Você está na página 1de 13

CROMOTERAPIA APLICADA NA HARMONIZAÇÃO DO EMOCIONAL

INTENSIFICANDO OS TRATAMENTOS ESTÉTICOS

Sueli Schulka1, Alison Walvy de Souza2

1 Acadêmica do curso de Tecnologia em Estética e Imagem Pessoal da Universidade


Tuiuti do Paraná.
2 Tecnóloga em Estética e Imagem Pessoal, Professora da Universidade Tuiuti do
Paraná, Especialista em Docência no Ensino Superior e Novas Tecnologias.

Endereço para correspondência: Sueli Schulka, susu1008@gmail.com


_____________________________________________________________________

RESUMO: A cromoterapia, que recebe atualmente o nome de Medicina Quântica, é a


ciência que emprega as diferentes cores para alterar ou manter as vibrações do corpo
numa frequência que resulta em saúde, bem estar e harmonia. A abordagem histórica
que avalia as teorias de cura pela cor remota a milhares de anos, tendo sido defendida
por várias culturas. A técnica é baseada nas sete cores do espectro solar. Cada cor
possui uma ação e atuação específica nas diversas disfunções orgânicas. A aplicação
das cores em protocolos estéticos atua em interação com a cosmetologia, favorecendo
o bem estar, potencializando os resultados dos tratamentos estéticos, proporcionando
equilíbrio e harmonia no indivíduo. O presente trabalho teve como objetivo levantar
informações sobre a ação da cromoterapia no equilíbrio emocional favorecendo os
efeitos dos procedimentos estéticos. Foi utilizada pesquisa bibliográfica através de
livros e artigos publicados. Verificou-se neste trabalho que a cromoterapia tem como
finalidade equilibrar o emocional e potencializar a absorção dos produtos nos
tratamentos estéticos.

Palavras-chave: cromoterapia, tratamentos estéticos, emoções.

ABSTRACT: Chromo therapy, which currently receives the name of Quantum


Medicine is the science that uses different colors to change or maintain the body
vibrations at a frequency that results in health, wellness and harmony. The historical
approach that evaluates the theories of color healing remote thousands of years,
having been advocated by various cultures. The technique is based on the seven
colors of the solar spectrum. Each color has a specific action and activity in various
organ dysfunctions. The application of color in protocols aesthetic acts in interaction
with cosmetology, favoring the welfare, enhancing the results of aesthetic treatments,
providing balance and harmony in the individual. The present study aimed to gather
information on the action of chromo therapy emotional balance favoring the effects of
cosmetic procedures. We used literature through books and articles published. It was
found in this work that chromo therapy aims to balance the emotional and enhance the
absorption of products in aesthetic treatments.

Keywords: color therapy, aesthetic treatments, emotions.


_______________________________________________________________

1
1. INTRODUÇÃO

A cromoterapia é a ciência que utiliza o poder das cores na busca do


equilíbrio do corpo, objetivando a cura de várias disfunções orgânicas e
emocionais. É um sistema para curar doenças e desordens do corpo mental,
emocional e físico, proporcionando a cada um a vibração que lhe falta através
da energia da luz manifestada pelas cores (1).
A cromoterapia contemporânea é baseada nas sete cores do espectro
solar: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta. Cada cor possui
uma ação e atuação específica no metabolismo humano (1).
As cores possuem aspectos e efeitos diferentes. Cada cor possui uma
infinidade de aplicações atuadas em uma sintonia energética, unidas a outras
energias que estão além dos sentidos. Necessária para a manutenção da
saúde equilibrada, a escala cromática atua em diversas condições, modificando
assim o campo magnético e atuando para o processo de cura (2).
Nos tratamentos estéticos, a luz colorida pode ser aplicada como
emoliente e cicatrizante após procedimentos com produtos específicos para
cada caso, permitindo a absorção do produto e facilitando extração de
impurezas. Para cada procedimento utiliza-se a cor apropriada para obter
melhor resultado. A absorção das cores no organismo atua para restaurar
células debilitadas e na formação de novas células (3,4).
O objetivo deste trabalho foi buscar informações sobre como a
cromoterapia pode ajudar no equilíbrio emocional do indivíduo favorecendo os
efeitos dos procedimentos estéticos.

