Você está na página 1de 34

TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

TRANSPORTATION

MANUAL DE
PARAMETRIZAÇÃO

Aspen Rio – 2006 pág 1 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


SUMÁRIO

1. ELEMENTOS ORGANIZACIONAIS
 Local de Organização de Transporte

2. DEFINIÇÃO DE ITINERÁRIO
 Meios de transporte
 Tipos de Expedição
 Definir entroncamentos
 Definição de itinerário e etapas

3. DETERMINAÇÃO DE ITINERÁRIO
 Definição de Zonas de Transporte
 Definir Grupos de Transporte
 Atualizar país e zona de transporte para local de expedição
 Definição de Grupos de Peso
 Condição de Expedição
 Atualizar a determinação de itinerários
 Redefinir determinação de itinerários por tipo de remessa
 Verificação dos parâmetros de cadastro (material e cliente) e documento de vendas

4. PROCESSAMENTO DO TRANSPORTE (DOCUMENTOS)


 Definir relevância para Transporte
 Definir Tipos de Transporte
 Definir e atribuir perfis de atividade

5. PROCESSAMENTO DE CUSTOS DE TRANSPORTE (DOCUMENTOS)


 Definir e atribuir zonas de tarifas
 Tipos de custos de transporte e categorias de item
 Relevância para custos de transporte e propostas para tipos de custos de transporte
 Determinação do preço

6. LIQUIDAÇÃO
 Atribuir dados de compras
 Atualizar categoria da classificação contábil
 Determinação automática de contas do razão
 Determinação automática das atribuições CO

7. PROCESSO NA PRÁTICA
7.1. SD
o Criando registro de condições
o Criando ordens de venda
o Criando fornecimentos

Aspen Rio – 2006 pág 2 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


o Criando documento de transporte
o Criando pedido de compra
o Criando o documento de custos de transporte e FRS
o Verificando folha de registro de serviço e histórico do pedido
o Efetuando revisão de fatura (entrada do conhecimento de frete)

7.2. MM
o Controle de confirmações
o Tipos de condições
o Esquema de cálculo
o Criando o pedido
o Criando o recebimento

Aspen Rio – 2006 pág 3 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Passo a Passo

ELEMENTOS ORGANIZACIONAIS

Local de Organização de Transporte


A Organização de transporte é o principal e praticamente único elemento organizacional para
Transporte. Está associado à Empresa somente. A ligação com a Empresa (Company Code)
é ESSENCIAL para a criação de custos de transporte e sua liquidação de forma automática e
vai facilitar a identificação no caso de várias filiais.
IMG > Estrutura do empreendimento > Definição > Logistics Execution > Atualizar local de
organização do transporte

DEFINIÇÃO DE ITINERÁRIO

Meios de transporte
IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Definição de itinerários >
Definir meio de transporte

Apenas verificar:

Tipos de Expedição
Aspen Rio – 2006 pág 4 de 34 Marcos Moura
TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Definição de itinerários >
Definir tipos de expedição
Transação: 0VTA

Apenas verificar:

Obs: Para diferenciação (por exemplo) de carga fracionada ou lotação, para efeito de cálculo
de custo de frete, podemos utilizar diferentes tipos de expedição:
11 – Veículo leve – até 1000kg
12 – Truck – até 12T
13 – Carreta – até 25T
...

Obs2 : GETE – Grupo de Esquemas para tipo de Expedição. Será utilizado na determinação
do esquema de cálculo de custos de Transportes. Mais tarde, quando da definição da parte
de custos de transportes, voltaremos a este ponto.

Definir entroncamentos
IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Definição de itinerários >
Definir entroncamentos
Transação: 0VTD
Obs: colocar esta transação disponível ao usuário em produção.

