Você está na página 1de 18

Emrich "Imi" Lichtenfeld

Emrich "Imi" Lichtenfeld (em hebraico Imi Sde-or) (Budapeste, Império Austro-Húngaro, 26 de maio de
1910 — Netânia, Israel, 10 de janeiro de 1998) foi um judeu-húngaro, mais tarde israelense, criador do
estilo de luta de combate corpo a corpo para defesa pessoal Krav Maga.
Imi Lichtenfeld nasceu em 26 de maio de 1910 em
Budapeste, centro do então Império Austro-Húngaro,
porém cresceu em Bratislava, capital da atual
Eslováquia.
Seu pai, Samuel Lichtenfeld, era chefe do serviço
secreto local e instrutor de defesa pessoal e técnicas
de imobilização da polícia secreta, condecorado e
conhecido como o detetive que mais prendeu
criminosos perigosos. Imi acompanhava seu pai,
sugerindo movimentos e técnicas que, quando
utilizadas pelos policiais, funcionavam com grande
eficácia. Seu tio era médico e isso garantia acesso aos
livros e ao conhecimento sobre o corpo humano.
Incentivado por seu pai, Imi começou a praticar
várias modalidades de esportes e já em 1928 e 29
venceu vários campeonatos europeus de luta greco-
romana e no mesmo ano tornou-se campeão de boxe.
Na década seguinte, Imi concentrava-se na luta
greco-romana como atleta e instrutor conquistando
várias medalhas em competições nacionais e
internacionais. Sua formação tinha como base a lei,
a medicina e o esporte.
Emrich "Imi" Lichtenfeld
A partir de meados dos anos trinta a vida em Bratislava já não era a mesma. Pouco a pouco, grupos
fascistas e anti-semitas ganhavam espaço e transformavam a vida do país. Confrontos de rua,
perseguições e morte eram a nova realidade. Imi tornou-se líder de um grupo de resistência que lutava
contra os grupos fascistas. Entre os anos 1936 e 40, participou de inúmeros e violentos confrontos,
sozinho ou em equipe. Imi e seus companheiros enfrentaram centenas, milhares de inimigos em uma
guerra cruel e desigual. Todos esses acontecimentos e vivências pessoais de Imi trouxeram como
consequência o fortalecimento de seu corpo e espírito, preparando-o para os acontecimentos que ainda
estavam por vir, e plantaram as sementes que germinaram resultando na criação do Krav Maga.
Em 1940, Imi deixou sua terra natal, família e amigos e ingressou na última embarcação que conseguiu
escapar dos nazistas. Não passava de uma simples balsa, chamada "Pentcho", que foi adaptada para
conseguir transportar centenas de pessoas que deixavam a Europa rumo a Israel. As histórias desta
balsa e seus passageiros ficaram famosas e são descritas no livro "A Odisséia", de John Birman.
A "odisseia" de Imi durou dois anos, onde, por várias vezes, pulou na água para salvar a vida de
passageiros. Estas "aventuras" lhe causaram uma forte inflamação no ouvido que quase o levaram à
morte. E após uma explosão no tanque de pressão da embarcação, que aconteceu ao lado das Ilhas
Gregas, a sua ajuda foi requisitada e depois de quatro dias e noites de grande esforço, chegou à terra
firme e então foi capturado e levado para a Alexandria em grave estado de saúde, onde se submeteu a
várias cirurgias. Recuperado, juntou-se ao exército checo que lutava ao lado do exército britânico e foi
assim que Imi lutou no Oriente Médio, em combates na Líbia, Síria, Líbano e Egito. Até que em 1942,
deu baixa no exército e recebeu licença para entrar em Israel, onde começaria uma nova fase de sua vida
A chegada ao Estado de Israel representou para Imi apenas mais um passo em sua trajetória, sem
perceber, no entanto, que este "pequeno" passo iria ser um marco, que influenciaria e direcionaria toda a
história do povo judeu no Estado de Israel. Com a criação do Estado de Israel, Imi se alistou no Tzahal,
tornando-se o instrutor chefe de preparo físico e Krav Maga; começando somente no exército e depois
ampliando para a escola de preparo físico de todo IDF. Nos 20 anos seguintes, Imi aperfeiçoou sua
técnica especial de defesa pessoal e combate corpo a corpo.
Treinou pessoalmente os melhores guerreiros dos melhores grupos de elite das forças armadas
israelenses; pessoas que, com a técnica, habilidade e coragem mudaram o destino das operações e
guerras que ali iriam acontecer. Saindo da ativa como instrutor do Tzahal, adaptou e adequou a técnica
do Krav Maga para o mundo civil, tornando-o eficiente e acessível para todo e qualquer ser humano, o
forte, o fraco, homem ou mulher, criança ou velho. Para isto, abriu dois centros de treinamento, um na
cidade de Tel Aviv e outro em Natanya. Neste processo de "abertura", selecionou um pequeno grupo
entre os melhores alunos que iriam se tornar os responsáveis pelo Krav Maga no futuro. Em 1978,
fundou a Associação de Krav Maga em Israel. Imi Lichtenfeld foi até seus últimos dias, assessor e
conselheiro das forças armadas de Israel, além de treinar os faixas pretas mais graduados de Krav Maga
e estar presente nos encontros e seminários de praticantes de todo o mundo que aconteciam em Israel,
supervisionando e transmitindo pessoalmente suas experiências, descobertas e o significado prático de
sua criação, o Krav Maga. Em carta oficial de "Honra ao Mérito", o chefe do Estado Maior das forças
armadas escreve que desde a época da Haganah e Palmah, passando por todos os anos do Tzahal, a
capacidade de guerrear e o potencial pessoal de Imi, que foram os alicerces da qualidade do guerreiro
israelense, e não houve ninguém mais responsável por este resultado, por esta conquista, que
Imi Lichtenfeld. Na mesma carta é dito que a qualidade do Krav Maga é resultado do valor humanitário
de Imi que é estruturado na simplicidade, objetividade, autocontrole, segurança máxima no treinamento
e no combate, honestidade e respeito para com o adversário, mesmo ele sendo um inimigo.
Em carta escrita pelo Ministro da Educação e Cultura, Zvulum Amer, é reconhecida a importância da
preparação da juventude israelense para enfrentar a violência do dia a dia e, por este motivo, o
Ministério da Educação apóia o ensino efetivo de Krav Maga em todas as escolas.
O Ministro então agradece a Imi pela criação de técnica tão eficiente, qualificada com o "mérito azul e
branco". "Azul e branco" é um termo usado em Israel para pessoas que honram o país. Azul e branco
são as cores da bandeira de Israel. O Primeiro Ministro Yitzhak Rabin ZL declarou em carta que
Imi Lichtenfeld é sinônimo de "tornar um soldado ou comandante israelense capaz", sendo estes "dois"
uma parte em evidência do sucesso das operações do Tzahal. A trajetória de Imi foi marcada com
inúmeros conflitos, mas em todos eles, Imi sempre procurou o respeito pela vida humana. Para seus
alunos, sempre tentou passar a sensação de família, a importância da verdade, a força do
comprometimento. Seus maiores compromissos foram firmados em simples conversas com xícaras de
