Você está na página 1de 279

APOSTILA

CONHECIMENTOS DE INFORMÁTICA
Apostila de Conhecimentos em Informática 3

1 Conceito de Internet e intranet

2 Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e


procedimentos associados a Internet/intranet.
2.1 Ferramentas e aplicativos comerciais de navegação, de e-mail, de grupos de discussão,
de busca e pesquisa.
2.2 Conceitos de protocolos, World Wide Web, organização de informação para uso na
Internet, acesso à distância a computadores, transferência de informação e arquivos,
aplicativos de áudio, vídeo, multimídia, uso da Internet na educação, negócios, medicina e
outros domínios.
2.3 Conceitos de proteção e segurança.
2.4 Novas tecnologias e outros.

3 Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e


procedimentos de informática: tipos de computadores, conceitos de hardware e de Software.
3.1 Procedimentos, aplicativos e dispositivos para armazenamento de dados e para
realização de cópia de segurança (backup).
3.2 Conceitos de organização e gerenciamento de arquivos, pastas e programas, instalação
de periféricos.
3.3 Principais aplicativos comerciais para: edição de textos e planilhas, geração de
material escrito, visual e sonoro e outros.

4 Conceitos dos principais sistemas comerciais e outros.


Apostila de Conhecimentos em Informática 4

SUMÁRIO

1.Conceitos básicos ........................................................................................................ 6


1.1 Introdução ........................................................................................................ 6
1.2 Hardware ........................................................................................................ 6
1.2.1 Processador ........................................................................................................ 7
1.2.2 Memória ........................................................................................................ 7
1.2.3 Unidades de armazenamento ............................................................................... 8
1.2.4 Periféricos ........................................................................................................ 8
1.2.5 Tipos de computador ........................................................................................... 10
1.3 Software .................................................................................................................... 10
1.3.1 Sistemas básicos ........................................................................................... 11
1.3.2 Sistemas operacionais (SO´s) ............................................................................... 11
1.3.2 Aplicativos ....................................................................................................... 12

2. Softwares Aplicativos ........................................................................................... 13


2.1 Aplicações comerciais .......................................................................................... 13
2.2 Editores de textos...................................................................................................... 13
2.3 Planilhas de cálculo.................................................................................................. 14
2.4 Gerenciadores de bancos de dados .................................................................. 14
2.5 Editores gráficos ....................................................................................................... 14
2.6 Ferramentas de apresentações .................................................................................. 15
2.7 Utilitários ................................................................................................................... 15
2.8 Entreterimentos ...................................................................................................... 15
3.Editor de textos - O Microsoft Word .................................................................. 16

4.Conceito de Internet e Intranet ............................................................................. 44


4.1 Internet .................................................................................................................. 44
4.1.1 Introdução ...................................................................................................... 44
4.1.2 Importância da Internet .......................................................................................... 44
4.1.3 Conceito de Protocolo .......................................................................................... 45
4.1.4 Estrutura do TCP/IP .......................................................................................... 46
4.2 O Domain Name System (DNS) .. 52
4.3 Intranet .................................................................................................................. 55

5.Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e


procedimentos associados a Internet/intranet ......................................................... 58
5.1 Browser´s (navegadores da Internet) ...................................................................... 58
5.2 E-mail .................................................................................................................. 59
5.3 O File Transfer Protocol (FTP) ............................................................................. 63
5.4 Telnet ... ... 64
5.5 O Chat . ... 64
5.6 O News Group .. 65
Apostila de Conhecimentos em Informática 5

Prof. Marco Leite


6. Firewall ................................................................................................................. 67

7. Vírus de Computador ......................................................................................... 69

8. Backup .................................................................................................................. 75

9. Conceitos de organização e gerenciamento de arquivos, pastas e programas 78

Apêndices ................................................................................................................... 81
Apostila de Conhecimentos em Informática 6

1 Conceitos básicos

1.1 Introdução
Muitos de nós utilizamos computadores, mas muitas vezes não sabemos exatamente
como eles funcionam. Para que possamos utilizar uma ferramenta, é bom que tenhamos o
máximo possível de conhecimento sobre a mesma, para assim podermos utilizá-la da melhor
forma.
O computador nada mais é do que um aparelho que executa tarefas repetitivas e que
armazenam uma grande quantidade de dados. Muitas vezes queremos poupar nosso tempo ou
executar tarefas de uma maneira prática e econômica. Podemos tomar como exemplo a
criação e edição de um texto. O computador executa as tarefas repetitivas (escrever, apagar,
corrigir, duplicar, aumentar, diminuir, pular a linha, centralizar, justificar) e nós, que
operamos o computador, apenas criamos, editamos e digitamos o texto no computador.

O Computador pode ser dividido em Hardware e Software:

O Hardware é a parte física do computador (UCP e periféricos) .


O Software é a parte dos Programas (Sistemas Operacionais e Aplicativos)

O Hardware possui na sua forma mais conhecida uma CPU (Central Processing
Unity) ou UCP (Unidade de Processamento Central) e periféricos, como o monitor onde são
visualizados os dados, um teclado e um mouse onde o usuário do computador envia
informações ou comandos e muitas vezes outros periféricos como impressoras, scanners,
câmeras digitais etc.
Para que o Computador seja utilizado são necessários conjuntos de
Programas/Aplicativos que controlam e executam tarefas no computador. É por meio de
Programas/Aplicativos que somos capazes de interagir com o computador.

1.2 Hardware
Aquelas partes do computador que você consegue ver e tocar, como o teclado, o mouse
e o monitor, são chamadas de Hardware. A palavra Hardware é de origem inglesa e nos dá a
idéia de produto sólido, palpável. Hardware é referenciado ao equipamento de informática.
Apostila de Conhecimentos em Informática 7

O computador é um conjunto de peças de Hardware. Se existisse apenas Hardware, os


computadores não teriam utilidade, pois, o Hardware sozinho não possui inteligência para
trabalhar.
O computador é uma máquina programável, ou seja, o operador ou programador deve dar-lhe
instruções para que realize tarefas. Estas instruções formam os programas. São os programas
que permitem ao Hardware trabalhar. Software é também de origem inglesa é esta
referenciada a programas, nos dá a idéia de um produto impalpável, ou seja, que não podemos
tocar. O Software é um programa, que é considerado um produto intelectual.

1.2.1 Processador
O processador ou microprocessador é a CPU (Unidade Central de Processamento) ou
seja, é o cérebro do computador. É a CPU que comanda todas as funções do computador. A
informática, como a conhecemos hoje, só se tornou possível graças ao grande
desenvolvimento alcançado pelas CPU´s. A CPU é um circuito eletrônico muito poderoso que
recebe dados, processa e devolve dados processados. Uma CPU pode conter milhões de
transistores no seu circuito, mas, apesar disso, não ocupa muito espaço. As CPU´s são
montadas em pequenas placas de silício chamadas chips. Os chips são menores que uma caixa
de fósforos.

Figura 1: Microprocessador

Atenção, muitos usuários chamam o gabinete de CPU, mas isto é uma inverdade, pois
no gabinete está a memória, periféricos de armazenamento, periféricos de entrada e saída, a
CPU esta contida dentro do microprocessador.
1.2.2 Memória
A Memória é dividida em ROM (Read Only Memory - Memória Somente para Leitura)
e RAM (Ramdom Access Memory - Memória de Acesso Aleatório). A Memória ROM
armazena informações necessárias para que o computador possa ser ligado e geralmente não é
alterada. A Memória RAM é utilizada pelo processador para que sejam executadas as tarefas.
Apostila de Conhecimentos em Informática 8

O Processador armazena na memória RAM todas as tarefas para que possam ser executadas e
acessadas pelos periféricos ou unidades de armazenamento. Nesse tipo de memória (RAM), os
dados são perdidos assim que o computador é desligado, por isso, há a necessidade de
unidades de armazenamento, para que sejam armazenadas informações que não podem ser
perdidas.

Figura 2: Memória

1.2.3 Unidades de Armazenamento


As Unidades de Armazenamento são utilizadas para o armazenamento e recuperação de
informações que não podem ser perdidas, tanto informações necessárias ao computador como
utilizadas pelo usuário, tais como textos, planilhas, fotos, informações geradas por Aplicativos
etc. Como exemplo de Unidades de Armazenamento, podemos citar:
HD (Hard Disk ou Winchester ou Disco Rígido),
Disquetes,
Zip Driver,
Cd´s regraváveis,
DVD´s,
entre outros.

Figura 3: Winchester

1.2.4 Periféricos
Os periféricos são equipamentos que enviam informações para a UCP ou recebem da
UCP. Cada periférico tem sua função definida e executa ou envia tarefas ao computador de
Apostila de Conhecimentos em Informática 9

acordo com essa função. Dentre os muitos periféricos existentes, podemos classificá-los em
dispositivos de entrada e de saída:
Dispositivos de entrada: servem para fornecer informações para o processamento
(dados de entrada).

Teclado
Mouse
Scanner
Joystick
Câmera digital
Dispositivos de saída: servem para enviar as informações processadas (dados de saída).
Monitor
Impressora
Placa / Caixa de som
Dentre os periféricos mais utilizados, esta a impressora e seus modelos, na qual
podemos imprimir (dependendo do tipo de impressora) textos, planilhas eletrônicas, relatórios
gerados por aplicativos, fotos etc. Há vários tipos de impressoras, mas as mais comuns são: a
matricial, a jato de tinta, a laser e a plotter.
A Impressora Matricial é a mais antiga e é indicada para impressão notas fiscais,
textos simples, relatórios de Aplicativos etc. Suas grandes vantagens são a rapidez na
impressão e o baixo custo de manutenção.
A Impressora de Jato de Tinta é a mais utilizada atualmente e possui um bom
potencial gráfico. É indicada na impressão de textos, fotos, figuras, gráficos, etc.
A Impressora Laser é muito utilizada em empresas e utiliza um método de
impressão semelhante às máquinas de xerox. Por isso, consegue uma precisão e uma
velocidade muito maior que outros tipos de impressora. Algumas mais novas também
têm um potencial gráfico muito bom.
A Impressora Plotter é utilizada por gráficas e editoras e é especializada em
impressão de imagens em geral.
Apostila de Conhecimentos em Informática 10

1.2.5 Tipos de computador

Há muitos tipos de computador. Por enquanto vamos classificá-los pelo porte, ou seja,
pela capacidade de processamento.
Palmtop: Como o nome diz, o palmtop cabe na palma da mão. É o computador de
bolso. Funciona com bateria.
Notebook (ou laptop): É o computador portátil, que pode ser carregado como uma
valise. Trabalha com bateria ou na tomada.
Desktop (ou computador de mesa): É o computador para uso pessoal ou trabalho. A
maioria dos computadores do mundo é do tipo desktop.
Estação de trabalho (ou workstation): São os computadores de mesa mais potentes
usados para trabalhos individuais que exigem grande capacidade de processamento como
animações gráficas e projetos de engenharia.
Servidor de rede: São os computadores que trabalham em redes, prestando serviços
aos usuários.
Mainframe: São computadores de grande porte para trabalho pesado em grandes
instituições, como bancos e órgãos de governo.
Super computador: São os computadores mais potentes. Há poucos no mundo e são
destinados a tarefas que exigem volumes enormes de processamento, como pesquisas
científicas e previsão do tempo.

1.3 Software
Apresentamos, inicialmente, a definição de Software conforme redação dada pelo da
Lei Federal nº9.609/98 em seu artigo 1º, onde se lê:

"Programa de computador é a expressão de um conjunto organizado de instruções em


linguagem natural ou codificada, contida em suporte físico de qualquer natureza, de emprego
necessário em máquinas automáticas de tratamento da informação, dispositivos, instrumentos
ou equipamentos periféricos baseados em técnicas digital ou análoga, para fazê-los funcionar
de modo e para fins determinados".
Conforme o que define a lei 9.609/98, o Software constitui uma elaboração intelectual
de um programa que possibilita a utilização de um equipamento, constituído em um sistema
Apostila de Conhecimentos em Informática 11

de funções múltiplas que permite a distribuição de uma gama informações através de um


suporte físico, ou seja, disquete ou CD (Compact Disc).
O Software pode apresentar-se em classes distintas, e estas classes são apresentadas na
figura a seguir:

Figura 4: Classes de Software

1.3.1 Sistemas Básicos

São coleções de programas desenvolvidos para servir a outros programas. Podemos


citar como exemplo programas que reconhecem a configuração do computador quando o
mesmo é ligado, mais conhecidos como BIOS (Basic Input Output System) ou sistema básico
de entrada e saída que caracterizam-se por dependência e interação intensa com o Hardware
(quando o computador é ligado, aparecem umas letras a esquerda, é a BIOS sendo executada).
São eles que executam a tarefa de gravar fisicamente os dados no disco rígido, ler uma porta
de comunicação, enviar sinais elétricos ao monitor etc. Ao ligar o computador, sistemas
básicos presentes na memória ROM (gravados em um chip) carregam o sistema operacional.

1.3.2 Sistemas Operacionais (SO´s)

Para que a utilização dos recursos que o computador possa ser usada, é necessário
que exista um programa ou um conjunto de programas que controlem e direcionem as tarefas
e comandos feitos pelo usuário do computador ou por outros programas aplicativos. O SO
(Sistema Operacional) é responsável em executar tarefas que são realizadas por meio dos
sistemas básicos.
O Sistema é executado logo que o computador é ligado pela BIOS, normalmente,
sistemas operacionais ficam armazenados em discos rígidos (winchesters), mas há casos em
Apostila de Conhecimentos em Informática 12

que eles podem ser armazenados em disquetes ou até mesmos em Cd s. Como exemplo de
Sistemas Operacional (entre os mais conhecidos) está:
MS-DOS (Microsoft Disk Operating System),
Windows (versões 95,98, Me, 2000 e XP),
Linux (considerado como Software Free1),
Apple Macintosh,
OS/2 (Operating System 2 da IBM), etc.

Além do Sistema Operacional, que traduz as tarefas para o computador, é


necessário que tenhamos outros programas que nos auxiliem na hora de utilizarmos o
computador. Esses Programas têm cada um sua finalidade específica, de acordo com a nossa
necessidade e são conhecidos como aplicativos.

1.3.2 Aplicativos

Um Aplicativo tem sua finalidade específica definida na hora de sua criação e é


criado com objetivo de atingir tal finalidade.
Como exemplo, podemos citar aplicativos para edição de texto (Word, PageMaker),
construção de planilhas eletrônicas (Excel, Lotus 1-2-3), edição de imagem (CorelDraw,
PaintBrush), programas de controle de estoque, programas de controle financeiro, programas
de controle de vendas etc. Isto será discutido no próximo tópico.

1
Software Free : Categoria de software de domínio público, ou seja não há necessidade de se pagar direitos
autorais.
Apostila de Conhecimentos em Informática 13

2 Softwares Aplicativos

São Softwares que o usuário utiliza para realizar algo que ele precisa ou simplesmente
deseja fazer. O termo aplicativo surgiu da idéia de que, com esse grupo de Softwares, o
usuário está aplicando o computador na solução de um problema.
Os Softwares Aplicativos podem ser divididos em:

Aplicações Comerciais
Utilitários
Aplicações Pessoais
Entretenimento

2.1 Aplicações Comerciais


Apesar do uso muito grande de computadores no lar, a grande maioria dos
computadores ainda é usada em ambientes comerciais. Para as aplicações em ambientes
comerciais, necessitamos de alguns tipos de programas, tais como Editores de Texto, Planilhas
de Cálculo e Gerenciadores de Bancos de Dados

2.2 Editores de Texto

Representam hoje, a aplicação mais popular dos computadores pessoais. Editores de


Texto são Softwares que permitem aos computadores pessoais substituir, com enormes
vantagens, as máquinas de escrever. Eles permitem:
Introdução de texto no computador;
Edição do texto (modificação);
Formatação do texto (dar forma ao texto, trocando tamanho e forma de letras,
cores, etc);
Inclusão de Tabelas, Gráficos e Desenhos;
Correção Ortográfica do texto;
Impressão do Texto

Entre eles estão O Microsof Word, Word Perfect, StarOffice Writer, entre outros.
Será discutido em capítulo próprio, o aplicativo Word da Microsoft, pelo fato do
mesmo ter sido explorado em demasia nos últimos concursos de Delegado Federal.
Apostila de Conhecimentos em Informática 14

2.3 Planilhas de Cálculo

O foco desse Software é diferente dos editores de texto, o foco desses programas são planilhas
nas quais os números são o principal componente. Elas permitem:

Inserir números, textos como conteúdo de uma célula;


Construção de Fórmulas;
Uso de Funções;
Recálculo automático das Fórmulas;
Geração de gráficos
Impressão de Planilhas e Gráficos

Entre eles estão o Excell da Microsoft, Lótus 1-2-3, StarOffice Calc.

2.4 Gerenciadores de Bancos de Dados

São Softwares que permitem ao usuário criar e gerenciar bancos de dados. Permitem
que as informações armazenadas nos Bancos de Dados possam ser ordenadas e recuperadas de
acordo com vários critérios que podem ser estipulados.
São basicamente a base para Aplicações Pessoais, as quais desenvolvem sistemas para
gerenciar suas operações por meio de Gerenciadores de Bancos de Dados. Permitem:
Criação de Bancos de Dados;
Gerenciamento (manipulação) de Banco de Dados;
Recuperação de Informações;

Entre os mais conhecidos estão o Paradox, Fox Pró da Microsoft, Access da Microsoft,
MySql, Microsoft SQL-Server, DB2 da IBM e o Oracle, entre outros.

2.5 Editores Gráficos

São Softwares utilizados para criar ilustrações ou até mesmo animações. A função dos
mesmos é capacitar profissionais de artes gráficas a utilizar o computador para produzir e
formatar diversos tipos de trabalhos, os quais podem ir de um simples folheto, passando por
cartazes de filmes, chegando a ponto de animações utilizadas em filmes e/ou comerciais.
Entre eles estão CorelDraw, PageMaker, PhotoShop, PaintBrush , StarOffice Draw
entre outros.
Apostila de Conhecimentos em Informática 15

2.6 Ferramentas de Apresentações

É um Software que permite ao usuário tanto preparar slides para fazer uma
apresentação, como fazer a própria apresentação com os slides que preparou. Algumas dessas
ferramentas possuem: recursos de desenho para gráficos comerciais, organogramas,
fluxogramas etc., os quais facilitam sensivelmente o trabalho do usuário.
Entre eles esta o Power Point, StarOffice Impress,entre outros .

2.7 Utilitários

Programas Utilitários oferecem meios para que o usuário realize tarefas que não são realizadas
facilmente pelo sistema operacional. A utilização desses programas pode ser:

Compactação de Arquivos;
Recuperação de Arquivos Apagados;
Desfragmentação de Unidades de Disco;
Verificar Danos em Unidades de Disco
Podem ser citados o Winzip, PcTools, entre outros.

2.8 Entreterimentos

São programas que são utilizados para entreter o usuário final. O objetivo é o de tornar o
ambiente computacional uma área de lazer e distração. Neste conjunto encontramos os
programas de jogos e simuladores.
Apostila de Conhecimentos em Informática 16

3 Editor de textos O Microsoft Word

Uma das categorias de Softwares mais conhecida e utilizada em todo o mundo é a dos
editores de textos. São programas que estimula a produção de trabalhos escritos, dada a sua
facilidade de uso e riqueza de opções para a manipulação dos textos. Estes programas
costumam surpreender o usuário que se inicia no uso do computador ao produzir trabalhos que
antes eram feitos com a ajuda das máquinas de escrever.

Atualmente pode-se dizer que não há máquinas de escrever modernas, pois estas
perderam totalmente os seus espaço para o computador. Editar um texto hoje é muito mais que
escrever algo numa folha de papel. Envolve tarefas como movimentações, mudanças de
formatos, pesquisas e substituições, aplicação de objetos, correção ortográfica, entre inúmeros
outros recursos que só o computador pode oferecer.

O Microsoft Word XP faz parte do pacote de programas Microsoft Office 2002 XP,
que inclui a Planilha Eletrônica Microsoft Excel 2002 XP, o Banco de Dados Microsoft
Access 2002 XP, o Editor de Apresentações Microsoft PowerPoint 2002 XP e o gerenciador
de e-mail´s e arquivos o Outlook Express, sendo, atualmente, o que há de mais novo e
poderoso na categoria.

O Microsoft Word XP é, sem dúvida, o editor de textos mais conhecido, mais utilizado
e também de maior funcionalidade. A figura a seguir apresenta de uma forma compacta o
produto da Microsoft:
Apostila de Conhecimentos em Informática 17

Figura 5: Visão geral do Word da Microsoft

A primeira coisa a ser feita antes de começar a digitar o texto é definir o tamanho do
documento, a sua orientação (vertical e horizontal), o tamanho das margens e do papel no qual
você vai imprimir o documento.

Configurando a página e ajustando a paginação

Enquanto você trabalha com o documento, quando a página atual é preenchida, O


Microsoft Word XP inicia a próxima página automaticamente. Essas quebras são chamadas
quebras de página automáticas. Enquanto você edita ou reformula o documento, O Microsoft
Word XP recalcula automaticamente a quantidade de texto da página e ajusta as quebras
automáticas de acordo com a necessidade.

Você também pode inserir quebras de página manualmente, sempre que quiser que
uma página seja quebrada em determinado lugar. Quando você insere uma quebra manual, O
Microsoft Word XP ajusta as quebras automáticas que se seguem. O Microsoft Word XP não
é capaz de mover as quebras de página manuais: para mudá-las, é necessário excluí-las
Apostila de Conhecimentos em Informática 18

manualmente e inserir uma nova quebra em outra posição ou selecionar a quebra de página e
arrastá-la para a nova posição.

Para inserir uma quebra de página

Posicione no local da quebra:

Pressione as teclas <Ctrl>+<Enter>


Configurar uma página ou todas as páginas é uma das tarefas mais importantes na criação de
um documento. Inclui opções para definições de margens, tamanho e orientação do papel a ser
utilizado, entre outras opções. Você poderá usar as mesmas opções de formatação em todo o
documento ou dividí-lo em seções e estabelecer diferentes opções para cada seção.

O Microsoft Word XP trabalha, no mínimo, com uma seção, para que possa armazenar as
características (formatações) do documento. A utilização de mais de uma seção será necessária,
quando se resolve criar textos do tipo Colunado, vários tipos de Cabeçalhos, diferentes tipos de papéis
e diferentes formatações de margens.

A criação da seção poderá ser automática, bastando selecionar a área que receberá a
formatação desejada e aplicar o comando necessário para a formatação (este automaticamente
criará as quebras de seções). Caso contrário, podemos criar as quebras de seções onde e da
forma que necessitarmos.

Posicione o ponto de inserção na seção a ser alterada,


clique no menu arquivo,configurar página.
Apostila de Conhecimentos em Informática 19

Figura 6: Visão geral do Word da Microsoft Configurar página

Verifique a seção Margens, Orientação (alterar, se for necessário).

Seção Margens - Defina as dimensões das margens nas caixas de texto para especificar a
aparência desejada para o documento.

Seção Orientação - Clique em uma orientação de página. Quando você altera a


orientação de página, o Word troca as configurações de margem superior e inferior pelas
configurações de margem esquerda e direita.

Tamanho do papel - Clique em um dos tamanhos de papel aos quais a sua impressora
fornece suporte ou clique em tamanho personalizado e digite as dimensões do papel nas caixas largura
e altura.
Apostila de Conhecimentos em Informática 20

Figura 7: Visão geral do Word da Microsoft Tamanho do papel


Clique no botão OK para aplicar as alterações.

Editar um documento é fazer alterações no documento, contando com as facilidades de


movimentação e correção e/ ou inserção de caracteres. Partiremos do princípio que, para
fazermos qualquer correção/alteração, é necessário que nos desloquemos até o ponto a ser
trabalhado, ou seja, que o cursor seja levado até o local desejado. O Microsoft Word XP conta
com o auxílio de teclas especiais para movimentações desejadas. A tabela abaixo mostra quais
as teclas que poderão ser usadas nestes casos.

Tecla Movimentação
Linha abaixo
Linha acima
Caracter direita
Caracter esquerda
Home Início da linha
End Final da linha
Page Up Meia tela acima
Page Down Meia tela abaixo

Tabela 1 Teclas de controle doWorld


Apostila de Conhecimentos em Informática 21

Podemos mudar a posição do cursor também com o mouse, bastando clicar na posição
desejada. Para corrigir erros comuns de digitação, siga os procedimentos:

Pressione a tecla Para excluir


Backspace Caracteres antes do ponto de inserção
Delete Caracteres depois do ponto de inserção

Tabela 2 Teclas de correção do World

Use a tecla <Insert> ou clique duplamente na opção SE (Sobrescrita) da barra de status para
substituir (Sobrescrever) os caracteres do texto pelo texto que você irá digitar. Para mover, formatar,
excluir ou alterar um texto ou elemento gráfico, é necessário selecionar esse elemento. O texto
ou elemento selecionado será realçado. Para cancelar a seleção, clique em qualquer ponto do
documento.

Para selecionar com o mouse:

Para selecionar Siga este procedimento


Um bloco de texto Arraste sobre o texto a ser selecionado.
Uma palavra Clique duplamente sobre a palavra.
Uma Linha Clique à esquerda da linha.
Um parágrafo Clique duplamente à esquerda do parágrafo.
Documento inteiro Clique três vezes à esquerda de um parágrafo.

Tabela 3 Teclas de seleção do Word

Salvando o Documento

Você deverá salvar o seu arquivo com freqüência. Se houver queda de eletricidade ou qualquer
outro problema, você não perde as informações. Quando você salva um documento pela primeira vez,
O Microsoft Word XP exibe a caixa de diálogo Salvar Como, que permite digitar um nome para o
documento e especificar onde o documento será salvo.

Clique no menu Arquivo, Salvar.


Apostila de Conhecimentos em Informática 22

Figura 8: Visão geral do Word da Microsoft Salvar Documento

Na primeira vez que o arquivo está sendo salvo, O Microsoft Word XP abre a janela Salvar
Como mesmo que se clique no Salvar, porque você precisa especificar o nome do arquivo e onde o
arquivo será salvo (disquete, winchester e em qual pasta).

Figura 9: Visão geral do Word da Microsoft Salvar como

Clique no botão Salvar.

Fechando o Documento

Para fechar um documento do Microsoft Word XP liberando espaço na memória para


continuar o trabalho com outros documentos, selecione o seguinte comando:

Clique no menu Arquivo, Fechar.


Apostila de Conhecimentos em Informática 23

Figura 10: Visão geral do Word da Microsoft Fechar Documento

Caso o documento atualmente ativo tenha sofrido alguma modificação e você não o
tenha gravado, O Microsoft Word XP exibirá uma mensagem de advertência, atentando-o para
tal fato. Você pode então, gravar o documento, abandoná-lo sem gravar ou cancelar a
operação. A partir do Word versão 1997, a Microsoft implementou agentes de interface que
são representados por animações, como é o caso de Clip´s apresentados a seguir:

Figura 11: Visão geral do Word da Microsoft Agentes de Interface

Clique no botão Sim.

Abrindo o Documento

Para se abrir um documento, é indispensável que ele tenha sido salvo, ou seja,
transportado para o disco. No Microsoft Word XP, vários arquivos podem ser abertos ao
mesmo tempo. Lembre-se, porém, de fechar os arquivos desnecessários. Para abrir um
documento, efetue o seguinte comando:

Clique no menu Arquivo, Abrir.


Apostila de Conhecimentos em Informática 24

Esse quadro de diálogo nos permite digitar ou indicar (por meio do mouse), o documento com
o qual desejamos trabalhar.
Clique duas vezes sobre o arquivo que deseje abrir.

Figura 12: Visão geral do Word da Microsoft Abrir documentos

Iniciando outro Documento

Para dar início a um novo documento (documento em branco), execute o seguinte comando:
Clique no menu Arquivo, Novo.
Clique no botão Documento em branco.

Figura 13: Visão geral do Word da Microsoft Iniciar Documento


Apostila de Conhecimentos em Informática 25

Para utilizar um dos modelos (documentos prontos) do Microsoft Word XP, escolha as
opções: Modelos gerais, Modelos nos meus sites da Web e Modelos em Microsoft.com. O
próprio modelo se encarregará de questionar as informações necessárias. Digite o texto a seguir,
sem se preocupar com as quebras de linhas, pois O Microsoft Word XP fará isso automaticamente. Só
pressione a tecla <Enter> ao final de cada parágrafo.

A Digitação
Digitando o texto envolve o conhecimento das teclas de edição e posicionamento do cursor
disponíveis no teclado: Insert, Delete, Home, End, Page Up, Page Down, Backspace e as setas de
direcionamento do cursor (para cima, para baixo, esquerda e direita). O usuário não precisa se
preocupar com a quebra de linha como ocorria com as antigas máquinas de escrever e mesmo com os
editores de texto do início da era da Informática. Ou seja, ele não precisa e nem deve teclar Enter,
quando chega à margem direita do texto. O Word fará isto automaticamente. Use Enter apenas quando
sucessivas vezes, você quiser pular linhas.

Salve o arquivo com o nome teste .


Feche o arquivo teste .

Imprimindo o Documento

Após a definição da impressora a ser utilizada pelo comando Arquivo Imprimir, e definida a
configuração da página pelo comando Arquivo Configurar Página, podemos visualizar como a página
será impressa e, em seguida, imprimir o documento.

Visualizando a impressão

Clique no menu Arquivo, Visualizar impressão.


Apostila de Conhecimentos em Informática 26

Figura 14: Visão geral do Word da Microsoft Visualizar Impressão de Documento

A área de trabalho apresenta uma barra de ferramentas própria.

Clique na seta indicada para baixo na ferramenta Zoom para reduzir ou ampliar a
exibição do documento ativo.

Figura 15: Visão geral do Word da Microsoft Visualizar Zoom da Impressão de


Documento

Clique na Largura da página para facilitar a leitura do documento ativo.


Clique na ferramenta Fechar para sair da visualização ou fechar a barra de ferramentas
e retornar à visualização anterior.
Apostila de Conhecimentos em Informática 27

Imprimindo o Documento

Após verificar se o arquivo está pronto para a impressão, por meio do comando
visualizar impressão, você já poderá imprimir seu documento, seguindo os passos:

Clique no menu Arquivo, Imprimir.

Figura 16: Visão geral do Word da Microsoft Impressão de Documento

Verifique a seção Intervalo de páginas, Cópia (alterar, se for necessário).

Seção Intervalo de páginas - Clique na parte do documento que deseja imprimir. Se você
clicar em Páginas, digite os números das páginas ou intervalos de páginas que deseja imprimir na caixa
Páginas.
Seção Cópia - Insira o número de cópias que você deseja imprimir e selecione a caixa de
seleção Agrupar se desejar que o Word imprima as cópias na ordem correta para encadernação.
Clique no botão OK para aplicar as alterações.

Desfazendo comandos

Para desfazer comandos errados.


Clique no menu Editar, Desfazer Digitação ou simplesmente digite <Ctrl>+Z.
Apostila de Conhecimentos em Informática 28

Figura 17: Visão geral do Word da Microsoft Desfazer Comandos

O comando Desfazer poderá anular (desfazer) todas as operações que foram feitas. Caso você
tenha mandado desfazer um comando e deseja refazê-la, clique no próximo ícone (refazer).

Movendo ou Copiando Texto

A movimentação significa remover (recortar) o texto ou elemento gráfico selecionado


de uma posição e inseri-lo em outra posição. Para movimentar:
Selecione o texto a ser movimentado.

Figura 18: Visão geral do Word da Microsoft Movendo e copiando textos

Clique no menu Editar, Recortar.


Posicione no local para onde o texto será movido.
Clique no menu Editar, Colar.
A movimentação pode ser realizada pelo processo de Clicar e Arrastar, bastando
selecionar o texto, posicionar o mouse na área selecionada, Clicar e Arrastar para o novo
local. Copiar significa fazer uma cópia do texto ou elemento gráfico selecionado e inseri-lo em outra
posição, deixando o original intacto. Para copiar, efetue o seguinte comando: Clique no menu Editar,
Copiar.
Apostila de Conhecimentos em Informática 29

Figura 19: Visão geral do Word da Microsoft Copiando e colando textos

Posicionar no local a ser colocado o texto.


Clique no menu Editar, Colar.
A cópia pode ser realizada pelo processo de Clicar e Arrastar: basta selecionar o texto,
posicionar o mouse na área selecionada, manter a tecla <Ctrl> pressionada, Clicar e Arrastar
para o novo local.

Indo para uma posição específica do documento


A movimentação pelo documento pode ser necessária para fazer correções ou mesmo
para verificações de rotina. O uso de teclas para movimentação do cursor é um grande aliado
nessa tarefa; tratando-se, porém, de documentos extensos, esse processo se tornaria trabalhoso
e demorado. O Microsoft Word XP permite que se façam deslocamentos diretos até pontos
específicos, tais como: página, seção, linha, nota de rodapé etc. Em qualquer ponto do
documento, selecione o comando:

Clique no menu Editar, Ir para.


Apostila de Conhecimentos em Informática 30

Figura 20: Visão geral do Word da Microsoft Posicionar em Documento

Selecione o tipo de local para onde deseja se deslocar. Informe a referência direta ao
local pretendido, como por exemplo, o número da página desejada. Clique em Próximo (Ir
para), se a página ou referência para onde se deseja ir estiver depois da página atual, ou clique
em Anterior, se a página ou referência para onde se deseja ir estiver antes da página atual. O
mesmo comando poderá também ser aplicado com o uso da tecla de função F5. Para voltar ao
último local onde você digitou, pressione <Shift> + <F5> até três vezes, para retornar às três
últimas posições. A caixa de diálogo Ir para contém ainda opções que facilitam um trabalho
de pesquisa no texto, tais como localização e substituição de palavras.

Figura 21: Visão geral do Word da Microsoft Localizar textos

Localizando e substituindo palavras


Os comandos de localização e substituição de palavras também podem ser acessados
diretamente no comando: Clique no menu Editar, Localizar ou Substituir.
Apostila de Conhecimentos em Informática 31

Guia Localizar

Figura 22: Visão geral do Word da Microsoft Localizar e substituir textos

Escreva a palavra que deverá ser localizada no texto. Clique em Localizar próxima,
para localizar a primeira ocorrência da palavra que estiver depois da posição atual do cursor.
Clique em Mais para definir a direção da procura e outros detalhes para uma
procura personalizada.

Guia Substituir

Na caixa Localizar, escreve a palavra que vai substituir a palavra localizada no texto. Na caixa
Substituir, digite a palavra que vai substituir a palavra localizada.
Clique em Substituir, para substituir a primeira ocorrência da palavra.
Caso a palavra se repita, você poderá substituir todas as ocorrências da palavra de uma vez,
clicando no botão Substituir tudo.

Cabeçalhos e Rodapés

Cabeçalho e rodapé são trechos de texto exibidos no topo da página, no caso do


cabeçalho, ou na base da página, no caso do rodapé. Tomando como exemplo essa apostila,
observa-se que no cabeçalho é apresentados uma figura com o nome da empresa e no rodapé o
nome da apostila e a numeração da página. O cabeçalho e o rodapé serão repetidos em todas
as páginas do documento.
Apostila de Conhecimentos em Informática 32

Figura 23: Visão geral do Word da Microsoft Cabeçalhos e Rodapé

Você pode especificar um cabeçalho ou rodapé diferente para páginas pares e ímpares
ou para a primeira página de uma seção do documento. Se o documento estiver dividido em
seções, será possível usar cabeçalhos e rodapés diferentes para cada seção. Para criar os
cabeçalhos e rodapés, execute os comandos: Clique no menu Exibir, Cabeçalho e rodapé.

Figura 24: Visão geral do Word da Microsoft Cabeçalhos e Rodapé

Cabeçalho

Rodapé

A tela exibe a região onde se deve digitar o texto do cabeçalho e aplicar a formatação
desejada. Observe que o texto do corpo do documento aparece de forma acinzentada. Tal
Apostila de Conhecimentos em Informática 33

efeito é apenas visual para que, durante a exibição dos cabeçalhos e rodapés, o usuário se
dedique exclusivamente a estes, sem interferir no texto da página. A barra de ferramentas
apresentada na tela permite personalização e a edição da área de cabeçalho e rodapé. Clique
na ferramenta Alternar entre cabeçalho e rodapé para mover o ponto de inserção entre as áreas
nas quais você cria ou altera cabeçalhos e rodapés. Clique na ferramenta Inserir AutoTexto.

Figura 25: Visão geral do Word da Microsoft Cabeçalho e rodapé

Clique no AutoTexto Página para ser inserido no documento. Clique na ferramenta


Fechar da barra de ferramentas Cabeçalho e rodapé. Para alternar entre a área de
Cabeçalho/Rodapé e a área de texto, clique duplamente para onde deseja ir.

Trabalhando com figuras

O pacote Microsoft Office dispõe de uma variedade de figuras que podem ser inseridas
nos documentos criados. Essas figuras são chamadas de clipart`s. Clique no menu Inserir,
Figura, Clipart.
Apostila de Conhecimentos em Informática 34

Figura 26: Visão geral do Word da Microsoft Inserir Figura

A figura pode ser redimensionada em várias direções. Clique sobre a figura para que
apareçam os pontos de definição de tamanho nas bordas da figura. Posicione o ponteiro sobre
um desses pontos e arraste o mouse, para aumentar ou diminuir o tamanho da figura.
Pode-se ainda formatar a figura, por meio da barra de ferramentas Figura.

Formatando Fontes
Fontes são letras, números, símbolos, marcas de pontuação e espaços. Para mudar a
aparência dos caracteres é preciso selecionar o texto e aplicar um ou mais atributos ou
formatos de caracteres. A formatação pode ser feita utilizando-se diversos recursos existentes
na barra de ferramentas do Word.

Figura 27: Barra de ferramentas

Selecione o texto a ser formatado e utilize a barra de Formatação.


Apostila de Conhecimentos em Informática 35

Figura 28: Visão geral do Word da Microsoft Fontes


Selecione o texto a ser formatado.
Clique no menu Formatar, Fonte.

Uma das vantagens de formatar a fonte usando a caixa de diálogo é a possibilidade de


uma visualização prévia do efeito aplicado, possibilitando testes e não havendo necessidade de
confirmação. Somente quando se atinge o resultado esperado, confirma-se com OK.

Guia espaçamento de caracteres.


Esta guia permite alterar a dimensão dos caracteres e o espaçamento entre eles, assim
como a posição, elevado ou subscrito, do texto.
Guia Efeitos de texto.

Figura 29: Visão geral do Word da Microsoft Espaçamento


Apostila de Conhecimentos em Informática 36

Esta guia permite aplicar efeitos para animar e destacar o texto. Esses efeitos são
apresentados no vídeo, mas não são impressos.

Formatando Parágrafos

Um texto tem como principal unidade de referência o parágrafo. No Microsoft Word


XP, ele assume um caráter bem mais abrangente do que se costuma atribuir ao texto escrito de
outra forma. Será considerado parágrafo todo período finalizado por <Enter>, que poderá ser
uma linha de texto, um objeto de desenho, um símbolo qualquer etc. e, para identificar bem
esse item, O Microsoft Word XP atribui a sua identificação. Selecione o parágrafo a ser
formatado. A formatação de parágrafo poderá ser feita de forma mais detalhada, definida por medidas
exatas e ainda contar com uma visualização prévia de como ficará o texto após formatado, através do
comando:
Clique no menu Formatar, Parágrafo.

Figura 30: Visão geral do Word da Microsoft Parágrafos

Seção Geral - Defina as opções de parágrafo.


Seção Recuo - Define a posição do texto em relação às margens direita e esquerda.
Seção Espaçamento - Define a quantidade de espaço entre linhas e entre parágrafos.
Apostila de Conhecimentos em Informática 37

Clique no botão OK para aplicar as alterações.

Formatando Marcadores e Numeração

As ferramentas para marcadores e numeração são utilizadas quando se pretende digitar


algum tipo de listagem que exija números para identificar os itens ou marcadores para
destacar os parágrafos. Para criar uma lista numerada ou com marcadores, selecione o(s)
parágrafo(s) e clique sobre o menu Formatar, Marcadores e numeração.

Figura 31: Visão geral do Word da Microsoft Marcadores e Numeração

A guia com marcadores permitem a escolha de um novo marcador, diferente do


padrão. São apresentadas sete opções de marcadores, mas pode-se escolher outro marcado,
utilizando-se o botão Personalizar. A guia Numerada também oferece igual número de opções de
formatos para listas numeradas, que podem ser também personalizadas na opção Personalizar, o que
permitirá a escolha do estilo de numeração bem como formatos para a numeração.
Apostila de Conhecimentos em Informática 38

Figura 32: Visão geral do Word da Microsoft Marcadores e numeração

Clique no botão OK para aplicar as alterações.

Formatando Bordas e Sombreamento

O Microsoft Word XP possibilita a aplicação de bordas ou linhas nas extremidades dos


parágrafos ou, até mesmo, na página toda. É possível ainda mudar a cor de fundo, com ou sem
a aplicação da borda, efeito denominado sombreamento. Para atribuir bordas e/ou
sombreamentos, selecione os parágrafos e execute o seguinte comando:

Clique no menu Formatar, Bordas e sombreamento.

Figura 33: Visão geral do Word da Microsoft Bordas e sombreamento


Apostila de Conhecimentos em Informática 39

Na guia Bordas, escolha a definição, o estilo, a cor e a largura desejadas, fazendo o


acompanhamento pela visualização. Na guia Borda da página, encontram-se opções para a
aplicação em toda página, com opções semelhantes às das bordas de parágrafos. Escolha as opções de
bordas desenhadas, na lista Arte.

Figura 34: Visão geral do Word da Microsoft Borda da página

Na guia Sombreamento, encontra-se opções para o segundo plano ou cor de fundo do


parágrafo. Borda e/ou sombreamento terão comprimento sempre igual ao limite das margens
esquerda e direita. Dessa forma, para reduzir o tamanho da borda ou do sombreamento será
necessário aumentar o recuo dos parágrafos.

Figura 35: Visão geral do Word da Microsoft Seleção de cores da borda


Apostila de Conhecimentos em Informática 40

Clique no botão OK para aplicar as alterações.

Criação de Textos dispostos em Colunas

Até o momento, nossos textos têm sido criado no formato de colunas simples,
preenchendo a página de uma margem à outra. Mas podemos formatar nossos documentos, ou
apenas alguns parágrafos, em duas ou mais colunas, como no formato jornalístico. As colunas
poderão ter a mesma largura ou larguras diferenciadas, de acordo com a necessidade de cada
parágrafo ou documento. Em uma mesma página pode haver textos com diferentes números
de colunas. Para criar um texto colunado, a melhor opção é seguir o procedimento abaixo:
Selecione todo o texto a ser colunado (normalmente não selecionamos títulos
para que fiquem centralizados) e utilize o comando:
Clique no menu Formatar, Colunas.

Figura 36: Visão geral do Word da Microsoft Textos colunados

Seção Predefinidas - Clique em um desses formatos de colunas predefinidos comuns


ou insira as suas próprias configurações personalizadas.
Apostila de Conhecimentos em Informática 41

Seção Largura e espaçamento - Insira as medidas de largura e espaçamento para cada


coluna. Se a caixa de seleção Colunas de mesma largura for selecionada, as configurações
Largura e Espaçamento para a coluna 1 se aplicarão a todas as colunas.

Clique no botão OK para aplicar as alterações.


Os textos divididos em colunas somente serão visualizados da forma que sairão na
impressão nos modos Layout da Página ou Visualizar Impressão. Se o texto não assumir a
quantidade de colunas selecionadas, significa que não é grande o suficiente para preencher
todas as colunas e talvez necessite de uma inserção de quebra para forçar o final de coluna.
Veja como proceder:

Posicione o cursor onde deseja inserir a quebra de coluna.


Pressione <Ctrl>+<Shift>+<Enter>.

A colocação de texto de comentário entre as colunas é feita com a inserção de uma


Caixa de Texto, que é envolvida por uma moldura que pode ser arrastada e posicionada em
qualquer parte do documento, fazendo com que o texto quebre à sua volta.

Clique no menu Inserir, Caixa de texto.

A seta do mouse assumirá o formato de uma cruz; clique e arraste até definir o
tamanho ideal para a caixa de texto; digite o texto desejado e arraste até o ponto ideal.

Figura 37: Visão geral do Word da Microsoft Caixa de texto

É possível formatar caixa de texto por meio da barra de ferramentas Desenho. Desta
forma, você poderá definir posições, disposições, tamanhos, retirada da linha em volta, entre
outras. Podem-se também definir bordas e sombreamentos.
Selecione uma orientação desejada.
Clique no botão OK para aplicar as alterações.
Apostila de Conhecimentos em Informática 42

Criando letras capituladas

Em alguns documentos, costuma-se aplicar à letra inicial de um capítulo ou página um


formato destacado. Esse efeito chama-se letra capitulada.
Para capitular letras, posicione o cursor ou selecione o parágrafo.
Clique no menu Formatar, Capitular.

Figura 38: Visão geral do Word da Microsoft Capitulação

Você poderá escolher a posição onde irá aparecer a letra capitulada (capitulada ou na
margem), bem como a sua fonte e o tamanho, OK.

Alterando as combinações de maiúsculas e minúsculas:

Selecione o texto a ser alterado.


Clique no menu Formatar, Maiúsculas e minúsculas.
Apostila de Conhecimentos em Informática 43

Figura 39: Visão geral do Word da Microsoft Letras Maiúsculas e minúsculas

Selecione uma opção.


Clique no botão OK para aplicar as alterações.
Apostila de Conhecimentos em Informática 44

4 Conceito de Internet e Intranet

4.1 Internet

4.1.1 Introdução

A Internet originou-se de uma única rede chamada ARPANET. Esta foi criada em
1969 pelo Departamento de Defesa Norte-Americano DoD (Departament of Defense) com o
objetivo de promover o desenvolvimento na área militar. Os EUA pretendiam descentralizar
os repositórios de informações de segurança nacional localizados em Washington para não
correrem riscos de destruição de informações, já que elas estavam centralizadas (reflexos da
guerra fria, na época entre USA e URSS).
A ARPANET permitia que pesquisadores de várias universidades e empresas ligadas à
defesa militar acessassem recursos computacionais, assim como trocassem informações
relativas ao desenvolvimento de projetos. Em vista dos benefícios alcançados na área de
pesquisa militar, observou-se que esta tecnologia poderia estender-se a uma ampla gama de
conhecimentos, atraindo assim a atenção de pesquisadores ligados a outras áreas. Várias
outras redes se conectaram com a ARPANET, promovendo o crescimento desta. Com esse
crescimento foram descobertos outros benefícios que poderiam ser alcançados. Desta forma, o
objetivo original passou a ser aos poucos substituído por metas mais abrangentes. Devido a
este crescimento, o departamento de defesa Norte-Americano formou uma rede própria,
chamada MILNET, separando-se da original ARPANET. Ambas então, passaram a ser
conhecidas como DARPA Internet, hoje Internet . Com sua expansão, a Internet passou a
conectar-se com várias outras redes em diversos países do mundo.

4.1.2 Importância da Internet


As motivações originais que deram origem a Internet foram à distribuição de recursos
computacionais e a comunicação interpessoal. Hoje se nota que a sua importância foi bastante
incrementada, visto que houve um grande avanço na tecnologia de comunicação de dados
além do melhor uso dos benefícios oferecidos pela rede. Este avanço tecnológico permite a
troca de material digital entre diversos modelos de computadores e em diversos modelos
Apostila de Conhecimentos em Informática 45

sistemas computacionais. Esta possibilidade ocorreu em razão de uma linguagem comum, que
é conhecida como protocolo.

4.1.3 Conceito de Protocolo


Para que os computadores conectados (como é o caso da Internet) possam trocar
informações é necessário que todos adotem as mesmas regras para o envio e o recebimento de
informações. Imagine a situação de duas pessoas tentarem comunicar-se por meio de um
idioma desconhecido para ambos, mas se eles falarem em uma língua comum como o inglês,
ocorrerá então a comunicação, ou seja, um conjunto de regras de comunicação em comum, na
comunidade de informática este conjunto de regras é conhecido como Protocolo de
comunicação . Assim, podemos afirmar que: "Para que os computadores de uma rede possam
trocar informações entre si é necessário que todos estejam utilizando o mesmo protocolo". No
protocolo de comunicação estão definidas todas as regras necessárias para que o computador
de destino entenda" as informações no formato que foram enviadas pelo computador de
origem. Dois computadores com protocolos diferentes instalados, não serão capazes de
estabelecer uma comunicação e trocar informações. O inglês da Internet é conhecido como
TCP/IP. O protocolo utilizado na Internet é o TCP/IP (Transport Control Protocol / Internet
Protocol), onde os computadores comunicam-se entre si, enviando pacotes (pedacinhos) de
informações uns para os outros.

Além da conexão física entre os computadores, faz-se necessário o uso de uma certa
linguagem comum (procedimentos) para a troca de informações entre eles. A este conjunto de
procedimentos, denominamos Protocolo de Comunicação. Estes protocolos definem os
padrões e formalidades para uma perfeita comunicação na rede de computadores .

O TCP/IP é um protocolo aberto, isto é não-proprietário, com isso, torna-se barato a


sua utilização, pois desobriga o pagamento de royalties, o que poderíamos fazer um paralelo a
telefonia, todos se comunicam por meio dela, mas ninguém é proprietário de sua
funcionalidade.
Apostila de Conhecimentos em Informática 46

O computador que não conseguir falar o protocolo TCP/IP não consegue se


comunicar através da Internet .

4.1.4 Estrutura do TCP/IP


Quando computadores trocam informações ou arquivos por meio da Internet, é
utilizado o conceito de pacotes de informações. Quando enviamos um e-mail (que pode conter
arquivos anexados), ele é dividido em pequenas partes e encaminhado pela Internet com um
conjunto de informações. Neste conjunto de informações estão o endereço de origem e
destinatário do pacote a ser enviado, além do que deve possuir uma garantia de que a
informação consiga chegar ao seu destino. Neste momento percebe-se a existência de uma
estrutura tecnológica para a efetivação deste movimento. Esta estrutura é apresentada abaixo:

Figura 40: Estrutura de um pacote TCP/IP

O pacote TCP/IP é dividido em Camadas , vamos nos preocupar aqui com a camada
de Inter-Rede (Internet) e Transporte, que tem como objetivo de entregar o pacote de dados
enviado.
A camada de Inter-Rede (Internet) necessita da existência de um endereço de destino e
um endereço de origem, identificados por um endereço eletrônico que no mundo da Internet
é conhecido por endereço IP . Imaginem em uma correspondência comum, vamos supor que
você queira enviar anotações das aulas de conhecimentos de informática para um amigo, mas
só pode fazer isto conforme ocorrerem às aulas, você pega a anotação do dia, coloca-a em um
envelope de correspondência, anota no envelope o remetente e o destinatário e o envia pelo
correio, o qual através destes dados do destinatário o correio entrega o envelope (veja que o
CEP que é um número de identificação da base de nosso correio nacional). Podemos então
Apostila de Conhecimentos em Informática 47

tomar a conclusão que o remetente (endereço IP de origem) e o destinatário (endereço IP de


destino) também devem ser únicos o que permite-nos que o envelope siga uma rota correta,
Ou seja, quem entrega o envelope (pacote IP) são computadores chamados roteadores2 (que
estabelecem a rota correta), roteadores serão discutidos mais adiante. Mas é importante
memorizar que:

Dados e informações quando enviados por meio da Internet são divididos em pacotes
obedecendo à estrutura IP, e estes pacotes possuem um endereço IP de origem e destino, que
estão presentes em cada pacote enviado ou recebido .

Todo computador que troca informações pela Internet obrigatoriamente deve possuir
um endereço IP, isto se faz necessário pela especificação do protocolo TCP/IP. É importante
memorizar que:

Computadores pertencentes a grande rede da Internet só conseguem comunicar-se por


meio do protocolo TCP/IP ao possuírem um endereço IP .

Quando se navega na Internet por meio de um Browser3, normalmente digitamos o


endereço de um site e não fazemos referência nenhuma a endereços IP´s, como por exemplo o
próprio site do CPC cujo endereço na Internet é www.cpc.adv.br. Veremos que este endereço
do CPC é convertido para endereço IP (200.147.140.100) o que é transparente para o usuário.
Este tema será discutido no tópico DNS.

A importância da camada de transporte consiste que na Internet, quando enviamos


dados ou informações, os mesmos são divididos em Pacotes IP , o caminho a ser seguido
para a entrega do pacote pela Internet, pode ser diferente de pacote a pacote, o que cada

2
Roteadores Também são descritos com a palavra ROUTER ou ROUTERS em inglês.
3
Browser Programa utilizado para navegar na Internet, entre os mais conhecidos estão o Internet Explorer da
Microsoft e o NetScape Navigator e o Mosila.
Apostila de Conhecimentos em Informática 48

caminho pode ser mais rápido que outro, portanto os pacotes podem chegar em ordem
diferente da ordem de origem. A camada de transporte fornece a cada pacote transmitido, um
número de seqüência, de forma a não se perder a ordem dos pacotes a serem juntados quando
são recebidos pelo computador de destino. O endereço possui uma característica estrutural,
esta estrutura é formada por um conjunto de quatro números, este números podem variar de 0
a 255.

Observe a figura a seguir:

Figura 41: Estrutura de um endereço IP

Na figura 2, os identificadores X,Y,Z,K seriam então números que formam o endereço


IP. A limitação de 256 números (devemos contar o zero) esta correlacionada a base binária do
computador. Computadores são arquitetados por circuitos eletrônicos que podem estar ligados
ou desligados. Circuitos são representados pelos números 0 (zero) e 1 (um), ou seja, dois
símbolos, decorrendo disto a designação da palavra dígito binário mais comumente conhecido
como BIT (acrônimo da palavra em inglês Binary digIT). Computadores representam os dados
em conjuntos de 8 (oito) bit´s, no caso, uma combinação de um conjunto, como a base é
binária calcula-se 28 combinações diferentes, o que nos dá o número 256, este conjunto de 8
bit´s são conhecidos como Byte, ou seja o endereço IP é composto de 4 Bytes, 4 números que
variam de 0 a 255.

Endereço IP é composto por um conjunto de 4 números (4 Bytes) , cada número


pode variar em seu conteúdo de 0 a 255, ou seja 4 números que podem ter 256 números
diferentes.

Quando o computador envia um pacote pela Internet, o pacote deve ser entregue a
computadores que terão a função entregar os pacotes. O primeiro computador que realiza o
Apostila de Conhecimentos em Informática 49

movimento desta entrega é conhecido como GateWay, este computador também possui um
endereço IP (Lembre-se no protococo TCP-IP todos computadores deve ter um endereço IP),
este endereço deve ser configurado no computador que quer trocar informações pela Internet.
Para quem possui o Windows instalado em seu computador, é apresentado no apêndice A um
roteiro para que seja visualizado o endereço IP do mesmo e o endereço do GateWay onde será
entregue o pacote. Em sua casa quando você esta acessando a Internet (que pode ser via linha
discada ou Internet rápida) o GatWay esta presente em seu provedor de Internet. Veja a figura
a seguir, o Gatway está, vamos dizer do outro lado da linha do telefone .

Figura 42 - Possível localização de um GateWay em uma conexão com um


provedor de Internet.

Observe que o microcomputador conectado com o provedor de Internet entrega


os pacotes Ip´s ao Gateway e este encaminha aos computadores que irão estabelecer a
rota de entrega por meio da Internet. Esta rota é estabelecida pelos equipamentos ou
computadores chamado roteadores.

Rotear é mover informações (pacotes IP s) por meio de uma rede (Internet)


desde a origem até o destino, por ao menos 1 nodo intermediário. Há duas atividades
que são básicas a um roteador. São elas:
A determinação das melhores rotas;
Apostila de Conhecimentos em Informática 50

Transportar os pacotes ao seu destino.

Determinar a melhor rota é definir por qual caminho uma determinada mensagem deve
ser enviada para chegar ao seu destino de forma segura e eficiente. Transportar os pacotes pela
rede é uma função relativamente simples realizada pelos roteadores. Consiste em verificar o
endereço de rede para quem o pacote deverá ser entregue, e encaminhar a mensagem para
outros roteadores (este encaminhamento dependerá do endereço IP). Memorize o seguinte:

Roteadores são máquinas que controlam o fluxo de informações na rede e


funcionam como "diretores de trânsito". O roteador lê o endereço de destino de um pacote e o
direciona ao lugar correto .
Para facilitar o conceito imagine a situação a seguir. Quando você sai de São Paulo
para Brasília, e há dois caminhos, qual é o caminho melhor? Se levarmos a consideração da
distância seria a rota 1.

Figura 43: Simulação de uma rota convencional

Mas se você for mais sensato poderia responder que depende. Depende do que?
Observe a seguir algumas considerações:

Tráfego - Qual dos dois caminhos tem um tráfego menor?


Estado de conservação - Qual dos dois caminhos tem menos buracos?
Apostila de Conhecimentos em Informática 51

No conjunto, buracos, tráfegos e outros elementos podem preferir o caminho mais


longo, assim trabalha o roteador, através de análise do link de comunicação, tentará escolher
sempre o caminho mais rápido e disponível.
As estradas por onde o pacote trafega e que são utilizadas pelos roteadores são
chamadas de Backbones, que podem ser consideradas as espinhas dorsais da lnternet, possuem
uma infra-estrutura de alta velocidade que interliga várias redes. Os backbones garantem o
fluxo da informação entre os provedores e ligam todos os países entre si. A Embratel possui o
principal backbone brasileiro. Ligados aos backbones, podem estar os servidores, roteadores,
etc.

Figura 44: BackBone da Embratel

Outros países também possuem seu Backbone, a seguir estão dos Itália e Grã Bretanha.
Apostila de Conhecimentos em Informática 52

Figura 45: Backbone da Grã Bretanha e da Itália respectivamente

4.2 O Domain Name System (DNS)


Para entendermos de forma mais simplista, vamos fazer novamente uma analogia com
o telefone. Quando desejamos telefonar para uma loja comercial, consultamos o catálogo,
descobrimos o telefone do local e telefonamos. Você não consegue telefonar para lugar algum
se não souber o número do telefone. Na rede TCP/IP acontece a mesma coisa. Os usuários não
decoram o número IP das máquinas, mas sim, seus nomes. Mas para se alcançar uma máquina
na rede, precisamos do seu número de IP. Para resolver isso, foi criado o DNS (Domain Name
System), um serviço disponível na rede que, dado um nome de máquina, ele retorna o número
de IP da mesma.
O DNS é um sistema que resolve nomes de sites em endereços IP, o que permite a
localização de sites e a realização de comunicações pelo protocolo TCP/IP, por exemplo, o
endereço do site www.uol.com.br será transformado quando digitado em um browser no
endereço Ip 200.221.2.45. O sistema foi testado pela primeira vez no dia 23 de junho de 1983
por Paul Mockapetris e Jon Postel, dois cientistas do Instituto de Serviços da Informação da
Universidade do Sul da Califórnia. Obviamente, o sistema DNS evoluiu e hoje armazena
informações adicionais sobre os domínios, tais como regras para entrega de mensagens de e-
mail, parâmetros de atualização entre os diversos servidores etc.
Apostila de Conhecimentos em Informática 53

Podemos definir um domínio como sendo um nome associado a uma instituição ou


entidade ao qual estão associados um ou mais registros referentes aos computadores de uma
instituição, como é o caso do CPC (www.cpc.adv.br), do Universo On-Line ou simplesmente
UOL (www.uol.com.br), Universidade de São Paulo (www.usp.br), entre outros. O registro de
nomes de domínio é organizado de forma diferente para cada país, tendo sido criadas algumas
categorias de domínios globais, os quais podem ser registrados por pessoas de qualquer lugar
do mundo. No Brasil, os nomes de domínios terminam pelo texto ".br" e são registrados e
administrados pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) por
delegação do comitê gestor da Internet brasileira. Para obter informações detalhadas sobre o
registro de domínios brasileiros, visite O site http://registro.br.

Um domínio é uma área administrativa, englobando ele próprio, e os subdomínios


abaixo dele. Por exemplo, o domínio .br engloba todos os subdomínios do Brasil. O domínio
uol.com.br tem a responsabilidade por todos os domínios abaixo dele, como por exemplo
uol.com.br/vídeos, uol.com.br/mails, etc. A seguir é apresentado alguns exemplos de domínios
e seu significado:

Nome do
Significado
Domínio
com Organizações comerciais

edu Instituições educacionais

gov Instituições governamentais

mil Agências militares

net Organizações da rede

org Organizações não comerciais

int Organizações internacionais

Identificador de 2 letras para domínios de países


código de países
específicos (Padrão ISO)
Tabela 4 : DNS - Alguns domínios da Internet
Apostila de Conhecimentos em Informática 54

Além destes, temos as siglas dos países, tais como br (Brasil), fr (França) e ar
(Argentina). A seguir é apresentada uma representação gráfica da hierarquia sumarizada dos
domínios presente na Internet. Esta disposição gráfica é conhecida como árvore invertida, pois
lembra uma árvore de cabeça para baixo:

Figura 46 : Exemplificação de domínios na Internet

Normalmente,o serviço de DNS fica no primeiro computador que tem a função de


encaminhar os pacotes IP´s. O primeiro computador é o GateWay (isto não é uma regra, o
DNS pode ficar em outros computadores da Internet). A dinâmica deste serviço é apresentada
a seguir:

Usuário quer visitar o site do www.cpc.adv.br


O Browser encaminha esta solicitação ao serviço DNS presente em algum
computador da Internet ou no Gateway
O DNS resolve o endereço e identifica o endereço IP do site, neste caso é
identificado o endereço IP 200.147.140.100
Baseado no número IP é acessado o site.
Pode parecer que é realizado um trabalho muito grande somente para obter-se um
endereço IP, mas o processo como um todo é rápido (quem navega na Web sabe bem disso), e
Apostila de Conhecimentos em Informática 55

este processo possibilita que milhares de organizações integrem suas redes a um custo
aceitável e com grande autonomia.

Por meio da Internet são oferecidos diversos tipos de programas, entre eles estão:
Telnet
File Transfer Protocol (FTP)
NewsGroup
Chat
Estes programas serão discutidos mais adiante.

4.3 Intranet

À medida que a Internet começou a cada dia tornar-se mais popular, com o
conseqüente aumento exponencial do número de usuários, o protocolo TCP/IP passou a
tornar-se um padrão de fato, utilizando não só na Internet, como também nas redes internas
das empresas, redes estas que começavam a ser conectadas à Internet. Como as redes internas
precisavam conectar-se à Internet, tinham que usar o mesmo protocolo da Internet surgiu,
então, o conceito da Intranet. Portanto podemos definir Intranet como:

Aplicação e utilização das tecnologias usadas na Internet dentro da rede de


computadores de uma empresa, mesmo que a empresa não esteja ligada a Internet.
Oferecendo a empresa, tecnologias para a divulgação de informações, troca de mensagens
pessoais, grupos de discussão e suporte para a criação de aplicações transacionais .