Definição: Entroncamentos são pontos de partida (podem também ser referenciados a um


Centro, Local de expedição, Fornecedor, Cliente, etc), chegada (idem) ou pontos
intermediários no percurso de um Transporte (ponto de mudança de meio de transporte,
fronteira, ponto de re-acondicionamento da carga, transportadoras de redespacho, etc).
Resumindo, o objetivo é associar uma zona de transporte para poder determinar o itinerário.

Aspen Rio – 2006 pág 5 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Definição de itinerário e etapas


IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Definição de itinerários >
Definir itinerários e etapas Transação: 0VTC
Obs: colocar esta transação disponível ao usuário em produção.

Aspen Rio – 2006 pág 6 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Obs: Nos casos de redespacho, geralmente são muitas transportadoras e a determinação
automática fica complicada. Se forem poucos, podemos atribuir uma condição de expedição
para cada redespacho e alterar este campo na OV, forçando a redeterminação do itinerário.

DETERMINAÇÃO DE ITINERÁRIO

Definição de Zonas de Transporte


IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Determinação de itinerários >
Definir zonas de transporte Transação OVR1

As Zonas de transporte são definidas nesta etapa do IMG e são posteriormente indicadas no
LOCAL DE EXPEDIÇÃO e no cadastro do RECEBEDOR DA MERCADORIA.

Atualizar país e zona de transporte para local de expedição


IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Determinação de itinerários >
Atualizar país e zona de transporte para local de expedição Transação: OVL7

Definir Grupos de Transporte


IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Determinação de itinerários >
Definir grupos de transporte Transação: OVSY

Aspen Rio – 2006 pág 7 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Grupos de Transporte são parâmetros de agrupamento de MATERIAIS que possuem


mesmas características para Transporte (Ex: Líquidos, Granéis, sobre Pallets, etc). É um dos
parâmetros de determinação de Itinerário, o que obriga ter este valor atualizado no Cadastro
(Visão de Vendas/Centro).

Definição de Grupos de Peso


IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Determinação de itinerários >
Definir grupos de peso

Podem ser criadas faixas de peso que possam influenciar na determinação de itinerário. A
avaliação e enquadramento em uma determinada faixa se dará no momento da ORDEM e
também do FORNECIMENTO. Desta forma, caso haja o desejo, o sistema pode
redeterminar um novo itinerário baseado na informação do peso total REAL já no momento
da expedição.

Obs: Não utilizaremos este critério na determinação de um itinerário.

Condição de Expedição
IMG > Logistics Execution > Expedição > Bases > Determinação de local de
expedição/dpto.entrada mercadorias > Definir condições de expedição

A condição de expedição será importante para redeterminar na OV itinerários especiais como


redespacho, portos, “cliente retira”, etc.

Aspen Rio – 2006 pág 8 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Atualizar a determinação de itinerários
IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Determinação de itinerários >
Atualizar a determinação de itinerários Transação: 0VRF

A primeira janela à direita contém o País, a zona de transporte de origem e a zona de


transporte de destino. Devemos, um a um, marcar a entrada desejada e clicar nas opções è
esquerda, com ou sem grupo de peso. Clique sem grupo de peso.

clicando em “com grupo de peso”;

Exercício: Crie a entrada para ZRIO – ZRIO.

Aspen Rio – 2006 pág 9 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Redefinir determinação de itinerários por tipo de remessa
IMG > Logistics Execution > Transporte > Bases > Itinerários > Determinação de itinerários >
Redefinir determinação de itinerários por tipo de remessa Transação: OVLO

Obs: Esta parametrização habilita o recálculo por grupo de peso citado acima.

Verificação dos parâmetros de cadastro e documento de vendas

Material
MM02 – PA1000 – REX1 / 10 / LT

Cliente
XD02 – 500015 – REX – REX1 / 10 / LT

Aspen Rio – 2006 pág 10 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Fornecedor
XK02 – COMETA – REX - REX

Aspen Rio – 2006 pág 11 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


PROCESSAMENTO DO TRANSPORTE (DOCUMENTOS)

Definir relevância para Transporte


IMG > Logistics Execution > Transporte > Transportes > Determinar relevância para
transporte

Atualizar a relevância do transporte p/tipos de fornecimento

Atualizar a relevância do transporte para ctgs.item remessa

Atualizar a relevância do transporte para itinerários

Obs: Para que o processo ocorra, todos os três parâmetros devem estar marcados.

