Você está na página 1de 15

Rede Concepcionista de Ensino

Colégio Imaculada Conceição


1ª - Avaliação de HISTÓRIA – 3º bimestre Valor: __________
Prof(a): ADEMIR D. AGUIAR Nota: ___________
Nº ___ Aluno(a): ___________________________________ (3º ano - EM )
Machado, ___/____/2017.

1) A ópera-balé Os Sete Pecados Capitais da Pequena Burguesia, de Kurt Weill e Bertold Brecht, composta em 1933,
retrata as condições dessa classe social na derrocada da ordem democrática com a ascensão do nazismo na Alemanha,
por meio da personagem Anna, que em sete anos vê todos os seus sonhos de ascensão social ruírem. A obra expressa a
visão marxista na chamada doutrina das classes.

Em relação à doutrina social marxista, assinale a alternativa correta.


a) A alta burguesia é uma classe considerada revolucionária, pois foi capaz de resistir à ideologia totalitária através do
controle dos meios de comunicação.
b) A classe média, integrante da camada burguesa, foi identificada com os ideais do nacional-socialismo por defender
a socialização dos meios de produção.
c) A pequena burguesia ou camada lúmpen é revolucionária, identificando a alta burguesia como sua inimiga natural a
ser destruída pela revolução.
d) A pequena burguesia ou classe média é uma classe antirrevolucionária, pois, embora esteja mais próxima das
condições materiais do proletariado, apoia a alta burguesia.
e) O proletariado e a classe média formam as classes revolucionárias, cuja missão é a derrubada da aristocracia e a
instauração do comunismo.
______________________________________________________________________________________________
2) Atente à charge.

Nos dias atuais, muitos eleitores brasileiros têm opinião similar à do telespectador representado na charge. Mas nem
sempre foi assim. Ao contrário: em meados do século XIX, na Inglaterra, ganhava força um movimento social de
trabalhadores cujas demandas partiam de premissa frontalmente oposta àquela que está associada à opinião do “eleitor”
da charge.
O nome desse movimento social e uma demanda que expunha quanto à remuneração do trabalho de representação
parlamentar estão apresentados, respectivamente, em:
a) anarquismo; aumento dos vencimentos de parlamentares
b) comunismo; diminuição dos salários de congressistas
c) liberalismo; diminuição da quantidade de deputados
d) cartismo; pagamento aos membros do Parlamento
e) ludismo; proibição da remuneração de donos de fábricas
______________________________________________________________________________________________
3) A história de todas as sociedades tem sido a história das lutas de classe. Classe oprimida pelo despotismo feudal, a
burguesia conquistou a soberania política no Estado moderno, no qual uma exploração aberta e direta substituiu a
exploração velada por ilusões religiosas.
A estrutura econômica da sociedade condiciona as suas formas jurídicas, políticas, religiosas, artísticas ou filosóficas.
Não é a consciência do homem que determina o seu ser, mas, ao contrário, são as relações de produção que ele contrai
que determinam a sua consciência.
(Adaptado de K. Marx e F. Engels, Obras escolhidas. São Paulo: AlfaÔmega, s./d., vol 1, p. 21-23, 301-302.)
As proposições dos enunciados acima podem ser associadas ao pensamento conhecido como
a) materialismo histórico, que compreende as sociedades humanas a partir de ideias universais independentes da
realidade histórica e social.
b) materialismo histórico, que concebe a história a partir da luta de classes e da determinação das formas ideológicas
pelas relações de produção.
c) socialismo utópico, que propõe a destruição do capitalismo por meio de uma revolução e a implantação de uma
ditadura do proletariado.
d) socialismo utópico, que defende a reforma do capitalismo, com o fim da exploração econômica e a abolição do
Estado por meio da ação direta.
______________________________________________________________________________________________
4) Os anarquistas, senhores, são cidadãos que, em um século em que se prega por toda a parte a liberdade das opiniões,
acreditam ser seu dever recomendar a liberdade ilimitada. (...)
Os anarquistas propõem-se, pois, a ensinar ao povo a viver sem governo, da mesma forma como ele começa a aprender
a viver sem Deus. Declaração dos Anarquistas, 1883.
(VOILLIARD, Odette et alii. Documents d'Histoire Contemporaine (1851-1971). Paris: Armand Colin, 1964.)

No texto acima, está apresentado o seguinte princípio do anarquismo:


a) rejeição do poder instituído, negando a necessidade do Estado
b) recusa das eleições, substituindo-as pelo sindicalismo revolucionário
c) fim do Estado e da Igreja, pregando sua substituição por ações de um cooperativismo associacionista
d) superioridade da ação profissional sobre a da política, buscando a independência dos partidos políticos
______________________________________________________________________________________________
5) "Fizemos a Itália, agora temos que fazer os italianos". "Ao invés da Prússia se fundir na Alemanha, a Alemanha se
fundiu na Prússia".
Estas frases, sobre as unificações italiana e alemã:
a) aludem às diferenças que as marcaram, pois, enquanto a alemã foi feita em benefício da Prússia, a italiana, como
demonstra a escolha de Roma para capital, contemplou todas as regiões.
b) apontam para as suas semelhanças, isto é, para o caráter autoritário e incompleto de ambas, decorrentes do passado
fascista, no caso italiano, e nazista, no alemão.
c) chamam a atenção para o caráter unilateral e autoritário das duas unificações, imposta pelo Piemonte, na Itália, e pela
Prússia, na Alemanha.
d) escondem suas naturezas contrastantes, pois a alemã foi autoritária e aristocrática e a italiana foi democrática e
popular.
e) tratam da unificação da Itália e da Alemanha, mas nada sugerem quanto ao caráter impositivo de processo liderado
por Cavour, na Itália, e por Bismarck, na Alemanha.
______________________________________________________________________________________________
6) A unificação política da Itália, ocorrida na segunda metade do século XIX, foi um processo tardio, considerando o
contexto histórico europeu. Sobre essa unificação, é CORRETO afirmar que ela:
a) possibilitou a sua participação na corrida colonial, envolvendo-a no domínio do mercado internacional com a
Inglaterra e a França.
b) contribuiu em parte para romper o equilíbrio político-militar que, a partir do Congresso de Viena, foi estabelecido
entre as nações europeias.
c) acarretou o desenvolvimento do capitalismo a partir de um intenso surto de industrialização que se estendeu por todo
o seu território.
d) permitiu o reatamento das relações político-diplomáticas com o Vaticano e a garantia do direito de liberdade religiosa
aos cidadãos.
e) impediu o surgimento de fluxos de emigração de camponeses para o Continente Americano através da implantação
de uma política de fechamento das suas fronteiras.
______________________________________________________________________________________________
7) A política imperialista consistia na busca, principalmente, de novos mercados consumidores para os países
industrializados e foi assim que vários países da África e da Ásia sofreram com a prática da neocolonização nos séculos
XIX e XX. Portanto, sobre a justificativa construída pelas potências europeias para invadir as nações do continente
africano e asiático é correto dizer que:

a) As potências europeias justificavam a invasão nos países periféricos afirmando que essa ação contribuiria para o
desenvolvimento industrial e que incentivaria a adoção de um regime socialista nos países asiáticos.
b) As principais alegações utilizadas na prática do Imperialismo foram as teorias darwinistas que defendiam a
superioridade cultural dos países europeus, sendo eles os países que levariam o progresso e o desenvolvimento social
para os países da África e da Ásia através da missão civilizadora.
c) Uma das justificativas era que os europeus aprenderiam técnicas industriais com os africanos e asiáticos, o que
acarretaria no desenvolvimento econômico e científico dos países desenvolvidos.
d) O fardo do homem branco era uma das legitimações europeias durante a política imperialista. Esse fardo consistia
numa missão que contribuiria para o desenvolvimento industrial dos países africanos e asiáticos, gerando assim o
crescimento da burguesia local, fazendo com que os países não desenvolvidos tivessem suas próprias indústrias.
______________________________________________________________________________________________
8) A Guerra de Canudos (1896-1897) é emblemática no debate sobre a formação da nação no período republicano. A
República recém-proclamada enfrentou um Brasil desconhecido: o sertão e os sertanejos. A guerra, tragicamente,
significou um aprendizado para os brasileiros demonstrando que:

a) fragmentação e as grandes distâncias das regiões litorâneas impediram a organização e o crescimento das
comunidades sertanejas.
b) unidade cultural do país é fruto de um longo processo de gestação iniciado com a ocupação do litoral em o fabrico
do açúcar.
c) presença da Igreja Católica no sertão representava um elo entre a comunidade e as autoridades republicanas.
frágil base política em que se assentava o governo republicano foi incapaz de reconhecer a questão social e cultural
suscitada por Canudos.
d) resistência política dos monarquistas organizados no arraial de Canudos era uma ameaça à ordem republicana.
______________________________________________________________________________________________
9) O período de 1900 a 1930, identificado no processo histórico brasileiro como República Velha, teve por traço
marcante:
a) o pleno enquadramento do Brasil às exigências do capitalismo inglês, ao qual o país se mantinha cada vez mais
atrelado.
b) a abertura para o capital estrangeiro, principal alavanca do rápido desenvolvimento da região amazônica.
c) a modificação da composição social dos grandes centros urbanos, com a transferência de mão-de-obra do Centro-
Sul para áreas do Nordeste.
d) o fortalecimento da burguesia mercantil, que se utilizou do Estado como instrumento coordenador do
desenvolvimento.
e) o predomínio das oligarquias dos grandes Estados, que procuravam assegurar a supremacia do setor agrário-
exportador.
______________________________________________________________________________________________
10)
O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião Dentro desta perspectiva verdadeiramente histórica, o
(Trecho de Cordel) cangaço é um fenômeno social resultante:
“ Foi Virgulino Ferreira,
Pobre homem injustiçado a) das alianças firmadas entre jagunços e coronéis no
E por isto vingativo sentido de perpetuar o poder oligárquico no sertão
Se tornou um acelerado, brasileiro.
Se a justiça fosse reta b) das brigas entre os grandes coronéis, que
Nem jornalista ou poeta, incentivavam a formação de grupos de cangaceiros para
O teria decantado. (...) se fortalecerem.
Embora seja criança c) dos conflitos entre famílias poderosas, que levavam
Com meus 15 anos de idade alguns de seus membros a entrarem no cangaço para
Pude ver em Lampião eliminar os inimigos.
Vítima da sociedade. d) do isolamento econômico e social do Nordeste em
Talvez ele em outro meio relação aos grandes centros aliado a escassez de forças
(Posso dizer sem receio) de segurança que viessem a reprimir a ação desses
Era útil à humanidade ! (...)” bandos que aterrorizavam os sertões com roubos e
CAVALCANTE, Rodolfo Coelho. O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião Virgulino.
Salvador: [s.n.], 1973. In: CATELLI Jr, Roberto. História: texto e contexto. São Paulo: Scipione, assassinatos.
2006. p. 499.
e) das disputas políticas entre grupos de jovens
Para o autor do Cordel Lampião é uma “vítima da
sertanejos, que se armavam e lutavam entre si para
sociedade”.
garantir o domínio de algumas cidades ou região.
______________________________________________________________________________________________
11) Em relação a política do café com leite, explique as estratégias adotadas pelas oligarquias em relação ao processo
eleitoral: Voto Cabresto e Curral Eleitoral.
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
Rede Concepcionista de Ensino
Colégio Imaculada Conceição
1ª - Avaliação de HISTÓRIA – 3º bimestre Valor: __________
Prof(a): ADEMIR D. AGUIAR Nota: ___________
Nº ___ Aluno(a): ___________________________________ (3º ano - EM )
Machado, ___/____/2017.

1) A política imperialista consistia na busca, principalmente, de novos mercados consumidores para os países
industrializados e foi assim que vários países da África e da Ásia sofreram com a prática da neocolonização nos séculos
XIX e XX. Portanto, sobre a justificativa construída pelas potências europeias para invadir as nações do continente
africano e asiático é correto dizer que:

a) As potências europeias justificavam a invasão nos países periféricos afirmando que essa ação contribuiria para o
desenvolvimento industrial e que incentivaria a adoção de um regime socialista nos países asiáticos.
b) O fardo do homem branco era uma das legitimações europeias durante a política imperialista. Esse fardo consistia
numa missão que contribuiria para o desenvolvimento industrial dos países africanos e asiáticos, gerando assim o
crescimento da burguesia local, fazendo com que os países não desenvolvidos tivessem suas próprias indústrias.
c) Uma das justificativas era que os europeus aprenderiam técnicas industriais com os africanos e asiáticos, o que
acarretaria no desenvolvimento econômico e científico dos países desenvolvidos.
d) As principais alegações utilizadas na prática do Imperialismo foram as teorias darwinistas que defendiam a
superioridade cultural dos países europeus, sendo eles os países que levariam o progresso e o desenvolvimento social
para os países da África e da Ásia através da missão civilizadora.
______________________________________________________________________________________________
2) A Guerra de Canudos (1896-1897) é emblemática no debate sobre a formação da nação no período republicano. A
República recém-proclamada enfrentou um Brasil desconhecido: o sertão e os sertanejos. A guerra, tragicamente,
significou um aprendizado para os brasileiros demonstrando que:

a) resistência política dos monarquistas organizados no arraial de Canudos era uma ameaça à ordem republicana.
b) unidade cultural do país é fruto de um longo processo de gestação iniciado com a ocupação do litoral em o fabrico
do açúcar.
c) presença da Igreja Católica no sertão representava um elo entre a comunidade e as autoridades republicanas.
frágil base política em que se assentava o governo republicano foi incapaz de reconhecer a questão social e cultural
suscitada por Canudos.
d) fragmentação e as grandes distâncias das regiões litorâneas impediram a organização e o crescimento das
comunidades sertanejas.
______________________________________________________________________________________________
3) O período de 1900 a 1930, identificado no processo histórico brasileiro como República Velha, teve por traço
marcante:
a) o predomínio das oligarquias dos grandes Estados, que procuravam assegurar a supremacia do setor agrário-
exportador
b) a abertura para o capital estrangeiro, principal alavanca do rápido desenvolvimento da região amazônica.
c) a modificação da composição social dos grandes centros urbanos, com a transferência de mão-de-obra do Centro-
Sul para áreas do Nordeste.
d) o fortalecimento da burguesia mercantil, que se utilizou do Estado como instrumento coordenador do
desenvolvimento.
e) o pleno enquadramento do Brasil às exigências do capitalismo inglês, ao qual o país se mantinha cada vez mais
atrelado..
______________________________________________________________________________________________
4)
O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião Com meus 15 anos de idade
(Trecho de Cordel) Pude ver em Lampião
“ Foi Virgulino Ferreira, Vítima da sociedade.
Pobre homem injustiçado Talvez ele em outro meio
E por isto vingativo (Posso dizer sem receio)
Se tornou um acelerado, Era útil à humanidade ! (...)”
Se a justiça fosse reta CAVALCANTE, Rodolfo Coelho. O encontro de Rodolfo Cavalcante com Lampião Virgulino.
Salvador: [s.n.], 1973. In: CATELLI Jr, Roberto. História: texto e contexto. São Paulo: Scipione,
Nem jornalista ou poeta, 2006. p. 499.

O teria decantado. (...) Para o autor do Cordel Lampião é uma “vítima da


Embora seja criança sociedade”.
Dentro desta perspectiva verdadeiramente histórica, o c) dos conflitos entre famílias poderosas, que levavam
cangaço é um fenômeno social resultante: alguns de seus membros a entrarem no cangaço para
eliminar os inimigos.
a) das alianças firmadas entre jagunços e coronéis no d) do isolamento econômico e social do nordeste em
sentido de perpetuar o poder oligárquico no sertão relação aos grandes centros aliado a escassez de forças
brasileiro. de segurança que viessem a reprimir a ação desses
b) das brigas entre os grandes coronéis, que bandos que aterrorizavam os sertões com roubos e
incentivavam a formação de grupos de cangaceiros para assassinatos.
se fortalecerem. e) das disputas políticas entre grupos de jovens
sertanejos, que se armavam e lutavam entre si para
garantir o domínio de algumas cidades ou região.
______________________________________________________________________________________________
5) Em relação a política do café com leite, explique as estratégias adotadas pelas oligarquias em relação ao processo
eleitoral: Voto Cabresto e Curral Eleitoral.
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________

6) A ópera-balé Os Sete Pecados Capitais da Pequena Burguesia, de Kurt Weill e Bertold Brecht, composta em 1933,
retrata as condições dessa classe social na derrocada da ordem democrática com a ascensão do nazismo na Alemanha,
por meio da personagem Anna, que em sete anos vê todos os seus sonhos de ascensão social ruírem. A obra expressa a
visão marxista na chamada doutrina das classes.

Em relação à doutrina social marxista, assinale a alternativa correta.


a) O proletariado e a classe média formam as classes revolucionárias, cuja missão é a derrubada da aristocracia e a
instauração do comunismo.
b) A classe média, integrante da camada burguesa, foi identificada com os ideais do nacional-socialismo por defender
a socialização dos meios de produção.
c) A pequena burguesia ou camada lúmpen é revolucionária, identificando a alta burguesia como sua inimiga natural a
ser destruída pela revolução.
d) A pequena burguesia ou classe média é uma classe antirrevolucionária, pois, embora esteja mais próxima das
condições materiais do proletariado, apoia a alta burguesia.
e) A alta burguesia é uma classe considerada revolucionária, pois foi capaz de resistir à ideologia totalitária através do
controle dos meios de comunicação.
______________________________________________________________________________________________
7) Atente à charge.

Nos dias atuais, muitos eleitores brasileiros têm opinião similar à do telespectador representado na charge. Mas nem
sempre foi assim. Ao contrário: em meados do século XIX, na Inglaterra, ganhava força um movimento social de
trabalhadores cujas demandas partiam de premissa frontalmente oposta àquela que está associada à opinião do “eleitor”
da charge.
O nome desse movimento social e uma demanda que expunha quanto à remuneração do trabalho de representação
parlamentar estão apresentados, respectivamente, em:
a) anarquismo; aumento dos vencimentos de parlamentares
b) ludismo; proibição da remuneração de donos de fábricas
c) liberalismo; diminuição da quantidade de deputados
d) cartismo; pagamento aos membros do Parlamento
e) comunismo; diminuição dos salários de congressistas
______________________________________________________________________________________________
8) A história de todas as sociedades tem sido a história das lutas de classe. Classe oprimida pelo despotismo feudal, a
burguesia conquistou a soberania política no Estado moderno, no qual uma exploração aberta e direta substituiu a
exploração velada por ilusões religiosas.
A estrutura econômica da sociedade condiciona as suas formas jurídicas, políticas, religiosas, artísticas ou filosóficas.
Não é a consciência do homem que determina o seu ser, mas, ao contrário, são as relações de produção que ele contrai
que determinam a sua consciência.
(Adaptado de K. Marx e F. Engels, Obras escolhidas. São Paulo: AlfaÔmega, s./d., vol 1, p. 21-23, 301-302.)

As proposições dos enunciados acima podem ser associadas ao pensamento conhecido como
a) socialismo utópico, que defende a reforma do capitalismo, com o fim da exploração econômica e a abolição do Estado
por meio da ação direta.
b) materialismo histórico, que concebe a história a partir da luta de classes e da determinação das formas ideológicas
pelas relações de produção.
c) socialismo utópico, que propõe a destruição do capitalismo por meio de uma revolução e a implantação de uma
ditadura do proletariado.
d) materialismo histórico, que compreende as sociedades humanas a partir de ideias universais independentes da
realidade histórica e social.
______________________________________________________________________________________________
9) Os anarquistas, senhores, são cidadãos que, em um século em que se prega por toda a parte a liberdade das opiniões,
acreditam ser seu dever recomendar a liberdade ilimitada. (...)
Os anarquistas propõem-se, pois, a ensinar ao povo a viver sem governo, da mesma forma como ele começa a aprender
a viver sem Deus. Declaração dos Anarquistas, 1883.
(VOILLIARD, Odette et alii. Documents d'Histoire Contemporaine (1851-1971). Paris: Armand Colin, 1964.)

