Você está na página 1de 185

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

CAMPUS CAMPOS DOS GOYTACASES


CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM NUTRIÇÃO CLÍNICA

NUTRIGENÔMICA
APLICADA À CLÍNICA

Profa. Dra. Luciana Nicolau Aranha


Nutricionista – Mestre em Ciências Médicas (UFF)
Doutora em Ciências (UFRJ)
Contato: luciana_nicolau@hotmail.com
Programação
 Introdução à genética (estrutura do DNA e RNA,
transcrição e tradução)
 Regulação da expressão gênica
 Projeto Genoma Humano
 Noções de mutações e polimorfismos
 Genótipo x Fenótipo
 Nutrigenômica x Nutrigenética
 Nutrigenômica na obesidade e doenças
cardiovasculares
 Exames de nutrigenética
TEORIA DA EVOLUÇÃO
- Todas as espécies vinham de um único ancestral que foi aos
poucos, evoluindo e originando todas as espécies do
planeta
- Um indivíduo herdaria as características de seus pais em
medidas iguais

LEIS DE MENDEL
- 1º Lei = Lei da Segregação
dos Fatores
- 2° Lei = Lei da Distribuição
independente

Descoberta a estrutura da
molécula de DNA
Introdução à genética
GREGOR MENDEL (PAI DA GENÉTICA)
❑ Padre austríaco, botânico e biólogo
❑ Experiências com ervilhas

1ª Lei de Mendel
Lei da Segregação dos fatores

Para cada 3 sementes amarelas


(dominantes), obtinha-se 1 semente
verde (recessiva)

“Transmissão de caráter
unitário de geração para
geração”
Introdução à genética

2ª Lei de Mendel
Lei da Segregação independente

Genes de diferentes loci são


transmitidos independentemente

“Características diferentes são


herdadas independentemente
das diferenças em outras
características observadas”
Introdução à genética
JAMES D. WATSON E FRANCIS CRICK

❑ Em 1953, elucidaram a estrutura do DNA:

- Dupla hélice
- Composta de monômeros denominados
nucleotídeos
- Unidas por ligações fosfodiéster.

Prêmio Nobel de Medicina


(1962)
Introdução à genética
DNA: A MOLÉCULA DA VIDA
Célula
Núcleo

Molécula localizada no núcleo


da célula, responsável por
armazenar todas as informações
genéticas que definem as
características de cada
organismo vivo

CÓDIGO
GENÉTICO
Introdução à genética
Composição e estrutura dos nucleotídeos

Nucleotídeos Pentose (Açúcar)

DNA RNA
Introdução à genética
Composição e estrutura das
bases nitrogenadas
Introdução à genética
Diferença entre DNA E RNA
Introdução à genética
Pares de bases complementares
na dupla hélice

❑ A ligação entre dois nucleotídeos:


ligações fosfodiéster 5’ – 3’ entre
as unidades de desoxirribose.

❑ As duas cadeias nucleotídicas são


mantidas unidas por pontes de
hidrogênio que ocorrem entre
bases nitrogenadas específicas:

A T G C
Introdução à genética
Genoma Humano
Genoma – conteúdo total de
DNA presente na célula de um
organismo
Curiosidades
• Comprimento do DNA: 3,2 x
109 pares de nucleotídeos
• Número de genes que
codificam proteínas – 21 mil
• Cerca de 1,5% codifica
proteína
• Contém cerca de 27 mil
pares de nucleotídeos
Introdução à genética
Genoma Humano

23 Pares de cromossomo:
CROMOSSOMOS • 22 pares de autossomos
• 1 par de cromossomos sexuais
Introdução à genética
Gene
Introdução à genética
Genes Alelos

Genes que ocupam o mesmo


locus em cromossomos homólogos
Estrutura do gene
Introdução à genética
Cromossomo
❑ Estrutura que contém uma longa
molécula de DNA associada a
proteínas histonas

❑ Os cromossomos contem muitos genes


Introdução à genética
Estrutura do Cromossomo

São essenciais para


manutenção e estabilidade
da integridade de cada
cromossomo
Introdução à genética
Classificação dos cromossomos quanto do centrômero
Introdução à genética
Cromossomos Homólogos São cromossomos
semelhantes na forma e no
tamanho
Criótipo humano

❑ Conjunto cromossômico de uma determinada


espécie

❑ A espécie humana apresenta 23 pares de


cromossomos homólogos em seu cariótipo
Proposto por Francis Crick (1958)
Introdução à genética
Introdução à genética
Introdução à genética
Introdução à genética
Introdução à genética
Introdução à genética
Regulação da expressão gênica
Regulação da expressão gênica
Regulação da expressão gênica
Regulação da expressão gênica
PROJETO GENOMA HUMANO
(1990-2005)
MUTAÇÕES
Mutações Gênicas
Substituição:
Ocorre a troca de 1
ou mais pares de
base

Inserção:
Adição de 1 ou mais bases
ao DNA, modificando a
ordem de leitura da
molécula durante a
replicação ou a
transcrição.

