 30 e 31 Manual: páginas 30 a 39 e 54 a 63
Introdução ao cálculo Exercícios 1, 2 e 3: páginas 37 e 38
das probabilidades. Exercícios 1, 2 e 4: páginas 54 e 55 Animação: Operações com acontecimentos
Espaço de Teste interativo: Espaço de acontecimentos
acontecimentos.
Operações com
acontecimentos.

7e8 Conceitos: páginas 32 a 35 Manual: páginas 30 a 39 e 54 a 63


Operações com Exercícios 4, 5, 6, 7 e 8: páginas 38 e 39
acontecimentos. Exercícios 9, 11 e 12: páginas 56 e 57 Teste interativo: Operações com
Propriedades das acontecimentos
operações.

9 e 10 Conceitos e atividade: páginas 40 e 41 Manual: páginas 40 a 45 e 54 a 63


Probabilidade Exercícios 1, 2, 3, 6 e 7: páginas 43 e 45
condicionada. Exercícios 13, 14 e 15: páginas 57 e 58 Animação: Probabilidade condicionada e
Acontecimentos acontecimentos independentes
independentes. Teste interativo: Probabilidade condicionada e
acontecimentos independentes

11 e 12 Conceitos e atividade: páginas 46 e 47 Manual: páginas 46 a 50 e 54 a 63


Princípio fundamental Exercícios 3, 4, 5, 7 e 8: páginas 49 a 51
da contagem. Exercícios 21, 22 e 23: página 59 Animação: Princípio fundamental da contagem
Teste interativo: Princípio fundamental da
contagem
Teste interativo: Introdução ao cálculo das
probabilidades
Probabilidades

4
 Planificação aula a aula
Capítulo 2 – Introdução ao cálculo das probabilidades

Aulas Sugestões metodológicas Recursos


13 e 14 Conceitos e atividade: páginas 64 e 65 Manual: páginas 64 a 69 e 94 a 103
Variáveis aleatórias Exercícios 2, 3, 4, 7 e 8: páginas 67, 68 e
discretas. 69 Animação: Variáveis aleatórias discretas
Exercícios 4 e 5: página 95 Teste interativo: Variáveis aleatórias discretas

15 e 16 Conceitos: páginas 70 e 71 Manual: páginas 70 a 74 e 94 a 103


Valor médio e desvio- Exercícios 1, 4, 6 e 7: páginas 73, 74 e 75
-padrão. Exercícios 9 e 10: página 96 Animação: Valor médio e desvio-padrão
Teste interativo: Valor médio e desvio-padrão

17 e 18 Conceitos: páginas 76 e 77 Manual: páginas 76 a 83 e 94 a 103


Variáveis aleatórias Exercício 7: página 83
contínuas. Exercícios 1 e 2: página 94 Animação: Variáveis aleatórias contínuas
Distribuição uniforme. Teste interativo: Variáveis aleatórias contínuas

19 e 20 Conceitos: páginas 78 e 79 Manual: páginas 78 a 83 e 94 a 103


Distribuição normal. Exercícios 1, 3, 5 e 6: páginas 81, 82 e 83
Distribuição normal na Exercício 17: página 100 Animação: Distribuição normal
calculadora. Teste interativo: Distribuição normal

21 e 22 Conceitos: páginas 84, 85 e 86 Manual: páginas 84 a 91 e 94 a 103


Distribuição normal Exercícios 1, 2 e 3: página 89
reduzida. Exercício 21: página 101 Animação: Distribuição normal reduzida
Distribuição normal Teste interativo: Distribuição normal reduzida
reduzida – cálculo de
probabilidades.

23 e 24 Conceitos: páginas 86 e 87 Manual: páginas 84 a 91 e 94 a 103


Distribuição N(μ, σ) – Exercícios 5, 6 e 7: páginas 90 e 91
cálculo de Exercício 20: página 101 Animação: Distribuição normal reduzida
probabilidades.
Teste interativo: Distribuição de probabilidades

5
 Planificação aula a aula
Avaliação

Aulas Sugestões metodológicas Recursos


25 e 26 Realização de um teste escrito. Manual: páginas 104 a 111
Prova I Prova final de módulo 1
Prova final de módulo 2

27 e 28 Apresentação oral ou por escrito de uma Guia do professor: páginas 15 e 16


Prova II situação de modelação matemática,
fornecida pelo professor com uma curta
antecedência em relação à realização da
prova, recorrendo obrigatoriamente a um
de três tipos de exemplos:
– recolha de dados concretos por meio de
sensores ligados a calculadoras ou
computadores;
– exemplos de outras disciplinas que os
estudantes frequentem;
– recortes de jornais.

