Você está na página 1de 22

Resoluções elaboradas pelo Prof.

Renato Madeira

EXERCÍCIOS DE PROGRESSÕES DA EsPCEx

FORMULÁRIO

Progressão aritmética e progressão geométrica

Progressão Aritmética (P.A.)


Seja uma progressão aritmética de primeiro termo a1 e razão r, então seu termo geral é
dado por a n = a1 + r  ( n − 1) .
Sejam dois termos de ordem p e q, o termo geral também pode ser escrito na forma
ap = aq + r  ( p − q ).

A soma dos n primeiros termos é dada por Sn =


( a1 + a n )  n .
2

Progressão Geométrica (P.G.)


Seja uma progressão geométrica de primeiro termo a1 e razão q, então seu termo geral
é dado por a n = a1  q n −1.
Sejam dois termos de ordem p e t, o termo geral também pode ser escrito na forma
a p = a t  q p− t .

n n ( n −1)
O produto dos n primeiros termos é Pn = ( )
a1  a n 2 = a1n q 2 .

a ( q n − 1)
A soma dos n primeiros termos é dada por Sn = 1 .
q −1

a1
A soma dos termos de uma PG infinita de razão q, tal que q  1, é S = .
1− q

ENUNCIADOS

3 5 9
1) (EsPCEx 2017) A sequência ( a1, a 2 , , a10 ) , onde a1 = , a 2 = , a3 = , ,
2 2 2
1025
a10 = é de tal forma que para cada n  1, 2, ,10 temos que a n = b n + cn , onde
2
( b1, b2 , , bn ) é uma PG com b1  0 e de razão q  1 e ( c1, c2 , , c10 ) é uma PA
constante. Podemos afirmar que a1 + a 2 + + a10 é igual a
a) 98 b) 172 c) 260 d) 516 e) 1028

madematica.blogspot.com
Página 1 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

2) (EsPCEx 2016) João e Maria iniciam juntos uma corrida, partindo de um mesmo
ponto. João corre uniformemente 8 km por hora e Maria corre 6 km na primeira hora e
1
acelera o passo de modo a correr mais km cada hora que se segue. Assinale a
2
alternativa correspondente ao número de horas corridas para que Maria alcance João.
a) 3 b) 5 c) 9 d) 10 e) 11

3) (EsPCEx 2016) Considere o seguinte procedimento: em uma circunferência de


diâmetro 2R, inscreve-se um hexágono regular para, em seguida, inscrever neste
polígono uma segunda circunferência. Tomando esta nova circunferência, o processo é
repetido gerando uma terceira circunferência. Caso esse procedimento seja repetido
infinitas vezes, a soma dos raios de todas as circunferências envolvidas nesse processo é
igual a:

 3  3  3  3
a) 2R 1 +  b) 4R 1 +  c) 4R 1 +  d) R ( 2 + 3 ) e) 2R 1 + 
 2   2   4   4 

4) (EsPCEx 2015) Na figura temos uma espiral formada pela união de infinitos
semicírculos cujos centros pertencem ao eixo das abscissas. Se o raio do primeiro
semicírculo (o maior) é igual a 1 e o raio de cada semicírculo é igual à metade do raio
do semicírculo anterior, o comprimento da espiral é igual a

a)  b) 2 c) 3 d) 4 e) 5

5) (EsPCEx 2014) Os números naturais ímpares são dispostos como mostra o quadro

2
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

O primeiro elemento da 43a linha, na horizontal, é:


a) 807 b) 1007 c) 1307 d) 1507 e) 1807

6) (EsPCEx 2013) Em uma progressão aritmética, a soma Sn de seus n primeiros


termos é dada pela expressão Sn = 5n 2 − 12n , com n * . A razão dessa progressão é
a) −2 b) 4 c) 8 d) 10 e) 12

7) (EsPCEx 2013) Um fractal é um objeto geométrico que pode ser dividido em partes,
cada uma das quais semelhantes ao objeto original. Em muitos casos, um fractal é
gerado pela repetição indefinida de um padrão. A figura abaixo segue esse princípio.
Para construí-la, inicia-se com uma faixa de comprimento m na primeira linha. Para
obter a segunda linha, uma faixa de comprimento m é dividida em três partes
congruentes, suprimindo-se a parte do meio. Procede-se de maneira análoga para a
obtenção das demais linhas, conforme indicado na figura.
Se, partindo de uma faixa de comprimento m, esse procedimento for efetuado infinitas
vezes, a soma das medidas dos comprimentos de todas as faixas é

a) 3m b) 4m c) 5m d) 6m e) 7m

8) (EsPCEx 2012) Considere o triângulo ABC abaixo, retângulo em C, em que


BÂC = 30. Neste triângulo está representada uma sequência de segmentos cujas
medidas estão indicadas por L1, L2 , L3 , , Ln , em que cada segmento é perpendicular a
L
um dos lados do ângulo de vértice A. O valor 9 é
L1

madematica.blogspot.com
Página 3 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

27 3 1 81 27 1
a) b) c) d) e)
128 128 256 64 256

9) (EsPCEx 2012) Se x é um número real positivo, então a sequência


( log3 x, log3 3x, log3 9x ) é
a) uma progressão aritmética de razão 1.
b) uma progressão aritmética de razão 3.
c) uma progressão geométrica de razão 3.
d) uma progressão aritmética de razão log3 x .
e) uma progressão geométrica de razão log3 x .