Definir Tipos de Transporte


IMG > Logistics Execution > Transporte > Transportes > Definir tipos de transporte

Este bloco geralmente é sempre assim:

Aspen Rio – 2006 pág 12 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Este é o parâmetro que indica se o transporte será


programado para fornecimentos (SD - Deliveries)
ou Notificações de despacho (MM – Shipping
Notifications). Existem também opções de
transporte VAZIO (caso de ida ou retorno de
containers vazios, por exemplo).

Estas entradas também seguem estes preenchimentos:

Aqui começam as variações – aceitar etapas ou não:

Aqui você definie se o itinerário se transformará em um etapa do transporte e até em mais de


um. Se o itinerário não for relevante para custo, basta não criar etapa.

Determinar trajetos ou não:

Define como as remessas serão agrupadas (ou seqüenciadas) e qual será a ordem.
Exemplo: 1 local de partida(1) e 2 de entrega(A,B) – os trajeto podem ser: 1-A e A-B ou 1-A e
1-B.

Aspen Rio – 2006 pág 13 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


O bloco acima define se haverá verificação de picking para início do transporte e os
esquemas de mensagem e de parceiro.

Por último, definimos como será a rotina que transfere as remessas para o documento de
transporte. Dependendo da necessidade podemos inserir aqui nossa própria fórmula para
automatizar a separação de documentos.

Intervalos de numeração
IMG > Logistics Execution > Transporte > Transportes > Definir intervalos de numeração para
transportes Transação: VN07

Definir e atribuir perfis de atividade


IMG > Logistics Execution > Transporte > Transportes > Definir e atribuir perfis de atividade

Aqui podemos atribuir alguma rotina que poderá ser executada a partir da confirmação das
datas reais para execução de cada passo no documento de transporte.

PROCESSAMENTO DE CUSTOS DE TRANSPORTE (DOCUMENTOS)


Aspen Rio – 2006 pág 14 de 34 Marcos Moura
TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Definir e atribuir zonas de tarifas


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Bases > Definir e atribuir zonas
de tarifas Transação: T_76

Criar a Zona de tarifa

Definir a Chave Organizacional

NOTA: a chave acima é genérica. Existe a possibilidade de atribuir um tipo de expedição


específico ou ainda uma transportadora específica mas nestes casos as entradas seguintes
e todos os registros de condições deveriam ser todos multiplicados, gerando um esforço
enorme de manutenção.

Atribuir os dois anteriores

Tipos de custos de transporte e categorias de item


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Doc.custos de frete > Definir
intervalo de numeração para custos de frete Transação: VN08

Aspen Rio – 2006 pág 15 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Doc.custos de frete > Tipos de
custos de frete e ctgs.itens Transação: T_56

Definir Categorias de Item

Detalhe:

Definir tipos de custos de frete (cabeçalho)

Atribuir os dois anteriores

Aspen Rio – 2006 pág 16 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Aqui, parametrizamos se o custo será calculado sobre o cabeçalho, o trajeto, um terminal ou


um posto de passagem. Definimos também se será automático(e até que ponto) e a classe
de avaliação.