Para possibilitar a oferta destes recursos da rede de computadores da empresa é


necessário estarem presentes computadores que controlem a tecnologia existente na Internet,
usada pela rede interna da empresa. Estes computadores são conhecidos como servidores ,
que são utilizados para agrupar funções de alta responsabilidade, servindo como depósito de
informações e protegido do acesso não autorizado dos usuários da empresa. As empresas
procuram limitar o compartilhamento de recursos entre os usuários. Em um primeiro
Apostila de Conhecimentos em Informática 56

momento, as empresas partem do princípio que todos seus funcionários são bons e honestos e
que, nunca danificariam os arquivos compartilhados de seu colega de trabalho e não
consideravam, também, a existência de vírus de computador (que infectam toda a
rede),perante isto achavam que não fosse necessário nenhum controle sobre os atos dos
usuários. A principal vantagem de um servidor Intranet é a possibilidade de dividir a rede em
vários grupos de trabalho, e que podem ser gerenciados com relação a suas funções e
responsabilidades. É comum reservar áreas privativas na Intranet e isto somente é possível
com recursos de segurança onde, se o usuário não digitar corretamente sua senha, não terá
acesso aos recursos disponíveis para ele. Dentre os serviços executados pelos servidores estão:

Autenticação do usuário.
Áreas privativas e comunitárias.
Agrupamento de arquivos e aplicativos.
Controle dos usuários.
Gráficos de ocupação de recursos.
Estatísticas diversas.

Para que estes serviços sejam oferecidos, existe a necessidade de que os servidores
estejam dispostos em uma estrutura física. A figura a seguir sugere uma configuração de
servidores e computadores de uma Intranet.

Figura 47: Configuração possível de uma Intranet


Apostila de Conhecimentos em Informática 57

A figura acima é sugestiva, e existem diversas configurações possíveis. Mas são


abordados elementos suficientes para a explicitação da funcionalidade de uma Intranet.

NoteBook e Microcomputador: São computadores dos usuários ou funcionários


presentes nos departamentos das empresas ou computadores que podem conectar-se a rede
interna da empresa.

Servidor de Dados: Tem como objetivo de oferecer dados aos usuários de uma
Intranet, que pode ser no formato de um site ou simplesmente apresentar dados por
programas específicos (vendas, faturamento etc.).

Hub/Switch: São equipamentos que têm a responsabilidade de centralizar as ligações


dos computadores da empresa, estes equipamentos definem a velocidade da comunicação
interna da rede de computadores de uma empresa. Vale a pena salientar que Switch é no
mínimo 10 vezes mais rápido que um Hub.

FireWall: Pode ser um computador ou equipamento que tem a função de prevenção


em relação à invasão de uma empresa, com objetivos danosos aos sistemas
computacionais da empresa. A invasão é realizada por pessoas conhecidas como Hacker´s
ou por programas do tipo Vírus . Este tema será discutido no tópico segurança.

GateWay: Tem a responsabilidade de encaminhar os pacotes IP´s aos roteadores, que


irão entregar da forma mais rápida através da Internet.
Apostila de Conhecimentos em Informática 58

5 Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e


procedimentos associados a Internet/intranet

Com o avanço da Internet, surgiram diversos programas e aplicativos para serem


utilizados no ambiente da Internet (como os browsers). Estes aplicativos também
proporcionaram novos conceitos na área computacional. Vamos discutir estes programas e
conceitos a seguir.

5.1 Browser´s (navegadores da Internet)


Os Browsers são programas utilizados para decodificar a informação na World Wide Web,
apresentando normalmente uma interface gráfica intuitiva. São programas que permitem
navegar na Web e simultaneamente contêm capacidades multimídia, como por exemplo, a
de visualizar textos e gráficos ou mesmo vídeos. Permitem também saltar entre documentos
e sites da Web. Graças a sua evolução, vários tipos de aplicações, permitem acessar recursos
de servidores independentemente da sua localização.
O Mosaic foi o pioneiro a ser utilizado em grande escala, após surgiu o Netscape, que
produziu o primeiro browser comercial , o Navigator. Este browser também era distribuído
gratuitamente aos usuários finais.
A Microsoft entendeu este sucesso como uma potencial ameaça. O Navigator não era uma
simples ferramenta para navegar na Web. Desde cedo, com o anúncio da inclusão de suporte
para o Java, uma linguagem de programação com características especiais, e a sua
disponibilidade para diversos sistemas operacionais, onde o browser da Netscape posicionou-
se como uma plataforma para executar todo o tipo de aplicações, num quadro em que o
Windows poderia, eventualmente, ainda que num futuro longínquo, vir a ser irrelevante. A
Microsoft usou toda a sua enorme capacidade de desenvolvimento para criar um browser
diferente e melhor. A estratégia levou em 3 anos para ser concretizada, a Netscape deixou de
ser uma empresa independente, e o IE (Internet Explorer) o browser da Microsoft passou a
ser o produto mais utilizado para navegar na Internet.
Apostila de Conhecimentos em Informática 59

Figura 48: Telas dos browser´s Mosaic, Internet Explorer e NetScacpe


respectivamente.
Mas existem outros browsers, com características interessantes como o Opera, que possui
uma maior velocida em processar e mostrar conteúdos da internet; e o NeoPlanet, que
funciona sobre o Internet Explorer, melhorando algumas das suas características,
principalmente sua aparência. Hoje em dia, tanto o Navigator como o Explorer são colocados
à disposição com um conjunto de um pacotes de programas integrados que incluem
funcionalidades para além da navegação, dentre dos programas que incluem este pacote
destacam-se:
O E-mail (eletronic mail) ou simplesmente e-mail
O Newsgroups ou grupo de notícias
O NewsGroups ou Grupos de discussões,
entre outros.

5.1.2 E-mail
O e-mail é um tipo de correio disponível pela Internet no qual utiliza-se uma caixa postal
eletrônica, simbolizada por um endereço do tipo seunome@nomedoseuprovedor.com.br. Esta
caixa postal eletrônica tem o mesmo conceito da caixa postal tradicional: sabendo do endereço
da sua caixa postal, qualquer pessoa poderá enviar uma mensagem eletrônica para você. Todas
as mensagens enviadas para você ficam armazenadas nos servidores de e-mail do seu
provedor até a hora em que você acesse a Internet (você precisa estar conectado a Internet
para receber seus e-mails) e execute o comando para recebê-las, baixando-as para o seu
microcomputador pessoal.
A aplicação básica do e-mail é a comunicação entre duas ou mais pessoas. Esta
comunicação pode ser de caráter pessoal (entre familiares e amigos) e de caráter profissional
Apostila de Conhecimentos em Informática 60

(entre funcionários da mesma empresa, parceiros de empresas distintas, clientes e


fornecedores ou prestadores de serviços, profissionais e imprensa etc). A utilização do e-mail
possui algumas vantagens tais como:

É ágil: toma segundos ou minutos para chegar até à caixa postal do


destinatário, em qualquer parte do mundo;
É gratuita: você não paga por e-mail enviado ou recebido, mas apenas uma
mensalidade ao seu provedor pelo acesso a Internet;
É escrito: facilita o acompanhamento de solicitações;
Permite o envio de mensagens para muitas pessoas ao mesmo tempo;
Permite respostas a e-mails recebidos;
Permite encaminhamentos de e-mails recebidos a terceiros;
Permite o envio de arquivos de dados anexados: imagine que beleza poder
receber um arquivo integral em seu formato original para trabalho ou consulta.
Do ponto de vista de quem recebe e-mails, ele é também muito cômodo, já que
as mensagens são recebidas na caixa postal particular do destinatário e lá ficam a
espera que ele(a) as acesse.
Os comandos de controle da sua caixa postal eletrônica são dados através de
programas de Software. Um dos programas mais conhecidos de e-mail é o Outlook
Express da Microsoft:

Figura 49: Outlook Express da Microsoft

A tela do e-mail é dividida em cinco áreas:


Área de Comandos
Apostila de Conhecimentos em Informática 61

Área de Pastas
Área da Agenda
Lista dos E-mails Recebidos
Textos dos E-mails Recebidos
Abaixo estão descritos cada área e seus comandos.

5.2.1 Área de Comandos


Nesta área estão os comandos principais dos programas de e-mail. Observe que um
mesmo comando pode ser acionado clicando na linha do topo (onde aparece Arquivar, Editar,
Ver, Ferramentas, Mensagem e Ajuda) ou no ícone dos comandos mais utilizados
Enviar/Receber, Novo, Responder, Responder a Todos, Encaminhar, Imprimir, Move Mover
Para e Apagar. Os botões dos ícones são uma forma inteligente dos programas de e-mail para
agilizar o seu dia-a-dia usando o programa. Tudo é muito auto-explicativo, mas é bom vermos
em detalhe os principais comandos a serem utilizados no uso de sua caixa postal eletrônica:

Enviar/Receber é o botão que deve ser clicado tanto na hora em que você deseja enviar o
mail que você acabou de escrever como na hora em que você deseja receber e-mails que
foram endereçados para você. Não esqueça que você deverá estar conectado a Internet para
que este comando seja obedecido;
Criar Mail é o botão que deve ser clicado quando se deseja escrever um novo mail. Ao clicar
neste botão, uma pequena janela aparecerá mostrando vários campos:

Figura 50: Envio de uma mensagem através do Outlook Express da Microsoft


Apostila de Conhecimentos em Informática 62

No campo Para: você vai escrever o endereço da caixa postal do destinatário principal. Você
também poderá enviar o mesmo mail para mais de um destinatário principal - para isso basta
separar o endereço de cada destinatário com uma vírgula e um espaço em branco.
No campo Cc: você vai escrever o e-mail das pessoas para as quais você quer mandar uma
cópia da mensagem. No campo Subject: você vai escrever o título da sua mensagem. E no
campo branco em aberto você vai escrever o texto da sua mensagem.
Depois de finalizada a digitação do texto da mensagem, basta clicar no botão Enviar
para enviar o e-mail. Um botão importante na janela de e-mails é o botão do Anexar. Com
este botão, você poderá enviar arquivos de qualquer tipo (documentos, planilhas, gráficos,
fotos) anexados às suas mensagens. Clicando neste botão, o programa perguntará ao usuário
onde está o arquivo a ser atachado. Localize-o no seu disco rígido (ou em um disquete) e
clique novamente em "Anexar".

Responder é o botão que deve ser clicado na hora em que você recebe uma mensagem e quer
respondê-la unicamente ao remetente da mensagem.
Responder a Todos é o botão que deve ser clicado na hora em que você recebe uma
mensagem e quer respondê-la ao remetente e a todos aqueles que porventura tenha recebido
uma cópia da mensagem (e que aparecem no campo Cc:).
Encaminhar é o botão que deve ser clicado na hora em que você recebe uma mensagem e
quer encaminhá-la para alguém que não a recebeu anteriormente.
Imprimir é o botão que deve ser clicado quando você quer imprimir um email recebido.
Mover Para é o botão que deve ser clicado quando você quer armazenar o arquivo em uma
pasta de mensagens eletrônicas. Você pode criar quantas pastas quiser para administrar mais
facilmente o seu e-mail.
Apagar é o botão que deve ser clicado quando você quer apagar/excluir o mail recebido.
5.2.1.1 Área das Pastas
Nesta área estão as pastas de e-mails ou mensagens eletrônicas. Há pastas que já vêm
criadas com o programa de e-mail:

Caixa de Entrada: pasta onde são colocados todos os novos e-mails que você recebeu. Se
você não mover os e-mails recebidos para pastas específicas (nós recomendamos, já que
facilitam a administração das suas correspondências), eles permanecerão na caixa de entrada.
Caixa de Saída: pasta onde ficarão os e-mails que você redigiu e quer enviar quando você
está escrevendo sem estar conectado a Internet - muitas pessoas fazem isso: escrevem todos
os e-mails que desejam enviar (especialmente os longos) sem estarem conectados à Internet,
Apostila de Conhecimentos em Informática 63

para reduzir o custo da conta telefônica. Assim que você se conectar a Internet, os e-mails que
estão no Outbox são automaticamente enviados.
Itens Enviados: pasta onde ficam armazenados todos os e-mails que você enviou.
Itens Deletados ou excluídos: pasta para onde são transferidas as mensagens que você
porventura deletar/excluir.
Rascunhos: pasta onde são armazenadas mensagens salvas durante sua redação para posterior
conclusão.
Mas você pode criar novas pastas facilmente. Basta clicar em:
Arquivo,
Novo,
Pasta.
Escolha um nome representativo para cada nova pasta criada, de acordo
com o teor das mensagens que nela ficarão armazenadas
5.2.1.2 Área da Agenda
Esta é uma área existente no Outlook Express, programa de e-mail que vem com o
browser Internet Explorer, embora o Netscape também tenha a mesma facilidade sob o nome
Address Book. A Agenda dos programas de e-mail pode armazenar nome, cargo, empresa, e-
mail, telefone e outros dados pessoais de seus contatos. A principal vantagem de usar a
Agenda é facilitar e agilizar a seleção de destinatários para o seu e-mail. Para selecionar um
destinatário, basta digitar o nickname/apelido do destinatário cadastrado na Agenda para que o
programa localize o endereço do e-mail do destinatário.

5.2.1.3 Lista dos E-mail´s Recebidos:


Nesta área aparecem as identificações dos e-mails armazenados na pasta
ativa/selecionada, incluindo remetente, assunto e data/hora de recebimento de cada e-mail.
Mudando a pasta (para isso, basta clicar em cima do nome da pasta), mudam os tópicos dos e-
mails que aparecem nesta área. Novos e-mails sempre aparecem na pasta Caixa de Entrada.

5.2.1.4 Textos dos E-mail´s Recebidos


Se na área da Lista dos E-mails recebidos aparecem as identificações dos e-mails da
pasta selecionada, na área de Textos dos E-mails Recebidos aparece o texto completo de cada
e-mail selecionado que compuser a pasta ativa. Para ler o texto de um e-mail, basta clicar em
cima do remetente, assunto e data/hora de recebimento do e-mail desejado (que deve estar
sendo mostrado na área de Lista dos E-mails Recebidos).
Apostila de Conhecimentos em Informática 64

5.3 O File Transfer Protocol (FTP)


O FTP (File Transfer Protocol) coloca à disposição arquivos de uso público através de cópia
diretamente dos servidores para o do usuário. O FTP é um protocolo usado para a
transferência de arquivos em uma rede TCP/IP. É com ele que realizamos downloads de
arquivos de vários servidores na Internet, e também com ele que mandamos, por exemplo, as
nossas páginas para um servidor que está na Internet (procedimento conhecido como upload).
O FTP tem dois componentes distintos: o servidor FTP e o cliente FTP. O cliente FTP é quem
conecta ao servidor FTP e faz as requisições, por meio de comandos, para serem processados
pelo servidor FTP. Existem vários programas no mercado que fazem as duas funções. O seu
browser de Internet (Internet Explorer, Netscape Navigator, etc.) é um cliente FTP limitado
(só recebe arquivos, ou seja, realiza "downloads"). Se a sua máquina não tiver um programa
de servidor FTP, não é possível ninguém receber ou enviar arquivos do seu computador
utilizando FTP.

Figura 51 : Realizando FTP pelo Windows através de um Download


5.4 O Telnet
O Telnet usado para o usuário comunicar-se com outra máquina conectada a Rede
Internet e acessá-la possui interface do tipo caracter, e é utilizado também para digitar
comandos em computadores que não trabalham com interface gráfica. Telnet é o serviço mais
comum para acessar serviços de informação. Dependendo do tipo de recurso acessado, uma
senha pode ser requerida.
Apostila de Conhecimentos em Informática 65

Figura 52: de janelas usando Telnet

5.5 O Chat
O Chat, ou bate-papo, permite conversas on-line entre pessoas que encontram-se em diversos
locais do mundo simultaneamente.
A palavra "Chat"; significa bate-papo, conversar, fofocar em inglês. Um chat, em
jargão internauta, significa um lugar virtual onde diversas pessoas podem se encontrar e
conversar (teclando) sobre os mais variados temas. A conversa acontece praticamente em
tempo real, ou seja: alguém digita uma mensagem e a envia por meio do computador. Em uma
seqüência imediata outra pessoa recebe a mensagem do outro lado podendo ler e responder a
mensagem , dentro da mesma continuidade. Na Internet, este tipo de contato pode ser feito de
várias maneiras, sendo que as três principais são o Webchat (como o chat do UOL ou Terra) ,
o ICQ (www.icq.com) e o IRC (Internet Relay Chat), sendo este último aquele sobre o qual
nos deteremos. O IRC (Internet Relay Chat) é um chat mais avançado, com mais opções, mais
rápido e mais utilizado do que o WebChat. Para a utilização do IRC, o usuário precisará de um
programa específico (o mais usado chama-se mIRC) ou pode também acessar pela web sem a
necessidade de nenhuma instalação, por meio do que chamamos de WebIRC. Há no Brasil e
em Portugal várias redes de IRC, tendo nelas dezenas de milhares de salas de chat (canais).
Grande parte das redes de IRC são criadas e sustentadas pelos próprios usuários, na maior
parte das vezes sem qualquer retorno financeiro.
Apostila de Conhecimentos em Informática 66

Figura 53: Usuários utilizando o ICQ

5.6 O News Group


O News Group ou grupo de notícias são fóruns de debates onde várias pessoas podem
trocar idéias sobre um determinado assunto de interesse geral. As listas de discussão ou
conferências eletrônicas, como também são conhecidas, são comumente usadas como meio de
comunicação entre membros de um projeto ou entre pessoas interessadas em discutir temas
específicos, podendo ser abertas ou fechadas quanto à participação de novos membros.
Quando abertas, a inscrição de um novo membro na lista é feita através de um pedido de
subscrição enviado pelo interessado. Como por exemplo, vários advogados podem se associar
em um newgroup sobre o assunto Direito Civil, Direito de Família, Adoção e promover a
discussão deste assunto.

Figura 54: NewsGroup do NetScape Navigator


Apostila de Conhecimentos em Informática 67

6 Firewall

Ligar-se à Internet sem um firewall é como deixar as chaves no carro com o motor
ligado e as portas abertas enquanto corre para a loja para comprar alguma coisa. Embora até
seja possível que consiga entrar e sair sem alguém notar, poderá facilmente acontecer que
alguém se aproveite da situação. Na Internet, os hackers utilizam código maligno, tais como
os vírus, worms e trojans (veja o tópico Vírus a seguir), para procurar essas portas abertas, ou
seja, um computador sem proteção. Um firewall pode ajudar a proteger o seu computador
desses e de outros ataques. Observe a figura abaixo, a estrutura proposta situa o firewall entre
a estrutura do computador do usuário e o mundo da Internet, no caso o Gateway que entrega o
pacote Ip para ser entregue aos roteadores da Internet.

Figura 55: Localização de um FireWall em uma rede de computadores


O que pode fazer então um hacker? Isso depende da natureza do ataque. Enquanto
alguns ataques se limitam a pregar partidas praticamente inofensivas, outros são criados com
intuitos extremamente malignos. Estes ataques graves podem ter por objetivo eliminar
informações no seu computador, fazê-lo parar de funcionar ou mesmo extraviar dados
pessoais, tais como palavras-passe ou números de cartão de crédito, conta-corrente, etc.
Conseguir entrar em computadores vulneráveis é um dos grandes passatempos de muitos
hackers. Felizmente, pode reduzir o risco de ser infectado ao utilizar um firewall.
As variações do tipo de hackers são muitas, algumas delas são os crackers . Alguns
classificam de crackers, aqueles que tem por objetivo invadir sistemas em rede ou
computadores apenas pelo desafio. Contudo, historicamente, o nome cracker tem uma
Apostila de Conhecimentos em Informática 68

relação com a modificação de código, para obter funcionalidades que não existem, ou de certa
forma, limitadas. Um exemplo clássico são os diversos grupos existentes na Internet que tem
por finalidade criar patches ou mesmo cracks que modificam programas comerciais (sem
precisar comprá-los), permitindo seu uso irrestrito, sem limitação alguma.
Um firewall examina as informações recebidas e enviadas pela Internet pelos pacotes
IP´s. O firewall identifica e ignora informações provenientes de um local perigoso ou que
pareça ser suspeito. Se configurar o seu firewall corretamente, os hackers que procuram
computadores vulneráveis não conseguirão detectar o seu computador. Existem FireWall s
gratuitos e outros que podem ser adquiridos no mercado. O Firewall de Ligação à Internet
(Internet Connection Firewall, ICF) está incorporado no Windows XP e não existe como
produto individual, nem está disponível para versões do Windows que não sejam XP ou outros
sistemas operacionais de outros fabricantes(por ex., Apple Macintosh ou Linux). É
apresentado a seguir prós e contras do FireWall da Microsoft:

ICF: Prós ICF: Contras


É um componente de Software incorporado no Windows Não pode utilizá-lo com múltiplos
XP computadores
Não é necessário instalar o Software Apenas está disponível para o Windows XP

Instalar um firewall é apenas o primeiro passo para assegurar uma navegação mais
segura na Internet. Pode continuar a aumentar a segurança do seu computador ao manter o seu
Software atualizado e ter uma subscrição atualizada para o seu Software antivírus.
Apostila de Conhecimentos em Informática 69

7 Vírus de Computador
Um vírus é um trecho de código de programa que se anexa a um programa ou arquivo
para propagar-se de computador em computador, infectando, neste processo, as suas vítimas.
Os vírus podem danificar o seu Software, o seu Hardware e os seus arquivos. Memorize a
definição de vírus:

Código criado com o intuito expresso de se replicar. Um vírus tenta propagar-


se de computador em computador ao anexar-se a um programa anfitrião. Um vírus pode
danificar Hardware, Software, ou informações .
Tal como a gravidade dos vírus dos seres humanos varia desde o Ebola a uma gripe de
24 horas, os vírus informáticos variam desde uma pequena inconveniência funcional a um
elevado grau de destruição. Felizmente, um vírus verdadeiro não se propaga sem intervenção
humana, tais como compartilhar um arquivo ou enviar uma mensagem de e-mail.

Figura 56: Computador sofrendo efeitos do Vírus


Os Vírus possuem também suas variantes, entre eles estão o Worm e o Trojan.
Um worm, tal com um vírus foi desenvolvido para copiar-se a si próprio, de
computador em computador. Um worm faz isso automaticamente a apoderar-se de
funcionalidades no computador capazes de enviar arquivos ou informações. Um worm que
esteja no seu sistema consegue propagar-se sem intervenção do usuário. Um dos grandes
perigos dos worms é a sua capacidade de se replicarem em grandes volumes. Por exemplo, um
worm pode enviar cópias de si próprio para todas as pessoas que estejam na sua pasta de
endereços de e-mail, e os computadores dessas pessoas farão o mesmo, causando um efeito de
avalanche, resultando em congestionamentos nas redes das empresas e em toda a Internet.
Memorize o conceito de Worm:
Apostila de Conhecimentos em Informática 70

Worm , subclasse de vírus. Um worm propaga-se geralmente sem intervenção


do usuário e distribui cópias completas (eventualmente modificadas) de si próprio pelas
redes. Um worm pode consumir memória ou largura de banda nas redes, fazendo com que um
computador possa deixar de funcionar.

Como os worms não precisam propagar-se através de um programa ou Arquivo


anfitrião , pode também se infiltrar no sistema do usuário e permitir que outra pessoa possa
assumir o controle do seu computador à distância. Por exemplo, o recente worm MyDoom
tinha como objetivo abrir a "porta" nos sistemas infectados e utilizar esses sistemas para atacar
Web sites.

O Trojan (cavalo de Tróia) da mitologia aparentava ser um presente de guera (se


lembra do filme Tróia?), mas na realidade continha no seu interior soldados gregos que se
apoderaram da cidade de Tróia. Do mesmo modo, os trojan horses (cavalos troianos)
modernos são programas de computador que aparentam ser Software útil, mas na realidade
comprometem a segurança do usuário e causam muitos danos. Um trojan assumi a forma de
programas mas na verdade, trata-se de um vírus que tem por função desativar determinados
programas antivírus e de firewall. Memorize o que é Trojan:

Trojan. Subclasse de vírus que se propaga na forma de um programa de


computador que aparenta ser útil, mas na verdade causa danos .

Os trojans propagam-se quando as pessoas abrem inadvertidamente um programa


imaginando que é proveniente de uma fonte confiável. Para proteger melhor os usuários, a
Microsoft envia muitas vezes boletins de segurança por e-mail, mas esses boletins nunca
contêm arquivos anexos, se contiver cuidado, pode ser um Trojan. A Microsoft publica
também todos os seus alertas de segurança na página de Boletins de Segurança4 da empresa
antes de os enviar para os seus clientes.

4
Visite o site: http://www.microsoft.com.br
Apostila de Conhecimentos em Informática 71

Os trojans podem também estar incluídos em Software disponível para download


gratuito. Nunca faça download de um Software de uma fonte que não considere confiável.
Obtenha as atualizações e correções da Microsoft sempre no Microsoft Windows Update5 ou
no Microsoft Office Update 6.

Como propagam-se os worms e os outros vírus?


Os vírus e alguns worms só propagam-se quando o usuário abre ou executa um
programa infectado.
Muitos dos vírus propagam-se basicamente por meio de arquivos anexos, ou seja,
arquivos que são enviados juntamente com uma mensagem de e-mail. Normalmente, pode
saber-se se uma mensagem inclui um arquivo anexado através do símbolo de um pequeno
clipe que representa o arquivo anexo e que inclui o seu nome. As fotografias, cartas redigidas
em Microsoft Word e mesmo as folhas de cálculo do Excel são alguns dos tipos de Arquivos
que poderão ser recebidos por e-mail todos os dias. O vírus é ativado no momento em que
você abrir o Arquivo em anexo (normalmente com um duplo clique no ícone do Arquivo
anexo).

Nunca abra nada que esteja anexado a uma mensagem de e-mail a não ser que
esteja à espera desse arquivo anexado o qual você conheça o por que recebeu este Arquivo .

Recebendo uma mensagem com um arquivo anexado de alguém que não conheça,
elimine-a imediatamente. Infelizmente, não é seguro abrir arquivos anexos recebidos de
pessoas que conheça. Os vírus e worms conseguem acessar dados dos programas de e-mail e
enviar-se a si próprios para todas as pessoas contidas na sua pasta de endereços. Como tal, se
receber uma mensagem de alguém com uma mensagem que não compreenda ou um arquivo
que não esperava, contate a pessoa e confirme o conteúdo do arquivo anexo antes de o abrir.
Outros vírus podem propagar-se pelos programas que conseguir através da Internet ou
através de discos de computador infectados que um amigo lhe tenha emprestado ou mesmo
comprado numa loja. Estas são formas menos comuns de contrair um vírus. A maior parte das

5
Visite a página da Microsoft: http://windowsupdate.microsoft.com/
6
http://office.microsoft.com/home/default.aspx
Apostila de Conhecimentos em Informática 72

pessoas infecta o seu computador com um vírus ao abrir e executar arquivos anexados em
mensagens desconhecidas.

Como posso saber se tenho um worm ou outro vírus?


Quando você abre e executa um programa infectado, poderá não notar que contraiu um
vírus. O seu computador pode tornar-se mais lento, parar de reagir ou desligar-se e reiniciar
constantemente. Por vezes, um vírus ataca os arquivos que são necessários para iniciar o
computador. Neste caso, ao carregar no botão de ligar o computador, poderá acontecer de
visualizar apenas um disco (winchester) vazio.
Todos estes sintomas são sinais típicos de um computador infectado, embora possam
também ser provocados por problemas de Hardware ou Software não relacionados com vírus.
Tenha cuidado com mensagens, alguns vírus conseguem falsificar endereços de e-mail,
uma capacidade referida como "spoofing".
Se você não possuir um Software antivírus instalado e atualizado no seu computador,
não existe qualquer forma viável de saber se tem um vírus ou não. Nada pode garantir a
segurança do seu computador cem por cento. No entanto, pode continuar a aumentar a
segurança de seu computador ao manter o seu Software atualizado e ter uma assinatura
atualizada para Software antivírus.

1º passo: Verifique se existe Software antivírus no seu computador


A maior parte dos computadores incluem Software antivírus instalado. Siga estes
passos para determinar se já possui o Software de que necessita para evitar vírus.

Clique em Iniciar e, em seguida, clique em Programas.


Procure a palavra "antivírus" Poderá também encontrar o nome de um
fabricante de antivírus conhecido, tais como McAfee, Norton ou Symantec.

2º passo: Mantenha o seu programa antivírus atualizado


Certamente não se espera que uma vacina contra a gripe que você tomou há três anos
impeçam que contraia o vírus deste ano. Da mesma maneira antivírus só funcionam
Apostila de Conhecimentos em Informática 73

corretamente se você o atualizar regularmente. Os programas antivírus verifica o computador


do usuário com os vírus conhecidos. Quando atualizar o seu Software, você receberá
informações sobre todos os vírus mais recentes. Como os criadores de vírus inventam
constantemente novas formas de infectar o seu computador, obtenha mensalmente ou até
semanalmente, as definições de todos os novos vírus.
Eis duas formas de saber quando atualizou o seu programa antivírus pela última vez:

Clique no ícone do Software antivírus no lado inferior direito do seu micro, junto ao
relógio. Deverá aparecer a data em que atualizou o seu Software pela última vez.
Abra o Software antivírus ao clicar em Iniciar, depois em Programas e, em seguida, no
o seu Software antivírus. Procure informações sobre o estado de atualização.

Se tiver passado mais de um mês desde que atualizou o seu Software, deve fazê-lo o
mais rápido possível para aumentar a sua segurança. Normalmente, você poderá obter as
definições de vírus atualizadas (atualizações do Software antivírus) com uma simples visita ao
Web site da empresa que criou o seu Software.
Não se esqueça de que comprar e registrar o Software antivírus para receber
atualizações. Se o seu registro vencer, não se esqueça de renovar ou, se preferir, pode
aproveitar a oportunidade para experimentar um programa antivírus diferente.

Muitas empresas de produtos antivírus oferecem um serviço de atualização


automática que atualiza o seu Software antivírus sempre que entrar na Internet .

3º passo: Escolha o Software antivírus apropriado


Se não tiver Software antivírus no seu sistema, ou se quiser instalar um programa
diferente, pondere dois fatores importantes antes de tomar uma decisão:
Atualizações automáticas: É fundamental obter as atualizações mais recentes.
Muitas empresas oferecem uma opção automatizada para os seus produtos.
A reputação do fabricante: Ao procurar na Internet com alguma paciência,
encontrará um programa antivírus totalmente gratuito, mas, cuidado para não
ser mais uma cobaia de laboratório. Outros fabricantes de Software antivírus
Apostila de Conhecimentos em Informática 74

oferecem uma versão de avaliação gratuita do seu Software para poder


experimentá-lo antes de comprar.

Dois programas antivírus não são melhores do que um. Se você já tiver Software
antivírus, e quiser experimentar outro, deverá desinstalar o programa antigo antes de instalar
o novo. Executar ao mesmo tempo mais do que um programa antivírus pode resultar em
conflitos de execução .
Apostila de Conhecimentos em Informática 75

8 Backup

Há diversas maneiras pelas quais você pode perder informação em um computador.


Uma descarga ou queda de tensão elétrica, relâmpagos, inundações, roubo, ou ele
simplesmente quebra. Realizar backup s regularmente é a maneira mais segura de guardar as
suas informações. Leia a seguir algumas orientações pra a segurança dos seus dados.
Decidir quais arquivos devem ser copiados é uma opção pessoal. Por isso, comece com
documentos pessoais. Qualquer coisa que você não possa repor facilmente deve estar no topo
da sua lista. Rascunhos de um testamento, registros bancários (e outras informações
financeiras), cartas, memorandos e projetos pessoais, todos são candidatos para backup s
regulares.
Você só está limitado pela disponibilidade de espaço para Backup s.

Programe a realização de Backup s


Há momentos em que lhe é sugerido que faça backup s dos seus arquivos, por
exemplo, quando instala ou atualiza um Software (faz upgrade ou update). Mas você também
deve fazer backup s de forma regular e freqüente (se possível de tudo). Para ter-se uma idéia
dessa necessidade de freqüência, pense como se sentiria se perdesse tudo o que fez no
computador hoje, ou todo o seu trabalho da última semana, ou do último mês. Se algum destes
pensamentos lhe deu um ligeiro pânico, então isso é uma pista com que freqüência você deve
fazer backup s.
Há muitas maneiras de guardar a sua informação. Os métodos abaixo envolvem
armazenamento externo.Armazenamento externo pode ser feito em um Hardware periférico
ou até mesmo através de um serviço de E-mail com arquivos anexados. Quando escolher o
tipo de armazenamento externo, pondere os custos e as vantagens, baseado na quantidade de
informação que é necessária salvar.
Escolha um Software de Backup que ofereça a opção de execução automática
programada, desta forma você não fica dependente da ter boa memória, e você nem sequer
precisa estar presente, pois isso pode ser realizado automaticamente em um momento em que
não use o computador, digamos de madrugada.
Apostila de Conhecimentos em Informática 76

Backup s realizado em seu próprio computador (se tiver espaço) não é uma boa opção,
mas é melhor do que nada, mas de preferência utilize um sistema de armazenamento externo.
Aqui estão algumas opções:
Tipo de Prós Contras
Armazenamento
Discos externos de alta capacidade: Inclui Software de cópia(s) de Você terá que investir no Hardware e
Drive Zip (até 750 MB) segurança em alguns casos, nos discos também.

Disco rígido (HDD drive) (até Variedade de opções para


250 GB) armazenamento
Compact Disk Regravável (CD Muitos computadores novos já Pode ser complicado conseguir colocar
RW) vêm com CD-RW exatamente a quantidade certa de

Discos CD-RW podem conter até informações em um disco;


700 MB
Dvd Regravável - Dvd-Rw Armazena gigabytes de informação Você pode precisar comprar um
driver. O driver pode não trazer
Software de cópia(s) de segurança,
você deverá adquiri-lo à parte.

Cópia(s) de segurança e A sua informação sai Custos você pode ter de


armazenamento on-line, tal como automaticamente de casa ou do pagar uma taxa mensal para fazer
iStorage7 ou E-mail escritório o bakup e/ou o armazenamento da
Inclui Software de informação
descarregamento(download) e Se a empresa for atacada por
cópia(s) de segurança hackers, a sua informação pode
ser roubada
Se a empresa de serviço on-
line fechar ou falir, você perde o
seu recurso para cópia(s) de
segurança

Tabela 5: tipos de armazenamento


Como posso ter certeza que os meus arquivos cópia(s) de segurança estão bem
guardados?

7
Visite a página na internet http://www.iomega.com/istorage/
Apostila de Conhecimentos em Informática 77

Faça mais do que uma cópia, no mínimo 3 (três). Desta forma, é menos provável que
você perca as suas cópias de seguranças por causa de erro de gravação. Mantenha as cópia(s)
de segurança em dois locais distintos, assim se ocorrer um acidente numa área você ainda tem
os backup s. De tempos a tempos faça uma limpeza de seus dados, apague arquivos antigos ou
compacte informações para que ocupem menos espaço. Você pode obter Software gratuito de
compressão como o Winzip.

Escolha um método de Backup


Se tudo correr bem, talvez você nunca precise dos Backup s de seus arquivos. Mas
caso haja uma emergência, você ficará feliz por ter investido tempo fazendo cópia(s) de
segurança da suas informações mais preciosas. Use este conhecimento para começar a fazer
backup s da sua informação e desenvolva a rotina de cópia(s) de segurança que seja melhor
para você.
Apostila de Conhecimentos em Informática 78

9 Conceitos de organização e gerenciamento de arquivos, pastas e programas


Você terá sempre a necessidade de visualizar pastas e os arquivos armazenados em seu
computador. Para entender como os arquivos ficam dispostos em seu computador utilizaremos
como exemplo o Windows Explorer da Microsoft, pelo fato deste ambiente ter sido explorado
nas provas anteriores de Delegado Federal.
A estrutura das informações está organizada em arquivos, que estes estão inseridos em
diretórios (pastas) e estes contidos em uma unidade de armazenamento. Veja a figura a seguir:

Figura 57: Windows Explorer Pastas, arquivos e programas


No Windows siga os seguintes passos para operar este ambiente:

Clique no ícone Meu Computador na área de trabalho do Windows


A janela Meu computador mostra o conteúdo de seu computador.

Figura 58: Meu computador

Clique duas vezes em (C:), na janela Meu computador para visualizar o


conteúdo de seu disco rígido.
Apostila de Conhecimentos em Informática 79

Clique duas vezes na pasta Meus documentos para abrí-la e visualizar todos os
arquivos ou pastas que ela possa conter.

Crie uma nova pasta clicando no menu Arquivo na janela Meus documentos,
apontando para Novo e clicando em Pasta.
Sua pasta recém-criada, chamada Nova pasta, agora está na janela Meus documentos.
Utilizando o (botão direito) do mouse, clique no ícone Nova pasta e em Renomear no menu de
atalho. Digite Pasta de exemplo para substituir o nome padrão da pasta, Nova pasta, e
pressione ENTER.
Você pode também criar um novo arquivo enquanto estiver em 'Meu computador'.
Para criar um novo arquivo, clique no menu Arquivo da janela Meus documentos, aponte para
Novo e, em seguida, clique em documento do WordPad.

Clique com o botão direito do mouse no ícone

Novo documento do WordPad e em

Renomear.

Digite Arquivo de exemplo para substituir o nome padrão do


documento e pressione ENTER.
Agora você criou um novo arquivo e uma nova pasta.
Agora que você aprendeu a criar arquivos e pastas, aprenderá a organizar seu trabalho
colocando os arquivos em pastas. Clique e mantenha pressionado o botão esquerdo do mouse
sobre o ícone Arquivo de exemplo, mova o ponteiro para o ícone Pasta de exemplo e solte o
botão do mouse. Esse procedimento é chamado arrastar. Seu arquivo agora está dentro de sua
pasta.

Clique duas vezes no ícone Pasta de exemplo para visualizar o Arquivo


de exemplo.

Para fechar a janela Pasta de exemplo, clique no botão Fechar da barra


de título.
Agora você sabe como utilizar o Windows para gerenciar seus arquivos e pastas.
Localizar
Se você não conseguir lembrar onde gravou um documento, o Windows torna fácil
localizar um arquivo ou uma pasta.
Para localizar um arquivo ou uma pasta, proceda da seguinte maneira.
Apostila de Conhecimentos em Informática 80

Clique no botão Iniciar movimente o cursor do mouse até Localizar.


Clique em Arquivos ou pastas.

Figura 59: Localizar um arquivo


A caixa de diálogo Localizar abrir-se-á. No espaço reservado ao nome do arquivo
digite o nome do arquivo a ser localizado. Se não lembrar o nome do arquivo digite *. e a
extensão do arquivo (Exemplo: *.doc).
Clique na seta para baixo em Examinar e selecione o diretório (C:), para
localizar o arquivo no diretório C:, ou escolha as unidades a: ou D:.
Clique no botão Localizar agora para procurar o arquivo.
Ao digitar apenas a extensão do arquivo será apresentado, na parte debaixo da janela
Localizar , todos arquivos encontrados com a extensão digitada.

Figura 60: Localizar arquivo


Apostila de Conhecimentos em Informática 81

10 APENDICE A.

Roteiro do Windows (versão 2000 professional):


Clicar em Iniciar;
Configurações;
Conexões Dial-Up e de Rede;
Conexões de Rede Local.

Figura 61: Configuração do TCP/IP da rede local


Clique como botão direito do mouse em cima de Conexões de Rede Local
Propriedades.
Selecione protocolo Internet (TCP/IP) e clique em:
Propriedades.
Apostila de Conhecimentos em Informática 82

Figura 62: Configuração do endereço IP, GateWay e DNS através do Windows


Observe que, no Endereço Ip , estão presentes os 4 números que representam o
endereço IP de seu computador. Em alguns computadores o endereço IP é fornecido
automaticamente pelo GateWay, quando isto ocorrer, a opção Obter um endereço Ip
automaticamente será selecionada.
Apostila de Conhecimentos em Informática 83

Só para relaxar...

Não levem a sério, um bom exame a todos...


WINDOWS 7
Área de trabalho do Windows 7, logo após a instalação.

Logo após instalar o Windows 7, após a primeira inicialização, a nova Área de trabalho está
completamente limpa. Observe que não temos as tradicionais opções Computador (que até o
Windows XP chamava-se Meu computador), Locais de Rede (que até o Windows XP chamava-
se Meus locais de rede), Internet Explorer e assim por diante, que tínhamos nas versões
anteriores.

Observe que tudo o que temos na Área de trabalho, logo após a instalação é o botão Iniciar, o
ícone para a Lixeira, Barra de tarefas.
Outro detalhe é em relação a barra de Inicialização Rápida, que fica ao lado do menu Iniciar e
tem atalhos para o Internet Explorer, para a opção Bibliotecas (que é outra novidade do
Windows 7 e um atalho para o Windows Media Player. Observe que os ícones são bem
maiores do que nas versões anteriores.

O Menu Iniciar não sofreu grandes modificações em relação ao Windows Vista, versão
imediatamente anterior. . Uma opção que foi acrescentada foi no menu de contexto, quando
você clica com o botão direito do mouse em uma opção do Menu Iniciar, a opção: Fixar na
Barra de Tarefas. Esta opção permite que você crie um atalho permanente na Barra de
Tarefas, para um programa que você usa com muita frequência.

OBS: No Windows 7, a exemplo do que já foi feito no Windows Vista, foi retirado o pronome
Meu de vários atalhos. Por exemplo, ao invés de Meu Computador ficou apenas Computador,
ao invés de Meus Documentos, apenas Documentos e assim por diante. Estas opções ficam
na coluna da direita, quando você abre o Menu Iniciar. Podemos, facilmente, fazer com que o
ícone para uma destas opções seja adicionado à Área de trabalho. Por exemplo, para adicionar
um atalho para o Computador, na Área de trabalho, dê um clique com o botão direito do mouse
na opção Computador. No menu que surge dê um clique na opção "Mostrar na área de
trabalho" e pronto, lá está o atalho para o Computador de volta na Área de trabalho, como nos
bons e velhos tempos. Na coluna da direita também temos acesso ao Painel de controle e as
conexões, de rede ou via Modem, através da opção Rede.

Dica para Usuários do Windows 2000: O tradiconal menu Programas nas versões até o
Windows 2000 era acessado através da opção Iniciar -> Programas, no Windows XP, Windows
Vista e também no Windows 7 é acessado através da opção Iniciar -> Todos os programas.

O menu Iniciar modificado.

Outro detalhe interessante foi que o Painel de Controle junto em uma única tela todas as
opções de configuração dos periféricos de hardware e configurações do Windows. Desta
forma, o usuário não precisa pesquisar em diferentes janelas para fazer configurações de
Hardware e de Software, está tudo reunido em uma única janela, conforme indicado na Figura
abaixo.
O novo Painel de Controle

Falar sobre as novidades da interface do Windows 7 e não falar dos novos recursos da Área de
Trabalho é simplesmente impossível. Existem novas funcionalidades do recurso Aero, tais
como o Aero Peek, o qual é bastante útil. Eis as seguintes novidades da Área de Trabalho do
Windows 7:
Snap
Shake
Aero Peek
Gadgets
Plano de fundo da área de trabalho

Estes novos recursos na área de trabalho do Windows 7 facilitam, e muito, a organização e o


gerenciamento de várias janelas, quando você trabalha com vários programas abertos ao
mesmo tempo. Com estes novos recursos, conforme veremos a seguir, você pode alternar
facilmente entre janelas abertas de modo que possa se concentrar nos programas e arquivos
importantes.

Snap:
O Snap permite ao usuário organizar e redimensionar janelas na área de trabalho com um
único movimento do mouse. Usando Snap, você pode alinhar rapidamente as janelas no lado
da área de trabalho, expandi-las verticalmente para ocupar toda a altura da tela ou maximizá-
las para que preencham a área de trabalho completamente. O recurso Snap pode ser
especialmente útil nas seguintes situações:
Ao comparar dois documentos.
Para copiar ou mover arquivos entre duas janelas.
Maximizar a janela em que você está trabalhando no momento ou expandindo documentos
longos para facilitar sua leitura e exigir menos rolagem.

Apenas para ilustrar como funciona o Snap. Por exemplo, se você arrastar uma janela para o
lado esquerdo da tela, até que apareça uma sombra transparente por sobre a janela e largar, a
janela será automaticamente redimensionada, para ocupar a metade da tela.
Ao arrastar a janela de volta para o meio da tela, automaticamente, o Windows 7 redimensiona
a tabela para o seu tamanho anterior. Ao arrastar a janela para a parte superior da tela, o
Snap, automaticamente, maximiza a janela.

No começo você pode até estranhar um pouco este recurso. Mas garanto para você, que
depois de se acostumar a utilizá-lo, você não irá mais abandoná-lo, pois é um recurso bastante
útil e que poupa tempo.

Em resumo: Para usar Snap, arraste a barra de título de uma janela aberta para o lado da área
de trabalho para alinhá-la ali ou arraste-a para a parte superior da área de trabalho para
maximizar a janela. Para expandir uma janela verticalmente usando Snap, arraste a
extremidade superior da janela para a parte superior da área de trabalho.

Shake:
Usando Shake, você pode minimizar, rapidamente, todas as janelas abertas na área de
trabalho menos a janela com a qual deseja trabalhar. Para isso, basta clicar na barra de título
da janela que você deseja manter aberta, manter o mouse pressionado e sacudir (mover o
mouse para lá e para cá, rapidamente). Com isso, rapidamente, todas as demais janelas serão
minimizadas, exceto a que você está chacoalhando.
Para restaurar as janelas minimizadas, sacuda a janela aberta novamente. O Shake é uma
novidade bem interessante e útil.

Aero Peek:
O recurso chamado Aero Peek, permite visualizar rapidamente a área de trabalho sem
minimizar todas as janelas ou visualizar uma janela aberta apontando para seu ícone na barra
de tarefas.

OBS: Um detalhe importante de se observar é que o botão Exibir Área de Trabalho, mudou de
lugar no Windows 7. Agora ele fica no canto inferior direito, depois da hora e data do sistema,
conforme destacado a seguir.

Usando o Aero Peek na área de trabalho:


Conforme visto na OBS acima, o botão Mostrar área de trabalho foi movido para a extremidade
direita da barra de tarefas, o que facilita para você clicar ou apontar para o botão sem abrir
acidentalmente o menu Iniciar (o que ocorria com frequência no Windows 2000, Windows XP e
Windows Vista).
Além de clicar no botão Mostrar área de trabalho para minimizar todas as janelas e exibir a
área de trabalho, você pode exibir temporariamente ou “espiar” a área de trabalho
simplesmente apontando o mouse para o botão Mostrar área de trabalho. Quando você aponta
para o botão Mostrar área de trabalho ao final da barra de tarefas (apenas apontar, sem clicar),
qualquer janela aberta esmaece da exibição (fica transparente), exibindo a área de trabalho.
Para fazer as janelas reaparecerem, afaste o mouse do botão Mostrar área de trabalho.

Exibindo rapidamente a área de trabalho usando o Aero Peek:


Isso pode ser útil para exibir rapidamente Gadgets (pequenos programas, com funções
diversas, que na versão anterior (Windows Vista) ficavam na Barra de Gadgets. No Windows 7
a Barra de Gadgets foi extinta e os Gadgets podem ser adicionados diretamente na Área de
Trabalho).

Gadgets:
A Barra Lateral do Windows (Barra de Gadgets) foi aposentada e não está mais disponível com
o Windows 7. Ao invés disso, você pode exibir gadgets em qualquer lugar da área de trabalho
e usar os recursos do Aero Peek (descrito no tópico anterior) para ver temporariamente
gadgets de área de trabalho sem minimizar nem fechar as janelas com as quais você está
trabalhando. Na Figura abaixo, da Ajuda do Windows 7, temos um exemplo onde Gadgets
foram adicionados diretamente à Área de Trabalho.
Gadgets adicionados diretamente na Área de Trabalho.

Plano de fundo da área de trabalho:


Com o Windows 7, você pode exibir uma apresentação de slides de imagens (várias imagens
sendo alternadas, passadas em sequência. Você pode até mesmo configurar o tempo entre a
troca de uma imagem e outra).
Alguns temas que já vem com o Windows 7 incluem uma apresentação de slides ou você pode
criar sua própria apresentação de slides com sua coleção pessoal de imagens.

Observações: Nem todos os novos recursos de área de trabalho, descritos neste tópico, estão
disponíveis em todas as edições do Windows 7. Por exemplo, Aero Peek, Shake e
apresentações de slides de plano de fundo não estão incluídas no Windows 7 Home Basic nem
no Windows 7 Starter.

Inicialização do sistema:
O Windows 7 inicializa mais rápido do que qualquer uma das versões anteriores. Ao instalar o
Windows 7 é criada, automaticamente, uma conta chamada Administrador. Por padrão a senha
desta conta está em branco. Durante a instalação podemos definir uma senha para a conta
Administrador e deve ser criada, pelo menos mais uma conta. A conta Administrador é oculta,
não sendo exibida na lista de usuários quando o Windows 7 é inicializado. Isso ocorre por que,
por padrão, a conta Administrador está desativada (por isso que é obrigatório criar, pelo
menos, mais uma conta, durante a instalação do Windows 7.

Diferente do Windows 95/98/Me o logon é obrigatório no Windows 7. Quando existir apenas


uma conta, além da conta Administrador e a senha desta conta estiver em branco, o processo
de logon é efetuado automaticamente, utilizando esta conta, após a inicialização do Sistema.
Caso tenhamos criado várias contas, o Windows 7 exibe uma lista de usuários para definirmos
com qual conta faremos o logon.

Novidades sobre Segurança:

Como não poderia deixar de ser, junto com a estabilidade e desempenho, a segurança foi a
principal preocupação da equipe que desenvolveu o Windows 7. Nesta área temos novidades
importantes, as quais tem como objetivo tornar o Windows 7 bem mais seguro e menos
suscetível a ataques do que as versões anteriores.
A principal novidade de segurança introduzida no Windows Vista é denominada “Controle de
Conta de Usuário”. Em Inglês o termo é User Account Control (UAC). O principal objetivo deste
novo recurso é impedir que sejam feitas alterações não autorizadas no computador (pois fazer
alterações não autorizadas ou sem o conhecimento do usuário, é o principal meio usado para
instalar vírus e spywares no computador). Sempre que for feita uma tentativa de instalar um
novo programa ou modificar uma configuração do Windows, para a qual são necessárias
permissões de Administrador, será exibida uma janela de informações e será solicitada
confirmação do usuário. Mesmo que você esteja logado com uma conta com permissão de
Administrador, se o recurso de Controle de Conta de Usuário estiver habilitado, será exibida
uma mensagem e solicitada uma confirmação. Isso evita que alterações sejam feitas ou que
programas sejam instalados de maneira oculta, sem conhecimento do usuário. Em algumas
situações este recurso pode até tornar-se um pouco inconveniente, devido ao grande número
de confirmações que é solicitado, mas, devemos reconhecer se tratar de um recurso muito bem
vindo e que deve ser mantido ativado, pois realmente é de grande ajuda para evitar problemas
de segurança.

Para determinadas situações, além do aviso pode ser que você seja solicitado a informar uma
conta com permissão de Administrador do computador. Por exemplo, se você está logado com
uma conta sem permissão de administrador e vai instalar um programa que precisa de
permissões de Administrador para ser instalado, será exibida uma janela, solicitando que você
informe as credenciais (conta e senha) de Administrador. Esta é mais uma forma de proteger o
seu computador, contra a instalação de vírus e spywares.
No Windows Vista houve muitas reclamações em relação a este recurso, principalmente devido
ao grande número de mensagens que este recurso exibia, interrompendo, a todo momento, o
trabalho do usuário. No Windows 7 este recurso foi remodelado, para tornar-se menos
intrusivo.

O Windows Defender é instalado, automaticamente, durante a instalação do Windows 7 e é


também atualizado, automaticamente, via Internet. O Windows Defender é o software da
Microsoft para compactar os spyware e malwares. Além do Windows Defender, é
recomendável o uso de um segundo programa anti-spyware.

No Windows XP, o Windows Defender não era instalado automaticamente. O usuário tinha que
baixar do site da Microsoft e fazer a instalação. No Windows Vista e no Windows 7, o Windows
Defender é instalado, automaticamente.

Temos também o Internet Explorer 8.0, o qual é instalado automaticamente durante a


instalação do Windows 7.

No Windows 7 não existe mais um cliente de email fornecido junto com o sistema, como era o
caso do Outlook Express até o Windows XP e do Windows Mail com o Windows Vista. No
Windows 7 você deve instalar o Windows Live. O Windows Live fornece vários aplicativos úteis,
dentre os quais o MSN e o Windows Live Mail, que é o substituto natural do Outlook Express.

Muitos dos recursos do Windows são implementados na forma de Serviços. Um serviço pode
ser configurado para ser inicializado, automaticamente, durante a inicialização do Windows.
Uma novidade introduzida no Windows Vista e que também faz parte do Windows 7, é que os
serviços são executados somente com os privilégios mínimos necessários para o seu
funcionamento, sem ter privilégios maiores do que os necessários. Isso evita que um problema
em um ou mais serviços, possa fazer com que o Windows 7 para de funcionar e o computador
tenha que ser reinicializado. Esta mudança também reduz as opções de ataque de hackers,
explorando falhas conhecidas em determinados serviços. Esta é uma medida importante, para
garantir maior segurança e estabilidade para o Windows 7.

Por fim, o recurso conhecido como Controles dos Pais, o qual permite que os pais apliquem
uma série de restrições, em relação aos usos que seus filhos podem fazer no Windows 7. Por
exemplo, com este recurso, os pais podem restringir quais jogos seus filhos poderão usar,
poderão fazer a limitação somente a determinados jogos, ou para jogos indicados até a faixa
de idade apropriada ou podem bloquear jogos com conteúdos específicos, tais como violência
e/ou sexo. Este recurso também teve melhorias importantes no Windows 7, em relação ao
Windows Vista.
Como administrador do computador, os pais podem definir limites de tempo para controlar
quando as crianças têm permissão para fazer logon no computador. Os limites de tempo
impedem que as crianças façam logon durante as horas especificadas. Pode-se definir horas
de logon diferentes para cada dia da semana. Se elas estiverem conectadas quando o tempo
alocado terminar, serão automaticamente desconectadas.

Os pais podem definir limites para o uso da Internet. Você pode restringir os sites que as
crianças podem visitar, verificar uma classificação etária, indicar se deseja permitir downloads
de arquivo e configurar o conteúdo que deseja que os filtros de conteúdo bloqueiem e
permitam. Também é possível bloquear ou permitir sites específicos.

Um outro recurso interessante é que, após configurar o recurso de Controle dos Pais, pode-se
configurar relatórios de atividades para guardar um registro da atividade de computação do seu
filho.Com estes relatórios, por exemplo, você pode verificar se ele está, repetidamente,
tentando abrir um programa proibido ou acessar sites proibidos.

Multimídia e Entretenimento

O suporte a recursos de multimídia foi bastante melhorado no Windows 7. Uma nova versão do
Windows Media Player – 11.0. O Windows Media Player desempenha funções de um vídeo
cassete, de um CD player, de um DVD Player (esta é uma novidade bem interessante, pois o
Windows Media Player, a partir da sua versão 11.0 é capaz de reproduzir DVDs, sem a
necessidade da instalação de Codecs adicionais) e de um rádio, combinadas em um único
programa. Pode-se assistir vídeos, escutar músicas nos mais variados formatos e, estando
conectado a Internet, escutar rádios do mundo inteiro. Por padrão o Windows armazena suas
músicas na pasta Músicas, que está dentro da pasta pessoal do usuário (por exemplo, para um
usuário chamado Antonio Cesar, a pasta fica em C:\Usuários\Antonio Cesar\Músicas) onde se
pode facilmente gerenciá-las. Existe um atalho, no menu Iniciar, diretamente para a pasta
Músicas.

A principal novidade do Windows Media Player 12.0 é que ele já vem com um número de
Codecs muito maior do que nas versões anteriores. Isso permite executar um número muito
maior de tipos de arquivos, diretamente no Windows Media Player 12.0, sem ter que baixar da
Internet e instalar pacotes de Codec. No Windows Vista, por exemplo, para executar um
arquivo .rmvb, era necessário baixar um pacote de Codecs e instalar. Já no Windows 7, com o
Windows Media Player 12.0, não é preciso baixar nenhum pacote de Codecs, para poder
assistir arquivos .rmvb. Este é somente um exemplo de tipo de arquivo. Existe suporte para
dezenas de tipos de arquivos de áudio e vídeo, diretamente no Windows Media Player 12.0,
sem necessidade e baixar novos codecs.

Windows Media Center: Com o Windows 7 Ultimate e Home Premium, está disponível o
Windows Media Center. Este recurso procura disponibilizar uma espécie de Painel de Controle
para os recursos multimídia, onde o usuário poderá (desde que tenha o hardware necessário
instalado) executar as seguintes tarefas:
Assistir TV pelo Computador
Gravar programas de TV
Executar vídeos e ver fotos
Ouvir música
Executar mídias digitais em qualquer parte da casa
Ouvir rádio
Executar um CD ou DVD
Gravar um CD ou DVD
Procurar, transmitir e baixar mídia digital de Mídia Online
Executar jogos

No Windows XP, o Media Center somente estava disponível com uma versão específica do
Windows XP: XP Media Center Edition. Já com o Windows Vista e com o Windows 7, ele está
disponível como um Painel de Controle dos recursos multimídia e de entretenimento, nas
edições Ultimate e Home Premium.
Navegação na Internet:

Com o Windows 7 é disponibilizado o Internet Explorer 8.0 e, como já citado anteriormente, não
é mais disponibilizado o cliente de Email Windows Mail. O Internet Explorer 8.0 também está
disponível para ser instalado no Windows Vista e no Windows Server 2003.

Gerenciamento do Sistema e Manutenção do Sistema em funcionamento:

Manter o sistema funcionando, sem problemas mas, principalmente, poder, facilmente,


recuperar o sistema ao seu estado normal, quando ocorrerem problemas, tem sido um ponto
importante e que vem sendo melhorado mais e mais a cada nova versão do Windows. O
Windows XP já trazia ferramentas bem interessantes para manter o sistema em funcionamento
e para recuperação a desastres. O Windows Vista avançou um pouco mais nesta direção e o
Windows 7 avança mais ainda pouco nesta direção.
A principal novidade do Windows 7.0 nesta área é a opção Central de Ações, indicada na
Figura abaixo:

A opção Central de Ações do Painel de Controle.

A Central de Ações lista mensagens importantes sobre configurações de segurança e


manutenção que precisam da atenção do Administrador do computador. Os itens em vermelho
na Central de Ações são rotulados como Importantes e indicam problemas graves, os quais
devem ser resolvidos logo, como um programa antivírus que precisa ser atualizado ou a não
existência de um programa anti-vírus. Os itens em amarelo são tarefas sugeridas, ou seja, é
recomendado que você execute estas tarefas, para garantir o bom funcionamento do Windows
e a segurança do sistema.

Além das mensagens, a Central de Ações oferece links para uma série de ferramentas úteis
para a manutenção e para a segurança do Windows 7. Além da Central de Ações, que é
novidade no Windows 7, duas ferramentas já existentes no Windows Vista, foram
consideravelmente melhoradas: O Monitor de Recursos e o Monitor de Desempenho.
Configurações de Rede:

O aplicativo Central de Rede e Compartilhamento, o qual é acessado através do Painel de


Controle, introduzido originalmente com o Windows Vista, foi bastante melhorado no Windows
7, dando acesso rápido a praticamente todas as configurações de rede do seu computador.

A Principal novidade é a opção Grupo doméstico, do painel de controle. A criação de um Grupo


doméstico, permite que dois ou mais computadores rodando o Windows 7, compartilhem
arquivos, bibliotecas de mídia e outros recursos. Você pode compartilhar imagens, músicas,
vídeos, documentos e impressoras com outras pessoas do seu grupo doméstico. O grupo
doméstico é protegido por senha, e você poderá sempre escolher o que vai compartilhar com o
grupo.

ATUALIZAÇÃO PARA O WINDOWS 7

ESTA VERSÃO SUPORTA UPGRADE PARA ESTA(S)


Versões anteriores ao Windows Não suporta Upgrade para o Windows 7, tem que
Vista (Windows 95 98 Me 2000 XP) ser feita uma nova instalação.
Windows Vista Home Basic Windows 7 Home Basic
Windows 7 Home Premium
Windows 7 Ultimate
Windows Vista Home Premium Windows 7 Home Premium
Windows 7 Ultimate
Windows Vista Business Windows 7 Professional
Windows 7 Enterprise
Windows 7 Ultimate
Windows Vista Ultimate Windows 7 Ultimate

Requisitos mínimos de hardware


Na tabela a seguir, são apresentadas as configurações mínimas de Hardware, recomendadas
pela própria Microsoft, para instalação do Windows 7 de 32 Bits. É importante salientar que
para o Windows 7 de 64 Bits, as exigências são bem diferentes. Para informações sobre o
Hardware mínimo necessário para a instalação do Windows 7 de 64 Bits, consulte o seguinte
endereço: http://windows.microsoft.com/en-us/windows7/products/system-requirements

Requisitos Mínimos de Hardware para o Windows 7 de 32 Bits.


Componente Valor mínimo sugerido
Processador 1 GHz ou superior
Memória RAM 1 GB de RAM para 32 Bits
2 GB de RAM para o Windows 7 de 64 Bits
Placa de Vídeo Suporte para DirectX 9.0 ou superior e Com
WDDM 1.0 ou superior
Espaço em Disco 16 GB para o Windows 7 de 32 Bits
20 GB para o Windows 7 de 64 Bits

Observações:
É recomendado ter um drive leitor de DVD instalado, para fazer a instalação a partir de uma
mídia de DVD. É o método mais simples e com menor probabilidade de erros.
Outro detalhe importante é em relação ao Windows 7 de 64 Bits. Antes de instalar o
Windows 7 de 64 Bits, deve-se certificar de ter drivers que contém uma assinatura digital
reconhecida e aceita pelo Windows 7, pois no Windows 7 de 64 Bits, não é possível instalar um
driver que não tenha uma assinatura digital válida e reconhecida pelo Windows. Já com a
versão de 32 Bits existe esta flexibilidade, ou seja, com o Windows 7 de 32 Bits, você poderá
instalar um driver, mesmo que ele não tenha uma assinatura digital ou que a sua assinatura
digital não seja reconhecida pelo Windows.
Sempre é uma boa ideia, desativar programas tais como o anti-vírus e o anti-spyware, antes
de fazer uma atualização do Windows Vista para o Windows 7. Estes programas podem causar
problemas e fazer com que a atualização seja cancelada, gerando mensagens de erro. O mais
indicado é desabilitar ou desinstalar estes programas, fazer a atualização para o Windows 7 e
depois, tendo sido feita a atualização com sucesso, habilitar ou reinstalar estes programas. O
mesmo é válido para programas utilizados para gerenciar partições e volumes nos HDs do
computador ou para programas de gravação de CDs/DVDs, tais como o Nero.

Antes de fazer uma atualização, faça um Backup completo de todos os arquivos de dados que
você tiver. Tome especial cuidado com pastas e arquivos criptografados. Para evitar surpresas
desagradáveis é recomendável descriptografar todas as pastas e arquivos que farão parte do
Backup, depois fazer um backup em DVD (preferencialmente fazer umas duas cópias e testar
se a cópia foi feita com sucesso). O Backup em DVD é fácil de restaurar. Tome cuidado com o
formato .bkf criado pelo utilitário de Backup do Windows XP, pois não é possível restaurar este
formato no Windows 7.

Instalando o Windows 7 em um computador novo - A partir do DVD de instalação

Utilizaremos um dos métodos de instalação mais simples, que consiste em inicializar o sistema
a partir do DVD. Hoje em dia praticamente todos os computadores tem a capacidade de
inicializar o sistema (ou, utilizando um termo popular na informática: “dar o boot”) a partir do
drive de CD/DVD, somente computadores mais antigos de seis ou sete anos atrás que não tem
a capacidade de inicializar pelo CD ou DVD e computadores tão antigos, com certeza, não
atenderão os requisitos mínimos de hardware para o Windows 7.