10) (EsPCEx 2011) Considere a progressão aritmética representada pela sequência


 7 47 59 
 , , ,  . Se todos os termos consecutivos dessa PA forem representados
 12 60 60 
num círculo trigonométrico, eles determinarão nesse círculo os vértices de um
a) pentágono (5 lados)
b) hexágono (6 lados)
c) octógono (8 lados)
d) decágono (10 lados)
e) dodecágono (12 lados)

11) (EsPCEx 2011) Um menino, de posse de uma porção de grãos de arroz, brincando
com um tabuleiro de xadrez, colocou um grão na primeira casa, dois grãos na segunda
casa, quatro grãos na terceira casa, oito grãos na quarta casa e continuou procedendo
desta forma até que os grãos acabaram, em algum momento, enquanto ele preenchia a
décima casa. A partir dessas informações, podemos afirmar que a quantidade mínima de
grãos de arroz que o menino utilizou na brincadeira é
a) 480 b) 511 c) 512 d) 1023 e) 1024

2x 4x 8x
12) (EsPCEx 2008) O valor de x que satisfaz a equação x + + + + = 243,
3 9 27
em que o primeiro membro é a soma de uma PG. Infinita, é
a) 27 b) 30 c) 60 d) 81 e) 90

4
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

13) (EsPCEx 2008) Os termos da sequência de números em progressão aritmética


 7 5
, , , correspondem às medidas em radianos de arcos, que podem ser
3 12 6
representados na circunferência trigonométrica abaixo. Os pontos identificados por 0 a
VII representam as medidas de arcos que dividem a circunferência trigonométrica em 8
partes iguais, medidas no sentido anti-horário, a partir de 0.

Nessas condições, o arco correspondente ao 13º termo da sequência, igualmente no


sentido anti-horário e a partir de 0, terá sua extremidade situada entre os pontos
a) I e II
b) II e III
c) IV e V
d) V e VI
e) VII e 0

14) (EsPCEx 2007) Dispondo em um recipiente em forma de paralelepípedo retângulo,


com as dimensões da figura, preenchido com água até o nível indicado, um aluno fez o
seguinte experimento:
• mergulhou na água um cubo maciço, com 1 cm3 de volume.
• mergulhou, sucessivamente, novos cubos, cada vez maiores, cujos volumes formam, a
partir do cubo de 1 cm3 de volume, uma progressão aritmética de razão 2 cm3.
Após mergulhar certo número de cubos, que ficaram completamente submersos,
verificou que a altura do nível da água passou para 39 cm.

madematica.blogspot.com
Página 5 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

Com base nessas informações, a área total do último cubo colocado é de


a) 54 cm2 b) 42 cm2 c) 24 cm2 d) 150 cm2 e) 216 cm 2

15) (EsPCEx 2006) Uma cooperativa compra a produção de pequenos artesãos e a


revende para atacadistas com um lucro de 40%. Por sua vez, os atacadistas repassam
esse produto para os lojistas com um lucro de 40%. Os Lojistas vendem o mesmo
produto para o consumidor e lucram, também, 40%. Considerando que o lucro é a
diferença entre o preço de venda e o preço de compra, pode-se afirmar que os preços de
compra do produto, efetuados pela cooperativa, pelos atacadistas, pelos lojistas e pelo
consumidor, nessa ordem,
a) formam uma progressão aritmética de 0,4.
b) formam uma progressão geométrica de 1,4
c) formam uma progressão aritmética de 40.
d) formam uma progressão geométrica de razão 0,4.
e) não formam uma progressão aritmética nem geométrica.

16) (EsPCEx 2005) O sexto termo de uma progressão geométrica é igual a “b”, e o
sétimo termo é igual a “c”. Se o primeiro termo desta progressão é diferente de zero e a
razão maior que um, então o primeiro termo é igual a:
c b3 b b6 b4
a) b) c) d) e)
a c4 c c5 c3

17) (EsPCEx 2005) Sendo f : → , uma função definida por f ( x ) = 2x − 3, então a


soma f (1) + f ( 2) + f (3) + + f (100 ) é igual a:
a) 9700 b) 9800 c) 9900 d) 9600 e) 10000

n −1
18) (EsPCEx 2004) Se Sn = 1 − 2 + 3 − 4 + + ( −1)  n, para todo n inteiro e positivo,
S
então 2003 é igual a:
3
a) 668 b) 567 c) 334 d) 424 e) 223

6
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

19) (EsPCEx 2003) Os números a, b e c determinam, nessa ordem, uma progressão


aritmética (PA) de razão r ( r  0 ) . Na ordem b, a, c determinam uma progressão
geométrica (PG). Então a razão da PG é:
a) −3 b) −2 c) −1 d) 1 e) 2

20) (EsPCEx 2003) Na tabela abaixo, em que os números das linhas 1 e 2 encontram-se
em progressão aritmética, seja n o número da coluna em que pela primeira vez o número
bn da linha 2 é maior que o a n da linha 1.