6
 Ficha de trabalho – nível 1
Revisões

1. Considera a experiência “lançar um rapa e verificar a face que fica


voltada para cima”.
1.1. Identifica, nesta experiência, o conjunto de resultados.
1.2. Classifica cada um dos seguintes acontecimentos.
a) “Sair a letra R”; b)“Sair a letra R ou a letra P”;
c) “Sair uma vogal”; d) “Não sair a letra A”.
1.3. Calcula a probabilidade de sair uma letra da palavra TUDO.

2. Numa caixa existem bolas numeradas de 1 a 15, qualquer uma delas com a mesma probabilidade de ser
retirada. Retirando uma bola da caixa, ao acaso, determina a probabilidade de ter inscrito um número:
2.1. par; 2.2. primo;
2.3. par ou primo; 2.4. par e primo.

3. Numa caixa existem discos azuis, pretos e vermelhos, indistinguíveis ao tato. Vai extrair-se, ao acaso,
um disco da caixa. Sabe-se que a probabilidade de sair um disco azul é 50% e que a probabilidade de
1
sair um disco preto é .
6
3.1. Qual é a probabilidade de sair um disco vermelho?
3.2. Determina o número total de discos, supondo que estão seis discos vermelhos dentro do saco.
3.3. Determina o número de discos vermelhos que estão dentro do saco, supondo que são 18 os discos
pretos.

4. Numa pastelaria efetuou-se um estudo, durante a época natalícia,


acerca dos doces preferidos pelos clientes. Durante uma hora,
analisaram-se as vendas e verificou-se que, dos 40 clientes, 18
compraram pão-de-ló (L), 15 compraram bolo-rei (R) e 13 não
compraram nenhum destes doces, tal como mostra o diagrama de
Venn da figura.
É escolhido um cliente ao acaso. Determina a probabilidade de:
4.1. ter comprado apenas bolo-rei;
4.2. ter comprado pão-de-ló e bolo-rei;
4.3. não ter comprado nenhum dos dois doces.

5. Uma caixa contém quatro bolas indistinguíveis ao tato, numeradas de 1 a 4. Ao acaso, retiram-se, de
uma só vez, duas bolas da caixa. Determina a probabilidade de serem retiradas duas bolas com
números primos.

6. Uma caixa contém quatro bolas indistinguíveis ao tato, numeradas de 1 a 4. Ao acaso, retiram-se,
sucessivamente e sem reposição, duas bolas da caixa. Determina a probabilidade de serem retiradas
duas bolas com números primos.

7
 Ficha de trabalho – nível 2
Revisões

1. Numa faculdade realizou-se um estudo sobre o número de alunos da turma da Beatriz que já doaram
sangue. O gráfico que se segue mostra o número de doações de sangue, por sexo.

1.1. Relativamente aos dados do gráfico, qual das seguintes afirmações é verdadeira?
[A] 30% dos alunos nunca doaram sangue.
[B] 30% dos alunos doaram sangue duas vezes.
[C] 65% dos alunos doaram sangue mais do que uma vez.
[D] 75% dos alunos doaram sangue menos de duas vezes.
1.2. Escolhido ao acaso um aluno de entre todos os alunos da turma da Beatriz, qual é a probabilidade
de essa escolha ser a de uma rapariga que doou sangue menos de duas vezes?
Apresenta o resultado na forma de fração irredutível.
Exame Nacional de Matemática, 9.o ano, 2008 – 2.a chamada

2. Numa caixa com dez bolas brancas indistinguíveis ao tato foram introduzidas algumas bolas amarelas.
Agora, a probabilidade de se retirar uma bola ao acaso do saco e de esta ser branca é 25%. Quantas
bolas amarelas foram introduzidas no saco?

3. Uma caixa contém quatro bolas indistinguíveis ao tato, numeradas de 1 a 4. Ao acaso, retiram-se, suces-
sivamente e com reposição, duas bolas da caixa. Determina a probabilidade de serem retiradas duas
bolas com números primos.