1.1 História da cromoterapia


Foram várias as civilizações antigas que fizeram uso da cromoterapia
para tratamentos de saúde como a chinesa, indiana, egípcia, grega e outras.
Na China e na Índia a cor era relacionada mais à mitologia e à astrologia. Na
Grécia alguns filósofos-médicos obtiveram o conhecimento da ciência médica
na fonte egípcia, com os sacerdotes-médicos (5).
Manuscritos chineses, egípcios e hindus daquela época mostram que
aqueles povos possuíam um sistema completo de cromologia fundamentado na

2
lei de correspondência entre a natureza setenária do homem e a divisão
setenária do espectro solar (5).
O tratamento médico com o uso de cores iniciou no Egito, conforme
pesquisas do Dr. Paul Galioughi, autor do livro La Médicine des Pharaons,
onde relata como os sacerdotes-médicos tratavam os doentes com as cores,
utilizando-se de flores e pedras preciosas. Já era empregada, na era de Ouro
da Grécia, nos templos de luz e cor de Heliópolis e no antigo Egito, tendo sido
venerada pelas antigas civilizações da Índia e da China (5).
As civilizações antigas já se utilizavam do tratamento pelas cores. No
Egito, nos grandes tempos de Karnak e Tebas, já se faziam pesquisas sobre o
uso da cor na saúde, em salas coloridas. Utilizavam-se também dos raios do
Sol, que refratavam as cores do arco-íris, nos templos, conforme descobriram
os Arqueólogos (5).
Foram eles quem construiu a cidade da luz (Heliópolis), onde aplicavam
as cores no tratamento e na busca da saúde, e perceberam que as cores
vermelho, amarelo e azul, correspondiam as forças ativas dos seres físicos,
mentais e espirituais. Mas foram os Gregos, que como os egípcios,
especificaram diferentes cores para o tratamento das doenças, no processo da
cura. Os Hindus também deram a sua contribuição na Cromoterapia (6).
No Brasil, as terapias complementares, entre elas a cromoterapia, são
consideradas grandes aliadas para quem busca bem-estar, qualidade de vida e
proteção da saúde (6).

1.2 Cromoterapia
A palavra cromoterapia tem origem do grego pela junção de dois termos,
“kromos” que significa cor e “terapheia”, terapia. A origem da palavra esta
também relacionada com a sua origem, pois se acredita que a terapia era
usada nos templos do antigo Egito por volta de 3000 a.C. Não há nenhum
registro físico que comprove essa prática por aquele povo, porém já foram
encontrados locais com diferentes cores, em que possivelmente eram feitos
espécies de rituais para que pessoas enfermas pudessem ser curadas com a
ajuda das cores(5).
É um processo que utiliza as cores, para corrigir disfunções e centralizar
o corpo físico, mental e energético das pessoas. É um tratamento terapêutico

3
natural, que potencializa as capacidades renovadoras do soma de forma
preventiva (7).
É através da retina que conseguimos definir a cor, essa tonalidade é
identificada através de vibração da onda energética. Os seres vivos possuem
certa quantidade de energia, e a cura através das cores se dá também a partir
da energia (7).
A doença, o desequilibro psicológico entre outras enfermidades é
causado por alteração nas energias do corpo, e a cor que possui energia
estabelece uma relação com a parte afetada, a partir desta cria-se um laço que
chega ao equilíbrio, assim ajudando a melhorar a saúde e bem estar das
pessoas (8).
Trata-se de estudo muito complexo, pois as relações de energia são de
seres vivos muitos pequenos como células e micro-organismos do nosso
corpo, e com isso, a cromoterapia quando usada sozinha pode demorar um
período mais longo (8).
Uma pesquisa feita pelo pesquisador Wagner Gabriel, mostra que
quando em contado com certa luz colorida por algum tempo o metabolismo da
célula diminui, e usando as mesmo técnicas, porém com cores de luzes
diferentes a atividade metabólica da célula pode variar. Isso comprova a
influência das cores nos seres vivos, e se usadas de forma correta pode trazer
grandes benefícios (8).
Já foi comprovado que há um resultado mais rápido quando pessoas,
juntamente com o tratamento médico regular, fazem a cromoterapia, em
(8).
relação as que utilizam apenas o tratamento convencional

1.3 Como as cores funcionam


Cada uma das cores emite uma vibração diferente, que interfere no
campo energético do ser humano, influenciando suas reações físicas e
emocionais (2).
Ninguém duvida que as cores exerçam uma influência específica, cada
uma a seu modo, nas pessoas, nos animais e até mesmo nas plantas. Existem
estudiosos que admitem uma espécie de campo vibratório emitido por cada
uma das cores e suas tonalidades (2).