No texto acima, está apresentado o seguinte princípio do anarquismo:


a) superioridade da ação profissional sobre a da política, buscando a independência dos partidos políticos
b) recusa das eleições, substituindo-as pelo sindicalismo revolucionário
c) fim do Estado e da Igreja, pregando sua substituição por ações de um cooperativismo associacionista
d) rejeição do poder instituído, negando a necessidade do Estado
______________________________________________________________________________________________
10) "Fizemos a Itália, agora temos que fazer os italianos". "Ao invés da Prússia se fundir na Alemanha, a Alemanha se
fundiu na Prússia".
Estas frases, sobre as unificações italiana e alemã:
a) aludem às diferenças que as marcaram, pois, enquanto a alemã foi feita em benefício da Prússia, a italiana, como
demonstra a escolha de Roma para capital, contemplou todas as regiões.
b) apontam para as suas semelhanças, isto é, para o caráter autoritário e incompleto de ambas, decorrentes do passado
fascista, no caso italiano, e nazista, no alemão.
c) chamam a atenção para o caráter unilateral e autoritário das duas unificações, imposta pelo Piemonte, na Itália, e pela
Prússia, na Alemanha.
d) escondem suas naturezas contrastantes, pois a alemã foi autoritária e aristocrática e a italiana foi democrática e
popular.
e) tratam da unificação da Itália e da Alemanha, mas nada sugerem quanto ao caráter impositivo de processo liderado
por Cavour, na Itália, e por Bismarck, na Alemanha.
______________________________________________________________________________________________
11) A unificação política da Itália, ocorrida na segunda metade do século XIX, foi um processo tardio, considerando o
contexto histórico europeu. Sobre essa unificação, é CORRETO afirmar que ela:
a) impediu o surgimento de fluxos de emigração de camponeses para o Continente Americano através da implantação
de uma política de fechamento das suas fronteiras.
b) contribuiu em parte para romper o equilíbrio político-militar que, a partir do Congresso de Viena, foi estabelecido
entre as nações europeias.
c) acarretou o desenvolvimento do capitalismo a partir de um intenso surto de industrialização que se estendeu por todo
o seu território.
d) permitiu o reatamento das relações político-diplomáticas com o Vaticano e a garantia do direito de liberdade religiosa
aos cidadãos.
e) possibilitou a sua participação na corrida colonial, envolvendo-a no domínio do mercado internacional com a
Inglaterra e a França.
Rede Concepcionista de Ensino
Colégio Imaculada Conceição
1ª - Avaliação de HISTÓRIA – 3º bimestre Valor: __________
Prof(a): ADEMIR D. AGUIAR Nota: ___________
Nº ___ Aluno(a): ___________________________________ (2º ano - EM )
Machado, ___/____/2017.

1) Leia os trechos de notícias de jornais publicados nos Estados Unidos no século XIX:

TEXTO 1 - (...) um espírito de interferência hostil [de outras nações] para conosco, com o objetivo confesso de deformar
nossa política e prejudicar nosso poder, limitando nossa grandeza e impedindo a realização de nosso Destino Manifesto,
que é estendermo-nos sobre o continente que a Providência fixou para o livre desenvolvimento de nossos milhões de
habitantes, que ano após ano se multiplicam. (Democratic Review)
TEXTO 2 - A universal nação ianque pode regenerar e libertar o povo do México em poucos anos; e cremos que é parte
de nosso destino civilizar esse belo país e capacitar seus habitantes para apreciar algumas das numerosas vantagens e
bênçãos de que dispõem. (New York Herald)
Citados por AQUINO, R.S.L. et al. História das sociedades americanas. Rio de Janeiro: Livraria Eu e Você, 1981. p.140 e 141.
Quanto à história do expansionismo norte-americano no século XIX, pode-se afirmar que:

a) na época, os Estados Unidos apossaram-se de várias áreas do território mexicano sem o pagamento de indenizações
e, da mesma forma, apropriaram-se de colônias da França, da Inglaterra e da Rússia, orientados por seu "Destino
Manifesto".
b) as ações expansionistas dos Estados Unidos pretendiam empurrar suas fronteiras até o Oceano Pacífico e excluir a
região sul do país porque nela predominava uma economia agrário-exportadora que impedia o avanço da
industrialização.
c) o expansionismo norte-americano sobre as colônias espanholas contou com o apoio da Santa Aliança porque ela
pretendia ver instauradas repúblicas, livres e democráticas, nas metrópoles europeias e em suas colônias.
d) por força de seu "Destino Manifesto", a descoberta do ouro nas colinas californianas estreitou as relações entre
mexicanos e americanos evitando novos conflitos e disputas nas fronteiras, o que permitiu o acesso dos Estados Unidos
ao Oceano Pacífico.
e) a imprensa dos Estados Unidos, na época, acreditava que eles tinham uma predestinação: a missão de civilizar povos
inferiores do continente americano por causa de seu "Destino Manifesto", ou seja, o seu domínio representava a vontade
de Deus.
______________________________________________________________________________________________
2) Observe a imagem abaixo:

É possível ver na imagem acima Colúmbia, a personificação feminina dos EUA, levando cabos de telégrafos para o
Oeste, sendo ainda acompanhada por colonos estadunidenses e pelos trens. Do lado esquerdo, estão os indígenas e
animais selvagens, em um quadrante escuro da tela, o que mostra que a chegada de Colúmbia levaria a luz a esses locais.

Como o quadro acima representa a política do destino manifesto nos Estados Unidos do século XIX?
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
3) Leia abaixo o texto do historiador e ex-senador dos EUA, Albert Beveridge:
“Ele [Deus] nos fez os mestres organizadores do mundo para estabelecer um sistema onde reina o caos. (...) Ele nos
fez adeptos do bom governo para que possamos administrá-los aos povos selvagens e senis (...) ele marcou o povo
americano como Sua nação escolhida para finalmente liderar no trabalho de regeneração do mundo. Essa é a missão
divina da América (...) Nós somos os depositários do progresso mundial, os guardiões da paz virtuosa”
BEVERIDGE apud FERES JUNIOR, João. Spanish America como o Outro da América, Revista Lua Nova, n.62, São Paulo, CEDEC, 2004, p. 69-89.

O trecho do texto de Beveridge é um exemplo das concepções ideológicas difundidas através do termo Destino
Manifesto. Além do caráter religioso da predestinação dos habitantes iniciais das Treze Colônias inglesas, o Destino
Manifesto tinha por objetivo, entre outros fatores, levar aos demais povos da América:
a) a religião calvinista dos puritanos ingleses. b) a democracia e a civilização.
c) ações militares contra o terrorismo. d) o combate ao comunismo.
______________________________________________________________________________________________
4) Da vitória dos estados nortistas na "Guerra de Secessão" resultou:
a) diminuição do número de pequenos e médios proprietários e o crescimento da aristocracia rural no sul.
b) unificação do mercado interno, desenvolvimento capitalista e transformação dos EUA em potência econômica.
c) anexação da região do Texas ao território dos EUA.
d) extinção do tráfico de escravos negros para os EUA.
e) regulamentação, pelo compromisso do Missouri, dos territórios que passaram a ser escravistas ou livres.
______________________________________________________________________________________________
5) “Uma casa dividida contra si mesma não subsistirá. Acredito que esse governo, meio escravista e meio livre, não
poderá durar para sempre. Não espero que a União se dissolva; não espero que a casa caia. Mas espero que deixe de ser
dividida. Ela se transformará só numa coisa ou só na outra.” Abraham Lincoln, em 1858. Esse texto expressa a

