Você está na página 1de 8

Planejamento e Controle Financeiro

Exercício: Orçamento empresarial


Professor: Masakazu Hoji ©

CASO PRÁTICO 3: ORÇAMENTO EMPRESARIAL

EXERCÍCIO 1. Cálculo de número-índice e taxa de câmbio

1.1 Complete o número-índice correspondente à variação mensal do IGP-M (Índice Geral de Preços do
Mercado) e responda às seguintes questões.

a) Qual foi o índice do mês de agosto/2006? R: .......................

b) Qual foi a variação do ano de 2006? R: .......................

c) Qual foi a variação mensal acumulada dos meses de fevereiro a outubro de 2006? Considerar
inclusive o fevereiro e inclusive o outubro, ou seja, aplique o índice de outubro sobre o índice de
janeiro. R: ..........................

d) Foi calculada a variação de .............% com base em índice de novembro e índice de maio. A
variação acumulada do período reflete a variação mensal acumulada dos meses de
.............................. a ............................

IGP-M
Mês Variação mensal (%) Índice
Dezembro/2005 1,0000000
Janeiro/2006 0,92 1,0092000
Fevereiro/2006 0,01 1,0093009
Março/2006 -0,23 1,0069795
Abril/2006 -0,42
Maio/2006 0,38
Junho/2006 0,75 1,0141099
Julho/2006 0,18 1,0159353
Agosto/2006 0,37
Setembro/2006 0,29
Outubro/2006 0,47
Novembro/2006 0,75 1,0351638
Dezembro/2006 0,32 1,0384763

1.2 Complete as taxas de câmbio e as variações mensais e responda às seguintes questões:

2
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

a) Qual foi a taxa de câmbio do mês (fim-de-período) de novembro/2007? R: ...........................

b) Qual foi a taxa de câmbio do mês de agosto/2008? R: ......................

c) Qual foi a variação do mês de maio/2008? R: ..............................

d) Qual foi a variação acumulada dos meses de novembro/2007 a agosto/2008? (considerar as


variações mensais desde novembro/2007 até agosto/2008) R: .....................

e) Qual foi a variação da taxa de câmbio do período de novembro/2007 a agosto/2008? (considerar a


taxa de câmbio de agosto/2008 em relação à de novembro/2007). R:......................

Taxa de câmbio US$/R$ (venda)


Mês
Variação (%) Taxa de câmbio (R$)

Agosto/2007 1,9620
Setembro/2007 -6,2742
Outubro/2007 -5,1607
Novembro/2007 2,2764
Dezembro/2007 -0,6952
Janeiro/2008 -0,6210
Fevereiro/2008 1,6833
Março/2008 1,7491
Abril/2008 1,6872
Maio/2008 1,6294
Junho/2008 -2,3015
Julho/2008 -1,5893
Agosto/2008 4,3278

EXERCÍCIO 2. Projeção de índices para orçamento

2.1 Estamos no mês de setembro de 2008 e a “Empresa de Consultoria FIBB” vai elaborar o orçamento
detalhado por mês do último trimestre (outubro a dezembro) de 2008 e precisa projetar os números-
índices, bem como a taxa de câmbio. Ajude o controller nessa tarefa. Para o mês-base de índices e
preços foi definido o mês de junho de 2008.

3
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

Faça a projeção do IGP-M para o período orçamentário (outubro a dezembro/2008), com base em
seguintes informações:
a) a variação real acumulada nesse índice de preço, no ano, até o mês de junho/2008, foi de 6,8178%;
b) as variações de preço efetivas dos meses de julho e agosto/2008 foram de 1,76% e -0,32% (variação
negativa), respectivamente;
c) de acordo com o “Relatório Focus” e consultores especializados, é esperada a variação de 0,26% em
setembro;
d) de acordo com o “Relatório Focus” e consultores especializados, é esperada a taxa acumulada de IGP-
M de 10,2%, em 2008.

Projeção do IGP-M Base: Jul-20X8 Ago-20X8 Set-20X8 Out-20X8 Nov-20X8 Dez-20X8


Jun-20X8 (Real) (Real) (Projetado) (Projetado) (Projetado) (Projetado)

Variação mensal (%) 1,76% -0,32% 0,26% ............... ............... ...............

Índice do ano 2008 1,068178 1,086978 ................ ................ ................ ................ ................

Índice do 2º S/ 2008 1,000000 1,017600 ................ ................ ................ ................ ................