café na mão, na Cafeteria Hugati, onde, nos últimos 20 anos de sua vida, tomou suas mais importantes
decisões, confiou aos seus alunos as mais importantes missões, e assim fez com que o Krav Maga se
tornasse conhecido no mundo inteiro. Para a tristeza de toda a família Krav Maga, Imi Lichtenfeld
faleceu no dia 10 de Janeiro de 1998. Mas sua obra vive. Seu sonho de vida atravessou fronteiras e já
chegou a mais de 40 países. Aqueles que nunca o conheceram pessoalmente ou os horrores das guerras
que ele enfrentou, abraçam seu caminho de vida. Suas palavras de sabedoria e simplicidade ainda são
ditas nas salas de aula do mundo inteiro. A opção de ser autônomo, romper barreiras, de defender-se de
qualquer ameaça; se ainda não sabe qual o caminho, conheça o Krav Maga.
O Krav Magá e sua Técnica
O Krav Maga é a única arte reconhecida mundialmente como arte de defesa pessoal, e não como arte
marcial. O seu objetivo é ensinar qualquer pessoa, independente de idade, sexo ou preparo físico, a se
defender. Trazemos respostas para qualquer tipo de agressão, sendo armada ou desarmada; em pé,
sentada ou deitada; pela frente, por trás ou pelos lados; contra 1, 2 ou mais agressores. Afinal, quando
estamos lidando com a nossa vida, tudo pode acontecer, e não existe o impossível. Por esse motivo, não
há regras, juízes ou competições no Krav Maga. Nossa medalha é a nossa integridade física e mental, e
a nossa competição é interna, sempre buscando o melhor de nós mesmos.
As técnicas do Krav Maga são simples, rápidas e
objetivas. Elas se baseiam nos movimentos naturais
do corpo humano, melhorando as reações que
esboçamos naturalmente. Dessa forma, na hora da
verdade, quando precisamos reagir sob tensão e
medo, torna-se mais fácil realizar as técnicas, já que
seria algo bem próximo da reação que faríamos
espontaneamente.
Os movimentos são sempre curtos, uma vez que
movimentos longos são mais lentos e fáceis de serem
vistos. Além disso, atingimos os pontos sensíveis e
vitais do corpo do agressor, como olhos, nariz,
garganta, região genital, etc. Dessa maneira,
eliminamos a necessidade de uso da força bruta e
conseguimos igualar o forte, o fraco, o grande e o
pequeno.
A técnica é baseada na física, matemática e anatomia
humana. Utilizamos a força da explosão e a
transferência do peso para aumentar a potência dos
nossos golpes. Acertamos o alvo com áreas pequenas
no nosso corpo para obter uma maior capacidade de
penetração. Atingimos pontos do corpo humano com
alta concentração de nervos. Alavancas, bloqueios,
desvios. Tudo é cientificamente comprovado e
explicado a cada aula. Tudo começa com um
aquecimento, preparando o corpo para a aula que
está por vir. Em seguida, o instrutor ensina a técnica,
explicando os seus detalhes e a ciência por trás dos
movimentos. Então, é a vez do aluno treinar.
E isso é feito através de simulações de situações reais, de modo que são simulados ataques e o aluno irá
treinar determinada defesa.
A cada aula, é ensinada uma nova técnica e, aos poucos, o aluno aprende a se defender de diversas
agressões que talvez precise enfrentar um dia, como estrangulamentos, agarramentos, socos, chutes,
ataques com faca ou outro objetos e até mesmo ameaças com arma de fogo.
O treinamento do Krav Maga, além de ensinar as técnicas, desenvolve a auto confiança e a coragem do
aluno. E isso se estende muito além da reação na rua. É verdade sim que, aos poucos, perde-se o medo
que muitos carregam com si de andar nas ruas. Mas, além disso, perde-se o medo em geral, seja do
colega na escola, do chefe no trabalho ou de um desconhecido. E esse é um dos maiores benefícios do
Krav Maga: confiar e acreditar mais em si mesmo e na sua própria capacidade.
O Krav Maga foi criado em Israel na década de 1940 e até hoje é a única filosofia de defesa e combate
adotada pelo exército, polícia, serviço secreto e forças de segurança nacionais israelenses. Durante
quase 20 anos, o Krav Maga era restrito à elite do exército de Israel e foi mantido em sigilo, pois era
considerado um dos segredos israelenses em segurança. Hoje em dia, as maiores unidades de segurança
ao redor do mundo treinam as técnicas do Krav Maga: CIA, FBI, GIGN, Mossad, exército e forças de
segurança israelenses, dentre muitas outras. As forças de segurança – unidades militares, policiais ou de
segurança privada enfrentam uma realidade completamente diferente do mundo civil. Por isso, o
treinamento do Krav Maga voltado a elas deve ser diferente do que ocorre em aulas regulares em
academias. Pouco tempo para treinamento; riscos; proteção a terceiros; uso de equipamentos pesados;
ambiente hostil; armamentos; tudo isso é levado em consideração durante a capacitação da tropa.
O Krav Maga prepara a tropa em pouco tempo para reagir em situações reais, através de uma técnica
simples baseada nos reflexos naturais do homem. O programa de treinamento é único para cada unidade,
considerando: armamento; roupa e equipamentos; ambiente de operação; tipo de inimigo; e missão da
tropa. Cada unidade é treinada de acordo com as suas necessidades, incluindo tipo de técnicas e
simulações. O treinamento direcionado melhora o rendimento da tropa. O treinamento do Krav Maga
aumenta a autoconfiança e o controle emocional do agente: ele precisa estar preparado emocionalmente
para reagir quando a sua vida está em risco. O Krav Maga é a filosofia de defesa pessoal e combate
corpo a corpo de Israel, utilizado por suas forças de segurança, exército e serviço secreto.
Cada unidade de segurança tem o seu próprio tipo de missão, inimigo, ambiente de operação, nível de
agressividade, equipamentos e armamentos. E estes são diferentes em cada unidade. Tropas de elite do
exército; segurança pessoal; polícia; segurança de shopping center: cada um destes, e muitos outros, tem
características únicas, e assim deve ser direcionado o treinamento. Portanto, segundo a filosofia do
Krav Maga, o treinamento para forças de segurança é direcionado para as necessidades de cada unidade
Ele é dividido em 23 módulos, cada um com as características, técnicas e simulações pertinentes a cada
unidade a ser treinada. Esta forma de treinamento resulta em uma qualificação da tropa mais rápida e
eficaz. Com um heroico histórico de vitórias em combate, o Krav Maga era restrito à elite militar
israelense durante quase 2 décadas, pois era considerado uma das armas secretas do país. Depois,
quando seu ensino foi liberado, começou-se a levar essa experiência israelense em defesa e combate,
onde a técnica vencia todas as dificuldades contra inimigos com superioridade numérica e bélica, para o
mundo, alcançando notoriedade na área de segurança em vários países que requisitaram treinamento.
Hoje, as principais forças de segurança ao redor do mundo já adotaram a filosofia do Krav Maga.

