Você está na página 1de 5

Universidade de Brasília

Instituto de Física
Segunda Lista de Exercícios de Física II
Torque e Momento Angular
p p
vcm = 2g.h = (2)(9, 8m/s2 )(0, 75m) = 3, 83m/s
Questão 1
Um automóvel que se move a 80km/h possui pneus com 75, 0cm
de diâmetro. (a) Qual é a velocidade angular dos pneus em Na expressão acima, o termo rotacional da energia cinética não está
relação aos respectivos eixos? (b) Se o carro é freado com incluído porque o centro de massa não rotaciona.
aceleração constante e as rodas descrevem 30 voltas completas
(sem deslizamento), qual é o módulo da aceleração angular das (b)
vcm 2, 7m/s
rodas? (c) Que distância o carro percorre durante a frenagem? ω= = = 33, 8rad/s
R 0, 08m
Solução

A velocidade do carro é v = 80,0km/h = 22, 2m/s; o raio do pneu é


Questão 4
3,6
R = 2 = 0, 375m. (a) A velocidade do carro é a velocidade do
0,750

centro de massa do pneu, portando: ωo = Rv = 22,2m/s Uma barra na uniforme com 0, 500m de comprimento e massa
= 59, 3rad/s.
4, 00kg pode girar em um plano horizontal em torno de um eixo
0,375m
(b) 30 voltas complestas correspondem a θ = (30, 0)(2.π) = 188rad,
e ωf = 0, tem-se que: ωf2 = ωo2 + 2.α.θ → |α| = (59,3rad/s) vertical passando pelo centro. A barra está em repouso quando
2
=
2(188rad)
9, 31rad/s2 . (c) ∆S = R.θ = (0, 375m)(188rad) = 70, 5m.
uma bala de 3, 0g é disparada, no plano de rotação, em direção
a uma de suas extremidades. Vista de cima, a trajetória da
Questão 2 bala faz um ângulo θ = 60, 0o com a haste (ver gura abaixo).
Se a bala se aloja na barra e a velocidade angular da barra é
Qual fração da energia cinética total é rotacional para os se-
10rad/s imediatamente após a colisão, qual é a velocidade da
guintes objetos que rolam sem deslizar sobre uma superfície
bala imediatamente antes do impacto?
horizontal? (a) Um cilindro maciço e uniforme; (b) uma esfera
uniforme; (c) uma esfera oca de paredes nas; (d) um cilindro
oco com raio externo R e raio interno R/2.
Solução
2 2
A partir da equação K = M.v2cm + Icm 2
, conclui-se que a fração da
energia cinética total que é rotacional é:
(1/2)Icm .ω 2 1 1
= M.v 2
= 2 ,
(1/2)Icom ω 2 + (1/2)M.vcm
2
1 + I 2 cm 1 + M.R
Icm
cm

Solução
sendo que vcm = r.ω para um objeto que rotaciona sem deslizar.
O eixo de rotação está no centro da barra e é perpendicular à mesma,
(a) Icm (cilindro) = 12 M.R2 ; portanto a razão esperada é de 1/3.
cujo raio de rotação é r = 0, 25m. Antes do impacto, o momento an-
(b) I (esf era) = ( 52 )M.R2 ; portanto a razão esperada é de 72 .
gular inicial do sistema (que se refere apenas ao movimento da bala)
(c) I (casca esf erica) = 23 M.R2 ; portanto a razão esperada é de 25 .
(d) I = 85 M.R2 ; portanto, a razão esperada é de 135
. é Li = r.m.v(sin θ), cujo m = 0, 003kg, θ = 60o , e cujo sinal é posi-
tivo, porque a bala impõe à barra um torque no sentido anti-horário.
Após a colisão, o momento de inércia do sistema é I = Ibarra +m.r.2,
Questão 3 sendo que Ibarra = M12L2 , cujo M = 4, 0kg e L = 0, 5m. A conserva-
Um o é enrolado diversas vezes em torno da periferia de um ção do momento angular implica que (ω = 10rad/s):
pequeno aro de raio 8, 0cm e massa 0, 180kg . A extremidade
livre do o é mantida xa e o aro é liberado a partir do repouso. 
M.L2 2

Após o aro cair por 75, 0cm, calcule (a) a velocidade escalar em L = L → r.m.v(sin θ) = M.L2 + m.r2 ω → v = 12 + m.r ω
 

seu centro e (b) a velocidade escalar angular do aro em rotação


i f
12 r.m(sin θ)
 
