Você está na página 1de 15

EQUILIBRARÃO: GLOBAL

ANDAR EM CIMA DA CORDA

Circuito de obstáculos: Atividade que envolve a equilibrarão global.


Atividade composta de percursos com diferentes níveis de dificuldades. Andar
sobre a corda, engatinhar no túnel, pular sobre os bambolês, etc.
Passar por todos os obstáculos: cone, corda, escada, pneu, bambolê, etc.
A criança devera engatinhar, saltar, rolar, correr e andar por todos os obstáculos.
Dividir a turma em dois grupos, delimitar um espaço entre eles para que
passem ao mesmo tempo. A princípio em duplas depois o grupo todo. O objetivo
é que na passagem ninguém ultrapasse a linha delimitada nem derrube o
colega.

PERCURSO MALUCO

O professor, na sala, organizará as cadeiras traçando um percurso para


que o aluno o atravesse. As crianças deverão ter o cuidado de ao passar por este
percurso, não encostar nenhuma parte do corpo nas cadeiras. Esse percurso
deverá ser ultrapassado pulando de um pé só.

TWISTER

É jogado em um tapete de plástico de grandes dimensões que se espalha


sobre o solo. O tapete é como um jogo de tabuleiro. Ele tem quatro linhas de
grandes círculos coloridos sobre a mesma com uma cor diferente em cada linha:
vermelho, amarelo, azul e verde. Um spinner é anexado a um tabuleiro quadrado
e serve como um molde para o jogo. O spinner é dividido em quatro seções
rotuladas: pé direito, mão esquerda, pé esquerdo e mão direita. Cada uma
dessas quatro partes é dividida em quatro cores (vermelho, amarelo, azul e
verde). Depois de girar, a combinação é chamada (por exemplo: amarelo da mão
direita) e os jogadores devem mover a mão ou o pé correspondente a um ponto
da cor correta. Em um jogo de dois jogadores, duas pessoas não podem ter uma
mão ou de pé sobre o mesmo círculo. As regras são diferentes para mais
pessoas. Devido à escassez de círculos coloridos, os jogadores vão muitas
vezes ser obrigados a colocar-se em posições precárias, eventualmente fazendo
alguém a cair. Uma pessoa é eliminada quando cai ou quando toca o cotovelo
ou do joelho no tatame. Não há limite de quantos podem jogar ao mesmo
tempo, mas mais do que quatro é um ajuste apertado.

ESPECIFICA:
 Trabalhar a equilibrarão, de maneira estática, utilizando a trave de ginástica
artísticas. Um de cada vez.
 Alongamento em uma perna só: trabalha o equilíbrio para achar o jeito certo que
o pé deve ficar para não cair.
 Torre de Latinhas: A criança deverá montar uma torre, tomando cuidado para
não derrubar as latinhas. (O aluno deverá organizar muito bem sua postura e
manter-se firme em equilíbrio para que possa realizar o desafio, apesar da
grande exigência de coordenação motora fina)

ESQUEMA E IMAGEM CORPORAL: GLOBAL

MÚSICA “BONECA DE LATA”

As crianças cantarão a música, devendo fazer os gestos da letra da


musica.
BAMBOLÊ

O professor solicita que o aluno faça o movimento com o bambolê no


braço, no pescoço, e assim, em outras partes do corpo para que compreenda o
seu próprio corpo e suas partes.

CONTORNO DO CORPO NO PAPEL CRAFT

Com papel pardo, no chão, coloca-se a criança deitada e pede para que
um amigo contorne seu corpo com um giz de cera e depois quem foi desenhado
irá desenhar quem desenhou. Após o contorno, cada aluno irá preencher sua
sombra com as especificidades corporais.

ESPELHO

O professor poderá confeccionar placas com rostos: felizes, tristes,


bravos, sorrindo, boca aberta, boca fechada, com boca fazendo biquinho entre
outras; ou somente ir falando o que cada criança deverá fazer. As crianças
deverão ser convidadas a sentar frente ao espelho e fazer o que o mediador
solicitar. Após terminar esta parte da atividade as crianças deverão registrar em
um painel ou folha de sulfite a imagem que mais gostou de fazer frente ao
espelho.

ESPECIFICA:
 Reconhecimento das partes do corpo em frente ao espelho
 Jogo de cartas: Jogo de cartas com figuras ilustrando imagem do corpo,
na qual ao ser mostrada, o aluno deve apontar em seu corpo o que vê.
 Atividade do Espelho: Observar-se na frente do espelho, descrever suas
características físicas e transferir para o papel. Dependendo do resultado
reconstruir a imagem corporal.
 Faz me rir: em duplas as crianças deverão se encarar sem sorrir, aquele
que sorrir primeiro perde a brincadeira.
 Complete o desenho: A criança deverá completar o desenho, com as
partes do corpo que estão faltando.
 Quebra-cabeça: A partir de recortes de figuras(pessoas), as crianças
deverão montar o desenho de uma pessoa sem esquecer nenhuma parte
do corpo humano.

ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL: GLOBAL

COELHO SAI DA TOCA.

PULAR CORDA

Regra: A criança deverá pular a corda, enquanto os dois colegas batem a


corda. Não deixando que a corda encoste em quem esta pulando.

DANÇA DO XEPE-XEPE

As crianças em circulo (trenzinho) iniciam a brincadeira cantando: “Fui a


Nova York visitar a minha mãe, minha mãe me ensinou a dança do xepe-xepe”:
uma das crianças faz o movimento que todas as outras imitarão; chegando no
fim do refrão se diz AUÊ e todos mudam o sentido do fluxo do circulo.
Retomando a música, alternando a criança que comanda os movimentos. Sendo
esta que estará posicionada a frente da ultima que fez o movimento.
ATIVIDADES: EDUCAÇÃO E REEDUCAÇÃO PSICOMOTORA

MÍMICA DE SÍLABAS E NÚMEROS

OBJETIVO:
 Desenvolver o equilíbrio corporal e a criatividade;
 Trabalhar sílabas e numerais estudados.

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE

O professor deve dizer a um aluno um numeral ou o nome de um colega,


destacando a sílaba que está sendo estudada. A partir disso, ele deve fazer a
mímica ou demonstrar com o corpo a sílaba ou número pedido. Quem descobre
ganha a vez de jogar.

BINGO

OBJETIVO:
 Desenvolver o raciocínio lógico-matemático;
 Reconhecer os sons das palavras;
 Reconhecer a ortografia de palavras do seu vocabulário;
 Reconhecer numerais
 Exercitar as quatro operações.

MATERIAL
 Recorte de papel cartão em retângulos de 10 x 7 cm;
 Desenhe, nos cartões, seis quadrados com pincel atômico;
 Nestes quadrados escreva os números ou palavras que serão
trabalhados;
 Repita estas mesmas palavras ou números, em pequenos papéis
quadriculados;
DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE
Brinca-se como no jogo de bingo tradicional. De preferência o professor
não deve mostrar a ficha ditada (cantada) para que os alunos descubram
sozinhos a palavra ou o número em sua cartela. Se necessário o professor pode
auxiliá-los.
As cartelas do bingo devem ser feitas conforme o conteúdo a ser
desenvolvido. Exemplo:
 bingo de palavras com dígrafos, ou sílabas estudadas, dando ênfase ao
que se quer desenvolver, deixando que o aluno descubra as sílabas das
palavras através dos sons produzidos;
 bingo de operações, onde o aluno efetua a operação ditada, buscando em
sua cartela o resultado correspondente.

FACA FOCA CAFÉ

FEIJÃO FÁBIO FOGÃO

MICO ALFABÉTICO

OBJETIVO:
 trabalhar a relação entre figura e escrita e coordenação motora fina;
 trabalhar a memorização do alfabeto; trabalhar a socialização.

MATERIAL:
 papel-cartão (se quiser já riscado no tamanho das cartas para o aluno
recortar, caso contrário a própria criança irá fazer o risco)
 lápis de cor e caneta hidrográficas;
 tesoura.

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE:
Em duplas, os alunos devem recortar o papel cartão. Cada aluno deverá
fazer seu jogo. Em cada carta o aluno desenha pares de uma classe que
escolher, pode ser frutas, animais, brinquedos, flores e assim por diante. O
critério básico é que todas as cartas pertençam a uma só classe e que
contenham pares semelhantes, mas que uma das figuras seja singular para
representar o mico. Os desenhos deverão ser coloridos, livremente. Quando
todas as cartas estiverem prontas, a professora pede a cada um que mostre
suas cartas, nomeando os desenhos. Dessa forma, a professora pode fazer com
que os alunos identifiquem a inicial de cada figura, que em seguida o aluno
escreve em sua carta.
Ex. Carolina desenhou um flor. Com que letra começa a palavra flor?
Em seguida pode-se formar de 2 a 4 alunos para jogar. Inicia-se o jogo
embaralhando-se as cartas e dividindo-as entre os participantes. Cada jogador
deverá, na sua vez e em ordem determinada, retirar do leque de cartas do
jogador posicionado à sua direita uma das cartas, e assim sucessivamente.
Quando alguém formar um par retira-o do seu leque e o coloca sobre a mesa,
virando com as figuras para cima. Perde o jogo aquele que ficar com o macaco
no final.
O professor poderá trabalhar as figuras desenhadas pelos alunos criando
histórias.

JOGO DAS ADIVINHAÇÕES

OBJETIVO:
 desenvolver a criatividade;
 desenvolver o espírito cooperativo;
 trabalhar a atenção e concentração;
 fixação os conteúdos;
 desenvolver o gosto pela pesquisa.

MATERIAL:
 Papel cartão;
 Lápis de cor;
 Caneta hidrográficas;
 Tesoura;
 Régua;
 Cola.

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE:
Selecionados os conteúdos, deve-se pedir com antecedência que os
alunos pesquisem e guardem o maior número possível de figuras relacionadas
(ciências, história etc.). A classe pode ser dividida em equipes para realização
das tarefas.
Os alunos deverão trazer o material pesquisado e conteúdo estudado.
São preparados cartões, e a quantidade deverá ser definida de acordo com o
conteúdo estudado. Os cartões depois de cortados deverão conter no verso,
gravuras ou desenhos e empilhadas com as figuras para baixo. Cada
participante deverá retirar uma das figuras e, sem que os outros vejam, terá de
responder sim ou não a perguntas, dando assim pistas para que adivinhem qual
o cartão retirado.
Dessa forma cada vez que um participante acerta, toma posse do seu
cartão. O vencedor será o grupo que tiver o maior número de cartões que esses
terminarem.

JOGO ORTOGRÁFICO

OBJETIVOS:
 fixação de conteúdos;
 desenvolver espírito de cooperação;
 trabalhar regras e limites;
 trabalhar o “ganhar” e o “perder”;
 desenvolvimento do raciocínio;
 desenvolvimento da criatividade.

MATERIAL:
 Uma folha e meia de papel cartão por grupo de alunos
 Tesoura
 Cola
 Canetas hidrográficas
 Lápis de cor
 Um dado

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE:
Divide-se a classe em três ou quatro equipes, com a folha inteira de
papel-cartão monta-se o tabuleiro. Esta poderá ser cortada em três ou quatro
partes para facilitar o seu transporte e poder guardar. No tabuleiro será
montados uma trilha com ponto de partida e de chegada. Quanto mais sinuosa
a trilha, mais elementos podem ser colocados, tornando o jogo mais
emocionante. O caminho deve ser dividido em pequenas partes e enumeradas
em ordem crescente. Em diversos pontos do percurso colocam-se obstáculos.
Em um determinado número, por exemplo, 8, pinta-se de uma cor
diferente representando uma ficha. Nesta ficha constará uma tarefa e o aluno
terá que respondê-la, se errar volta casas ou algum castigo determinado pelo
grupo, se acertar avança casas. Ganha o jogo quem chegar ao final primeiro.
Pode-se pedir para que os alunos estudem determinado conteúdo de uma
disciplina e tragam prontas questões para as fichas.
ATIVIDADES: LÚDICAS PSICOMOTORAS

A MÚSICA DOS NOMES

IDADE: A partir de 4 meses.


TEMPO: 30 minutos.
ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou jardim.

OBJETIVOS: Reconhecer o próprio nome e reforçar o vínculo com o educador.


Escolha uma música na qual você possa incluir o nome das crianças. Alguns
exemplos: “Se Eu Fosse um Peixinho”, “A Canoa Virou”, “Ciranda, Cirandinha” e
“Fui ao Itororó”. Reúna a turma em um local agradável e cante. Os bebês
também podem participar, já que a intenção é fazer com que se familiarizem
com os nomes. Aos que já andam, sugira uma roda, que vai se formando com
aqueles que ouvem o próprio nome.

HORA DA COLHEITA

IDADE: A partir de 3 anos.


TEMPO: Uma hora.
ESPAÇO: Sala de atividades.

