Você está na página 1de 60

a

• Agrologístic
m az en ag em
• Ar
• Automação
terior
• Comércio Ex
m m erce
• E-co
• Embalagem
rtuária
• Logística Po
en ta çã o
• Movim
• Multimodal
Logísticas
• Operações
• PDV
n
• Supply Chai
da Informação
• Tecnologia

ediçao nº 196 | Dez18/Jan19 | R$ 22,00 |

Os
indicados
ao Prêmio
IFOY

Especial empilhadeiras e nto


Fabricantes, Distribuidores, m
le l
p a
Importadores e Locadores i Su od mo
clu M ríti
In a
M
Portal.e.Revista.Logweb @logweb_editora logweb_editora Canal Logweb
editorial
referência em logística
ISSN 2317-2258

Publicação, e­ specializada em
Otimismo em alta
logística, da Logweb Editora Ltda.
Parte integrante do portal

C
www.logweb.com.br omeço de ano, novo governo, economia dando claros sinais de recuperação.
E o otimismo fica mais evidente.
Estes foram os motivos que nos levaram a publicar, nesta edição, um des-
taque especial: “Boas novas”. Nesta seção, cuidadosamente preparada, mostramos
Redação, Publicidade, ­
Circulação e Administração os resultados da economia no ano passado, em vários setores, o desempenho posi-
Rua Engenheiro Roberto Mange, 353 tivo de diversas empresas naquele ano, as perspectivas para este ano que se inicia.
13208-200 - Anhangabaú - Jundiaí – SP São dados que revelam que a recuperação econômica já está consolidada.
Fone/Fax: 11 3964.3744 - 3964.3165
Estas breves notícias também abrem oportunidades de negócios, seja pelo fato
Diretor de Redação de mostrarem o desempenho de vário setores, seja por indicarem os projetos de
Wanderley Gonelli Gonçalves
Cel.: 11 94390.5640 investimentos de várias empresas.
(MTB/SP 12068)
jornalismo@logweb.com.br E o otimismo também chega ao setor de empilhadeiras. Em nossa matéria anual
Redação sobre o segmento, englobando fabricantes, distribuidores, importadores e locadores
Carol Gonçalves (MTB/SP 59413) de empilhadeiras, e que já se tornou referência no mercado, o ânimo dos entre-
redacao2@logweb.com.br
vistados também está para cima. Afinal, eles apontam que o setor começou a sair
Diretora Executiva da crise no segundo semestre do ano passado, e para este ano as tendências de
Valéria Lima de Azevedo Nammur
valeria.lima@logweb.com.br incremento continuam, com grandes expectativas de negócios.
Diretor de Marketing Ainda nesta primeira edição do ano, mais assuntos interessantes, como a lis-
José Luíz Nammur ta dos finalistas do Prêmio IFOY 2019, considerado o “Oscar da Intralogística”.
jlnammur@logweb.com.br
Foram indicadas empresas nos segmentos de empilhadeiras contrabalançadas e
Diretor Administrativo-Financeiro para armazéns, veículos automaticamente guiados (AGV) e robôs para intralogís-
Luís Cláudio R. Ferreira
luis.claudio@logweb.com.br tica e softwares para intralogística, bem como nas categorias “Especial do Ano” e
“Startup do Ano”. Acompanhe e conheça as empresas que estão à frente em inovação.
Administração
Wellington Christian Borsarini
admin@logweb.com.br
Também merece destaque a matéria sobre o uso de blockchain – uma tecnologia
inicialmente usada apenas para transações com bitcoins – na logística, onde funcio-
Caroline Fonseca (Auxiliar Administrativa) na como uma base de dados distribuída, em que os blocos de informações vão se
admin2@logweb.com.br
conectando e formando um contexto mais completo, seguro e rastreável.
Diretora Comercial
Maria Zimmermann Garcia Ainda nesta edição, o suplemento “Modal Marítimo”, com uma interessante ma-
Cel.: 11 99618.0107 e 94382.7545
maria.garcia@grupologweb.com.br téria sobre o risco de colisão de baleias com as embarcações que cruzam os mares.
E mais um artigo sobre arbitragem no direito marítimo.
Gerência de Negócios
Nivaldo Manzano - Cel.: 11 99701.2077 E também publicamos mais uma matéria especial dentro da nossa coluna “Lo-
nivaldo@logweb.com.br
gística Setorial”, desta vez com destaque para os segmentos têxtil e de vestuário,
José Oliveira - Cel.: 11 96675-4607
oliveira@logweb.com.br e mais informações sobre a Brasil Log 2019, feira que acontecerá em setembro
próximo em Jundiaí, SP, uma parceria com a Logweb.
Diagramação
Alexandre Gomes Aproveite, atualize-se. Feliz 2019.

Os editores

Portal.e.Revista.Logweb @logweb_editora logweb_editora Canal Logweb


Os artigos assinados e os anúncios não expressam,
necessariamente, a opinião da revista.
D e z em b r o 1 8 - 3
índice
empilhadeiras
especial
coluna SETCESP
5 evento
38
10 FABRICANTES: Justiça privada: Brasil Log 2019
FINAL DE 2018 JÁ Mediar é preciso promete agitar
MOSTROU SINAIS o mercado de
DE CRESCIMENTO especial
6 logística no segundo
DO MERCADO, QUE Uso de blockchain semestre
DEVE CONTINUAR na logística dá mais
segurança à linha de logística Setorial
46
EM 2019 produção Têxtil e Vestuário:
Exigências incluem
16 DISTRIBUIDOR: artigo
33 manuseio dedicado,
PERSPECTIVAS Preciso ter agilidade e menor
PARA 2019 SÃO DE Carteira Nacional aprazamento
CRESCIMENTO, COM de Habilitação
ATENDIMENTO DE para operar/dirigir 50
especial
NOVOS SETORES empilhadeira? Boas novas

22 IMPORTADORES: Intralogística
34
Revelados os
AUMENTO DO 58 Fique por dentro
finalistas da edição
DÓLAR CAUSOU 2019 do Prêmio
POUCO IMPACTO NO IFOY. A
DESEMPENHO DO Logweb é
SETOR EM 2018 jurada

26 LOCADORES:
COM REAQUECIMENTO
DA ECONOMIA,
SETOR ESPERA
AUMENTO DAS
NEGOCIAÇÕES
Modal Marítimo
40 CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO DE BALEIAS
AUMENTA RISCO DE COLISÃO COM
EMBARCAÇÕES

44 ARBITRAGEM TRAZ BOAS SOLUÇÕES PARA


LITÍGIOS DO DIREITO MARÍTIMO

4 - D e z em b r o 1 8
setcespSETCESP
coluna

Justiça privada:
Mediar é preciso
N
estes últimos tempos no Brasil de uma decisão que porventura o empre-
temos assistido à judicialização gado venha a alcançar na ação trabalhista.
de tudo, principalmente no cam- E, nesse cenário, vem ganhando relevân-
po político. Aliás, não é à toa que o Poder cia a busca de outras formas de soluções
Judiciário passou a ser o protagonista da de conflitos, como a arbitragem, prevista Adauto Bentivegna Filho
história recente do país, principalmente na Lei 9.307/1996, bem como a mediação, Advogado, assessor executivo e
no caso do Supremo Tribunal Federal. prevista na Lei 13.140/2015, como formas jurídico e coordenador da área de
Hoje em dia, se perguntar a um brasileiro extrajudiciais, ou seja, fora do Poder Judiciá- consultoria jurídica do SETCESP.
dois ou três nomes dos membros do Supremo rio, de se solucionar conflitos de interesse. Pós-graduado em Direito
Tribunal Federal o mesmo não titubeará em Tais institutos – a arbitragem e a media- Processual Civil, especializado
em Direito Tributário e mestrando
acertar ao menos dois, entretanto, se pergun- ção – permitem a apreciação de deman-
e dourando em ciência jurídica
tar à mesma pessoa qual o nome do ministro das de caráter disponíveis ou indisponí-
pela Universidade Autônoma de
da fazenda do governo Bolsonaro, dificilmen- veis, mas transigíveis, de forma rápida e,
Lisboa – Portugal.
te acertará, ou, ao menos levará alguns minu- em muitos casos, mais econômica.
tos para responder com plena certeza. O grande desafio, no caso da arbitragem,
A judicialização em massa dos confli- é o seu custo, pois geralmente ela era mais reconhecimento do esforço das partes para a
tos de interesse não é bom para nenhum utilizada em contratos comerciais e interna- composição. Há um novo cenário no mundo
país, pois torna o Poder Judiciário moro- cionais, em face de que na Europa, no Canadá do processo, e o objetivo maior não é mais a
so, caro, improdutivo e injusto. Fomenta e nos Estados Unidos o uso desse instituto é sentença, no sentido de perdeu ou ganhou,
a desconfiança nas relações trabalhistas muito comum e incentivado. Está na cultura mas, sim, a autocomposição, buscando com
e comerciais, incentiva o oportunismo e das relações interpessoais desses países. isso a restauração das relações entre as pes-
faz da justiça um balcão de negócios. Entretanto, como a arbitragem começa a soas e a busca de uma solução suasória.
O SETCESP – Sindicato das Empresas ganhar espaço em áreas como o direito do É importante registrar que, no caso do
de Transportes de Carga de São Paulo e trabalho, direito tributário, direito de família e instituto da mediação, não se faz necessá-
Região, entidade sindical do setor empre- direito do consumidor, as taxas de adminis- rio que haja um conflito, e ela pode ter em
sarial que assessoramos na área jurídica tração e de honorários dos arbitrários, conci- caráter preventivo, buscando a retomada
e executiva, há cerca de 18 anos insti- liadores e mediadores vêm se tornando aces- do diálogo entra as partes muito antes que
tuiu com muito sucesso as Comissões de sível a uma camada de litigantes de menor isso vire uma demanda judicial.
Conciliação Prévia para conciliar confli- renda, e em breve deve se tornar algo comum Como resultado desse novo tempo, co-
tos trabalhistas. Tais comissões são com- na vida dos brasileiros, ao menos é o que pen- meçam a proliferar diversas câmaras de
postas por representantes do SETCESP e samos pelo aumento do número de conflitos conciliação, mediação e arbitragem, onde
dos sindicatos de empregados, ou seja, resolvidos de forma extrajudicial no Brasil. se deve tomar o cuidado com a idoneida-
atuam de forma paritária nos termos dos Outro fato importante que contribuiu para de e a legalidade de suas constituições,
artigos 625A a 625H da CLT. este entendimento, entre outros, é o novo por isso é muito importante o papel do
Em média se faz mil conciliações por Código de Processo Civil que entrou em vigor advogado da parte que irá exatamente
ano, embora esse número venha caindo em 2015 e tem incentivado o uso da media- verificar as condições para que os acordos
em face da Reforma Trabalhista. As de- ção e da conciliação no curso do processo, extrajudiciais ou a sentença arbitral produ-
mandas são resolvidas de forma célere e acolhendo a cultura da pacificação, vide seus zam os efeitos judiciais esperados, como
menos custosas para a empresa e os em- artigos 3º, §§ 2º e 3º, e 6º. Inclusive, se houver a segurança jurídica e a paz social.
pregados, e raramente tais acordos são transação antes da prolatação da sentença, Conheça melhor
questionados na Justiça do Trabalho, e haverá dispensa do pagamento de custas ou os serviços do SETCESP
quando o são, o valor pactuado é abatido a mesma sofrerá redução significante, como em www.setcesp.org.br.

D e z em b r o 1 8 - 5
especial

Uso de blockchain na
logística dá mais segurança
à linha de produção

O
blockchain promete uma série nham sua jornada rastrea- Mudanças
de avanços na cadeia de supri- da em todos os momentos O gerente de produto
mentos, dando mais eficiência, da cadeia, oferecendo da Atech também sa-
visibilidade e transparência às operações. uma série de dados rele- lienta que a aplicação
A tecnologia, que inicialmente era vantes para gerenciar com do blockchain vai exigir
usada apenas para transações com mais eficiência os proces- grandes mudanças por
bitcoins, funciona como uma base de sos logísticos.” parte das empresas que
dados distribuída, em que os blocos Assim, com toda a jorna- atuam no segmento de
de informações vão se conectando e da seguramente rastrea- logística. Primeiramen-
formando um contexto mais completo, da, além da veracidade te precisarão tomar
seguro e rastreável. da informação, também é conhecimento dessa
Dados divulgados em setembro deste possível registrar valores, Castro: Na logística, esse tecnologia. E vão ter de
ano pelo IDC apontaram que, até o final datas, localização, confor- mecanismo permite que todos adaptar sua infraestru-
de 2018, devem ter sido gastos US$ 2,1 midade e outros dados os produtos tenham sua jornada tura de TI, especialmen-
rastreada em todos os momentos
bilhões no desenvolvimento de produ- relevantes para gerenciar te nos casos em que há
da cadeia de suprimentos
tos e serviços utilizando o blockchain. com eficiência a cadeia predominância de sis-
No Brasil, as empresas ainda estão de suprimentos. “Com isso, é possível temas legados, adotando sistemas que
dando os primeiros passos nessa tec- garantir a qualidade final dos itens, sejam compatíveis com essa tecnologia.
nologia, já que, segundo o levanta- fortalecendo a imagem corporativa ao O aspecto cultural também será um fa-
mento feito pela consultoria, de 4,2 mil garantir a confiabilidade dos insumos tor crucial para a aplicação desta tecno-
startups, apenas nove estão aplicando e a segurança na entrega. Ao mesmo logia, uma vez que os processos estarão
blockchain nos negócios. O país ocupa tempo, é possível aumentar a visibili- mais integrados e transparentes.
a 11ª posição no uso de blockchain. dade, a transparência e a conformidade “O blockchain é uma tecnologia dis-
de contratos e processos, reduzir gastos ruptiva e muitas iniciativas estão come-
Blockchain na logística com papelada e custos administrativos çando a dar uma aplicação para essa
Segundo Jefferson Castro, gerente de e aumentar o engajamento entre todas tecnologia. É claro que hoje se trata de
produto da Atech (Fone: 11 3103.4600), as partes envolvidas, desde a produção algo que ainda está dando os primei-
as empresas costumam resumir o até o cliente final”, destaca Castro. ros passos, mas a tendência é que se
blockchain a criptomoedas, mas, na ver- Como se pode notar, um dos principais desenvolva devido aos crescentes cus-
dade, ele está mudando a forma como impactos do blockchain na logística é a tos operacionais e situacionais afetan-
as empresas estão se relacionando. No facilidade no monitoramento da qualida- do diversos setores em todo o mundo.
blockchain, cada transação realizada fica de de todas as operações. Devido ao seu O blockchain, além de reduzir riscos,
salva em blocos ao longo de múltiplas có- alto nível de transparência, essa tecno- ajuda a vencer esses desafios ao per-
pias em diferentes computadores. Trata- logia oferece a todos os envolvidos nos mitir maior transparência, eficiência,
-se de algo muito transparente e seguro, processos logísticos um consenso sobre velocidade e rastreamento completo
em que os blocos ficam todos ligados uns todas as transações, pois todos têm a das transações. Desta forma, inevita-
aos outros sem uma autoridade central. mesma versão do que houve em cada velmente será integrado à logística e
“No caso da logística, esse mecanis- transação e é impossível apagar registros provavelmente não será apenas uma
mo permite que todos os produtos te- de uma transação no blockchain. opção”, aponta Castro.

6 - D e z em b r o 1 8
Confiabilidade necedores e transportadores que mani- automatizados e integrados a toda a
Sem transparência, segurança e ras- pulem o item. cadeia produtiva, garantindo mais segu-
treabilidade, seja em cadeias de supri- Na fabricação de aviões, por exemplo, rança e qualidade à linha de produção,
mentos globais ou locais, é extrema- o blockchain pode facilitar a garantia evitando riscos e reduzindo custos.
mente complicado identificar se existe da qualidade dos suprimentos. Na tran- Como o blockchain funciona como
alguma fraude ou prática ilícita nas sação de peças que vão ser usadas na um bloco de informações, onde todos
linhas de produção. Na área de logís- montagem da aeronave, contratos inte- os processos e transações formam um
tica, a tecnologia blockchain permite ligentes podem rastrear a procedência histórico único e criptografado de ponta
verificar a origem e a autenticidade dos de cada peça conforme sua integração a ponta, e com a inserção de contratos
suprimentos que fazem parte de cada aos processos logísticos. inteligentes nessa cadeia, é possível ga-
etapa da cadeia, garantindo a qualidade Seu trajeto desde a sua linha de pro- rantir a integridade dos processos e ter
do produto final. Contratos inteligentes, dução até o local onde vai ser usada na certeza de que a peça que chegou ao
que passam a ser um dos blocos da ca- montagem é longo: a peça sai da fábrica pátio de montagem é a legítima.
deia, definem as regras sobre as transa- em um caminhão contêiner que é descar- Um contrato inteligente funciona como
ções e automatizam as interações entre regado no armazém em um determinado se fosse um contrato normal firmado en-
as partes. porto. Dali, esse contêiner é enviado ao tre duas partes, com a diferença de que
Na saída da fábrica, é gravado um porto de destino, onde é carregado em ele é digital, não pode ser perdido ou
número de rastreamento, que é digita- um caminhão, entregue na distribuidora adulterado, e é executável. Com isso, é
lizado e se torna a primeira entrada no e, então, encaminhado ao seu destino – possível garantir a execução do acordo
blockchain. A partir daí todas as etapas o pátio da empresa fabricante. automatizada, eliminando intermediários
da logística passam a ser monitoradas, Com isso, a tendência é que os proces- e, consequentemente, gerando menos
independentemente do número de for- sos logísticos se tornem cada vez mais burocracia e mais agilidade.
empilhadeiras
empilhadeira

Fabricantes: Final de 2018 já mostrou


sinais de crescimento do mercado,
que deve continuar em 2019
falar sobre este segmento, do, devido aos diversos
Otimistas com a nesta matéria especial fatores políticos e eco-
mudança de governo sobre empilhadeiras de nômicos, situação que
e confiantes nas novas Logweb, que já se tornou foi revertida no segun-
tradicional e referência no do semestre, quando
medidas econômicas, mercado. notaram um aumento
representantes do significativo nas vendas
setor acreditam Como foi 2018 e serviço. “Com tudo
que o crescimento Roberto Fernandes, ad- isso buscamos nos es-
ministrador da Byg Transe- tabilizar o máximo, ob-
ascendente nas quip Indústria e Comércio tendo, assim, resultados
vendas iniciado no de Empilhadeiras (Fone: Marin, da KION: “Nossa positivos em relação ao
último trimestre de 11 3583.1312), desta- perspectiva é de que o ano de mercado e nos estrutu-
ca que devido à retração 2019 irá continuar com a curva de rando para o aumento e
2018 deve continuar crescimento ascendente em relação
econômica e ao baixo ní- a 2018, que já foi melhor que 2017 a projeção esperada em
em 2019. vel de investimentos em 2019.”
2018, não foi possível um crescimento De fato, na opinião de Murilo Ma-

A
exemplo dos demais segmentos no setor de empilhadeiras, “mas conse- rin, gerente de vendas da KION Group
da economia, o mercado brasilei- guimos manter os níveis de 2017”. South America (Foto: 11 4066.8100) –
ro de empilhadeiras apresentou, Fernandes também lembra que 2018 que fornece empilhadeiras das marcas
nos últimos anos, retrações resultantes da foi um ano difícil de trabalhar: começou STILL, Linde e Baoli – no início do ano,
crise econômica pela qual o país passa. com os números bem abaixo do espera- após mudanças na política econômica,
Mas, há sinais claros de recuperação.
Senão vejamos: Em 2016, o mercado
chegou a 9.800 unidades produzidas; em
2017, a 14.500 unidades; e, em 2018, a
previsão é que tenham sido produzidas
18.000 unidades. Para 2019, está previs-
ta a produção de 19.000 unidades.
É importante destacar que, em 2018,
o mercado de empilhadeiras será 24%
maior que de 2017, o que permite co-
memorar uma recuperação com caute-
la, pois ainda estamos muito distantes
do melhor momento do mercado, que
ocorreu em 2013, com mais de 24.000
unidades produzidas.
Porém, ninguém melhor que os pró-
prios fabricantes de empilhadeiras para

