Você está na página 1de 8

O Grande Julgamento de Osíris - A cena da pesagem do Coração

O falecido Hunefer,
fazendo uma oração
diante de Rá, Tem, Shu, Tefnut, Keb, Nut, Hórus, Ísis, Neftis, Hu, Sa, Uat-rest, Uat-meht, Uat Ament

Anúbis conduz Hunefer para a Anúbis ajusta o fiel da balança para que a Thoth, o Juiz dos deuses, anota O falecido é levado por Hórus Aqui, dentro da capela, Osíris está sentado no trono da
sala do julgamento da Alma. pesagem do coração seja inquestionável. De um o resultado da pesagem. Aqui, o diante de Osíris, para que imortalidade que se assenta sobre as águas do Nilo celeste
lado da balança, a pena de Maat (a justiça). Do falecido passou pelo teste da homenageie o deus, e receba (fonte de toda a vida). Atrás dele, estão Ísis e Néftis em
outro o vaso com o coração do falecido que balança e poderá seguir viagem dele a imortalidade, por ter sinal de carinho e proteção ao deus.
deverá ser tão leve como a pena. em direção à Eternidade. demonstrado que era Justo de Diante dele, sobre a flor de Lótus, estão os 4 filhos de
Ao lado, a Am-mit (devoradora dos mortos) Voz, diante do tribunal dos hörus. Mesta, Hapi, Duamutef e Qebsenuf, representantes
aguarda a pesagem. Se o falecido tiver o coração deuses. das quatro direções do espaço, e os 4 vasos canópicos.
mais pesado que a pena, ela devorará o vaso Acima deles, o Olho de Hórus, traz bençãos a Osíris e ao
com o coração, e a Alma deixará de existir para falecido, que agora recebe a imortalidade das mãos do
sempre. deus.
O Grande Julgamento de Osíris - A cena da pesagem do Coração
Esse ritual acontecia imediatamente após a morte da pessoa, e Osíris foi o primeiro egípcio a conseguir a imortalidade, num
todos os seus atos eram julgados por um tribunal dos deuses. O número processo semelhante a esse que o falecido agora era o ator principal.
de deuses presentes à cerimônia variava de uns poucos até os 42 Com o passar do tempo, todos os egípcios adotaram essa cerimônia
principais deuses, representantes dos nomos (cidades) do egito.Os 42 simbólica, como uma forma de serem semelhantes a Osíris, triunfante,
preceitos egípcios se tornaram mais tarde, a base dos conhecidos 10 Justo de Voz (de fala verdadeira ou como se diz em egípcio, Maat-Kheru).
mandamentos do pensamento judaico-cristão. Atrás de Osíris, na capela, estavam a sua esposa, Ísis, e sua
Normalmente, o falecido era conduzido a cerimônia por Anúbis cunhada Néftis (ambas eram irmãs de Osíris). Normalmente, ambas são
(o guardião dos mortos), ou por outro deus que fosse mais próximo ao representadas fazendo um gesto de proteção ou carinho em Osíris,
falecido. Isto é, de sua preferência. indicando um afeto elevado com o deus.
Após a entrada na Sala da Dupla Justiça de Maat Ísis (com o trono na cabeça). Néftis (com o símbolo egípcio que
(Maat=justiça, aqui dupla pois refere-se à justiça humana e divina), o representa seu nome: Senhora da Casa Nebt-It).
falecido era conduzido à Balança para a pesagem do coração, fato que Osíris leva em suas mãos o Cajado e o Magal (látego ou
dá o nome à cerimônia. Na balança, encontravam-se um vaso, que chicote). Para os egípcios, esses símbolos representavam a atitude do
continha o coração do falecido, e no outro lado, uma pena de avestruz, faraó, que com uma mão castigava e com a outra puxava novamente o
símbolo da deusa Maat. Lembramos aqui, que para o egípcio, as povo para próximo de si. Mantendo o equilíbrio entre benevolência e
relações de peso e medida eram invertidas no outro mundo (chamado de severidade.
Duat). Ou seja, a pena deveria ser pesada. Portanto, se o coração era Diante dele, estão os quatro filhos de Hórus: Mesta (cabeça de
mais pesado que a pena, era porque o falecido havia cometido muitos Homem/Leste), Hapi (cabeça de babuíno ou cinocéfalo/Oeste),
pecados. Duamutef (cabeça de chacal/Sul) e Qebsenuf (cabeça de falcão/Norte).
Ajustando o fiel da balança, estava Anúbis. Em algumas cenas, Eles eram os símbolos das quatro direções do vento. Em cada vaso
aparecem ali representantes dos assistentes do nascimento e canópico, após a mumificação, eram depositadas as víceras do falecido:
representantes da cidade onde havia vivido a pessoa, além da própria
Alma do falecido (chamada de Alma-Bá). Ao lado do coração, Mesta - Estômago e Intestino Delgado;
encontrava-se Am-mit, a devoradora dos mortos, que era um ser híbrido, Hapi - Intestino Grosso;
mistura de crocodilo (a cabeça), Leopardo (o tronco) e Hipopótamo (a Duamutef - Coração e Pulmões;
parte traseira). Se o coração fosse mais pesado que a pena, a Am-mit Qebsenuf - Fígado e Vesícula Biliar.
devoraria o vaso, e a Alma deixaria de existir para sempre. Caso o
coração fosse mais leve que a pena de Maat, o deus Thoth iria anotar Em algumas representações, aparece o Olho de Hórus alado,
numa tabuleta o resultado, indicando que o falecido havia passado na segurando numa das garras uma pluma de avestruz, dando bençãos ao
pesagem do coração. falecido e a Osíris.
Após esse resultado haver sido declarado pelo deus, o falecido Em outras representações aparecem duas colunas ou ainda
era conduzido pela mão até diante da capela onde se encontrava Osíris, quatro. No caso das duas colunas, representam as duas colunas do
o deus da ressurreição e da imortalidade. Em alguns papiros, podemos Templo, uma no mundo físico e outra no mundo espiritual. No caso de
ver diante da capela, uma mesa com oferendas compostas de pães, quatro colunas, estas representam as quatro direções da terra e do céu.
bolos, verduras, frutas, vinho e cerveja (bebida muito consumida entre os Entre outras coisas, essa cerimônia (que corresponde ao
egípcios, que a inventaram). Essas oferendas representavam uma capítulo CXXV do livro dos Mortos, ou pert-en-ru, o livro do sair à luz), deu
homenagem que o falecido fazia ao deus que ele pretendia imitar, origem nos tempos modernos, aos rituais de iniciação utilizados em
chegando a ser imortal como Osíris grupos esotéricos.

Fr. Goya (Anderson Rosa)