Você está na página 1de 5

Casa Golden Math Flor da vida Sólidos Sagrados E muito mais...

Geometria sagrada Modelos 3D Phi em ... Sólidos Sagrados em ... Música e Geometria

5 ^ 0,5 * 0,5 + 0,5 = Φ Sobre

Função Descontinuada : A função each () está descontinuada. Esta mensagem será suprimida em outras chamadas em
menu_set_active_trail () (linha 2404 de /homepages/3/d408889334/htdocs/sg2/includes/menu.inc ).

Home » E muito mais ... » Phi em ...

Phi no corpo humano


1. Introdução
Marcus Vitruvius Pollio, arquiteto romano (c. 25 aC), observou uma semelhança entre o corpo humano e um edifício perfeito: "A natureza
projetou o corpo humano para que seus membros sejam devidamente proporcionados à estrutura como um todo". Ele inscreveu o corpo
humano em um círculo e um quadrado, as duas figuras consideradas imagens de perfeição. É amplamente aceito que as proporções no corpo
humano seguem a proporção áurea. Neste artigo, revisaremos alguns estudos sobre o assunto.Mostraremos as descobertas do século XIX da
proporção áurea no corpo humano por Adolf Seizing, na verdade aproximadas por uma sequência de medidas de Fibonacci. Em seguida,
examinaremos as proporções douradas do corpo humano propostas pelos arquitetos Erns Neufert e Le Corbusier no século XX. Finalmente,
mostraremos como um estudo comum com amostras de uma população alemã e indiana confirmou a presença da proporção áurea em
algumas proporções do corpo humano.

2.- Proporções douradas no corpo humano encontradas por Adolf Zeising


Os principais interesses de Adolf Zeising, no século XIX, eram matemática e filosofia. Mas, depois de se aposentar, iniciou suas pesquisas
sobre proporções na natureza e na arte. No campo da botânica, ele descobriu a proporção áurea no arranjo de galhos ao longo do caule das
plantas e nas veias nas folhas. A partir desse ponto de partida, ele estendeu suas pesquisas aos esqueletos de animais e às ramificações de
suas veias e nervos, às proporções de compostos químicos e à geometria dos cristais, etc. e, finalmente, às proporções humanas e artísticas.
O título de sua primeira publicação em 1854 declara seu programa:Nova teoria das proporções do corpo humano, desenvolvida a partir de
uma lei morfológica básica que permaneceu desconhecida e que permeia toda a natureza e arte, acompanhada de um resumo completo
dos sistemas vigentes [1] . Essa lei universal era, de fato, a proporção áurea. Lá, ele apresenta suas próprias análises proporcionais do corpo
humano (Figura 1).
Figura 1: Proporções douradas no corpo humano encontradas por Zeising [1].

Zeising divide a altura total do corpo de um homem em quatro zonas principais: topo da cabeça ao ombro, ombro ao umbigo, umbigo ao
joelho e joelho à base do pé. Cada zona é subdividida em cinco segmentos, dispostos simetricamente dentro de cada zona: seguindo o padrão
ABBBA ou o padrão ABABA, mas sempre somando 2A + 3B . A propósito, a proporção de 3/2 em cada zona é um Quinto Perfeito na escala
musical de temperamento igual. A música está envolvida no design do nosso próprio corpo?

À direita da Figura 1, você pode ver as proporções douradas presentes em cada um dos segmentos e entre eles em diferentes escalas. As
proporções de Zeising do corpo humano são um belo exemplo de como a Natureza se aproxima da proporção áurea por meio de uma
sequência de medidas de Fibonacci . Zeising substitui erroneamente 90 por 89 em suas medidas, mas usamos o valor exato nos cálculos a
seguir. Os números de Fibonacci presentes em seu esquema, explicitamente (verde) ou implicitamente como totais gerais (magenta), são os
seguintes:

Agrupando consecutivamente cada par de medidas adjacentes, obtém-se uma divisão iterada do grande segmento (987) em números
consecutivos de Fibonacci que se aproximam da Taxa de Ouro (Figura 2a) . Isso nos lembra o poder da Proporção áurea para dividir
consecutivamente um segmento com adições e substrações simples após a primeira divisão (Figura 2b). Essa sequência de divisões da
proporção áurea também nos lembra a natureza fractal por trás do design do nosso corpo, porque a mesma proporção áurea é repetida em
todas as escalas.

