Você está na página 1de 5

Exercícios Aula 4 – Termodinâmica

Professor: Cristiano Cruz

Disciplina: Física Termodinâmica e Ondas

Curso: Engenharias Modalidade: EAD

1 – Os materiais A,B e C são sólidos que estão em suas temperaturas de fusão. O material
A requer 200 J para derreter 4 Kg, o material B requer 300 J para derreter 5 Kg e o material
C requer 300 J para derreter 6 Kg. Classifique os materiais de acordo com seus calores de
fusão (Lf), do maior para o menor.

Sendo o calor latente dado pela equação:

Q = m . Lf
Calculando para cada material e já colocando na ordem do maior calor latente de fusão (Lf)
para o menor, teremos.

1o) Material B:
300 = 5 . Lf
Lf = 60 J/kg
2o) Material A:
200 = 4 . Lf
Lf = 50 J/kg
2o) Material C:
300 = 6 . Lf
Lf = 50 J/kg

2 - O álcool etílico possui temperatura de ebulição igual a 78 oC, e a temperatura de


congelamento igual a -114 oC. O calor de vaporização LV = 879 KJ/Kg, e o calor de fusão de
Lf = 109 KJ/Kg. Sendo o calor especifico c = 2,43 KJ/Kg.K, quanta energia deve ser removida
de 0,510 Kg de álcool etílico, que é inicialmente um gás a 78 oC, de modo que ele se torne
sólido a – 114 oC?

Primeira mente devemos lembrar de realizar a mudança da escala de temperatura de graus


Celsius (oC) para Kelvin (escala absoluta).
Para temperatura inicial do gás TC = 78 oC
TK = TC + 273
TK = 78 + 273 = 351 K
Para temperatura final do sólido TC = - 114 oC
TK = TC + 273
TK = - 114 + 273 = 159 K

Neste exercício temos inicialmente a substancia álcool etílico presente no estado gasoso a
determinada temperatura T = 78 oC = 351 K, devemos retirar calor desta substancia para
que a temperatura dela seja reduzida a ponto de realizar duas mudanças de fase, primeiro
para o estado líquido (liquefação) e depois para o estado sólido (solidificação).
A quantidade de energia (calor) que deve ser retirada está representada na figura acima,
inicialmente devemos retirar uma quantidadde de calor Q 1 para que ocorra a mudança de
fase do estado gasoso para o estado líquido, quando ocorre a mudança de fase a
temperatura da substânica não é alterada, permanecendo o líquido na temperatura de 78
oC. Finalisada esta mudança devemos continuar a retirar calor para que ocorre mudança na

temperatura, resfriando o líquido de 78 oC até sua temperatura atingir – 114 oC = 159 K, essa
quantidade de calor é representada por Q2. Ao atingir – 114 oC irá ocorrer outra mudança de
fase, fazendo a substância passar do estado líquido para o estado sólido, lembre-se durante
a mudança de fase não ocorre variação de temperatura, esta quantidade de calor é
representada por Q3.
A energia total (calor) que deve ser removida (Qt) é igual a somatória das quantidades de
calor Q1; Q2; Q3 necessárias para realizar a mudança de fase, sendo:
Q1 = m . L v
Q1 = 0,510 . - 879 x 103
Q1 = - 448 x 103 J

Q2 = m . c. ΔT
Q2 = 0,510 . 2,43 x 103 . (159 – 351)
Q2 = - 238 x 103 J
Q3 = m . Lf
Q3 = 0,519 .- 109 x103
Q3 = - 55,6 x 103 J
A energia total é dada pelo somatório.
Qt = Q1 + Q2 + Q3 = - 448 x 103 - 238 x 103 - 55,6 x 103 = - 742 x 103 J = - 742 KJ
O sinal negativo na quantidade de calor significa apenas que o corpo perdeu energia térmica.

3 – A passagem da fase sólida para líquida de 200 g de uma substância em função do calor
Q absorvido, é representada no gráfico abaixo.
Qual os calores específicos dessa substância, nas fases sólida e líquida?

Para identificar no gráfico onde encontra-se a representação da fase líquida, o momento da


mudança de fase, e a fase sólida. Partimos do princípio que a mudança de fase sempre
ocorre a temperatura constante, veja no gráfico que isso ocorre quando a temperatura atinge
10 oC, portanto a substância mudou de fase neste momento. A fase líquida está antes deste
momento, no aquecimento na fase líquida a temperatura varia de – 10 oC a 10 oC e o calor
fornecido nesta variação é de 3,2 kcal. Então, pela equação:
𝑄 = 𝑚 . 𝑐 . ∆𝑇
3,2 × 103 = 200 . 𝑐 . (10 − (−10))
O calor específico c na fase líquida será:
3,2 × 103 𝑐𝑎𝑙
𝑐= = 0,8
200. 20 𝑔℃
A fase sólida encontra-se depois do momento da mudança de fase. Na fase sólida a variação
de temperatura é de 10 ºC a 50 ºC e o calor fornecido é 1,6 kcal:
𝑄 = 𝑚 . 𝑐 . ∆𝑇
1,6 × 103 = 200 . 𝑐 . (50 − 10)
O calor específico c na fase sólida será:
1,6 × 103 𝑐𝑎𝑙
𝑐= = 0,2
200. 40 𝑔℃
4 - A temperatura de 96,8ºF corresponde a que temperatura em ºC?
Pela equação de conversão entre as escalas Fahrenheit e Celsius,
𝑇𝐶 𝑇𝐹 − 32
=
5 9
Substituindo a temperatura Fahrenheit TF = 96,8 oF e isolando e calculando a temperatura
Celsius TC, temos:
𝑇𝐶 96,8 − 32
= = 36 ℃
5 9
5 - Suponha que, numa escala de temperatura oJ, a água ferva a 50ºJ e congele a 10ºJ.
Qual o valor de 34ºC, na escala oJ?

Obtendo a equação de conversão entre as escalas pela média pondrada.


𝑇𝐽 − 10 𝑇𝐶 − 0
=
50 − 10 100 − 0
Simplificando:
𝑇𝐽 − 10 𝑇𝐶
=
40 100
Sendo Tc = 34 ºC
𝑇𝐽 − 10 34
=
40 100
34 . 40
𝑇𝐽 = + 10
100

𝑇𝐽 = 23,6 𝑜𝐽

6 - Uma xícara de alumínio com capacidade de 100 cm3 é completamente cheia com
glicerina a 22 oC. Quanto de glicerina, caso isto aconteça, transbordará para fora da xicara
se a temperatura tanto da xícara quanto da glicerina for aumentada para 28 oC? (O
coeficiente de expansão volumétrica da glicerina é 5,1 x 10 -4 oC-1)
Para determinar se ocorre o transbordamento devemos comparar a expansão volumétrica
da xícara de alumínio e da glicerina para mesma variação de temperatura. Sendo o
coeficiente de dilatação linear do alumínio Al = 2,3 x 10-5 oC-1, temos o volume expandido
da xícara é dado por;
VAl = 100 . 3 . 2,3 x 10-5 . (28 – 22) + 100 = 100,04 cm3
O volume expandido da glicerina, será:
VGl = 100 . 5,1 x 10-4. (28 – 22) + 100 = 100,30 cm3
O volume que irá transbordar será dado por;
Vtransbordado= VGl - VAl = 100,3 – 100,04 = 0,26 cm3

Você também pode gostar