Você está na página 1de 4

E.E.

“Dona Indá” – Ensino Fundamental, Médio e Técnico

Ensino: F Bimestre: 4º Turno: M Turma: 8º A


Valor:12,0
Disciplina: História Valor Obtido:

Aluno(a):______________________________________ Nº:_______

Professor (a): Cinara Data: 09/12/2015


Visto da Supervisão

QUESTÃO 1
Após a repressão e o fim da Inconfidência Mineira, a elite colonial (pelo menos a parte mais
confiável dela) continuaria usufruindo de seus cargos, os Inconfidentes seriam degredados e aos
poucos reintroduzidos nas benesses do Estado nas Colônias africanas. Os réus eclesiásticos foram
transferidos para Lisboa. A maioria dos bens sequestrados foi restituída a seus donos.

(http://goo.gl/nSiVh. Acesso: 26/09/2012. Adaptado.)

Ao adotar medidas repressivas contra a Inconfidência Mineira, a Coroa portuguesa visava,


sobretudo,
A) destruir a camada senhorial das Minas Gerais, substituindo-a por integrantes da elite
portuguesa.
B) instaurar a insegurança e o terror entre a classe dominante local, de modo a inibir novas
insurreições.
C) punir os líderes do movimento, provenientes, em sua maioria, das camadas pobres da
população.
D) reafirmar o poder da metrópole sobre a colônia, sem prejudicar a aliança mantida com a elite
colonial.

QUESTÃO 2
A produção algodoeira ajudou a alavancar o desenvolvimento industrial inglês e a sustentar o
regime da escravidão.
De fato, a escravidão e o algodão marcharam juntos. A perspectiva tradicional que viu a história da
Revolução Industrial Britânica primordialmente em termos de algodão é, portanto, correta. A
primeira indústria a se revolucionar foi a do algodão.

(HOBSBAWM, E. A era das revoluções. SP: Paz e Terra, 2009. p. 67-72. Adaptado.)
A relação entre produção de algodão e escravidão no contexto da Revolução Industrial está no fato
de
A) a exploração do trabalho escravo ter sido largamente praticada no interior das indústrias têxteis
inglesas, favorecendo o aumento da produção.
B) as plantações de algodão na América terem sido mantidas com trabalho escravo, tornando-se
grandes fornecedoras de algodão para as indústrias inglesas.
C) o trabalho escravo ser utilizado tanto nas plantações de algodão no Sul da Inglaterra, quanto
nas indústrias têxteis no Norte do país.
D) os ingleses serem contra a escravidão e, por isso, exigirem que o algodão a ser utilizado nas
indústrias não fosse produzido por escravos.
QUESTÃO 3
No fim do século XVIII, no Brasil, eclodiram movimentos de contestação à colonização portuguesa.
O mais radical desses motins defendia a República e o fim da escravidão e contou com a
participação de várias pessoas pobres e negras. Esse movimento é conhecido como
A) Conjuração Baiana.
B) Inconfidência Mineira.
C) Insurreição Pernambucana.
D) Revolta Felipe dos Santos.

QUESTÃO 4
O pensamento ilustrado e os movimentos pela queda do Antigo Regime situam-se num contexto
histórico de base ideológica associada ao
A) arcadismo. B) classicismo. C) liberalismo. D) medievalismo.

QUESTÃO 5
Leia o texto
Manifesto de 1798
Ó vós Povo que nascestes para sereis livres e para gozares dos bons efeitos da Liberdade, ó vós
Povos que viveis flagelados com o pleno poder do indigno coroado, esse mesmo rei que vós
criastes; esse mesmo rei tirano é quem se firma no trono para vos vexar, para vos roubar e para
vos maltratar. Homens, o tempo é chegado para a vossa ressurreição, sim para ressuscitares do
abismo da escravidão, para levantareis a sagrada Bandeira da Liberdade. [...] As nações do mundo
todas têm seus olhos fixos na França, a liberdade é agradável para todos; [...] o dia da nossa
revolução; da nossa Liberdade e de nossa felicidade está para chegar, animai-vos que sereis
felizes.

(http://crv.educacao.mg.gov.br. Acesso: 26/06/2010.)


O trecho do Manifesto foi um dos muitos documentos usados como propaganda política da
Conjuração Baiana do século XVIII. As palavras “Liberdade”, “Nossa Revolução” e “Indigno
Coroado” citadas no Manifesto fazem referências a qual sistema político e a qual revolução que
inspiraram a Conjuração Baiana?
A) Liberalismo e Revoluções de 1848.
B) Monarquia e Revoluções Inglesas.
C) República e Revolução Francesa.
D) Tirania e Revoluções Liberais de 1830.

