Você está na página 1de 4

MECÂNICA DOS SOLOS – LISTA III

1. No terreno, cujo perfil é indicado abaixo (com valores de dados geotécnicos obtidos de
ensaios em laboratório), será construída uma torre de TV, com as seguintes especificações de
projeto:
(i) escavar o terreno até a cota do NA com uma cava de formato retangular, de dimensões
13,20m x 8,25m;
(ii) executar a fundação da torre em sapata circular, com 6,60m de diâmetro e centro
coincidente com o da escavação, transmitindo uma tensão de 200 kPa;
Pede-se estimar o recalque previsto para a estrutura da torre devido ao adensamento da camada
de argila de fundação. (12,8cm)

2. Duas torres A e B, espaçadas de 80m, foram construídas no terreno cujo perfil geotécnico é
indicado abaixo. Ao longo do tempo, constatou-se que os recalques medidos eram bastante
distintos (ver tabela), embora se tratasse da mesma argila (portanto, com parâmetros de
compressibilidade iguais). No local da segunda torre (B), foram descobertas ruínas de um antigo
monumento feito por blocos de rocha ( = 16,2 kN/m3), que justificariam a pré-existência de
cargas atuantes e, portanto, a mobilização de recalques menores neste local. Com efeito, os
índices de vazios iniciais (valores médios) da argila, nas regiões das torres A e B, eram de 2,03
e 1,90, respectivamente. Com base nestas informações, pede-se:

a) calcular o recalque total previsto para a Torre A; (61cm)


b) estimar a altura provável do monumento histórico, admitindo-se uma transferência de 40%
da sua carga total ao centro da camada de argila; (7,2m)
c) calcular o recalque total previsto para a Torre B. (19cm)

recalques medidos (cm)


tempos Torre A Torre B
3 meses 6,02 0,93
6meses 10,12 1,54
1 ano 14,50 2,20
2 anos 20,60 3,15
3 anos 25,40 7,65
5anos 32,00 9,35
3. Sobre a superfície do terreno, cujo perfil é indicado na figura abaixo, executou-se em janeiro
de 1996 o aterro representado, numa área de grandes dimensões. Imediatamente antes da
colocação deste aterro, observou-se uma altura piezométrica de 4,50m no ponto A. Em janeiro
de 1997, registrou-se um recalque médio da superfície do terreno de 8,6 cm. Nesta mesma data,
verificou-se que a altura piezométrica no ponto A atingiu 8,05m. Pede-se:

a) calcular o recalque total por adensamento da camada de argila; (29,2cm)


b) justificar se o estrato subjacente à camada argilosa comporta-se como uma fronteira drenante
ou impermeável; (impermeável, U  30%)
c) estimar o valor do coeficiente de adensamento da argila. (7,8 x 10 -8 m2/s)

d) no caso anterior, admitindo-se que, em janeiro de 1996, simultaneamente com a execução do


aterro, houvesse sido instalada uma rede triangular de drenos verticais, com 0,16m de diâmetro
e espaçados de 2,3m, atravessando toda a espessura da camada argilosa, qual seria o valor do
recalque por adensamento desta camada em janeiro de 1997? Adotar ch = cv = 6,85 x 10-8 m2/s.
(25cm)
4. Um aterro será executado sobre uma camada de argila compressível com 10,0m de espessura
e base inferior impermeável. Determinar o tempo necessário para ocorrer 90% do adensamento
previsto para a camada. No caso de um projeto de estabilização baseado em drenos verticais de
areia de 300mm de diâmetro, espaçados de 4,0m em arranjos de malhas quadradas, em quanto
tempo o mesmo recalque seria atingido? Os coeficientes de adensamento da argila são de 9,6
m2/ano e de 10,0 m2/ano, nas direções vertical e horizontal, respectivamente.