Dependendo da quantidade de memória e da velocidade do processador a instalação pode


demorar entre trinta e sessenta minutos. Em um computador com 2 GB de RAM (a partir de 1
GB MB já é possível utilizar o Windows 7, porém o desempenho deixa a desejar), com um
processador Pentium Dual - Core.

O procedimento para fazer a instalação das demais edições do Windows é idêntico, de tal
maneira que com os passos apresentados o leitor terá condição de fazer a instalação de
qualquer uma das edições do Windows 7.

Instalação do Windows 7 em um Computador Novo

Para instalar o Windows 7 Business ("Negócios") em um computador novo, siga os passos


indicados a seguir:
1. Ligue o computador, insira o DVD do Windows 7 no drive e desligue o computador.

2. Agora ligue novamente o computador, desta vez o DVD do Windows 7 já deve estar no
drive.

Nota: Em alguns computadores, a opção para inicializar pelo CD-ROM ou DVD-ROM não está
automaticamente habilitada. Nestes casos você precisa entrar no Setup do sistema e
configurar a opção para habilitar o boot pelo CD-ROM/DVD-ROM. Para entrar no Setup do
sistema, basta pressionar várias vezes a tecla Del, logo após ter ligado o computador. Para
orientações sobre a configuração do Setup, consulte o manual da placa mãe do seu
equipamento, pois a configuração do Setup é diferente para cada tipo/modelo de placa mãe.

3. Aguarde até que o sistema seja inicializado a partir do DVD. Em alguns computadores surge
uma mensagem pedindo para que seja pressionada qualquer tecla para fazer a inicialização a
partir do DVD. Fique atento a esta mensagem e quando solicitado, pressione qualquer tecla.

4. O Windows 7 começa a ser carregado a partir do DVD. Aqui temos uma novidade que foi
introduzida no Windows Vista e que também faz parte da instalação do Windows 7. Diferente
do que ocorria até o Windows XP, a instalação do Windows 7 já inicia diretamente em modo
gráfico. Não existe uma parte em modo texto e uma em modo gráfico, como era nas versões
anteriores do Windows.
5. Após pressionar uma tecla a inicialização é feita diretamente do DVD e é exibida a
mensagem Windows is loading files (O Windows está carregando arquivos). Após alguns
instantes, esta etapa é concluída e é exibida uma tela onde você deve selecionar o idioma a
ser instalado, as configurações de formato de hora e moeda e as configurações do teclado. Na
lista Idioma a instalar, selecione a opção Português, na lista Formato de hora e moeda
selecione a opção Português (Brasil) e, finalmente, na lista Teclado ou método de entrada,
selecione a opção Português (Brasil ABNT), conforme indicado na Figura abaixo.

Configurações de Idioma e Teclado.

6. Feitas as devidas seleções, clique no botão Avançar, para seguir para a próxima etapa da
instalação.

7. Será exibida uma janela informativa, onde está disponível a opção Instalar agora. Dê um
clique nesta opção, para continuar com a instalação do Windows 7. Será exibida a mensagem
"A Instalação está sendo iniciada... Aguarde".

Nota: Caso você esteja instalando o Windows 7 em um computador onde já existe uma versão
anterior do Windows instalada, nesta etapa será exibida também a opção Fazer Upgrade. A
opção Fazer Upgrade faz com que a versão anterior do Windows seja atualizada para o
Windows 7. Neste caso você também tem a opção de fazer uma nova instalação. Neste caso,
serão mantidas as duas versões do Windows e, na inicialização, será exibido um menu para
que você escolha qual versão do Windows carregar.

9. Será exibida uma tela com contrato de Licença de uso do Windows 7, com o qual você deve
concordar, para seguir com a instalação. Marque a opção Aceito os termos da licença e clique
no botão Avançar, para seguir para a próxima etapa da instalação.

10. Nesta etapa são exibidas duas opções:


Atualização: Esta opção mantém arquivos, configurações e programas e atualiza o
Windows. Certifique-se de fazer o Backup de seus arquivos antes de atualizar. Esta opção é
utilizada para fazer o upgrade de uma versão anterior do Windows, para a qual é possível o
Upgrade. Como nesse exemplo é uma nova instalação, esta opção não deve ser utilizada.
Personalizada (avançada): Esta opção permite a instalação uma cópia “limpa” do
Windows, permite selecionar onde você deseja instalar o Windows e também ofereço opções
para alterar configurações dos discos e partições. Esta opção não mantém arquivos,
configurações e programas existentes. No nosso exemplo vamos utilizar esta opção, pois
estamos fazendo uma instalação limpa do Windows, a partir do zero, sem ser um Upgrade.
Clique na opção Personalizada (avançado).

11. Será exibida a tela “Onde deseja instalar o Windows?”, para que você selecione em qual
HD e volume, deseja instalar o Windows.

Nesta etapa será exibida a lista dos volumes disponíveis no computador. Se você tiver, por
exemplo, um HD, dividido em C e D, serão exibidos os dois volumes, C e D. Se você tiver dois
HDS, o primeiro dividido em C e D, o segundo em E e F e mais um espaço não particionado,
será exibida uma lista com cinco itens, C, D, E, F e mais o espaço não particionado.

Nesta etapa, você pode marcar um dos volumes e clicar na opção Opções de unidade, para
excluir volumes, criar e formatar novos volumes. Neste exemplo, temos um único HD instalado
de 127 GB. Vamos criar um volume de 30 GB, deixando 97 GB de espaço não particionado,
para uso futuro. Para isso, clique na opção Disco 0, para selecioná-la (O primeiro disco
instalado no computador é o Disco 0, o segundo é o Disco 1 e assim por diante).

Para criar uma partição, dentro do Disco selecionado clique na opção Opções de unidade. Nas
opções que são exibidas dê um clique na opção Novo. Será exibido o campo tamanho para
que você defina o tamanho da partição a ser criada. Nesse exemplo, vamos digitar 30720, para
criar uma partição de 30 GB (30 * 1024 MB).

Após digitar o tamanho desejado para a partição, clique no botão Aplicar. Será exibida uma
mensagem informando que talvez para que o Windows funcione corretamente, poderão ser
criadas partições adicionais, para os arquivos do Sistema. Se for exibida esta mensagem clique
em OK e aguarde. Uma nova partição, de 30 GB será criada. Observe que na lista já são
exibidos três itens. O primeiro é chamado de Partição 1: Reservado pelo Sistema. O segundo é
a partição de 30 GB (Disco 0 Partição 2) e o terceiro item é o espaço restante no HD, ainda
não particionado (Disco 0 Espaço não alocado).

Agora temos que formatar a partição de 30 GB, onde será instalado o Windows 7. Clique no
Disco 0 Partição 2 com 30 GB de espaço, para selecioná-lo. Clique na opção Formatar e
aguarde. Em poucos instantes o volume é formatado e o assistente já vai para a próxima etapa
de instalação do Windows 7.

12. Surge a tela Instalando o Windows, a qual avisa sobre as etapas de instalação:
Copiando Arquivos do Windows
Expandindo arquivos do Windows
Instalando recursos
Instalando atualizações
Concluindo a instalação.

Esta etapa pode demorar alguns minutos (entre 20 a 35 minutos). Aguarde enquanto o
processo de instalação trabalha. Ao final surge uma mensagem informando que o computador
será reinicializado em 10 segundos. O computador é reinicializado e o processo de instalação
continua, estando agora quase concluído.

13. Finalizada esta etapa, o computador será novamente reinicializado e algumas mensagens
serão exibidas, indicando etapas da instalação que estão sendo feitas, automaticamente, tais
como atualização das configurações do Registro e outras. Aguarde. Será exibida a tela com as
opções Copiando Arquivos do Windows, Expandindo arquivos do Windows, etc., com o
indicativo de que está sendo executada a etapa Concluindo a instalação. Você já está quase lá,
aguarde mais um pouco.

14. O Windows 7 é carregado e é exibida a tela Configurar o Windows. Você deve criar, pelo
menos, uma conta de usuário durante a instalação do Windows. A conta de usuário criada
durante a instalação será adicionada ao grupo local Administradores e terá permissões de
Administrador. A conta Administrador, por padrão, é marcada como desabilitada.

Neste exemplo, vamos criar um usuário chamado Apolo Mercurio. No campo Digite um nome
de usuário, digite o nome de usuário que você quer criar. Nesta etapa também será
selecionado que você informe um nome para o computador. Caso você esteja instalando o
Windows 7 em um computador da rede da sua empresa, verifique com o Administrador da
rede, se existe um padrão a ser seguido, para atribuir nome aos computadores da rede.

Digite o nome a ser utilizado, no campo Digite um nome do computador. Alguns caracteres não
são permitidos para fazer parte do nome do computador: { | } ~[ \ ] ^ ’ : ; < = > ? @ ! “ # $ % ( ) +
/ . , * Digite o nome do computador e clique no botão Avançar, para seguir para a próxima
etapa do assistente de instalação do Windows 7.

15. Informe uma senha no campo Digite uma senha (recomendado) e confirme a senha no
campo Digite a senha novamente. Embora não seja obrigatório criar uma senha, uma boa
prática de segurança é criar um senha para cada conta que for criada. No campo digite uma
dica de senha, você pode digitar uma frase que só faz sentido para você e que servirá para
ajudá-lo a lembrar da senha, caso venha a esquecê-la. Digite as informações solicitadas e
clique no botão Avançar, para seguir para a próxima etapa do assistente de instalação do
Windows 7.

16. Será exibida uma janela, solicitando que você digite a chave de 25 dígitos do Windows 7.
No nosso exemplo, podemos informar uma chave que corresponde ao Windows 7 Professional.
Informe a chave do produto e marque a opção Ativar automaticamente o Windows quando eu
estiver online. Clique em Avançar, para seguir para a próxima etapa do assistente. O Windows
verifica se é uma chave válida. Se a chave não for válida, será emitida uma mensagem de erro,
caso contrário, será exibida a próxima etapa do assistente.

17. Nesta etapa você deve definir se deseja ou não ativar as atualizações automáticas do
Windows. Clique na opção usar configurações Recomendadas. Com esta opção, as
atualizações disponíveis serão automaticamente baixadas e instaladas no seu computador,
garantindo que o Windows 7 esteja sempre atualizado e protegido contra falhas de segurança
para as quais já existem correções.

18. Será exibida uma janela para que você confirme se a data, hora e fuso horário estão
corretos. Verifique se estas informações estão corretas. Caso haja alguma informação incorreta
corrija e clique no botão Avançar, para seguir para a próxima etapa do assistente.

19. Nesta etapa você deve informar se o computador será utilizado em casa (Rede
doméstica), no trabalho – opção Rede da empresa (por exemplo na rede da sua empresa) ou
em um local público. Cada opção tem diferentes configurações de rede e de segurança. Por
exemplo, um computador a ser utilizado em um local público, precisa de restrições de
segurança bem mais severas do que para uso em casa. Clique na opção Rede doméstica, pois
no nosso exemplo, estamos instalando o Windows 7 em um computador para uso em casa.

20. Outras etapas vão sendo executadas, automaticamente, tal como a configuração da Área
de trabalho, sem que seja necessária a intervenção do usuário. Aguarde.

21. A instalação é concluída e é feito o logon usando a conta e senha que foram informadas
durante a instalação do Windows 7. A área de trabalho do Windows 7 é exibida e o processo
de instalação foi concluído com sucesso.

Pronto, o Windows 7 foi instalado e está pronto a ser utilizado.


A interface de trabalho do Windows 7

Na sequência você aprenderá a executar as tarefas rotineiras do trabalho com o Windows.


Passaremos a abordar os seguintes tópicos:
As janelas do Windows.
A Barra de Ferramentas.
O menu Iniciar.
Executando programas.
Criando atalhos na área de trabalho.
Criando atalhos na Barra de tarefas.
Ajuda do Windows 7.
O Windows Explorer.
Navegando através dos recursos do computador.
Navegando através dos recursos da rede.
Trabalhando com pastas e arquivos.
Trabalhando e configurando a lixeira.
Formatando disquetes.
Outras Barras de Ferramentas do Windows 7.
Utilizando Múltiplas seções.
Fazendo o logoff.
Alternando de usuário (Trocar usuário).
Desligando o computador.

Nos tópicos sobre pastas e subpastas e sobre o Windows Explorer, apresentaremos


informações detalhadas sobre a nova forma de acessar pastas e arquivos, utilizada pelo
Windows Explorer no Windows 7. Você aprenderá a usar o novo Windows Explorer, bastante
modificado em relação as versões do Windows até o Windows XP. Para quem já é usuário do
Windows Vista, o novo Windows Explorer já é conhecido. Mas para usuários do Windows XP,
que nunca chegaram a trabalhar com o Windows Vista, o Windows Explorer do Windows 7
será um desafio e tanto.

Você também aprenderá sobre o recurso de pesquisa do Windows 7, o qual tem melhorias
consideráveis em relação as versões anteriores. Você verá que o recurso de pesquisa
realmente tornou-se um recurso útil. Depois que você aprender a utilizá-lo, você trocará o
adjetivo útil pelo adjetivo INDISPENSÁVEL.

Fazendo logon no Windows 7

A palavra logon é utilizada para descrever a identificação que o usuário faz para acessar o
Windows 7. O usuário se identifica fornecendo um nome de usuário e uma senha. O conjunto
nome de usuário/senha é que identifica para o Windows 7 qual usuário está acessando o
computador.

OBS: Existem meios mais sofisticados e seguros de identificação. Um dos meios muito
utilizado hoje em dia é através dos chamados Smart Cards (cartões inteligentes) em
combinação com o uso de Certificados Digitais. Existem meios ainda mais seguros que são os
de reconhecimento através de uma característica física do usuário, tal como as impressões
digitais ou a íris do olho. A grande vantagem destes meios é o alto nível de segurança. A
principal desvantagem é o custo elevado dos equipamentos necessários, tais como leitores de
íris. Mas, em ambientes que precisam de um nível máximo de segurança, se justificam os
investimentos necessários, para implementar um sistema de autenticação e reconhecimento,
baseado em leitura de digital, íris ou, até mesmo, de reconhecimento de voz.

Ao instalarmos o Windows 7 é criado, automaticamente, um usuário chamado Administrador. A


conta Administrador, por padrão, fica desativada (por isso ela não aparece na tela de logon,
para que você possa utilizá-la. Além do usuário Administrador, na etapa final da instalação
devemos criar pelo menos mais um usuário. Os usuários criados durante a instalação são
todos configurados como membros do grupo Administradores do computador. Durante a
instalação, conforme vimos anteriormente, além de criar uma conta de usuário você pode (e
deve), definir uma senha para a conta

Após iniciar o Windows, é exibida uma lista com as contas de usuário, disponíveis para logon.
Para fazer o logon basta clicar no nome do usuário. Se existir uma senha definida para este
usuário, a senha será solicitada. É só digitar a senha e clicar no botão com a setinha para a
direita ou pressionar Enter.

O Windows 7 mantém um ambiente personalizado para cada usuário. Por exemplo, se o


usuário Menegaldo faz o logon, alterou algumas configurações do Windows e criou alguns
atalhos na Área de trabalho, estas alterações somente estarão disponíveis para o usuário
Menegaldo e não estarão disponíveis para outros usuários que façam o logon. Com isso é
possível manter um ambiente personalizado, onde cada usuário cria os seus próprios ícones,
atalhos e define as configurações que julgar mais adequadas para o seu trabalho diário.
Uma vez logado não será preciso reinicializar o computador para trocar de usuário. É possível
fazer o logoff do usuário atual e fazer o logon como um novo usuário, sem ter que reinicializar o
computador. Para fazer o logoff do usuário atual, clique no botão Iniciar (que agora não tem
mais a palavra Iniciar. É o botão circular, com o logotipo do Windows dentro e fica na mesma
posição do botão Iniciar, das versões anteriores do Windows). No menu que é exibido, aponte
o mouse para o botão com a seta para a direita ao lado da opção Desligar. No menu que é
exibido, clique em Fazer Logoff.

Feito o logoff, será apresentada e tela de logon, a mesma que é apresentada na inicialização
do Windows 7. Agora é só clicar no usuário desejado, fornecer a senha e pressionar Enter.
Pronto, você fez o logon com um usuário diferente. As alterações/configurações que você fizer
com este novo usuário somente estarão disponíveis para ele.

Uma das boas novidades introduzidas no Windows XP e também presente no Windows 7 é


que é possível, ter mais de um usuário logado ao mesmo tempo, e alternar entre estes
usuários. Com isso, se você precisa fazer um logon com um usuário diferente, não é preciso
fazer o logoff do usuáriio atual (o que faria com que todos os programas do usuário atualmente
logado fossem fechados). Ao invés de fazer o logoff, temos uma opção chamada Trocar
usuário (indicada na Figura abaixo). Ao utilizarmos a opção trocar usuário, o Windows 7
mantém todo o ambiente do usuário atual e permite que você faça um logon com um usuário
diferente. Neste momento teremos dois usuários logados.

OBS: Ao fazermos o logon, podemos saber se um determinado usuário já está logado, pois
abaixo do nome do usuário logado aparece a expressão “Sessão iniciada”.
Trocando de Usuário sem fazer o Logoff do usuário atual.

Será apresentada e tela inicial de logon do Windows, a mesma tela que é apresentada na
incialização do Windows 7. Junto ao nome do usuário que está atualmente logado, aparece a
expressão "Sessão iniciada", indicando que o usuário já está logado. Agora é só clicar em um
dos outros usuários da lista, fornecer a senha se for o caso e pressionar Enter. Pronto, você fez
o logon com um usuário diferente e o usuário anterior manteve-se também logado. As
alterações/configurações que você fizer com este novo usuário somente estarão disponíveis
para ele.

Interface de trabalho do Windows 7

Agora vamos a um pequeno passeio pela nova interface do Windows 7, para depois partirmos
para o estudo dos diversos elementos, funcionalidades e novidades da nova interface.
Podemos observar que, logo após a instalação, a Área de trabalho está completamente limpa,
sem os tradicionais ícones que existiam nas versões anteriores, até o Windows XP. Apenas o
ícone para a Lixeira está presente na Área de Trabalho.

Novidade do Windows 7: No Windows 7 não existe mais a Barra lateral de Gadgets


(pequenas aplicações/utilitários), que existia no Windows Vista. No Windows 7 você ainda pode
utilizar Gadgets, mas sempre que um Gadget é adicionado, ele é adicionado diretamente na
Área de Trabalho, uma vez que não existe mais a Barra Lateral de Gadgets. Se você fez uma
atualização do Windows Vista para o Windows 7, e havia Gadgets configurados para serem
exibidos no Windows Vista, estes serão exibidos diretamente na Área de Trabalho do Windows
7.

Dica: Se você é usuário do Windows Vista, pode ser que esteja acostumado com o “Centro de
Boas Vindas”, o qual era aberto, automaticamente, quando fazia o logon no Windows Vista.
Isso não ocorre mais com o Windows 7 e o Centro de Boas Vindas foi aposentado.

O menu Iniciar também foi bastante modificado em relação ao Windows XP (não muito
modificado em relação ao Windows Vista). A primeira e mais evidente mudança é que agora
não tem mais a palavra Iniciar. O menu Iniciar agora é representado por um botão em forma de
esfera, dentro da qual tem o logotipo do Windows, conforme indicado na Figura abaixo.
A nova aparência do Botão/Menu Iniciar.

Nota: Neste livro eu utilizarei os termos Menu Iniciar e Botão Iniciar como sinônimos.
O menu Iniciar é composto de duas colunas, sendo que na coluna da esquerda tem atalhos
para os últimos programas que foram utilizados. Uma mudança interessante no Windows 7 é
que além de ser atalho para um programa recentemente utilizado, o atalho se torna um menu
para acesso aos últimos documentos abertos no referido programa.

Vamos supor que você usou o Paint para abrir e editar várias figuras. Com isso ficará, na
coluna da esquerda, um atalho para o Paint. Ao colocar o mouse sobre o Paint, será aberto um
menu, com os últimos arquivos abertos no Paint, para que você possa abrir qualquer um deles,
rapidamente, conforme exemplo da Figura 2.3. No menu da esquerda também tem a opção
Todos os Programas, a qual dá acesso aos programas instalados no computador, tais como o
Word, Excel, Access, PowerPoint, CorelDraw, AutoCAD, etc.

Atalhos rápidos para os últimos arquivos abertos no Paint.


Na coluna da direita ficam atalhos que, nas versões anteriores, ficavam na Área de trabalho
como, por exemplo, atalho para o Computador, Documentos, Imagens, Músicas, Jogos, Painel
de controle, Rede e assim por diante.

IMPORTANTE: Observe que no Windows 7 não temos mais o uso dos pronomes possessivos
Meu, Meus, etc. Por exemplo, ao invés de Meus documentos, temos a pasta Documentos, ao
invés de Meu computador, temos Computador e assim por diante. O pronome Meu(s) já havia
sido descontinuado no Windows Vista.

Ao invés de Iniciar -> Programas, que tínhamos nas versões do Windows até o Windows 2000,
a partir do Windows XP e também no Windows 7, temos Iniciar -> Todos os programas,
conforme indicado na Figura abaixo.

A opção Todos os programas

Aqui temos uma modificação Importante do Windows 7, a qual foi originalmente introduzida no
Windows Vista. Observe que ao clicar em Todos os programas, as opções deste menu, abrem
na coluna da esquerda, ocultando as opções desta coluna. Ao clicar em uma das opções do
menu Todos os Programas, como por exemplo Acessórios, as opções do menu Acessórios são
abertas neste espaço da coluna da esquerda, abaixo de Acessórios, conforme indicado na
Figura a seguir:

Com esta nova forma de abrir, evita-se o que ocorria até o Windows XP e nas versões
anteriores, onde um menu ia sendo aberto ao lado do outro, até terminar o espaço no lado
direito da tela e aí começava a voltar, um por cima do outro, gerando um verdadeira confusão.
Com esta nova estrutura de navegação, as opções são abertas, sempre dentro do espaço de
duas colunas, destinado ao Menu Iniciar, sem jamais avançar para fora deste espaço. Para
fechar um menu de opções, como Acessórios, aberto no exemplo anterior, basta clicar
novamente em Acessórios e pronto, as opções do menu serão ocultadas. Com esta nova
metodologia fica mais fácil e intuitivo navegar através das opções do Menu Iniciar, dentro de
um espaço menor e mais organizado.

A nova maneira de abrir, dos menus de Todos os programas.

A aparência dos controles também está modificada. Observe que os botões, as caixas de
seleção e outros elementos das janelas gráficas estão com um aspecto visual diferente. Por
exemplo, a Barra de tarefas está com um aspecto mais “arredondado” e bem maior do que nas
versões anteriores. O funcionamento da Barra de tarefas também está um pouco modificado.
As maiores mudanças visuais serão sentidas, se o computador que você usa, tem uma placa
de vídeo com suporte a interface Windows Aero.

Dica: Você pode abrir o menu Iniciar simplesmente dando um clique no botão Iniciar, ou
pressionando Ctrl+Esc ou teclando a tecla Iniciar. A tecla Iniciar faz parte dos teclados mais
novos, é a tecla com o logotipo do Windows e normalmente fica entre as teclas Ctrl e Alt.

Modos de operação do mouse

O Mouse é um dispositivo fundamental na utilização do Windows, seja qual for a versão –


Windows 3.x, Windows 95/98/Me, Windows NT, etc. A partir do Windows 98 foram introduzidas
novidades na maneira de utilizar o mouse. Desde o Windows 98, passando pelo Windows
2000, Windows Server 2003, Windows XP, Windows Server 2008, Windows Vista e Windows 7,
temos dois modos possíveis de utilização para o mouse: O Modo de clique simples e o Modo
de clique duplo.

Nota: O que vemos, na prática, é a ampla maioria dos usuários, continuar a usar o modo de
Clique duplo. O mais interessante é que muitos usuários, utilizam o modo de Clique duplo até
mesmo para navegar na Internet, embora na Internet o Clique duplo não exista. Por exemplo,
muitos dos pedidos de cursos e livros que eu recebo através do meu site
www.juliobattisti.com.br vem duplicados. Por que isso acontece??? Na hora de fechar o pedido,
o cliente “tasca” um Clique duplo no botão Enviar Pedido. Isso por que ele está acostumado
com o Clique duplo e na Internet, ao invés de usar um único clique, ele continua dando clique
duplo. São hábitos que tem que ser levados em conta e respeitados, pois muitos programas
caíram no esquecimento e sumiram do mercado, justamente por tentar impor formas de
trabalhar aos usuários, formas que não caíram no gosto dos usuários. O usuário é e sempre
será o soberano, que dirá como ele quer trabalhar e quais as facilidades que ele deseja de um
software, quer seja um Sistema Operacional ou dos aplicativos utilizados no seu dia-a-dia.

Para saber em que modo você se encontra, basta colocar o mouse sobre um ícone da área de
Trabalho (no momento talvez você somente tenha o ícone para a Lixeira, mais adiante, ainda
neste capítulo, você aprenderá a adicionar ícones na área de trabalho). Se o formato do
ponteiro do mouse mudar para uma pequena mão, você está no Modo de clique simples, caso
contrário você está no Modo de clique duplo. Outro indicativo que pode ser usado como
referencial, são os nomes dos ícones. Caso o nome de um ícone ou pasta fique sublinhado,
quando você aponta o mouse para o ícone ou pasta é um indicativo de que você está no Modo
de clique simples.

Agora iremos ver um pouco mais de detalhes sobre cada um destes modos. Também
aprenderemos a alternar entre os modos de utilização do mouse.

No Modo de Clique Simples, você realiza as operações da seguinte maneira:

Para iniciar um programa ou abrir uma pasta, basta clicar uma vez no respectivo ícone ou
pasta.
Para selecionar um item ou pasta, basta apontar para o item ou para a pasta. Observe que
basta apontar, sem clicar. Por exemplo, para selecionar uma pasta, estando no modo de clique
simples, aponte o mouse para a pasta e aguarde alguns segundos. Se você clicar, ao invés de
selecionar você irá abrir a pasta.
Para selecionar vários itens em sequência basta apontar para o primeiro, teclar e segurar
pressionada a tecla SHIFT e apontar para o último (apenas apontar, não clicar). Todos os itens,
em sequência, do primeiro até o último serão selecionados. Vou lembrar mais uma vez é
apenas apontar o mouse, sem clicar.
Para selecionar vários itens de maneira intercalada, basta apontar para o primeiro, teclar e
segurar pressionada a tecla CTRL e ir apontado para os diversos itens a serem selecionados.
Com isso todos os itens para os quais você apontou, enquanto esteve com a tecla CTRL
pressionada, serão selecionados.
Para arrastar um item, clique no item com o botão esquerdo do mouse e mantenha este
botão pressionado a medida que for movendo o mouse. Com isso o item é deslocado. Ao
chegar na posição desejada, libere o botão do mouse que o item será colocado na nova
posição. Você também pode arrastar um item com o botão direito. Ao largar o item no local
desejado, o Windows exibe um menu perguntando o que você deseja fazer. As opções que
aparecem neste menu, dependem do item que você arrastou, se foi um ícone ou uma pasta.

No Modo de Clique Duplo, você realiza as operações da seguinte maneira:

Para iniciar um programa ou abrir uma pasta, basta clicar duas vezes seguidas no
respectivo ícone ou pasta.
Para selecionar um item, basta clicar no item. No Windows 7, mesmo no modo de Clique
duplo, quando você apenas aponta o mouse para um item (atalho, pasta, etc.), o Windows 7 já
exibe um contorno ao redor do item apontado, porém o item não será efetivamente
selecionado, enquanto você não clicar nele. Isso, reforçando, no modo de Clique Duplo, pois
no modo de Clique simples, basta apontar para o item a ser selecionado, para selecioná-lo.
Para selecionar vários itens em sequência basta clicar no primeiro item, teclar e segurar
pressionada a tecla SHIFT e clicar no último. Todos os itens, em sequência, do primeiro até o
último serão selecionados.
Para selecionar vários itens de maneira intercalada, basta clicar no primeiro, teclar e
segurar pressionada a tecla CTRL e ir clicando nos diversos itens a serem selecionados. Com
isso todos os itens nos quais você clicou, enquanto esteve com a tecla CTRL pressionada,
serão selecionados.
Para arrastar um item, clique no item com o botão esquerdo do mouse e mantenha este
botão pressionado a medida que for movendo o mouse. Com isso o item é deslocado. Ao
chegar na posição desejada, libere o botão do mouse que o item será colocado na nova
posição. Você também pode arrastar um item com o botão direito. Ao largar o item no local
desejado, o Windows exibe um menu perguntando o que você deseja fazer. As opções que
aparecem neste menu, dependem do item que você arrastou, se foi um ícone ou uma pasta.

Dica: Por padrão, ao fazer a instalação do Windows 7, o modo de operação do mouse é


automaticamente configurado para o modo de Clique duplo. Você poderá alterar o modo de
operação do mouse, a qualquer momento, seguindo os passos indicados nos exemplos a
seguir.

Exemplo: Trabalhando com os Modos de Operação do Mouse

Exemplo: Para trabalhar com os diferentes modos de operação do mouse, siga os passos
indicados a seguir:

1. Faça o logon no Windows 7.

2. Aponte o mouse para o ícone da Lixeira. Se a figura do ponteiro se alterar para uma
pequena mão, você já está no Modo de clique simples. Se for esse o seu caso vá para o item
4, caso contrário vá para o item 3 para ativar o Modo de clique simples.

3. Para ativar o Modo de clique simples, abra o Computador: Iniciar -> Computador. Na janela
Computador, selecione o comando Ferramentas -> Opções de Pasta. Na Guia geral, marque a
opção “Clicar uma vez para abrir um item (apontar para selecionar)”. É nesta janela que
alternamos entre o Modo de clique simples e o Modo de clique duplo. A opção “Clicar duas
vezes para abrir um item (um clique para selecionar), habilita o modo de clique duplo.
Certifique-se de que a opção “Clicar uma vez para abrir um item (apontar para selecionar)”
esteja selecionada e dê um clique no botão OK para ativar o Modo de clique simples.

Nota: Em todos os exemplos deste livro, com exceção dos exemplos deste tópico,
trabalharemos com o modo de clique duplo, no qual temos que clicar duas vezes em uma
pasta para abri-la ou em um atalho na área de trabalho para executá-lo. Nas opções do menu
Iniciar sempre é um clique simples, independentemente do modo de operação do mouse. Optei
por trabalhar no livro com o Modo de Clique duplo, por ser este o modo preferido pela ampla
maioria dos usuários do Windows.

4. Ainda com a janela Computador aberta aponte o mouse para o drive C:\. Observe que ao
ficar sobre o drive C:\, a figura do ponteiro se altera para uma pequena mão e o ícone é
automaticamente selecionado, sem que você tenha clicado nele. Você sabe que o ícone está
selecionado porque é exibido um contorno com um fundo azul claro. Aliás este fundo Azul claro
é mais uma das novidades introduzidas no Windows Vista e também presentes no Windows 7.
Nas versões anteriores, até o Windows XP, o fundo que indicava que um elemento estava
selecionado, era um fundo azul bem escuro e as letras ficavam em fonte com cor branca.

5. Desloque o ponteiro para os outros ícones da janela Computador (sem clicar, apenas
apontando para os demais itens) e observe.

6. Aponte novamente para o ícone C:\ e dê um clique. Observe que com apenas um clique o
Windows abriu o drive C: e exibe as pastas deste drive.

7. Vamos configurar o Windows para voltar para o modo de clique duplo. Selecione o comando
Ferramentas -> Opções de Pasta. Na Guia Geral, marque a opção “Clicar duas vezes para
abrir um item (um clique para selecionar)” e clique em OK, para fechar a janela de Opções de
Pasta.
8. Aponte o mouse para uma pasta do drive C:\. Apenas um contorno e um fundo azul bem
claro é exibido, mas o item não é selecionado. O item só será selecionado se você clicar nele.
Este é o funcionamento do modo de Clique Duplo do mouse. Observe que estamos de volta ao
Modo de clique duplo, que é o modo no qual iremos trabalhar no restante deste livro.

9. Feche a janela Computador.

Janelas e seus elementos e comandos

O Sistema operacional continua se chamando Windows (7), portanto continua sendo baseado
no conceito de janelas. Cada aplicativo que você abre no Windows 7 é aberto em sua própria
janela. Podemos ter várias aplicativos abertos simultaneamente, porém cada um em sua
própria janela. Para cada janela que é aberta, um botão é adicionado na Barra de tarefas.
Conforme veremos mais adiante, estes botões podem ser utilizados para executar uma série
de tarefas sobre a janela correspondente ao botão.

Nota: Conforme comentei no tópico sobre as Novidades do Windows 7, a Barra de Tarefas foi
um dos itens que mais sofreu mudanças no Windows 7. Os botões são bem maiores, a sua
funcionalidade está bem diferente. Veremos isso, em detalhes, no tópico sobre a Barra de
Tarefas, ainda neste capítulo.
Os principais elementos de cada janela continuam os mesmos. Vamos a uma breve descrição
destes elementos.

Barra de menus: Cada aplicativo apresenta uma Barra de menus, na parte de cima da
janela. Os menus dão acesso a todos os comandos do aplicativo. Por exemplo, no Word, até a
versão 2003, temos o menu Arquivo, o qual dá acesso a comandos como Salvar, Abrir, Fechar,
etc. Para acessar um determinado menu basta clicar com o mouse no respectivo menu ou
pressionar a tecla Alt+ a letra que estiver sublinhada no nome do menu. Por exemplo, para
abrir o menu Arquivo no Word 2003, basta pressionar Alt+A, para abrir o menu Editar, basta
pressionar Alt+E, para abrir o menu Exibir basta pressionar Alt+X e assim por diante. A partir
do Office 2007, com a interface chamada de Ribbon, houve modificações consideráveis nos
aplicativos do Office (Word, Excel, Access, PowerPoint e outros) e o número de menus foi
bastante reduzido, tendo sido substituído por uma barra de opções que, segundo a Microsoft, é
bem mais fácil de usar e bem mais intuitiva. Eu e o público em geral parecem discordar desta
opinião, pois a adoção do Office 2007 ficou muito abaixo do esperado pela Microsoft. Esta é
mais uma lição valiosa de que não adianta querer impor modos de trabalhar aos usuários, pois
se não for do agrado do usuário, ele simplesmente não usa.
Barra de títulos: Cada janela tem a sua própria Barra de títulos que fica bem na parte de
cima da janela, normalmente acima da Barra de menus. Na barra de títulos normalmente é
exibido o nome do aplicativo e caso seja um aplicativo que trabalha com arquivos, o nome do
arquivo carregado.

Novidade do Windows 7: Uma novidade do Windows 7, é o Shake. Usando Shake, você pode
minimizar, rapidamente, todas as janelas abertas na área de trabalho menos a janela com a
qual deseja trabalhar. Para isso, basta clicar na barra de título da janela que você deseja
manter aberta, manter o mouse pressionado e sacudir (mover o mouse para lá e para cá,
rapidamente). Com isso, rapidamente, todas as demais janelas serão minimizadas, exceto a
que você está chacoalhando (Shake). Para restaurar as janelas minimizadas, chacoalhe a
janela aberta novamente. O Shake é uma novidade bem interessante e útil.

Dicas: A Barra de títulos, além de informativa, pode ser utilizada para mover uma janela de
lugar. Para mover uma janela basta clicar com o botão esquerdo do mouse na Barra de títulos
da janela, manter o botão do mouse pressionado e arrastar a janela para uma nova
localização. A medida que você vai movendo o mouse, a janela vai sendo arrastada, quando
você “chegar” no lugar desejado é só liberar o mouse que a janela será posicionada no lugar
escolhido. Você pode maximizar uma janela (fazer com que a janela ocupe todo o espaço do
vídeo), dando um clique duplo na Barra de títulos. Se uma janela já estiver maximizada e você
der um clique duplo na Barra de títulos a janela voltara a ter o tamanho que ela tinha, antes de
ter sido Maximizada.
Botão Minimizar – ( ): Ao clicar neste botão a janela será minimizada, isto é, será
retirada do vídeo. O botão correspondente a janela continua sendo exibido na Barra de tarefas.
Podemos clicar no botão correspondente ao aplicativo, na Barra de Tarefas, para que a janela
volte a posição e tamanho originais, antes de ter sido minimizada.
Botão Maximizar – ( ): Se a janela não estiver maximizada, o botão Maximizar é exibido
– botão com o desenho de um pequeno quadrado. Ao clicar neste botão a janela será
maximizada. Quando a janela está maximizada temos o botão Restaurar - ( ), que é o botão
com o desenho de dois pequenos quadrados sobrepostos. Ao clicar neste botão a janela é
restaurada ao tamanho que ele tinha, antes de ter sido maximizada.
Botão Fechar - ( ): Botão com o desenho de um x. Ao clicar neste botão o aplicativo
será fechado. Se você tiver feito alterações em algum arquivo carregado no aplicativo que está
sendo fechado e não tiver salvo as alterações, o Windows emite uma mensagem avisando que
existem alterações a serem salvas e pede se você deseja salvar as alterações. Para salvar as
alterações basta clicar no botão Sim, para sair sem salvar as alterações clique no botão Não e
para voltar ao aplicativo clique no botão Cancelar. Você também pode fechar uma janela
utilizando as teclas Alt+F4 ou a opção Fechar do Menu controle (será descrito logo a seguir) ou
utilizando o comando Arquivo -> Fechar da Barra de menus ou clicando com o botão direito do
mouse, no botão correspondente ao aplicativo, na Barra de tarefas e, no menu que surge
seleciona a opção Fechar. Esta é uma das características do Windows, ou seja, temos diversas
opções para realizar uma mesma tarefa. Outro detalhe importante a ser destacado é que, no
Windows 7, o botão Fechar é maior do que nas versões anteriores, até o Windows XP, e tem
um conjunto de cores que faz com que ele se destaque dos demais botões, facilitando, desta
forma, a sua localização.
Menu controle: Este menu fica na barra de títulos do aplicativo, próximo ao canto superior
esquerdo. É representado por uma pequena figura relacionada com o aplicativo em questão.
Por exemplo, na janela do Word até a versão 2003, o menu controle é representado por um
pequeno “W” Azul, bem à esquerda, na barra de títulos da janela do Word. Ao clicar no Menu
controle são disponibilizadas opções para Restaurar, Mover, Dimensionar, Minimizar,
Maximizar e Fechar a janela. O Menu controle também pode ser aberto pressionando as teclas
Alt + - (A tecla Alt mais o sinal de menos). O menu controle normalmente é utilizado por quem
prefere utilizar o máximo possível o teclado, ao invés do mouse, o que convenhamos, é um
pouco difícil de encontrar nos dias de hoje.
Barras de rolagem: Se o arquivo que está sendo exibido em um determinado aplicativo, for
maior do que o tamanho que pode ser exibido na tela, serão disponibilizadas Barras de
rolagem. Com as barras de rolagem podemos nos deslocar através de documentos longos,
tanto na vertical quando na horizontal. Hoje em dia, a grande maioria dos modelos de mouse
vem com um terceiro botão, bem pequeno que mais parece uma bolinha de rolagem. Este
botão é utilizado para fazer a rolagem em documentos longos. Não confundir este botão com
os mouses mais antigos, que tinham realmente três botões, embora o botão do meio raramente
fosse utilizado.
Bordas da janela: As bordas são utilizadas para alterar o tamanho de uma janela
(tecnicamente chamamos de redimensionar a janela). Para alterar o tamanho de uma janela,
utilizando as suas bordas, a janela não pode estar maximizada. Para alterar a largura de uma
janela basta apontar o mouse para uma das bordas laterais, quando o mouse trocar o seu
formato para o formato de uma setinha com duas pontas, é só clicar com o botão esquerdo do
mouse, manter o botão do mouse pressionado e ir movimentando o mouse para definir o novo
tamanho. Ao atingir o tamanho desejado é só liberar o mouse. Para alterar a altura de uma
janela basta utilizar a borda superior ou a borda inferior e repetir o processo descrito
anteriormente. Para alterar as duas dimensões, largura e altura, simultaneamente, basta
apontar o mouse para um dos cantos da janela e utilizar o processo já descrito. Outro detalhe
importante e que é novidade no Windows Vista e que também está presente no Windows 7 é
que as bordas da janela são exibidas como uma linha mas espessa e mais destacada do que
nas versões anteriores. Este pequeno detalhe facilita a localização das bordas e a sua
utilização para redimensionar a janela. São pequenos e importantes detalhes, que na sua
soma, tornam a utilização do Windows 7 bem mais agradável, prática e produtiva do que as
versões anteriores do Windows, até o Windows XP.
Barra de status: A Barra de status fica na parte inferior da janela e é utilizada para exibir
informações sobre o aplicativo. No Word, por exemplo, é exibido o número da páginas, o total
de páginas do documento, o número da linha/coluna onde está o cursor e outras informações
referentes ao documento aberto no momento.
Barras de ferramentas do aplicativo: Cada aplicativo pode ter uma ou mais barra de
ferramentas. Na barra de ferramentas temos botões que representam os principais comandos
do aplicativo. Por exemplo, nos aplicativos do Microsoft Office até a versão 2003 (Word, Excel,
Access e PowerPoint), temos um botão com o desenho de um disquete que é atalho para o
comando Arquivo -> Salvar, um botão com o desenho de uma impressora que é um atalho para
o comando que imprime o documento e assim por diante.

Conforme você já deve ter notado, em relação aos elementos de uma janela não existem
grandes novidades em relação as versões anteriores do Windows. As maiores mudanças são
realmente em relação ao aspecto visual dos diversos elementos que compõem uma janela,
com o objetivo de facilitar operações tais como redimensionar ou mover uma janela.

A barra de ferramentas

A Barra de ferramentas foi introduzida com o lançamento do Windows 95, ela fica na parte
inferior da tela, entre o botão Iniciar e a bandeja do sistema. A bandeja do sistema é o espaço
na parte inferior, do lado direito, onde são exibidos ícones para alguns utilitários e para a hora
do sistema. A Barra de ferramentas facilita bastante o gerenciamento das janelas que estão
abertas e principalmente facilita a alternância entre uma janela e outra.

Para cada janela aberta, um botão é adicionado na Barra de ferramentas. Por exemplo, se
você abre o Word, um botão é adicionado na Barra de ferramentas, se você abre o Paint, um
novo botão é adicionado e assim por diante. A principal mudança, ou melhor, a mudança mais
facilmente notada, no Windows 7 é, sem dúvidas, a Barra de Ferramentas. Ela “engordou”, ou
seja, ficou mais larga e os ícones presentes nela ficaram maiores.

Na Figura abaixo temos um exemplo onde foram abertos alguns programas. Observe cada um
dos respectivos botões na Barra de ferramentas.

A nova barra de Ferramentas do Windows 7.

Dica: Nas versões até o Windows 98, se abríssemos duas ou mais janelas para um aplicativo,
por exemplo, para o Word, para cada janela do aplicativo seria adicionado um botão à barra de
ferramentas. Por exemplo, se abríssemos duas janelas do Word, teríamos dois botões para o
Word na Barra de ferramentas. Independente do número de botões, estes eram colocados lado
a lado. Se não houvesse espaço para todos os botões uma pequena flechinha para a direita
era exibida na Barra de ferramentas para que, ao clicar nessa flechinha, pudéssemos acessar
os botões que estavam ocultos por falta de espaço. Desde o Windows XP, Windows Vista e
também no Windows 7 os diversos botões, correspondentes as diversas janelas de um mesmo
aplicativo, por padrão, são colocados sobrepostos na Barra de ferramentas e não mais lado a
lado. Aqui temos mais uma novidade interessante no Windows 7. Quando temos duas ou mais
janelas abertas, do mesmo aplicativo, o ícone do aplicativo é exibido uma única vez. Por
exemplo, se tivermos duas ou mais janelas do Word abertas, o ícone do Word será exibido,
uma única vez, na Barra de Tarefas. Ao apontar o mouse para o ícone do Word, serão exibidas
miniaturas das janelas do Word abertas, onde temos três janelas do Word abertas (o que é
indicado pelas três miniaturas que foram abertas, ao apontar o mouse para o ícone do Word,).
Observe também que no próprio ícone do Word, existe um indicativo de quantas janelas estão
abertas. O ícone do Word na verdade parece ser uma figura de três ícones sobrepostos ->

Este é um indicativo do número de janelas abertas, do respectivo aplicativo. Uma


vez exibidas as miniaturas, ao apontar para uma delas, será exibida a janela correspondente a
miniatura que está sendo apontada. Para trazer para primeiro plano a janela relacionada a
miniatura, basta clicar na respectiva miniatura e pronto, a janela é exibida em primeiro plano.
IMPORTANTE: Caso não sejam exibidas as miniaturas é por que a interface Aero não está
habilitada no seu computador. Isso pode acontecer se você tiver uma placa de vídeo mais
antiga, a qual não atende os requisitos mínimos para funcionamento da interface Aero.

O novo funcionamento da Barra de Tarefas.

A medida que você abre mais aplicativos, mais botões vão sendo exibidos na Barra de Tarefas.
Se o número de botões for muito grande, primeiro o Windows diminui o tamanho de cada
botão, para que todos possam ser exibidos. Porém se o número de botões for muito grande, ou
seja, se você abrir muitas janelas, de tal maneira que não tenha espaço suficiente na Barra de
tarefas , será exibida uma seta para cima e uma seta para baixo, no final da Barra de tarefas.
Estas setas podem ser utilizados para exibir os botões que estão ocultos devido a falta de
espaço na Barra de tarefas.

No Windows 7, existe o recurso de “Fixar um botão na Barra de Tarefas”. Fixar um botão,


significa, na prática, criar um atalho par ao respectivo aplicativo, na Barra de Tarefas. Por
exemplo, ao abrir o Word, um botão para o Word é exibido na Barra de Tarefas. Para fixar este
botão na Barra de Tarefas, de tal forma que passe a ser um atalho para o Word, basta clicar
com o botão direito do mouse no botão do Word e, no menu que é exibido, clicar em Fixar este
programa na barra de tarefas. Pronto, o botão do Word é fixado como um atalho, diretamente
na Barra de tarefas. Para “desafixar” um botão da Barra de Tarefas, basta clicar com o botão
direito do mouse no botão a ser desafixado e, no menu de opções que é exibido, clicar em
Desafixar este programa da Barra de Tarefas. O Windows 7 usa ícones diferentes para indicar
se um botão está fixado ou desafixado na Barra de Tarefas. Por exemplo, quando o botão do

Word está fixado na Barra de Tarefas é exibido o seguinte ícone: . Quando o Word não

está fixado na Barra de tarefas é exibido o seguinte ícone: . Observe que são ícones
bem diferentes e um indicativo visual importante, para indicar se o atalho do Word está fixado

ou não fixado . Vejam que com este recurso de Fixar um atalhos na Barra de
Tarefas, podemos construir, rápida e facilmente, nossa própria Barra de Atalhos rápidos, sem
precisar da Barra de Inicialização rápida. O meu papel, como escritor, é mostrar as diferentes
opções disponíveis e deixar que o amigo leitor escolha a que melhor se adapta ao seu jeito de
trabalhar. Sem querer influenciar, vou dar a minha opinião. Eu prefiro continuar usando a Barra
de Inicialização rápida (principalmente por que nela existe o botão Mostrar área de trabalho,
que ao clicar nele, minimiza todas as janelas abertas e exibe a Área de trabalho). Eu deixo os
atalhos para os programas que eu mais uso, na Barra de Inicialização rápida e não fixo
nenhum botão na Barra de Tarefas. Com isso, eu sei que os botões que são exigidos na Barra
de Tarefas são somente os botões dos programas que realmente estão abertos, o que é
bastante útil. Se fixarmos botões na Barra de Tarefas, os botões continuam sendo sempre
exibidos, mesmo que o respectivo programa não esteja aberto.

A barra de ferramentas - Gerenciamento de janelas

Uma das principais funções da Barra de Tarefas, continua sendo, facilitar o gerenciamento, o
acesso e a organização das janelas abertas no Windows. Vamos aprender a realizar uma série
de operações sobre as janelas, utilizando a Barra de tarefas. Vamos fazer isso através de um
exemplo prático.

Exemplo: Para utilizar a Barra de tarefas para gerenciar e organizar janelas, siga os passos
indicados a seguir:
1. Faça o logon no Windows 7.

2. Abra o Bloco de Notas: Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Bloco de notas.

3. Abra o Wordpad: Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Wordpad.

4. Abra o Paintbrush: Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Paint.

5. Abra o Word: Iniciar -> Todos os programas -> Microsoft Word.

6. Abra o Firefox (navegador Web, concorrente direto do Internet Explorer). Se você não tiver o
Firefox instalado, pode abrir o Internet Explorer, sem problemas. Neste momento você deve
estar com cinco botões na Barra de tarefas, um para cada um dos aplicativos abertos
anteriormente.

7. Vamos aprender a minimizar todos os aplicativos abertos, utilizando a Barra de tarefas.

8. Dê um clique com o botão Direito do mouse no espaço em branco (espaço sem nenhum
botão, antes do início do espaço ocupado pela Bandeja do Sistema), no final da Barra de
tarefas, à direita do último botão. No menu que surge selecione a opção Mostrar a área de
trabalho, conforme indicado na Figura abaixo.

Minimizando todas as janelas com a opção Mostrar a área de trabalho.

9. Observe que todos as janelas são minimizadas e a Área de trabalho é exibida.


10. Você pode voltar a exibir todas as janelas abertas. Para isso dê um clique com o botão
direito do mouse no espaço em branco, no final da Barra de tarefas. No menu que surge dê um
clique na opção Mostrar janelas abertas. Obviamente que a opção Mostrar janelas abertas
somente estará disponível depois de você ter utilizado a opção Mostrar a área de trabalho,
para minimizar todas as janelas.

11. Para restaurar uma determinada janela, basta clicar com o botão esquerdo do mouse no
respectivo botão na Barra de tarefas. Se apontar o mouse, para um dos botões que estão na
Barra de Tarefas e deixar por alguns segundos, o Windows 7 exibe uma miniatura do
aplicativo. Esta miniatura é especialmente útil, quando se tem muitos aplicativos abertos e,
consequentemente, muitos botões na Barra de tarefas. Nestas situações, o tamanho de cada
botão fica bastante reduzido e não tem como saber a qual documento ou aplicativo o botão se
refere. A exibição da miniatura, permite que você localize a janela com que você deseja
acessar, sem ter que clicar em uma por uma, até achar aquela que você está procurando. As
miniaturas somente serão exibidas se a interface Windows Aero tiver sido habilitada durante a
instalação. E a interface Windows Aero somente será habilitada, durante a instalação, se você
tiver uma placa de vídeo compatível com os requisitos mínimos de hardware exigidos pela
interface Windows Aero. Para uma lista completa e sempre atualizada, sobre os modelos de
placas de vídeo que atendem os requisitos da interface Windows Aero, consulte o seguinte
endereço: http://www.msbetas.org/?page=vistareadygpus

Aqui temos uma novidade interessante do Windows 7. Se você tiver mais de uma janela
aberta, do mesmo aplicativo (por exemplo duas ou mais janelas do Word, com diferentes
documentos carregados), ao apontar o mouse para o botão e deixar por alguns segundos,
serão exibidas várias miniaturas, uma para cada janela.
Se você apontar para uma das miniaturas, o respectivo documento será exibido em primeiro
plano. Clicando na miniatura, o respectivo documento é trazido para primeiro plano e exibido
na tela.

12. Dê um clique no botão relacionado com o Bloco de notas. Observe que a janela do Bloco
de Notas é exibida na tela, em primeiro plano. Se você clicar novamente no botão do Bloco de
Notas, a janela é minimizada.

13. Agora vamos aprender a organizar as janelas abertas no vídeo. Nós temos as seguintes
opções de organização:
Janelas em cascata
Mostrar janelas empilhadas
Mostrar janelas lado a lado

14. Dê um clique com o botão direito do mouse no espaço em branco, no final da Barra de
tarefas e experimente as três opções de organização citadas no item anterior. Por último use a
opção Janelas em cascata.

15. Após ter selecionado uma das opções de organização de janelas, você pode voltar a
disposição anterior a organização. No exemplo do item anterior, organizamos as janelas
utilizando a opção Janelas em cascata. Para voltar as janelas à posição anterior, dê um clique
com o botão direito no espaço em branco, no final da Barra de tarefas e selecione a opção
Desfazer em Cascata. Esta opção somente aparece se você fez a organização em cascata no
item anterior.

16. Para fechar uma janela, utilizando a Barra de tarefas, basta clicar com o botão direito do
mouse no botão correspondente a janela e, no menu que surge, clique na opção Fechar janela.

17. Utilize a Barra de tarefas para fechar o Bloco de notes e o Wordpad.

18. Você também pode minimizar uma janela utilizando a Barra de tarefas. Se uma janela
estiver sendo exibida na tela e você clicar no respectivo botão na Barra de tarefas, a janela
será minimizada. Estando a janela minimizada se você clicar no respectivo botão, a janela será
exibida novamente na tela.
19. Minimize uma das janelas abertas utilizando a Barra de tarefas.

20. Restaura a janela que você minimizou no item anterior, utilizando a Barra de tarefas.

É isso, observe que o funcionamento da Barra de tarefas, em geral, não mudou muito em
relação ao seu funcionamento no Windows XP. As diferenças básicas são em relação ao
tamanho dos ícones/botões, que por padrão são exibidos em tamanho grande, em relação as
miniaturas múltiplas, mas nada que possa assustar.

Importante!: O uso da combinação de teclas Alt+Tab já é conhecido, desde as primeiras


versões do Windows. Com o uso de Alt + Tab, é exibida uma lista dos aplicativos abertos. Você
pode continuar pressionando Tab (sempre mantendo a tecla Alt pressionada), até que o foco
fique no aplicativo que você quer exibir na tela. Uma vez selecionado a aplicativo desejado,
você libera as teclas Alt + Tab e o aplicativo é exibido na tela. No Windows Vista foi introduzida
uma novidade interessante. A lista de aplicativos abertos é exibida no formato de uma lista de
miniaturas. Este é mais um recurso que somente estará disponível se a interface Windows
Aero estiver habilitada no seu computador.

Uma novidade ainda mais interessante, introduzida pelo Windows Vista e também presente no
Windows 7 é conhecida como Flip 3D. A melhor maneira de entender esta novidade é
experimentando. Para ver como funciona o Flip 3D, pressione ao mesmo tempo a tecla com o
logotipo do Windows (botão com o desenho do logo do Windows, que fica entre as teclas Ctrl e
Alt, no canto inferior esquerdo do teclado) e a tecla Tab. Será exibida uma visão em três
dimensões (3D), de todas as janelas abertas, conforme exemplo da Figura abaixo.

O recurso Flip 3D.

Com este recurso você pode, facilmente, localizar a janela que você deseja exibir na tela. Você
pode ir pressionando a tecla TAB, enquanto mantém a tecla com o Logo do Windows
pressionada, que o Windows 7 irá alternando a ordem de exibição das janelas em 3D. Quando
a janela que você deseja exibir for a primeira da lista, basta liberar as teclas Logo do Windows
e a tecla Tab, que a primeira janela da lista será exibida na tela. Este recurso facilita, bastante,
a localização e exibição de uma determinada janela, quando você estiver trabalhando com um
grande número de janelas. Este é mais um recurso que somente estará disponível se a
interface Windows Aero estiver habilitada no seu computador.
Configurando a barra de tarefas

Existem algumas opções e comportamentos da barra de tarefas que podem ser configurados.
Por exemplo, podemos definir se a Barra de tarefas deve ser sempre exibida na tela ou
somente quando a seta do mouse “passa” sobre a Barra de tarefas, podemos definir se devem
ser exibidas barras de ferramentas com botões de comandos e quais barras devem ser
exibidas e assim por diante.

Para acessar a tela de configuração de Propriedades da Barra de tarefas, dê um clique com o


botão direito do mouse no espaço em branco, após o último botão da Barra de tarefas. No
menu de opções que surge dê um clique na opção Propriedades. Será exibida a janela
“Propriedades da Barra de tarefas e do menu Iniciar”, indicada na Figura abaixo:

Propriedades da Barra de tarefas e do Menu Iniciar.

A seguir as opções de configuração da guia Barra de tarefas, da janela de propriedades da


Barra de Tarefas e do Menu Iniciar

Opções da guia Barra de Tarefas:

Bloquear a barra de tarefas: Se esta opção estiver marcada, a barra de tarefas será fixada
(bloqueada) na posição atual na área de trabalho para não poder ser movida para um novo
local. Esta opção bloqueia também o tamanho e a posição de qualquer barra de ferramentas
exibida na barra de tarefas para não ser possível alterá-la. Por padrão, após a instalação do
Windows 7, esta opção vem marcada. Se esta opção estiver desmarcada, o usuário pode
mover a barra de tarefas para qualquer um dos lados da tela: direito, esquerdo, superior ou
inferior (que é o local padrão para a Barra de tarefas). Para mover a Barra de tarefas basta
clicar com o botão direito do mouse no espaço livre, ao lado do último botão, manter o botão do
mouse pressionado e arrastar a barra para um dos lados da tela. Se a opção Bloquear a barra
de tarefas estiver desmarcada a barra de tarefas também poderá ser redimensionada. A barra
de tarefas é como uma janela qualquer. Para redimensioná-la basta apontar o mouse para a
borda da barra de tarefas até que a seta do mouse se transforme em uma seta de ponta dupla.
Depois é só clicar e arrastar para o novo tamanho desejado. Se a Barra de tarefas estiver
desbloqueada também será possível redimensionar o espaço utilizado pelos vários elementos
da Barra de Tarefas. Logo à direita do botão Iniciar, podem ser exibidas uma ou mais Barra de
ferramentas. Depois das barras de ferramentas, vem o espaço para exibição dos botões para
os aplicativos abertos. E, no final, do lado direito, o espaço destinado à Bandeja do Sistema,
onde além da hora, são exibidos ícones para uma série de aplicativos e utilitários instalados no
seu computador, tais como o anti-vírus e anti spyware. Quando a barra de tarefas está
desbloqueada, é possível redimensionar o espaço disponível para a exibição dos botões
associados com os aplicativos abertos. Existe um indicador visual que mostra se a Barra de
Tarefas está ou não bloqueada. Observe que antes de começar o espaço para a Bandeja do
sistema, tem três carreiras verticais de pontos. Existem outras três carreiras de pontos, no lado
esquerdo do primeiro botão que é exibido na Barra de Tarefas. Este é o indicativo visual de que
a Barra de Tarefas está desbloqueada. Se não estiverem sendo exibidas estas carreiras de
pontos, a Barra de Tarefas está bloqueada. Estando a Barra de Tarefas desbloqueada, você
pode apontar o mouse para as Carreiras de pontos, até que o mouse se transforme em uma
seta de ponta dupla na horizontal. Neste momento você pode clicar com o botão esquerdo,
manter o botão pressionado e arrastar, para redimensionar o espaço disponível para serem
exibidos os botões relacionados aos aplicativos abertos, na Barra de Tarefas.

Ocultar automaticamente a barra de tarefas: Ao marcar esta opção, a Barra de Tarefas


será, automaticamente, ocultada, sempre que o cursor do mouse não estiver sobre a Barra de
Tarefas. Para exibir novamente a barra de tarefas, aponte para a área da tela em que a barra
de tarefas está localizada.

Usar ícones pequenos: Esta opção faz com que sejam exibidos ícones pequenos, ao invés
dos ícones grandes, que é o padrão do Windows 7. Se esta opção estiver desmarcada (que é o
padrão), serão exibidos botões grandes na Barra de tarefas.

Local da Barra de tarefas na tela: Nesta lista você pode selecionar o local da tela onde
ficará a Barra de tarefas. O padrão é Inferior, ou seja, na parte de baixo da tela. Você tem
ainda as opções Esquerda, Superior e Direita.

Botões da Barra de tarefas: Nesta lista, a opção selecionada por padrão é “Sempre
combinar, ocultar rótulos”. Se esta opção estiver selecionada, e existir várias janelas abertas,
do mesmo programa, os respectivos botões serão exibidos sobrepostos. Ao clicar no botão que
está aparecendo será exibida uma lista de miniaturas das várias janelas do respectivo
programa, para que você possa escolher para qual das janelas você quer alternar, conforme já
foi descrito anteriormente. Nunca é demais lembrar que as miniaturas só serão exibidas se a
placa de vídeo do seu computador tiver suporte para a Interface Aero. Outra opção desta lista é
“Combinar quando a Barra de tarefas estiver cheia”. Com esta opção, os botões de um mesmo
aplicativo, só começarão a ser exibidos sobrepostos, quando não houver mais espaço na Barra
de Tarefas. Com esta opção, enquanto houver espaço na Barra de tarefas, os botões são
exibidos lado a lado. Além disso, se a barra de tarefas ficar repleta de botões de tal modo que
a largura dos botões ultrapasse uma determinada largura, os botões referentes ao mesmo
programa serão agrupados em um único botão. Ao clicar no botão, você poderá acessar o
documento desejado. Se clicar com o botão direito do mouse neste botão, você poderá fechar
todos os documentos que desejar, usando a opção Fechar todas as janelas A última opção
desta lista é Nunca combinar. Se você selecionar esta opção, os botões serão exibidos lado a
lado. Mesmo que você abra várias janelas de um mesmo programa, será exibido um botão
separado, para cada janela, mesmo que não haja mais espaço na Barra de tarefas. Quando
terminar o espaço da Barra de tarefas, será exibida uma flecha dupla para baixo, no final da
Barra de tarefas. Ao clicar nesta flecha dupla, será exibida a lista dos botões que estão ocultos,
por não haver espaço suficiente na Barra de tarefas. Você pode clicar em qualquer opção da
lista, para acessar a respectiva janela.

Usar Aero Peek para visualizar a Área de Trabalho: Este botão está na Extremidade
direita da Barra de tarefas, depois da hora e data do sistema. É um botão que parece uma
coluna vertical bem estreita, conforme indicado na Figura a seguir. Se esta opção estiver
marcada, ao apontar o mouse para o botão Mostrar Área de Trabalho (basta apontar, não é
preciso clicar), todas as janelas abertas serão minimizadas e a Área de Trabalho será exibida.
Ao afastar o mouse do botão, todas as janelas voltam a situação que estavam antes de terem
sido minimizadas. Confesso que no começo eu demorei um pouco até me acostumar com este
novo botão Mostrar Área de Trabalho. Diversas vezes eu me peguei indo com o mouse para
perto do Botão Iniciar, em busca do antigo botão Mostrar Área de Trabalho. Mas agora, que já
me acostumei com esta novidade, confesso que já estou achando bem mais prático do que nas
versões anteriores.

O botão Mostrar a Área de Trabalho.

Botão Personalizar, da opção Área de Notificação: Este botão permite que façamos
algumas configurações da Área de Notificação (que é o espaço onde é exibida a data e hora do
sistema e também ícones para alguns programas, tais como antivírus, placa de rede, etc.). Ao
clicar no botão Personalizar, será exibida a janela Ícones da Área de Notificação, indicada na
Figura abaixo.

A janela Ícones da Área de Notificação


OBS: Esta janela também pode ser aberta através da opção Ícones da Área de Notificação, do
Painel de Controle.

Observe que nesta janela vem marcada, por padrão, a opção “Sempre mostrar todos os ícones
e notificações na barra de tarefas”. Este é o comportamento padrão, ou seja, o programa ou
serviço que tiver um ícone configurado para ser exibido na Bandeja do Sistema (extremidade
direita da Barra de tarefas, onde fica a data e hora e alguns ícones), terá o ícone sendo exibido
e notificações sendo exibidas, na forma de Balões de mensagens. No Windows 7 você tem a
opção de configurar, individualmente, o comportamento de cada programa que exibi ícones na
Bandeja do Sistema. Para poder fazer esta configuração individualmente, primeiro você deve
desmarcar a opção “Sempre mostrar todos os ícones e notificações na barra de tarefas”.
Desmarque esta opção. Ao desmarcar esta opção, a caixa de Combinação ao lado de cada
programa será habilitada. Nesta caixa você tem as seguintes opções:

Mostrar somente notificações: Esta opção exibe somente notificações, na forma de


Balões de texto. O ícone relacionado ao programa não será exibido na Bandeja do Sistema,
somente as notificações, quando existirem. Por exemplo, o Windows Update emite avisos
quando novas atualizações estão disponíveis ou quando novas atualizações foram
automaticamente instaladas.

Mostrar ícones e notificações: Esta opção exibe o ícone associado ao programa e exibe
as notificações, quando disponíveis.

Ocultar ícones e notificações: Esta opção faz com que o ícone associado ao programa
seja ocultado e também desabilita as notificações. Na prática o programa deixa de usar a
Bandeja do Sistema.

Nesta janela você também tem o link “Restaurar comportamentos padrão de ícones”. Este link,
conforme o próprio nome sugere, restaura o comportamento padrão para todos os programas
que usam a Bandeja do Sistema. Este link só estará habilitado se a opção “Sempre mostrar
todos os ícones e notificações na barra de tarefas” estiver desmarcada. Outro link disponível é
o link “Ativar ou desativar ícones do sistema”. Ao clicar neste link, será aberta uma janela, onde
você pode configurar os ícones relacionados ao Windows 7. Por padrão, estão disponíveis as
seguintes opções:
Relógio
Volume
Rede
Energia
Central de ações

Ao lado de cada opção tem uma lista onde você pode habilitar a exibição do respectivo ícone
(opção Ativado) ou desabilitar a exibição (opção Desativado).
Feitas as configurações desejadas é só clicar no botão OK e pronto, as alterações que você fez
serão aplicadas.

O menu Iniciar e a estrutura do menu "Todos os programas"

O menu Iniciar é o painel de comandos do Windows 7, através do qual temos acesso a


praticamente todas as tarefas/configurações do sistema, atalhos para os programas instalados,
atalhos para os últimos programas abertos, atalhos para os últimos documentos abertos e
assim por diante. O menu Todos os programas (menu Programas nas versões anteriores ao
Windows XP) é acessado através do botão/menu Iniciar. No menu Todos os Programas do
Windows 7, estão disponíveis atalhos para os diversos programas instalados no computador.
Por exemplo, depois de Instalar o Microsoft Office 2007, é criado dentro da opção Todos os
Programas, um menu Microsoft Office. Ao abrir este menu, serão exibidos atalhos para os
diversos programas do Microsoft Office, tais como o Microsoft Word 2007, Microsoft Excel
2007, Microsoft Access 2007, Microsoft PowerPoint 2007, Microsoft Outlook 2007 e assim por
diante.
Temos dois tipos de elementos no menu Todos os programas:
Um atalho que executa um programa ou abre um documento. Por exemplo Iniciar -> Todos
os programas -> Microsoft Office -> Microsoft Office Word 2007, o qual carrega o Word 2007.
Um submenu, o qual pode conter outros submenus ou atalhos para outros aplicativos ou
documentos. Por exemplo, ao clicar em Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios, é exibido
um outro menu de opções. Dentro de um submenu, podemos ter atalhos ou até mesmo outros
submenus como, por exemplo, dentro do submenu Acessórios, temos outros submenus tais
como Acessibilidade, Ferramentas de sistema, etc. Podemos identificar um submenu, pois a
figura associada é o desenho de uma pastinha amarela, a qual é um indicativo de que existem
outras opções dentro do submenu.

O Windows 7, a exemplo das versões anteriores do Windows, monta o menu Todos os


Programas, através de uma estrutura de pastas, subpastas e arquivos de atalho, gravados no
disco rígido. Esta estrutura fica gravada na seguinte pasta: C:\Usuários, caso o Windows
esteja instalado em um outro disco rígido, substitua a letra C:\ pela letra correspondente.
Dentro desta pasta existe uma pasta para cada usuário cadastrado e que já tenha efetuado o
logon no computador. Por padrão existem as seguintes pastas:
Administrador
Público

Se um usuário chamado “apolloc” efetuar o logon, será criada uma pasta com o nome do
usuário dentro de C:\Usuários com o nome apolloc, ou seja, C:\Usuários\apolloc.
Pelo fato de existir uma pasta para cada usuário, modificações feitas por um usuário, no menu
Todos os programas, não irão aparecer para os demais usuários. Isso permite que cada
usuário tenha as suas configurações personalizadas, ou usando o termo técnico, cada usuário
tem um Ambiente de Trabalho personalizado, deixando o menu Todos os programas com a
aparência que julgar mais adequada.

Dentro da pasta de cada usuário existem uma série de pastas, as quais definem as
configurações personalizadas para o usuário. A estrutura do Menu Iniciar, com a parte que é
exclusiva do usuário, fica no seguinte caminho:
C:\Users\apolloc\AppData\Roaming\Microsoft\Windows\Menu Iniciar\Programas
Por exemplo, dentro da pasta Programas existe uma pasta Acessórios. Se abrirmos esta
pasta, iremos encontrar uma pasta para cada um dos submenus do menu Acessórios, bem
como arquivos de atalho para as demais opções.

Dentro da pasta Administrador, por exemplo, aparecem as opções que foram configuradas
pelo usuário Administrador. Se um outro usuário instalar um programa, o qual coloca um
atalho no menu Programas, este atalho não irá aparecer para os demais usuários.

Executando programas

Quando um novo programa é instalado no Windows 7, automaticamente será criada uma


entrada na opção Todos os Programas do menu Iniciar. Se o programa que está sendo
instalado é composto por um conjunto de aplicativos será criado um submenu e os atalhos para
os aplicativos serão colocados dentro deste submenu. Esta é uma maneira de manter o menu
Todos os Programas organizado. Por exemplo, ao instalar o Microsoft Office 2007, dentro do
menu Todos os Programas é criado o submenu Microsoft Office, dentro do submenu
Microsoft Office, aparecem atalhos para o Word, para o Excel, para o Access e assim por
diante. Após ter instalado qualquer programa, é dentro do menu Todos os Programas que
devemos procurar atalhos para iniciar o programa recém instalado. Para executar um
programa, basta apontar o mouse para o atalho referente ao programa e clicar.

Com o comando Executar (Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios -> Executar), você
precisa digitar o comando completo para executar o programa desejado. Por exemplo, se você
tiver um jogo chamado game.exe, que se encontra em uma pasta chamada jogos, você teria
que digitar o comando completo, da seguinte maneira: c:\jogos\game.exe. Para os aplicativos
que fazem parte do Windows não é necessário digitar o caminho completo. Por exemplo, para
executar a calculadora basta digitar calc.exe, para o Bloco de Notas notepad.exe e assim por
diante.
OBS:: Até o Windows XP, o comando Executar ficava diretamente em Iniciar -> Executar. Com
o Windows 7 (a exemplo do Windows Vista), este comando foi deslocado para Iniciar -> Todos
os Programas -> Acessórios -> Executar. Um atalho para abrir a janela Executar é pressionar a
tecla com o Logotipo do Windows (tecla com o logo do Windows, que fica entre as teclas Ctrl e
Alt) e mantê-la pressionada e pressionar a tecla R.

Exemplo: Para iniciar a calculadora utilizando a opção Executar, siga os passos indicados a
seguir:
1. Selecione o comando Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios -> Executar
2. Será aberta a janela Executar.
3. No campo Abrir digite calc.exe e dê um clique no botão OK.
4. A calculadora será aberta.

Exemplo: Executando aplicativos no Windows 7.


1. Vamos executar alguns aplicativos a partir do menu Iniciar e do comando Executar.

2. Dê um clique em Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios. Dentro de Acessórios aponte
para Bloco de Notas e dê um clique. O Windows abrirá um editor de textos bastante simples,
utilizado apenas para elaboração de documentos de rascunho. Dê um clique no botão fechar,
para encerrar o Bloco de notas.

3. Abra a Calculadora que se encontra dentro do menu Acessórios.

4. Dentro de Acessórios aponte para Ferramentas do Sistema, neste menu clique Agendador
de Tarefas. Feche o Agendador de tarefas.

5.Agora vamos abrir um programa utilizando o comando Executar.


6. Clique em Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios -> Executar. Será exibida uma janela
Executar. No campo Abrir, digite: wordpad.exe

7. Dê um clique em OK e o Windows abre o Wordpad, um editor de textos um pouco mais


sofisticado do que o Bloco de notas. Feche o Wordpad.

Nota: Se você digitar o nome de um programa que não existe no seu computador, o Windows
emite uma mensagem de erro, avisando que não foi possível localizar o programa.
Você também pode abrir um documento diretamente através do comando Executar. Por
exemplo, se você tiver um documento chamado memorando.doc dentro da pasta
Documentos, do drive C:, para abri-lo através do comando executar, basta digitar o seguinte
no campo Abrir: C:\Documentos\memorando.doc. Pelo fato do arquivo ser .doc, o Windows
reconhece que é um arquivo do Word, carrega o Word e abre o arquivo para você.

Iniciando programas com o Windows Explorer ou com o Computador:

Você também pode iniciar programas utilizando o Windows Explorer ou o Computador. No


Windows Explorer, temos uma visão geral de todos os Drives locais (disquete, disco rígido, CD-
ROM) e Drives de rede que estão disponíveis. Para executar um programa utilizando o
Windows Explorer, basta navegar até a pasta onde esta o programa e dar um clique duplo no
ícone do programa.

O Computador não exibe os drives em uma forma de árvore como o Windows Explorer, mas
sim o conteúdo de uma pasta por vez. Se você quiser executar um programa que esta na pasta
Jogos do disco rígido. Primeiro você abre o Computador, depois o Drive C: . Dentro do drive C:
abra a pasta Jogos e, finalmente, dentro da pasta jogos dê um clique duplo no programa que
você deseja executar.

Criação de atalhos na Área de Trabalho

Como vimos anteriormente, logo após a instalação, o Windows 7 apresenta uma Área de
trabalho completamente “limpa”, isto é, sem nenhum ícone/atalho, com exceção do ícone para
a Lixeira. A maioria dos usuários gosta de ter, diretamente na Área de trabalho, atalhos para os
programas que o usuário mais utiliza. Por isso é muito comum termos usuários com atalhos
para o Word, para o Excel e para outros programas muito utilizados, na Área de trabalho.
Neste tópico veremos como é fácil e rápido criar atalhos na Área de trabalho.

Sempre que você instala um novo programa no Windows, novas entradas são criadas dentro
do menu Todos os Programas do menu Iniciar, conforme visto anteriormente. Para acessar o
programa recém instalado você precisa abrir o menu Iniciar, clicar em Todos os Programas,
apontar para a entrada criada pelo programa e clicar para executá-lo. Para programas que
você executa com bastante frequência, pode ser mais prático colocar um atalho para executar
o programa, diretamente na área de trabalho. Na Figura abaixo temos um exemplo onde foram
adicionados diversos ícones/atalhos na área de trabalho.

A Área de Trabalho com alguns Ícones/Atalhos.

No Windows 7 podemos criar atalhos facilmente, arrastando-os a partir do menu Todos os


Programas, diretamente para a área de trabalho. Esta novidade foi introduzida no Windows 98
e está presente no Windows 2000, tendo sido mantida no Windows XP, Windows Vista e no
Windows 7. Somente devemos tomar o cuidado de arrastar com o botão direito do mouse, pois
caso contrário iremos mover o atalho do menu Todos os Programas para a Área de
Trabalho, isto é, o atalho será retirado do menu Todos os Programas e Colocado na Área de
Trabalho.

Exemplo: Para criar atalhos na Área de trabalho, siga os passos indicados a seguir:

1. Vamos criar um atalho para o Wordpad na área de trabalho, arrastando-o a partir do Menu
Acessórios.

2. Dê um clique no menu Iniciar, clique em Todos os Programas e depois em Acessórios.


Aponte o mouse para o Wordpad, clique com o botão direito do mouse e mantenha o botão
direito pressionado. Mova o mouse para arrastar o atalho em direção a área de trabalho.
3. Solte o atalho para o Wordpad na posição Desejada. Ao liberar o mouse irá surgir um menu
de opções. Dê um clique na opção Criar atalhos aqui.

4. Feito isso o atalho para o Wordpad será colocado na Área de trabalho. Você pode repetir
estes passos para qualquer item do menu Iniciar.

OBS: Você também pode colocar atalhos para as pastas que são acessadas com mais
frequência. Por exemplo, se você tem uma pasta Relatórios, dentro da qual tem documentos
que você está usando com frequência, você pode colocar um atalho para esta pasta,
diretamente na área de trabalho. Para isto basta abrir o Windows Explorer, navegar até a pasta
Relatórios e arrastar, com o botão direito do mouse, a pasta Relatórios, para a área de
trabalho. Repito: ARRASTE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE, JAMAIS COM O
ESQUERDO.

5. Se você precisa colocar atalho para um programa que não se encontra no menu Iniciar, você
terá que localizar o programa com o Windows Explorer ou o Computador e arrastá-lo para a
área de trabalho, utilizando o botão direito do mouse, conforme descrito anteriormente.

OBS: No Windows 7 existe uma maneira bem mais fácil para criar um atalho na Área de
trabalho. Basta navegar até a opção a ser colocada na Área de trabalho, clicar com o botão
direito do mouse nesta opção. No menu que surge aponte para a opção Enviar para, no novo
menu que se abre dê um clique na opção Área de trabalho (criar atalho).

Criando atalhos na barra de início rápido

Uma novidade introduzida no Windows 98, também utilizada no Windows 2000 e no Windows
XP e que também está presente no Windows Vista e no Windows 7 é a possibilidade da
adicionarmos Barras de Ferramentas diretamente na Barra de tarefas. Uma Barra de
Ferramentas, nada mais é do que um conjunto de atalhos para diversos aplicativos ou pastas.
No Windows 2000 e no Windows 98 a barra de ferramentas Inicio Rápido era
automaticamente habilitada (e era denominada Barra Iniciar Rapidamente), durante a
instalação do sistema. Já no Windows XP, no Windows Vista e no Windows 7 está barra é
desabilitada por padrão.

No Windows 7 podemos adicionar as seguintes barras de ferramentas, na Barra de tarefas:

Início Rápido: Esta barra é utilizada para a adição de atalhos para os programas que
utilizamos com mais frequência. Podemos utilizar atalhos na área de trabalho, na barra Início
Rápido ou em ambos os locais, depende da preferência do usuário.
Barra de idiomas: Com o Windows 7 podemos ter múltiplas configurações regionais, as
quais influenciam na configuração do teclado, na formatação de números e datas e assim por
diante. Podemos alternar entre uma configuração e outra facilmente. Por exemplo, se você
está criando um documento que utiliza parágrafos em inglês e português, você pode alternar
para as configurações em Português quando estiver digitando um parágrafo em Português e
depois alterar para as configurações em Inglês quando estiver digitando um parágrafo em
Inglês. Esta barra é adicionada próxima a data e hora do sistema, na Bandeja do sistema. As
configurações atualmente em uso são indicadas por uma abreviatura de duas letras, por
exemplo: P<titulo> Português-Brasil, EN= Inglês EUA e assim por diante.
Links: Exibe a barra de Links do Internet Explorer, diretamente na Barra de tarefas. Na
barra de ferramentas Links temos atalhos para os sites mais utilizados, sendo que os
endereços desta barra podem ser configurados utilizando o Internet Explorer.
Endereço: Exibe o campo Endereço do Internet Explorer diretamente na barra de tarefas.
Você pode digitar um endereço da Internet e pressionar Enter. O Windows 7 abre o Internet
Explorer e carrega o endereço digitado. É uma maneira rápida de abrir um site da Internet.
Área de trabalho: Cria uma barra com os mesmos atalhos contidos na Área de trabalho do
usuário. Por padrão a Barra é criada no estilo menu, onde são exibidos os nomes dos atalhos e
ícones pequenos. Você pode configurar para que não sejam exibidos os nomes dos atalhos e
que sejam exibidos ícones grandes.
Para exibir/ocultar uma das barras de ferramentas descritas anteriormente, basta clicar com o
botão direito do mouse em um espaço em branco na barra de tarefas. No menu de opções que
surge aponte para a opção Barras de ferramentas e clique na barra a ser exibida/ocultada.
Se houver um pequeno sinal de certo ao lado do nome da barra de ferramentas, esta estará
sendo exibida, caso contrário estará oculta. Outra maneira de configurar quais barras serão
exibidas ou ocultadas é acessando as propriedades da Barra de Tarefas (clique com o botão
direito do mouse no espaço livre na Barra de Tarefas e, no menu que é exibido, clique em
Propriedades). Na janela de propriedades da Barra de Tarefas clique na guia Barras de
Ferramentas e marque as Barras que você deseja que sejam exibidas na Barra de Tarefas.

Utilizar a ajuda do Windows 7

Todos os produtos da Microsoft vem com um sistema de Ajuda (Help) com muita informação
sobre o produto. No Windows 7 não é diferente, através da opção Ajuda e Suporte do menu
Iniciar, você tem acesso ao sistema de ajudo do Windows 7.
Clique em Iniciar -> Ajuda e Suporte, será aberta a janela indicada na Figura abaixo.

A tela inicial do Sistema de Ajuda do Windows 7.

A tela inicial apresenta um campo de pesquisa, e os seguintes links:


Quais seriam os primeiros passos com meu computador?
Noções básicas do Windows todos os tópicos
Procurar tópicos de Ajuda
Consultar o site do Windows
Novidades do Windows 7
Introdução ao Windows 7

Ao clicar no item Procurar tópicos de ajuda, será exibida uma lista com as diversas
categorias com tópicos de ajuda, tais como Introdução, Segurança e privacidade, Manutenção
e desempenho, Rede – conectando computadores e dispositivos e assim por diante.
Ao clicar em uma destas opções é exibida uma janela com uma visão geral sobre o assunto
relacionado a categoria clicada e links para diversos outros documentos de ajuda, também
relacionados a categoria clicada.

Ao clicar em um tópico de ajuda, um artigo detalhado sobre o tópico será exibido. Você
também pode pesquisar a ajuda do Windows 7 por uma ou mais palavras chaves, basta digitar
as palavras desejadas no campo Pesquisar na ajuda e pressionar Enter. Na Figura seguinte
temos um exemplo onde a ajuda foi pesquisada utilizando a palavra Criptografia. Observe que
foram encontrados dezenas de tópicos relacionados com a palavra Criptografia. Ao clicar em
um dos tópicos da lista, será exibido um artigo com informações sobre o tópico.

Pesquisando a Ajuda do Windows 7.

Estando em qualquer parte da Ajuda, você pode voltar para a tela inicial da Ajuda, a qualquer
momento. Para isso basta clicar no botão Home (botão com o desenho de uma casa amarela
com o telhado vermelho, que fica um pouco acima do campo de pesquisa da ajuda).

Drives, Pastas e Subpastas

Para armazenar informações, todo computador possui Disco Flexível (o drive de disquete, em
desuso atualmente) e um ou mais Discos Rígidos (o famoso Winchester, ou simplesmente HD).
Toda e qualquer informação armazenada em um computador fica gravada em um arquivo. Por
exemplo, quando se cria um relatório de vendas mensais tem-se que gravá-lo em um arquivo e
nomeá-lo, por exemplo, como "Relatório de Vendas em abril 2010.doc".

Todos os programas e arquivos de dados ficam gravados no disco rígido do computador (HD).
Por uma questão de organização, toda a informação é dividida em pastas e subpastas. Por
exemplo, podemos criar uma pasta chamada Documentos no disco rígido C: e dentro desta
pasta criar subpastas para Relatórios, Memorandos, Ofícios, etc. Podemos ir ainda mais
longe. Dentro da subpasta Relatórios, podemos criar subpastas por ano, como por exemplo
2007, 2008, 2009 e assim por diante. O Windows 7, por padrão, é instalado em uma pasta
chamada Windows, dentro da qual existem diversas outras subpastas necessárias ao
funcionamento do sistema (por padrão é em C:\Windows, a não ser que durante a instalação,
você tenha selecionado um outro volume, tal como D: ou E:, para instalar o Windows 7). O
Programa que utilizamos para trabalhar com Pastas e Arquivos é o Windows Explorer ou o
Computador (até o Windows XP era chamado de Meu Computador). Com o Windows Explorer
ou com o Computador, podemos criar, renomear, mover e excluir pastas e arquivos. Além
disso, através do Windows Explorer podemos visualizar de uma maneira fácil e rápida a
estrutura de pastas, seja ela local ou através de drives da rede.

Devido ao grande volume de informações disponíveis hoje, o número de arquivos no HD do


computador é bastante elevado, na casa dos milhares. Precisamos de alguma maneira para
que possamos organizar essa informação toda. Para realizar a Tarefa de Organizar a
informação toda, o Windows, nos oferece o conceito de Pastas e Subpastas, que nada mais
são do que divisões lógicas do espaço do HD. Posso criar divisões, por exemplo, por assuntos.
IRPF, IRPJ, Documentos do Word, Memorandos, Programas do Windows, etc. Para cada
assunto teremos uma pasta separada, de tal maneira que os arquivos em nosso HD possam
ficar melhor organizados.

O Windows 7 atribui letras do alfabeto para cada uma das unidades, seja de disquete, HD ou
drive de CD ou DVD, instalados no computador, conforme exemplificado na tabela a seguir:

LETRA DO ALFABETO UNIDADE RESPECTIVA


A: Primeira Unidade de Disquete
B: Segunda Unidade de disquete, se existir, caso não exista
a segunda unidade de Disquete, não existe B: no
computador.
C: Primeiro HD instalado no Computador.
D:, E:, F:, ... Z: Outros HDs, Unidades de CD ou DVD ou Drives de Rede.

Na época em que não havia o computador e toda a documentação da empresa estava em


papel, a empresa comprava um grande arquivo de metal, com várias gavetas. Dependendo do
volume de papéis, poderia até ser necessário mais do que um arquivo. Vamos imaginar cada
arquivo como sendo o equivalente ao HD do computador, onde são armazenadas as
informações. Em cada arquivo existem diversas gavetas. Em cada gaveta, colocamos papéis
sobre um determinado assunto. Por exemplo, podemos deixar uma gaveta para Notas fiscais,
outra para documentos contábeis e assim por diante. As gavetas seriam como as pastas do HD
do computador. Em cada gaveta, posso ter pastas para organizar as informações. Por
exemplo, na gaveta Notas fiscais, posso ter uma pasta para as Notas de cada ano: 2003, 2004,
2005 e assim por diante. Podemos comparar as pastas dentro de cada gaveta, como se
fossem as subpastas usadas pelo Windows. Posso continuar esta divisão em pastas e
subpastas, quantos níveis forem necessários.

Em um mesmo computador podemos ter até quatro discos rígidos instalados localmente. O
Windows 7 utiliza letras para fazer referência aos drives de disquete, aos discos rígidos, aos
drives de CD-ROM ou DVD e aos drives de rede, conforme descrito na tabela anterior. As
letras A e B são reservadas para drives de disquete. Por exemplo, o drive de disquete é
referenciado pelo Windows 7 como A:. Se houver um segundo drive de disquete ele será B:. O
primeiro disco rígido sempre é o C:. As demais letras são utilizadas para outros discos rígidos,
drives de CD e DVD e drives de rede.

OBS: Para descobrir quantos arquivos tem no HD do computador que você usa é bem simples.
Acesse o comando: Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Prompt de comando. Será
aberta a janela de comandos. Digite o comando cd \ e pressione Enter, para ir para a pasta raiz
do seu HD. Digite o comando dir /s e pressione Enter. Aguarde até que uma longa lista, com o
nome de todas as pastas e arquivos é exibida. No final, será exibido o número de arquivos do
HD. A medida que novos programas forem sendo instalados, o número de pastas, subpastas e
arquivos irá aumentando.

O Windows Explorer e o Computador


O Windows Explorer e o Computador (chamado de Meu computador nas versões anteriores do
Windows, incluindo o Windows XP), são os aplicativos utilizados para acessar e trabalhar com
pastas, subpastas e arquivos contidos em um ou mais HDs instalados no computador e
também em drives de rede ou em disquetes e CDs/DVDs. Com o Windows Explorer e com o
Computador, você poderá acessar o conteúdo das pastas existentes, criar novas pastas, copiar
arquivos entre pastas, renomear e excluir pastas e arquivos, formatar disquetes, acessar o
conteúdo dos drives de rede, acessar o conteúdo do drive de CD ou DVD, enfim, fazer todo o
trabalho necessário com pastas e arquivos.

Nas versões anteriores do Windows, havia diferenças consideráveis entre o Windows Explorer
e o Computador (que conforme já vimos, era denominado Meu computador, nas versões
anteriores do Windows). No Windows 7 não existem diferenças. O Windows Explorer ou o
Computador, são exatamente o mesmo aplicativo. A única diferença é que quando você abre o
Windows Explorer, por padrão, vem selecionada a pasta Bibliotecas (No Windows Vista vinha
selecionada, por padrão, a pasta Documentos), do usuário atualmente logado. Ao Abrir o
Windows Explorer, a pasta Bibliotecas já vem selecionada no painel da esquerda e o seu
conteúdo é exibido no painel da direita. Por sua vez, ao abrir o Computador, a opção que vem
selecionada, no Painel da esquerda é a opção Computador e no painel da direita é exibido o
conteúdo do Computador (Drive de Disquete A:, Primeiro HD C: e assim por diante), conforme
indicado na Figura a seguir:

A tela de Abertura da opção Computador.

OBS: No Windows Vista e no Windows 7, o Windows Explorer foi completamente remodelado


em relação as versões anteriores do Windows. A interface é completamente nova, os menus e
configurações são novos e, principalmente, a maneira de navegar é completamente diferente
das versões anteriores, até o Windows XP.

A primeira coisa que precisamos saber é que, a exemplo do que aconteceu no Windows 2000
e no Windows XP, o Windows Explorer mudou de lugar no Windows 7 em relação ao Windows
95/98/Me. Nas versões anteriores, até o Windows 98, ele era acessível através do menu
Iniciar, na opção Programas. No Windows 7 o Windows Explorer foi deslocado para dentro do
menu Acessórios. Vamos utilizar um exemplo prático para descrever as principais
funcionalidades da interface do Windows Explorer. Através do exemplo a seguir, mostrarei a
funcionalidade básica da nova interface do Windows Explorer e como navegar através dos
recursos do computador.
Exemplo: Conhecendo e utilizando o novo Windows Explorer.

1. Faça o logon com uma conta com permissão de Administrador.

2. Clique em Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios. No menu de opções que surge
dê um clique em Windows Explorer. Será carregado o Windows Explorer e exibido na tela,
conforme indicado na Figura a seguir:

O novo Windows Explorer.

3. Conforme já visto, o Windows Explorer vem com uma série de novidades em relação as
versões anteriores do Windows. A primeira e mais visível é que não é mais exibido o tradicional
menu de opções: Arquivo, Editar, Exibir, Favoritos, Ferramentas e Ajuda. Ao invés disso, são
exibidos os botões Voltar para (botão Azul com o desenho de uma seta branca, para a
esquerda) e Avançar para (botão Azul com o desenho de uma seta branca para a direita).
Estes botões tem funcionalidades semelhantes aos botões Voltar e Avançar do Internet
Explorer. Por exemplo, se você entra no drive C:, dentro do C: entra na pasta Documentos
(C:\Documentos) e dentro da pasta Documentos, entra na subpasta Memorandos
(C:\Documentos\Memorandos). Se você clicar no botão Voltar para, você irá voltar para a pasta
Documentos (C:\Documentos). Estando dentro da pasta Documentos, depois de ter estado na
pasta C:\Documentos\Memorandos, se você clicar no botão Avançar para, você entra
novamente na pasta Memorandos C:\Documentos\Memorandos. Se você apenas apontar o
mouse para o botão Voltar para ou Avançar para e aguardar alguns segundos, o Windows 7
exibe o nome da pasta para a qual você irá, caso clique no respectivo botão.

4. Ao lado dos botões Voltar para e Avançar para, existe um campo, onde o Windows
Explorer mostra em que local você se encontra. Por exemplo, ao abrir o Windows Explorer, por
padrão é aberta a pasta Bibliotecas, do usuário logado. Se você estiver logado, por exemplo,
com a conta de um outro usuário, ao abrir o Windows Explorer, será, automaticamente, aberta
a pasta Bibliotecas, do usuário indicado. Aqui temos outra mudança importante do Windows
Explorer. Neste campo de endereço, ao lado dos botões Voltar para e Avançar para, não é
exibido o caminho completo da pasta selecionada, como, por exemplo,
C:\Documentos\Memorando. Ao invés disso, é exibido um caminho relativo a pasta base do
usuário logado. Por exemplo, se o usuário logado for klayton, ao abrir o Windows Explorer, a
pasta Bibliotecas deste usuário será aberta, automaticamente e no campo endereço, será
exibido Bibliotecas >, conforme indicado na Figura anterior.

Dica: Caso você queira que seja exibido o caminho real, no tipo C:\..., onde se encontra a pasta
atual, é bem simples. Clique com o botão esquerdo do mouse, dentro do campo endereço e o
Windows Explorer passará a exibir o caminho completo. Por exemplo, ao acessar a pasta
Documentos, do usuário klayton ao clicar no campo endereço, passou a ser exibido o caminho
completo para a pasta Documentos, do usuário klayton, que é o seguinte:
C:\Users\klayton\Documents, conforme indicado na Figura a seguir. Para voltar a exibir o
caminho relativo, clique de volta na pasta Documentos, no painel da esquerda do Windows
Explorer. Aqui temos outro detalhe interessante. Ainda usando o nosso exemplo, onde está
sendo exibido o caminho relativo: Computador > Disco Local (C:) -> Usuários -> klayton >
Documentos >. Observe que antes de klayton, à esquerda do campo Endereço, tem um botão
com o desenho de uma flechinha. Se você clicar nesta flechinha, será exibido um menu para
você navegar para a Área de trabalho (Desktop), para a pasta base do usuário logado (no
nosso exemplo klayton, para a Rede, para a Lixeira e atalhos para todas as pastas, gravadas
diretamente na Área de trabalho. Observe que este menu, nos dá um acesso rápido a vários
opções de navegação, permitindo acessar, facilmente, opções tais como o Área de Trabalho,
Lixeira ou a rede.

Exibindo o caminho completo, no campo Endereço.


Menu de Navegação do campo Endereço.

Observe que este botão de navegação, com o desenho da setinha para a direita, está
disponível ao lado de cada parte do caminho relativo. Por exemplo, clique no botão com o
desenho da setinha para a direita, que está ao lado de klayton. Você terá um amplo menu, com
atalhos para navegar para as diversas pastas com dados pessoais do usuário klayton, tais
como Ambiente de rede, Documentos, Favoritos, Downloads, Jogos, Músicas, Imagens, etc,.
Observe que este menu, que é acessado clicando no botão com a setinha para a direita, dentro
do campo endereço, nos oferece a oportunidade de acessar, rapidamente, diversas pastas e
atalhos, os quais provavelmente serão os mais utilizados. Com esta nova estrutura de
navegação, fica bem mais fácil para acharmos, de maneira rápida e direta, um atalho para uma
ou mais das pastas com as quais mais frequentemente trabalhamos.

Menu de Navegação ao lado de cada pasta do campo Endereço

Navegando por Pastas e Subpastas

Agora vamos analisar a estrutura de navegação do Windows Explorer. No Windows 7, ainda é


mantida a estrutura com dois painéis e o funcionamento das versões anteriores, ou seja, você
seleciona uma pasta, drive ou algum outro item no painel da esquerda e, no painel da direita é
exibido o conteúdo do item selecionado. Este funcionamento continua o mesmo. O que mudou,
bastante, foi a aparência e o funcionamento do painel da esquerda, mudanças estas que
passarei a discutir a partir de agora.
Na Figura a seguir temos o Painel da esquerda:
O Painel da Esquerda do Windows Explorer

O Painel da esquerda é dividido em duas partes. Na parte de cima, temos uma lista de links
Favoritos. Por padrão são exibidos links para Alterados Recentemente, Área de Trabalho,
Downloads, Locais e Público. Abaixo da lista de Favoritos, é exibida uma estrutura de
navegação chamada de Pastas, através da qual podemos ter acesso a todos os recursos do
computador. Inicialmente vem a opção Biblioteca, a qual oferece atalhos rápidos para os itens:
Documentos, Imagens, Músicas e Vídeos. E logo abaixo vem a opção Computador, a qual
oferece acesso a todos os drives locais e de rede. E, por fim, a opção Rede, a qual permite
acessar recursos nos demais computadores da sua rede local.

OBS: Observe que ao lado de alguns itens tem o desenho de uma setinha para a direita. Esta
setinha é equivalente ao sinal de + que era exibido nas versões anteriores do Windows
Explorer, até o Windows XP. A setinha indica que existe mais itens dentro do item ao lado do
qual está a setinha. Se você clicar na setinha, o respectivo item será expandido e o seu
conteúdo será exibido. Quando um item está fechado, a setinha é uma setinha cinza, para a
direita e sem inclinação. Quando um item está aberto, a setinha indicada é uma setinha preta,
levemente inclinada. Esta setinha preta, equivale ao sinal de menos que era exibido ao lado de
um item aberto, nas versões anteriores do Windows Explorer, até o Windows XP. Se você
clicar nesta setinha preta, o respectivo item será fechado novamente e a setinha a ser exibida,
volta a ser uma setinha cinza, sem inclinação.

Vamos navegar um pouco pelos recursos do computador, para entender bem o funcionamento
desta estrutura de navegação, através do painel Pastas.

Utilize a barra de rolagem, para se deslocar até o início da lista de itens do painel Pastas e
localize o item Documentos (dentro do grupo Bibliotecas). Dentro de Documentos existem
outros dois atalhos: Documentos (que aponta para os documentos do usuário atualmente
logado) e Documentos Públicos (que aponta para a pasta de documentos públicos, disponíveis
para qualquer usuário que fizer o logon). Vamos trabalhar com a opção Documentos, que está
dentro da biblioteca Documentos. Aponte o mouse para o item Documentos (sem clicar) e
verifique se a setinha exibida ao lado do item é uma setinha cinza sem inclinação ou preta com
inclinação. Se for uma setinha cinza, sem inclinação, é por que o item está fechado. Se o item
estiver fechado, clique na setinha cinza ao lado esquerdo de Documentos e observe que todos
os itens, dentro de Documentos, passam a ser exibidos abaixo de Documentos. Observe que a
setinha ao lado de Documentos passou de uma seta cinza, sem inclinação, para uma seta
preta, inclinada. Se você clicar na seta preta inclinada, o item Documentos será novamente
fechado. Estando com o item Documentos aberto, observe os itens exibidos abaixo dele,
conforme indicado na Figura a seguir:

O conteúdo da pasta Documentos do usuário logado.

No Painel da Esquerda, clique na setinha cinza ao lado de Computador. Observe que este item
é aberto e são exibidos atalhos para os diversos drives disponíveis (C:, D:, etc), bem como
para drives de rede, caso você tenha acesso a um ou mais drives de rede.
Experimente clicar na setinha branca ao lado da opção Disco local (C:). Observe que são
exibidas, abaixo desta opção, todas as pastas do drive C: Clique em uma das pastas para
selecioná-la. O conteúdo da pasta selecionada será exibido no Painel da direita, conforme
exemplo da Figura a seguir, onde está sendo exibido o conteúdo da pasta Usuários.

O conteúdo da pasta Usuários.

Observe que não é tão difícil de navegar através do painel de Pastas. A navegação até que
guarda semelhanças com as versões anteriores do Windows Explorer. Somente o sinal de + foi
substituído por uma flechinha cinza, sem inclinação e o sinal de – foi substituído por uma
flechinha preta, inclinada. Mas a ideia básica de navegação é exatamente a mesma, ou seja,
navegar no painel da esquerda, até encontrar o item desejado e clicar no item desejado, para
selecioná-lo. Uma vez selecionado, o seu conteúdo será exibido no Painel da direita. Neste
ponto não mudou muito em relação as versões anteriores.

Dica: Você também tem a opção de ocultar e exibir todo o conteúdo do painel da esquerda,
conhecido como Painel de navegação. Para ocultar o Painel da esquerda use o comando:
Organizar -> Layout -> Painel de navegação. Para voltar a exibir novamente o Painel de
navegação, use novamente o comando: : Organizar -> Layout -> Painel de navegação

7. Bem, da estrutura básica de navegação é isso. Nas próximas lições, você aprenderá a
trabalhar com pastas e subpastas, copiar arquivos e pastas, excluir arquivos e pastas,
renomear arquivos e pastas. Você também aprenderá diversas outras configurações e usos do
Windows Explorer. Por enquanto feche o Windows Explorer.

Criando Pastas e Subpastas


Trabalhando com pastas e arquivos:

Para armazenar informações de maneira permanente, isto é, informações que não são
perdidas quando o computador é desligado, devemos gravar as informações em arquivos em
um disquete, no HD ou em um CD/DVD. O disquete é uma solução para gravar pequenos
arquivos, devido à pequena capacidade de armazenamento do disquete: 1,44 MB. O CD-ROM,
conforme o próprio nome indica (ROM = Read Only Memory, ou seja, Memória Apenas de
Leitura) é um dispositivo que só pode ser gravada uma vez e os arquivos nele gravados não
podem ser alterados. Por isso toda a informação que temos no computador, inclusive os
arquivos do Windows 7, ficam gravados no disco rígido (HD), em diversas pastas e subpastas,
conforme já descrito anteriormente. No disco rígido é possível gravar, alterar e, se for
necessário, excluir informações.
O Windows 7 é composto de milhares de arquivos, o Microsoft Office também e assim qualquer
programa que instalamos é composto por um grande número de arquivos. Para organizar toda
esta informação o Windows 7 utiliza o conceito de pastas e subpastas. Este conceito não é
nenhuma novidade. Desde a época do MS-DOS já havia o conceito de diretórios e
subdiretórios, só o que mudou, a partir do Windows 95 foi o nome – de diretório para pastas – e
a possibilidade de termos nomes longos para pastas e arquivos, pois na época do MS-DOS e
Windows 3.xx estávamos limitados a nomes de no máximo 8 caracteres.

Podemos pensar numa pasta como se fosse (e na prática é) uma divisão lógica/organizacional
do disco rígido, divisão esta utilizada para organizar as informações. Assim temos uma pasta
na qual é instalada o Windows (e várias subpastas com as diferentes partes do Windows),
temos uma pasta Arquivos de programas, dentro da qual é criada uma subpasta para cada
programa instalado no computador, por exemplo temos a subpasta C:\Arquivos de
programas\Microsoft Office, onde são instalados os arquivos do Office e assim por diante. Os
principais objetivos da utilização de pastas e subpastas é organizar a informação que está no
disco rígido e facilitar a localização de arquivos e pastas.

Nota: Nos exemplos que apresentaremos serão criadas pastas e subpastas no disco rígido C:.
Também é possível criar pastas e subpastas no disquete, apenas temos que lembrar que a
capacidade do disquete, em termos de espaço de armazenamento, é bastante reduzida: 1,44
MB.

Criando pastas e subpastas com o Windows Explorer:

Neste tópico aprenderemos a criar pastas e subpastas utilizando o Windows Explorer. Para o
exemplo proposto criaremos a estrutura indicada na Figura a seguir. Esta estrutura será criada
diretamente dentro do C:\ A Microsoft sempre recomenda que sejam criadas pastas dentro da
estrutura de pastas do próprio usuário, ou seja, dentro da pasta Documentos do usuário. Neste
exemplo eu vou criar a estrutura diretamente no C:\ por dois motivos:
Mostrar que existe a possibilidade de criar pastas em qualquer parte do drive C:\
Utilizar estas pastas para alguns exemplos sobre Pastas Compartilhadas.

Estrutura de pastas e subpastas para os exemplos práticos.

Exemplo: Para criar a estrutura de pastas e subpastas proposta, siga os passos indicados a
seguir:

1. Faça o logon no Windows 7.

2. Abra o Windows Explorer: Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Windows Explorer.

3. Por padrão, virá selecionada a pasta Bibliotecas, do usuário logado. No meu exemplo, vem
a pasta Bibliotecas do usuário klayton, que é o usuário com o qual estou logado. No campo
endereço, clique na setinha para a direita, que aparece bem no início do campo Endereço e, no
menu de opções que é aberto, clique em Computador, conforme destacado na figura a seguir.
Esta é uma maneira rápida de acessar pontos importantes, tais como o Área de Trabalho ou o
Computador, conforme já descrito anteriormente.
Um atalho rápido para os principais itens do Computador.

4. No painel da direita serão exibidos todos os recursos locais e de rede, conforme exemplo da
Figura a seguir, onde é exibido o Drive C:\, o disquete (A:\) e o drive de CD (D:\), denominados
de Dispositivos de Armazenamento Removíveis, além de dois drives de rede (J:\) e (M:\).

Exibindo os recursos locais e de rede.

5. Agora vamos abrir o C:, para exibir o seu conteúdo. Você pode fazer isso de duas maneiras
diferentes. Dando um clique duplo no ícone Disco Local (C:), no painel da direita. Com isso, já
será exibido, no Painel da direita, todo o conteúdo do C: Ou você pode usar o Painel da
esquerda. Clique na setinha para a direita, que aparece ao lado de Computador, para expandir
esta opção. Abaixo de computador, no Painel da esquerda, são exibidos os vários drives e
unidades de rede do computador. Clique na setinha para a direita, ao lado de Disco Local (C:),
para expandir esta opção e exibir, abaixo dela, a lista de pastas do C: Para o nosso exemplo,
vamos utilizar a opção de dar um clique duplo em Disco Local (C:), no Painel da Direita.
Dê um clique duplo na opção Disco Local (C:), no painel da direita. O drive C será aberto e o
seu conteúdo será exibido no Painel da Direita.

Nota: Quando o disco rígido é formatado, um nome é atribuído (conforme você aprenderá no
Capítulo 9). Para alterar o nome do disco rígido, também conhecido como label do disco rígido,
clique com o botão direito do mouse em C: e no menu e opções que é exibido, clique em
Renomear. Digite o novo nome e tecle Enter. Por padrão é atribuído o nome Disco Local, mas
você pode alterar este nome, sempre que necessário.

6. Para criar uma nova pasta temos duas opções diferentes.

Clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço em branco, no painel da direita.
No menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Uma nova pasta, com o nome Nova
pasta é criada no disco rígido. Neste momento não clique nem faça nada, simplesmente digite
o nome da pasta a ser criada e tecle Enter. Quando você digita a primeira letra do novo nome,
o nome Nova pasta é excluído e o nome que você está digitando aparece. Digite Documentos
do chefe e tecle Enter. Pronto a pasta Documentos do chefe foi criada no disco rígido.
ou
Clique no botão Nova pasta (último botão da barra de botões). Uma nova pasta, com o
nome Nova pasta é criada no disco rígido. Neste momento não clique nem faça nada,
simplesmente digite o nome da pasta e tecle Enter. Quando você digita a primeira letra do novo
nome, o nome Nova pasta é excluído e o nome que você está digitando aparece. Digite
Documentos do chefe e tecle Enter. Pronto a pasta Documentos foi criada no disco rígido.
Use qualquer um destes dois métodos, para criar a pasta Documentos do chefe. Observe que
após a criação, a pasta já passa a ser exibida no Painel da direita, no Windows Explorer.

7. Neste momento a pasta Documentos do chefe já foi criada, agora temos que criar as
subpastas. Iniciaremos pela criação das pastas Memorandos e da pasta Ofícios, as quais ficam
diretamente dentro da pasta Documentos do chefe.

8. Como estas pastas serão subpastas da pasta Documentos do chefe, antes de criar estas
pastas temos que selecionar a pasta Documentos do chefe.

9. No Painel da direita, dê um clique duplo na pasta Documentos do chefe para entrar nesta
pasta.

10. Clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco, no painel da direita. No
menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Digite Memorandos e pressione Enter.
Pronto, a subpasta Memorandos foi criada dentro da pasta Documentos do chefe.

11. Clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco, no painel da direita. No
menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Digite Ofícios e pressione Enter. Pronto,
a subpasta Ofícios foi criada dentro da pasta Documentos do chefe.

12. Agora você está em condições de criar as demais subpastas. Apenas lembre que, por
exemplo, para criar as pastas 2000, 2001 e 2002 dentro da pasta Memorandos, primeiro você
precisa “entrar” na pasta Memorandos. Em resumo, se você quer criar uma subpasta, a
primeira coisa a fazer é acessar a pasta na qual será criada a subpasta.

13. No Painel da direita, dê um clique duplo na pasta Memorandos para entrar nesta pasta.

14. Clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco, no painel da direita. No
menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Digite 2000 e pressione Enter. Pronto, a
subpasta 2000 foi criada dentro da pasta Memorandos. Clique com o botão direito do mouse
em um espaço em branco, no painel da direita. No menu que surge selecione o comando Novo
-> Pasta. Digite 2001 e pressione Enter. Pronto, a subpasta 2001 foi criada dentro da pasta
Memorandos. Clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco, no painel da
direita. No menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Digite 2002 e pressione Enter.
Pronto, a subpasta 2002 foi criada dentro da pasta Memorandos.

15. Agora nós temos que entrar na pasta Ofícios para, dentro desta pasta, criar as subpastas
2000, 2001 e 2002. Para acessar a pasta Ofícios, utilizaremos o Painel da Esquerda. No painel
da esquerda, localize a pasta Documentos do chefe, a qual está dentro do Disco Local (C:).
Observe se as pastas Memorandos e Ofícios já são exibidas, abaixo da pasta Documentos do
chefe. Se as pastas Memorandos e Ofícios ainda não estão sendo exibidas, é por que elas
estão ocultas. Se for este o caso, clique na setinha cinza, não inclinada, ao lado de
Documentos do chefe, para exibir o seu conteúdo. Uma vez que as pastas Memorandos e
Ofícios estejam sendo exibidas, abaixo de documentos do Chefe, clique na pasta Ofícios, para
exibir o seu conteúdo no Painel da direita. Observe que a pasta Ofícios está vazia. Isso por que
foi criada recentemente e nenhum arquivo ainda foi gravado nela, nem foi criada nenhuma
subpasta. Agora que já acessamos a pasta Ofícios, vamos criar as subpastas 2000, 2001 e
2002.

16. Clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco, no painel da direita. No
menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Digite 2000 e pressione Enter. Pronto, a
subpasta 2000 foi criada dentro da pasta Ofícios. Clique com o botão direito do mouse em um
espaço em branco, no painel da direita. No menu que surge selecione o comando Novo ->
Pasta. Digite 2001 e pressione Enter. Pronto, a subpasta 2001 foi criada dentro da pasta
Ofícios. Clique com o botão direito do mouse em um espaço em branco, no painel da direita.
No menu que surge selecione o comando Novo -> Pasta. Digite 2002 e pressione Enter.
Pronto, a subpasta 2002 foi criada dentro da pasta Ofícios.

17. Após criada e estrutura proposta, teremos uma série de pastas e subpastas, porém estas
pastas estão vazias, nos próximos exemplos aprenderemos a copiar arquivos para estas
pastas, a renomear pastas e arquivos e a excluir pastas e arquivos. Agora a nossa estrutura de
pastas e subpastas deve estar completa, conforme indicado na Figura a seguir:

Completamos a criação da estrutura de pastas e subpastas, proposta no exemplo.

Copiando Arquivos e Pastas

Copiando arquivos e pastas com o Windows Explorer:


A exemplo de outras tarefas, existem várias maneiras de fazer a cópia de arquivos e pastas. A
seguir descrevo as maneiras mais utilizadas.

Copiando pastas e arquivos utilizando Copiar e Colar:

1. O primeiro passo é selecionar as pastas e/ou arquivos a serem copiados.

DICA: Lembre que você pode selecionar vários arquivos/pastas em sequência, pressionando a
tecla Shift e, mantendo a tecla Shift pressionada, clicar no primeiro e depois no último
arquivo/pasta da lista. Com isso todos os arquivos serão selecionados sequencialmente. Para
fazer uma seleção de uma maneira intercalada, por exemplo selecionar o primeiro, pular o
segundo e o terceiro, selecionar o quarto e assim por diante, utiliza a tecla Ctrl. Pressione Ctrl e
mantenha pressionada e vá clicando nos arquivos/pastas a serem selecionados.

2. Após ter selecionado os arquivos e/ou pastas a serem copiados, execute o comando
Organizar -> Copiar. O Windows copia para a memória, em um local conhecido como Área de
transferência, uma referência aos arquivos/pastas a serem copiados.

DICA: Ao invés do comando Organizar -> Copiar você pode utilizar o atalho Ctrl+C ou pode
clicar com o botão direito do mouse sobre um dos arquivos/pastas selecionados e clicar na
opção Copiar.

3. Navegue até a pasta onde os arquivos/pastas selecionados serão copiados. Esta é a


chamada pasta de destino, ou seja, a pasta para onde os arquivos serão copiados. Este
detalhe é muito importante, ou seja, após copiar os arquivos para a memória você deve
navegar até a pasta de destino e selecioná-la, para indicar ao Windows que é nesta pasta que
você quer fazer uma cópia dos arquivos e/ou pastas selecionados. Estando na pasta de
destino, Selecione o comando Organizar -> Colar.

DICA: Ao invés do comando Organizar -> Colar você pode utilizar o atalho Ctrl+V ou pode
clicar com o botão direito do mouse em qualquer local em branco na pasta de destino e clicar
na opção Colar.

4. Se o tamanho dos arquivos/pastas a serem copiados for muito grande, o Windows abre uma
janelinha com uma pequena folha “voando” da origem para o destino. Uma estimativa do tempo
restante para finalizar a cópia também é exibida.

DICA: Para copiar para o disquete é bem mais simples. Selecione os arquivos/pastas a serem
copiados, sempre lembrando que a capacidade máxima de armazenamento do disquete é 1,44
MB. Clique com o botão direito do mouse em um dos arquivos/pastas selecionados e selecione
o comando Enviar para -> Unidade de disquete (A:). Pronto, todos os arquivos e/ou pastas
selecionados serão copiados para o disquete. Se o tamanho total dos arquivos e pastas
selecionados, ultrapassar a capacidade do disquete, serão copiados arquivos até que seja
atingido o limite de 1,44 MB e depois será emitida uma mensagem de erro, informando que não
tem espaço suficiente no disquete.

Copiando pastas e arquivos utilizando “arrastar e soltar”:

1. O primeiro passo é selecionar as pastas e/ou arquivos a serem copiados, usando as


técnicas de seleção já descritas no exemplo anterior.

2. Para copiar os arquivos selecionados clique com o botão direito do mouse, mantenha este
botão pressionado e arraste para a pasta de destino. Quando a pasta de destino ficar
selecionada (fundo azul claro), libere o botão do mouse. No menu de opções que surge dê um
clique na opção Copiar aqui. O Windows inicia a cópia dos arquivos.

IMPORTANTE: Se você utilizar o botão esquerdo para arrastar para uma pasta de destino,
dentro da mesma unidade que a pasta de origem (por exemplo, ambas estão no drive C:), o
Windows irá mover os arquivos ao invés de copiar. Se você arrastar, utilizando o botão
esquerdo, de uma pasta em uma unidade, por exemplo C:, para outra unidade, por exemplo A:,
o Windows irá copiar.
Para evitar confusões, utilizar sempre o botão direito para arrastar. Com isso ao liberar o
mouse no destino, surge um menu de opções perguntando se deseja copiar ou mover.

DICA: PARA ARRASTAR UTILIZE SEMPRE O BOTÃO DIREITO DO MOUSE, PARA


EVITAR CONFUSÕES.

Renomeando e excluindo arquivos e pastas

Exemplo: Para renomear um arquivo ou pasta, siga os passos indicados a seguir:


1. Abra o Windows Explorer.
2. Localize a pasta ou arquivo a ser renomeado.
3. Clique com o botão direito do mouse no arquivo ou pasta a ser renomeado.
4. No menu de opções que surge, clique na opção Renomear.
5. Digite o novo nome e pressione Enter.

DICA: Você pode renomear qualquer elemento do Windows: arquivo, pasta, atalho, etc,
utilizando o procedimento descrito no exemplo anterior. Por exemplo, para renomear um ícone
da área de trabalho é só clicar com o botão direito do mouse no ícone a ser renomeado e, no
menu que surge clicar na opção Renomear, digitar o novo nome e pressionar Enter.

DICA: Vamos tornar a dica anterior mais genérica. Muitas vezes precisamos realizar uma
determinada operação sobre um elemento do Windows e não lembramos como fazer.
Experimente clicar com o botão direito do mouse no referido elemento e com certeza surgirá
um menu de opções bastante úteis.

Exemplo: Para excluir um arquivo ou pasta, siga os passos indicados a seguir:

1. Abra o Windows Explorer.


2. Localize a pasta ou arquivo a ser excluído.
3. Clique com o botão direito do mouse no arquivo ou pasta a ser excluído.
4. No menu de opções que surge, clique na opção Excluir.
ou
3. Selecione o arquivo ou pasta a ser excluído.
4. Pressione a tecla Delete.
5. Independente do método que você utilize para excluir um arquivo ou pasta, surge uma
janela pedindo confirmação da exclusão.
6. Após excluídos, os arquivos/pastas vão para a lixeira e podem ser recuperados, conforme
veremos mais adiante, ainda neste capítulo.

DICA: Se você quiser excluir um arquivo/pasta e não quer que ele vá para a lixeira, selecione o
arquivo/pasta e pressione Shift+Delete. Ao usar este procedimento o arquivo ou a pasta (e todo
o conteúdo dentro da pasta) serão excluídos em definitivo e não poderão ser recuperados
usando a Lixeira.

Cuidado: Arquivos/pastas excluídos do disquete não são enviados para a lixeira e, portanto,
não poderão ser restaurados.

Cuidado: Ao excluir uma pasta, todo o conteúdo da pasta será excluído, incluindo todos os
arquivos e subpastas que estão dentro da pasta que está sendo excluída.

Os modos de visualização do Windows Explorer

A lista de pastas e arquivos pode ser exibida de diferentes maneiras no Windows Explorer.
Para configurar o modo de exibição você deve clicar no botão com a setinha para baixo, ao

lado do botão Altere o modo de visualização ( ) e selecionar uma das seguintes opções:

Ícones Extra Grandes: Conforme o próprio nome sugere, ao lado de cada pasta e arquivo
é exibido um ícone de tamanho extragrande. Esta forma de visualização é recomendada para
pessoas com deficiências visuais graves.
Ícones Grandes: Exibe ícones grandes, mas não tão grandes quanto na opção Ícones
Extra Grandes.
Ícones Médios: Exibe ícones de tamanho menor do que na opção Ícones Grandes,
permitindo que um número maior de ícones seja exibido na tela.
Ícones Pequenos: Exibe ícones de tamanho pequeno, permitindo que um grande número
de ícones seja exibido na tela do computador. Esta opção é especialmente útil, para pastas
que contenham um grande número de arquivos e/ou subpastas.
Lista: A mesma exibição de Ícones pequenos, com a diferença que na exibição de Ícones
pequenos, as informações são exibidas em linhas (a primeira pasta na primeira coluna da
primeira linha, a segunda pasta na segunda coluna da primeira linha e assim por diante), já no
modo lista, a exibição é em colunas (a primeira pasta na primeira coluna da primeira linha, a
segunda pasta na segunda linha da primeira coluna e assim por diante).
Detalhes: Exibe o nome das pastas/arquivos em uma coluna única. Exibe informações
adicionais, tais como Tipo do arquivo, data da última modificação, tamanho, etc. Você pode
selecionar quais os detalhes que são exibidos neste modo de visualização. Para isso pressione
a tecla Alt por alguns segundos e largue. Será exibido o menu tradicional do Windows Explorer.
Uma vez exibido o menu, clique em Exibir -> Escolher detalhes... Surge a janela indicada na
Figura a seguir. Nesta janela você pode definir quais os detalhes serão exibidos neste modo de
visualização. Na janela Escolher detalhes você pode marcar os detalhes que serão exibidos,
mover um detalhe para cima (botão Mover para cima) ou para baixo (botão Mover para baixo).
Selecione as colunas que você deseja exibir e clique em OK. Cada detalhe é exibido em uma
coluna. Neste modo de exibição, a exemplo dos demais modos, podemos utilizar o botão com
o título das colunas, para classificar a listagem de arquivos/pastas de acordo com a coluna.
Por exemplo, para classificar os arquivos em ordem da data da última modificação, basta dar
um clique no botão Data de modificação, no cabeçalho desta coluna. No primeiro clique a
listagem será classificada em ordem decrescente, isto é, da data mais recente para as datas
mais antigas. Se você der mais um clique, a ordem de classificação será invertida.

Colunas a serem exibidas no modo de visualização Detalhes

Lado a lado: Exibe ícones de tamanho médio, em ordem alfabética, as pastas primeiro
depois os arquivos. A listagem é exibida em duas colunas.
Conteúdo: Esta é mais uma das novidades do Windows 7. Esta forma de exibição mostra
um item por linha, com informações adicionais em cada linha, tais como Data e hora da última
modificação e tamanho e exibe uma linha horizontal entre um item e outro.

DICA: Quando entramos em uma pasta e definimos um modo de exibição, o Windows 7


“lembra” do modo de exibição selecionado, de tal forma que da próxima vez que entrarmos
nesta mesma pasta, será aplicado o modo de exibição que foi selecionado na última vez que
acessamos a pasta.
DICA: Pode acontecer de você preferir que todas as pastas utilizem um determinado modo de
exibição. Por exemplo, conheço usuários que preferem trabalhar sempre no modo lista, outros
sempre no modo Detalhes. Você pode configurar o Windows 7 para que ele adote o mesmo
modo de exibição para todas as pastas, quer sejam pastas do disco rígido, do disquete, de um
drive de rede ou do drive de CD ou DVD. Para isso utilize o Windows Explorer para acessar
uma pasta qualquer e selecione o modo de exibição desejado. Selecione o comando Organizar
-> Opções de Pasta e Pesquisa. Dê um clique na guia Modo de exibição. Na guia Modo de
exibição dê um clique no botão Aplicar às pastas. O Windows 7 pede confirmação. Dê um
clique em Sim para confirmar e está feito, todas as pastas terão o modo de exibição redefinido
para o mesmo modo de exibição da pasta atual. Se você precisar utilizar um outro modo de
exibição, em uma determinada pasta, basta utilizar o botão Altere o modo de visualização

( ) e selecionar o modo de visualização desejado.

DICA: Se você preferir, pode fazer com que o menu tradicional do Windows Explorer, com os
comandos: Arquivo Editar Exibir Ferramentas Ajuda, seja exibido permanentemente e não
somente quando a tecla Alt for pressionada por alguns instantes e liberada.

Exemplo: Para exibir, permanentemente o menu tradicional do Windows Explorer, siga os


passos indicados a seguir:
1. Abra o Windows Explorer.
2. Clique em Organizar -> Opções de Pasta e Pesquisa.

3. Na janela que é aberta, clique na guia Modo de Exibição.


4. Use a barra de rolagem vertical para ir descendo, até localizar a opção Sempre mostrar
menus. Marque esta opção e clique em OK. Pronto, o menu tradicional do Windows Explorer
passará a ser exibido, permanentemente.

DICA: Para deixar de exibir o menu, acesse novamente o comando Organizar -> Opções de
Pasta e Pesquisa, clique na guia Modo de exibição, desmarque a opção Sempre mostrar
menus e clique em OK.

Formatação de Disquetes

Há alguns anos os disquetes novos eram vendidos sem serem formatados. Antes de utilizá-los
precisávamos formatar o disquete. Todo curso de informática básica começava por uma aula
sobre formatação de disquete. Hoje em dia os disquetes já vem previamente formatados (sem
contar que com o advento dos Pendrives, os disquetes praticamente caíram em desuso).
Porém podem existir situações em que você precise formatar um disquete. Por exemplo, pode
ser que você queira apagar o conteúdo de um disquete já em uso, para liberar espaço e utilizá-
lo novamente. Formatar é uma maneira rápida de apagar tudo o que tem no disquete. Neste
item veremos como formatar um disquete no Windows 7.

Cuidado: Ao formatar um disquete todo o seu conteúdo será apagado.


Exemplo prático: Formatando um disquete.
1. Abra Computador: Iniciar -> Meu computador.
2. Clique com o botão direito do mouse no disquete: Unidade de Disquete (A:).
3. No menu que surge dê um clique na opção Formatar...
4. Será exibida a janela Formatar Unidade de Disquete (A:).
5. Se você quiser uma formatação mais rápida marque a opção “Formatação rápida”.
6. Se você quiser criar um disco de inicialização do computador (também conhecido como
disco de boot), marque a opção Criar um disco de inicialização do MS-DOS.
7. Dê um clique no botão Iniciar.
8. Surge uma janela avisando que todos os dados do disquete serão apagados. Dê um clique
em OK para continuar com a formatação.
9. O Windows formata o disquete e ao final do processo uma mensagem de formatação
concluída é exibida. Dê um clique em OK para fechar a mensagem e pronto, o disquete está
formatado.
10. Você estará de volta à janela de Formatação. Dê um clique no botão Fechar, para voltar ao
Computador.
11. Feche o Computador.

Cuidado: Cuide muito para não formatar o disco rígido (normalmente o C:), pois se você fizer
isso todos os seus dados serão apagados e você perderá tudo o que tem no seu computador.

Navegação Avançada com o Computador


Um pouco mais sobre Navegação no Windows Explorer:

O Campo Endereço.

Exemplo prático: Para navegar através dos recursos do computador, usando o campo
Endereço, siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Computador: Iniciar -> Computador.

2. Observe que no campo endereço é exibido o nome Computador. Do lado esquerdo do


nome tem um botão com uma setinha e mais à esquerda uma miniatura de computador. Esta
miniatura é diferente, dependendo de qual elemento você está acessando: Computador, Área
de trabalho, Uma pasta ou um arquivo.

3. Clique no botão com a setinha para a direita, entre a miniatura do computador e a palavra
Computador. Observe as opções que são exibidas. Você tem opções para acessar os
principais recursos do computador, tais como Área de Trabalho, Lixeira, pasta Público, a pasta
do usuário logado e assim por diante.

4. Agora experimente clicar no botão com a setinha para a direita, no lado direito de
Computador. Será exibida a lista de recursos do computador, ou seja, Unidade de Disquete,
Unidade de CD ou DVD, Disco Rígido local e os drives de rede. Na Figura abaixo, temos o
exemplo do menu que é aberto, quando eu clique na setinha para a direita, que está no lado
direito do Computador.

Menu exibindo os drives do Computador.

Esta é uma regra geral, ou seja, o botão com a setinha, que fica á direita de um determinado
elemento, no campo endereço, exibe um menu que dá acesso aos itens contidos no respectivo
elemento. No nosso exemplo, cliquei no botão com a setinha, no lado direito do Computador e
foi exibida uma lista com as unidades do computador. Se você clicar no botão com a setinha, à
direita de uma pasta, será exibido um menu, com a lista de subpastas contidas na respectiva
pasta. Vamos fazer um teste para você entender exatamente como é este funcionamento.