1 2 3 4 ... n
linha 1 1000 1004 1008 1012 ... an
linha 2 20 27 34 41 ... bn

A soma dos algarismos de n é:


a) 13 b) 12 c) 11 d) 10 e) 9

21) (EsPCEx 2002) Atribuindo-se um valor a cada letra da sigla ESPCEX, de modo que
as letras “E”, “S”, “P”, “C” e “X” formem nessa ordem uma progressão geométrica e que
E  P  C + E  S  X = 8, pode-se afirmar que o produto E  S  P  C  E  X vale:
a) 10 b) 20 c) 16 d) 24 e) 26

22) (EsPCEx 2002) Uma progressão aritmética tem razão r = −10, sabendo que seu
100º (centésimo) termo é zero, pode-se afirmar que seu 14º (décimo quarto) termo vale:
a) 130 b) 870 c) 860 d) 990 e) 120

23) (EsPCEx 2002) A sequência de números reais a, b, c, d forma, nessa ordem, uma
progressão aritmética cuja soma dos termos é 110, a sequência de números reais a, b, e,
f forma, nessa ordem, uma progressão geométrica de razão 2. A soma d + f é igual a:
a) 96. b) 102. c) 120. d) 142. e) 132.

24) (EsPCEx 2001) Sendo a, b, c, nesta ordem, termos de uma progressão aritmética em
que a  c = 24 e A, B, C, nesta ordem, termos de uma progressão geométrica em que
A = a, B = c e C = 72, então o valor de b é
a) 4 b) 5 c) 6 d) 7 e) 8

25) (EsPCEx 2000) Numa progressão geométrica (PG) crescente de 5 termos, o


primeiro e o último correspondem, respectivamente, à raízes da equação
x 2 − 51x + 144 = 0. O valor da soma do segundo, terceiro e quarto termos dessa PG é
a) 12 b) 24 c) 28 d) 36 e) 42

     4 16
26) (EsPCEx 2000) Sendo X = + + + e Y= + + + + , o valor de
3 6 12 4 5 25 125
sen ( X + Y ) é
− 3+ 2 − 6+ 2 − 6− 2 6− 2 3− 2
a) b) c) d) e)
2 4 2 4 2

madematica.blogspot.com
Página 7 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

RESPOSTAS

1) e; 2) c; 3) b; 4) b; 5) e; 6) d; 7) a; 8) c; 9) a; 10) d; 11) c; 12) d; 13) d; 14) a; 15) b;


16) d; 17) b; 18) c; 19) b; 20) a; 21) c; 22) c; 23) e; 24) d; 25) e; 26) b

RESOLUÇÕES

3 5 9
1) (EsPCEx 2017) A sequência ( a1, a 2 , , a10 ) , onde a1 = , a 2 = , a3 = , ,
2 2 2
1025
a10 = é de tal forma que para cada n  1, 2, ,10 temos que a n = b n + cn , onde
2
( b1, b2 , , bn ) é uma PG com b1  0 e de razão q  1 e ( c1, c2 , , c10 ) é uma PA
constante. Podemos afirmar que a1 + a 2 + + a10 é igual a
a) 98 b) 172 c) 260 d) 516 e) 1028

RESOLUÇÃO: e
Como ( c1, c2 , , c10 ) é uma PA constante, então podemos fazer c1 = c2 = = c10 = c.
Assim, temos: a n = b n + c n = b1  q n −1 + c.
Vamos analisar os primeiros termos da sequência.
3 3
a1 = b1  q1−1 + c =  b1 + c =
2 2
5 5
a 2 = b1  q 2−1 + c =  b1q + c =
2 2
9 9
a 3 = b1  q3−1 + c =  b1q 2 + c =
2 2
5 3
 a 2 − a1 = b1 ( q − 1) = − = 1
2 2
9 5
 a 3 − a 2 = b1q ( q − 1) = − = 2
2 2
 q  b1 ( q −1) = 2  q 1 = 2  q = 2
 b1 ( q −1) = 1  b1  ( 2 −1) = 1  b1 = 1
3 3 1
 a1 = b1 + c =  1+ c =  c =
2 2 2
Vamos agora calcular a soma a1 + a 2 + + a10 .
a1 + a 2 + + a10 = ( b1 + b 2 + + b10 ) + ( c1 + c 2 + + c10 ) =

b1  ( q10 − 1) 1 ( 210 − 1) 1
= + 10c = + 10  = 1023 + 5 = 1028
q −1 2 −1 2

8
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

2) (EsPCEx 2016) João e Maria iniciam juntos uma corrida, partindo de um mesmo
ponto. João corre uniformemente 8 km por hora e Maria corre 6 km na primeira hora e
1
acelera o passo de modo a correr mais km cada hora que se segue. Assinale a
2
alternativa correspondente ao número de horas corridas para que Maria alcance João.
a) 3 b) 5 c) 9 d) 10 e) 11

