Você está na página 1de 5
FARMACOTÉCNICA I ISSES MONIQUE; SAFIA NASER; SYNTIA POLICENA ROSA.

FARMACOTÉCNICA I

ISSES MONIQUE; SAFIA NASER; SYNTIA POLICENA ROSA.

1

– Em relação aos pós:

a) Quais são os processos envolvidos na transformação de uma matéria prima em um pó como forma farmacêutica final ou intermediaria? Cite os objetivos de cada operação e os principais equipamentos.

Operações preliminares da pulverização:

Triagem ou moda

É uma operação mecânica que se pratica para separar as partes inertes ou

alteradas que acompanham,por vezes,as drogas,principalmente as de origem

vegetal,ou,ainda para eliminar as substancias estranhas fraudulentamente ou

não adicionadas aquelas. A triagem pode ser realizada através da mão, por

crivo, por ventilação e por lavagem.

Divisão grosseira

A divisão grosseira representa um processo de fragmentação das drogas

destinadas a torna-las aptas a sofrerem uma divisão ulterior mais perfeita ou a

poderem ser submetidas a certas técnicas extractivas. As técnicas utilizadas

são por secção, por contusão, por rasuração, por granulação, por extinção e

secagem.

Secagem

É uma das operações preliminares mais importantes que se torna imperioso

executar sempre que a substancia tenha um certo grau de umidade,pois nestas

condições ela apresenta-se elástica e torna-se pouco friável,resistindo,por isso

á desagregação.

Amolecimento

Esta operação só é aplicada quando a substancia é muito compacta ou

apresente uma consistência córnea que a torne resistentes aos processos de

pulverização.

Estabilização

A estabilização é uma operação que tem por dim manter inalterável a

composição química das drogas vegetais,procurando-se evitar,com a sua

aplicação as transformações de ordem enzimática a que os fármacos estão

sujeitos durante a secagem e posteriormente durante a armazenagem,as quais

tantas vezes provocam a sua intivação

Técnica de pulverização:

Pulverização em almofariz

reduz a pó pequenas quantidades de material.Pode ser por contusão, e por

trituração.

Pulverização por intermédio

adiciona uma substancia estranha para facilitar a sua redução a pó. Pode ser

por intermédios sólidos, líquidos oi gasosos.

Pulverização por fricção

facilita o corpo a pulverizar sobre um tamis invertido.

Pulverização química

Porfirização

obtenção d pós caracterizados pela sua grande tenuidade.

Pulverização por moinhos

usado para reduzir a pó grandes quantidades de

substancia utilizado para drogas constituídas por tecidos elásticos ou contendo

umas proporção elevada de gordura.

b) Qual dos processos acima é fundamental para assegurar a homogeneidade de dose e conseqüente eficácia terapêutica, e quais as propriedades das partículas tem influencia em tal processo?

1 – Sobre comprimidos:

a) Qual a principal diferença entre os métodos de obtenção dos comprimidos?

A preparação de comprimidos trata-sede obter um pó, a maioria das vezes

composto, o qual se granula a seco ou a úmido.

Se a granulação é executada a úmido há que seguir a técnica de preparação

dos sacaretos granulados, tendo apenas em atenção a escolha do crivo

adequado para o peso dos comprimidos a obter. Seco o granulado, procede-se

à sua calibração e, por último, associa-se-lhe o lubrificante ou mistura de

lubrificantes, depois do que se procede à compressão.

Se o granulado é obtido por via seca há que misturar intimamente os pós

secos, tamisá-los, adicionar-lhes ou não parte do lubrificante e comprimi-los,

obtendo-se comprimidos. Esses comprimidos são fragmentados por trituração

e o granulado assim obtido é, depois, calibrado e adicionado de lubrificante.

Novamente se comprime, mas, desta vez, havendo a preocupação de obter

comprimidos perfeitos.

b) Como assegurar que um comprimido a ser administrado em um paciente apresenta a dosagem correta a ser administrada?

Durante a fabricação e antes da compressão, devem ser doseadas as

substancias ativas nos granulados, de modo a haver garantia de boa

distribuição. A porosidade e resistência do granulado interessa igualmente ser

determinada. A regulação de máquinas para a compressão exige também que

o peso dos comprimidos seja controlado, bem como a desagregação e a

resistência.

Os comprimidos devem ser submetidos a ensaios, a fim de verificar se as

características da forma galenica obtida correspondem às necessidades

pretendidas.

O controle dos comprimidos pode incidir sobre a dosagem doa fármacos

constituintes, realizando-se esta por processos químicos, físico-quimicos ou

biológicos, ou sobre a avaliação de determinadas características físicas. Em

alguns casos terá ainda interesse proceder-se ao controle microbiológico dos

comprimidos.

3 – Sobre revestimento:

a) Quais as principais características exigidas dos comprimidos para

que

possam ser submetidos ao processo de revestimento?

Os comprimidos devem ser bastante duros, de forma o mais convexa possível

e cujos bordos não estejam afastados mais de 1mm. Além disso quanto mais

pequenos forem os comprimidos, dentro de certos limites, mais fácil se torna a

drageificação.

A principal finalidade do revestimento é encobrir os sabores desagradáveis,

liberar o principio ativo de forma controlada, prolongar a vida útil do

medicamento,melhor forma de apresentação

d) Fale sobre as diferenças entre drageamento e revestimento e em película, em relação à formulação e processamento.

O revestimento por película é um processo que envolve a deposição de uma

película fina e uniforme na superfície do substrato, podendo ser utilizado com o

objetivo de mascarar odor e sabor da substância, ou de proteção para

princípios ativos pouco estáveis. Os principais componentes para qualquer

formulação de revestimento por película constituem em polímeros, plastificante,

corante e solventes. As propriedades ideais para o polímero incluem

solubilidade em ampla gama de sistemas solventes, habilidade em produzir

revestimentos que possuam propriedades mecânicas adequadas e solubilidade

apropriada nos líquidos gastrointestinais, de modo que a biodisponibilidade não

seja comprometida. Éteres de celulose são freqüentemente os polímeros

preferidos no revestimento por película, sobretudo hidroxipropilmetilcelulose.

Substitutos adequados são a hidroxipropilcelulose, que pode produzir

revestimentos levemente mais aderidos. Alternativas aos éteres de celulose

são certos acrílicos, como os co-polímeros metacrilato e metacrilato de metila

O drageamento é uma forma específica de revestimento em comprimidos;

considerando que já existem tratados farmacotécnicos defendendo que

drágeas e comprimidos revestidos são, na realidade, a mesma forma

farmacêutica.