10 - D e z em b r o 1 8
havia uma expectativa de melhora em 3856.9098), também aponta um sua- mento de demanda, principalmente no
relação a 2017, mas no decorrer do ano ve crescimento do mercado em 2018, último trimestre, o que elevou as expec-
houve alguns contratempos que impac- principalmente no segundo semestre. tativas da empresa no que se refere ao
taram nas previsões iniciais, gerando Para ele, o ano poderia ter sido muito fechamento do exercício.
oscilações especialmente no final do 1º melhor caso não fosse um ano de elei- E Luis Humberto Ribeiro, diretor da
semestre. Em contrapartida, no último ção, fato que manteve o compasso de Zeloso Indústria e Comércio (Fone: 11
trimestre a aceleração da economia foi espera para muitos empresários, tanto 3694.6000), destaca que, por ter sido um
muito positiva, e o ânimo no mercado brasileiros quanto estrangeiros. ano difícil para os fabricantes de maqui-
encorajou a continuidade de novos in- “O mercado apresentou evolução nas e equipamentos em geral, a sua em-
vestimentos em diversos segmentos da positiva e cresceu 23% de janeiro a se- presa procurou trabalhar em um nicho de
indústria, gerando o aumento da de- tembro de 2018, na comparação com empilhadeiras especiais, desenvolvendo
manda e fazendo com que as previsões o mesmo período do ano anterior”, soluções especiais para movimentação
iniciais da empresa se confirmassem. comemora Vigold Georg, diretor geral de carga, incluindo diversos aplicativos.
“Ou seja, 2018 marcou a retomada de da Jungheinrich Brasil – Jungheinrich Também trabalharam focados em empi-
crescimento em nossa indústria, mesmo Lift Truck (Fone: 0800 819.9001), que lhadeiras em aço inox para as indústrias
que ainda aquém da nossa expectativa, fornece empilhadeiras das marcas Jun- alimentícia, química e farmacêutica.
e finalizamos o ano com uma perspecti- gheinrich e Ameise.
va positiva, alterando o cenário instável Também otimista, Denis Dutra de E 2019
de altos e baixos que tivemos no decor- Oliveira, CEO da Paletrans Empilhadei- Considerando que no fechamento de
rer de 2018”, completa Marin. ras (Fone: 16 3951.9999), destaca que 2018 o setor já apresentava uma ligeira
Mauro Arrais, diretor de operações da 2018 foi um ano bom, se comparado recuperação, quais são as perspectivas
Clark Material Handling Brasil (Fone: 19 com os últimos três anos: houve cresci- para 2019?
empilhadeiras
empilhadeira
“Para o primeiro semestre de 2019 maduro. Por isso, ele
trabalhamos com a expectativa de ter- acredita que se abrirão
mos um mercado muito parecido com muitas oportunidades
o segundo semestre 2018. Mas não para os próximos anos.
podemos esquecer que ainda nos de- Perspectiva parecida
paramos com um cenário onde muitas tem Oliveira, da Pale-
indústrias reduziram muito sua capa- trans, que prevê um cres-
cidade produtiva e a retomada requer cimento bastante se-
algum tempo. Mas apostamos na recu- melhante ao do quarto
peração econômica e buscaremos al- trimestre de 2018: mais
ternativas em outros segmentos, cuja gradual ao longo da pri-
projeção de crescimento é de 10%, Arrais da Clark: 2018 poderia Georg, da Jungheinrich: a previsão meira metade do ano e
principalmente motivada pelo enve- ter sido muito melhor, se não para 2019 é de crescimento de acentuando mais no se-
lhecimento da frota nacional, projetos fosse um ano de eleição, fato que 10%. Parte significativa deste gundo semestre, em se
manteve o compasso de espera resultado virá do segmento
especiais, locações de equipamentos para muitos empresários varejista, com máquinas elétricas
implementando as no-
hidráulicos, contratos de manutenções vas políticas econômi-
preventivas/corretivas e locações de rando uma curva de crescimento em cas propostas pelo novo governo eleito.
equipamentos hidráulicos, o que há relação aos anos anteriores. Nossa “A se considerar a demanda comprimi-
algum tempo tornou-se tendência de perspectiva é de que o ano de 2019 irá da em 2018 na área de investimentos,
mercado”, comenta Fernandes, da Byg continuar com a curva de crescimento acreditamos que em 2019 o mercado
Transequip. ascendente em relação a 2018, que de empilhadeiras tenha uma melhora
Também para Georg, da Junghein- já foi melhor que em 2017.” Segundo razoável”, acrescenta Ribeiro, da Zeloso.
rich, a previsão para 2019 é de cres- ele, o mercado brasileiro está em cons-
cimento de 10%. Parte significativa tante transformação, se comparado ao Inovações
deste resultado virá do segmento vare- mercado europeu, que é um mercado Os participantes desta matéria espe-
jista. “Vemos uma tendência de subs- cial também falam das inovações em
tituição de equipamentos a combustão relação às empilhadeiras, em termos de
pelos equipamentos elétricos com uso tecnologia embarcada e outros fatores.
da bateria de chumbo-ácido ou com a Falando de um modo amplo, o di-
tecnologia da bateria de lítio. Afinal, retor geral da Jungheinrich diz que a
os equipamentos elétricos, além de se- tendência mundial é de automatização.
rem mais econômicos, também estão No Brasil, também tem se verificado
100% alinhados com o posicionamen- um aumento na análise de projetos de
to estratégico das empresas em rela- automatização, não somente daqueles
ção à sustentabilidade e segurança”. voltados para armazéns autoportantes –
Já no caso da Clark, segundo Arrais, o que já é uma realidade no País –, mas
a expectativa de crescimento em ven- na automatização de equipamentos de
das é da ordem de 25%, “principal- intralogística, como, por exemplo, sele-
mente pelo bom resultado de nossos cionadoras de pedidos, transpaleteiras,
equipamentos elétricos e de lança- rebocadores, empilhadeiras, entre ou-
mentos que ocorreram em 2018”. tros.
Sem citar previsões de crescimento, “O mercado brasileiro pode contar
Marin, da KION, lembra que estabi- com a Jungheinrich como um fornece-
lidades política e econômica são as dor único, já que estamos preparados
motrizes necessárias para gerar con- para implementar tanto projetos de ar-
fiança, estimular o consumo e, por mazéns autoportantes como projetos
consequência, novos investimentos. de automatização com equipamentos
“É um ciclo virtuoso que certamente de intralogística em qualquer operação
nos trará grandes oportunidades, ge- brasileira”, diz Georg.

12 - D e z em b r o 1 8
empilhadeiras
empilhadeira
Ainda segundo ele, existem tam- ras elétricas, a opção de rie uma tecnologia cha-
bém várias soluções de automatização bateria de íon de lítio. mada Blue Q, um item
parcial, baseadas na interligação do Marin lembra que para patenteado e exclusi-
equipamento com o WMS (Sistema de cada situação a KION vo dos equipamentos
Gerenciamento de Armazém). O equi- oferece soluções diferen- STILL que otimiza as
pamento monitora em tempo real sua ciadas, com tecnologias características de con-
posição no armazém e processa as in- especificas para atender dução e também atua
formações do WMS. Com estas infor- às necessidades de acor- no acionamento inteli-
mações, o equipamento pode indicar do com as exigências de gente dos recursos elé-
ao operador o caminho mais curto, seus clientes. tricos auxiliares, onde o
definir a altura correta de elevação ou “Citando alguns exem- resultado é a economia
até parar sozinho na posição correta plos, quando falamos em Segundo Oliveira, da Paletrans, de energia, que pode
do palete. A grande vantagem: a tec- máquinas elétricas pos- em 2018 houve crescimento chegar a até 20% nas
de demanda, principalmente no
nologia ajuda a chegar à posição final suímos baterias Li-Ion último trimestre, o que elevou as máquinas contraba-
mais rápido e, ao mesmo tempo, evi- com durabilidade superior expectativas da empresa lançadas elétricas e a
ta o armazenamento ou a retirada de a ofertada pelo mercado. 10% nas retráteis, ou
produtos na posição errada. Para empresas que possuem necessi- seja, maior autonomia para as baterias
Ainda em se tratando de tecnologias, dade de gestão da frota possuímos o gerando maior produtividade.”
Oliveira, da Paletrans, lembra que estas Fleet Manager, onde poderão medir Ainda segundo o gerente de vendas
e as inovações em curso, assim como o desempenho de seus operadores, o da KION, em se tratando de equipa-
as planejadas pela empresa, estão, em nível de utilização por equipamento e mentos a combustão da STILL há a
suma, relacionadas e conectadas às a produtividade, além de outros inú- família RC44, produzida no Brasil em
demandas da indústria 4.0, possibili- meros relatórios possíveis, onde nossos sua fábrica em Indaiatuba, SP, “onde
tando conectividade, gerenciamento clientes poderão de fato profissionali- destaco o sistema de freio lamelar
real time e maior produtividade nas zar a gestão dos seus equipamentos com baixíssimo custo de manutenção,
operações dos clientes. E, ainda nes- com inteligência de informação, tendo e para a marca Linde destaco o ino-
ta linha, Ribeiro, da Zeloso, aponta os como benefício aumento da produtivi- vador e único sistema hidrostático que
aplicativos desenvolvidos para atender dade e diminuição de custos. Ainda em propicia menor custo de manutenção,
às movimentações diferenciadas. se tratando de equipamentos elétricos, maior produtividade e menor consumo
Um dos focos e tendências da Byg nossos equipamentos possuem de sé- de energia”.
Transequip está voltado para projetos
especiais, devido a uma grande neces-
sidade de mercado em desenvolvimen-
to de novos produtos automatizados e
personalizados. “Procuramos aplicar
tecnologias de ponta, como sensores e
controladores de movimento, de modo
a garantir segurança e produtividade
para os usuários, com redução de cus-
to operacional”, destaca Fernandes.
Já a Clark tem um processo de me-
lhoria contínua, seja nas empilhadeiras
movidas a GLP e a Diesel, “que são
cada vez mais robustas e mais econô-
micas”, seja na linha de máquinas elé-
tricas, “com um amplo enxoval de itens
de segurança e produtividade disponí-
vel”, comenta Arrais. Hoje, no Brasil, a
empresa oferece, para suas empilhadei-

14 - D e z em b r o 1 8
empilhadeiras
empilhadeira

Distribuidor: Perspectivas para


2019 são de crescimento, com
atendimento de novos setores
O otimismo também a greve dos caminhoneiros, Empilhadeiras (Fone: 19
é a regra neste que fez de maio o nosso 3756.2100), o merca-
pior mês do ano. Em junho, do voltou a acreditar, já
segmento. Afinal, como reflexo da greve dos antes da eleição, e este
muitos usuários caminhoneiros houve um otimismo teve continui-
destas máquinas aumento, devido às pen- dade. “Tivemos um início
dências do mês de maio. de ano bastante provei-
iniciaram estudos
A partir de julho de 2018 toso, que se manteve
para renovação de percebemos uma reação no até meados de agosto.
sua frota, inclusive mercado, principalmente As eleições causaram ex-
aqueles que há no setor de venda de empi- pectativas que esfriaram
lhadeiras, onde nosso cres- Makimoto, da Aesa: “Temos a comercialização em
muito estavam com cimento até o momento é diversos negócios aguardando geral, mas a locação de
seus investimentos de 60% comparado ao pri- fechamento e acreditamos que a equipamentos continuou
venda de máquinas novas iniciará
congelados. meiro semestre de 2018.” um novo ciclo de crescimento” presente. Estamos agora
A análise é de Gustavo Ya- em um momento de re-

T
ambém no setor de distribuição de mada Ito, gerente comercial da Nova Fase tomada, que deve se consolidar melhor
empilhadeiras, o ano de 2018 foi Máquinas (Fone: 41 3344.4988). neste ano que se inicia. Percebemos pela
marcado pela gangorra de “altos Eduardo Makimoto, diretor da Aesa quantidade de cotações de equipamentos
e baixos”. Empilhadeiras (Fone: 11 3488.1466), que voltaram a ser solicitadas.”
“Dois mil e dezoito foi um ano com bai- também relata o que a sua empresa pas- Marcelo Travain Ayub, gestor de uni-
xas expectativas, devido à crise sou em 2018. Foi um ano de adaptações, dades da JM Empilhadeiras (Fone: 14
econômica e à incerteza políti- de reorganização e reestruturação de al- 3262.1130), conta que, mesmo diante das
ca. O ano começou com baixos guns departamentos para manter a sua incertezas das eleições e dos momentos
faturamentos de empilhadei- estrutura, como um todo, sólida. de oscilação do mercado que ocorreram
ras, peças e serviços. Somente Segundo Makimoto, o setor de venda durante o ano, fecharam 2018 com um
a locação se manteve estável, de máquinas novas vem sofrendo que- aumento expressivo, tanto em locações
devido aos nossos contratos da há alguns anos, com isso, reestrutu- como em vendas, que passou dos 10%.
de longo prazo e algumas raram o setor de serviços e peças, com Finalizando, Joaquim Costa, gerente
locações de curto aumento significativo de faturamento, comercial de máquinas da Somov (Fone:
prazo. Porém, em sustentando, assim, a distribuição nes- 11 4772.0800), destaca que 2018 foi
março percebemos te período. Já no final de 2018, após as uma ano difícil para o mercado de em-
um aumento na eleições, houve uma expressiva melhora pilhadeiras. “Embora tenhamos notado
venda de peças no setor de máquinas novas. “Acredita- um crescimento no volume de negócios,
e serviços, sendo mos que o mercado se tornou confiante os processos de decisão de compras
até então nosso e está aumentando os investimentos no foi muito extenso na grande maioria
melhor mês do país”, comemora o diretor da Aesa. dos casos. Os mercados de locação e
ano. Porém, logo De fato, segundo Jean Robson Baptista, de máquinas seminovas foram os que
em seguida veio do Departamento Comercial da Empicamp mais cresceram em 2018 e o segmento

16 - D e z em b r o 1 8
varejista continuou demonstrando força, esperam um 2019 me- tem um comportamento
como foi em 2017. Foi um ano marcado lhor que o ano passado, muito parecido com o
pelas incertezas políticas que seguraram já que vários projetos que mercado de empilhadei-
por muito tempo os investimentos. Com aguardavam o término ras, reportou um grande
a definição mais clara do cenário polí- do período eleitoral es- crescimento nos números
tico, tivemos uma retomada das princi- tão sendo retomados e, de 2018. Este crescimen-
pais negociações no ultimo trimestre de com isso, esperam uma to deve impactar de ma-
2018 e o retorno dos investimentos.” melhor participação de neira positiva o mercado
equipamentos de movi- de empilhadeiras.
O que esperar deste ano mentação. Considerando o fato de
Sobre as perspectivas para o segmen- Costa, da Somov, traça trabalharem com clientes
to de empilhadeiras em 2019, Makimo- as suas perspectivas para Costa, da Somov: os mercados de de segmentos distintos e
to, da Aesa Empilhadeiras, alega que a este ano olhando para locação e de máquinas seminovas variados, e que hoje tan-
foram os que mais cresceram
tendência é de contínuo crescimento, as projeções dos últimos em 2018 e o segmento varejista to uma grande indústria
fomentado pelos novos planos econômi- meses de 2018 e acre- continuou demonstrando força como um supermercado
cos e políticos. “Temos diversos negócios dita em um crescimento de médio porte utilizam
aguardando fechamento para este ano. importante para 2019. Afinal, aponta empilhadeiras para fazer a movimenta-
Acreditamos que a venda de máquinas ele, muitos grandes clientes iniciaram ção interna de cargas, Ayub, da JM Em-
novas, peças e serviços iniciará um novo estudos para renovação de sua frota de pilhadeiras, afirma que só enfrentarão
ciclo de crescimento em 2019.” máquinas, clientes que há muito estavam quedas mais abruptas se houver uma
De fato, Jean, da Empicamp, aponta com seus investimentos congelados. A in- recessão generalizada em todos os seto-
que, com a retomada iniciada em 2018, dústria de caminhões, por exemplo, que res da economia. “Mas, diante do novo
empilhadeiras
empilhadeira
quadro político estamos muito otimistas dos nos clientes que que também relaciona como
e acreditamos que em 2019 teremos um aderem à nova tecno- inovações os softwares de
crescimento maior que em 2018.” logia de baterias de gestão, que permitem acom-
Outro otimista, Ito, da Nova Fase, diz lítio. Vemos que será panhar por quantas horas é
que têm uma projeção de crescimento um dos pontos fortes utilizado cada equipamento
em torno de 20%, comparado a 2018, da Aesa para este – o objetivo é reduzir o nú-
levando em consideração os investimen- ano.” mero total de equipamentos,
tos programados pelas grandes monta- Ayub, da JM Empi- aproveitando a sazonalida-
doras e os portos e a demanda reprimi- lhadeiras, diz que tem de de outros.
da nesses anos de crise. “Acreditamos presenciado nos últi- Costa, da Somov, tam-
que esses 20% sejam em uma retoma- mos anos um avanço bém destaca que os prin-
da gradativa que já vem acontecendo tecnológico expres- Ayub, da JM Empilhadeiras, cipais pontos de inovação
desde o final do ano passado e que irá sivo, sobretudo nas acredita que só enfrentarão quedas demandados pelos clientes
mais abruptas em 2019 se houver
continuar em 2019.” Ele é complemen- empilhadeiras elétri- uma recessão generalizada em são no sentido de automa-
tado por Fábio Pedrão, diretor executivo cas. Como há uma todos os setores da economia ção de suas operações e
da Retrak Comércio e Representações demanda cada vez nas novas tecnologias de
de Máquinas (Fone: 11 2431.6464), maior por este tipo de equipamento, os baterias para máquinas elétricas. Ainda
que acredita em um crescimento do se- fabricantes investiram e investem para muito direcionadas por suas matrizes,
tor entre 5% e 10% sobre 2018. melhorar o desempenho e a eficiência muitas empresas vem solicitando estu-
técnica destas máquinas. E hoje temos, dos neste sentido, mas fatores ligados
Inovações nas máquinas se comparado há dez anos, equipamen- à infraestrutura ainda são limitantes.
Aproveitando esta análise do segmen- tos elétricos com muito mais força e de- “O crescimento operacional de muitos
to de distribuição (vendas) de máquinas, sempenho operacional. segmentos que já voltam a operar em
os participantes também analisam as O gestor de unidades da JM Empi- mais de um turno pode acelerar e justi-
inovações em relação às empilhadeiras, lhadeiras diz que também perceberam ficar economicamente estas mudanças.”
em termos de tecnologia embarcada e avanços na questão da segurança. De Pelo seu lado, Jean, da Empicamp, diz
outros fatores. acordo com ele, hoje temos muito mais que percebem um olhar do fabricante
Por exemplo, Makimoto diz que a dispositivos inteligentes que garantem mais voltado a opções mais robustas.
Aesa está investindo em novas tecno- não só a eficiência, mas também a segu- Ele explica: “O momento é positivo
logias, como empilhadeiras autônomas rança das operações e dos operadores. para investimentos, a Selic se manteve e
e baterias de lítio – tecnologias ainda “Cada vez mais as máquinas são equi- os bancos estão em busca desses inves-
embrionárias, mas que tendem a evo- padas com dispositivos que visam ao tidores. O governo no momento não está
luir com a maior demanda do mercado, aproveitamento de 100% do tempo de subsidiando como antes, o que torna os
acredita. “Estamos tendo bons resulta- seu uso”, acrescenta Pedrão, da Retrak, bancos privados mais atrativos. Tudo isso
corrobora para que fabricantes olhem
menos para componentes mais baratos e
de qualidade inferior, para trazer produ-
tos de mais qualidade e valor agregado.
Com isso notamos várias marcas inves-
tindo em tecnologia para melhoria de
sua frota de venda. São várias as fontes,
Ásia, Europa as principais. Essa busca de
melhorias tem mudado os equipamen-
tos, no que refere à qualidade e robustez.
O mercado nacional também embarcou
nessa, com alterações em componentes
como motores e controladores que se
mostram mais confiáveis. Quem não o
fizer, poderá ficar para traz.”

18 - D e z em b r o 1 8
empilhadeiras
empilhadeira
Novos nichos nais para cargas longas optando por substituir
Quais seriam, na opinião dos distribui- ou fora do padrão e mo- seus equipamentos a
dores, os novos nichos de mercado que vimentadores universais combustão por empilha-
estão usando empilhadeiras? E quais as (para contêiner) ganham deiras elétricas. Grande
mais vendidas? cada vez mais espaço em parte por redução de
Jean, da Empicamp, diz que estamos operações brasileiras. custos de combustível e
passando por uma transição na aplicação “Como dissemos ante- manutenção”, completa
de equipamentos. A palavra de ordem é riormente, além das gran- Ito, da Nova Fase.
“espaço”. A busca de otimização de espa- des indústrias que sempre
ço tem feito com que muitos consultores tiveram esta demanda O que as empresas
de logística, clientes de operações de por- por equipamentos de mo- oferecem
te e Operadores Logísticos resignifiquem vimentação interna de Ito, da Nova Fase: a projeção de Aesa: Além de dis-
o conceito de aplicação de equipamentos. cargas, agora as peque- crescimento é em torno de 20% tribuir toda a linha de
sobre 2018, levando em conta os
“Notamos um cliente mais atencioso ao nas e médias empresas, investimentos programados e a equipamentos Clark no
ganho de corredores, alturas de armaze- tanto do setor industrial, demanda reprimida mercado do grande ABC
nagem e espaço de movimentação.” como de varejo e de ser- e baixada santista, a em-
Hoje – continua Jean –, o cliente não é viços, também estão incorporando essas presa possui um estoque de mais de 300
mais obrigado a se adequar ao que o mer- soluções em suas operações para agilizar equipamentos seminovos para venda,
cado de equipamentos de movimentação seus processos internos e poderem se oriundos da renovação da frota de rental.
oferece, o conceito foi aberto e os fabri- tornar mais eficientes e competitivas.” Empicamp: Trabalha com a marca
cantes responderam com equipamentos Esses novos segmentos – ainda segun- Combilift e também oferece equipa-
para customização de espaço, tempo e do Ayub, da JM Empilhadeiras – estão mentos para armazéns, como retráteis,
mão de obra. Isso volta o olhar ao verda- fomentando as vendas de equipamentos patoladas e transpaleteiras da marca
deiro protagonista da logística, o produto elétricos menores, que operam em corre- SAS Empilhadeiras. Vende equipamen-
do cliente, não os equipamentos de movi- dores estreitos e espaços reduzidos, e que tos novos e usados e também loca esses
mentação. Com isso, equipamentos VNA não emitem gases poluentes – sendo in- equipamentos.
(para corredores estreitos), multidirecio- dicados para atuar em espaços fechados. JM Empilhadeiras: É represen-
A Clark possuía pouca participação no tante oficial do KION Group, que fa-
mercado de empilhadeiras elétricas, po- brica as empilhadeiras Linde e STILL.
rém, em 2018, alinhou os produtos e a Além de assistência técnica e venda de
Nova Fase Máquinas teve ótimas vendas peças e assessórios, atua com a venda
de equipamentos elétricos, o que a levou e locação de equipamentos novos e
a um mercado que até então não vinha seminovos.
atendendo, principalmente no que diz Nova Fase: É distribuidor Clark no
respeito às transpaleteiras elétricas com Estado do Paraná e leste de Santa Ca-
torre. “Com isso atendemos a demanda tarina. Comercializa máquinas novas da
principalmente dos clientes de alimen- marca Clark e usadas multimarcas.
tos e que possuem necessidade de um Retrak: Trabalha 100% com máqui-
equipamento menor que a empilhadeira nas da KION Group (Linde-STILL). Tam-
contrabalançada elétrica”, completa Ito. bém atua com locação.
Com a crise estabelecida no Brasil, Somov: Distribui no Estado de São
as empresas tiveram que reduzir seus Paulo as marcas Hyster e Yale, e na re-
custo, o que implica em modernizar e gião Centro-Oeste, Norte e no Estado
ajustar seus processos. Com isso houve no Maranhão a marca Hyster. Oferece
um aumento significativo na venda de também máquinas seminovas que têm
equipamentos elétricos, principalmente origem na renovação de seus contratos
nos setores agropecuários e alimentícios. de locação e locação de máquinas novas
“Vemos uma mudança gradativa tam- e seminovas atendendo, neste caso, todo
bém em grandes empresas que veem o território nacional.

