Você está na página 1de 14

1

A Teologia do Sábado

II. A TEOLOGIA DO SÁBADO

Nesta parte de nosso estudo vamos concentrar o nosso estudo sobre


A Teologia do Sábado​. Isso é uma continuação da aliança da Criação e
a aliança feita na Redenção.

1. A Origem do Sábado – da Criação, não de Israel


Se procurarmos a primeira referência ao sábado, teremos que voltar
na Bíblia a Gên. 2:2,3 onde lemos que Deus utilizou três coisas para criar
o sábado.
O que é que Deus fez em primeiro lugar? Ele ​descansou no sétimo
dia da semana da Criação. E o que Ele fez a seguir? Ele ​abençoou o
sétimo dia. E então o que fez? Ele ​santificou o sétimo dia. Três coisas
separadas. E talvez a mais importante foi a primeira: Ele ​descansou​,
porque Ele conectou o Seu descanso ao dia de sábado. Então este
descanso de Deus torna-se um motivo de luz através de toda a história da
redenção. E o livro de Hebreus no cap. 4 insiste com cada cristão para
que entre no descanso de Deus, e declara que ainda resta um descanso de
Deus que nos aguarda no Paraíso futuro. Portanto o descanso de Deus
interliga toda a história. Não é cessa por causa dos pecados humanos. Ele
foi, é e será. O descanso de Deus acrescenta um significado redentor ao
sábado. Assim o sábado é provavelmente a mais importante bênção dada
por Deus à humanidade.
O sábado é retratado no Gênesis como uma parte integrante da
semana da Criação original. É também apresentado como uma ordenança
dada na Criação. Por isso jamais poderá ser ab-rogado pela igreja ou por
decretos humanos, porque é parte da Criação original. O sábado não é
uma instituição judaica no tempo de Moisés. A origem do sábado é de
importância crucial.
O sábado é uma ordenança judaica ou vem da Criação? Agora você
compreende porque a maioria dos cristãos gosta de denominar o sábado
2
A Teologia do Sábado
como sendo uma instituição judaica. E o que eles fazem com o Gênesis?
Eles crêem que Gênesis 1 e 2 foi resultado do pensamento teológico dos
judeus durante o exílio babilônico, que projetaram os escritos mosaicos
para atrás, à Criação – uma imaginação criativa judaica. E portanto isto
mina e destrói a inspiração divina de Gênesis 1 e 2.
Por isso é que é importante saber o que Jesus cria, porque cristãos
nominais aceitam a autoridade de Jesus. Será que Jesus fala a respeito de
Gênesis 1 e 2? Sim, Ele falou a respeito do sábado e também do
casamento, e em ambas as ocasiões declarou que temos que reconhecer
como isto era no princípio.
Lemos isto em Mateus 19, Marcos 2:28. Jesus disse: “O sábado foi
feito por causa” de quê? “do homem”. Ele disse: “O sábado foi feito por
causa dos judeus”? Ou disse: “foi feito por causa do homem”? Portanto,