RESOLUÇÃO: c
Após t horas, João percorreu j ( t ) = 8  t km.
A distância percorrida por Maria a cada hora é uma progressão aritmética de primeiro
1
termo 6 e razão . A distância percorrida por Maria após t horas é igual à soma dos t
2
 1 
 2  6 + ( t − 1)   t ( 23 + t )  t
primeiros termos dessa PA, ou seja, m ( t ) =  2  =
2 4
Como a velocidade inicial de João é maior, ele sai a frente de Maria. Maria alcançará
João quando as distâncias percorridas por ambos forem iguais. Assim, temos:
( 23 + t )  t
j ( t ) = m ( t )  8t =  t 2 − 9t = 0  t = 0  t = 9 .
4
Isso significa que as distâncias percorridas por ambos são iguais no início e após 9
horas.

3) (EsPCEx 2016) Considere o seguinte procedimento: em uma circunferência de


diâmetro 2R, inscreve-se um hexágono regular para, em seguida, inscrever neste
polígono uma segunda circunferência. Tomando esta nova circunferência, o processo é
repetido gerando uma terceira circunferência. Caso esse procedimento seja repetido
infinitas vezes, a soma dos raios de todas as circunferências envolvidas nesse processo é
igual a:

 3  3  3  3
a) 2R 1 +  b) 4R 1 +  c) 4R 1 +  d) R ( 2 + 3 ) e) 2R 1 + 
 2   2   4   4 

RESOLUÇÃO: b

madematica.blogspot.com
Página 9 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

O hexágono inscrito em uma circunferência de raio r1 = R tem lado L1 = R. A


R 3
circunferência inscrita nesse hexágono tem raio r2 = . O hexágono inscrito nessa
2
R 3
circunferência tem lado L 2 = .
2
Assim,
a razão entre os raios
de duas circunferência consecutivas é
R 3
r2 3
q= = 2 = , ou seja, as medidas dos raios formam uma progressão geométrica
r1 R 2
3
infinita decrescente de primeiro termo r1 = R e razão q = .
2
Portanto, a soma dosraios de todas as circunferências é
 3
= 2R ( 2 + 3 ) = 4R 1 +
R 2R
S= = .
3 2− 3  2 
1−
2

4) (EsPCEx 2015) Na figura temos uma espiral formada pela união de infinitos
semicírculos cujos centros pertencem ao eixo das abscissas. Se o raio do primeiro
semicírculo (o maior) é igual a 1 e o raio de cada semicírculo é igual à metade do raio
do semicírculo anterior, o comprimento da espiral é igual a

a)  b) 2 c) 3 d) 4 e) 5

RESOLUÇÃO: b
1
Os raios dos semicírculos formam uma progressão geométrica infinita de razão
.
2
O comprimento de cada semicírculo é igual a  vezes o seu raio, então os
comprimentos dos semicírculos também formam uma progressão geométrica infinita de
1
razão .
2
Sabemos que a soma dos termos de uma progressão geométrica infinita de primeiro
a
termo a1 e razão q , com q  1, é igual a S = 1 .
1− q

10
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

Portanto, o comprimento da espiral é dado por


1 1 
S =  1 +   +   + = = 2 unidades de comprimento.
2 4 1
1−
2

5) (EsPCEx 2014) Os números naturais ímpares são dispostos como mostra o quadro

O primeiro elemento da 43a linha, na horizontal, é:


a) 807 b) 1007 c) 1307 d) 1507 e) 1807

RESOLUÇÃO: e
A quantidade de números escritos até a 42a linha é
(1 + 42 )  42
1 + 2 + 3 + + 42 = = 903 . Assim, o primeiro elemento da 43a linha, na
2
horizontal, é o 904 número natural ímpar, ou seja, em uma PA de primeiro termo
a1 = 1 e razão r = 2 , ele será a904 = a1 + r (904 −1) = 1 + 2  903 = 1807 .

6) (EsPCEx 2013) Em uma progressão aritmética, a soma Sn de seus n primeiros


termos é dada pela expressão Sn = 5n 2 − 12n , com n * . A razão dessa progressão é
a) −2 b) 4 c) 8 d) 10 e) 12

RESOLUÇÃO: d
Seja a P.A. ( a n ) de razão r.
S1 = a1 = 5 12 − 12 1 = −7  a1 = −7
S2 = a1 + a 2 = 5  22 − 12  2 = −4  a1 + a 2 = −4
a 2 = ( a1 + a 2 ) − a1 = −4 − ( −7 ) = 3
r = a 2 − a1 = 3 − ( −7 ) = 10

7) (EsPCEx 2013) Um fractal é um objeto geométrico que pode ser dividido em partes,
cada uma das quais semelhantes ao objeto original. Em muitos casos, um fractal é
gerado pela repetição indefinida de um padrão. A figura abaixo segue esse princípio.
Para construí-la, inicia-se com uma faixa de comprimento m na primeira linha. Para
obter a segunda linha, uma faixa de comprimento m é dividida em três partes
congruentes, suprimindo-se a parte do meio. Procede-se de maneira análoga para a
obtenção das demais linhas, conforme indicado na figura.

