Você está na página 1de 37

RITUAL

DO APRENDIZ
REAA


GRANDE ORIENTE UNIVERSAL PARA O BRASIL
SESSÃO ORDINÁRIA


Í N D I C E

Certificado ............................................................................................................................................07
Pálio.......................................................................................................................................................10
Entrada das Bandeiras e Estandartes....................................................................................................11
Cargos em Loja......................................................................................................................................12
Leitura do Balaustre..............................................................................................................................18
Leitura do Expediente............................................................................................................................19
Tempo de Recreação.............................................................................................................................20
Telhamento/ Tempo de Estudos...........................................................................................................21
Reflexão.................................................................................................................................................22
Palavra nas Colunas...............................................................................................................................25
Fechamento dos Trabalhos...................................................................................................................26













PROFESSOR MESTRE RHADAMES








RITUAL DO APRENDIZ MAÇOM
SESSÃO ORDINÁRIA
RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO



1ª. Edição



B R A S I L
EDIÇÃO DO AUTOR
2 0 1 2


GRANDE ORIENTE UNIVERSAL PARA O BRASIL








GOU/BR





RITual do GRAU DE APRENDIZ maçom
SESSÃO ORDINÁRIA
2012 Edição do Autor
Editor: (independente)
Produção, Revisão e Capa: Anartes São Paulo
Direitos Autorais: Professor Rhadames


______________________________________________________
Ficha Catalográfica
RHADAMES,Professor .
Ritual do grau de APRENDIZ MAÇOM SESSÃO
ORDINÁRIA / Professor Rhadames. BRASIL, Ed.
Autor/2012.
1.Maçonaria. 2. Ritual. 3. Aprendiz. I-Título
___________________________________________________________________________

Proibida a reprodução total ou parcial desta obra de qualquer forma ou de
qualquer meio eletrônico, mecânico, inclusive por meio de processos
xerográficos, incluindo ainda o uso da internet, sem a permissão expressa do
Professor Rhadames, na pessoa do seu editor (Lei 9.610, de 19-2-98) Todos os
direitos desta edição, em língua portuguesa, reservados pelo Editor. Proibida a
tradução sem autorização.
À G  D  G  A  D  U 


GRANDE ORIENTE UNIVERSAL


PARA O BRASIL

GOUB






RITUAL DO GRAU DE APRENDIZ MAÇOM

RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO



Aprovado pela Grande Secretaria de Ritualística e elaborado conforme os Regulamentos do Supremo
Conselho do Grau 33º. Rito Escocês Antigo e Aceito - REAA.




EXEMPLAR №










BRASIL
EDIÇÃO DE 2012






CERTIFICADO DE AUTENTICIDADE

CERTIFICAMOS, que este Ritual é autentico, elaborado conforme as normas do Supremo Conselho do
Rito Escocês Antigo e Aceito para a República Federativa do Brasil. E que está registrado no Cartório
Maçônico do Grande Oriente Universal para o Brasil – GOU/BR, sob o
número______________________na data de ___/___/____ Livro 1-A.

Pertence ao GOU/BR e está emprestado sob concessão ao Ir.’.
_____________________________________________________________________________
Portador da Cédula de Identidade Maçônica nº _______________, INICIADO no
Grau Um Aprendiz Maçom – Rito Escocês Antigo e Aceito , em ______/____/_____.

Eminente Grão-Mestre Geral
________________________
Grau 33º.

Grande Secretário Geral
____________________
M.’.I.’.

Conferir a autenticidade através da Grande Secretaria

Impresso na Gráfica da GOU/BR


GRANDE ORIENTE UNIVERSAL PARA O BRASIL


RITUAL DO APRENDIZ MAÇOM
SESSÃO ORDINÁRIA
RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO
(Uso Exclusivo em Loja Sessão Ordinária)[1]

ABERTURA DA LOJA (SESSÃO ORDINÁRIA OU ECONÔMICA)

Entrada em Loja: A critério do V.’.M.’. será feito “em cortejo”[2] ou “em
família”[3]

(Mestre de Cerimônias: Após perguntar ao Venerável Mestre se a entrada será
em cortejo ou em família, posta-se no atrium, próximo a porta principal e –
mediante o toque de um sino, uma campainha ou um sinal sonoro que chame a
atenção de todos, anuncia o início dos trabalhos e a forma de entrada.)

Mestre de Cerimônias: Atenção todos os irmãos presentes a esta reunião,


os trabalhos serão abertos em breve, convido a todos que se apresentem a porta
deste templo e formem o cortejo (ou entrem em família) permanecendo todos em
silêncio.

(Mestre de Cerimônias, quando todos estiverem prontos, bate na porta com a
bateria do grau e recebe a resposta com a mesma bateria, feita pelo Guarda
Cobridor Interno que já estará dentro da Loja acompanhando do Mestre de
Harmonia)

(Ainda que entrem em família, o Venerável Mestre é o último a adentrar na Loja
e todos que o antecedem ficam em pé nos seus respectivos lugares)

ABERTURA DA LOJA

-V  M  em pé, chapéu na cabeça, bateria do grau e diz:
Irmãos ajudem-me a abrir está Loja em Grau de Aprendiz Maçom[4]

V  M  -Irmão (chama pelo nome) brinde-nos com



uma Oração, em nome do GADU.
(Nesse momento o Venerável descobre-se)

(Irmão Escolhido): Em nome do Grande Arquiteto do Universo (faz uma oração)
que assim seja.

(Todos: que assim seja!)

-V  M  - (recoloca o chapéu) Irmão Primeiro Vigilante, qual é o
primeiro dever de um maçom em Loja?[5]

-P  V  - Ver se a Loja está coberta Venerável


Mestre.

-V  M  - Primeiro Vigilante, façamos o nosso dever.

P  V  - Irmão Guarda Cobridor Interno verifique


se a loja está coberta.