20 - D e z em b r o 1 8
empilhadeiras
empilhadeira

Importadores: Aumento do
dólar causou pouco impacto no
desempenho do setor em 2018
-americana oscilou entre lembra que a alta do
Outros fatores, R$ 3,1394 (valor mínimo dólar, a Copa do Mundo
comuns a todos de fechamento registrado e as eleições refletiram
os segmentos no pregão de 26 de Ja- negativamente no de-
neiro) e R$ 4,1957 (valor sempenho do setor, mas,
da economia, máximo de fechamento re- ainda assim conseguiram
atravancaram o gistrado no pregão de 13 manter a meta anual.
desempenho deste de Setembro) – estas in- Quanto a esta última
setor no ano passado. formações estão do site da afirmação, ela reflete o
ADVFN – https://br.advfn. ocorrido com os importa-
Fatores como Copa com/moeda/dolar/2018. dores: foi um ano difícil,
do Mundo, eleições, Mas, parece que esta Antunes, da BYD do Brasil: mas de recuperação.
concorrência e alta não se refletiu nos os reflexos dos processos de “O ano de 2018 se ini-
negócios dos importadores BID retomados no final de 2018
ciou com uma grande ex-
variações de preços. devem fazer de 2019 um ano
de empilhadeiras em 2018. surpreendente para o setor pectativa de crescimento,
Mas, 2019 promete Pelo menos nos que parti- baseada no ultimo tri-
recuperação. cipam desta matéria especial, a ponto de mestre de 2017 que foi excelente. Inicia-
somente um citar a moeda norte-ameri- mos realmente conforme essa expectati-

O
dólar subiu 16,94% no acumu- cana como um dos empecilhos para o de- va, mas quanto mais se aproximavam as
lado dos doze meses de 2018, senvolvimento do setor naquele ano. eleições mais morno ficava o mercado,
tendo fechado o último pregão Marcelo de França Yoem, da Zuba Co- até que ficou totalmente frio. Porém,
de Dezembro cotado a R$ 3,8750 para mércio de Máquinas e Equipamentos In- após as eleições o mercado se reaqueceu
compra e a R$ 3,8757 para venda. No dustriais (Fone: 11 4719.9099) – empresa com força total, retomando grandes pro-
período, a cotação da moeda norte- que trabalha com as empilhadeiras CHL –, cessos de BID e por isso acredito que o
fechamento de 2018 e o inicio de 2019
reforçarão a fase de retomada do cres-
cimento que estamos tanto esperando”,
diz Henrique Antunes, diretor de vendas
America do Sul da BYD do Brasil (Fone:
19 3514.2550). A empresa atua com as
empilhadeiras da marca BYD.
Também para Rogerio Valiati, gerente de
vendas da Lintec Indústria e Comércio de
Motores e Equipamentos de Movimenta-
ção de Materiais (Fone: 54 3238.8055) –
que trabalha com empilhadeiras do mes-
mo nome – o mercado de movimentação
de materiais está em recuperação. “Es-
tamos sentindo uma movimentação po-

22 - D e z em b r o 1 8
sitiva em vários segmentos do mercado, manter, mesmo que com menores per- Silva, da Tecfork, também prevê um as-
apesar de modesta. O ano de 2018 foi centuais de lucros.” cendente crescimento para 2019. “Será
difícil para a comercialização de máqui- um ano de novas oportunidades de mu-
nas novas, muito concorrido, com varia- Já estamos em 2019 danças no segmento, oportunidade esta
ções de preços. Mostrou-se competitivo e E para 2019, quais as expectativas dos para continuarmos nos atualizando, mo-
também houve adequação na gama de importadores de empilhadeiras? dernizamos nossa frota de equipamentos
concorrentes.” Há esperanças. “Esperamos que a mu- e aumentarmos a área de atuação por
Como importadores de empilhadeiras, dança de governo melhore a economia meio de nossas filiais.”
Jorzafar Fonseca da Silva, gerente da Te- de nosso país”, afirma Yoem, da Zuba. E Valiati, da Lintec, conclui esta aná-
cfork Máquinas (Fone: 11 2615.2777) – Mas, em termos ge- lise dizendo que o ano de 2019 está
representante das marcas CHL e Hang rais, o otimismo con- se mostrando mais animador, apesar
Cha – também diz que notaram uma tinua. “Os reflexos de o segmento estar se
mudança significativa no mercado e um dos processos de BID adequando quanto a
ligeiro aquecimento: as vendas aumenta- retomados no final de volumes. “Observamos
ram, os clientes voltaram a fazer contato 2018 devem fazer de uma tendência cada
com frequência. “Inclusive aumentamos 2019 um ano sur- vez maior pela opção
a nossa equipe comercial para atender a preendente”, da locação
esta demanda, bem como aumentamos comenta An- de má-
o número de máquinas à disposição. Ain- tunes, da BYD q u i n a s,
da tem-se uma grande competitividade e do Brasil. já que
cada vez mais as empresas estão agres- clientes
sivas com suas propostas, para tentar se antes

Sua operação merece o que


há de melhor no Brasil!
Carregadores de Alta Frequência JLW, produto 100%
Nacional, com eficiência comprovada por grandes empresas do
segmento.

Suas vantagens são:


• Redução dos custos de recarga em até 25%;
• Gabinete Compacto;
• Desenvolvidos para todos os tipos de bateria, de 170 A/h a 1240
A/h. Com tensão de saída 12/24/36/48/80, tensão de rede 220V
ou 380V ou 440V(trifásico) ou 220V(Monofásico).

Faça seu orçamento e conheça os recursos oferecidos por


este carregador que vem ganhando o mercado e
potencializando as operações logísticas.
JLW, Tecnologia em Energia para sua operação!
a trativ

www.jlweletromax.com.br
Foto Ilus

Tel.: 3491-6163
Tenha a empilhadeiras
empilhadeira
logística
em suas mãos tidos como consumidores finais de máqui-
nas passaram a optar por máquinas loca-
operadores, tornando essas tarefas mais
baratas e produtivas.
das. Este perfil está cada vez mais latente

Assine a em empresas que necessitam de uma reno-


vação de frota.”
Novos nichos de mercado
Sobre os novos nichos de mercado que
estão usando empilhadeiras, Antunes, da
Inovações BYD do Brasil, diz que é possível apontar os
Os importadores de em- que estão iniciando o uso
pilhadeiras também falam de equipamentos elétri-
sobre as inovações nestas cos, que agora, com a tec-
máquinas. nologia Lítio, conseguem
O diretor de vendas Ame- atender operações severas.
rica do Sul da BYD do Brasil “Isso pode ser acompa-

12 meses
destaca que, hoje, todos os nhado com o aumento do
players do mercado buscam, market share de elétricas x
principalmente, a tecnologia combustão.”

R$ 233,00 de baterias de Lítio e a auto-


mação. “Em termos de bate-
Falando especificamen-
te em termos de segmen-
rias de Lítio, disponibilizamos to, Valiati, da Lintec, res-

24 meses
Valiati, da Lintec: há uma
esse tipo de equipamento no tendência cada vez maior pela salta que o agronegócio
Brasil desde 2015. E, em ter- locação. Este perfil está cada vez está apresentando um
mos de automação, estamos mais latente em empresas que crescimento interessante,
R$ 413,00 disponibilizando, em parceria necessitam renovar a sua frota
com a Automni, o equipamento autônomo viço (locação).
seguido pelo setor de ser-

PTP20-Rhinno, que já se encontra operando “O mercado de empilhadeira ainda tem


em grandes empresas do setor de e-com- muito que crescer porque ainda existem
merce, alimentos e logística”, diz Antunes. muitas empresas tradicionais que estão

io
E o gerente de vendas da Lintec também pensando diferente e trocando serviço

i t á r

!
s
aponta que o mercado está tendendo cada manual pelo mecânico. O Brasil é muito
r
Unive a
vez mais para as máquinas elétricas, porém grande, com grande potencial”, acrescenta

pag
lentamente. “Máquinas elétricas estão mi- Yoem, da Zuba.

a
grando para baterias de íons de lítio, devido De fato, como completa Silva, da Tecfork,

me i
a uma adequação dos custos operacionais a demanda de equipamentos aumenta
mais para baixo. Este tipo de tecnologia cada vez mais quando se tornam comuns e
permite optar por cargas de oportunidade, de fácil compreensão.
além de customizar o equi-
pamento conforme a neces-
sidade do cliente. Mas ainda
devem passar por uma ade-
quação nos valores de aquisi-
ção”, explica Valiati.

11 3964.3744
E o gerente da Te-
cfork diz enxergar o

11 3964.3165
entendimento dos
clientes e o aumento
da procura por má-
quinas inteligentes,
que executam tare-
admin@logweb.com.br fas repetitivas sem
www.logweb.com.br
24 - D e z em b r o 1 8
empilhadeiras
empilhadeira

Locadores: com reaquecimento


da economia, setor espera
aumento das negociações
zendo com que contra- conseguimos, através da
O novo cenário tos que estavam sendo política, mudar o rumo
político tem enchido negociados por mais do Brasil, de uma si-
de esperança as de dois anos se con- tuação de queda livre e
cretizassem. Com isso, desânimo generalizado
empresas que tivemos um crescimento para uma expectativa
atuam com locações na ordem de 10% e pas- de justiça, honestidade
de equipamentos samos a funcionar em e transparência do setor
logísticos. Mesmo regime de horas extras público, que reflete di-
para atender à grande retamente em todas as
que o crescimento demanda do mercado.” nossas atitudes e resulta-
seja gradual, não Carlos Fernandes, di- Ferreira, da Brasil Fort’s: “a dos diários.”
há quem duvide retor comercial da Co- instabilidade do mercado gerou Instabilidade também
parts Peças, Pneus, Servi- muita apreensão, contudo, está na fala de Edivaldo
que o mercado entendemos que, para o mercado
ços e Locações (Fone: 11 de locação, o saldo foi positivo” Ferreira, gerente comer-
está começando a 2633.4000), que traba- cial da Brasil Fort’s Empi-
melhorar. lha com as marcas Hyundai, Paletrans, lhadeiras (Fone: 11 7729.0065), que tra-
Manitou e Rodaco, define 2018 como balha com multimarcas. “A instabilidade

O
s últimos tempos foram de tur- muito instável. Pelo lado negativo, ele do mercado gerou muita apreensão, con-
bulência na política e na econo- cita as eleições, a Copa do Mundo e tudo, entendemos que, para o mercado
mia do país. Com a definição do o excesso de feriados. “Enfim, foi um de locação, o saldo foi positivo. Se, por
novo governo, as empresas que atuam ano que se apresentou como o fundo um lado, muitas empresas diminuíram
no setor de locação de empilhadeiras es- do poço, mas que agora começamos suas operações ou até mesmo fecharam
peram que a situação comece a melho- lentamente a subir. Pelo lado positivo, as portas, por outro, muitas companhias
rar e os resultados sejam sentidos mais
fortemente por todo o mercado.
Fazendo um balanço do segmento
em 2018, Eduardo Makimoto, diretor
da Aesa (Fone: 11 3488.1466), distri-
buidora da marca Clark, observa que
o mercado retomou o otimismo no
segundo semestre, alavancado prin-
cipalmente pela eleição presidencial.
“A indústria vinha em uma descen-
dente, atingindo o vale em meados de
2018, impulsionada pela incerteza e
catalisada pelo cenário externo. Porém,
após o período de eleições, houve uma
mudança na confiança da indústria, fa-

26 - D e z em b r o 1 8
que sempre optaram por frota própria o crescimento de 11% ano desafiador. “Mesmo
ficaram apreensivas em aumentar o ati- no faturamento da SDO tendo sido melhor que
vo e descapitalizar o caixa, escolhendo em comparação a 2017. 2017, houve uma certa
locar. Assim, além de compensar perdas, Foi, realmente, um recuperação no primeiro
terminaram favorecendo o crescimento ano atípico, na opinião semestre e uma estag-
desse setor”, avalia. de Enéas Basso Junior, nação muito forte no
Foi um ano de muitas incertezas para diretor comercial da Ele- segundo, fruto da natural
Marcelo Yamamoto, gerente da SDO trac Indústria (Fone: 11 incerteza causada pelos
Equipamentos (Fone: 19 3256.2800), 4523.3890), que atua acontecimentos políticos
que trabalha com várias marcas e é dea- com as marcas Hyster e e econômicos e pela for-
ler da Hangcha. “A política de protecio- Still, entre outras. “Tive- te polarização das elei-
nismo do governo Trump, aumentando mos processos de locação Para Yamamoto, da SDO, ções”, expõe.
tarifas e abrindo uma ‘guerra’ com a muito disputados e clien- a substituição da compra de O ano de 2018 iniciou
empilhadeiras por locação
China, afetou os mercados mundiais. tes priorizando menor possibilitou o crescimento de 11% com baixa demanda de
A alta expressiva do dólar frente ao real preço acima de tudo. Pelo no faturamento da marca em 2018 locações e prestação de
e o possível resultado das eleições foram lado positivo, abriram-se serviços decorrente da cri-
preponderantes para a postergação de mais oportunidades, devido ao grande se política e econômica brasileira, analisa
investimentos por parte das empresas.” número de renegociações”, reconhece. Eduardo de Almeida D’Elboux, gestor de
Por outro lado, Yamamoto conta que Carlos Henrique Filizzola, gerente custos e orçamentos da Elba Equipamen-
é cada vez mais crescente a decisão da comercial de rental e logística da Tradi- tos e Serviços (Fone: 31 3555.2600), que
substituição da compra de empilhadeiras maq (Fone: 31 2104.8007), distribuido- trabalha com vários fabricantes, como
por locação, movimento que possibilitou ra das empilhadeiras Yale, fala em um Hyster, Kalmar e Paletrans.
empilhadeiras
empilhadeira
Ele conta que, a partir de outubro de retorno do interesse dos Danyi, diretor da Eletro-
2018, a demanda começou a aumentar, clientes por novas tecno- fran Comércio e Serviço
o que a empresa espera que irá se man- logias e controles, alavan- (Fone: 11 3858.8132),
ter em 2019, como consequência das cando as cotações e os que trabalha com mul-
condições mais propícias à retomada projetos de locação. timarcas. “Como ponto
do crescimento econômico do país. “Depois de vários anos positivo, cito a tercei-
Além deste cenário, D’Elboux lembra com manutenção do fa- rização de atividades.
que a cotação do dólar influencia dire- turamento bruto, o que, Como negativo, a buro-
tamente no preço de venda de novas devido à crise, é de se cracia governamental.”
empilhadeiras. “O dólar, que iniciou comemorar, em 2018 os Mauricio Karwatzki,
2018 na casa de R$ 3,30, chegando a resultados foram ainda consultor de rental da
atingir R$ 4,10, prejudicou os investi- melhores, com aumento Fabiana, da Kion: “em 2018, Makena – Máquinas,
mentos e os planejamentos das renova- no faturamento bruto de os grandes BIDs ocorreram e Equipamentos e Lu-
foram finalizados, diferentemente
ções das frotas”, observa. 15%, em razão do cresci- de 2017, quando houve muitos brificantes (Fone: 51
Os últimos anos foram bem difíceis mento na quantidade de estudos, porém, sem conclusão” 3373.1180), que traba-
para o setor de locação, segundo José equipamentos disponíveis lha com a marca Yale,
Carlos Storino, diretor comercial da MT para locação”, revela Fábio Pedrão, aponta como aspecto negativo em 2018
Empilhar (Fone: 11 94770.5320), mul- diretor executivo da Retrak Comércio e a greve dos caminhoneiros, e, como po-
timarcas. “Observamos queda total de Representações de Máquinas (Fone: 11 sitivo, a reação da economia com o fim
oportunidades de negócios e queda 2431.6464), dealer do Grupo Kion, de- das eleições.
brutal de preços.” tentor das marcas Linde e Still. Na análise de Antonio Carlos Rubino,
No entanto, para Fabiana Souza Como aspectos negativos no ano que diretor da Trax Rental do Brasil (Fone:
Cinto, gerente de locação da Kion se passou, cita a não aprovação de re- 11 4468.7777), que trabalha com mul-
South América – Linde e Still (Fone: 11 formas estruturais necessárias e a ins- timarcas, 2018 foi um ano em compas-
4066.8100), 2018 foi um ano muito tabilidade política. Segundo Pedrão, o so de espera, por várias razões. “Agora
positivo. “Os grandes BIDs ocorreram e, alto custo dos financiamentos dificulta com o cenário político já definido, co-
o mais importante, eles foram finaliza- o crescimento em médio e longo prazos. meça um movimento de renovação de
dos, diferentemente de 2017, quando O setor de locação de empilhadeira contratos, embora a maioria ainda seja
observamos muitos estudos, porém, vem crescendo de maneira vertigino- para renovação com máquinas usadas.
sem conclusão.” Além disso, ela cita o sa, de acordo com Francisco Carlos C. Poucas das renovações e dos contratos
fechados foram com equipamentos no-
vos”, observa.

Expectativas em alta
Após anos seguidos de pessimismo,
os indicadores apontam para um ce-
nário de otimismo para 2019. É o que
observa Pedrão, da Retrak, quando fala
das perspectivas para o setor neste ano
que se inicia. “Um novo governo demo-
craticamente eleito terá a força neces-
sária para promover reformas voltadas
ao crescimento sustentável. A Retrak
continuará com sua política de aumen-
to em sua frota de locação e moderni-
zação com mais de 2.000 equipamen-
tos”, anuncia.
Pedrão aproveita para salientar que
locar é sempre mais vantajoso que com-

28 - D e z em b r o 1 8
prar. “O cliente aluga quando unidades fabris e estrutu-
precisa e devolve equipa- ra de vendas”, ressalta.
mentos ociosos. A manuten- Basso Junior, da Ele-
ção dos equipamentos é feita trac, espera um ano de
por equipe de manutenção retomada com mais for-
especializada, o que garan- ça, incluindo projetos
te maior disponibilidade da mais estratégicos visan-
frota.” do não apenas menor
Por sua vez, Danyi, da Ele- custo, mas também com
trofran, espera crescimento visão holística e de olho
na ordem de 8%, isso com em ganhos consistentes
investimento em novos equi- Mohlmann, da Jungheinrich: em longo prazo, tanto
pamentos e sem mudanças “vemos tendência de substituição para os clientes quanto
de equipamentos a combustão
drásticas na política econô- por elétricos com uso da bateria para os locadores, com
mica do país. de chumbo-ácido ou de lítio” foco inclusive na renova-
Para 2019, a previsão da ção de frotas.
Jungheinrich (Fone: 0800 819 9001) é de As expectativas também são positivas
um crescimento de 10%, como comenta para a Kion, pois a empresa já tem pro-
Lars Mohlmann, gerente corporativo de cessos com expectativa de conclusão no
locação e usados da empresa no Brasil, início deste ano. “Além disso, os clientes
que trabalha com as marcas Junghenrich que possuem contratos de locação ven-
e Ameise. cendo em 2019 demonstram que sofrerão
De acordo com ele, há uma tendência BIDs, diferentemente dos anos anteriores,
de substituição de equipamentos a com- quando os contratos, na maioria das ve-
bustão por elétricos, com o uso da bateria zes, foram prorrogados com as mesmas
de chumbo-ácido ou com a tecnologia de máquinas”, explica Fabiana.
lítio, e aumenta cada vez mais o foco na Também o reflexo dos processos de BID
redução dos custos logísticos através da retomados no final de 2018 deve fazer de
otimização do parque de máquinas. “Por 2019 um ano surpreendente para a BYD
exemplo, no transporte interno e na se- do Brasil (Fone: 19 3514.2550), como
paração de pedidos, as empilhadeiras são conta Henrique Antunes, diretor de ven-
substituídas por equipamentos menores, das América do Sul da empresa. Por sua
como transpaleteiras e selecionadoras de vez, Karwatzki, da Makena, acredita em
pedidos, que realizam o mesmo trabalho um governo sério e, consequentemente,
com menor custo”, diz. no aquecimento econômico.
Outra oportunidade, ainda segundo Yamamoto, da SDO, também está oti-
Mohlmann, é a troca por equipamentos mista. “Os resultados das eleições garan-
do mesmo tipo, mas de menor capacida- tirão a busca pela ética e a retomada do
de para reduzir os gastos com manuten- crescimento do país. É certo que medidas
ção e combustível. Mais uma tendência duras serão propostas e terão de ser
notada pela Jungheinrich é a substituição aprovadas, mas a confiança e a credibi-
de equipamentos próprios por frotas ter- lidade nos governantes estão de volta. Já
ceirizadas com o serviço oferecido pelo é perceptível uma maior procura para a
fabricante. “O cliente contrata a dispo- locação de equipamentos”, expõe.
nibilidade das máquinas conforme a ne- Outro otimista é Filizzola, da Tradimaq.
cessidade. A responsabilidade de garantir “Apesar da incógnita de um novo gover-
este nível de serviço é do fornecedor. Des- no, com uma visão tão diferente em re-
ta forma, o cliente pode aplicar seu capi- lação aos últimos, estamos vislumbrando
tal próprio em outro lugar, investindo em um crescimento de 15% a 20% no mer-

