Você está na página 1de 44

PUBLICAÇÃO | SETEMBR0 2019 ED.

01

+A
INOV
ÇÃO

TECNOLOGIA
GÊNEROS & DESAFIOS
DIGITAIS
ERA DIGITAL: INFLUÊNCIA NA ESCRITA
(IN)FORMAÇÃO
O USO DA TECNOLOGIA PROPORCIONA
DAS ESCOLAS
TRANSFORMAR O ALUNO EM PROTAGO-
FORMAL E REFLEXÕES SOBRE OS AO INDIVÍDUO INTERAÇÃO COM O MEIO NISTA DE SEU PROCESSO DE APRENDI-
I M PA C T O S N A I D E N T I D A D E D O DE FORMA PRESENCIAL OU ONLINE, ZAGEM. É POSSÍVEL?
SUJEITO DO SÉCULO XXI. INTENSIFICANDO A TROCA DE
EXPERIÊNCIAS.
A presença do Pibid na Escola Municipal Celestina Bittencourt foi ótima para os
discentes. Cada oficina organizada e aplicada pelos bolsistas possibilitou o
estímulo à leitura e funcionou como mais uma oportunidade de percepção da
função social do texto. Fiquei feliz de termos recebido estes futuros docentes,
cheios de excelentes ideias para facilitar a aprendizagem dos alunos sobre
gêneros textuais e outros assuntos interessantes.
(Regiane Vitória Silva Santos, Professora de Língua Portuguesa)

O PIBID aproxima a universidade da escola, pois possibilita


que a formação inicial do professor aconteça observando o
dia a dia escolar, exercitando a reflexão sobre a prática,
através da vivência no ambiente escolar. A realização do
PIBID no Colégio Municipal Profª Celestina Bittencourt foi
As ações do PIBID foram muito
importante porque contribuiu para o aprendizado do futuro relevantes, pois oportunizou aos
docente, do seu perfil profissional, como também, para todos alunos momentos significativos de
aprendizagens. As atividades e
os envolvidos neste universo escolar. (Rita Floquet,
metodologias aplicadas contribuíram
Professora de Língua Portuguesa) consideravelmente para à prática de
leitura de nossos alunos,
despertando neles mais interesse e
incentivo às novas leituras.
(Fernanda Rodrigues, professora)

+A
INOV
ÇÃO
Só tenho a agradecer aos bolsistas e a supervisora desse
projeto tão encantador. Pude contemplar momentos
belíssimos de aula prática e percebi nos olhos dos alunos o
Só tenho a agradecer aos encantamento com o que estava sendo aplicado. Parabéns
bolsistas ID e Supervisora a vocês do PIBID pelo belo trabalho.
pelo belíssimo trabalho
realizado no Colégio, onde os (Niedja Andrade, Diretora do Colégio Mun. Profª
discentes e docentes tiveram Celestina Bittencourt)
a oportunidade de aprender
com as dinâmicas
apresentadas.
Luciana Bidu (Vice-
Diretora)

O Programa PIBID é eficaz, que incentiva


metodologias inovadoras em sala de aula.
(Fernanda Fernandes, Coordenadora))
+A
INOV
ÇÃO
TECNOLOGIA
GÊNEROS & DESAFIOS
DIGITAIS
ERA DIGITAL: INFLUÊNCIA NA ESCRITA
(IN)FORMAÇÃO
O USO DA TECNOLOGIA PROPORCIONA
DAS ESCOLAS
TRANSFORMAR O ALUNO EM PROTAGO-
FORMAL E REFLEXÕES SOBRE OS AO INDIVÍDUO INTERAÇÃO COM O MEIO NISTA DE SEU PROCESSO DE APRENDI-
I M PA C T O S N A I D E N T I D A D E D O DE FORMA PRESENCIAL OU ONLINE, ZAGEM. É POSSÍVEL?
SUJEITO DO SÉCULO XXI. INTENSIFICANDO A TROCA DE
EXPERIÊNCIAS.
Revista Acadêmica

Ano 19 #Edição Especial

Agosto/Setembro

Organizadores
Bolsistas ID ( PIBID, UNEB-XXI)

Abraão Lincoln Silva Santos


Anarli dos Santos Rocha
Augusto Fernandes dos Santos Jr.
Camila da Silva Dantas
Euleides Nascimento de Andrade
Felipe Pereira dos Santos Neto
Kele Nunes do Nascimento
Maria da Glória dos Santos
Matheus Santos Mendes
Railine Santos Lima

Bolsista Supervisora
Elania Silva Ferreira
(Professora de Língua Portuguesa)
Revisão
Msc. Harlle Silva Costa
Coordenadora de Área PIBID/CAPES/UNEB

Produção Visual e Design Gráfico


Anderson Argolo dos Santos

APOIO:
SUMÁRIO
EDITORIAL ......................................................... 07
APRESENTAÇÃO
08 ........................................................ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

LITERATURA
ESTAÇÃO DA PALAVRA: O MUNDO DO POEMA EM SALA DE AULA ........ 10

PROJETO ÁRVORE LITERÁRIA ...................................................................... 13

INFORMAÇÃO
15 ..................... A PESQUISA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: GÊNEROS
DIGITAIS E PROTAGONISMO JUVENIL
18 ..................... SABER ARGUMENTAR É FRUTO DE CONHECIMENTO E
ESSENCIAL PARA A FORMACÃO DE ALUNOS CRÍTICOS
21 ..................... PRODUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS JORNALÍSTICOS E
O DESPERTAR DA CRITICIDADE PERANTE NOTÍCIAS ATUAIS
24 ..................... A NOTÍCIA COMO GÊNERO DE CONHECIMENTO, PESQUISA,
LEITURA INTERPRETAÇÃO E CRIAÇÃO

SOCIAL
IMPORTÂNCIA DO TRABALHO COM METODOLOGIAS ATIVAS ................. 27

LEITURA CRÍTICA, PESQUISA E (IN)FORMAÇÃO ........................................ 31

CULTURA
33 ..................... ESCOLA E TEATRO: PROTAGONISMO DOCENTE E DISCENTE

36 .......................................... ZOOM FOTOCONTO: POR TRÁS DAQUELA FOTO

RELATO DE EXPERIÊNCIA ..................................... 39

41 ................................. INDICAÇÕES DE LEITURA


EDITORIAL

"Navegar é preciso”, já dizia o poeta Fernando Pessoa ao rememorar o general romano Pompeu. E
numa era que em as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC) imperam, se faz
ainda mais necessário se aventurar em outros mares. Nesse cenário, os desafios impostos à
educação estão relacionados à inserção de práticas pedagógicas que possibilitem o protagonismo
do aluno, a democratização dos recursos digitais e a aprendizagem significativa, de modo a articular
os saberes construídos para além dos muros da sala de aula.
Entende-se que o aprendizado resulta de uma busca constante, que se dá entre a teoria e a
experiência prática do sujeito na diversa e complexa relação social. Isso significa que o
conhecimento nunca é dado completamente, é provisório, passível de mudanças.
Desse modo, repensar o ensino de Língua Portuguesa implica articular estratégias que incentivem o
estudante a ser protagonista do seu próprio saber, e isso só será possível se o professor como
mediador desse processo, promover ações que possibilitem aos alunos, investigar, discutir,
questionar. Ou seja, selecionar como objeto de estudo na sala de aula, as práticas de linguagem que
funcionam socialmente, nas quais o falante é livre para criar, reelaborar com e sobre a língua/
linguagem e não o contrário disso. E o que vai corroborar nesse aspecto é inserir a pesquisa como
perspectiva metodológica na produção de conhecimento.
Sob esse prisma, a sala de aula precisa adaptar-se às rotinas que propõem o ensino em movimento,
nas quais o aluno interage e atua de forma ativa na construção do seu conhecimento. Nesse sentido,
as estratégias inovadoras, sobretudo as ligadas ao uso das tecnologias como meios para acessar a
informação e reconstruir conhecimentos, contribuem para o ensino produtivo e aprendizagens
significativas.
Para corroborar essa discussão, a INOVA+AÇÃO apresenta neste periódico experiências dos
bolsistas de Iniciação à Docência (PIBID/ CAPES/UNEB), campus XXI - Ipiaú, na aplicação de
planos de ação desenvolvidos com os alunos do Ensino Fundamental, anos finais, do Colégio
Municipal Professora Celestina Bittencourt. Todas as atividades foram desenvolvidas com base na
prática da pesquisa nas aulas de Língua Portuguesa, juntamente com o uso de metodologias ativas.
E esta opção teórico metodológica justifica-se também pelo entendimento de que o mar é aberto e
este é um dos caminhos possíveis para transpor as altas ondas e quicá ancorar em um porto seguro.
EDITORIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 07


Harlle Silva Costa
Possui Mestrado em Estudos de Linguagem pela
Universidade do Estado da Bahia - UNEB e
atualmente é Professor Assistente na mesma
Universidade. Atuou como coordenadora local do
Programa de Iniciação à Docência/ UNEB/ FAPESB
(2013 e 2014) e como coordenadora do Colegiado do
Curso de Letras - DCHT - campus XXI, no biênio 2011
e 2012. Tem experiência na área de Linguística, com
ênfase em Análise do Discurso, atuando
principalmente nos seguintes temas: análise do
discurso, leitura e escrita, ensino de língua
portuguesa, tecnologias digitais e ensino. Atua
também como coordenadora de área do Programa de
Iniciação à Docência (PIBID/ CAPES/ UNEB), período
2018 - 2020.

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL
10 ANOS DE PIBID/ UNEB: POLÍTICA DE COMPROMISSO E VALORIZAÇÃO
NA PRÁTICA DOCENTE.
Por [Harlle Costa]

A Universidade do Estado da Bahia (UNEB) No campus XXI da UNEB, em Ipiaú, ao longo


desde sua criação, em1993, assume o propósito desses 10 anos, o PIBID foi desenvolvido em três
de constituir-se em espaço de excelência na edições. A primeira edição do Programa foi
f o r m a ç ã o e m n í v e l d e e n s i n o s u p e r i o r, coordenada pelo Professor Dr. Murilo da Costa
fundamentada no tripé ensino, pesquisa e Ferreira, 2010 a 2013, o qual desenvolveu o
extensão; compromisso social, educacional e projeto "Multiculturalismo Étnico-racial e
político. igualdade educacional: sentidos e propostas", no
O seu caráter multicampi contribui Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães e
significativamente para a função social a que se Colégio Estadual de Ipiaú.
propõe. Atualmente está distribuída em 29
departamentos instalados em 24 campi, na capital
e interior do Estado, com presença em 23
municípios baianos.
No que se refere ao compromisso educacional e
COORDENADORA DE ÁREA

político na formação de professores da educação


básica, há 10 anos a UNEB atua junto ao PIBID, a
fim de fortalecer a relação universidade e escola,
bem como garantir a qualidade na formação de
seus licenciados.
Neste período 66.000 estudantes de escolas
públicas foram beneficiados pelo Programa, com
a vivência em práticas pedagógicas que
promovem a autonomia e o protagonismo dos
sujeitos, de modo a corroborar resultados
significativos para o processo de ensino
aprendizagem.

08 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


A segunda edição foi coordenada por mim, no
período 2014 a 2015 e teve como foco "A
pesquisa como princípio educativo e formativo na
formação do professor pesquisador na área de
Letras" e teve como co-formador o Colégio
Estadual Professora Celestina Bittencourt.
Atualmente, a terceira edição do PIBID, no DCHT
- campus XXI, também sob a minha coordenação,
conta com 23 discentes bolsistas ID, 2 voluntários
e 3 professores supervisores, os quais
desenvolvem suas ações no Colégio Municipal
Angelo Jaqueira, Centro Territorial de Educação Fonte: Arquivo Pessoal

Profissional do Médio Rio das Contas (CETEP) e


Colégio Municipal Professora Celestina
Bittencourt.

