Você está na página 1de 44
nº 33 - Abril/Maio - 2010 - ano 06

nº 33 - Abril/Maio - 2010 - ano 06

nº 33 - Abril/Maio - 2010 - ano 06
nº 33 - Abril/Maio - 2010 - ano 06

Outras matérias:

Saúde Regional - pág. 8

Rotary Club- pág. 12

Quimbiol - pág. 18

Museu de História Natural - pag. 20

Social Vale - pág. 26

Magic Paula - pág. 30

Maria Alcina- pág. 38

Expediente

Diretor responsável:

José Carlos Reis de Souza

Departamento Jurídico:

Dra. Célia Teresa Mörth Dra. Rossana Oliveira A. Soares

Impressão Gráfica:

WT Indústria Gráfica Ltda.

Jornalista Responsável:

Jefferson Mello - MTB/SP 32582

Projeto Gráfico:

Mauricio Jorge

Editoração:

Letícia Casoni Peres

Tiragem: 5.000 exemplares Distribuição gratuita e dirigida Publicação Bimestral

Contato

Revista Empresas do Vale

Rua Duque de Caxias, 102 Sala 1 - Centro - Taubaté - SP CEP 12.020-050 redacao@revistaempresasdovale.com comercial@revistaempresasdovale.com www.revistaempresasdovale.com

Dpto. Comercial

(12) 9787-6329

Índice

Dpto. Comercial (12) 9787-6329 Índice Mazzaropi, pág 10 Ladeira Miranda, pág 4 Editorial José

Mazzaropi, pág 10

Dpto. Comercial (12) 9787-6329 Índice Mazzaropi, pág 10 Ladeira Miranda, pág 4 Editorial José Carlos Reis

Ladeira Miranda, pág 4

Editorial

José Carlos Reis de Souza

Diretor Responsável

Na semana Mazzaropi, reafirmamos nosso compromisso para com a memória da cultura brasileira. Mazzaropi encheu cinemas, mobilizou intensa simpatia do

público e competiu para demonstrar

a viabilidade do filme nacional.

Personagem alegórico em que o universo rural começa a perceber-se ameaçado pela expansão da cidade.

O jeca por ele criado espelha as

contradições reais ou presumidas,

entre dois mundos diversos. Entre choques de valores resulta

uma espécie de duelo, mais hilariante

do que trágico, entre a ingenuidade

sábia encarnada pelo Jeca e a malícia incompetente do homem com raízes urbanas. Mazzaropi esquematizou com seus filmes os contornos de um maniqueísmo de forte conteúdo didático, capaz de expressar as reproduções do homem face aos novos procedimentos que, a partir

da cidade, operam a invasão da vida

tradicional. Mazzaropi, em sua profissão, foi de uma maestria apreciável. Nossas homenagens a este homem que deixou gravado nas fitas cinematográficas um trabalho que vai perdurar por muitas gerações.

um trabalho que vai perdurar por muitas gerações. Saúde: Dr. Ubirajara , pág 16 Kather Odontologia,

Saúde: Dr. Ubirajara , pág 16

por muitas gerações. Saúde: Dr. Ubirajara , pág 16 Kather Odontologia, pág 37 Colaboradores: Mauricio Jorge

Kather Odontologia, pág 37

Saúde: Dr. Ubirajara , pág 16 Kather Odontologia, pág 37 Colaboradores: Mauricio Jorge , designer e

Colaboradores:

Mauricio Jorge, designer e ilustrador. www.zuinn.com.br/maujorge

Apoio:

, designer e ilustrador. www.zuinn.com.br/maujorge Apoio: As fotos de divulgação foram cedidas pelas empresas e/ou

As fotos de divulgação foram cedidas pelas empresas e/ou pessoas mencionadas nos textos. Não é permitida a reprodução sem autorização expressa dos autores, por escrito. Os textos, informações e anúncios publicitários são de inteira e exclusiva responsabilidade dos autores e empresas anunciantes.

LADEIRA MIRANDA

CERTIFICADO ISO:

O DIFERENCIAL DAS ORGANIZAÇÕES

MIRANDA CERTIFICADO ISO: O DIFERENCIAL DAS ORGANIZAÇÕES O NASCER DA QUALIDADE e no mercado, portanto o

O NASCER DA QUALIDADE

e

no mercado, portanto o método

sigla, pois o nome da organização

de

desenvolvimento carece para a

teria abreviaturas diferentes nas

Na antiguidade o responsável de

função de qualidade, planejamento

diferentes línguas (IOS em inglês, OIN

todas as tarefas, desde a escolha da matéria prima ao final de acabamento

estratégico, estabelecimento de objetivos e mobilização.

em francês ou OIP em português), foi determinado utilizar a palavra

e entrega do produto, tinha sob a

sua responsabilidade a qualidade

de tudo o que era produzido, desde

a produção e o alto padrão de

qualidade. Com o surgimento da

industrialização, ocorreu o processo de divisão das tarefas na confecção de produtos. Ocorreu então que a qualidade passou para o controle de qualidade industrial que exerce

a supervisão desses grupos. Com o

aumento das escalas de produção e números de trabalhadores, a solução

foi à padronização dos produtos. Após

a Segunda Guerra Mundial, houve

uma grande evolução tecnológica,

acompanhadaporumacomplexidade

técnica de materiais, processos de fabricação e produtos. Surgiu então a evolução do controle de qualidade (controle estatístico, baseado em

inspeção por amostragem e gráficos

de controle). Mas, as ações corretivas

desencadeadas, ainda eram de

eficácia limitada. O mundo não para, e chega à gestão estratégica de qualidade nas grandes empresas a suceder a era da garantia de qualidade, substituindo

a era do controle estatístico de

qualidade. Sendo assim, os interesses primários de gestão estratégica estão

voltados para o impacto estratégico de qualidade, sendo qualidade e vista como uma oportunidade a mais, e decisiva, na competição com outras empresas. O destaque está nas necessidades dos consumidores

A deficiência das ações corretivas

e a acirrada competição pelo

mercado consumidor acabaram

contribuindo significativamente para que se adotasse um novo enfoque em termos de controle

de qualidade. O CQT (Total Quality

Control), também conhecido por

TQM (Total Quality Management). Foi

um

modelo

criado para a certificação

de

qualidade. Estes organismos são

autorizados por órgãos reguladores

oficiais a realizar este tipo de atividade.

Esta autorização é chamada de

acreditação”, ou seja, o órgão oficial afirma que o organismo certificador tem a capacidade para realização de determinada certificação em produtos, serviços ou processos. Sendo assim, as ações de qualidades da empresas é educar, prestar consultorias, treinar, além de formular

o programa de qualidade junto aos

seus membros executivos, exercendo forte liderança.

O

SIGINIFICADO

“ISO”

DA

PALAVRA

A “ISO” (International

Organization for Standardization) é uma constituição internacional, formando uma rede de institutos de

normalização de 157 países, com sede

na Suíça. O objetivo é instituir normas

técnicas no âmbito internacional.

O nome “ISO” não representa uma

derivado do grego “isos” que significa

igual. Desta forma, em qualquer língua

e em qualquer país o nome da organização será sempre conhecido como “ISO”.

LADEIRA MIRANDA ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO

Por tudo isso que vem ocorrendo no mundo corporativo, a Ladeira Miranda Engenharia e Construção, foi certificada pela ABNT NBR ISO 9001:2008, que especifica requisitos para um Sistema de Gestão da Qualidade. Com isto, vem programando os seus padrões de qualidade tornando-se mais

competitiva nos mercados internos

e externos. Com a certificação, a

empresa já toma ações corretivas e preventivas para que problemas não

se repitam, e executam auditorias internas realizadas para verificar a eficácia dos sistemas, Outro ponto fundamental da empresa são as políticas e objetivos que necessitam ser definidos e alcançados. Outro quesito positivo é fornecer produtos e serviços com

qualidade e aumento da satisfação do cliente, além de estreitar um bom relacionamento entre a Ladeira Miranda e seus fornecedores, maximizando os resultados de ambos. Com a certificação, a empresa já está consolidando a

marca no mercado junto aos clientes

conquistados, no atendimento das necessidades e expectativas, aprimorando produtos e serviços, fundamentando o
conquistados, no atendimento das necessidades e expectativas, aprimorando produtos e serviços, fundamentando o
conquistados, no atendimento das necessidades e expectativas, aprimorando produtos e serviços, fundamentando o
conquistados, no atendimento das necessidades e expectativas, aprimorando produtos e serviços, fundamentando o
conquistados, no atendimento
das necessidades e expectativas,
aprimorando produtos e serviços,
fundamentando o relacionamento na
ética e transparência.
POLÍTICA AMBIENTAL

A Ladeira Miranda matem uma política ambiental de conformidade legal com a legislação vigente e demais normas aplicadas em suas atividades. Pesquisa insumos naturais ou derivados da natureza, agenciando o uso de forma coerente nas atividades da empresa. Considera a relevância ambiental aos projetos em implantar seus empreendimentos no impacto da fauna e flora, em área de influência de seus empreendimentos. Coopera com iniciativas educacionais que valorizem a conscientização sócio ambiental de todos os seguimentos envolvidos no processo. Estabelece parcerias públicas através da inserção na gestão territorial pública em torno dos empreendimentos. Para finalizar, a Ladeira Miranda sente-se orgulhosa por fazer parte da gama de empresas certificadas, pelo ótimo empenho e trabalho junto aos seus clientes.

orgulhosa por fazer parte da gama de empresas certificadas, pelo ótimo empenho e trabalho junto aos
orgulhosa por fazer parte da gama de empresas certificadas, pelo ótimo empenho e trabalho junto aos

Você sabe de onde vem a madeira que você consome?

Você sabe de onde vem a madeira que você consome? Luiz Tuan Neto (Empresário) O desmatamento

Luiz Tuan Neto (Empresário)

O desmatamento na região amazônica

e suas decorrências em relação às mudan-

ças climáticas do planeta, hoje, são ecoa- dos internacionalmente como o funda- mental problema ambiental do Brasil.

A maior parte da produção madeireira

da Amazônia, isto é 64% de toda a madei- ra produzida na Amazônia é consumida

por brasileiros, segundo o IMAZON – Fatos Florestais – 2005.

O Estado de São Paulo é o maior con-

sumidor, respondendo por 15% do consu- mo nacional, sendo que, dentre aos princi- pais setores consumidores, enfatizamos a indústria moveleira e a construção civil. Quando adquirimos um produto cuja ma- téria prima tem procedência da explora- ção predatória e ilegal dos recursos flores- tais, também estamos sendo responsáveis pela degradação do meio ambiente. Porém através de nossas escolhas, po- demos interferir para que nossas florestas não sejam destruídas de forma predató- ria, e, saber a procedência da madeira é fundamental no momento da compra do produto. Um consumidor consciente precisa ter idéia de todo o processo para saber, se com sua compra, está protegendo a man- ter a Floresta Amazônica de pé ou contri- buindo para a continuidade do desmate.

de pé ou contri- buindo para a continuidade do desmate. A partir desta edição vamos falar
de pé ou contri- buindo para a continuidade do desmate. A partir desta edição vamos falar

A partir desta edição vamos falar sobre a compra e consumo de madeiras de reflorestamento. Este assunto é para que nós possamos ter conhecimento e consciência de como não dar oportunidade para pessoas que exploram madeiras nativas

dar oportunidade para pessoas que exploram madeiras nativas Existem inúmeros empreendimentos florestais que adotam

Existem inúmeros empreendimentos florestais que adotam padrões internacio- nais de procedimentos que têm como ob- jetivo principal, conciliar o uso da floresta e a conservação de seus recursos naturais. Nestes empreendimentos, a explo- ração da madeira de forma ambiental- mente correta, socialmente benéfica e economicamente viável se consolida em importante ferramenta para a sustenta- ção da floresta. A madeira acompanhada de provas documentais que garantam sua origem legal e não predatória, se constitui em produto sustentável, natural e oriundo de uma fonte plenamente renovável – a floresta. Reconhecida há muito como amiga da humanidade, a madeira deve ser re- presentada à sociedade atual como alter- nativa ecológica a materiais como metais, plásticos, compostos de cimento e outros que, em sua produção, utilizam como fon- te de energia a própria madeira e, em seus ciclos de vida, acarretam incomparáveis impactos ambientais. Quando utilizada na fabricação de bens duráveis como móveis, objeto de de- coração e nas habitações se constitui em ferramenta para fixação do carbono, con- tribuindo para a redução do aquecimento global.