a) posição política autoritária do presidente Lincoln. b) perspectiva dos representantes do sul dos EUA.
c) proposta de Lincoln para abolir a escravidão. d) proposição nortista para impedir a expansão para o Oeste.
e) preocupação de Lincoln com uma possível guerra civil.
______________________________________________________________________________________________
6) “A Guerra Civil Norte-americana (1861- 65) representou uma confissão de que a sistema político falhou, esgotou as
seus recursos sem encontrar uma solução (para as conflitos políticos mais importantes entre as grandes regiões norte-
americanas, a Norte e a Sul). Foi uma prova de que mesmo numa das democracias mais antigas, houve uma época em
que somente a guerra podia superar os antagonismos políticos. Eisenberg, Peter Louis. Guerra civil americana. S. Paulo,
Brasiliense,1982.
Dentre os conflitos geradores dos antagonismos políticos referidos no texto está a

a) manutenção, pela sociedade sulista, do regime de escravidão, o que impediria a ampliação do mercado interno para
o escoamento da produção industrial nortista.
b) opção do Norte pela produção agrícola em larga escala voltada para o mercado externa o que chocava com a
concorrência dos sulistas que tentavam a mesma estratégia.
c) necessidade do Sul de conter a onda de imigração da população nortista para seus territórios, o que ocorria em função
da maior oferta de trabalho e da possibilidade do exercício da livre-iniciativa.
d) ameaça exercida pelos sulistas aos grandes latifundiários nortistas, o que se devia aos constantes movimentos em
defesa da reforma agrária naquela região em que havia concentração da propriedade da terra.
e) adesão dos trabalhadores sulistas ao movimento trabalhista internacional, o que ameaçava a estabilidade das relações
trabalhistas praticadas na região norte.
______________________________________________________________________________________________
7) Leia o texto a seguir:

Por mais que retrocedamos na História, acharemos que a África está sempre fechada no contato com o resto do mundo,
é um país criança envolvido na escuridão da noite, aquém da luz da história consciente. O negro representa o homem
natural em toda a sua barbárie e violência; para compreendê-lo devemos esquecer todas as representações europeias.
Devemos esquecer Deus e as leis morais. HEGEL, Georg W. F. Filosofia de la historia universal.

O fragmento é um indicador da forma predominante como os europeus observavam o continente africano no século
XIX. Essa observação relacionava-se a uma definição sobre a cultura, que se identificava com a ideia de:
a) progresso social, materializado pelas realizações humanas como forma de se opor à natureza.
b) tolerância cívica, verificada no respeito ao contato com o outro, com vistas a manter seus hábitos.
c) autonomia política, expressa na escolha do homem negro por uma vida apartada da comunidade.
d) liberdade religiosa, manifesta na relativização dos padrões éticos europeus.
e) respeito às tradições, associado ao reconhecimento do valor do passado para as comunidades locais.
8) A Guerra de Canudos (1896-1897) é emblemática no debate sobre a formação da nação no período republicano. A
República recém-proclamada enfrentou um Brasil desconhecido: o sertão e os sertanejos. A guerra, tragicamente,
significou um aprendizado para os brasileiros demonstrando que:

a) resistência política dos monarquistas organizados no arraial de Canudos era uma ameaça à ordem republicana.
b) unidade cultural do país é fruto de um longo processo de gestação iniciado com a ocupação do litoral em o fabrico
do açúcar.
c) presença da Igreja Católica no sertão representava um elo entre a comunidade e as autoridades republicanas.
frágil base política em que se assentava o governo republicano foi incapaz de reconhecer a questão social e cultural
suscitada por Canudos.
d) fragmentação e as grandes distâncias das regiões litorâneas impediram a organização e o crescimento das
comunidades sertanejas.
______________________________________________________________________________________________

9) “Completaram-se, ontem e hoje, 99 anos da reunião dos presidentes de São Paulo, Minas e Rio de Janeiro que
culminou no Convênio de Taubaté. A primeira crise global do café foi provocada pela triplicação da produção brasileira
na década de 1890 — de 5,5 milhões a 16,3 milhões de sacas (…).”
(Folha de S.Paulo, 27.02.2005. Adaptado.)

Do Convênio de Taubaté, origina-se a Política de Valorização do Café, que se constituiu:


a) na isenção tributária sobre todas as mercadorias e serviços relacionados com o café, como o transporte ferroviário.
b) na proibição de se plantar novos cafeeiros no prazo mínimo de 10 anos, até a produção igualar-se ao consumo externo.
c) no acordo entre todos os países produtores e exportadores de café de diminuírem a produção em 25% em 5 anos.
d) no controle dos preços do café por meio da compra da produção excedente, por parte dos governos estaduais.
e) na criação de um imposto sobre cada saca de café exportada e no incentivo à criação de fazendas de café no Espírito
Santo.
______________________________________________________________________________________________
10) Em grandes linhas, a chamada Política dos Governadores consistia em: “O presidente da República apoiaria, com
todos os meios a seu alcance, a oligarquia dominante de cada estado; em troca, essa mesma oligarquia garantiria a
eleição, para o Congresso, de candidatos oficiais”. A base de sustentação, desse tipo de política era constituída:

a) pelo coronelismo.
b) pelo apoio do exercito
c) pela ampliação do voto feminino
d) pela política do café-com-leite.
e) pela ação da guarda nacional.
______________________________________________________________________________________________
11) "O coronelismo é um sistema político, uma complexa rede de relações que vai desde o coronel até o presidente da
República, envolvendo compromissos recíprocos. O coronelismo, além disso, é datado historicamente. Na visão de
Vitor Nunes Leal ele surge na confluência de um fato político com uma conjuntura econômica. O fato político é o
federalismo implantado na República (...) A conjuntura econômica era a decadência econômica dos fazendeiros."
(Adaptado de CARVALHO, José Murilo de. "Mandonismo, coronelismo e clientelismo: uma discussão conceitual". In: ______. "Pontos
e Bordados". Belo Horizonte: UFMG, 1998, p.131-32).

Com base no texto apresentado:


a) indique o período da História do Brasil em que o Coronelismo teve o seu auge
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________

b) levando-se em conta as transformações políticas verificadas no Brasil, sobretudo após a implantação da ditadura do
Estado Novo em 1937, compare os regimes políticos baseados no Coronelismo e no Autoritarismo.
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
Rede Concepcionista de Ensino
Colégio Imaculada Conceição
1ª - Avaliação de HISTÓRIA – 3º bimestre Valor: __________
Prof(a): ADEMIR D. AGUIAR Nota: ___________
Nº ___ Aluno(a): ___________________________________ (2º ano - EM )
Machado, ___/____/2017.