(O Ir.’.Guarda Cobridor Interno, que é o Guarda do Templo, armado com sua
espada, deve ir até o limite do templo para verificar se ha profanos; dirige-se
para a porta[6] e bate três pancadas iguais com o punho da sua espada, se não há
alguém e se a Loja estiver protegida, o Ir.’. Guarda Cobridor Externo responde
com três pancadas iguais)

(Irmão Guarda Cobridor Interno, retorna para a sua posição e então diz, em voz
alta)

Guarda Cobridor Interno – Venerável Mestre a Loja está coberta e
convido o Irmão Guarda Cobridor Externo para que adentre a nossos trabalhos
se assim o nosso Venerável Mestre o consentir.

-V  M  - Ir.’. Guarda Cobridor Interno, consinto



que o Irmão Guarda Cobridor Externo adentre aos trabalhos, buscai-o
para que tome posição dentro desta Oficina.

-V  M  – Ir.’,. Segundo Vigilante qual é o nosso



segundo dever em Loja?

-S  V  – Assegurar se todos os Irmãos presentes são maçons, Venerável


Mestre.

- V  M  Quereis vos assegurar disso, Irmãos



Primeiro e Segundo Vigilantes?

P  V  Sim, Venerável Mestre. Atenção à Loja,


todos em Pé.

O Primeiro e o Segundo Vigilantes, percorrem[7] suas Colunas (deixam seus
lugares, com o malhete na mão direita apoiado sobre o peito esquerdo e se
posicionam no centro da coluna de modo que o Primeiro Vigilante possa ver a
Coluna do Sul e o Segundo Vigilante possa ver a Coluna do Norte)

(Segundo Vigilante: Determina para a Coluna do Norte “à Ordem” e observa
todos os Irmãos à ordem do grau, logo em seguida “pelo sinal”. (Verifica se
todos fizeram o sinal corretamente). Determina que todos fiquem de costas para
o Sul.[8]

-S  V  - Atenção os irmãos que ornamentam a Coluna do Norte, em Pé e
a Ordem. Pelo Sinal!

( Primeiro Vigilante: Determina para a Coluna do Sul à Ordem no Grau de
Aprendiz e observa todos os Irmãos à ordem do grau e após dá o comando – pelo
Sinal - (verifica se todos fizeram o sinal corretamente). Determina que os
Companheiros fiquem de frente para o Ocidente e que os Mestres fiquem a
Ordem no Grau de Mestre e observa se todos estão corretos, pelo Sinal.)

P  V  - Atenção os irmãos que ornamentam a



Coluna do Sul, em Pé e a Ordem. Pelo Sinal!

(Durante a verificação, os irmãos que ficarem de Pé e a Ordem de forma
incorreta e que forem do quadro da Loja serão corrigidos pelo respectivo
Vigilante que deu a ordem; demais participantes que cometerem erros de
identificação, caso não sejam conhecidos da Loja, deverão ser retirados para a
Atrium a fim de nova identificação e telhamento se for necessário)

(Ao Final da verificação, os Vigilantes respondem:)

-P  V  – Todos os Irmãos da Coluna Sul são



maçons (faz o sinal de afirmação com o braço direito esticado e o
malhete horizontal ao solo.)

-S  V  – Todos os Irmãos da Coluna Norte são maçons (faz o sinal de


afirmação com o braço direito esticado e o malhete horizontal ao solo.)

-P  V  – Venerável Mestre Tudo está J.’. e P.’. em



Ambas as Colunas do Templo.

-V  M  - Irmão Segundo Vigilante, a que horas se

iniciam os trabalhos dos Apr.’. em oficina?

-S  V  - a.’. m,’, d.’. e.’. p.’. V.’.M .’.


-V  M  - Já temos o horário?

-S  V  - Sim, Venerável Mestre.


-V  M  - Irmão Primeiro Vigilante, quantos anos


tens?

-P  V  - t.’. a.’. C.’. Venerável Mestre.



FORMAÇÃO DO PALIO PARA ABERTURA DO LIVRO DA LEI

-V  M  - Irmão Mestre de Cerimônia, podeis



coordenar a formação do pálio para abertura do Livro da Lei.

V  M  – Todos os Irmãos, em pé.

(Venerável descobre-se)

-Mestre de Cerimônias - Sim Venerável Mestre, assim eu o farei. Irmãos
Guarda Cobridor Interno e Cobridor Externo peço que acompanhes o nosso
M.’.C.’. em direção ao CENTRO DA LOJA para a abertura do Livro da Lei.

(Ambos os guardas, de arma em punho, dirigem-se ao CENTRO DA LOJA,
ficam frente a frente, cruzam as armas e aguardam que o M.’.C.’.)

(O M.’.C,’,, adentra ao CENTRO DA LOJA, ajoelha-se com o joelho esquerdo,
levanta-se e segura o Livro da Lei, e lê o Salmo 131)

A excelência do amor fraternal
Cântico dos degraus, de Davi

1 Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!

2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de
Arão, que desceu sobre a gola das suas vestes;

3 como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o
Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre. Que Assim Seja!

(todos respondem Que Assim Seja!)
(todos permanecem em pé)


(O M.’.C.’., em pé, segurando o Livro da Lei aberto no Salmo 133 coloca-o
sobre o altar e sobre ele dispõe o Compasso e o Esquadro conforme prescreve o
grau em que a Loja está aberta)

- V  M  - SALMOS 133

-V  M  – Irmão Mestre de Cerimônias, procedei a



correta instalação do Painel do Grau.

- Mestre de Cerimônias – Assim será feito Venerável Mestre. (O


Mestre de Cerimônias se desloca até o centro da Loja onde está o
painel do Grau e o descobre, mantendo-o no seu lugar; retorna ao seu
assento e informa ao Venerável Mestre)

- Mestre de Cerimônias – Venerável Mestre suas ordens foram


cumpridas, o Painel do Grau está descoberto.