5. No painel da Direita, dê um clique duplo na unidade C: para exibir o seu conteúdo. Observe
que o campo Endereço também mudou. Agora, no campo Endereço, aparece a miniatura de
um HD, indicando que o elemento acessado é uma unidade de disco. Observe também que
aparece o seguinte conteúdo, no campo Endereço:
> Computador > Disco Local (C:) >
O campo Endereço nos mostra sempre o caminho completo do elemento o qual estamos
acessando. Se você clicar na última setinha, á direita de Disco Local (C:), será aberto um
menu, com a lista de pastas contidas no Disco Local C:,

Menu exibindo as pastas do drive Disco Local (C:).

6. No menu que foi exibido, clicando na pasta Caixa, esta pasta é aberta e o seu conteúdo é
exibido no Windows Explorer. Observe novamente o campo Endereço. A miniatura que é
exibida agora é uma pastinha amarela, indicando que o elemento acessado é uma pasta. Mais
uma vez, observe que o caminho exibido é o caminho completo:
> Computador > Disco Local (C:) > Caixa >

Vale insistir com esta nova estrutura de navegação do Windows Explorer, por que ela é
realmente importante. No começo, a tendência do usuário, é tentar usar o Windows Explorer,
da mesma maneira que ele utilizava nas versões anteriores. Pode ser que no começo, você até
se sinta desconfortável com esta nova forma de navegar. Mas aos poucos, com o uso, eu
garanto para você, que nunca mais você vai querer voltar para a velha maneira de acessar
pastas e arquivos, pois a nova estrutura de navegação do Windows Explorer, no Windows 7 é
muito, mas muito mesmo mais prática e fácil de utilizar do que nas versões anteriores. Tenha
paciência, insista um pouco, experimente, faça exercícios e procure se acostumar com a nova
estrutura de navegação. O tempo que você investir agora, para se habituar com esta nova
estrutura de navegação, irá poupar muito tempo para você, no futuro.

DICA: Outro detalhe interessante a ser notado é que as opções do menu que fica abaixo do
campo Endereço, mudam, dependendo de qual elemento está selecionado. Eu me refiro ao
menu que começa com Organizar. O Botão Organizar é o único que nunca muda, ou seja,
independente do conteúdo que está sendo acessado, o primeiro botão sempre será o botão
Organizar. As demais opções mudam, de acordo com o elemento selecionado. Por exemplo,
quando você acessa uma pasta com arquivos de música, como por exemplo, arquivos .mp3 ou
.wma, surgem os comandos Reproduzir todas e Gravar (caso você tenha um drive gravador de
CD ou DVD). Se você seleciona uma pasta com arquivos de dados somente, a opção
Reproduzir todas já deixa de estar disponível. Se você acessar o item Computador, surge um
menu bem extenso, com as opções Propriedades do sistema, Desinstalar ou alterar um
programa, etc. O menu de opções que surge, quando você seleciona a opção Computador tem
tantas opções, que nem todas podem ser exibidas na tela. Observe no lado direito, ao lado da
última opção, surge uma flecha dupla >>. Ao clicar nesta flecha dupla, serão exibidas as
demais opções do menu, que são Mapear unidade de rede e Abrir Painel de Controle. Esta é
outra facilidade do Windows Explorer a qual ajuda, bastante, a acessarmos os itens mais
utilizados no Windows 7.

O Painel de Detalhes e o uso de Meta Dados

Uma área onde o Windows 7 traz melhorias importantes é na área de Meta dados (dados sobre
dados). Não se assuste que eu já explico o que é isso. Nas versões anteriores do Windows, até
o Windows XP, você podia ter informações básicas sobre um determinado arquivo, tais como
Nome do autor, data da criação, tamanho, data da última alteração e uma breve descrição. No
Windows Vista e no Windows 7 foram criados novos campos para inserir informações
adicionais sobre os arquivos e, principalmente, foram adicionados recursos ao Windows
Explorer, os quais permitem classificar e agrupar arquivos, de acordo com as informações
contidas nos meta dados do arquivo. Estas ferramentas e opções facilitam, bastante, a
organização e a localização de arquivos, principalmente em pastas com um grande número de
arquivos.
Um detalhe a ser destacado é o painel de Detalhes, exibido, o qual pode ser exibido na parte
de baixo do Windows Explorer. Neste painel são exibidas informações detalhadas sobre o
elemento selecionado, quer seja ele um drive como o C:, quer seja uma pasta ou arquivo. Se o
Painel de Detalhes não estiver sendo exibido, uso o comando Organizar -> Layout -> Painel de
detalhes. Por exemplo, quando você seleciona um drive como o C:, no painel de Detalhes, são
exibidas informações sobre o espaço livre o tamanho total, conforme indicado na Figura
abaixo:
O Painel de Detalhes.

Quando você seleciona, por exemplo, um documento do Word, são exibidas informações tais
como: Nome do arquivo, tipo do arquivo, Autor, Data da última modificação, marcas, Tamanho
e título. Você pode inserir uma série de informações de meta dados para um ou mais arquivos,
mesmo que eles tenham sido criados antes da instalação do Windows 7. Por exemplo, você
pode associar a expressão “Aniversário de um ano da Ana”, com todas as fotos do aniversário
de um ano, de uma criança chamada Ana (que pode ser sua filha, sobrinha ou conhecida).
Depois, esta informação, pode ser usada, para localizar, rapidamente, todas as fotos do
aniversário de um ano da Ana, independentemente da pasta onde as fotos estejam, mesmo
que elas estejam em pastas separadas. Nas próximas lições eu mostrarei como usar o novo
recurso de Pesquisa do Windows 7. A seguir vamos a um exemplo, sobre como configurar as
opções de meta dados para um arquivo ou pasta.

Exemplo prático: Para inserir informações adicionais para descrever um arquivo ou pasta,
siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Windows Explorer.

2. Após localizar o documento a ser configurado, clique com o botão direito do mouse nele. No
menu de opções que é exibido, clique em Propriedades. Será exibida a janela de propriedades
do arquivo. Dê um clique na guia Detalhes. Nesta guia você tem dezenas de campos de meta
dados, nos quais você pode inserir informações.

3. Clique no espaço em branco ao lado do campo Assunto e, no espaço que é aberto, digite
Revisado, conforme exemplo da Figura a seguir:

4. Observe que existem vários outros campos nos quais você pode inserir informação. No
caso de um documento do Word, temos campos tais como: Autores, Salvo por, Número da
revisão, Empresa, Gerentes, Categorias, etc.
Nota: Observe que algumas das propriedades de meta dados não podem ser alteradas. Estas
são propriedades criadas e mantidas, automaticamente, pelo Windows 7.

6. Insira as informações desejadas e clique em OK. Pronto, foram inseridas informações de


meta dados no arquivo.

DICA: Aqui vai uma dica importante. Vamos ainda considerar o meu exemplo anterior. Eu
tenho mais de 100 arquivos com colunas já publicadas. Então eu terei que entrar em um por
um, para incluir a expressão Revisado, no campo Assunto??? Claro que não. Eu posso
selecionar todos os arquivos das colunas, clicar com o botão direito do mouse em qualquer
parte da seleção, clicar em Propriedades. Será aberta a janela de propriedades. Clique na guia
Detalhes. Altere os meta dados desejados e clique em OK. Pronto, a alteração será aplicada a
todos os arquivos selecionados. Claro que só estarão disponíveis para edição, aqueles campos
que podem ser configurados para todos os arquivos, como por exemplo o Assunto ou
descrição. Outros campos, como o tamanho ou data da última alteração, não estarão
disponíveis para alteração, pois além de serem mantidos automaticamente pelo Windows 7,
tem valores diferentes, para cada arquivo.

Inserindo Meta Dados em um arquivo do Word.

Filtrando e Agrupando o Pastas e Arquivos


O Windows Explorer do Windows 7 vem com recursos que facilitam, bastante, a localização de
pastas e arquivos. Com o recurso de filtragem, você pode aplicar filtros por diversos critérios,
tais como Data da última modificação, nome, tipo de arquivo e assim por diante. O Recurso de
agrupamento, permite criar diferentes visualizações, de tal maneira que o conteúdo de uma
pasta seja agrupado por determinadas características, tais como tipo de arquivo, tamanho, data
da última modificação e assim por diante. Mais uma vez, a melhor maneira de mostrar o uso
destes novos recursos, é através de exemplos práticos.

Agrupando arquivos no Windows Explorer

O recurso de Agrupar Arquivos por um ou mais critérios é uma das novidades do Windows
Explorer no Windows Vista e que também estão presentes no Windows 7. Este é um recurso
adicional, caso o recurso de ordenação, já visto anteriormente, ainda não tenha atendido as
suas necessidades. Por exemplo, você pode Agrupar os arquivos de uma pasta, pelo tipo de
Arquivo. Ao fazer isso, o Windows Explorer irá criar um modo de visualização, como o indicado
na Figura a seguir. Observe que os arquivos do mesmo tipo são agrupados (exibidos juntos).
Antes de iniciar a listagem dos arquivos de um determinado tipo é apresentada uma descrição,
tal como Documentos de texto, Documentos do Microsoft Word 2007 e assim por diante. Além
da descrição do tipo, entre parênteses, é exibido o número de arquivos daquele grupo. No
nosso exemplo temos (PDF) Adobe Acrobat Document (27). O 27 entre parênteses indica que
temos 27 arquivos .pdf nesta pasta. Depois do número de arquivos, entre parêntese vem uma
linha horizontal. No início da linha, ao lado esquerdo da descrição do tipo de arquivo, tem uma
setinha preta, inclinada. Ao clicar nesta setinha, os arquivos do respectivo grupo serão
ocultados, ficando visível somente a descrição do grupo e setinha troca de preta inclinada para
cinza para a direita. Ao clicar na setinha cinza, para a direita, os arquivos do respectivo grupo,
voltam a ser exibidos. Você pode ocultar os arquivos de alguns grupos e deixar sendo exibidos,
os arquivos de outros grupos. Vamos a um exemplo prático, para entender o funcionamento
deste recurso.
DICA: Antes de poder utilizar o recurso de Agrupamento, você deve alternar para o modo de
Exibição Detalhes. Para isso, clique na seta para baixo, ao lado do botão Modos de exibição e,
no menu que é exibido, clique em Detalhes.

Exemplo: Para agrupar arquivos de acordo com um ou mais critérios, siga os passos indicados
a seguir:
1. Abra o Windows Explorer: Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios -> Windows
Explorer.

2. Acesse a pasta onde estão os arquivos que você deseja agrupar.

3. Vamos inicialmente, Agrupar pelo tipo de arquivo. Clique com o botão direito do mouse em
um espaço em branco, no painel da direita, onde é exibida a lista de arquivos da pasta. No
menu de opções que é exibido clique em Agrupar por -> Tipo de item.

4. A listagem de arquivos passará a ser exibida por tipo de arquivo. A descrição de cada tipo é
exibida, juntamente com o número de arquivos do respectivo tipo, entre parênteses. A listagem,
por padrão, é ordenada em ordem crescente da descrição do tipo e, dentro de cada grupo, em
ordem crescente do nome dos arquivos. Ao lado esquerdo da descrição de cada tipo, tem a
seta preta para baixo, o qual oculta a listagem dos arquivos, deixando visível somente a
descrição do tipo. Quando os arquivos de um grupo estão ocultos, a setinha se transforma em
uma seta cinza, não inclinada. Ao clicar nesta seta, a listagem de arquivos volta a ser exibida.

DICA: O Agrupamento é somente uma nova forma de visualização do Windows Explorer. Ou


seja, não são usadas pastas virtuais, para fazer o agrupamento. Por isso, quando você agrupa
os arquivos de uma pasta, ao sair da posta e voltar novamente, será mantida a exibição
agrupada. A seguir, darei exemplos de como desfazer o agrupamento.

5. Você também pode ordenar a exibição dos grupos em ordem Crescente ou Decrescente.
Para isso basta clicar com o botão Direito do mouse em um espaço em branco, no painel da
direita e, no menu de opções que é exibido, clicar em Agrupar por -> Ordem crescente ou
Agrupar por -> Ordem decrescente, de acordo com a ordem desejada.

DICA: Caso você queira fazer o Agrupamento por alguma outra coluna, que não esteja sendo
exibida, clique com o botão Direito do mouse em um espaço em branco, no painel da direita e,
no menu de opções que é exibido, clique em Agrupar por -> Mais. Será exibida a janela
Escolher detalhes. Selecione as colunas desejadas e clique em OK.

6. Para desfazer o agrupamento, basta clicar com o botão Direito do mouse em um espaço em
branco, no painel da direita e, no menu de opções que é exibido, clique em Agrupar por ->
Nenhum. Pronto, o agrupamento é desfeito e volta a exibição normal, no modo de visualização
que estava selecionado, antes de você ter feito o agrupamento.

DICA: Você pode, rapidamente, ocultar os arquivos de todos os grupos ou exibir os arquivos
de todos os grupos. Para isso, basta clicar com o botão direito do mouse exatamente sobre a
linha horizontal que é exibida ao lado da descrição de qualquer um dos grupos. No menu de
opções que é exibido, clique em Expandir todos os grupos, para exibir os arquivos de todos os
grupos ou clique em Recolher todos os grupos, para ocultar os arquivos de todos os grupos, de
tal forma que sejam exibidas apenas as descrições dos grupos. Você também tem a opção de
ocultar apenas os arquivos do grupo em que você clicou, que é a opção Recolher grupo.

Pesquisa - Introdução

Se existe um recurso que foi muito melhorado em relação as versões anteriores do Windows,
foi o recurso de pesquisa. No Windows 7, o recurso de pesquisa é fácil de usar e, o mais
importante, muito útil, pois ficou muito mais fácil localizar arquivos e pastas,
independentemente de sua localização.
O recurso de pesquisa está disponível em diversos pontos do Windows, como por exemplo:
No Menu Iniciar.
No Windows Explorer, quando você acessa uma pasta.
No Painel de Controle
No Computador
No Windows Live Mail
Na pasta Resultados da Pesquisa.

São tantas opções, que daria para escrever um capítulo inteiro, só sobre o recurso de Pesquisa
do Windows 7. Aliás, alguns livros sobre o Windows 7, em Inglês, vem com um capítulo só
sobre a pesquisa. Eu preferi abordar o recurso de pesquisa separadamente, com cada recurso
com o qual ele é utilizado. Por exemplo, a pesquisa em mensagens de e-mail, será abordada
no Capítulo 4, quando eu tratar sobre o Windows Live Mail. Nesta e nas próximas lições eu
tratarei sobre a pesquisa em pastas e arquivos no Windows Explorer, bem como sobre os
recursos avançados de pesquisa, a pasta Resultados da pesquisa e sobre a opção de Salvar
pesquisas. Na sequência tratarei também sobre as configurações relacionadas a pesquisa e
sobre as configurações sobre a Indexação de pastas e arquivos.
Para que a pesquisa possa funcionar correta e rapidamente, o Windows 7 tem um serviço de
indexação, o qual cria e mantém, automaticamente, um índice com informações detalhadas
sobre determinadas pastas e arquivos do computador (as pastas e arquivos com dados
pessoais, dentro da profile de cada usuário). Este índice é mantido e atualizado,
automaticamente, pelo Windows 7, fazendo com que as pesquisas nas pastas indexadas
sejam extremamente rápidas. Claro que é possível pesquisar também em pastas não
indexadas, porém a velocidade da pesquisa será bem inferior do que a velocidade da pesquisa
nas pastas indexadas.
Mais uma vez vou utilizar a metodologia de apresentar exemplos práticos, passo a passo, para
ir demonstrando o funcionamento e a utilização do recurso de pesquisa do Windows 7. A
medida que cada passo for sendo executado, explicações adicionais e dicas importantes e
práticas, serão apresentadas.

DICA: Confesso que eu não era muito fã do recurso de pesquisa, das versões anteriores do
Windows. Mas com o Windows 7, minha opinião mudou radicalmente. O recurso de Pesquisa
do Windows 7 é realmente útil, prático e muito fácil de utilizar. Por isso vale a pena você
acompanhar esta e as próximas lições, para aprender a utilizar este recurso.
Vamos a alguns exemplos práticos, passo-a-passo.

Pesquisando com o Windows Explorer

Qualquer que seja a pasta ou o recurso que você estiver acessando com o Windows Explorer,
ao lado do campo endereço, estará disponível o campo Pesquisa. É este campo que vamos
utilizar, nos exemplos práticos a seguir.

Exemplo prático: Para aprender a utilizar o recurso de pesquisa do Windows Explorer, siga os
passos indicados a seguir:
1. Abra o Windows Explorer: Iniciar -> Todos os Programas -> Acessórios -> Windows
Explorer.
2. Acesse a pasta onde estão os arquivos nos quais você deseja pesquisar.
3. Observe o campo Pesquisa, ao lado do campo endereço, onde é exibido o endereço da
pasta Atual. No campo pesquisa você digita o critério de pesquisa desejado. A medida que
você vai digitando, o Windows 7 já vai fazendo a pesquisa e atualizando a listagem. Esta
atualização dinâmica somente ocorre em pastas indexadas pelo serviço de indexação do
Windows 7 (sobre o qual falarei mais, em uma das próximas lições deste capítulo).
4. No exemplo, indicado na Figura abaixo, digitei no campo Pesquisa a expressão
tipo:=.doc e pronto, o Windows 7 entendeu que eu queria que fossem listados apenas os
arquivos com Documentos Word.
Pesquisando por tipo de arquivo.

5. Para voltar a exibir todos os arquivos da pasta Documentos, simplesmente apague o


conteúdo do campo Pesquisa. Observe que uma vez excluído o conteúdo do campo Pesquisa,
automaticamente, voltam a serem exibidos todos os arquivos e subpastas, da pasta atual.

6. Vamos continuar com os nossos testes. Por exemplo, se você quiser que sejam exibidos
somente os documentos do Word, com a extensão .xls. Basta ir no campo Pesquisa e digitar
*.xls. Pronto, passaram a ser exibidos somente os documentos do Excel.

DICA: Observe que uma vez concluída a pesquisa, no painel Detalhes, na parte de baixo do
Windows Explorer, é exibido o número de resultados encontrados. Na pasta, foram
encontrados 11 arquivos com a extensão .doc.

Nota: Se ao invés de *.doc você digitar Documentos do Microsoft Office Word, poderá ser
retornado um número maior de itens do que o critério *.doc. Isso por que dependendo dos
programas instalados no teu computador, documentos .htm e .html também poderão estar
associados como Documentos do Word, bem como documentos .dot, que são os modelos do
Word.

Nome do atributo: Critério de pesquisa


A exceção é o nome do arquivo, ou seja, quando você quiser pesquisar pelo nome, basta
digitar o critério de pesquisa. Por exemplo, para pesquisar somente arquivos cujo nome
comece com a letra C, digite o seguinte critério, no campo Pesquisa:
~C*

DICA: O uso do caractere ~ é uma das novidades que eu, particularmente, não achei nada
interessante e nada intuitiva. Primeiro que não tem nada a respeito na documentação oficial e
segundo que não é nada lógica. Na Windows Vista, bastava digitar C* e pronto, o Windows
entendia que a primeira letra tinha que ser o C e que viesse qualquer coisa depois. No
Windows 7, se você digitar C* o Windows irá entender “A letra C em qualquer parte do nome”.
Ora, convenhamos, isso não tem lógica. Mas não adianta brigarmos com o Windows. Eles
fizeram assim e caba e mim mostrar esta discrepância. Se eu quero definir um ou mais
caracteres, em uma posição específica, tenho que iniciar o critério pelo til ~ Por exemplo, para
pesquisar somente arquivos cujo terceira letra do nome seja a letra R, deve usar o seguinte
critério: ~??R*. O ~ indica posição específica, o ?? indica qualquer coisa nas duas primeiras
letras, depois o R na terceira letra e o * indica qualquer coisa depois. Se ao invés de ~??R*
você digitar somente ??R* (o que na minha modesta opinião seria muito mais lógico), o
Windows retorna todos os arquivos e pastas cujo nome tem R em qualquer posição. Já
colocando o ~ na frente - ~??R* o Windows entende que é para retornar todos os arquivos e
pastas, cuja terceira letra do nome seja a letra R.
Experimente digitar o critério ~C* e observe os resultados. Somente documentos, pastas e sub
pastas cujo nome inicia com a letra C, serão retornados.
Vamos experimentar mais alguns critérios. Se você quiser exibir somente os arquivos
modificados em uma data específica, por exemplo, em 21/02/2010. Basta usar o seguinte
critério:
datademodificação: 21/02/2010

Pronto, passarão a ser exibidos somente os arquivos cuja última modificação foi na data de
21/02/2010. Observe que ao digitar o parâmetro datademodificação: já é aberto um menu, com
um calendário para você selecionar uma data e uma série de outras opções, conforme indicado
na Figura abaixo:

Menu de opções de pesquisar para Data de Modificação.

Você também pode fazer pesquisas mais genéricas, como por exemplo, todos os arquivos
modificados em um determinado ano. Experimente o seguinte critério de pesquisa:
datademodificação: 2010
Observe que serão exibidos somente os arquivos, cuja data de última modificação foi dentro do
ano de 2010.

DICA: Quais propriedades de arquivo você pode usar desta forma? Tudo que é exibido em
uma pasta. Você pode filtrar por qualquer propriedade que apareça nos títulos de lista de
arquivos, por exemplo. Para ver a lista completa das propriedades pelas quais você pode filtrar,
clique com o botão direito do mouse no título para o qual você deseja ver propriedades e clique
em Mais.
Você também pode usar os operadores booleanos AND, NOT e OR. A melhor maneira de
entender estes operadores é através de exemplos práticos. Vamos considerar os exemplos da
tabela a seguir (depois você deve experimentar, uma a um, no campo Pesquisa do Windows
Explorer):
E assim poderíamos fazer centenas, milhares de combinações. Mas acredito que os exemplos
propostos já são, mais do que suficientes para mostrar a lógica básica do recurso de pesquisa
do Windows 7. A seguir mais algumas dicas e observações importantes, antes de irmos para a
próxima, que é sobre Salvar as pesquisas realizadas.

Observação: Por padrão, o mecanismo de indexação do Windows 7, indexa o conteúdo bem


como as propriedades de arquivos que possam conter texto, tais como documentos do Word,
arquivos .txt, planilhas do Excel, arquivos PDF e assim por diante, desde que estes arquivos
estejam em pastas indexadas.

DICA: O mecanismo de pesquisa do Windows 7, não faz distinção entre MAIÚSCULAS e


minúsculas. Por exemplo, pesquisando por PROJETO, Projeto ou projeto, os resultados serão
exatamente os mesmos.

DICA: Por padrão o mecanismo de pesquisa do Windows 7 não leva em consideração os


acentos e outros sinais. Por exemplo, tanto faz você pesquisar por Avião ou Aviao, ou
pesquisar por Júlio ou Julio. Podemos configurar o mecanismo de pesquisa para que faça a
distinção de acentos e outros sinais. Veremos como fazer esta configuração, mais adiante, no
tópico sobre pesquisas avançadas.

Administrando o Índice de Pesquisa

A ferramenta que você usa para gerenciar os Índices utilizados pelo mecanismo de pesquisa
do Windows 7 é acessada através da opção Opções de Indexação, do Painel de Controle. A
utilização de índices torna o recurso de Pesquisa bem mais rápido e prático. Na Ajuda do
Windows 7, encontramos uma série de perguntas e respostas, as quais descrevem bem o
papel do Índice. A seguir transcrevo o trecho da Ajuda do Windows, na qual temos informações
sobre o Índice:
******************************************************************************
1) O que é índice
R: Assim como um índice de um livro ajuda a manter o controle do seu conteúdo, o índice do
Windows mantém o controle dos arquivos no computador. O índice armazena informações
sobre arquivos, incluindo o nome do arquivo, data de modificação e propriedades como autor,
marcas e classificação. Você nunca verá o índice, mas ele é usado pelo Windows para realizar
pesquisas muito rápidas dos arquivos mais comuns do computador.

2) Qual a utilidade do índice?


R: O índice é usado para pesquisar arquivos de forma muito mais rápida. Em vez de procurar
em todo o disco rígido por um nome ou propriedade de arquivo, o Windows procura no índice,
o que permite que mais resultados sejam exibidos em menos tempo do que demoraria uma
pesquisa sem o índice.

3) Quais arquivos são indexados?


R: Por padrão, todos os arquivos mais utilizados do computador são indexados. Os locais
indexados incluem todos os arquivos na pasta particular de cada usuário (como Documentos,
Imagens, Música e Vídeos), assim como e-mail e arquivos off-line. Os arquivos que não estão
indexados incluem os arquivos de programa e do Sistema Operacional. Os locais que contêm
esses arquivos não são indexados porque você raramente precisa pesquisá-los e se eles não
forem incluídos no índice, as pesquisas são realizadas mais rapidamente.

4) Como sei quais locais estão no índice?


R: Utilizando a opção Opções de Indexação do Painel de Controle.

5) Como adiciono novos arquivos ou locais ao índice?


R: Utilizando a opção Opções de Indexação do Painel de Controle.

6) Como removo um local que raramente uso do índice?


R: Utilizando a opção Opções de Indexação do Painel de Controle.
7) Como altero o disco rígido ou pasta na qual o índice está armazenado?
R: Utilizando a opção Opções de Indexação do Painel de Controle.

8) Desejo pesquisar um tipo de arquivo que não está sendo indexado atualmente. Como
adiciono um tipo de arquivo ao índice?
R: Utilizando a opção Opções de Indexação do Painel de Controle.

9) Quando devo recriar meu índice?


R: O índice praticamente não precisa de manutenção. Entretanto, se o índice tiver problemas
para localizar arquivos que você sabe que estão gravados em um local indexado, talvez seja
necessário recriar o índice. Isso pode levar muito tempo para ser concluído, assim, evite
realizar esta etapa a menos que tenha dado ao índice tempo suficiente (várias horas) para
corrigir os problemas primeiro. Para recriar o índice use a opção Opções de Indexação, do
Painel de controle.
******************************************************************************
Muito bem, você viu que todo o trabalho com o Índice é feito através da opção Opções de
Indexação, do Painel de controle. Através desta opção, você pode executar as seguintes
tarefas:
Verificar que pastas estão sendo indexadas.
Adicionar novos arquivos ou pastas ao índice.
Remover pastas do Índice que sejam pouco pesquisadas, para que deixem de ser
indexadas.
Alterar o HD ou pasta no qual o Índice é gravado.
Adicionar novos tipos de arquivos, para serem indexados, automaticamente.
Recriar um índice que está apresentando problemas.
Mantendo a nossa metodologia, a seguir apresentarei um exemplo prático, passo a passo,
onde mostro como usar opção Opções de Indexação do Painel de controle, para executar
todas estas tarefas de manutenção e administração do Índice.

Exemplo: Para gerenciar e configurar o Índice, usando a opção Opções de Indexação do


Painel de controle, siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Painel de Controle: Iniciar -> Painel de Controle.

2. Dê um clique duplo na opção Opções de Indexação, para abri-la.

3. Será exibida a janela Opções de Indexação, com informações gerais sobre o Índice, tais
como o número de itens Indexados, que no caso do computador que eu estou utilizando, é de
335.159 itens, conforme indicado na Figura abaixo:
A janela Opções de Indexação.

4. Na janela Indexar estes locais, é exibida a lista de pastas indexadas por padrão, que são as ,
dentre outras, as seguintes pastas: Arquivos Offline, Documentos, Menu Iniciar, Usuários, etc..
Lembrando que a pasta Usuários é a pasta onde estão todos os dados de todos os usuários,
incluindo as pastas tais como Documentos, Músicas, Imagens, Vídeos e assim por diante.

5. Para adicionar novos arquivos ou pastas ao índice, clique no botão Modificar.

6. Será exibida a janela Locais Indexados. Dê um clique no botão Mostrar todos os locais.
Serão exibidos todos os recursos locais do computador. Observe que uma das opções é o
Drive C: Se você quiser indexar todas as pastas do drive C:, marque a caixa de Seleção ao
lado de C: Caso você queira selecionar uma ou mais pastas do C:, para adicionar ao índice,
clique na setinha para a direita, ao lado de C: e marque as pastas que você deseja adicionar ao
índice.

7. Clique em OK e pronto, as pastas selecionadas passarão a ser indexadas e o nome das


pastas já passa a ser exibido na lista Indexar estes locais, da janela Opções de Indexação.
Dependendo da quantidade de arquivos e informações contidas nas pastas que foram
adicionadas ao índice, poderá demorar algum tempo até que o índice seja atualizado e passe a
incluir informações sobre todas as novas pastas adicionadas.

DICA: Para remover do Índice, pastas que sejam pouco pesquisadas, para que deixem de ser
indexadas, basta seguir os passos descritos anteriormente e desmarcar as pastas que você
quer que deixem de ser indexadas.
8. Para alterar o HD ou pasta no qual o Índice é gravado, na janela Opções de Indexação,
clique no botão Avançado.

9. Será exibida a janela de Opções avançadas, com a guia Configurações de Indexação,


selecionada por padrão, conforme indicado na Figura abaixo:

A janela de Opções Avançadas.

10. Na parte de baixo da janela tem o grupo Local de Indexação. Neste grupo, no campo Local
atual, é informada a localização atual do índice, que por padrão é a pasta
C:\ProgramData\Microsoft Para alterar o local do Índice, clique no botão Selecionar novo. Será
exibida a janela Procurar pasta. Você pode selecionar uma pasta já existente, para ser o novo
local do Índice, ou usar o botão Criar Nova Pasta, para criar uma nova pasta, onde será
armazenado o índice. Selecione a pasta desejada ou crie uma nova Pasta e clique no botão
OK. Você estará de volta a janela Opções avançadas, com o novo caminho já sendo informado
no campo Novo local, depois que o serviço for reiniciado. Ou seja, o índice somente será
movido para a nova pasta, depois que o serviço de Indexação for reinicializado.
Ainda na guia Configurações de Indexação, estão disponíveis as seguintes opções:

Indexar arquivos criptografados: Esta opção, por padrão, vem desmarcada. Com esta
opção desmarcada, os arquivos criptografados não serão indexados. Caso você queira que os
arquivos criptografados sejam indexados, marque esta opção.
Tratar palavras parecidas com sinais diacríticos como palavras diferentes: Esta opção,
por padrão, vem desmarcada. Com esta opção desmarcada, o mecanismo de pesquisa não
distingue entre palavras acentuadas ou não. Para fazer com que seja feita distinção devido a
acentos e outros sinais, tais como o ç ou o ~, marque esta opção.
No grupo Solução de Problemas você tem a seguinte opção:
Recriar: Utilize este botão para recriar o Índice. O índice praticamente não precisa de
manutenção. Entretanto, se o índice tiver problemas para localizar arquivos que você sabe que
estão gravados em uma pasta indexada, pode ser necessário recriar o índice. Recriar o índice
é uma operação que poderá levar muito tempo para ser concluída, dependendo da quantidade
de arquivos que estão indexados. Com isso, evite recriar o índice, a não ser que seja
absolutamente necessário.

11. Dê um clique na guia Tipo de Arquivo. Por padrão, somente os arquivos mais utilizados
são indexados, como por exemplo arquivos .doc, .cls, .pdf, txt e assim por diante. Na guia
Tipos de Arquivo é exibida a lista de todos os tipos de arquivos que são, automaticamente
indexados. Os locais indexados incluem todos os arquivos na pasta particular de cada usuário
(como Documentos, Imagens, Música e Vídeos), assim como e-mail e arquivos off-line. Os
arquivos que não estão indexados incluem os arquivos de programa e do Sistema Operacional.
Os locais que contêm esses arquivos não são indexados porque você raramente precisa
pesquisá-los e se eles não forem incluídos no índice, as pesquisas são realizadas mais
rapidamente. Na guia Tipos de Arquivo é exibida a lista de todos os tipos de arquivos
disponíveis no seu computador. Para incluir um tipo que não está sendo indexado,
automaticamente, basta localizar o tipo na lista e marcar a caixa de seleção ao lado do tipo. Os
tipos são exibidos em ordem alfabética crescente da extensão do arquivo. Para cada tipo de
arquivo você pode marcar a maneira como o tipo deverá ser indexado, marcando o tipo de
arquivo e, na parte de baixo da janela, marcando uma das opções disponíveis: Indexar
somente Propriedades ou Indexar Propriedades e Conteúdo do Arquivo. Por exemplo, para a
extensão .zip você pode marcar a opção Somente Propriedades de Indexação, o que faz com
que somente as propriedades do arquivo (nome, tamanho, data de última modificação, etc.),
sejam incluídas no índice e para arquivos .doc, você pode marcar a opção Propriedades de
Indexação e Conteúdo do Arquivo, para fazer com que além das propriedades do arquivo .doc,
também seja incluído o conteúdo dos arquivos .doc no índice. Você deve ter cuidado com a
opção Propriedades de Indexação e Conteúdo do Arquivo, pois se você marcar esta opção
para vários tipos de arquivos, poderá fazer com que o Índice fique muito grande, podendo
tornar o processo de pesquisa mais lento. Use esta opção com critérios. Cabe ressaltar,
novamente, que estas duas opções podem ser configuradas, separadamente, para cada tipo
de arquivo.

12. Defina as opções desejadas e clique em OK. A janela Opções Avançadas será fechada e
você estará de volta à janela Opções de Indexação. Clique no botão Fechar para fechar a
janela Opções de Indexação.

13. Pronto, você aprendeu, passo a passo, como configurar todas as opções de configurações
disponíveis para o Índice do mecanismo de pesquisa.
Muito bem, sobre o novo recurso de pesquisa do Windows 7 era isso. A seguir vou apresentar
um tópico sobre o uso da Lixeira do Windows 7.

Utilizando a Lixeira

A lixeira foi uma das novidades introduzidas com o Windows 95 e que passou a fazer parte de
todas as versões do Windows a partir de então. A Lixeira é de grande utilidade. Ao excluirmos
um arquivo/pasta este é movido para a lixeira. Caso haja necessidade, o arquivo/pasta pode
ser recuperado enquanto estiver na lixeira. Isso é extremamente útil, principalmente naqueles
casos em que acabamos excluindo algum arquivo ou pasta por engano.

Porém todo arquivo que está na lixeira está também ocupando espaço no disco rígido.
Determinamos um tamanho máximo para a lixeira. Este tamanho é determinado em termos de
um percentual do espaço total do Drive. Por exemplo, se tivermos um drive C: de 800 GB e
especificarmos como 10% o tamanho da lixeira, teremos um espaço de 80 GB para a lixeira.
Este percentual pode ser definido igualmente para todos os drives ou com um valor diferente
para cada drive, caso o computador tenha mais de um volume (C:, D:, etc.).

A Medida que os arquivos vão sendo excluídos e movidos para a lixeira, eles vão ocupando o
espaço reservado para a lixeira. Se chegarmos a um situação em que todo o espaço da lixeira
está ocupado, para que mais arquivos possam ser colocados na lixeira, o Windows elimina os
arquivos que estão a mais tempo na lixeira, para liberar espaço. Após terem sido removidos da
lixeira, não existe mais maneira de recuperar os arquivos. Por isso devemos tomar um certo
cuidado quando formos eliminar arquivos grandes, como por exemplo arquivos de vídeo (.avi,
.mpg e outros), pois ao excluir um destes arquivos, devido ao seu grande tamanho, pode
acontecer de diversos outros arquivos serem eliminados em definitivo da lixeira.

DICA: Quando você tiver certeza que não necessita mais de um arquivo, poderá eliminá-lo em
definitivo, sem enviá-lo para a lixeira. Para isso basta clicar no arquivo para marcá-lo e
pressionar a combinação de teclas SHIFT+Delete, que o arquivo será eliminado em definitivo,
sem ser enviado para a lixeira. Mesmo quando você utiliza esta combinação de teclas, o
Windows pergunta se você tem certeza que quer eliminar o arquivo, ao clicar em Sim o arquivo
é eliminado em definitivo, sem ser enviado para a lixeira.

NOTA: Arquivos eliminados a partir do disquete não vão para a lixeira e são eliminados em
definitivo. Se você eliminar uma pasta, na hora de recuperar você somente pode recuperar
toda a pasta e não itens individuais dentro da pasta.
Vamos a alguns exemplos práticos, para mostrar o funcionamento e as configurações da
Lixeira.

Exemplo: Para recuperar arquivos que estão na lixeira, siga os passos indicados a seguir:
Nota: Vamos criar um arquivo de texto, dentro da pasta documentos. Depois vamos excluir
este arquivo e, por fim, vamos recuperá-lo usando a Lixeira.
1. Abra a pasta Documentos: Iniciar -> Documentos.

2. Clique com o botão direito do mouse dentro da área em branco na pasta Documentos, no
menu que surge clique na opção Novo -> Documento de texto. O Windows pede que você
digite o nome do novo arquivo que está sendo criado, digite Teste.txt e pressione Enter.
Acabamos de criar um arquivo de texto em branco para utilizar como exemplo para a lixeira.

3. Ainda dentro da pasta Documentos, dê um clique com o botão direito do mouse sobre o
arquivo Teste.txt, e nas opções que surgem, dê um clique em Excluir.

4. O Windows pede que você confirme que realmente você deseja excluir o arquivo e enviá-lo
para a lixeira. Dê um clique em Sim.

5. Feito isso, o arquivo Teste.txt foi excluído da pasta Documentos e movido para a lixeira.

6. Minimize a janela Documentos e abra a Lixeira (clique duplo no ícone da Lixeira, na Área de
trabalho). Existe um atalho para a Lixeira diretamente na área de trabalho. Observe que
realmente o arquivo Teste.txt encontra-se na Lixeira. Para recuperá-lo é bastante simples. Dê
um clique no arquivo Teste.txt para marcá-lo

7. Selecione o comando Arquivo -> Restaurar.

8. O Arquivo Teste.txt “some”da lixeira. Volte para a Documentos e observe que o arquivo
Teste.txt está de volta a pasta Documentos. Ao invés de utilizar o menu Arquivo e a opção
Restaurar, você pode clicar com o botão direito do mouse no arquivo ou pasta a ser restaurado
e no menu que surge escolher a opção Restaurar.

9. Após ter restaurado os itens desejados, feche a Lixeira.

DICA: Você pode esvaziar todo o conteúdo da lixeira utilizando a opção Arquivo -> Esvaziar
lixeira. Cuidado ao usar esta opção, pois todo o conteúdo da lixeira será excluído, em definitivo
e não poderá mais ser recuperado.

DICA: Na barra de ferramentas da Lixeira, você também tem o botão Restaurar todos os itens.
Conforme o próprio nome descreve, ao clicar neste botão, serão restaurados todos os itens
atualmente na Lixeira. Todos os arquivos e pastas serão restaurados para o seu local de
origem.
Configurando a Lixeira

Exemplo prático: Para configurar as propriedades da Lixeira, siga os passos indicados a


seguir:
1. Clique com o botão direito do mouse sobre o ícone da Lixeira, no menu que surge clique em
Propriedades. Surgirá a janela de Propriedades da Lixeira, indicada na Figura abaixo:

Configurando as Propriedades da Lixeira.

2. Na Seção Geral é exibida a lista de drives disponíveis no computador (C:, D: e assim por
diante). Você pode configurar um tamanho, em MB, para cada drive, independentemente, para
ser utilizado para a Lixeira. Por exemplo, você pode reservar 10.000 MB do drive C: para a
Lixeira e 15.000 MB do drive D: para a Lixeira e assim por diante. Para configurar o tamanho
que será reservado para a Lixeira, em um determinado drive, clique no drive a ser configurado,
para selecioná-lo. Depois digite o tamanho desejado, em MB, no campo Tamanho máximo
(MB).

3. Embora eu não recomende, você pode marcar a opção “Não mover arquivos para a
Lixeira. Remover arquivos imediatamente quando excluídos”. Ao marcar esta opção, os
arquivos e pastas excluídos não serão movidos para a Lixeira e sim excluídos, em definitivo. É
o equivalente a pressionar Shift + Delete para excluir arquivos e pastas selecionadas em
definitivo. Eu não recomendo marcar esta opção, pois a Lixeira é sempre uma boa opção para
recuperar arquivos ou pastas que tenham sido excluídos por engano.

4. A última opção disponível na janela de Propriedades da Lixeira é a opção “Exibir caixa de


diálogo de confirmação de exclusão”. Eu recomendo deixar esta opção sempre marcada. Com
esta opção marcada, ao excluir um arquivo, será exibida uma mensagem de aviso, como o
exemplo indicado na Figura a seguir. Este aviso é sempre uma opção a mais de segurança,
para evitar que você exclua arquivos e pastas por engano.
Mensagem de Confirmação de Exclusão.

5. Selecione as opções desejadas e dê um clique no botão OK para aplicá-las.

Os Painéis do Windows Explorer

Para finalizar o nosso estudo sobre o Windows Explorer, vamos mostrar como ocultar e exibir
os diferentes painéis do Windows Explorer. Antes disso, vamos considerar a figura a seguir,
onde temos a descrição dos diferentes painéis e componentes da janela do Windows Explorer.

O1 – Painel de Navegação
02 – Painel de Detalhes
03 – Barra de Comandos

Os componentes da janela do Windows Explorer.


Todos estes itens já foram descritos e detalhados ao longo deste capítulo. Mas uma revisão
rápida nunca é demais. Bem em cima, logo abaixo da barra de títulos da janela, temos a Barra
de Endereço e ao lado o Campo de Pesquisa. Logo abaixo temos a Barra de Comandos, onde
aparecem os comandos Organizar, Modos de Exibição e outros comandos que podem
aparecer, dependendo do conteúdo contido na pasta que está sendo exibida. No lado esquerdo
temos o Painel de Navegação. Na parte de baixo o Painel de Detalhes. Na Figu, temos
também o tradicional menu do Windows Explorer, o qual existia nas versões anteriores, com os
comandos Arquivo, Editar, Exibir, Ferramentas e Ajuda. Lembrando que, por padrão, este
menu fica oculto. Se você pressionar a tecla Alt por alguns instantes e liberá-la, o menu é
exibido. Mas após executar um comando, o menu volta a ser ocultado. Para torná-lo
permanentemente visível, você deve clicar no botão Organizar. No menu que é exibido clicar
em Opções de Pasta e Pesquisa. Na janela que é aberta clique na guia Modo de Exibição.
Nesta guia, localize a opção Sempre mostrar menus e marque esta opção, para que o menu
esteja sempre visível.

Bem, vamos ao ponto que interessa neste tópico. Você pode configurar quais painéis são
exibidos. Por padrão, são exibidos os painéis de Navegação e Detalhes, conforme
exemplificado na Figura acima. Para definir quais painéis você quer exibir ou para ocultar
painéis que estejam sendo exibidos, clique no botão Organizar e, no menu que é exibido,
clique na opção Layout. Será aberto um menu com as seguintes opções:
Barra de menus
Painel de Detalhes
Painel de Visualização
Painel de Navegação
Painel da Biblioteca

Estas opções são como chaves de liga e desliga. Por exemplo, se o Painel de Navegação
estiver sendo exibido e você clicar na opção Painel de Navegação, este será oculto. Se o
Painel de Detalhes estiver oculto e você clicar no opção Painel de Detalhes, este passará a ser
exibido.

O Painel de Visualização, por padrão, está oculto. Você pode fazer com que este painel seja
exibido. Ele será exibido no lado direito do Windows Explorer e mostrará uma prévia do
conteúdo do arquivo, conforme exemplo da Figura a seguir, onde foi selecionado um arquivo
de imagem e o Painel de Visualização está mostrando uma prévia da figura.

O Painel de Visualização.
Se o Painel de Visualização não estiver sendo exibido, clique em Organizar -> Layout -> Painel
de Visualização. Se o Painel de Visualização estiver sendo exibido e você quiser ocultá-lo,
clique em Organizar -> Layout -> Painel de Visualização.

Desligando o Computador

Ao encerrar as suas atividades e ter fechado todos os aplicativos é chegada a hora de desligar
o Windows. Devemos sempre utilizar o procedimento correto para desligar o Windows, sendo
que não é correto desligar o computador utilizando o botão Liga/Desliga do micro. Se fizermos
isso corremos o risco de corromper arquivos importantes do Windows 7, a tal ponto do sistema
não conseguir inicializar tendo que ser reinstalado. A própria ajuda do Windows 7 enfatiza este
ponto, com o parágrafo a seguir, o qual transcrevo da Ajuda do Windows 7:
“Quando você termina de usar o computador, é importante desligá-lo corretamente não apenas
para economizar energia, mas também para garantir que os dados sejam salvos e para ajudar
a manter seu computador mais seguro. E o melhor de tudo: o computador iniciará rapidamente
na próxima vez que você quiser utilizá-lo.”

Exemplo prático: Para desligar o computador corretamente, siga os passos indicados a


seguir:
1. Feche todos os aplicativos em uso.
2. Clique em Iniciar. No menu que é aberto, na coluna da Direita, clique em Desligar.
3. Surge uma mensagem Encerrando e o computador será desligado. O desligamento fecha
todos os programas abertos e o próprio Windows. Em seguida, desliga completamente o
monitor e o computador. Como o desligamento não salva o seu trabalho, você precisa salvar os
arquivos antes de desligar.

Nota: Os computadores mais novos (fabricados na última década, o que não significa tão
novos assim) são desligados pelo próprio Windows 7. O Windows 7 não consegue desligar
alguns computadores mais antigos, sendo que ao final do processo de desativação, o Windows
7 emite uma mensagem na tela informando que o computador já pode ser desligado com
segurança. Após a emissão desta mensagem você pode desligar o computador utilizando o
botão Liga/Desliga do computador. Na prática, dificilmente você conseguirá instalar o Windows
7 em um computador destes mais antigos, os quais não podem ser desligados pelo próprio
Windows, pois o Windows 7 tem exigências mínimas de hardware que não serão atendidas por
estes computadores mais antigos.

Além do desligamento puro e simples, você tem outras opções que serão descritas a seguir.
Estas opções são acessadas clicando em Iniciar e, na coluna da direita, clicando na flechinha
para a direita, ao lado da opções desligar. Estas opções são destacadas na figura abaixo.

Menu de Opções ao lado de Desligar

Nota: As opções Trocar o usuário e Fazer logoff serão vistas no Capítulo 6, onde eu tratarei
sobre contas de usuários.

Bloquear: Ao clicar nesta opção, o computador será bloqueado e será exibida a tela de
logon com o nome do usuário atualmente logado. Somente fornecendo a senha do usuário é
que o computador será desbloqueado e poderá voltar a ser utilizado. Esta é uma opção
importante em termos de segurança e deve ser utilizada sempre que você for se afastar por
algum tempo do computador e não quer desligá-lo. Nestes casos, você bloqueia o computador,
para que não venha outro usuário e continue usando o computador com a sua conta. Esta
opção é muito útil, principalmente nas empresas, onde o quesito segurança é fundamental. Por
exemplo, se você se afasta do computador sem bloqueá-lo, qualquer um poderá acessar o
computador, acessar os sistemas e arquivos disponíveis e fazer a maior bagunça. E o pior é
que todas estas atividades ficam registradas no Log do Sistema como tendo sido feitas por
você, pois afinal é a sua conta que está logada. Então, sempre que você for se afastar do
computador por algum tempo, clique no botão Bloquear este computador.
Suspender: Ao clicar nesta opção o computador entra em modo de suspensão. Para entrar
no modo de suspensão o Windows 7 salva automaticamente todo o seu trabalho, desativa o
monitor e o ruído da ventoinha do computador para. Geralmente, uma luz na parte externa do
gabinete do computador pisca ou fica amarela para indicar que o computador está em
suspensão. Todo este processo leva apenas alguns segundos. Como ao Suspender o
computador o Windows 7 salva todo o trabalho do usuário, não há necessidade de fechar os
programas e arquivos antes de colocar o computador em suspensão. Na próxima vez que você
ligar o computador (e inserir sua senha, se necessário), a aparência da tela será exatamente
igual a quando você desligou o computador, inclusive com todas as janelas que você tinha
abertas, antes de entrar no modo de suspensão. Para “acordar o” computador, isto é, tirá-lo do
modo de suspensão, pressione o botão para ligar/desligar no gabinete do computador. Como
você não tem de esperar o Windows iniciar, o computador “acorda” em segundos e você pode
voltar ao trabalho quase imediatamente.
Importante: Em modo de suspensão, o computador usa uma quantidade muito pequena de
energia para manter seu trabalho na memória. Se você estiver usando um Notebook, não se
preocupe, pois mesmo ficando um longo tempo em modo de suspensão, a bateria não será
descarregada. Se o computador ficar muitas horas em suspensão ou se a bateria estiver
acabando, seu trabalho será salvo no disco rígido e o computador será desligado de vez, sem
consumir energia.
Reiniciar: Como o próprio nome sugere, esta opção é utilizada para reiniciar o computador.
É cada vez mais raro, mas ainda existem configurações do Windows que exigem uma
reinicialização, depois de alteradas. Também existem programas que depois de instalados,
precisam que o Windows seja reinicializado, para funcionarem corretamente.

Nota: Podem existir computadores mais antigos, cujo hardware não dá suporte ao modo de
suspensão. Mas, muito dificilmente, será possível instalar o Windows 7 em um destes
computadores.

Importante: Iniciar o computador após o desligamento leva mais tempo do que acordá-lo —
geralmente 30 segundos ou mais, dependendo da velocidade do computador.

DICAS: Ainda que colocar o computador em suspensão seja uma maneira fácil de desligá-lo (e
a melhor opção para continuar a trabalhar rapidamente), há situações em que é recomendável
desligar o computador. Estas situações são descritas a seguir:
Você está adicionando ou atualizando o hardware no computador (por exemplo, instalando
memória, disco rígido, placa de som ou placa de vídeo). Desligue o computador e desconecte-
o da tomada antes de prosseguir com a atualização.
Você está adicionando uma impressora, um monitor, uma unidade externa ou outro
dispositivo de hardware que não se conecta a uma porta USB ou IEEE 1394 no computador.
Desligue o computador antes de conectar o dispositivo.
Estas são medidas preventivas, para evitar problemas mais graves, tais como a queima do
Disco Rígido ou da placa mãe do computador.

Uma tal de Hibernação:

A ideia até foi inspirada na hibernação que os ursos fazem no inverno, mas é algo um pouco
diferente. Colocar o computador em modo de hibernação também é diferente de colocar em
modo de suspensão (que no Windows 7 também é chamado de Dormir).

A hibernação é um estado de economia de energia que salva no HD do computador, os


programas e documentos abertos pelo usuário e, em seguida, desliga o computador. Quando
você estiver pronto para usar novamente o computador, ele sairá da hibernação após alguns
segundos e restaurará todos os programas e documentos abertos que foram salvos. De todos
os estados de economia de energia usados pelo Windows, a hibernação é a que consome
menos energia.
Importante: Ao contrário do estado de suspensão, a hibernação em um PC móvel não requer
nenhuma energia para salvar documentos e programas abertos. Como o estado de suspensão
requer muito pouca energia para se manter ligado, o Windows coloca o PC móvel
automaticamente em hibernação após um longo período de tempo a fim de economizar bateria.
Como a hibernação em um PC móvel não necessita de energia para salvar documentos e
programas abertos, o Windows também o coloca automaticamente em hibernação quando a
bateria atinge um nível de carga muito baixo.

DICA: Em um PC móvel, use a hibernação quando não utilizar o computador por um longo
período de tempo e se você não tiver oportunidade de carregar a bateria durante esse tempo.

Configurando e Personalizando o Windows 7

Continuando o nosso estudo dos aspectos básicos do Windows 7, trataremos das


configurações e personalizações do Windows 7. Entende-se por configurações e
personalizações, aquelas opções que modificam o ambiente de trabalho do usuário, desde a
alteração da imagem de fundo da área de trabalho (o famoso papel de parede), passando
pelas configurações do mouse e do teclado, até configurações mais avançadas, como por
exemplo as configurações do menu de inicialização do computador.

Também veremos sobre instalação e desinstalação de programas. Mostrarei como utilizar o


Painel de controle para fazer a correta desinstalação de programas, evitando que após
desinstalar um programa fiquem arquivos e configurações deste programa, as quais ocupam
espaço e recursos do seu computador, desnecessariamente.

Vamos falar sobre a instalação/detecção de novos dispositivos de Hardware no Windows 7.


Devido ao padrão Plug and Play (traduzindo seria mais ou menos: ligar e usar), introduzido
originalmente no Windows 95, a instalação de novos dispositivos de Hardware é extremamente
simples. Veremos o conceito de driver de dispositivo e alguns endereços da Internet onde é
possível procurar por drivers de dispositivos de Hardware.

Trataremos sobre as diversas opções de configurações existentes no Painel de controle (Iniciar


-> Painel de Controle). É através do Painel de controle que temos acesso a ume série de
aplicativos e utilitários, os quis nos dão acesso a todos os detalhes e configurações do
Windows 7.
A seguir uma visão geral dos tópicos abordados neste capítulo.
O centro de comando do Windows 7: Painel de controle.
Configurando opções do vídeo.
Configurando opções do mouse.
Configurando opções do teclado.
Configurando opções regionais.
Configurando opções de pastas/subpastas.
Instalando e desinstalando aplicativos.
Alterando as opções de instalação do Windows 7.
Configurando opções de gerenciamento de energia.
Como definir uma imagem como papel de parede.
Informações sobre o computador – Informações do sistema.
Configurando o menu Iniciar.
Mantendo o Windows 7 atualizado com o Windows Update.
Buscando ajuda via Internet.

Muitos dos tópicos apresentados neste capítulo não apresentam grandes novidades em
relação as versões anteriores do Windows (95/98/Me, 2000, XP ou Vista). As principais
novidades, como não poderia deixar de ser são em relação a interface do Windows e as novas
formas de utilizar as ferramentas disponíveis.

O Centro de Comando - O Painel de Controle


O Painel de controle existe desde o Windows 95. Ele representa um centro de controle e de
configurações do Windows. A partir do Painel de controle temos acesso a uma série de
aplicativos e utilitários, os quais permitem que sejam configurados elementos tais como o
teclado, o mouse, as opções regionais, gerenciamento de energia, gerenciamento de
hardware, desinstalação de programas e assim por diante. A maioria das opções que são
alteradas através do Painel de controle, se refletem para todos os programas instalados no
Windows. Por exemplo, se você trocar o símbolo da moeda de Real (R$) para dólar (U$), todos
os programas que trabalham com valores em moeda, passarão a exibir o símbolo do dólar ao
invés do Real.

Nas versões do Windows até o Windows 2000, abríamos o Painel de controle através do
seguinte comando: Iniciar -> Configurações -> Painel de controle. No Windows XP, no
Windows Vista e no Windows 7 temos um atalho para o Painel de controle diretamente no
menu Iniciar, ou seja, para abrir o Painel de controle basta utilizar o seguinte comando: Iniciar -
> Painel de controle. Na Figura abaixo temos a tela inicial do Painel de controle no Windows 7.

A nova interface do Painel de controle no Windows 7.

Observe, na figura, que, por padrão, não são exibidos todos os ícones/atalhos do Painel de
controle. Ao invés disso, é mostrada uma divisão por categorias de tarefas, tais como: Sistema
e Segurança, Contas de Usuário Rede e Internet, Aparência e Personalização, Hardware e
Sons, Relógio, Idioma e Região, Programas e Facilidade de Acesso. Ao clicar em uma destas
categorias, como por exemplo “Relógio, Idioma e Região”, no painel da esquerda, passará a
ser exibida uma lista de links, com um link para cada categoria do Painel de Controle e no
painel da direita são exibidos os ícones com as opções da categoria escolhida. No nosso
exemplo, se clicarmos na categoria “Relógio, Idioma e Região”, serão exibidas as opções: Data
e hora e Região e Idioma, conforme indicado na Figura abaixo:
Os ícones da categoria: Relógio, Idioma e Região.

Para voltar a tela inicial do painel de controle basta dar um clique no botão Voltar (primeiro
botão da barra de botões, com uma seta para a esquerda). Na lista Exibir por, na parte superior
direita da janela do Painel de controle, seleciona a opção “Ícones pequenos”, para fazer com
que o painel de controle exiba as configurações tradicionais, onde são exibidos uma série de
ícones/atalhos para as diversas ferramentas de configuração do Windows 7. No modo de
exibição “Ícones pequenos” nos temos opções tais como: Backup e Restauração, Barra de
Tarefas e Menu Iniciar, Central de Ações, Central de Facilidade de Acesso, Central de Rede e
Compartilhamento e assim por diante. As opções, neste modo de exibição, estão em ordem
alfabética.

DICA: Para voltar ao modo de exibição Por categoria, basta selecionar a opção Categoria, na
lista Exibir por.

Nota: Para o usuário acostumado com as versões anteriores do Windows, podem parecer
desnecessárias e improdutivas todas estas mudanças na interface do Windows. Posso garantir
que, apesar de uma pequena dificuldade de adaptação inicial, depois que nos acostumamos
com a nova interface é muito mais fácil e produtivo realizar as tarefas diárias com a utilização
da nova interface e das novas opções disponibilizadas pelo Windows 7. Eu mesmo tive um
certa resistência no início, mas hoje não volto, “de jeito nenhum”, a utilizar a interface das
versões anteriores. Esta resistência inicial é normal e esperada. Aconteceu na migração do
Windows 3.x para o Windows 95, apesar de todas as vantagens da nova interface do Windows
95 e não haveria de ser diferente agora, na migração para o Windows 7. Os usuários mais
experientes, certamente, irão preferir o modo tradicional de exibição do Painel de Controle,
onde são exibidos todos os ícones disponíveis. Já usuários iniciantes, irão sentir-se mais à
vontade com o modo de exibição por categorias, onde o número de ícones é menor, o que
intimida menos quem está iniciando.
Agora que já sabemos como abrir e utilizar o Painel de controle, vamos utilizar as diversas
opções disponíveis, para fazer uma série de configurações/personalizações do Windows 7.

Configurando Opções de Vídeo - Parte 1

Existem diversas propriedades do vídeo que podem ser configuradas. Podemos alterar, por
exemplo, a resolução (quanto maior a resolução, menores os elementos aparecem na tela,
porém cabem mais elementos ao mesmo tempo – ícones, atalhos, janelas, etc), cores ( quanto
maior o número de cores, melhor a qualidade das imagens exibidas ), proteção de tela,
segundo plano, etc. Neste tópico aprenderemos a alterar as principais opções de configuração
do vídeo.

Exemplo: Para acessar a janela que dá acesso as opções de configurações do vídeo e de


sons, siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle. Selecione o modo de exibição Ícones
pequenos, conforme descrito no tópico anterior e dê um clique no ícone Personalização.
NOTA: Sem dúvidas, muitos usuários ficaram procurando o tradicional ícone Vídeo, existente
nas versões do Windows 95, Windows 98, Windows Me, Windows 2000 Professional e
Windows XP Professional. Na minha opinião, deveria continuar sendo usado o nome Vídeo.
Não há uma boa justificativa para o nome do ícone ter sido alterado para Personalização o que,
na minha opinião, confunde o usuário.
Independente do método que você utilizar, será exibida a janela indicada na Figura a seguir,
através da qual temos acesso a todas as propriedades de configuração do vídeo.

A janela Propriedades do Vídeo.

Na parte de baixo da janela, temos um grupo de opções, os quais dão acesso as várias
configurações disponíveis:
Plano de Fundo da Área de Trabalho
Cor da janela
Sons
Proteção de Tela

A seguir você aprenderá a configurar as principais opções de vídeo, começando pela opção
Cor da janela.

A opção Cor da Janela:


Através da opção Cor da Janela, você pode controlar os aspectos visuais do Windows, tais
como cor da letra dos menus, cor de fundo da barra de títulos, tamanho da fonte dos menus e
assim por diante. Na Figura abaixo, temos a janela com as opções que são exibidas, ao clicar
na opção Cor da Janela.
A janela Aparência e Cores do Windows.

Na parte de cima desta janela, tem uma série de padrões com configurações pré-definidas, as
quais você pode utilizar. Para utilizar um determinado padrão, basta clicar no retângulo da cor
do respectivo padrão, tais como Padrão, Grafite, Azul, Azul-petróleo e assim por diante. Ao
instalar o Windows 7 é selecionado o conjunto Padrão. Ao clicar em um dos padrões
disponíveis a própria janela de configurações já é alterada, para exibir as configurações da
opção selecionada. Com isso você já pode ter uma ideia de como ficarão as janelas, ao aplicar
um determinado padrão. Por exemplo, clique na opção Grafite e observe que a janela é
imediatamente modificada com as configurações de cores da opção Grafite. Clique na opção
Rosa-choque e observe que a janela é imediatamente modificada com as configurações de
cores da opção Rosa-choque.

Nesta janela você também tem a opção Habilitar transparência. Esta opção só estará
disponível para ser configurada, se o computador que você estiver usando, tiver instalada uma
placa de vídeo que dê suporte ao recurso da interface Windows Aero. Se esta opção estiver
bloqueada, não podendo ser alterada, é por que você está usando uma placa de vídeo sem
suporte para a interface Windows Aero. Uma das novidades introduzidas pela interface
Windows Aero, ainda no Windows Vista, é o recurso de transparência. Quando você abre uma
janela, em um computador onde este recurso está habilitado, observe que a barra de títulos da
janela fica transparente, sendo possível enxergar partes da figura do Papel de Parede. Em um
computador onde a interface Windows Aero está ativada, é possível habilitar ou desabilitar o
recurso de transparência, usando a opção Habilitar transparência da janela Aparência e Cores
do Windows. No meu exemplo, vou manter esta opção marcada, para que o recurso de
transparência fique habilitado.

Na parte mais de baixo da janela você tem um controle do tipo deslizante, chamado
Intensidade de cor. Este controle, como o próprio nome sugere, é utilizado para configurar a
intensidade da cor de cada uma das opções disponíveis. Por exemplo, clique na opção Grafite.
Agora clique no botão deslizante do controle Intensidade de cor e arraste ele, lentamente, para
a direita. Observe que quanto mais para a direita você arrasta, mais intenso ficam os tons de
grafite. Agora arraste para a esquerda, até quase o limite máximo para a esquerda. Observe
que o grafite diminui de intensidade e os efeitos de transparência ficam bem mais visíveis. Este
controle permite que você ajuste a intensidade de cor da opção selecionada, de acordo com as
suas preferências pessoais. Você pode ajustar a intensidade para qualquer uma das opções
disponíveis, individualmente. Par a isso basta clicar na opção desejada (Padrão, Grafite, Azul,
Azul-petróleo, Vermelho, Laranja, Rosa - choque ou Gelo) e ajustar a intensidade, usando o
controle Intensidade de cor.

Descendo mais um pouco, você tem a opção Mostrar mixagem de cores. Ao lado desta opção
tem um botão com o desenho de uma setinha para baixo. Clicando nesta setinha para baixo
serão exibidos três novos controles, do tipo botão deslizante: Matriz, Saturação e Brilho. Estes
botões são utilizados para criar tonalidades personalizadas. Você pode ir deslocando cada um
dos botões, até encontrar uma combinação que seja do seu agrado. As configurações são
feitas, individualmente, para cada opção disponível. Ou seja, na parte de cima você clica em
uma das opções disponíveis (Padrão, Grafite, Azul, etc.) e depois usa os botões Matiz,
Saturação e Brilho para criar uma cor personalizada. Observe que após exibir as opções
Matriz, Saturação e Brilho, o texto acima destas opções transforma-se em Ocultar mixagem de
cores, com um botão com uma setinha para cima, ao lado dele. Clique neste botão com a
setinha para cima, para ocultar as opções de Mixagem de cores.

Por fim, caso você queira fazer configurações ainda mais refinadas, tem a opção
“Configurações de aparência avançadas...”. Este link está bem na parte de baixo da janela.
Clique neste link. Será exibida a janela Configurações de Aparência, indicada na Figura abaixo:

A janela Cor e Aparência da Janela.


DICA: Quando do lançamento do Windows Vista, eu escrevi a seguinte observação “Observe
que ao clicar nesta opção, no Painel de Controle, deixa de ser exibida a janela Cor e Aparência
da Janela e volta a ser exibida a janela Personalização, com links para todas as opções de
configuração do Vídeo. Por que isso acontece??? Não me perguntem por que realmente eu
não sei dizer. Na minha opinião, o mais lógico seria permanecer na janela Cor e Aparência da
Janela, que foi a partir de onde acessamos o link “Abrir propriedades de aparência clássica
para ver mais opções de cores”. Se algum dos amigos leitores tiver uma explicação lógica para
esta mudança, entrem em contato através do e-mail webmaster@juliobattisti.com.br Na minha
opinião, está mais para um bug do Vista, do que para algo com uma explicação lógica”. E
realmente era um Bug, pois no Windows 7 este problema foi corrigido e não acontece mais.

Esta janela é a que permite as configurações mais refinadas. Por exemplo, você pode definir
uma cor para a barra de títulos da janela, uma cor de fundo para a fonte da barra de títulos,
uma cor de fundo para os menus das janelas, uma cor de fonte para o texto dos menus e
assim por diante.

A utilização desta janela é bastante simples. Na lista Item você seleciona o item a ser
configurado. Por exemplo, para configurar as cores da Barra de títulos, da janela ativa, na lista
Item, selecione a opção Barra de título ativa. Se você estiver usando a interface Windows Aero,
ao lado do item Barra de título ativa, serão exibidos dois controles: Cor 1 e Cor2. Você pode
selecionar duas cores, que o Windows 7 cria um efeito utilizando as duas cores. Se você
estiver usando o esquema de configurações Clássico do Windows, estará disponível somente
uma cor. Para selecionar uma cor, basta clicar na setinha para baixo, ao lado de Cor 1 ou Cor

Será exibido um controle com as cores disponíveis. É só clicar na cor desejada. Observe que
para o item do nosso exemplo (Barra de título ativa), além da cor da barra, podemos configurar
o tipo, tamanho e cor da fonte. Observe que usando a janela Aparência Avançada, podemos
configurar as cores de qualquer elemento das janelas do Windows. Uma vez selecionadas as
opções desejadas clique em OK para aplicá-las. A janela Aparência Avançada será fechada e
você estará de volta à janela Aparência e Cores do Windows.

DICA: Eu, particularmente, não gosto muito de mexer demais nas configurações de cores do
Windows. Com o Windows 7, eu estou usando as configurações da interface Windows Aero, no
esquema padrão. O máximo que eu faço, as vezes, é alterar do padrão para o Grafite ou para
o Azul-petróleo. Mas tudo é uma questão de gosto. Se o usuário gostar de cores mais
“berrantes”, tais como barra de título em vermelho forte e letras em amarelo, fique à vontade.
Os passos necessários para fazer estas configurações, foram apresentados neste tópico.

Configurando Opções de Vídeo - Parte 2


A opção Plano de Fundo da Área de Trabalho:

Conforme descrito anteriormente, a Área de trabalho representa a tela inicial do Windows e


todos os seus elementos (Menu Iniciar, Barra de Tarefas, Bandeja do Sistema e Ícones e
Atalhos da Área de Trabalho). Por padrão, vimos que logo após a instalação do Windows 7
temos uma área de trabalho mais “limpa”, onde além do menu iniciar e da barra de tarefas,
temos apenas um ícone para a Lixeira. Usando a opção Plano de Fundo da Área de trabalho,
da janela Personalização (Iniciar -> Painel de Controle -> Personalização) podemos configurar
a figura que é exibida na área de trabalho do Windows 7. Esta figura é conhecida como Plano
de Fundo ou Papel de Parede.

O Windows 7 disponibiliza uma série de figuras como opções para Plano de fundo. Podemos
utilizar uma das opções disponibilizadas pelo Windows 7 ou qualquer outro arquivo gráfico que
desejarmos. Podemos utilizar arquivos com a extensão .bmp, .jpg, .gif entre outros. Para que
possamos utilizar um arquivo como Plano de fundo devemos gravar este arquivo na pasta onde
está instalado o Windows, dentro do caminho Web\Wallpaper. Por exemplo, se o Windows 7
estiver instalado na pasta C:\Windows, e gravarmos um arquivo chamado MinhaFoto.jpg, na
pasta C:\Windows\Web\Walpaper, será adicionada uma opção MinhaFoto.jpg, na lista de
opções de Plano de fundo. O arquivo gráfico pode ser uma foto do seu filho, do seu
namorado/namorada, por exemplo. Foto esta que você escaneou e salvou na pasta
C:\Windows\Web\Wallpaper.
Dica: Se você está navegando na Internet e achou uma imagem ou foto que você gostaria de
utilizar como Plano de fundo, basta fazer o seguinte: Clique com o botão direito do mouse na
figura desejada, no menu de opções que surge dê um clique na opção Definir como plano de
fundo. Feito isso o Windows 7 define a figura como Plano de fundo da área de trabalho. Alguns
sites desabilitam o uso do botão direito do mouse, para que você não possa copiar as figuras
do site. Este assunto envolve questões de direitos autorais que estão fora do escopo deste
livro.
Pode acontecer de a figura que você escolher como Plano de fundo, ser menor do que o
tamanho da tela utilizado pelo Windows 7. Neste caso você pode utilizar a opção Como a
imagem deve ser posicionada, a qual será descrita logo a seguir, para definir como o Windows
7 irá exibir a figura.
Vamos a um exemplo prático, para apresentar mais alguns detalhes importantes sobre a opção
Plano de fundo da área de trabalho.

Exemplo: Para configurar o Plano de fundo da Área de trabalho, siga os passos indicados a
seguir:
1. Abra o Painel de Controle: Iniciar -> Painel de Controle.
2. Na lista Exibir por, selecione a opção Ícones pequenos, para que sejam exibidas todas
as opções do Painel de Controle.
3. Na lista de opções que é exibida, abra a opção Personalização.
4. Será aberta a janela Altere a aparência e os sons do computador.
5. Dê um clique na opção Plano de Fundo da Área de Trabalho.
6. Será exibida a janela Escolher plano de fundo da área de trabalho, indicada na Figura
onde são exibidas várias opções padrão de plano de fundo. Estas opções são as disponíveis
na pasta C:\Windows\Web\Wallpaper, descrita anteriormente. As opções estão divididas em
categorias. Cada pasta existente dentro da pasta Wallpaper, corresponde a uma categoria
nesta janela.. Ao lado do nome de cada categoria, entre parênteses, vem informado o número
de opções disponíveis, dentro da respectiva categoria. Se você quiser adicionar uma opção, a
uma destas categorias, basta copiar o arquivo .jpg para a respectiva pasta, dentro de
C:\Windows\Web\Wallpaper. Observe que à esquerda do nome da categoria tem uma sete
inclinada para baixo.. Quando o desenho é de uma seta para baixo, significa que as opções da
categoria estão sendo exibidas. Se você clicar no botão com a seta para baixo, as opções da
categoria serão ocultadas e o botão se transformará em um botão com uma seta reta para a
direita. Se você clicar no botão com a seta para a direita, os itens da respectiva categoria
voltarão a ser exibidos e o botão volta a ficar com o desenho de uma seta inclinada para baixo.
A janela Plano de fundo da Área de Trabalho.

7. Para definir uma das opções disponíveis como Papel de Parede, basta clicar na respectiva
opção. O Windows já troca, imediatamente o Papel de Parede para a nova opção selecionada.

8. Observe ainda, na janela Escolher plano de fundo da área de trabalho, que temos a lista
Local de imagens, bem na parte de cima da janela. Nesta lista, por padrão, vem selecionada a
opção Planos de fundo do Windows. Esta opção mostra os arquivos disponíveis em
C:\Windows\Web\Wallpaper, divididos em categorias, conforme já citado anteriormente. Você
tem outras opções disponíveis. Na lista Local de Imagens, você tem as seguintes opções:
Planos de fundo do Windows: Esta opção, que vem selecionada por padrão, exibe as
opções disponíveis na pasta C:\Windows\Web\Wallpaper, divididas em categorias, conforme já
descrito anteriormente.
Biblioteca de Imagens: Ao selecionar esta opção, serão exibidos os arquivos de imagens
disponíveis na pasta Imagens, do usuário logado. Lembrando que a pasta de imagens do
usuário logado fica em C:\Users\NomeDeLogon\Pictures, onde nome de logon é o nome da
conta logada. Por exemplo, estou escrevendo este capítulo, logado com a conta juliob. Com
isso, a minha pasta de Imagens fica em C:\Users\juliob\Pictures. Ou experimente selecionar
esta opção, clicar no botão Procurar e Aguardar. O Windows fará uma busca em toda as
pastas e subpastas do HD do seu computador e exibirá a lista de todas as imagens
encontradas e que podem ser utilizadas como Plano de fundo da Área de Trabalho.
Melhores Imagens: Exibe as opções de imagens contidas em uma pasta de amostra de
imagens, a qual fica dentro da pasta pública de imagens, disponível para qualquer usuário
logado. Por padrão, o caminho da pasta de amostra de imagens fica em
C:\Usuários\Público\Imagens Públicas\Amostra de Imagens
Cores sólidas: Exibe uma lista de cores. Você clica em uma das cores da lista, para definir
uma cor uniforme, como Plano de Fundo da Área de Trabalho. Nesta opção também está
disponível, no final da janela, o link Mais. Ao clicar neste link, será aberta a janela Cor, na qual
você pode definir uma cor personalizada, diferente das cores disponíveis na lista padrão de
cores.
DICA: Além de todas estas opções disponíveis na lista Local de Imagens, você também tem
disponível o botão Procurar... Ao clicar neste botão, será aberta a janela de navegação de
pastas e arquivos do Windows Explorer. Você poderá usar esta janela, para acessar qualquer
arquivo, em qualquer pasta do HD do seu computador, para utilizar o arquivo selecionado
como Papel de Parede do Windows 7.

DICA: Se você está navegando na internet e viu uma figura que gostaria de usar como plano
de fundo da Área de Trabalho, basta clicar com o botão direito do mouse na respectiva figura e,
no menu de opções que é exibido, clicar na seguinte opção:
Se você estiver usando o Firefox: Clique em Definir como papel de parede... Depois de
ter usado uma figura da Internet como Papel de parede, na lista Local da imagem, passará a
existir a opção Firefox. Ao selecionar essa opção, serão exibidas todas as figuras que já foram
utilizadas como Papel de parede, adicionadas a partir do Firefox.
Se você estiver usando o Internet Explorer: Clique em Definir como plano de fundo.
Depois de ter usado uma figura da Internet como Papel de parede, na lista Local da imagem,
passará a existir a opção Internet Explorer. Ao selecionar essa opção, serão exibidas todas as
figuras que já foram utilizadas como Papel de parede, adicionadas a partir do Internet Explorer.

9. Para o nosso exemplo, na lista Local de Imagens, certifique-se de que esteja selecionada a
opção Planos de fundo do Windows. Nas categorias que são exibidas, clique na figura que
você quer utilizar como Plano de fundo da área de trabalho.

10. Descendo um pouco mais, depois da última categoria, está disponível a opção Como a
imagem deve ser posicionada – é a lista Posição da Imagem. Nesta lista temos várias opções
disponíveis. As quais passo a descrever a seguir:
Preencher: Esta opção faz com que a figura seja redimensionada para ocupar todo o
espaço da tela. Com esta opção o Windows aplica algumas técnicas de tratamento de
imagens, para evitar que a figura fique distorcida.
Ajustar: Redimensiona a figura, para que ocupe o maior espaço possível, porém não existe
garantia de que a figura ocupará todo o espaço da área de trabalho. Garante, porém, a melhor
qualidade possível para a imagem.
Estender: Esta opção faz com que a figura seja redimensionada para ocupar todo o espaço
da tela. Com esta opção pode acontecer de a figura ficar distorcida.
Lado a lado: A opção Lado a lado repete a figura várias vezes, até que a tela toda fique
toda preenchida.
Centralizar: A opção Centralizar, centraliza a figura em relação a tela, tanto horizontal
quanto verticalmente

DICA: Você também pode fazer com que o Windows altere o plano de fundo aleatoriamente e
dentro de um período determinado. Para isso você deve selecionar o tempo na lista Alterar a
imagem a cada e marcar a opção Ordem aleatória. Se estas opções estiverem desabilitadas, é
por que o local de imagens selecionado, tem uma única imagem, o que não permite a alteração
automática, do plano de fundo.

11. Defina as opções desejadas e clique em Salvar Alterações para aplicá-las. Você estará de
volta a janela Altera a aparência e os sons do computador.

Configurando Opções de Vídeo - Parte 3


A opção Proteção de Tela:

O conceito de proteção de tela nasceu na época do Windows 3.1), onde a tecnologia de


monitores ainda não havia evoluído muito. A exibição de uma imagem gráfica por longos
períodos de tempo, causava um maior desgaste nos monitores da época, o que fazia com que
a vida útil do monitor diminuísse drasticamente. Com a tecnologia atual de monitores, não se
justifica o uso de proteção de tela, pelos motivos expostos neste parágrafo. Acontece que a
proteção de tela acabou caindo no gosto dos usuários, principalmente aquelas proteções de
telas bem criativas, cheio de animações, desenhos e efeitos gráficos (como o exemplo da
proteção em que aparecem uns “macarrões” dançando um ritmo caribenho e uma música de
fundo. Os usuários adoram este tipo de coisa, mesmo que não traga nenhuma utilidade prática
para o Windows. Mas a maioria dos usuários adora, por que acha “bonitinho”, “engraçadinho”.).
Na Internet é possível encontrar milhares de proteções de telas diferentes, com os mais
variados efeitos.

O Windows 7 já vem com várias proteções de telas diferentes, as quais são acessíveis através
da lista Proteção de tela, da janela Configurações de proteção de Tela, a qual é acessada
clicando na opção Proteção de Tela, dentro da janela Personalização do Painel de Controle. A
janela Configurações de Proteção de Tela está indicada na Figura abaixo:

A janela Configurações de Proteção de Tela.

DICA: Existe um caminho mais curto para acessar a janela Configurações de Proteção de Tela.
Clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre da Área de Trabalho. No menu
de opções que é exibido clique em Personalizar. Será exibida a janela Personalização. Agora é
só clicar na opção Proteção de Tela.

Algumas proteções de tela tem configurações adicionais. Estas configurações podem ser
acessadas através do botão Configurações. Uma das configurações mais conhecidas nas
versões anteriores do Windows era o Letreiro digital. No Windows 7 não existe mais a proteção
letreiro digital. Tem uma proteção semelhante que é o Texto 3D. Esta configuração fica
exibindo um texto em 3D, que “percorre” a tela e fica repetindo, como se fosse aqueles letreiros
luminosos tradicionais. Ao selecionarmos a proteção Texto 3D e clicarmos no botão
Configurações, é aberta uma janela onde podemos definir o texto do letreiro, Velocidade de
rotação e outras propriedades relacionadas. Muitas revistas de informática são vendidas com
um CD-ROM. É comum no CD-ROM destas revistas vir uma ou mais proteções de tela para
você instalar. Ao instalar uma nova proteção de tela, esta passará a estar disponível na lista
Proteção de tela da janela Configurações de Proteção de Tela. Ao selecionar uma opção nesta
lista, uma visualização é mostrada na miniatura de monitor que aparece na guia Proteção de
tela. Você pode visualizar a proteção clicando no botão Visualizar.

DICA: Muito cuidado com arquivos de proteção de tela com a extensão .scr. Muitos dos golpes
que são aplicados através de e-mails falsos, via Internet, tem como objetivo, instalar um
arquivo .scr o qual contém programas conhecidos como Cavalo de Tróia (ou tecnicamente
Trojans). Estes programas abrem portas do computador do usuário para que os crackers
possam acessar suas informações via Internet e também ficam tentando roubar informações
tais como número do cartão de crédito e dados bancários, incluindo senhas. Somente instale
uma proteção de tela se ela tiver vindo de uma fonte conhecida e confiável, para não correr o
risco de infectar o seu computador.

A proteção de tela é automaticamente iniciada após um determinado tempo que o usuário fica
sem utilizar o mouse e o teclado. Este tempo é configurado no campo Aguardar e é definido
em minutos. A opção “Ao reiniciar, exibir a tela de logon” é muito importante. Se esta opção
estiver marcada, quando o usuário usar o mouse ou o teclado, a proteção de tela é finalizada,
porém a tela inicial com a lista de usuários será exibida. Se existir uma senha definida para o
usuário, este terá que fornecer a senha para voltar a usuar o computador e os aplicativos que
ele estava utilizando, antes de “entrar” a proteção de tela. Esta é uma proteção interessante,
pois evita que qualquer usuário utilize o seu computador na sua ausência, utilizando a sua
conta de usuário. Por exemplo, você fez o logon como abento e forneceu a senha do abento.
Agora você sai para o almoço. A proteção de tela é ativada. Alguém chega e mexe no mouse
ou no teclado e a proteção de tela é encerrada. Se a opção “Ao reiniciar, exibir a tela de boas
vindas” não estiver marcada, o Windows volta para a área de trabalho como usuário abento.
Neste momento o “alguém” que chegou terá acesso aos programas e arquivos que você estava
utilizando. Se você estiver trabalhando em rede, tudo o que o “alguém” fizer ficará registrado
como tendo sido feito pelo usuário abento, pois é este o usuário logado. Já se a opção “Ao
reiniciar, exibir a tela de boas vindas estiver marcada”, quando o alguém usar o mouse, será
solicitada a senha do abento. O máximo que o “alguém” pode fazer é fazer o logon com a sua
própria conta e não como jsilva. Com isso o usuário abento está protegido.

Nota: Na guia Proteção te tela também temos o link Alterar Configurações de Energia. Este
botão nos dá acesso as configurações de energia do computador. Falaremos sobre estas
configurações mais adiante, ainda neste capítulo.
Defina as configurações desejadas e dê um clique em OK para aplicá-las.

Configurando Opções de Sons

A opção Sons: Esta opção é utilizada para associar sons com os eventos do Windows. Por
exemplo, você pode associar um som com a inicialização do Windows, outro som pode ser
associado com a exclusão de arquivos e pastas, um terceiro som com a chegada de novos e-
mails e assim por diante. Existem dezenas de eventos do Windows 7, com os quais você
poderá associar sons. Para que este recurso esteja funcionando corretamente, você deve ter
uma placa de som instalada e corretamente configurada no seu computador. Vamos a um
exemplo prático, onde mostrarei como associar sons com alguns eventos do Windows 7.

Exemplo : Para associar sons com eventos do Windows 7, siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Painel de Controle: Iniciar -> Painel de Controle.
2. Na lista Exibir por selecione a opção Ícones pequenos.
3. Na lista de opções que é exibida abra a opção Personalização.
4. Será aberta a janela Altere a aparência e sons do computador.
5. Na parte de baixo da janela, dê um clique na opção Sons.
6. Será exibida a janela Som, com a guia Sons selecionada, conforme indicado na Figura
abaixo:
A guia Sons da janela Som.

7. O Windows 7 permite que você salve um conjunto de configurações como sendo um Tema
Musical. Por exemplo, você pode associar uma série de sons relacionados ao seu time do
coração, a diversos eventos do Windows e salvar estas configurações como um esquema.
Depois, sempre que você quiser usar este mesmo conjunto de sons, basta selecionar o
respectivo esquema, sem ter que refazer as associações todas novamente, uma a uma.

DICA: Por padrão, o Windows 7 já vem com alguns esquemas de som pré-configurados. Os
esquemas disponíveis são acessados através da lista Esquema de Som, da guia Sons. Tem
até um esquema denominado Nenhum Som que, conforme o próprio nome sugere, ao ser
selecionado, faz com que nenhum som seja associado aos eventos do Windows.

8. Para associar um som com um determinado evento, primeiro você deve clicar no evento, na
lista Eventos de Programas, para marcar o evento ao qual você quer associar um som. Por
exemplo, o primeiro evento da lista é o evento Abrir Programa. Este evento ocorre, sempre que
um programa é aberto. Vamos associar um som a este evento. Clique no evento Abrir
Programa para marcá-lo. Em seguida, clique no botão Procurar, para localizar o arquivo de
som que será associado ao evento. Ao clicar no botão Procurar..., será aberta a janela de
navegação do Windows Explorer, com a pasta C:\Windows\Media aberta por padrão (na barra
de endereços aparece como > Windows > Media), pois esta é a pasta padrão para gravação de
arquivos de sons para associação com eventos. Clique no arquivo de som a ser associado com
o evento Abrir Programa e depois clique no botão Abrir. O arquivo que você marcou será
associado ao evento Abrir Programa e, sempre que um programa for aberto, o arquivo de som
que você selecionou (que são arquivos com a extensão .wav), será executado. Você pode
testar o som selecionado, clicando no botão Testar. Ao clicar no botão Testar, o som
selecionado será executado. Se o botão Testar estiver desabilitado, significa que a placa de
som não está corretamente configurada (pode ser um problema com o driver da placa) ou que
não existe uma placa de som instalada no computador.

DICA: Você pode baixar da Internet ou comprar CDs que vem com milhares de arquivos de
som .wav e gravar estes arquivos na pasta C:\Windows\Media. Com isso, os arquivos estarão
disponíveis para uso, quando você usar o botão Procurar, conforme descrito no Passo 8.
9. Repetindo os passos do Passo 8, você poderá associar diferentes sons a qualquer evento
que você queira. Depois de ter feito as configurações desejadas, você pode salvar as
associações como um esquema, para que possa, facilmente, reutilizar estas configurações,
sempre que necessário. Para salvar as configurações que você fez, como um novo esquema,
clique no botão Salvar como... Será aberta uma janela para que você digite o nome do
esquema a ser criado.

Criando um novo Esquema de Sons.

10. Digite o nome do esquema a ser criado e clique em OK.

11. O novo esquema será criado e já aparecerá selecionado na lista Esquema de som. Agora,
sempre que você quiser utilizar estas mesmas configurações de sons, bastará selecionar o
esquema que você criou, na lista Esquema de Som.

12. Feitas as configurações desejadas, dê um clique no botão OK. Você estará de volta á
janela Personalização.

Configurando a Opção Tema

A opção Tema: Ainda dentro da janela Personalização, temos as opções para configurações
de temas do Windows. Um tema nada mais é do que um conjunto de configurações (papel de
parede, cores dos elementos das janelas, proteção de tela, etc.), salvos com um nome. Ao
aplicar um tempo, todas as configurações, associadas ao tema, serão aplicadas.
Na Figura a seguir, temos a janela Altere a aparência e sons do computador, onde, na parte
central, são exibidas as opções relacionadas a temas:
As opções para configurações de Temas.

Nesta janela temos varias listas de Temas, na qual são listados os temas disponíveis para a
área de trabalho do Windows 7.

Um tema da área de trabalho determina a aparência geral da Área de trabalho e dos demais
elementos e janelas do Windows, ao fornecer um conjunto predefinido de ícones, fontes, cores,
ponteiros de mouse, sons, imagens de plano de fundo, proteções de tela e outros elementos da
janela. Em outras palavras um tema representa um conjunto de configurações de aparência da
Área de Trabalho e das janelas do Windows. Através do uso de temas fica muito mais fácil
aplicar um determinado conjunto de configurações, pois ao invés de aplicar cada configuração
individualmente, aplicamos apenas o respectivo tema, com isso o Windows 7 aplica todas as
configurações relacionadas ao tema aplicado.

O Windows 7 vem com vários temas pré-definidos, divididos em categorias, tais como Meus
temas, Temas do Aero e Temas básico e de Alto Contraste. A seguir descrevo alguns dos
principais temas que vem já instalados com o Windows 7:

Windows 7: Está dentro da categoria Temas do Aero. Este tema é o responsável por
grande parte das novidades da interface do Windows 7, tais como elementos, barras e botões
arredondados, transparências (para usuários com a interface Windows Aero habilitada), a
combinação de cores e fontes e assim por diante. Este é o tema definido como padrão, ou seja,
após instalarmos o Windows 7 este tema é automaticamente utilizado.

Tema clássico do Windows: Este tema aplica um conjunto de configurações que deixa a
sua interface bem mais parecida com as versões anteriores do Windows. Embora seja tentador
deixar a interface parecida com uma que você já conhece, já está habituado, eu volto a repetir
o seguinte conselho: embora, inicialmente, a interface do Windows 7 possa parecer mais
trabalhosa, isto acontece porque você ainda não está acostumado com ela. Sugiro que você
continue trabalhando com a nova interface (baseada no tema Windows 7), pois após alguns
dias você já estará habituado com a nova interface e verá o quanto ela é mais produtiva e
intuitiva.

NOTA: Caso você tenha feito alterações nas configurações de cores dos elementos do
Windows ou tenha alterado o Papel de Parede, enfim, qualquer alteração em um dos
elementos que compõem um tema, você poderá salvar o tema. Para salvar um tema clique
com o botão direito do mouse sobre o tema a ser salva e, no menu que é exibido, clique em
Salvar tema... Será exibida uma janela solicitando o nome do tema. Digite o nome e clique no
botão Salvar. Pronto, o seu tema é salva com o nome que você informou. Ao criar um novo
tema, você poderá utilizá-lo, sempre que desejar, sem ter que refazer todas as configurações
novamente, uma a uma. Ao selecionar um tema, todas as configurações associadas ao tema,
serão automaticamente aplicadas.
No nosso exemplo vamos manter o tema Windows 7, para continuarmos trabalhando com a
nova interface, resistindo a tentação de utilizarmos a interface antiga.

DICA: Caso você tenha criado um tema com configurações que gostaria de compartilhar com
outros usuários, você deve clicar com o botão direito do mouse no tema a ser compartilhado e,
no menu de opções que é exibido, clique em Salvar tema para compartilhamento. Será aberta
a janela Salvar tema como. Informe o nome e escolha a pasta onde você vai salvar o tema. O
tema será salvo com o nome que você informou e com e extensão .themepack. O tema será
aplicado e já irá aparecer na lista Meus temas do usuário. Em resumo, compartilhar um tema é
extremamente simples. Basta salvar o tema e enviar o arquivo par ao usuário que quer utilizar
o tema. Simples e prático.

Configurações Avançadas de Vídeo


Configurações de Vídeo: As configurações avançadas de Vídeo são acessadas através da
opção Vídeo, do Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle. Estando no painel de controle,
na lista Exibir por, selecione a opção Ícones pequenos. Nas opções que são exibidas, abra a
opção Vídeo. Será exibida a janela de Configurações do Vídeo, indicada na Figura abaixo:

A janela Configurações de Tema.

Calibrar cor: Por padrão, vem selecionada a opção Calibrar cor. Este item é utilizado para que
você encontre um ajuste o qual facilite a leitura dos itens na tela, tais como menus, títulos das
janelas, etc. Estão disponíveis as opções Menor – 100% (padrão), Médio – 125% e Maior –
150%. Para a maioria das pessoas, o padrão 100% é o mais indicado. Teste cada um dos
padrões e verifique qual o melhor se adapta com você. Para aplicar um determinado padrão,
basta selecionar o padrão e depois clicar no botão Aplicar. Para selecionar um padrão basta
marcá-lo e depois clicar em Aplicar.

Ajustar resolução: No menu de opções, no lado esquerdo da janela, clique na opção Ajustar
resolução. Neste janela, na lista Resolução, você encontra as resoluções suportadas pela
placa de vídeo e pelo monitor instalados no seu computador. Quanto maior a resolução, maior
a qualidade da imagem que é exibida no vídeo, porém menores ficam os elementos que são
exibidos, tais como ícones, atalhos, etc. Uma resolução maior também ocupa mais memória de
vídeo. A resolução mais utilizado hoje em dia é a resolução 1280 x 1024. Para definir a
resolução desejada, basta selecionar a resolução desejada, na lista Resolução. As resoluções
máxima e mínima dependem da placa de vídeo e do monitor que você está utilizando no seu
computador. Quanto maior a memória da placa de vídeo, maior será a resolução suportada.
Na janela Ajustar resolução você tem também o link Configurações Avançadas... Esta opção
abre a janela de propriedades do monitor. Esta janela, normalmente é utilizado por técnicos de
Hardware para resolver problemas com as configurações do monitor ou com o driver da placa
de vídeo. Não é aconselhável que você altere estas configurações, a não ser que você tenha
conhecimentos sobre Hardware de computadores.

Após ter definido as configurações desejadas é só clicar no botão OK para aplicá-las.


Muito bem, com isso encerramos o nosso estudo das opções de Personalização, disponíveis
através do ícone Personalização e no ícone Vídeo do Painel de Controle (lembrando que o
ícone Personalização só é exibido quando você está no Modo Visualização de Ícones
pequenos, do Painel de Controle). A única opção que não foi abordada foi a opção Ponteiros
do Mouse, pois estas configurações serão vistas no próximo tópico, quando falarei sobre as
configurações disponíveis para o mouse.

Configurando Opções do Mouse


Configurando opções do mouse:

O ícone “Mouse” do Painel de controle, nos fornece opções de configuração para o mouse do
computador (lembrando que o ícone Mouse só é exibido quando você seleciona a opção
Ícones pequenos, na lista Exibir por, no Painel de Controle. Com esta opção podemos alterar
opções tais como a velocidade do clique duplo, ou inverter os dois botões do mouse, de tal
forma que o esquerdo passe a atuar como se fosse o direito e vice-versa. Esta opção
normalmente é utilizada por pessoas que usam, preferencialmente, a mão esquerda para
operar o mouse. Vamos aprender a fazer as configurações do mouse através de um exemplo
prático, passo a passo.

Exemplo: Para configurar as opções do mouse, siga os passos indicados a seguir:


1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle.
2. Na lista Exibir por, selecione a opção Ícones pequenos.
3. Abra a opção Mouse. Será aberta a janela Propriedades de Mouse, indicada na Figura
abaixo:
A janela Propriedades de Mouse.

Por padrão, vem selecionada a guia Botões, na qual você pode fazer as seguintes
configurações:

Alternar entre botões primários e secundários: Marque esta opção para inverter os
botões do mouse, de tal forma que o esquerdo passe a atuar como o direito e vice-versa. Isso
é ideal para pessoas que utilizam o mouse com a mão esquerda. Outra indicação é quando a
pessoa já está com problemas de Lesões por Esforço Repetitivo, devido ao uso excessivo da
mão direita e gostaria de usar mais a mão esquerda, para operar o mouse.

Velocidade do clique duplo: Para usuários que não possuem grande experiência com o
mouse, é indicado uma velocidade de clique duplo mais baixa. Você pode testar a velocidade
do clique duplo, dando um duplo clique na figura da pasta que aparece ao lado desta opção.
Ao dar um clique duplo sobre a pasta, se o Windows “entender” como sendo um clique duplo,
pasta será aberta. Outro clique duplo e a pasta se fecha. Para usuários que estão iniciando o
contato com computadores, é indicado configurar uma velocidade de clique duplo mais lenta,
para facilitar o uso deste recurso. A velocidade é ajustada arrastando o botão deslizante para a
esquerda, para diminuir a velocidade do clique duplo (ou seja, aumenta o tempo entre os dois
cliques, para que o Windows entenda como um clique duplo); ou para a direita, para aumentar
a velocidade do clique duplo (ou seja, diminui o tempo entre os dois cliques, para que o
Windows entenda como sendo um clique duplo).

Ativar a Trava do Clique: Trava o botão do mouse após um clique simples, permitindo
selecionar ou arrastar sem ter que manter o botão do mouse pressionado. Basta pressionar e
manter pressionado por um momento, qualquer um dos botões do mouse, para que o clique
seja "travado. Com a Trava do clique é possível arrastar objetos, selecionar blocos de texto e
abrir menus. Clique novamente para liberar a Trava do clique. Para ajustar o tempo necessário
para manter pressionado um botão do mouse antes que ele trave, marque a opção Ativar a
trava do Clique. Com esta opção marcada, o botão Configurações será habilitado. Clique no
botão Configurações. Será exibida a janela Configurações da Trava do Clique, com um
controle deslizante, para você ajustar o tempo necessário que um botão do mouse deve ficar
pressionado, até que a trava seja ativada. Defina a configuração desejada e clique em OK.
Você estará de volta a guia Botões, da janela Propriedades de Mouse. Se você marcar esta
opção, a maneira de arrastar objetos no Windows 7 será modificada. Da maneira tradicional
você clica, mantém o botão esquerdo do mouse pressionado e arrasta. Com esta opção
selecionada você clica, segura o botão pressionando um instante para ativar a trava e larga. A
medida que você move o mouse o objeto clicado “vai junto”, sendo arrastado. Aponte o mouse
para o local desejado e clique. Pronto, o objeto será movido para a nova localização. Eu,
sinceramente, não achei vantagem nesta nova maneira de arrastar. Mas esta é uma questão
pessoal de cada usuário. Sugiro que você teste esta nova opção.

4. Dê um clique na guia Ponteiros. Nesta guia podemos definir um esquema de ponteiros. O


ponteiro do mouse assume diferentes formatos. O formato tradicional é uma seta inclinada para
a esquerda. Quando o Windows 7 está processando alguma informação o ponteiro se
transforma em uma ampulheta, quando apontamos o mouse para as bordas de uma janela o
mouse se transforma em uma seta de ponta dupla e assim por diante. Na guia Ponteiros
podemos definir diferentes formatos para o mouse em diferentes situações. Na lista Esquema,
você pode selecionar um esquema de configurações de ponteiro. Um esquema nada mais é do
que um conjunto de ponteiros pré-definidos (é o mesmo conceito de Tema para a Área de
Trabalho, só que o Tema é um conjunto de configurações de cores para os elementos das
janelas do Windows e da aparência da Área de trabalho, já um esquema de ponteiros é um
conjunto pré-definido de ponteiros do mouse). Você também pode personalizar o ponteiro
associado a cada evento do mouse. Para isso, na guia Personalizar, clique na opção que você
deseja alterar e depois clique no botão Procurar... Será aberta a pasta C:\Windows\Cursors,
com dezenas de arquivos .cur, contendo dezenas de opções de formato de ponteiros do mouse
(cursores) para serem utilizados. Ao lado de cada arquivo é exibido o formato do cursor, para
facilitar a sua escolha. Clique na opção desejada e depois clique no botão Abrir. Pronto, o
cursor selecionado será associado com a opção selecionada na lista Personalizar. Depois de
ter feito as alterações desejadas, você poderá salvá-las como um novo esquema. Para isso
basta clicar no botão Salvar como... Será aberta uma janela pedindo que você digite um nome
para o novo esquema que será criado. Digite o nome e clique em OK. Pronto, o novo esquema
foi criado e nele foram gravadas todas as opções de cursor selecionadas. Agora sempre que
você quiser usar estas configurações, bastará selecionar o esquema, na lista Esquema, que
todas as configurações de cursor associadas ao esquema selecionado, serão automaticamente
aplicadas, sem que você tenha que refazê-las, uma a uma.

5. Dê um clique na guia Opções do Ponteiro. Será exibida a janela indicada na Figura 3.13
podemos definir algumas opções relacionadas com o comportamento do ponteiro do mouse.
Opções da guia Opções do ponteiro.

A seguir eis as opções disponíveis na guia Opções do ponteiro:

O controle Selecione uma velocidade do ponteiro: Este controle define a velocidade de


deslocamento do ponteiro do mouse na tela do computador, à medida que você movimenta o
mouse. Dificilmente você precisará alterar esta opção, pois a configuração padrão, definida
automaticamente pelo Windows 7, é a mais indicada. Caso você precise alterar esta opção,
basta clicar no botão deslizante e arrastá-lo para a direita, para aumentar a velocidade de
deslocamento do ponteiro do mouse ou para a esquerda, para diminuir a velocidade de
deslocamento.

Apontar para o Botão Padrão: Esta opção, que vem desmarcada por padrão, especifica
se o ponteiro do mouse deve apontar, automaticamente, para o botão padrão (como OK ou
Aplicar) quando uma caixa de diálogo é aberta. Em alguns programas, Apontar para o botão
padrão pode fazer com que o ponteiro se mova automaticamente para o centro da caixa de
diálogo em vez de se mover para o botão padrão. Também não sou muito fã desta
funcionalidade. Eu sempre trabalho com esta opção desmarcada.
No grupo Visibilidade temos as seguintes opções:

Exibir rastro do ponteiro: Adiciona um rastro ao ponteiro do mouse, o que facilita sua
exibição em telas de cristal líquido (LCD), normalmente utilizadas em Notebooks. Após marcar
esta opção, você também poderá alterar o comprimento do rastro do mouse. Para isso, basta
arrastar o controle deslizante. O controle deslizante somente fica habilitado quando a opção
Exibir o rastro do ponteiro estiver marcada.

Ocultar o ponteiro ao digitar: Oculta o ponteiro do mouse enquanto você estiver digitando.
O ponteiro reaparece quando você move o mouse ou quando você para de digitar. Esta opção
vem marcada, por padrão.

Mostrar o local do ponteiro quando CTRL for pressionada: Mostra o local do ponteiro do
mouse quando você pressiona a tecla CTRL.
6. Dê um clique na guia Roda. A guia Roda somente está disponível quando temos instalado
um mouse que apresenta um pequeno botão entre os dois botões tradicionais. Este pequeno
botão, conforme descrito nos capítulos anteriores, é utilizado para a rolagem de tela. Na guia
Roda definimos o comportamento deste pequeno botão de rolagem. Eu, particularmente, gosto
muito deste tipo de mouse, principalmente para navegar na Internet e hoje todos os mouses
vem com este botão de rolagem. Nesta guia você pode definir algumas configurações de
rolagem, tais como o número de linhas que deve ser “rolada” a cada passo do botão de
rolagem (o valor padrão é 3) ou você pode maçar a opção “Uma tela de cada vez”, para rolar
uma tela inteira, a cada passo da roda do mouse. Você também tem uma opção para definir o
número de caracteres, na horizontal, a serem deslocados, quando a roda for inclinada. Nem
todos os mouses tem esta função de rolagem horizontal.

7. Dê um clique na guia Hardware. A guia Hardware traz informações sobre o tipo/modelo de


mouse e sobre o driver do mouse. Esta guia é, normalmente, utilizada por técnicos de
Hardware para resolver problemas com as configurações do mouse ou com o driver do mouse.
Não é aconselhável que você altere estas configurações, a não ser que você tenha
conhecimentos sobre Hardware de computadores.

8. Definidas as configurações desejadas dê um clique no botão OK para aplicá-las e fechar a


janela Propriedades de Mouse.
Na próxima lição veremos as configurações do Teclado.

Configurando Opções do Teclado


Configurando opções do Teclado:

O ícone Teclado do Painel de controle (lembrando que o ícone Teclado só é exibido quando
você seleciona a opção Ícones pequenos, na lista Exibir por), fornece opções de configuração
para o teclado do computador. Pode ser que a pessoa/técnico que instalou o Windows 7 não
tenha configurado o teclado corretamente. Por exemplo, se ao invés do layout de teclado
Brasileiro, for escolhido o layout americano, teclas tais como o ç e os acentos estarão fora de
lugar ou não irão funcionar. Um caso típico é com a tecla ç. Você pressiona esta tecla e ao
invés do “ç” e na tela aparece o ponte e vírgula ( ; ). Isso acontece porque ao invés do layout
brasileiro, foi escolhido o layout padrão americano. Neste tópico vamos aprender a corrigir
problemas deste tipo, através das opções do ícone Teclado, do Painel de Controle.

Exemplo prático: Para configurar as opções de teclado, siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle.
2. Na lista Exibir por, selecione a opção Ícones pequenos.
3. Abra a opção Teclado, para abrir as configurações do teclado, conforme indicado na
Figura abaixo:
A Janela de Propriedades do Teclado.

4. Por padrão vem selecionada a guia Velocidade, indicada na Figura 3.14. Nesta guia estão
disponíveis as opções indicadas a seguir:

Intervalo de repetição: Esta opção é utilizada para ajustar a quantidade de tempo


decorrida antes que um caractere comece a ser repetido quando você mantém uma tecla
pressionada. Para alterar o intervalo de repetição, arraste o controle deslizante. Para arrastar o
controle deslizante aponte o mouse, clique o botão esquerdo, mantenha pressionado e arraste
na direção desejada. Nesta janela tem o campo “Clique aqui e mantenha uma tecla
pressionada para testar a taxa de repetição:” Como o próprio nome sugere, este campo é
utilizado para testar se a velocidade da taxa de repetição está de acordo com o que você
deseja configurar. Você ajusta a velocidade usando o controle deslizante e depois testa neste
campo. Você pode repetir este processo, até encontrar o ajuste desejado.

Taxa de repetição: Esta opção é utilizada para ajustar a velocidade de repetição de um


caractere quando você mantém uma tecla pressionada. Para alterar a taxa de repetição,
arraste o controle deslizante.

Taxa de intermitência do cursor: Esta opção é utilizada para ajustar a velocidade com que
o cursor (ou o ponto de inserção) pisca. Para alterar a taxa de intermitência do cursor, arraste o
controle deslizante. Para evitar que o cursor pisque, arraste o controle deslizante para a
extremidade esquerda da barra.

5. A guia Hardware traz informações sobre o tipo/modelo de teclado e sobre o driver que
controla o teclado. Esta guia é, normalmente, utilizada por técnicos de Hardware para resolver
problemas com as configurações do teclado ou com o driver do teclado. Não é aconselhável
que você altere estas configurações, a não ser que você tenha conhecimentos sobre Hardware
de computadores.

6. Uma vez definidas as configurações desejadas, basta clicar em OK para aplicá-las.

Configurando Opções Regionais e de Idioma


Configurando Opções Regionais e de Idioma:
Através do ícone Região e Idioma, do Painel de Controle, nós temos acesso a um série de
configurações que “se refletem” para todos os programas instalados no computador. Por
exemplo, se definirmos um formato de data padrão, nas opções regionais, este formato será
adotado por todos os programas instalados no computador.

As opções configuradas através do ícone Região e Idioma, afetam a maneira como os


números, datas e hora e valores monetários são exibidos e formatados. Temos também uma
opção para configurar o layout do teclado.

Por exemplo, no Brasil utilizamos o relógio de 24 horas, isto é, não escrevemos 4 horas da
tarde e sim 16 horas. Já em países como os Estados Unidos, é utilizado um relógio de 12
horas mais as expressões AM – para antes do meio dia e PM – para depois do meio dia. Outro
exemplo de configuração que é diferente dependendo do país é quanto aos números. No Brasil
utilizamos o ponto para separar o milhar, e a vírgula para separar as casas decimais. Por
exemplo, no Brasil escrevemos o número cem mil da seguinte maneira: 100.000,00. Já nos
Estados Unidos é justamente o contrário, ou seja, o número cem mil nos EUA é escrito da
seguinte maneira: 100,000.00. Todas estas opções são configuradas através do ícone Região
e Idioma, do Painel de Controle.

DICA: Você pode estar se perguntando, mas uma vez que estou utilizando o Windows 7 em
Português, no Brasil, com as configurações para o Brasil, porque haveria necessidade de
alterá-las para um outro idioma, como por exemplo o Inglês dos EUA?? Por exemplo, vamos
supor que você precisa instalar um programa que ainda não foi adaptado para o padrão
brasileiro e ainda utiliza as configurações padrão para os Estados Unidos. Neste caso, o
programa somente irá trabalhar corretamente se você fizer as devidas alterações no ícone
Opções e Idioma, do Painel de controle.
Vamos apresentar, através de um exemplo, as opções de configuração para números, datas e
hora, moeda, etc.

Exemplo: Para configurar as opções de Região e Idioma, siga os passos indicados a seguir:
1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle.
2. Na lista Exibir por, selecione a opção Ícones pequenos.
3. Abra a opção Região e Idioma. Será aberta a janela Região e Idioma, conforme
indicado na Figura abaixo:
A janela de configurações Regionais e de Idioma.

4. Por padrão vem selecionada a guia Formatos (que no Windows XP tinha o nome de
Opções regionais). Na guia Formatos é exibido o nome das configurações que estão sendo
utilizadas. No exemplo da Figura acima, na lista Formato, está selecionada a opção: Português
(Brasil). Abaixo desta lista são exibidos exemplos de representação para Hora, Data abreviada
e Data por extenso. Para cada localização, temos um conjunto de definições diferentes.
5, Você pode alterar as definições para a localidade que está em uso. Para isso basta dar
um clique no botão Configurações adicionais...
6. Ao clicar no botão Configurações adicionais... será exibida a janela Personalizar
Formato. Nesta janela temos guia para personalizar Números, Unidade monetária, Hora e
Data.

7. Por padrão, na janela Personalizar Formato, vem selecionada a guia Números. Nesta guia
você pode configurar uma série de opções, tais como o separador decimal, o Sistema de
medidas, formato dos números negativos, exibir ou não zeros à esquerda, separador de lista,
etc. Verifique se as suas configurações estão iguais as listadas na Figura 3.16, as quais são as
configurações corretas para a localidade Português (Brasil). Observe o grande número de
opções disponíveis, incluindo os formatos de exibição para números negativos, se é ou não
para exibir zeros à esquerda no caso de números tais como 0,24, 0,7 e assim por diante.
Também tem a lista Sistema de medidas, para você informar o sistema de medidas oficial do
país. No caso do Brasil é o sistema Métrico.
Configurações de Números para a localidade Português (Brasil).

8. Se alguma destas configurações estiver incorreta, poderemos ter problemas em programas


que utilizam números, com por exemplo, uma planilha do Microsoft Excel. Se alguma das
configurações estiver diferente do que é exibido na Figura acima, abra a lista de opções da
respectiva configuração e selecione o valor correto, para que fique igual à Figura acima.

9. Dê um clique na guia Unidade monetária. Nesta guia podemos configurar uma série de
opções relativas a valores monetários. Uma das principais é o símbolo da moeda, que no caso
de Real é R$ . Muitas das configurações são semelhantes as configurações para a guia
Números. Verifique se as suas configurações estão iguais as listadas na Figura a seguir, as
quais são as configurações corretas para a localidade Português (Brasil).
Configurações para Unidade monetária para a localidade Português (Brasil).

10. Dê um clique na guia Hora. Nesta guia podemos configurar uma série de opções relativas
ao formato da hora. Verifique se as suas configurações estão iguais as listadas na Figura a
seguir, as quais são as configurações corretas para a localidade Português (Brasil). Observe
que como utilizamos o Relógio de 24 horas, conforme descrito anteriormente, os campos
Símbolo AM e Símbolo PM ficam em branco.

11. Dê um clique na guia Data. Nesta guia podemos configurar uma série de opções relativas
ao formato da data. Verifique se as suas configurações estão iguais as listadas na Figura a
seguir, as quais são as configurações corretas para a localidade Português (Brasil).
-Configurações para a Hora para a localidade Português (Brasil).

Configurações para a Data para a localidade Português (Brasil).

12. Uma vez definidas as opções desejadas, dê um clique no botão OK. A janela Personalizar
Formato é fechada e você estará de volta a janela Região e Idioma.
13. Dê um clique na guia Local. Esta guia é uma novidade do Windows Vista a qual também
está presente no Windows 7. Esta guia tem um único campo, que é uma lista com o nome de
todos os países do mundo. Nesta lista você informa em qual país você está atualmente. Esta
informação é utilizada por programas que enviam informações personalizadas, de acordo com
a Localidade do Usuário. Por exemplo, programas que enviam notícias por e-mail ou através
de leitores de RSS (que é um novo padrão muito utilizado para envio de notícias). Estes
programas irão ler a informação contida neste campo, para enviar informações personalizadas,
de acordo com o País do usuário.

14. Dê um clique na guia Teclados e idiomas. Nesta guia você pode configurar o layout de
teclado associado a localidade. Também podemos definir se mais de uma configuração de
idioma poderá ser utilizada no computador, uma de cada vez.

15. Dê um clique no botão Alterar teclados....

16. Será aberta a janela Serviços Texto e Idiomas de Entrada, conforme indicado na Figura
abaixo:

A janela Texto e Idiomas de Entrada.

17. Na lista Idioma de entrada padrão, você especifica o idioma padrão usado para inserir
texto em programas tais como o Word, Excel e qualquer outro programa onde exista inserção
de texto. O idioma padrão será usado sempre que você fizer logon no computador ou iniciá-lo.
Por exemplo, se na maioria das vezes você insere texto no idioma alemão, mas também tiver
adicionado o inglês como um idioma de entrada, selecione o alemão como o idioma padrão.
Quando desejar inserir texto no idioma Inglês, você poderá alternar para esse idioma. Observe
que estamos definindo o idioma Português (Brasil) como o idioma padrão. Para este idioma
temos o teclado ABNT. Esta é a configuração de teclado correta, para os teclados com a tecla
do “Ç”.

DICA: Quando você for comprar um computador, especifique que você quer um teclado padrão
ABNT, para ter certeza que receberá um teclado padrão brasileiro, inclusive com a tecla do Ç.
Em teclados que não tem a tecla do Ç, podemos obter esta letra pressionando o acento agudo
e depois a letra C, o que embora funcione, é um tanto desconfortável e improdutivo.
Na lista Serviços Instalados, temos a relação de todos os idiomas instalados no seu
computador. Podemos adicionar idiomas utilizando o botão Adicionar. Dependendo do idioma
que está sendo adicionado, pode ser que seja solicitado o DVD de instalação do Windows 7.
Por exemplo, se você for viajar para a Ásia e precisar utilizar os idiomas dos caracteres
Chineses ou Japoneses, ao instalar um destes idiomas, será solicitado que você insira o DVD
original de instalação do Windows 7, no drive de DVD. Para remover um idioma basta marcá-lo
e clicar no botão Remover.

IMPORTANTE: Os passos 18 e 19 só devem ser executados, se as configurações do teclado


que você está utilizando, não estiverem corretas. Por exemplo, você tecla ç e ao invés do ç
aparece um; Se as configurações do seu teclado estiverem corretas, vá direto para o passo 20.

18. Caso o teclado associado com a localidade Português (Brasil) não esteja correto, ou seja,
não seja o teclado Português (Brasil ABNT), você pode configurar o teclado correto. Para isso,
clique em Português Brasil, para selecionar esta opção. Clique no botão Adicionar... Será
exibida a janela Adicionar Idioma de Entrada, com a lista de todos os idiomas e respectivos
layouts de teclados. Localize na lista a opção Português (Brasil). Dê um clique no sinal de +, ao
lado desta opção, para expandi-la. Será exibida a opção Teclado, abaixo de Português (Brasil).
Dê um clique no sinal de + ao lado de Teclado, para expandir esta opção. Serão exibidos os
Layouts de teclado, disponíveis para Português (Brasil). Marque a opção Português (Brasil
ABNT), conforme indicado na Figura abaixo:

Adicionando o Layout Correto para o teclado.

19. Uma vez marcado o Layout Correto, clique em OK. Você estará de volta à janela Serviços
Texto e Idiomas de Entrada. Agora vamos tornar o Layout Português (Brasil ABNT) o layout
padrão. Para isso, na lista Idioma de entrada padrão, selecione a opção Português (Brasil) –
Português (Brasil ABNT). Se houver outros layouts de teclado, abaixo do idioma Português
(Brasil), elimine-os, para não causar confusão. Para eliminar um layout que não será utilizado,
basta clicar no Layout para selecioná-lo e depois clicar no botão Remover.

20. Dê um clique na guia Barra de Idiomas. Quando temos mais de um idioma instalado,
podemos fazer com que o sistema exiba, na bandeja do sistema (lembrando que a bandeja do
sistema é o espaço, no final da barra de tarefas, onde, além da data e da hora, são exibidos
ícones para aplicações tais como anti-vírus, controle de volume do som e assim por diante), a
barra de ferramentas Idioma, através da qual podemos, facilmente, alterar o idioma em uso.
Para definir se a barra de Idiomas será exibida ou não, você deve clicar na guia Barra de
Idiomas e marcar a opção Encaixada na Barra de Tarefas, para que a Barra de Idiomas seja
exibida ou marcar a opção Oculta, para ocultar a Barra de Idiomas. Quando a barra de idiomas
está configurada para ser exibida e temos selecionado o idioma Português (Brasil), aparece a
expressão PT próxima a hora do sistema. PT é a abreviatura de Português. Clicando na opção
PT, será exibida a lista de idiomas instalados e você pode clicar em um dos Idiomas, para
selecioná-lo. Ao selecionar um idioma, não somente as configurações do teclado serão
alteradas, mas também todas as configurações de Números, Unidade Monetária, Data e Hora.

IMPORTANTE: Ao alternar de um idioma para o outro, as telas do Windows não serão


traduzidas para o novo idioma. Apenas as configurações relacionadas a teclado, data, hora,
número, etc é que serão alteradas para refletir o novo idioma selecionado.

21. Aqui temos mais uma novidade do Windows Vista, a qual também está presente no
Windows 7, que é a guia Configurações Avançadas de Tecla. Nesta guia você pode configurar
alguns atalhos de teclado, relacionados com as configurações do próprio teclado. Por exemplo,
o atalho padrão para alternar entre os idiomas instalados é Ctrl + Shift. Para alterar este atalho,
você pode clicar no botão Alterar Sequência de Teclas... Será exibida a janela Alterar
Sequência de Teclas, indicada na Figura a seguir, onde você tem diferentes opções de teclas
de atalho para associar com a troca do Layout do teclado e também com a alteração do Idioma
de Entrada. Selecionadas as sequências desejadas, clique em OK para fechar a janela Alterar
Sequência de teclas. Você estará de volta a guia Configurações Avançadas de Tecla. Nesta
guia você ainda tem a opção de qual tecla será utilizada para ativar/desativar a função Caps
Lock, que é a função para ativar as letras MAIÚSCULAS no teclado. Por padrão, é utilizada a
tecla Caps Lock, no lado esquerdo do teclado. Se você preferir, poderá alterar esta função para
a tecla Shift, embora esta não seja uma configuração muito comum. A maioria dos usuários já
se acostumou a teclar Caps Lock, quando quer escrever um texto com letras MAIÚSCULAS.

22. Uma vez selecionadas as opções de Idioma desejadas, dê um clique no botão OK para
aplicá-las. Você estará de volta à janela Região e Idioma, com a guia Teclados e idiomas,
selecionada. Nesta guia você ainda tem o botão Instalar/desinstalar idiomas..., o qual pode ser
utilizado para instalar idiomas que não foram instalados durante a instalação do Windows 7.

Alterando sequência de teclas.

23. A guia Administrativo (que no Windows XP tinha o nome Avançado) traz opções de
configuração para a utilização de programas que não utilizam o padrão Unicode para a
representação de caracteres.

24. Uma vez definidas as opções desejadas, dê um clique no botão OK para aplicar as
alterações e fechar a janela Opções regionais e de idioma.

Configurando Opções de Pastas e Subpastas


Configurando opções de pastas e sub-bastas:

Existe uma série de configurações que definem a maneira como pastas e subpastas são
exibidas no Windows Explorer e no Computador. Estas configurações podem ser acessadas
através da opção Organizar -> Opções de Pasta e pesquisa, no Windows Explorer, ou através
do ícone Opções de Pasta, no Painel de controle (não me perguntem por que no Windows
Explorer o comando é Opções de Pasta e Pesquisa e no Painel de Controle é só Opções de
Pasta, embora ambas acessem o mesmo conjunto de opções).

Através da opção Opções de Pasta do Painel de Controle, temos acesso a uma série de
opções relativas a maneira como são exibidas as Pastas e os arquivos de cada pasta. Também
podemos configurar o modo de clique simples ou o modo de clique duplo (conforme comentado
no item sobre configurações do Mouse), se o Windows 7 deve ou não exibir arquivos ocultos e
do sistema, se as extensões dos arquivos devem ser exibidas ou apenas o nome, etc. Estas
opções também podem ser acessadas através do comando Organizar -> Opções de pasta e
pesquisa do Windows Explorer e do Computador.

Veremos como utilizar as principais opções e exemplos de configurações de Pastas, bem como
o efeito de cada uma delas. Para demonstrar o efeito sobre as pastas e arquivos, utilizarei
como exemplo a pasta raiz do Disco rígido (C:\). Isso porque existem alguns arquivos ocultos e
de sistema nesta pasta que servem para demonstrar as mudanças que iremos fazer nas
configurações.

Exemplo: Para testar as principais opções de configurações de pastas e arquivos, siga os


passos indicados a seguir:
Neste exemplo, iremos testar algumas das principais configurações de pasta. Faremos o
seguinte procedimento: Iremos abrir a pasta raiz do Drive C (C:\). Dentro da raiz do drive C:,
utilizaremos o menu Organizar -> Opções de pasta e pesquisa para abrir a janela de
configurações (este é um atalho para abrir as Opções de pasta e pesquisa), sem que tenhamos
que abrir o Painel de Controle). Cada vez que alterarmos uma opção, vamos observar a janela
onde está sendo exibida a pasta raiz do disco rígido para verificar os resultados. Então mãos a
obra.

1. Abra o Computador (Iniciar -> Computador) e abra a opção C:\ , para abrir a pasta raiz do
Drive C:

2. Observe que além das pastas (indicadas pelo desenho de uma pastinha amarela ao lado do
nome), nenhum arquivo está sendo exibido (a não ser que você tenha gravado algum arquivo
na raiz do drive C). Neste momento não devem estar sendo exibidos os arquivos ocultos e de
sistema. Estes arquivos ficam ocultos por padrão, pois são arquivos de fundamental
importância para o funcionamento do Windows 7. Estes arquivos são ocultados para evitar que
sejam acidentalmente eliminados ou alterados, evitando desta maneira, maiores problemas.

3. Para certificar-se de que os arquivos ocultos e de sistema não estão sendo exibidos, basta
verificar se na listagem existe um arquivo chamado bootmgr. Caso este arquivo não esteja na
listagem é porque os arquivos ocultos e de sistema não estão sendo exibidos.

4. Selecione o comando Organizar -> Opções de pasta e pesquisa. Ira surgir a janela Opções
de Pasta, indicada na Figura a seguir:
Janela de configuração para Opções de pasta.

5. Na guia Geral temos diversas opções, conforme descrito a seguir.


No grupo Procurar nas pastas, temos as seguintes opções:

Abrir as pastas na mesma janela: Esta opção mantém o trabalho com pastas e arquivos
bem mais organizado. Por exemplo, se você está na pasta raiz C:, e dentro do C abre a pasta
Documentos do Chefe, o conteúdo da pasta Documentos do Chefe será exibido na mesma
janela, sem que uma nova janela seja aberta. Isso evita que um grande número de janelas seja
aberto, deixando a área de trabalho cheia de janelas. Esta é a configuração padrão. Eu
recomendo usar sempre esta opção.

Abrir cada pasta em sua própria janela: Quando está configuração é selecionada, cada
nova pasta é aberta em uma nova Janela. Por exemplo, se você abre a raiz do C: e, dentro do
C:, abre a pasta Documentos do Chefe, uma segunda janela será aberta, com o conteúdo da
pasta Documentos do Chefe. Se dentro da pasta Documentos do Chefe, você abrir a pasta
Memorandos, esta será aberta em uma terceira janela e assim por diante.

DICA: Quando você está no modo de Cada pasta em sua própria janela, existe um atalho para
fechar todas as janelas abertas, sem termos que fechar uma a uma. Basta segurar a tecla Shift
pressionada, enquanto clica no botão fechar (x) da última janela aberta, com isso o Windows 7
fecha todas as janelas abertas, desde a primeira.
No Grupo Clicar nos itens da seguinte maneira, temos as seguintes opções:

Clicar uma vez para abrir um item (apontar para selecionar): Ao marcar esta opção,
você ativa o modo de clique simples. Quando esta opção é selecionada, duas novas opções
são habilitadas, conforme descrito a seguir:
-> Sublinhar títulos de ícones consistentes com o navegador: Sublinha o nome dos ícones,
pastas e arquivos quando exibidos em uma janela.
-> Sublinhar títulos de ícones somente quando aponto para eles: Sublinha o nome dos
ícones, pastas e arquivos somente quando apontamos o mouse sobre eles.
Clicar duas vezes para abrir um item (uma vez para selecionar): Ativa o modo de clique
duplo.

DICA: Ao final de cada janela, um pouco acima do botão OK, sempre tem um link de Ajuda.
Por exemplo, na guia Geral, tem o link “Como alterar as opções de pasta?”. Ao clicar neste link
será exibida uma tela de ajuda com informações sobre as diversas opções de configuração, da
tela em questão.

6. Dê um clique na Guia Modo de Exibição, serão exibidas diversas opções, conforme indicado
na Figura abaixo:

Diversas opções da guia Modo de exibição.

7. Nesta guia temos diversas opções de configuração, as quais afetam a maneira como os
arquivos e pastas são exibidos. Vamos comentar as principais opções desta guia. Inicialmente,
faremos duas alterações básicas.

8. Vá descendo na lista de opções disponíveis, até localizar a opção “Ocultar as extensões de


tipos de arquivo conhecidos”. Se esta opção estiver marcada, desmarque-a. Se esta opção
estiver marcada, o Windows não exibe as extensões dos arquivos. Por exemplo, um arquivo
com o nome memorando.doc, é exibido apenas como memorando.

9. Agora localize a opção Ocultar arquivos protegidos do sistema operacional (recomendado).


Se a opção “Ocultar arquivos protegidos do sistema operacional (recomendado)” estiver
marcada, desmarque-a. O Windows 7 emite uma mensagem avisando que é aconselhável que
esta opção esteja marcada e pergunta se você realmente deseja desmarcá-la. Dê um clique
em Sim para confirmar a alteração. Ao desmarcar esta opção, todos os arquivos que fazem
parte do Windows 7 (arquivos do Sistema), deixarão de ser ocultos.

10. Para não perder o embalo, vamos fazer mais uma alteração. Localize na lista, a opção
pastas e arquivos ocultos. Vamos fazer com que as pastas e arquivos ocultos passem a ser
exibidos também. Para isso, abaixo da opção Pastas e arquivos ocultos, certifique-se de
marcar a opção Mostrar arquivos, pastas e unidades ocultas.
Importante: Qualquer arquivo ou pasta (não necessariamente um arquivo do Sistema), possui
atributos. Existem atributos tais como Somente Leitura, Compactado, etc. Um dos atributos é a
Propriedade Oculto. Qualquer arquivo ou pasta pode ter esta propriedade marcada e, com isso,
deixará de ser exibido, a não ser que a opção Mostrar pastas e arquivos ocultos esteja
habilitada. Para acessar as propriedades de uma pasta e/ou arquivo, basta clicar com o botão
direito do mouse na pasta e/ou arquivo e, no menu de opções que é exibido clicar em
Propriedades.

11. Dê um clique no botão OK para aplicar as alterações efetuadas (caso você tenha feito
alguma alteração).

12. Você deve ter voltado a janela que exibe a pasta raiz do Disco rígido (C:\). Caso ela esteja
minimizada, restaure-a.

13. Se você fez as configurações propostas você notará a seguinte mudança: Um número
maior de arquivos está sendo exibido, inclusive o arquivo bootmgr. Isso ocorre porque
configuramos o Windows 7 para que exibisse os arquivos ocultos e de sistema. Isso foi feito
nos passos 9 e 10. Observe que o ícone dos arquivos e pastas ocultas e de sistema, aparece
um pouco cinza, mais apagado.

