Você está na página 1de 2

TIPOS DE CONHECIMENTO

A partir das relações que o ser humano estabelece com o meio, surgem diferentes tipos de conhecimento que o ajudam a
compreender (ou tentar entender) os vários fenômenos que o rodeiam e são observados.

Levando em consideração os vários contextos, o conhecimento pode ser classificado em cinco principais vertentes:
conhecimento científico, conhecimento teológico, conhecimento empírico, conhecimento filosófico.

CONHECIMENTO CIENTÍFICO

Engloba todas as informações e fatos que foram comprovados com base em análises e testes científicos. Para isso, no
entanto, o objeto analisado deve passar por uma série de experimentações e análises que atestam ou refutam determinada
teoria.

O conhecimento científico está relacionado com a lógica e o pensamento crítico e analítico. Representa o oposto do
conhecimento empírico e do senso comum.

 Características do conhecimento científico

Uma das principais características do conhecimento científico é a sistematização, pois consiste num saber ordenado, ou
seja, formado a partir de um conjunto de ideias que são formadoras de uma teoria.

Outro fator que caracteriza o conhecimento científico é o princípio da verificabilidade. Determinada ideia ou teoria deve
ser verificada e comprovada sob a ótica da ciência para que possa fazer parte do conhecimento científico.

O conhecimento científico também é falível, isso significa que não é definitivo, pois determinada ideia ou teoria pode ser
derrubada e substituída por outra, a partir de novas comprovações e experimentaç ões científicas.

Entre outras características inerentes ao conhecimento científico, destaca-se o fato de ser: racional, objetivo, factual,
analítico, comunicável, acumulativo, explicativo, entre outros fatores relacionados a investigação metódica.

 Senso comum e conhecimento científico

Ao contrário do conhecimento científico que requer base teórica e comprovações a partir de experimentações, o
conhecimento do senso comum é pautado principalmente nas crendices populares, ideias e conceitos que são transmitido s
através das gerações por meio de “heranças culturais”.

O conhecimento do senso comum não é questionador, ou seja, apenas determina o motivo, mas não traça os caminhos
que levaram a determinada conclusão.

Já o conhecimento científico se destina a decifrar e entender todos os processos e etapas de uma ideia ou teoria, a partir
do uso de métodos científicos.

(Obs.: Senso comum é o modo de pensar da maioria das pessoas, são noções comumente admitidas pelos indivíduos).

CONHECIMENTO TEOLÓGICO (RELIGIOSO)

Este tipo de conhecimento está baseado na fé religiosa, acreditando que esta é a verdade absoluta e apresenta todas as
explicações para os mistérios que rondam a mente humana. Não há a necessidade de verificação científica para que
determinada "verdade" seja aceita sob a ótica do conhecimento religioso.

 Características do conhecimento religioso


 Valorativo: o conhecimento religioso baseia-se em julgamentos subjetivos e não em fatos e acontecimentos
comprovados;
 Inverificável: por lidar com questões espirituais , metafísicas, divinas e sobrenaturais, o conhecimento religioso não é
submetido à verificação científica;
 Infalível: o conhecimento religioso explica os fenômenos e mistérios da vida através de proposições dogmáticas
(verdades absolutas) que não podem ser refutadas;
 Sistemático: independente da religião, o conhecimento religioso é organizado em um conjunto de regras que se
complementam;
 Inspiracional: o conhecimento religioso é baseado em doutrinas e ensinamentos revelados de forma sobrenatural.

CONHECIMENTO EMPÍRICO

É o chamado "conhecimento vulgar" ou o senso comum. Esse tipo de conhecimento surge a partir da interação e
observação do ser humano com ambiente que o rodeia. Por ser baseado nas experiências, o conhecimento empírico não
costuma apresentar a legitimidade da comprovação científica.

Conhecimento empírico é uma expressão cujo significado reporta ao conhecimento adquirido através da observação. É
uma forma de conhecimento resultante do senso comum, por vezes baseado na experiência, sem ne cessidade de
comprovação científica.

Com base no conhecimento empírico pode-se saber que uma determinada ação provoca uma reação, sem que, contudo, se
saiba qual o mecanismo que leva da ação à reação. Exemplo disso foi, durante séculos, o conhecimento de q ue largado
um objeto, ele entra em queda livre até que encontre algo que o sustenha, mesmo antes de ser conhecida a teoria da
gravitação.

Sendo o conhecimento empírico adquirido de forma ingênua, através da mera observação e com base em deduções
simples, é por vezes passível de erro. Por exemplo, durante muitos séculos, aceitou -se como fruto do conhecimento
empírico que o Sol girava em torno da Terra, tendo a ciência mais tarde vinda a demostrar que, contrariamente ao que
possa indicar a nossa percepção é, na realidade, a Terra que gira em torno do Sol.

CONHECIMENTO FILOSÓFICO

Representa um meio-termo entre o conhecimento científico e o empírico, pois nasce a partir da relação do ser humano
com o seu cotidiano, mas baseado nas reflexões e especulações que es te faz sobre todas as questões imateriais e
subjetivas.

Esse tipo de conhecimento foi construído devido a capacidade do ser humano de refletir. Mesmo sendo de natureza
racional, o conhecimento filosófico dispensa a comprovação científica, uma vez que o objeto de análise deste não
consiste em coisas materiais.

É graças ao conhecimento filosófico que são construídas ideias, conceitos e ideologias que buscam explicar, de modo
racional, diversas questões sobre o mundo e a vida humana.

Alguns estudiosos também consideram o conhecimento filosófico um intermédio entre o conhecimento científico e o
conhecimento teológico (religioso).

 Características do conhecimento filosófico

 Sistemático: acredita que a base para a resolução das questões seja a reflexão;
 Elucidativo: tenta entender os pensamentos, os conceitos, os problemas e demais situações da vida que são
impossíveis de seres desvendados cientificamente;
 Crítico: todas as informações devem ser profundamente analisadas e refletidas antes de serem levadas em
consideração;
 Especulativo: as conclusões são baseadas em hipóteses e possibilidades, devido ao uso de teorias abstratas.