D e z em b r o 1 8 - 29
empilhadeiras
empilhadeira
cado de empilhadeiras, principalmente a cadeia que não faz parte do core bu- Novos nichos
devido ao represamento que o período siness da empresa. Com isso, vemos Perguntamos aos entrevistados se é
de recessão e de incerteza causou nas oportunidades de locar equipamentos possível apontar novos nichos de mer-
empresas”, conta. de movimentação industrial”, revela cado que estão usando empilhadeiras.
A companhia acredita que diversos Makimoto. D’Elboux, da Elba, observa um contínuo
investimentos que foram adiados serão Fernandes, da Coparts, também diz aumento na utilização de matérias-
retomados e projetos mais ousados sai- que as perspectivas são boas. “Se em -primas paletizadas na indústria em
rão da gaveta, ajudando a reaquecer o 2018 já sentimos algumas melhorias, geral. “Especialmente na construção
mercado de equipamentos, que, segun- acreditamos que teremos um ano de civil, em função ao aumento do custo
do ele, tanto sofreu nos últimos anos. crescimento em 2019, porém, deve de mão de obra, acreditamos que o uso
Rubino, diretor da Trax Rental, tam- ser muito lento, pois o novo governo de empilhadeiras para realizar opera-
bém aposta nessa melhora. “Muitas precisa que sejam feitos ções de carga e descarga
empresas estavam em compasso de diversos ajustes nas con- irá reduzir os custos com
espera para definição da política e eco- tas públicas para refletir a movimentação. Neste
nomia”, comenta. Segundo ele, as em- em melhores resultados mercado existe maior
presas que têm empilhadeiras próprias para as empresas.” demanda para empilha-
as estão substituindo por locadas, pois Concorda com ele deiras com capacidade
encontram maior rapidez no atendi- Storino, da MT Empi- de 2,5 e 3,0 toneladas”,
mento e custos menores. lhar, que acredita que a aponta.
Já a Aesa está se preparando para recuperação será gra- Outro mercado com
uma grande demanda de locação. “Te- dativa, mas lenta, para potencial de crescimen-
mos estoque de máquinas, homens, novas oportunidades de to, ainda na opinião de
recursos e novas tecnologias, prontos negócios. “Porém, pelo D’Elboux, é o de empilha-
para serem colocados em operação. represamento de frotas Fernandes, da Coparts: “se deiras com capacidade
em 2018 já sentimos algumas
Acreditamos, com base em conversas paradas, achamos que acima de 20 toneladas.
melhorias, acreditamos que
informais com a liderança de algumas o valor de locação será teremos um ano de crescimento “Neste caso, é comum a
montadoras da região do ABC, que ainda muito baixo.” em 2019, porém, lento” utilização de acessórios
existe uma tendência de terceirização, Vai pelo mesmo pen- especiais, como eletroí-
não só de equipamentos, mas de toda samento D’Elboux, da Elba. “A expec- mãs acoplados para realização de opera-
tativa é de um lento e gradual cresci- ções com cargas diferenciadas.”
mento, tanto em locações quanto na Karwatzki, da Makena, comenta que
prestação de serviços com equipamen- o setor metalmecânico está reagindo e,
tos e mão de obra, na medida em que com isso, as máquinas de 2,5 toneladas
as diretrizes do novo governo possibili- são mais procuradas. Para Pedrão, da
tarem um ambiente de negócios mais Retrak, Operadores Logísticos, atacado
favorável aos investimentos e ao desen- e varejo têm despontado no segmento
volvimento socioeconômico do país.” de atuação da empresa.
Falar em expectativas no momento é Para a BYD, que disponibiliza a tecno-
muito difícil, na análise de Ferreira, da logia de lítio, Antunes diz que o grande
Brasil Fort’s. “Se por um lado vemos eu- nicho são as empresas com trabalho
foria e vontade de investir, há os que severo (3 turnos) e que anteriormente
não acreditam e acabam estagnando o usavam só GLP, como as dos setores de
mercado. De qualquer forma, a maioria bebidas, automobilística e alimentos,
dos pequenos e médios empresários “nas quais o lítio é indiscutivelmente
entende a locação como uma opção se- a melhor opção”. Na grande maioria,
gura e mais eficaz em relação à compra são máquinas contrabalançadas de 2,5
de equipamentos, o que deixa os loca- toneladas.
dores esperançosos de um 2019 melhor Por sua vez, Ferreira, da Brasil Fort’s,
do que foi 2018.” salienta que as empilhadeiras são fer-

30 - D e z em b r o 1 8
ramentas cada vez mais essenciais às de muito comum, segun- Segundo ele, empi-
empresas, seja qual for o ramo, a opera- do D’Elboux, da Elba, é lhadeiras a combustão
ção e a necessidades de carga. “Elas já de 4,5 toneladas. Danyi, ainda têm um grande
entendem que verticalizar e maximizar da Eletrofran, acrescenta peso no mercado. “Con-
as operações são essenciais. Portanto, é também as empilhadeiras tudo, a cada ano que
necessário que as fabricantes comecem elétricas com capacidades passa, as elétricas vêm
a se adequar a empilhadeiras de baixa de 1,5 a 2,5 toneladas. ganhando mais espaço,
capacidade de carga que sejam com- A tendência e as neces- principalmente as mul-
pactas, rodem em ambientes diversos sidades continuam muito tinacionais que trazem
e consigam elevações consideráveis. parecidas as dos últimos esta tendência de suas
Atualmente encontramos pouquíssimas anos, de acordo com Bas- matrizes, o que deve
opções de empilhadeiras a combustão so Junior, da Eletrac. “As Basso Junior, da Eletrac, espera continuar em 2019.”
interna, de preferência a GLP ou gaso- operações logísticas estão um ano de retomada com mais Makimoto, da Aesa,
força, incluindo projetos mais
lina, novas ou seminovas no mercado, focadas em transpaletei- estratégicos, com visão holística e também aponta que
mas são um tipo de produto que faz fal- ras e retráteis de grande ganhos consistentes os equipamentos a
ta e que, com certeza, tem um público altura, e as indústrias, em empilhadei- combustão estão dando lugar para os
carente”, observa. ras a GLP de 2,5 toneladas com a ten- elétricos contrabalançados, em razão
dência de substituição por contrabalan- da não utilização de combustível, não
As mais usadas çadas elétricas, porém, como estas são emissão de CO2, maior ergonomia e
No Brasil, as máquinas de 2,5 tone- mais caras, a troca vai sendo posterga- disponibilidade. “Veremos nos próxi-
ladas contrabalançadas a combustão da, aguardando a retomada da econo- mos anos uma intensa migração neste
são bastante usadas. Outra capacida- mia”, expõe. sentido. A Aesa, em parceria com a fa-
empilhadeiras
empilhadeira
bricante Clark, tem se preparado para que sempre foram os tricas em substituição
este cenário, desenvolvendo novos principais do mercado, às de GLP, Yamamoto,
equipamentos com baterias de lítio, que entretanto, há hoje diver- da SDO, revela que as
garantem um desempenho superior aos sas máquinas intermediá- empresas que ainda
equipamentos a combustão.” rias a estas capacidades não optaram pela mu-
Por outro lado, Makimoto considera que tem sido cada vez dança estão solicitando
que as máquinas a combustão não es- mais utilizadas”, expõe estudos comparativos
tão fadadas a desaparecer do mercado. Filizzola, da Tradimaq. de benefícios e custos
“Sempre haverá o nicho que demande Esta tendência, segun- operacionais.
este tipo de equipamento. O que ocorre do ele, trouxe uma certa Entre as elétricas, que
é que a proporção de elétricos versus especialização das opera- é o segmento de atua-
a combustão penderá cada vez maior ções e, consequentemen- Pedrão, da Retrak: “um novo ção da BYD, as retráteis
para os elétricos”, diz. te, uma melhor adequa- governo democraticamente eleito hoje têm uma demanda
terá a força necessária para
Rubino, da Trax Rental, comenta que ção dos equipamentos promover reformas voltadas ao consolidada, de acordo
houve um crescimento na demanda por aos requisitos dos clien- crescimento sustentável” com Antunes. “As má-
equipamentos elétricos, tanto frontais tes. “Reiteramos que há quinas mais procuradas
quanto empilhadeiras retráteis. “Devido uma vontade muito clara de utilização são as com torre entre 10 e 12 metros.
ao aumento do preço do GLP (P20), hoje de elétricos onde for possível, como E os rebocadores industriais vêm nos
o custo operacional de uma empilhadeira ocorre no mercado internacional em surpreendendo. As indústrias têm optado
a combustão e de uma elétrica está mui- geral”, acrescenta. por essa solução, pois reduz o número e
to próximo, sobretudo com as vantagens Filizzola diz que há uma intenção evi- o tempo de movimentações”, expõe.
em relação ao meio ambiente por parte dente da indústria quanto à utilização Pedrão, da Retrak, lembra que au-
das máquinas elétricas, que não são po- de energias mais limpas e confiáveis, mentar a produtividade nos armazéns
luentes, não emitem ruído e nem calor.” como é o caso das baterias de lítio. é o objetivo das empresas, por isso
Storino, da MT Empilhar, também en- “A gestão de baterias sempre foi um alguns equipamentos merecem desta-
xerga as possibilidades de crescimento de gargalo na disponibilidade e vida útil que, como os retráteis com elevação
máquinas elétricas, porém, considera que dos equipamentos e esta tecnologia igual ou maior que 12 metros, que ga-
as variações cambiais serão um grande tende a acabar com essa dificuldade. rantem alta densidade de estocagem;
obstáculo para novas oportunidades. Outra vertente importante é a aplica- e as transpaleteiras elétricas, utilizadas
“Permanecem sendo os mais usados ção de tecnologias mais evoluídas de para reduzir o custo nos armazéns. “As
os equipamentos de 2,5 a 7 toneladas, telemetria, monitoramento e gestão empilhadeiras foram projetadas para
inteligente de frotas, otimizando a utili- empilhar, e as transpaleteiras apenas
zação dos equipamentos e melhorando para transportar os produtos em longas
significativamente a performance das distâncias. Time perfeito para a econo-
operações”, expõe. mia”, resume.
Para Ferreira, da Brasil Fort’s, as em- Mohlmann, da Jungheinrich Brasil,
pilhadeiras a GLP, para a capacidade de comenta que ainda há muitos proces-
2,5 toneladas, representam cerca de sos manuais na cadeia logística das
70% das locações da empresa. “Ain- empresas. Um exemplo é a seleção de
da esperamos um crescimento maciço pedidos ou carga de carretas com pale-
das empilhadeiras elétricas, principal- teiras manuais. “Porém, hoje em dia o
mente por estarmos em uma região despacho rápido de cargas é uma das
(Guarulhos, SP) em que as indústrias necessidades fundamentais para aten-
de transportes não têm tanta exigência der às expectativas dos clientes. Espera-
de capacidade de carga e contam com mos, cada vez mais, a substituição dos
plantas mistas, com áreas abertas e fe- equipamentos manuais pelos elétricos,
chadas.” que trazem um aumento significativo
Sobre a tendência crescente de produtividade, ou seja: mais paletes
do uso de empilhadeiras elé- movimentados no mesmo tempo.”

32 - D e z em b r o 1 8
artigo

Preciso ter Carteira Nacional


de Habilitação para operar/
dirigir empilhadeira?

N
ota-se um constante questiona- do à movimentação de cargas e outros.
mento quanto aos procedimen- Veja na integra: “Art. 144. O trator de
tos para se operar uma empilha- roda, o trator de esteira, o trator misto
deira: precisa ter CNH ou apenas fazer ou o equipamento automotor destinado
o curso? Queremos salientar que confor- à movimentação de cargas ou execução
me a NR-11, no item 11.1.5, o operador de trabalho agrícola, de terraplenagem,
deste equipamento deve receber, por de construção ou de pavimentação só
parte do empregador, um treinamento podem ser conduzidos na via pública
que o qualificará para esta função. por condutor habilitado nas categorias
Esta norma trata dos aspectos funda- C, D ou E”.
mentais e de segurança para se operar O que é preocupante nesses últimos
equipamentos com força motriz pró- tempos são os treinamentos realizados
pria, sejam empilhadeiras e/ou transpa- de forma incorreta e com informações
leteiras, e outros, bem como as condi- imprecisas quanto aos equipamentos,
ções para este procedimento, devendo haja vista que, hoje, no mercado interno Carlindo Nunes – Técnico de Segurança
o trabalhador ser habilitado, ou seja, tem crescido o número de equipamen- do Trabalho na empresa CLTM Consultoria
treinado para este fim, e somente po- tos elétricos, ou seja, de empilhadeiras & Assessoria em Segurança do Trabalho
(Fone: 11 2469.4915)
derá dirigir se durante suas atividades elétricas – antes eram mais comuns as
portar, em local visível, um crachá que o máquinas a GLP, ou seja, movidas a gás.
identificará na função de “Operador de Esses treinamentos precisam ser claros e efetuadas de forma incorreta pelo pró-
empilhadeira e/ou transpaleteira”. objetivos quanto ao real funcionamento prio operador.
Equivoca-se quem diz que precisa da dos equipamentos. Salientamos, ainda, Hoje tem crescido o número de re-
CNH, uma vez que a interpretação da que as informações quanto à recarga clamações quanto ao mau uso dos
norma muitas vezes se torna incorreta. das baterias nem sempre são objetivas equipamentos, e na maioria das vezes
A norma diz que tem que ser habilita- e claras, e esses equipamentos (baterias) as empresas locadoras cobram por esse
do, mas não diz que tem que ter a CNH. precisam ser carregados de forma cor- procedimento incorreto. Entende-se que
A palavra “habilitado”, segundo o dicio- reta, uma vez que uma carga incorreta com um mercado exigente e com uma
nário, significa: “Alguém que foi capaci- poderá gerar danos irreversíveis. crescente demanda nos galpões logísti-
tado à execução em determinada tarefa. Outros pontos pouco abordados nos cos, e porque não dizer no número de
Alguém treinado e qualificado para tal”. treinamentos são: como trocar a bateria equipamentos modernos, se faz neces-
“O soldador é habilitado para executar tracionária do equipamento, como co- sário um treinamento específico para
os trabalhos de solda, pois o mesmo já locar a bateria em processo de recarga, cada equipamento, já que uma coisa
tem mais de seis meses de registro.” como utilizar de forma correta os car- é certa: “nada justifica um acidente”.
Se nos atentarmos para o que diz a le- regadores de baterias, como trocar o Cuidado com os certificados vendidos
gislação, veremos no CTB, Lei Nº 9.503, cilindro de gás, entre outros. Vale lem- no mercado negro, sem procedência e
de 23 de setembro de 1997, no artigo brar que as maiores reclamações tra- sem a realização dos treinamentos. Esse
144, que a exigência se dá para os veí- balhistas são quanto aos procedimen- treinamento deve ser aplicado por pro-
culos que trafegam em vias públicas utili- tos incorretos nas trocas de baterias e fissional com proficiência e que domine
zando equipamento automotor destina- cilindros de gás, que muitas vezes são bem o assunto.

D e z em b r o 1 8 - 33
Intralogística

Revelados os finalistas da
edição 2019 do Prêmio
IFOY. A Logweb é jurada

Q
uinze produtos e soluções de tos. Eles irão avaliar inovação, tecno- que superam seus concorrentes diretos
doze fabricantes foram sele- logia, design, ergonomia e manuseio, em termos de inovação têm a chance de
cionados como finalistas do segurança, comercialização e benefício ganhar o troféu”, explica Anita Würm-
Prêmio IFOY 2019 (International Intralo- ao cliente, bem como economia e sus- ser, presidente do júri.
gistics e Forklift Truck of the Year), consi- tentabilidade. O júri é composto por 29 O prêmio será entregue no dia 26
derado o “Oscar da Intralogística”. jornalistas de renome dos principais veí- de abril de 2019. A IFOY Award Night
No início de março, acontece a se- culos de logística de 19 países. acontecerá pela primeira vez no Hof-
gunda etapa da competição. Os finalis- “Uma regra de ouro da série de tes- burg, na capital austríaca, Viena, em
tas passarão pela auditoria nos dias de tes IFOY é: os finalistas não são com- cooperação com a LOGISTIK.Kurier e a
teste internacionais, que acontecem no parados entre si em suas respectivas Câmara Austríaca de Comércio. Mais
centro de exposições da CeMAT, parcei- categorias, mas, sim, com seus concor- de 600 convidados internacionais são
ra da IFOY, em Hannover, Alemanha. rentes no mercado. Apenas os indicados esperados no tradicional Great Festival
No IFOY Innovation Check, será ana-
lisada a inovação dos produtos e solu-
ções indicados. Essa etapa fica a cargo Finalistas do Prêmio IFOY 2019
dos especialistas do Instituto Dortmund
Fraunhofer de Fluxo de Materiais e Lo-
Empilhadeiras Contrabalançadas
gística (IML) e de profissionais de logís-
tica das universidades de Dresden, Mu-
S-Series, S20-35,
nique e Helmut Schmidt, de Hamburgo. Clark Europe
Jurados da Europa, Austrália, Rússia,
Estados Unidos e Brasil – a Logweb é a
única do país e foi a primeira das Améri- TX3 3-wheel
cas a fazer parte – viajarão a Hannover counterbalance
truck,
para inspecionar e testar os equipamen- UniCarriers

Empilhadeiras para Armazéns

Combi-PPT, Combilift MaxX, Hubtex ETV 216i, Jungheinrich

34 - D e z em b r o 1 8
Hall, entre eles, líderes em transporte, lo- da Combilift, é uma paleteira robusta com
gística e intralogística. Até lá, o resultado capacidade de carga de mais de 8.000
permanecerá em segredo – tanto para os kg. O veículo de alto desempenho, que foi
finalistas quanto para o público. desenvolvido para substituir empilhadei-
ras grandes e pesadas, oferece boa visão
Empilhadeiras da carga, ótima segurança e manobrabi-
Contrabalançadas lidade, bem como operação eficiente em
No segmento de empilhadeiras contra- áreas mais estreitas.
balançadas, a empilhadeira a gás Clark Outra indicada é a Hubtex, com a empi-
S25, com capacidade de elevação de 2,5 lhadeira elétrica multidirecional MaxX, de
toneladas, está entre as finalistas. Segun- baixo custo, projetada para o manuseio
do a empresa, a S-Series oferece baixo de cargas longas em corredores estreitos.
custo total e maior conforto. Os três “s” Para uso combinado em ambientes inter-
(smart, strong and safe – inteligente, forte nos e externos, a MaxX de 4,5 toneladas
e seguro) são as principais características é uma boa alternativa às empilhadeiras a
do modelo. diesel, garante o fabricante. Suas carac-
A segunda finalista é a TX3, empilhadei- terísticas são: cabine grande, mastro de
ra contrabalançada de três rodas da Uni- visão clara, sistema de direção HX paten-
Carriers. Os veículos desta série têm capa- teado e ajuste de nível hidráulico.
cidade de carga de 1,3 a 2,0 toneladas. A Jungheinrich, por sua vez, concorre
As máquinas elétricas são caracterizadas com a ETV 216i, empilhadeira elétrica
pelo baixo consumo de energia, ergonomia de mastro retrátil com bateria de lítio
inteligente e alta eficiência de manuseio. integrada. As vantagens para o usuário
são tempos de carga curtos para car-
Empilhadeiras para Armazéns regamento rápido e intermediário, ope-
Três equipamentos foram indicados ração livre de manutenção e vida útil
pelo júri nesta categoria. O Combi-PPT, mais longa.

Veículos Automaticamente Guiados (AGV) e Robôs para Intralogística

Miniload (STC), MANIPULA-TORsten (TORsten Automated tugger train


Jungheinrich meets Friends), Torwegge with LTX 50, Still

D e z em b r o 1 8 - 35
Intralogística
Veículos Automaticamente automático de peças pequenas, ofe- automáticos. Pela primeira vez, o
Guiados (AGV) e Robôs para rece alto desempenho e possui design tugger train combina transporte au-
Intralogística leve, que permite trabalhos com con- tomatizado com manuseio automa-
O júri também indicou três soluções têineres, bandejas e caixas. tizado de carga. A solução oferece
nesta categoria. Dessa vez, a Junghein- A segunda nomeada é a Still, com alta confiabilidade, operação simples
rich participa com o transelevador STC. o LiftRunner automático com LTX e e baixo custo de implementação. De-
Desenvolvido para armazenamento carregamento e descarregamento talhe: o trator elétrico LTX 50 puxa
reboques com peso total de até
5.000 quilos, através de trilhos, com
Finalistas do Prêmio IFOY 2019 segurança.
O terceiro finalista é o MANIPULA-
Especial do Ano -TORsten (TOR-sten meets friends), da
Torwegge. Graças à sua modularida-
de flexível, pode ser usado como uma
combinação de AGV e robô. Para o
IFOY 2019, o AGV foi equipado com
um manipulador e, portanto, torna-se
um robô de coleta móvel. Além disso,
possui sistema de carregamento indu-
tivo integrado, que aumenta sua dis-
ponibilidade.