5. Um solo granular saturado foi ensaiado num equipamento de cisalhamento direto de grande
porte (caixa de cisalhamento com dimensões de 300 mm x 300 mm), tendo sido obtidos os
seguintes dados dos ensaios:

Carga normal Força cisalhante Força cisalhante


(N) de pico (N) final (N)
4500 4500 3520
9200 7890 7190
13800 11200 10780
Pede-se determinar os parâmetros de resistência de pico e de estado crítico para o solo ensaiado.

6. Amostras de um solo foram retiradas de um horizonte argiloso cuja tensão vertical total é de 20
kN/m2 e a poropressão é de 8 kN/m2. Duas destas amostras foram submetidas a ensaios triaxiais
CD e CU, que forneceram os seguintes resultados:

Ensaio CU Ensaio CD
’1 (kN/m2) 230 400 690 1 (kN/m2) 290 490 690
’3 (kN/m2) 50 100 200 3 (kN/m2) 50 150 250
Quais são as resistências disponíveis do horizonte argiloso em termos de tensões totais e efetivas?

7. Em um ensaio triaxial, uma amostra de solo foi adensada sob uma pressão confinante de
200kPa. As válvulas de drenagem foram, então, fechadas, e a pressão confinante foi aumentada
para 350kPa, medindo-se um valor de poropressão de 141kPa. Ainda sob condições não
drenadas, a carga vertical foi aumentada, obtendo-se os seguintes dados dos ensaios:

Pede-se traçar a curva tensão x deformação do ensaio, determinar os valores dos módulos E,
inicial e secante para 5% de deformação, bem como os valores dos parâmetros de poropressões
A e B na condição de ruptura (admitir que o parâmetro B permanece inalterado durante a fase
de cisalhamento da amostra).

8. Uma amostra de solo argiloso (100mm de altura e 50mm de diâmetro) foi coletada e
submetida a um ensaio triaxial não drenado sob um atensão confinante de 350 kPa. Uma
contrapressão de 200 kPa foi, então, aplicada à amostra e a válvula de drenagem foi aberta até
se obter uma condição de equilíbrio, sem nenhum fluxo de água para dentro ou para fora da
amostra. Nestas condições, a válvula de drenagem foi fechada e a amostra foi cisalhada até a
ruptura, sendo obtidos os seguintes dados de ensaio (sendo F, h, u, respectivamente, as
variações de cargas desviadoras aplicadas, de deslocamentos axiais e de poropressões):
F (N) 0 49 74 112 150 181
h (mm) 0 1 2 5 10 20
u (kPa) 0 17 27 47 75 100

Pede-se: a) calcular as tensões desviadoras e as deformações axiais; b) plotar os gráficos de


ensaio: ‘tensões desviadoras x deformações axiais’ e ‘poropressões x deformações axiais’; c)
desenhar os círculos de Mohr das tensões totais e efetivas de ruptura; d) determinar a resistência
não drenada su e o ângulo de atrito ´, admitindo-se que c´ = 0.

9. Uma amostra de areia compacta foi submetida a ensaios triaxiais diversos. Os resultados dos
ensaios estão apresentados na tabela abaixo. Pede-se determinar: a) as trajetórias de tensão total
e efetiva para cada ensaio; b) os parâmetros efetivos de resistência; c) completar os espaços em
branco da tabela.

TIPO TT 3 p0 qr pr p'r ur ur


CD CA 300 0 295
CD DL 300 100 125
CU CA 400 100 500
CD  3  1  1.0 1000 200

10. Um projeto prevê a execução de um aterro ( = 20kN/m3) com 3m de altura sobre um


terreno, cujo perfil é dado abaixo. Ensaios triaxiais CIU, executados em uma amostra extraída
do centro da camada argilosa forneceram os resultados abaixo:

Pede-se:
a) Traçar as envoltórias de resistência em termos de tensões totais e efetivas
b) Determinar os parâmetros A e B de poropressões para uma deformação de 0,2%, preenchendo os
dados da tabela abaixo:

Você também pode gostar