Você está na página 1de 19

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

7º RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Professor orientador: Vera Lúcia Lapa

Responsável pela supervisão do estágio: Alan Jason Borges Mattos

Estagiário: Stephanye Calixto Dantas de Souza

Curso: Engenharia de Produção

Niterói
8 de Abril de 2019
1. INTRODUÇÃO
O principal objetivo do estágio é proporcionar ao estudante o contato com a
realidade na qual atuará. É o momento em que é permitida ao estudante a análise e
crítica do contexto real, em um espaço que une o conhecimento teórico e prático.
Sendo parte essencial da formação inicial do profissional.
O estágio está sendo realizado na empresa Uniiica Construções na Rua São
Sebastião, 106 – Ingá, Niterói. Estando sob a supervisão do engenheiro as
atividades elencadas:

• Elaboração de planilhas de orçamento, pendências e ordens de serviço


• Organização de documentos
• Acompanhamento na execução e parte administrativa da manutenção de
obras
• Preenchimento de formulários
• Relatórios fotográficos
• Elaboração de propostas
• Agendamento de visitas
• Acompanhar plano de visitas
• Atualização de dados da empresa e funcionários
• Encaminhamento de email/ marketing

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

O Ministério Público, consoante o art. 127, caput, da Constituição Federal, é


instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a
defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e
individuais indisponíveis.

É configurado, no Brasil, como instituição autônoma e independente, que não está


subordinada aos Poderes Executivo, Legislativo ou Judiciário, o que lhe garante
condições de fiscalizar de forma mais efetiva o cumprimento da lei.

A finalidade de sua existência, como diz o próprio texto constitucional, é a defesa da


ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais
indisponíveis, isto é, a função de defesa da sociedade no regime democrático
instituído pela Constituição de 1988, tendo sua atuação comprometida com a defesa
da cidadania e da dignidade da pessoa humana.
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) é a instância no Estado
do Rio de Janeiro do Ministério Público, que tem como objetivo defender os direitos
dos cidadãos e os interesses da sociedade.

2. ATIVIDADES REALIZADAS
A Inspeção Predial surge como solução que minimiza custos, propondo um plano de
manutenção preventiva. Em sua evolução foram acrescidos aspectos de
sustentabilidade, acessibilidade e uma visão mais ampla da própria inspeção
(técnica, manutenção e funcionalidade).
O Relatório Técnico Preliminar caracteriza-se pela inspeção predial, tendo como
foco central o diagnóstico geral sobre as patologias identificadas no imóvel que
abriga o MPM. Sendo assim serão apontadas anomalias construtivas e falhas
decorrentes da falta de manutenção, além da realização da análise de riscos
oferecidos aos usuários, ao meio ambiente e ao patrimônio, que prejudicam a
utilização do espaço - frente ao desempenho dos sistemas construtivos no que
tange os elementos estruturais, as alvenarias de vedações, as instalações elétricas,
as hidráulicas e as de esgotamento sanitário, exceto as fundações da construção.
No contexto aqui apresentado, anomalia representa a irregularidade relativa à
construção e suas instalações, enquanto que falha diz respeito à manutenção,
operação e uso da edificação.
Os relatórios técnicos são solicitados pela Procuradoria de Justiça Pública Militar do
Rio de Janeiro, situada à Av. Presidente Vargas n°522 – Centro – Rio de Janeiro/RJ
e tem o seu conteúdo embasado na Norma de Inspeção Predial 2009 do IBAPE
(Instituto Brasileiro de Avaliação e Perícias de Engenharia – Entidade Nacional) e da
Norma de Manutenção de Edificações NBR 5674, da ABNT (Associação Brasileira
de Normas Técnicas), que dispõe sobre as regras gerais e específicas a serem
obedecidas na manutenção e na conservação das edificações.
A vistoria é feita por andar e a sede abrange, atualmente, os andares 09º, 10º, 11º,
12º, 13º, 15º e 16º, do supracitado imóvel.

SUBSOLO - De acordo com a vistoria realizada no andar, não foram constatados


danos estruturais ou grandes reparos a serem realizados - apenas falhas na
conservação do local. Sobre os serviços eventuais que foram identificados:
 Corrosão da tubulação de ferro
 Vazamento da tubulação de ferro
 Falta de repintura das tubulações
 Falta de drenagem na Casa de Bombas
 Deslocamento do reboco
 Infiltração nas paredes
 Falta de iluminação no fosso do elevador
 Falta de pintura
 Banheiros insalubres, sem condições de uso

FIGURA 1 - Casa de Bombas


FIGURA 2 - Corrosão e vazamento da tubulação de ferro

FIGURA 3 - Corrosão e vazamento da tubulação de ferro


FIGURA 4 - Corrosão e vazamento da tubulação de ferro

FIGURA 5 - Corrosão e vazamento da tubulação de ferro


FIGURA 6 - Corrosão e vazamento da tubulação de ferro

FIGURA 7 - Deslocamento de reboco


FIGURA 8 - Fosso do elevador sem iluminação FIGURA 9 - Falta de escoamento para drenagem

FIGURA 10 - Banheiro sem manutenção. Totalmente insalubre


TÉRREO - De acordo com a vistoria realizada no andar, não foram constatados
danos estruturais ou grandes reparos a serem realizados - apenas falhas na
conservação do local. Sobre os serviços eventuais que foram identificados:
 Lâmpadas e reatores queimados
 Esquadrias sem pintura ou com a pintura desgastada

FIGURA 1 - Entrada do prédio

FIGURA 2 - Luminárias com lâmpadas e reatores queimados

9º ANDAR - De acordo com a vistoria realizada no andar, não foram constatados


danos estruturais ou grandes reparos a serem realizados - apenas falhas na
conservação do local.
Problemas apurados:

 Vidro danificado no hall


 Esquadrias sem pintura ou com a pintura desgastada
 Quadro de disjuntores sobrecarregado, ocasionando desarmes periódicos
 Lâmpadas e reatores queimados
 Interruptores com defeito
 Placa de forro danificada
 Banheiro com falta de revestimento
 Falta de acabamentos das descargas – banheiro
 Falta de duchas higiênicas – banheiro

FIGURA 1 - Vidro danificado no hall


FIGURA 2 - Quadro de disjuntores sobrecarregado

FIGURA 3 - Lâmpadas queimadas


FIGURAS 4 e 5 - Lâmpadas queimadas

FIGURAS 6 e 7 - Lâmpadas queimadas


FIGURA 8 - Interruptor com defeito FIGURA 9 - Lâmpada ou reator
queimado

FIGURA 10 - Lâmpada ou reator queimado


FIGURA 11 - Lâmpada ou reator queimado

FIGURA 12 e 13 - Lâmpada ou reator queimado


Figura 14 - Lâmpada ou reator queimado

FIGURA 15 - Lâmpada ou reator queimado


FIGURA 16 - Lâmpada ou reator queimado

FIGURA 17 - Lâmpada ou reator queimado

FIGURA 18 -Lâmpada ou reator queimado


FIGURA 19 -Lâmpada ou reator queimado

FIGURA 20 - Placa de forro danificada


FIGURA 21 - Falta de ducha higiênica e acabamento para descarga

FIGURA 22 - Falta de ducha higiênica FIGURA 23 - Falta de revestimento


FIGURA 24 - Lâmpada ou reator queimado

Após o desenvolvimento deste trabalho, considera-se atingido o seu objetivo geral,


bem como os seus objetivos específicos. As informações aqui reunidas constituem
uma importante fonte para orientar as atividades de manutenção preventiva e
corretiva a serem realizadas futuramente nos andares vistoriados.

Você também pode gostar