Virtual Reality 3D VR Configure Softwares para Intralogística


Simulator, Raymond Price Quote, SAE A Jungheinrich concorre nesta cate-
goria com o zoneCONTROL, sistema
Startup do Ano de assistência modular baseado em
ProGlove, ProGlove Electric Memory Seat, Trône Seating rádio para controle local de falhas
na intralogística. Ampla informação e
opções de intervenção no armazém
e no veículo podem ser livremente
combinadas entre si e ajustadas es-
pecificamente ao veículo. Isso resulta
em soluções personalizadas para uma
ampla variedade de aplicações.
A Still ganha sua segunda indica-
ção com o novo sistema de contro-
le de frota neXXt fleet. O portal da

Softwares para Intralogística

Cargometer “on-the-fly” freight


dimensioning, Cargometer zoneCONTROL, Jungheinrich neXXT fleet, Still

36 - D e z em b r o 1 8
web compreende nove aplicativos Especial do Ano Startup do Ano
(apps) diferentes que podem ser usa- O tema deste ano para a categoria Pela primeira vez na história do IFOY,
dos para mesclar dados para análises é 3D. A Raymond ganhou uma indi- duas startups competirão em 2019 em
rápidas e medidas de otimização. cação com seu Simulador de Reali- uma categoria especial. Uma delas é
A ferramenta de relatório responsiva dade Virtual em 3D, projetado para a ProGlove, que desenvolveu uma luva
não apenas avalia os dados, como treinar operadores de empilhadeiras, inteligente que substitui o escâner de
também lembra automaticamente o ajudando a verificar e melhorar suas mão convencional. Com ela, os profis-
usuário de custos e prazos excedidos habilidades. A ferramenta é montada sionais podem trabalhar com mais ra-
e prazos de manutenção e teste de- em uma empilhadeira Raymond e co- pidez, segurança e ergonomia, aumen-
vidos. nectada ao sPort (Simulation Port) da tando significativamente a eficiência.
Também nomeado, o Cargometer, empresa para criar um ambiente de Cada etapa de trabalho pode ser do-
da empresa de mesmo nome, mede aprendizado realista. cumentada à mão livre e um feedback
a carga com a empilhadeira em mo- O júri também nomeou a SAE pela pode ser dado diretamente da luva
vimento. Ou seja, as dimensões, o ferramenta SAE 3D VR CPQ, para a inteligente para o usuário.
peso e os códigos de barras das em- configuração realística de todos os ti- Também foi nomeada a Trône Sea-
balagens são capturados quando a pos de sistemas e produtos de intra- ting, com o assento de empilhadeira
empilhadeira passa pelo gate e são logística, auxiliando na determinação ergonômico Trône, ajustado automati-
transferidos digitalmente para o sis- de preços e preparação de cotações. camente para cada motorista. Além da
tema do cliente. A solução permite a De acordo com a empresa, esta apli- função de memória para um número
correta contabilização do espaço da cação é uma inovação mundial que infinito de drivers, o software fornece
carga e a otimização da utilização da combina todos os produtos de intra- informações adicionais sobre o uso da
capacidade da frota. logística. cadeira e do motorista.
evento

Brasil Log 2019 promete agitar


o mercado de logística no
segundo semestre

J
á em sua 7ª Edição, que aconte-
cerá no período de 11 a 13 de
setembro de 2019 em Jundiaí, SP,
a Brasil Log – Feira Internacional de Lo-
gística é considerada a maior do seg-
mento no Estado de São Paulo.
“Como na Capital de São Paulo não
há mais eventos ligados especificamen-
te aos setores logístico e de movimen-
tação e armazenagem, a Brasil Log se
tornou o maior evento do setor no Esta-
do de São Paulo”, enfatiza Adelson Lo-
pes, diretor executivo da organizadora
do evento, a Adelson Eventos (Fone: 11
4526.2637).
É importante lembrar, ainda, que a
Logweb Editora (Fone: 11 3964.3744) é
parceira comercial, além de ser a mídia
oficial e responsável pela elaboração do
catálogo do evento. número de indústrias e Centros de Dis- que da Uva, um espaço de 53.000 m²,
Segundo ainda Lopes, a Adelson tribuição na região de Jundiaí. “Um dos dividido em três pavilhões cobertos
Eventos tomou a iniciativa de realizar diferenciais deste evento é que reunimos com cerca de 4.000 m² de áreas para
este projeto em 2010, pois viram uma todos os modais (rodoviário, aéreo, ma- os estandes, além de uma extensa área
lacuna muito grande em todo o interior rítimo e ferroviário), além de Jundiaí já externa. O evento deve contar, ainda,
do Estado no que diz respeito a eventos ser considerada uma cidade com grande com test drive de empilhadeiras e ca-
ligados ao setor logístico. polo logístico”, completa o diretor. minhões.
Por outro lado, a realização do even- A expectativa é atrair cerca de 5 a Quanto aos expositores, vão ser reu-
to foi favorecida pela sua loca- 7 mil pessoas de todo o país ao Parque nidos cerca de 65, de todos os setores
lização estratégica e o grande Comendador Antônio Carbonari – Par- que englobam o universo logístico, des-

38 - D e z em b r o 1 8
de a mão de obra especializada até mo-
vimentação de cargas e outros serviços.
E, a partir desta edição de Logweb
vamos mostrar os expositores do even-
to, incluindo os seus lançamentos, a
linha de produtos e serviços e o que
esperam da Brasil Log.

ZHAZ Soluções de A a Z lançamento, o laboratório móvel para Android, leitores de código de barras
Esta é a primeira participação da manutenção em campo de coletores ultrarresistentes, impressoras térmicas
ZHAZ Soluções de A a Z (Fone: 11 de dados – único no mercado atual- industriais, impressoras portáteis/mó-
4221.5348) e, segundo Thiago Ribeiro, mente. E também: garantia estendida veis, acessórios para impressoras tér-
diretor comercial da empresa, isto se para coletores de dados e impressoras micas (cabeças de impressão, roletes,
deu pela participação da Logweb no térmicas (após termino da garantia pelo adaptadores de rede) acessórios para
evento. “Acompanho a Logweb há mui- fabricante – único no mercado) e uma coletores de dados (baterias, carrega-
to tempo, e acredito ser o maior e mais solução em IOT para o segmento de lo- dores de bateria, capas de proteção) e
confiável portal de notícias do setor.” gística.” infraestrutura wireless focada no seg-
Ainda segundo Ribeiro, as pers- Ainda durante o evento, a empresa mento de logística.
pectivas da ZHAZ com a participação mostrará: manutenção, venda e loca- Além destes, a ZHAZ oferece siste-
no evento são conseguir leads e fa- ção de coletores de dados, coletores de mas para inventário, consultoria para
zer negócios com empresas do setor. dados para empilhadeira, coletores de implantação de automação em AIDC,
“Queremos que conheçam o nosso dados vestíveis, coletores de dados com infraestrutura wireless e IOT.
40 Modal Marítimo
Modal Marítimo
Infraestrutura e Integração
Suplemento da Revista Modal Marítimo

Meio ambiente

Crescimento da população de baleias


aumenta risco de colisão com embarcações

C
uidar do meio ambiente é obriga- já são mais de 20.000. Neste ano, o IBJ ção que exija a notificação dos acidentes,
ção de todos, isso não se discute. fará uma nova estimativa através de um então, muitos não são relatados. Em segun-
Como praticamente toda ativi- sobrevoo na área de ocorrência. do lugar, as baleias podem estar muito afas-
dade econômica tem impacto ambiental tadas da costa (às vezes mais de 200 km) e,
negativo, é fundamental que as empre- A jubarte estava com uma população mui- se ocorrer um atropelamento nestas regiões,
sas adotem práticas sustentáveis que to baixa por causa da intensa caça sofrida, mesmo que o animal morra, a carcaça não
diminuam esse impacto. Com relação ao especialmente no século XX. A caça foi vai chegar à praia. E, se chegar, o estado de
transporte marítimo, a atenção se volta à interrompida em 1966, quando estima-se decomposição muitas vezes dificulta o diag-
baleia jubarte, que está entre os animais que restavam cerca de 800 baleias dessa nóstico da causa da morte. Além disso, para
que podem ser afetados pela prática. espécie no Brasil. os grandes navios, a colisão pode nem ser
percebida pela tripulação.
“Com a recuperação das populações de Assim, a jubarte conseguiu se recuperar
algumas espécies de baleias após séculos e, em 2014, foi retirada da lista oficial de “Nos últimos dez anos, na Bahia e no Es-
de caça, estamos vivendo uma situação animais ameaçados de extinção no Bra- pírito Santo, o Projeto Baleia Jubarte regis-
que era a realidade de nossos bisavós, sil. “No entanto, com a recuperação da trou mais de 12 casos de atropelamentos
com o mar repleto de baleias. Por isso, as população e com o aumento do trânsito de baleias jubarte, mas é provável que esta
empresas de navegação precisam conhe- de embarcações em nossas águas, come- seja apenas a ponta do iceberg. A quanti-
cer onde e quando ocorrem concentra- çamos a registrar com mais frequência o dade de casos deve ser bem maior”, acres-
ções desses mamíferos em nosso litoral atropelamento de baleias. Isto pode acon- centa o veterinário.
e, se possível, evitar estas áreas”, explica tecer tanto com embarcações pequenas –
o médico veterinário Milton Marcondes, como barcos de pesca e veleiros – quanto Embora não haja legislação específica so-
coordenador de pesquisa da ONG Instituto com grandes navios. Quanto maior e mais bre atropelamento de baleias e golfinhos,
Baleia Jubarte (IBJ). rápida a embarcação, maiores as chances há algumas leis que se referem à proteção
de a colisão causar a morte do animal”, desses animais. Como a 7643, de 18 de
A população de baleias jubarte saiu de ressalta Marcondes. dezembro de 1987, que proíbe o molesta-
aproximadamente 3.400, em 2002, para mento intencional de baleias e golfinhos e
17.000, em 2015. Estima-se um cresci- De acordo com ele, não há dados precisos prevê punições nestes casos.
mento de 12% ao ano. Com base nesses sobre os acidentes. E isso ocorre por dois
números, pode-se dizer que, ultimamente, motivos. Primeiro, não existe regulamenta- Também a Lei 9.605, de 12 de fevereiro
de 1998, em seu artigo 32, tipifica como
crime ferir ou mutilar animais silvestres.
“A questão é se o atropelamento foi uma
fatalidade que não poderia ser evitada ou
se ocorreu por imperícia, imprudência ou
negligência. Nestes casos, vai depender do
entendimento do juiz”, expõe Marcondes.

Neste sentido, ele reforça que é importante


que as companhias de navegação adotem
práticas que minimizem o risco de atrope-
lamentos de baleias. Nos Estados Unidos,

40 - D e zMem
O b Dr oA 1L8 M A R Í T I M O
Suplemento da Revista Modal Marítimo
41
uma empresa foi multada em 750 mil dóla- com maior densidade de tráfego e cruzar es-
res por atropelar e matar uma baleia jubarte tas informações com os mapas de densidade
próximo a um parque nacional no Alasca. Re- de baleias na costa, para identificar as áreas
centemente, a Costa Rica estabeleceu uma com maior risco.
normativa para reduzir os riscos de atrope-
lamentos em suas águas jurisdicionais. “Este “A solução as vezes pode ser simples. Uma
é um problema que ocorre no mundo todo e embarcação que esteja passando por nossa
diversas organizações estão buscando solu- costa pode abrir a rota em alguns graus sem
ções para reduzir o risco de acidentes.” que isso implique em aumento da rota ou
em custos de operação”, explica.
De fato, há países onde este problema é
mais crítico, como o Panamá, onde o volume Vale lembrar que além do risco de vida para
de tráfego é impressionante devido ao Ca- as baleias, embarcações menores podem
nal do Panamá. “É como uma onça tendo de sofrer danos quando colidem com esses
atravessar uma rodovia que corta sua área animais. Marcondes lembra que, em 2017,
de ocorrência.” um catamarã de transporte de passageiros
que faz a rota Morro de São Paulo-Salvador
Também os países banhados pelo Medi- colidiu com uma baleia. Com isso, um eixo
terrâneo têm um tráfego de embarcações da hélice entortou e começou a entrar água
muito grande, o que fez com que eles come- no flutuador. “Foi necessário navegar com
çassem a buscar soluções e legislação muito apenas um motor e com escolta da Marinha,
antes do Brasil. “Nossa realidade começou pois havia risco de a embarcação naufragar
a mudar nos últimos dez anos, com o cres- antes de chegar ao porto”, recorda.
cimento da população de baleias jubarte e
com a construção de novos portos ao longo Case
de nossa costa. Estamos começando a nos Pensando na segurança desses animais,
preocupar mais com este problema, mas o Instituto Baleia Jubarte, as empresas do
precisamos ampliar esta discussão”, alerta. setor de celulose Veracel e Fibria e a trans-
portadora de carga marítima Norsul organi-
De acordo com o veterinário, a Marinha do zaram um Grupo de Trabalho de Prevenção
Brasil tem um papel fundamental. “Pode- e Mitigação de Colisões com Embarcações.
riam ser inseridas nas cartas náuticas ou no
Aviso aos Navegantes alertas sobre as áreas A primeira medida tomada foi evitar o en-
e os períodos do ano com maior concentra- contro de baleias e embarcações durante o
ção de baleias, alertando as embarcações e transporte de madeira e celulose pelo Banco
tornando a navegação na Zona Economica- dos Abrolhos, na Bahia, a principal área de
mente Exclusiva (ZEE), espaço marítimo de reprodução das jubarte no Brasil.
responsabilidade e gestão do Brasil, mais
segura tanto para as baleias como para os O Projeto Baleia Jubarte estabeleceu mapas
navegadores”, ressalta. de densidade de baleias na região e, junta-
mente com as empresas parceiras, estabele-
Marcondes diz que o Projeto Baleia Jubarte ceu uma rota que evitava as áreas com maior
tem todo interesse em colaborar com o go- densidade, diminuindo o risco de colisões.
verno e a iniciativa privada no sentido de re-
duzir a possibilidade de colisões. O instituto Caso não seja possível evitar as áreas, ou-
está buscando mapear, através dos Automa- tras medidas podem ser adotadas, como a
tic Identification System (AIS) – sistema de presença de observadores à bordo para de-
rastreio de embarcações que permite iden- tectar a ocorrência de baleias. “Nós temos
tificar nome, rota e velocidade –, as áreas observador a bordo do empurrador que

M O D A L MD A
e z RemÍ bTr Io M1 8O - 41
42 Modal Marítimo
Modal Marítimo
Infraestrutura e Integração
Suplemento da Revista Modal Marítimo

Veracel
Em 2015, a Veracel passou a fazer o
transporte de celulose, do Terminal
Marítimo de Belmonte – TMB
para o Portocel, exclusivamente
pelo sistema de cabotagem. No
período de um mês, são realizadas
13 viagens, aproximadamente, três
por semana. Cada barcaça, quando
totalmente carregada, é capaz de
transportar 7.242 toneladas de
celulose, equivalente a cerca de
dois dias e meio de produção da
fábrica. Ao final de um mês, é feito
o desembarque de 94.146 toneladas
de celulose no porto. faz a rota Belmonte-Portocel e estamos a empresa que tem sua carga transportada
O TMB conta com 240 colaboradores trabalhando junto à Norsul para treinar ou para a companhia de navegação”, diz.
habilitados para as atividades, entre as tripulações que operam no Banco dos
eles, funcionários da Veracel e das Abrolhos”, explica Marcondes. Flávia Silva, gerente de suprimentos e lo-
empresas parceiras. gística da Veracel, conta que a parceria
Outras ações são a redução de velocida- com o IBJ teve início em 2003 com o obje-
de ao transitar pelas áreas mais críticas e tivo de evitar impactos à biodiversidade no
o treinamento das tripulações para que trajeto realizado pela barcaça que trans-
Norsul entendam sobre o comportamento das porta a celulose da Veracel, do Terminal
A Companhia de Navegação Norsul baleias, a velocidade de deslocamento Marítimo de Belmonte, no Sul da Bahia,
possui frota própria formada por e como adotar medidas em casos de si- ao Portocel, no Espírito Santo.
embarcações de diversos tipos, tuação de risco de colisão eminente. “Já
graneleiros, multipropósitos, tivemos experiência em que as tripulações O IBJ tem o importante papel de realizar
barcaças e empurradores oceânicos, diziam não haver baleias em sua rota, mas o avistamento, a contagem da população
quando colocamos um observador treina- de baleias e o monitoramento dos ciclos
com range de porte bruto entre
do a bordo, avistamos muitas. Eles diziam de reprodução e encalhes, contribuindo
6.000 e 70.000 TPB. Seu foco é a
não haver porque não sabiam exatamente com a conservação destes indivíduos pela
navegação de cabotagem, atuando o que procurar”, expõe. costa brasileira. A parceria também conta
também no longo curso. com treinamento sobre o comportamento
Marcondes conta que quando começou o das baleias e educação ambiental para a
As principais cargas transportadas transporte de madeira e celulose no Banco tripulação, a cada início de temporada.
podem ser divididas em três tipos: dos Abrolhos, muitas das ações que foram
granéis secos, principalmente implementadas eram resultado de condi- De acordo com Flávia, entre os meses de ju-
bauxita e minério de ferro; carga cionantes ambientais impostas pelo órgão lho e novembro, época de migração, é pos-
geral ou neo granel, na qual se licenciador para emitir a licença de opera- sível encontrar uma grande concentração
incluem produtos siderúrgicos e ção da rota. “Ao longo do tempo de traba- de baleias próxima à rota de navegação da
florestais (celulose e madeira em lho conjunto entre o Projeto Baleia Jubarte Veracel, já que estes animais procuram a re-
toras); e a carga geral propriamente e as empresas do setor, criamos uma re- gião para a reprodução e o nascimento dos
dita, como torres, pás e geradores lação de confiança e avançamos na busca filhotes. “Diante desta situação, a empresa
eólicos e granel líquido, como óleo por soluções para minimizar os riscos de iniciou um projeto de monitoramento de
vegetal, etanol, produtos químicos acidentes. Atropelar uma baleia é ruim cetáceos com o intuito de evitar possíveis
e derivados de hidrocarboneto. para todos, seja para nós que trabalhamos acidentes. A partir deste monitoramento,
com a conservação desta espécie, seja para a empresa conseguiu traçar mais de uma

42 - D e zMem
O b Dr oA 1L8 M A R Í T I M O
Suplemento da Revista Modal Marítimo
43
rota segura para navegar, fazendo com que Ele explica que foram desenvolvidas ceu em meados de setembro de 2018,
o transporte da barcaça não interfira na ro- duas derrotas de navegação (desvio de em Florianópolis.
tina destes animais”, detalha. rota). No período em que as baleias es-
tão por perto, as embarcações trafegam Uma semana antes do fórum internacional,
Esta é uma das iniciativas da empresa para mais próximo à costa, área na qual, de- o case ganhou espaço na Plenária da IWC
minimizar os impactos de suas operações. vido à maior turbidez da água, a con- – International Whaling Commission, que é
“Para a Veracel, representa o compromis- centração de jubarte é reduzida. o principal tratado internacional sobre ba-
so e o respeito com o meio ambiente, item leias e do qual o Brasil é signatário. “Nós
fundamental da nossa agenda de susten- Vale ressaltar que a empresa montou, apresentamos este estudo de caso sobre as
tabilidade”, salienta Flávia. em conjunto com o IBJ, um treinamento ações que estão sendo adotadas para mini-
a todos os tripulantes que navegam em mizar o risco dos atropelamentos de baleias
Já a parceria do IBJ com a Norsul come- regiões onde há concentração dos cetá- em Abrolhos, destacando como é importan-
çou nos anos 2000, quando se estudava ceos. Esse treinamento é ministrado pela te o diálogo entre o setor produtivo, o setor
a implantação do transporte de toras de equipe técnica do instituto. de transporte e os pesquisadores para a
madeira de Caravelas, BA, para Aracruz, busca de soluções conjuntas. O trabalho foi
ES. “Naquele momento, compreendeu- O case envolvendo o IBJ e as empre- muito bem recebido e elogiado por delega-
-se que a sustentabilidade do negócio sas Veracel, Fibria e Norsul foi apre- dos de outros países presentes no evento,
passava pela harmonia com o meio am- sentado pelo Embaixador Hermano como o comissário de Mônaco, Dr. Fréderic
biente. Entender a biodiversidade local Telles Ribeiro durante a reunião anual Briand, para quem o case brasileiro é um
é importante para sua preservação”, da Comissão Internacional da Baleia, grande exemplo e deveria integrar uma
comenta Marcos Cid de Araujo, gerente único fórum reconhecido pela Organi- base de dados de melhores práticas sobre o
de contratos da Norsul. zação das Nações Unidas, que aconte- tema”, salienta Marcondes.
44 Modal Marítimo
Modal Marítimo
Infraestrutura e Integração
Suplemento da Revista Modal Marítimo

Artigo

Arbitragem traz boas soluções para


litígios do Direito Marítimo

“Q
uase 90% de tudo que con- lhões de containers, gerando em torno tes nacionalidades, a arbitragem é
sumimos chega às nossas de 1,5 milhão de empregos. largamente aplicada para mitigar as
mãos por navios.” A con- incertezas relacionadas às diferentes
clusão é da jornalista Rose Geor- Esse volume gigantesco de operações jurisdições que poderiam ser aciona-
ge, autora do livro Ninety Percent de transporte internacional é regulado das em caso de um litígio contratual.
of Everything (Metropolitan Books, pelo Direito Marítimo. No Brasil, as A arbitragem, nesses casos, costuma
2013). Segundo dados divulgados relações “carga-navio” comumente representar mecanismo capaz de evi-
pela International Chamber of Shipping envolvem, de um lado, exportadores/ tar questionamentos quanto à juris-
(www.ics-shipping.org, acesso em importadores brasileiros e, de outro, dição competente para a solução do
10.12.18), existem aproximadamente armadores e afretadores internacio- litígio e a lei aplicável, uma vez que as
50 mil navios cargueiros ao redor do nais. Os temas jurídicos mais sensíveis partes, salvo casos excepcionais, cos-
mundo, transportando mais de 20 mi- dizem respeito à sobrestadia de con- tumam definir com antecedência, já
tainers e ao demurrage de navios nos na própria cláusula arbitral, a sede da
portos brasileiros. É recorrente a dis- arbitragem e a lei aplicável à solução
cussão sobre a cobrança de valores do litígio.
pela utilização do cofre de carga ou do
próprio navio além do tempo previsto É igualmente possível escolher árbitro
no contrato ou na carta-partida. ou Tribunal Arbitral não necessaria-
mente vinculado ao ordenamento ju-
Para a resolução de conflitos entre pla- rídico das partes envolvidas no litígio,
yers do setor marítimo, verifica-se cada tornando-o, teoricamente, mais equi-
vez mais a utilização de cláusulas arbi- distante por razões óbvias. A Ander-
trais nos contratos internacionais, tais sen Ballão já atuou perante câmaras
como no transporte marítimo de cargas, especializadas como a LMAA - The
afretamento, construção de embarca- London Maritime Arbitrators Associa-
ções, salvamento marítimo e seguro, tion, o GAFTA – Grain and Feed Trade
sendo empregadas como modo de ob- Association e o FOSFA – Federation of
ter soluções de melhor qualidade e mais Oil, Seeds & Fats Associations Ltd., re-
céleres para os litígios contratuais. lacionadas ao agronegócio.