Deleção:
ocorre quando uma ou mais
bases são retiradas do DNA,
modificando a ordem da
leitura, durante a replicação
ou a transcrição.
Mutações Gênicas
Mutações Gênicas
Mutações Gênicas
Mutações Gênicas
Mutações Gênicas
Mutações Gênicas
Mutações Gênicas
Mutações Monogênicas
Mutações Cromossômicas
Consequências das Mutações
Por que preciso entender isto?
PROJETO GENOMA HUMANO
(1990 – 2005)
PROJETO GENOMA HUMANO
(1990 – 2005)
Doenças crônicas são um
desfecho inevitável????

Fatores ambientais

Alimentação
Atividade
física
Meio em que vive
Fatores ambientais e a
expressão gênica

A alimentação pode modular a


expressão gênica.

Ordovas J & Corella D. Annu Rev Genomics Hum Genet, 5: 71-118, 2004.
Abordagem Genômica

Nutrigenômica Nutrigenética Epigenética


Nutricional
• Transcriptômica Testes genéticos • Metilação do DNA
• Proteômica (polimorfismos) • Histonas
• Lipidômica • Micro RNAs
• Metabolômica
Genômica Nutricional
Absorção de nutrientes
Utilização de nutrientes
Tolerância a alimentos e nutrientes
Requerimentos nutricionais

Nutrigenética - Nutrientes
Genes - Alimentos
Nutrigenenômica
- Suplementos

Epigenética

Nutrigenômica – regulação da expressão dos genes pelos nutrientes.


Nutrigenética – efeito da variação genética que modifica o metabo-
lismo dos nutrientes, a utilização e tolerância aos
alimentos.
Fundamentos da Nutrigenômica
Conceitos básicos da nutrigenômica

❑ Nutrientes e compostos bioativos dos alimentos (CBA) atuam sobre o genoma


humana, alterando a expressão ou a estrutura de genes;

❑ A alimentação pode ser fator de risco relevante para o desenvolvimento de


determinadas doenças;

❑ O grau com o qual a alimentação influencia o equilíbrio entre saúde e


doença pode depender da constituição genética do indivíduo;

❑ Intervenções alimentares baseadas no conhecimento das necessidades de


nutrientes, do estado nutricional individual e do genótipo podem ser
utilizadas para otimizar a saúde e prevenir ou curar DCNT.
Fundamentos da Nutrigenômica

Flavonoides Curcumina
Licopeno

DNA
Genômica

gene
Transcriptômica

Proteína
Proteômica

Metabolômica x Metabólitos
Fundamentos da Nutrigenômica
Subdivisões da nutrigenômica

❑ Transcriptômica: analisa os produtos da transcrição, o RNA mensageiro, e


suas alterações frente a um nutriente ou bioativo.

❑ Proteômica: analisa o conjunto de proteínas e as alterações sofridas quando


na presença ou ausência de nutrientes e bioativos.

❑ Metabolômica: analisa como se dá o controle do transporte de determinado


nutriente e metabólito na sua rota bioquímica.
Fundamentos da Nutrigenômica

Nutrientes e compostos bioativos dos alimentos (CBA)


podem atuar em diferentes alvos moleculares e
alterar todas as etapas da expressão gênica de 2
maneiras:

Direta Indireta
MECANISMOS DE ATUAÇÃO DE NUTRIENTES E CBA
NA REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA
Mecanismos direto: nutrientes interagem diretamente com
fatores de transcrição
Retinol

9-cis Trans
RA RA

9-cis RXR RAR Trans


RA RA

DNA
RARE
Legenda:
RA: ácido retinóico
RNA
RAR: receptor de ácido
retinóico
RXR: receptor x de Proteína
retinóides
MECANISMOS DE ATUAÇÃO DE NUTRIENTES E CBA
NA REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA
Nutriente Componente Fator de transcrição
Macronutrientes