madematica.blogspot.com
Página 11 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

Se, partindo de uma faixa de comprimento m, esse procedimento for efetuado infinitas
vezes, a soma das medidas dos comprimentos de todas as faixas é

a) 3m b) 4m c) 5m d) 6m e) 7m

RESOLUÇÃO: a
2
O comprimento de cada faixa é do comprimento da faixa anterior. Assim, a soma das
3
medidas dos comprimentos de todas as faixas é a soma de uma progressão geométrica
2 a m
infinita de primeiro termo a1 = m e razão q = , ou seja, S = 1 = = 3m.
3 1− q 1− 2
3

8) (EsPCEx 2012) Considere o triângulo ABC abaixo, retângulo em C, em que


BÂC = 30. Neste triângulo está representada uma sequência de segmentos cujas
medidas estão indicadas por L1, L2 , L3 , , Ln , em que cada segmento é perpendicular a
L
um dos lados do ângulo de vértice A. O valor 9 é
L1

27 3 1 81 27 1
a) b) c) d) e)
128 128 256 64 256

RESOLUÇÃO: c

12
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

L2 L3 L4 3
Nos triângulos retângulos da figura, temos: = = = = cos 30 = .
L1 L2 L3 2
3
Logo, a sequência L1 , L 2 , L3 , é uma progressão geométrica infinita de razão q = .
2
8
9−1 L  3 34 81
Sendo assim, L9 = L1  q  9 = q8 =   = 8= .
L1  2  2 256
Como o ângulo BÂC = 300 , observamos que
L2 = L1.cos 300 , L3 = L 2 .cos 300 = L1.(cos 300 ) 2 ,..., L n = L1.(cos 300 )n −1 ,
ou seja, a sequência L1, L2 , L3 ,... é uma PG cuja de razão cos 30o . Portanto,
8
L  3 81
L9 = L1.(cos 30 )  9 = 
0 8
 =
L1  2  256

9) (EsPCEx 2012) Se x é um número real positivo, então a sequência


( log3 x, log3 3x, log3 9x ) é
a) uma progressão aritmética de razão 1.
b) uma progressão aritmética de razão 3.
c) uma progressão geométrica de razão 3.
d) uma progressão aritmética de razão log3 x .
e) uma progressão geométrica de razão log3 x .

RESOLUÇÃO: a
log3 3x = log3 3 + log3 x = 1 + log3 x
log3 9x = log3 9 + log3 x = log3 32 + log3 x = 2 + log3 x
Portanto, a diferença entre os termos consecutivos da sequência é sempre 1, o que
implica que a sequência é uma progressão aritmética de razão 1.

madematica.blogspot.com
Página 13 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

10) (EsPCEx 2011) Considere a progressão aritmética representada pela sequência


 7 47 59 
 , , ,  . Se todos os termos consecutivos dessa PA forem representados
 12 60 60 
num círculo trigonométrico, eles determinarão nesse círculo os vértices de um
a) pentágono (5 lados)
b) hexágono (6 lados)
c) octógono (8 lados)
d) decágono (10 lados)
e) dodecágono (12 lados)

RESOLUÇÃO: d
47  7  12 
A razão da P.A. é r = − = = .
60 12 60 5
2 2
Como = = 10 , então a razão é um divisor inteiro de uma volta.
r 
5
Assim, os termos da P.A. dispostos sobre o ciclo trigonométrico determinarão os
vértices de um decágono (10 lados).

11) (EsPCEx 2011) Um menino, de posse de uma porção de grãos de arroz, brincando
com um tabuleiro de xadrez, colocou um grão na primeira casa, dois grãos na segunda
casa, quatro grãos na terceira casa, oito grãos na quarta casa e continuou procedendo
desta forma até que os grãos acabaram, em algum momento, enquanto ele preenchia a
décima casa. A partir dessas informações, podemos afirmar que a quantidade mínima de
grãos de arroz que o menino utilizou na brincadeira é
a) 480 b) 511 c) 512 d) 1023 e) 1024

RESOLUÇÃO: c
A quantidade de grãos de arroz necessária para preencher as nove primeiras casas é
1 ( 29 − 1)
1+ 2 + 2 + + 2 =
1 3 8
= 511 que é a soma dos nove primeiros termos de uma
2 −1
progressão geométrica de primeiro termo 1 a razão 2.
Assim, a quantidade mínima de grãos de arroz que o menino utilizou é 511 + 1 = 512 .

2x 4x 8x
12) (EsPCEx 2008) O valor de x que satisfaz a equação x + + + + = 243,
3 9 27
em que o primeiro membro é a soma de uma PG. Infinita, é
a) 27 b) 30 c) 60 d) 81 e) 90

RESOLUÇÃO: d
2x 4x 8x
O lado esquerdo da igualdade x + + + + = 243 representa a soma dos
3 9 27
2
termos de uma P.G. infinita de primeiro termo a1 = x e razão q =  1.
3

14
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

a1 x
Essa soma é dada por S = = = 3x.
1− q 1− 2
3
2x 4x 8x
Assim, temos: x + + + + = 243  3x = 243  x = 81
3 9 27

13) (EsPCEx 2008) Os termos da sequência de números em progressão aritmética


 7 5
, , , correspondem às medidas em radianos de arcos, que podem ser
3 12 6
representados na circunferência trigonométrica abaixo. Os pontos identificados por 0 a
VII representam as medidas de arcos que dividem a circunferência trigonométrica em 8
partes iguais, medidas no sentido anti-horário, a partir de 0.