QUESTÃO 6
Fragmento de um texto sobre a Revolução Pernambucana, ocorrida em 1817.
A Revolução Pernambucana derrubou o governador e implantou um novo governo, decretando a
extinção de impostos, a liberdade de imprensa e de religião e a igualdade entre os cidadãos.
Conquistou a adesão de revoltosos do Rio Grande do Norte, Alagoas e Paraíba.

(VICENTINO, C.; DORIGO, G. História do Brasil. SP: Scipione, 1997, p. 153. Adaptado.)
A Revolução Pernambucana tinha, em seus aspectos políticos, um caráter
A) anarquista. B) monarquista C) nativista D) separatista.
QUESTÃO 7
O sistema capitalista emergente com a Revolução Industrial trouxe consequências danosas à
classe trabalhadora. Classifique as características que descrevem as condições de trabalho e vida
das classes trabalhadoras no início desse sistema fabril como falsas (F) ou verdadeiras (V).
( ) Jornada de trabalho de 14 a 16 horas diárias.
( ) Exploração do trabalho infantil.
( ) Condições favoráveis de habitação.
( ) Possibilidade frequente de lazer e descanso.
( ) Trabalho vigiado e controlado.
A sequência de classificação correta é
A) (V), (V), (V), (F), (F). B) (V), (V), (F), (V), (V). C) (V), (V), (F), (F), (V). D) (F), (F), (V), (V), (F).

QUESTÃO 8
Durante o Império no Brasil, entre 1822 e 1889, existiu uma figura conhecida na sociedade: o
Fósforo. A mando de algum chefe político local, o Fósforo comparecia às eleições e conseguia
votar no lugar dos eleitores que não compareciam. Atualmente, o governo brasileiro vem
gradativamente cadastrando as digitais dos eleitores para evitar que cidadãos se passem por
outros na hora do voto.
A preocupação das autoridades brasileiras em modernizar o sistema de votação por meio do
cadastramento biométrico tem como objetivo
A) afastar do sistema eleitoral os brasileiros que não votaram nas últimas eleições.
B) dificultar o acesso dos cidadãos brasileiros ao pleno exercício do direito ao voto.
C) extinguir uma prática que permanece na sociedade brasileira ao longo dos anos.
D) registrar eleitores para punir àqueles que não comparecem às urnas nas eleições.

QUESTÃO 9
A partir da década de 1840, os dirigentes do Império se conscientizaram de que, para construir
uma nação era necessário obter apoio de importantes setores, dentre eles, as elites regionais.
Compreenderam que não bastava convencer as elites de que elas eram brasileiras, era também
necessário apresentar vantagens, como por exemplo, mostrar que a Monarquia era capaz de
conter a guerra civil, ou então, que ela era capaz de tratar da questão escravista, garantindo a
transição lenta do sistema.

(DEL PRIORE, M.; VENANCIO, R. Uma breve História do Brasil. SP: Planeta do Brasil, 2010. p.
177. Adaptado.)

Os dirigentes do Império se esforçaram para apresentar às elites regionais algumas vantagens que
a Monarquia oferecia ao Brasil.

O Governo Imperial dedicou muita atenção às elites regionais porque elas


A) assumiram o cenário político, econômico e social a partir da Independência.
B) conquistaram relevância política durante o Segundo Reinado.
C) detinham o domínio do poder político no Brasil desde o Período Colonial.
D) estavam excluídas do cenário político imperial naquele momento.
QUESTÃO 10
O Estado Nacional na Europa Ocidental aparece plenamente no século XVIII e, na segunda
metade do século já é uma poderosa realidade. Em alguns casos detectamos longos processos
que se iniciam em séculos anteriores. Noutros, resultam na sua forma acabada, de um movimento
político ou econômico revolucionário (é o caso da Revolução Francesa ou da Industrial, na
Inglaterra).(POMER, L. O surgimento das nações: o poder político, a natureza histórica do Estado e
os Estados nacionais. SP: Atual, 1985, p. 15. Adaptado.)
O autor Leon Pomer, neste trecho, apontou a existência de algumas diferenças no processo
histórico de formação dos Estados nacionais europeus no século XVIII, enfatizando os casos
revolucionários: francês e inglês. Os movimentos ocorridos nestas últimas nações são
acontecimentos chave para o entendimento da nova ordem mundial porque eles
A) decretaram a libertação das colônias americanas.
B) extinguiram a escravidão como forma de trabalho.
C) representam o fim das monarquias como sistema de governo.
D) sintetizam os ideais do liberalismo que influenciaram outras nações.