A incorporação de espécies alternati- vas ao processo de escolha e especifica- ção da madeira empregada nas atividades da construção civil, em contraposição aos impactos ambientais causados pelo inten- sivo e constante de determinadas espé- cies, se traduz em importante passo do setor produtivo que mais consome este insumo no país para a preservação e sus- tentabilidade das florestas brasileiras. Estimativas indicam que entre 43% e 80% da produção madeireira da região Amazônica seja ilegal, advinda de áreas desmatadas ou exploradas de forma pre- datória e insustentável. Em média 75% dessa produção são destinadas ao merca- do interno. Assim há uma grande chance de que todas ou grande parte das empre- sas que usam madeira da região amazô- nica estejam involuntariamente utilizando madeira de origem ilegal ou predatória. Diante da exploração extrativista sem planos de manejo adequado das matas nativas, que retiram grandes volumes de apenas algumas espécies definidas pelo mercado, com isso, a floresta não conse- gue se recompor naturalmente na mes- ma velocidade.

Fonte: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do estado de São Paulo S.A. Por: Luiz Tuan Neto

AMBULATÓRIO PRÉ-TRANSPLANTE DO HOSPITAL REGIONAL

1 ano de atendimento ao paciente renal

DO HOSPITAL REGIONAL 1 ano de atendimento ao paciente renal Área com aparelhos para hemodiálise O

Área com aparelhos para hemodiálise

O Ambulatório Pré-Transplante do Hospital Regional do Vale do Paraíba, do Governo de São Paulo, completou no mês de março o 1º ano de triagem de pacientes para doação de rins. O Hospital trouxe para a região um atendimento personalizado que, até

então, existia apenas na capital paulista. Trata-se de um acompanhamento ao paciente e o seu potencial doador, que envolve geralmente um membro da família. Quando detectada a potencialidade

de doação por parte de algum familiar,

a Equipe Médica passa a fazer o

acompanhamento do paciente e do doador, com a realização de consultas, esclarecimento de dúvidas, além dos

exames de Análises Clínicas e de Imagem. Quando constatada a compatibilidade, paciente e doador são encaminhados para realizar apenas o transplante no Hospital Bandeirantes, em São Paulo, instituição comandada pelo Grupo Saúde Bandeirantes, que também administra o Hospital Regional. Após a cirurgia, eles voltam para o Hospital Regional para o acompanhamento pós-operatório. No caso do doador, são realizadas consultas anuais. Já o paciente, em seu primeiro ano, passa por várias consultas para avaliar as doses de medicação ministradas. Desde o início do programa, 2 transplantes renais com a doação de familiares já foram realizados e outros 10 casos estão em estudo. O sucesso do programa só não é maior devido ao receio das famílias em possibilitar a doação. Para a Dra. Re- jane Maria Spindola Furtado, nefrologis- ta responsável pela Triagem no HR, o programa trouxe ao Vale do Paraí- ba comodidade, menor desgaste e aproximação com

do Paraí- ba comodidade, menor desgaste e aproximação com Recepção a equipe médica. “Até então o

Recepção

a equipe médica. “Até então o hospital apenas cadastrava e mandava o paciente para São Paulo. Era um processo penoso para ele, com várias idas para consultas, realização e resultados de exames. Aqui no Hospital Regional, além de mais con- fortável, conseguimos agilizar os trâmites em um tempo relativamente pequeno”. Já os casos em que não há um familiar doador, o paciente passa a integrar o Cadastro Técnico Único da Central de Transplantes de São Paulo. Hoje, cerca de 80% dos pacientes que estão em Hemodiálise no Hospital Regional estão cadastrados nesta lista. Consolidando a referência do atendimento integral ao paciente com doença renal, o Hospital conta com

o Centro Estadual de Tratamento de

Doenças Renais do Vale do Paraíba, no qual mais de 1100 pacientes recebem acompanhamento multidisciplinar e a Unidade de Diálise voltada para casos crônicos. O Governo do Estado não tem poupado esforços para destinar investimentos à região do Vale do Paraíba. O Hospital Regional também trabalha em um projeto futuro ainda

maior: a realização de transplantes renais. Com isso a Instituição passa a ser mais uma unidade cadastrada a atender a demanda repassada pela Central Estadual

de Transplantes.

passa a ser mais uma unidade cadastrada a atender a demanda repassada pela Central Estadual de
Mazzaropi no filme Nadando em Dinheiro, produzido pela Companhia Cinema- tográfica Vera Cruz mundo a

Mazzaropi no filme Nadando em Dinheiro, produzido pela Companhia Cinema- tográfica Vera Cruz

mundo a fora, organizando e atuando como atores. Olga Crutt, a grande atriz que dominava o palco, foi trabalhar com Mazzaropi e adotou o nome artístico de “Olga Mazzaropi”. No ano de 1944, estando seu pai com uma doença grave, Mazza (como era chamado pelos íntimos), resolve ir para o Rio de Janeiro a convite do empresário Walter Pinto, e o grande sucesso da época no Teatro João Caetano, era a dupla Beatriz Costa e Oscarito. Ele foi contratado para substituir Oscarito, que não queria renovar o contrato. Foram feitas diversas

entrevistas para vários jornais, fotos para

os cartazes e, no dia de sua apresentação,

Oscarito renova o contrato, e Mazzaropi

sentiu-se humilhado, o último dos homens. Em novembro de 1944 foi contratado pela Companhia Nino Nello para inaugurar o Teatro Oberdan com a

peça “Filho de Sapateiro, Sapateiro Deve Ser” que aconteceu no dia 14/11/1944. Momento antes de sua estréia recebe

a notícia que seu pai havia falecido

quatro dias antes em Pindamonhangaba. No fim da década de 40, Mazzaropi é contratado pelo empresário Miguel Gioso para apresentações no Teatro Santana, mas não deu certo e saiu. Mazzaropi também passou pela rádio, em 1946 alguns amigos o levaram para o Costa Lima e o colocaram no ar, contou piadas e fez alguns comentários sobre tipos representativos do cenário artístico paulista. Foi contratado por três meses e

por final acabou ficando na Rádio Tupi por sete anos. Em 1950 foi inaugurada

MAZZAROPI

A Imagem de um Caipira

Perfil

Nome: Amácio Mazzaropi Natural: São Paulo – Centro (bairro Santa Cecília) Nascido: 09/04/1912 – Falecido: 1981 Profissão: Artista de teatro, cinema e diretor

Por José Carlos Reis de Souza

assistiu a todas as apresentações no Cine Teatro Polytheama em Taubaté: “Ensaio

 

e

Comédia”, “Farsa de Gargalhadas” e

A história de Amácio Mazzaropi

“Tristeza da Aristocracia”. Compareceu

marca a trajetória de um personagem

a

todos os espetáculos circenses:

brasileiro da nossa cultura caipira. Hoje em dia não podemos deixar passar despercebido e sem comemorar a

“Circo de Berlim”, “Circo Seyssel”, “Circo Irmãos Quirolo”. Sempre que findava um espetáculo Mazzaropi buscava

“Semana Mazzaropi” que já faz parte

ir

conversar com os atores e atrizes,

do calendário do município. Vamos dar

sempre aprendendo. Não satisfeito com

uma pincelada em sua vida, Mazzaropi

toda essa fome pela arte, não deixava

nasceu em São Paulo no bairro de Santa

de

participar do Baile Caipira do Clube

Cecília, centro, no dia 09/04/1912. Dois anos depois, a família migrou para a cidade de Taubaté – SP., seu pai, Bernardo

Recreativo. Em 1932, quando surgiu o “Bando Precatório”, com espetáculos litero-musicais em benefícios dos

Mazzaropifoicontratadoparatrabalharna

soldados constitucionalistas, assistiu

C.T.I. (Companhia Taubaté Industrial). Em

a

diversos números musicais com a

1916 sua mãe Clara também foi integrada

Banda Musical do Batalhão Piratininga

para trabalhar na mesma companhia. Foi

sob a regência do Maestro Martinez

nesse período que Mazzaropi começou a ter contato com o público. Seu avô João José Ferreira era uma pessoa curiosa,

Grau e a participação do maestro Fego Camargo. Em outubro do mesmo ano, chega a Taubaté a troupe (um grupo

trabalhava na agricultura, tocava viola e

de

teatro ambulante) de Luiz Carrara,

gostava de dançar cana verde. Seu traje,

Mazzaropi inferniza a vida do grande

um terno com paletó curto, calça acima

ator e consegue ajudá-lo na montagem

da botina amarela e aparecendo uma

do

cenário e sai pela cidade divulgando

parte da canela e, seu chapéu de palha

o

espetáculo. Carrara acaba aplicando

sempre foi seu companheiro. Mazzaropi

um teste a Mazzaropi e ele consegue

não nasceu artista, mas sempre sonhou com o palco. Por volta de 1930, na cidade de Taubaté, ele tinha o costume de andar durante a noite, parando na

uma vaga para participar do elenco da peça “A Herança do Padre João”. Em 1934, Mazzaropi ingressa na Troupe de Olga Crutt uma dama do teatro que faz

praça D. Epaminondas, Bar do Alemão, Café Ideal e Vitória, ouvindo o povo conversando, gargalhando e bebendo,

povo rir e chorar, o estilo que levou para a vida toda. E foi assim que ele chegou à conclusão que deveria montar

o

na sua mente existia um palco aos

a sua própria troupe. Seus pais venderam

seus pés. Entre 1930 / 1931, Mazzaropi

o

botequim e os acompanhou pelo

própria troupe. Seus pais venderam seus pés. Entre 1930 / 1931, Mazzaropi o botequim e os
Mazzaropi aos 4 anos de idade, ao lado de sua mãe Clara e pai Bernardo,

Mazzaropi aos 4 anos de idade, ao lado de sua mãe Clara e pai Bernardo, em Taubaté

a primeira emissora de TV no Brasil: a TV Tupi, onde participou do primeiro show de humorismo. Sua passagem pela TV foi muito rápida, participou dos programas da Tupi do Rio e São Paulo, passando pela TV Excelsior, fazendo parte do programa da Bibi Ferreira. Foi no início da década de 1950 que foi convidado por Abílio Pereira de Almeida e Tom Payne para trabalhar na Companhia Vera Cruz. Em 1953 volta ao Rio de Janeiro para um show no auditório da Rádio Nacional e faz uma das suas melhores apresentações de sua carreira. Quando terminou o show, foi contratado pela Rádio Nacional, na época da Emilinha Borba, permanecendo por dois anos. No cinema participou de diversos testes. A partir do ano de 1952, começa a carreira de produção cinematográfica de Mazzaropi, conforme segue os lançamentos:

de Mazzaropi, conforme segue os lançamentos: Mazzaropi ao lado de sua mãe Clara folhetos da história