Nessas condições, o arco correspondente ao 13º termo da sequência, igualmente no


sentido anti-horário e a partir de 0, terá sua extremidade situada entre os pontos
a) I e II b) II e III c) IV e V d) V e VI e) VII e 0

RESOLUÇÃO: d
4 7 10  3 
A PA : , , , tem primeiro termo a1 = e razão r = = .
12 12 12 3 12 4
  
Assim, o 13º termo dessa P.A. é a13 = a1 + 12  r = + 12  = + 3.
3 4 3
Como os pontos de 0 a VII dividem a circunferência em 8 partes iguais a diferença entre
2 
esses arcos é = .
8 4
Observe agora que o arco 3 = 2+  está sobre o ponto IV. Logo, o arco

correspondente a a13 = 3 + está entre V e VI.
3

madematica.blogspot.com
Página 15 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

14) (EsPCEx 2007) Dispondo em um recipiente em forma de paralelepípedo retângulo,


com as dimensões da figura, preenchido com água até o nível indicado, um aluno fez o
seguinte experimento:
• mergulhou na água um cubo maciço, com 1 cm3 de volume.
• mergulhou, sucessivamente, novos cubos, cada vez maiores, cujos volumes formam, a
partir do cubo de 1 cm3 de volume, uma progressão aritmética de razão 2 cm3.
Após mergulhar certo número de cubos, que ficaram completamente submersos,
verificou que a altura do nível da água passou para 39 cm.

Com base nessas informações, a área total do último cubo colocado é de


a) 54 cm2 b) 42 cm2 c) 24 cm2 d) 150 cm2 e) 216 cm 2

RESOLUÇÃO: a
A soma dos volumes dos cubos que foram submersos é dada por
V = 7 14  ( 39 − 37 ) = 196 cm3.
Dessa foram, a soma dos termos da progressão aritmética de primeiro termo v1 = 1 cm3
e razão r = 2 cm3 é Sn = V = 196 cm3. Devemos, então, encontrar o valor de n
correspondente a essa soma.

Sn = 1
( v + v n )  n = ( 2v1 + r ( n − 1) )  n = ( 2 1 + 2  ( n − 1) )  n = 196  n 2 = 196  n = 14
2 2 2

Isso significa que foram submersos 14cubos. O volume do último cubo colocado é
v14 = a1 + r  (14 − 1) = 1 + 2 13 = 27 cm3
que corresponde a um cubo de aresta a = 3 27 = 3 cm .
Sendo assim, a área total do último cubo colocado é Stotal = 6a 2 = 6  32 = 54 cm 2 .

16
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

15) (EsPCEx 2006) Uma cooperativa compra a produção de pequenos artesãos e a


revende para atacadistas com um lucro de 40%. Por sua vez, os atacadistas repassam
esse produto para os lojistas com um lucro de 40%. Os Lojistas vendem o mesmo
produto para o consumidor e lucram, também, 40%. Considerando que o lucro é a
diferença entre o preço de venda e o preço de compra, pode-se afirmar que os preços de
compra do produto, efetuados pela cooperativa, pelos atacadistas, pelos lojistas e pelo
consumidor, nessa ordem,
a) formam uma progressão aritmética de 0,4.
b) formam uma progressão geométrica de 1,4
c) formam uma progressão aritmética de 40.
d) formam uma progressão geométrica de razão 0,4.
e) não formam uma progressão aritmética nem geométrica.

RESOLUÇÃO: b
Sejam pc1, pc2 , pc3 , pc4 os preços de compra da cooperativa, dos atacadistas, dos
lojistas e do consumidor, respectivamente, e pv1, pv2 , pv3 os preços de venda da
cooperativa, dos atacadistas e dos lojistas, respectivamente. Assim, temos:
pv1 = pc2 , pv2 = pc3 , pv3 = pc4 .
Como cada venda é feita com lucro de 40% sobre o preço de compra (PC), o preço de
venda (PV) corresponde sempre ao preço de compra (PC) mais o lucro que é 40% do
preço de compra (PC), ou seja, PV = PC + 40%  PC = 1, 4  PC.
Dessa forma, podemos escrever as seguintes relações:
Preço de compra da cooperativa: pc1
Preço de compra dos atacadistas: pc2 = pv1 = 1, 4  pc1
Preço de compra dos lojistas: pc3 = pv2 = 1, 4  pc2
Preço de compra do consumidor: pc4 = pv3 = 1, 4  pc3
Portanto, na sequência de preços de compra formada, cada preço é 1,4 vezes preço
anterior, o que corresponde a uma progressão geométrica de razão 1,4.