1) A Guerra de Canudos (1896-1897) é emblemática no debate sobre a formação da nação no período republicano. A
República recém-proclamada enfrentou um Brasil desconhecido: o sertão e os sertanejos. A guerra, tragicamente,
significou um aprendizado para os brasileiros demonstrando que:

a) fragmentação e as grandes distâncias das regiões litorâneas impediram a organização e o crescimento das
comunidades sertanejas.
b) unidade cultural do país é fruto de um longo processo de gestação iniciado com a ocupação do litoral em o fabrico
do açúcar.
c) presença da Igreja Católica no sertão representava um elo entre a comunidade e as autoridades republicanas.
frágil base política em que se assentava o governo republicano foi incapaz de reconhecer a questão social e cultural
suscitada por Canudos.
d) resistência política dos monarquistas organizados no arraial de Canudos era uma ameaça à ordem republicana.
______________________________________________________________________________________________

2) “Completaram-se, ontem e hoje, 99 anos da reunião dos presidentes de São Paulo, Minas e Rio de Janeiro que
culminou no Convênio de Taubaté. A primeira crise global do café foi provocada pela triplicação da produção brasileira
na década de 1890 — de 5,5 milhões a 16,3 milhões de sacas (…).”
(Folha de S.Paulo, 27.02.2005. Adaptado.)

Do Convênio de Taubaté, origina-se a Política de Valorização do Café, que se constituiu:


a) na criação de um imposto sobre cada saca de café exportada e no incentivo à criação de fazendas de café no Espírito
Santo.
b) na proibição de se plantar novos cafeeiros no prazo mínimo de 10 anos, até a produção igualar-se ao consumo externo.
c) no acordo entre todos os países produtores e exportadores de café de diminuírem a produção em 25% em 5 anos.
d) no controle dos preços do café por meio da compra da produção excedente, por parte dos governos estaduais.
e) na isenção tributária sobre todas as mercadorias e serviços relacionados com o café, como o transporte ferroviário.
______________________________________________________________________________________________
3) Em grandes linhas, a chamada Política dos Governadores consistia em: “O presidente da República apoiaria, com
todos os meios a seu alcance, a oligarquia dominante de cada estado; em troca, essa mesma oligarquia garantiria a
eleição, para o Congresso, de candidatos oficiais”. A base de sustentação, desse tipo de política era constituída:

a) pela ação da guarda nacional.


b) pelo apoio do exercito
c) pela ampliação do voto feminino
d) pela política do café-com-leite.
e) pelo coronelismo.
______________________________________________________________________________________________

4) "O coronelismo é um sistema político, uma complexa rede de relações que vai desde o coronel até o presidente da
República, envolvendo compromissos recíprocos. O coronelismo, além disso, é datado historicamente. Na visão de
Vitor Nunes Leal ele surge na confluência de um fato político com uma conjuntura econômica. O fato político é o
federalismo implantado na República (...) A conjuntura econômica era a decadência econômica dos fazendeiros."
(Adaptado de CARVALHO, José Murilo de. "Mandonismo, coronelismo e clientelismo: uma discussão conceitual". In: ______. "Pontos
e Bordados". Belo Horizonte: UFMG, 1998, p.131-32).

Com base no texto apresentado:


a) indique o período da História do Brasil em que o Coronelismo teve o seu auge
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
b) levando-se em conta as transformações políticas verificadas no Brasil, sobretudo após a implantação da ditadura do
Estado Novo em 1937, compare os regimes políticos baseados no Coronelismo e no Autoritarismo.
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
5) Leia os trechos de notícias de jornais publicados nos Estados Unidos no século XIX:

TEXTO 1 - (...) um espírito de interferência hostil [de outras nações] para conosco, com o objetivo confesso de deformar
nossa política e prejudicar nosso poder, limitando nossa grandeza e impedindo a realização de nosso Destino Manifesto,
que é estendermo-nos sobre o continente que a Providência fixou para o livre desenvolvimento de nossos milhões de
habitantes, que ano após ano se multiplicam. (Democratic Review)
TEXTO 2 - A universal nação ianque pode regenerar e libertar o povo do México em poucos anos; e cremos que é parte
de nosso destino civilizar esse belo país e capacitar seus habitantes para apreciar algumas das numerosas vantagens e
bênçãos de que dispõem. (New York Herald)
Citados por AQUINO, R.S.L. et al. História das sociedades americanas. Rio de Janeiro: Livraria Eu e Você, 1981. p.140 e 141.
Quanto à história do expansionismo norte-americano no século XIX, pode-se afirmar que:

a) a imprensa dos Estados Unidos, na época, acreditava que eles tinham uma predestinação: a missão de civilizar povos
inferiores do continente americano por causa de seu "Destino Manifesto", ou seja, o seu domínio representava a vontade
de Deus.
b) as ações expansionistas dos Estados Unidos pretendiam empurrar suas fronteiras até o Oceano Pacífico e excluir a
região sul do país porque nela predominava uma economia agrário-exportadora que impedia o avanço da
industrialização.
c) o expansionismo norte-americano sobre as colônias espanholas contou com o apoio da Santa Aliança porque ela
pretendia ver instauradas repúblicas, livres e democráticas, nas metrópoles europeias e em suas colônias.
d) por força de seu "Destino Manifesto", a descoberta do ouro nas colinas californianas estreitou as relações entre
mexicanos e americanos evitando novos conflitos e disputas nas fronteiras, o que permitiu o acesso dos Estados Unidos
ao Oceano Pacífico.
e) na época, os Estados Unidos apossaram-se de várias áreas do território mexicano sem o pagamento de indenizações
e, da mesma forma, apropriaram-se de colônias da França, da Inglaterra e da Rússia, orientados por seu "Destino
Manifesto".
______________________________________________________________________________________________
6) Observe a imagem abaixo:

É possível ver na imagem acima Colúmbia, a personificação feminina dos EUA, levando cabos de telégrafos para o
Oeste, sendo ainda acompanhada por colonos estadunidenses e pelos trens. Do lado esquerdo, estão os indígenas e
animais selvagens, em um quadrante escuro da tela, o que mostra que a chegada de Colúmbia levaria a luz a esses locais.

Como o quadro acima representa a política do destino manifesto nos Estados Unidos do século XIX?
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
7) Leia abaixo o texto do historiador e ex-senador dos EUA, Albert Beveridge:
“Ele [Deus] nos fez os mestres organizadores do mundo para estabelecer um sistema onde reina o caos. (...) Ele nos
fez adeptos do bom governo para que possamos administrá-los aos povos selvagens e senis (...) ele marcou o povo
americano como Sua nação escolhida para finalmente liderar no trabalho de regeneração do mundo. Essa é a missão
divina da América (...) Nós somos os depositários do progresso mundial, os guardiões da paz virtuosa”
BEVERIDGE apud FERES JUNIOR, João. Spanish America como o Outro da América, Revista Lua Nova, n.62, São Paulo, CEDEC, 2004, p. 69-89.
O trecho do texto de Beveridge é um exemplo das concepções ideológicas difundidas através do termo Destino
Manifesto. Além do caráter religioso da predestinação dos habitantes iniciais das Treze Colônias inglesas, o Destino
Manifesto tinha por objetivo, entre outros fatores, levar aos demais povos da América:

a) o combate ao comunismo. b) a democracia e a civilização.