-V  M  – A mim meus irmãos, À glória do Grande



Arquiteto do Universo e em nome de Santíssima Trindade, nosso
templo está coberto, todos os presentes são maçons, temos o horário e
a idade, tudo está justo e perfeito em ambas as Colunas do Templo, eu
declaro esta Loja aberta no Gr.’. de apr.’. Não é permitido falar nem
passar de uma Coluna para outra sem ter obtido a permissão do
Vigilante de sua Coluna. A mim, meus Irmãos! Pelo sinal..., pela
bateria (!) (!) (!), pela saudação: H.’.H.’.H.’. ! (3 vezes consecutivas)

(Nesse momento as Luzes são acessas, uma no altar do Venerável Mestre e uma
em cada mesa dos Vigilantes)


ENTRADA DAS BANDEIRAS E DO ESTANDARTE (Segundo a vontade do
V.’.M.’. a cerimônia da entrada das bandeiras poderá ser suprimida desde que as
flâmulas nacionais e internacionais obrigatórias e estandartes já se encontrem no
local de destaque.)

(Caso não haja a entrada das bandeiras, o ritual segue com a apresentação dos
cargos em Loja pag.7)

-V  M  - Irmãos Porta Bandeiras e Porta



Estandarte, queiram tomar suas posições em busca das respeitosas
flâmulas.

(Os irmãos referidos levantam-se e deixam suas posições, caminham em direção
ao atrium onde se encontram as flâmulas, empunha-as e aguardam no limiar da
porta do Templo a Ordem do Irmão Mestre de Cerimônias para que entrem em
marcha cadenciada[9])

- Mestre de Cerimônias – Irmãos que fazem parte da escolta das flâmulas,
avante em marcha cadenciada. Irmão Mestre de Cerimônia, providenciar a
execução do Hino da Bandeira. Os demais irmãos todos em Pé.

(O Irmão Mestre de Harmonia executa o Hino da Bandeira até o final. Os
presentes acompanham em pé e não cantam a letra do hino.)

(Os irmãos da escolta adentram ao templo, na frente a Bandeira do Brasil,
seguida pela Bandeira do Estado e pelo Estandarte da Loja; se houver a Bandeira
do GOU/BR, essa entrará na frente ou poderá ser transportada pelo mesmo
Irmão Porta Estandarte, isso caso não exista um Segundo Porta Estandarte.)

(As Bandeiras e os Estandartes são depositados em posição de destaque no
Oriente ou próximo a ele)

(Ao final do Hino da Bandeira do Brasil o Venerável Mestre coordena para que
todos façam pelo Sinal e permaneçam em pé para a execução do Hino Nacional
Brasileiro; o Hino Brasileiro será executado apenas na primeira parte)

-V  M  – Atenção Irmãos, pela Ordem e pelo


Sinal.

(Após a execução de ambos os hinos o V.’.M.’. coordenará para que todos
sentem)

- V  M  - Atenção Irmãos, podem sentar.





___________________________FIM DA ABERTURA DA
LOJA_______________

CARGOS EM LOJA

-V  M  – Sentemo-nos todos. (O Venerável cobre-
se)

-V  M  - Atenção todos os obreiros com função



em Loja, exponham suas obrigações.

(Deste ato em diante, todos os obreiros com função em Loja, devem expor seus
cargos, suas obrigações e a jóia que usam, como segue)

(Cada um aguarda que o VM o chame pela função e fica em pé e a ordem)

PRIMEIRO VIGILANTE (levanta-se em Pé e a Ordem, com o malhete e pronuncia a sentença abaixo, ao
final faz a reverência com a cabeça e senta-se; o Segundo Vigilante toma a mesma postura)

Primeiro vice-presidente da loja, representa Hiram rei de Tiro, não a pessoa física.
Governa durante as horas de trabalho de uma loja maçônica.
A sua coluna é a Dórica, que representa a força, quando está trabalhando ela esta levantada, quando esta em
descanso a coluna esta abaixada.
É a segunda ponta do triângulo com o vértice para cima.

A Jóia do primeiro vigilante, é o nível, símbolo da igualdade.

SEGUNDO VIGILANTE
Segundo vice-presidente da loja, representa Hiram Abif, não a pessoa física.
Governa quando os trabalhos estão suspensos ou em recreação.
Sua coluna é a Coríntia, representa a beleza, quando os trabalhos estão suspensos ou em recreação, ela está
levantada, quando em trabalho, ela esta abaixada.
É a terceira e última ponta do triângulo com o vértice para cima.

A Jóia do segundo vigilante, é o prumo, símbolo da retidão.


ORADOR
Ou Guarda da Lei, só pode apresentar as suas conclusões, baseadas nas proposições dos outros irmãos, não
pode emitir opinião própria, participando de debates.
É a primeira ponta do triângulo com o vértice para baixo.
A Jóia do orador, é o livro aberto sobre fundo radiante, sendo o livro para a consulta dos irmãos e, a

irradiação, a luz dos sábios ensinamentos.


SECRETÁRIO
Responsável pelos escritos da Loja, devendo lançar nos livros a verdade.
É a segunda ponta do triângulo com o vértice para baixo.
A Jóia do secretário, são duas penas cruzadas, representando a escrita fiel.


GUARDA DO TEMPLO
Ou cobridor, na maçonaria operativa, quando um edifício em construção chegava ao seu final, cobria-se por
telhas, por analogia, quando se fecha a porta do templo, ele está coberto.É a terceira e última ponta do
triângulo com o vértice para baixo. O venerável e os vigilantes formam o primeiro triângulo com o vértice
para cima, o orador secretário e guarda do templo, formam o segundo triângulo com o vértice para baixo,
quando sobre postos, forma o Hexágono, estrela de seis pontas ou Selo de Salomão.
O guarda do templo, é o zelador de nossos pensamentos,

A Jóia do guarda do templo, são duas espadas cruzadas.

MESTRE DE CERIMÔNIAS
Representa o ponto dentro do Selo de Salomão.
É o encarregado da ritualística e do protocolo, conduzindo o bastão patriarcal.

A Jóia do mestre de cerimônias, é a régua, símbolo da ordem.