4. Na figura pode observar-se a planificação de um dado equilibrado. Lança-se o dado


duas vezes. Determina a probabilidade de a soma dos números saídos em cada um
dos lançamentos ser um número positivo.

5. Cinco cartões iguais, numerados de 1 a 5, estão voltados para baixo. Baralharam-se os cartões e colo-
caram-se em fila. Virou-se o primeiro cartão e verificou-se que saiu o número 1; virou-se o segundo
cartão e saiu o número 2. De seguida, vão virar-se os restantes cartões.

Qual é a probabilidade de os números inscritos nos cartões ficarem por ordem crescente?

6. Considera a função f de domínio {–2, –1, 1, 2} definida por f(x) = –x2. Escolhem-se ao acaso dois dos
quatro pontos que constituem o gráfico de f e desenha-se a reta que passa por esses dois pontos. Qual
é a probabilidade de essa reta não intersetar o eixo das abcissas?

8
 Ficha de trabalho – nível 1
Introdução ao cálculo das probabilidades

1. Considera um dado cúbico equilibrado, com as faces numeradas de 1 a 6, e a experiência aleatória que
consiste em lançar o dado e anotar o número da face que fica voltada para cima.
1.1. Escreve, na forma de subconjunto do espaço amostral, cada um dos seguintes acontecimentos e
classifica-os.
A: “Sair número par.”
B: “Sair número primo.”
C: “Sair o número 3.”
1.2. Considera os acontecimentos definidos na alínea anterior. Utilizando apenas esses acontecimentos
e operações entre eles, define os acontecimentos seguintes:
a) sair o número 4 ou o número 6;
b) sair o número 2.
1.3. Quantos elementos tem o espaço de acontecimentos desta experiência?

2. Cada uma das letras da palavra AMORA foi escrita num cartão. Os cinco cartões, indistinguíveis ao tato,
foram colocados dentro de uma caixa. Vão extrair-se, sucessivamente e sem reposição, três cartões da
caixa, colocando-os em fila, da esquerda para a direita. Qual é a probabilidade de, no final do processo,
ficar formada a palavra MAR, sabendo que, ao fim da segunda extração, estava formada a palavra MA?
Adaptado de Exame Nacional de Matemática A, 12.o ano, 2007 – 1.a fase

3. Na figura apresentam-se duas caixas, 1 e 2. A caixa 1 tem uma bola verde e três bolas amarelas, enquanto
a caixa 2 tem apenas uma bola verde.

Caixa 1 Caixa 2
Considera a experiência aleatória que consiste em retirar, simultaneamente e ao acaso, duas bolas da
caixa 1, colocá-las na caixa 2 e, em seguida, tirar, também ao acaso, uma bola da caixa 2.
Sejam M e V os acontecimentos:
M: “As bolas retiradas da caixa 1 têm a mesma cor.”
V: “A bola retirada da caixa 2 é verde:”


Indica o valor da probabilidade condicionada P V | M . 
Não necessitas de recorrer à fórmula da probabilidade condicionada.

4. Uma capicua é um número cuja leitura da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda é igual
(por exemplo 12 321 ou 4554). Quantas capicuas existem com:
4.1. 2 algarismos? 4.2. 6 algarismos ímpares?

5. De quantas maneiras distintas é possível sentar 3 amigos num banco corrido com:
5.1. 3 lugares? 5.2. 4 lugares? 5.3. 8 lugares?

9
 Ficha de trabalho – nível 2
Introdução ao cálculo das probabilidades

1. Seja Ω o espaço de resultados associado a uma experiência aleatória. Sejam A, B e C três aconteci-
mentos dessa experiência.

 
Mostra que se B e C são acontecimentos incompatíveis, então A  B  C  A  C .

2. O Fernando, o Pedro e o António vão posar para uma fotografia, juntamente com as suas namoradas,
em fila. De quantas formas distintas se podem dispor para a fotografia se:
2.1. não existirem restrições?
2.2. os homens ficarem numa ponta e as mulheres na outra?
2.3. os homens e as mulheres ficarem alternados?
2.4. os casais ficarem juntos?