(uma)
b)

Figura 2 : Divisão iterada de um segmento de acordo com (a) os números na sequência de Fibonacci e (b) a proporção áurea.

3.- As proporções douradas propostas pelos arquitetos Neufert e Le Corbusier


No século XX, o arquiteto Erns Neufert (1900-1986) propagou a proporção áurea como o princípio arquitetônico da proporção no corpo
humano. Neufert não seguiu rigorosamente as proporções humanas de Fibonacci de Zeising, mas introduz a proporção áurea exata [2]
(Figura 3). Para ele, a seção Golden também fornece o principal elo entre todas as harmonias da arquitetura.

Figura 3: Proporções da proporção áurea do corpo humano após Ernst Neufert [2].

Há outro grande sistema de proporções corporais do século XX, conhecido como Modulor, proposto por Le Corbusier (1887-1965). Em seu
manifesto Vers une architecture , ele apresenta a Proporção áurea como um ritmo natural, inerente a todo organismo humano. Para
detalhes sobre a origem histórica e o desenvolvimento dos sistemas Modulor I e II, você pode examinar o excelente resumo do arquiteto
Manel Franco [3]. A Figura 3 mostra as proporções essenciais propostas por Le Corbusier para o corpo humano:
Figura 3: Esboço simples e principais proporções douradas no corpo humano propostas por Le Corbusier [3].

Em sua versão final, o sistema Modulor II propõe duas progressões douradas de medidas para o corpo humano (Figura 4a). Voltando ao
estilo de Zeising, essas progressões são na verdade duas seqüências de medidas de Fibonacci (Figura 4b). Ou seja, cada medida é obtida pela
soma das duas anteriores. Portanto, a proporção de qualquer par de valores consecutivos nessas progressões se aproxima da proporção
áurea.

(b) Detalhe das progressões em


vermelho e azul (em mm) no Modulor II.
(a) Proporções douradas no corpo humano propostas no Modulor II de Le Corbusier . Os em itálico desviam-se ligeiramente
(1mm) de uma sequência exata de
Fibonacci

Figura 4

4.- Um estudo de campo


T. Antony Davis, do Instituto Estatístico Indiano (Índia) e Rudolf Altevogt, do Zoologisches Institut der Universitat (Alemanha), conduziram
um estudo em que mediram 207 estudantes alemães e 252 jovens de Calcutá [4] . As medidas tomadas A, B, C , D e E são mostradas na
Figura 5a. Em seus resultados, eles foram capazes de confirmar que a altura total do corpo e a altura dos dedos dos pés até o umbigo estão na
proporção áurea (razões D / C e E / D). A Figura 5b resume seus principais resultados. Eles obtiveram o valor quase perfeito de 1,618 na
amostra alemã ( esse valor é válido para meninas e meninos de idades semelhantes) e o valor médio ligeiramente diferente de 1,615 na
amostra indiana.
a) As medidas adotadas no estudo [4] (b) Razões médias resultantes, classificadas por grupos populacionais [4].

Figura 5

5.- Referências
[1] Zeising, Adolf: Nova teoria das proporções do corpo humano, desenvolvida a partir de uma lei morfológica básica que permaneceu
desconhecida e que permeia toda a natureza e arte, acompanhada por um resumo completo dos sistemas vigentes . (Em alemão).

[2] Neufert, Ernst: Architects Data .

[3] Franco, Manel: El Modulor de Le Corbusier (1943-1954)

[4] T. Antony Davis e Rudolf Altevogt, " Média de Ouro do Corpo Humano ".