Você está na página 1de 8

Isaias 1:1-20

Introdução:
Como está sua com Deus?
Como está o seu relacionamento com Deus?
Qual é a profundidade deste relacionamento?
Meus irmãos há momentos em nossas vidas que
Deus precisa chacoalhar, mexer, sacudir , conosco
para que deixemos a letargia , o abatimento o
acabrunhamento das nossas vidas espirituais.
Porque muitas das vezes estamos tão acostumados
a uma rotina cristã e por vezes fazemos as coisas
como no automático,
 Vamos a igreja, cantamos,
 Lemos a bíblia, ouvimos o sermão .
Entretanto , às vezes parece que O NOSSO
CORAÇÃO NÃO ESTÁ COMPLETAMENTE,
PROFUNDAMENTE ENVOLVIDO NESTAS
QUESTÕES.
Meus irmãos o profeta Isaias profetizou (pregou) em
um período complicado como o nosso.
Um período onde a palavra de Deus parecia não
fazer mais efeito real, profundo e duradouro na vida
das pessoas. Diz a palavra no versículo que Isaías
profetizou no período bastante longo na sucessão de
4 reis.
Destes quatro Reis pelo menos três foram muito
bons para o povo de Judá.
Sobre todos os aspectos as pessoas poderiam olhar
para Jerusalém , para Judá e terem a impressão que
estava tudo bem.
Foi no meio deste contexto, neste plano de fundo de
aparente bonança e tranqüilidade. Que Deus
convoca o profeta para anunciar umas das palavras
mais dura para o seu povo.
Em Isaías capitulo1, Deus está convocando o
seu povo pecador, Israel, para um julgamento no
tribunal. Quando Deus deu a Israel sua lei sob
Moisés, ele lhes prometeu bênçãos por obediência e
maldições por desobediência.
No livro de Deuteronômio, quatro vezes ele
chama o céu e a terra como testemunhas a respeito
do convênio que estava fazendo com a nação
naquele tempo: “Chamo o céu e a terra como
testemunhas contra você hoje que pus diante de
você vida e morte, benção e maldição ”(Dt 30:19;
ver também 4:26; 31:28; e 32: 1).
Nos dias de Isaías, Israel havia repetidamente
quebrado a aliança, e Deus estava prestes a exilar
dez tribos para a Assíria; ele logo exilaria Judá à
Babilônia.
Portanto Deus chama o profeta Isaías, para
escrever este livro (uns dos livros mais importante da
Biblia, o livro mais citado por Jesus no novo
testamento) com uma das mensagens mais dura,
mais terrível para o Povo de Israel. Mas com uma
intenção: É justamente trazer o seu povo de volta
para si. Para uma fé verdadeira, para uma fé
operosa e NÃO uma fé débil, fragilizada, medíocre,
que o povo estava vivendo.
Deus chama o povo para uma conversa, o verso
18 diz assim: “vinde, pois, e arrazoemos, diz o
Senhor ....” em outras palavras Deus está dizendo:
venham, sentamos juntos, vamos refletir
conjutamente , vamos conversar. Então ele faz
aquela promessa de abençoá-los, de purificá-los, de
perdoar os pecados, mas não sem antes dizer qual
era o real pecado do povo.
Deus nos versos que lemos vai revelar quais os
problemas, sem maquiagem, sem esconder nada,
sem passar a mão na cabeça do povo. Porque o
primeiro passo para a correção do problema é
descobrir a raiz do problema.
Porque quando o povo de Deus,quando
identifica os problemas, quando as dificuldades
estão ali, na cara, sem disfarce, sem meios termos.
Então é possível corrigir e haver arrependimento,
mudanças na vida do pecador penitente. Só então
será possível transformação, retorno a fé verdadeira,
que glorifica e honra a Deus.
Basicamente o Senhor Deus, se queixa por três
atitudes do seu povo.
I – O meu povo não me conhece. (v. 2-5).
Meus amados, Só podemos conhecer a Deus
porque ele se revelou a nós tanto na natureza
quanto em sua Palavra.
Mateus 11:27 diz: Todas as coisas me foram
entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho,
senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o
Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Ninguém pode conhecer a Deus pessoalmente pelo
seu próprio esforço ou sabedoria humana (1Co.1:21,
2:14; Jo.1:18).
É importante frisar que, mesmo Deus se revelando
ao homem e sendo conhecido por este, Deus jamais
pode ser compreendido em sua essência:
1) Ele não nos deu a conhecer tudo o que ele é;
2) Não somos capazes de absorver tudo o que ele é
porque somos finitos.
Embora não possamos conhecer a Deus
plenamente, podemos conhecê-lo de modo
verdadeiro, pois tudo o que as Escrituras dizem a
respeito de Deus é verdadeiro. O nosso
conhecimento embora não seja exaustivo acerca de
Deus, é um conhecimento verdadeiro. Na Palavra de
Deus conhecemos não somente os atos de Deus,
mas a própria pessoa de Deus (Jr.9:23-24).
II- meu povo não conhece assim mesmo. (v. 5-
9)
a) Não consegue identificar sua degradante
situação. (v.5)
b) Não consegue reagir e procurar cura (v.6).
c) Não consegue identificar a disciplina de
Deus.(v.7-9).

