Saúde do Idoso – Professora: Cláudia Cordeiro Munhoz – UNIMAR-2008/2º

OSTEOPOROSE

1- SISTEMA ÓSSEO. Os ossos, as articulações e os músculos são os principais componentes do aparelho musculoesquelético. Os ossos são presos uns aos outros nas articulações para facilitar o movimento das várias partes do corpo. No idoso, torna-se mais lento de forma generalizada o crescimento do osso novo e há um aumento na reabsorção óssea, causando o enfraquecimento ósseo. A perda de célula muscular e as alterações articulares contribuem para as alterações musculoesquelética associadas á idade. As alterações ósseas, musculares e articulares aumentam o risco de o idoso ter distúrbios musculoesqueléticos, como osteoartrite e artrite. O osso é composto de tecido conjuntivo denso, duro e levemente elástico. Dentro do osso está uma rede intrincada de vasos sanguíneos, vasos linfáticos e nervos. Os osteoblastos são células localizadas dentro do osso que mantêm ou compõem o osso. As células funcionam em partes para recuperar o osso após uma fratura. Os osteoclastos são as células responsáveis pela decomposição e pela reabsorção do osso. A formação óssea e a reabsorção óssea são processos contínuos que ocorrem ao longo de toda a vida. Um osteoócito é a principal célula óssea madura que regula a concentração de cálcio nos líquidos corporais ajudando a liberar cálcio do tecido ósseo no sangue. O esqueleto é composto de 214 ossos e forma a estrutura do corpo. Os ossos funcionam para sustentação, armazenamento de cálcio e produção de células sanguíneas. Até a idade de 35 a 40 anos, mais ossos são produzidos do que destruídos. Por volta de 35 a 40 anos, a atividade dos osteoblastos diminui, ao passo que a atividade dos osteoclastos aumenta. A perda do osso trabecular (esponjoso) excede a perda do osso cortical (compacto). Em média, aos oitenta anos, o homem perdeu aproximadamente 27% do osso trabecular. As mulheres perdem 43% de seu osso trabecular ao chegarem à idade de 90 anos. O estrogênio, hormônio produzido pelas mulheres em seus anos de
Saúde do Idoso – Professora: Cláudia Cordeiro Munhoz – UNIMAR-2008/2º

As articulações sinoviais livremente móveis como as articulações dos joelhos. quando a produção de estrogênio cessa. Essas fibras musculares não são substituídas. As bolsas tornam o movimento mais fácil e diminuem a fricção ao redor das articulações. A fibrocartilagem dos discos perde água e torna-se mais seca e mais fina. A cartilagem é um tipo especial de tecido conjuntivo que ajuda no movimento da articulação. Saúde do Idoso – Professora: Cláudia Cordeiro Munhoz – UNIMAR-2008/2º . Os músculos tornam-se finos e flácidos. A perda óssea coloca o idoso sob maior risco de fraturas. o que causa a compressão das vértebras e a diminuição da altura. resultando em fraqueza. Aos 80 anos. parece proteger as mulheres contra a perda óssea. Essas alterações na postura e na altura são resultados de alterações dentro dos discos vertebrais. aproximadamente 50% da massa muscular máxima se perde. resultando em aumento e alongamento do nariz e das orelhas. As fibras musculares diminuem com a idade causando uma perda da massa corporal. A cartilagem em certas áreas do corpo continua a crescer. o que enfraquece o osso. Essas alterações resultam numa menor amplitude de movimento das articulações afetadas. As bolsas são bolsas sinoviais repletas de líquido localizadas em vários pontos ao redor das articulações. A atividade física regular pode ajudar a combater o desgaste muscular. O tecido muscular é substituído pela gordura. particularmente a cartilagem do nariz e das orelhas. há uma diminuição no líquido sinovial e a cartilagem nas articulações tornam-se mais fina. A altura diminui com a idade e a postura torna-se um tanto curvada. Com a idade. Esta acelera-se após a menopausa.reprodução. particularmente os músculos dos braços e das pernas. Com a idade. A reabsorção óssea faz o osso perder cálcio e ter uma menor capacidade de produzir material para a matriz óssea (o osso intracelular). dos pulsos e dos cotovelos e dos quadris. Os ligamentos podem ficar mais curtos e menos flexíveis. são as mais afetadas pelo envelhecimento. as alterações nas bolsas aumentam o risco de a inflamação causar bursite.