Lipídios Ácidos graxos PPARs, SREBPs, LXR, HNF4, ChREBP


Colesterol SREBPs, LXRs, FXR
Carboidratos Glicose USFs, SREBPs, ChREBP

Proteínas Aminoácidos C/EBPs

Micronutrientes

Vitaminas Vitamina A RAR, RXR


Vitamina D VDR
Vitamina E PXR

Minerais Cálcio Calcineurin/NF-Ats


Ferro IRP1, IRP2
Zinco MTF1
Compostos Bioativos

Flavonóides ER, NFκb, AP1


MECANISMOS DE ATUAÇÃO DE NUTRIENTES E CBA
NA REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA
MECANISMOS DE ATUAÇÃO DE NUTRIENTES E CBA
NA REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA
Mecanismos indireto: nutrientes ou CBA interage em vias de
sinalização
Estresse oxidativo

IKK

IκB Resveratrol
NFκB
P

NFκB RNA P
NFκB κB

DNA
Legenda:
IKK: inibidor de kappa B RNA
NFκB- fator de
transcrição kappa B
VCAM-1: molécula de VCAM-1
adesão celular vascular 1
Nutrigenômica e Controle das Doenças
Fundamentos da Nutrigenética

Projeto Genoma

✓ Necessidade da identificação sistemática de todos os


polimorfismos genéticos encontrados na população, com o
objetivo de facilitar o estudo de suas associações com doenças.
Fundamentos da Nutrigenética
Nutrigenética

Estudo de pequenas variações na sequência de nucleotídeos do DNA, que

podem interferir positiva ou negativamente em vias metabólicas,

determinando de que maneira os indivíduos responderão à ingestão de

nutrientes ou CBA e a diferentes padrões de alimentação


Fundamentos da Nutrigenética

Nutrigenética

❑ Representa a influência da variabilidade genética existente entre os

indivíduos sobre as necessidades nutricionais, o estado de saúde e o

risco de desenvolvimento de doenças.


Nutrigenética
Nutrigenética
Nutrigenética
POLIMORFISMOS
Tipos de Polimorfismos

1 2 3
• Variable • Inserções e • Polimorfismos
number of deleções de nucleotídeo
tandem repeats (INDEL) único (SNP)
(VNTR) ou
microssatélites
- Mais frequente e o mais
estudado
- Maior interação com
fatores nutricionais
Polimorfismos de nucleotídeo único (SNP)
Polimorfismos de nucleotídeo único (SNP)
Polimorfismos de nucleotídeo único (SNP)
Banco de dados público para catalogação de SNP

Número de
registro (rs –
register number,
ex: rs1800629
Polimorfismos de nucleotídeo único (SNP)
Nutrigenética
Nutrigenética
J. Am. Diet. Assoc. 106: 403-413, 2006
Fundamentos da Epigenética
A epigenética compreende um conjunto de mecanismos que promovem
a regulação da expressão gênica a nível transcricional através de
modificações químicas no DNA e na cromatina, como metilação,
acetilação e fosforilação, que resultam na consequente mudança
fenotípica do indivíduo sem, no entanto, ocorrer nenhuma alteração na
sequência do DNA.
Fundamentos da Epigenética
Eventos epigenéticos:
 Fatores de transcrição, que se ligam as moléculas
de DNA e regulam a expressão gênica;

 miRNAs, que regulam a tradução do RNAm

 Metilação do DNA

 Alterações nas proteínas Histonas


Nutrigenética e Nutrigenômica

Os guias alimentares são adequados


para qualquer indivíduo?
Nutrigenômica e Obesidade
4517 artigos (07/2019)
Homocisteinemia e ácido fólico
MÉTODOS

Estudo transversal, realizado com


mulheres adultas, atendidas no
Centro de Pesquisa em Nutrição
Clínica, do HUCFF.

As participantes foram recrutadas


em dois períodos diferentes
momentos - 2002 a 2003 / 2008
a 2009.
RESULTADOS
RESULTADOS
RESULTADOS
25

20

15

Homocisteinemia Pré-fortificação
Pós-fortificação
µmol/L Linear (Pré-fortificação)
Linear (Pós-fortificação)
10

2
R = 0,0713

2
R = 0,0612

0
0 10 20 30 40 50 60

Folato sérico nmol/L

Correlação da homocisteinemia com as concentrações séricas de


folato pré e pós- fortificação das farinhas de milho e trigo.
CONCLUSÕES
▪ As voluntárias no período pós-fortificação, das farinhas de milho e
trigo com ácido fólico, apresentaram consumo adequado dessa
vitamina e menores concentrações de hcys, quando comparadas as do
pré-fortificação.
TESTES DE NUTRIGENÉTICA
TESTES DE NUTRIGENÉTICA
❑Ganhou força no Brasil a partir de 2012;

❑A prescrição nutricional deve ter como principal objetivo a


promoção da saúde e da qualidade de vida;

❑O enfoque mais importante dos testes genéticos relacionados à


nutrição é a análise de variações genéticas, principalmente SNP,
que possam predizer as necessidades nutricionais individuais; a fim
de direcionar intervenções para reduzir o risco de DCNT.
TESTES DE NUTRIGENÉTICA
❑Testes de nutrigenética analisam genes envolvidos principalmente
com a obesidade, com o metabolismo e transporte de nutrientes e
com enzimas de destoxificação e antioxidantes;

❑Testes de nutrigenética podem ser aliados no auxílio da prescrição


nutricional individualizada e, quando houver possibilidade, devem
ser utilizados de maneira complementar.