14. Feche a janela atual, onde está sendo exibida a pasta raiz do disco rígido C:\.

A seguir comentários sobre as principais opções disponíveis na guia Modo de Exibição:

Ao digitar no modo de exibição de lista: Esta opção tem duas configurações possíveis,
as quais definem o que irá ocorrer quando você está no modo de exibição Lista e digita algo no
teclado. A primeira opção é Digitar automaticamente na caixa de pesquisa. Se você marcar
esta opção, quando você digitar uma letra no modo de exibição lista, esta será
automaticamente inserida no campo pesquisa e o conteúdo será filtrado de acordo. Por
exemplo, você está no modo de exibição lista e digita a letra M. Se a opção Digitar
automaticamente na caixa pesquisa estiver marcada, ao digitar o M, este será inserido no
campo de Pesquisa e conteúdo da pastas será filtrado, automaticamente. A segunda opção é a
opção Selecionar o item digitado no modo de exibição. Esta é a opção marcada por padrão. Se
esta opção estiver selecionada, quando você digita uma letra, o Windows Explorer localiza o
primeira arquivo ou pasta que inicia com aquela letra e o campo Pesquisa não é utilizado.
Digitar automaticamente na caixa de pesquisa, pois além de ser uma das novidades do
Windows 7, me parece uma opção mais prática, a qual me ajuda a localizar o conteúdo
desejado com mais facilidade.

Exibir arquivos NTFS criptografados ou compactados em cores: Esta opção vem


marcada, por padrão. Com esta opção marcada, arquivos e pastas compactados serão
exibidos com o nome em Azul. Arquivos e pastas criptografados serão exibidos com o nome
em Verde.

Exibir informações sobre o tamanho dos arquivos nas dicas de pasta: Esta opção vem
selecionada, por padrão. Este é um dos novos recursos do Windows 7, os quais eu mais gosto.
Se esta opção estiver marcada (o que é o padrão), quando você passar o ponteiro do mouse
sobre uma pasta e aguardar alguns instantes, será exibido um balão de informações sobre a
pasta, no qual está incluso o tamanho total do conteúdo da pasta, conforme exemplo da Figura
a seguir, onde deixei o mouse alguns segundos apontando para a pasta C:\Windows e foi
exibido um balão de informações, dentre as quais consta o tamanho total da pasta.
O tamanho total da pasta sendo exibido.

Exibir o caminho completo na barra de títulos (somente tema clássico): Quando a


opção Usar pastas clássicas do Windows estiver marcada, na guia Geral, se você marcar esta
opção, sempre será exibido o caminho completo, no campo endereço. Por exemplo, se você
estiver na pasta Memorandos, dentro da pasta Documentos do Chefe, a qual está no drive C:,
se esta opção estiver marcada, será exibido o caminho completo: C:\Documentos do
Chefe\Memorandos.

Iniciar as janelas de pastas em um processo separado: Esta opção vem desmarcada,


por padrão. Esta opção pode ser utilizada para aumentar, ainda mais, a estabilidade do
Windows 7. Ao marcar esta opção, cada janela do Windows Explorer ou do Computador, será
aberta em uma processo separado da memória. Com isso, se houver problema em uma das
janelas, ela poderá ser fechada, sem que as demais sejam afetadas (o que aconteceria se
todas fossem abertas dentro do mesmo processo). Você deve usar essa configuração se seu
computador falha com frequência e você está tentando minimizar ou solucionar os problemas.
Entretanto, saiba que este procedimento pode diminuir o desempenho do seu computador, pois
cada novo processo aberto, consome recursos de memória e do processador, o que pode
deixar o funcionamento do Windows mais lento.

Mostrar descrições pop-up para pastas e itens da área de trabalho: Esta opção vem
selecionada, por padrão. Com esta opção marcada, sempre que você passa o ponteiro do
mouse sobre um arquivo ou pasta da Área de trabalho, são exibidas informações em um balão
de informações Para desativar a exibição destas informações, você deve desmarcar esta
opção.

Mostrar letras da unidade: Esta opção vem selecionada, por padrão. Com esta opção
marcada, além do rótulo de cada unidade, também é exibida a respectiva letra (C:, D:, E: e
assim por diante). Se você quiser que seja exibido apenas o rótulo da unidade, sem que seja
exibida a respectiva letra, desmarque esta opção.

Mostrar manipuladores de visualização no painel de visualização: Esta opção vem


marcada, por padrão. Se esta opção for desmarcada, o conteúdo dos arquivos não será
exibido no painel de visualização do Windows Explorer. Lembre-se que o Painel de
Visualização mostra uma prévia do conteúdo do arquivo, para facilitar a identificação do que
tem no arquivo. Use esta configuração para melhorar o desempenho do seu computador, caso
você esteja com problemas de desempenho ou se você não quiser usar o painel de
visualização. Em computadores mais antigos, com pouca memória (menos de 2 GB) de
memória, pode haver problemas de desempenho em usar o Windows 7. Desabilitando esta
opção, você reduz o consumo de memória e ajuda a melhorar um pouco o desempenho.

Nota: As opções Ocultar arquivos protegidos do Sistema Operacional (recomendado), Ocultar


extensões de tipos de arquivos conhecidos e Pastas e arquivos ocultos foram vistas no
exemplo prático, no começo deste tópico. Em caso de dúvidas sobre estas opções, volte ao
exemplo prático e acompanhe os passos do exemplo novamente.

Restaurar janelas de pastas anteriores no logon: Esta opção vem desmarcada, por
padrão. Para abrir, automaticamente, durante o próximo logon, as pastas que você estava
usando ao desligar o Windows, você deve marcar esta opção Use esta configuração para
ajudar a preservar seu trabalho de sessão para sessão e é útil se o seu trabalho exige que
você abra determinadas pastas, logo após o logon. Marcando esta opção, o Windows Abrirá
estas pastas para você, automaticamente, caso você não as tenha fechado manualmente,
antes de desligar o computador.

Sempre mostrar ícones, nunca miniaturas: Esta opção vem desmarcada, por padrão. Ao
marcar esta opção, não serão exibidas as visualizações dos arquivos, com uma prévia do
arquivo, no Painel de Visualizações. A única justificativa de uso para essa configuração é se as
visualizações de miniaturas estiverem deixando seu computador mais lento. Você obterá
melhor desempenho usando ícones estáticos. Isso só irá ocorre se você estiver usando um
computador antigo, com poucos recursos de hardware.

Sempre mostrar menus: Esta opção vem desmarcada, por padrão.. Ao marcar esta opção,
o menu tradicional do Windows Explorer, com as opções Arquivos, Editar, Exibir, Ferramentas
e Ajuda, passa a ser exibido, de maneira definitiva. Para voltar a ocultar o menu, você deve
desmarcar esta opção.

Usar as caixas de seleção para selecionar itens: Esta opção vem desmarcada, por
padrão. Ao marcar esta opção, o Windows 7 irá adicionar caixas de seleção aos modos de
exibição de arquivos para facilitar a seleção de vários arquivos ao mesmo tempo, o que pode
ser útil para usuários que sintam dificuldades em usar as teclas Ctrl e Shift, em conjunto com o
mouse, para fazer a seleção de múltiplos arquivos ou pastas.

Usar Assistente de Compartilhamento (Recomendado): Se esta opção estiver marcada,


o Windows utilizará um modo simplificado de compartilhamento, baseado no uso de um
Assistente de Compartilhamento. O uso desta opção só é recomendável para usuários com
pouco experiência. Para usuários com mais experiência, é recomendável desmarcar esta
opção, para ter um maior controle sobre a criação e administração de Compartilhamentos.

DICA: Caso você tenha feito algumas alterações nas configurações desta guia e deseja voltar
as configurações padrão, ou seja, deseja reverter todas as opções para o padrão do Windows
7, basta clicar no botão Restaurar Padrões. Ao fazer isso, todas as opções voltarão a sua
configuração padrão, com que estavam, logo após a instalação do Windows 7.
A seguir vamos aprender mais detalhes sobre a instalação e desinstalação de programas no
Windows 7.

Instalação e Desinstalação de Programas


Instalação e Desinstalação de Programas:

Quando você instala um novo programa no Windows 7, uma série de informações e arquivos
do respectivo programa, são gravados no disco rígido (HD) do computador, para que quando
necessário, o programa possa ser desinstalado, sem deixar arquivos e configurações que não
são mais necessários, e ficariam apenas ocupando espaço no Disco rígido. Através da opção
“Programas e Recursos” do Painel de controle, temos acesso aos programas instalados no
computador. Nós podemos desinstalar programas que não são mais necessários, adicionar
componentes aos programas já instalados ou alterar a instalação do Windows 7, adicionando
novos componentes ou removendo componentes que não são mais necessários, conforme
veremos na próxima lição.
Como um exemplo prático de alteração na instalação de um programa, imagine que você
instalou o Microsoft Office 2007 e na hora da instalação adicionou apenas o Word e o Excel.
Agora você está precisando utilizar o Microsoft Access. Não é necessário reinstalar todo o
Microsoft Office 2007, basta entrar na opção Programas e Recursos e alterar a instalação do
Microsoft Office 2007, solicitando que seja adicionado o Microsoft Access 2007. Para fazer isso
você precisará do CD original de Instalação do Office 2007, para que os arquivos de instalação
do Access, possam ser copiados a partir do CD ou DVD original de instalação do Office 2007.
Agora vamos praticar um pouco, para aprender a utilizar esta opção.

Exemplo: Para desinstalar programas que não são mais necessários, siga os passos
indicados a seguir:

Inicialmente iremos desinstalar um programa. Para exemplificar o processo, iremos desinstalar


o programa “Leitor-WS”. Caso você não tenha este programa instalado, pode praticar com
algum outro programa. Porém cuidado para não desinstalar um programa que você ainda
precisa utilizar, pois se isso for feito, você terá que reinstalar o programa.

1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle e na lista Exibir por, selecione a
opção Ícones pequenos.

2. Abra a opção Programas e Recursos. Surge a janela Programas e Recursos, indicada na


Figura a seguir. Nesta tela, é exibida uma listagem com todos os programas instalados no
Windows 7.

3. Na listagem de programas, dê um clique no programa que você deseja desinstalar para


selecioná-lo. Observe que o programa no qual você clicou, fica em destaque. No meu exemplo,
cliquei em Leitor-WS.

4. Observe que o Windows 7 informa o espaço em disco, em MB, ocupado pelo programa, e a
data em que o programa foi instalado, além de outras informações, tais como a versão do
programa.

A janela Programas e Recursos.


DICA: Você pode classificar a listagem de programas, da mesma maneira que você classifica a
listagem de pastas e arquivos com o Windows Explorer, ou seja, simplesmente clicando no
cabeçalho pelo qual você quer classificar a listagem. Por exemplo, se você quer classificar a
listagem em ordem alfabética do nome do programa, dê um clique no cabeçalho Nome. Se
você der um outro clique, a ordem de classificação será invertida e a listagem será classificada
em ordem alfabética, decrescente. Se você quiser classificar a listagem pela ordem da data de
instalação, basta clicar no cabeçalho da coluna Instalado em. Outro clique neste mesmo
cabeçalho, irá inverter a ordem de classificação.

5. Para desinstalar o programa selecionado dê um clique no botão Desinstalar (nas versões


anteriores do Windows, o nome deste botão era Remover). O Windows 7 pergunta se você tem
certeza que deseja desinstalar o programa. Dê um clique em Sim. O processo de desinstalação
será iniciado. Durante o processo de desinstalação, dependendo do programa que você está
desinstalando, podem ser emitidas outra mensagens com perguntas sobre a desinstalação.
Dependendo do programa que está sendo removido, esta etapa pode demorar um pouco, no
final, dependendo do programa que estiver sendo desinstalado, o Windows 7 emitirá uma
mensagem avisando que a desinstalação foi realizada com sucesso, dê um clique em OK para
fechar esta janela de aviso.

6. Observe que ao finalizar a remoção, o nome do programa já não é mais exibido na listagem.
Agora vamos a um exemplo onde você irá alterar a instalação de um programa. No nosso
exemplo, vamos alterar a instalação do Microsoft Office. Por exemplo, pode ter ocorrido que
quando da instalação do Microsoft Office, você tenha instalado somente o Word e o Excel e
agora está precisando também do PowerPoint e do Access. Você não precisa reinstalar todo o
Office. Basta alterar a instalação do Office para incluir os programas que estão faltando.
Vamos a um exemplo prático, passo a passo, onde mostrarei como fazer a alteração da
instalação do Microsoft Office 2007. Caso você não tenha o Office 2007 instalado, você poderá
acompanhar os passos deste exemplo, com qualquer outra versão do Office ou até mesmo
com outro programa qualquer, cuja instalação você queira Alterar.

Exemplo: Para alterar a instalação de um programa, siga os passos indicados a seguir:


1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle e na lista Exibir por, selecione a
opção Ícones pequenos.

2. Abra a opção Programas e Recursos. Surge a janela Programas e Recursos. Nesta tela, é
exibida uma listagem com todos os programas instalados no Windows 7.

3. Clique no programa cuja instalação será alterada. No nosso exemplo, vou clicar no
Microsoft Office Professional Plus 2007.

4. Na barra de Botões clique no botão Alterar.

5. Será aberto um assistente de instalação do Office, no qual você poderá adicionar novas
opções que ainda não foram instaladas, excluir opções que não são mais necessárias e assim
por diante. Agora é só seguir os passos do assistente, para concluir as alterações na instalação
do Microsoft Office 2007.

Importante: O processo de instalação e de alteração da instalação é diferente para cada


programa, mas existe um padrão que é seguido. Ao clicar no botão Alterar, será aberto um
assistente, passo a passo, que irá orientá-lo durante o processo de alteração da instalação do
respectivo programa.

Alterando a Instalação do Windows 7


Alterando as opções de instalação do Windows 7:

Agora vamos aprender a alterar a instalação do Windows 7. Nesta lição aprenderemos a


adicionar ou remover componentes do Windows 7. Muitas vezes um determinado componente,
não é necessário quando da instalação do Windows 7 ou não é instalado, por padrão. São os
chamados componentes opcionais, os quais adicionam funcionalidades ao Windows 7, porém
não são necessários durante a instalação. Estes componentes, somente devem ser instalados
quando realmente forem necessários, para que não fiquem consumindo recursos importantes,
tais como memória e processador. Porém pode acontecer que mais tarde venhamos a
necessitar de um componente ou serviço que não foi instalado, durante a instalação do
Windows 7. Nestes casos, não é necessário reinstalar todo o sistema, basta adicionar o
componente que está faltando. Também podemos remover um determinado componente que
não esteja mais sendo utilizado, para que ele não fique consumindo recursos,
desnecessariamente.

Vamos supor que você queira remover os Jogos que foram instalados com o Windows 7. Pode
ser que seja um computador de trabalho, na sua empresa e você não quer que a opção de
Jogos esteja disponível neste computador. Os jogos estão disponíveis através do seguinte
caminho: Iniciar -> Todos os programas -> Jogos. Vamos remover os jogos e depois conferir se
estes foram realmente removidos.

Exemplo Prático: Para remover os Jogos instalados durante a instalação do Windows 7, siga
os passos indicados a seguir:
1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle e na lista Exibir por, selecione a
opção Ícones pequenos.

2. Abra a opção Programas e Recursos. Surge a janela Programas e Recursos, indicada na


Figura anterior. Nesta tela, é exibida uma listagem com todos os programas instalados no
Windows 7.

3. No painel da esquerda, dê um clique na opção Ativar ou desativar recursos do Windows.


Será exibida a janela Recursos do Windows, indicada na Figura a seguir.

Nota: A lista de opções disponíveis será diferente para as diferentes edições do Windows 7:
Home Basic, Home Premium, Enterprise, Ultimate e assim por diante.

4. Os diversos componentes do Windows 7 estão divididos por categorias. Por exemplo, existe
a categoria Jogos, existe a categoria Serviços de Impressão e documentos e assim por diante.
Dentre de cada categoria existem uma ou mais opções. Os Jogos tem a sua própria categoria.
Você pode desinstalar todos os jogos ou pode exibir a lista de jogos instalados e desinstalar
somente alguns dos jogos.

5. Para desinstalar todos os jogos (que é o propósito deste exemplo), desmarque a categoria
Jogos e dê um clique no botão OK.
Janela para adicionar ou remover componentes do Windows 7.

DICA: Caso você queira desinstalar apenas alguns jogos, mas não todos, clique no sinal de +
ao lado da categoria Jogos, para exibir os jogos instalados. Na lista de jogos que é exibida,
desmarque todos os jogos que você quer desinstalar, ou em outras palavras, deixe marcados
somente os jogos que devem permanecer instalados.

6. Será exibida uma janela de avisa, pedindo que você aguarde.

7. Uma vez concluído o processo você estará de volta à Janela Programas e recursos. Feche
esta janela

8. Vamos conferir se os jogos realmente foram removidos. Selecione o comando Iniciar ->
Todos os programas -> Jogos. Observe que, nesta opção, aparece somente a opção
Explorador de Jogos. Ao clicar nesta opção será aberta a pasta Jogos, em branco, sem
nenhum jogo instalado. Isso comprova que os Jogos do Windows 7 foram desinstalados.

Nota: Poderá haver um ou mais jogos na pasta Jogos, caso você tenha instalado outros jogos,
depois da instalação do Windows 7. O procedimento que acabamos de realizar, somente
desinstala os jogos que fazem parte do próprio Windows 7 e não outros jogos que você venha
a instalar.

DICA: Para voltar a instalar os jogos, basta seguir novamente os passos deste exemplo prático
e, no passo 5, marque a categoria Jogos, para que os Jogos voltem a ser instalados. Neste
processo poderá ser solicitado que você insira o DVD de instalação do Windows 7, no drive.

Configurando o Gerenciamento de Energia


Configurando opções de Gerenciamento de Energia:

O Gerenciamento de Energia, permite que alguns elementos de hardware do computador


sejam desligados ou entrem em um estado de economia de energia, quando não forem
utilizados por um determinado período de tempo. Por exemplo, você pode configurar para que
o vídeo entre em um estado de baixo consumo de energia, se não for utilizado por um
determinado período de tempo, por exemplo, 20 minutos.

Pode parecer pouca economia para um computador isoladamente, porém somando a


economia de milhões de computadores espalhados pelo mundo inteiro, isso pode resultar em
uma economia significativa de energia. Podemos configurar as opções para economia de
energia, através da opção Opções de energia, do Painel de controle. Vamos a um exemplo
prático.

Exemplo: Para acessar e configurar o Gerenciamento de Energia, siga os passos indicados a


seguir:
1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle e na lista Exibir por selecione a
opção Ícones pequenos.

2. Abra a opção Opções de Energia. Surge a janela Opções de Energia, indicada na Figura
abaixo:
Configurando as opções de Gerenciamento de Energia.

3. Na tela inicial são apresentadas três opções de planos de energia, para que você selecione
um dos planos disponíveis. Os Planos de Energia recebiam o nome de Esquema de energia,
nas versões anteriores do Windows, até o Windows XP. Um Plano de energia está associado
a um conjunto de valores e configurações para as opções de energia. Por exemplo, o plano
Alto desempenho, apresenta configurações diferentes do plano Economia de energia e assim
por diante.

4. Para selecionar o plano a ser utilizado, basta clicar no controle de seleção, ao lado do plano.
Por padrão, vem selecionado o plano Equilibrado (recomendável). Na tabela a seguir, coloco
as configurações básicas, padrão, associadas com cada um dos planos:

Plano de Energia Desligar vídeo Suspender atividade do computador


Equilibrado após 20 min. após 1 hora
Economia de energia após 20 min. após 1 hora
Alto desempenho após 20 min. Nunca

Observe que não existem diferenças, nas configurações básicas, entre os planos Equilibrado e
Economia de Energia. As diferenças maiores aparecem nas configurações avançadas de cada
plano, as quais veremos logo em seguida.

5. Além de selecionar um plano, você tem a opção de alterar as configurações padrão do


plano. Para isso, basta clicar no link Alterar configurações do plano, ao lado do plano a ser
alterado. No nosso exemplo, vamos selecionar o plano Alto desempenho. Clique no controle de
seleção deste plano, para selecioná-lo.

6. Agora vamos fazer algumas alterações nas configurações deste plano. Clique no link Alterar
configurações do plano, abaixo de Alto desempenho. Será exibida a janela Editar
configurações do plano, com as configurações básicas para o plano Alto desempenho,
conforme indicado na Figura abaixo:
As configurações básicas do plano Alto desempenho.

7. Você pode abrir a lista Desligar vídeo, para selecionar o tempo de inatividade que deve ser
atingido, antes que o vídeo seja desligado. O valor padrão é de 20 minutos, mas você pode
selecionar diferentes valores na lista, desde 1 minuto até 5 horas ou até mesmo a opção
Nunca. Selecione a opção desejada.

8. Na lista Suspender atividades do computador, você seleciona o tempo de inatividade que


deve ser atingido, para que o computador seja colocado em modo de Suspensão. Para entrar
no modo de suspensão o Windows 7 salva automaticamente todo o seu trabalho, desativa o
monitor e o ruído da ventoinha do computador para. Geralmente, uma luz na parte externa do
gabinete do computador pisca ou fica amarela para indicar que o computador está em
suspensão. Todo este processo leva apenas alguns segundos. Como o Windows salva todo o
trabalho do usuário, não há necessidade de fechar os programas e arquivos antes de colocar o
computador em suspensão. Na próxima vez que você “acordar” o computador (e inserir sua
senha, se necessário), a aparência da tela será exatamente igual a que existia antes de entrar
no modo de suspensão, inclusive com todas as janelas que você tinha abertas, antes de entrar
no modo de suspensão. Para o nosso exemplo, vou selecionar a opção 2 horas.

9. Nesta janela, na parte de baixo, ainda temos mais duas opções:


Alterar configurações de energia avançadas: Ao clicar neste link, será aberta uma janela,
com opções avançadas para a configuração das opções de energia. Nos próximos passos
deste exemplo eu utilizarei esta opção.
Restaurar configurações padrão deste plano: Ao clicar neste link, os valores padrão do
plano serão aplicados. Este link é útil caso você tenha feito alterações nas configurações do
plano e quer voltar para os valores padrão, porém não lembra mais quais os valores padrão do
plano.

10. Dê um clique no link Alterar configurações de energia avançadas. Será exibida a janela
Opções de energia – Configurações avançadas, indicada na Figura 3.30:

11. Nesta janela temos um grande número de opções para serem configuradas. A primeira
opção, é uma das mais importantes: Exigir uma senha ao ativar. É recomendável sempre
manter esta opção com o valor Sim. Com isso, quando o computador for “acordado”, ou seja,
quando você volta a usar o computador, será solicitado que você informe a senha do usuário
logado. Este procedimento impede que qualquer outro usuário possa “acordar” o computador e
utilizá-lo com a conta de quem estava logado, o que seria possível, se a senha não fosse
solicitada. Esta é uma medida adicional de proteção e bastante necessária, conforme eu já
havia comentado no item sobre proteção de tela. É o mesmo caso. Manter esta opção sempre
configurada com o valor Sim.

A janela de Configurações avançadas de energia.

12. As demais opções desta janela, permitem fazer configurações de energia para itens
específicos, tais como o Disco rígido, Adaptadores sem Fio, se o computador deve ou não ser
colocado em modo de Hibernação. Nesta janela você também tem o botão Restaurar padrões
do plano, o qual, coforme o próprio nome descreve, pode ser utilizado, para voltar todos os
valores padrão para o plano que está sendo configurado.

DICA Esta janela pode ser utilizada para configurar as opções de todos os planos disponíveis e
não apenas do plano atualmente em uso. Na parte de cima da janela, logo após a mensagem
descritiva, tem uma Caixa de combinação, na qual você pode selecionar um dos planos
disponíveis. Uma vez selecionado um plano, as configurações que forem feitas, passarão a ser
feitas no plano selecionado.

13. No nosso exemplo, mantenha selecionado o plano Alto desempenho. Se ao lado do nome
do plano, aparecer a expressão [Ativo], isso indica que este é o plano em uso no momento.
Faça as configurações desejadas e depois clique em OK, para fechar a janela de
configurações avançadas.

14. Você estará de volta a janela de configurações básicas, do plano Alto desempenho. Dê
um clique no botão Salvar alterações, para salvar todas as alterações efetuadas. As alterações
serão salvas e você estará de volta à janela Opções de energia. Observe que no painel da
esquerda, temos mais alguns links de opções:
Exigir senha ao despertar: Ao clicar nesta link, será exibida uma janela onde você pode
configurar, basicamente, duas opções. A primeira opção é qual a ação que deve ser
executada, quando você pressiona o botão de energia (botão liga/desliga), do seu computador.
Por padrão, vem selecionada a opção Desligar. Você tem a alternativa de escolher uma das
seguintes opções: Nada fazer, Suspender, Hibernar ou Desligar. Outra opção que você pode
marcar nesta janela é se deve ou não ser exigido que o usuário digite a sua senha, quando o
computador sai do modo de hibernação. Por questões de segurança, já comentadas
anteriormente, é recomendável sempre deixar marcada a opção Exigir senha (recomendado).
Caso as opções Exigir senha (recomendado) e Não exigir senha, estejam desabilitadas, clique
no link Alterar configurações não disponíveis no momento. Se você não estiver logado com
uma conta com permissão de Administrador, será exibida uma janela pedindo confirmação.
Clique em Continuar e pronto, estas opções serão habilitadas. Defina as configurações
desejadas e clique no botão Salvar alterações. Pronto, você estará de volta à janela inicial
Opções de energia.
Escolher a função do botão de energia: Ao clicar neste link será aberta a mesma janela
que é aberta quando você clica no link Exigir senha ao despertar. Como os dois recursos são
configurados na mesma janela, ao clicar em qualquer um dos links, é aberta a janela na qual
você poderá configurar estas duas opções.
Criar um plano de energia: Ao clicar neste link, será aberto o assistente para criação de
um novo plano de energia. Você pode criar um plano de energia, e configurá-lo com as opções
desejadas. Depois, sempre que você usar o plano de energia que você criou, automaticamente
serão aplicadas as configurações associadas ao plano. Por exemplo, se você tem um
Notebook, você pode criar um plano de energia personalizado, para quando você está
trabalhando com bateria e um outro plano, para quando você está trabalhando conectado à
tomada de energia e ainda um terceiro plano, para ser utilizado quando você está fazendo uma
apresentação ou palestra. Na Figurara a seguir temos a tela inicial do assistente para a criação
de um novo plano de energia. Nesta primeira tela do assistente, você seleciona um dos planos
padrão disponíveis. O novo plano será baseado no plano padrão selecionado, isto é,
inicialmente, o novo plano que está sendo criado, irá herdar todas as configurações do plano
padrão selecionado nesta etapa. Outra informação que você deve definir nesta etapa é o nome
do plano que será criado. Selecione o plano padrão no qual será baseado o novo plano que
está sendo criado, digite o nome no campo Nome do plano e clique no botão Avançar. Na
segunda etapa do assistente, você tem a opção de alterar o tempo para desligamento do vídeo
e o tempo para colocação do computador em modo de suspensão. Selecione os valores
desejados e clique no botão Criar, para criar o novo plano. Será exibida novamente a janela
inicial do recurso Opções de energia e o novo plano já passa a ser exibido na listagem de
planos disponíveis. Você pode alterar as configurações do novo plano, clicando no link Alterar
configurações do plano, que fica ao lado do nome do plano. Na janela que é aberta, clique no
link Alterar configurações de energia avançadas, para configurar as opções avançadas de
energia do plano, conforme descrito anteriormente. Depois de alteradas as configurações
desejadas, clique no botão OK para fechar a janela de configurações avançadas do plano.
Você estará de volta a janela com as configurações básicas do plano. Na barra de endereços,
clique em Opções de energia, para voltar a tela inicial do recurso Opções de energia.
.

A tela inicial do Assistente para a criação de um novo plano.

Escolher tempo para desligar o vídeo: Ao clicar neste link, será aberta a janela com as
configurações básicas para o plano de energia atualmente em uso. Nesta janela, você pode
alterar o tempo para desligamento do vídeo e o tempo para que o computador seja colocado
em modo de suspensão. Feitas as configurações desejadas é só clicar no botão Salvar
alterações, para voltar para a tela inicial do recurso Opções de energia.
Alterar quando o computador é suspenso: Ao clicar neste link, será aberta a janela com
as configurações básicas para o plano de energia atualmente em uso. Nesta janela, você pode
alterar o tempo para desligamento do vídeo e o tempo para que o computador seja colocado
em modo de suspensão. Feitas as configurações desejadas é só clicar no botão Salvar
alterações, para voltar para a tela inicial do recurso Opções de energia.

15. Estando dentro da janela de Opções de energia, você pode teclar F1, para exibir uma tela
da Ajuda do Windows 7, com informações sobre o Recurso de Opções de energia.
Muito bem, sobre as configurações para as Opções de energia, era isso.

Informações Sobre o Computador e o Sistema


Acessando informações sobre o computador e sobre o sistema:

Existem diferentes maneiras para obtermos informações sobre o computador e todos os


recursos de hardware e software instalados no computador. Por exemplo, podemos obter
informações sobre a quantidade de memória RAM instalada, a edição do Windows 7 instalada,
o tamanho do disco rígido, informações sobre todo o Hardware instalado e assim por diante.
Neste tópico veremos como obter estas e outras informações sobre o seu computador.

Podemos obter diversas informações através do ícone Sistema do Painel de controle. Uma
maneira rápida de acessar o ícone Sistema é clicando com o botão direito do mouse na opção
Computador do menu Iniciar. No menu de opções que surge, dê um clique em Propriedades.
Feito isso será exibida a janela Sistema (mesma janela que seria aberta se você abrisse o
Painel de controle e clicasse na opção Sistema). Na tela de abertura da opção Sistema são
exibidas informações sobre a edição do Windows 7, informações de registro, quantidade de
memória RAM, informações sobre a classificação do computador em relação aos recursos de
Hardware, nome do computador e informações sobre a velocidade do processador, conforme
indicado na Figura a baixo:

A tela principal das Propriedades do sistema.

Outra fonte de informações é um aplicativo que concentra uma série de informações sobre o
computador é o aplicativo Informações do sistema. Para abrir este aplicativo utilize o seguinte
comando: Iniciar -> Todos os programas -> Acessórios -> Ferramentas do sistema ->
Informações do sistema. Ao selecionar este comando será aberta a janela Informações do
sistema, indicada na Figura a seguir. Observe que a opção Resumo do sistema, selecionada
no painel da esquerda, fornece uma série de informações sobre o computador, informações
estas exibidas no painel da direita.
O aplicativo Informações do sistema.

A utilização deste aplicativo é idêntica a utilização do Windows Explorer das versões anteriores
do Windows. Temos um painel do lado esquerdo, na forma de uma árvore de opções. Através
deste painel podemos navegar por diversas categorias de informações, tais como: Recursos de
hardware, Componentes e Ambiente de Software. Para abrir uma destas categorias é só clicar
no sinal de + ao lado do nome da Categoria, exatamente como no Windows Explorer das
versões anteriores do Windows.

Na categoria Recursos de hardware nos temos subcategorias tais como


Conflitos/compartilhamento, DMA, Hardware forçado, E/S, IRQs e Memória. Estas são opções
e termos técnicos. Estas informações são úteis para técnicos de Hardware que estão tentando
solucionar problemas de hardware no seu computador.

Na categoria Componentes, nos temo acesso a todos os dispositivos de Hardware do


computador, divididos por categorias, tais como: Multimídia, CD-ROM, Entrada, Rede, etc,
conforme indicado na Figura a seguir, onde estão sendo exibidas informações sobre o
Adaptador de rede (placa de rede) instalado no computador.
Informações sobre o Adaptador de rede.

A categoria Ambiente de software contém informações sobre a configuração do sistema,


incluindo detalhes sobre drivers de sistema, variáveis de ambiente e trabalhos de impressão
atuais. Nessa categoria, você pode exibir informações sobre os seguintes itens:

Drivers do sistema: Exibe informações sobre os drivers do sistema que estão instalados,
incluindo nome, descrição, tipo, estado e status. Por exemplo, você pode verificar a coluna
Estado no painel de detalhes para saber quais drivers estão sendo executados e quais estão
parados. Os drivers do sistema são componentes de Software fundamentais para o
funcionamento do Windows 7. Em situações mais graves, problemas com algum driver do
sistema pode impedir que o Windows 7 inicialize com sucesso.
Variáveis de ambiente: Exibe as variáveis de ambiente, que podem conter informações
sobre o ambiente do seu computador, incluindo o número de processadores, o caminho do
sistema operacional e o local das pastas temporárias. Por exemplo, a variável de ambiente
Windir, contém o caminho completo para a pasta de instalação do Windows 7.
Trabalhos de impressão: Apresenta informações sobre os trabalhos que estão na fila de
impressão. Quando mandamos vários arquivos para a impressão, o Windows 7 coloca-os em
fila. Quando a impressão de um arquivo termina, a impressão do próximo trabalho da fila inicia.
Você aprenderá todos os detalhes sobre impressão e sobre o gerenciamento de filas de
impressão, no Capítulo 8.
Conexões de rede: Informações sobre as conexões de rede estabelecidas com o
computador. Neste item é exibida uma lista, com os drives de rede, com os quais existem
conexões estabelecidas.
Executando tarefas: Mostra uma lista de serviços e programas que estão, atualmente,
executando uma ou mais tarefas.
Módulos carregados: exibe informações sobre programas que estão sendo executados no
sistema, incluindo suas DLLs associadas. Você pode usar o item Módulos carregados para
verificar a versão de uma DLL no sistema, além da data e do caminho do arquivo
correspondente
Serviços: Informa quais os serviços que estão rodando no Windows 7. Um serviço é um
programa que é inicializado junto com o Windows 7 e fica residente na memória até que o
computador seja desligado ou que o serviço seja parado pelo usuário. Não é preciso que o
usuário faça o logon para que os serviços sejam inicializados. Para informações detalhadas
sobre o conceito de serviços e sobre o Gerenciamento de Serviços, consulte o Capítulo 14.
Grupos de programas: Exibe informações sobre grupos de programas no sistema,
incluindo o nome do grupo, o nome e caminho do sistema e o nome de usuário atribuído ao
grupo. Esses programas aparecem no menu Iniciar. Você pode gerenciar os grupos de
programas usando a opção Barra de tarefas e menu Iniciar, no Painel de controle ou clicando
com o botão direito do mouse em algum espaço livre na barra de tarefas e selecionando o
comando Propriedades.
Programas de inicialização: Ele exibe informações sobre programas que são iniciados
automaticamente no sistema, mesmo que estejam ocultos.
Registro do OLE: Informações sobre a instalação de programas e o registros dos
componentes de cada programa.
Relatórios de erros do Windows: Contém informações sobre as falhas geradas no log de
eventos, que você pode exibir através de Visualizar eventos.

Além de exibir informações, você também pode pesquisar nas informações disponíveis. Para
isso digite as palavras a serem pesquisadas no campo Localizar, na parte de baixa da janela.
Você tem a opção de pesquisar apenas em uma Categoria selecionada.
Você também tem a opção de exportar todas as informações disponíveis para um arquivo de
texto (.txt). Para isso basta utilizar o comando Arquivo -> Exportar e definir a pasta e o nome do
arquivo a ser gerado.

Também é possível gerar um relatório em um formato específico a ser enviado para a equipe
de Suporte Técnico da Microsoft. Este relatório é analisado por técnicos especializados e ajuda
na solução de problemas com o Windows 7. Para gerar um relatório para o suporte técnico da
Microsfot utiliza o comando Arquivo -> Salvar. Depois você define a pasta onde o relatório será
gravado e o nome do arquivo. Você pode imprimir as informações do sistema utilizando o
comando Arquivo -> Imprimir. Você pode imprimir apenas as informações de uma categoria ou
item selecionado ou todas as informações disponíveis.

Sem dúvidas o aplicativo Informações do sistema, fornece muitas informações, que são
especialmente úteis para os técnicos de suporte que estão tentando resolver algum problema
que impede o correto funcionamento do Windows 7.

Gerenciamento de Hardware
Adicionando, Removendo e Gerenciando o Hardware do Computador:

Hardware é qualquer equipamento, placa auxiliar, dispositivo de entrada, dispositivo de saída


ou periférico que faz parte do seu computador. Por exemplo, uma placa de som, um Modem
para acessar a Internet via linha telefônica, uma placa para captura de vídeo, uma impressora,
uma Webcam, etc.

Todo hardware fabricado atualmente segue um padrão chamado “Plug and Play” (algo do tipo:
Instalar e usar). Este padrão torna extremamente simples a instalação de novos componentes
de hardware. Basta instalá-los fisicamente, e, ao ligar o computador, o Windows 7 reconhece a
presença do novo equipamento e instala o driver necessário para que ele funcione. O Padrão
Plug and Play está presente a partir do Windows 95, e também existe no Windows 98 e
Windows Me, Windows 2000 (Professional e Server), Windows XP, Windows Vista, Windows
2000 Server, Windows Server 2003 e no Windows Server 2008.

Porém podem existir situações em que você tenha que instalar um hardware mais antigo, o
qual não está dentro do padrão Plug and Play, ou também pode acontecer de um dispositivo
Plug and Play não ser reconhecido automaticamente. Nestas situações, que são bastante
raras, podemos utilizar comando hdwwiz. Este comando abre o Assistente para adição de um
novo hardware. Com este assistente podemos tentar fazer com que o Windows 7 detecte o
novo hardware instalado, ou caso não seja detectado, podemos fazer com que o driver
necessário seja carregado a partir de um disquete ou CD-ROM ou a partir da Internet. Além
disso, caso um dispositivo de hardware tenha sido retirado do computador, porém o respectivo
driver não foi desinstalado, podemos remover o driver que não é mais necessário.

Nunca é demais ressaltar que a instalação e configuração de novos dispositivos de hardware


envolve conhecimentos técnicos avançados sobre Hardware, drivers e o sistema operacional
em si. Por isso é recomendado que sempre que você precisar instalar um novo dispositivo,
você entre em contato com um técnico especializado (a não ser que você seja tenha os
conhecimentos de hardware necessários). A instalação de maneira incorreta de drivers ou
dispositivos de hardware pode fazer com que o Windows 7 deixe de funcionar corretamente,
sendo que, em situações mais graves, pode ser necessária a reinstalação do sistema.

NOTA: Todo dispositivo de hardware precisa de um ou mais programas, os quais permitem


que o Windows 7 comunique-se com o dispositivo de hardware para poder utilizá-lo e vice-
versa. O Programa ou conjunto de programas que faz a comunicação do Sistema Operacional
com um dispositivo de hardware é conhecido como Driver do dispositivo. Por exemplo, ao
conectar uma nova impressora ao seu computador, você precisa instalar o driver da
impressora, antes que os seus programas possam imprimir corretamente; ao instalar uma nova
placa de rede, você precisa instalar o driver da placa de rede e assim por diante. O DVD de
instalação do Windows 7 já vem com o Driver para milhares (é isto mesmo: milhares) de
dispositivos de hardware diferentes. Quando você instala um novo dispositivo de hardware,
para o qual o driver está no DVD de instalação, o processo é bastante simples. Você desliga o
computador e instala o dispositivo de hardware. Ao ligar o computador, o Windows 7 reconhece
o dispositivo e já carrega, a partir do DVD de instalação do Windows 7, o driver adequado. A
única coisa de diferente que você vê, logo após ter feito o logon, é uma janelinha com uma
mensagem de que um novo Hardware foi encontrado e o respectivo driver está sendo
instalado. Pode acontecer de ser aberta uma janela solicitando que você coloque o DVD de
instalação do Windows 7 no drive de DVD, para que possam ser copiados os arquivos
necessários. Também podemos ter situações em que o driver para o hardware que está sendo
instalado não está no DVD de instalação do Windows 7. Porém, todo o dispositivo de hardware
vem com um disquete, CD ou DVD, no qual estão disponíveis os drivers do dispositivo, para as
várias versões do Windows. Nestas situações, após ter reconhecido o dispositivo de hardware,
o Windows 7 solicita que seja fornecido o caminho onde estão os arquivos de instalação do
driver do dispositivo. Agora é só informar se os arquivos estão no disquete ou no CD-ROM que
veio junto com o dispositivo de hardware. A janela solicitando o caminho dos arquivos é
indicada na Figura abaixo.

Informando a localização dos arquivos de instalação do driver.

Você pode utilizar o botão Procurar, para informar a pasta onde estão os arquivos de
instalação do driver do dispositivo que está sendo instalado. Vamos a um exemplo prático,
passo a passo.

Exemplo: Neste exemplo vamos usar o Assistente para Adição de um novo Hardware, porém
não iremos instalar nenhum novo equipamento, mas apenas iremos descrever algumas das
opções disponíveis. Siga os passos indicados a seguir:
1. Clique em: Iniciar -> Todos os Programas –> Acessórios -> Executar.

2. Será aberta a janela Executar. No campo Abrir digite o comando: hdwwiz e clique em OK.

3. Irá surgir a tela inicial do assistente de hardware. Esta primeira etapa do assistente é
apenas informativa.

4. Dê um clique no botão Avançar, para ir para a próxima etapa do assistente. O Windows


7 pode demorar algum tempo, pois nesta etapa ele irá procurar por novos dispositivos de
hardware que tenham sido instalados porém ainda não foram configurados. Surge uma tela
com duas opções:

Procurar e instalar automaticamente o hardware (recomendável): Utilize esta opção se


o dispositivo de hardware já está instalado fisicamente no computador, porém não foi detectado
automaticamente pelo Windows 7. Se você marcar esta opção, ao clicar no botão Avançar,
será exibida uma lista com todos os dispositivos de hardware instalados no computador. Você
pode marcar um dos dispositivos e clicar no botão Avançar para tentar solucionar problemas
com dispositivos que não estão funcionando.
Instalar o hardware que eu selecionar manualmente em um alista (Avançado): Se você
marcar esta opção e clicar no botão Avançar, o Windows 7 exibe uma lista de categorias de
dispositivos de hardware, para que você selecione a categoria a qual pertence o dispositivo de
hardware que você está instalando.

5. Como não vamos instalar nenhum novo dispositivo neste momento, clique no botão
Cancelar, para fechar o Assistente de hardware.

O Gerenciador de Dispositivos na Teoria


O Gerenciador de Dispositivos e Recursos do Sistema:

Quando você instala um dispositivo Plug and Play, o Windows configura automaticamente o
dispositivo para que funcione de forma adequada com os outros dispositivos instalados no
computador. Como parte desse processo de configuração, o Windows atribui um conjunto
exclusivo de recursos do sistema ao dispositivo que você está instalando. Esses recursos
podem incluir uma ou mais destas opções:
Números de linha de solicitação de interrupção (IRQ).
Canais de acesso direto à memória (DMA).
Endereços de portas de entrada/saída (E/S).
Intervalos de endereços de memória.

Cada recurso atribuído ao dispositivo que está sendo instalado deve ser exclusivo, caso
contrário haverá um conflito e o dispositivo não funcionará de forma adequada. Por exemplo,
se o novo dispositivo que está sendo instalado, tentar usar a mesma IRQ em uso por um dos
dispositivos de hardware já instalados, ocorrerá um conflito de IRQ. Nesta situação, um dos
dois dispositivos deixará de funcionar, uma vez que não é possível a dois dispositivos de
hardware usarem, simultaneamente, um mesmo recursos do sistema, no caso, a mesma IRQ.
Nos dispositivos Plug and Play, o Windows assegura automaticamente que esses recursos
sejam configurados de forma adequada, ou seja, que não haja conflitos.

Ocasionalmente, dois dispositivos exigem os mesmos recursos, resultando em um conflito de


dispositivos. Se isso ocorrer, você poderá alterar as configurações dos recursos manualmente
para assegurar que cada configuração seja exclusiva. No entanto, alguns recursos podem ser
compartilhados, como interrupções em dispositivos PCI, dependendo dos drivers e do
computador.

Quando você instala um dispositivo que não seja Plug and Play, os recursos do dispositivo não
são configurados automaticamente. Dependendo do tipo de dispositivo que você está
instalando, talvez seja preciso fazer essas configurações manualmente. O manual que
acompanha o dispositivo deve fornecer as instruções correspondentes. Porém, convenhamos,
que será muito difícil (para não dizer impossível), que você consiga executar o Windows 7 em
um computador que ainda aceita dispositivos não Plug and Play.

Geralmente, você não deve alterar as configurações dos recursos manualmente, porque
quando isso ocorre, as configurações se tornam fixas e o Windows tem menos flexibilidade ao
alocar recursos para outros dispositivos. Se muitos recursos se tornarem fixos, pode-se chegar
a uma situação onde o Windows não consiga mais instalar novos dispositivos Plug and Play.
Você pode configurar manualmente os dispositivos usando o Gerenciador de dispositivos, o
qual será o assunto desta lição
IMPORTANTE: A alteração incorreta das configurações dos recursos utilizado por um driver de
hardware, podem desativar o hardware e fazer com que o computador não funcione direito ou
se torne inoperante. As configurações dos recursos só devem ser alteradas se você tiver
certeza de que as novas configurações não entrarão em conflito com outro hardware ou se um
fabricante de hardware tiver fornecido a você configurações de recursos específicas para um
dispositivo.

Conhecendo o Gerenciador de dispositivos:


O Gerenciador de dispositivos é o console que fornece um modo de exibição gráfica de todo o
hardware instalado no computador. Você pode usar o Gerenciador de dispositivos para
atualizar os drivers (ou software) de dispositivos de hardware, modificar configurações de
hardware, desativar e reativar drivers e solucionar problemas relacionados aos dispositivos de
hardware do computador.
Você pode usar o Gerenciador de dispositivos para:
Determinar se o hardware do seu computador está funcionando corretamente.
Alterar as definições da configuração de hardware.
Identificar os drivers de dispositivos que estão carregados para cada dispositivo e obter
informações sobre cada driver.
Alterar configurações avançadas e propriedades dos dispositivos.
Instalar drivers de dispositivo atualizados.
Desativar, ativar e desinstalar dispositivos.
Retornar à versão anterior de um driver (Roll Back driver).

Importante: A opção de voltar à versão anterior de um driver é um recurso bastante útil, mais
conhecido como Roll back driver. Por exemplo, imagine que você instalou uma nova versão
para o driver da placa de rede de um computador. O computador foi reinicializado, você fez o
logon normalmente, porém o desempenho está “sofrível”. Você verifica que o processador está
com uma taxa constante de ocupação, próximo aos 100%. A causa provável do problema é
que a nova versão do driver da placa de rede esteja com problemas e esteja causando o uso
excessivo do processador, tornando com isso inviável o uso do computador. Você pode usar o
recurso de Roll back, para retornar a versão anterior do driver e solucionar o problema de
desempenho. Você aprenderá como fazer isso, na prática, mais adiante, neste capítulo.

O Gerenciador de dispositivos é acessado através da opção Gerenciador de Dispositivos do


Painel de controle. Abra o Painel de Controle. Na lista Exibir por selecione a opção Ícones
pequenos. Abra a opção Gerenciador de Dispositivos. Será exibido o Gerenciador de
Dispositivos, conforme exemplo da Figura a seguir.

O Gerenciador de Dispositivos tem um formato e funcionamento semelhante ao do Windows


Explorer das versões anteriores do Windows. É exibida uma árvore de opções, que dá acesso
as categorias de dispositivos de hardware, instaladas no computador, tais como: Adaptadores
de rede, Adaptadores de vídeo, Dispositivos do sistema, monitores, teclados, etc.

Ao clicar no sinal de +, ao lado de uma das categorias, será exibida a lista de dispositivos de
hardware, da respectiva categoria. Por exemplo, ao clicar no sinal de +, ao lado de
Adaptadores de rede, esta opção é expandida e será exibida a lista de adaptadores de rede,
instalados no seu computador. Dê um clique duplo em um dos adaptadores, para exibir
informações detalhadas sobre o respectivo dispositivo, conforme exemplo da Figura a seguir.
O Gerenciador de dispositivos.

Exibindo informações sobre um dispositivo.

O Gerenciador de Dispositivos na Prática


Usando o Gerenciador de dispositivos:
O Gerenciador de dispositivos é geralmente utilizado para verificar o status do hardware
atualmente instalado no computador e para atualizar os drivers de dispositivos de hardware do
computador. Usuários avançados, com amplo conhecimento sobre hardware de computador
podem também usar os recursos de diagnóstico do Gerenciador de dispositivos para solucionar
conflitos entre dispositivos e alterar configurações de recursos, mas isso deve ser feito com
extrema cautela, pelos motivos expostos nas duas lições anteriores.

IMPORTANTE: Alterações incorretas, das configurações dos recursos de um dispositivo de


hardware, podem desativar o hardware e fazer com que o computador não funcione direito ou
fique inoperante. Apenas os usuários que têm experiência em hardware e em configurações de
hardware devem alterar configurações de recursos. Normalmente, não será necessário usar o
Gerenciador de dispositivos para alterar configurações de recursos, pois estes são alocados
automaticamente pelo Windows 7, durante a configuração do hardware, conforme descrito nas
duas lições anteriores.

Importante: Somente contas com perfil de Administrador, terão permissão para gerenciar
drivers de dispositivos de hardware.

Importante: Você pode usar o Gerenciador de dispositivos para gerenciar dispositivos apenas
em um computador local. O Gerenciador de dispositivos funcionará apenas no modo somente
leitura em um computador remoto.

Exemplo: Para acessar o Gerenciador de Dispositivos, siga os passos indicados a seguir:


1. Faça o logon com uma conta com permissão de administrador.

2. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle e na lista Exibir por selecione a opção
Ícones pequenos.

3. Dê um clique no link Gerenciador de Dispositivos.

4. Será aberto o Gerenciador dispositivos, onde é exibida uma árvore, onde são listados todos
os dispositivos de hardware instalados no computador, conforme exemplo da Figura a seguir,
indicada anteriormente, onde os dispositivos são divididos em categorias.

5. Vamos acessar as propriedades de um driver instalado. No meu exemplo, vou clicar no sinal
de +, ao lado da categoria Adaptadores de rede. Será exibida uma lista de todos os
adaptadores de rede instalados. Dê um clique duplo em um deles, para exibir as propriedades
do respectivo driver, conforme exemplo da Figura a seguir:
Acessando as propriedades de um driver.

6. Dê um clique na guia Driver. Serão exibidas as opções indicadas na Figura a seguir, as


quais serão detalhadas logo a seguir.

A guia Driver, das propriedades do driver.

Nesta guia, cabe destacar a função dos seguintes botões:


Detalhes de driver: Ao clicar neste botão, será aberta uma janela com informações
detalhadas sobre o driver.
Atualizar driver: Este botão é utilizado para alterar ou atualizar o driver de dispositivo
selecionado. Isso inicia o Assistente para atualização de hardware, no qual você pode informar
a localização dos arquivos da nova versão do driver.
Reverter driver: Este é o famoso Roll back, ou seja, desinstalar a versão atual e voltar a
versão anterior do driver. Conforme descrito anteriormente, esta função é útil em situações
onde após a instalação de uma nova versão de um driver de um dispositivo, o sistema começa
a apresentar problemas de estabilidade ou de desempenho. Se você conseguir fazer o logon
no modo normal ou no modo de segurança, será possível usar esta função, para voltar a
versão anterior do driver e solucionar os problemas causados pela nova versão. Este botão só
estará habilitado se você tiver instalado uma nova versão do driver. Se o driver nunca foi
atualizado, este botão estará desabilitado.
Desativar: Clique neste botão para desativar o driver. Ao desativar um driver, este continua
instalado e poderá ser ativado quando necessário, sem a necessidade de ser reinstalado.
Desinstalar: Esta opção pode ser utilizada para desinstalar o driver de um dispositivo. Se
você precisar usar o dispositivo novamente no futuro, terá que reinstalar o driver.

7. Dê um clique na guia Recursos. Nesta guia são exibidos os recursos de hardware utilizados
pelo driver, tais como IRQ, Intervalo de memória e assim por diante. Nesta guia será informado
se o dispositivo está em conflito com algum outro driver instalado no sistema. Por exemplo, se
dois drivers tentarem utilizar a mesma IRQ, haverá um conflito de IRQs. Esta informação é
fundamental para a detecção e resolução de problemas relacionados ao conflito de uso de
recursos, quando dois ou mais dispositivos de hardware estão tentando utilizar o mesmo
recurso.

8. Clique em OK para fechar a janela de propriedades do driver. Você estará de volta ao


Gerenciador de dispositivos.

9. Ao clicar com o botão direito do mouse em um dispositivo, no gerenciador de dispositivos,


você tem uma série de opções, conforme indicado na Figura abaixo:

Opções ao clicar com o botão direito do mouse.

A seguir descrevo estas opções:

Atualizar driver: Esta opção abre o Assistente para atualização de driver. Através deste
assistente, você poderá pedir que o Windows use o Windows Update, para tentar localizar uma
versão atualizada do driver, diretamente nos servidores da Microsoft ou poderá informar o local
(disquete, CD-ROM, pasta no HD, etc.), onde está disponível a nova versão do driver, a ser
instalada.
Desativar: Desativo o dispositivo, sem desinstalá-lo. Você poderá voltar a utilizar o
dispositivo novamente, simplesmente ativando-o novamente. Se o dispositivo no qual você
clicou está desativado, ao invés da opção Desativar irá surgir a opção Ativar.
Desinstalar: Esta opção desinstala o driver do dispositivo. Se você reinicializar o
computador e não tiver desinstalado, fisicamente, o dispositivo de hardware, o Windows poderá
detectá-lo novamente e instalar novamente o respectivo driver.
Verificar se há alterações de hardware: Esta opção faz uma varredura em todo o
computador, tentando detectar novos dispositivos de hardware que ainda não estejam sendo
exibidos no Gerenciador de dispositivos.
Propriedades: Exibe as propriedades do dispositivo selecionado. É equivalente a dar um
clique duplo no dispositivo.
10. Quando existe algum problema com um determinado dispositivo, o Windows exibe
diferentes ícones, ao lado do dispositivo, para indicar o problema encontrado.

11. Se houver problemas com algum dispositivo, o Windows 7 indicará com um ícone especial,
como por exemplo uma exclamação amarela ao lado do dispositivo. Normalmente, os
dispositivos com algum tipo de problema e/ou conflito, são exibidos na categoria Outros
dispositivos. A seguir descrevo os possíveis ícones que podem aparecer, ao lado dos
dispositivos com problemas:

Ponto de exclamação amarelo: Este ícone indica um problema com o respectivo


dispositivo. Pode ser um conflito de recursos com outro dispositivo ou pode significar que o
Windows não consegue localizar e/ou se comunicar com o dispositivo.
Um x vermelho: É exibido para dispositivos que foram desabilitados pelo administrador.
Uma letra i, minúscula, em azul: Indica que o dispositivo foi configurado manualmente, ao
invés de automaticamente pelo Windows. Este tipo de ícone só será exibido quando for
selecionada uma visualização do tipo Recursos por tipo ou Recursos por conexão. Os
diferentes tipos de visualização, do Gerenciador de dispositivos, são selecionadas, usando o
comando Exibir.
Um ponto de interrogação amarelo: Este ícone indica que o Windows localizou o
dispositivo mas não foi capaz de determinar, automaticamente, que dispositivo é. A causa mais
comum deste problema é um tipo incorreto de driver ou o driver ainda não ter sido instalado .

12. Agora vamos analisar as diferentes guias que estão disponíveis, quando são exibidas as
propriedades de um dispositivo. Para este exemplo, vamos exibir as propriedades do
Adaptador de rede.

13. Clique no sinal de +, ao lado da categoria Adaptadores de rede.

14. Dê um clique duplo no primeiro adaptador que é exibido.

15. Será exibida a janela de propriedades do Adaptador, com a guia Geral selecionada por
padrão, conforme indicado na Figura abaixo:
A guia Geral das propriedades do dispositivo.

A guia Geral contém informações sobre o tipo de dispositivo, o fabricante e em qual slot PCI o
dispositivo está conectado.

16. Clique na guia Avançado. Esta guia permite configurar parâmetros individuais do
dispositivo de hardware. Esta guia só deve ser utilizada por técnicos de hardware, os quais
conhecem em detalhes o dispositivo que está sendo configurado e os parâmetros e
configurações técnicas do dispositivo, pois configurações incorretas em um ou mais dos
parâmetros de um dispositivo de hardware, poderão fazer com que ele deixe de funcionar,
funcione incorretamente ou funcione com um desempenho muito ruim.

17. Defina as configurações desejadas e clique na guia Driver. Esta guia, indicada na Figura a
seguir, apresenta uma série de opções, as quais já foram descritas anteriormente.

18. Clique na guia detalhes. Esta guia apresenta um controle do tipo Caixa de combinação, no
qual são listadas todas as propriedades do dispositivo. São dezenas de propriedades para
cada dispositivo de hardware. Esta é uma informação extremamente técnica a qual somente
será utilizada, por técnicos em Hardware, para tentar detectar a causa de problemas com um
dispositivo que não está funcionando corretamente.

19. Clique na guia Recursos. Esta guia lista os recursos utilizados pelo dispositivo de
hardware, tais como IRQ e endereços de acesso direto à memória. Esta guia é útil para a
detecção de conflitos no uso destes recursos. Se o dispositivo estiver tentando utilizar algum
recurso que também está tentando ser utilizado por outro dispositivo, os recursos em conflito
serão exibidos no campo “Lista de dispositivos em conflito”, desta guia. Se o dispositivo aceitar
configuração manual, a caixa Usar config. Automática estará habilitada e você poderá
desmarcá-la, para configurar os recursos do dispositivo, manualmente. Ao desmarcar a caixa
Usar config. Automática, o botão Alterar configuração... será habilitado. Mas lembre-se de que,
o uso das configurações manuais, só deve ser feito em último caso, quando por algum motivo,
o Windows não foi capaz de detectar ou configurar, automaticamente, os recursos a serem
utilizados pelo dispositivo. As configurações manuais só devem ser feitas por técnicos de
hardware, os quais conhecem bem o dispositivo que está sendo configurado.

20. Defina as configurações desejadas na guia Recursos e clique na guia Gerenciamento de


energia. Esta guia é utilizada para configurar o dispositivo em relação ao Gerenciamento de
energia. Por exemplo, se você quer que o Gerenciamento de energia não deva ser capaz de
desligar o monitor, você deve acessar as propriedades do Monitor, no Gerenciamento de
dispositivos, acessar a guia Gerenciamento de energia e desmarcar a opção “O Computador
pode desligar o dispositivo para economizar energia”. A guia Gerenciamento de energia,
apresenta as opções descritas a seguir:

O Computador pode desligar o dispositivo para economizar energia: Especifica se o


sistema operacional desativará o dispositivo selecionado, se tal dispositivo puder ser
desativado. Entretanto, se o dispositivo estiver ocupado com alguma tarefa (atendendo a uma
chamada, por exemplo), o sistema operacional não desligará o dispositivo. Ele somente tentará
desligar um dispositivo que possa ser desligado quando ele estiver hibernando. Alguns
dispositivos devem ficar ligados o tempo todo. Se você precisar que o dispositivo fique ligado o
tempo todo, não marque esta opção.
Permitir que este dispositivo acorde o computador: Especifica que o sistema
operacional deve sair do estado de baixa energia para atender à ocorrência de um evento,
gerado pelo dispositivo de hardware que está sendo configurado. Por exemplo, uma chamada
de entrada de modem avisará ao sistema que ele deverá atender à chamada, mesmo que
esteja em hibernação. Se essa opção não funcionar, pode ser que o hardware não ofereça
suporte a esse recurso. Contate o fabricante do hardware para obter mais informações. Ao
habilitar esta opção, a opção a seguir também será habilitada:
Somente permitir um pacote Magic para ativar o computador: Especifica que o
computador deve sair do estado de baixa energia somente quanto o dispositivo receber
determinados tipos de tráfego de rede, geralmente enviados por um administrador de rede.
Quando você seleciona essa caixa, o único tráfego de rede que faz com que o dispositivo tire o
sistema operacional de um estado de baixa energia é o tráfego enviado por um administrador
de rede. Desmarque esta caixa de seleção para permitir que todo tráfego de rede faça com que
o dispositivo tire o sistema operacional de um estado de baixa energia. Como regra geral, se o
computador fornecer serviços a outros computadores, você deve desmarcar a caixa de seleção
para que os outros computadores possam tirá-lo do estado de baixa energia.

21. Selecione as configurações desejadas e clique em OK. Pronto, a janela de propriedades


do dispositivo será fechada e as novas configurações serão aplicadas.

22. Feche o Gerenciador de dispositivos.

Configurando a Data e a Hora do Sistema

O ícone Data e hora do Painel de controle, permite que sejam configuradas a data, a hora o
Fuso horário do computador e, se você estiver conectado à Internet, um servidor da Internet
com o qual o seu computador irá manter a hora sincronizada, de acordo com o fuso horário
configurado. Estas opções também podem ser acessadas de uma maneira mais simples, basta
para isso dar um clique na da e hora do sistema, que aparece no canto direito da barra de
tarefas e, na janela de opções que é exibida, clicar no link Alterar configurações de data e
hora..., conforme indicado na Figura abaixo:
Acessando a opção de configurações de Data e Hora.

Vamos praticar um pouco, alterando a hora, a data e o fuso horário do sistema.

Exemplo: Para utilizar o ícone Data e hora do Painel de controle, siga os passos indicados a
seguir.

Nota: Neste nosso exemplo, vamos alterar a data, hora e o fuso horário do sistema. Vamos
colocar 23:10:15 para a hora, e 25 de Março de 2007 para a Data. Como fuso horário, vamos
colocar Cairo com duas horas adiantadas em relação a Greenwich. Depois vamos acertar a
data e a hora utilizando o sincronismo com um servidor da Internet.
1. Abra o Painel de controle: Iniciar -> Painel de controle.
2. Na lista Exibir por selecione a opção Ícones pequenos.
3. Abra a opção Data e hora para abrir a janela indicada na Figura abaixo:
Janela para acertar a data, a hora e o fuso horário.

4. Esta janela apresenta três guias:

Data e hora: Fornece opções para configurar a data (dia, mês e ano) e a hora (hora,
minutos e segundos). Nesta guia também tem o botão Alterar fuso horário..., o qual permite a
alteração do fuso horário em uso no computador.
Relógio adicional: Permite que você configure até dois outros relógios, de outros fusos,
para serem exibidos quando o usuário dá um clique na hora, na Barra de Tarefas.
Horário na Internet: Especifica se o relógio do computador está sincronizado
automaticamente com um servidor de horário na Internet. Nesta guia tem o botão Alterar
configurações..., através do qual você tem acesso as configurações de sincronização.

5. Na guia Data e hora, clique no botão Alterar data e hora. Caso você não esteja logado com
uma conta com permissão de Administrador, será exibida a janela do recurso Controle de
Conta de Usuário, solicitando permissão para continuar. Clique no botão Continuar. Será
exibida a janela Configurações de data e hora. Para alterar a hora, clique no espaço onde está
sendo mostrada a hora e utilize a flechinha para cima para aumentar a hora ou a flechinha
para baixo para diminuir a hora. Você também pode digitar a hora desejada. Para se deslocar
para o espaço do minuto, você pode utilizar a tecla Tab ou clicar com o mouse no espaço do
minuto. Na Figura abaixo podemos visualizar a janela Configurações de data e hora:
A janela Configurações de data e hora.

6. Altere a hora para 23:15:45. Observe que depois de alterar a hora e se deslocar para os
minutos, o desenho do relógio já reflete a nova hora.