Técnica de desarme
de arma de fogo
demonstrada pelo
próprio criador do
krav magá.
Emrich "Imi" Lichtenfeld
O Nascimento do Krav Magá
Década de 1940: guerra, violência e morte. Era urgente o surgimento de um meio de se manter vivo.
Os mais fortes, com um pouco de sorte, sobreviviam, os outros não. E foi a partir desta necessidade de
lutar pela vida que um homem, Imi Lichtenfeld (Z”L), criou um método para sobreviver em meio a todo
aquele horror. Percebeu que todas as técnicas de combates e lutas existentes de nada valiam diante
daquela realidade. E tendo como ferramenta apenas seu próprio corpo, como que iluminado, percebeu
que esta “ferramenta” poderia ser muito poderosa; entendeu que seus movimentos naturais poderiam ser
trabalhados para a defesa própria e combate e que os seus pontos fracos e sensíveis também o eram para
seus inimigos e adversários, afinal, o corpo humano é o mesmo. Com esta conclusão, criou uma técnica
corporal e espiritual que seria eficiente para qualquer um, independente de força ou preparo físico,
idade ou sexo: defender sua vida com aquilo que possuía, sua mente e seu corpo.
Em meados de 1940, nasceu o Krav Maga pelas mãos de Imi Lichtenfeld (Z”L) em Israel, pouco antes
de sua independência. Um caminho de vida para o homem dos novos tempos, que traz soluções para
qualquer tipo de violência, seja ela armada ou desarmada, contra um ou vários agressores e até mesmo
contra ataques terroristas e situações com reféns.
Em 1948, com a independência do Estado de Israel, o Krav Maga tornou-se a única filosofia de defesa
adotada pelo Tzahal, Forças de Defesa de Israel (IDF), polícia e serviço secreto. Na verdade, o nome
Krav Maga surgiu em meados de 1950, sendo chamado até então simplesmente de defesa pessoal, ou
ainda de defesa pessoal de Imi. Inicialmente, suas técnicas eram restritas apenas à elite militar israelense
mas a partir de 1964 foi liberado o ensino aos militares em geral e à população civil dentro do Estado
de Israel.Foi nesse momento que seu criador abriu 2 academias, uma em Netanya e outra em Tel Aviv,
com a intenção de começar a ensinar a população civil as suas técnicas. E então, no início de 1968,
aparece na academia de Tel Aviv uma criança, de apenas 3 anos de idade, para começar a treinar
Krav Maga. Seu nome? Kobi Lichtenstein.
Contudo, a turma não era infantil e a pequena criança ficaria apenas para algumas aulas de experiência,
a fim de entender que aquilo ainda não era para ele. Entretanto, esse período de experiência se estendeu,
e se estendeu, e se estendeu mais ainda. Hoje, Mestre Kobi já tem mais de 50 anos de Krav Maga.
Em 1971, Imi entrega a primeira faixa preta a Eli Avigzar e realiza o primeiro curso de instrutores. Em
1978, funda a Associação de Krav Maga Israelense. Então, chega a década de 80 e Imi, com a
preocupação de dar continuidade à sua obra, transmitindo-a para o resto do mundo e para as próximas
gerações, decide selecionar um pequeno grupo que seria treinado e preparado para este fim, do qual o
Mestre Kobi é parte integrante. Em 1987, foi liberado o ensino do Krav Maga fora de Israel.
Assim sendo, em 1990, o primeiro faixa preta sai de Israel para difundir o Krav Maga: Mestre Kobi
chega ao Brasil, como o único representante da arte na América Latina.
No ano seguinte, abre a 1ª academia de Krav Maga do continente, a Top Defense, que hoje é a sede
oficial da Federação Sul Americana de Krav Maga. E assim começou o Krav Maga nesse canto do
mundo. O surgimento do Krav Maga foi o resultado natural da fusão de duas histórias: a história de Imi,
o criador do Krav Maga, e a história do Estado de Israel. Desde muito pequeno, no âmbito familiar,
Imi aprendeu a importância de ser atuante na sociedade. Seu pai, detetive dedicado, instrutor de combate
da polícia secreta, não media esforços para realizar sua missão, tendo sido condecorado por ser o
inspetor que mais efetuou prisões de criminosos perigosos em seu país. A definição de certo e errado, o
dever e o prazer de ajudar ao próximo foram valores básicos de sua formação. Como esportista, buscava
superar os limites de seu corpo; como lutador, concluía que as técnicas de defesa e combate que
existiam não atendiam às necessidades das ruas. Técnicas de academias ou ringues de competições de
nada valiam em situações reais de confronto.Nos anos 30, com o fascismo e nazismo crescendo na
Europa, as ruas se tornavam cada vez mais violentas, e a vida tinha de ser defendida em confrontos
sangrentos quase que diariamente. Precisava enfrentar dezenas de inimigos ao mesmo tempo, muitas
vezes sozinho, em uma triste realidade onde muitos se feriam, muitos morriam e poucos sobreviviam.
Tornou-se líder de grupos de resistência que tinham como arma apenas o próprio corpo, e como
combustível, a teimosia em não ser abatido jamais. O Oriente Médio nos anos 40 era dominado pelo
mandato britânico, que estabelecia regras claras e duras, usando de força para controlar a região, e
manipulando os grupos que ali viviam, provocando discórdia entre eles. Por isso, vários grupos se
organizaram para a defesa da população; sem armas, sem contingente, mas com bravura. Este é o
cenário encontrado por Imi na sua chegada a Israel. A sua experiência em confrontos reais na Europa o
colocou diante da missão de preparar os grupos de defesa em pouco tempo para enfrentar inimigos bem
armados e numerosos, garantindo a sobrevivência de um povo. E o desafio assumido foi bem sucedido.
O povo sobreviveu, conquistou a independência, construiu um país e defendeu-se de todas as tentativas
de conquista; mesmo cercado de inimigos, mesmo contra ameaças terroristas, mesmo contra todas as
previsões. O Tzahal, Forças de Defesa de Israel (IDF), é mundialmente reconhecido por seus resultados,
tendo iniciado sua história nos grupos de defesa treinados por Imi, quem, até seus últimos dias, foi
assessor e conselheiro desta potente instituição militar. Um povo cercado de inimigos, que teimava em
continuar a lutar, continuar a sobreviver: o berço. A visão, capacidade e comprometimento de um líder
nato, em um cenário de guerra: o homem. Assim foi, e somente assim poderia ter sido criado
o Krav Maga. O Krav Maga foi criado no início da década de 1940. Na época, o mundo vivia a
2ª Guerra Mundial e na região conhecida hoje como Israel, existiam 3 grupos que lutavam pela proteção
da comunidade judaica e pela independência de Israel: Haganá, Etzel e Lehi. A situação não era fácil e
a necessidade de se defender e de criar um Estado nacional para o povo judeu se mostrava cada vez mais
séria e urgente. E foi nesse contexto que surgiu o Krav Maga, quando Imi começou a ensinar suas
técnicas e filosofia na Haganá, antes mesmo da independência do país. Após anos de luta, e segundo
decisão da Liga das Nações após a 1ª Guerra Mundial, a Carta de Balfour emitida pelo governo britânico
que administrava a região e a resolução da ONU de 29 de novembro de 1947, Israel se estabelece como
Estado Independente em 1948. Então, é criado o Tzahal – Forças de Defesa de Israel (IDF), que seria o
responsável pela proteção do país e de sua população. Nesse momento, o Krav Maga é examinado,
testado e adotado como a única filosofia de defesa do exército, polícia, serviço secreto e serviço de
segurança nacional de Israel, fato que se mantém até hoje. No dia seguinte à declaração de
independência, os países árabes vizinhos invadem o recém-criado Estado de Israel na tentativa de
conquistar à força o território e expulsar os judeus que lá viviam. Porém, contra todas as previsões,
Israel sai vitorioso da guerra e reafirma seu lugar no mapa.
O mesmo aconteceu em 1967, na Guerra dos Seis Dias, quando o Egito, a Síria e posteriormente a
Jordânia, com apoio militar de outros países, decidiram atacar Israel. E mais uma vez, para a surpresa de
todos, Israel vence a guerra em apenas 6 dias de batalhas e reconquista a cidade de Jerusalém. A partir
deste momento, Jerusalém a capital de Israel, volta a ser aberta a pessoas de todas as crenças e
religiões, atraindo turistas de todos os cantos do mundo. Três outras cidades israelenses também
merecem destaque quando falamos sobre a história do Krav Maga: Netanya, lugar onde Imi vivia e
ensinava Krav Maga; Tel Aviv, centro financeiro do país e outra cidade onde Imi ensinava Krav Maga;
e Rehovot, centro de ciência e local onde o Grão Mestre Kobi nasceu. Na década de 1980, a ciência
começou a ganhar destaque no país. Como exemplos de tecnologias desenvolvidas em Israel, podemos
citar: celular, Pendrive, Waze, ICQ, Viber, MobileEye, pílulas com câmeras, tomate cereja, irrigação por
gotejamento, dessalinização da água do mar, processadores Centrino e Pentium-4 da Intel, depilador
elétrico, tradutor Babylon, mão artificial, submetralhadora Uzi, compressão ZIP, ultra-som cardíaco
portátil, dentre muitos outros. Geograficamente, Israel é a única democracia do Oriente Médio. O país
faz fronteira com o Líbano, a Síria, a Jordânia e o Egito, além dos mares Mediterrâneo e Vermelho.
Trata-se de um país pequeno, com desertos, montanhas, neve e praias; e uma população de pouco mais
de 8 milhões de pessoas, sendo a sua maioria judaica. A língua oficial do país é o hebraico e a moeda, o
Novo Shekel. Portanto, estamos falando de um país histórico e religioso, que contém milhares de anos
da história da humanidade. Um país cercado de inimigos, mas que não deixa isso perturbar seus valores
de democracia e liberdade que carrega consigo. Um país que, hoje, é referência em segurança e
tecnologia para o mundo inteiro. Um país pequeno em tamanho, mas gigante em significado, valores,
força e impacto. Em 1942 Foi criado o Krav Maga, na região conhecida hoje como Israel. Na época,
Imi se juntou ao grupo Haganá, que lutava pela proteção da comunidade judaica local e pela
independência do país e, nesse contexto, criou o Krav Maga.