16) (EsPCEx 2005) O sexto termo de uma progressão geométrica é igual a “b”, e o
sétimo termo é igual a “c”. Se o primeiro termo desta progressão é diferente de zero e a
razão maior que um, então o primeiro termo é igual a:
c b3 b b6 b4
a) b) c) d) e)
a c4 c c5 c3

RESOLUÇÃO: d
Se, em uma progressão geométrica, temos a 6 = b e a 7 = c, então a sua razão é
a c
q= 7 = .
a6 b
Utilizando a fórmula do termo geral da P.G., temos:
5
6−1 c b6
a 6 = a1  q = a1  q  b = a1     a1 = 5 .
5
b c

madematica.blogspot.com
Página 17 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

17) (EsPCEx 2005) Sendo f : → , uma função definida por f ( x ) = 2x − 3, então a


soma f (1) + f ( 2) + f (3) + + f (100 ) é igual a:
a) 9700 b) 9800 c) 9900 d) 9600 e) 10000

RESOLUÇÃO: b
A soma pedida corresponde à soma dos valores de f para os 100 primeiros números
naturais não nulos. Como f é uma função do 1º grau, esses valores correspondem a uma
progressão aritmética de primeiro termo a1 = f (1) = 2 1 − 3 = −1 e razão
r = f ( n ) − f ( n − 1) = ( 2n − 3) − ( 2  ( n − 1) − 3) = 2.
Logo, a soma dos 100 primeiros termos dessa progressão aritmética é dada por

f (1) + f ( 2 ) + f ( 3) + + f (100 ) = S100 =


( 2a1 + r  (100 − 1) ) 100 =
2
( 2  ( −1) + 2  99 ) 100
= = 9800.
2

n −1
18) (EsPCEx 2004) Se Sn = 1 − 2 + 3 − 4 + + ( −1)  n, para todo n inteiro e positivo,
S
então 2003 é igual a:
3
a) 668 b) 567 c) 334 d) 424 e) 223

RESOLUÇÃO: c
Observe que podemos considerar Sn como a diferença entre a soma dos números
ímpares menores ou iguais a n e a soma dos números pares menores ou iguais a n. Além
disso, as sequências dos números ímpares e a dos números pares correspondem a
progressões aritméticas de razão 2.
Assim, temos:
S2003 = (1 + 3 + 5 + + 2003) − ( 2 + 4 + 6 + + 2002 ) =
(1 + 2003) 1002 ( 2 + 2002 ) 1001
= − =
2 2
= 10022 − 1002 1001 = 1002
S 1002
 2003 = = 334
3 3

19) (EsPCEx 2003) Os números a, b e c determinam, nessa ordem, uma progressão


aritmética (PA) de razão r ( r  0 ) . Na ordem b, a, c determinam uma progressão
geométrica (PG). Então a razão da PG é:
a) −3 b) −2 c) −1 d) 1 e) 2

RESOLUÇÃO: b
PA : a, b, c  b = a + r  c = a + 2r
PG : b, a, c  a 2 = b  c

18
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

 a 2 = ( a + r )  ( a + 2r )  a 2 = a 2 + 3ar + 2r 2  r  ( 2r + 3a ) = 0
3a
r  0  2r + 3a = 0  r = −
2
 3a  a
 b = a + r = a +−  = −
 2 2
 3a 
 c = a + 2r = a + 2   −  = −2a
 2
a −2a
Assim, temos: PG : − , a, − 2a , cuja razão é q = = −2.
2 a

20) (EsPCEx 2003) Na tabela abaixo, em que os números das linhas 1 e 2 encontram-se
em progressão aritmética, seja n o número da coluna em que pela primeira vez o número
bn da linha 2 é maior que o a n da linha 1.

1 2 3 4 ... n
linha 1 1000 1004 1008 1012 ... an
linha 2 20 27 34 41 ... bn

A soma dos algarismos de n é:


a) 13 b) 12 c) 11 d) 10 e) 9

RESOLUÇÃO: a
A progressão aritmética da linha 1 tem primeiro termo a1 = 1000 e razão r = 4, então
seu termo geral é a n = a1 + r ( n −1) = 1000 + 4  ( n −1) = 4n + 996.
A progressão aritmética da linha 2 tem primeiro termo b1 = 20 e razão s = 7, então seu
termo geral é bn = b1 + s ( n −1) = 20 + 7  ( n −1) = 7n + 13.
2
b n  a n  7n + 13  4n + 996  3n  983  n  327
3
Logo, o valor de n tal que pela primeira vez b n  a n é n = 328, cuja soma dos
algarismos é 3 + 2 + 8 = 13.

