Você está na página 1de 6

Para engenheiros e arquitetos que

precisam saber 

COMO
ABRIR
SUA
EMPRESA
1º PASSO: REGISTRAR-SE NO CREA/CAU (PESSOA
FÍSICA)

O primeiro passo é o profissional ter registro no


CREA (Conselho Regional de Engenharia e
Agronomia) ou CAU (Conselho de Arquitetura e
Urbanismo). Para isso, é preciso alguns documentos
básicos como diploma, RG, CPF, título de eleitor,
comprovante de quitação eleitoral, comprovante de
endereço, etc.

O registro é feito no site do conselho. Depois de


preencher o formulário do registro, será gerado um
boleto que você deverá pagar para que suas
informações sejam analisadas. Depois de pagar, caso
aprovado, o registro será deferido. Deve-se lembrar
que há uma taxa de anuidade a ser paga.

2º PASSO: OBTER O CNPJ

O CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) é


de extrema importância, pois garante que sua
empresa siga de maneira legal perante a legislação.
Além disso, permite que o prestador de serviços
possa emitir Nota Fiscal. Para que o empresário
consiga obter o CNPJ, será necessário definir:

2.1 O CNAES

É preciso definir o CNAES (Classificação Nacional


de Atividades Econômicas) da sua empresa. O CNAE
serve para padronizar os códigos das atividades
econômicas do nosso país. Nele, você escolherá a
atividade principal e as secundários do seu negócio,
devendo ser compatíveis com serviços de
engenharia e/ou arquitetura.
2.2 FORMATO JURÍDICO

Dentre os tipos existentes, os mais comuns para


atividades de engenheiros são:

Empresário Individual (EI): Constituída por uma


única pessoa, onde não há separação de bens entre
pessoa física e jurídica. O empresário responde de
forma ilimitada pelas dívidas da empresa.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada


(EIRELI): permite a constituição de uma empresa por
meio de um único sócio, sendo possível a separação
dos bens pessoais (Pessoa Física) do patrimônio da
empresa (Pessoa Jurídica).

Sociedade Limitada: Constituída por dois ou mais


sócios. Há a separação de bens de pessoa física e
jurídica. A responsabilidade de cada sócio na
empresa será definida pela distribuição do capital
entre as partes.

Muitos engenheiros e arquitetos perguntam se o


MEI é uma boa opção para abrirem o seu próprio
negócio. Não é possível ser MEI no ramo da
engenharia e arquitetura!

Essas são carreiras que exigem formação. Essas


profissões, junto de várias outras, necessitam de
habilitação profissional (no caso dos engenheiros, o
CREA e no caso de arquitetos, CAU), que é o
impedimento principal para o enquadramento da
atividade como MEI.
2.3 PORTE JURÍDICO

Os portes jurídicos mais comuns são Microempresa


(ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP).

No primeiro caso, apresentam faturamento anual


igual ou inferior a R$ 360 mil e no segundo, podem
ter o faturamento anual de R$ 360 mil até R$ 4,8
milhões.

2.4 CONTRATO SOCIAL (PARA SOCIEDADES


EMPRESÁRIAS E EIRELI)

Geralmente elaborado pelo contador, o contrato


social deve apresentar todas as informações
anteriormente comentadas, além de informações dos
sócios, por qual deles a sociedade será administrada,
nome e endereço da empresa, capital social inicial e
outras informações relevantes.
Após isso, será iniciada a etapa de registros da
empresa nos órgãos públicos.

SEMPRE HÁ UM LADO BOM


a) Registro na Junta Comercial

A empresa somente passa a existir oficialmente


depois desse registro. Tendo todas as informações
analisadas e aprovadas, o processo é deferido e você
terá o CNPJ.

b) Inscrição Municipal

Com esse documento, o empresário está habilitado


para exercer atividades no município. Logo após, é
feito o Alvará de Funcionamento, que serve para que
o empresário tenha a licença para exercer atividades
no local da empresa. O valor do Alvará irá depender
do município da sua empresa.

c) Regimes Tributários

Os regimes tributários servem para indicar quais


tributos uma empresa deve pagar ao governo e qual a
melhor forma de pagamento. Dentre os mais comuns,
temos o Simples Nacional, Lucro Real e Lucro
Presumido, ficando normalmente a cargo do
contador essa parte.

3º PASSO: REGISTRAR NO CREA/CAU (PESSOA


JURÍDICA)

Também é realizado pelo site do CREA/CAU. Ao


término do processo, também será gerado um boleto.
Além disso, também haverá uma taxa de anuidade
para pessoa jurídica.

SEMPRE HÁ UM LADO BOM


Conclusão:

Há certos custos para abrir uma empresa, como


registro na Junta Comercial e em cartório, além dos
custos de alvarás, etc.

Haverá custo com impostos, que variará conforme


o regime tributário escolhido, além de custo com
profissionais especializados como contador. Muitos
dos custos variam conforme o estado. Então, procure
saber no seu estado os valores exatos.

Por fim, como você deve ter percebido, há alguns


passos para abrir sua empresa e certa burocracia.
Então, desde já, pense como empresário. Não deixe
as coisas para cima da hora. Reúna já toda sua
documentação e procure um contador que vai te
ajudar bastante no processo de abertura de sua
empresa.

SEMPRE HÁ UM LADO BOM