Você está na página 1de 16

ELET0056 - GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E

DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA
GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E
DISTRIBUIÇÃODE ENERGIA ELÉTRICA

Justificativas:

Por motivos técnico-econômicos os geradores de


energia elétrica, por maiores que sejam, são projetados
para gerar tensões de até no máximo 25 kV.

Outro fato é que as usinas hidroelétricas são construídas


longe dos grandes centros consumidores,

O que implica em transmitir a energia elétrica a longas


distâncias.
Problema nº 1

Como transmitir a potência de 50 MW com fator de


potência de 0,85, por meio de uma linha de transmissão
trifásica com condutores de alumínio, desde a usina
hidroelétrica, cuja tensão nominal do gerador é 13,8 kV,
até o centro consumidor situado a 100 km? Admitindo-
se uma perda por efeito Joule de 2,5% na linha,
determine o diâmetro do cabo, para:

•Transmissão em 13,8 kV (solução na folha adicional)


•Transmissão em 138 k V
Resistividade do alumínio: ρ = 0,02688 (Ω.mm2)/m
Problema nº 1 (Cont.)

Considerando a transmissão em 138 kV:


Seguindo-se os mesmos passos obtém-se um cabo com diâmetro
de13,0 mm. As Figuras a seguir mostram as dimensões dos
cabos, para os dois casos.

Por este exemplo simples podemos notar que é impraticável


transmitir energia elétrica a longa distância com a tensão de
geração.
Problema nº 1 (Cont.)

Assim sendo, após a geração é necessário que a tensão seja


elevada para a transmissão (no nosso exemplo de 13,8 kV para
138 kV).
A elevação da tensão é feita por um equipamento denominado
TRANSFORMADOR.
A Figura abaixo mostra um diagrama unifilar simplificado dos
sistemas de geração e transmissão.
Problema nº 2

Problema nº 2:

Como distribuir a energia elétrica que chega das usinas


através das linhas de transmissão, para os centros
consumidores?

Solução:
Como já vimos, a transmissão da energia elétrica é feita em alta
tensão. Para distribuir esta energia é necessário reduzir a tensão
para um valor compatível, por exemplo: 13,8 kV ou 11,95 kV.
Esta redução é feita pelo TRANSFORMADOR instalado na
subestação abaixadora, geralmente localizada na periferia dos
centros urbanos.
Problema nº 2 (Cont.)

Após a redução a energia elétrica é transmitida através das linhas


de distribuição, que formam a rede primária, conforme mostrado
na Figura a seguir.
Problema nº 3

Como distribuir a energia elétrica, que chega pela rede


primária, para os consumidores finais (casas,
apartamentos,casas comerciais e pequenas indústrias)?

Solução:
A distribuição da energia elétrica para estes consumidores é feita
pela rede secundária (por exemplo: 220 V e/ou 127 V). A
redução de tensão da rede primária para a tensão da rede
secundária é feita pelo TRANSFORMADOR de distribuição
(instalado no poste). A Figura a seguir mostra este sistema.
Problema nº 3 (Cont.)

No nosso exemplo podemos notar as seguintes tensões: 13,8 kV,


138kV, 11,95 kV e 220/127 V, entretanto, no sistema elétrico
brasileiro temos outros níveis de tensão, tais como: 750 kV, 500
kV, 440 kV,345 kV, 220 kV, 88 kV, 69 kV, 34,5 kV, 22 kV, 6,9
kV, 480 V, 380V, etc.. Imagine quantos transformadores serão
necessários !!!
TRANSFORMADOR

O campo magnético pode induzir uma tensão noutro indutor, se


este for enrolado sobre uma mesma forma ou núcleo. Pela Lei de
Faraday, a tensão induzida será proporcional à velocidade de
variação do fluxo, e ao número de espiras deste indutor.
TRANSFORMADOR
TRANSFORMADOR

Além das perdas no cobre dos enrolamentos (devidas à


resistência), os transformadores e bobinas apresentam perdas
magnéticas no núcleo.

Histerese: Os materiais ferromagnéticos são passíveis de


magnetização, através do realinhamento dos domínios, o que
ocorre ao se aplicar um campo (como o gerado por um indutor
ou o primário do transformador). Este processo consome
energia, e ao se aplicar um campo variável, o material tenta
acompanhar este, sofrendo sucessivas imantações num
sentido e noutro, se aquecendo. Ao se interromper o campo, o
material geralmente mantém uma magnetização, chamada
campo remanente.
TRANSFORMADOR

Perdas por correntes parasitas ou de Foucault: São devidas à


condutividade do núcleo, que forma, no caminho fechado do
núcleo, uma espira em curto, que consome energia do campo.
Para minimiza-as, usam-se materiais de baixa condutividade,
como a ferrite e chapas de aço-silício, isoladas uma das outras
por verniz.
Em vários casos, onde não se requer grandes indutâncias, o
núcleo contém um entreferro, uma separação ou abertura no
caminho do núcleo, que elimina esta perda.
GTD
GTD
GTD