2.2 Agora estamos no meado do mês de janeiro de 2009 e precisamos revisar a taxa de câmbio utilizada no
orçamento do primeiro semestre de 2009 (o orçamento foi elaborado em outubro/2008), pois houve
aumento substancial na taxa. Faça a revisão da projeção da taxa de câmbio para o período orçamentário
(janeiro a junho de 2009), com base em seguintes dados:
a) a taxa de câmbio efetiva do final do mês de dezembro/2008 foi de R$ 2,3370 por dólar;
b) as taxas de câmbio estimadas dos meses de janeiro e fevereiro de 2009 são de R$ 2,39 e R$ 2,38,
respectivamente;
c) de acordo com o “Relatório Focus” e consultores especializados, é esperada a taxa de câmbio no valor
de R$ 2,41, no final de 2009. Com esses dados, é calculada a variação mensal e são projetadas as
taxas de câmbio para outros meses do ano.

Projeção da taxa de Base: Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Abr-2009 Mai-2009 Jun-2009


câmbio Dez-2008 (Estimada) (Estimada) (Projetada) (Projetada) (Projetada) (Projetada)

Variação mensal (%) 2,2679% -0,4184% ................ ................ ................ ................

Taxa de câmbio 2,3370 2,3900 2,3800 ................ ................ ................ ...............

EXERCÍCIO 3: Projeção de receitas e custos

3.1 Elabore o orçamento de receita de serviços do 1º trimestre/2009 da "Empresa de Consultoria FIBB".


Os preços unitários são reajustados nas seguintes condições:

4
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

a) os serviços prestados no mercado nacional são reajustados no mês de fevereiro, e espera-se um


reajuste de 6,5% sobre o preço-base de dezembro/2008;
b) os serviços exportados são cobrados em dólar e não têm reajuste nessa moeda; e podem ser utilizadas
as taxas de câmbio do exercício anterior.

ORÇAMENTO DE RECEITA DE SERVIÇOS

Base: Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Total do


Dez-2008 trimestre
PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NO
MERCADO NACIONAL

(a) Quantidade de horas a faturar 2.000 2.050 1.850 2.100 6.000

(b) Preço unitário sem impostos 250,00 250,00

(a x b) Receita líquida, em R$ 500.000 512.500

EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS

(a) Quantidade de horas a faturar 500 600 550 525 1.675


(b) Preço unitário sem impostos, em
150,00 150,00 150,00 150,00
US$
(c = a x b) Receita líquida, em US$ 75.000 90.000

(d) Taxa de câmbio 2,3370 2,3900 2,3800 2,3830

(e = c x d) Receita líquida, em R$ 175.275 215.100

RESUMO

Quantidade de horas a faturar 2.500 2.650 2.400 2.625 7.675

Receita líquida total, em R$ 675.275 727.600

3.2 Calcule as quantidades de horas de trabalho (produção) necessárias, sabendo-se que a “Empresa de
Consultoria FIBB” fatura para seus clientes 60% das horas trabalhadas no mês e os 40% do mês anterior,
pois o time-sheet é fechado antes do final do mês. Calcule as quantidades de horas de produção
necessárias em cada mês.

ORÇAMENTO DE HORAS EFETIVAS DE TRABALHO (PRODUÇÃO)

Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Total do


trimestre
Horas a faturar no mês 2.650 2.400 2.625 7.675
(+) Horas a faturar no período seguinte 1.060
(-) Horas do período anterior 1.000 1.060
(=) Quantidade de horas de produção 2.710

5
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

3.3 Para calcular os custos mensais de produção de serviços técnicos, é necessário conhecermos o custo
variável médio unitário das horas trabalhadas. Os consultores internacionais são pagos em dólar e a
participação relativa de cada classe de consultores no custo variável está informada no quadro. Os custos
com os consultores internacionais não sofrem reajustes (somente a variação cambial) e os custos com os
consultores externos são reajustados anualmente em novembro. Os consultores internos são contratados
no regime de CLT e o reajuste de salário ocorre anualmente no mês de setembro. O custo variável médio
unitário de janeiro/2009 foi calculado como segue: R$ 239,00 x 0,15 + R$ 150,00 x 0,25 + R$ 60,00 x
0,60 = R$ 109,35.

ORÇAMENTO DE CUSTOS VARIÁVEIS


Base: Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Participaçã
Dez-2008 o no custo
Consultores internacionais, em US$ 100,00 100,00 100,00 100,00
Taxa de câmbio 2,3370 2,3900

Consultores internacionais, em R$ 233,70 239,00 15%


Consultores externos, em R$ 150,00 150,00 25%
Consultores internos, em R$ 60,00 60,00 60%
Custo variável médio unitário 108,56 109,35 100%
Nota: Os consultores internacionais e os consultores externos são pessoas jurídicas.
Os consultores internos são empregados da
empresa.

