Você está na página 1de 9

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E

TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE


DEPARTAMENTO DE ENSINO
CURSO TÉCNICO INTEGRADA ELETROTÉCNICA

Cássio Augusto Ribeiro Guedes

RELATÓRIO DE ATIVIDADE EXPERIMENTAL

PESQUEIRA / 2019
Cássio Augusto Ribeiro Guedes

RELATÓRIO DE ATIVIDADE EXPERIMENTAL

Relatório de atividade experimental, apresentado como avaliação


complementar da disciplina de física V, sob orientação do
Professor Raphael Roger.

PESQUEIRA / 2019
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................3
2. EXPERIMENTOS ........................................................................................................................................5
2.1 Materiais e Métodos .................................................................................................................................5
2.2 Resultados e Discussões ............................................................................................................................7
3. CONCLUSÃO...............................................................................................................................................9
3

1. INTRODUÇÃO

Resistência elétrica é a capacidade de um corpo qualquer se opor à passagem de corrente


elétrica mesmo quando existe uma diferença de potencial aplicada. Seu cálculo é dado pelas Leis de
Ohm, e, segundo o Sistema Internacional de Unidades (SI), é medida em ohms.
Quando uma corrente elétrica é estabelecida em um condutor metálico, um número muito
elevado de elétrons livres passa a se deslocar nesse condutor. Nesse movimento, os elétrons colidem
entre si e também contra os átomos que constituem o metal. Portanto, os elétrons encontram certa
dificuldade para se deslocar, isto é, existe uma resistência à passagem da corrente no condutor.
Circuito em série, como o próprio nome já diz é um circuito com duas ou mais cargas que
estão sendo alimentadas em série umas com as outras, ligadas em sequência, havendo apenas um
único caminho para a passagem de corrente elétrica. Outra forma de visualizar um circuito em série
é que as cargas têm apenas um ponto em comum entre elas, ou seja, não há nenhum ponto de
derivação.
O circuito em paralelo também é composto por duas ou mais cargas, porém diferente do
circuito em série, todas essas cargas possuem o mesmo ponto em comum, ou seja, há um ponto de
derivação para todas elas, fazendo com que o fluxo da corrente elétrica separe proporcionalmente
para cada carga, de acordo com o valor de sua resistência.
O objetivo desse experimento é coletar os dados de comprimento, resistência ôhmica,
calcular um quociente (R/L), área da secção reta do condutor em cada resistor, a resistência ôhmica
no trecho selecionado e calcular a resistividade dos Resistores.
5
2. EXPERIMENTOS

2.1 Materiais e Métodos

Os materiais utilizados foram: um multímetro e um painel Dias Blanco.

No primeiro momento do experimento, com auxílio do multímetro ajustado como um


ohmímetro, foi possível coletar resistência R3 fornecida pelo painel Dias Blanco para um
comprimento de 0.25m, o valor obtido na medição foi de 1 ohm. Posteriormente foi feita medição da
resistência R3 para os seguintes comprimentos 0.5m, 0.75m e 1m, e as resistências coletadas foram
de 1. 8 ohms, 2.6 ohms e 3.4 ohms, respectivamente.

Figura 1: Utilizando um ohmímetro, medimos a resistência ôhmica em R3 com 0,25m de


comprimento.

Figura 2: Utilizando um ohmímetro, medimos a resistência ôhmica em R3 com 0,5m de


comprimento.
6

Figura 3: Utilizando um ohmímetro, medimos a resistência ôhmica em R3 com 0,75m de


comprimento.

Figura 4: Utilizando um ohmímetro, medimos a resistência ôhmica em R3 com 1m de


comprimento.

Após as medições terem sido feitas em R3, o ohmímetro foi associado as configurações
do painel Dias Blanco para realizar as medições das resistência R2 e R1 para um comprimento de
0.25m, valores coletados para R2 e R1 foram de 1,9 ohms e 4,3 ohms, respectivamente.
7

Figura 5: Utilizando um ohmímetro, medimos a resistência ôhmica em R2 com 0.25m de


comprimento.

Figura 6: Utilizando um ohmímetro, medimos a resistência ôhmica em R1 com 0.25m de


comprimento.

2.2 Resultados e Discussões


Os valores das resistências coletadas durante o experimento, foram destacados na tabela
disponível a seguir, onde foram anotados os valores experimentais, verificados pelo multímetro. Com
os dados obtidos nas medições de R3 calculamos um quociente (R/L).
Condutor Verificado Comprimento L (em metros) Resistencia Ôhmica medida no trecho Quociente Calculado (R/L)
R3 0,25 m 1Ω 4
R3 0,5 m 1,8 Ω 3,6
R3 0,75 m 2,6 Ω 3,466666667
R3 1m 3,4 Ω 3,4
Tabela 1: Dados coletados durante o experimento e cálculo do Quociente(R/L).
8

Quociente (R/L)
4

3,5

2,5

1,5

0,5

0
0 0,2 0,4 0,6 0,8 1 1,2

Gráfico 1 : Resistência vs comprimento.

Após isso os dados coletados das resistências e os dados das Áreas de secção reta dos
condutores dos resistores selecionados, sendo eles R1, R2 e R3 para um comprimento de 0,25m foram
utilizados com a finalidade de obter a resistividade de cada percurso.

Condutor Verificado Comprimento do Condutor. Área da secção reta do condutor. Resistência ôhmica medida no trecho selecionado. Resistividade (RxA/L)
R1 0,25m 0,081 x 10⁻⁶ m² 4,3Ω 14 x 10⁻⁶
R2 0,25m 0,21 x 10⁻⁶ m² 1,9Ω 1,59 x 10⁻⁶
R3 0,25m 0,025 x 10⁻⁶ m² 1Ω 1,6 x 10⁻⁶
Tabela 2: Dados coletados durante o experimento e cálculo das resistividades.
9

3. CONCLUSÃO

Portanto, tendo em vista os aspectos observados percebemos que a relação


entre a resistência e o comprimento do fio é diretamente proporcional. Porém a partir
dos dados obtidos de resistência elétrica com a área de um condutor é inversamente
proporcional.

Você também pode gostar