(4,0)(0,5)2
12
+ (0.003)(0.25)2 10
= → v = 1, 3.103 m/s
(0, 25)(0, 003) sin 60o

Questão 5
Na gura abaixo, uma bala de 1, 0g é disparada em um bloco
de 0, 50kg preso à extremidade de uma barra não uniforme de
0, 70m de comprimento e uma massa de 0, 50kg . O sistema
bloco-barra-bala passa a girar no plano do papel, em torno de
um eixo xo que passa por A. O momento de inércia da barra
Solução em relação a esse eixo é 0, 060kg.m2 . Trate o bloco como uma
partícula. (a) Qual é o momento de inércia do sistema bloco-
(a) Usando conservação da energia mecânica para o centro de massa, haste-bala em relação ao eixo que passa pelo ponto A? (b) Se
tem-se que: a velocidade angular do sistema em relação ao eixo que passa
M.vcm2 por A imediatamente após o impacto é 4, 0rad/s, qual é a ve-
Ki + Ui = Kf + Uf → 0 + m.g.h =
2
+0 locidade da bala imediatamente antes do impacto?
Universidade de Brasília - Física 2 - Segunda Lista de Exercícios
Questão 7
Na gura abaixo, uma força horizontal constante F~ap de mó-
dulo 10N é aplicada a uma roda de massa 10Kg e raio 0, 30m.
A roda rola suavemente na superfície horizontal, e o módulo
da aceleração do centro de massa é 0, 60m/s2 . (a) Em termos
dos vetores unitários, qual é a força de atrito que age sobre a
roda? (b) Qual é o momento de inércia da roda em relação ao
eixo de rotação que passa pelo centro de massa?
Solução

(a) Com r (comprimento da barra) = 0, 70m,


Ib (momento de inercia da barra em relacao ao eixo ortogonal ao
papel que passa por A) = 0, 060kg.m2 , e m (massa do bloco) =
0, 50kg , tem-se que:

I = Ib + m.r2 = 0, 060 + (0, 50)(0, 70)2 = 0, 305kg.m2 .


(b) Usando conservação do momento angular, sendo que
mb (massa da bala) = 0, 001kg , r(comprimento da barra) = 0, 70m,
I (momento de inercia do sistema) = 0, 305kg.m2 , e ω = 4, 0rad/s, Solução
tem-se que:
Com F~ac = (10N )î, podemos resolver a questão da seguinte maneira:
(a) Segunda lei de Newton para o eixo x: Fac − fs = m.a ⇒ fs =
Li = Lf → mb .vo .r = I.ω → (0, 001)Vo (0, 70) = (0, 305)(4, 0) 10N − (10kg)(0, 60m/s2 ) = 4, 0N
f~s = (−4, 0N )î
vo = 1, 74.103 m/s
(b) Com R = 0, 30m, encontramos a magnitude da aceleração an-
†Questão 6 gular: |α| = |a|
R
= 2, 0rad/s2 . A única força que produz torque é a
Um disco com momento de inércia I1 = 1, 5kg · m gira em força de atrito, temos: |T orque| = I|α| = I(2, 0rad/s2 ). Usando o
2 2

torno de um eixo vertical sem atrito com velocidade angular centro de rotação da roda, temos que I = 0, 60Kg.m .
ωi = 20 rad/s. Um segundo disco, que tem momento de inér-
cia I2 = 0, 5kg · m2 , está inicialmente em repouso e cai sobre Questão 8
o disco que se encontrava rodando. Devido ao atrito entre as A gura abaixo mostra a velocidade escalar v em função do
superfícies, os discos passam a girar com a mesma velocidade tempo t para um objeto de 0, 500Kg e 6, 00cm de raio que rola
angular ωf . Calcule ωf . Calcule a variação na energia cinética suavemente para baixo em uma rampa de 30o . A escala do eixo
do sistema. Suas respostas devem ser apresentadas em termos das velocidades é denida por vs = 4, 0m/s. Qual é o momento
das variáveis do enunciado, ou seja, I1 , I2 , ωi e ωf . de inércia do objeto?