A Independência do estado de Israel e o krav magá


A independência de Israel. Neste momento, o
Krav Maga foi avaliado, testado e então adotado
como a única filosofia de defesa das Forças de
Defesa de Israel (IDF), como é até hoje. Assim,
Imi se tornou instrutor chefe de preparo físico e
defesa pessoal do exército israelense. No ano de
1963/1964 o ensino do Krav Maga foi aberto à
população civil. Até este momento, as suas
técnicas eram restritas às tropas de elite do
exército israelense. No Krav magá foi adotada
técnicas especiais como por exemplo o uso do
bastão. A utilização do bastão na defesa pessoal
começou antes da década de 1940, pelos grupos
de defesa que lutavam pela independência do
Estado de Israel. Na época, este conjunto
específico de técnicas dos segredos do bastão era
conhecido popularmente de “Kapap” O uso de
armas de fogo era proibido pelo mandato britânico
que dominava a região naquele período, o que
transformou o bastão em um importante
instrumento de defesa e ataque. Diante deste
quadro, foi criado no Krav Maga uma ramificação
específica para o uso do bastão: técnicas de
ataque e defesa para todas as circunstâncias;
defesas e ataques desarmados contra bastão;
bastão contra bastão; bastão contra faca; dentre
outros. Segundo a ótica do Krav Maga, o bastão funciona como uma extensão rígida do braço, que
potencializa as defesas e os ataques, além de aumentar o alcance de quem o utiliza.
Ainda hoje, o bastão é eficiente em várias situações do nosso dia- a -dia. Sua figura ainda intimida
agressores, pois apresenta a imagem de força e poder nas mãos do usuário.
QUAL A DIFERENÇA ENTRE O KRAV MAGA
E AS ARTES MARCIAIS TRADICIONAIS
O Krav Maga difere das outras artes marciais, esportes de combate e outras formas de lutas por ser práti-
co e eficiente, as técnicas são rápidas e objetivas, não existe movimentos corporais bonitos ou coreogra
fados, o Krav Maga não foi criado para ser uma técnica de luta bonita mas eficiente em situações de ris-
co eminente.
Esta grande diferença entre as artes marciais e de combate esportivos em relação ao Krav Maga é que as
artes marciais tradicionais e esportivas não preparam o praticante para situações reais como um assalto à
mão armada, ataques de objetos perfurantes ou cortantes ou objetos contundentes e outras situações de
risco onde a vida da pessoa esta em perigo. Muitas das artes marciais e esportes de combate dão mais en-
fase para as competições do que as técnicas de defesa pessoal propriamente ditas, é um grande erro achar
que um praticante que treinou a vida toda esportes de combate está preparado para realmente se defen-
der de um ataque de marginal armado ou que não tem pena alguma em cometer um delito grave. Olhan-
do para esta perspectiva o Krav Maga foi desenvolvido, a técnica é toda baseada e construída a partir
das situações vivênciadas por seu criador Imi, ao formar as diretrizes, organizar as técnicas que realmen-
te funcionavam e descartar as que não deram um resultado satisfatório Imi revolucionou o jeito de pen-
sar, de agir e praticar a defesa pessoal, depois de muitos anos aperfeiçoando e até mesmo colocando as
técnicas desenvolvidas por ele em combate real ao chegar em Israel criou o Krav Maga.
O Krav Maga é o resultado tanto de experiências vividas por Imi em combates reais por ele ser um sol-
dado como também as suas vivências com as lutas esportivas que praticou, Imi sabia o que funcionava
em combate real e que não funcionava e tendo está visão é que criou o Krav Maga.
É justamente por todas essas experiências do próprio criador do Krav Maga podemos dizer que a grande
maioria das artes marciais tradicionais e esportivas não preparam seus praticantes para as situações reais
de perigo.
IMI, O CRIADOR DO KRAV MAGA