Mazzaropi ao lado de sua mãe Clara

folhetos da história de Monteiro Lobato, o “Jeca Tatuzinho”). / As aventuras de Pedro Malazarte, 1961 - Zé do periquito / A tristeza do Jeca (o primeiro filme colorido rodado na fazenda da Santa), 1962 – Vendedor de linguiça, 1963 - Casinha pequenina, 1964 - O lamparina (filme que atingiu um público de 250 mil pessoas, em 23 cinemas, somente na primeira semana), 1965 – Meu Japão brasileiro,

1966 – O puritano da Rua Augusta, 1967

– O corinthiano, 1968 – Jeca e a freira,

1969 – No paraíso das solteironas (este

filme arrecadou no prazo de um ano,

uma bilheteria de 2 bilhões, seiscentos

e cinquenta mil cruzeiros) / Uma pistola

para Djeca, 1971 – Beto ronca ferro (foi o

filme mais autobiográfico que fez) 1972

– O grande xerife, 1973 – Um caipira em

Bariloche, 1974 – Portugal, minha saudade (essa produção lhe deu a oportunidade de ir à Europa, esteve em Paris e Londres,

1952 – Sai da frente / Nadando em

onde teve encontro com diretores,

dinheiro, 1954 – Candinho, 1955 – A

técnicos e produtores de cinema), 1975 –

Carrocinha, 1956 – O Gato de madame /

O

Jeca macumbeiro, 1976 – Jeca contra o

Fuzileiro do amor, 1957 – O Noivo da girafa,

capeta, 1977 – Jecão, um fofoqueiro no

1959 – Chico fumaça / Chofer de praça

Céu, 1978 – Jeca e seu filho preto, 1979 –

(Com o término do filme, ele sai fazendo

A

banda das velhas virgens, 1980 – Jeca

vários shows pelo Brasil, arrecadando

e

a égua milagrosa (o seu último filme)

dinheiro para pagar as cópias de

e

Maria Tomba homem (titulo provisório

laboratório e, deu certo). 1960 – Jeca tatu (rodado na fazenda Sapucaia e Fazenda

em começo de produção). Rememorar a carreira de Mazzaropi

Coruputuba, em Pindamonhangaba,

é

um privilégio a todos nós brasileiros

cedida pelo empresário Dr. Cícero da Silva Prado, Mazzaropi tinha certeza de bilheteria, pois a Biotônico Fontoura, havia espalhado pelo Brasil milhares de

ou a quem quer que seja de outras nacionalidades. Um homem que, em sua época conseguia como poucos, levar para as telas, a vida cotidiana de um caipira a

levar para as telas, a vida cotidiana de um caipira a O Gato de Madame 1954

O Gato de Madame 1954

identificar-se com seus personagens, fossem eles urbanos ou rurais. Fez com que milhares de pessoas fossem aos cinemas deste Brasil a fora, gargalhar com as suas comédias de estórias inocentes. Aprendeu a ser negociante e patrão, conhecendo as leis do mercado. Resistiu por décadas conduzindo o seu negócio, onde a lei que imperava era a dos mais fortes.

Esta matéria só foi possível, graças

a uma pesquisa elaborada durante

10 anos, pela professora de História, Olga Rodrigues Nunes de Souza (ex- diretora do Centro de Documentação

e Pesquisa Histórica da UNITAU).

de Souza (ex- diretora do Centro de Documentação e Pesquisa Histórica da UNITAU). Profª Olga Rodrigues

Profª Olga Rodrigues Nunes de Souza

Souza (ex- diretora do Centro de Documentação e Pesquisa Histórica da UNITAU). Profª Olga Rodrigues Nunes

Rotary Club Taubaté

03/03 - O Rotary Club Taubaté recebeu a visita do Governador do Distrito 4600, Ettore Dalboni da Cunha e sua esposa Euse, com um grande jantar.

Dalboni da Cunha e sua esposa Euse, com um grande jantar. Gov. (2004-2005) Orville, Drª Raquel
Dalboni da Cunha e sua esposa Euse, com um grande jantar. Gov. (2004-2005) Orville, Drª Raquel
Dalboni da Cunha e sua esposa Euse, com um grande jantar. Gov. (2004-2005) Orville, Drª Raquel

Gov. (2004-2005) Orville, Drª Raquel Hussne e Dr. Alyson Martins Correia

Orville, Drª Raquel Hussne e Dr. Alyson Martins Correia Gov. Ettore (2009-2010), Dr. Alyson Martins Cor-

Gov. Ettore (2009-2010), Dr. Alyson Martins Cor- reia, Gov. (2004-2005) Orville.

Dr. Alyson Martins Cor- reia, Gov. (2004-2005) Orville. Srª Euse e Gov. (2009-2010) Ettore Dalboni da

Srª Euse e Gov. (2009-2010) Ettore Dalboni da Cunha

Srª Euse e Gov. (2009-2010) Ettore Dalboni da Cunha Gov. Ettore, Mauro Fc° Tomé, Maria Ap.

Gov. Ettore, Mauro Fc° Tomé, Maria Ap. L. Tomé, Vera V. Cardoso e Rana

Mauro Fc° Tomé, Maria Ap. L. Tomé, Vera V. Cardoso e Rana Pres. Guilherme, Gov. (2009-2010)

Pres. Guilherme, Gov. (2009-2010) Ettore, José B. da Cruz e Gov. (1976-1977) Benedito Olegario

José B. da Cruz e Gov. (1976-1977) Benedito Olegario Regina, Gov.(2010-2011) Moacir e Joaquim Pres. Guilherme,
José B. da Cruz e Gov. (1976-1977) Benedito Olegario Regina, Gov.(2010-2011) Moacir e Joaquim Pres. Guilherme,
José B. da Cruz e Gov. (1976-1977) Benedito Olegario Regina, Gov.(2010-2011) Moacir e Joaquim Pres. Guilherme,

Regina, Gov.(2010-2011) Moacir e Joaquim

Benedito Olegario Regina, Gov.(2010-2011) Moacir e Joaquim Pres. Guilherme, Carmem, Gen Peternelli e Ma- ria Helena
Benedito Olegario Regina, Gov.(2010-2011) Moacir e Joaquim Pres. Guilherme, Carmem, Gen Peternelli e Ma- ria Helena

Pres. Guilherme, Carmem, Gen Peternelli e Ma- ria Helena

Pres. Guilherme, Carmem, Gen Peternelli e Ma- ria Helena Mulheres homegeadas pelo Rotary Taubaté Sul Silvia,

Mulheres homegeadas pelo Rotary Taubaté Sul

Ma- ria Helena Mulheres homegeadas pelo Rotary Taubaté Sul Silvia, Anilce, Pres. Marco e Claudia Rotary

Silvia, Anilce, Pres. Marco e Claudia

Rotary Club Taubaté Sul

09/03 – O Rotary Club Taubaté Sul prestou homenagem a diversas mulheres pelo “Dia Internacional da Mulher”.

a diversas mulheres pelo “Dia Internacional da Mulher”. Silvia, Fernanda (representando a sua mãe Ma- ria

Silvia, Fernanda (representando a sua mãe Ma- ria Stella Zollner) e Pres. Marco

a sua mãe Ma- ria Stella Zollner) e Pres. Marco S i l v i a
a sua mãe Ma- ria Stella Zollner) e Pres. Marco S i l v i a

Silvia, Maria Ap. G. Ferro e Pres. Marco

Marco S i l v i a , M a r i a A p .

Novas normas contábeis: O Novo Papel do Contador

Novas normas contábeis: O Novo Papel do Contador Desde 01 de janeiro de 2008, as normas
Desde 01 de janeiro de 2008, as normas contábeis brasileiras vêm sofrendo uma completa transformação
Desde 01 de janeiro de 2008, as
normas contábeis brasileiras vêm
sofrendo uma completa transformação
com o objetivo da adoção das normas
internacionais pronunciadas pelo IASB. No
entanto, como quase tudo que acontece
nesse País, essa Lei 11.638/07, instrumento
legal responsável pelo início de todo
processo, foi publicada nas últimas horas
de 2007, gerando efeitos já para o início
do exercício seguinte. Com isso, o Comitê
de Pronunciamentos Contábeis (CPC)
foi ao longo dos anos de 2008 e 2009
traduzindo, adaptando e promulgando
as novas normas contábeis as quais
deveriam ser adotadas parcialmente em
2008 e 2009 e integralmente em 2010.
Sabe-se que em 2008, muitas empresas
que adotaram as normas do CPC as
fizeram partindo do IFRS, já que algumas
das normas internacionais ainda não
haviam sido promulgadas pelo CPC.
Bem, com esse rolo compressor de
mudanças, a classe contábil brasileira se
viu, de repente, diante de um imenso
desafio. Assimilar toda essa mudança da
norma em meio ao SPED Contábil e Fiscal
e NF-e juntamente com as mudanças
tributárias tão corriqueiras no cenário
econômico brasileiro. Enfim, as novas
normas trouxeram, e na verdade, uma
grande mudança de paradigma. Estamos
deixando para trás aquela contabilidade
altamente influenciada pelo regulamento
de Imposto de Renda, para adotarmos
uma contabilidade com forte base em
princípios financeiros voltada para
melhor informar investidores e outros
importantes agentes do mercado.
Um dos grandes desafios dessas
mudanças, além da própria velocidade
delas, é abandonar a cultura de se ter
uma contabilidade extremamente
engessada (adotada por conveniência
e por simplicidade) baseada nas normas
do regulamento do imposto de renda
que determinava, dentre outras coisas
e
índices admitidos de depreciação, forma
de cálculo de provisão para devedores
duvidosos, forma de amortização de
ágio, etc
DerivadodoIFRS,oCPCs(denominação
dada a cada normas contábil) são normas
baseadas em princípios financeiros com
alto grau de subjetividade dependente de
julgamentos que logicamente variam de
entidade para entidade, tais como taxas
de depreciação, taxa de desconto para
teste de recuperabilidade, taxa desconto
para ajuste a valor presente, dentre outras
que devem estar definidos na política
contábil da entidade. Logicamente, que
todo julgamento tem que estar embasado
em premissas sólidas que por sua vez
têm que estar alinhadas com a estratégia
o
e a realidade operacional de cada
organização.Diante desse cenário, cresce
muito a importância da contabilidade

da controladoria nas organizações.

As entidades terão, mais do que nunca, que consultar tais departamentos nos processos de decisões estratégicas. Com isso o contador deve mudar o seu foco na organização, adquirindo mais conhecimentos não só na área contábil como também em finanças e estratégica. Será do departamento de controladoria, mais precisamente do contador, junto com a administração, a responsabilidade de desenvolver as normas de políticas contábeis que terão uma importância central na qualidade das informações apresentadas nas demonstrações contábeis e por conseqüência nos

processos de tomada de decisão pela administração e pelos dos agentes externos. Finalmente, estamos, no Brasil, diante de uma nova era, em termos contábeis,

uma era em que os departamentos contábeis, a controladoria, o profissional de contabilidade terão enfim o papel que sempre deveriam ter que é de voltar primeiramente seus esforços para

atendimento das necessidades do

mercado em termos de informações societárias e não mais para atender primeiramente às necessidades do Fisco. O desafio é grande, mas o reconhecimento da importância do profissional de contabilidade certamente será ainda maior.

desafio é grande, mas o reconhecimento da importância do profissional de contabilidade certamente será ainda maior.

