Você está na página 1de 7

II Tessalonicenses

1
II Tessalonicenses Informações Básicas

Data: 51/52 se Paulo é o autor – final do I século


se não
Procedência: se de autoria de Paulo – Corinto; se
pseudônima não há como saber
Destinatários: se de autoria de Paulo, para
Tessalônica. Se pseudônima, talvez para mesma
cidade.
Autenticidade: os estudiosos estão quase meio a
meio divididos a respeito de Paulo.
Unidade: pouco questionada.
Integridade: nenhuma argumentação importante
sobre interpolações.
2
Esboço de II Tessalonicenses

1. Saudação 1.1s
2. Primeira introdução: a comunidade perseguida 1.3-12
3. Primeira exortação: 2.1-12
4. Segunda introdução: 2.13-15
5. Primeira conclusão: 2.16-3.5
6. Segunda exortação: 3.6-15
7. Segunda conclusão: 3.16-18

3
1.3-12 Ânimo para a comunidade perseguida
1. Paulo aponta para a futura inversão do papel de
perseguidos e perseguidores, no julgamento por Deus
(1.5-7)
2. Não creram e nem sofrerão em vão (1.10)
3. Oração para que os propósitos de Deus para a igreja se
cumpram neles (1.11-12)

2.1-12 Primeira exortação – instruções para a correção de


mal-entendidos
1. Paulo rebate o ensino errôneo sobre a vinda do Senhor
2. Antes virá o “homem da iniquidade” (2.3)
3. Há alguém (algo) que impede a manifestação do mistério
da iniquidade
a. Desde o século II muitos entenderam que esse poder
repressor era o Império Romano.
b. Outros propõem um poder sobrenatural.
4
c. Mensagem do evangelho, igreja, Espírito Santo.
2.1-12 Primeira exortação – instruções para a correção de
mal-entendidos
1. A vinda de Cristo significará a derrota do mal e dos que se
opõem ao evangelho e têm prazer na injustiça (2.4-10)
2. Rejeitaram a verdade e Deus lhes enviará “a operação do
erro, para que deem crédito à mentira” (2.11)
2.13-17 Segunda introdução – permaneçam fiéis
1. Fiéis a tudo o que lhes foi ensinado (v.15)
2. Oração de Paulo em favor dos tessalonicenses (v.16s)
3.1-5 Pedido de oração
1. Paulo pede que orem por ele (v.1)
a. Objetivo: fazer prosperar a palavra proclamada (v.1b)
b. Ser liberto de homens perversos e maus (v.2)
2. Apela pela segunda vez ao ensinamento dado (v.4)
3. Conclui com outra bênção “final” (v.5)

5
3.6-15 Segunda exortação – Por que parar de trabalhar?
1. Paulo condena a inatividade (ociosidade) dos que esperam
o Senhor passivamente (v.1)
a. Cristão não pode ser vadio nem orgulhoso.
b. Além de estar à toa, eles estavam interferindo na vida
alheia.
2. Paulo insistiu enfaticamente com os crentes fiéis que não
andassem com quem rejeitava seu ensino
a. Não tratar, porém, como inimigos, mas exortados como
irmãos
3.16-18 Segunda conclusão
1. Como bênção final deseja-lhes a paz total (v.16a) e a
presença (da graça) do Senhor (vv. 16b.18)

6
Sintetizando
1. A volta de Cristo não é iminente;
2. Há um longo prazo para a transformação deste
mundo;
3. Jesus virá para o julgamento;
a. Destruirá os ímpios;
b. Glorificará os fiéis
4. Aponta para os seguintes temas atuais:
a. O perigo de uma escatologia alienante, que
determina uma fuga para a frente, sem encarar as
dificuldades da vida;
b. A importância de levar a sério a existência humana
e a história;
c. O risco do parasitismo e da recusa das
responsabilidades terrenas, à luz de uma
interpretação errada da fé cristã. 7