4
Esse campo determinaria a sua influência através da modificação do
padrão vibratório molecular do campo energético do ser vivo. Isso explicaria o
fato de a cor influenciar e modificar até pessoas com os olhos vendados, sem
contato visual com o padrão colorido (9).
Experiências já mostraram a sensibilidade das plantas aos sons e às
cores. Elas crescem e vivem melhores em contato com músicas suaves e
cores claras ou levemente estimulantes. Por outro lado, as plantas denotam
sofrimento, crescimento retardado e até mesmo morrem com músicas agitadas,
dissonantes, e com cores escuras, agressivas e artificiais (vermelho muito
ativo, cores metálicas e psicodélicas) (9).
Entre os psicólogos existe uma tendência a entender o efeito das cores
como resultado da interferência do campo vibratório da cor no campo
energético sutil (aura) dos seres vivos. Mas a teoria mais aceita é aquela que
explica os efeitos das cores como resultado das modificações que estas
provocam no sistema nervoso. O estímulo colorido, depois de captado pelos
olhos, é conduzido ao cérebro e ali produzem transformações bioquímicas que
resultam em sensações psíquicas e somáticas. Assim, surgiriam sensações
como a leveza do branco, a suavidade e a alegria do amarelo, a profundidade
do azul, a estimulação do vermelho. E também apareceriam modificações
fisiológicas, como aumento ou diminuição da pressão arterial, alterações da
frequência cardíaca, aumento ou diminuição de cólicas e espasmos, etc. (6).
Esta teoria segue exatamente o caminho da ciência moderna em sua
tendência organicista e material. É a teoria mais atraente, mas também a mais
incompleta, pois não explica diversos mecanismos bioquímicos complexos
relacionados aos efeitos das cores. Como também não explica os efeitos
apresentados por animais, plantas e por pessoas com os olhos vendados
submetidos a projeções fortes de focos luminosos coloridos (9).
A técnica propõe a aplicação de certas cores ou níveis de vibração em
partes específicas do corpo, a fim de revigorar áreas que estejam doentes ou
saturadas, isto é, com energia bloqueada ou obstruída. A vibração de uma cor
é percebida não apenas pela visão, ela tem um impacto sobre todos os
sistemas e órgão físicos do corpo que reagem a essas frequências (10).
As energias das cores produzem efeitos porque certas frequências de
cores ressoam fortemente com determinados chakras. Através de um

5
intercâmbio ressonante de energia as frequências das cores energizam e
reequilibram os chakras que eventualmente estejam bloqueados ou
(10).
apresentando alguma anormalidade por causa de um processo de doença
É importante fazer uso da sensibilidade que é a faculdade de sentir ou
perceber sensações inerentes a todo ser humano, cuja estimulação se dá de
dentro da interatividade com a vida e que dá inicio ao processo interno de
recepção sensorial. É uma capacidade de todos, necessita apenas de atenção
a si mesmo e valorização da própria percepção. A sensibilidade sempre
acrescentará à técnica bem empregada, melhor resultado a todos (9).
O tratamento possui duas partes bem específica: uma compreendida
pela limpeza energética e outra pelo tratamento específico. A limpeza
energética caracteriza-se pela limpeza áurica, com aplicação de cores que
acalmam e equilibram. Tratamento específico é feito através de uma ficha de
anamnese, esta ficha deve conter um diagnóstico cromoterápico para ser
aplicado a cada sessão, que deverá ser mudado conforme necessário, para
acompanhamento de evolução do paciente (7).
As cores aplicadas, no processo da cromoterapia, transformam-se em
seu princípio básico. E podemos utilizar várias fontes de luzes, ou seja, da luz
solar, por lâmpadas coloridas comuns, por lâmpadas brancas e filtros coloridos,
água solarizada, e até mesmo por uso, por um tempo determinado, de roupas
com as cores necessárias ao tratamento específico, na dieta e no ambiente
através da decoração (11).
Buscar o equilíbrio faz parte da natureza, a existência é caracterizada
por dualidades, havendo o masculino e o feminino, o positivo e o negativo, o
claro e o escuro, dentre outros contrastes. Nas cores existem também
polaridades, como cores frias e cores quentes. O vermelho é considerado cor
quente e o azul, cor fria. Quanto mais quente for considerada a cor, mais
vermelho ela contém. Quanto mais fria, mais azul ela possui (11).