Este histórico reafirma a contribuição da UNEB


como agente de transformação social no
processo de formação inicial docente, e seu
compromisso enquanto universidade pública,
gratuita, inclusiva e de qualidade.
Fonte: Arquivo Pessoal

Professora Msc. Harlle Silva Costa


Coordenadora de Area PIBID/CAPES/UNEB

COORDENADORA DE ÁREA

Fonte: Arquivo Pessoal

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 09


LITERATURA
Euleides Nascimento de Andrade
Discente do curso de Letras Vernáculas na
Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Campus
XXI - Ipiaú-BA - Semestre V.

O
POEMA NA SALA DE
AULA
_________
ESTAÇÃO DA PALAVRA: O MUNDO DO “ESTA AÇÃO
POEMA EM SALA DE AULA POSSIBILITOU AOS
Por [Euleides Nascimento]
ESTUDANTES O
POEMA CONCRETO/DIGITAL ENTENDIMENTO E A
O poema é uma arte que invade a alma, com ideias que transformam o PRODUÇÃO DO
cognitivo do leitor; suscitam emoções e nos fazem refletir sobre as
POEMA CONCRETO/
especificidades do imaginário poético, do contexto de produção do texto
e do momento de catarse poética. DIGITAL.”
_________
Nesta perspectiva, foi elaborado um trabalho de aproximação dos
estudantes do 7º ano A e F do Colégio Municipal Professora Celestina O POEMA CONCRETO
Bittencourt, Ipiaú- Ba, com o poema digital, a fim de desenvolver o SURGE NO
senso crítico, a criatividade e possibilitar a leitura e a criação do poema
CONCRETISMO (1952)
concreto, no contexto digital.
COM O MOVIMENTO
VANGUARDISTA
POEMA DIGITAL
PERCURSO ATRAVÉS
DO TEMPO DOS
DIGITAIS E INOVAÇÕES
DESSES MEIOS
DIGITAIS POR MEIO DO
USO DA PALAVRAS OU
INCORPORAÇÃO

Fonte: Arquivo pessoal


DESSES RECURSOS.
Fonte: Arquivo pessoal

10 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


LITERATURA
AS ETAPAS DO TRABALHO
No primeiro momento ocorreu a observação da escola e dos estudantes em sala de aula. Em seguida, a
escolha do tema e o planejamento de um trabalho no qual os alunos pudessem protagonizar de forma
prazerosa o fazer poético. Na segunda etapa, procedeu-se uma sensibilização da turma com
apresentação dos principais autores de poemas concretos (com poemas impressos) e, ainda a
discussão sobre a estrutura do gênero poemas concretos/digitais (espaço, união de palavras e formas)
com pesquisas orientadas na sala de informática. Posteriormente, na quarta etapa, destacaram-se os
sentidos do texto e a construção de poemas concretos com a utilização dos recursos digitais.
Na aula seguinte, houve a problematização do tema e a explanação compartilhada sobre o conceito de
poema digital. Propôs-se também que os alunos escrevessem pequenos textos com explicações sobre o
gênero. Ainda neste encontro, solicitou-se a representação imagética de poemas concretos
desconhecidos para eles, seguida de justificativa sobre a escolha.
No quinto e último momento, foram realizadas pesquisas orientadas no laboratório de informática, a
respeito dos poetas concretistas da vanguarda e autores contemporâneos.
Após esta atividade, deu-se continuidade às leituras do gênero pelos estudantes com o objetivo de a
apreender os signos e seus significados, explorando os espaços e forma do poema.

PRODUÇÕES DOS ESTUDANTES:


Com a aplicação da oficina, observou-se uma diversidade nas
produções dos poemas quanto à temática e estrutura. Grande parte dos
alunos demonstrou entendimento sobre a crítica política,
principalmente considerando sua participação nos momentos de
discussão de temas polêmicos na sala de aula. Tais como, a depressão
juvenil (figura 1), brevidade do tempo e da vida (figura 2), e valorização
da vida (figura 3).
O poema 3 foi um dos trabalhos que se destacaram no desenvolvimento Fonte: Arquivo pessoal
da atividade pela criatividade e originalidade. No entanto, houve
produções que mais parafrasearam poemas utilizados como exemplos
do que se apropriaram das suas características para criar algo novo,
como visto na figura 1.

Na Figura 1 - A depressão
Fonte: Arquivo pessoal

Figura 1

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 11


LITERATURA

Figura: 2 - Tempo e da vida. Figura: 3

Figura 2 Figura 3

Resultado final
A experiência de encontrar-se na sala de aula com os estudantes
proporcionou a construção de conhecimentos práticos relacionados à
vivência, em sala de aula, e ao dinamismo que o profissional docente
precisa demonstrar na busca de novas ideias para promover a
aprendizagem.
Verificou-se um avanço na produção dos alunos quando estes
passaram a monitorar a sua escrita. Alguns dos textos foram
selecionados para compor a revista digital. Acreditamos que esse
trabalho tenha sido motivador para tantos outros, e que possa desse
modo resgatar o lugar do poema na escola. Fonte: Arquivo pessoal
Destaca-se a orientação da coordenadora, profª Harlle Silva Costa, da
Professora Supervisora Elania Ferreira e colaboração dos colegas
pibidianos que também participaram da realização deste trabalho.
Siga a nossa página no fecebook:h ps://www.facebook.com/Poema-Em-
Sala-De-Aula-Concreto-digital-101486661199894/?modal=admin_todo_tour.

Fonte: Arquivo pessoal

SUGESTÕES DE PESQUISA
h p://expurgacao.art.br/estrutura-do-poema-visual-concreto/ aula. Azevedo
h p://images.biacamposcy.mul ply.com/image/1/photos/upload/300x300/SQu
xYgoKCrAAABm1Qp81/velocidade-
RonaldoAzeredo.jpg?et=h5HlkeXGTKkvqe48%2B56hA&nmid=0

Fonte: Arquivo pessoal

12 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


LITERATURA
Maria da Glória dos Santos
Discente do curso de Letras Vernáculas na
Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Campus
XXI - Ipiaú-BA .

Caros leitores, com base nas pesquisas, PROJETO ÁRVORE LITERÁRIA


nossas escolas têm muitos alunos e
ÁRVORE LITERÁRIA DESPERTA
poucos estudantes, pensando nisso, o
projeto Árvore Literária foi desenvolvido na
LEITORES NO COLÉGIO MUNICIPAL
escola parceira do PIBID, o Colégio PROFESSOR CELESTINA
Municipal Professora Celestina Bittencourt BITTENCOURT
no intuito de aguçar a curiosidade dos
alunos e incentivar a prática da leitura. Os alunos do Colégio Municipal Professora Celestina Bittencourt descobriram-se leitores
de textos literários, logo após a chegada da árvore literária no pátio do Colégio.
Esse processo ocorrerá com a aplicação de
atividades como pesquisar curiosodade
em busca de informações sobre os autores A ÁRVORE LITERÁRIA: UMA ESTRATÉGIA
dos textos literários colhidos na árvore. DE INCENTIVO À LEITURA
No livro Educar Pela Pesquisa, DEMO Por [Maria da Glória]

(1996,p21) “Pesquisar é procurar


materiais, combater a receita pronta e
CONCEPÇÃO DO PROJETO
fomentar a iniciativa”. Uma das primeiras ações do PIBID realizada no Colégio
Partindo desse conceito, o plano de ação Municipal Profa. Celestina Bittencourt foi uma observação
veio oportunizar aos discentes a pática de diagnóstica. Neste período, foi possível perceber a
interpretação de uma diversidade textual, desmotivação dos alunos para a leitura; em alguns casos por
compreensão e elaboração própria. Além conta da era digital, pelo contato com os aparelhos eletrônicos
disso, com as estratégias desenvolvidas, que podem desviar o interesse pela leitura.
de forma espontânea pelo alunado, pode-
se incentivar tros alunos a se engajar
Muitos também não desenvolveram o hábito da leitura por não
também nessas ações. serem motivados desde as séries iniciais. Outro fator que
corrobora para tal desinteresse, segundo os próprios alunos, é
A devolutiva dos poemas por eles lidos foi a quantidade de páginas dos livros indicados pelos
muito gratificante, pois os educandos se professoresPensando nesses desafios, A “Árvore Literária” foi
mostraram interessados em buscar uma oficina elaborada com o
conhecimento por meio da pesquisa e
objetivo de disponibilizar textos literários para os alunos e
puderam potencializar os conhecimentos
incentivar a prática de leitura no espaço escolar. Além de
adquirids,m que posteriormente foram
incentivar o ato de ler de forma prazerosa e espontânea, a
valorizados com exposições e
premiações..
oficina também contribuiu para estimular a produção textual, a
partir da leitura dos mais variados gêneros literários e a realiza-

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 13


LITERATURA

ção de pesquisas de textos de autores diversos, de acordo com a


curiosidade e interesse dos alunos.. . A L U N O S S Ã O
A proposta consistiu na exposição de vários textos literários como PREMIADOS POR
poesias, poemas, contos e canções de diferentes autores, as quais P R O D U Ç Õ E S
eram lidas pelos alunos, reescritas e socializadas, em encontros PRÓPRIAS E DE
quinzenais. Para ter controle de quem acessou a árvore, havia uma OUTROS AUTORES,
ficha para registro dos nomes, série, turma e turno. TEXTOS QUE MAIS
Tais ações foram propostas com a intenção de aprimorar a escrita, GOSTARAM DE
incentivar a LER!
autonomia dos alunos/escritores, tornando-os protagonistas dos seus
saberes.
PALAVRA-CHAVE
RESULTADO FINAL
A “Árvore Literária” proporcionou ALUNOS SE
uma experiência significativa na DESTACAM EM
minha interação com a escola. Além PRODUÇÕES
de enriquecer o aprendizado
PRÓPRIAS
coletivo, fez-me refletir sobre a
minha atuação como discente do
curso de Letras, UNEB, Campus
XXI Ipiaú –Bahia, e futura docente
de Língua Portuguesa.
Quando iniciou a aplicação do
Chegada de árvore literária no pátio do colégio
projeto, não imaginava que seria celestina bittencuort, desperta nos alunos o
tão gratificante a experiência de hábito da leitura.
Alguns alunos se destacaram enquanto
ensinar e aprender com os alunos e leitores, mostrando dedicação nas leituras e
na criação de seus próprios poemas.
professores do colégio, pois a
receptividade acerca da “Árvore
Literária” foi imediata.
Após a apresentação e aplicação
do projeto, os alunos passaram a ler
Fonte: Arquivo pessoal
mais, interessando-se pela prática
da pesquisa, com curiosidade
aguçada pelo desejo de saber um
pouco mais a respeito dos gêneros
literários e seus autores.
Observou-se maior desejo pela
busca do conhecimento e,
consequentemente, da
aprendizagem. Isso se evidenciou
pela quantidade e qualidade das
PIBIDIANOS EM AÇÃO
produções apresentadas pelos
alunos. Equipe de bolsistas ID do PIBID no Colégio
Municipal Professora Celestina Bitencourt

14 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Camila da Silva Dantas
Graduada em História pela Faculdade de Tecnologia e
Ciências-EAD (2011).
Graduanda do curso de Letras Vernáculas pela
Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus
XXI- Ipiaú-BA.
Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de

INFORMAÇÃO
Iniciação à Docência (PIBID).