Ele disse que o sábado foi estabelecido para benefício da humanidade.
Adão era judeu? Claro que não! Ele foi o protótipo original de toda
a humanidade. Assim como não podemos declarar que Adão era judeu,
não podemos declarar que o sábado é para os judeus.
Então, em primeiro lugar, por que então Deus criou o sábado para a
humanidade?
Por que é que Deus descansou? Deus cansado? Não! O Deus
Todo-poderoso jamais Se cansa. Mas então por que é que Deus
descansou?
Em Êxodo cap. 31 a Bíblia usa uma expressão de que Deus Se
restaurou, a palavra ​refrescou é usada no original. Ele havia concluído a
obra da Criação em seis dias. E agora Ele próprio está observando tudo o
que havia criado. Ele faz uma avaliação de toda a Sua obra, e então Ele
pronuncia Sua declaração de satisfação. E o que Ele disse? “Eis que tudo
era muito bom.” É a avaliação de Deus sobre Sua própria obra, em
especial a criação do homem. Mas por esta hora Ele não tinha ainda feito
a mulher.
3
A Teologia do Sábado
2. Homem e Mulher Criados à Imagem de Deus
E é por isso que algumas pessoas declaram que Deus ao olhar a
Criação, Ele disse: ​Ah, Eu posso melhorar isso um pouco. Eu posso fazer
ainda melhor.​ E então criou a mulher! Bem, muitas vezes as mulheres
são mais sensíveis do que os homens, elas possuem talentos e dons que
os homens não têm. Algumas vezes uma mulher pode aumentar a
utilidade de um homem. Devemos respeitar a mulher, porque ela também
foi criada à imagem de Deus. Portanto ambos – homem e mulher –
refletem a Deus.
Mas por que o próprio Deus descansou? Qual o benefício de Seu
descanso para a humanidade? O que significa ser criado à imagem de
Deus, como lemos em Gên. 1:26? Ser criado à imagem de Deus é mais
do que sermos parecidos com Deus. Significa o relacionamento de pai
para filho ou filha.
Você pode ler a conexão com isso em:
Gên. 5:3 – “Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua
semelhança, conforme a sua imagem, e lhe chamou Sete.”
Como Sete é descrito com relação a Adão? Ele era filho à
semelhança de Adão e também à sua própria imagem. Então que
relacionamento existia entre Adão e Sete? Qual era o relacionamento
entre Adão e Sete? Pai e filho. Então voltemos para o capítulo 1, temos a
mesma expressão entre Deus e Adão. Então o que significa o
relacionamento Deus-Adão em Gênesis 1? De que Adão é o filho de
Deus. Este relacionamento Pai-filho é o relacionamento da aliança.
Aliança sempre é envolve relacionamento. Não é um pedaço de
papel preparado por um advogado, não é simplesmente um contrato. Na
Bíblia uma aliança é sempre um relacionamento entre pelo menos duas
pessoas. Então é um relacionamento que envolve amor e respeito e
também obediência, e gratidão. Este é o início da humanidade.

