Você está na página 1de 3

Tratamentos dos Metais 1 – Lista de Exercícios 2

Prof. Leonardo Simoni

1. O ferro é um metal alotrópico, ou seja, a sua estrutura cristalina varia com a


temperatura e/ou pressão. Na pressão de 1 atm, o ferro apresenta a
transformação de ferrita alfa para ferrita gama e depois para ferrita delta com
o aumento da temperatura. Diga como varia o volume em função da
temperatura, considerando essas transformações de fase. Por que ocorre esse
comportamento? Quais as possíveis consequências práticas desse fenômeno?
2. Descreva a estrutura cristalina do (a):
a. Ferro alfa;
b. Ferro gama (austenita);
c. Ferro delta;
d. Cementita
3. A ferrita (Ferro alfa) apresenta um fator de empacotamento de 68% enquanto
que a austenita (Ferro gama) apresenta um fator de empacotamento de 74%.
Compare a solubilidade em carbono dessas duas fases, indicando qual pode
solubilizar mais carbono e explicando o motivo para essa diferença.
4. Desenhe o diagrama Fe-C, indicando os pontos invariantes presentes nesse
diagrama (ponto eutético, peritético e eutetoide).
5. O que é a perlita e a ledeburita?
6. Diga como ocorre a reação eutetoide em um aço eutetoide em detalhes. Qual a
microestrutura final obtida?
7. Qual é o percentual de ferrita presente na perlita?
8. Qual é a concentração de carbono de uma liga Fe-C na qual a quantidade total
de ferrita é 94%?
9. Desenhe parte do diagrama Fe-C e descreva o resfriamento de uma liga Fe-C
com 0,4% em peso de carbono desde a temperatura de 900ºC até a
temperatura ambiente. Na temperatura ambiente diga qual é a microestrutura
observada e pela regra da alavanca calcule as quantidades de ferrita pró-
eutetoide e cementita.
10. Desenhe parte do diagrama Fe-C e descreva o resfriamento de uma liga Fe-C
com 1,4% em peso de carbono desde a temperatura de 900ºC até a
temperatura ambiente. Na temperatura ambiente diga qual é a microestrutura
observada e pela regra da alavanca calcule as quantidades de cementita pró-
eutetoide e perlita.
11. Mostre através de uma representação gráfica como varia a resistência à tração e ao
escoamento, bem como a ductibilidade (alongamento e a tenacidade em função do
percentual de carbono no aço).
12. O ferro apresenta uma transição de fase de ferrita para austenita a 912 ºC. A
dilatação térmica é uma técnica muito empregada para estudar essa transição de fase.
Um corpo de prova, com o formato de pequeno cilindro feito de ferro, é colocado em
um forno, e seu comprimento é medido em função de um aumento linear da
temperatura. Durante um aquecimento da temperatura ambiente até 1.200 ºC
constata-se que o comprimento do corpo de prova:
(A) aumenta de maneira quase linear, sem descontinuidade, até 1.200 ºC.
(B) aumenta de maneira quase linear até a temperatura de transição, quando sofre
uma pequena e brusca dilatação para depois continuar a aumentar.
(C) aumenta de maneira quase linear até a temperatura de transição, quando sofre
uma pequena e brusca redução para depois continuar a aumentar.
(D) decresce de maneira quase linear, sem descontinuidade, até 1.200 ºC.
(E) decresce de maneira quase linear até a temperatura de transição, quando sofre
uma pequena e brusca redução para depois continuar a decrescer.

13. O aço eutetóide é um aço que tem um teor de carbono:


(A) acima de 0,77%, sendo esta uma composição particular encontrada no diagrama
ferro-carbono cuja transformação de austenita para ferrita e cementita ocorre com a
variação da temperatura. A transformação de uma fase líquida em duas fases sólidas
acontece instantaneamente.
(B) de 0,77%, sendo esta uma composição particular encontrada no diagrama ferro-
carbono cuja transformação de ferrita para austenita e cementita ocorre com a
variação da temperatura. A transformação de uma fase sólida em duas fases sólidas
acontece lentamente.
(C) de 0,77% sendo esta uma composição particular encontrada no diagrama ferro-
carbono cuja transformação de austenita para ferrita e cementita ocorre com a
variação da temperatura. A transformação de uma fase sólida em duas fases sólidas
acontece lentamente.
(D) de 0,77%, sendo esta uma composição particular encontrada no diagrama ferro-
carbono cuja transformação de austenita para ferrita e cementita ocorre com a
variação da temperatura. A transformação de uma fase líquida em duas fases sólidas
acontece instantaneamente.
(E) inferior a 0,77%, sendo esta uma composição particular encontrada no diagrama
ferro-carbono cuja transformação de ferrita para austenita e cementita ocorre com a
variação da temperatura. A transformação de uma fase sólida em duas fases sólidas
acontece lentamente

14. Quando resfriados lentamente, os aços-carbono comuns possuem diferenças em


suas microestruturas, devido aos teores de carbono presentes em suas composições. A
diferença entre a microestrutura de um aço com teor elevado de carbono, superior a
0,8%, e a de um aço com baixo teor de carbono, ambos na temperatura ambiente, é a
formação da fase
(A) eutetoide que, no aço com teor elevado de carbono, é a ferrita eutetoide e, no aço
com baixo teor de carbono, é a ferrita proeutetoide.
(B) eutetoide que, no aço com teor elevado de carbono, é a cementita eutetoide, e, no
aço com baixo teor de carbono, é a cementita proeutetoide.
(C) proeutetoide que, no aço com teor elevado de carbono, é a perlita proeutetoide, e,
no aço com baixo teor de carbono, é a ferrita proeutetoide.
(D) proeutetoide que, no aço com teor elevado de carbono, é a ferrita proeutetoide, e,
no aço com baixo teor de carbono, é a cementita proeutetoide.
(E) proeutetoide que, no aço com teor elevado de carbono, é a cementita
proeutetoide, e, no aço com baixo teor de carbono, é a ferrita proeutetoide.