Contato: milladantas29@gmail.com

A PESQUISA NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA:


GÊNEROS DIGITAIS E PROTAGONISMO JUVENIL
Por [Camila Dantas]

Para Marcos Bagno (2001), a


da pesquisa como construção de
pesquisa requer uma busca feita
um novo conhecimento ou
com cuidados e profundidades, e
aprimoramento do mesmo. Desse
embora seja algo do nosso
modo, os alunos foram instigados
cotidiano, a pesquisa é colocada
a utilizar as ferramentas
de lado e vista fora da realidade
tecnológicas no desenvolvimento
escolar, devido à necessidade de
de suas habilidades linguísticas e
investigar e traçar métodos
de pesquisa.
específicos para obter resultados.
Considerando que o ensino vai Fonte: Arquivo pessoal
além do copiar e colar, os estudos OFICINA DE GÊNERO
de Pedro Demo (1999) apontam DIGITAIS
para a necessidade de estimular a
pesquisa, despertar o senso A sociedade vive em constante
crítico, atualizar o currículo e sua transformação, principalmente no
prática, a fim de promover uma âmbito tecnológico, pois surgiram
aprendizagem significativa. e surgem frequentemente novos
Assim, refletir sobre o ensino e gêneros textuais e novas formas
inserir práticas de pesquisa na de comunicação. Antes tínhamos
escola, além de inovar na sala de a carta, o diário, o bilhete, etc., Fonte: Arquivo pessoal

aula, poderão oportunizar a porém no contexto das


aprendizagem colaborativa, a tecnologias digitais e a
intervenção na realidade necessidade de atender às
cotidiana e o protagonismo do demandas da sociedade
estudante. moderna, emergiram gêneros
A partir destas considerações, como chat, mensagem de texto via
este Plano de Ação tem como celular, blogs, e-mail, conversa no
objetivo fomentar a prática direct nas redes sociais, chamada
Fonte: Arquivo pessoal

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 15


INFORMAÇÃO

de vídeo, dentre outros. Dessa MUNDO DIGITAL ETAPAS DA AÇÃO


maneira, faz-se necessário
compreender a dinâmica e a Ação 01
funcionalidade desse ambiente Nesta etapa ocorreu a
virtual para desenvolver uma s o n d a g e m d o s
aprendizagem significativa no conhecimentos prévios dos
espaço escolar, seja individual ou estudantes sobre a temática e
coletivamente. a apresentação dos gêneros
Neste contexto, a oficina Gêneros digitais (E-mail, Sala de Bate
Digitais teve como objetivo Papo, Blog, Chat, Redes
Fonte: https://alexandreporfirio.com/2018/11/no-
apresentar os conceitos brasil-a-maioria-das-empresas-nao-tem-estrateg
Sociais) com a utilização do
relacionados às tecnologias e ia-para-o-novo-mundo-digital/ Dominó Interativo,
gêneros digitais (e-mail, fórum, conforme imagens 01 a 04.
Existem inúmeros dispositivos digitais, tais como
sala de bate papo, blog, chat, Computadores, Smartphones, Tablets que
redes sociais), ampliar a proporcionam ferramentas de pesquisa e interação Ação 02
social, assim, possibilitam novas práticas de
discussão a respeito das ensino. Na sequência, abordamos
ferramentas disponíveis no sobre a língua falada no
ambiente virtual e, sobretudo, âmbito da internet, além de
promover uma reflexão sobre o enfatizar a nova linguagem
uso da linguagem utilizada na “Internetês” que surge neste
internet – o “Internetês”. E ainda, espaço, pois há uma prática
as características do hipertexto, comum no ambiente
seus aspectos linguísticos e tecnológico. Desse modo,
semânticos, considerando-se o surge o Glossário
contexto de produção e os fatores “Internetês”, onde solicitamos
Fonte: www.cartunista.com.br (Muito bate papo na
implicados na variação Internet) aos alunos que observassem
linguística, tais como o tempo, Ressaltamos que a língua não é só uma estrutura, as palavras e colocassem o
faixa etária e localização mas a capacidade que tem o falante de estabelecer seu significado conforme seu
uma comunicação, assim também os usuários da
geográfica. internet estabelecem uma linguagem própria que conhecimento. Logo após,
O presente texto tem como possibilita a transmissão desses fatos, isso se dá discutimos sobre o
pela grande visibilidade da rede.
finalidade apresentar um relato de significado das palavras
experiência referente à realização dicionarizadas juntamente
da oficina “Gêneros Digitais”, com os significados que os
umas das atividades alunos atribuíram.
desenvolvidas no Colégio
Municipal Professora Celestina Link:
Bittencour, como bolsista do http://linguadedoido.blogspot.com/200
8/07/dicionrio-de-internets.html
PIBID. https://rockcontent.com/blog/glossario-
Esta atividade foi desenvolvida de-redes-sociais/
com os alunos do 9º ano,
vespertino, e foi organizada em 2 Fonte: https://klickpages.com.br/blog/influencia
dores-digitais/
etapas, subdivididas em 5 ações, É cada vez comum notar a presença dos
as quais estão descritas a seguir. Influenciadores Digitais na rede. São usuários que
criam uma conta, perfil, página para expressar sua
opinião, seus interesses, dicas, curiosidades e etc.

16 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


conhecimento desses signos e o seu

INFORMAÇÃO
significado para (re)conhecer a letra
da música ou cantor(a) e transcrever
corretamente a música, de acordo
com a imagem 06.

Imagem 01: Dominó dos gêneros


digitais. Fonte: Arquivo pessoal.
Imagem 07: Encerramento da oficina.
Fonte: Arquivo pessoal.

Link vídeos:
https://www.youtube.com/channel/UCp
Imagens 05 e 06: l18J0xp74Q_nO4lwXhrwA
Aplicação da Dinâmica:
Qual é a música?
Fonte: Arquivo pessoal. CONSIDERAÇÕES
Imagem 02: Dominó dos gêneros É perceptível o aumento do
digitais. Fonte: Arquivo pessoal.
uso dos gêneros digitais na
vida social da população,
Ação 04 e 05 porém este uso no espaço
Após discutir os recursos tecnológicos, escolar caminha a passos
os gêneros digitais disponíveis e o uso curtos, e isto é desafiador
da linguagem utilizada na rede, agora é para o professor, mesmo
necessário refletir sobre os compreendendo que a
Influenciadores Digitais. proposta é benéfica para
Imagem 03: Dominó dos gêneros Deste modo, iniciamos com uma desenvolvimento das
digitais. Fonte: Arquivo pessoal. apresentação do vídeo sobre habilidades dos alunos, é
Whindersson Nunes, relatando sua uma ferramenta que os
trajetória como Youtubers. jovens demonstram menos
Link: resistências para utilizá-lo.
https://www.youtube.com/watch?v=Cma7mI5RO_w Para que essas propostas
com o uso das tecnologias
Na sequência, os alunos organizaram sejam adotadas com
um vídeo na perspectiva de um frequência, faz-se necessário
Imagem 04: Dominó dos gêneros Youtubers, apresentando de forma apontar a relevância da
digitais. Fonte: Arquivo pessoal. dinâmica o livro que estavam lendo pesquisa, a produção criativa
Ação 03 conforme orientação da professora de da escrita e oralidade
Língua Portuguesa. Assim, surgiu o (texto/discurso). Por fim, o
Apresentar alguns emojis e tema: “Youtubers por um dia”. professor deverá (re)avaliar
seu significado, pois cada Para isto, foi organizado um roteiro do sua sequência didática, o
símbolo representa e/ou que seria abordado no vídeo, como e público alvo e principalmente
transmite algumas onde fazer a filmagem e edição. se os recursos digitais
emoções. Assim, atividade Sendo apresentado para as turmas do contemplam sua proposta.
elaborada continha apenas 9° ano A/B, onde finalizamos a ação, Diante disso, podemos
emoticons, com o título: conforme imagem 07. constatar a importância da
Qual é a música?
Link: mediação da escola com os
A música é codificada
http://www.iinterativa.com.br/infografico-moticons/ recursos tecnológicos para
através dos emoticons,
desenvolver uma formação e
então o aluno para acertar a
Curiosidades: transformação social no
música deverá ter um
https://origemdascoisas.com/a-origem-do-smiley/
indivíduo.

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 17


Augusto Fernandes dos Santos
Junior
Graduando do curso de Letras Vernáculas na
Universidade Estadual da Bahia (UNEB) campus XXI
Ipiaú Bahia. Bolsista do Programa Institucional de
Bolsa de iniciação à Docência (PIBID)
INFORMAÇÃO

Contato e-mail: afsj53@gmail.com

SABER ARGUMENTAR É FRUTO DE CONHECIMENTO E


ESSENCIAL PARA A FORMACÃO DE ALUNOS CRÍTICOS
Por [Augusto Fernandes]

E s c r e v e r b e m é , ETAPAS DA AÇÃO
principalmente, resultado de Para a aplicação da 1.Na primeira etapa
uma prática contínua. No ação:__________________ realizamos uma roda de
entanto, reconhecemos a selecionamos temas que se conversa e uma disputa
dificuldade que os professores aproximassem do cotidiano do argumentativa. Iniciamos
têm para convencer os alunos a estudante, para que o mesmo esse momento conversando
produzir. Diante desse desafio, entendesse que utiliza com os estudantes, trazendo
foi elaborado um Plano de Ação cotidianamente os argumentos a argumentação como guia
com um trabalho voltado para em várias situações da vida. de nossa conversa,
estudantes dos 9º anos A e B do Percebesse também que primeiramente deixando que
ensino fundamental do Colégio quanto mais bem articulados eles falassem, fomos
Municipal Professora Celestina forem os seus argumentos, questionando se sabiam
Bittencourt, com a proposta de serão maiores as chances de argumentar, se eles faziam
analisar as estratégias de convencer o outro. isso com seus pais, colegas e
argumentação no texto. A fim Desse modo, a ação foi amigos. Logo depois com o
de atender a este objetivo, organizada em três etapas: auxílio de um texto norteador
selecionamos o gênero textual montamos um júri
artigo de opinião, uma vez que argumentativo, no qual os
poderia despertar o senso alunos deveriam defender
crítico, elaboração própria e a seu posicionamento acerca
autonomia do aluno, na da pergunta: Não dá para
construção do seu próprio viver sem celular? Os
conhecimento. estudantes se mostraram
bastante participativos e
Fonte: Arquivo pessoal
chamaram a atenção com
argumentos convincentes.

18 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


INFORMAÇÃO
2. Na segunda etapa, 4. Na quarta e última etapa, O uso de drogas na atualidade
analisamos os tipos de os alunos se dedicaram à
elaboração do artigo de No mundo atual, as drogas estão muito
argumentos mais usados em
opinião, a partir dos temas presentes na vida dos jovens e
artigos de opinião, além de uma discutidos em sala, como o adolescentes em geral. Nas cidades
grandes como São Paulo, Rio de
lista com alguns conectivos que uso do celular e outras Janeiro e Salvador, várias famílias
ajudariam na construção de temáticas discutidas com as perdem parentes e amigos.
qualquer tipo de texto, inclusive oficinas anteriores, Na maioria das vezes, os usuários
proporcionadas pelos roubam para conseguir a droga, outros
o artigo de opinião. E através de fogem de casa, matam, fazem qualquer
bolsistas Id. coisa para conseguir alimentar o vício.
slides, apresentamos a
Cada vez mais, observa-se o crescente
estrutura do artigo e de temas PRODUÇÕES DOS número de jovens morrendo devido ao
que se aproximassem da envolvimento com o tráfico de drogasse,
DISCENTES
e se medidas não forem tomadas
realidade deles. Em seguida, medidas rápidas, estes números tende a
propusemos um texto crescer.
O bullying é prejudicial
Não é comum, mas já está acontecendo
recortado para que os de estudantes usarem ou venderem
O bullying é a violência de forma
estudantes reconhecessem a drogas nos colégios, mas com um
física e verbal, que em alguns
trabalho e conscientização, professores
estrutura do artigo de opinião, casos pode levar a morte da vítima,
e profissionais, tais práticas podem ser
por isso é de extrema importância a
observando título, introdução e combatidas.
discussão deste assunto.
Se todos nos juntarmos na luta contra as
conclusão. Conseguimos Nunca sofri bullying, mas conheço
drogas, formos para as ruas, talvez não
pessoas que já sofreram. Elas
alcançar o objetivo, pois os seja o suficiente para acabar com esse
dizem que é uma coisa muito ruim
problema, no entanto, ajudará na
alunos participaram ativamente de se lidar e ficar sozinho neste
diminuição do número de jovens
momento, é muito perigoso, pois a
e em sua maioria conseguiu envolvidos com drogas, já que com
vítima de bullying pode entrar em
conscientização muitos jovens não
concluir acertadamente a depressão e recorrer ao suicídio
seguirão por este caminho.
como fuga.
atividade. É primordial a presença de amigos
(Carine de Souza, Maria Alice
Santana de Jesus, Aline de Jesus, 9º
3. Na terceira etapa, e da família neste momento, para
Ano B)
apresentamos o artigo dar todo o apoio que a vítima
necessita. Mas, apenas isso não é
“Desordem e Progresso” com suficiente, é preciso também o
destaques de palavras, frases e acompanhamento psicológico, que
o u t r o s e l e m e n t o s é o mais indicado para esses
característicos do gênero artigo momentos, visto que tem uma
preparação especializada. Por
de opinião. Em seguida, meio de seções, a vítima desabafa,
fizemos a leitura coletiva do tirando um peso das costas e
texto e logo depois a leitura podendo até superar o que vem lhe
comentada, chamando a incomodado,
Enfim, o bullying não é legal de se
atenção para os pontos fazer e muito menos de receber,
destacados: introdução, tipos então vamos nos conscientizar e
de argumentos e estratégias viver em comunidade, respeitando
argumentativas, conclusão, a todos, com suas diferenças.
(Eli Sampaio, 9º ano B)
tempo verbal, uso de
Fonte: Arquivo pessoal
conectivos.