3. O Sábado Implícito no Relacionamento de Aliança


4
A Teologia do Sábado
Por que Deus nunca ordenou por lei que Adão e Eva guardassem o
sábado? Não há nenhum mandamento para guardar o sábado no livro de
Gênesis. Alguns gostam de capitalizar em cima dessa ausência. Mas
seria uma conclusão superficial. Porque não havia sábado no Gênesis
porque não havia mandamento sobre o sábado.
O que ocorre num relacionamento de aliança, como num bom
casamento? Ficamos apenas olhando um para o outro? Isso não é
relacionamento. Nós começamos a comunicar-nos, começamos a falar. E
Deus fala com Adão. Deu-lhes uma tarefa: eles deveriam reproduzir-se e
cultivar a terra até que o mundo todo se tornasse um Jardim do Éden. E
Deus falou com Adão a respeito dos alimentos que ele podia comer e o
que não poderia comer. E Deus lhe disse: Adão esta é a árvore da vida,
esta é a árvore do conhecimento do bem e do mal – desta árvore você
não deve comer. Se você comer do fruto dessa árvore, você morrerá.
Em resumo, todos os elementos de uma aliança estão em Gênesis 1
e 2. Esta é uma muito importante ligação com o sábado. Imagine: Que
dia Adão foi criado? No sexto dia. Lembre-se que Adão não foi criado
no sétimo dia. Adão está na posição número 6 – isso aconteceu na
sexta-feira. O que aconteceu no término da sexta-feira? Começou o quê?
O sétimo dia. E então, à tardinha, no pôr-do-sol Deus fala com Adão.
Nós não temos um registro da conversa, mas podemos reconstruir
aquela conversa. Um teólogo tentou fazê-lo. Ele escreveu um livro sobre
a teologia do sábado, o mais belo livro que eu já li. É conhecido – Karl
Barth – como o maior de todos os teólogos do século XX.
Em seu livro ​Church Dogmatics ele tem um amplo capítulo sobre o
sábado. É o capítulo mais maravilhoso e desafiador que alguém poderia
ler sobre o sábado. Vou resumir em minhas próprias palavras:
Deus, o Criador, na sexta-feira à tarde se aproxima de Adão. Ele
diz: “Adão, você é meu filho. Adão, o próximo dia – amanhã – será um
dia muito especial. Você até agora é a coroa da Criação. Mas para
torná-lo plenamente operativo nós teremos que andar juntos através da
5
A Teologia do Sábado
vida. E amanhã começaremos esta caminhada, porque amanhã é dia de
descanso, o dia de sábado. Sábado significa que Eu cessei de trabalhar e
agora no sábado Eu estarei descansando. E este descanso que Eu possuo,
quero partilhar com você, Adão.”
Adão pode ter-se perguntado: Por que é que eu preciso descansar?
Eu não tenho nem um dia de idade, eu não trabalhei e por que preciso
descansar?
Deus disse: “Adão, escute, você descansará para celebrar a obra
perfeita da Criação, você celebrará isso comigo. Adão, nós estaremos
comemorando não o que você fez mas o que Eu fiz.”
O sábado foi estabelecido para celebrar a perfeita Criação de Deus.
“Adão, você deve fazer o que Eu faço. Eu vou guardar e vou
celebrar o sábado, e porque Eu o farei e você é Meu filho, você deve
seguir o seu Pai.”
E é por essa razão que Deus não deu um mandamento para Adão,
dizendo: “Guarde o sábado.” Porque num Paraíso sem pecado o exemplo
de Deus tinha tanto poder como um mandamento. Assim Adão seguiu e
imitou o exemplo de Deus, seu Pai. Deus criou o sábado como um
santuário no tempo. Santo ao Senhor para prover um espaço para
adoração. O sábado é o santuário no qual adoramos o Criador. E quando
nós adoramos o Criador compreendemos que nós não somos o Criador,
que somos criaturas, uma parte da Criação e reconhecemos nossas
limitações. E devemos ser gratos a Alguém que nos criou, que nos deu
vida, e alegria e gozo e também uma tarefa.
O Criador deu significado à nossa vida. No sexto dia Adão não
tinha significado nenhum. No sexto dia o homem sem Deus é apenas
666. Mas no sétimo dia, ele recebe significado, relacionamento com
Deus e ele começa a adorar, exaltar e louvar esse Deus. Agora o homem
é completo – ele é agora totalmente um ser humano – porque ele entrou
num relacionamento de aliança com Deus. O sábado é parte inseparável
da criação do homem.
6
A Teologia do Sábado
Este é o início do conhecimento a respeito do sábado. E isso é tudo
o que precisamos conhecer.

4. O Sábado Protege da Idolatria


Quando o homem começa a se rebelar contra o seu Criador, ele
também começa a perder o sábado e então ele começa a buscar
substitutos para essa perda, e isso é o início da idolatria. Sem o sábado o
homem cai na idolatria. O sábado nos previne da idolatria. Porque se
adoramos ao nosso Criador, então sabemos que aquilo que foi criado não
é Deus e não deveria ser louvado nem adorado. Então se a humanidade
houvesse guardado o sábado em todo o tempo não teria surgido a
idolatria.
Mas nos últimos dias como em Israel e com Moisés havia naquele
tempo nações que adoravam muitos deuses e eles eram produto de sua
própria imaginação, eles começaram a enaltecer os poderes da natureza,
a humanidade começou a adorar o sol, a lua e as estrelas. De fato, todas
as nações de toda a Terra eram adoradoras do sol, e todas elas também
adoravam os poderes da natureza – eles eram chamados baalins, os
baalins da terra. Apenas um povo exclusivo não adorava o sol, a luz e a
natureza, e esse povo era Israel – eles eram exclusivos e únicos no meio
de toda a humanidade.
Como podiam eles em meio a tanta idolatria ainda permanecer
adorando o Criador? Porque Deus havia feito uma aliança especial com
Moisés e com o povo de Israel.