21) (EsPCEx 2002) Atribuindo-se um valor a cada letra da sigla ESPCEX, de modo que
as letras “E”, “S”, “P”, “C” e “X” formem nessa ordem uma progressão geométrica e que
E  P  C + E  S  X = 8, pode-se afirmar que o produto E  S  P  C  E  X vale:
a) 10 b) 20 c) 16 d) 24 e) 26

RESOLUÇAO: c
Seja a PG : E, S, P, C, X de razão q, então S = Eq, P = Eq 2 , C = Eq3 , X = Eq 4 .
E  P  C + E  S  X = 8  E  ( Eq 2 )  ( Eq3 ) + E  ( Eq )  ( Eq 4 ) = 8  E3q5 = 4

madematica.blogspot.com
Página 19 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

E  S  P  C  E  X = E  ( Eq )  ( Eq 2 )  ( Eq 3 )  E  ( Eq 4 ) = E 6  q10 = ( E 3q 5 ) = 4 2 = 16
2

22) (EsPCEx 2002) Uma progressão aritmética tem razão r = −10, sabendo que seu
100º (centésimo) termo é zero, pode-se afirmar que seu 14º (décimo quarto) termo vale:
a) 130 b) 870 c) 860 d) 990 e) 120

RESOLUÇÃO: c
A fórmula do termo geral de uma progressão aritmética ( a n ) de razão r pode ser escrita
como a p = a q + r  ( p − q ) .
Nesse problema, sabemos que r = −10, a100 = 0 e desejamos calcular a14 . Assim,
temos:
a14 = a100 + r  (14 −100) = 0 + ( −10)  (14 −100 ) = 860.

23) (EsPCEx 2002) A sequência de números reais a, b, c, d forma, nessa ordem, uma
progressão aritmética cuja soma dos termos é 110, a sequência de números reais a, b, e,
f forma, nessa ordem, uma progressão geométrica de razão 2. A soma d + f é igual a:
a) 96. b) 102. c) 120. d) 142. e) 132.

RESOLUÇÃO: e
PA : a, b, c, d de razão r, então b = a + r, c = a + 2r e d = a + 3r.
 SPA = a + b + c + d = a + ( a + r ) + ( a + 2r ) + ( a + 3r ) = 4a + 6r = 110  2a + 3r = 55
PG : a, b, e, f de razão 2, então b = 2a, e = 4a e f = 8a.
b = 2a  a + r = 2a  r = a
2a + 3r = 55  2a + 3a = 55  a = 11
d = a + 3r = a + 3a = 4a = 4 11 = 44
f = 8a = 8 11 = 88
 d + f = 44 + 88 = 132

24) (EsPCEx 2001) Sendo a, b, c, nesta ordem, termos de uma progressão aritmética em
que a  c = 24 e A, B, C, nesta ordem, termos de uma progressão geométrica em que
A = a, B = c e C = 72, então o valor de b é
a) 4 b) 5 c) 6 d) 7 e) 8

RESOLUÇÃO: d
a+c
PA ( a, b, c )  b =
2
PG ( A, B, C ) = ( a, c, 72 )  c 2 = 72  a
24
a  c = 24  c =
a
2
 24  576
c2 = 72a    = 72a  2 = 72a  a 3 = 8  a = 2
 a  a

20
Resoluções elaboradas pelo Prof. Renato Madeira

24 24
c= = = 12
a 2
a + c 2 + 12
b= = =7
2 2

25) (EsPCEx 2000) Numa progressão geométrica (PG) crescente de 5 termos, o


primeiro e o último correspondem, respectivamente, à raízes da equação
x 2 − 51x + 144 = 0. O valor da soma do segundo, terceiro e quarto termos dessa PG é
a) 12 b) 24 c) 28 d) 36 e) 42

RESOLUÇÃO: e
As raízes da equação x 2 − 51x + 144 = 0 são 3 e 48.
Como a PG é crescente, seu primeiro termo é a1 = 3 e seu quinto e último termo é
a 5 = 48.
Seja q  1 a razão da PG, temos: a 5 = a1  q5−1  48 = 3  q 4  q 4 = 16  q = 2.
Assim, temos:
a 2 = a1  q = 3  2 = 6
a 3 = a 2  q = 6  2 = 12
a 4 = a 3  q = 12  2 = 24
 a 2 + a 3 + a 4 = 6 + 12 + 24 = 42

     4 16
26) (EsPCEx 2000) Sendo X = + + + e Y= + + + + , o valor de
3 6 12 4 5 25 125
sen ( X + Y ) é
− 3+ 2 − 6+ 2 − 6− 2 6− 2 3− 2
a) b) c) d) e)
2 4 2 4 2

RESOLUÇÃO: b
   
A expressão X = + + + é a soma de uma PG infinita de primeiro termo a1 =
3 6 12 3

1 a 2
e razão q =  1. Assim, temos: X = 1 = 3 = .
2 1− q 1− 1 3
2
  4 16
A expressão Y = + + + + é a soma de uma PG infinita de primeiro termo
4 5 25 125

 4 a 5
a1 = e razão q =  1. Assim, temos: Y = 1 = 4 = .
4 5 1− q 1− 4 4
5

madematica.blogspot.com
Página 21 de 22
X-MAT: Superpoderes Matemáticos para Concursos Militares - EsPCEx
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES - PROGRESSÕES

 2 5  2 5 5 2
sen ( X + Y ) = sen  +  = sen cos + sen cos =
 3 4  3 4 4 3
3  2  2   1 − 6+ 2
=  − +− −  =
2  2   2   2 4

22