c) ações militares contra o terrorismo. d) a religião calvinista dos puritanos ingleses.
______________________________________________________________________________________________
8) Da vitória dos estados nortistas na "Guerra de Secessão" resultou:
a) regulamentação, pelo compromisso do Missouri, dos territórios que passaram a ser escravistas ou livres.
b) unificação do mercado interno, desenvolvimento capitalista e transformação dos EUA em potência econômica.
c) anexação da região do Texas ao território dos EUA.
d) extinção do tráfico de escravos negros para os EUA.
e) diminuição do número de pequenos e médios proprietários e o crescimento da aristocracia rural no sul.
______________________________________________________________________________________________
9) “Uma casa dividida contra si mesma não subsistirá. Acredito que esse governo, meio escravista e meio livre, não
poderá durar para sempre. Não espero que a União se dissolva; não espero que a casa caia. Mas espero que deixe de ser
dividida. Ela se transformará só numa coisa ou só na outra.” Abraham Lincoln, em 1858. Esse texto expressa a

a) posição política autoritária do presidente Lincoln. b) perspectiva dos representantes do sul dos EUA.
c) proposta de Lincoln para abolir a escravidão. d) proposição nortista para impedir a expansão para o Oeste.
e) preocupação de Lincoln com uma possível guerra civil.
______________________________________________________________________________________________
10) “A Guerra Civil Norte-americana (1861- 65) representou uma confissão de que a sistema político falhou, esgotou
as seus recursos sem encontrar uma solução (para as conflitos políticos mais importantes entre as grandes regiões norte-
americanas, a Norte e a Sul). Foi uma prova de que mesmo numa das democracias mais antigas, houve uma época em
que somente a guerra podia superar os antagonismos políticos. Eisenberg, Peter Louis. Guerra civil americana. S. Paulo,
Brasiliense,1982.
Dentre os conflitos geradores dos antagonismos políticos referidos no texto está a

a) adesão dos trabalhadores sulistas ao movimento trabalhista internacional, o que ameaçava a estabilidade das relações
trabalhistas praticadas na região norte.
b) opção do Norte pela produção agrícola em larga escala voltada para o mercado externa o que chocava com a
concorrência dos sulistas que tentavam a mesma estratégia.
c) necessidade do Sul de conter a onda de imigração da população nortista para seus territórios, o que ocorria em função
da maior oferta de trabalho e da possibilidade do exercício da livre-iniciativa.
d) ameaça exercida pelos sulistas aos grandes latifundiários nortistas, o que se devia aos constantes movimentos em
defesa da reforma agrária naquela região em que havia concentração da propriedade da terra.
e) manutenção, pela sociedade sulista, do regime de escravidão, o que impediria a ampliação do mercado interno para
o escoamento da produção industrial nortista.
______________________________________________________________________________________________
11) Leia o texto a seguir:

Por mais que retrocedamos na História, acharemos que a África está sempre fechada no contato com o resto do mundo,
é um país criança envolvido na escuridão da noite, aquém da luz da história consciente. O negro representa o homem
natural em toda a sua barbárie e violência; para compreendê-lo devemos esquecer todas as representações europeias.
Devemos esquecer Deus e as leis morais. HEGEL, Georg W. F. Filosofia de la historia universal.

O fragmento é um indicador da forma predominante como os europeus observavam o continente africano no século
XIX. Essa observação relacionava-se a uma definição sobre a cultura, que se identificava com a ideia de:
a) respeito às tradições, associado ao reconhecimento do valor do passado para as comunidades locais.
b) tolerância cívica, verificada no respeito ao contato com o outro, com vistas a manter seus hábitos.
c) autonomia política, expressa na escolha do homem negro por uma vida apartada da comunidade.
d) liberdade religiosa, manifesta na relativização dos padrões éticos europeus.
e) progresso social, materializado pelas realizações humanas como forma de se opor à natureza.
Rede Concepcionista de Ensino
Colégio Imaculada Conceição
1ª - Avaliação de HISTÓRIA – 3º bimestre Valor: __________
Prof(a): ADEMIR D. AGUIAR Nota: ___________
Nº ___ Aluno(a): ___________________________________ (1º ano - EM )
Machado, ___/____/2017.

1) Observe a imagem e leia o texto a seguir.

Michelangelo começou cedo na arte de dissecar cadáveres. Tinha apenas 13 anos quando participou das primeiras
sessões. A ligação do artista com a medicina foi reflexo da efervescência cultural e científica do Renascimento. A
prática da dissecação, que se encontrava dormente havia 1.400 anos, foi retomada e exerceu influência decisiva sobre a
arte que então se produzia.
Clayton Levy, “Pesquisadores dissecam lição de anatomia de Michelangelo”. Jornal da Unicamp, nº 256, junho de 2004,
http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/junho2004/ju256pag1.html. Acessado em 11/06/2010.

a) Explique a relação, mencionada no texto, entre artes plásticas e dissecação de cadáveres, no contexto do
Renascimento.
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________

b) Identifique, na imagem acima, duas características da arte renascentista.


______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________

2) O Humanismo foi um movimento que não pode ser definido por:


a) ser um movimento diretamente ligado ao Renascimento, por suas características antropocentristas e individuais.
b) ter uma visão do mundo que recupera a herança greco-romana, utilizando-a como tema de inspiração.
c) ter valorizado o misticismo, o geocentrismo e as realizações culturais medievais.
d) centrar-se no homem, em oposição ao teocentrismo, encarando-o como "medida comum de todas as coisas".
e) romper os limites religiosos impostos pela Igreja às manifestações culturais.
______________________________________________________________________________________________
3) "Que obra de arte é o homem: tão nobre no raciocínio, tão vário na capacidade; em forma o movimento, tão preciso
e admirável; na ação é como um anjo; no entendimento é como um Deus; a beleza do mundo, o exemplo dos animais."
(SHAKESPEARE, William. HAMLET.)
O valor renascentista expresso nesse texto é

a) o antropomorfismo. b) o hedonismo. c) o humanismo. d) o individualismo. e) o racionalismo.


