Você está na página 1de 4

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA ___ VARA

DA FAMÍLIA DA COMARCA DA CAPITAL – PB.

Processo nº

XXXXXX, brasileiro, divorciado, jornalista, portador da Cédula de


Identidade de n.º XXXX –SSP/PB, inscrito no CPF sob o n.º XXXX, com
endereço na Rua xxxx, n.º 000, apto 202, bairro, cidade – PB, CEP.: 0000-
000, e YYYYY, brasileira, divorciada, tecnóloga em radiologia, com
endereço à Rua, nº, cidade, estado, por intermédio de seus bastante
procuradores e advogados, que a esta subscrevem, com endereço
profissional na Rua, nº, cidade, estado, propor a presente

ação de alteração consensual de guarda c/c regulamentação de


visitas e extinção de alimentos

Com fundamento no inciso I do art. 1.584 do Código Civil e demais


normas pertinentes à espécie, pelos motivos de fato e de direito adiante
narrados:

Do pedido de assistência judiciária gratuita

Os autores, por não disporem de meios suficientes para arcar com o


ônus do pagamento das custas processuais e honorários advocatícios, sem
prejuízo de sua sobrevivência e de suas famílias, requerem a V. Exa. a
concessão dos benefícios da assistência judiciária gratuita, com
fundamento no art. 5º, inciso XXXIV, alínea “a”, da Carta Magna em vigor,
declarando, assim, ser pobre sob as penas das Leis n.º 1.060/1950 e
7.115/1983, c/c art. 98 do NCPC, consoante declarações anexas.
Dos Fatos

Meritíssimo Juiz, em ação de divórcio consensual que tramitou no


juízo da Comarca de XXX sob o nº 0000, ficou estabelecido em acordo entre
as partes no ano de 2013, que a guarda do filho menor AAAA ficaria com
a mãe, a senhora YYYYY, enquanto o pai, XXXXXX recebeu a guarda da
filha menor BBBBB, conforme documento anexo.

Acontece que desde o dia 14 de setembro último, o filho AAAA, que


conta atualmente com 16 anos, decidiu por passar a morar com o pai, bem
como na companhia de suas irmãs, tendo recebido total apoio por parte do
pai e de sua família, assim como o consentimento da mãe.

No mesmo acordo já citado ficou estabelecido que o pai, XXXX,


pagaria à título de pensão alimentícia ao filho AAAA o percentual de 52%
(cinquenta e dois por cento) de um salário mínimo vigente, com a alteração
da guarda, é mister que se faça a exoneração de tal pensionamento.

Neste sentido, e conhecendo as limitações materiais da mãe do jovem


AAAA, é que não se exige pensionamento de sua parte, e caso se entenda
por não dispensa-la de tal obrigação, em razão de sua natureza, que se faça
em valor simbólico, que não comprometa sua própria subsistência.

Assim, vêm os autores, em conjunto, requerer a regularização da


mudança da guarda do menor AAAA.

DO DIREITO

É sabido que a sentença sobre guarda de menores não transita em


julgado materialmente e pode ser modificada, na ocorrência de
circunstâncias supervenientes e segundo convier aos interesses do menor.

O Código Civil preceitua acerca da guarda de menor:

"Art. 1.584. A guarda, unilateral ou


compartilhada, poderá ser:

I – requerida, por consenso, pelo pai e pela mãe,


ou por qualquer deles, em ação autônoma de
separação, de divórcio, de dissolução de união estável
ou em medida cautelar;

2
No mais, em se tratando de um jovem com 16 anos de idade, com
capacidade processual relativa, devendo ser assistido por seus
responsáveis, mas já capaz manifestar sua vontade em juízo, celebrar
negócio ou acordo jurídico, temos que sua opinião deve ser considerada,
sendo resguardada à proteção aos seus direitos. Neste sentido temos:

DIREITO FAMÍLIA. AÇÃO DE GUARDA.


PREVALÊNCIA DO INTERESSE DO MENOR.
Cediço é que, nos litígios em que estejam envolvidos
interesses relativos a crianças, notadamente naqueles
que envolvam pedido de modificação de guarda, o
julgador deve ter em vista, sempre e primordialmente,
o interesse do menor. (Apelação Cível nº 0915536-
91.2009.8.13.0351, 5ª Câmara Cível do TJMG, Rel.
Maria Elza. J. 25.11.2010, unânime, Publ. 10.12.2010).
(grifos nossos).

Há de se considerar ainda a importância da convivência diária, na


atual fase da vida do jovem AAAA, com suas irmãs, BBB, com 15 anos, e
CCC, do atual relacionamento do pai e que conta atualmente, com 8 anos.

DOS PEDIDOS

Perante o acima exposto, requer-se:

I) Seja deferida aos Requerentes da presente demanda assistência


judiciária gratuita, com fulcro no art. 5º, LXXIV da Constituição da
República e na Lei nº 1.060/50, por se tratar de pessoas pobres na acepção
da lei, de forma que o valor das custas irão onerar em muito seus
orçamentos uma vez comprovada a insuficiência de recursos.

II) A procedência dos pedidos da Presente Ação de Modificação de


Guarda, em exame de mérito e após o cumprimento das formalidades de
praxe, modificando, nos termos do art. 1584, I do Código Civil.

III) A intimação do ilustre representante do Ministério Público, para


que se manifeste e acompanhe o feito até o seu final, sob pena de nulidade,
ex-vi dos arts. 82, inciso II, 178 do Novo Código de Processo Civil;

IV) O deferimento da produção de todos os meios de prova em Direito


admitidos, em especial a documental, juntada posterior de documentos,

3
expedição de ofícios, depoimentos pessoais das partes e outras que se
façam necessárias, bem como a oitiva de testemunhas.

V) Exonerar o pai, XXXX, da obrigação de pagar à título pensão


alimentícia ao filho AAAA o percentual de 52% (cinquenta e dois por
cento) de um salário mínimo vigente, como estabelecido no acordo
homologado judicialmente na ação de divórcio consensual que tramitou
no juízo da Comarca de XXXX sob o nº 00000.

Dá a causa o valor de R$ 1.000,00 (hum mil reais) para fins ficais.

Termos em que,

Pede e espera deferimento.

______________________

Advogado/OAB