O Krav Maga com suas técnicas simples e objetivas tem um treinamento diferenciado das demais lutas
ou esportes de combate, e nas artes marciais tradicionais ou esportivas isso não acontece, mas o
Krav Maga não é somente pancadaria como muitos pensam, esta arte de defesa pessoal Israelense tem
princípios éticos, filosofia e um refinado aprimoramento técnico das técnicas desenvolvidas por Imi.
As artes marciais na sua grande maioria ensina seus praticantes se defender de um ataque de uma faca
ou objeto cortante ou até mesmo de um ataque contra objetos contundentes mas não ensina a usar estes
objetos usados pelo agressor para cometer o ato violento contra ele mesmo, no Krav Mga aprendemos
a usar estes objetos usados pelo agressor para praticar a violência contra ele mesmo, a idéia é entender
que porque lutaríamos pela nossa vida de mão vazias quando nosso agressor não.
Nas brigas de rua de hoje o agressor vai usar de qualquer recurso que estiver em mãos, não se importará
usar de qualquer objeto que esteja ao seu alcance para tirar vantagem da situação, isto é comum em
brigas de rua, tudo é valido, nas ruas não existe regras e estar preparado para este tipo de situação e o
Krav Maga tem as respostas certas para cada situação agressiva, não importando o tamanho do agressor,
não importando quão ele é pesado, com a técnica certa é possível uma pessoa mais fraca fisicamente se
defender de uma maior e mais forte, o Krav Maga transmite essa segurança para seus praticantes onde é
possível se defender desde que a pessoa esteja condicionada nas instruções corretas.
Além das técnicas do Krav Maga serem eficientes em situações reais de combate ou em situações reais
de perigo também no Krav Maga existe técnicas chamadas de ‘armas improvisadas’.
Armas improvisadas são os objetos que usamos no dia a dia como por exemplo: um prendedor de cabe-
los, um guarda chuvas, uma caneta, um celular, uma bengala, enfim todos os objetos pessoais e que pos-
samos usar como recurso na defesa própria. Essas técnicas podem e muito ajudar uma pessoa se defen-
der com sucesso de agressor, de uma tentativa de assalto ou até mesmo uma tentativa de estupro.
No Krav Maga também é ensinado amplamente a diferença de uma ameaça e de um ataque eminente.
Em muitas artes marciais tradicionais ou esportivas esses tópicos não são abordados, mas saber a dife-
rença entre ameaça e ataque eminente é vital, pois só assim saberemos o que fazer em uma determinada
situação de risco na qual a pessoa se encontrar.
A ameaça é quando o agressor aponta uma arma de fogo, ou coloca uma faca ou objeto cortante no pes-
coço fazendo com que a mesma se torne uma vítima onde em muitos casos o agressor obriga a vítima a
fazer algo que não quer podendo até mesmo terminar com a vítima morta. Nesta situação a vítima se for
treinada em Krav Maga ainda tem tempo em planejar, pensar numa forma de reagir, pois o agressor não
tem a intenção de matar a vítima apenas de intimidar.
No caso de um ataque eminente não há tempo de pensar ou planejar uma reação, a agressão acontece e
se a vítima reagir tem que ser por instinto, a defesa tem que ser feita na hora do ato agressivo sem tempo
de pensar no que vai fazer ou em que técnica usar, a intenção do agressor é ferir ou matar. Neste caso a
reação deve ser imediata.
O Krav Maga ensina quando e como fazer nestas situações, como por exemplo: reagir ou não, tem toda
uma instrução detalhada coisa que em muitas artes marciais e esportes de combate não tem o habito de
instruir seus praticantes nestes casos.
DIFERENTES TIPOS DE AGRESSÃO
O Krav Maga tem diferentes respostas para cada tipo de agressão desarmadas, essas agressões
acontecem todos os dias e podemos citar inúmeros exemplos de violência: brigas de rua, violência
doméstica contra a mulher e crianças, espancamentos e muito mais....
Sob o ponto de vista da legítima defesa o Krav Maga possuí em seu repertório os mais variados tipos de
técnicas para cada situação. Os treinos de Krav Maga são baseados também em simulações onde o
praticante aprende executando o movimento por meio de uma simulação para dar mais ênfase e realismo
no treinamento.

Solturas de Pulso:
Essas técnicas tem comp objetivo ensinar o praticante de Krav Maga a sair de uma situação, desconfor-
tável, desagradável, onde o agressor quer submeter a vítima fazer algo contra a vontade. Muitas vezes o
agressor quer usar a força para obrigar outra pessoa a fazer algo indesejável e um exemplo disso é quan-
do o agressor agarra a vítima pelo pulso apertando com força excessiva. As técnicas de solturas de pulso
embora sejam fáceis de aprender são cheias de detalhes, e o principal objetivo desta técnica é sair de
uma situação de risco sem o uso da força bruta ou mesmo uma luta corporal.

Estrangulamentos:
No Krav Maga existe vinte e uma técnicas diferentes para este tipo de agressão física, também é conhe-
cida como Esganamento, esta agresssão visa sufocar a vítima e este tipo de situação de risco dura pouco
mais de alguns segundos, a reação por parte da vítima deve acontecer o mais rápido e objetiva possível.
Defesas contra estrangulamentos são técnicas consideradas muito eficientes e é um movimento muito
simples de aprender pelo tempo que a vítima tem para pensar e calcular a reação contra o agressor o ma-
is rápido que puder, assim que agressão acontecer.

Agarrões:
Neste tipo de agressão o agressor geralmente usa quatro tipos de situações como: 1) agarrar a vítima:
para estuprar, 2) para quebrar a coluna cervical, para conduzi-lá para algum lugar contra a vontade da
vítima, 3) simplesmente imobiliza-lá, 4) e até como recurso em uma briga de rua derruba-lá no chão.
Este tipo de agressão é muito comum em brigas de rua e em tentativas de estupros. A vítima pode ser
agarrada pela frente, pelas costas, com os braços presos ou soltos. A vítima desta situação de agressão
deve tentar tentar uma reação o quanto antes, assim será mais fácil escapar do agarramento.

Gravatas:
Também conhecida como gravata de porteiro, gravata técnica, guilhotina, a gravata é um recurso muito
usado em uma briga de rua, e o principal objetivo deste golpe é sufocar ou imobilizar a vítima desta
desta agressão. Este golpe bem aplicado pode fazer a vítima desmaiar em questões de segundos. Leva
mais ou menos de sete a nove segundos para acontecer o desmaio, mas é um golpe que pode ser fatal se
o agressor persistir por muito mais tempo. A gravata é aplicada com o braço ou antebraço envolta do
pescoço da vítima, o objetivo é criar pressão nas veias respiratórias e ou nas veias que levam sangue
para o sistema nervoso central.

Puxão de Cabelo:
Esta agressão também é muito usada em brigas de rua, a intensão do agressor e causar dor, e tentar
desestabilizar o equilíbrio da vítima. Nas brigas de rua geralmente quando a pessoa que está levando a
pior tem por instinto tentar agarrar nos cabelos da outra pessoa como único recurso disponível.