Solução

Solução Temos, a partir da inclinação da reta, que a = −3, 5m/s2 . O ân-


gulo é de 30o , substituindo M = 0, 50Kg e R = 0, 060m na equação
2(M.R2 )
(a) Usando conservação do momento angular, sendo que I1 = 11 − 10 do Halliday ( 5
). Encontramos I = 7, 2.10−4 kg.m2 .
1, 5kg · m2 , ωi = 10 rad/s, e I2 = 0, 5kg · m2 , tem-se que:
†Questão 9
Em termos dos vetores unitários, qual é o torque resultante em
Li = Lf → I1 ωi = (I1 + I2 )ωf → (1, 5) · (20) = (0, 5 + 1, 5)(ωf ) relação à origem a que está submetida uma pulga localizada nas
ωf = 15 rad/s coordenadas (0, −4, 0m; 5, 0m) quando as forças F~1 = (3, 0N )k̂
e F~2 = (−2, 0N )ĵ agem sobre a pulga?
(b) Neste caso, a energia cinética não se conserva por se tratar de
uma colisão inelástica. Podemos vericar tal fato, uma vez que: Solução
1
Ki =
1
I1 ωi2 → (1, 5)(20)2 = 300J Se escrevermos ~r = xî + y~j + z~k. Usando a equação 3 − 30 do Hal-
2 2 liday, encontramos ~r × F~ igual a: (y.Fz − z.Fy )î + (z.Fx − x.Fz )ĵ +
1 1 (x.Fy − y.Fx )k̂. Usando o SI, temos que x = 0, y = −4, 0, z =
Kf = (I1 + I2 )ωf2 → (1, 5 + 0, 5)(15)2 = 225J
2 2 5, 0, Fx = 0, Fy = −2, 0 e Fz = 3, 0, a expressão acima se torna:
Sendo assim, ~
torque ~ = (−2, 0N.m)î
= ~r × F

Kf − K1 = 225 − 300 = −75J Questão 10


Universidade de Brasília - Física 2 - Segunda Lista de Exercícios
Na gura, uma bola de 0, 400kg é lançada verticalmente para 1 tem a aceleração de 6.10−2 m/s2 .
cima com uma velocidade inicial de 40, 0m/s. Qual é o seu (b) A segunda lei de Newton para o bloco 2 é m2 .g − T2 = m2 .a,
momento angular em relação a P , um ponto a uma distância onde m2 é a massa e T2 é a força de tensão no bloco. Então,
horizontal de 2, 00m do ponto de lançamento, quando a bola T2 = m2 (g − a) = 4, 87N .
está (a) na altura máxima e (b) na metade do caminho de volta (c) Segunda lei de Newton para o bloco 1 é m1 .g −T1 = −m1 .a, onde
T1 é a força de tensão no bloco. Então T1 = m1 (g + a) = 4, 54N .
ao chão? Qual é o torque em relação a P a que a bola é sub-
(d) Desde que a corda não escorregue na polia, a aceleração tan-
metida devido à força gravitacional quando esta (c) na altura gencial no ponto de contato com a polia deve ser o mesmo que a
máxima e (d) na metade do caminho de volta ao chão? aceleração do bloco, logo: α = Ra = 1, 20rad/s2 .
(e) O conjunto de torques atuando τ = (T2 − T1 )R. Resolvendo a
equação nós resolvemos para a rotação inercial: I = (T2 − T1 ) Rα
=
1, 38.10−2 kg.m2 .

Questão 13
Uma polia, com um momento de inércia de 1.10−3 kg.m2 em re-
lação ao seu eixo e um raio de 10cm, é submetida a uma força
Solução aplicada tangencialmente a sua borda. O módulo da força va-
ria no tempo de acordo com a equação F = 0, 5.t + 0, 3.t2 , com
(a) Já que a velocidade é, momentaneamente, igual à zero, quando F em newtons e t em segundos. A polia está inicialmente em
atingimos a altura máxima, o momento angular é igual a zero. repouso. Em T = 3s quais são (a) sua aceleração angular e (b)
(b) Usando a convenção de que o sentido horário é o negativo,
temos: L = −rperpendicular .m.v , onde rperpendicular = 2, 00m, sua velocidade angular?
m = 0, 400Kg , e v é dada pelas relações de queda livre. Especica- Solução
mente, ymax é determinado pela equação 2 − 16 com a velocidade
Já que a força age tangencial então r = 0, 1m, a aceleração angular
2
na altura máxima igual a zero; encontramos ymax = 2.g vo
, onde
vo = 40, 0m/s. Então, com y = 12 ymax , temos (equação 2 − 16) (consideremos ela positiva) é:
v= √ vo
. Assim, temos que L = −22.6kgm2 /s. τ Fr
2 α= = = 50.t + 30.t2 emunidadesdoSI.
(c) T orque = −rperpendicular .F , com a força F sendo igual à m.g . I I
Então torque = −7, 84N m. (a) Em t = 3s, a expressão nos dá que α = 4, 2.102 rad/s2 .
(d) Pelo modo que denimos rperpendicular , a altura não altera o (b) Nós integramos a expressão acima de 0 até 3s (considerando
resultado. A resposta é a mesma do item (c), torque = −7, 84N m. que a velocidade angular inicial é zero), obtemos que a velocidade
angular é de 5.102 rad/s.
†Questão 11 Questão 14
Se um torque de 32N.m exercido sobre uma roda produz uma O comprimento do braço do pedal de uma bicicleta é de 0, 152m
aceleração angular de 25rad/s2 , qual é o momento de inércia , e uma força de 111N é aplicada ao pedal pelo ciclista. Qual
da roda? é o módulo do torque em relação ao eixo do braço do pedal
Solução quando o braço faz um ângulo de (a) 30o (b) 90o e (c)180o com
a vertical?
T Solução
T = I.a ⇒ I = ⇒ I = 1, 28kg.m2
a
Considerando a equação: τ = r.F. sin φ ,substituímos φ pelos valo-
Questão 12 res 30o , 90o e 180o e encontramos os valores: 8, 4N.m ; 17N.m; 0
Na gura abaixo o bloco 1 tem massa m1 = 460g , o bloco 2 tem respectivamente.
massa m2 = 500g e a polia que está montada em um eixo hori-
zontal com atrito desprezível, tem um raio R = 5cm. Quando Questão 15
o sistema é liberado a partir do repouso o bloco 2 cai 75cm em Uma pequena bola de massa 0, 75kg está presa a uma das ex-
5s sem que a corda deslize na borda da polia. (a) Qual é o tremidades de uma barra de 1.25m de comprimento e massa
módulo da aceleração dos blocos? Qual é o valor: (b) da ten- desprezível. A outra extremidade da barra está pendurada em
são T2 e (c) da tensão T1 ? (d) Qual é o módulo da aceleração umo eixo. Quando o pêndulo assim formado faz uma ângulo de
angular da polia? (e) Qual é o momento de inércia da polia? 30 com a vertical, qual é o módulo do torque exercido pela
força gravitacional em relação ao eixo?
Solução

Solução

(a) Considerando a aceleração constante. Se o sentido de descida


for tomado como positivo e a é a aceleração do bloco mais pesado
m2 , temos que a coordenada é dada por y = 21 a.t2 . Então, o bloco

Universidade de Brasília - Física 2 - Segunda Lista de Exercícios


Duas forças agem na bola, a força da barra e a força da gravidade. torque aplicado durante 33ms, qual é o módulo (a) da veloci-
Nenhum torque age no eixo de rotação já que o raio é 0. Temos dade angular do disco e (b) do momento angular do disco em
então, que : relação a esse eixo?
T = m.g.l. sin φ = 0, 75.9, 8.1, 25. sin 30o = 4, 6N.m Solução
Considerando como sentido positivo o sentido anti-horário. (a) Como τ = I.α, aceleração angular é:
Questão 16 α=
τ
=
16
.103 = 13, 3 × 103 rad/s2
A gura mostra uma estrutura rígida formada por um aro de I 1, 2
raio R e massa m e um quadrado de lado R e massa m. A Logo:
estrutura gira com velocidade constante em torno de um eixo
vertical, com um período de rotação de 2, 5s. Supondo que ω = ωo + α.t = 13, 3 × 103 .33 × 10−3 = 438, 9rad/s
R = 0, 5m em = 2, 0kg , calcule (a) o momento de inércia da (b)
estrutura em relação ao eixo (b) o momento angular da estru- L = I.ω = 1, 2.10−3 .438, 9 = 0, 527kg.m2 .rad/s
tura em relação ao eixo.
Questão 18
A gura mostre três discos uniformes acoplados por correias.
Uma passa pelas bordas dos discos A e C; a outra passa por
um cubo do disco A e pela borda do disco B. As correias se
movem suavemente, sem deslizar nas bordas e no eixo central.
O disco A tem raio R e seu cubo tem raio 0, 5.R; o disco B
tem raio 0, 25.R; o disco C tem raio 2R. Os discos B e C têm
a mesma massa especíca. Qual é a razão entre o módulo do
momento angular do disco C e o módulo do momento angular
do disco B?