(OBSERVAÇÃO: As cinco dignidades da Loja, formam o pentágono, estrela de cinco pontas, representando
o homem. A parte de cima , a cabeça é o venerável, as partes debaixo, os pés, representados pelos
vigilantes, e as pontas intermediárias, os braços, representados pelo orador e secretário.)

EXPERTOS
Substitutos dos vigilantes, do Latim: expertus = sabedor , perito.
Condutores e guias nas iniciações, sua missão é encorajar o iniciando a vencer os obstáculos. A Jóia do

experto, é o punhal, para defesa.

PRIMEIRO DIÁCONO
Do Grego: Diakonos = servidor.
É o mensageiro do venerável mestre.
A Jóia do primeiro diácono, é uma pomba dentro de um triângulo. A pomba a mensageira da paz, a
representação da divindade.

SEGUNDO DIÁCONO
Mensageiro do primeiro vigilante, responsável pela ordem no ocidente.

A Jóia do segundo diácono, é a pomba livre.


TESOUREIRO
Guarda e administra os valores da loja.
Zela para que a loja não se torne pobre, e perca seus valores esotéricos.

A Jóia do tesoureiro, é a chave, que dá acesso aos tesouros.

CHANCELER
Guarda o selo, para poder imprimi-lo nos documentos da Loja.
Responsável pelo cadastro dos obreiros e verificação da freqüência, entrega do Certificado de Presença aos
obreiros e visitantes. A Jóia do chanceler, é a chancela.



HOSPITALEIRO
Irmão caridoso. Do Latim: Hospitalarius = que dá hospedagem por caridade.
Encarregado da assistência aos irmãos e necessitados.
A Jóia do hospitaleiro, é a bolsa, ou a trolha (colher de pedreiro) símbolo da solidariedade humana.

ARQUITETO
Responsável pela conservação dos utensílios e ornamentação da Loja.
A Jóia do arquiteto, é o maço e o cinzel,ou somente o cinzel, símbolos da força dirigida, para desbastar as

imperfeições.

MESTRE DE BANQUETES
Encarregado da organização dos ágapes fraternais.
A Jóia do mestre de banquetes, é a cornucópia, símbolo da fartura, também pode ser a Taça cheia, símbolo
da abundância. De acordo com a “fábula”, supõe-se que o corno tenha sido arrancado da cabeça de
“Aquelus”, quando, foi transformado em touro, tendo sido vencido por Hércules.

PORTA ESTANDARTE
Responsável pela condução do estandarte da Loja em todas as cerimônias.

A Jóia do porta estandarte, é um estandarte, que representa a bandeira da loja.

SEGUNDO PORTA-ESTANDARTE
Funções idênticas do Primeiro, o substitui nas ausências e o auxilia quando há mais de um estandarte para

ser conduzido. Mesma Jóia.

PORTA ESPADAS
Responsável, pela guarda e manutenção das espadas da Loja.

A Jóia do porta espadas, é uma espada, símbolo da força.



BIBLIOTECÁRIO
Responsável pela parte cultural da Loja e, pelos livros de registros.
Simboliza a luz interior.

A Jóia do bibliotecário, é um livro com a pena.

MESTRE DE HARMONIA
Encarregado da harmonia musical e, dos efeitos sonoros durante as iniciações. Procurando sempre aumentar
as vibrações magnéticas através da música.

A Jóia do mestre de harmonia, é uma lira, símbolo universal da música.

COBRIDOR EXTERNO
Possui as mesmas funções do guarda do templo, é o guarda contra os maus pensamentos que podem querer
invadir a Loja.
A Jóia do cobridor externo, é um alfange, para proteção contra aproximação dos indiscretos e curiosos.




VENERÁVEL

Presidente da loja, representa o Rei Salomão ou Sol Oman (o homem sábio), não a pessoa física. Governa
durante todas as horas de uma loja maçônica, inclusive fora do horário da Oficina. A sua Coluna é a Jônica
que representa a Sabedoria. É a primeira ponta do triângulo com o vértice para cima. A Jóia do Venerável é
o Esquadro ou o Compasso aberto por sobre o Esquadro.

- V  M  – Irmão Primeiro Diácono, qual é o



vosso lugar em Loja?

-Diac.’. – À direita do Venerável Mestre , se ele o permitir.


-V  M  – Qual o vosso dever, nesse lugar?




-Diác.’. – Transmitir as ordens do Venerável Mestre ao Primeiro Vigilante
e ver se os Irmãos se mantém convenientemente nas Colunas.

- V  M  - Irmão Segundo Diácono, qual é o vosso



lugar em Loja?

-Segundo Diac.’. – À direita do Primeiro Vigilante.

-V  M  – Qual o vosso dever, nesse lugar?




-Segundo Diac.’. – Transmitir as ordens Primeiro Vigilante ao Segundo
Vigilante e ver se os Irmãos se mantém convenientemente nas Colunas.

- V  M  – Irmão Segundo Vigilante onde é o



vosso lugar em Loja?

-S  V  – Ao Sul Venerável Mestre.


-V  M  – Para que, Irmão Segundo Vigilante ?



-S  V  – Para melhor observar o Sol em seu meridiano, chamar os


obreiros do trabalho à recreação, chamá-los de volta da recreação ao trabalho, a
fim de que ao Venerável Mestre resulte honra e proveito.

-V  M  – Irmão Primeiro Vigilante onde se



coloca o Venerável Mestre ?

-P  V  – No leste que é o Oriente da Loja.


-V  M  – Para que, meu Irmão?


- P  V  – Como o Sol se eleva no leste para iniciar



o dia, da mesma forma o Venerável Mestre aí se coloca para abrir a
Loja, dirigi-la nos seus trabalhos e iluminá-la com suas Luzes.

(O Venerável Mestre descobre-se e vira-se em seguida para o Diácono. Fazem
mutuamente o sinal gutural O Venerável Mestre pronuncia em voz baixa no
ouvido do Diácono a palavra sagrada e volta a cobrir-se. O Diácono a conduz ao
Primeiro Vigilante e volta para seu lugar. O Primeiro Vigilante a conduz ao
Irmão Segundo Diácono que a conduz Segundo Vigilante O Segundo Vigilante,
após tê-la recebido, bate uma pancada e aguarda.)