Socos e Chutes:
Nas brigas de rua são os golpes mais usados, é comum este tipo de agressão, s ão classificados como
golpes contundentes e o principal objetivo é causar o maior dano possível na vítima. Os chutes e socos
aplicados com violência podem causar danos permanentes em vítimas de espancamentos. O Krav Maga
possuí inúmeras técnicas contra este tipo de agressão.
RESUMO HISTÓRICO DO KRAV MAGA
KravMaga é um sistema de auto-defesa e de combate militar desenvolvido para as Forças de Defesa de
Israel (IDF ) e as forças de segurança israelenses ( Shin Bet e Mossad ) que derivam de uma combinação
de técnicas originadas do boxe , luta livre , aikido , judô e karatê., juntamente com treinamento de luta
realista. KravMaga é conhecido por seu foco em situações do mundo real e sua extrema eficiência. Foi
derivado da experiência de luta de rua do artista marcial húngaro-israelense Imi Lichtenfeld , que fez
uso de seu treinamento como pugilista e lutador enquanto defendia o bairro judeu contra grupos
fascistas em Bratislava, Tchecoslováquia , durante a metade do conflito de janeiro de 1930 No final da
década de 1940, após sua migração para Israel, ele começou a dar aulas de treinamento de combate para
o que se tornaria a IDF.Desde o início, o conceito original do Krav Maga era pegar as técnicas mais
simples e práticas de outros estilos de luta (originalmente o boxe europeu, o wrestling e o street fighting)
e torná-los rapidamente ensináveis aos recrutas militares.
O Krav Maga tem uma filosofia que enfatiza a agressão, e manobras defensivas e ofensivas simultâneas.
O Krav Maga tem sido usado pelas unidades das forças especiais das Forças de Defesa de Israel , pelo
aparato de segurança e por unidades de infantaria regulares.Variações estreitamente relacionadas foram
desenvolvidas e adotadas por organizações israelenses de aplicação da lei e inteligência. Existem várias
organizações que ensinam variações do Krav Maga internacionalmente.
Krav Maga não é estritamente uma arte marcial.
Por outro lado, se você adotar uma visão mais ampla das artes marciais como qualquer sistema de
autodefesa e combate e incluir as formas mais modernas, como o MMA, talvez o sistema de combate
conhecido como Krav Maga possa ser chamado de arte marcial, particularmente nos graus mais altos.
No entanto, existem algumas distinções importantes.
Assim, neste sentido, o Krav Maga não é uma arte e certamente não é um esporte. É um sistema de
combate de autodefesa e contato altamente eficaz, projetado para neutralizar uma ameaça contra
oponentes desarmado / armados no menor tempo possível.
Não temos torneios ou lutas competitivas reais. Qualquer tentativa de competição no Krav Maga
resultaria ou em um esporte diferente bastante limitado que não se pareceria nada com o Krav Maga ou
em ferimentos graves aos combatentes. No Krav Maga não temos regras de combate. Todas as partes
do corpo do oponente são um alvo justo e podem ser atingidas com várias partes de seu próprio corpo e
com qualquer arma improvisada do local.
O nome em hebraico pode ser traduzido como “combate de contato”. A palavra raiz krav ( ‫ ( קרב‬significa
“combate” e maga ( ‫ ( מגע‬significa “contato”.
Como a maioria das artes marciais, o Krav Maga encoraja os estudantes a evitar o confronto físico. Pois
isso e sabidamente inseguro o Krav Maga promove uma luta o mais rápida e agressivamente possível.
Os ataques são direcionados às partes mais vulneráveis do corpo, e o treinamento não se limita a
técnicas que evitam lesões graves; alguns até ferem permanentemente ou causam a morte ao oponente.
Os alunos aprendem a se defender contra toda variedade de ataques e são ensinados a combater da
maneira mais rápida e eficiente.
As idéias no Krav Maga incluem:
Ataque e defesa simultâneos.
Desenvolver a agressão física (não confundir com agressão emocional ou raiva), com a visão de que a
agressão física é o componente mais importante em uma briga.
Continuando a atacar o oponente até que esteja completamente incapacitado.
Atacando preventivamente ou contra-atacando o mais rápido possível.
Usando qualquer objeto na mão que possa ser usado para acertar um oponente.
Ataques aos pontos mais vulneráveis do corpo, tais como: olhos , pescoço ou garganta , face , plexo
solar , virilha, costelas , joelho , pé , dedos , fígado , etc.
Usando golpes simples e facilmente repetíveis.
Manter a consciência do ambiente enquanto lida com a ameaça, a fim de procurar por rotas de fuga,
atacantes adicionais, objetos que poderiam ser usados para atacar um oponente.
Reconhecendo a importância e ampliando a resposta instintiva sob estresse.
O treinamento também pode abranger o estudo e o desenvolvimento da consciência situacional para
desenvolver uma compreensão do entorno, aprender a entender a psicologia de um confronto de rua e
identificar possíveis ameaças antes que um ataque ocorra. Pode também cobrir maneiras de lidar com
métodos físicos e verbais para evitar a violência sempre que possível. Também ensina a resistência
mental, usando cenários controlados para fortalecer o a capacidade mental para que os alunos controlem
o impulso e não façam algo imprudente, mas, em vez disso, ataquem somente quando necessário e como
último recurso.
O Krav Maga é um sistema em contínua evolução (que reflete a experiência do mundo real) e, portanto,
não é claro especificar um currículo universal, como pode ser o caso, por exemplo, de algumas artes
marciais orientais. No entanto, das principais organizações do Krav Maga em todo o mundo, as técnicas
são muito semelhantes.
Alguns dos principais focos de técnicas no Krav Maga são – como descrito acima – eficácia e resposta
instintiva sob estresse. Para tanto, o Krav Maga é um sistema eclético que não procurou substituir as
técnicas efetivas existentes, tirando o que é útil dos sistemas disponíveis, por exemplo:
Ataques – Karate e Boxe. Quedas e Arremessos – Judô, Aikido e Wrestling Golpes no Chão – Judô e
Wrestling
Técnicas retiradas de tais sistemas foram, em alguns casos, modificadas para refletir o fato de que sua
gênese está em um esporte com regras, o que limita a eficácia em situações reais de luta. Além disso, o
Krav Maga desenvolveu várias técnicas complementares, conforme necessário.
Exemplos de técnicas que foram desenvolvidas dentro do sistema incluem Saídas de estrangulamentos e
agarramentos:
Como mencionado acima, muitas vezes os sistemas que empregam agarramentos, estrangulamentos,
desmontagens, etc. são esportes competitivos e não permitem socos e chutes.
O Krav Maga, portanto, suplementa fugas retiradas desses sistemas com golpes, incluindo pé, pé na
virilha, cabeçada, etc.
Defesas de armas de mão vazia ( baseadas na premissa de que o indivíduo que é atacado em uma
situação de assalto, é mais provável que esteja desarmado), incluindo:
Defesa contra um atacante empunhando uma faca. Defesa contra um atacante empunhando um
bastão / bastão. Desarme de pistola.
Imi Lichtenfeld nasceu em 1910 em Pozsony na Austro-Hungria e cresceu em Bratislava ( Eslováquia).
Lichtenfeld tornou-se ativo em uma ampla gama de esportes, incluindo ginástica, luta livre e boxe. Em
1928, Lichtenfeld venceu o Campeonato Eslovaco de Luta Juvenil e em 1929 o campeonato adulto
(divisões de peso leve e médio).Nesse mesmo ano, ele também ganhou o campeonato nacional de boxe
e um campeonato internacional de ginástica. Durante a década seguinte, as atividades atléticas de Imi
se concentraram principalmente em wrestling, tanto como competidor quanto como treinador.
Em meados da década de 1930, revoltas anti-semitas começaram a ameaçar os judeus de Bratislava, na
Checoslováquia. Lichtenfeld tornou-se o líder de um grupo de boxeadores e lutadores judeus que
tomaram as ruas para defender os bairros judeus contra o crescente número de partidos nacional-
socialistas e bandidos anti-semitas. Lichtenfeld rapidamente descobriu, no entanto, que a luta real era
muito diferente da competição, e embora o boxe e o wrestling fossem bons esportes, eles nem sempre
eram práticos para a natureza agressiva e brutal do combate de rua. Foi então que ele começou a
reavaliar suas idéias sobre luta e começou a desenvolver as habilidades e técnicas que eventualmente se
tornariam o Krav Maga. Tendo se tornado um espinho no lado das autoridades locais igualmente
antissemitas, depois de chegar à Palestina, Lichtenfeld juntou-se à organização paramilitar Haganah
para proteger os refugiados judeus dos árabes. Em 1944, Lichtenfeld começou a treinar lutadores em
suas áreas de especialização: condicionamento físico, natação, luta livre, uso da faca e defesa contra
ataques de faca. Durante este período, Lichtenfeld treinou várias unidades de elite do Haganah,
incluindo Palmach (força de ataque do Haganah e precursor das unidades especiais das Forças de
Defesa de Israel) e o Pal-Yam , bem como grupos de policiais.
Em 1948, quando o Estado de Israel foi fundado e o IDF foi f ormado, Lichtenfeld tornou-se Instrutor
Chefe de Aptidão Física e Krav Maga na Escola de Aptidão de Combate IDF. Ele serviu na IDF
por cerca de 20 anos, período durante o qual ele desenvolveu e refinou seu método único de autodefesa
e combate corpo-a-corpo. A autodefesa não era um conceito novo, já que quase todas as artes marciais
desenvolveram alguma forma de técnicas defensivas em sua busca pelo domínio do esporte ou do
torneio. No entanto, a autodefesa baseou-se estritamente nos princípios científicos e dinâmicos do corpo
humano. Em 1965, o treinamento de judô foi adicionado como parte do treinamento do Krav Maga, e
até 1968 não havia notas no Krav Maga. Então as notas de um aluno eram determinadas em grande
parte pelo seu conhecimento em judô.
Após a aposentadoria de Lichtenfeld do IDF, ele decidiu abrir uma escola e ensinar Krav Maga para os
civis.O primeiro curso do Krav Maga ocorreu no Instituto Wingate , em Netanya , Israel , em 1971, sob
a supervisão direta de Imi Lichtenfeld.
Em 1978, Lichtenfeld fundou a associação sem fins lucrativos israelense Krav Maga Association
(IKMA) com vários instrutores seniores. Após sua aposentadoria, Imi nomeou Haim Gidon como seu
sucessor para ser Grão-Mestre e presidente do IKMA.
Lichtenfeld morreu em janeiro de 1998 em Netanya , Israel.
Quando o Krav Maga começou a se espalhar para além das fronteiras de Israel, surgiu a necessidade de
fundar uma organização civil internacional. Alguns dos estudantes de primeira e segunda geração de
Lichtenfeld, entre os quais Arviat Zagal, Asaf Halevi e Dan Levy, formaram uma nova federação
internacional, civil e civil de Krav Maga.