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 19


INFORMAÇÃO

CONSIDERAÇÕES
O PIBID nos proporciona uma opinião, podemos perceber Discutir é preciso
simbiose, uma vez que tanto que se houver um
nós graduandos quanto os planejamento que coloque o
alunos e a escola parceira se aluno como protagonista do Está claro que a discussão sobre
seu aprendizado há um maior sexualidade ainda é um tabu. Nas
beneficiam nesta relação. Os escolas discute-se muito pouco sobre
alunos têm a oportunidade de envolvimento de todos e, isso. Na maioria das vezes fica
conhecer uma nova forma de consequentemente, uma limitado apenas para os professores
aprender que o tira da cadeira melhor produção. de ciências. Com os familiares não

e o traz para o centro, o coloca Na sequência alguns artigos existe diálogo, ou os pais pensam que
os jovens já nascem sabendo ou que
em evidência e o escuta. A de opinião escritos pelos
não se preocupam com tal temática.
escola como um todo tem estudantes do 9ºano. Sabe-se que sexualidade vai além do
acesso a esta maneira ato sexual, no entanto pouco ainda é
debatido. E o resultado é um grande
dinâmica e diferente de O Uso Abusivo do Celular número de jovens desinformados e
produzir conhecimento, o que muitas vezes prejudicados por causa
pode gerar outras Com que frequência você usa o disso.
metodologias inovadoras. E celular? O celular é uma maneira O número de meninas que tiveram
muito fácil e prática de se manter relações sexuais, mas que não tinham
nós graduandos somos os informado ou em comunicação, por o entendimento acerca das formas de
maiores beneficiados, pois isso é muito comum as pessoas prevenções (gravidez
temos acesso aos estudos e usarem com frequência, porém muitos i n d e s e j a d a / D S Ts ) e p o s s í v e i s
metodologias que embasam exageram no uso do mesmo. consequências desse ato ainda é
O uso em demasia do celular traz enorme.
novas perspectivas em problemas físicos como tendinite, Os pais de hoje não discutem esse
relação ao fazer pedagógico, irritação nas pupilas e problemas tipo de assunto com os filhos, não por
ganhamos a oportunidade de sociais como cortar qualquer laço de falta de oportunidade, mas por opção,
chegar ao estágio comunicação pessoalmente, pode eles pensam que seus filhos são muito
também ocorrer casos de novos para falar de sexualidade.
supervisionado com um comportamento antissocial, com Não somos especialistas no assunto,
conhecimento mais pessoas que não conseguem ter uma mas deveria ter nas escolas palestras
consolidado quanto ás vida normal fora das redes sociais. chamando os profissionais de saúde
práticas docentes, as quais As utilidades do celular têm como para ajudar falando sobre o assunto.
objetivo facilitar o trabalho, o estudo, Hoje no Brasil a maioria dos
demandam tempo e
comunicar com pessoas que estão adolescentes sofrem com doenças
pesquisa. Com a vantagem distantes, chamar a polícia em casos e sexualmente transmissíveis, também
de já conhecermos os perigo, o SAMU se alguém estiver pela falta de orientação. Ou seja, a
caminhos e os resultados passando mal, os bombeiros em caso informação ainda é a melhor solução.
de incêndio, como também utilizar
quanto ao tipo de sujeito que
aplicativos como o Ifood para pedir
queremos formar – críticos, (Luiza Vitorino, Jessica Matos,
comida, entre outros aplicativos, etc.
Vivian Silva, 9º B)
autônomos e pesquisadores. Para resolver essa situação temos que
O PIBID possibilita ainda nos reeducar e usar o celular
c o m p r e e n d e r a adequadamente, entendendo o
momento certo de se relacionar com
responsabilidade e o
as pessoas, estando realmente
comprometimento que todo presente e não parcialmente como
professor precisa estabelecer tem acontecido nos dias atuais.
com sua profissão. (Diego Santos, Amanda Souza,
Especificamente sobre a Riquelme Souza, Hugo Salles, 9º
ano A)
ação com o gênero artigo de Fonte: Arquivo pessoal

20 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Abraão Lincoln Silva Santos

Discente do curso de Letras Vernáculas na


Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Campus
XXI - Ipiaú-BA .

INFORMAÇÃO
PRODUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS JORNALÍSTICOS E
O DESPERTAR DA CRITICIDADE PERANTE NOTÍCIAS ATUAIS
Por [Abraão Lincoln]

A atividade teve como objetivo


proporcionar a experiência de
confeccionar mapas mentais
sobre notícias do site da cidade,
“Giro em Ipiaú”, com a utilização
do laboratório de informática do
colégio. Tal experiência teve
início com uma abordagem sobre Fonte: Arquivo pessoal Anthony Peter "Tony" Buzan (2 de
o gênero notícia, que junho de 1942 – 13 de abril de
proporcionou aos alunos o 2019) foi um escritor inglês
entendimento do mesmo e seus responsável pela sistematização
gêneros periféricos com a dos mapas mentais. Tony Buzan
utilização de dinâmicas dentro da pode ser considerado o inventor
sala de aula. Posteriormente, dos mapas mentais, uma
deu-se prosseguimento na revolucionária ferramenta usada
por mais de 250 milhões de
elaboração dos rascunhos dos Fonte: Arquivo pessoal pessoas para ajudar a conseguir
mapas mentais sobre as libertar o potencial do cérebro.
diferentes notícias Segundo Tony Buzan, Mapa Mental
disponibilizadas para cada é uma ferramenta que mostra
grupo. Em seguida, foi utilizado o externamente o que ocorre dentro
editor de texto “Microsoft Word” de sua cabeça. O Mapa Mental é
para fazer os mapas. Com isso, como um canivete suíço para o
cérebro. Qualquer coisa que eu
foi possível a utilização de queira fazer em termos de
formas, desenhos e imagens pensamento, contemplação,
para auxiliar no entendimento e cognição, lembrar ou criar… O
sincronia das informações Fonte: Arquivo pessoal
Mapa Mental a ferramenta ideal
ligadas por setas. para isso.é
Link:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Tony_Buzan

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 21


TRÊS MAPAS MENTAIS FEITOS OS RESULTADOS
INFORMAÇÃO

PELOS ALUNOS: ir ao quadro escrever a sua


Esta ação resultou no aprendizado
em grupo, no aguçamento do reformulação da manchete.
senso crítico dos alunos, bem Diante disso, foi externada a
como na utilização de importância de ter um
metodologias ativas no processo conhecimento mais próximo
de ensino e aprendizagem, que foi
sobre a intencionalidade dos
possível notar nos relatos sobre
essa oficina que os alunos fizeram jornalistas na elaboração
ao término da mesma a pedido do das manchetes que tratam
aplicador Abraão Lincoln Silva da mesma notícia, mas com
Santos discente do curso de Letras diferente seleção de
da UNEB/ Campus XXI, palavras; e da importância
do vocabulário no sentido
ETAPAS DA AÇÃO
produzido para a notícia.
A partir dos estudos que foram
realizados desde agosto de 2018,
2º MOMENTO
baseados nas perspectivas do
ensino pela Pesquisa, O segundo dia de aplicação
Protagonismo no alunado e a desse plano foi em 09 de
inserção das Metodologias Ativas abril de 2019 com as
no processo de ensino e mesmas turmas da
aprendizagem, demos início à a p l i c a ç ã o a n t e r i o r. N a
aplicação do plano de ação que primeira parte do encontro,
abordou o gênero textual notícia e foi respondido um
seus gêneros periféricos, no dia 02 questionário para avaliar os
de Março de 2019 com as turmas conhecimentos prévios dos
do 7º A, B e C do turno matutino do alunos acerca do gênero
Colégio Municipal Professora notícia e sobre o site de
Celestina Bittencourt do Município notícias “Giro em Ipiaú”.
de Ipiaú- BA. Logo em seguida, foram
distribuídas notícias
1º MOMENTO oriundas desse site para que
Para criar um clima descontração, posteriormente fossem
no primeiro dia de aplicação das elaborados Mapas Mentais
atividades foi utilizada a dinâmica no aplicativo “Mind Meister”
que é utilizado para elaborar
“As Várias Formas de Noticiar”,
Programa Institucional de mapas mentais de maneira
que consiste na divisão da sala de
Bolsa de Iniciação à fácil e dinâmica. Os alunos
Docência (PIBID) 2019. aula em dois grupos, nos quais, os foram levados para o pátio
Conheça nossa plataforma alunos são instigados a reformular da escola para confeccionar
v i r t u a l e m : uma manchete disposta no quadro os rascunhos dos mapas
https://portal.uneb.br/pibid/ mentais para depois serem
até que não se consiga mais.
digitados no computador. De
Nesta etapa os alunos trabalharam acordo com o término do
em grupo e foi escolhido um rascunho de cada grupo,
representante de cada grupo para eles eram direcionados para

22 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


o laboratório de informática do sujeitos reflexivos e conscientes

INFORMAÇÃO
Colégio para pesquisar sobre a do lugar que ocuparão na
temática e conhecer o site na sua formação de cidadãos, há a
plataforma digital e, necessidade de uma formação
docente sólida, que considere a
posteriormente dar início aos seus atual conjuntura educacional e se
mapas mentais no aplicativo. relacione as demandas sociais.
Porém tivemos um problema, o A partir da inserção na escola,
aplicativo “Mind Meister” só começamos a ter outra visão no
funciona com a rede de internet e que tange à rotina escolar, à
nesse dia o Colégio estava sem o criança e a sua realidade.
sinal de Wifi. Desse modo, os Participar desse programa tem
alunos foram direcionados a sido uma experiência ímpar, pois
estar em contato com os alunos e
fazerem os seus mapas mentais
com a escola de modo geral fez-
na plataforma do “Microsoft Word”. nos crescer como seres humanos
As imagens ilustram esse e como acadêmicos em formação,
momento em que muitos alunos tanto para a vida pessoal, quanto
disseram ter sido a “primeira vez para a nossa futura profissão. É
que utilizaram os computadores do como disse Paulo Freire “Quem
Colégio”. do Colégio”. ensina aprende ao ensinar e quem
aprende ensina ao aprender”.
3º E ÚLTIMO MOMENTO
Dando seguimento às atividades, Links das notícias trabalhadas:
no dia 16 de abril de 2019, 01:
encerramos a aplicação desse https://www.giroemipiau1.com.br/pag
plano com a conclusão dos mapas e/70/
mentais. Posteriormente, foi 02:
realizada uma avaliação para que https://www.giroemipiau1.com.br/pag
e/71/
os alunos relatassem como havia 03:
sido a experiência de estudar o https://www.giroemipiau1.com.br/pag
gênero notícia e seus gêneros e/75/
periféricos com base no site “Giro
em Ipiaú” e sobre a utilização do
pátio e do laboratório de
informática invés do espaço da
sala de aula.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ao entrarmos nesse mundo da
formação docente, a conclusão
que se tem é de que estamos
lidando com uma tarefa muito
árdua, por isso é importante
estimular a interação dos
estudantes de graduação com os
professores das instituições
escolares públicas, especialmente
se o objetivo central é formar

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 23


Felipe Pereira dos Santos Neto
Graduando do III semestre do curso de Licenciatura
em Língua Portuguesa e Literaturas pela
Universidade do Estado da Bahia – UNEB campus
XXI.
Bolsista ID do PIBID – UNEB.
INFORMAÇÃO

Contato: elipepereira.0090@gmail.com

A NOTÍCIA COMO GÊNERO DE CONHECIMENTO,


PESQUISA, LEITURA INTERPRETAÇÃO E CRIAÇÃO
Por [Felipe Pereira]

Este plano de ação foi elaborado duas turmas do 7º ano (A e B) no DOCE MEL X UNIRB¹
para atender aos requisitos do ensino fundamental, matutino, e
“Eu moro em uma cidade chamada
Programa Institucional de Bolsas justifica-se pela necessidade de
Ipiaú, por isso não tenho a
de Iniciação à Docência (PIBID), explorar gêneros textuais que
oportunidade de assistir jogos de
fomentado pela CAPES e abordam temas relacionados à
futebol no estádio. Um dia meus
coordenado pela UNEB. O plano sociedade atual, para que o
amigos me chamaram para assistir o
está vinculado ao curso de aluno seja um leitor crítico e
jogo da Doce X Unirb, eu aceitei o
Licenciatura em Letras com desenvolva uma visão plural
convite em tão fomos, mas quando
Habilitação em Língua Portuguesa das informações que circulam
chegamos lá nenhum de nós
e suas Literaturas da Universidade no seu cotidiano
tínhamos ingressos, mas pulamos o
do Estado da Bahia, UNEB, UMA SÍNTESE DA muro de trás e ninguém percebeu. No
campus XXI, em parceria com o APLICAÇÃO E OBJETIVOS
estádio, a Doce Mel começou fazendo
Colégio Municipal Professora ALCANÇADOS
dois a zero mais a felicidade durou
Celestina Bittencourt no município A oficina ocorreu em quatro
pouco o Unirb fez dois gols um atrás
de Ipiaú-BA. Após estudos etapas e teve como pontos
do outro e o jogo ficou tenso até os 45
teóricos e planejamento das principais a inclusão das
do segundo tempo, em uma falta para
sequências didáticas, foi realizada metodologias ativas, incentivo à
o Unirb o camisa dois bateu no ângulo
a oficina "A notícia como gênero de pesquisa e à escrita
sem chance para o goleiro e foi muito
conhecimento, pesquisa, leitura, colaborativa. Incialmente, foram
chato o meu primeiro jogo com o meu
interpretação e criação", com o aplicadas dinâmicas interativas,
time perdendo eu chorei até dizer
objetivo de desenvolver roda de conversa, pesquisas,
chega, foi muito chato!”
competências e habilidades de análise de notícias e
Alunos: Pablo, Carlos Eduardo,
pesquisa, leitura, interpretação e metodologia de conhecer os
Thalisson dos Santos/ 7º ano A
criação dos gêneros textuais meios noticiários a partir do
notícia e crônica. A oficina teve questionamento: “qual o veículo ¹A SEGUINTE CRÔNICA, BASEOU-SE NA MANCHETE
como público alvo estudantes de . de notícia? DA SEGUINTE NOTÍCIA, SEGUE O LINK!
https://www.giroemipiau1.com.br/2019/04/28/doce-mel-
deixa-escapar-vitoria-no-pedro-caetano-diante-do-unirb/

24 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Em seguida, utilizou-se o método de Conclui-se que os graduandos RELATO DE UM ALUNO

INFORMAÇÃO
um jogo/quiz interativo com em Letras que participam do DE UMA DAS TURMAS
participação ativa dos estudantes, PIBID têm a possibilidade de PARTICIPANTE
os quais teriam que responder aos desenvolver métodos e práticas
questionamentos por meio das inovadoras que instigue o aluno 7º B
placas (verdadeiro ou falso); e por da educação básica o gosto pela -PAULO HENRIQUE DA
fim, ocorreu a retextualização de leitura e produção textual, o CONCEIÇÃO SANTOS
algumas manchetes de notícias em senso crítico e interpretação em “Eu gostei muito, porque nós
crônicas. diversos níveis, a partir de aprendemos muitas coisas sobre o
O diagnóstico inicial permitiu diferentes gêneros textuais. gênero notícia e o principal, a
constatar que em geral a turma diferença entre reportagem e notícia”.
RELATO DE UM ALUNO DE
apresentava mais interesse em ler
UMA DAS TURMAS - GIAN SOUZA CRUZ
notícias em sites online do que em
meios televisivos e impressos. PARTICIPANTE “Eu gostei muito das aulas, porque
trabalhamos com notícias, é bom
Desse modo, foram selecionados 7º A
porque você aprende várias coisas as
textos impressos e digitais, e ao - ANA CLARA SANTANA PEREIRA
diferenças e muito mais, o único
longo da atividade, percebeu-se
“Eu gostei bastante da aula de Felipe. Ele falou problema é a sala, pois conversa
maior interesse pelo gênero,
sobre notícias, foram aulas bastante muito, mas o resto foi ótimo”.
ademais, o desenvolvimento da
interessantes. Felipe, trouxe várias formas de
oralidade, agilidade de
nos ensinar, o significado da notícia para que
pensamento, capacidade de
serve e outras mais.
pesquisar, ler e escrever de forma
Ele também, fez diálogos e brincadeiras e
mais crítica, foram competências e
desta forma eu aprendi bastante. Foi uma
habilidades instigadas ao
ótima experiência de Felipe como professor e
aprendizado. Isto ficou evidenciado
participar das suas aulas. Eu falo pela turma
também no desempenho
que foi bom demais está com você e aprender
satisfatório no jogo das placas, no
mais sobre notícia. Você trouxe vários sites e
qual as turmas respondiam aos
todo tipo de notícias, ex: entretenimento, fatos
questionamentos com êxito e
e outras. Foi um prazer imenso estar algumas
participavam de maneira ativa.
terças com você, obrigada por mim ensinar”.
Destacaram-se também as
narrativas ficcionais criadas com
base em fatos verídicos, análise da
estrutura e funcionamento dos
hiperlinks em textos noticiosos
publicados na web e as
possibilidades de uma escrita
hipertextual.
Portanto, além de auxiliar o aluno na
formação de um aprendizado crítico
e informativo, o trabalho com
gênero notícia demonstrou ser
também muito significativo para a
apropriação de outros gêneros,
especificamente a crônica. Fonte: Arquivo pessoal

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 25


INFORMAÇÃO

PRODUÇÃO DO ALUNADO: RETEXUALIZAÇÃO DE NOTÍCIA

Alunos: Maria Luiza, Mariana, Andressa, Ramily e Gabriella/ 7º B

“DOMINGO DE TARDE”²

“Fim da tarde de domingo, saio de casa e passo por todas avenidas, atravesso a pista
para chegar no estádio de Pedro Caetano. Quando chego no estádio estava lotado e
havia apenas uma cadeira, parece que todos estavam ansiosos para o jogo da Doce
Mel começar ás 15:00 horas, então fui direto para sentar na cadeira que havia sobrado
e começou o jogo e de repente o camisa 10 faz um belo gol e o estádio inteiro vai a
loucura... enfim, ás 17:30 o jogo termina e todo mundo sai da área do estádio, então eu
fiquei para ajudar a limpar o estádio, quando terminei percebo pessoas desesperadas
para ajudar o homem que estava no chão, fiquei preocupada e logo perguntei o que
tinha acontecido, as pessoas disseram que ouve uma discussão com o jogador e o
maníaco, o maníaco revoltado deu-lhe um tiro e as pessoas desesperadas levou-lhe
para a UPA e lá os médicos tentaram de tudo, mas infelizmente o jogador não resistiu”.

²A seguinte crônica foi baseada na seguinte notícia. Segue o link! https://www.giroemipiau1.


com.br/2019/04/28/doce-mel-deixa-escapar-vitoria-no-pedro-caetano-diante-do-unirb/

LINKS DAS NOTÍCIAS TRABALHADAS DURANTE A APLICAÇÃO


http://www.tesourasnoticias.com.br/2019/04/caminhao-carregado-de-frangos-vivos.html?m=1
https://www.giroemipiau1.com.br/2019/04/28/doce-mel-deixa-escapar-vitoria-no-pedro-caetano-diante-do-unirb/
http://delreyesportes.com.br/2018/07/02/ninguem-segura-a-selecao-brasil-2-x-0-mexico/
http://blogmarcosfrahm.com/chuva-forte-e-rapida-alagou-varias-ruas-em-ipiau/
https://www.ipiau.ba.gov.br/noticia/149/colgio-celestina-bittencourt-realiza-sarau-literrio
https://gshow.globo.com/programas/tamanho-familia/noticia/lucas-lucco-se-emociona-com-surpresa-do-pai-e-
afirma-vejo-deus-falando-atraves-dele.ghtml
https://www.melhordovolei.com.br/superliga-feminina-hooker-pontua-muito-mas-itambe-minas-vence-a-segunda-
e-fara-final-contra-o-dentil-praia-clube/
https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2019/04/13/travessia-salvador-mar-grande-tem-oito-lanchas-com-saidas-a-
cada-30-minutos-neste-sabado.ghtml

Fonte: Arquivo pessoal Fonte: Arquivo pessoal

26 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Railine Santos Lima
Graduanda do III Semestre do Curso de Letras Vernáculas
pela Universidade do Estado da Bahia- UNEB. Bolsista ID
do Programa Institucional de Iniciação à Docência- PIBID
pela Universidade do Estado da Bahia (2018)

E-mail: railinelima11@hotmail.com; railines11@gmail.com

visão ampliada do mundo. Portanto, é

SOCIAL
fundamental que todas as instituições
conheçam e desenvolvam junto com os
docentes propostas que incentivem à
utilização de atividades que promovam esse
tipo de interação ativa, visto que a partir
desses processos os alunos passarão a ter
mais interesse e comprometimento com o
estudo colocando em prática seu
protagonismo enquanto (co) responsável
Fonte: Google pelo seu conhecimento.

RESPEITO À DIVERSIDADE
IMPORTÂNCIA DO TRABALHO É UMA FORMA DE PROMO-
COM METODOLOGIAS ATIVAS VER A INCLUSÃO
Por [Railine Santos]
A diversidade é algo que está presente em
O foco principal das metodologias ativas é fazer com todos os locais em que frequentamos, e
que o aluno aprenda de forma autônoma e participativa, dentro do ambiente escolar isso não é
baseado em situações reais. O ensino voltado para diferente. É fundamental que a escola
ações tradicionais nem sempre consegue promover a promova a interação dos estudantes e
construção do conhecimento de modo significativo, desperte o senso crítico e a reflexão de que é
visto que está centralizado na figura do professor, importante respeitar cada um em seu próprio
tornando o aluno apenas um mero espectador. Em jeito de ser.
contrapartida, as práticas e estratégias ativas, Sabe-se que um dos objetivos da escola é
posicionam o aluno enquanto protagonista, construtor formar cidadãos conscientes, e sendo
do saber, pois buscam, investigam, e demonstram assim, é importante discutir sobre o respeito
interesse pelas propostas de ensino ao se sentirem às diferenças e promover práticas
participantes ativos desse processo. relacionadas à pesquisa, metodologias
Conquanto a isso, o professor torna-se um mediador de ativas e à aprendizagem colaborativa, como
aprendizagens, possibilitando ao aluno a estratégias que poderão minimizar os atritos
aprendizagem significativa e a (re) construção de novos e promover a boa convivência na escola e na
saberes. Desse modo, as práticas e o processo em que sociedade, o que se reflete na inclusão
os alunos aprendem é melhorado, pois é baseado nisso social.
que conseguem desenvolver o senso crítico e uma

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 27


Por fim, os os discentes
construíram panfletos com
Partindo desses pressupostos, o algumas frases ressaltando a
plano de ação: Metodologias importância do respeito à
ativas e gêneros textuais como diversidade.
estratégias para promover o
respeito à diversidade no espaço
escolar foi aplicado no Colégio
Municipal Professora Celestina
Bittencourt, com alunos do 6º e 7º
anos no intuito de fazê-los
compreender a importância desse
respeito às diferenças dentro do
Fonte: Arquivo pessoal
ambiente escolar e além disso
SOCIAL

desenvolver uma postura crítica e


reflexiva baseado no tema
discutido.
Fonte: Arquivo pessoal
ETAPAS DOS PROJETO
Houve um grande processo que
antecedeu a aplicação dessas Fonte: Arquivo pessoal
atividades na escola, desde a Em um segundo momento com a
observação, a pesquisa e turma, desenvolveu-se uma
aprofundamentos junto com os atividade de produção textutal
colegas, que serviu como uma utilizando o gênero poema, em
preparação para o desenvolvimento grupos na sala de aula; para essa
desse subprojeto. produção, os alunos foram
O plano de ação aplicado com as orientados sobre a estrutura do
turmas dos 6º ano C e 7º C ocorreu gênero a partir de uma retomada Fonte: Arquivo pessoal
em quatro momentos. da discussão do primeiro
Para o primeiro encontro foi encontro. Após cada grupo
reservado às turmas, uma dinâmica realizar sua construção,
de interação bem divertida compartilharam com os colegas
conhecida como ”NÓ HUMANO” para que todos tomassem
disponível:https://soucatequista.c conhecimento do que
om.br/no-humano.html na qual, produziram.
puderam interagir uns com os Nos encontros seguintes, os
outros, buscando a melhor forma alunos tiveram a oportunidade de Fonte: Arquivo pessoal
para se desenrolarem e voltar a desenvolver atividades na sala de
formação inicial, ainda nesse informática em grupos, cada
primeiro momento os alunos grupo se dirigiu a um site pré-
obtiveram o contato com poema indicado e pesquisaram sobre
“DIVERSIDADE” de Tatiana Belinky algumas diversidades como a
disponível:http://elisonhodosaber. social, cultural e musical. Após
blogspot.com/2013/03/tatiana- esse processso de pesquisa eles
belinky-poesia-diversidade-um- foram para a página do word e
e.html o qual também foi muito criaram pequenos mapas
relevante para o aprofundamento Fonte: Arquivo pessoal
mentais sobre seus respectivos
da discussão. temas.

28 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


PRODUÇÃO FINAL AT I V I D A D E 2: AT I V I D A D E 3 :
AT I V I D A D E 1 : CONSTRUÇÃO DE CONSTRUÇÃO DE
CRIAÇÃO DE POEMAS MAPAS MENTAIS NO PANFLETOS
VÔCÊS SÃO DIFERENTES LABORATÓRIO DE
INFORMÁTICA
Um é esperto, o outro desatento, um
é comportado e o outro briguento
Um pode ser preguiçoso e o outro
mais estudioso

Cada um tem seu jeito


Engraçado, divertido, inteligente ou
carinhoso

SOCIAL
Mas porquê ele é capaz e o outro
não? Estudar para aprender, cada
um no seu jeito de ser

Ele ou ela não é melhor que você,


todos são capazes.
DIVERSIDADE!! TODOS TEM UMA
CHANCE DE APRENDER.

AUTORES: JULIANA, ISAAC, LETICÍA


PAIXÃO E VINÍCIUS
6°C

DIVERSIDADE

No mundo tem todo tipo de gente


Tem gigante, tem nanico, feio e
bonito

Tem aquele que se dá bem, tem


aquele que se dá mal

Aquele que consegue tudo e também


aquele que não

Mas, tem uma coisa que nós vamso


te ensinar, o respeito é bom e
gostaríamos de te dar!

Nem todo mundo é igual, imagina se


fôssemos? Seria um desastre total!

AUTORAS: TAMIRES, LETICIA


GABRIELLE, DIANA E RUTE
6° C

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 29


CONSIDERAÇÕES FINAIS
A experiência com essa oficina foi muito importante para minha formação enquanto futura professora de
Língua Portuguesa, pois consegui conviver um pouco com a rotina da escola e com os alunos. Ouvindo
alguns relatos, percebi que gostaram muito da proposta, não só a minha, mas de todos os outros
colegas, tratando-se de uma atividade diferente da qual estão acostumados, pautada apenas no
currículo tradicional.
Ao iniciar a aplicação, houve uma grande receptividade e disposição dos alunos com as atividades
indicadas. Eles se envolveram bastante na discussão, participaram da roda de conversa, expuseram
suas opiniões sobre o tema, aquilo que sabiam ou achavam importante e pontuaram também acerca de
situações com relação a convivência escolar.
Ao selecionar os textos para inserir na revista, notei que a escola dispõe de alunos muito talentosos, que
muitas vezes só precisam de um incentivo para poder colocar em prática suas diferentes habilidades,
sejam elas com a música, com a dança, a fotografia, o teatro ou a escrita de um poema.
SOCIAL

Partindo dessas premissas, noto que apesar das diversas limitações com o uso da sala de informática,
que não dispunha de computadores suficientes para o número excessivo de alunos, conseguir alcançar
os meus objetivos quanto as produções e as reflexões que tracei com a atividade proposta. Conhecer a
diversidade, saber que ela existe e aprender a conviver com as diferenças de cada um é muito
importante para nos tornar alunos, professores e cidadãos mais solidários na sociedade.

30 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Kele Nunes do Nascimento
Graduanda do V Semestre em Letras Vernáculas
Instituição: Universidade do Estado da Bahia,
Campus XXI – UNEB, IPIAÚ (BA).

SOCIAL
LEITURA CRÍTICA, PESQUISA E
(IN)FORMAÇÃO
Por [Kele Nunes]

CYBERBULLYING
É muito comum encontrar no ambiente escolar
“grupinhos” que costumam ofender o outro com atitudes
negativas, como criar apelidos, debochar, ameçar e
agredir física e psicologicamente como se fosse algo
natural. Há 15 anos, tais práticas começaram a ganhar
repercussão e foram denominadas de bullying.
Fonte: Arquivo pessoal
veja mais:
https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/bullying.htm. PALESTRA SOBRE O TEMA
Mas o que era ruim ficou pior após o avanço da
tecnologia, que possibilitou um nova forma de intimidar
CYBERBULLYING
ou amedrontar uma pessoa, prática denominada Com o intuito de conscientizar os alunos
cyberbullying - ato de humilhar, ofender e amendrontar das turmas de 9º ano do Colégio
através da internet e redes sociais. Municipal Profª Celestina Bittencourt,
veja mais assim como toda instituição, em relação
https://emporiododireito.com.br/leitura/cyberbullying- ao cyberbullying, foram desenvolvidas
conceito-caracterizacao-e-consequencias-juridicas. ações com o apoio de Harlle Costa
(Coordenadora do PIBID), a professora
de Língua Portuguesa Elânia Silva
Ferreira – supervisora PIBID, contando
com a participação da turma do 9º C, da
professora Elisabete Alves Quaresma e
dos colegas bolsistas Anarly Rocha,
Augusto Fernandes, Camila Dantas e
Sávio Oliveira.
Turmas do 9º ano A, B e C do Colégio Municipal Profª Celestina Bittencourt no momento
Em uma das atividades desenvolvidas,
da palestra com o psicologo Drº Matheus de Oliveira Silva. contamos com o apoio do psicólogo Drº

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 31


SOBRE MEU APRENDIZADO
COMO BOLSISTA
Matheus de Oliveira Silva – CRP 03/1809, A inserção no PIBID além de permitr o
https://psicologomatheus.blogspot.com/?m=1 , que acesso antecipado à sala de aula,
apresentou uma palestra sobre o tema em questão, no possibilitou-me ao vivenciar os desafios
auditório do colégio, com dinâmicas interativas, roda de que encontrarei futuramente no estágio e
perguntas e esclarecimentos de dúvidas. na prática como professora de língua
portuguesa. Um dos desafios impostos ao
RESPEITO, IGUALDADE, HUMANIDADE. professor no seu fazer pedagógico é lidar
com questões relacionadas à boa
As ações propostas para a oficina “Cyberbullying: leitura convivência em sala de aula, a fim de
crítica, pesquisa e (in) formação” foram subdivididas em mater o respeito e aceitação das
etapas, optando-se pela utilização de metodologias diferenças.
ativas como forma de proporcionar aos alunos o Neste aspecto, o bullying precisa ser
protagonismo de seu próprio aprendizado. discutido e combatido por meio de ações
Foram realizadas rodas de conversa com o intuito de coletivas. O principal motivo de ter levado
sondar o conhecimento prévio dos mesmos em relação
SOCIAL

este assunto para a sala de aula foi o fato


ao tema, através da dinâmica Brainstorming - de ter sofrido bullying e cyberbullying
tempestade de ideias, apresentações de vídeos curtas- quando criança e também perceber que
metragens para que tivessem melhor entendimento mesmo com o passar dos anos, assuntos
sobre o tema em questão, jogos, pesquisas no laboratório como esse, ainda é pouco discutido nas
de informática, escrita colaborativa utilizando do recurso escolas; mesmo sabendo que é algo que
Google Docs, oficinas de roteiro e produções de curtas- acontece todos os dias no ambiente
metragens. escolar.
A finalização das ações se deu com produções de curtas- O ato de conscientização é de extrema
metragens feitos pelos alunos de 9 º anos do turno importância no período de formação do
vespertino do colégio Profª Celestina Bittencourt, onde os ser humano e é dever da família e da
mesmos utilizaram de recursos tecnológicos para as escola discutir as questões recorrentes na
produções, fizeram os roteiros e editaram seus próprios sociedade e conscientizar a respeito
vídeos. disso.
Minha abordagem em sala obteve efeitos
Seguem os links dos vídeos: positivos para os alunos, pois percebi a
https://youtu.be/C6WdSv4wlco necessidade dos mesmos em aprofundar
https://youtu.be/xgli5SO6Lxo sobre o assunto. Inclusive, muitos ficaram
https://youtu.be/SB9xIS1aZh4 surpresos ao tomarem conhecimento de
https://youtu.be/oJFwrLeXEoc que o cyberbullying é considerado crime
no Brasil. Obtive também relatos de
experiências em sala sobre alunos da
instuição que sofrem com essa prática.
Sendo assim, foi possivél perceber que
este é um tema que não requer apenas
um momento de conscientização e
informação, faz-se necessário pensar em
estratégias que minimizem práticas
abusivas na escola e dêem oportunidades
para que os alunos desenvolvam a
consciência crítica quanto às formas de
combate e denúncia. O cyberbullying é
Demonstração da imagem do tabuleiro Colegas bolsistas e colaboradores na ação
real e fingir que isso não existe é colaborar
sobre o Cyberbullying. com as consequências que essa prática
pode causar.

32 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Anarli dos Santos Rocha
Discente do curso de Letras Vernáculas na
Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Campus
XXI - Ipiaú-BA - Semestre III.

ESCOLA E TEATRO: PROTAGONISMO


DOCENTE E DISCENTE
Por [Anarli Rocha]

O presente texto tem como cultura e da arte, a fim de


objetivo descrever a experiência promover a autonomia e o
vivenciada como bolsista do protagonismo juvenil. Dentre
PIBID CAPES, UNEB-XXI, outros objetivos um deles, foi
especificamente, na oficina investigar juntamente com os
“Escola e peça Teatral”, que alunos os elementos do texto
constitui uma das ações do teatral e suas habilidades no
Subprojeto “A pesquisa como campo da leitura, escrita e
princípio formativo e educativo na interpretação do texto. Aplicação da oficina
formação do profissional de Como embasamento teórico
Letras” sob a coordenação da foram utilizados os estudos de

CULTURA
professora Ms. Harlle Silva Costa. Bagno (2000), de Viola Spolin
O trabalho foi realizado durante os (2010), Augusto Boal (2011) entre
meses de abril a junho de 2019, outros, os quais discutem a
teve como foco principal pesquisa em Língua Portuguesa e
contemplar alunos do 6º ao 9º, do do teatro como prática
turno vespertino do Colégio pedagógica. Aplicação de jogos,
Municipal Professora Celestina exercícios e técnicas de teatro,
Bitencourt, uma das escolas apreciação de vídeos de peças e Aplicação da oficina
parceira do PIBID. leituras dramáticas de fragmentos
A oficina supracitada destacou o de textos dramáticos foram alguns
gênero texto teatral como dos aspectos metodológicos que
metodologia ativa e inovadora no nortearam a oficina.
processo de ensino-
aprendizagem da leitura e da
escrita bem como valorização da
Aplicação da oficina

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 33


AS ETAPAS DA AÇÃO
No primeiro momento, ocorreu a Na quarta etapa da ação, foi gem, pois é essencial,
divulgação e inscrição da oficina, apresentado um fragmento do dinamizar as nossas
que teve como objetivo texto teatral: O santo e a porca de metodologias a partir de
contemplar os alunos dos 6° ao Ariano Suassuna em materiais outras áreas de conhecimento
9° anos. Essa etapa foi realizada impressos e slides, em seguida para que a aprendizagem
no pátio do colégio. A partir da houve uma discussão acerca da ocorra de forma significativa.
inscrição a participação dos identificação dos aspectos pré- A proposta de trabalhar o
alunos se concretizou. estabelecidos. gênero texto teatral permitiu
O primeiro contato com a turma, No quinto encontro, ocorreu a a o s e d u c a n d o s o
no segundo momento, foi a Oficina de expressão corporal e desenvolvimento do senso
aplicação da sensibilização do oral, que teve a colaboração do crítico, a interdisciplinaridade,
grupo: soltando a criatividade e professor convidado Carlos a autoconfiança, a imaginação
contando um conto com imagem, Henrique (UESB). e a organização do
que teve como ponto de partida, Os últimos cinco encontros pensamento. Os alunos
incentivar a interpretação do ficaram reservados para os demonstraram não apenas
gênero teatral usando objetos e ensaios da peça teatral, interesse, mas também
imagens. observando se os aspectos como autonomia notável, ao se
Na terceira ocasião, aconteceu a roteiro, cenário, figurino organizarem, utilizando
atividade interativa no laboratório correspondiam às da obra horários além do que
de informática, na qual, Para original, a fim de realizar os planejamos, para se reunirem
iniciação da discussão sobre a ajustes necessários. e desenvolverem um bom
temática, foi aplicado o jogo: Quiz O plano de ação foi concluído, no trabalho.
(Atividade impressa), composto décimo primeiro encontro, com a As discussões durante os
apenas de definições sobre o culminância e apresentação da encontros foram satisfatórias,
tema abordado e os alunos peça: O santo e a porca de Ariano pois não era necessário
deveriam dar os conceitos Suassuna. solicitar a participação dos
usando a palavra correta usada mesmos, a mesma ocorria
nas atividades teatrais. Caso
RESULTADOS OBTIDOS
livremente e constante. Notou-
surgissem dúvidas, os grupos Trabalhar com teatro em sala de se também que o uso de
poderiam acessar o dicionário de aula vai muito além de torná-los dinâmicas, jogos, atividades
teatro com o link exposto no atores, diretores, cenógrafos, no laboratório incentivou a
espaço. A ação finalizou com a maquiadores, figurinistas dentre participação dos alunos; Isso
socialização dos jogos e os vários papéis que o teatro explicita que, enquanto
apresentação do tema, com harmoniza. É questionar a professor, devemos pensar
identificação do gênero; texto importância do ser humano em ações que coloquem os
teatral e o comportamento dos através da arte. Foi uma alunos como condutores do
personagens como: experiência muito valiosa, conhecimento, que atuem,
verossimilhança, devoção, e n t e n d e r q u e a pois dessa forma, eles se se
interesse, intrigas, interdisciplinaridade pode envolverão com as propostas
ambiguidades, avareza dentre contribuir e fortalecer os indicadas e os resultados
outros, (material impresso). processos de ensino-aprendiza- serão bem mais eficazes.

34 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Com a realização dessa oficina, AGRADECIMENTOS: DICA IMPORTANTE
os alunos conseguiram apropriar- à coordenadora Harlle Costa, a
se da arte e desenvolver um Tornar as aulas mais
nossa supervisora Elania Ferreira,
trabalho de divulgação dentro da significativas e
aos colaboradores Carlos
sociedade local nas rádios e contextualizadas a
Henrique, Vicente Andrade, e
participação em blogs divulgando partir das vivências no
bolsistas colaboradores, Mateus
a peça e contando a experiência ambiente escolar é
Mendes, Camila Dantas e
nas aulas de teatro, ou seja, muito IMPORTANTE
Euleides
ações que ultrapassaram os para o desenvolvimento
muros da escola. do alunado. O
professor Antunes,
Após esse momento, os alunos
indica o livro de William
multiplicaram suas ações com
N . B E N D E R :
mais apresentações no bairro
“Aprendizagem
Euclides Neto (Ipiaú-BA), em
Baseada em Projetos,
parceria com o projeto
Educação diferenciada
Movimento Cultura em cima da
para o século XXI”.
hora, de Vicente Andrade. Dessa
maneira, vislumbramos que os
alunos se tornaram protagonista
Ensaios
de sua própria história, buscando
meio sociais de se autopromover.
A aplicação dessa oficina
contribuiu muito para minha
formação, pois pude aliar e
constatar que as teorias podem
ser aplicadas e resultarem em
bons frutos, pelo menos no que
tange ao uso das metodologias Apresentação do livro a ser encenado
CULTURA

CULTURA
ativas, enquanto instrumento
para a instigação a participação
ativa dos educandos. A
experiência dessa atuação foi
Ensaios
importantíssima, pois o contato
com os discentes, no início da
minha caminha acadêmica tem
fornecido amadurecimento
profissional, que de outra forma Entrega dos certificados

seria inviável.
LINK DA PEÇA:
https://www.youtube.com/watch?v=MpWnSi
gXfps
LINK DA PEÇA:
https://www.macunaima.com.br/blog/13-
%20curiosidades-sobre-teatro/ Apresentação no bairro Euclides Neto no
Fonte: Arquivo pessoal
Movimento Cultural em Cima da Hora

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 35


Matheus Santos Mendes
Graduando em Letras Vernáculas e Literaturas na
Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Campus XXI
– Ipiaú- BA. Bolsista do Programa de Institucional de
Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID.
Contato: mth.mendes@hotmail.com

ZOOM FOTOCONTO: POR TRÁS DAQUELA FOTO


Por [Matheus Mendes]

O presente plano de trabalho co bem como a prática da


refere-se ao edital: 007/2018 pesquisa no âmbito escolar.
coordenado pelo Programa Como base teórica, recorreu-se
Institucional de Bolsas de aos estudos de Pedro Demo
Iniciação à Docência (PIBID), que (1996); Lilian Bacich, José Moran
tem como objetivo fortalecer a (2018), dentre outros.
formação inicial dos licenciandos, O trabalho com fotografia Fonte: Arquivo Pessoal
possibilitando a prática docente e proporcionou maior entusiasmo e
experiências significativas no que envolvimento dos alunos e as
se refere ao fazer pedagógico. aulas se tornaram muito mais
Além disso, permite ao professor atrativas, além de promover o
em formação refletir/agir fazer aprender de forma mais
colaborativamente com os alunos colaborativa, em relação aos
e suas especificidades. discentes. Vale ressaltar que o
Desta forma, elegeu-se o tema trabalho com fotografia favorece a
“zOOm Fotoconto: por trás interdisciplinaridade, a Fonte: Arquivo Pessoal
daquela foto” com o objetivo de aprendizagem de conceitos
analisar a presença de valores básicos de semiótica, desenvolve CURIOSIDADE:
sociais, culturais e humanos em e incentiva a pesquisa, permite Por que saímos com olhos
textos literários e fotografias, diferentes forma vermelhos?
reconhecendo nesses textos Isso acontece devido a
formas de estabelecer múltiplos DICA: nossa pupila está bem
olhares sobre as identidades, s de dilatada e ao disparar o flash,
se trabalhar em grupos, Os melhores horários para a luz entra em nossos olhos e
sociedades e culturas de uma fotografar são das 9h às 11h e reflete os vasos sanguíneos
época. Considerou-se também a depois das 14h às 16h. de nossa retina.
autoria, o contexto social e históri-

36 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


CONCLUSÃO DA AÇÃO

O plano de trabalho foi A realização deste trabalho docente, pois possibilita a


desenvolvido com os alunos do evidenciou o protagonismo do prática de ensino
7º ano. estudante quanto ao seu interdisciplinar e promove a
A primeira etapa iniciou-se com a aprendizado, autonomia para participação efetiva dos
aplicação da dinâmica: A pesquisar e produzir seu estudantes.
tempestade de Ideias ou conhecimento, além de Apesar das dificuldades
Brainstorming para sondar o grau estimular o senso crítico encontradas durante a
de conhecimento a respeito do acerca das linguagens e a aplicação como por exemplo,
tema e organizar o planejamento aprendizagem colaborativa. salas lotadas, laboratório
a partir do conhecimento prévio Durante o desenvolvimento com número reduzido de
dos estudantes. das atividades, alguns alunos computadores, fato que
No segundo momento, realizou- foram além das expectativas, muitas vezes dispersava os
se uma pesquisa sobre a história ao propor de forma alunos durante as propostas
da fotografia, desde seu início espontânea outros aplicativos indicadas, a execução do
com a pintura e todo o trajeto de para edição das imagens, a subprojeto foi positiva,
sua evolução até hoje. produção autônoma de textos, atingindo seus objetivos de
Posteriormente, propôs-se a forma efetiva.
a partir da captação de
reprodução de pinturas famosas
imagens. Os discentes do curso de
com o intuito de fazer
Concernente à interação no Letras além dos planos de
compreender como era o
perfil do Instagram, houve ação que produziram e
trabalho de representação da
comprometimento na executaram, conseguiram
imagem antes do surgimento das
realização e publicação dos participar do cotidiano na
máquinas fotográficas. Logo
trabalhos realizados. Conclui- instituição, aprendendo e
após esta atividade, foram
se que experiências como contribuindo assim com a
apresentados conceitos básicos
estas são fundamentais para a formação docente.
sobre a fotografia (técnicas de
ângulo, luz, perspectiva), a fim de
subsidiar a produção de um texto
não verbal com base em tirinhas
CULTURA

CULTURA
d a Tu r m a d a M ô n i c a q u e Os regadores do jardim
apresentassem introdução,
desenvolvimento e conclusão.
Para postagem das produções, Em um lindo dia de sol, Bianca, Cassiane e Luiz
foi criado um perfil no Instagram resolveram cultivar as plantas em seus quintais. Cassiane
(pibid.contos). resolveu cultivar flores, que para ela eram as mais lindas.
O Luiz como sempre, resolveu ultrapassar Cassiane,
então decidiu plantar rosas, que ele achava a flor mais
bonita. Na cabeça dele era uma competição.
Bianca que gostava muito de se alimentar teve uma
grande ideia, iria cultivar couve-flor, para ficar mais
saudável.
Discentes: Bianca, Amanda, Quettlin, Cassiane, Luiz e
Bruna.