3.4 Calcule o custo dos serviços prestados do trimestre. Os custos variáveis podem ser calculados
conhecendo-se o custo variável médio unitário e a quantidade de horas de produção. Os custos fixos
estão informados no quadro.

ORÇAMENTO DE CUSTO DE SERVIÇOS PRESTADOS


Base: Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Total do
Dez-2008 trimestre
Quantidade de horas de produção 2.710
Custo variável médio unitário 108,56 109,35
Custos variáveis 296.339
Custos fixos de natureza técnica 75.429
Custo de serviços prestados 371.768

6
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

EXERCÍCIO 4: Projeção de demonstração de resultado e análises


financeiras

4.1 Agora elabore a demonstração de resultado do trimestre. A "Empresa de Consultoria FIBB" não tem
despesas financeiras (nem receitas financeiras). Os valores das despesas comerciais e administrativas e
gerais estão informados no quadro. Os tributos variáveis em relação ao faturamento estão embutidos no
preço de venda bruto e o Imposto de Renda e a Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL) são pagos com
alíquota média de 12% sobre a receita líquida (RL).

PROJEÇÃO DE DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO


Base: Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Total do
Dez-2008 trimestre
Receita líquida 675.275 727.600
Custo de serviços prestados 319.112 371.768
Lucro bruto 356.163 355.832
Despesas comerciais 105.992 101.760 97.891 103.679 303.330
Despesas administrativas e gerais 154.228 152.320 156.814 154.965 464.099
Lucro antes do imposto de Renda 95.943 101.752
Imposto de Renda e CSLL (12%) 81.033 87.312
Lucro (prejuízo) líquido 14.910 14.440

4.2 No segundo trimestre de 2009, as despesas comerciais e administrativas e gerais, bem como os custos
fixos, deverão sofrer um aumento de cerca de 10% sobre os valores de março. Os valores dos custos e
despesas fixos estão informados no seguinte quadro. Complete o quadro e calcule a margem de
contribuição líquida do trimestre.

7
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

DADOS E INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Jan-2009 Fev-2009 Mar-2009 Total do


trimestre
Receita líquida 727.600

Custos variáveis 296.339


Custos fixos 75.429 76.811 77.026 229.266
Custo de serviços prestados 371.768 336.320 383.495 1.091.583

Despesas comerciais variáveis 72.760 68.891 74.679 216.330


Despesas comerciais fixas 29.000 29.000 29.000 87.000
Despesas administrativas e gerais 152.320 156.814 154.965 464.099
Total de despesas operacionais 254.080 254.705 258.644 767.429

Custos e despesas variáveis 369.099


Imposto de Renda e CSLL 87.312
Total de custos e despesas variáveis 456.411
Margem de contribuição líquida de IR (%) 37,3%

4.3 De acordo com os dados informados, os custos e despesas fixos de março/2009 totalizam R$ 260.991 e o
valor reajustado a partir de abril será de R$ 287.090. A empresa precisa obter uma margem líquida (lucro
líquido / receita líquida) mensal de 2% para que a operação seja sustentável no longo prazo. Nesse caso,
qual deverá ser a receita líquida mensal mínima da empresa a partir do segundo trimestre, aplicando a
seguinte equação? Considere a margem de contribuição (MC) líquida de IR do trimestre.
CDF
RL =
MC  ML
Onde:
RL = receita líquida;
CDF = custos e despesas fixos;
MC = margem de contribuição, em %
ML = margem líquida, em %

Preencha o quadro a seguir e comprove que o valor da receita líquida mensal a partir de abril/2009 está
correto (a margem líquida deve ser de 2%).

8
Planejamento e Controle Financeiro
Exercício: Orçamento empresarial
Professor: Masakazu Hoji ©

COMPROVAÇÃO DO CÁLCULO DA RECEITA LÍQUIDA


Receita líquida mensal a partir de abril/2009
Margem de contribuição líquida, em %
Margem de contribuição líquida, em R$
Custos e despesas fixos mensais, a partir de abril/2009 287.090
Lucro líquido
Margem líquida (%) 2,0%

4.4 Após calcular a receita líquida mínima que a empresa precisa obter mensalmente a partir de abril, calcule
a quantidade de horas de consultoria que precisam ser contratadas e faturadas, para que o departamento
comercial tome as devidas providências com antecedência necessária. Para simplificar, considere que o
preço líquido médio unitário apurado no mês de março, em reais, será mantido inalterado a partir desse
mês.

(a) Receita líquida de março/2009


(b) Horas faturadas em março/2009
(c=a/b) Preço líquido médio de março/2009

Receita líquida mensal mínima a partir de abril/2009 (d)


Número de horas de consultoria que precisam ser contratadas mensalmente
(e=d/c)