Especificamente em relação ao setor Inúmeros fatores influenciam na esco-


marítimo, cujos contratos frequente- lha da entidade perante a qual a arbi-
mente envolvem partes de diferen- tragem será processada, mas é impor-
tante destacar que a sentença arbitral
André Bettega D’Ávila é advogado e sócio- estrangeira, ou seja, aquela proferida
coordenador do Departamento de Contencioso fora do território nacional, deve ser
e Arbitragem da Andersen Ballão Advocacia. homologada pelo Superior Tribunal de
Formado pela UFPR, é mestre pela UFSC e
pela Fletcher School of Law and Diplomacy Justiça (STJ), para que seja reconheci-
da Tufts University (2012). É autor do livro da ou executada no Brasil, atividade
“O Direito do Comércio Internacional no Setor que a Andersen Ballão Advocacia rea-
Agrícola: Os Subsídios à  Exportação”. liza habitualmente.

44 - D e zMem
O b Dr oA 1L8 M A R Í T I M O
publieditorial
publieditorial

CONDOMÍNIOS LOGÍSTICOS:
QUALIDADE SUPERIOR COM
CUSTOS REDUZIDOS

P
restar um serviço de maior qualida- Como são ocupados por várias empresas, Segundo Mauro Dias, as empresas
de e, ao mesmo tempo, reduzir cus- os parques logísticos permitem o rateio entre que buscam instalações logísticas não
tos é o objetivo de toda empresa. os locatários de custos como manutenção, devem considerar somente o valor do metro
Esse é um dos motivos pelos quais jardinagem, segurança e demais despesas quadrado do espaço para locação em suas
a busca por condomínios logísticos continua das áreas comuns, o que permite uma redu- decisões, e sim fazer uma análise completa
crescendo para diversos setores. A procura ção direta nos custos operacionais. Segundo do custo por posição pallet, da eficiência das
por instalações logísticas mais eficientes, Mauro Dias, presidente da GLP, as empresas instalações, da redução de custos diários e
movimento chamado fly to quality, vem de que optam por condomínios logísticos da localização. Dados da GLP apontam que
empresas do setor varejista, de bens de con- modernos se beneficiam duas vezes: com o a redução de custos no transporte (como
sumo e operadores logísticos. Além disso, rateio das despesas e com a infraestrutura combustível e pedágios), principal compo-
recentemente tem se observado um grande completa disponível nessas instalações. nente do custo logístico total, pode chegar a
crescimento no setor farmacêutico e no “Instalações logísticas eficientes, como 20% em condomínios localizados próximo a
e-commerce. Nesses setores, em especial, as da GLP, contam com segurança de alto rodovias importantes e a até 30 quilômetros
a eficiência das operações de armaze- padrão 24 horas por dia e permitem a verti- de grandes centros consumidores, o que
namento, assim como uma localização calização da armazenagem e o máximo apro- permite entregas muito mais ágeis.
estratégica, é determinante na disputa veitamento da área efetiva de estocagem”, Outro ponto importante é a possibilidade
por entregas mais rápidas e consumidores explica Dias. “São atributos que oferecem de adaptação dos imóveis às necessidades
mais satisfeitos. Por isso, as maiores e mais eficiência na armazenagem e agilidade na de cada setor. “Empresas do setor farmacêu-
dinâmicas empresas do mercado brasileiro movimentação e distribuição das mercado- tico, por exemplo, precisam de galpões que
têm optado por instalar suas operações em rias, bem como economia de recursos.” tenham controle de umidade, isolamento
condomínios logísticos. Imóveis de alto padrão também dão atenção térmico e climatização para armazenar seus
Essa medida não só melhora a qualidade especial a medidas de sustentabilidade, que produtos”, comenta Dias. Essa flexibilidade
das instalações e o aproveitamento da área reduzem o consumo de energia e reutilizam a de customização dos galpões também se
locada, como também gera economias subs- água das chuvas. Em diversos empreendimentos reflete quando é necessária a expansão das
tanciais nos custos operacionais. Na com‑ da GLP, a redução do consumo de energia para operações dos clientes. Em um condomínio
paração de custos e benefícios entre galpões iluminação chega a 100% com a utilização de logístico, uma empresa em crescimento que
monousuários e condomínios, os condomí- iluminação natural, operando com as luzes desli- precise aumentar sua área de armazenagem
nios levam enorme vantagem. gadas, ou até 70% com o uso de lâmpadas LED. tem opção para expandir a área locada.
Considerando condomínios e galpões
monousuários, imóveis que ofereçam in-
fraestrutura de alto padrão ainda são minoria:
cerca de 20 milhões de m², o que representa
apenas 15% do estoque total do mercado.
“O mercado brasileiro de condomínios logísti-
cos tem um grande potencial de crescimento,
e a busca das empresas por maior eficiência
logística nos estimula a continuar investindo
no Brasil”, conclui Mauro Dias.
Telefones:
11 3500.3700
21 3570.8180
D e z em b r o 1 8 - 45
logística Setorial

Têxtil e Vestuário: Exigências


incluem manuseio dedicado,
agilidade e menor aprazamento
ção de outras indústrias, Todos estes dados, mais
Afinal, se trata de um bem como seu desenvol- os que constam na tabela,
mercado sazonal, vimento no comércio ex- no final desta matéria, de-
regido pela moda, terior, onde compete com finem os segmentos têxtil
países de maior tradição, e vestuário. E é lógico que
o que requer pronto proporcionando uma ge- as suas exigências acabam
atendimento às lojas ração líquida de divisas requerendo muito dos Ope-
– estas, por sua vez, das mais significativas radores Logísticos e das
instaladas em pontos de todo o setor industrial transportadoras que aten-
nacional. dem estes segmentos.
nem sempre de difícil O mercado está sem- “As exigências mais
acesso, como em pre evoluindo e a indús- Lumare Júnior, da Braspress: as comuns são, de um lado,
shoppings. tria têxtil e de vestuário encomendas destes segmentos uma maior abrangência de
é uma das que mais se se caracterizam por terem
contínuas mudanças de produtos,
área, dada a tendência dos
moderniza e se modifica cuja natureza é perecível clientes preferirem trans-

H
oje, o Brasil é referência mundial para atender aos an- portadores que atendam
em design de moda praia, jeans- seios de um consumidor cada vez mais mais regiões, e, de outro, o menor apra-
wear e homewear, tendo crescido exigente e seletivo, que busca ser dife- zamento, dada a tendência de redução
também os segmentos de fitness e lin- rente e valoriza produtos personalizados dos lotes de compra e do baixo nível de
gerie. E a indústria têxtil e de vestuário e exclusivos. Isso significa que a produ- capital disponível dos comerciantes em
destaca-se como estimuladora de cria- ção em massa de peças idênticas já não geral”, comenta Giuseppe Lumare Júnior,
deve ser mais o foco da indústria têxtil. diretor comercial da Braspress Transportes
O ideal é apostar no desenvolvimento de Urgentes (Fone: 11 2188.9000).
artigos únicos, pensados para um grupo Paulo Nogueirão, diretor comercial
menor de indivíduos. Assim, com a gran- e de marketing da Jamef Encomendas
de variedade que o mercado impõe em Urgentes (Fone: 11 2121.6143), aponta
termos de criatividade e preços é preciso como exigência um manuseio dedicado
atender com uma operação especializa- que garanta a integridade do material
da para que o material chegue o quanto durante toda a operação e prazos com-
antes aos PDVs dos clientes. petitivos, assegurando entregas rápidas
Por outro lado, mesmo em um cenário que supram as grandes demandas das
de crise econômica, é possível perceber datas que favorecem o setor. “Ao Ope-
o aumento do número de consumidores. rador Logístico e às transportadoras,
Estima-se que mais de 1,8 milhão de planejamento é fundamental. Nele, há
pessoas vão entrar para o mercado de de se contemplar as restrições de circu-
consumo. Como a indústria têxtil está lação de veículos nas áreas urbanas e
associada a uma necessidade básica hu- as limitações de horários para recebi-
mana, é essencial estar preparado para mento das mercadorias, por exemplo”,
atender a essa demanda crescente. diz Nogueirão.

46 - D e z em b r o 1 8
Há de se considerar que, no caso de rapidez, principalmente
restrições de circulação, o prefeito de no atendimento a en-
São Paulo, Bruno Covas, publicou no tregas e operações em
dia 21 de dezembro último, no Diário hipermercados, maga-
Oficial da cidade, a inclusão do VUC – zines e shoppings.
Veículo Urbano de Carga nas exceções André Perez, ge-
do rodízio municipal que limitam a cir- rente regional PR da
culação de veículos de acordo com o Alfa Transportes EIRELI
final da placa. (Fone: 49 3561.5100),
Na prática, isso quer dizer que ago- relaciona, no âmbito
ra o VUC pode circular livremente em das exigências, cuida-
qualquer horário e isento de restrições Nogueirão, da Jamef: estes Menegon, da TDB Transporte: a do maior no manuseio
setores exigem um manuseio mercadoria não entregue dentro
na região compreendida entre as vias dos produtos, visto que
dedicado que garanta a integridade da janela de coleção praticamente
que compõem o Mini Anel Viário da ci- do material durante toda a tem desvalorização de mais de têm alto valor agre-
dade: marginais dos rios Tietê e Pinhei- operação e prazos competitivos 80% no preço de venda gado, além de prazos
ros, Avenida dos Bandeirantes, Avenida de entrega agressivos.
Afonso D’Escragnole Taunay, Complexo Mais exigências “Por se tratar de tecido, o mais impor-
Viário Maria Maluf, Avenida Tancredo Thiago Menegon, diretor comercial tante é mantê-lo em cargas separadas
Neves, Rua das Juntas Provisórias, Via- da TDB Transporte e Distribuição de de químicos ou qualquer outro produto
duto Grande São Paulo, Avenida Pro- Bens (Fone: 11 2127.4900), também líquido”, destaca Perez.
fessor Luís Ignácio de Anhaia Melo e aponta, como exigências por parte dos Em tempos atuais, onde as empresas
Avenida Salim Farah Maluf. segmentos têxtil e vestuário, agilidade e não mantêm mais estoque de tecidos,
logística Setorial
uma operação logística rápida para aten- des, gerente comercial da Fox Cargo do de dispositivos como estrutura cabidei-
der a demanda entre as pontas tem sido Brasil (Fone: 11 3543.0200). ra para armazenagem e, no transporte,
um dos fatores mais importantes, segun- Toni Junior Ramos Trajano, diretor exe- caminhões adaptados para transporte
do Bruno Silva, gerente corporativo do cutivo comercial da Soluciona Logistica e de produtos em cabides são as maiores
Grupo Farrapos (Fone: 85 3052.3146). Transportes (Fone: 11 4210.0635), tam- exigências dos segmentos”, acrescenta,
Além disso, é primordial ao setor têxtil bém comenta que a operação, no caso agora, Carlos Sandrini, gerente comer-
cial da Sequoia Logística e Transportes
(Fone: 11 4391.8800).

Peculiaridades
Se, na abertura desta matéria, fala-
mos sobre as exigências dos segmentos
têxtil e de vestuário de um modo geral,
quais seriam as características deste se-
tor no tocante à logística, também sob
a ótica dos representantes das transpor-
tadoras e dos Operadores Logísticos?
Por exemplo, Lumare Júnior, da Bras-
Lacerda, da Rodomaxlog: Sandrini, da Sequoia: esses Trajano, da Soluciona: no caso dos press, afirma que as encomendas des-
o público com o qual lidam e segmentos trabalham por coleções, grandes varejistas, é exigido investimento tes segmentos se caracterizam por te-
as exigências específicas de o que traz uma renovação de em equipamentos adequados ao
cada segmento são grandes estoque constante, com poucos transporte em cabides, bem como
rem contínuas mudanças de produtos,
peculiaridades produtos que são contínuos em sistemas de segurança cuja natureza é perecível, no sentido de
perderem valor se demorarem a ser en-
a atenção das transportadoras e OLs às dos grandes varejistas, exige investimen- tregues, pois são segmentos de moda.
particularidades de atendimento, princi- to em equipamentos especiais adequa- O efeito direto destas características é
palmente ao tecido, no que diz respeito à dos ao transporte em cabides, bem como que as operações de transporte devem
forma de armazenar e transportar. Afinal, investimento em sistemas de segurança, ser ágeis e precisas para evitar perdas.
o tecido tem necessidade de armazena- como rastreadores, localizadores (re- “O maior desafio está associado às
gem e transporte adequados para não dundância) e escolta em determinadas possibilidades de manter os altos in-
ser danificado, e com isso prejudicar toda regiões e operações. Tudo suportado por vestimentos que o setor de transporte
uma linha de produção, principalmente um Gerenciamento de Risco com empre- exige para cumprir rigorosamente o
pelos efeitos de memória. sas especializadas e com equipe full time objetivo dessa logística, que é garan-
E Rubens Lacerda, diretor de Plane- dando suporte logístico a todas as ope- tir a disponibilidade da mercadoria no
jamento da Rodomaxlog Armazena- rações e veículos em operação. endereço correto, no tempo esperado e
gem e Logística (Fone: 11 3973.7948), “Experiência com cabides e packs, em perfeito estado por um custo ideal”,
também aponta: para o transportador é que são as grades do vestuário, além acrescenta Nogueirão, da Jamef.
necessária maior atenção no manuseio
dos produtos para evitar avarias ou vio-
lações, além de contar com equipe de
Gerenciamento de Risco atuante, pois o
material é atrativo a roubo, e veículos
adequados (baú) para melhor acondi-
cionar o produto.
“É exigido o máximo de eficiência para
que se cumpram os prazos solicitados
com menores preços possíveis, para que
se possa manter, de maneira imperativa,
a qualidade na prestação de serviços”,
complementa Lilian Scaramella Fernan-

48 - D e z em b r o 1 8
E Sandrini, da Sequoia, aponta ções, sendo que, em média, são quatro dade é a alta “perecibilidade” da moda,
como peculiaridade, principalmente, por ano, uma para cada estação, e isso ou seja, é preciso estar com produto
a necessidade de se transportar gran- traz uma renovação de estoque cons- novo e rapidamente no ponto de venda
de parte das mercadorias em cabides, tante, havendo poucos produtos que para manter a atratividade dos clientes. 
para que já cheguem às lojas prontas são contínuos.” “Os setores operam com coleções, a
para serem expostas. “Geralmente, Concorda com ele Trajano, da Solucio- mercadoria não entregue dentro da ja-
esses segmentos trabalham por cole- na, segundo o qual a principal peculiari- nela de coleção praticamente tem des-
valorização de mais de 80% no preço
de venda, ou seja, precisamos de um
DADOS GERAIS DO SETOR REFERENTES A 2017 (ATUALIZADOS acompanhamento mais próximo das
EM OUTUBRO DE 2018), SEGUNDO A ASSOCIAÇÃO entregas para evitar atrasos e recusas
BRASILEIRA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO (ABIT) por parte dos clientes destinatários.
Outro ponto é a gestão de risco, a mer-
Faturamento da Cadeia Têxtil 2º maior empregador da indústria cadoria tem fácil revenda para recepta-
e de Confecção: US$ 51,58 de transformação, perdendo apenas
bilhões; contra US$ 42,94 bilhões para alimentos e bebidas (juntos); dores e alto valor agregado, e a gestão
em 2016; de risco tem atuado permanentemente
2º Maior gerador do primeiro nas operações de vestuário e têxtil”,
Exportações (sem fibra de emprego;
completa Menegon, da TDB Transporte.
algodão): US$ 2,4 bilhões,
Número de empresas: 27,5 mil E Lacerda, da Rodomaxlog, lembra
contra US$ 1,0 bilhão em 2016;
em todo o País (formais); que, o público com o qual lidam e as
Importações (sem fibra de exigências específicas das caracterís-
Quarto maior produtor e
algodão): US$ 5,2 bilhões,
consumidor de denim do mundo; ticas de cada segmento são grandes
contra US$ 4,2 bilhões em 2016;
Quarto maior produtor de malhas peculiaridades, pois o têxtil é direciona-
Saldo da balança comercial do à indústria, são produtos manufatu-
do mundo;
(sem fibra de algodão): rados, destinados à produção. Já o de
US$ 2,8 bilhões negativos, Representa 16,7% dos empregos
e 5,7% do faturamento da vestuário é direcionado para o consu-
contra US$ 2 bilhões negativos
em 2016; Indústria de Transformação; midor final, comércio em geral.
Outro tipo de análise é feita por Silva,
Investimentos no setor: A moda brasileira está entre as
do Grupo Farrapos. Ele destaca que o
R$ 3,1 milhões, contra R$ 2,9 cinco maiores Semanas de Moda
milhões em 2016; do mundo; setor têxtil é um dos mais importantes
do país, gera cerca de 9 milhões de em-
Produção média de Mais de 100 escolas e pregos diretos e indiretos, contudo, tanto
confecção: 8,9 bilhões de faculdades de moda;
o setor produtivo quanto o varejo vêm
peças; (vestuário+meias e Autossuficiente na produção de
acessórios+cama, mesa e sofrendo com a invasão dos importa-
algodão, o Brasil produz 9,4 bilhões dos, que é uma crescente em razão das
banho), contra 5,7 bilhões de de peças confeccionadas ao ano
peças em 2016; portas escancaradas. A consequência
(destas, cerca de 5,3 bilhões em pe-
disso é o achatamento na rentabilidade
Produção média têxtil: ças de vestuário), sendo referência
1,3 milhão de toneladas, mundial em beachwear, jeanswear das empresas do setor, o fechamento
contra 1,6 milhão de toneladas e homewear (dados de 2014); de muitas indústrias e fábricas de con-
em 2016; fecção, gerando, assim, uma queda na
O Brasil é a maior Cadeia Têxtil
completa do Ocidente. Só nós ainda geração de empregos, no consumo de
Varejo de Vestuário: 6,71
bilhões de peças, contra 6,3 temos desde a produção das fibras, insumos para produção e confecção e,
bilhões de peças em 2016; como plantação de algodão, até consequentemente, reduzindo a arreca-
os defiles de moda, passando por dação de impostos para o país. “Para o
Trabalhadores: 1,5 milhão de
fiações, tecelagens, beneficiadoras, consumidor final não importa muito se a
empregados diretos e 8 milhões
confecções e forte varejo; roupa é produzida aqui ou lá fora, mas
se adicionados os indiretos e
efeito renda, dos quais 75% são Indústria que tem quase 200 para o país isso é uma grande perda”,
de mão de obra feminina; anos no País. lamenta o gerente corporativo do Grupo
Farrapos.

D e z em b r o 1 8 - 49
especial
especial

Boas novas
Ano novo, novo governo, recuperação econômica.
O ano se inicia com boas perspectivas, nos mais variados
segmentos. Por isso preparamos esta seção especial,
mostrando os resultados de 2018, as perspectivas e as
propostas de investimentos em 2019. Acompanhe.

PORTO DE SANTOS FECHA 2018 COM VENDAS DE CAMINHÕES “BOLETIM DE INVESTIMENTO” DO


RECORDE DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGA SOBEM 46% EM 2018 BRADESCO RELACIONA O QUE DEVE
O Porto de Santos fechou o ano de 2018 com Os resultados de 2018 deixaram as mon- OCORRER EM VÁRIOS SETORES
recorde na movimentação de cargas, atingin- tadoras animadas. Enquanto 2017 fechou • A Crown Embalagens Metálicas da Ama-
do 131,5 milhões de toneladas, um aumento com 51.941 caminhões vendidos, 2018 zônia investirá R$ 350 milhões na constru-
de 1,3% sobre o ano anterior, quando o volu- surpreendeu e fechou com 75.987 unida- ção de uma nova fábrica em Rio Verde, GO,
me ficou em 129,8 milhões de toneladas. des, um crescimento de 46,3%. Os dados com perspectiva de geração de 600 empre-
O resultado consta de balanço inicial fei- são da Anfavea – Associação Nacional gos diretos e indiretos.
to pela Companhia Docas do Estado de dos Fabricantes de Veículos Automotores. • A Neoenergia investirá R$ 323 milhões na
São Paulo (Codesp), autoridade portuária Das quase 76 mil unidades vendidas, implantação de novas linhas de transmissão
e administradora do complexo portuário 34.782 foram de veículos pesados (mais de energia elétrica em Mato Grosso do Sul.
santista. Os números definitivos do balan- de 40 toneladas de PBTC), o que represen- A linha, que terá 400 quilômetros de exten-
ço ainda serão divulgados. tou 85,5% de alta. Destaque também para são, passará por cinco municípios do Estado.
A soja destacou-se como a carga de os médios, caminhões com peso bruto to- • A Votorantim vai investir R$ 203 milhões em
maior volume movimentado e bateu re- tal entre 10 e 15 toneladas, que venderam 2019. Mais da metade do valor será direcio-
corde anual: 20,3 milhões toneladas, um 7.664 unidades em 2018, um crescimento nado à expansão da capacidade produtiva
crescimento de 23% sobre a maior marca de 72,7% em relação a 2017. de sua fábrica localizada em Rio Branco do
anterior estabelecida, em 2017. Este crescimento foi bem maior que o es- Sul, PR. O restante será distribuído entre as
O açúcar e o milho destacaram-se tam- perado. Enquanto a Anfavea projetou para outras seis unidades da empresa, todas lo-
bém, mas tiveram desempenho inferior aos 2018 79,5 unidades licenciadas entre ca- calizadas na região Sul do país.
recordes estabelecidos no ano passado. minhões e ônibus, o que traria um cresci- • A Umicore investirá R$ 130 milhões na
Foram movimentadas 14,2 milhões de to- mento para o setor de pesados de quase construção de duas fábricas em Americana,
neladas de açúcar, cerca de 24,3% abaixo 25%, o real foram 91.068 unidades, ou SP. Uma delas será voltada para a recicla-
do ano anterior (18,7 milhões de toneladas). seja, um crescimento de 43%. gem de metais e outra para a área metalo-
De milho foram movimentadas 12,4 milhões Outros segmentos também cresceram. química. As obras devem ser finalizadas em
de toneladas, volume cerca de 12,6% me- Enquanto em 2017 foram 1,8 milhão de junho de 2020.
nor do que o verificado em 2017. automóveis vendidos, 2018 fechou com • O Centro de Saúde São Camilo investirá
Outro importante destaque foram os embar- 2,1 milhões de unidades licenciadas, um R$ 90 milhões na construção de um Centro
ques de celulose que contaram com novo crescimento de 13,1%. Comerciais leves Hospitalar no município de Ponta Grossa,
terminal no porto para escoar a produção de passaram de 320 mil para 376 mil unida- PR. O empreendimento contará com cerca
Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. As expor- des, aumentando em 17,5%. Máquinas de 38.000 m².
tações do produto atingiram 4,5 milhões de agrícolas também tiveram crescimento, • A Vital Pães investirá R$ 40 milhões na
toneladas, correspondendo a uma expan- alcançando 47.777 unidades. construção de uma nova fábrica em Ca-
são de 46,4% frente ao resultado de 2017. As expectativas são boas no setor para choeirinha, município da região metropolita-
Para este ano, a Codesp estima movi- 2019. A Anfavea acredita em um cresci- na de Porto Alegre, RS. As obras devem ter
mentação de 136,4 milhões toneladas de mento de 15,3% no licenciamento de pe- início em junho de 2019.
mercadorias no porto, uma expansão de sados (caminhões e ônibus) e 11,3% dos • A Vigor investirá R$ 40 milhões na ex-
3,7% sobre o resultado de 2018. leves. (Fonte: Pé na Estrada) pansão de sua unidade fabril, localiza-
da em São Gonçalo do Sapucaí, MG.
O valor será utilizado para quadruplicar a
CERCA DE 80 MIL NOVAS VAGAS DE ESTÁGIO capacidade produtiva de queijo parmesão.
SERÃO ABERTAS NO PAÍS ATÉ MARÇO A previsão é de que a expansão fique
Entre janeiro e outubro de 2018, a abertura de vagas de estágio cresceu 14,5% pronta no primeiro trimestre de 2019.
no País em relação ao mesmo período do ano anterior. Os dados são do Centro • A Imply Tecnologia investirá cerca de
Integração Empresa-Escola (CIEE), que projeta 80 mil novas vagas de estágio R$ 20 milhões na ampliação do parque
ofertadas entre dezembro de 2018 e março de 2019. O crescimento é bem-vindo fabril de sua planta em Santa Cruz do Sul,
pelos estudantes, já que desde 2015 as vagas de estágio estavam em queda. RS. As obras têm previsão para serem ini-
ciadas no final de 2019.

50 - D e z em b r o 1 8
COOP ANUNCIA INVESTIMENTOS últimos seis meses, a Coop fechou 2018 Localizado no Porto de Rio Grande, o ter-
com crescimento entre 2% e 3% em re- minal opera integrado ao Contesc, termi-
DE R$ 147 MILHÕES EM 2019
lação ao ano passado e faturamento na nal de navegação interior para contêine-
Considerada a maior cooperativa de con- ordem de R$ 2,2 bilhões. res do Grupo Wilson Sons, instalado em
sumo da América Latina, com 817.000 De acordo com o executivo, as unidades Triunfo, RS. São quatro viagens semanais
cooperados ativos, cerca de 6,5 mil co- contempladas no planejamento estraté- entre as duas unidades. Os produtos –
laboradores diretos, 31 unidades de dis- gico de 2019 ainda não têm endereços de importação, exportação e cabotagem
tribuição, três postos de combustíveis e definidos e, das sete drogarias previstas, – seguem pelo Rio Jacuí e têm como
50 drogarias, sendo 31 internas nas lojas quatro já têm localizações confirmadas. origem ou destino as cidades de Farrou-
e 19 de rua, a Coop - Cooperativa de Uma delas abre as portas no primeiro pilha, Carlos Barbosa, Garibaldi, Caxias
Consumo iniciou 2019 bastante otimista trimestre no Mauá Plaza Shopping, em do Sul, Veranópolis, Cruz Alta, Lajeado,
e confiante na retomada do consumo. Mauá, e as demais em Santo André, São Serafina Corrêa, entre outras.
Por isto, fará investimentos de R$ 147 mi- Bernardo e São Caetano, todas no Esta-
lhões – mais que o dobro dos 60 milhões do de São Paulo, até julho.
aplicados em 2018 –, abrindo três novas HIDROVIA TIETÊ-PARANÁ
lojas e outras sete drogarias de rua, além MOVIMENTA 9,7 MILHÕES DE
CRESCE A MOVIMENTAÇÃO
de reformar quatro unidades e lançar seu TONELADAS DE PRODUTOS EM 2018
aplicativo para reforçar o relacionamento DE CARGAS POR NAVEGAÇÃO
A Hidrovia Tietê Paraná, administrada
com seus clientes.  INTERIOR NO SUL DO PAÍS pelo Departamento Hidroviário do Esta-
A virada do consumo, segundo o presi-
O Tecon Rio Grande, terminal de con- do de São Paulo (DH), movimentou, em
dente executivo Marcio Valle, vem dan-
têineres do Grupo Wilson Sons, fe- 2018, 9,7 milhões de toneladas de pro-
do sinais desde o segundo semestre de
chou 2018 com crescimento superior dutos, o que equivale a 277 mil carretas
2018, período em que as vendas apre-
a 120% na movimentação de cargas via tipo bitrem/ano. O crescimento foi de
sentaram crescimento entre 3% e 4% aci-
navegação interior, em comparação a 9% frente a 2017, quando o movimento
ma da inflação do período. “O consumidor
2017. As principais cargas transporta- chegou aos 8,9 milhões de toneladas.
está voltando ao mercado de forma muito
das foram congelados, resinas, glicerina, As principais cargas transportadas foram
moderada, mas está voltando”, destacou
utensílios domésticos, partes e peças, soja, farelo de soja, milho, areia e cana-
Valle. Com o desempenho positivo dos
móveis, compensados e sucata. -de-açúcar.
especial
especial

EXPORTAÇÕES EM 2018 ALCANÇAM O MAIOR VALOR DOS ÚLTIMOS CINCO ANOS


A corrente de comércio brasileira, que é ção com 2017. A redução nas exporta- O aumento da corrente de comércio de
a soma das exportações e importações, ções de produtos do setor automotivo 13,7% correspondeu a um crescimento
cresceu 13,7% em 2018. As exporta- foi a que mais impactou a queda geral nominal de aproximadamente US$ 52
ções alcançaram US$ 239,5 bilhões, nas exportações para a Argentina. bilhões – ou seja, de US$ 368,5 bilhões,
enquanto as importações registraram Importações – As vendas externas em 2017, para US$ 420,7bilhões, em
US$ 181,2 bilhões. O saldo comercial, brasileiras no total de US$ 181,2 bi- 2018. Com isso, houve contribuição
que é a diferença entre as duas opera- lhões em 2018 representaram um maior do comércio exterior na geração
ções, ficou em US$ 58,3 bilhões, se- incremento de 19,7% em relação a de renda e empregos no Brasil em 2018
gundo melhor desempenho registrado 2017. O aumento se deu pelo se- que no ano de 2017.
desde 1989. Os dados foram publica- gundo ano consecutivo, após quedas Destaques – O desempenho favorável
dos pelo Ministério da Economia. acentuadas de mais de 20% em 2015 das exportações em 2018 representou
No ano de 2018, as exportações cres- e 2016, decorrentes da contração da recordes, em quantidade e valor, dos
ceram 9,6% e registraram a maior cifra demanda interna, principalmente da seguintes produtos: soja (83,8 milhões
dos últimos cinco anos. As importações indústria. Em relação ao desempenho de toneladas e US$ 33,3 bilhões), óleos
aumentaram 19,7% e atingiram o maior dos anos anteriores, o resultado de brutos de petróleo (58,7 milhões de to-
valor desde 2014. A corrente de comér- 2018 supera o registrado em 2015, neladas e US$ 24,7 bilhões) e celulose
cio foi de US$ 420,7 bilhões, superan- quando foram importados US$ 171,5 (15,3 milhões de toneladas e US$ 8,4
do em US$ 52 bilhões o resultado de bilhões. bilhões). Destacam-se, ainda, os re-
2017 e atingindo o maior valor desde Em 2018, houve aumento de importa- cordes em quantidades exportadas de:
2014, quando somou US$ 454 bilhões. ções em todas as grandes categorias minério de ferro (389,8 milhões de tone-
Exportações – O aumento das expor- econômicas: bens de capital (US$ 28,6 ladas e US$ 20,1 bilhões), farelo de soja
tações se deu pelo segundo ano con- bilhões, +76,5%); bens intermediários (16,8 milhões de toneladas e US$ 6,7
secutivo após sucessivas quedas entre (US$ 104,9 bilhões, +11,6%); bens de bilhões), e suco de laranja (2 milhões de
2012 e 2016. O valor de US$ 239,5 consumo (US$ 25,5 bilhões, +9,1%); e toneladas e US$ 1,3 bilhão).
bilhões exportado em 2018 retoma os combustíveis e lubrificantes (US$ 22,0 Na chamada conta petróleo, que refle-
níveis de 2013, quando foram exporta- bilhões, +24,9%). No ano, as impor- te o desempenho das exportações e
dos US$ 242 bilhões. tações foram majoritariamente (85%) importações de petróleo e derivados,
Por fator agregado, houve crescimento compostas por combustíveis, insumos observou-se em 2018 um superávit
das exportações de produtos básicos e bens de capital. recorde de US$ 9,3 bilhões. Trata-se
(17,2%, para US$ 118,9 bilhões) e Os principais parceiros comerciais bra- de crescimento significativo na compa-
manufaturados (7,4%, para US$ 86,6 sileiros nas importações correspondem ração com o resultado de 2017: US$
bilhões), enquanto os produtos semi- aos das exportações: China (US$ 35,5 3,7 bilhões, recorde anterior. As expor-
manufaturados registraram redução de bilhões, +26,6%); União Europeia (US$ tações de petróleo e derivados cresce-
3,1% (para US$ 30,6 bilhões). 34,8 bilhões, +7,9%); Estados Unidos ram 47,1% (para US$ 31,3 bilhões), e
Os principais mercados de destino (US$ 28,9 bilhões, +16,1%); e Argenti- as importações 25,1% (para US$ 21,9
das exportações brasileiras tiveram de- na (US$ 11,1 bilhões, +16,7%). bilhões).
sempenho positivo: China (US$ 66,6 Saldo – Em 2018, o Brasil registrou o Em 2018, as exportações brasileiras
bilhões, com alta de 32,2%); União segundo maior superávit comercial, de produtos manufaturados cresceram
Europeia (US$ 42,1 bilhões, +20,1%); US$ 58,3 bilhões. Ressalta-se que, 7,4% (para US$ 86,6 bilhões). Este foi o
e Estados Unidos (US$ 28,8 bilhões, embora o superávit tenha sido menor terceiro ano consecutivo de alta das ex-
+6,6%). A Argentina segue como prin- do que o de 2017 (US$ 67 bilhões), o portações dessa categoria de produtos.
cipal parceiro comercial do Brasil na desempenho geral do comércio exte- Do lado da importação, merece des-
América Latina, mas as exportações rior brasileiro supera o do ano passa- taque o aumento das aquisições de
para aquele destino (US$ 14,9 bilhões do, em razão do crescimento tanto das bens de capital, que cresceram 76,5%
em 2018) caíram 15,5% na compara- exportações como das importações. (para US$ 28,6 bilhões).
Balança Comercial Brasileira - Jan-Dez 2018/2017 US$ milhões FDB
Dias Úteis Exportação Importação Corrente de Comércio Saldo
Fonte: Ministério da Economia

Mês 2017 2018 2017 2018 Var. % 2017 2018 Var. % 2017 2018 Var. % 2017 2018 Var. %
(m.d.) (m.d.) (m.d.) (m.d.)
Jan 22 22 14.908 17.027 14,2 12.198 14.203 16,4 27.106 31.230 15,2 2.710 2.824 4,2
Fev 18 18 15.469 17.410 12,5 10.913 14.409 32,0 26.382 31.819 20,6 4.555 3.001 -34,1
Mar 23 21 20.074 20.229 10,4 12.938 13.809 16,9 33.012 34.037 12,9 7.136 6.420 -1,5
Abr 18 21 17.680 19.714 -4.4 10.717 13.792 10,3 28.396 33.506 1,1 6.963 5.922 -27,1
Mai 22 21 19.790 19.224 1,8 12.129 13.261 14,5 31.919 32.484 6,6 7.661 5.963 -18,5
Jun 21 21 19.779 20.132 1,8 12.595 14.325 13,7 32.374 34.457 6,4 7.184 5.808 -19,2
Jul 21 22 18.759 22.527 14,6 12.473 18.651 42,7 31.232 41.178 25,9 6.285 3.876 -41,1
Ago 23 23 19.471 21.602 10,9 13.879 18.778 35,3 33.50 40.380 21,1 5.592 2.824 -49,5
Set 20 19 18.659 19.232 8,5 13.488 14.116 10,2 32.148 33.348 9,2 5.171 5.117 4,2
Out 21 22 18.872 21.948 11,0 13.679 16.106 12,4 32.551 38.053 11,6 5.193 5.842 7,4
Nov 20 20 16.683 20.922 25,4 13.143 16.860 28,3 29.826 37.783 26,7 3.541 4.062 14,7
Dez 20 20 17.595 19.556 11,1 12.598 12.917 2,5 30.193 32.473 7,6 4.998 6.639 32,8
Jan-Dez 249 250 217.739 239.523 9,6 150.749 181.225 19,7 368.489 420.748 13,7 66.990 58.298 -13,3

52 - D e z em b r o 1 8
OTIMISTAS, TRANSPORTADORES PROJETAM BONS RESULTADOS PARA O PRIMEIRO ANO DO NOVO GOVERNO
O ano de 2019 será bom para o setor de Quanto à inflação, a expectativa é de que- tador. Assim, 68,7% dos transportadores
transporte. Isso é o que esperam 74,2% dos da para 46,4% dos transportadores. Nesse entrevistados projetam aumento da recei-
transportadores participantes da 10ª edição ponto, é preciso fazer uma ressalva, pois, ta bruta em 2019, remuneração adicional
da Sondagem Expectativas Econômicas do ainda que a expectativa do IPCA seja de essa oriunda do aumento da movimenta-
Transportador 2018, realizada pela Confede- leve alta para este ano, ela não reflete ne- ção de cargas (83,4%), de passageiros
ração Nacional do Transporte (CNT). cessariamente o custo dos transportado- (59,0%) e do número de viagens (67,3%).
O segmento mais otimista quanto a 2019 res, que foi significativamente aumentado Acreditando nesse cenário otimista, 68,3%
é o ferroviário de cargas (83,3% acreditam em 2018, devido às altas dos preços dos dos entrevistados esperam reduzir a ocio-
que será melhor), enquanto o menos oti- combustíveis, destacadamente o diesel e sidade em suas empresas em 2019 –
mista é o metroferroviário (25,0%). o querosene de aviação (QAV). Já o câm- 33,5% acreditam que terão ociosidade,
Após um longo período de ceticismo da bio, que influenciou diretamente o preço mas que ela será inferior à registrada em
maioria dos transportadores quanto ao de- dos combustíveis em 2018, deve cair, em 2018. Outros 34,8% afirmaram que espe-
sempenho da economia e da própria ati- 2019, segundo 45,0% dos entrevistados. ram não ter ociosidade no próximo ano. O
vidade transportadora, apenas 2,8% dos Para 48,5% dos entrevistados, a taxa de ju- dinamismo econômico justifica o fato de
participantes da Sondagem afirmaram que ros – fundamental para a realização de inves- que 53,0% pretendem aumentar a con-
o setor de transporte no Brasil estará em timentos – tem previsão de queda. No que tratação formal de empregados e 67,5%
uma situação pior em 2019, quando se tange à carga tributária, 41,8% apostam em planejam investir em aquisição de veículos.
compara à realidade dos últimos dois anos. sua diminuição, provavelmente confiando Isso indica que, na avaliação do setor,
Questionados sobre a expectativa para em uma bem-sucedida Reforma Tributária não apenas a crise econômica efetiva-
os principais fundamentos macroeco- com reflexos já em 2019. Outros 41,0% são mente teve seu fim. Mas também que os
nômicos e indicadores de desempenho menos otimistas e acreditam na manutenção transportadores confiam nas propostas e
empresarial, os transportadores se reve- do custo da obrigação tributária para o setor, nas medidas já sinalizadas pelo novo go-
laram bastante confiantes para este ano, enquanto apenas 12,0% revelaram expecta- verno, principalmente naquelas relaciona-
apesar dos resultados insatisfatórios de tiva de elevação da carga tributária. das ao cenário econômico.
2018. Assim, 76,6% dos entrevistados Esse comportamento mais dinâmico da ati- Entre as ações estratégicas já anunciadas
creem que a taxa de crescimento do PIB vidade econômica, se confirmado, deve ter pela equipe econômica, destacam-se aque-
de 2019 será maior que a de 2018. seus efeitos positivos para o setor transpor- las relacionadas à melhoria do ambiente de
especial
especial
negócios e ao aperfeiçoamento dos marcos cos; aumento da transparência das relações Essa expectativa de cenário propício à
regulatórios, ambos os temas muito relevan- público-privadas; e redução da sobreposi- atividade empreendedora é muito impor-
tes para o setor transportador. O documento ção regulatória e dos marcos legais. tante por ser um dos elementos estraté-
Transição de Governo 2018-2019 Informa- Diante dessas e de outras indicações do gicos no planejamento de investimentos,
ções Estratégicas, elaborado pelo Ministério governo Jair Bolsonaro, 77,7% dos en- contratações e expansão da atividade
do Planejamento, Desenvolvimento e Ges- trevistados afirmaram que o ambiente de transportadora para os próximos anos.
tão, aponta como possíveis contribuições do negócios para sua empresa, a partir de No que se refere às variáveis mais sen-
governo federal para a melhoria do ambiente 2019, estará mais favorável – o total de síveis ao setor transportador, os entre-
de negócios e, consequentemente, para o 100,0% das empresas de transporte aé- vistados indicaram os pontos que de-
aumento dos investimentos privados em reo acredita que o ambiente de negócios vem ser priorizados pelo presidente Jair
suas diversas frentes e da competitividade será melhor no governo Jair Bolsonaro. Bolsonaro. O aspecto mais importante,
nacional: simplificação do ambiente regula- No segmento de transporte rodoviário de evidenciado por 61,1% dos transpor-
tório e do sistema tributário; promoção da cargas, 50,0% das empresas apostam em tadores, envolve os investimentos em
concorrência; redução dos custos sistêmi- um ambiente de negócios mais favorável. infraestrutura de transporte. Na sequên-
cia, foram destacadas a redução da
INDÚSTRIA DE IMPLEMENTOS RODOVIÁRIOS CONSOLIDA carga tributária (57,7%), a segurança
(45,5%) e a desburocratização (40,3%).
RECUPERAÇÃO DE NEGÓCIOS Note-se que todos os temas prioritá-
O balanço de emplacamentos realizados agronegócios que se mantiveram aque- rios estão diretamente relacionados às
pela indústria fabricante de implementos cidos. De janeiro a dezembro a indústria atividades operacionais das empresas
rodoviários em 2018 mostra que a recu- entregou ao mercado 44.673 unidades, e, dessa forma, têm efeitos diretos nos
peração está consolidada. De janeiro a contra 24.928 produtos em 2017. Isso custos do transporte com reflexos na
dezembro o setor entregou ao mercado representa variação positiva de 79,21%. competitividade nacional.
90.195 unidades, contra 60.491 produ- No segmento de Carroceria sobre
tos em 2017. Isso representa variação chassis (Leve) o desempenho ficou
positiva de 49,1%. “Estamos na rota cer- aquém do setor Pesado porque seus
ta para recuperarmos nossas perdas que negócios dependem da economia
VOLKSWAGEN CAMINHÕES
não foram poucas”, diz Norberto Fabris, nos centros urbanos. Em 2018, a in- E ÔNIBUS: CONTRATAÇÕES E
presidente da ANFIR – Associação dos dústria vendeu 45.522, produtos con- CRESCIMENTO EM 2018
Fabricantes de Implementos Rodoviários. tra 35.563 unidades em 2017, o que O ano de 2018 foi marcado por bons
Segundo levantamento feito pela entida- representa variação positiva de 28%. acontecimentos para a Volkswagen Ca-
de, o ritmo de recuperação em 2018 foi (Veja na tabela abaixo os dados por minhões e Ônibus. Com a reação do
mais forte no segmento de Reboques e segmento do desempenho de janeiro mercado brasileiro de veículos comer-
Semirreboques (Pesado) por conta, em a dezembro de 2018 em comparação ciais e a confiança em um 2019 também
grande parte, dos negócios no setor de com o mesmo período de 2017). positivo, a marca contratou cerca de 350
EMPLACAMENTO DO SETOR – Janeiro a dezembro de 2018 pessoas para a reabertura do segundo
Reboques e Semirreboques turno parcial de sua fábrica em Resen-
Família Jan/dez 2017 Jan/dez 2018 % de, RJ, onde são produzidos caminhões
Basculante 4.515 7.839 73,62
Porta Conteiner 777 1.743 124,32 Volkswagen, MAN e chassis Volksbus.
Graneleiro / Carga Seca 5.653 11.465 102,81 As contratações e treinamentos foram
Canavieiro 1.107 1.638 47,97
Baú Carga Geral 2.264 4.221 86,44 realizados em novembro, para que os
Carrega Tudo 834 867 3,96
Dolly 1.757 4.355 147,87 novos colaboradores iniciassem suas
Especial 631 4.109 551,19 atividades durante dezembro.
Transporte De Toras 1.094 1.336 22,12
Baú Frigorífico 837 1.575 88,17
Baú Lonado 2.219 3.691 66,34
Silo 93 84 -9,68
Tanque Carbono
Tanque Inox
2.542
546
1.325
385
-47,88
-29,49
PORTO DE SÃO SEBASTIÃO
Tanque Aluminio
Total
59
24.928
40
44.673
-32,20
79,21
MOVIMENTA 32% A MAIS DE CARGA
O ano de 2018 foi de crescimento para
Carrocerias Sobre Chassis
Família Jan/dez 2017 Jan/dez 2018 % o Porto de São Sebastião, que movimen-
Graneleiro / Carga Seca 10.999 13.433 22,13 tou cerca de 718 mil toneladas de produ-
Baú Alumínio / Frigorífico 15.594 20.585 32,01
Baú Lonado 161 284 76,40 tos, um aumento de 32% em relação ao
Basculante 2.082 1.844 -11,43
Betoneira 171 172 0,58 ano anterior. Na importação, os principais
Tanque 1.684 2.002 18,88 produtos operados foram o granel sólido,
Outras / Diversas 4.872 7.202 47,82
Total 35.563 45.522 28,00 carbonato de sódio (barrilha), sulfato de
sódio, malte, cevada, ulexita e gipsita. Já
Total Geral Mercado Interno
Implementos Jan/dez 2017 Jan/dez 2018 % na exportação, as principais movimenta-
Total 60.491 90.195 49,10 ções registradas foram de cargas vivas
(bovinos) e automóveis. Somente em
Mercado Externo Exportações (Até Novembro)
Total Exportações 3.165 3.651 15,36 2018, o Porto exportou aproximadamen-
Fonte: Anfir - Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários - Obs.: Poderão acontecer aletrações nas famílias sem prévio aviso. te 148 mil cabeças de gado, um aumen-

54 - D e z em b r o 1 8
to de 188% se comparado com o ano
anterior. INDÚSTRIA FECHA O ANO COM DESEMPENHO POSITIVO EM
Além disso, foi registrado também cres- LANÇAMENTOS DE BENS DE CONSUMO
cimento de 35% no número de embar-
cações que passaram pelo Porto. Em O Índice GS1 Brasil de Atividade In- ainda assim não afetou os resultados
2017, 63 navios atracaram em São Se- dustrial acumulado de janeiro a de- acumulados, o que nos deixa otimistas
bastião. Já em 2018, o número chegou zembro de 2018 mostra crescimento com relação ao ano que se inicia”, ana-
a 84 embarcações. de 18,1%, comparado com o mesmo lisa Virginia Vaamonde, CEO da GS1
O crescimento na movimentação vem período do ano anterior. Brasil.
acompanhado de investimentos na se- “O acumulado de 2018 demonstra O Índice GS1 de Atividade Industrial,
gurança das operações com a aquisição que a intenção de lançamento de calculado pela Associação Brasileira
de um scanner que funciona como um novos produtos cresceu em 18,1% de Automação – GS1 Brasil, é basea-
raios-X e é capaz de visualizar o conteú- se comparado ao ano anterior. Estes do na intenção da indústria em lançar
do no interior de um contêiner. Quando o dados indicam que o empresariado produtos no mercado. É um índice
caminhão passar pelo equipamento, as acreditou em uma melhora de pers- complementar que mede os pedidos
imagens captadas da carga são envia- pectiva e apostou no lançamento de de registro de código de barras para
das à Receita Federal, que analisa se a novos produtos no último ano. O mês bens de consumo. O código é atri-
mercadoria está de acordo com a legis- de dezembro, que historicamente sofre buído pela associação e é um padrão
lação. um desaquecimento, trouxe um indica- mundial de identificação na cadeia de
dor similar ao de dezembro de 2017, e abastecimento.

GRUPO CARREFOUR ENCERROU


2018 COM 631 PONTOS DE VENDA
O Grupo Carrefour Brasil concluiu seu
intenso plano de expansão pelo país.
No último dia 13 de dezembro, em Itum-
biara, GO, o Atacadão inaugurou a vigé-
sima loja em 2018, aumento de 13% na
área de vendas, para cerca de 1,05 mi-
lhão de metros quadrados. Além disso,
18 novas unidades do Carrefour Market e
Carrefour Express foram abertas no Esta-
do de São Paulo. A partir do investimento
de R$ 1,8 bilhão, o Grupo Carrefour che- em 2011, quando 2,1 milhões de motos O constante crescimento dos índices
gou ao final de dezembro com 38 novas saíram das fábricas. de movimentação e de produtividade
operações, totalizando 631 pontos de A volta do crescimento da produção, elevaram o nível de serviço prestado
venda e presença em todos estados e segundo o presidente da Abraciclo, Mar- aos clientes da Companhia. É resultado
regiões. Nos 12 meses de 2018 foram cos Fermanian, é reflexo da retomada da dos investimentos realizados no termi-
gerados mais de 10.000 empregos en- confiança por parte do consumidor, da nal, que somaram R$ 44,6 milhões em
tre diretos e indiretos. O forte ritmo da recuperação econômica e do aumento 2018, e que possibilitaram a aquisição
expansão é um importante avanço na da oferta de crédito, além do número sig- de equipamentos e realização de obras
implementação do plano estratégico nificativo de lançamentos de novos mo- no pátio, e de uma gestão de planeja-
Carrefour 2022, anunciado pelo Grupo delos pelas fabricantes de motocicletas. mento operacional detalhada e execu-
Carrefour em janeiro, que contempla (Fonte: O Estado de S.Paulo) ção rigorosa.
ainda os pilares de transição alimentar e Entre os equipamentos adquiridos no
transformação digital. ano passado e que já estão em ope-
SANTOS BRASIL BATE MAIS UM ração estão um guindaste MHC, com
PRODUÇÃO DE MOTOS CRESCE capacidade para içar até 125 toneladas,
RECORDE NO TECON VILA DO CONDE além de 10 caminhões e três empilhadei-
17,4% EM 2018 O Tecon Vila do Conde, terminal de con- ras Reach Stacker – uma para contêine-
Após seis anos seguidos de queda, têineres operado pela Santos Brasil no res vazios e duas para cheios.
a produção de motocicletas no Brasil Pará, tem batido sucessivos recordes As obras tiveram início em julho e estão
voltou a crescer em 2018, a um ritmo na sua operação, elevando os patama- previstas para chegarem ao fim no pri-
de 17,4%, mostra balanço divulgado res de produtividade e de movimentação meiro trimestre de 2019, quando o ter-
pela Associação Brasileira dos Fabri- de contêineres da região Norte do País. minal passará a contar com quatro gates
cantes de Motocicletas, Ciclomoto- O último recorde foi registrado no mês de de entrada e dois de saída e pavimen-
res, Motonetas, Bicicletas e Similares dezembro, quando o terminal movimen- to de concreto em todo o seu pátio de
– Abraciclo. tou 11.410 contêineres na operação de armazenamento de contêineres, o que
O aumento levou à fabricação de um to- 13 navios. O recorde anterior havia sido permitirá maior velocidade para a ope-
tal de 1,03 milhão de unidades, pratica- de 10.596 contêineres em setembro de ração e maior capacidade de armazena-
mente a metade do recorde alcançado 2018, também na operação de 13 navios. mento.

D e z em b r o 1 8 - 55
especial

SANCIONADA A LEI QUE FORTALECE O COMBATE AO ROUBO DE CARGA


Foi sancionada no dia 11 de janeiro, a Lei nº 13.804/2019, que dispõe sobre
medidas de prevenção e repressão ao contrabando, ao descaminho, ao furto,
ao roubo e à receptação.
A norma altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei nº 9.503/1997) e prevê
punições mais rígidas para quem efetua roubo e contrabando de carga, es-
tabelecendo que o condutor que se utilizar de veículo para a prática do crime
de receptação, descaminho ou contrabando, previstos no Código Penal, con-
denado por um desses crimes em decisão judicial transitada em julgado, terá
cassado seu documento de habilitação ou será proibido de obter a habilitação
para dirigir veículo automotor pelo prazo de cinco anos.
Porém, foi vetado o dispositivo que previa que a pessoa jurídica que transpor-
tasse, distribuísse, armazenasse ou comercializasse produtos fruto dos referi-
dos crimes poderia, após processo administrativo, ter baixada sua inscrição no
Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ).
Leia na íntegra a Lei nº 13.804/2019 em https://goo.gl/GWPfqe.

WILSON SONS ESTALEIROS FECHA Vitória (TechnipFMC) e do Oil Tanker


Amalthia (Medtankers), a maior embarca-
O ANO DE 2018 COM AVANÇO NAS
ção já docada na Wilson Sons Estaleiros.
ATIVIDADES Para 2019, 20 docagens já foram con-
A Wilson Sons Estaleiros, empresa de firmadas para as empresas Wilson Sons
construção naval do Grupo Wilson Sons, Rebocadores, SAAM SMIT e Wilson Sons
registrou significativo avanço nas suas Ultratug Offshore, além da conversão de
atividades em 2018 em comparação um PSV para SDSV para a última empre-
com o ano anterior. Ao todo, foram rea- sa. A atual carteira da empresa contem-
lizadas 24 docagens para seis clientes, pla ainda a construção de um rebocador
contra 17 no ano de 2017, registrando para a Wilson Sons Rebocadores.
um total de 675 dias de docagens em
2018, contra 235 do período anterior. 
O diretor-executivo da Wilson Sons ESTUDO DA DELOITE MOSTRA
Estaleiros, Adalberto Souza, destaca
ainda três entregas de rebocadores OTIMISMO DOS EMPRESÁRIOS
realizadas em 2018, dois deles para a A Agenda Brasil, estudo emitido pela
SAAM SMIT (SST Arara e SST Aranã) e consultoria Deloitte com um levanta-
um para a Wilson Sons Rebocadores mento aplicado junto a representantes
(WS Sirius).  de 826 organizações de 32 segmentos
“Este ano, entregamos o rebocador mais econômicos logo após o término do ci-
potente da costa brasileira, o WS Sirius, clo eleitoral, mostra, no item “expecta-
com tração estática de até 90 toneladas. tivas para os negócios em 2019”, que
Foi um marco, a 90ª embarcação cons- os entrevistados foram extremamente
truída com projeto da Damen Shipyards. otimistas: 97% vão realizar investimen-
Em 2019, vamos entregar mais um des- tos, seja para lançar novos produtos,
ta série de escort tugs, também para a adotar novas tecnologias, treinar pes-
Wilson Sons Rebocadores“, comemora soal, investir em pesquisa e desenvolvi-
Adalberto Souza. mento, etc. Outros 47% pretendem au-
E ele continua, dizendo que têm ciência mentar o quadro de funcionários e 69%
das dificuldades que o mercado ainda acreditam que as vendas irão aumen-
enfrenta, mas estão se preparando para tar. O levantamento foi aplicado junto a
a retomada do setor, com a recuperação organizações cuja soma das receitas
econômica do Brasil. totalizou R$ 2,8 trilhões no último ano
O executivo explica ainda que o maior (corresponde a 43% do PIB nacional).
volume de dias docados em 2018 deve- Do total dos respondentes, a grande
-se à quantidade de trabalhos mais com- maioria é composta por tomadores de
plexos, considerando a transformação decisão nas corporações: 66% ocu-
do Gaivota, da Wilson Sons Ultratug Off- pam posições de presidentes, direto-
shore, de PSV (Platform Supply Vessel) res, superintendentes e conselheiros; e
em OSRV (Oil Spill Recovery Vessel), e 23% são gerentes. Veja mais sobre o
as docagens de final de ciclo da Cábrea estudo em: https://goo.gl/or8Ub5

56 - D e z em b r o 1 8
ECONOMIA VAI ACELERAR E CRESCER um crescimento mais forte da massa sala-
rial real (descontada a inflação). FATURAMENTO DA INDÚSTRIA
3% EM 2019, ESTIMA CREDIT SUISSE
O ritmo de crescimento da economia bra-
Com a perspectiva de avanço das refor- DE AUTOPEÇAS AVANÇA 18,8%
mas e a ociosidade elevada na economia,
sileira deverá ter uma aceleração conside- O faturamento do setor de autopeças
Fonseca acredita que o BC poderá man-
rável daqui para frente, passando de 1,4% cresceu 18,8% no acumulado de ja-
ter a Selic em 6,5% ao ano até o terceiro neiro a novembro de 2018, segundo
em 2018 para 3% em 2019, num quadro trimestre de 2019, passando a aumentar
marcado pela melhora do crédito e do os dados mais recentes divulgados
os juros a partir de setembro, já de olho pelo Sindipeças, entidade que reúne
mercado de trabalho, avalia o Credit Suis-
na inflação de 2020. Para ele, a taxa vai as fabricantes do setor. O levantamen-
se. Para o economista-chefe do banco,
terminar 2019 em 8% e o ano seguinte to representa 60 empresas associa-
Leonardo Fonseca, o investimento terá
em 9%. As projeções para a inflação são das que respondem por 36,2% das
expansão de quase dois dígitos em 2019
benignas: o Índice Nacional de Preços ao vendas totais do setor no Brasil.
e o consumo das famílias ganhará fôlego,
Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em O maior índice de crescimento veio
avançando um pouco menos de 3%.
4,2% em 2019. Num cenário de Selic um das exportações: o faturamento líquido
Na visão de Fonseca, o governo de Jair
pouco mais alta, o crescimento de 2020 em reais avançou 27,9% na mesma
Bolsonaro (PSL) tem dado mostras con-
deve desacelerar em relação aos 3% de base de comparação anual, enquanto
vincentes de que dará prioridade à agen-
2019, para 2,5%. as vendas para montadoras subiram
da de reformas fiscais e de aumento da
Já os números fiscais devem melhorar 19,2%. Já as vendas por meio do mer-
produtividade. Além disso, deverá con-
aos poucos. Segundo Fonseca, o resulta- cado de reposição fecharam com alta
seguir aprovar medidas nessa direção no
do primário (que exclui gastos com juros) mais tímida entre os demais, de 7,6%.
Congresso, segundo ele. Com isso, as
deve encolher de 1,7% do PIB em 2018 Em novembro, as vendas para monta-
condições financeiras devem ficar num ní-
para 1% do PIB em 2019, em parte in- doras responderam por 64,6% do total
vel favorável à expansão da atividade, diz
fluenciado pelo aumento esperado de re- faturado pela indústria de autopeças,
Fonseca, que acredita numa recuperação
ceitas com o leilão das áreas da cessão considerando as 60 empresas asso-
mais significativa da confiança de empre-
onerosa feita à Petrobras. A dívida bruta ciadas que compartilharam seus nú-
sários e consumidores no ano que vem.
seguirá em alta, mas menos acentua- meros. O índice está muito próximo da
Nas projeções do Credit Suisse, chama a
da. Nas contas de Fonseca, passará de participação prevista pelo Sindipeças
atenção a estimativa de uma alta de 9,3%
76,3% do PIB em 2018 para 76,9% em para o ano, de 64,4%.
do investimento em 2019, uma acelera-
2019 e 78,2% do PIB em 2020. Já o mercado de reposição represen-
ção expressiva em relação aos 5% espe-
Ao tratar do cenário externo, Fonseca diz tou 12,5% das vendas no fechamen-
rados para 2018. A melhora da confiança
deve aumentar a disposição dos empre- que o Credit Suisse trabalha com uma to de novembro, um pouco longe da
sários em investir mais, havendo também desaceleração gradual da economia glo- previsão de 17,2% da entidade. Por
a perspectiva de avanço do programa de bal, com os EUA crescendo 2,9% em outro lado, as exportações já supera-
privatizações e concessões ao setor pri- 2018 e 2,7% em 2019, e a China, 6,6% ram as expectativas para 2018, ao en-
vado, afirma o economista. em 2018 e 6,2% em 2019. Os juros nos cerrar novembro com participação de
A retomada cíclica da economia também EUA devem ter duas altas em 2019, acre- 18,7%: o Sindipeças acreditava que
vai se amparar num quadro mais positivo dita Fonseca. A situação dos emergentes 13,2% do faturamento de 2018 viria
para o consumo das famílias, que respon- não lhe parece das mais animadoras. das exportações. (Fonte: Automotive
de por quase dois terços do PIB pelo lado A Turquia já adotou uma política econô- Business)
da demanda. Para Fonseca, o consumo mica mais heterodoxa neste ano, e o
das famílias cresceu 2% em 2018 e deve mesmo deve ocorrer com o México no
ano que vem, diz ele, lembrando ainda
FINANCIAMENTOS DE CAMINHÕES
crescer 2,9% em 2019, contribuindo de
modo importante para a aceleração da ati- das dificuldades da Argentina, que terá CRESCEM 61,3%
vidade, dado o peso na economia. eleições presidenciais. Já o Brasil vai no O volume de financiamentos de veícu-
Fonseca aponta dois principais “vetores” caminho oposto, com a adoção de medi- los pesados fechou 2018 com 229.463
que serão fundamentais para a retomada das para melhorar a situação fiscal e uma unidades vendidas a crédito. Desse total,
cíclica. O primeiro é o mercado de crédito, agenda de crescimento, segundo Fon- 44% são pesados novos, com 99.917
que se contraiu muito nos anos de crise seca. Com isso, o Brasil pode se tornar unidades financiadas, um crescimento
e agora tem perspectivas bem melhores. uma “grande história” entre os emergen- de 56,5% em comparação com 2017. O
Empresas e famílias estão menos endivi- tes, melhorando em termos relativos na grande responsável por esse crescimento
dadas, a inadimplência tanto de consumi- comparação com outros países desse são os caminhões, que fecharam o ano
dores quanto das pessoas jurídicas está grupo de economias, avalia ele. com um crescimento de 61,3% em rela-
muito baixa e os juros estão num nível que Com a perspectiva de aceleração da ção a 2017.
estimula a atividade. economia em 2019, o déficit em conta Considerando o total de pesados financia-
O outro é o mercado de trabalho, que tem corrente deverá dobrar, mas o aumen- dos, novos e usados, o segmento fechou
se recuperado lentamente, com o de- to não é preocupante. O rombo nas com uma alta de 25,8% em relação ao
semprego em nível ainda muito elevado e transações de bens, serviços e ren- ano de 2017, demonstrando uma grande
a criação de vagas concentrada no setor das do país com o exterior deve sair recuperação do setor. A participação de
informal. Na visão de Fonseca, a deso- de 0,6% do PIB em 2018 para 1,2% caminhões nesse total foi de 88,9%, 3,6
cupação seguirá em baixa, a geração de do PIB em 2019, um nível ainda baixo. pontos percentuais a mais que em 2017.
vagas formais vai ganhar espaço e haverá (Fonte: Valor Econômico) (Fonte: B3)

D e z em b r o 1 8 - 57
anúncios fique por dentro
Alphaquip..................... 17 Grupo TPC Confiance.Log
O TPC Logística Inteligente, um dos Formado em administração com ên-
Baoli..............................37 maiores grupos de logística do País, fase em comércio exterior, Leonardo
anuncia a nomeação de Eduardo Leo- Feijos ocupava anteriormente o cargo
Bauko................... 3ª Capa nel como diretor corporativo comer- de gerente Operacional e, a partir de
cial. Ele irá liderar as áreas de proje- agora, tem a missão de liderar a área
Brasil Log......................25 tos, vendas e relacionamento, marke- Comercial e de Relacionamento da
ting e inteligência de mercado. Leonel Confiance.Log. Eduardo Romero tem
BRT Minas.................... 47 é formado em Engenharia Mecânica pós-graduação em administração es-
pela Universidade Federal do Rio de tratégica e foi convidado a assumir o
Clark Dabo................... 53 Janeiro, com pós-graduação em Ges- cargo de gerente Operacional.
tão Empresarial pela Fundação Getú-
Eleva............................. 56 lio Vargas.

Embragen.....................27 Volvo
Secretaria Alcides Cavalcanti é o novo diretor
Ford Cargo............... 8 e 9 dos Portos comercial da Volvo, sucedendo Ber-
O engenheiro Diogo Piloni e Silva foi nardo Fedalto, que deixou a empre-
Fronius ........................ 35 oficialmente nomeado como secre- sa após 37 anos. O novo diretor co-
tário Nacional de Portos. O executivo mercial de caminhões da Volvo, que
ocupa a vaga de Luiz Otávio de Olivei- antes ocupava a função de gerente
GKO Frete..................... 31 comercial de caminhões da empresa
ra Campos no órgão vinculado ao Mi-
nistério da Infraestrutura, responsá- no Brasil, é formado em engenharia
GLP........................ 13 e 45 mecânica pela UFPR (Universidade
vel pela gestão dos complexos marí-
timos brasileiros. Piloni é especialista Federal do Paraná). Tem especializa-
JLW........................23 e 43 ção em gestão de negócios pela FGV
em Gestão Portuária e funcionário de
carreira do Governo Federal. Antes de (Fundação Getúlio Vargas) e MBA
L Amorin...................... 29 assumir a Secretaria Nacional de Por- pelo IBMEC (atual INSPER). O execu-
tos, era diretor da Secretaria do Pro- tivo ficará baseado na sede da Volvo
LagExpress .................... 7 grama de Parcerias de Investimentos em Curitiba, PR, reportando-se dire-
(PPI) da Presidência da República. tamente ao presidente do Grupo Vol-
Logweb........................ 24 (Fonte: A Tribuna) vo América Latina, Wilson Lirmann.

Princesa dos Campos... 21


Retrak ..........................19 Empresas Randon
Desde 1º de janeiro último o processo de recrutamento para vagas ofertadas
pelas Empresas Randon está sendo feito em sua totalidade de forma digital.
Runtec ......................... 39 O novo sistema de recrutamento, que já vinha sendo adotado para alguns
tipos de vagas, agora se estende também para aquelas ligadas diretamente à
Savoy....................4ª Capa manufatura. Para participar do processo seletivo é necessário estar cadastra-
do no sistema através do endereço https://randon.gupy.io/. O novo modelo
SDO............................... 51 é válido para as vagas das empresas Randon Implementos, Randon Veículos,
Suspensys, Suspensys We/Castertech, Fras-le, Master e JOST, além da Ran-
Still........................2ª capa don Consórcios, Banco Randon e vagas corporativas. Em breve, será estendi-
do também às unidades da empresa sediadas em São Leopoldo, Chapecó e
SZ Laboratórios............41 Araraquara. Quando o candidato se habilita à vaga, ele preenche um cadas-
tro sobre preferências de trabalho. A inteligência artificial atua no sentido
Translovato....................11 de comparar a base de dados de informações dos candidatos com a base de
dados criada a partir do perfil dos funcionários das Empresas Randon e com
Yale............................... 15 o que se espera para a vaga.

58 - D e z em b r o 1 8

Você também pode gostar