1.4 Influências das cores no organismo


A cromoterapia baseia-se nas propriedades terapêuticas de cada uma
das sete cores do arco-íris. Inicialmente, a vibração projetada pelas luzes
coloridas age nos campos de força denominados chakras, promovendo o

6
reequilíbrio energético destes. Em seguida, seu efeito atinge o físico,
permitindo o restabelecimento dos órgãos afetados por alguma doença (4).
No ser humano, a luz colorida equilibra os pontos de energias dos
chakras, que são pontos que recebem as ondas eletromagnéticas através das
cores do espectro solar, que são as sete cores do arco-iris: vermelho, laranja,
amarelo, verde, azul, índigo e violeta. Cada chakras tem sua cor e cada cor sua
vibração. Sendo que, as cores que contém vermelho são estimulante e as que
contém azul são calmantes. São sete os chakras, assim como são sete as
cores do espectro solar. O primeiro chakra localiza-se próximo aos órgãos
reprodutores, o chakra básico e a cor é o vermelho. O segundo chakra é o
umbilical, próximo ao umbigo e a cor é laranja. O terceiro chakra, é o plexo
solar, próximo ao pâncreas, sua cor é o amarelo. O quarto chakra é o cardíaco,
próximo ao coração, a cor é o verde. O quinto chakra é laríngeo, próximo à
laringe, a cor é o azul. O sexto chakra é o frontal, localiza-se entre os olhos, na
direção do terceiro olho, a cor é índigo. E o sétimo chakra é o coronário no
topo da cabeça, a cor é o violeta, que atua na energia sutil, mais espiritual (7).
As vibrações das cores, não conseguem identificar as células mortas,
mas sim, restaurar células debilitadas. Percebe-se então que ela estimula a
capacidade regenerativa, bem como proporciona a formação de novas células
(4).

Para manter o corpo numa frequência que resulte em saúde, bem-estar


e harmonia, basta aplicar diferentes cores, que irão alterar ou manter as
vibrações do corpo (2).
Os raios das cores necessariamente não precisam ser visíveis, podendo
ser aplicados mentalmente através de luzes coloridas, pela visualização,
meditação. Terá o mesmo efeito no corpo humano, que o aplicado pelas luzes
perceptíveis (12).
As cores têm importante papel em qualquer tipo de tratamento. Pode-se
constatar isso aplicando em seres humanos, animais e plantas (12).
Não existem doenças, mas sim doentes, e que todas as “doenças” têm
frequências peculiares de vibrações, que na verdade é a disposição corporal
(física e energética) das pessoas, e que aparecem, provocadas por um fator de
pressão que pode ser químico, térmico ou mecânico. A metafísica nos diz que

7
isso ocorre por um padrão interno do indivíduo que altera a frequência dos
órgãos, causando um desequilíbrio no sistema orgânico (12).
O tratamento com cores pode ser realizado em qualquer pessoa, do
bebê ao idoso, pois não compromete os organismos frágeis. No entanto, é
importante que seja realizado por profissional capacitado para que a indicação
das cores seja feita de forma correta para cada indivíduo (4).

1.5 Cromoterapia no controle das emoções e resultado estético


A Cromoterapia é uma ciência que utiliza a energia luminosa das cores
para harmonização e o equilíbrio nos corpos físico, mental, emocional e
espiritual (13).
A emoção é uma experiência subjetiva que envolve a pessoa toda, a
mente e o corpo. É uma reação complexa desencadeada por um estímulo ou
pensamento e envolve reações orgânicas e sensações pessoais. É uma
resposta que envolve diferentes componentes, nomeadamente uma reação
observável, uma excitação fisiológica, uma interpretação cognitiva e uma
experiência subjetiva (13).
Na classificação das emoções, são divididas em primárias e
secundárias. As primárias (o medo, a raiva, a tristeza e a alegria) são inatas,
evolutivas e partilhadas por todos, enquanto as secundárias (ciúme, inveja e
vergonha) são de nível social e resultam da aprendizagem (13).
As emoções cumprem funções de grande importância. Podemos citar
quatro delas: prepara-nos e motiva-nos para ações; possibilita avaliarmos os
estímulos do ambiente de maneira extremamente rápida, ajuda no controle
das relações sociais; são formas de expressão típicas que indicam aos outros
as próprias intenções (quando alguém sorri para nós, automaticamente
supomos que tem uma postura amigável) (13).
As cores possuem aspectos e efeitos diferentes: belezas que podem
encantar aos olhos ou entristecer, efeitos agradáveis ou desagradáveis ao
corpo, afinidades ou emoções mais ou menos profundas, que valem como
energias fortes, podendo ser utilizadas no sentido construtivo ou destrutivo (7).
A luz colorida pode ser aplicada como emoliente e cicatrizante após a
aplicação de produtos específicos. Além disso, permite que o produto utilizado
penetre melhor na pele, facilitando ainda a extração das impurezas (3).

8
As disfunções estéticas como envelhecimento da pele, celulite e flacidez,
têm sido tratadas com o auxílio da cromoterapia. As cores possuem uma
linguagem própria, reestabilizando o equilíbrio do organismo. Na estética, a
aplicação e associação das cores nas alterações corporais e faciais nos
permitem os seguintes benefícios: Rosa destina-se a cicatrizes e manchas
cutâneas (hematomas); auxilia também na troca de fluídos em regiões
comprometidas com a celulite. Verde relaxa e torna a pele elástica. Laranja
destina-se a gorduras em áreas localizadas. Amarelo, fortalecedora dos
tecidos, devendo ser aplicada logo após o término de uma massagem linfática.
Vermelho ativa as regiões com perda de sensibilidade. Azul restaurador celular
em regiões queimadas, também indicado para peles ressecadas. Índigo é anti-
hemorrágico da parte interna da derme e dos órgãos. Violeta, indicado para
acnes e furunculoses em geral (14,15).
As cores de frequência mais baixas, ou seja, vermelho, alaranjado
e o amarelo, têm características estimulantes, já as cores de frequência mais
altas, verde, azul e violeta, apresentam características tranquilizantes . A
frequência mais alta (violeta) “vibra” com mais intensidade, ou seja, tem
movimentos de ondas muito mais rápidos (pois o comprimento de onda é mais
curto, fazendo com que ondas aconteçam num menor espaço de tempo). O
inverso é verdadeiro para a frequência mais baixa (vermelho). Aplicando-se as
cores corretas nas áreas perturbadas, muitos distúrbios psicológicos e físicos
podem ser corrigidos (16).
Na estética facial, a luz azul pode ser utilizada na limpeza de pele, sendo
aplicada logo após a extração, auxiliando na cicatrização, enquanto que a luz
amarela atua no processo de limpeza (3).
A luz verde aplicada no corporal é relaxante e ajuda na eliminação de
toxinas da pele, assim como a luz amarela, o vermelho é utilizado em
tratamentos de gordura localizada e celulite e o azul reconhecido como
fortalecedor da musculatura (3).

2. METODOLOGIA
Foi realizada uma pesquisa bibliográfica com publicações entre os anos
de 1990 a 2012, através de livros e artigos publicados e por meio do site da
Bireme para consulta de seus acervos de dados como Scielo.

9
3. DISCUSSÃO
Cromoterapia é um sistema para curar doenças e desordens do corpo
mental, emocional e físico, proporcionando a cada um a vibração que lhe falta
através da energia da luz manifestada pelas cores (1).
É através da retina que conseguimos definir a cor, essa tonalidade é
identificada através de vibração da onda energética. Os seres vivos possuem
certa quantidade de energia, e a cura através das cores se dá também a partir
da energia (5).
Cada uma das cores emite uma vibração diferente, que interfere no
campo energético do ser humano, influenciando suas reações físicas e
emocionais (9).
As energias das cores produzem efeitos porque certas frequências de
cores ressoam fortemente com determinados chakras. Através de um
intercâmbio ressonante de energia as frequências das cores energizam e
reequilibram os chakras que eventualmente estejam bloqueados ou
(10).
apresentando alguma anormalidade por causa de um processo de doença
A técnica da cromoterapia não consegue reviver as células já mortas,
pois elas não se identificam com as vibrações das cores, mas sim restaurar e
criar condições de recuperação de células debilitadas, através da ação da cor.
Percebe-se então que ela estimula a capacidade regenerativa, bem como
proporciona a formação de novas células (4).
Os raios das cores necessariamente não precisam ser visíveis, podendo
ser aplicados mentalmente através de luzes coloridas, pela visualização,
meditação (11).
Sendo a cromoterapia uma técnica que utiliza as cores para buscar a
harmonia e o equilíbrio do corpo, da mente e das emoções, somadas ao
conhecimento do profissional Tecnólogo em Estética, obtêm-se, através da
aplicação da cromoterapia, a possibilidade de transmitir ao indivíduo uma
sensação específica e única, fundamentada em propriedades que agem de
forma benéfica, favorecendo o desenvolvimento e o resgate da saúde, tanto
física quanto emocional (4).
As disfunções estéticas como envelhecimento da pele, celulite e flacidez,
têm sido tratadas também com o auxilio da cromoterapia, pois quando se