-S  V  – Venerável Mestre a Palavra está Justa e Perfeita, portanto


devolvo-a ao Oriente. Segundo-Diácono aproxime-se!

(O Segundo Diácono aproxima-se do Segundo Vigilante que por sua vez devolve
a palavra ao ouvido esquerdo daquele)

(O Segundo Diácono desloca-se até o Primeiro Vigilante e devolve a palavra ao
ouvido esquerdo daquele)

(O Primeiro Vigilante solicita a presença do Primeiro Diácono que por sua vez se
desloca até o altar da Coluna do Norte e recebe a palavra)

- P  V  – Irmão Primeiro Diácono, solicito a vossa



presença nesta Coluna para que conduza a Palavra de volta ao seu
local de origem.

(O Primeiro Diácono vai e retorna com a Palavra e a entrega ao Venerável
Mestre)

- Primeiro Diácono - Venerável Mestre eis aqui de volta a Palavra para


que permaneça em vosso poder neste Oriente.

- V  M  – Recebo a Palavra, confiro e declaro que



tudo está em ordem neste Oriente e que Assim Seja!

LEITURA DO BALAUSTRE

-V  M  – Irmão Secretário, queira nos fazer a



leitura dos trabalhos da última sessão. (!) Irmãos Primeiro e Segundo
Vigilante convidai os Irmãos que ornamentam vossas Colunas para se
manterem em ordem e em silêncio para ouvirem a leitura dos últimos
trabalhos.

-S  V  – Irmãos que ornamentam minha Coluna, o Venerável Mestre


vos convida para ouvirem em ordem e em silêncio a leitura dos últimos
trabalhos.

-P  V  – Irmãos que ornamentam minha Coluna, o



Venerável Mestre vos convida para ouvirem em ordem e em silêncio
a leitura dos últimos trabalhos[10].

-V  M  – Irmão Secretário, tendes a palavra.




Quando termina a leitura:

-V  M  – (!)

-P  V  – (!)

-S  V  – (!)

-V  M  – Irmãos Primeiro e Segundo Vigilante,



perguntai aos Irmãos que ornamentam vossas Colunas se eles têm
observações a fazer na redação do Balaustre; a palavra está
concedida.[11]

-S  V  – Irmãos que ornamentam a Coluna do Sul, tendes


observações a fazer na redação do Balaustre?

(se não houver)

-S  V  - Ir.’. Primeiro Vigilante há silêncio na Coluna do Sul.



(se houver manifestação)

-S  V  Ir.’.P.’.V.’. há manifestação na Coluna do Sul.



(No caso de existir apartes, o Irmão que utilizar a palavra a dirigirá ao Vigilante
responsável da Coluna que fará correções e se for necessário a transmitirá ao
Venerável Mestre – Caso o Irmão que vá se utilizar da palavra seja Companheiro
ou Mestre Maçom falará diretamente ao Venerável Mestre sem a intervenção do
Vigilante da sua Coluna)

-P  V  – Irmãos que ornamentam a Coluna do



Norte, tendes observações a fazer na redação do balaustre? Venerável
Mestre, reina o silêncio na Coluna do Norte. (Caso haja manifestação
seguirá a mesma orientação acima)

-V  M  – Não havendo observações (ou não

havendo mais observações), está aprovada o Balaustre.- ( O Mestre
de Cerimônias recebe o balaustre das mãos do Secretário e colhe as
assinaturas do Venerável Mestre e do Orador, devolvendo-a ao
Secretário)

LEITURA DO EXPEDIENTE

V  M  – Irmão Secretário proceda a leitura do


Expediente.

( Neste período, o Secretário, de forma organizada e
objetiva, tendo já elaborado um resumo, divulga o
expediente fazendo parte deste: as comunicações das
Oficinas e Obediências, os Boletins Oficiais, os convites
de Lojas e de Irmãos, pranchas diversas, propostas, etc.)


TEMPO DE RECREAÇÃO

-V  M  – Irmão Segundo Vigilante, informai a



todos de ambas as Colunas que está Loja entrará em Tempo de
Recreação pelo período de ......minutos à partir de agora.

-S.’.V.’. – Atenção ambas as Colunas, por ordem do nosso Venerável


Mestre, informo que esta Loja entrará em Tempo de Recreação à partir de agora
e voltará aos trabalhos no período de......minutos.

(Neste ato, o Segundo Vigilante levanta a sua Coluna e o Primeiro Vigilante
deita a dele)

-S.’.V.’. – A saída dos irmãos se dará à partir da Coluna do Sul. Todos
devem deixar a Loja e não podem se afastar das proximidades do Templo uma
distância maior do que alcance a minha voz.

(Os obreiros retiram-se do Templo mas permanecem no atrium ou em suas
proximidades)

(Transcorrido o tempo marcado, o Segundo Vigilante coloca-se na porta do
Templo e convida a todos que retornem aos trabalhos)

-S.’.V.’. – Atenção todos os obreiros desta Oficina, convido-os de


volta para que os trabalhos ganhem força e vigor. O retorno se dará em família.

(Todos retornam aos seus lugares e aguardam novas ordens; a Coluna do
Primeiro Vigilante é levantada e a do Segundo Vigilante é deitada)

VISITANTES[12]
(havendo visitantes) –

- V  M  - Irmão Mestre de Cerimônia, queira se



dirigir até o átrio do Templo para verificar os Visitantes.

(O Mestre de Cerimônias se dirige até o átrio e volta para prestar contas, ficando
entre os dois Vigilantes. Vai colocar sobre o altar os certificados (CIM) dos
Irmãos Visitantes e retorna para junto desses. O Venerável Mestre chama o
Guarda Cobridor Interno e o Orador e verifica com eles os certificados. A seguir,
envia ambos, um para examinar com o “telhamento” os visitantes, outro leva
caneta e papel para pegar a assinatura dos Irmãos Visitantes para comparar com
as dos certificados. O Venerável Mestre tem autoridade para dispensar o exame
aos visitantes.) Terminada a conferência...