Após essa idade. quebradiços e frágeis. perde-se a cada ano um pouco mais do osso do que é reposto. enquanto o osso antigo é reabsorvido por osteoclastos. .à medida que a massa óssea diminui. . As duas fraturas mais comuns que acorrem em conseqüência da osteoporose são fraturas de quadril e fraturas vertebrais.Ser mulher .. há um maior risco de fraturas. Saúde do Idoso – Professora: Cláudia Cordeiro Munhoz – UNIMAR-2008/2º .2-OSTEOPOROSE 2.Peso abaixo do normal.Fumo. Os osteoblastos formam osso novo. 2.3-FISIOPATOLOGIA Para a maioria das pessoas a massa óssea atinge o ponto culminante aos 35 anos. age para impedir a reabsorção óssea. contribuindo para o problema da reabsorção óssea. A produção desse hormônio diminui com o envelhecimento. 2. .Menopausa antes dos 45 ano. fazendo os ossos ficarem porosos.Baixa ingestão de cálcio ao longo da vida. especialmente com remoção cirúrgica dos dois ovários.Alta ingestão de álcool. decorrente do processo de envelhecimento. A calcitocina hormônio produzido pela glândula tireóide.2-FATORES DE RISCO .Falta de exercício físico. Alguns cientistas afirmam que a osteoporose pode ocorrer devido essas alterações entre osteoblastos e osteoclastos. .1-DEFINIÇÃO A osteoporose é uma perda progressiva da massa óssea e uma deterioração do tecido esquelético. .

Às vezes. 2.5-SINAIS E SINTOMAS Os sinais e sintomas de osteoporose abrangem vários graus de dor ou moleza óssea. 2. ou densitometria óssea. nenhum sintoma é identificado e a pessoa fica sabendo da osteoporose quando a fratura ocorre. Mede a densidade óssea com um alto grau de precisão usando apenas uma pequena quantidade de radiação. Analgésicos aliviam a dor espontânea e a palpação. o hormônio paratireóide produzido pela glândula paratireóide. Embora os homens percam massa óssea numa idade posterior á das mulheres. Essa produção aumentada do hormônio paratireóide também é um fator adicional que contribui para o aumento da reabsorção óssea. 2. funciona para aumentar a reabsorção óssea e sua produção é aumentada com o envelhecimento. Também pode ocorrer desconforto ou dor na parte inferior das costas. é o método preferido para o diagnóstico da osteoporose. os níveis de estrogênio começam a declinar.Outro hormônio. Essa falta de absorção de cálcio aumenta a necessidade de cálcio alimentar nos idosos. 1 a cada 3 homens com 75 anos ou mais tem osteoporose.4-DIAGNÓSTICO O exame radiográfico para densidade óssea. quando a diminuição dos níveis de estrogênio tem maior impacto. o estrogênio inibi a reabsorção óssea e ajuda o corpo absorver o cálcio. No final dos 30 ou no começo dos 40 anos.6-TRATAMENTO A osteoporose não é curável. um mineral essencial para o fortalecimento ósseo. O tratamento de reposição de estrogênio pode ser prescrito para mulheres que estejam na pós–menopausa Saúde do Idoso – Professora: Cláudia Cordeiro Munhoz – UNIMAR-2008/2º . A perda óssea aumenta nos primeiros anos da menopausa. O tratamento visa retardar o ritmo de reabsorção óssea. resultando em mais reabsorção óssea. Nas mulheres. mas é controlável e evitável. Suplementos de cálcio podem ser prescritos para suplementar a ingestão de cálcio alimentar. Os idosos absorvem o cálcio com menos eficiência do que os adultos mais jovens.

aumentando o risco de cair e fraturar ossos. . . a vitamina D e o fósforo são nutrientes importantes para formar um osso forte ( adultos = 1000 a 1500 mg/dia .Exercitar-se regularmente = Ajudam a manter a massa óssea. mulheres idosas =1.Aumentar a ingestão de cálcio = O cálcio.Limitar a ingestão de álcool = Indivíduos que bebem muito têm menos massa óssea e perdem osso mais rapidamente do que os que não bebem.8-ESCALA DE RISCO DE QUEDAS (J.Não fumar = Fumar diminui a massa óssea e abaixa os níveis de estrogênio nas mulheres.para ajudar a evitar a perda óssea A osteoporose não é uma conseqüência inevitável do envelhecimento.H. Beber aumenta o risco de embriaguez. Medidas preventivas incorporadas ao estilo de vida podem diminuir o risco de ter osteoporose. 1993) Quedas anteriores: Medicamentos Não / sim* Nenhum Tranqüilizantes-sedativos* Diuréticos* Hipotensores* Antiparkinsonianos* Antidepressivos* Outros medicamentos Nenhum Alterações visuais* Alterações Auditivas* Nos membros* Orientado Confuso* Déficit visual Estado mental .7-MEDIDAS PREVENTIVAS .DOWTON.500 mg/dia ) . 2. 2.

. Volume da série Guia Pratico de Enfermagem.Rio de Janeiro: Madri. ROACH.2003. RUIPÉREZ. Introdução à Enfermagem Gerontológica.Rio de Janeiro: Guanabara. P. OBS: Três ou mais pontos indicam risco elevado de quedas. com ajuda Insegura com / sem ajudas* impossível OBS:Somar um ponto por cada item com asterisco. Cuidando do idoso.Rio de Janeiro: Guanabara. 2002.Marcha Normal Segura. Geriatria. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: BRUNNER &SUDARTH: Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgica. S. 9º. LLORENTE. Guia Prático de Enfermagem. 2000. I.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful