Você está na página 1de 2

Imprimir Salvar

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2018/2020

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: BA000048/2019


DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/02/2019
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001555/2019
NÚMERO DO PROCESSO: 46204.000799/2019-67
DATA DO PROTOCOLO: 28/01/2019

NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46204.006881/2018-14


DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 27/06/2018

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.


SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO LIVRE DO ESTADO DA BAHIA - SINDELIVRE/BA,
CNPJ n. 07.158.719/0001-02, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). OSVALDO DOS
SANTOS PITA;

E

SINDICATO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCACAO FISICA DO ESTADO DA BAHIA, CNPJ n.


07.792.110/0001-82, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JEHORVAN CARVALHO DE
MELO;

celebram o presente TERMO ADITIVO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as
condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE

As partes fixam a vigência do presente Termo Aditivo de Convenção Coletiva de Trabalho no período de 01º
de maio de 2018 a 30 de abril de 2020 e a data-base da categoria em 01º de maio.

CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA

O presente Termo Aditivo de Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) São
beneficiários do presente instrumento todos os profissionais de Educação Física, profissão
regulamentada conforme Lei Federal nº 9.696, de 1° de setembro de 1998, cabendo sua
representação ao SINPEF - BA e que laboram junto às pessoas jurídicas, como Instrutor,
compreendidas na abrangência do SINDELIVRE/BA, com abrangência territorial em BA.

CONTRATO DE TRABALHO – ADMISSÃO, DEMISSÃO, MODALIDADES


CONTRATO A TEMPO PARCIAL

CLÁUSULA TERCEIRA - CONTRATO DE TRABALHO EM REGIME DE TEMPO PARCIAL

A Cláusula Vigésima Quarta da Convenção Coletiva de Trabalho assinada em quatro (04) de junho de 2018
entre os Sindicatos acima deixa de existir na referida Convenção uma vez que a reforma trabalhista, Lei
13.467/17 (Parágrafo 7º do Art. 58), eliminou a proporcionalidade nas férias, de modo que, com a atual
redação da CLT (Art 130), qualquer trabalhador em regime de tempo parcial passou a ter o direito a 30 dias
de férias. Além disso, o trabalhador em regime de tempo parcial também passou a poder converter um terço
do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário.

Após cada período de 12 (doze) meses de vigência do contrato de trabalho, o empregado terá direito a
férias, na seguinte proporção (Redação dada pelo Decreto-lei nº 1.535, de 13.4.1977):

I - 30 (trinta) dias corridos, quando não houver faltado ao serviço mais de 5 (cinco) vezes; (Incluído pelo
Decreto-lei nº 1.535, de 13.4.1977).
II - 24 (vinte e quatro) dias corridos, quando houver tido de 6 (seis) a 14 (quatorze) faltas; (Incluído pelo
Decreto-lei nº 1.535, de 13.4.1977).

III - 18 (dezoito) dias corridos, quando houver tido de 15 (quinze) a 23 (vinte e três) faltas; (Incluído pelo
Decreto-lei nº 1.535, de 13.4.1977).

IV - 12 (doze) dias corridos, quando houver tido de 24 (vinte e quatro) a 32 (trinta e duas) faltas. (Incluído
pelo Decreto-lei nº 1.535, de 13.4.1977).

OSVALDO DOS SANTOS PITA


PRESIDENTE
SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO LIVRE DO ESTADO DA BAHIA - SINDELIVRE/BA

JEHORVAN CARVALHO DE MELO


PRESIDENTE
SINDICATO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCACAO FISICA DO ESTADO DA BAHIA

ANEXOS
ANEXO I - ATA DE ASSEMBLÉIA DO SINDELIVRE/BA

Anexo (PDF)

ANEXO II - ATA DE ASSEMBLÉIA DO SIN PEF-BA

Anexo (PDF)

A autenticidade deste documento poderá ser confirmada na página do Ministério do Trabalho e Emprego
na Internet, no endereço http://www.mte.gov.br.