A infertilidade é importante para os casais ?

A infertilidade é importante para os casais ? Dr. Ubirajara A maioria dos casais com relacionamento

Dr. Ubirajara

A infertilidade é importante para os casais ? Dr. Ubirajara A maioria dos casais com relacionamento

A maioria dos casais com

relacionamento estável, em um determinado momento de suas vidas, desejará filhos. Em noventa por cento dos casos, após um ano de vida sexual ativa, sem uso de métodos anticoncepcionais, a gravidez acontece e traz um sentimento de enorme alegria e confiança do andamento natural das fases da vida, com a vinda dos filhos e projeções do futuro a médio e longo prazo.

Em dez a quinze por cento dos

casais a gravidez não acontece e surge um enorme sentimento de insegurança sobre a capacidade de ter filhos e sobre o futuro. Para imaginar este sentimento é só se colocar no lugar destes casais por alguns minutos. Começa a partir daí a procura

por informações na internet, consultas com ginecologistas e urologistas, na maioria das vezes sem especialização em reprodução humana e, se a gravidez não vem, a angustia e ansiedade decorrentes vão aumentando a ponto de modificar o ritmo de vida destes casais nos aspectos sociais, profissionais e mesmo de relacionamento sexual. A simples pergunta feita por parentes e amigos sobre quando virá o bebê gera um sentimento de raiva e desconfiança porque é interpretado pelo casal infértil como provocação.

O que fazer ?

melhor atitude é procurar

orientação com profissionais especializados em reprodução humana que saberão diagnosticar

A

as prováveis causas que estariam impedindo a gravidez e terão condições de indicar os tratamentos possíveis em cada caso.

A infertilidade pode ter origem feminina em quarenta por cento, masculina em quarenta por cento e feminina associada a masculina em vinte por cento dos casos tornando-se necessário a consulta do casal para a correta identificação. Entre as diversas causas de infertilidade encontramos alterações nos ovários, trompas, útero, endometriose, genéticas, seminais e outras, sendo que cada uma delas terá tratamento específico e adequado.

A infertilidade conjugal realmente

é muito importante para os casais

e poderá, na maioria das vezes, ser resolvida com tratamento adequado.

realmente é muito importante para os casais e poderá, na maioria das vezes, ser resolvida com

QUIMBIOL

Laboratório de Meio Ambiente acreditado pelo INMETRO

Laboratório de Meio Ambiente acreditado pelo INMETRO Temos orgulho do que fazemos. Temos orgulho de pertencermos
Laboratório de Meio Ambiente acreditado pelo INMETRO Temos orgulho do que fazemos. Temos orgulho de pertencermos

Temos orgulho do que fazemos. Temos orgulho de pertencermos ao Vale do Paraíba, à cidade de Taubaté.

acreditação representa o reconhecimento formal da competência técnica das organizações que realizam avaliação da conformidade, e é uma maneira segura de identificar aqueles que oferecem a máxima confiança em seus serviços, agregando valor para:

-organismos de avaliação da conformidade acreditados;

- Resíduos e Alimentos.

Serviços de Utilidades

As estações de tratamento de águas e

efluentes (ETA e ETE) são ítens de elevada importância nos orçamentos anuais das empresas. Existem razões fortes para isso:

a queda da performance de uma estação

de tratamento de águas e efluentes está

diretamente ligada a multas, podendo

e efluentes está diretamente ligada a multas, podendo - organizações certificadas; - consumidores finais. A

- organizações certificadas;

- consumidores finais.

A CONQUILIOMANIA E O MUSEU

O Vale do Paraíba ganhou o primeiro

laboratório de prestação de serviços na

Área Ambiental acreditado na NBR ISO/ IEC 17025 pelo INMETRO (confira escopo pelo site: www.quimbiol.com).

Há mais de 17 anos no mercado, a Quimbiol oferece soluções práticas, de fácil execução e de baixo custo aos clientes nas questões ambientais, com serviços de alta qualidade e pronto atendimento.

Vantagens da Acreditação nos Serviços Quimbiol

De

acordo

com

o

INMETRO,“

a

Pensando em prestação de serviços

ambientais com excelência, a Quimbiol é

pioneira em oferecer soluções ambientais com vários ensaios acreditados pelo INMETRO pela NBR ISO/IEC 17025:2005 sob o nº CRL0365.

Serviços Laboratoriais

A

Quimbiol

é

especializada

em

serviços laboratoriais para ensaios em:

- águas potáveis;

- águas Brutas;

- águas superficiais;

- água subterrâneas;,

-

Efluentes.

impedir ou atrasar expansões de plantas

industriais e até mesmo, ser a fonte de

prejuízo de milhões, com a paralisação de

uma indústria. Tudo isso, entretanto, pode ser evitado com o acompanhamento rotineiro de sua estação de tratamento

de efluentes domésticos e/ou industriais.

A Quimbiol possui larga experiência

neste segmento com corpo técnico especializado nos serviços de:

- Monitoramento analítico de acordo

com as legislações vigentes quer seja de lançamento em corpo hídrico ou em rede pública; - Estudo de redução de efluentes, considerando a fonte de origem;

- Controle de lançamento de águas

rede pública; - Estudo de redução de efluentes, considerando a fonte de origem; - Controle de
rede pública; - Estudo de redução de efluentes, considerando a fonte de origem; - Controle de
pluviais; -Estudos de impactos ambientais; -Terceirização de estações de tratamentos industriais e domésticos;
pluviais; -Estudos de impactos ambientais; -Terceirização de estações de tratamentos industriais e domésticos;

pluviais; -Estudos de impactos ambientais; -Terceirização de estações de tratamentos industriais e domésticos; -Implantação de estações de tratamento, até a obtenção respostas operacionais completas, incluindo o treinamento de operadores e entrega de manuais de operação.

Serviços Ambientais

Neste segmento a Quimbiol oferece serviços de passivo ambiental, análise de Risco, suporte técnico em outorgas dos poços artesianos e semi-artesianos.

Passivo Ambiental

que dispõe sobre o licenciamento de postos de combustíveis derivados de

petróleo e álcool. A Quimbiol dispõe de pessoal técnico capacitado para definir

e implementar as mais variadas técnicas de remediação ou atenuação de áreas contaminadas, baseada em técnicas

conhecidas e aprovadas, avaliando caso

a caso em seu Centro de Pesquisas e

adequando-os às técnicas aplicáveis.

A Equipe Multidisciplinar da Quimbiol

oferece:

-Desenvolvimento de análises dirigidas à necessidade de sua empresa e/ou segmento;

-Análises crítica de processos

industriais;

-Pesquisa de enzimas específicas

 

Devido à evolução das legislações

para tratamento e recuperação de áreas

ambientais, a Quimbiol implantou o Setor

contaminadas;

de

Geociências, com dedicação específica

-Fitorremediação de lagoas e rios,

na

área de contaminação de solos e águas,

entre outros, que estão comprometidos

denominadas de “Passivo Ambiental”.

com a contaminação do solo e da água

O

Setor de Geociências atende desde o

superficial e/ou subterrânea, sejam elas

segmento industrial, incluindo os estudos

de origem orgânica ou inorgânica;

de passivos exigidos na renovação das licenças, inclusive Resolução CONAMA,

-Mapeamento hidráulico de rastreamento dos lançamentos das

tubulações de esgotos, pluviais e linhas industriais a fim de atualizar plantas da empresa ou identificar fontes de ligações inadequadas à rede; -Pesquisa de impactos ambientais industriais. -EIA / RIMA para novas instalações.

Site: www.quimbiol.com e-mail : quimbiol@quimbiol.com.br (Estr.Nova Taubaté-Tremembé) Av. Francisco Barreto Leme, 1357 Pq. São José Taubaté / SP Tel.: 12 2123-5200

(Estr.Nova Taubaté-Tremembé) Av. Francisco Barreto Leme, 1357 Pq. São José Taubaté / SP Tel.: 12 2123-5200
(Estr.Nova Taubaté-Tremembé) Av. Francisco Barreto Leme, 1357 Pq. São José Taubaté / SP Tel.: 12 2123-5200
(Estr.Nova Taubaté-Tremembé) Av. Francisco Barreto Leme, 1357 Pq. São José Taubaté / SP Tel.: 12 2123-5200
O Museu de História Natural de Taubaté acaba de receber alguns crânios de grandes crocodilianos

O Museu de História Natural de Taubaté acaba de receber alguns crânios de grandes crocodilianos como parte da remodelação da exposição de 2010.

como parte da remodelação da exposição de 2010. RÉPTEIS ASSASSINOS Crânio do Purusaurus, esse jacaré é

RÉPTEIS ASSASSINOS

Crânio do Purusaurus, esse jacaré é o maior crocodiliano que já existiu.

Conheça mais, visite o Museu de História Natural de Taubaté

mais, visite o Museu de História Natural de Taubaté Crânios de crocodilianos recém-chegados no Mu- seu

Crânios de crocodilianos recém-chegados no Mu- seu de Taubaté; todos representam adultos de grande porte.

Os maiores crocodilianos atuais chegam a ultrapassar os 6 metros de comprimento; falamos de registros raros e geralmente mal documentados. Esse tamanho máximo é valido para jacarés, crocodilos e gaviais (os três grupos de crocodilianos), porém esses últimos são especializados em peixes e não representam perigo algum para o homem. Há poucas semanas os jornais noticiaram sobre um jacaré em Rondônia, com pouco mais de três metros, que devorou uma menina. Outra notícia recente foi num zoológico do Paraná, onde um jacaré devorou um cachorro que passeava por seus domínios, na presença de muitos expectadores. Jacarés e crocodilos com mais de quatro metros não são raros e representam sem dúvida uma ameaça para o homem. Os crocodilos africanos são os campeões em devorar humanos. No lago de Tanganica a literatura cita um velho crocodilo que devorou mais de 200 pessoas durante

alguns anos; tinha um cardápio já praticamente especializado. O crocodilo australiano é um dos mais agressivos e frequentemente avança por ambientes marinhos; seus ataques a humanos são frequentemente confundidos com tubarões. Crocodilos conseguem viver na água salgada; na mandíbula, possuem o quarto dente mais desenvolvido, saindo para fora através de uma chanfradura na maxila, no que se diferenciam dos jacarés. Muitas espécies extintas atingiram tamanhos colossais, porém a maior delas é sem dúvida o Purusaurus brasiliensis, um jacaré que viveu na Amazônia há cerca de 7 milhões de anos, que certamente atingia mais de 15 metros de comprimento. No Museu de Taubaté, o crânio do Purusaurus já era uma peça de destaque, que agora ganha realce quando comparado com os grandes crocodilianos atuais.

Purusaurus já era uma peça de destaque, que agora ganha realce quando comparado com os grandes

O discurso de um

professor sobre

o Brasil

O discurso de um professor sobre o Brasil O professor da Universidade do Estado do Rio

O professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Weber Figueire- do, deu uma última aula para seus ex-alu- nos, em 13 de agosto de 2002. Diante de uma platéia de formandos, acompanha- dos de seus pais, o professor paraninfo da turma discursou sobre o Brasil. Leia o que disse o Prof. Weber Figuei- redo. Ilustríssimos Colegas da Mesa, Senhor Presidente, meus queridos alunos, Senho- ras e Senhores. Para mim é um privilégio ter sido escolhido paraninfo desta turma.