7. Na parte da esquerda da janela, altere a data para 25 de Março de 2007. Para alterar o
mês você pode clicar na setinha para a esquerda, para voltar um mês ou na setinha para a
direita, para avançar um mês. Após ter chegado no mês desejado, clique no dia a ser definido
como data atual. O controle calendário do Windows 7 tem funcionalidades bem diferentes (e
interessantes), em relação as versões anteriores do Windows. No exemplo da Figura 3.44, está
sendo exibido o mês de março de 2007. Experimente clicar em março de 2007. Observe que o
controle muda e passa a exibir o nome de todos os meses do ano de 2007 para que você
possa, facilmente, selecionar um dos meses. Observe que ao invés de março 2007, no título do
controle, passa a ser exibido 2007. Vamos ir um pouco adiante. Clique em 2007 e observe o
que acontece. O título muda para 2000-2009 e passam a ser exibidos links para os anos de
2000 a 2009, para que você possa, facilmente, selecionar um destes anos. Vamos um pouco
mais adiante ainda??? Clique no título 2000-2009 e observe. Um número ainda maior de links,
para vários anos, é exibido. No nosso exemplo 2000-2099. Agora você pode clicar nas setinhas
para a esquerda e para a direita, para exibir um conjunto diferente de anos. Observe a
facilidade para navegar por diferentes datas, usando o novo controle Calendário. Nas opções
que estão sendo exibidas, clique em 2000-2009. Na lista de anos que é exibida, clique em
2007. Na lista de meses que é exibida, clique em mar, para selecionar março. Será exibida a
lista de dias de março, clique em 25, para definir 25 de março de 2007, como a data atual. Dê
um clique no botão OK para por em prática as alterações.

8. Você estará de volta à janela Data e hora. Dê um clique no botão Alterar fuso horário... Será
exibida a janela Configurações de Fuso Horário. Na listagem Fuso horário, deve estar
selecionado “(GMT –03:00) Brasília”, indicando que o computador está configurado com o fuso
horário de Brasília. Abra a lista e localize a opção ( GMT +02:00) Cairo, para selecionar o fuso
horário do Cairo. Dê um clique em OK para fechar a janela e colocar em prática as alterações.

9. Você estará de volta à janela Data e hora. Dê um clique em OK para fechar a janela e
colocar em prática as alterações.
10. Abra novamente a opção de Data e hora, dando um clique no relógio do sistema, na barra
de tarefas. Observe que a hora e data definidas já são exibidas. Clique no link Alterar
configurações de data e hora.... A janela data e hora voltará a ser exibida.

11. Utilize o botão Alterar fuso horário..., para alterar o fuso horário de volta para “(GMT –
03:00) Brasília”. Agora estamos com o fuso horário certo e a hora incorreta (ainda está a hora
que você definiu no item 5).

12. Dê um clique na guia Horário na Internet. Clique no botão Alterar configurações... Caso
você não esteja logado com uma conta com permissão de Administrador. Será exibida a janela
do recurso Controle de Conta de Usuário, solicitando permissão para continuar. Clique no
botão Continuar. Será exibida a janela Configurações de Horário na Internet, indicada na
Figura abaixo:

A janela Configurações de Horário na Internet.

13. Se você estiver conectado à Internet dê um clique no botão Atualizar agora. O Windows
tentará “acertar” a hora do seu computador, fazendo a sincronia com o servidor
time.windows.com. A sincronização demora alguns instantes e no final é exibida a mensagem
informando a hora e que a sincronização foi feita com sucesso. Para que a sincronização seja
sempre efetuada, certifique-se de que a opção Sincronizar com um servidor de horário na
Internet, esteja marcada. Clique em OK para fechar a janela Configurações de Horário na
Internet. Você estará de volta a janela Data e hora. Se você clicar na guia Data e hora, verá
que o horário está correto, pois com base no fuso horário configurado na guia Fuso horário, o
servidor time.windows.com, determina a hora correta para o respectivo fuso horário.

14. E por último, vamos ver uma guia que é novidade do Windows 7, a guia Relógios
Adicionais. Dê um clique nesta guia. Será exibida a janela indicada na Figura abaixo:
A guia Relógios Adicionais.

15. Nesta guia, você pode selecionar até dois relógios adicionais, de outros fusos horários,
para serem exibidos quando você clica na hora, na barra de tarefas. Por exemplo, se você
trabalha em uma empresa em São Paulo e tem filiais em Tóquio e em Londres, você pode
pedir para que sejam exibidos os relógios para estes fusos horários. Marque a opção Mostrar
este relógio, bem na parte de cima e, na lista Selecionar fuso horário, selecione o fuso horário
(GMT) Hora de Greenwich, Dublin, Edimburgo, Lisboa, Londres. No campo Digitar nome para
exibição, digite Londres. Marque também a segunda opção Mostrar este relógio. Na lista
Selecionar fuso horário, selecione o fuso horário (GMT + 09:00) Osaka, Sapporo, Tóquio. No
campo Digitar nome para exibição, digite Tóquio. Clique em OK para aplicar as configurações e
fechar a janela Data e hora.

16. Clique na hora do sistema, bem no lado direito da Barra de tarefas e observe que são
mostrados os dois relógios adicionais, configurados

Windows Update - Mantendo o Windows Atualizado


Mantendo o Windows 7 atualizado com o Windows Update:

Após o lançamento do Windows 7 podem ser (e certamente serão) descobertos problemas, os


famosos “bugs”. Além dos bugs podem ser detectadas falhas de segurança que necessitam ser
corrigidas para proteger o usuário contra ataques de segurança. De tempos em tempos, a
Microsoft lança os chamados Service Packs. Um Service Pack é um conjunto de correções que
deve ser aplicado a um determinado produto. Por exemplo, existe Service Pack para o
Windows NT, para o Windows 2000, para o Windows Server 2003, para o Windows XP, para o
SQL Server, para o Internet Explorer, enfim, para todos os produtos da Microsoft. Normalmente
são lançados mais do que um Service Pack para uma mesma versão do Produto. É lançado o
Service Pack 1, após a aplicação deste são detectados novos problemas, com isso é lançado o
Service Pack 2 e assim por diante.

Evidentemente que os Service Pack são gratuitos, podendo ser baixados (download)
diretamente do site da Microsoft. Porém entre o lançamento de uma versão e outra do Service
Pack, surgem várias pequenas falhas que precisam ser corrigidas imediatamente, para evitar
problemas, principalmente, de segurança. A maneira mais prática de manter-se atualizado com
todas as correções/melhorias do Windows 7 é através do Windows Update. O Windows Update
é acessado através do comando: Iniciar -> Todos os programas -> Windows Update. Para
utilizar o Windows Update você precisa estar conectado à Internet e estar logado com uma
conta com perfil de Administrador.

Ao acionar o Windows Update, surge uma janela com opções de atualização. O Windows 7
está permanentemente se conectando com o site de atualizações da Microsoft, detectando as
atualizações disponíveis e dá a opção de você baixar e instalar as atualizações. As
atualizações são divididas em categorias, sendo que as mais importantes são as atualizações
críticas.

No nosso exemplo, para ver a lista de Atualizações Opcionais disponíveis, clique no link 38
atualizações opcionais estão disponíveis. Será exibida a lista Exibir atualizações disponíveis,
com a lista de todas as atualizações disponíveis. Marque a caixa de seleção ao lado das
atualizações que você deseja instalar e depois clique no botão Instalar. Será exibida uma
janela mostrando o progresso do download e da instalação das atualizações. Ao final será
exibida uma mensagem, informando sobre o sucesso da instalação. Se for necessário, será
solicitado que você reinicialize o computador.

A janela Windows Update.

Nota: Por padrão, o Windows 7 é configurado para baixar e instalar, automaticamente, todas
as atualizações críticas, sem ser necessário pedir que o usuário autorize a instalação das
atualizações críticas. Você pode configurar este comportamento do Windows. Veremos estas e
outras configurações do Windows Update, no Capítulo 10, onde tratarei sobre os diversos
recursos de segurança do Windows 7.

Nota: Segundo informações da própria Microsoft, nenhuma informação do usuário ou do


computador do usuário é transmitida para a Microsoft, durante o processe de atualização
através do Windows Update.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO WINDOWS 7

Os gabaritos encontram-se no final


dos exercícios
01) No menu Iniciar (ou Start) do Windows existe uma opção Executar... (ou Run...) que,
quando acionada, resulta num prompt que solicita dados para prosseguir. A opção que
não é uma alternativa válida nessa resposta é:
(A) o nome de um programa;
(B) um endereço IP;
(C) um endereço de página na Internet;
(D) o nome de uma pasta no disco local;
(E) o nome de um contato de e-mail.

02) Considerando o gerenciamento de programas em execução no Windows 7, para


acionar o gerenciador de tarefas, conhecido como Task Manager, ferramenta que
permite visualizar os programas em execução e controlar a prioridade de execução de
cada um deles, é correto:
(A) pressionar a tecla Iniciar; clicar sobre o menu Programas; clicar sobre o menu Acessórios;
e clicar sobre o menu que contém o ícone .
(B) pressionar a tecla F1.
(C) pressionar a tecla Iniciar; clicar sobre o menu Painel de Controle; selecionar Ferramentas
Administrativas; e clicar sobre o ícone do Gerenciador de Tarefas.
(D) pressionar, ao mesmo tempo, as teclas CTRL, ALT e DEL e clicar em Iniciar Gerenciador
de Tarefas.

03) O utilitário do Windows 7 que realiza cópias de segurança dos dados do usuário é:
(A) Central de Segurança.
(B) Opções de Acessibilidade.
(C) Desfragmentador de Disco.
(D) Backup.
(E) Bloco de Notas.

04) Considere as seguintes afirmações relativas a um atalho no MS-Windows:


I. um atalho ocupa tanto espaço quanto o arquivo original;
II. um atalho é utilizado para agilizar o processo de carregar um aplicativo na memória;
III. atalhos podem ser utilizados somente para referenciar itens armazenados em dispositivos
removíveis, do tipo pendrives;
IV. atalhos não podem referenciar itens armazenados em dispositivos removíveis, do tipo
pendrive.
A quantidade de afirmativas corretas é:
(A) 0
(B) 1
(C) 2
(D) 3
(E) 4

05) A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é


a) ARC
b) IMG
c) WAV
d) WMF

06) Como instalar o teclado ABNT2 no Microsoft Windows 7?


A) A configuração do idioma e do tipo de teclado é feita através do ícone de “Teclado” do
Painel de Controle.
B) A configuração do idioma e do tipo de teclado é feita através do ícone de “Relógio, Idioma e
Região/Alterar os teclados ou outros métodos de entrada” do Painel de Controle.
C) A configuração do idioma e do tipo de teclado é feita através do ícone de “Opções de
acessibilidade” do Painel de Controle.
D) A configuração do idioma e do tipo de teclado é feita através do ícone de “Opções de Pasta”
do Painel de Controle.
E) A configuração do idioma e do tipo de teclado é feita através do ícone de “Ferramentas
administrativas” do Painel de Controle.
07) Como se sabe, há inúmeros profissionais de informática tais como: programadores,
digitadores ou designers, atendentes de centros de atendimento telefônico (“call
centers”), etc. que são, por exemplo, portadores de deficiências auditivas ou visuais,
entre outras, cuja produtividade em nada é afetada quando utilizam o computador.
Pensando neles, foram incluídas no Painel de Controle (Microsoft Windows 7) algumas
funções que podem ser acessadas através do seguinte ícone:
A) Facilidade de Acesso. D) Teclado.
B) Ferramentas administrativas. E) Sons e dispositivos de áudio.
C) Opções de Pasta.

08) Considere a seguinte afirmativa:


No Windows 7, o ________________ desliga o computador sem fechar os programas e sem
perder as informações, salvando as informações presentes na memória principal em disco
rígido, anotando os programas abertos e desligando o computador em seguida. Ao reiniciá-lo, a
área de trabalho e os programas são exibidos exatamente como estavam antes do
desligamento.
O termo que completa a lacuna da afirmativa é:
(A) Procedimentos de suspender;
(B) modo em espera;
(C) modo de hibernação;
(D) procedimento de mudar de usuário;
(E) procedimento de efetuar logoff.

09) considere a imagem do programa Windows Explorer abaixo.

Para retirar a pasta da pasta e movê-la para dentro da pasta ,


considere as ações propostas.
I - Copiar a pasta através do menu Editar | Copiar e, em seguida, colá-la sobre a
pasta através do menu Editar | Colar.
II - Mover a pasta , utilizando o botão principal (esquerdo) do mouse, e soltá-la
sobre a pasta
.
III - Recortar a pasta através do menu Editar | Recortar e, em seguida, colá-la
sobre a pasta através do menu Editar | Colar.

Quais são corretas?


(A) Apenas I
(B) Apenas I e II
(C) Apenas I e III
(D) Apenas II e III
(E) I, II e III

10) Das alternativas abaixo, qual apresenta a ferramenta do Windows utilizada para criar
e editar textos simples?
a) Bloco de Notas;
b) Acesso à Rede Dial-Up;
c) Imaging;
d) HyperTerminal.
e) Modem.

11) Assinale a opção que apresenta a combinação de teclas utilizada no Windows para
excluir um item selecionado da área de trabalho sem usar a lixeira:
a) Shift + Enter;
b) Shift + Delete;
c) Alt + F2;
d) Alt + F1.
e) Alt + F8.

12) A respeito do tratamento pelo sistema operacional dos diversos tipos de arquivos
conhecidos, pode-se afirmar que:
(A) o Windows 7, a partir de uma configuração prévia, ativará, de acordo com a extensão do
arquivo selecionado, um programa instalado quando for aplicado o clique duplo do mouse
sobre esse arquivo.
(B) o Windows 7 não permite modificar a extensão de arquivos relacionados a programas
específicos, tais como a extensão .doc. para arquivos do MS Word ou a extensão .xls. para
arquivos do MS Excel.
(C) não é possível acionar a execução de outro programa sobre um arquivo de extensão já
registrada para um programa.
(D) extensões de nomes de arquivos são encontradas após o .ponto. no nome do arquivo, e a
única forma de associar um programa para abri-lo é por meio da opção .Sempre usar este
programa para abrir este arquivo. do menu de contexto, que é acionado quando aplicado o
clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo.
(E) um arquivo sem extensão não pode ser aberto por programas instalados no Windows 7.

13) O sistema operacional Windows 7 oferece funções úteis para as diversas teclas de
função como opção de entrada de comandos via teclado, o que facilita e agiliza o
trabalho do usuário. Assinale a opção que apresenta a seqüência de teclas que, ao
serem pressionadas simultaneamente, possibilitam visualizar e alternar entre diversas
janelas ativas no sistema.
(A) Ctrl + Alt + Del
(B) Alt + TAB
(C) Alt + F4
(D) Shift + F11
14) Observe o diretório abaixo ilustrado, que contém sete arquivos
listados.

Usando-se o recurso Pesquisar do Windows 7, qual texto deverá ser digitado na janela de
busca para que apareçam todos os arquivos?
(A) Bibl?.?
(B) Bibl*.*
(C) Bibl?.*
(D) Bibl??????.*
(E) Bibl??????.???

15) Algumas empresas estão vendendo computadores sem um sistema operacional


instalado. O que acontece se você quiser acessar, por exemplo, o Painel de Controle do
Windows em um destes computadores?
A) Você só consegue ver o Painel de Controle, mas não consegue acessar qualquer uma de
suas opções.
B) Você só consegue acessar a opção “Adicionar ou remover programas” e aí incluir o
Windows a partir de um CD, por exemplo.
C) Você só consegue acessar a opção “Adicionar ou remover hardware” e aí incluir o Windows
a partir de um CD, por exemplo.
D) Esta operação não é possível neste caso.
E) Neste caso, só se consegue acessar o Windows através do sistema operacional DOS que
sempre reside no computador.

16) Julgue as seguintes afirmações sobre o sistema operacional Windows 7.


I. Para criar uma pasta utilizando o Windows Explorer, basta apenas clicar no botão "Nova
Pasta".
II. O Painel de Controle oferece opções para gerenciar diversos recursos do sistema
operacional,
tais como adicionar e remover programas, configurar dispositivos, adicionar novo hardware,
dentre outras.
III. A opção Acessórios do Windows inclui diversos aplicativos que acompanham o Windows 7.
Dentre estes aplicativos, estão a Calculadora, o Bloco de notas, o Paint, o Excel e outros.
Escolha a alternativa que indica a (s) afirmação (ões) CORRETA (S).
a) Apenas I.
b) I e II.
c) Apenas III
d) I, II e III.
17) “No Microsoft Windows há uma opção que visa facilitar a utilização do computador
pelos portadores de deficiência física. Esta opção pode ser encontrada,
respectivamente, no _____________ e se chama ____________.” Complete corretamente
a frase anterior e assinale a alternativa correspondente:
A) Internet Explorer/Word Wide Web. D) Painel de Controle/Inclusão Digital.
B) Painel de Controle/Facilidade de Acesso . E) Internet Explorer/Inclusão Digital.
C) Word/Inclusão Digital.

18) O sistema operacional Windows 7 permite a criação de atalhos para arquivos ou


diretórios, facilitando a organização dos documentos. O que diferencia um atalho de um
arquivo ou diretório real?
(A) O ícone do atalho possui uma seta sobreposta.
(B) O ícone do atalho é preto e branco.
(C) O ícone do atalho é uma pequena estrada de terra.
(D) O ícone do atalho pisca.
(E) O atalho não possui ícone.

19) Observe as afirmativas abaixo sobre a ferramenta padrão de busca de arquivos do


Windows 7.
I - É preciso informar o nome do arquivo que se pretende encontrar.
II - Permite efetuar uma busca por arquivos modificados numa data específica.
III - Permite a busca pelo conteúdo do arquivo.
IV - Permite a busca pelo tamanho do arquivo.
Estão corretas as afirmativas:
(A) I e IV
(B) II e III
(C) I, II e III
(D) I, III e IV
(E) II, III e IV

20) Qual a ferramenta disponível no Windows 7 que permite gerenciar arquivos e pastas?
(A) WordPad.
(B) Bloco de Notas.
(C) Gerenciador de Tarefas.
(D) Windows Explorer.
(E) Windows Media Player.

21) Um usuário deseja visualizar um arquivo com a extensão html armazenado no disco
rígido de sua própria máquina. O requisito mínimo para visualizar esse arquivo é ter
instalado em sua máquina:
(A) um web browser e o Windows Media Player;
(B) um web browser e acesso à Internet em banda larga;
(C) um web browser e um programa gráfico;
(D) um web browser;
(E) um web browser e acesso discado à Internet.

22) No Microsoft Windows 7 e no Microsoft Windows 2000 para descobrir se alguém


criou um arquivo no seu micro, por exemplo, basta pesquisar em:
A) "Sistema e Segurança" em “Ferramentas administrativas”, na entrada “Visualizar eventos” e
seguir demais procedimentos pertinentes.
B) Somente no Microsoft Windows XP isto é possível desde que se siga os procedimentos
descritos na alternativa A.
C) Somente no Microsoft Windows 2000 é possível, desde que se siga procedimentos descritos
na alternativa A.
D) Em ambas versões do Microsoft Windows (XP e 2000) isto será possível, através da
utilização de um programa/utilitário específico que pode ser obtido gratuitamente na Internet.
E) Apenas no Microsoft Windows XP isto é possível, sendo através de programas/utilitários
específicos que consigam ler o log do sistema.
23) O Windows Explorer permite que os ícones da área de trabalho possam ser
visualizados em ícones grandes ou ícones pequenos, e ainda organizados por nome, por
tipo, por data ou por tamanho. O botão que permite organizações desse tipo é:
A) Arquivo.
B) Editar.
C) Altere modo de exibição.
D) Ferramentas.

24) Sobre as combinações da tecla Windows considere as afirmativas abaixo:


I. A tecla Windows pressionada juntamente com a tecla W abre o Windows Explorer.
II. A tecla Windows pressionada juntamente com a tecla F abre a ferramenta Pesquisar.
III. A tecla Windows pressionada juntamente com a tecla M minimiza todas as janelas.
IV. A tecla Windows pressionada juntamente com a tecla R abre o comando executar.
A quantidade de afirmativas corretas é:
A) 0
B) 1
C) 2
D) 3
E) 4

25) Considere as assertivas abaixo.


I - Clicando-se no botão Iniciar e, em seguida, na opção Desligar/Fazer logoff, a conta de
usuário é fechada, mas o computador permanece ligado para que seja facilmente acessado
quando for necessário recorrer à opção Fazer logon novamente.
II - Pode-se bloquear um computador pressionando-se as teclas CTRL+ALT+DELETE do
teclado e, em seguida, clicando-se no botão Bloquear computador. Com isso, o sistema ficará
bloqueado, impedindo que qualquer pessoa, exceto o usuário ou um administrador do sistema,
visualize um arquivo ou programa que esteja aberto.
III - A ferramenta Restauração do sistema rastreia alterações feitas no computador e cria um
ponto de restauração quando detecta o início de uma delas. Utiliza-se o Assistente para a
restauração do sistema para selecionar um ponto de restauração, a fim de recuperar um
estado anterior do computador, no qual ele funcionava da maneira desejada.
Quais são corretas?
(A) Apenas I
(B) Apenas II
(C) Apenas III
(D) Apenas II e III
(E) I, II e III

26) Em computadores que utilizam como sistema operacional o Windows 7, é possível


configurar a resolução da tela do monitor de vídeo por meio da janela Propriedades de
vídeo.
Assinale a opção que apresenta uma forma correta de abrir essa janela.
a) Clicar, com o botão direito do mouse, um ponto sem ícones do desktop do Windows e clicar
Resolução de Tela.
b) Clicar, com o botão direito do mouse, um ponto sem ícones da barra de tarefas do Windows
e clicar Propriedades.
c) Clicar, com o botão direito do mouse, sobre o ícone associado à lixeira do Windows e clicar
Propriedades.
d) Aplicar um clique duplo no ícone associado à pasta Meu Computador.

27) Considerando as características do Windows 7, assinale a assertiva incorreta.

(A) Os botões , da esquerda para a direita, que aparecem no canto


superior direito de uma janela, permitem, respectivamente, maximizar, restaurar e fechar a
janela.
(B) A Barra de tarefas contém o botão Iniciar e aparece, na instalação padrão, na parte inferior
da área de trabalho. Pode-se clicar nos botões da Barra de tarefas para alternar os programas
que estão em execução.
(C) O botão secundário do mouse é utilizado para exibir Menus de atalho ou outros recursos
específicos do programa.
(D) A ferramenta Limpeza de disco ajuda a liberar espaço na unidade de disco rígido. Ela
realiza pesquisa na unidade, mostrando arquivos temporários, arquivos em cache de internet e
arquivos de programa desnecessários, que podem ser excluídos com segurança.

(E) A seta que aparece na imagem indica que este ícone é um atalho.

28) Sobre o Microsoft Windows 7, na sua configuração padrão, assinale a alternativa


que correlaciona corretamente as funcionalidades com as suas respectivas ações.
I. Gerenciador de tarefas
( ) Fornece opções para personalizar a aparência e funcionalidade do computador.
II. Painel de controle
( ) Permite que o usuário não exiba o relógio do Windows na barra de Tarefas.
III. Lixeira
( ) Exibe os documentos mais recentes abertos pelo usuário.
IV. Barra de tarefas e menu Iniciar
( ) Armazena os arquivos excluídos de uma pasta, permitindo a sua recuperação.
V. Documentos (opção selecionada no menu Iniciar)
( ) Exibe medidas de desempenho dos processos que estão sendo executados no
computador, por exemplo, o percentual de uso de CPU.
(A) II, IV, V, III, I.
(B) II, I, V, III, IV.
(C) IV, II, V, III, I.
(D) IV, V, II, III, I.
(E) V, II, I, III, IV.

29) Analise as afirmações a seguir sobre o Microsoft Windows 7, na sua configuração


padrão.
I. É possível existirem dois ou mais arquivos com o mesmo nome e extensão em uma mesma
pasta.
II. É possível visualizar o conteúdo de uma pasta, usando os modos de exibição: miniaturas,
lado a lado, ícones, lista e detalhes.
III. Pode-se agrupar e exibir os arquivos das pastas, ordenando-os por ordem alfabética, por
tipo, por tamanho ou pela data de modificação.
IV. O objetivo das pastas é proteger os arquivos de invasões externas ao computador pela
Internet.
Está correto o contido apenas em:
(A) II e III.
(B) III e IV.
(C) I, II e III.
(D) I, III e IV.
(E) II, III e IV.
30) Analise a imagem abaixo do programa Windows Explorer.

Pretende-se remover a pasta XYZ ( ) do disco C ( ), mantendo-se


uma cópia no disco K ( ). A este respeito, considere as opções propostas
abaixo.
I - Clicar no botão secundário do mouse sobre a pasta XYZ e escolher a opção Recortar. Em
seguida, clicar novamente no botão secundário do mouse sobre o disco K e escolher a opção
Colar.
II - Clicar no botão secundário do mouse sobre a pasta XYZ e escolher a opção Copiar. Em
seguida, clicar
novamente no botão secundário do mouse sobre o disco K e escolher a opção Colar.
III - Clicar no botão principal do mouse sobre a pasta XYZ, mantendo-o pressionado. Mover a
pasta até ela ficar sobre o disco K e, em seguida, soltar o botão do mouse.
Quais delas produzirão a operação desejada?
(A) Apenas I
(B) Apenas II
(C) Apenas III
(D) Apenas II e III
(E) I, II e III

31) Com base na imagem abaixo, assinale a assertiva incorreta.


(A) O parágrafo selecionado está alinhado à esquerda.
(B) Estão sendo exibidas Marcas de formatação como, por exemplo, marcas de parágrafo.

(C) No botão da Barra de ferramentas, pode-se inserir um valor para reduzir ou


ampliar a exibição do documento ativo.

(D) Ao clicar-se no botão , o parágrafo selecionado ficará no formato justificado, isto é,


alinhado às margens ou aos recuos direito e esquerdo.

(E) Ao clicar-se no botão , o conteúdo da Área de transferência do Windows será


colado sobre o texto selecionado.

32) No ambiente Windows 7 estão sendo executados vários aplicativos, como o Word, o
Excel e o Internet Explorer. Para acessar um deles, por meio de um atalho de teclado, o
usuário pode mover-se rapidamente de um aplicativo para outro, sem o auxílio do
mouse, bastando pressionar simultaneamente as teclas <Alt> e:
A) <Tab>
B) <Ins>
C) <Del>
D) <Ctrl>
E) <Shift>

33) Dentre os recursos contidos originalmente no Windows 7, encontram-se alguns


produtos para edição de texto e tratamento de imagens. São eles, respectivamente:
a) WordPad e Paint.
b) Word e Power Point.
c) Bloco de Notas e PowerPoint.
d) WordPad e CorelDraw.

34) No Windows 7, existem diferentes formas de se realizar a mesma ação. Quanto às


formas de se renomear um arquivo ou pasta, assinale a opção INCORRETA,
considerando que o arquivo ou pasta já esteja selecionado:
A) clicar no Botão Organizar/Renomear
B) teclar F2
C) teclar Ctrl + R
D) clicar no objeto
E) clicar com o botão da direita e acionar a opção Renomear

35) Considere as alternativas quanto à área de transferência do Windows:


I – Acionando a tecla Print Screen, todo o conteúdo exibido na tela é copiado para a área de
transferência.
II – Acionando as teclas ALT + Print Screen, o conteúdo da janela ativa é copiado para a área
de transferência.
III – Acionando as teclas CTRL + C, o conteúdo da área de transferência é “colado”.
Está (ão) correta (s) apenas:
A) I
B) II
C) II e III
D) I, e II
E) III.

36) No MS- Windows, quando se necessita utilizar a ferramenta de limpeza de disco, é


seguido o seguinte trajeto
(A) Iniciar Configurações Painel de controle Limpeza de Disco
(B) Iniciar Configurações Ferramentas do Sistema Limpeza de Disco
(C) Iniciar Programas Acessibilidade Limpeza de Disco
(D) Iniciar Executar Acessórios Limpeza de Disco
(E) Iniciar Programas Acessórios Ferramentas do Sistema Limpeza de Disco

37) Qual destes programas não faz parte dos aplicativos incluídos no Windows:
a) Windows Media Player
b) Microsoft Word
c) MSN Messenger
d) Internet Explorer
e) Cliente Windows Terminal Server

38) Um navegador (browser) Internet disponível para o Windows 7 é:


(A) Internet Explorer.
(B) HyperTerminal.
(C) WordPad.
(D) Media Player.
(E) Paint.
39) Observe a seguinte janela do Windows Explorer:

Qual o modo de exibição selecionado na janela acima?


(A) Ícones
(B) Lista
(C) Ícones grandes
(D) Detalhes
(E) Lado a Lado

40) No ambiente Windows 7, é possível alterar a data e a hora do computador, definir um


protetor de tela, exibir as impressoras instaladas no sistema, adicionar e excluir fontes
no sistema, adicionar um novo hardware ao sistema, enfim, uma série de procedimentos
necessários, muitas vezes para personalizar o ambiente de trabalho. Para realizar essas
funcionalidades, podemos utilizar o:
A) Outlook Express.
B) Painel de Controle.
C) Windows Upgrade.
D) Windows Configure.

41) O sistema operacional Microsoft Windows possui um conjunto de teclas para acesso
rápido às janelas de aplicativos em execução. Quando pressionadas ao mesmo tempo,
essas teclas fazem com que o sistema operacional Windows mostre ícones das janelas
dos aplicativos em execução, possibilitando assim escolher qual janela ficará ativa para
trabalho. Marque a alternativa que representa esse conjunto de teclas:
A) SHIFT e CAPS LOCK
B) SHIFT e ENTER
C) ALT e SHIFT
D) ALT e TAB

Gabarito
01 - E 02 - D 03 - D 04 - A 05 - D 06 - B 07 - A 08 - C 09 - D 10 - A
11 - B 12 - A 13 - B 14 - B 15 - D 16 - B 17 - B 18 - A 19 - E 20 - D
21 - D 22 - A 23 - C 24 - D 25 - E 26 - A 27 - A 28 - A 29 - A 30 - A
31 - E 32 - A 33 - A 34 - C 35 - D 36 - E 37 - B 38 - A 39 - C 40 - B
41 - D ****** ****** ****** ****** ****** ****** ****** ****** ******
Sumário
Conheça o Windows 8 e o Windows RT 04
Do seu jeito 06
Sua senha em uma imagem 07
Prontos para usar: os aplicativos de que você precisa 08
A Windows Store 11
Seu Windows, aonde você for 11

Em contato e atualizado 12
Conecte as suas coisas e os seus contatos 14
Trabalhe e divirta-se onde estiver 14
Internet Explorer 10: A web mais bonita 15

Natural e intuitivo 16
Descubra maneiras rápidas e divertidas de navegar 21
Pesquise, compartilhe, altere configurações e muito mais 23
Os aplicativos funcionam juntos 25
Ajustando os aplicativos 26
Atalhos de teclado 28

Seu PC, seus aplicativos, sua escolha 30


Hardware verdadeiramente inovador 32
Windows Store: Todos os aplicativos que você deseja 34
Proteção para a Família 40
Xbox 360, Windows 8 e Windows RT 40

Reimaginado, mas familiar 42


Funções básicas mais fortes 44
Mais seguro 44
Um novo Gerenciador de Tarefas 44
Explorador de Arquivos reformulado 44
Restaure o seu PC 45
Suporte a vários monitores 45
Windows 8: Potente para o trabalho e a diversão 46
Windows e dispositivos 48
Windows 8 Pro: Pronto para o negócio 48
Acesse e proteja os seus dados 48

 
RT
Chegaram o Windows 8 e o Windows 54

   
Conheça o
Windows 8
e o Windows RT


O Windows é bonito, rápido e fluido, e reúne os seus sites, contatos, aplicativos e muito
mais. Portanto, tudo o que é importante para você fica na tela inicial. O Windows 8
e o Windows RT oferecem a plataforma para a incrível inovação de hardware, inspirando
uma nova geração de tablets, notebooks e PCs all-in-one que usufrui do toque, mouse
e teclado — todos funcionando juntos sobre a base mais rápida e estável existente.

Use o Windows para trabalhar e se divertir com facilidade. Elegantes e leves, com foco em
um design atraente e materiais inovadores, os PCs baseados no Windows atingiram níveis
elevados de desempenho e vida útil da bateria. A diversão e os aplicativos de todos os tipos
ficam em primeiro plano. Deixe seu lado criativo aflorar, esqueça da vida em um jogo com
os amigos, descubra e baixe vídeos e músicas para curti-los na TV.

A Windows Store é o lugar onde você obterá aplicativos para o Windows 8 e o Windows RT.
Descubra uma variedade de aplicativos excelentes, confira os aplicativos em destaque
ou toque ou clique no nome de uma categoria para procurar todos os aplicativos nessa
categoria.

O Windows fica conectado. Os recursos de banda larga móvel internos dão suporte às
tecnologias 3G e 4G. Conforme você se desloca, o PC automaticamente localiza e usa os
pontos de acesso Wi-Fi disponíveis. Você pode se conectar facilmente, ficar pronto para
trabalhar e manter contato de praticamente qualquer lugar.
Do seu jeito
Tela inicial com a sua cara. Vibrante e bonita, a tela inicial é a primeira coisa que você vê.
Cada bloco na tela inicial é conectado a uma pessoa, aplicativo, site, lista de reprodução
e tudo o mais que for importante para você. Ela não é mais aquela parede de ícones
estáticos que você conhece. Em vez disso, você verá: atualizações de status, previsões
do tempo, Tweets e muito mais. Você verá atualizações dinâmicas antes mesmo de abrir
um aplicativo. Fixe quantos blocos desejar na tela inicial e agrupe, organize e nomeie-os
para que ela fique exatamente do jeito que quiser.


Sua senha em uma imagem
Esqueça a necessidade de ficar se lembrando de várias letras e números para entrar no
PC. Agora você pode usar uma imagem como senha. Você poderá escolher a imagem
e o desenho que desejar fazer sobre ela, portanto, as possibilidades são infinitas. Faça um
círculo em torno da sua paisagem favorita, desenhe uma forma geométrica sobre a cara
do seu cachorro. É fácil. Você pode desenhar uma senha com imagem diretamente em uma
tela sensível ao toque com o dedo ou pode usar um mouse para desenhar suas formas.

Justin Harrison
Justin_Harrison@contoso.com
Locked

Switch to password
Prontos para usar: os aplicativos de que você precisa
O Windows 8 e o Windows RT vêm com aplicativos para atividades básicas e muito mais.
Aplicativos como Pessoas, Email, Fotos e Mensagens permitem que você realize tarefas
essenciais e trabalhe em conjunto para tornar tudo mais simples.

Pessoas
Veja as últimas informações e inicie
conversas com contatos das suas contas
de email, Facebook, LinkedIn, Messenger,
Twitter e muito mais.

Fotos
Veja as suas fotos e vídeos em um só lugar,
estejam eles no Facebook, Flickr, SkyDrive
ou outro PC.

Mensagens
Envie mensagens para uma lista unificada
dos seus amigos do Facebook e Messenger
e tenha centenas de emoticons à sua
escolha.

Música
Navegue na sua coleção de músicas, crie
e edite listas de reprodução e fique por dentro
dos melhores lançamentos. Veja os detalhes
dos artistas com fotos, biografias e listas
de álbuns. Inscreva-se no Xbox Music Pass
e ouça milhares de músicas de forma ilimitada.


Mapas
Exiba um mapa interativo com o aplicativo
Bing Maps e receba direções de caminho passo
a passo. Localize detalhes sobre o tráfego,
condições de estradas, mapas de rua, Multimap,
fotos de satélite e mapas aéreos.

SkyDrive
Acesse os seus arquivos e trabalhe neles
perfeitamente usando os seus aplicativos
do Windows ou de outros dispositivos.

Email
Receba emails de suas contas, incluindo
o Outlook.com, Gmail e o Yahoo!, tudo
em um só lugar.

Vídeo
Procure e assista a filmes e shows.
Assista no seu PC ou na TV.1

Clima
Veja uma linda visualização das condições
meteorológicas atuais usando o aplicativo
Clima. Você verá as últimas condições
e previsões por hora, dia e período de 10 dias.

1
Para usar o recurso Reproduzir em, você precisará de uma TV com certificação compatível com o
Windows  8, Windows  7 ou DNLA. Alguns recursos não estão disponíveis em TVs com certificação do
Windows 7 e DNLA.
Jogos
Descubra os jogos novos mais incríveis
e baixe-os para o seu PC. Dependendo
de onde você mora e trabalha, é possível
editar o seu avatar, ver o que os seus
amigos andam fazendo e compartilhar
as suas conquistas com eles.

Notícias
Mantenha-se informado. Com o lindo
aplicativo Notícias repleto de fotos do
Bing, você pode se manter atualizado
sobre o que acontece no mundo mais
facilmente.

Calendário
Acompanhe a sua agenda em exibições
mensais, semanais ou de dois dias. Receba
notificações sobre compromissos na hora
certa para que você nunca chegue atrasado.

Finanças
Use esse aplicativo para verificar índices
do mercado e ficar a par das condições
de mercado que se alteram rapidamente
logo na tela inicial.


Viagem
Explore mais de 2.000 destinos em todo o mundo por meio
de lindas fotos. O aplicativo Viagem do Bing torna isso possível:
guias de viagem, ferramentas de reserva, conversão de moeda
em tempo real e informações meteorológicas oferecem tudo
o que é necessário para transformar a sua próxima viagem em
Travel
uma aventura inspiradora.

A Windows Store
O Windows 8 e o Windows RT incluem a Windows Store, onde você pode descobrir
um novo mundo de aplicativos para o seu PC. Basta tocar ou clicar no bloco da Loja
e começar a explorar. Filtre os aplicativos por preço, classificação e muito mais. Muitos
aplicativos são gratuitos, mas outros permitem que você faça um teste antes de comprar.
Então, explore e carregue aplicativos — quanto mais você tiver, mais coisas poderá fazer.

Seu Windows, aonde você for


Entre com a sua conta da Microsoft em qualquer PC seu que estiver com o Windows 8
ou o Windows RT em execução e veja imediatamente tudo do seu jeito: sua tela de
fundo, sua exibição e suas configurações. E, quando você tiver um novo PC baseado
no Windows, entre com a sua conta da Microsoft e veja o aplicativo Pessoas ganhar
vida com informações das suas redes sociais. Windows: suas coisas, onde você estiver.
Em contato
e atualizado


Com o Windows, você mantém o contato. Quando você entra, todas as últimas atualizações
de status e informações que são importantes para você aparecem diretamente nos blocos
da tela inicial: a foto em que acabou de ser marcado, o tempo hoje, novas manchetes
e mensagens dos seus amigos — tudo de que você precisa para se manter atualizado,
em um piscar de olhos.
Conecte as suas coisas e os seus contatos
É fácil fazer compartilhamentos entre os seus aplicativos do Windows e os serviços
que os conectam. Você pode enviar fotos ou arquivos de um aplicativo rapidamente.
Se desejar enviar um link para um site ou compartilhar um aplicativo que adora, você
poderá fazer isso diretamente do seu navegador ou da Windows Store. Instantaneamente.
Não será mais necessário interromper o que você estiver fazendo para copiar o que deseja
compartilhar em uma mensagem de email. Basta passar o dedo a partir da borda direita
e tocar em Compartilhar (ou apontar para o canto direito superior com um mouse e clicar
em Compartilhar).

Trabalhe e divirta-se onde estiver


Inicie um projeto em um PC e termine-o em outro. Colabore gratuitamente e sempre
tenha a última versão dos seus arquivos. Você e seus colegas de trabalho podem usar
os Office Web Apps gratuitos para editar documentos compartilhados no SkyDrive e ver
as alterações uns dos outros imediatamente. Você nem precisa ter o Office instalado.
Compartilhe os arquivos de sua escolha com as pessoas que quiser e mantenha o restante
particular.


Internet Explorer 10: A web mais bonita
O Internet Explorer 10 é o navegador inteiramente novo criado para usufruir toda a potência
do Windows 8 e do Windows RT.

Rápido e fluido
O Internet Explorer é iniciado e carrega sites quase de forma instantânea. Ele traz para a Web
uma capacidade fluida de resposta totalmente nova. Tudo o que você deseja fazer na Internet
está a uma passagem do dedo, toque ou clique de distância.

Perfeito para o toque


O Internet Explorer 10 oferece uma experiência de navegação realmente em tela inteira
e que prioriza o toque. Os controles de navegação aparecem somente quando necessário
e desaparecem discretamente quando você não precisa mais deles. Você pode virar a página
ou voltar aos seus sites com o movimento de um dedo. Os blocos e guias para sites visitados
com frequência são maiores para facilitar o toque.

Fácil de usar
Controles suaves e intuitivos funcionam exatamente da forma como você espera. Uma
caixa é ao mesmo tempo barra de endereços e barra de pesquisa para uma navegação
mais rápida. Fixe seus sites favoritos na tela inicial e acesse-os de forma tão rápida quanto
abrir os seus aplicativos.

Mais seguro e particular


A tecnologia SmartScreen líder no setor ajuda a manter o seu PC e as suas informações mais
seguras na Web e ajuda na proteção contra malware. As ferramentas de privacidade como
[Do Not Track] (Não Acompanhar) são internas e facilmente ativadas com apenas um toque
ou clique, para que você tenha mais controle.
Natural
e
intuitivo


O Windows 8 e o Windows RT são perfeitos para computadores com tela sensível ao toque,
para os que têm mouse e teclado e para os que funcionam das duas formas. Seja qual for
o tipo de PC que escolher, você descobrirá maneiras mais rápidas e fluidas de alternar entre
aplicativos, mover itens e movimentar-se de maneira suave de um lugar para outro
Veja o que você precisa saber sobre o uso do toque ou mouse:

Passe o dedo a partir da borda direita para acessar os comandos


do sistema
Passe o dedo a partir do lado direito da tela para exibir os botões
dos comandos do sistema.

Equivalente no mouse: Posicione o ponteiro do mouse no canto


inferior ou superior direito da tela.

Passe o dedo a partir da esquerda para alternar entre os


aplicativos
Passe o dedo da esquerda para a direita para exibir as miniaturas
dos seus aplicativos abertos para alternar para eles rapidamente.

Equivalente no mouse: Posicione o ponteiro do mouse no canto


superior esquerdo e clique para alternar entre os aplicativos ou
posicione o ponteiro no canto inferior esquerdo da tela para ver
a tela inicial.

Passe o dedo horizontalmente na borda esquerda para exibir


os aplicativos usados anteriormente
Passe o dedo horizontalmente na borda esquerda para exibir os
aplicativos mais usados recentemente e você poderá selecionar
um aplicativo da lista.

Equivalente no mouse: Posicione o mouse no canto superior


esquerdo e deslize para baixo no lado esquerdo da tela para exibir
os aplicativos mais usados recentemente.

Passe o dedo a partir da borda inferior ou superior para acessar


os comandos do aplicativo
Os comandos do aplicativo são exibidos passando-se o dedo a
partir da borda inferior ou superior. Você pode passar o dedo da
parte superior para a parte inferior da tela para encaixar ou fechar
o aplicativo atual.

Equivalente no mouse: Clique com o botão direito no aplicativo


para ver comandos de aplicativos.

Arraste um aplicativo para fechá-lo
Você não precisa fechar os aplicativos. Eles não tornarão o seu
PC mais lento e fecharão sozinhos se você não usá-los por um
tempo. Mesmo assim, se você desejar fechar um aplicativo,
bastará arrastá-lo para a parte inferior da tela.

Equivalente no mouse: Clique na parte superior do aplicativo


e arraste-o para a parte inferior da tela.

Pressione e segure um item para saber mais


Você pode ver os detalhes ao pressionar e segurar. Em alguns casos,
o gesto de pressionar e segurar abre um menu com mais opções.

Equivalente no mouse: Aponte para um item para ver mais opções.

Toque para executar uma ação


Tocar em um item gera uma ação, como iniciar um aplicativo
ou seguir um link.

Equivalente no mouse: Clique em um item para executar uma ação.

Deslize o dedo para arrastar


Essa ação é mais usada para aplicar movimento panorâmico ou
rolar listas e páginas, mas você também pode usá-la para outras
manipulações, como mover um objeto ou desenhar e escrever.

Equivalente no mouse: Clique, pressione e arraste para aplicar


movimento panorâmico ou rolar. Além disso, quando você usa
o mouse e o teclado, uma barra de rolagem é exibida na parte
inferior da tela para que você possa rolar horizontalmente.
Faça o gesto de pinçar ou ampliar para controlar o zoom
Aplicando zoom, você pode pular para o início, o final ou um
local específico de uma lista. Você pode aplicar o zoom fazendo
o gesto de pinçar ou ampliar com dois dedos na tela.

Equivalente com teclado e mouse: Mantenha a tecla Ctrl do


teclado pressionada e use a roda do mouse para expandir ou
reduzir um item ou blocos na tela.

Gire para virar


Gire dois ou mais dedos para virar um objeto. Você pode virar
a tela toda em 90 graus, girando o dispositivo.

Equivalente no mouse: O suporte para girar um objeto


depende do suporte do aplicativo específico.


Descubra maneiras rápidas e divertidas de navegar
Aproxime e afaste dois dedos para ampliar e reduzir. Navegue entre as páginas para localizar
o que procura e obtenha uma exibição global de tudo o que está na sua tela. Você também
pode fazer tudo isso facilmente com um mouse. Passe o dedo a partir da esquerda para
alternar entre os aplicativos usados recentemente.
Passe o dedo a partir da direita para voltar à tela inicial e para outros
recursos que você usa com frequência, como pesquisa, compartilhamento
e alteração de configurações. Passe o dedo a partir de baixo ou de cima
para ver os controles de navegação do aplicativo em que você estiver.


Pesquise, compartilhe, altere configurações
e muito mais
Não importa onde você esteja: no Windows 8 ou Windows RT — em um aplicativo, site
ou tela inicial — é fácil realizar as tarefas de sempre, como pesquisar, compartilhar links
e fotos, conectar dispositivos e alterar configurações.

O que você pode fazer varia dependendo de onde estiver, portanto, comece a explorar.
Os botões Pesquisar, Compartilhar, Iniciar, Dispositivos e Configurações estão sempre
disponíveis no lado direito da tela. Com o toque, passe o dedo a partir da borda direita
e toque no que desejar. Com o mouse, mova o ponteiro para o canto direito superior
ou inferior e para cima e para baixo.
Pesquisar
Pesquise qualquer coisa em qualquer lugar. Você pode pesquisar
somente no aplicativo em que estiver, por exemplo, para localizar
uma mensagem no Email ou um aplicativo na Loja, pesquisar em
outro aplicativo ou pesquisar um aplicativo, uma configuração
ou arquivo no seu PC inteiro.

Compartilhar
Compartilhe arquivos e informações com pessoas que você conhece
ou envie informações para outro aplicativo, tudo sem sair do
aplicativo em que estiver. Você pode enviar fotos por email para
a sua mãe, atualizar o seu status no Facebook ou enviar um link
para o seu aplicativo de anotações.

Iniciar
Vá para a sua tela inicial. Ou, se já estiver nela, volte ao último
aplicativo em que esteve.

Dispositivos
Use todos os dispositivos que estão conectados ao seu PC, com fio
ou sem fio. Você pode imprimir de um aplicativo, sincronizar com
seu telefone ou transmitir seu mais recente filme caseiro na sua TV.

Configurações
Altere as configurações de aplicativos e do PC. Você localizará
configurações, ajuda e informações do aplicativo em que estiver,
além de configurações comuns do PC, como a conexão de rede,
volume, brilho, notificações, energia e teclado.


Os aplicativos funcionam juntos
Coisas que você costumava fazer usando vários programas diferentes agora fluem juntas
em apenas uma experiência simples. Use o aplicativo Fotos para ver todas as suas fotos do
Facebook e do Flickr e carregue-as para o seu blog ou envie-as aos amigos por email - tudo
isso sem sair do aplicativo. Acesse os controles da mesma forma em todos os aplicativos.
Passe o dedo a partir da borda superior ou inferior ou clique com o botão direito do mouse
para que os comandos do aplicativo sejam exibidos imediatamente. Para pesquisar, passe
o dedo a partir da borda direita e toque em Pesquisar (ou aponte para o canto superior
direito com um mouse e clique em Pesquisar) para localizar itens dentro do aplicativo,
no seu PC ou na Web.
Ajustando os aplicativos
Ajuste aplicativos lado a lado2 para que você possa fazer duas coisas ao mesmo tempo.
Converse com um amigo enquanto procura um horário para marcar um café ou assista
a um vídeo enquanto realiza algum trabalho. É fácil fazer duas coisas ao mesmo tempo
com o Windows 8 e o Windows RT.

2
Uma resolução de tela mínima de 1.366 x 768 é necessária para ajustar aplicativos lado a lado.


O teclado do Windows fala a sua língua. Em PCs habilitados para o toque, o layout do
teclado se ajusta automaticamente ao idioma que você usa no PC. Quer você deseje digitar
e clicar ou passar o dedo e tocar, você poderá fazer isso no idioma que escolher.

O teclado virtual completo apresenta dois modos, portanto, você pode alterar entre um
teclado completo com botões grandes e um teclado de polegar útil que divide as teclas em
cada lado da tela. Os dois teclados virtuais tornam a digitação mais fácil, mais confortável
e mais natural, esteja você sentado ou andando.
Atalhos de teclado
Com o Windows 8 e o Windows RT, você pode usar todos os atalhos de teclado que já
conhece além de alguns novos para ter mais eficiência. Por exemplo, a maneira mais fácil
de pesquisar na tela inicial é simplesmente começar a digitar. Não está na tela inicial?
Pressione o botão ou tecla do logotipo do Windows‌e você poderá alternar rapidamente
entre a tela inicial e o aplicativo em que estiver. Veja alguns dos novos atalhos de teclado
para o Windows 8 e o Windows RT.

Pressione Para

Tecla do logotipo do Windows‌+ Pesquisar no seu PC


começar a digitar

Ctrl + sinal de adição (+) ou Ctrl + Ampliar ou reduzir a partir de vários itens,
sinal de subtração (-) como aplicativos fixados na tela inicial ou na
Loja

Ctrl+roda de rolagem Ampliar ou reduzir a partir de vários itens,


como aplicativos fixados na tela inicial ou na
Loja

Tecla do logotipo do Windows + C Abrir os botões

Tecla do logotipo do Windows‌+ F Abrir o botão Pesquisar

Tecla do logotipo do Windows +H Abrir o botão Compartilhar

Tecla do logotipo do Windows + I Abrir o botão Configurações

Tecla do logotipo do Windows‌+ K Abrir o botão Dispositivos


Tecla do logotipo do Windows + O Bloquear a orientação da tela (retrato
ou paisagem)

Tecla do logotipo do Windows + Z Abrir comandos do aplicativo

Tecla do logotipo do Windows + PgUp Mover a tela inicial e os aplicativos para


o monitor à direita (aplicativos na área
de trabalho não alteram os monitores)

Tecla do logotipo do Windows + PgDn Mover a tela inicial e os aplicativos para


o monitor à esquerda (aplicativos na área
de trabalho não alteram os monitores)

Tecla do logotipo do Ajustar um aplicativo à esquerda


Windows‌+ Shift + ponto (.)

Tecla do logotipo do Windows‌+ ponto (.) Ajustar um aplicativo à direita


Seu PC,
seus aplicativos,
sua escolha


Hardware verdadeiramente inovador
O Windows 8 e o Windows RT estão disponíveis em uma grande variedade de dispositivos
que demonstram as últimas inovações. Este é um ótimo momento para comprar um novo
PC devido às escolhas disponíveis e a forma como o hardware evoluiu para acompanhar
de fato a sua vida. Dispositivos versáteis oferecem o estilo e a mobilidade de um tablet,
mas que podem ser transformados rapidamente em um notebook para você usar o teclado
quando necessário.

Tablets e dispositivos conversíveis são projetados para funcionar bem tanto para o trabalho
quanto para a diversão. Tablets leves com uma velocidade incrível e bateria de longa
duração para ir a todos os lugares, fazer o que for necessário e jamais atrapalhar sua
produtividade. O Windows 8 foi projetado para uma inicialização mais rápida e segura.
Muitos PCs com o Windows 8 se conectam e retornam às redes sem que o usuário perceba.

Para mantê-lo conectado onde estiver, o Windows adicionou suporte para rede de dados
móveis, portanto, você poderá localizar tablets e notebooks com suporte interno para a sua
operadora móvel favorita.

O Windows oferece suporte a uma gama completa de sensores ambientais que permitem
que aplicativos e PCs baseados no Windows respondam ao que você fizer. Você pode
comprar um novo PC baseado no Windows com esses sensores internos que ajudam
os aplicativos a informar onde você está, responder quando você inclina ou gira a tela,
a fazer coisas divertidas e interessantes quando você agita a tela, a alterar o brilho da tela
com base nas alterações da luminosidade e a permitir até mesmo que você toque em dois
dispositivos juntos para compartilhar uma foto ou página da Web.


O Windows 8 e o Windows RT também apresentam novas formas de se conectar a uma
nova geração de dispositivos, como o USB 3.0, com velocidade até 10 vezes maior do que
o BLE (Bluetooth Low Energy) e o USB atuais — uma excelente inovação ecologicamente
correta com uma eficiência no consumo de energia muito maior.
Windows Store: Todos os aplicativos que você deseja
Descubra todos os excelentes aplicativos na Windows Store para o seu PC com o Windows 8
ou Windows RT. Você pode navegar em jogos e aplicativos de mídia social, baixar o seu
aplicativo de entretenimento favorito, comparar aplicativos de vídeo, música e fotos e obter
aplicativos já classificados e avaliados por outras pessoas. Estilo de vida, compras, viagem,
finanças, produtividade e muito mais. As nossas categorias abordam todas as bases.


Ao clicar nos blocos [Top free] (Principais itens gratuitos) e Lançamentos, você verá
os aplicativos mais novos e com melhor classificação. E, se você souber o que deseja,
simplesmente comece a digitar ou use o teclado virtual quando estiver na Loja.3 Você
imediatamente verá os resultados com os aplicativos que correspondem à sua pesquisa.

3
Requer uma conexão com a Internet ativa e resolução de tela mínima de 1.024 x 768 para acessar a Windows Store
e baixar e executar aplicativos.
Confira os aplicativos em destaque que realçamos para você na seção [Spotlight]
(Em destaque). Em muitos países e regiões, exibimos regularmente um conjunto diferente
de aplicativos que realmente brilham no Windows 8 e Windows RT. Estamos sempre em
busca de aplicativos novos e incríveis e exibimos aqueles que achamos que você vai adorar.

Veja uma pequena lista de aplicativos excelentes que você poderá encontrar
na seção [Spotlight] (Em destaque).4

Cut the Rope


Chegou um pacote misterioso e o monstrinho que veio dentro dele só exige uma coisa:
DOCE! Ajude Om Nom, a adorável estrela, a conseguir doces nesse jogo inovador e viciante.
Combinando princípios reais da física com o controle simples, embora correto e preciso do
toque, Cut the Rope é um jogo original e muito divertido.

4
Nem todos os aplicativos estão disponíveis em todos os mercados.


Larousse
Encontre um conteúdo excepcional em francês criado exclusivamente para o Windows 8!
Você recebe um dicionário de francês, uma enciclopédia, um dicionário de sinônimos e
um atlas com 200 mapas, acontecimentos históricos, idiomas, galerias de imagens e jogos
educativos. O Larousse é uma fonte excelente de conhecimento que responderá a todas as
suas perguntas, para que você possa aprender, se divertir e fazer consultas rápidas!

eBay
O aplicativo eBay para Windows 8 e
Windows RT permite que você entre no
maior mercado mundial onde estiver.
É um aplicativo gratuito criado com os
usuários do eBay em mente que o ajudará
a aproveitar mais a sua atividade de
compras e vendas.

Coleção do Condé Nast


A coleção do Condé Nast abre as portas
para um tesouro de obras de arte que define
a cultura, estilo e gerações que você não
encontrará em nenhuma outra fonte.
Skyscanner
Precisa encontrar uma passagem de avião barata rápido? Pesquise milhares de rotas em
mais de 1.000 linhas aéreas e localize os preços mais baixos em segundos com o aplicativo
do Windows Skyscanner; economize tempo e dinheiro. O Skyscanner obtém as melhores
promoções e conecta você à linha aérea ou agente de viagens para que você faça a reserva
diretamente e sempre consiga os melhores preços. É simples, independente e localiza as
tarifas mais baixas rapidamente.

iCookbook
O premiado iCookbook é o primeiro
aplicativo de culinária e receitas para
o Windows 8 e Windows RT! O iCookbook
vem com mais de 2.000 receitas testadas
e cuidadosamente selecionadas com
um recurso de preparo de fácil leitura!
O iCookbook contém uma quantidade
de receitas equivalente a mais de 20 livros
grandes de receita.


Proteção para a Família
A Proteção para a Família agora é parte integrante do Windows 8 e Windows RT, portanto,
ficou ainda mais fácil acompanhar quando e como os seus filhos usam o PC e definir
limites sobre exatamente quais sites, aplicativos e jogos eles podem usar. A Proteção para
a Família monitora as atividades de seus filhos e permite que você saiba o que eles estão
fazendo. Conectando-se à sua conta, você poderá até mesmo obter relatórios por email
diretamente na sua caixa de entrada.

Se você se preocupa com os aplicativos que as crianças baixam, poderá usar a Proteção
para a Família para controlar o que elas podem baixar e ver na Windows Store. Defina
um nível de classificação para filtrar os aplicativos de acordo com as suas preferências.

Xbox 360, Windows 8 e Windows RT


As músicas e vídeos do Xbox é a nova maneira de ter um ótimo entretenimento no
Windows 8 e Windows RT. Curta os últimos filmes, programas de TV e músicas no tablet
ou PC. Tenha acesso a ótimos jogos feitos especialmente para o Windows — desde os
últimos sucessos até os seus clássicos favoritos. Além disso, use o Xbox SmartGlass5
no tablet ou PC como um monitor secundário com o Xbox 360 e tenha uma experiência
avançada. Passe as fotos, vídeos caseiros e músicas diretamente do tablet ou PC para a TV.

Você pode usar o toque ou o mouse e teclado para navegar e controlar o que você estiver
executando com o aplicativo. E o aplicativo mostra informações detalhadas sobre os
filmes, programas de TV, jogos e músicas que você está curtindo.

O entretenimento é mais emocionante com o Windows 8 ou Windows RT e o Xbox.


Quando você entrar com a conta da Microsoft associada à sua gamertag no seu PC, você
entrará automaticamente em qualquer aplicativo do Xbox LIVE que abrir no Windows 8 ou
Windows RT.

5
Previsto para o final de 2012. Os recursos e conteúdo disponíveis variam de acordo com o dispositivo.
O controle do monitor secundário está disponível com jogos selecionados e conteúdo do Xbox LIVE.
Requisitos e valores adicionais são aplicados a alguns conteúdos.
Consulte xbox.com/live.


Reimaginado,
mas familiar


O Windows 8 e o Windows RT são construídos sobre a base sólida do Windows 7,
mas com melhorias em todos os setores e projetado para funcionar com hardware
e dispositivos novos e excelentes. Com designs totalmente atualizados, suporte
ao toque e retorno instantâneo, estamos em uma nova era de PCs.
Funções básicas mais fortes
Velocidade impressionante com inicialização incrivelmente rápida, bateria com vida útil
mais longa e capacidade de resposta que você pode sentir em seus dedos, os PCs com
o Windows 8 estão zunindo com a nova potência.

Mais seguro
Coisas ruins podem acontecer com bons PCs. Seu computador precisa lutar contra muitas
ameaças, como hackers, vírus, worms, spyware e outros tipos de malware. O Windows 8
e o Windows RT ajudam a garantir a sua proteção constante.

O Windows 8 e o Windows RT transformaram a maneira como você usa o PC. Eles são
bonitos, rápidos e fluidos, com a produtividade do Windows quando você precisar.
Vá em frente e ultrapasse os limites. Os recursos usados com mais frequência por usuários
avançados agora estão mais flexíveis e eficientes.

Um novo Gerenciador de Tarefas Explorador de Arquivos reformulado


Você pode usar o Gerenciador de Tarefas Independentemente de ser uma pessoa
atualizado para ver rapidamente quais que coloca todos os arquivos em uma
aplicativos e serviços estão usando recursos única pasta ou tem dúzias de pastas
no seu PC. E, se você desejar ver cada detalhe e nunca joga nada fora, você pode usar
das suas conexões de rede e hardware o Explorador de Arquivos (anteriormente
ou controlar os aplicativos executados na chamado Windows Explorer) para organizar
inicialização, tudo isso será fácil de localizar os arquivos. A nova faixa de opções no
e controlar. Blocos codificados por cores Explorador de Arquivos facilita a realização
permitem que você veja rapidamente o que das tarefas mais frequentes, como copiar e
está acontecendo. Você pode acompanhar colar arquivos, mostrar extensões de arquivos
os recursos de forma eficiente e imediata e pesquisar arquivos com base em data, tipo
com gráficos e detalhes sobre processos, ou outras propriedades. Até trazemos de
aplicativos e histórico. volta um saudoso favorito: o botão Acima.


Restaure o seu PC
O Windows 8 e o Windows RT vêm com uma série de opções para restaurar o PC. Você
pode até mesmo atualizar o PC, mantendo todos os documentos, contas, configurações
pessoais e aplicativos da Windows Store e retornando o Windows ao seu estado original.

Suporte a vários monitores


Se desejar executar mais ações de uma vez, considere o uso de vários monitores. Leia
um relatório em um enquanto cria uma apresentação em outro, ou localize aplicativos
na Windows Store enquanto vê as últimas avaliações online. E alguns aplicativos, como
aplicativos de codificação e edição de vídeo, são mais rápidos de se trabalhar quando estão
distribuídos em dois ou mais monitores. O Windows 8 e o Windows RT foram projetados
para oferecer novas opções avançadas de vários monitores. Use os quatro cantos de cada
monitor para abrir a tela inicial, botões e aplicativos recentes. Abra aplicativos de desktop
em todos os monitores ou abra aplicativos da Windows Store em um e aplicativos de
desktop, no outro. A flexibilidade do novo suporte a vários monitores permitirá aumentar
a produtividade.
Windows 8:
Potente para
o trabalho
e a diversão


O Windows 8 foi reimaginado para ficar bem do seu jeito. Coloque o que é mais importante
logo na tela inicial e tenha acesso instantâneo aos seus contatos, aplicativos, sites e muito
mais, para que você passe menos tempo pesquisando e mais tempo fazendo. O Windows 8
é suave, intuitivo e projetado para que você possa fazer o que desejar, da forma que
desejar.
Windows e dispositivos
O Windows 8 dá suporte a uma ampla variedade de dispositivos, incluindo impressoras,
câmeras, media players e monitores. Eles foram projetados para simplesmente funcionar
assim que forem conectados. Um aplicativo de dispositivo da Windows Store é um
aplicativo que permite trabalhar com o hardware.

Por exemplo, você pode conectar um scanner e o Windows baixará automaticamente


o aplicativo de dispositivo associado da Windows Store, quando disponível. Com esse
aplicativo, seria possível visualizar, digitalizar e definir as configurações do scanner.
O Windows 8 normalmente funciona com os mesmos aplicativos e dispositivos periféricos
que funcionam com o Windows 7.

Windows 8 Pro: Pronto para o negócio


Com o Windows 8 Pro, você recebe tudo o que o Windows 8 oferece e também recursos
avançados que o ajudam a se conectar facilmente a redes empresariais, acessar arquivos
em qualquer lugar e muito mais.

Acesse e proteja os seus dados


Criptografe os seus dados com o BitLocker em PCs com o Windows 8 para ajudar a manter
o seu trabalho protegido e confidencial, mesmo se o seu PC for perdido ou roubado.

O Windows 8 Pro também permite que você se conecte às suas redes de empresa usando
o ingresso no domínio. Para o máximo de flexibilidade e acesso a dados, você pode
configurar o seu PC de trabalho para permitir conexões remotas e acessá-lo com a Área
de Trabalho Remota de onde estiver.