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 37


(Fotografia: Silas Nunes, Bianca Muniz, Raabe e Giovanna Araújo – 7 A)

Aconteceu na sorveteria

Em um dia ensolarado toda a turma combinou de ir a uma


sorveteria, ao chegarem na sorveteria, Luiza fez o pedido de
(Fotografia: Gian Souza, Marcos Putumuju,
quatro sorvetes, então a turma ficou alegre (Luiza, Luis, Silas
Marcos Vinício e Guilherme Mendonça).
e Arthur) pensando que cada um teria seu próprio sorvete.
Mas quando chegou o pedido, eles tiveram uma surpresa,
pois Luiza com seu olho grande, ficou com três sorvetes e
seus amigos ficaram emburrados por terem que dividir um
sorvete para três pessoas.
Discentes: Silas Nunes, Luiza, Luis e Arthur.
Turma: 7 A

Acordando cedo

Maria Nicole tem que acordar cedo, só que para isso precisa
de alguém para acordá-la, então ela pede para seus amigos
acordá-la no dia seguinte. Quando é no próximo dia, os seus
amigos tentaram acordá-la, mas a mesma não acordou. Com
isso, no dia seguinte, eles amarram uma corda no dedo dela.
Então, Maria Nicole acorda e não entende nada do que está
acontecendo, pois ela esqueceu que pediu para seus amigos
acordá-la. Ela fica furiosa porque estava no sono tão bom,
sonho que ela não queria acordar, e os amigos continuavam
puxando a corda.
Ela se lembrou de que tinha pedido para seus amigos
acordá-la pela manhã e lembrou-se de que tinha marcado
com eles para jogar futebol logo pela manhã. (Fotografia: Hellen Santos e Bianca Messias)
Discentes: Ana Luiza, Bryan Santos, Isabel Reis, Kauã
Barbosa e Maria Luiza Gomes.
Turma: 7 C

38 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


Elania Silva Ferreira
Graduada em Letras Vernáculas e Literatura pela
Uesb 2005, Pós Graduada em Leitura, Interpretação e
Produção Textual pela Unimes em 2009, Especialista
em Língua Portuguesa pela Uesb em 2014. Professora
de Língua Portuguesa no Colegio Municipal
Professora Celestina Bittencourt, Ipiaú-ba.

E-mail:elaniasferreira@gmail.com

EXPERIÊNCIA NO PIBID ENQUANTO PROFESSORA SUPERVISORA


MEDIADORA DAS PRÁTICAS COM PESQUISA METODOLÓGICAS
Por [Elania Ferreira]

É interessante perceber como uma ação bem ensino-aprendizagem de forma prazerosa e


feita e bem estrutura pode alicerçar uma significante.
caminhada já adormecida pelo tempo e pelas No programa supracitado, já obtive grandes
necessidades atuais. A inserção no Programa contribuições em potencializar os estudos
Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência realizados. Rever teóricos como Demo (2002),
(PIBID) vem sendo uma experiência riquíssima Perine(2002) e Bagno(2007), reavivou novas
e ímpar. Tornou-se a porta de entrada que reflexões acerca da minha atuação pedagógica.
propiciou o retorno ao mundo acadêmico, Além disso, ser apresentada a teóricos como
através do grupo de formação do PIBID, o qual Camargo & Daros (2018), Bacich & Moran
possibilitava discussões pertinentes e (2017) resultou em novas perspectivas e, até
condizentes a nossa prática. O projeto tinha por mesmo, entusiasmo para continuar a atuação
objetivo, o incentivo do desenvolvimento de profissional. Isso porque, tais teóricos têm por
novas propostas metodológicas e práticas base discutir sobre estratégias pedagógicas que RELATO DE EXPERIÊNCIA
docentes diferenciadas, com a utilização de corroboram para que o aprendizado ocorra de
recursos de tecnologia da informação e de forma ativa e eficaz.
comunicação para facilitar o processo de ensino Através dos momentos de estudos, pude
e de aprendizagem. compreender qual o real papel que devo exercer
Estamos passando por algumas mudanças na sala de aula, uma vez que as metodológicas
críticas e significativas na educação, seja na ativas visam tornar o aluno protagonista do
área burocrática ou na busca constante de processo de ensino, e o educador o mediador
novos métodos e ajustes. Discute-se acerca da desse percurso, não caracterizando o
prática pedagógica, visto que a mesma é rebaixamento da sua posição, mas sim a
caracterizada pelo desafio constante em propor integração com o aluno, que ficou tanto tempo
uma educação ativa, articulada ao processo de limitado apenas a ser o receptor.

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 39


Fonte: Arquivo pessoal Fonte: Arquivo pessoal

Assim que aprofundei nos conhecimentos professores da escola, uma vez que os
acerca das metodologias ativas de ensino e auxiliaram no processo de ensino trazendo e
suas contribuições, pude colocá-las em prática e propondo novas práticas pedagógicas. Ou seja,
já obtenho resultados positivos: aulas mais a proposta, a priori do plano de atividade do
dinâmicas, alunos mais comprometidos, núcleo de iniciação à docência, de incentivar os
tornando-se parte do processo de ensino- professores do ensino fundamental a realizar e
aprendizagem. Pois com tanta tecnologia e efetivar práticas inovadoras e de caráter
inovação, podemos usá-las como ferramenta investigativo.
nesse processo e dessa maneira, contribuir para Cabe salientar que tais resultados estão sendo
uma evolução na educação. bem-sucedidos graças ao apoio da
Concomitantemente, tal atuação proporcionou- Coordenadora do PIBID, Harlle da Silva Costa
me a oportunidade de atuar enquanto co- que nos orienta, acompanha e fornece todo o
formadora, auxiliando os bolsistas na apoio necessário para tal finalidade. Foi
problematização das suas práticas, bem como gratificante perceber a confiança da mesma no
também promovendo, entre outras coisas, a direcionamento que fazíamos e firmávamos a
prática da auto reflexão, visto que os mesmos cada semana.
encontravam-se em uma fase de transição em Assim, reitera-se que a presente iniciativa de
seus estudos aluno/professor: discentes na aplicar métodos ativos na aprendizagem,
universidade e bolsistas do PIBID no colégio de contemplando o aluno enquanto ser
atuação como futuros professores. protagonista, pesquisador e conhecedor da sua
Essa parceria configura numa troca primordial, prática, foi uma experiência construtiva, viável e
RELATO DE EXPERIÊNCIA

visto que os bolsistas estão tendo a de muito enriquecimento. Contudo, temos a


oportunidade de atrelar a teoria à pratica, que foi consciência de que precisamos prosseguir com
desde o período de formação, observação, mais estudos para fortalecer os conhecimentos
construção do plano de ação, restruturação do teóricos relacionados a ensino e aprendizagem,
plano diante das necessidades das turmas e em prol da prática docente. O Programa
aplicação. Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência
Tais ações foram exitosas, posto que os (PIBID) vem contribuindo nesse aspecto e
bolsistas I.D. vêm contribuindo de forma visível deixando orgulhosos todos aqueles que
no espaço escolar, promovendo assim, ensino participam de forma direta e/ou indireta dessa
de qualidade; conseguiram empolgar e construção enriquecedora da prática docente.
estimular não só os alunos como também os

40 | PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA


INDICAÇÕES DE LEITURAS
Metodologias Ativas para uma Educação Inovadora:
Uma Abordagem -Teórico-Prática de Lilian Bacich &
José Moran (2017)
Tal obra apresenta estratégias pedagógicas tanto no ensino
fundamental, médio quanto superior. Preconiza a importância de
trabalhar metodologias de ensino, na qual incentiva a atuação do
aluno, tornando o protagonista. As discussões são bem pertinentes,
trazendo um suporte teórico e prático para o docente, que deseja
acompanhar as mudanças do cenário educacional.

A Sala de Aula Inovadora: Estratégias Pedagógicas


para Fomentar o Aprendizado Ativo de Fausto
Camargo e Thuine Daros (2018)
Sabe-se que o ensino voltado para a metodologia tradicional está
fadado ao fracasso. Há inúmeros dispositivos que despertam o
interesse dos alunos fora do espaço escolar. Sendo assim, tal obra
supracitada, dividida em duas partes, vem com a proposta de
corroborar com nossa prática na sala de aula, tornando-as mais
dinâmicas, estimulando a participação intensa dos educandos, para
que possam sentir-se como papel principal nesse processo. Além
disso, na segunda parte, apresentam-se 40 estratégias de ensino,
que podem ser aplicadas desde o ensino fundamental ao superior,
trazendo resultados positivos para todos os envolvidos.

PESQUISA NA ESCOLA: O que é e como se faz de


Marcos Bagno (2007)
Trata-se de uma obra oportuna para todos, principalmente para
quem acredita que trabalha a pesquisa, quando apenas passa
INDICAÇÕES DE LEITURA
alguma atividade que requer uma busca de informações sem
nenhum direcionamento ou proposta posterior com o que foi
coletado. Tal obra vem como propósito auxiliar os professores,
principalmente de Língua Portuguesa, visto que a segunda parte,
apresenta na prática como trabalhar pesquisa na sala de aula.
Acredito que a leitura irá contribuir bastante na formação do
profissional da área de Letras, levando-os a refletir sobre o que
envolve o ato de pesquisa e que tal prática, se direcionada do modo
adequado, pode trazer excelentes resultados.

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA | 41


AGRADECIMENTOS

Os organizadores da seção especial da


Revista Digital: INOV+AÇÃO agradecem
a todos que colaboraram para que esse
projeto se concretizasse. Em especial, a
recepção das gestoras e dos docentes
do Colégio Municipal Professora
Celestina Bittencourt, a coordenadora
do PIBID/CAPES/UNEB, pelas
orientações, sugestões e revisão final.
O PIBID foi muito interessante, eu gostei Achei as oficinas do PIBID muito
muito dos temas bullying e legais e interessante, pois nos
cyberbullying, e os professores me ajudou a aprender um pouco mais
ensinaram muitas coisas que eu não sobre o que é notícias e poema.
sabia, e não achava que esses assuntos (Quetteli Rodrigues Santos 7º A)
eram tão delicados.
(João Neto, 9°B)

Eu gostei do Pibid por que trouxe aulas que


ajudou a gente a aprender o que é notícia,
poema, contos, participar das aulas. Também As aulas com os bolsistas foram bem
gostei dos professores, eles são muito legais e interessante; os professores são muito legais,
espero que tenha mais PIBID esse ano. divertidos, e nos ensinou bastante coisa e de
Andressa Melo Teixeira ( 7º ano) formas diferentes. Foi uma experiência muito
divertida. (Raicca Luisa, 7° A)

+A
INOV
A c h o q u e
professores escolhidos
o s ÇÃO
para o ensino o projeto
PIBID são bem
qualificados, eles
ensinam muito bem e O PIBD foi bom para nós e
com muita calma, para eles, pois ajudou
deixando tudo muito trazendo conhecimento de O PIBID foi realmente fantástico, gostei
forma descontraída e muito dos trabalhos e dos assuntos
claro.
interessante, e para eles, estudados, gostei muito de participar e de
Carolina Cruz dos
proporcionou vivência na sala poder dar minha opinião.
Santos - ( 7º ano C)
de aula. (Hugo Rocha Sales, (Ian Bernardo - 9°A)
9° ano A)

É muito fácil falar do PIBID, já que passaram tanto tempo nos


divertindo e ensinando várias coisas, que na maioria das vezes eu
nunca tinha ouvido falar, ou assuntos que nunca parei para pensar e
A equipe do PIBID veio a nós com
eles de uma forma tão fácil faziam a gente refletir e aprender ao
mesmo tempo...Além de nos fazer descobrir um monte de assuntos ótimos projetos, com os quais foram
variados que não éramos acostumados a ouvir ou falar, nos bem trabalhados, atraindo a atenção de
divertíamos com as oficinas e aulas que sempre vinha
todos nós alunos, abordaram assuntos
acompanhado de um docinho...quero desejar boa sorte, que
continuem com esse projeto divertindo e ensinando mais alunos . bem atuais e pertinentes a todos.
(Carine de Souza, 9º B) (Riquelme Carvalho - 9°B)