Você está na página 1de 3

Disc.

: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II

1a Questão (Ref.:201603717334) Acerto: 0,2 / 0,2

(TCE-SP/2008) De acordo com o Código Tributário Nacional, é caso de exclusão do crédito


tributário:

e) Dação em pagamento em bens imóveis.


a) Isenção.
b) Moratória.
d) Remissão.
c) Transação.

2a Questão (Ref.:201603827892) Acerto: 0,2 / 0,2

Podemos afirmar que não constitui modalidade de suspensão da exigibilidade do crédito


tribuário:

Parcelamento.
Depósito do montante integral.
Concessão de tutela antecipada em mandado de segurança.
Remissão.
Moratória.

3a Questão (Ref.:201603711288) Acerto: 0,2 / 0,2

Quanto as hipóteses extintivas abaixo, marque a opção em que todas as modalidades são
dependentes de autorização legislativa:

Dação de imóveis em pagamento, consignação em pagamento e transação


Remissão, moratória e dação de imóveis em pagamento
Compensação, imputação e conversão do depósito em renda
Transação, remissão e dação de bens móveis em pagamento
Compensação, dação de imóveis em pagamento e remissão

4a Questão (Ref.:201604039462) Acerto: 0,2 / 0,2

A Pessoa Jurídica ABC verificou que possuía débitos de Imposto sobre a Renda (¿IRPJ¿) e
decidiu aderir ao parcelamento por necessitar de certidão de regularidade fiscal para participar
de licitação. Após regular adesão ao parcelamento e diante da inexistência de quaisquer outros
débitos, a contribuinte apresentou requerimento para emissão da certidão. Com base nessas
informações, o Fisco deverá:

deferir o pedido, já que o parcelamento é causa de suspensão da exigibilidade do


crédito tributário.
deferir o pedido, uma vez que o parcelamento é causa de exclusão do crédito
tributário.
deferir o pedido, já que o parcelamento é causa de exclusão do crédito tributário.
deferir o pedido, já que o parcelamento é causa de extinção do crédito tributário.
indeferir o pedido, pois a certidão somente poderá ser emitida após o pagamento
integral do tributo em atraso.

5a Questão (Ref.:201603654301) Acerto: 0,2 / 0,2

O sujeito passivo da obrigação tributária tem direito, independentemente de prévio protesto, à


restituição total ou parcial do tributo, em caso de pagamento indevido ou maior do que o
devido.Sobre o instituto da repetição de indébito em matéria tributária, assinale a alternativa
correta.

Nos tributos sujeitos a lançamento por homologação, o prazo prescricional para a ação
de repetição de indébito é de 5 (cinco) anos a partir do pagamento antecipado,
independentemente da data do ajuizamento.
É válida a lei municipal que institui a modalidade de extinção do crédito tributário
referente ao ITBI mediante dação em pagamento de bens móveis.
Fracassada a tentativa administrativa de restituição de tributo pago indevidamente, terá
o contribuinte o prazo de 5 (cinco) anos para ingressar com a ação judicial de repetição
de indébito.
Nos tributos indiretos, carece ao contribuinte de fato, em qualquer hipótese, legitimidade
ativa para a ação de repetição de indébito, haja vista que não integra a relação jurídica
tributária.
A taxa de juros de mora incidente na repetição de indébito de tributos municipais deve
corresponder à utilizada para cobrança do tributo pago em atraso, sendo legítima a
incidência da taxa Selic, em ambas as hipóteses, quando prevista na legislação local,
vedada sua cumulação com quaisquer outros índices.

6a Questão (Ref.:201604032200) Acerto: 0,2 / 0,2

Em qual dos tributos é dispensado a Lei Complementar Federal para estabelecer as


características básicas do tributo:

Imposto de Renda;
IPTU;
IOF;
IPVA
ITR;

7a Questão (Ref.:201604057639) Acerto: 0,2 / 0,2

Sobre o lançamento tributário, é correto afirmar:

A retificação da declaração por iniciativa do próprio declarante, quando vise a reduzir ou


a excluir tributo, só é admissível mediante comprovação do erro em que se funde, e
somente após o contribuinte ter sido notificado o lançamento.
Salvo disposição de lei em contrário, quando o valor tributário estiver expresso em
moeda estrangeira, no lançamento far-se-á sua conversão em moeda nacional ao
câmbio da data em que o contribuinte tomou ciência do lançamento.
O lançamento não pode ser alterado em virtude de impugnação do sujeito passivo, de
iniciativa de ofício da autoridade administrativa ou de recurso de ofício.
O lançamento reporta-se à data da ocorrência do fato gerador da obrigação e rege-se
pela lei então vigente, salvo quando essa lei for posteriormente modificada ou revogada;
A modificação introduzida, de ofício ou em consequência de decisão administrativa ou
judicial, nos critérios jurídicos adotados pela autoridade administrativa no exercício do
lançamento, somente pode ser efetivada, em relação a um mesmo sujeito passivo,
quanto a fato gerador ocorrido posteriormente à sua introdução.

8a Questão (Ref.:201603960425) Acerto: 0,2 / 0,2

São modalidades de lançamento:

De ofício e por acertamento.


Por declaração e de ofício.
Por liquidação e por acertamento.
Por homologação e por liquidação.
Por liquidação e por homologação.

9a Questão (Ref.:201604049597) Acerto: 0,2 / 0,2

Avalie as três proposições abaixo, à luz do Código Tributário Nacional, e responda a questão
correspondente, assinalando a opção correta. I. Os condôminos de um imóvel são
solidariamente obrigados pelo imposto que tenha por fato gerador a respectiva propriedade. II.
Segundo entendimento do STJ, a expressão `crédito tributário¿ não diz respeito apenas a
tributo em sentido estrito, mas alcança, também, as penalidades que incidam sobre ele. III. No
lançamento por homologação, a legislação impõe ao sujeito passivo o dever de pagar, sem que
o fisco tenha previamente examinado a matéria ou cobrado o tributo. Contém ou contêm erro:

apenas a terceira.
apenas as duas primeiras proposições.
apenas a segunda.
apenas a primeira.
nenhuma, pois as três estão certas.

10a Questão (Ref.:201603838593) Acerto: 0,2 / 0,2

Com base nas disposições do CTN (Código Tributário Nacional), é CORRETO afirmar que o
crédito tributário:

prescreve em cinco anos, contados da data do fato gerador.


prescreve em dez anos, contados do fato gerador.
prescreve em cinco anos contados do seu lançamento definitivo.
o direito da Fazenda pública não prescreve.
se não impugnado, prescreve em dez anos, após o lançamento.