A filosofia do Krav Maga


O Krav Maga foi criado para ser utilizado como um meio de combate e de defesa pessoal. Contudo, isso
não significa que seja só utilizado por forças militares de segurança pública e privada, pois todo e
qualquer cidadão necessita de segurança e proteção. Atualmente existem vários tipos de violência, desde
assaltos, raptos, violações e uma série de acontecimentos que colocam em causa a integridade física de
uma pessoa e cabe a cada um em particular saber defender-se e estar o melhor preparado possível. Esta
é a filosofia desta arte marcial, pois ela tenta neutralizar todas as ameaças e visa proteger a sobrevivência
dos seus praticantes.

As características principais do Krav Maga


O Krav Maga é uma arte marcial com características únicas que a distingue em relação às demais.
As características mais importantes são as seguintes:
É uma arte marcial baseada em instintos e reflexos naturais. Todos os praticantes devem ter a consciência
dos riscos e, como tal, devem ter uma preparação física e mental adequada.
O Krav Maga atua no limite do erro humano e, em caso de confronto, todos os praticantes devem esperar
pelo melhor momento para atacar e/ou desarmar o adversário, caso exista essa necessidade.
Para a prática correta desta modalidade, é necessário desenvolver um enorme poder de resposta com
movimentos precisos e aplicá-los sempre com a máxima força. É por isso que muitas das técnicas
utilizadas no Krav Maga são partilhadas por outras artes de combate como o Boxe, Muay Thai,
Vale Tudo, entre outros.
Ensina a forma como deve utilizar o seu corpo, para que aprenda a esquivar-se dos golpes dos
adversários e para o atacar com a máxima eficácia.
O Krav Maga usa sempre os mesmos princípios: simplicidade, rapidez e eficácia, desde a técnica mais
básica até à mais avançada. A sua capacidade de desarme, anulação da ameaça e sobrevivência são os
conceitos principais que são trabalhados nesta arte marcial que atrai cada vez mais praticantes em todo
o mundo.
O que é o Krav Maga?
O Krav Maga é uma arte marcial de origem Israelita e consiste num método de combate corporal (full
contact) muito assertivo e eficaz. Trata-se de uma forma de luta e defesa pessoal que tem como
objetivo principal a salvaguarda de interesses e a defesa da honra de todos os seus praticantes.
É, atualmente, o método de autodefesa mais eficiente do mundo e dirige-se a todas as pessoas que
querem aprender a defender-se de ataques individuais ou em grupo (com ou sem armas de ataque). A
sua prática envolve técnicas próprias de luta e a realização de torções, pontapés e punhos certeiros em
locais específicos do corpo do adversário. Por outro lado, os praticantes trabalham a sua autoconfiança
e tornam-se pessoas mais ágeis e flexíveis.
No Krav Maga não existe regulamentação e é por isso que todos os golpes são permitidos, com o
intuito de lidar com e ultrapassar qualquer tipo de situação de perigo.
O termo Krav Maga é uma palavra que deriva da junção de duas palavras: “Krav” que designa
combate e “Maga” que significa contacto. Dessa forma, o Krav Maga é uma arte marcial de combate
de contacto e foi um dos segredos mais bem guardados na história do Estado Israelita.

RESUMO: História do Krav Maga


O Krav Maga nasceu da necessidade do povo Israelita se defender das Milícias Anti-semitas durante
os anos 30 e na 2ª Guerra Mundial. O seu aparecimento deve-se aos contributos do boxeador Imi
Lichtenfeld que fez uso da sua formação profissional e dos seus conhecimentos de Jujutsu e Judo para
defender o quarteirão judeu onde viveu durante o período de guerra que afetou a cidade de Bratislava.
Mais tarde, durante a Guerra da formação do Estado Israelita, Imi Lichtenfeld teve a responsabilidade
de formar tropas, no entanto, tinha de o fazer num curto espaço de tempo. O boxeur começou assim a
treinar e a especializar as tropas nos combates corpo a corpo e a desenvolver técnicas que ficaram
conhecidas como Krav Maga.
Durante este período conturbado, o Ministério da Educação de Israel, promoveu o ensino do Krav
Maga nas escolas e esta passou a ser uma disciplina obrigatória na recruta das Forças de
Defesa Israelitas (IDF).
Atualmente, em todo o mundo, inúmeras forças militares de segurança pública e privada, treinam
o Krav Maga, devido à facilidade de movimentos e rapidez de aprendizagem, mas principalmente
porque é uma arte marcial que dá resposta às necessidades dos operacionais. Alguns exemplos de
agências de segurança que praticam o Krav Maga são: CIA, FBI, SWAT (Estados Unidos da América);
GIGN (França); GOE, PJE (Portugal) e todas as Forças Israelitas.

