Você está na página 1de 3

Derivação dos folhetos

 Ectoderma:
o Sistema nervoso central e periférico
o Epitélio sensorial da orelha, do nariz e dos olhos
o Pele, incluindo pelos, cabelo, unhas
o Glândulas hipófise, mamárias e sudoríparas, bem como o esmalte dos dentes.
 Mesoderma:
o Forma a os mesodermas, intermediário e da placa lateral.
o mesodermas paraxial
 forma os somitômeros que dão origem ao mesênquima da cabeça e se
organizam em somitos nos segmentos occipital e caudal.

Origem dos somitos

 No inicio da terceira semana surgem somitomeros, que são células mesodérmicas


organizadas em espirais concêntricas (mesoderma paraxial)
 Na região da cabeça, se formam em associação a segmentação da placa neural em
neuromeros, contribuindo para a formação do mesênquima na cabeça.
 A partir da região occipital, os somitomeros se organizam em somitos
 O primeiro par surge durante o dia 20, e até o dia 30 se formam 38 pares, durante o
chamado período somítico do desenvolvimento humano.
 Somitos se formam numa sequência craniocaudal cerca de três pares por dia.
 Até o final da quinta semana, estão presente entre 42 e 44 pares de somitos:
o 4 pares occipitais
o 8 cervicais
o 12 torácicos
o 5 lombares
o 8 – 10 coccígeos
 O primeiro somito occipital e os últimos cinco a sete coccígeos desaparecem
posteriormente.
 Os somitos remanescentes formarão o esqueleto axial
 Podem ser utilizados como critério para determinar a idade fetal

Diferenciação dos somitos

 Os somitos originam o miótomo (tecido muscular), o esclerótomo (cartilagem e osso) e


o dermátomo (derme da pele).
 Os sinais para a diferenciação dos somitos são derivados das estruturas circunjacentes,
que incluem a notocorda, o tubo neural e a epiderme.
 A notocorda e o assoalho do tubo neural secretam SHH, que induz o esclerótomo.
 Duas regiões formadoras de músculo se diferenciam.
o Uma é induzida na região dorsomedial do somito pelas proteínas WNT
secretadas pela porção dorsal do tubo neural.
o Outra é induzida na região ventrolateral do somito por uma combinação de
BMP4 e FGF, secretados pelo mesoderma lateral, e pelas proteínas WNT,
secretadas pelo mesoderma sobrejacente
 A porção média dorsal do somito se torna a derme sob a influência de NT-3, secretada
pelo tubo neural dorsal

Formação do sistema esquelético


 O sistema esquelético se desenvolve a partir do mesênquima
 O mesênquima deriva do folheto embrionário mesodérmico e da crista neural.
 Alguns ossos, como os ossos chatos do crânio, sofrem ossificação intermembranosa
 Na ossificação intramembranosa as células mesenquimais se transformam
diretamente em osteoblastos.
 Na maior parte dos ossos, como os ossos longos dos membros, o mesênquima se
condensa e forma moldes de cartilagem hialina para os ossos (Figura 10.3).
 Os centros de ossificação aparecem nesses moldes cartilaginosos, transformando o
osso gradualmente por meio de ossificação endocondral.
 O crânio consiste no neurocrânio e no viscerocrânio (face).
o O neurocrânio inclui:
 parte membranosa, que forma a abóbada do crânio
 parte cartilaginosa, o condrocrânio, que forma a base do crânio.
o As células da crista neural formam a face, parte do arco cranial e a parte
precordal do condrocrânio (a parte rostral à hipófise).
o O mesoderma paraxial forma o restante do crânio.
 A coluna vertebral e as costelas se desenvolvem a partir dos compartimentos do
esclerótomo dos somitos
 o esterno é derivado do mesoderma na parede corporal ventral.
 Uma vértebra definitiva é formada pela condensação da metade caudal de um
esclerótomo e sua fusão com a metade cranial do esclerótomo subjacente

Formação do sistema muscular

 A maioria dos músculos tem origem no mesoderma.


 Os músculos esqueléticos são derivados do mesoderma paraxial, incluindo:
o (1) os somitos, que originam os músculos do esqueleto axial, da parede
corporal e dos membros; e
o (2) os somitômeros, que dão origem aos músculos da cabeça.
 As células progenitoras dos tecidos musculares são derivadas dos limites (lábios)
ventrolateral (LVL) e dorsomedial (LDM) do dermomiótomo prospectivo.
 As células de ambas as regiões contribuem para a formação do miótomo.
 Algumas células do LVL também migram pela fronteira somítica lateral para a camada
parietal do mesoderma da placa lateral.
o Essa fronteira (ou borda) separa dois domínios mesodérmicos do embrião:
 (1) o domínio primaxial, que cerca o tubo neural e contém apenas
células derivadas dos somitos (mesoderma paraxial); e
 (2) o domínio abaxial, que consiste na camada parietal do mesoderma
da placa lateral em combinação com células derivadas dos somitos que
migram pela fronteira para essa região.
 As células precursoras dos músculos abaxiais se diferenciam nos músculos:
o infra-hioides,
o músculos da parede corporal (reto, oblíquos externo e interno e transverso do
abdome) e nos músculos dos membros.
 As células precursoras dos músculos primaxiais formam os músculos:
o do dorso, alguns da cintura escapular e os intercostais .
 Os músculos das costas (músculos epaxiais) são inervados pelos ramos primários
dorsais, enquanto os dos membros e da parede corporal (músculos hipaxiais) são
inervados pelos ramos primários ventrais.
 Os sinais moleculares para a indução das células musculares surgem dos tecidos
adjacentes às células musculares prospectivas.
 sinais do mesoderma da placa lateral (BMP) e do ectoderma sobrejacente (WNT)
induzem as células do LVL, enquanto sinais do tubo neural e da notocorda (SHH e
WNT) induzem as células do LDM.
 O tecido conjuntivo derivado dos somitos, o mesoderma parietal e a crista neural
(região da cabeça) fornecem um parâmetro para o estabelecimento dos padrões
musculares.
 A maioria dos músculos lisos e das fibras musculares cardíacas é derivada do
mesoderma esplâncnico.
 Os músculos lisos da pupila, da glândula mamária e das glândulas sudoríparas se
diferenciam a partir do ectoderma.

Você também pode gostar