-V  M  – Irmão Cobridor Interno, anunciai ao



Irmão Mestre de Cerimônias, caso os visitante tenham sido aprovados
no exame, que ele pode conduzi-los para este Templo.

(O Guarda Cobridor Interno abre a porta do Templo para informar ao Mestre de
Cerimônias e já admitir os visitantes, que entram e aguardam entre os Vigilantes.
Estes anunciam os Caríssimos Irmãos Visitantes. Se o Venerável Mestre
entender, faz novamente o exame com as perguntas a seguir. Se não, manda o
Mestre de Cerimônias levar o Visitante até o lugar que lhe cabe.)

TELHAMENTO
-V.’.M.’. – Sois Maçom?
-Visitante – M.I.C.T.M.R.
V.’.M.’. – q.’.a.’.t.’.
-Visitante – t.’.a.’.c.’.
-V.’.M.’. – Caríssimos Irmãos, de onde vindes?
-Visitante – Da L.’. de S.’.J.’.J.’.e P.’.
-V.’.M.’. – Que trazeis?
-Visitante – Saúde, alegria, prosperidade a todos os Irmãos.
-V.’.M.’. – Nada mais trazeis?
-Visitante – O Mestre de minha Loja v.’.s.’.p.’.t.’.v.’.t.’.
-V.’.M.’. – Que se faz em vossa Loja?
-Visitante – Elevam-se Templos à virtude e cavam-se masmorras aos vícios.
-V.’.M.’. – Que vindes fazer aqui?
-Visitante – Vencer minhas paixões, submeter minhas vontades e fazer novos
progressos na Maçonaria.
-V.’.M.’. – Que desejais, meu Irmão?
-Visitante – Um lugar entre vós.
-V.’.M.’. – Ele vos é concedido, Caríssimo Irmão. Irmão Mestre de Cerimônias,
conduzi o querido Irmão ao lugar que lhe é destinado.

TEMPO DE ESTUDO

-V  M  – Irmão Orador, Em Tempo de Estudo, gratificai a Loja


com uma peça de arquitetura. (O V.M. poderá chamar outro membro
para a apresentação de uma peça, ou um convidado, ou a leitura de
um trabalho de grau (prancha)[13].
(O Orador faz os cumprimentos e apresenta o seu trabalho).
(Ao final do trabalho, o Orador que se encontra em pé, saúde o V.M. com o sinal
e volta para o lugar que lhe compete).
(O Orador, o Secretário, as autoridades que estão no Oriente, são os únicos que
apresentam as peças de arquitetura sem estar entre colunas)

-V  M  - Irmãos, farei correções necessárias a



aperfeiçoar a peça apresentada:.... (não farei correções, a peça é
perfeita e acabada)

- V  M  – Irmãos Primeiro e Segundo Vigilante, a



palavra está em ambas as Colunas, respectivamente na Coluna do Sul
e na Coluna do Norte.

(nesse momento é concedida a palavra para todos os irmãos que tenham
dúvidas sobre o tema abordado ou queiram complementar o tema; não é o
momento para se elogiar o tema e nem a presença do palestrante ou
demais visitantes, essa é a função do Orador ao final dos trabalhos e antes
do fechamento ritualístico)

-V  M  - Irmãos, declaro encerrado o Tempo de


Estudo (!)

1º. V. – (!)

2º. V. – (!)

_______________________FIM DO TEMPO DE
ESTUDOS___________________



BOLSA DAS SUGESTÕES E TRONCO DA VIÚVA

- V  M  – Irmão Mestre de Cerimônias, informai a



todos que irá girar a bolsa das sugestões e o tronco da viúva.

- Mestre de Cerimônias – Irmãos de ambas as colunas, por determinação do
nosso Venerável Mestre, irá girar a Bolsa das Sugestões e o Tronco da Viúva,
sugiro a todos que se preparem para recepcionar as bolsas; as sugestões serão
depositadas com a mão direita dentro da bolsa e o óbolo da viúva será entregue
com a mão esquerda que entrará fechada na bolsa e sairá aberta; ao retirar a mão
esquerda o irmão que fez o depósito deverá exibi-la à todos, aberta e espalmada
acima da altura da cabeça, de forma visível.

(O Mestre de Cerimônias irá esperar por cerca de cinco minutos para que todos
se preparem e ao final informará o Venerável Mestre que tudo e todos estão
prontos)

-Mestre de Cerimônias: Venerável Mestre, tudo e todos estão prontos para o
giro de ambas as bolsas.

-V  M  – Irmãos, informo que irá circular o saco



das proposições (ou sugestões) e depois o tronco de Beneficência
(tronco da viúva), o giro está autorizado.

- V  M  – Irmão Mestre de Cerimônias, queira por



favor fazer girar o saco das sugestões ( O Venerável determina se o
giro será feito com ou sem formalidades)

(O Irmão Mestre de Cerimônias desloca-se até o Ocidente da Loja,
permanecendo entre Colunas e comunica ao Venerável Mestre que está a postos
e pronto)

-Mestre de Cerimônias: Venerável Mestre este Mestre de Cerimônias


está entre Colunas e pronto para iniciar o giro da bolsa de sugestões,
aguardando suas ordens.

-V  M  – Irmão Mestre de Cerimônias, queira por

favor fazer o giro da bolsa de sugestões (com ou sem formalidades)

(Após o giro completo, que mesmo sem formalidades inicia-se pela Coluna do
Sul, passando pela Coluna do Norte e finda no Oriente, precisamente nas mãos
do Venerável Mestre)

- V  M  – Irmão Mestre de Cerimônias, queira



por favor depositar o saco das sugestões neste Oriente para que seja
aberto e decifrado.