JOGOS: CONSTRUÇÃO – PIAGET

MATERIAL: Cartolina ou papel cartão, argila, tinta, dado com um lado de cada
cor, miniatura de um passarinho (de plástico ou origami) e vasilhas ou cestinhos
coloridos.

OBJETIVOS: Integrar-se ao grupo e colaborar com os colegas.


PREPARAÇÃO: Cole uma gravura ou desenhe uma árvore cheia de galhos do
tamanho de uma cartolina para servir de tabuleiro. Faça frutinhas de argila, deixe
secar e pinte-as com as mesmas cores do dado que será usado no jogo. Em
uma das faces dele, desenhe um passarinho. Confeccione também cestinhas de
origami ou arrume vasilhas com as mesmas cores do dado e providencie um
brinquedo em forma de passarinho. Coloque o tabuleiro sobre uma mesa e
espalhe as frutinhas pelos galhos. O passarinho deve ficar solto. Em volta do
tabuleiro, espalhe as cestinhas coloridas. Jogo para quatro crianças.
Uma criança por vez lança o dado, retira da árvore a fruta da mesma cor
indicada pelo dado e coloca-a na cestinha, também da mesma tonalidade. Se o
dado cair com a face que traz o passarinho, é ele quem fica com a fruta. O
objetivo é colher todas antes que o passarinho coma elas.

TEATRO DE BONECOS

IDADE: A partir de 1 ano e meio.


TEMPO: 30 minutos.
ESPAÇO: Sala de atividades, pátio ou biblioteca.
MATERIAL: Fantoches ou dedoches.

OBJETIVO: Conhecer a rotina da escola enquanto conversa com os


personagens.
Sente-se com as crianças no chão e faça os bonecos “conversarem” com cada
uma. Você pode fazer perguntas como:
- Quem trouxe você para a escola hoje?
- Você tem amigos? Quem são?
- Você já brincou no parque?
- Você já tomou lanche?
MAMÃE TEM CARTINHA PRA VOCÊ

IDADE: A partir de 2 anos.


TEMPO: Uma hora.
ESPAÇO: Sala de atividades.
MATERIAL: Canetas hidrográficas, papel e envelopes.

OBJETIVOS: Tranquilizar-se quanto aos sentimentos de adaptação (exemplo:


tristeza) e compartilhar com os pais as atividades escolares.
Distribua uma folha de papel e canetas hidrográficas para cada criança e
peça que faça uma cartinha aos pais. Quando todas terminarem os desenhos,
chame uma por uma e pergunte a quem a mensagem é endereçada e o que ela
deseja comunicar. Escreva o que a criança disser na mesma folha usada por ela.
É importante perguntar se ela quer entregar a carta à pessoa apontada. Em caso
positivo, coloque-a em um envelope e oriente a criança a entregá-la ao chegar
em casa. Caso contrário, guarde o desenho com as demais atividades

(AGRESSIVIDADE) LIBERANDO AS ENERGIAS

Mordidas, tapas, puxões de cabelo... Até os 3 anos de idade, é comum a


criança expressar seus desejos e frustrações com atitudes que não são lá muito
delicadas. Cabe ao adulto mostrar que há outras formas de se relacionar com o
mundo. Oferecer às crianças um ambiente tranquilo e acolhedor é o primeiro
passo para diminuir a agressividade natural nessa fase: quanto maior o bem-
estar, menor a necessidade de se expressar agressivamente.

CUIDADO COM A BONECA

IDADE: De 1 a 3 anos.
TEMPO: 30 minutos.
ESPAÇO: Sala de atividades.
MATERIAL: Bonecas, roupinhas de boneca, retalhos de tecido, mamadeiras e
chupetas.

OBJETIVOS: Brincar de faz de conta durante o jogo simbólico; tocar o colega; e


ter um bom relacionamento com o grupo.
Esta brincadeira é para meninos e meninas, pois tem o objetivo de
desenvolver o relacionamento interpessoal, promovendo atitudes de cuidado e
carinho com o outro –necessidades que são comuns a todos,
independentemente do sexo. Isso vai se dar no faz de conta, momento que a
criança aprende sobre as interações sociais. Por isso, é importante ter seu
espaço garantido e valorizado na rotina. Proponha que cada um pegue uma
boneca e cuide dela como se fosse sua filha. Os pequenos devem dar banho,
trocar fralda e fazer carinho.