Testes de nutrigenética NÃO substitui nenhuma


ferramenta clássica de avaliação
TESTES DE NUTRIGENÉTICA

❑Coleta é do tipo não invasiva de células bucais, realizada com


auxílio de swab ou diretamente da saliva.

É necessário que o paciente esteja em jejum por pelo menos uma hora
TESTES DE NUTRIGENÉTICA

A abordagem dos resultados nos laudos é realizada de quatro


formas distintas:
1. Apenas relatando o resultado do polimorfismo avaliado, sem interpretação;
2. Por meio da associação com condições metabólicas ou risco de desenvolvimento
de doenças e, ainda, quais nutrientes e alimentos devem ser priorizados de
acordo com variações específicas no DNA avaliado;
3. Com a sugestão de padrões de planos alimentares preestabelecidos;
4. Relacionando variações genéticas com o consumo de alimentos ou nutrientes
específicos, sem mencionar o risco de doenças e condições metabólicas.
TESTES DE NUTRIGENÉTICA

Utilização na prática clínica

❑ O nutricionista que optar pela prescrição de testes de


nutrigenética deve utilizar e integrar conhecimento das
subdisciplinas da genômica nutricional
TESTES DE NUTRIGENÉTICA

Utilização na prática clínica

❑ 50 pacientes realizaram
teste genético e 43
receberam dieta padrão.
❑ Orientações personalizadas
de acordo com o perfil
genético para 24
polimorfismos.
❑ Após 1 ano de intervenção,
os pacientes que receberam
a prescrição personalizada
continuaram a perder peso.
Resumo
DNA é a unidade básica da informação genética, sendo

1
organizado em cromossomos, de dupla hélice mantida por
pontes de hidrogênio entre os pares de nucleotídeos
(desoxirribose + base nitrogenadas + fosfato), que apresentam
uma região estreita conhecida como centrômero, que divide o
cromossomo em um braço curto e outro longo, ”p” e “q”,
respectivamente.

2
genoma é o conjunto de todas as moléculas de DNA de
um determinado ser vivo. Nestas moléculas encontram-se
os genes, que guardam as informações para a produção
de todas as proteínas que caracterizam os seres.

ROSA, G.. Nutrigenômica como ferramenta de doenças crônicas não transmissíveis.


PRONUTRI Programa de Atualização em Nutrição Clínica, v. 3, p. 39-89, 2015
Resumo

3
O gene é um segmento de molécula de DNA,
responsável pela determinação de características
hereditárias, e localiza-se nos cromossomos, nos
núcleos das células. Genes alelos ocupam o mesmo
locus em cromossomos homólogos.

4
Polimorfismos genéticos são variações nessas
seqüências que ocorrem na população de forma
estável, sendo encontradas com freqüência de 1%
ou superior.

ROSA, G.. Nutrigenômica como ferramenta de doenças crônicas não transmissíveis.


PRONUTRI Programa de Atualização em Nutrição Clínica, v. 3, p. 39-89, 2015
Resumo

O fenótipo é a expressão exterior do genótipo

5 mais a ação do meio ambiente. Nem todos os


fenótipos são observáveis; existem exceções,
como no caso dos grupos sanguíneos, que são
fenótipos detectados experimentalmente.

A nutrigenômica é o estudo de como os compostos

6
bioativos dos alimentos atuam na modulação da expres-
são gênica, contempla áreas específicas, como altera-
ções no RNA mensageiro – transcriptômica, as proteí-
nas correspondentes – proteômica e controlam o trans-
porte de determinados nutrientes e metabólitos – meta-
bolômica numa via bioquímica.
ROSA, G.. Nutrigenômica como ferramenta de doenças crônicas não transmissíveis.
PRONUTRI Programa de Atualização em Nutrição Clínica, v. 3, p. 39-89, 2015
Resumo

7 A nutrigenética avalia como a constituição


genética de uma pessoa afeta sua resposta à dieta.

A epigenética é definida como qualquer modificação

8
transmissível e reversível na expressão de um gene
sem que ocorra alteração estrutural no código
genético. O fenômeno epigenético pode persistir por
uma ou mais gerações.

Você também pode gostar