(As sugestões serão abertas, lidas em voz alta, resolvidas na hora ou colocadas
sob malhete pelo prazo que o Venerável decidir, geralmente ficam sob malhete
por 30 dias; todas elas são lançadas no balaustre do dia)

-Mestre de Cerimônias – Irmão Hospitaleiro, prepare-se para fazer o giro


do Tronco da Viúva.
(O Irmão Hospitaleiro desloca-se da sua posição até ficar entre colunas e
informa ao Venerável Mestre que está pronto para fazer o giro do Tronco da
Viúva)

Hospitaleiro: Venerável Mestre este Hospitaleiro está entre Colunas e


pronto para iniciar o giro da bolsa de sugestões, aguardando suas ordens.

-V  M  – Irmão Hospitaleiro, queira por favor



fazer girar o tronco da viúva (com ou sem formalidades)

(o giro do Tronco da Viúva, mesmo sem formalidades, inicia-se pelo Oriente,
exatamente nas mãos do Venerável Mestre que será o primeiro a fazer a doação,
passando pela Coluna do Sul, seguindo pela Coluna do Norte e retornando ao
Oriente. Lembrando que ambas as bolsas são apresentadas também aos
Vigilantes e que o momento para que o portador delas faça suas sugestões ou
doações é quando as apresenta ao Segundo Vigilante)

- V  M  – Irmão Hospitaleiro, queira por favor



trazer o tronco da viúva para este oriente para que seja aberto e
apurado.
(O Ir.’. Hosp.’. entrega o tronco da viúva ao Venerável que solicita a presença do
Irmão Tesoureiro e Irmão Secretário, para juntarem-se ao Irmão Hospitaleiro e
observarem a apuração das moedas cunhadas)

(Independente de existir ou não visitas na Loja, o valor apurado deve ser
esclarecido logo após a coleta)
FIM DA CIRCULAÇÃO DAS BOLSAS
________________________________________________________________


PALAVRA NAS COLUNAS

-V  M  – Irmãos Primeiro e Segundo Vigilantes,



perguntai em vossas Colunas se os Irmãos têm alguma coisa a propor
para o bem da Ordem em geral ou desta Respeitável Loja em
particular. (Aqui abre-se espaço para todos os irmãos que queiram se
manifestar com propostas, aceita-se, segundo a vontade do Venerável
Mestre que se utilize a palavra para outros fins, tais como elogios e
considerações etc)

-S  V  – Pergunto se os Irmãos da Coluna do Sul têm alguma


coisa a propor para o bem da Ordem em geral ou desta Respeitável Loja em
particular. –

(concluídos os pronunciamentos) –

-S  V  -Ir.’. Primeiro Vigilante a Coluna do Norte reina em


silêncio.

-P  V  – Pergunto se os Irmãos de minha Coluna

têm alguma coisa a propor para o bem da Ordem em geral ou desta
Respeitável Loja em particular. –
(Concluídos os pronunciamentos)

- P  V  – Venerável Mestre a Coluna do Norte


reina em silêncio.

-V  M  – Irmão Secretário, fazei a leitura do



esboço dos nossos trabalhos desta reunião. Terminada a leitura ...

-V  M  – Irmãos Primeiro e Segundo Vigilantes,



anunciai que se algum Irmão tiver observações a fazer sobre o esboço
dos trabalhos, a palavra lhes está concedida[14].

-S  V  – Se algum Irmão na Coluna do Sul tiver observações a fazer


sobre o esboço dos trabalhos, a palavra está concedida - (concluída)

- S  V  - Ir.’. Primeiro Vigilante, a Coluna do Sul reina em silêncio.


-P  V  – Se algum Irmão na Coluna do Norte tiver



observações a fazer sobre o esboço dos trabalhos, a palavra está
concedida.

(quando algum irmão for se manifestar ficará em Pé e a Ordem durante todo o
tempo. Fechará sua fala com a frase “tenho dito” e logo em seguida fará o Sinal,
sentando-se.)

-P  V  – Venerável Mestre, esta Coluna reina em
silêncio.



FECHAMENTO DOS TRABALHOS

(Neste ato o Venerável Mestre concede a palavra ao Irmão Orador que fará os
agradecimentos aos visitantes e avaliará a retidão e legalidade da sessão,
concluindo sua fala com “a sessão está justa e perfeita” devolvendo a palavra ao
Venerável Mestre)

-V  M  - Irmão Orador, concedo-vos a palavra



para as vossas apreciações finais, agradecimentos aos visitantes e
avaliação da retidão e legalidade desta sessão.

-Orador – Venerável Mestre, de posse da palavra, agradeço a presença
dos visitantes, requeiro que o Irmão Chanceler entregue o Certificado de
Presença e sugiro que os nossos membros se organizem para retribuir a visita,
reforço que a visitação maçônica é um dos landmarks seguido por todos os
maçons espalhados pela face da Terra e prática usual em nossa Obediência.
Concluo minha fala declarando que está sessão esteve recoberta pela retidão na
observação do nosso rito e da legalidade segundo nossos estatutos, portanto está
justa e perfeita. Devolvo a palavra ao nosso Venerável Mestre para que proceda
o encerramento ritualística desta sessão.Tenho Dito. (Saúda e senta-se)

-V  M  – Não havendo mais nenhuma observação



a ser feita, o esboço dos trabalhos do dia está aprovado. - (!) – De Pé
e à Ordem, meus Irmãos! Irmão Primeiro Vigilante a que horas
terminam os trabalhos da oficina de aprendiz maçom ?

-P  V  – m.’. n.’. e.’. p.’. V.’. .’.



-V  M  - já temos o horário?

-P  V  – sim, Venerável Mestre.


-V  M  - Quantos anos tens Segundo Vigilante?


- S  V  - t.’. a.’.c.’. V.’.M.’.


-V  M  – Onde é o lugar do Irmão Primeiro


Vigilante?

-S  V  – No Oeste.

-V  M  – Para que, Irmão Primeiro Vigilante?