Solução

(a) Calcularemos os momentos de inércia em relação ao eixo das


duas estruturas separadamente:

1) Quadrado: Estudaremos essa estrutura isolando seus lados: La- Solução


dos perpendiculares ao eixo tem o mesmo momento de inércia I1
Para resolver esse exercício vamos obter as massas e as velocidades
M.R2 angulares dos discos em função dos parâmetros dados, lembrando
I1 =
3 que as velocidades das correias são costantes.
Lados paralelos ao eixo, o lado que contem o eixo tem I2 nulo, pois Para correia maior: Velocidade da correia maior (VCG )
sua espessura é desprezível, e o lado mais distante tem, pelo teorema
dos eixos paralelos: VCG : constante

I = I2 + M.h2 VCG = VCG


Onde h = R, logo o Iquadrado é:
RA
ωA .RA = ωC .RC , ωC = ωA .
2.0, 52 RC
Iquadrado = 2I1 + I = 2 + 2.0, 52 = 0, 83kg.m2
3
2
2) Aro: Sabendo que o I do aro é 21 M.R2 , usaremos o teorema mC = π.RC .µ
dos eixos paralelos para determinar o momento de inércia desse aro
especíco: IC =
2
mC .RC
2
M.R2
Iaro = + M.h2
2 LC = IC .ωC
Onde h = R, logo: Para correia menor:
2.0, 52 R A0
Iaro = + 2.0, 52 = 0, 75kg.m2 ωA .RA0 = ωB .RB , ωB = ωA .
2 RB
Então,
2
mB = π.RB .µ
2
Itotal = Iaro + Iquadrado = 1, 58kg.m
2
(b) O momento angular L = I.ω , logo: IB =
mB .RB
2
2.π
ω= = 2, 51rad/s
2, 5 LB = IB .ωB

L = 1, 58.2, 51 = 3, 97kg.m2 .rad/s


Logo:
2 2 2
mC .RC RA π.RC .µ.RC RA
LC .ωA . R .ωA . R
†Questão 17
2 C 2 C
= 2 = 2 .µ.R2
LB mB .RB R
.ωA . RAB0
π.RB B R
.ωA . RAB0
Um disco de polimento de momento de inércia 1, 2.10−3 kg.m2 2 2

está preso a uma broca elétrica cujo motor produz um torque 3


RC .RA 8.R3 .R
de módulo 16N.m em relação ao eixo central do disco. Com o = 3 0
RB .RA
=
0, 15625.R3 .0, 5R
= 1024

Universidade de Brasília - Física 2 - Segunda Lista de Exercícios


Ltotal = 0, 003655kg.m2 .rad/s
†Questão 19
Na gura, três partículas de massa m = 23g estão presas a
três barras de comprimento d = 12cm e massa desprezível. O Questão 20
conjunto gira em torno do ponto O com velocidade angular A gura mostra o torque t que age sobre um disco inicialmente
ω = 0, 85rad/s. Em relação ao ponto O, quais são (a) o mo- estacionário que pode girar em torno do seu centro como um
mento de inércia do conjunto, (b) o módulo do momento angu- carrossel em função do tempo. Qual é o momento angular do
lar da partícula do meio e (c) o módulo do momento angular disco em relação ao eixo de rotação nos intentes (a) t = 7, 0s e
do conjunto? (b) t = 20s?

Solução

(a) Pela denição temos que I = mr2 , onde m é a massa da partí-


cula e r é a sua distância em relação ao eixo de rotação. Na gura, Solução
a primeira partícula está a uma distância d, a segunda a uma dis-
tância 2d e a terceira a uma distância 3d. O momento de inércia do Z Z
conjunto é igual a soma do momento de inércia das partículas, logo: dL = τ.dt → dL = τ.dt , entao :
2 2 2
Itotal = I1 + I2 + I3 = m.d + m.4.d + m.9.d Z
L= τ.dt = Area
= 0, 023.0, 0144 + 0, 023.4.0, 0144 + 0, 023.9.0, 0144
= 0, 0046kg.m2 (a)
(b) O momento angular da partícula do meio é dado por : L2 = I2 .ω Z 7
L= τ.dt = 48kg.m2 .rad/s
2 2
L2 = m.4.d .ω = 0, 0112kg.m .rad/s 0

(c) O momento angular do conjunto é igual a soma do momento (b) 20 9 20


angular das particulas, logo:
Z Z Z
L= τ.dt = τ.dt − τ.dt
0 0 9

Ltotal = L1 + L2 + L3 = m.d2 .ω + m.4.d2 .ω + m.9.d2 .ω = ω.Itotal = 54 − 51 = 3kg.m2 .rad/s

Universidade de Brasília - Física 2 - Segunda Lista de Exercícios