Você está na página 1de 28

INSIGHTS SOBRE EDUCAÇÃO

SOCIOEMOCIONAL

EDERSON MALHEIROS MENEZES

EMM LEARNING
EDUCAÇÃO SOCIOEMOCIONAL
2019
© direitos do autor, 2019

MENEZES, Ederson M. Insights sobre


educação socioemocional. Ijuí (RS): EMM
Learning, 2019 [e-book].

Não é autorizada a distribuições parcial ou integral de


nenhuma parte deste material sem o consentimento
expresso e formal do autor.

www.edersonmenezes.com.br

www.educacaosocioemocional.com.br

contato@emmlearning.com.br
ÍNDICE

Introdução

Primeiros passos da educação socioemocional

Socioemocional – Desenvolvimento de
competências, habilidades e atitudes

Conclusão
INTRODUÇÃO

Olá!
Que bom que você interessou-se por esta
temática para seu desenvolvimento.
Este Micro E-book faz parte de nosso
projeto de transformar os artigos de nosso site
em leituras rápidas que possam ser aplicadas
na vida das pessoas.
Então, não há o interesse de escrever algo
demasiadamente teórico, mas que possa trazer
algumas informações importantes e também
propiciar uma aplicação prática em sua vida.
Aqui o desafio é compreender um pouco
mais sobre o que significa e como se configura
a educação socioemocional.
O tema é muito amplo, por isso,
indicaremos apenas alguns insigths
importantes para começar sua jornada.
PRIMEIROS PASSOS DA EDUCAÇÃO
SOCIOEMOCIONAL

A educação emocional envolve uma


proposta educativa que desenvolva
competências, habilidades e atitudes
socioemocionais – e, que possam ser
expressas de forma significativa na vida dos
sujeitos/alunos.

Compreende-se que, como proposta ou


programa educacional, há necessidade:

 Primeiro, de ter um roteiro claro com


objetivos bem declarados e
contextualizados;
 Segundo, de fomentar uma proposta
que articule o aspecto teórico e prático;
 Terceiro, de ser abrangente e integrar
todos os envolvidos com focos
diferenciados conforme necessidade.

Segundo as novas diretrizes da Base


Nacional Comum Curricular (BNCC) todas as
escolas brasileiras terão de incluir as
habilidades socioemocionais nos seus
currículos até 2020.
E, para isso, pode-se dizer que: mente,
coração, indivíduo e relacionamentos – de
educadores e alunos – tudo está envolvido na
Social Emotional Learning (SEL - Educação
Socioemocional).

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E
INTELIGÊNCIA SOCIAL NA EDUCAÇÃO

O desafio continua a ser o desenvolvimento


de competências que estão pautadas em
inteligências múltiplas.
E isso, sem esquecer é claro, que o
destaque é para o emocional e o social.
De algum modo, estas exigências trazem o
reconhecimento e valorização de áreas que
estavam fragilizadas ou negligenciadas nas
propostas educativas anteriores.
Alguns conceitos podem indicar esta “nova”
ênfase:

Autoconhecimento é um universo enorme


e poucas pessoas o desenvolveram por causa
da ênfase em uma formação mais tecnicista.

O autocontrole tornou-se uma exigência


em termos de gestão emocional e
protagonismo de carreira – nas relações como
um todo, como projeto de vida.

A empatia nunca foi tão importante no meio


de uma geração que só consegue se
comunicar mediada pela tecnologia.
O individualismo gerou pessoas que
efetivam decisões irresponsáveis. E isso,
precisa mudar!

Por fim, os novos desafios exigem pessoas


com habilidades sociais e ao mesmo tempo,
um resgate mais integral do que significa ser
“ser humano”.

Na prática, tudo isso significa, mais


exercícios, experiências que envolvam:

 autoconhecimento;
 autocontrole;
 empatia;
 decisões responsáveis;
 habilidades sociais.
O LINK COM AS DEMAIS INTELIGÊNCIAS
PRECISA CONTINUAR

Mais uma vez, um cuidado importante, é


não perder de vista as inteligências múltiplas.
Tudo isso nos coloca novamente diante de
uma realidade educativa a ser (re)construída.
Entretanto, não devemos ignorar a
oportunidade. Pois, é possível ir além do mero
cumprimento de uma diretriz, de uma função,
de um processo.

Além disso, nos deparamos


com a oportunidade de cuidar
do ser humano de uma forma
muito mais próxima do que
chamamos de "integral".

