Você está na página 1de 2

PRÁTICA DE ENSINO SUPERVISIONADA * 2013-2014

Guião para elaboração do relatório

Este guião destina-se a orientar os alunos que realizam a unidade curricular de Prática de Ensino
Supervisionada (PES)1, no ano letivo 2013-2014, na elaboração do respetivo relatório ao qual se
refere o ponto 3 do Art. 10º da Ordem de Serviço nº 9/2011 e conforme se encontra previsto no Art.
17º do Decreto-Lei nº43/2007 de 22 de fevereiro. Constitui uma referência para os Mestrados em
Ensino, podendo ser adaptado com vista a uma melhor adequação às especificidades de cada
Mestrado e de acordo com os orientadores que apoiam diretamente a sua elaboração. Foi aprovado
na reunião do Conselho Coordenador da PES de 15 de outubro de 2013.

1. Conteúdo

Discriminam-se, nos pontos seguintes, as características que o Relatório deve respeitar:

1.1. Possuir um caráter simultaneamente descritivo e reflexivo, servindo a descrição de suporte à


reflexão que se pretende presente em todo o relatório;

1.2. Ter como foco a prática de ensino realizada pelo mestrando, incluindo igualmente os contributos
de natureza teórica, que devem surgir de forma articulada (por exemplo, a referência a ideias
adotadas, a justificação de opções tomadas, a problematização de questões relativas ao ensino);

1.3. Refletir o trabalho desenvolvido pelo mestrando na PES, quer no que diz respeito à dimensão da
prática letiva, quer em outras atividades extraletivas para as quais tenha contribuído de forma
significativa;

1.4. Incluir a caracterização do contexto escolar onde a PES foi realizada, nomeadamente no que diz
respeito ao envolvimento dos mestrandos, bem como à problematização da ação do
professor/educador em função daquele contexto;

1.5. Reportar-se às práticas letivas, tornando evidente a intencionalidade educativa das ações do
mestrando: na planificação realizada, na condução das aulas/situações educativas, na avaliação das
aprendizagens dos alunos, incluindo uma análise aprofundada dos fatores que influenciaram essas
aprendizagens, nomeadamente os que têm a ver com a sua ação enquanto professor/educador,
denotando uma postura investigativa com vista à regulação da sua prática. A descrição e a análise

1
Os alunos que tenham obtido creditação na componente de prática nas escolas cooperantes poderão tomar
este guião como base e fazer as respetivas adaptações à sua situação, de acordo com o disposto no Artº 9 da
Ordem de Serviço nº 9/2011.

1
das práticas letivas anteriormente referidas devem ser documentadas com materiais produzidos no
contexto da PES, incluindo evidências das aprendizagens realizadas pelos alunos.

1.6. Apresentar claramente identificadas as aprendizagens que o mestrando realizou ao longo do


ano, no que diz respeito ao seu conhecimento profissional; deve ainda incluir uma reflexão
transversal sobre o ensino do conteúdo disciplinar, onde identifique os principais desafios que a sua
lecionação lhe coloca e perspetive os principais investimentos que terá de fazer, com vista ao seu
desenvolvimento profissional, tendo por referência o Perfil geral de desempenho do educador de
infância e dos professores dos ensinos básico e secundário.

2. Aspetos formais

2.1. O relatório deve ter uma extensão que não exceda 200 000 carateres com espaços;

2.2. A capa e a folha de rosto do relatório devem estar de acordo com as normas em vigor na
Universidade de Évora. O Relatório deve contemplar um resumo em Português e em Inglês (máximo
de 150 palavras) encimados pelo respetivo título.

2.3. As referências bibliográficas devem respeitar as normas APA.

2.4. Deve ser impresso em frente e verso.

2.5. Todos os restantes aspetos formais devem seguir o Regulamento do ciclo de estudos conducente
ao grau de mestre pela Universidade de Évora.

3.Indicadores para a avaliação do relatório

3.1. Aspetos formais:

 Apresentação e organização do relatório


 Clareza de ideias
 Correção da expressão escrita
 Respeito pelas normas APA

3.2. Aspetos de conteúdo:


No que respeita à dimensão descritiva:
 Completude e desenvolvimento;
 Coerência e relevância curricular das atividades desenvolvidas (letivas e não letivas);
 Pertinência da documentação apresentada.
No que respeita à dimensão reflexiva:
 Correspondência com a prática
 Relevância da fundamentação teórica;
 Explicitação das aprendizagens realizadas ao longo da PES;
 Espírito crítico e autoquestionamento.

Você também pode gostar