3. Um hipermercado utiliza sequências compostas por algarismos e letras para identificar os diferentes
tipos de produtos que tem à venda. Cada sequência começa com duas letras e termina com três
algarismos, por exemplo AB123. Considera que existem 26 letras distintas.
3.1. Quantos tipos de produtos diferentes pode o hipermercado ter à venda?
3.2. O supermercado pretende expandir-se, aumentando o número de produtos que vende. Para tal, é
necessário aumentar o número de sequências distintas disponíveis. Existem duas propostas para
esse efeito: acrescentar mais duas letras à sequência ou mais três algarismos. Qual das propostas
produz um maior número de novas sequências?

4. Considera dois dados cúbicos equilibrados, com as faces numeradas de 1 a 6, e a experiência aleatória
que consiste em lançar os dois dados e anotar os números inscritos nas faces que ficam voltadas para
cima.
Considera os acontecimentos:
A: “A soma das pontuações obtidas é par.”
B: “A soma das pontuações obtidas é oito.”
C: “Os números inscritos nas faces voltadas para cima são ambos ímpares.”
4.1. Calcula as seguintes probabilidades:
a) P(A|C) b) P(B|C) c) P(C|B)
4.2. Os acontecimentos A e B são independentes? Justifica.

5. O Mário e a Catarina são amigos e costumam debater sobre música e futebol. Sabe-se que o Mário
vence 55% dos debates sobre futebol e 40% dos que envolvem questões musicais. Sabe-se, ainda, que
60% dos debates dos dois amigos são sobre futebol.
5.1. Os dois amigos estão envolvidos num debate. Qual é a probabilidade de a Catarina vencer?
5.2. Ontem o Mário ganhou um debate com a Catarina. Qual é a probabilidade que o assunto tenha sido
música?

10
 Ficha de trabalho – nível 1
Distribuição de probabilidades

1. A tabela de distribuição de probabilidade de uma vaiável aleatória Y é a seguinte.

yi 1 2 3 4 5 6 7

P(Y = yi) 0,1 0,1 0,2 a 0,2 0,1 0,1

1.1. Qual é o valor de a?


1.2. Calcula P(X ≤ 3).
1.3. Calcula P(2 < X ≤ 5).

2. A tabela de distribuição de probabilidade de uma vaiável aleatória X é a seguinte.

xi 0,1 0,3 0,5 0,7

P(X = xi) a a a 4a

2.1. Qual é o valor de a?


2.2. Calcula o valor médio da variável aleatória X.

3. Numa escola com 300 alunos, a variável “peso dos alunos” segue uma distribuição aproximadamente
normal, de média 52 kg e desvio-padrão 3 kg. Escolhe-se, ao acaso, um aluno dessa escola. Qual é a
probabilidade de esse aluno pesar:
3.1. mais do que 52 kg?
3.2. mais de 52 kg e menos de 58 kg?

4. Numa caixa estão três cartões iguais, numerados de 1 a 4. Extraem-se, em simultâneo e ao acaso, dois
cartões da caixa. Seja X o menor dos números saídos.
Qual é a distribuição de probabilidades da variável aleatória?

5. Na figura está representado um dado equilibrado e a respetiva planificação.

Lança-se este dado uma única vez.


Seja X a variável aleatória definida por X: “quadrado do número inscrito na face que fica voltada para
cima”.
5.1. Constrói a tabela de distribuição de probabilidades da variável aleatória X.
5.2. Determina, sem recorrer à calculadora, o valor médio da variável X.
Apresenta o resultado na forma de fração irredutível.

6. Admite que as classificações dos exames de admissão de 500 candidatos a um determinado estágio
profissional estão normalmente distribuídas com valor médio 124 pontos e desvio-padrão 12 pontos.
Sabe-se que 90 pontos é a classificação mínima para se ser selecionado para o estágio. Determina o
número aproximado de candidatos selecionados.

11
 Ficha de trabalho – nível 2
Distribuição de probabilidades

1. A tabela de distribuição de probabilidade de uma vaiável aleatória X é:

Xi 2 4 6 8 10

P(X = xi) a a 2b b 2b

1.1. Determina o valor de a e o valor de b, sabendo que P(X ≤ 4) = P(X > 4).
1.2. Calcula o desvio-padrão da variável X.

2. Na figura estão representadas as planificações de dois dados cúbicos equilibrados, A e B.

Lançam-se, simultaneamente, os dois dados.