Esta é como se fôra a última aula do curso.

O último encontro, que já deixa saudades.

Um momento festivo, mas também de reflexão. Se eu fosse escolhido paraninfo de uma turma de direito, talvez eu falasse

a importância do advogado que defende

a justiça e não apenas o réu. Se eu fos- se escolhido paraninfo de uma turma de

medicina, talvez eu falasse da importân- cia do médico que coloca o amor ao pró- ximo acima dos seus lucros profissionais. Mas, como sou paraninfo de uma turma de engenheiros, vou falar da importância do engenheiro para o desenvolvimento do Brasil. Para começar, vamos falar de bana- nas e do doce de banana, inventado (ou projetado) pela nossa vovozinha lá em casa. É isso mesmo. Para entendermos a importância do engenheiro vamos falar de bananas, bananadas e vovó. A bana- nada é um produto pronto, que eu vou chamar de riqueza. E a vovó? Bem, a vovó

é a dona do conhecimento, uma espécie

de engenheira da culinária. Agora, vamos supor que a banana e a bananada sejam vendidas. Um quilo de banana custa um real. Já um quilo da bananada custa cinco reais. Por que essa diferença de preços? Porque quando nós colhemos um cacho de bananas na bananeira, criamos apenas um emprego: o de colhedor de bananas. Agora, quando a vovó, ou a indústria, faz a bananada, ela cria empregos na indústria

do açúcar, da cana-de-açúcar, do gás de cozinha, na indústria de fogões, de pane- las, de colheres e até na de embalagens, porque tudo isto é necessário para se fabricar a bananada. Vejam, quanto mais tecnologia agregada tem um produto, maior é o seu preço, mais empregos fo- ram gerados na sua fabricação. Os países ricos sabem disso muito bem. Eles inves- tem na pesquisa científica e tecnológica. Por exemplo: eles nos vendem uma placa de computador que pesa 100g por US$ 250. Para pagarmos esta plaquinha ele- trônica, o Brasil precisa exportar 20 to- neladas de minério de ferro. A fabricação de placas de computador criou milhares de bons empregos lá no estrangeiro, enquanto que a extração do minério de ferro, cria pouquíssimos e péssimos em- pregos aqui no Brasil. Gostaria de deixar bem claro três coisas:

1º) Quando me refiro à palavra rique- za, não estou me referindo a jóias nem a supérfluos. Estou me referindo àqueles bens necessários para que o ser huma- no viva com um mínimo de dignidade e conforto; 2º) Não estou defendendo o consu- mismo materialista como uma forma de vida, muito pelo contrário; 3º) E acho abominável aqueles que colocam os valores das riquezas materiais acima dos valores da riqueza interior do ser humano. Para que o nosso Brasil torne-se um País rico, com o seu povo vivendo com dignidade, temos que produzir mais ri- quezas. Para tal, precisamos de conheci- mento, ou tecnologia já que temos recur- sos naturais e energia. E quem desenvolve tecnologias são os cientistas e os enge- nheiros. Por exemplo: o Brasil produz 5 milhões de televisores por ano e nenhum brasileiro projeta televisor. Somos meros montadores de kits eletrônicos. O Brasil entra com a mão-de-obra barata e os re- cursos naturais. Os projetos, a tecnologia,

o chamado pulo do gato, ficam no es-

trangeiro, com os verdadeiros donos do negócio. É importante compreendermos que os donos dos projetos tecnológicos são os donos das decisões econômicas, são os donos do dinheiro, são os donos das riquezas do mundo. A dependência científica e tecnológica acarretou para nós brasileiros a dependência econômica, política e cultural. Infelizmente, o merca- do nacionalizado nem sempre aproveita todo este potencial científico dos nossos engenheiros. Eu posso garantir a todos os presentes, principalmente aos pais, que

qualquer um destes formandos é tão ou mais inteligente do que qualquer enge- nheiro americano, japonês ou alemão. Os meus trinta anos de magistério, me dá autoridade para afirmar que o bra- sileiro não é inferior a ninguém. O que me revolta, como professor cidadão, é ver que as decisões políticas tomadas por pessoas despreparadas ou corruptas, são responsáveis pela queima e destruição de inteligências brasileiras. Acredito que o mundo ideal seja aquele totalmente globalizado, mas uma globalização que inclua a democratiza- ção das decisões e a distribuição justa do trabalho e das riquezas. Só assim seremos capazes de caminhar com autonomia e tomar decisões que beneficiem verda- deiramente a sociedade brasileira. Quan- do isto ocorrer, e eu espero que seja em breve, o nosso País poderá aproveitar de forma muito mais eficaz a inteligência e o preparo intelectual dos brasileiros e, em particular, de todos vocês, meus queridos alunos, porque vocês já foram testados e aprovados. Finalmente, gostaria de parabenizar

a todos os pais pela contribuição positi- va que deram à nossa sociedade possi- bilitando a formação dos seus filhos no curso de engenharia da UERJ. A alegria dos senhores, também é a nossa alegria. Muito Obrigado.”

Foto meramente ilustrativa do Residencial Di Cavalcanti. Projeto aprovado na prefeitura sob o protocolo nº 6734/09 em 17/11/09.

seus momentos.

Conheça os diferenciais de um residencial Coli e descubra a melhor maneira de investir no seu futuro. Empreendimentos com infraestrutura voltada a sua segurança, conforto e lazer. Supreenda-se! Conheça de perto a Coli.

Social Vale

Por José Carlos Reis de Souza redacao@revistaempresasdovale.com

José Carlos Reis de Souza redacao@revistaempresasdovale.com CODIVAP 26/02 – O CODIVAP, discute seguran- ça dos

CODIVAP

26/02 – O CODIVAP, discute seguran- ça dos municípios consorciados Prefeitos demonstram descontentamento com Es- tado

Abaixo: Mesa representativa do CODIVAP

com Es- tado Abaixo: Mesa representativa do CODIVAP IVONE BARBOSA GUISARD COMPLETA 90 ANOS FERRAZ Formada

IVONE

BARBOSA

GUISARD

COMPLETA 90 ANOS

FERRAZ

Formada em 1962 pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Taubaté em Línguas Ânglo Germânicas. Em 1967, concluiu o curso de Pedagogia na mesma faculdade, e em 1967 fez pós-graduação em Literatura Inglesa pela Universidade de São Paulo (USP). Em 1964 deu início ao CCEBEU – Centro Cultural Brasil Estados Unidos. Ministrou aulas no primeiro e segundo grau, cursos superiores e cursos particulares de inglês. Seus filhos; Maria Silvia Guisard Ferraz e José Eugênio Guisard Ferraz promoveram um grande almoço reunindo familiares e amigos para comemorar a passagem de seus 90 anos.

Abaixo: José Eugênio Guisard Ferraz (filho), Dona Ivone, Maria Silvia Guisard Ferraz (filha) e Mireille N. Ferraz (nora), André (neto), Alessan- dra, Dona Ivone, Marcos (neto) e Tula

(neto), Alessan- dra, Dona Ivone, Marcos (neto) e Tula NJE – NÚCLEO DE JOVENS EMPREENDEDORES O

NJE

NÚCLEO

DE

JOVENS

EMPREENDEDORES

O NJE do CIESP Regional

Taubaté,

planejamento de atividades para o ano de

2010.

Abaixo: Cassio Moraes, Cassio Ramos, Lauro Martins; Diretores do CIESP (Albertino, Fabio e Carlos) e convidados

seu

10/03 -

realizou

apresentação

de

Carlos) e convidados seu 10/03 - realizou apresentação de SEMANA DA MULHER 11/03- A ACIT realizou

SEMANA DA MULHER

11/03- A ACIT realizou o evento “Mostre o lado feminino do sucesso”, que contou com a presença de mais de 50 empresárias.

que contou com a presença de mais de 50 empresárias. LOCALIZA - TAUBATÉ Os executivos da

LOCALIZA - TAUBATÉ

Os executivos da Localiza Franchising estiveram em visita a Localiza Taubaté.

Abaixo: Hamilton Barbosa, Dr. Benedito Abud, Mark Bryan, Paulo Abud e Bruno Andrade

Dr. Benedito Abud, Mark Bryan, Paulo Abud e Bruno Andrade CAVEX 06/03 – O Comando de

CAVEX

06/03 – O Comando de Aviação do Exército promoveu o evento “JORNADA DE SEGURANÇA DE VOO DA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO”.

Abaixo: Engº Ten Cel Forni; Ten Cel Tramontin, Gel Peternelli e militares participantes.

Ten Cel Tramontin, Gel Peternelli e militares participantes. NOITE DE AUTOGRÁFOS Cid Moreira e sua esposa

NOITE DE AUTOGRÁFOS

Cid

Moreira

e

sua

esposa

Fátima

Sampaio

Moreira

estiveram

no

Teatro

Metrolole para o lançamento do livro “Boa Noite”

Abaixo: Cid Moreira e Fatima Sampaio Moreira sendo homenageados; Prefeito Roberto Peixoto, Cid Moreira, Fatima Sampaio Moreira e Primeira Dama Lú Peixoto.

Moreira sendo homenageados; Prefeito Roberto Peixoto, Cid Moreira, Fatima Sampaio Moreira e Primeira Dama Lú Peixoto.

SINDICATO

DOS

ENGENHEIROS

DO

ESTADO DE SÃO PAULO

01/03 – Em solenidade de posse do presidente Engº Murilo Celso de Campos

Pinheiro e a nova diretoria do SEESP para

a gestão 2010-2013, ocorrida no Plenário

Juscelino Kubitschek, na Assembléia Legislativa, estiveram presentes cerca de 600 convidados, entre profissionais da categoria, autoridades governamentais,

vereadores, deputados federais, estaduais

e senadores.

Abaixo: Flávio Abergária O. Brízida (Secr. Adjunto da Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo) e Engº Murilo; Dep. Fed. Luiz Antônio Medeiros e Engº Breno; Ex-gov. Geraldo Alckmin, Engº Garcez e Sen. Romeu Tuma; Sen. Romeu Tuma e Ver. Luizinho da farmacia; Engº Martins, Sec. Claury Engº Bibo e Engº e Dep. Fed. Roberto Massafera.

Claury Engº Bibo e Engº e Dep. Fed. Roberto Massafera. OAB- TAUBATÉ EMPOSSA CONSELHEIROS 26/02 –

OAB- TAUBATÉ EMPOSSA CONSELHEIROS

26/02 – A 18ª Sessão da Ordem dos Advogados do Brasil Taubaté, através de seu presidente Aluisio de Fátima Nobre de Jesus, vice-presidente José Antônio Chicarino, secretário geral Luiz Guilherme de Paiva Vianna, secretário geral adjunto Maria das Graças Eleotéro e o tesoureiro Cláudio Aurélio Sitte, cumpriu a solenidade de diplomação dos 108 conselheiros pela mesa diretora.