5. Lei e Sábado Entregues a Israel Após Saírem do Egito


Mas quando é que Deus deu a Israel os Dez Mandamentos e o
sábado? Quando eles estavam no Egito? Ou quando saíram do Egito?
Mas por que não no Egito? Por que Deus não disse a Israel: “Se vocês
7
A Teologia do Sábado
guardarem o sábado, então vocês vão provar que são obedientes a Mim,
e Eu vou libertar vocês da escravidão do Egito.”
Alguns judeus sugeriram que isso aconteceu e ensinam isso até
hoje: Se o povo judeu guardar um único sábado de modo perfeito, então
o Messias virá.
Como e por que Deus o faz de modo diferente? Porque Deus não
recompensa a nossa obediência com a Sua graça. Deus não usa essa
ordem de fatores OBRAS e então GRAÇA. Deus tem a ordem reversa.
Deus oferece em primeiro lugar Sua graça, Sua graça redentora e então
Ele pede obediência como uma resposta de gratidão à Sua graça.
Agora, percebam como Deus o fez. Ele disse a Moisés que todo o
povo de Israel aplique o sangue de cordeiro nos batentes e nas vigas
superiores das portas de suas casas, porque o anjo do juízo passará sobre
o Egito, e ele verá o sangue, e em Êxodo 12: “Quando eu vir o sangue Eu
passarei por cima.” Deus não diz: “Quando eu vir um guardador do
sábado.” Ele disse: “Quando eu vir o sangue.” Isso representava o
sangue do Cordeiro de Deus. Representava o sacrifício expiatório de
Cristo.
Deus olha para cada lar e para indivíduo para ver o sangue de Cristo
então Ele passa por cima sem condenar, e assim o será também no juízo
investigativo.
Vamos olhar cuidadosamente a condição: Eles tinham que
obedecer, mas não eram os Dez Mandamentos. Não era a guarda do
sábado. Eles deviam aplicar o sangue do cordeiro. Não era obras
meritórias. Não era uma virtude individual, era um sinal de submissão,
era um sinal de fé. Então Deus libertou Israel da escravidão egípcia.
Mas o filho do próprio Faraó morreu. Parecia que era uma questão
de ou o filho de Faraó ou o Filho de Deus. E Deus deu o Seu Filho de
modo que nós não precisamos morrer.
E então Israel marchou para fora do Egito após terem sido
redimidos pelo poder de Deus. As dez pragas haviam caído sobre o Egito
8
A Teologia do Sábado
e condenaram todos os falsos deuses do Egito. Então Israel caminhou
através do deserto.
E a primeira coisa que Deus restaurou em Êxodo 16 foi o sábado do
sétimo dia. Antes dos Dez Mandamentos, Deus restaurou o sábado como
o sinal de Sua graça de que Ele iria prover o alimento e não lhes era
permitido recolher o alimento no sétimo dia. E então vemos que Deus
estabeleceu uma ordem: primeiro REDENÇÃO e então OBEDIÊNCIA.
E em Êxodo 19 Deus diz: Se vocês querem ser Meu povo, porque
Eu os escolhi, porque todos os povos Me pertencem, Eu sou o Deus da
humanidade no Universo – Deus criou toda a humanidade – mas Ele
escolheu os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó para ser Seu povo
especial, o povo da aliança. E ele confiou-lhes a Sua sabedoria e deu-lhes
participação no processo da graça redentora. E eles foram libertados da
idolatria, não repentinamente. Pouco tempo depois eles estavam
dançando diante do bezerro de ouro.
Não é fácil partir da escravidão para a liberdade, há recaídas. E
Deus ficou desapontado com eles, mas Moisés os levanta de novo, e
então Moisés implora: ​Senhor, lembra-te, por favor – Tu começaste um
bom trabalho, e agora o povo quer saber como vais completar a obra.
Não abandones a obra de Tuas próprias mãos.​ E então Deus renova a
aliança.