Seja X a variável aleatória “soma dos números inscritos nas faces que ficam voltadas para cima”.
Constrói a tabela de distribuição de probabilidades da variável aleatória X.

3. Admite que a variável comprimento, em centímetros, dos lápis produzidos numa determinada fábrica é
bem modelada por uma distribuição normal, de valor médio 20. Escolhido, ao acaso, um dos lápis
produzidos nessa fábrica, sabe-se que a probabilidade do seu comprimento ser inferior a 23 cm é 84,13%.
Determina:
3.1. o desvio-padrão da distribuição;
3.2. a probabilidade de o comprimento desse lápis ser superior a 17 cm e inferior a 26 cm.

4. O número de camisas produzidas numa semana numa determinada fábrica é bem modelado por uma
distribuição normal de valor médio 2800 e desvio-padrão 20. Estima a probabilidade de, numa
determinada semana, nessa fabrica serem produzidas:
4.1. menos de 2900 camisas;
4.2. mais de 2750 e menos de 2810.

5. Na figura estão representados os gráficos de duas distribuições normais. Uma das distribuições tem
valor médio a e desvio-padrão b; a outra tem valor médio c e desvio-padrão d.

Os gráficos são simétricos em relação à mesma reta r.


Tendo em conta a informação fornecida, relaciona a com c e b com d.

12
 Teste global
1. A gelataria Combinatória oferece aos seus clientes dez sabores distintos e a possibilidade de se reali-
zarem misturas entre eles, até um máximo de três sabores. Assim, a gelataria pode servir gelados com
um, dois ou três sabores distintos.
1.1. O Mário, o Nuno e o Gustavo, clientes habituais da gelataria, encomendaram um gelado de apenas
um sabor para cada um deles. De quantas formas distintas podem ter feito o pedido?
1.2. Numa campanha de publicidade, num jornal local, a gelataria Combinatória anunciou que os seus
clientes podem desfrutar de um gelado diferente todos os dias durante mais de dois anos. Esta
afirmação é verdadeira?

2. O jogo da Glória é um jogo em que cada jogador progride no tabuleiro lançando dois dados com as
faces numeradas de um a seis e avançando um número de casas igual à soma dos números inscritos
nas faces voltadas para cima. Nos últimos tempos, uma nova variante do jogo foi lançada no mercado.
Uma das inovações é a possibilidade de os jogadores regredirem no tabuleiro. Assim, quando um
jogador obtém um double (dois dados com a mesma pontuação) tem que recuar um número de casas
igual à soma dos números. Considera que um jogador vai lançar os dados.
2.1. Qual é a probabilidade de avançar no tabuleiro?
2.2. Sabe-se que o jogador obteve como total da pontuação um número par. Qual é a probabilidade de
ter sido um double?
2.3. Seja X a variável aleatória “total de casas que o jogador avança/recua”. Constrói a tabela de distri-
buição da variável aleatória X.
2.4. Calcula o valor médio de X e estima quantas casas avançará um jogador no fim de 20 lançamentos.

3. O AUTO-HEXÁGONO é um stand de venda de automóveis.


Efetuou-se um estudo sobre as vendas de automóveis nesse stand, o qual revelou que:
• 15% dos clientes compram automóvel com alarme e com rádio;
• 20% dos clientes compram automóvel sem alarme e sem rádio;
• 45% dos clientes compram automóvel com alarme (com ou sem rádio).
Um cliente acaba de comprar um automóvel.
3.1. A Marina, empregada do stand, que nada sabia das preferências desse cliente e não tomou conhe-
cimento do equipamento do automóvel que ele tinha comprado, apostou que esse automóvel
estava equipado com rádio, mas não tinha alarme. Qual é a probabilidade de a Marina acertar?
Apresenta o resultado na forma de percentagem.
3.2. Alguém informou depois a Marina de que o referido automóvel vinha equipado com alarme. Ela
apostou, então, que o automóvel também tinha rádio. Qual é a probabilidade de a Marina ganhar
esta nova aposta?
Apresenta o resultado na forma de fração irredutível.

13
3.3. O stand, de forma hexagonal, tem uma montra que se situa num dos lados do hexágono. Pretende-se
arrumar seis automóveis diferentes (dois utilitários, dois desportivos e dois comerciais), de tal forma
que cada automóvel fique junto do vértice do hexágono.