-P  V  – Como o sol se deita no oeste para terminar



o dia, da mesma forma o Primeiro Vigilante aqui se coloca para
fechar a Loja, pagar os obreiros e despedi-los contentes e satisfeitos
com seus salários.

-V  M  - Primeiro Vigilante todos os maçons



estão satisfeitos com seus salários?

-P  V  – Irmãos de ambas as colunas, indago-vos



se todos estão satisfeitos com seus salários?
( em resposta todos os maçons levantam os braços, esticam as mãos, palmas
voltadas para baixo em sinal de aprovação)

-P  V  – Em ambas as colunas todos estão



satisfeitos com seus salários, Venerável Mestre.

- V  M  – Irmão M.’.C.’. queira proceder o



fechamento do Livro da Lei e ocultar o Painel do Grau, para isso
dirija-se ao CENTRO DA LOJA, faça-se acompanhar da escolta
sacerdotal.

(nesse momento o M.’.C.’. Dirige-se ao CENTRO DA LOJA e os Guardas
Cobridor Interno e Cobridor Externo o acompanham para a formação do
Pálio; o M.’.C.’. em frente ao CENTRO DA LOJA ajoelha-se sobre o
joelho esquerdo, levanta-se e de posse do Livro da Lei, guarda-o e fecha-
o, fazendo o mesmo com o Painel do Grau, voltando em seguida para o
seu lugar; ato contínuo os Guardas retornam ao seus lugares)

M.’.C.’. - Venerável Mestre, suas ordens foram cumpridas e o Painel do
Grau está fechado.

-V  M  - Irmãos, se temos o horário e a idade e



todos os maçons estão satisfeitos com seus salários, tudo está justo e
perfeito em ambas as colunas do templo, ajudem-me a fechar esta
Loja, todos em pé. Rendamos nossas homenagens aos nossos
visitantes com uma bateria do grau. Rendamos nosso respeito aos
Símbolos Nacionais da República Federativa do Brasil, com uma
bateria (!) (!) (!)

(Permanecendo em pé)

-V  M  - Rendamos graças ao Grande Arquiteto


pelos trabalhos deste dia. Senhor, Deus do Nosso Coração... e em
nome de São João Batista e São João Evangelista, nossos padroeiros,
encerro as atividades desta oficina, que Assim Seja!

-Todos – que Assim Seja!

-V  M  -A mim meus Irmãos pelo Sinal, pela



Bateria e pela Aclamação juremos guardar o mais profundo silêncio
sobre tudo aquilo que aqui se passou.

-Todos, juntos com o braço direito estendido (Eu o juro) (Abaixam o braço)

-V  M  – Que as Luzes se ocultem dos olhos dos profanos e que


se acendam quando novamente voltarmos aqui nesta Oficina e que
Assim Seja!

-V  M  – Retiremo-nos na mais Profunda Paz.



-P  V  – A Loja (nome da Loja) encontra-se



devidamente fechada e reunir-se-á novamente no dia (data da
próxima reunião) para seus trabalhos. Irmão Mestre de Cerimônias,
informe os Oficiais da Escolta que o Venerável Mestre deixará o
Oriente e saíra em cortejo.

-M.’.Cer.’. – Irmãos que formam a escolta desta Loja queiram pegar em


armas para a formação do teto de aço.

(Os irmãos da escolta perfilam-se e formam o teto de aço, batendo as espadas)

(A saída do Venerável Mestre, que vai a frente do cortejo é seguida dos
convidados que tiveram assento no Oriente, seguem-se os seguintes oficiais:
Primeiro Vigilante, Segundo Vigilante, Orador, Secretário, Tesoureiro, e demais
oficiais. O Porta Bandeira saíra portando a bandeira do Brasil, depois a da Loja e
da Obediência, caso existam. O porta espada retirará a espada flamígera,
transportando-a junto com o aparador de espadas, escaninho ou capa de
proteção.O Mestre de Cerimônias é o último que sai da Loja, pois coordena a
saída de todos os demais e ao final é responsável por trancar a porta da Loja.
Antes de sair, o Mestre de Cerimônias deposita o seu bastão no local próprio.

(O Mestre de Cerimônias é o primeiro oficial a entrar no Templo e o último a
sair, uma vez que após acompanhar a saída do Venerável, espera que todos
deixem o local e retorna para guardar o bastão do cargo, fechando a porta da
Loja logo em seguida)

(A saída é feita em ordem inversa à da entrada e dentro da disciplina, conforme
explicado no Regulamento Específico para o Desenvolvimento do Rito- REDRI)



Esta obra está digitalizada e microfilmada, arquivada em Cartório de Títulos e Documentos e o pedido de
depósito requerido junto a Biblioteca Nacional. Direitos reservados ao autor, Professor Rhadames.
Reprodução total ou parcial proibidas na forma da Lei. Somente pode ser usado para estudos dos
associados do Grande Oriente Universal para o Brasil – GOU/BR.

[1]
Sessão Comum.
[2]
Em cortejo, seguindo-se o critério de cargos e funções, em fila dupla, uma ao Norte e outra ao Sul.
[3]
Em família, entrada normal, sem fila e sem critério de cargos ou antiguidade.
[4]
A Loja será aberta em Gr.’.Apr.’.M.’. exceto em situações especiais, anteriormente comunicada.
[5]
Não é apenas o dever dos Vig.’. mas sim de todos os IIrr.’. em Loja.
[6]
Caso haja mais de uma porta todas devem ser verificadas.
[7]
Postura necessária na medida ideal para observar os obreiros.
[8]
Impede que vejam o Sinal dos outros graus.
[9]
A marcha cadenciada se desenvolve passo a passo, iniciando-se com o pé direito juntando-se o calcanhar
do pé esquerdo, prosseguindo-se dessa forma até o final.
[10]
A leitura do último balaústre.
[11]

[12]
Visitantes dignitários (altos cargos) desta ou de outra potência entram conforme Regulamento
Específico.
[13]
Anteriormente comunicado entre V.’.M.’. e obreiros.
[14]
Conforme determinação anterior.