6. A Renovação da Aliança
Podemos ler isso em Êxodo 34, pela segunda vez Ele reescreve a
Sua vontade, os Dez Mandamentos em tábuas de pedra. E Ele diz a
Moisés: ​Eu sou o Deus da graça, o Deus compassivo, o Deus que perdoa
pecados, a rebelião, mas se eles não se arrependerem Eu vou mantê-los
como culpados.​
Essa é uma tensão que existe dentro da aliança de Deus. Ele perdoa,
mas a outros Ele não perdoa. É o relacionamento de aliança. E o povo
em aliança se torna responsável. Eles têm que ser agradecidos e amar a
9
A Teologia do Sábado
Deus em resposta.
Por que o livro de Deuteronômio é chamado o “livro do amor”?
Porque Deuteronômio resume o relacionamento da aliança. Ele resume a
essência do relacionamento de Deus.
Em ​Deuteronômio 6:5 – “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de
todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força”
Portanto a aliança feita por Deus com Israel é uma aliança de amor.
Esse era o ideal de Deus para o Seu povo Israel. E quando esse ideal não
foi cumprido, por causa da apostasia, Deus disse: Farei uma nova
aliança, mas esta aliança que será feita nova será nada mais nada menos
que uma renovação da antiga aliança, porque Deus renova o Seu plano.
Como foi na Criação.
Todos as alianças feitas por Deus após a Queda com a humanidade
tinham um único ​propósito: restaurar o relacionamento original da
aliança como era no Paraíso. Cada aliança era um passo para restaurar a
aliança original.
Cristo veio a esta Terra, e Ele veio para restaurar todas as coisas. A
palavra-chave encontrada em Cristo era restaurar todas as coisas.
Quando Ele encontrou um homem com a mão ressequida Cristo lhe
disse: “Estende teu braço!” E Ele restaurou o braço. Restauração do
corpo e da alma e do espírito. E então perdoou os seus pecados. Havia
um paralítico, e Cristo restaurou o seu corpo e então perdoou os seus
pecados. A restauração externa era simplesmente um símbolo da
restauração interna.