Abaixo: Dr. Décio Rocha, Dr. Luiz E. de Moura, Drª Maria das G. Eleotéro, Dr. Luiz G. P. Vianna, Dr. Clau; Primeira dama Lu Peixoto, Pref. Ro- berto Peixoto, Dr. Aluisio de Fátima Nobre de Jesus, Drª Roberta e Anderson; Dr. Guilherme, Dr. Aluisio e Dr. Abud Junior; Dr. Aluisio de Fá- tima Nobre de Jesus e Dr. Adauto José Moura Giunta; Dr. Claudio A. Setti, Dr. Paulo de Paula Rosa, Adauto José Moura Giunta e Dr. Aluisio de Fátima N.

Rosa, Adauto José Moura Giunta e Dr. Aluisio de Fátima N. DESTAQUE RAIMUNDO NONATO 22/03 –
Rosa, Adauto José Moura Giunta e Dr. Aluisio de Fátima N. DESTAQUE RAIMUNDO NONATO 22/03 –

DESTAQUE RAIMUNDO NONATO

22/03 – Raimundo Nonato, colunista social, agregou no Fabelle Buffet as profis- sionais por suas competências durante o ano de 2009. Estiveram presentes mulhe- res de diversos estados do Brasil.

Abaixo: Sandra Teixeira e Ver. Chico Saad; Gise- le Braga Pinheiro e Sandrinha Sargenteli; Clau- dia Mello e Raimundo Nonato; Aline Fernandes e Sinival; Raimundo Nonato e Conde Thiago de Meneses

Sargenteli; Clau- dia Mello e Raimundo Nonato; Aline Fernandes e Sinival; Raimundo Nonato e Conde Thiago

Social Vale

Por José Carlos Reis de Souza redacao@revistaempresasdovale.com

ANTÔNIO JORGE CIDADÃO TAUBATEANO

19/03- A câmara Municipal de Taubaté concedeu a Antônio Jorge Filho o título de Cidadão Taubateano.

Abaixo: André, Arimathéa, Fernando Takao, Antonio, Antônio Jorge, Carmona, Ravani, Tori- no e Henrique Nunes; Paulo Coelho, Paulo Viní- cios, Ricardo, Mário, Auclésio e Antônio Jorge; Ver. Henrique Nunes, Melina, Milena, Antônio Jorge, Maria Claudia, Rafael e Yasmine

Milena, Antônio Jorge, Maria Claudia, Rafael e Yasmine INAUGURAÇÃO 12/03- Foi inaugurada a filial do Res-

INAUGURAÇÃO 12/03- Foi inaugurada a filial do Res- taurante Fornalha Grill em Caragua.

Abaixo: Beto Jr, Sandra, Denise Molnar, Oscar Molnar; Oswaldo Kimoto, Valter Higadashi, Edson Parora, Roberto Toth, Flavio, Rafael, Zenilton, José Bernardo Ortiz e Cel Amaral.

Flavio, Rafael, Zenilton, José Bernardo Ortiz e Cel Amaral. BETO CARRAPATO COMEMORA SÉTIMO DIA DO ANIVERSÁRIO

BETO

CARRAPATO

COMEMORA

SÉTIMO DIA DO ANIVERSÁRIO

27/03 – Como acontece todos os anos, o Bar do Pereba foi palco de mais uma festa do Sétimo dia de aniversário de “Beto Carrapato”.

Abaixo: Sheik, Faisal, Mané Pepe, Daniel, Beto Carrapato, Albertino, Bico Farso, Marcelo, João Corro; Alexandre Danelli, Sidney, Beto e Daniel Freitas; Albertino, Beto Carrapato e Di- niz; Albertino, Beto Carrapato, Diniz, Sidney, Daniel, José Roberto, MestreTim Maia, Daniel e Alexande.

Daniel, José Roberto, MestreTim Maia, Daniel e Alexande. GRUPO DE RECRUTAMENTO, 17/03 – Foi Realizado no

GRUPO DE RECRUTAMENTO,

17/03 – Foi Realizado no Centro de Eventos da “Vale Empregos”, a primeira reunião do Grupo de Recrutamentos.

Francisco (Mogimpex), Elisangela (Femsa), Eduardo (Cebe), Nilson (Hospital Regional), No- emy (Orion), Luciana (Eaton), Luana (Incomisa), Vanessa (Policlin), Aline (Global) e Angela (Vale Empregos).

Vanessa (Policlin), Aline (Global) e Angela (Vale Empregos). BLOCO BOM CONSELHO Nós não poderíamos deixar de

BLOCO BOM CONSELHO

Nós não poderíamos deixar de registrar a empolgação do “Bloco Bom Conselho” promovendo uma grande festa alguns dias antes do desfile de Carnaval.

Abaixo: Chico, Beto, Crisante e Guima; Bico Farso, Maestro Tim Maia, Beto, Kako, Eulólio (Gordo) e Renatinho; Vinícius, Falcão, Josi, Beto e Maria Lucia; Sofia, Silvia, Malú e Bete Novaes; Lili, Zé Tremembé, Aninha e Burt; Hilda, Claudio, Pini e Renata

e Maria Lucia; Sofia, Silvia, Malú e Bete Novaes; Lili, Zé Tremembé, Aninha e Burt; Hilda,

Entrevista

Magic Paula

Por: José Carlos Reis de Souza

PERFIL

Maria Paula Gonçalves da Silva (Magic Paula) Natural: Osvaldo Cruz – SP Data de nascimento: 11/03/62 Profissão: Jogadora de basquete

Magic Paula, desde criança tinha paixão pelo esporte:

praticou tênis de mesa, xadrez, natação e atletismo, mas foi assistindo algumas partidas de basquete que ela percebeu a sua verdadeira vocação profissional. No início era apenas brincadeira, com apenas 10 anos, pequena e com muita insistência, conseguiu começar a treinar com a equipe feminina da cidade, o “Clube das Bandeiras” e na primeira partida já foi titular. A Revista Empresas do Vale foi recebida pela atleta que gentilmente nos concedeu uma entrevista. Aproveitamos a oportunidade para ficarmos sabendo um pouco de sua trajetória no basquete.

E.V. - Como foi que surgiu a primeira oportunidade e qual foi a reação de sua família? M.P - Quando eu entrei na fase dos meus 12 anos, surgiu a oportunidade de jogar na cidade de Assis - SP. Meus pais me incentivaram, apoiando e apostando no meu futuro. Fui então morar longe, na casa do técnico, junto com a sua esposa e as duas filhas, que também jogavam. Foram momentos difíceis e de muita saudade de casa. Com o tempo fui me acostumando com a rotina de treinos, jogos e escola. Com a extinção da equipe de Assis, recebi o convite para defender o Colégio Divino Salvador de Jundiai - SP. E.V. - Com quantos anos você foi convocada para a Seleção Brasileira de basquete? M.P. - Eu estava com apenas 14 anos quando fui convocada para a Seleção Brasileira de adultas e passei a ser a mais jovem jogadora do grupo, e aos 15 anos tornei- me titular incondicional da equipe brasileira. E.V. - Como foi a sua passagem pela UNIMEP de Piracicaba (SP)? M.P. - Defendi a UNIMEP de Piracicaba durante oito anos, neste período aproveitei e fiz o curso de Educação Física. No Brasil, a UNIMEP foi à primeira universidade a investir no esporte, coisa que até então era corriqueiro nos Estados Unidos. Em 1982 fui defender o BCN de Piracicaba

nos Estados Unidos. Em 1982 fui defender o BCN de Piracicaba (SP). Em 1988, voltei a

(SP). Em 1988, voltei a defender o Colégio Divino Salvador, mas com o patrocínio da CICA. E.V. - Como profissional, você teve a oportunidade de jogar em alguma equipe internacional? M.P. - Sim, no ano de 1989 eu assinei o meu primeiro contrato para jogar fora do meu país, na equipe do “TINTORETTO” de Madrid, e no ano seguinte retornei ao Brasil e novamente fui para Piracicaba defendendo o BCN. E.V. - Quando foi que você e Hortência passaram a jogar juntas? M.P. - Em 1992 eu passei a defender a Ponte Preta de Campinas, o primeiro time de futebol do interior paulista que investiu em uma equipe de basquete feminino. Foi lá que eu passei a jogar junto com a Hortência em um clube. E.V. - Para você, qual é o titulo mais importante de sua carreira? M.P. - Eu carrego no meu currículo o titulo de campeã mundial de 1994 na Austrália. Saímos do Brasil desacreditadas e demos a volta por cima quando desbancamos os Estados Unidos e fizemos a final com a China. Este é o titulo mais importante da minha carreira. E.V. - Em que momento de sua vida você disse para si mesma: estou consagrada como jogadora de basquete? M.P. - Eu posso dizer sem pudor que a minha consagração foi a conquista da medalha de prata na Olimpíada de Atlanta em 1996. Esta conquista da medalha de prata que valeu ouro. E.V. - Fale um pouco sobre suas contusões? M.P. - A palavra contusão não fazia parte da minha vida, eu não tinha a facilidade para sofrer lesões, mas infelizmente em plena temporada espanhola eu torci o joelho e fui obrigada a realizar uma cirurgia. Fiquei fora das competições por seis meses. Voltei a jogar as finais do campeonato espanhol e nossa equipe conseguiu o titulo de vice-campeã. E.V. - Para finalizar, quando foi que você encerrou a carreira? M.P. - Os meus últimos jogos foram defendendo a equipe do BCN de Osasco em 2000, em seguida resolvi deixar as quadras após vinte e oito anos de carreira, dois defendendo a seleção Brasileira. Após deixar as quadras, passei a receber convites de empresas para ministrar palestras.

Flat Olavo Bilac contrata gerente a peso de ouro

Flat Olavo Bilac contrata gerente a peso de ouro A empresa “Flat Olavo Bilac” de Taubaté,

A empresa “Flat Olavo Bilac” de Taubaté, tomou uma posição empresarial correta, agregou ao seu quadro de profissionais, Carmem Silvia Batista como gerente geral.

de profissionais, Carmem Silvia Batista como gerente geral. Formada em 1973 pela Faculdade Nove de Julho
de profissionais, Carmem Silvia Batista como gerente geral. Formada em 1973 pela Faculdade Nove de Julho
de profissionais, Carmem Silvia Batista como gerente geral. Formada em 1973 pela Faculdade Nove de Julho

Formada em 1973 pela Faculdade Nove de Julho como Secre- tária Executiva Bi. Em 1988, formou-se em Ciências Sociais pela Faculdade São Marcos, com licenciatura plena para a área de His- tória e Geografia. Em 1992, graduou-se pela Faculdade de Hotela- ria, Gastronomia e Turismo do Estado de São Paulo (A primeira fa- culdade de São Paulo a ter cursos profissionalizantes nesta área). Neste mesmo ano participou de um intercâmbio na Inglaterra. Em 1995, concluiu o seu MBA em Gestão de Marketing, pela Co- nexão Getúlio Vargas. Sua ascensão profissional se deu no ano de

