Você está na página 1de 2

Sinais de uma pessoa mansa

I) Um espírito que aprende. Os homens devem receber com mansidão a palavra que
pode salvar sua alma (Tg 1.21-22). Mansidão é o espírito em que a pessoa conhece sua
ignorância e que é humilde para saber que não sabe, é o espírito que abre a mente à verdade
de Deus e o coração ao amor dele.
II) Um espírito que disciplina. Paulo diz que se alguém for surpreendido em algum
erro, esse deve ser corrigido. Tal correção é dada e aplicada em espírito de mansidão (Gl 6.1).
A correção não deve ser para desencorajar e levar ao desespero, mas para erguer o homem,
tornando-o decidido a agir melhor e ter a esperança de que se comportará melhor. Mansidão é
o espírito que faz da correção um estímulo e não um desencorajamento, um meio para chegar
à esperança, e não uma causa do desespero.
III) Um espírito que enfrenta a oposição. Paulo exorta o ministro cristão a instruir com
mansidão os que se opõem a ele (II Tm 2.25). Há pessoas que não concordam conosco e que
têm opiniões diferentes. Não devemos agir com espírito que busca os agredir verbalmente até
que eles venham a mudar de opinião. O Dr. Dickie traz a seguinte ilustração: suponhamos que
entremos em um aposento em um dia de frio intenso e descubramos que as janelas estão com
uma camada de gelo do lado de dentro. Há duas coisas que podemos fazer. Podemos procurar
tirar o gelo esfregando para removê-lo das janelas. O resultado disso é que, quanto mais
esfregarmos, mais rapidamente o gelo voltará a se formar. Outra coisa que pode ser feita é
acender a lareira e as janelas serão limpas por si mesmas quando o gelo começar a se derreter.
O calor faz o que a fricção não faz. Quando lidamos com os que, segundo cremos, estão
enganados, a delicadeza produzirá os resultados que a força nunca produziria.
IV) Um espírito que testemunha. Pedro afirma que o cristão está sempre pronto para
dar razão da esperança que há nele com mansidão e temor (I Pe 3.15). O verdadeiro
testemunho cristão tem delicadeza graciosa que é mais eficaz do que o tipo de testemunho não
gentil que força os outros a aceitarem suas opiniões. O testemunho cristão é cativante e forte.
V) Um espírito que permeia a vida cristã. Mansidão sempre está presente na vida e
conduta do sábio (Tg 3.13). O espírito manso e quieto é o verdadeiro adorno da vida, ele é
precioso aos olhos de Deus e amável aos olhos dos homens (I Pe 3.4), espírito este que é
agradável aos homens e a Deus.
VI) Um espírito delicado e gracioso. É o segredo da conquista e do poder, pois os
mansos são felizes e herdarão a terra (Mt 5.5). Mansidão faz do homem um rei entre os
demais.
VII) Um espírito como o de Jesus. “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim,
porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma” (Mt 11.29).
A entrada triunfante de Jesus em Jerusalém foi cumprimento da profecia: “Dizei à filha de
Sião: Eis aí te vem o teu Rei, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de animal
de carga” (Mt 21.5; Zc 9.9). Pela mansidão e benignidade de Cristo, Paulo apela aos coríntios
rebeldes, pedindo simpatia e obediência (II Co 10.1). Tal mansidão é da essência do caráter de
Jesus.