Supondo que se arrumam os seis automóveis ao acaso, qual é a probabilidade de os dois despor-
tivos ficarem junto dos vértices que se encontram nas extremidades da montra?
Prova-modelo de Exame Nacional de Matemática, 2000

4. Uma empresa de pilhas recarregáveis, a DuraMuito, produz um modelo especialmente adequado a


máquinas fotográficas. O tempo de vida das pilhas deste modelo é uma variável aleatória contínua que
segue uma distribuição normal de valor médio 780 horas, com desvio-padrão de 30 horas. A Maria
comprou uma pilha do referido modelo.
4.1. Utilizando as capacidades da calculadora, indica a probabilidade de essa pilha ter um tempo de vida:
a) inferior a 780 horas;
b) superior a 740 horas.
4.2. Utilizando a distribuição normal e a respetiva tabela de valores, indica a probabilidade de a pilha ter
um tempo de vida:
a) inferior a 800 horas;
b) entre 750 e 820 horas.

14
 Propostas de trabalho adicionais
Inversa da distribuição normal

Considera que a altura dos cidadãos portugueses é uma variável aleatória X que segue uma distribuição
normal de valor médio 175 cm e desvio-padrão 10 cm. Considera também Z ~ N(0, 1).

1. Utilizando a tabela da distribuição normal standardizada, calcula:


a) P(X ≤ 180)
b) P(X ≥ 190)
c) P(160 ≤ X ≤ 200)

2. Utilizando a tabela da distribuição normal standardizada, investiga para que valor de a se tem:
a) P(Z ≤ a) = 0,8749
b) P(Z ≥ a) = 0,3483
c) P(Z ≤ a) = 0,4052
d) P(Z ≥ a) = 0,3936

3. No cálculo das probabilidades na primeira pergunta foi necessário aplicar uma mudança de variável que
transformasse a variável aleatória X na variável aleatória Z. Desfazendo agora essa mudança de
variável e utilizando os valores obtidos na alínea anterior, investiga para que valor de a se tem:
a) P(X ≤ a) = 0,8749
b) P(X ≥ a) = 0,3483
c) P(X ≤ a) = 0,4052
d) P(X ≥ a) = 0,3936

4. A calculadora gráfica contém uma função que permite a resolução do exercício anterior sem a utilização
da tabela da distribuição normal standardizada, a função “Inverse Normal”. Investiga as opções da tua
calculadora e resolve novamente o exercício anterior.

Casio CG-20: Texas TI-84 Plus:

15
Soma de distribuições normais

Teorema:
Sejam X e Y duas variáveis aleatórias contínuas tais que X ~ N(a, b) e Y ~ N(c, d). Então, a variável

aleatória S = X + Y ~ N  a  c, b d
2 2
 .

Corolário:
Se P = nX = X + X + ... + X, então P ~ N(n x a, b x n ).

Este teorema e respetivo corolário permitem o cálculo de probabilidades associadas a somas ou repetições
sucessivas de variáveis que seguem uma distribuição normal.
Utilizando os resultados referidos, resolve os seguintes problemas:

1. Considera que em Portugal o peso, em cm, dos homens e mulheres são variáveis aleatórias normais
que seguem, respetivamente, as seguintes distribuições H ~ N(85, 10) e M ~ N(62, 11).

Escolhendo, ao acaso, um homem e uma mulher portugueses, qual é a probabilidade de a soma dos
seus pesos ser superior a 150 kg?

2. O consumo mensal de gasolina de uma empresa é uma variável aleatória que segue uma distribuição
normal de média 120 litros e desvio-padrão 15 litros. Qual é a probabilidade de:
2.1. durante um ano, a empresa consumir mais de 160 litros?
2.2. no espaço de 10 anos, a empresa consumir menos de 15 000 litros?

3. Uma empresa distribuidora de fruta embala todas as maçãs que adquire em embalagens especiais de
plástico, que garantem uma boa qualidade no transporte. O peso dessas embalagens é bem modelado
por uma distribuição normal de valor médio 5 kg e desvio-padrão 100 g. Calcula a probabilidade de:
3.1. um cliente que compre 50 kg de maçãs ter de transportar uma embalagem cheia com mais de 51 kg;
3.2. na produção de 1000 embalagens, a empresa utilizar entre 4999 kg e 5010 kg de plástico.

16