7. Cristo e o Sábado
E como Cristo Se relacionou com o sábado? Este é um assunto
muito importante. Será que Jesus aboliu o sábado?
Havia e há um famoso teólogo neotestamentário na Suíça, dizendo
– seu nome Oscar Cullmann – grandemente respeitado como um erudito
em Novo Testamento, até o próprio Papa o respeita; Oscar Cullmann
10
A Teologia do Sábado
argumentou assim: “Porque Jesus Cristo estava desrespeitando os
regulamentos judaicos com relação ao sábado e de acordo com os judeus
Jesus quebrava o sábado, devemos concluir que Jesus anulou a lei do
sábado.” É uma declaração chocante!
Ora, há mais eruditos bíblicos que exclusivamente Oscar Cullmann.
E agora como ele faleceu e outros se levantaram, eles fizeram um
julgamento mais apropriado. Em vários livros nós podemos ler isso:
Jesus quebrou apenas as regulamentações sabáticas – o ​halakôt – dos
judeus. Halakôt significa as instruções orais da tradição judaica que
podemos encontrar no Mishná. O tratado sobre o sábado proíbe 39 tipos
de trabalho no sábado. Você não pode semear nem uma única semente.
Você não deve escrever dois sinais. Muitas coisas triviais foram escritas.
E Jesus desconsiderou estas coisas.
Mas ao Jesus desconsiderar o ​halakôt sabático os eruditos agora
reconhecem que Ele está fazendo uma distinção tão clara entre os
ensinos humanos e o quarto mandamento.
Será que Jesus fez distinção nítida entre os mandamentos de Deus e
a tradição judaica?
Leio, por exemplo, ​Mateus 15​. Ele perguntou aos rabinos: “Por que
vocês transgridem os mandamentos de Deus e seguem as próprias
tradições?” Jesus fez clara distinção entre os mandamentos de Deus e as
tradições desenvolvidas pelos judeus. Portanto quando Jesus rejeitou
tradições humanas Ele não rejeitou os mandamentos de Deus. E esta é a
opinião de eruditos bíblicos hoje. E isto tem sido um apoio fantástico
para a posição adventista. Oscar Cullmann está morto, totalmente morto
e agora outros falam mais alto e melhor.
Temos que relembrar que o sábado foi feito por causa do homem.
Deus convida os homens a partilhar com Ele o descanso sabático.
O que é que mudou desde que Cristo veio?
Em ​Mateus 11:28 ouvimos Jesus dizer: “Vinde a Mim todos os que
estais cansados e sobrecarregados e eu vos darei descanso para as vossas
11
A Teologia do Sábado
almas.” Este é o descanso do sábado que Deus prometeu a Adão e Eva
no Paraíso, que Ele prometeu a Israel sob a liderança de Moisés. E em
todas estas épocas a humanidade não entrou no completo descanso de
Deus até que veio Jesus. E Ele declara: ​Eu vim até vós, e porque vim do
céu, posso novamente oferecer-lhes o descanso de Deus​.
O descanso de Cristo é o descanso de Deus. Portanto o descanso do
sábado agora é acessível por meio de Jesus Cristo. Não é suficiente
apenas guardar o sétimo dia. Agora que o Messias chegou o descanso
sabático também é o descanso messiânico. Somente poderemos observar
o dia de sábado através de Jesus Cristo.
Jesus disse: “Lembrai-vos de como foi no princípio.” Ali está o
modelo para o casamento e para o sábado. E Deus estabeleceu o sábado
antes da Queda.
Agora tenho uma pergunta para vocês.
Se o sábado foi estabelecido para o homem em sua perfeição, sem
pecado, seres pecadores precisam mais ou menos do sábado? É claro que
agora o homem é pecador, ele necessita muito mais do sábado.
E o que significa o sábado antes e após a Queda em relação ao
caráter de Deus? O Criador concedeu o sábado no princípio para seres
sem pecado; após a Queda o mesmo Criador restaura o sábado agora
para seres pecadores. O sábado é contínuo.
Mas o sábado não era um sinal da Criação, da perfeita Criação? E
agora após o pecado, o que o sábado significa para nós? Que o Criador é
fiel às Suas criaturas e promete levar de volta a humanidade ao Paraíso.
O fato de que o sábado é restabelecido revela que o Deus Criador está
buscando vindicar Sua Criação e restaurá-la à sua beleza original.
Pergunta: Necessitamos de dois sábados diferenciados – o sábado
do sétimo dia para o povo judeu e o dia de domingo para os gentios
cristãos?