Por fim, esta oportunidade permeada pelas


inteligências e saberes, pode ser algo muito
positivo para todos os atores e agentes
educacionais.
Então, conte conosco (CLIQUE AQUI) nesta
jornada! Pois amamos a educação e todos que
a usam para a construção da vida.
SOCIOEMOCIONAL - DESENVOLVIMENTO
DE COMPETÊNCIAS HABILIDADES E
ATITUDES

Como o elemento socioemocional pode ser


desenvolvido na vida das pessoas?

A CONFUSÃO DO CONCEITO

Inicialmente, o que se observa sobre o


conceito "socioemocional" é que não há muita
clareza.
E, há algumas explicações para isso.
Primeiro, porque alguns pesquisadores
integraram a ideia do emocional e do social no
conceito de inteligência emocional.
Enquanto outros, fazem distinção entre
inteligência emocional e inteligência social.
Agora, entretanto, temos o conceito
inteligência socioemocional ou educação
socioemocional.
Vamos tentar entender melhor – afinal, é
uma reconstrução conceitual.
Segundo o dicionário Priberan:

socioemocional diz respeito


ao "que é relativo
simultaneamente a questões
sociais e emocionais,
nomeadamente à gestão das
emoções no relacionamento
com os outros (ex.:
competências
socioemocional;
desenvolvimento
socioemocional)".
É importante salientar que socioemocional é
mais do que apenas emocional.
E ainda, que de algum modo já existem
muitas iniciativas no contexto escolar que se
encaixam dentro da abordagem emocional e
social.
Então, o que temos é uma oportunidade de
aprofundamento.

O QUE DIZ A BNCC SOBRE A QUESTÃO


SOCIOEMOCIONAL?

Vê-se que as abordagens para uma


formação integral remetem a competências,
habilidades e atitudes, para além de apenas
gerir questões emocionais no âmbito pessoal e
relacional.

Na BNCC, competência é
definida como a mobilização
de conhecimentos (conceitos
e procedimentos), habilidades
(práticas, cognitivas e
socioemocionais), atitudes e
valores para resolver
demandas complexas da vida
cotidiana, do pleno exercício
da cidadania e do mundo do
trabalho.

Como se observa, a partir da Base Nacional


Comum Curricular (BNCC), o conceito
socioemocional encontra-se no âmbito das
habilidades.
Mais especificamente, diferenciando-se de
habilidades práticas e cognitivas.
Tal definição é fortalecida em outro
momento:

Para tanto, prevê que os


estudantes desenvolvam
competências e habilidades
que lhes possibilitem
mobilizar e articular
conhecimentos desses
componentes
simultaneamente a dimensões
socioemocionais, em
situações de aprendizagem
que lhes sejam significativas
e relevantes para sua
formação integral. (481).

Por fim, o socioemocional é definido por


“tudo” que, se articula no âmbito das
competências, habilidades e atitudes.
Tudo que venha a ser reconhecido como
significativo para a formação integral de
indivíduos/sujeitos.
QUAIS SÃO AS COMPETÊNCIAS
SOCIOEMOCIONAIS?

A partir do que foi observado anteriormente,


fica difícil definir categoricamente, quais são as
competências socioemocionais a serem
desenvolvidas.
Por exemplo, a própria BNCC trabalha a
partir de dez competências gerais da educação
básica:

1. Valorizar e utilizar os conhecimentos


historicamente construídos sobre o mundo
físico, social, cultural e digital para entender
e explicar a realidade, continuar
aprendendo e colaborar para a construção
de uma sociedade justa, democrática e
inclusiva.

2. Exercitar a curiosidade intelectual e


recorrer à abordagem própria das ciências,
incluindo a investigação, a reflexão, a
análise crítica, a imaginação e a
criatividade, para investigar causas,
elaborar e testar hipóteses, formular e
resolver problemas e criar soluções
(inclusive tecnológicas) com base nos
conhecimentos das diferentes áreas.

3. Valorizar e fruir as diversas


manifestações artísticas e culturais, das
locais às mundiais, e também participar de
práticas diversificadas da produção
artístico-cultural.

4. Utilizar diferentes linguagens – verbal


(oral ou visual-motora, como Libras, e
escrita), corporal, visual, sonora e digital
–, bem como conhecimentos das
linguagens artística, matemática e
científica, para se expressar e partilhar
informações, experiências, ideias e
sentimentos em diferentes contextos e
produzir sentidos que levem ao
entendimento mútuo.

5. Compreender, utilizar e criar


tecnologias digitais de informação e
comunicação de forma crítica,
significativa, reflexiva e ética nas diversas
práticas sociais (incluindo as escolares)
para se comunicar, acessar e disseminar
informações, produzir conhecimentos,
resolver problemas e exercer protagonismo
e autoria na vida pessoal e coletiva.