Relevância para custos de transporte e propostas para tipos de custos de transporte


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Doc.custos de frete > Relevância
dos custos de frete e proposta p/tipo de custos de frete Transação: T_57

Atribuir tipo de documento de custo de frete ao documento de transporte

Determinar relevância do custo de transporte para o documento de transporte

Determinação do preço
Mesma estrutura de determinação de PREÇOS (Tabela de Condições, Sequências de
Acesso, Tipos de Condição, Esquema de Cálculo). A maior diferença se resume na
DETERMINAÇÃO do esquema, que utiliza parâmetros tais como: Grupo de esquemas de
fornecedores de serviços, grupo de esquemas do item e grp.esquemas dos tipos de
expedição. A determinação se dá por LOCAL DE ORGANIZAÇÃO DE TRANSPORTE.
Tipos de Condição

Aspen Rio – 2006 pág 17 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Determinação do preço >
Controle da determinação de preço > Definir tipos de condição

Seqüência de Acesso
IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Determinação do preço >
Controle da determinação de preço > Definir seqüências de acesso

Atribuição do Esquema de Cálculo


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Determinação do preço >
Controle da determinação de preço > Definir e atribuir esquemas de cálculo

Aspen Rio – 2006 pág 18 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Exclusão de Condições
IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Determinação do preço >
Controle da determinação de preço > Exclusão de condições > Definir exclusão de condições
para grupos de condições
Como acontece no SD, podemos aqui atribuir regras para exclusão de condições a fim de
adequar as exigências do modelo logístico.

Aspen Rio – 2006 pág 19 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


LIQUIDAÇÃO

Atribuir dados de compras


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Liquidação > Atribuir dados de
compras

Atualizar categoria da classificação contábil


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Liquidação > Atualizar ctg.
classificação contábil

Não alterar... apenas para consulta!!

Aspen Rio – 2006 pág 20 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Determinação automática de contas do razão
IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Liquidação > Determinação
automática de contas do Razão Transação: OMWB
Classificação Contábil > Operação GBB > Plano de contas PC01 > VBR-3200

Determinação automática das atribuições CO


IMG > Logistics Execution > Transporte > Custos de frete > Liquidação > Determinação
automática das atribuições CO Transação: OKB9

Aspen Rio – 2006 pág 21 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


PROCESSO NA PRÁTICA

SD

Criando registro de condições

Repetir o procedimento para todas as combinações possíveis de:


partida/chegada/TE/Transportadora

Criando ordens de venda (VA01)


Verificar se o itinerário foi determinado corretamente.

Colocar a transportadora no cabeçalho

Criando fornecimentos (VL01N)


Aspen Rio – 2006 pág 22 de 34 Marcos Moura
TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Observar que o status de transporte da remessa está “A”.

Criando documento de transporte (VT01N)

Selecionar o Local de Org de Transporte e o tipo de documento. Clicar em “selecionar


fornecimentos”

Aspen Rio – 2006 pág 23 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Entrar com os critérios de seleção e executar.

Aspen Rio – 2006 pág 24 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


-> Clique para eliminar o doc de transporte da lista
-> Clique para inserir ou retirar fornecimentos da lista
-> Clique para personalizar o layout e para otimizar colunas
-> Clique para agrupar os fornecimentos marcados em um novo transporte
-> Clique para criar um documento de transporte para cada fornecimento marcado
-> Clique para ver o documento de transporte selecionado

Cabeçalho

Detalhes

Clique em “Organiz.Transp” para gerar as etapas do transporte. Os campos “Agente de


frete”, “Tipo de expedição” e “itiner.transp” podem ser “manualmente alterados antes de
iniciar a organização de transporte. Neste caso, os valores não serão sobrepostos pelos do
fornecimento.

Aspen Rio – 2006 pág 25 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

-> Clique para ver os detalhes da etapa


-> clique para ver os fornecimentos contidos na etapa

Criando pedido de compra (ME21N)