1984, quando ainda ocupava o cargo de secretária executiva de uma grande entidade voltada ao segmento de estacionamento, quando, por iniciativa própria organizou a 1ª. Feira do segmento, NPA – National Parking Administration, até então, só realizada nos EUA. Este trabalho lhe proporcionou o convite para a sua primeira experiência na área de hoteleira, tendo sido então contratada pela Rede Golden Paulistânia de Flats e Hotéis. Com 29 anos de experiência em empresas multinacio- nais e nacionais de grande porte, como secretária executiva Bilíngüe,(aposentada). Foi então contratada pelo Grupo Paulista- nia, operando durante cinco anos como gerente de eventos e dois anos como gerente operacional do mesmo grupo. Com toda a experiência adquirida no Brasil, ainda organizou o primeiro jantar de solenidade oferecido pelo Casino Taj Mahal. Posteriormente trabalhou por 04 anos na área comercial de Cassinos: Taj Mahal / Bally”s Grand (USA), MGM ( Las Vegas) e Sonesta em Aruba. Durante os três últimos anos, passou por um hotel em Tau- baté onde desenvolveu um excelente trabalho recuperando a marca e o empreendimento junto ao setor industrial e comercial da cidade. .Resgatou a importância dos valores culturais da cidade atra- vés dos atores; Beto Camargo e Alessandro Bertholli e juntos cria- ram o Ópera Espaço Cultural com o apoio da primeira dama de Taubaté, professora Lu Peixoto. Foi reconhecida pela Cia. Loucos do Tarô pelo apoio a cultura Taubateana em SP. Carmem galgou todos esses degraus, graças aos seus pais, que lhe deram a base sólida da educação. Com todo esse emprenho profissional, José Antonio Saud, jo- vem empreendedor, enxergou longe a potencialidade desta pro- fissional e agregou ao seu quadro de profissionais competentes.

enxergou longe a potencialidade desta pro- fissional e agregou ao seu quadro de profissionais competentes. 34

Entrevista

Gisele de Luna - Gerente de Negócios Grupo Rizzato

O mercado de trabalho, hoje se encontra mais competitivo do que nunca. Profissões de vários tipos surgem enquanto outras desaparecem. Essas novas profissões que surgem, exigem um grau cada vez maior de especializações, pois estão diretamente competitivos, em virtude de ser uma área cada vez mais promissora, também torna o mercado de trabalho cada vez mais excludente, pois nem todos têm recursos para esta especialização. O melhor, então, é estarem atento as tendências de mercado sempre. Aproveitamos a oportunidade e fomos saber sobre vagas no mercado de trabalho, com Gisele de Luna, psicóloga, MBA em Gestão Empresarial estratégica. Atualmente atua como Gerente de Negócios das Unidades de Taubaté e Pindamonhangaba do Grupo Rizzato:

União RH Vale. E.V. - Em Taubaté, quais as vagas mais procuradas pelas empresas? G.L. - A maior parte das oportunidades é para profissionais de Nível Médio, que serão recrutados para atuar no setor de manufatura das montadoras, autopeças, construção civil. Neste caso, estudantes que passam pelos cursos do SENAI e se destacam nas aulas, são fortes candidatos às vagas, e se você está nessa fatia e quer se candidatar entre em contato com o nosso setor de Recrutamento & Seleção. Faremos a análise de seu currículo e encaminharemos para as empresas. Se você está interessado e ainda não têm o curso, procure o SENAI de Taubaté e se informe. Existem ainda as oportunidades focadas ao Nível Superior de ensino –

cursos de engenharia saem na frente, em que são requeridos também fluência ou bons conhecimentos em idiomas, em destaque inglês e espanhol para nossa região. E. V. - Quais as vagas mais procuradas pelos desempregados?

G. L. - De menor qualificação, de níveis

mais operacionais, tais como auxiliares de produção, limpeza; ou ainda, 1º emprego e estágio. E. V. - Na União Recursos Humanos quais as vagas são mais difíceis de serem preenchidas e o que falta para

preenchê-las?

G. L. - O mercado de trabalho foi um

dos últimos a se recuperar da crise, mas o medo de perder o emprego já é passado para os brasileiros. Empresas, comércio e

serviços não só voltaram a contratar, como faltam trabalhadores com qualificação suficiente para preencher vagas. O estado de São Paulo começa 2010 com abertura de 12 mil novas vagas de trabalho na indústria, o que representa um aumento de 0,42% em relação a preenchidas. Taubaté é a terceira cidade do Estado de são Paulo, com o maior volume de vagas disponíveis. Para nós não é diferente, mediante maior número de requisitos, a posição, devido a preparação destes.

E. V. - Quais os procedimentos

para que um interessado se inscreva para uma vaga? G. L. - Primeiramente, é muito positivo ter um currículo atraente, ou seja, que traduza seus conhecimentos, habilidades e atitude para abrir as portas para a obtenção de uma oportunidade

de trabalho. O segundo passo é cadastrar-

se nas empresas de interesse, on line

ou fisicamente. Além, é claro de fazer-

te presente atualizando o seu currículo

sempre que houver melhorias no mesmo

(graduação, cursos, experiências etc.).

E. V. - O que vocês aconselham

para as pessoas que estão fora do mercado de trabalho voltar a ter carteiras assinadas?

G. L. - Aprimorar-se sempre, reunindo

preparo e oportunidades. Estar atento ao mercado,buscarseusobjetivosdemaneira coerente. Além disso, entendemos por ser positivo, fazer contatos, manter o seu “networking” ativo, participar de comunidades e grupos que tenham este mesmo propósito: buscar uma colocação

no mercado de trabalho.

E. V. - Para finalizar, Explique!

G. L. - O ano começou com boas

expectativas de empregos na Região. Após enfrentar a recessão provocada pela crise financeira internacional, o setor metal-mecânico, em especial a construção civil, indústria automobilística, autopeças (plástica) e saúde, voltam

a contratar, e hoje são as principais

responsáveis pela geração de novas vagas.Já é possível fazer uma previsão das tendências do mercado de trabalho para daqui a cinco anos. As áreas mais promissoras, e que já abrem, devem abrir mais ainda, muitas vagas de emprego são voltadas para técnica (mecânica, mecatrônica, usinagem, plástica, etc.), tecnologia, construção civil, saúde, energia e turismo.

(mecânica, mecatrônica, usinagem, plástica, etc.), tecnologia, construção civil, saúde, energia e turismo. 36
Kather Odontologia Especializada Depois de mais de dez anos de profissão, mudamos muito nosso conceito

Kather Odontologia Especializada

Depois de mais de dez anos de profissão, mudamos muito nosso conceito em relação á odontologia. Inicialmente (quando recém-formados) achamos que sabemos de tudo, somos os donos da verdade. Porém o tempo vai passando, vêm as frustrações, e vamos percebendo que temos muito á aprender. Quanto mais estudamos, mais precisamos aprender, pois a saúde não é uma ciência exata. O que pode dar certo

para um paciente pode não dar certo para

o outro. Normalmente o bom profissional

já dá os primeiros sinais ainda na faculdade, normalmente não é o melhor aluno (fato comprovado por pesquisas), mas se dedica ao curso. Depois se forma, vai fazer cursos de pós-graduação,

especialização e etc. Mas tem sempre a humildade de saber suas limitações

e ser sempre honesto com o paciente.

O sucesso profissional vem com o

tempo, e associado a isto a melhora de padrão de vida familiar. Quem trabalha

só pensando no dinheiro está errado,

pois o dinheiro é consequência de um

trabalho bem realizado. É aí que muitos profissionais não obtém o sucesso. Temos a impressão que os pacientes querem apenas tratar seus dentes, e não é só isso. Quer um bom atendimento,

ser respeitados, que o tratamento seja

bem feito, que o consultório seja limpo, organizado, ou seja, querem se sentir bem (pois ir ao dentista normalmente não é agradável, porém necessário). O que aprendi desde criança é que independente da sua profissão, seja um bom profissional, sempre honesto, que teremos sempre nosso espaço. Independente de mercado saturado, etc. O bom profissional estará sempre

em situação privilegiada.

sempre nosso espaço. Independente de mercado saturado, etc. O bom profissional estará sempre em situação privilegiada.
sempre nosso espaço. Independente de mercado saturado, etc. O bom profissional estará sempre em situação privilegiada.
sempre nosso espaço. Independente de mercado saturado, etc. O bom profissional estará sempre em situação privilegiada.
Com a popularidade, Maria Alcina, partiu para um outro projeto, em 2003 gravou com a

Com a popularidade, Maria Alcina, partiu para um outro projeto, em 2003 gravou com a banda Bojo, um

CD de batida eletrônica onde foram

incluidos alguns clássicos de sua carreira, com ropagem eletrônica: “Eu dei”, “Alô, Alô” e “Fio Maravilha”. Participou de programas de televisão, como, a Discoteca do Chacrinha, Qual é a Música entre outros. Sua carreira

foi interrompida pela ditadura militar, devido a sua imagem extravagante e as canções cheias de letras com duplo sentido, respondendo a um processo por “comportamento subversivo” sendo afastada durante 20 dias sem aparecer em qualquer midia.

Na decada de 80 voltou-se

para o folclore de musica nordestina, com letras bem humoradas e satíricas, como, “Bacurinha” e “Prenda o Tadeu”. Em 1995, foi convidada a participar de uma homenagem a Carmem Miranda. O último lançamento é um CD em formato digital com o nome, “Maria Alcina, Confete e

Serpentina”. E.V. – Quando foi que você percebeu que tinha o vocação para ser cantora? M.A. – Eu sou do tempo em que existia música nas escolas, e na minha sala de aula, quando nós iamos participar da festa junina, colação de gráu etc., todas nós cantávamos juntas e a minha vóz sempre sobressaia. Eu venho de uma familía que não tinha rádio dentro de casa, talvez isto foi trazendo para mim informações de que a música fazia parte do meu contexto, foi uma coisa natural, foi a música que me guiou, eu não fui atraz dela.

natural, foi a música que me guiou, eu não fui atraz dela. Entrevista Cantora Maria Alcina

Entrevista

Cantora Maria Alcina

Por: José Carlos Reis de Souza

Perfil:

Nome: Maria Alcina Natural: Cataguases - MG Nascida: 22.04.49 Profissão: Cantora

Maria Alcina vem de uma família humilde, no início de sua carreira, trabalhou durante seis anos em um circo. Dona de uma voz grave, marca presença no palco com o seu estilo irreverente, contagiante e roupas exóticas. Saiu de sua terra natal em 1972 com destino ao Rio de Janeiro com a finalidade de seguir carreira como cantora e alcançar o sucesso No mesmo ano, participou do Festival Internacional da Canção no Maracanãzinho e saiu vencedora da fase nacional, com a música “Fio Maravilha” de Jorge Ben. Naquele instante a mineira conquistou o Brasil. Devido aos seus figurinos, chegou a ser comparada com Carmem Miranda. Em 1973 gravou uma música do repertório de Carmem Miranda. “Alô, Alô” que virou sucesso de vendas.

Miranda. Em 1973 gravou uma música do repertório de Carmem Miranda. “Alô, Alô” que virou sucesso
E.V.–Comofoiquevocêchegou até o Festival Internacional da Canção? M.A. – Quando eu cheguei ao Rio de
E.V.–Comofoiquevocêchegou até o Festival Internacional da Canção? M.A. – Quando eu cheguei ao Rio de

E.V.–Comofoiquevocêchegou até o Festival Internacional da Canção? M.A. – Quando eu cheguei ao Rio de Janeiro, fui cantar em uma boate, e lá o Solano Ribeiro me ouviu cantantado e convidou-me para participar do Festival Internacional da Canção. E.V. – Quais foram as musicas que mais sucessos fizeram? M.A. – A primeira foi Fio Maravilha, em seguida; Alô, Alô, Kid Cavaquinho, Bacurinha, Prenda Tadeu, Doida Bonita Gostosona etc., foram músicas marcantes. Depois eu fique este periodo sem gravar, mais buscando lugares para gravar. Gravei um disco (bolachão de vinil) independente. Porém, estorou a música sertaneja, paramos os novos projetos, porque não iria adiantar a trabalhar um novo disco. E.V. – Gostaríamos de saber de você, como foi à sensação de ter participado do Festival Internacional da Canção no Maracanãzinho? M.A. - Sempre que alguém me pergunta qual foi à sensação de eu ter participado do Festival Internacional da Canção, tenho dificuldades para responder, sempre tenho comigo a impressão de que não consigo sentir o que aconteceu naquele exato momento, só sei que foi uma passagem maravilhosa, e como o tempo não para, um dia, em qualquer lugar que eu esteja, vou sentir aquela emoção, porque até agora não deu tempo.