6. Valorizar a diversidade de saberes e


vivências culturais e apropriar-se de
conhecimentos e experiências que lhe
possibilitem entender as relações próprias
do mundo do trabalho e fazer escolhas
alinhadas ao exercício da cidadania e ao
seu projeto de vida, com liberdade,
autonomia, consciência crítica e
responsabilidade.
7. Argumentar com base em fatos,
dados e informações confiáveis, para
formular, negociar e defender ideias,
pontos de vista e decisões comuns que
respeitem e promovam os direitos
humanos, a consciência socioambiental e o
consumo responsável em âmbito local,
regional e global, com posicionamento ético
em relação ao cuidado de si mesmo, dos
outros e do planeta.

8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de


sua saúde física e emocional,
compreendendo-se na diversidade humana
e reconhecendo suas emoções e as dos
outros, com autocrítica e capacidade para
lidar com elas.

9. Exercitar a empatia, o diálogo, a


resolução de conflitos e a cooperação,
fazendo-se respeitar e promovendo o
respeito ao outro e aos direitos humanos,
com acolhimento e valorização da
diversidade de indivíduos e de grupos
sociais, seus saberes, identidades, culturas
e potencialidades, sem preconceitos de
qualquer natureza.

10. Agir pessoal e coletivamente com


autonomia, responsabilidade,
flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios
éticos, democráticos, inclusivos,
sustentáveis e solidários.

Como já observamos, o socioemocional


transpassa vários saberes e práticas.
E, estes saberes devem ser percebidos e
reconhecidos como significativos na proposta
educativa.
Poderíamos ter sintetizado, mas a riqueza
do conteúdo para formulação conceitual se
perderia.
Por isso, deixamos o texto como aparece na
BNCC.
O que é importante é perceber que tem-se
por expectativa uma maior sensibilidade para
tudo o que é socioemocional e que transpassa
nossa experiência de vida, inclusive, o contexto
escolar.
QUE METODOLOGIA PODE SER UTILIZADA
NA ABORDAGEM SOCIOEMOCIONAL?

Metodologia?
O desafio maior é encontrar uma
metodologia que auxilie as ações educativas.
Precisa ser algo que auxilie no propósito
de promover a educação socioemocional.
Aqui, metodologia não pode ser algo
"engessado", mas sim versátil de fácil
adaptação.
E, neste sentido, uma das metodologias
mais alinhadas com tal proposta é o coaching.

UMA POSSÍVEL RESPOSTA À QUESTÃO


METODOLÓGICA

O coaching é uma metodologia versátil de


desenvolvimento humano que pode ser um
instrumento poderoso para a educação.
Primeiro, porque é uma metodologia de
desenvolvimento humano.

Segundo, porque é versátil, aplicável em


diversas áreas da vida.

Terceiro, porque contempla em seu


processo o autoconhecimento e o
desenvolvimento de competências, neste caso,
também, as socioemocionais.

Quarto, porque já é uma metodologia


validada e reconhecida no mundo inteiro por
seus resultados.

Quinto, porque o coaching pode trazer


empoderamento e motivação primeiro aos
atores educacionais, e depois, aos educandos.

Poderíamos elencar muitos outros motivos.


No entanto, estes parecem ser suficientes
para sustentar a proposta de uso da
metodologia de coaching por parte dos
educadores.
Muitos estão querendo construir uma
metodologia. Mas, isto seria desperdício de
tempo e recursos quando já se tem algo tão
efetivo como o coaching.

Por fim, renovamos o convite para conhecer


nosso curso Princípios de Coaching Aplicados
à Educação - CLIQUE AQUI.
CONCLUSÃO

Para quem quer aprofundar-se na área de


inteligência emocional, precisa explorar seus
cinco domínios, que são:
 Autoconsciência emocional
 Controle Emocional (Lidar com as
emoções)
 Automotivação (Emoções a serviço de
metas)
 Reconhecimento da emoção do outro
(Empatia)
 Relacionamentos Interpessoais (Aptidão
relacional)
Recomendamos a leitura do livro
“Inteligência Emocional” de Daniel Goleman.
Esperamos ter ajudado você com esta
leitura e exercícios para inteligência emocional.
Se ajudou, compartilhe com seus amigos!!!
CONHEÇA NOSSOS CURSOS
Clique nas imagens, links ou visite nossos sites

www.learningcoaching.com.br

www.educacaosocioemocional.com.br