Somente 1 documento de compra de frete deve estar válido / ativo para que a determinação
automática seja correta. A criação manual de um pedido de serviço de frete de escoamento,
sem a utilização do recurso de geração automática pelo Transportation, permite que o pedido
seja adaptado para exibir a pasta Brasil e o preenchimento de campos essenciais no
lançamento do conhecimento de transporte pela transação MIRO.
Para tanto, é necessário que o Transportation não efetue qualquer contabilização dos custos
do frete, deixando isso para a própria folha de registro de serviços e fatura. Alguns requisitos
no pedido manual de serviço do frete de escoamento devem ser atendidos com precisão,
para que a sua vinculação ao documento de transporte, sendo eles campos chaves do
processo: fornecedor, data de emissão, validade do pedido, empresa, organização de
compras, grupo de compradores, centro, data de remessa, limites previstos. O conteúdo
destes campos deve ser idêntico ao definido nas configurações do Transportation.
Por exigências fiscais, deve-se atentar para os campos: código de imposto (fixo “I1”),
utilização do material (fixo “1”), categoria CFOP (fixo “3”), origem (fixo “0”), NCM (fixo
“99999999”).

Ao criar o pedido normal deveremos primeiro preencher o campo “Classificação contábil”


como K e não preencher o campo “Categoria de Item” na linha do item para que o sistema
habilite a pasta “Brasil”. Preenchemos, então, o restante dos dados e só depois voltamos à
linha do item e informamos a categoria de item = D para que o pedido seja tratado como
serviço.

Aspen Rio – 2006 pág 26 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Criando o documento de custos de transporte e FRS (VI01)


Informe o número do transporte e o tipo de documento de custo.

Note os status do documento ao criar

Aspen Rio – 2006 pág 27 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Clicando 2 vezes no item do transporte verificarmos os detalhes do item:

Depois de classificado contabilmente, a opção de


“transferência” fica habilitada. Marque esta opção e
<ENTER>. Ao salvar, o pedido e a FRS criada ficam
na aba “Aquisição serviços”.

Clicar no botão para verificação da classificação contábil, caso esteja automática.

Clicando 2 vezes no subitem de custo verificarmos a price:

Verificando folha de registro de serviço e histórico do pedido


Navegando pelo pedido criado anteriormente, acessando a pasta histórico, poderemos
consultar a FRS gerada ao salvar o documento de custo marcado para transferência.

Aspen Rio – 2006 pág 28 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Efetuando revisão de fatura (entrada do conhecimento de frete)


Para efetuar entrada e escrituração do conhecimento de Frete, utilizaremos como chave o
número da Folha de Serviços. É conceito nesta implementação o uso desta chave para evitar
duplicidade e controle de valor.
Utilizaremos a transação MIRO.

Aspen Rio – 2006 pág 29 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Nesta tela informar o número do conhecimento de frete do transportador, data da fatura e a


folha de registro de serviços.

Aspen Rio – 2006 pág 30 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

Simulação da contabilização. Aqui a conta transitória é zerada, é gerado um lançamento para


a conta de imposto e o saldo vai para fornecedor.

Nota Fiscal

Aspen Rio – 2006 pág 31 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


MM
Toda a configuração vista anteriormente deve ser implementada para este processo de
entrada, com novo documento de transporte, nova categoria de item, novo item, nova price,
novas condições e fórmulas.

Controle de confirmações
IMG > Administração de materiais > Compras > Confirmações > Definir Controle de
Confirmação

Tipos de condições
IMG > Administração de materiais > Compras > Condições > Determinar determinação de
preço > Determinar tipo de condições
Copiar a condição FRB1:

Aspen Rio – 2006 pág 32 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C

IMPORTANTE

IMPORTANTE

Aspen Rio – 2006 pág 33 de 34 Marcos Moura


TRANSPORTATION

SAP R/3 – 4.6C


Esquema de cálculo
IMG > Administração de materiais > Compras > Condições > Determinar determinação de
preço > Determinar esquema de cálculo

O sistema copiará esta condição para o recebimento da fatura com o valor apurado no
transportation. Ela deve ficar vazia mesmo no pedido para poder receber o valor do frete.

Criando o pedido

Este campo
deve estar
valor =0004

Criando o recebimento
Para gerar o recebimento (semelhante à remessa de SD) utilizar as transações VL31N ou
VL34.

Aspen Rio – 2006 pág 34 de 34 Marcos Moura