4) De que forma o Renascimento Cultural e Científico influenciou a Reforma Protestante?

a) As descobertas científicas e a valorização da ciência e da razão colocaram em cheque muitas posições da Igreja
Católica, abrindo espaço para o surgimento do movimento reformista.
b) As obras de arte do Renascimento não abordavam temas religiosos, deixando de lado os valores cristãos.
c) Os artistas do Renascimento, principalmente Leonardo do Vinci e Michelangelo, organizaram politicamente os reis
europeus em prol da Reforma Protestante.
d) Os escritores renascentistas ajudaram Lutero e Calvino na redação dos princípios reformistas.
______________________________________________________________________________________________

5) No contexto dos diversos conflitos religiosos que eclodiram na Europa, ao longo do século XVI, identificamos a
convocação pela Igreja Católica, a partir de 1545, do Concílio de Trento. Dentre suas determinações, destacamos
corretamente o (a):
a) reconhecimento da autoridade política e teológica da Igreja anglicana frente ao papado, encerrando os conflitos
provocados na Inglaterra devido à luta de Henrique VIII contra o Vaticano.
b) fim do clero regular como solução para conter os abusos cometidos pela Igreja, tais como a venda de indulgências e
sacramentos.
c) oficialização da doutrina calvinista que admitia o lucro comercial como uma dádiva divina e não mais como um
pecado usurário, como um novo dogma católico.
d) submissão da Igreja católica aos Estados imperiais laicos e a validade da livre interpretação da Bíblia.
e) reafirmação da hierarquia eclesiástica católica e a reativação do tribunal do Santo Ofício da Inquisição.
______________________________________________________________________________________________

6) Os movimentos reformistas religiosos que surgiram na Europa moderna, entre os séculos XV e XVI, variaram em
seus fundamentos e prática frente aos dogmas religiosos instituídos pela Igreja Católica. Marque a opção que relaciona
corretamente um desses movimentos reformistas com seu fundamento doutrinário.
a) O humanismo defendeu a extinção do Papado como necessária para o desenvolvimento de uma nova religião baseada
na tolerância e no respeito às crenças religiosas individuais.
b) O luteranismo condenou a doutrina da predestinação e a livre interpretação das escrituras sagradas.
c) O calvinismo, em sua concepção moral, valorizou o trabalho e justificou o lucro, formulando uma doutrina que
correspondia às necessidades de uma moral burguesa.
d) O anglicanismo instituiu uma doutrina protestante, cuja hierarquia eclesiástica subordinava o poder temporal dos
monarcas à autoridade divina dos Papas.
e) O Concílio de Trento promoveu uma reformulação dos dogmas religiosos católicos, disciplinando o clero e
restringindo sua autoridade aos assuntos ligados à fé cristã.
______________________________________________________________________________________________

7) A doutrina calvinista estabelecia para seus adeptos uma vida regrada, disciplinada, dedicada ao trabalho, afastada do
ócio, dos vícios e da ostentação. Esse código de conduta levou alguns autores a considerar esses princípios do calvinismo
como fatores que favoreceriam o processo de acumulação capitalista. Dentro dessa doutrina, apoiada numa interpretação
particular da noção de onisciência divina, conformar-se a esse ideal de conduta não seria o caminho para a salvação,
mas seus resultados visíveis - o sucesso material - dariam ao eleito a confirmação do estado de graça.
Esse código de conduta fundamentava-se no princípio doutrinário que pregava
a) a justificação pela fé, ou seja, a fé como meio de obtenção da graça e da salvação.
b) a predestinação à salvação, ou seja, a ideia de que alguns já nascem escolhidos por Deus para serem salvos, estado
impossível de ser modificado, passível, apenas, de ser reconhecido pelos "sinais" presentes na vida dos "eleitos".
c) a salvação pelas obras, ou seja, a redenção por um ato voluntário do indivíduo, que deveria cumprir os mandamentos
divinos, praticar a caridade, intensificar orações e peregrinações.
d) a vocação missionária e a opção pelos pobres, ou seja, a missão de pregar o evangelho e difundir a doutrina
especialmente entre aqueles que se achavam destituídos das riquezas terrenas.
e) a valorização do ascetismo, a flagelação do corpo e a negação da posse de riquezas materiais como meios de alcançar
a graça divina, afastando da mente e da alma aquilo que seria considerado "tentação da carne".
______________________________________________________________________________________________

8) Atente ao fragmento.

A Contrareforma Católica

A Contrarreforma, de modo geral, consistiu em um conjunto de medidas tomadas pela Igreja Católica
com o surgimento das religiões protestantes. Longe de promover mudanças estruturais nas doutrinas e práticas
do catolicismo, a Contrarreforma estabeleceu um conjunto de medidas que atuou em duas vias: atuando contra
outras denominações religiosas e promovendo meios de expansão da fé católica.
Uma das principais medidas tomadas foi a criação da Companhia de Jesus. Designados como um braço
da Igreja, os jesuítas deveriam expandir o catolicismo ao redor do mundo. Contando com uma estrutura
hierárquica rígida, os jesuítas foram os principais responsáveis pelo processo de catequização das populações
dos continentes americano e asiático. Utilizando um sistema de rotinas e celebrações religiosas regulares, a
Companhia de Jesus conseguiu converter um grande número de pessoas nos territórios coloniais europeus.
A Inquisição, instaurada pelo Tribunal do Santo Oficio, outra instituição eclesiástica criada na
Contrarreforma, teve como principal função combater o desvio dos fiéis católicos e a expansão de outras
denominações religiosas. Além de perseguir protestantes, a Santa Inquisição também combateu judeus e
islâmicos, que eram considerados pecadores e infiéis. Entre outras formas, a Inquisição atuava com a abertura
de processos de investigação que acatavam denúncias contra hereges e praticantes de bruxaria. Caso fossem
comprovadas as denúncias, o acusado era punido com sanções que iam desde o voto de silêncio até a morte
na fogueira.
Em 1542, o Concílio de Trento, uma reunião dos principais líderes da Igreja organizada pelo papa
Paulo III, selou o conjunto de medidas tomadas pela Contrarreforma. No Concílio de Trento estabeleceu-se o
princípio de infalibilidade papal e a declaração do Índex, conjunto de livros proibidos pela Igreja. Além disso,
a Vulgata foi estabelecida como versão oficial da Bíblia Sagrada, foi proibida a venda de indulgências e todas
as doutrinas católicas foram reafirmadas.

Com base no texto acima e seus conhecimentos, responda:

a) como a Igreja católica utilizou a inquisição para combater as reformas religiosas do século XV ?
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________

b) Como os jesuítas colaboraram com a Contrareforma Católica?


______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________________

9) A Companhia de Jesus foi criada na Espanha em 1534 no contexto da Contrarreforma, tendo uma atuação importante
no processo colonizador da América Portuguesa. Sobre a atuação da Companhia de Jesus na colonização do Brasil
podemos afirmar que:
a) Os jesuítas foram responsáveis pela fundação das primeiras cidades brasileiras como São Paulo, São Vicente e
Salvador. A catequização dos indígenas era feita em reduções onde eles permaneciam em regime de escravidão.
b) Os jesuítas se destacaram na ação educativa e catequizadora dos grupos indígenas brasileiros. Vários missionários
jesuítas moravam nas aldeias procurando conhecer os hábitos, a cultura e respeitando a religiosidade indígena.
c) A educação foi um dos principais instrumentos de evangelização dos jesuítas, que fundaram colégios no Brasil e
organizaram aldeamentos conhecidos como Missões para catequizar os indígenas e convertê-los para o catolicismo.
d) Os jesuítas chegaram ao Brasil como o braço religioso da coroa portuguesa. Tinham como missão catequizar os
indígenas e apoiar os bandeirantes na captura dos índios que passavam a morar nas vilas e missões.
e) A ação militar foi a forma pela qual os jesuítas participaram da colonização portuguesa no Brasil. Apoiados pelo
Marquês de Pombal, estabeleceram Missões na região de São Paulo e no sul do país para manter os índios reunidos.