8. A Teologia do Domingo e a Teologia do Sábado


12
A Teologia do Sábado
Como é que os teólogos cristãos defendem essa idéia? Eles têm o
seguinte raciocínio: O sábado é o sinal da velha criação, e Ele criou
Israel, conduzindo-os para fora do Egito; portanto a libertação da
escravidão do Egito era o ponto focal máximo da antiga aliança no
Antigo Testamento. Mas agora um Moisés muito superior veio na Pessoa
de Jesus. E esse Jesus Cristo ressuscitou dentre os mortos no domingo
pela manhã e este é o maior de todos os sinais do evangelho, é o dia do
nascimento de uma igreja, e o Espírito Santo também desceu no
domingo. E Cristo fez um apelo e apareceu para os Seus apóstolos no
domingo. O domingo agora é o sinal da nova aliança, porque o Redentor
é maior do que o Criador. Esta é a teologia circulando hoje.
Agora a minha resposta é a teologia do sábado. Se nós temos uma
diferente construção de um Deus Criador e um Deus Redentor, então
estaríamos criando dois deuses diferentes.
Isto aconteceu nos dias de Paulo com o gnosticismo cristão: eles
criam que o Criador era um Deus inferior e imperfeito, um Deus da
guerra, mas que Cristo Jesus era um Deus superior porque Ele era um
Deus do amor, da graça, do perdão.
Este é o sistema do Dispensacionalismo, em que se declara que o
Antigo Testamento é inferior ao Novo Testamento, e portanto o domingo
substituiu o sábado.
Quando voltamos ao livro de Gênesis e também ao livro de Salmos,
nós lemos acerca de um Criador perfeito, que ao mesmo tempo é o
Redentor de Israel. Assim o Criador e o Redentor é o mesmo e o único
Deus. E Jesus Cristo veio apenas para representar Deus o Pai. Ele disse
em João capítulo 12: ​Eu só falo o que o Pai me ensinou; eu só faço o que
o Pai me determinou​. (João 12:49) Jesus, portanto, Se revela aqui como
sendo parte do Criador. E nós lemos em o Novo Testamento de que Jesus
é o Co-Criador.
Leiam, por exemplo, João 1: “No princípio era o Verbo, . . . e o
Verbo era Deus. ... Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle. ...
13
A Teologia do Sábado
E o Verbo Se fez carne.” Se Cristo é Co-Criador de toda a Criação, então
Cristo também fez o sábado. Cristo declarou de Si mesmo que Ele é o
próprio Senhor do sábado. Isso significa que Ele é o Criador e o
Intérprete do sábado. E desta forma entendemos que o sábado honra
tanto o Criador como o Redentor com força igual. A guarda do sábado é
um reconhecimento de que o Criador não é inferior ao Redentor, que o
Criador é também o Redentor. Vindica o caráter de Deus, de que Deus é
fiel à Sua Criação e que Deus será plenamente vindicado quando Ele
restabelecer o Paraíso que foi criado.
O sábado não é apenas um símbolo da perfeita Criação no passado,
mas é também um sinal que o Paraíso será restaurado. O sábado inclui a
promessa de que a Terra e o céu finalmente serão reunidos.
E lemos em ​Hebreus 4:4 e 11 que ainda resta um descanso sabático
[grego ​sabatismo​] no futuro para o povo de Deus. O sábado é a garantia
de que o Criador e vai recriar um novo céu e uma nova Terra. O sábado é
o sinal de que saímos marchando para Sião, de que haverá uma Nova
Jerusalém e de que nós entraremos e fruiremos o eterno descanso
sabático. E então o Criador estará plenamente satisfeito de que em
primeiro lugar Ele fez uma ótima Criação e de que não precisou
destruí-la, e que Ele pôde redimir e restaurar em maior perfeição aquilo
que já era perfeito no princípio.
Portanto, Hebreus 4 é o elo de união, porque apresenta a conexão
entre o passado, o presente e o futuro. E o livro de Hebreus conclui no
cap. 13, verso 8 – “Jesus Cristo é o mesmo ontem” – lá no tempo antigo
na Criação – “hoje e para sempre” no futuro. A continuidade é garantida:
do Paraíso Perdido ao Paraíso Restaurado. Cristo é a garantia. E Ele
honra a Seu Pai. E isso demonstra que a obra unida do Pai, Filho e
Espírito Santo foi bom e ao ser restaurado será perfeito novamente. E no
futuro, o Paraíso Restaurado será ainda melhor que o Paraíso original,
porque na Terra feita nova o trono de Deus estará estabelecido nesta
Terra, e nós O veremos face a face.
14
A Teologia do Sábado
Por isso tenho desejo de estar lá. E vocês, gostariam de estar
naquele Paraíso Restaurado? Deus viu as suas mãos erguidas. Deus
atenda ao seu pedido. Amém.

Você também pode gostar