E.V. – Como foi que aconteceu, para que você passasse a ter um visual lembrando a famosa cantora Carmem Miranda?

M.A. - Bacana, quando eu cantei

“Fio Maravilha” no Maracanãzinho,

talvez por causa da roupa que eu estava usando, reverteu a lembrança de Carmem Miranda. Após o festival eu gravei uma música do repertório da Carmem Miranda que acabou

estourando, devido a isso, acho que

teve uma reação do público com a

Maria Alcina, com o meu jeito de vestir

e cantar lembrando a própria Carmem Miranda, e em todos os meus shows, consecutivamente dedico minhas homenagens a ela. E.V. – Qual foi o seu melhor trabalho? M.A. - Eu sou uma pessoa bem sucedida profissionalmente, porém todos nós temos os momentos altos

e baixos. Após quase

20 anos sem gravar, eu preparei e lancei um CD com o nome

“Maria Alcina Confete

e Serpentina”, e

consegui ser premiada

como a melhor

cantora da categoria

e o melhor CD de

2009. Isto para mim

foi um acontecimento maravilhoso e que me arrebatou novamente para o sucesso musical. Fiquei muito

surpreendida e motivada, é como se eu estivesse começando a minha carreira. E.V. – Para fechar a nossa entrevista, você teve problemas com a ditadura? M.A. – Sim, na época da ditadura, todos nós sem exceção, éramos seguidos por pessoas ligadas ao governo. Eu sofri repressão por comportamento subversivo, fui chamada para explicar; (Porque você canta assim, o que significou aquele gesto, qual é a sua intenção de cantar com palavras de duplo sentido etc.) e foi afastada durante 20 dias sem aparecer em qualquer midia. Isto é muito ruim para quem tem popularidade, você fica marcada. Graças a Deus, tudo já passou e a vida continua.

Isto é muito ruim para quem tem popularidade, você fica marcada. Graças a Deus, tudo já

ALPS Idiomas

A Escola de Idiomas ALPS, iniciou suas atividades no dia 9 de Dezembro e está mostrando para a população Taubateana vários desafios, entre eles é o tempo de aprendizagem. O sócio proprietário da escola, o professor Nelson Geraldo, explica que a necessidade que as pessoas demonstram no aprendizado da língua Inglesa, está levando a várias escolas ao redor do mundo a reduzirem o período de aprendizado e isso fez com que a ALPS não ficasse de fora desse momento impar da educação do nosso país. Para provar que as coisas devem ser feitas com muita transparência, a escola lançou no mês Março um desafio: O aluno se matricula na ALPS e em um prazo Maximo de um ano o aluno aprende a ler,

escrever, entender e a falar a língua Inglesa

e se isso não acontecer, ele não paga os

próximos meses . Nelson é professor de Inglês a mais de 20 anos e afirma que durante este período já ensinou Inglês a muitas pessoas e que o prazo de um ano

é o suficiente, mas para que isso aconteça,

o aluno vai ter de se dedicar ao idioma durante uma boa parte do seu dia, pois não existe mágica salientou o professor. Existem hoje no mercado mundial, várias escolas realizando este tipo de desafio em milhares de escolas no mundo todo e os resultados tem sido surpreendentes, e mais uma vez provamos que a velocidade em as coisas acontecem nos dias de hoje com a ajuda da tecnologia é muito mais rápido do que a alguns anos onde o aluno levava 5 anos para aprender um idioma. Em um estudo realizado entre as melhores escolas de idiomas, chegou se a uma única conclusão: A maioria das indústrias que atuam hoje no Brasil são multinacionais e necessitam que o funcionário fale dois ou mais idiomas e por sua vez, não poderiam levar 5 anos para aprender cada idioma, a coisa deve ser veloz, mas verdadeira, honesta e consistente, então foi pensando nisso

verdadeira, honesta e consistente, então foi pensando nisso que a ALPS trouxe para Taubaté este desafio

que a ALPS trouxe para Taubaté este desafio e isso é provado na prática. Obviamente todos nós sabemos que uma língua não se aprende da noite para o dia e repetimos que este processo de aprendizagem só é possível com uma extrema dedicação do aluno e obviamente ele poderá continuar o curso se estiver interessado em aprimorar os seus conhecimentos, mas o primeiro ano é o suficiente para uma pessoa que está precisando de uma injeção de informações. Eu gostaria de deixar uma mensagem a todas as pessoas que querem aprender uma língua estrangeira:

“Dedique se pelo menos uma hora por dia e você entenderá quando eu digo que não existe mágica neste processo. A escola ALPS está situada na Avenida Itália 360, Jardim das Nações, Taubaté – 3674- 1047. Qualquer dúvida com relação a este ou outros assuntos pertinentes a língua Inglesa, meu e-mail é nelsongeraldo13@ hotmail.com

Na edição passada ensinamos aos leitores sobre os verbos auxiliares Do e Does. Nesta edição ensinaremos a função dos verbos auxiliares DID, WILL e WOULD. - Iniciamos com o DID que é o verbo auxiliar usado para indicar que a frase está no tempo passado. Este verbo auxiliar é usado para todas as pessoas e quando ele é posicionado no inicio da frase, temos uma pergunta. Vejamos então como funciona este verbo auxiliar:

DID no inicio da frase significa que temos uma pergunta no passado. Ex: Did you work in the school? Na resposta afirmativa o verbo auxiliar DID não vem e o verbo vai para o passado, ou seja, para a segunda coluna na lista de verbos. Para melhor exemplificar, mostraremos alguns verbos:

Verbo regular To work – worked – worked ( os

verbos regulares possuem terminações no tempo passado e participio passado iguais em ED) Verbo irregular To see – saw – seen ( verbos que suas terminações no tempo passado e particípio passado, são diferentes) Ex: Yes , I worked in the school. Resposta negative o did volta para

a frase com o not – se transformando

em didn’t e o verbo volta para a forma original, ou seja, infinitiva. Ex: No, I didn’t work in the school. Depois de aprendermos sobre os 3 verbos auxiliares do dia a dia da lingua Inglesa, temos que aumentar substancialmente o nosso vocabulário com palavras do nosso cotidiano, mas devemos ter bem claro que estas palavras não podem ser traduzidas e sim entendidas. Para muitos alunos isso é um dos pontos mais difíceis, mas gostaria de salientar que é um dos momentos mais importantes e deve ser encarado com

naturalidade. Gostaria de lembrar a todos que se as palavras entrarem em nossas mentes através de uma imagem formada

e não de forma traduzida, a probabilidade de que ela permaneça em nossa memória

é muito grande, pois foi dessa forma que

aprendemos e mantemos o vocabulário que temos até hoje na língua portuguesa.

Ex: Quando eu peço para vocês fecharem os olhos e imaginarem uma bola verde sobre um gramado com dois meninos de camiseta da ALPS brincando, acredito que neste momento vocês conseguiram imaginar toda a cena, até mesmo as camisetas, e quando eu peço para vocês imaginarem Ex: One girl and a boy in the school dancing a good music. Vocês também sem tradução conseguem ver este momento, então precisamos aumentar o nosso vocabulário com palavras em Inglês sem nenhum tipo de tradução.

Sincomerciários

Dia Internacional da Mulher

A Federação dos Empregados no Comércio do Estado de São Paulo promoveu um encontro com as comerciárias, onde foi gentilmente oferecido um café da manhã em solenidade ao “Dia Internacional da Mulher”. Neste encontro permaneceu presente como palestrante, a ex-prefeita de São Paulo Martha Suplicy e futura candidata ao Senado, que elucidou sobre a dessemelhança que a mulher ainda enfrenta em diversos seguimentos, além de

contrapor diversas perguntas sobre os assuntos acometidos. Após a consumação do encontro, foram distribuídos vários brindes proporcionados pela Federação e Sindicatos que foram sorteados. Em seguida todas as participantes participaram de um almoço também oferecido pela Federação. A diretoria e funcionários do Sincomerciários de Taubaté marcaram presença.

do Sincomerciários de Taubaté marcaram presença. Cerca de 250 comerciárias participaram do evento D i a

Cerca de 250 comerciárias participaram do evento

presença. Cerca de 250 comerciárias participaram do evento D i a d a M u l

Dia da Mulher Fecomerciários

a d a M u l h e r F e c o m e r

Nilma, Ana Paula, Lia, Motta, Aldy e Priscilla

Agência Tríadaz ganha casa nova

Agência Tríadaz ganha casa nova Equipe da agência Tríadaz Fachada da nova sede da Tríadaz, em

Equipe da agência Tríadaz

Agência Tríadaz ganha casa nova Equipe da agência Tríadaz Fachada da nova sede da Tríadaz, em

Fachada da nova sede da Tríadaz, em Taubaté

O mercado publicitário do Vale do Paraíba tem novo endereço. A agência Tríadaz Propaganda e Marketing, localizada em Taubaté, acaba de investir no seu crescimento físico. Com sete anos de atuação, a Tríadaz pretende se tornar agência modelo da região com uma sede de 250 metros quadrados. O ambiente foi pensado segundo conceitos da arquitetura corporativa; de estilo contemporâneo, é dividido por setores e conta com sala para descompressão.

A preocupação com o meio ambiente foi uma constante, como explica a arquiteta responsável pela reforma da casa, Samantha Maduro: “Desde o projeto, pensamos nas necessidades da

agência sem esquecer a responsabilidade com o meio ambiente”. As linhas retas do escritório receberam um layout trabalhado em MDF, para todas as salas, com certificação de madeira de reflorestamento. Já o painel frontal, que adiciona graça e beleza ao jardim, é de madeira de demolição. “O paisagismo entra como elemento humanizador, pois quase 100% do terreno é construído”, explica a arquiteta.

Pensando na camada de ozônio, um bicicletário para os funcionários deve ser providenciado em médio prazo. Uma forma de deixar o carro na garagem de casa, poupando combustível e oxigênio e, de quebra, praticar atividade

física. Um projeto para coleta seletiva e reaproveitamento de todo o material que poderia ter como destino o lixo comum está sendo montado.

“Nosso trabalho é baseado no crescimento gradativo e orgânico, com meta e propósito definidos. Sempre quis uma agência de propaganda vitrine, o que reflete em mais conforto para todos. Após sete anos, a nova sede é um presente para nossos colaboradores e clientes”, afirma o diretor da Tríadaz Propaganda e Marketing, Jonas Maduro.

O novo endereço da Tríadaz é Rua Mal. Floriano Peixoto, 350, Centro, Taubaté. Saiba mais no site: www.triadaz.com.br

novo endereço da Tríadaz é Rua Mal. Floriano Peixoto, 350, Centro, Taubaté. Saiba mais no site:

Ano 4 - nº 25 - dezembro - 2008 | janeiro - 2009

Ano 4 - nº 25 - dezembro - 2008 | janeiro - 2009 51
51
51
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44
40 4040404444 44

40404040444444