Você está na página 1de 2

IMPORTÂNCIA DO SOLO PARA O HOMEM

Ao longo da história humana, por diversas vezes, podemos observar a peculiar


relação existente entre o solo e o surgimento de civilizações e povos ao longo de sua
jornada na Terra. O conhecimento sobre o solo primeiramente se deu de forma
experimental, muitas civilizações o utilizavam com a necessidade de produzir pigmentos,
por exemplo, que eram usados nas pinturas rudimentares encontradas nas cavernas nos
mais diversos continentes. Depois, o homem passou a tirar algumas conclusões a respeito
das funções do solo, o que permitiu o desenvolvimento da agricultura (aproximadamente
10.000 anos atrás). O processo de ocupação do solo pelo homem não estava atrelado a
ideia de propriedade, isso porque ele ainda não relacionava o uso do solo com benefícios
perenes ou de cultivo contínuo, somente ao uso dos recursos naturais, à caça e a coleta,
para a satisfação de suas necessidades básicas e prementes (Lepsch, 2011).
No entanto, conforme o homem evoluía, ele usava cada vez mais os solos
satisfazendo suas necessidades, formulando novos conhecimentos a respeito desse corpo
natural, que influenciaria o próprio destino do homem como espécie e como ser social.
É sabido que os solos são recursos fundamentais para a vida na terra, entretanto o
homem tem utilizado de forma não sustentável, exercendo pressões sobre esses recursos
chegando a um limite crítico. Dessa forma, o aumento da degradação dos solos,
resultando na redução da produtividade aumentará a variabilidade do valor dos alimentos,
uma vez que não existe mais grande disponibilidade de terras propícias ao cultivo, e isso
levará milhões de pessoas à pobreza e fome extrema.
No entanto, isso pode ser evitado, desde que seja realizado o gerenciamento dos
recursos do solo, onde seja possível aumentar o suprimento de alimentos e manter
protegido os serviços do ecossistema. A obtenção desta gestão sustentável do solo é capaz
de promover benefícios globais. Em alguns lugares será a saída para a prosperidade
econômica, em outras, será fundamental para a segurança nacional a médio e a longo
prazo, uma vez que, é do solo que produzimos alimentos e extraímos riquezas.
A temática do solo deveria ser considerada na formulação de políticas públicas,
contudo, o tema tem sido negligenciado na maior parte do mundo. Os fatores podem ser
os mais diversos, desde a falta de acesso imediato às evidências necessárias para a ação
política, até a tarefa de lidar com direitos de propriedade de um recurso natural, que
muitas vezes, é propriedade privada, mas ao mesmo tempo, é um bem público importante
quando se observa a longo prazo as mudanças ocorridas no solo (FAO & ITPS, 2015).
Muitas dessas importantes mudanças ocorrem ao longo de décadas e podem ser difíceis
de detectar, resultando em respostas pouco eficientes das instituições que poderiam
reverter o cenário de degradação.
Isto posto, é fundamental conhecermos este tão importante recurso natural que é
o solo, uma vez que a sociedade humana é totalmente dependente dos produtos do solo,
bem como dos serviços mais intangíveis que fornece para a manutenção da biosfera.

REFERÊNCIAS
LEPSCH, I. F. 19 Lições de Pedologia. São Paulo. Oficina de Textos. 2011, 456p.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS
AND INTERGOVERNANMENTAL TECHNICAL PANEL ON SOILS. Status of the
World’s Soil Resources (SWSR) – Technical Summary. Rome, Italy, 82p.

[Digite aqui]