Você está na página 1de 4

MÓDULO 17:

Terapia Estratégias estilísticas na TCD


Comportamental
Dialética

Wilson Vieira Melo


Doutor em Psicologia (UFRGS / Universityof Virginia)

Estratégias Estilísticas ESTRATÉGIAS ESTILÍSTICAS:


EQUILIBRAR A
Comunicação Comunicação COMUNICAÇÃO
Recíproca Irreverente

Estilo defendido pela Estilo pouco usual, • O terapeuta


terapia centrada no objetivando causar deve ser capaz
cliente: consideração impacto, “sacudir”.Útil de alternar entre
positiva incondicional, para os momentos os dois com tal
autenticidade e empatia rapidez que a
“empacados”.
própria mescla
constitua uma
estratégia
estilística.

ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO Poder e psicoterapia: quem faz


RECÍPROCA as regras?

Os pacientes se despem totalmente,


RESPONSIVIDADE AUTORREVELAÇÃO
enquanto os terapeutas mantêm
suas roupas.

• Muitas das batalhas que ocorrem na psicoterapia têm a ver


ENVOLVIMENTO GENUINIDADE com essa distribuição desigual de poder e com as tentativas
AFETUOSOS
das pacientes de corrigi-las.

Terapia Comportamental Dialética 1


Poder e psicoterapia: quem faz
as regras?
Responsividade
• As estratégias de comunicação recíproca são
criadas para:
• Manter-se desperto
– Reduzir o diferencial de poder percebido entre o
terapeuta e a paciente; • Levar a agenda
– Aumentar a vulnerabilidade do terapeuta à da paciente a
paciente e, assim, comunicar confiança e respeito sério
pela paciente; • Responder ao
– Aprofundar o vínculo e a intimidade do conteúdo das
relacionamento. comunicações
da paciente

Autorrevelação Usando a supervisão / orientação

• Na TCD, o supervisor
AUTORREVELAÇÃO • Relacionada as declarações do terapeuta para a paciente
individual ou a
AUTOENVOLVENTE sobre suas reações pessoais e imediatas à ela. equipe de
orientação de caso
podem ser
• Refere-se ao terapeuta fornecer informações sobre si
essenciais para
AUTORREVELAÇÃO
mesmo à paciente, como informações sobre qualificações
profissionais, relacionamentos sociais fora da terapia (ex.
ajudar os terapeutas
PESSOAL Estado civil), experiências passadas e atuais, opiniões,
planos que possam não estar necessariamente
a monitorar o seu
relacionados com a terapia ou a paciente. comportamento de
autorrevelação.

Envolvimento afetuoso Genuinidade


• Limites do afeto
• Sentir raiva da paciente
• Envolvimento afetuoso e toque na psicoterapia:
i. Os toques físicos devem ser cuidadosos • As pacientes borderline costumam expressar
ii. Os toques físicos devem ser breves
iii. Os toques físicos devem expressar uma relação terapêutica uma necessidade de que seus terapeutas
existente
iv. Os toques físicos devem ser sensíveis aos desejos e à necessidade
sejam “reais”.
de conforto da paciente
v. Os toques físicos devem ficar dentro dos limites pessoais do
terapeuta Os terapeutas devem
vi. Deve ficar claro que toques sexuais nunca são aceitáveis
vii. Quando a paciente faz toques inapropriados ou uma proposta olhar o seu próprio estilo
sexual, o terapeuta deve “discuti-la a exaustão”
natural de ajudar.

Terapia Comportamental Dialética 2


A necessidade de invulnerabilidade do Estratégias de
terapeuta comunicação irreverente
-“Você mudou o tratamento
novamente?
• Quanto menos agir como terapeuta, mais - Sim”.

você ajudará.
CHAMAR A ATENÇÃODA PACIENTE MUDAR

Limites do terapeuta em relação à vulnerabilidade.


A RESPOSTA AFETIVA DA PACIENTE

LEVAR A PACIENTE A ENXERGAR UM PONTO DE VISTA COMPLETAMENTE DIFERENTE

Características da paciente que limitam a vulnerabilidade.

Limites da terapia eficaz.

Estratégias de Estratégias de
comunicação comunicação
irreverente irreverente

REFORMULAR DE MERGULHAR ONDE OS ANJOS


MANEIRA TEMEM PASSAR
HETERODOXA

• A TCD pressupõe que as pacientes borderline são e não são


• Uma resposta irreverente quase nunca é a frágeis, e a irreverência é direcionada para os aspectos não
reação que a paciente espera. frágeis das pacientes.
• O estilo do terapeuta é direto, claro, concreto, cândido e
aberto.
• O suicídio é abordado do mesmo modo que outros
• P: “Vou me matar.” assuntos.
• T: “Eu achei que você tinha concordado em • A possibilidade de que a paciente possa realmente se
matar é reconhecida abertamente (mas não estimulada).
não abandonar a terapia”.

Estratégias de
Estratégias de
comunicação
comunicação
irreverente
irreverente

USAR UM TOM CONFRONTACIONAL

ACEITAR OS BLEFES DA PACIENTE


• T: “Você está sendo irracional de novo?” ou;
• T: “Ta loca?” ou;
• T: “Você não achou que essa era uma boa • P: “Vou largar a terapia”.
ideia, achou?” ou;
• T: “Gostaria de um encaminhamento”?
• T: “Ah não! Mais um drama!!”
• Etc.

Terapia Comportamental Dialética 3


Estratégias de Estratégias de
comunicação comunicação
irreverente irreverente

ALTERNAR A INTENSIDADE E USAR EXPRESSAR ONIPOTÊNCIA E


ILÊNCIO MPOTÊNCIA

• As vezes o terapeuta pode ser bastante eficaz e irreverente


• Aqui, o terapeuta muda rapidamente de uma forte ao assumir uma postura onipotente.
intensidade para uma calma relaxada e retorna, ou de – T: “Como você sabe que eu tenho uma ‘mente sábia’”? Ou;
uma seriedade inativa para a jocosidade e retorna – T: “Como eu sei? Acredite em mim, eu sei dessas coisas”.
novamente.
• O oposto também funciona. Admita impotência:
• O silêncio também pode ser usado para aumentar ou – T: “Você ganhou. Talvez essa terapia não funcione para você”.
reduzir a intensidade, e para afastar-se ou aproximar- – T: “Você pode me vencer se quiser. Não é difícil. É só mentir”.
se da paciente. – T: “Talvez você precise de um terapeuta melhor do que eu”.

Terapia Comportamental Dialética 4

Você também pode gostar