III. Meu povo não conhece a verdadeira adoração


(v.10-15).
Nos versículos 10-15, Deus clama contra o
maquinário religioso que estava constantemente em
funcionamento nesta nação perversa.
Eles eram hipócritas absolutos, pisoteando as
quadras do templo com um desfile aparentemente
interminável de sacrifícios de animais. Ano após
ano, essa máquina irracional de exercícios religiosos
sem sentido continuou.
Mas toda essa religião estava sendo feita por
pessoas que estavam vivendo as vidas longe de
Deus, sem conhecimento de Deus.
Este capítulo nos surpreende ao nos dizer que Deus
odiava a religião deles. Nesses versículos, Deus
revela seu coração sobre formalismo religioso e
hipocrisia. Ele detestava o incenso deles (v. 13) e
odiava os festivais (v. 14). Seus constantes
sacrifícios, por mais caros e de alta qualidade, ele
chamou de "inúteis" (v. 13).
Até suas orações eram ofensivas a Deus; ele os
considerava um fardo que ele estava cansado de
suportar, e jurou recusar-se a olhá-los quando eles
oravam. O que é surpreendente sobre tudo isso é
que Deus ordenou que todas essas coisas fossem
feitas.
Mas Deus se preocupa com a atitude do coração por
trás de todas essas ações. Mais tarde, em Isaías,
Deus dirá a respeito deles: “Essas pessoas se
aproximam de mim com seus discursos para me
honrar com os lábios - mas seus corações estão
longe de mim” (29:13). Isso serve também para nós
no século XXI.
É tão fácil entrar em um padrão de observância
religiosa e fazer com que nossos corações se
tornem cada vez mais duros em relação a Deus por
causa de nosso pecado ao longo da semana.
Muitas pessoas vão à igreja todos os domingos e
depois vivem como incrédulos completos o resto da
semana. Deus despreza a religião que é uma mera
máquina externa, que nunca leva os adoradores a
entender claramente a santidade de Deus e sua
própria necessidade de Jesus Cristo como Salvador.

Conclusão e aplicação
Aplicações
Embora este capítulo tenha sido escrito para
Israel há mais de vinte e sete séculos atrás.
Deus ainda está falando conosco hoje. Nós
somos tão pecadores quanto aquela nação já foi.
Ainda lutamos com a violência, a imoralidade sexual
e a injustiça por parte de nossos líderes, decorrentes
da idolatria profundamente enraizada. Estamos
igualmente aptos a fabricar máquinas religiosas - a ir
à igreja domingo após domingo enquanto vivemos
vidas corrompidas durante a semana.
Deus nunca mudou: Ele ainda procura corações
e odeia a hipocrisia. Ele ainda traz severos
julgamentos a seu povo por pecados. Ele ainda
ameaça os impenitentes com a destruição nos fogos
eternos de seu julgamento. Ele ainda convoca
rebeldes sem sentido para resolver a questão de
seus pecados. E ele ainda oferece um Salvador -
Jesus Cristo - por quem somente todas as doces
promessas de Isaías 1 se cumprem.
Cabe a nós reconhecermos os nossos pecados,
rejeitar qualquer esperança de reforma moral longe
da graça de Deus em Cristo e recorremos a Jesus,
para que possamos comer o melhor da terra
eternamente.
E tendo chegado a Cristo pela fé, é nossa
responsabilidade permanecer ligados a Deus, é
nossa responsabilidade exortarmos os pecadores de
todas as nações a se arrependerem e confiarem
somente em Cristo para a purificação que somente
seu sangue pode dar e a transformação.
É nossa obrigação viver uma vida santa, porque
ele é santo.