Imi Lichtenfeld
O Surgimento do KRAV MAGA,
década de 40, em Israel
Surgiu na década de 40 em Israel, que estava em guerra, havendo conflitos muito violentos contra os
judeus.
Em meio a necessidade de sobrevivência, e tendo como “arma” apenas os seus corpos, os israelenses
resolveram desenvolver uma forma de combate com algumas técnicas, usando apenas o que tinham.
Com o tempo essas técnicas foram se aperfeiçoando pela elite militar em meio as necessidades, sendo
praticada apenas por civis no início. Só em 1964, que o Krav Magá ficou conhecida em todo o país,
sendo totalmente liberado e ensinado aos militares em geral e a população de Israel.
A partir desta época é que começou de fato, a serem ensinadas as suas técnicas, e o Krav Magá começa
a ser praticado e treinado por grupos. E aí que esta forma de luta, começa a se espalhar pelo mundo.
Chegando ao nosso país apenas em 1990.
Para treinar o Krav Magá, é importante saber que seu ensinamento é dividido, em duas partes.
A primeira que se aprende as técnicas básicas de auto defesa e a segunda, que inclui as técnicas mais
complexas, muito usadas em combates militares, corpo-a-corpo.
Ainda nos primeiros anos do seu surgimento, por serem proibidas as armas de fogo pelos britânicos nos
tempos de guerra, eram utilizados pelos militares, os bastões, fazendo deste objeto, o único meio
material de defesa.
Os bastões são usados até os dias de hoje, por batalhões policiais, forças do exército, entre outros deste
meio. Tendo evoluído algumas técnicas, e sendo divididas em três, suas formas.
Primeiro, deve-se aprender os meios de se defender dos ataques com bastões vindos de qualquer direção
não importando se a vítima esteja munida de alguma arma ou não; Segundo, deve-se aprender as formas
de atacar com o bastão, transformando este instrumento, uma extensão dos membros, apresentando
poder a quem o segura; Na terceira fase, é hora de unir a defesa e o ataque, nos combates.
As técnicas de combate são baseadas na física e na matemática. Tem que haver todo um estudo para,
saber a força usada, a massa e a aceleração do golpe.
A intenção básica da prática do Krav Magá, é já de início, neutralizar a pessoa que vier a atacar, com
um golpe imediato. Atingindo de imediato as zonas mais doloridas possível. É um tipo de luta
extremamente útil, para diversos tipos de ataque, sejam eles armados ou não.
Krav Magá, não é considerada um esporte, seu objetivo é a autodefesa.
Há diversas academias no Brasil, hoje em dia, que ensinam algumas técnicas desta arte, para as pessoas
que querem aprender mais sobre autodefesa.etivo é mostrar que qualquer um tem em seu corpo grande
poder, podendo usá-lo como uma arma letal, para defender sua vida, independendo de sua idade, gênero,
porte físico, ou qualquer outra característica. Por este motivo não há regras, só há técnicas, que ajudam
a reforçar ainda mais toda sua utilidade para a autoproteção.
UM POUCO MAIS SOBRE A
HISTÓRIA DO CRIADOR DO KRAV MAGÁ
Imi Lichtenfeld, o criador do Krav Magá, Nascido em 26 de maio de 1910, no antigo império
austro-húngaro. Existem fontes que publicam sua origem na cidade de Budapeste e outras que alegam
que ele foi criado em Bratislava, capital da antiga Eslováquia.

De uma familia de policiais, desenvolveu desde cedo habilidades esportivas ligadas à ginástica, natação
e relacionadas ao combate corpo-a-corpo. Aos 18 anos ganhou competições de luta livre greco-romana
e boxe no Makabiada, Olimpíada da comunidade judaica.
Imi foi um grande defensor da autodeterminação do povo judeu da existência de um Estado judeu
independente. Seu sentimento de amor à Pátria e sua devoção eram do tamanho do seu coração e assim,
nos anos 30, com o crescimento do movimento Neonazista, onde as comunidades judaicas eram
oprimidas, Imi passou a liderar aqueles que se julgavam mais aptos para defenderem os seus entes
queridos.
Na década de 40, com o advento da 2ª segunda guerra mundial, Imi se dirigiu para Israel, onde passou a
lutar pela formação do Estado judeu. Ao retornar para Israel, Imi ingressou no Exército Inglês onde
serviu por 2 anos. Em 1942 deixou as fileiras do Exército e foi autorizado a seguir para Israel, onde
ingressou no grupo de defesa “Haganah”, a partir do qual passou a exercer a função de preparador físico
e treinador de defesa pessoal e combate corpo a corpo. Desta maneira, começou a desenvolver sua
didática e suas técnicas na busca de preparar a população para a sua defesa.
Com a criação do Estado de Israel, em 1948, Imi se alistou no “Tzahal” (Forças de Defesa Israelenses),
onde foi nomeado instrutor chefe de preparação fisica para o combate e de defesa pessoal. Comandou
este departamento por 18 anos, até se aposentar no ano de 1966.

IMI LICHTENFELD
O CRIADOR DO KRAV-MAGÁ
SER HUMANO SIGNIFICA QUERER MELHORAR O TEMPO TODO!!!
Nesta época, durante os tempos de resistência e nos primeiros anos depois da fundação do exército
israelense, os treinamentos de defesa pessoal e preparação fisica ganharam vários nomes, como Kapap,
Krav Panim El Panim (combate corpo a corpo), Makel Bemakel (bastão contra bastão) Yadaim Reikot
(mãos vazias), etc. Esses nomes não tinham nenhuma ligação com o Krav-Magá, além do fato de que
Imi, sendo o instrutor-chefe, foi o único responsável pelas aulas e pela elaboração dos programas de
treinamento.
Em 16 de novembro de 1970, as técnicas que antes eram treinadas de forma separadas, passaram a ser
chamadas de Krav Magá – A Arte Marcial Israelense para a Defesa Pessoal.
No dia 22 de outubro de 1978, Imi funda a Associação de Krav-Magá, com sede na cidade de Natanya,
na rua Smilansky nr 10.
Em carta oficial de “Honra ao Mérito”, o chefe do Estado Maior das forças armadas escreve que desde a
época da Haganah e Palmah, passando por todos os anos do Tzahal, a capacidade de guerrear e o
potencial pessoal foram os alicerces da qualidade do guerreiro israelense, e não houve ninguém mais
responsável por este resultado, por esta conquista, que Imi Lichtenfeld.
Em carta escrita pelo Ministro da Educação e Cultura, Zvulum Amer, é reconhecida a importância da
preparação da juventude israelense para enfrentar a violência do dia a dia e, por este motivo, o Ministério
da Educação apóia o ensino efetivo de Krav Magá em todas as escolas. O Ministro então agradece a Imi
pela criação de técnica tão eficiente, qualificada como mérito azul e branco. Azul e branco é um termo
usado em Israel para pessoas que honram o país, pois azul e branco são as cores da bandeira de Israel.
Até os seus últimos anos de vida, Imi possuía força e agilidade inexplicáveis para a sua idade. Para a
tristeza de toda a família do Krav Magá, Imi Lichtenfeld faleceu em Janeiro de 1998, por morte súbita
durante o sono.
APOSTILA VOLUME

01
KRAV MAGA
Acesse nosso blog site oficial:
https://kravmagablumenaubrasil.blogspot.com