10
entende que a aplicação terapêutica que utiliza a cor para estabelecer o
equilíbrio e a harmonia do corpo, da mente e das emoções, percebe-se que
vem sendo comprovadas por intermédio de experimentações constantes e
verificação dos resultados o sucesso da técnica (14).
A cromoterapia, como terapia complementar e natural, tem muito no que
colaborar nesta área, pela grande interação entre as cores e a cosmetologia
desenvolvida para tratamentos variados na estética (3).

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Verificou-se neste trabalho como as cores podem ter influência no
organismo das pessoas, proporcionando equilíbrio físico, mental e emocional.
Sendo que através dos aspectos favoráveis e desfavoráveis pode-se provocar
na mente humana comportamento dos mais simples aos mais complexos.
A cromoterapia atuando nos tratamentos estéticos, além de melhorar a
aparência, contribui também no humor, no emocional, no mental e no espiritual
do cliente.
As emoções são capazes de mobilizar o Sistema Nervoso Autônomo,
órgãos e sistemas. Conclui-se que, as emoções influenciam a saúde não
apenas em decorrência da psico-neuro-fisiologia, mas também através de suas
propriedades motivacionais, através de condutas saudáveis, tais como os
exercícios físicos, a dieta equilibrada, resultando em satisfação pessoal.
Percebe-se que as cores podem atuar de várias maneiras na vida em
geral do individuo, em cada situação elas são manifestada de formas
diferentes. As cores atuam nos pontos de energia, através de vibrações, que
interferem no campo energético influenciando reações físicas e emocionais, e
também através dos receptores da pele potencializando os tratamentos
estéticos.
É importante mencionar que a cromoterapia não dispensa tratamentos
médicos, mas pode ser usada paralelamente a estes.
Por fim, sugerem-se outros estudos que possam aprofundar a
cromoterapia nos tratamentos estéticos, bem como, estudos de casos que
possam comprovar benefícios da terapia estudada.

5. REFERÊNCIAS

11
1. NUNES, RENÊ. Cromoterapia Aplicada. Editora Linha gráfica. 1990.

2. CAPELLI, EMERSON. Dimensões da Cromoterapia. Editora Alfabeto,


2007.

3. BUCKER, JAMINE; CUNHA, JULIANA; MACHADO, MARLI.


Aromaterapia, Cromoterapia, Musicoterapia Associadas aos
Tratamentos Estéticos. Disponível em: http://univali.br Acesso em:
15/04/2013.

4. VALCAPELLI E GASPARETTO LUIZ Metafísica da Saúde. Volume


1,2,3. Editora Gráfica, 2009

5. LIMA, ARACELY MESQUITA F. M. As Cores fazem parte da nossa


vida desde o nascimento, 2003. Disponível em:
http://www.zemoleza.com.br Acesso em: 22/02/2013.

6. MARTINS, EMANUELA RAMO. Cromoterapia. Influência da cor na


aura e no sistema nervoso, 2010. Disponível em:
http://www.grupoomega.org Acesso em: 03/03/2013.

7. MORIEL, SOFIA. Qualidade das Cores e Técnicas de Aplicação


.Editora Roca, 2006.

8. JESUS, CASSIELY SILVA; ARAÚJO, IZABELA HORTI; MARTINS,


CÁSSIA FLÁVIA DOS SANTOS; SILVA, OLIVIA VIEIRA DA CUNHA
Cromoterapia. Terapia Alternativa na Motivação Organizacional,
2012. Disponível em: http://www.parapsicologia-rj.com.br Acesso em:
03/03/2013.

9. BONTEMPO, MARCIO. Medicina Natural. Guias Práticos. Editora Nova


Cultural, 1992.

10. PIERI, CLAUDIA SILENE WINKLER; RIBAS, GRACIELE KARINA


MONTEIRO; ELLERY, FABIANA MARIN THIVES. Tratamentos
Estéticos e Terapias Alternativas para Pacientes Oncológicos.
Disponível em: http://www.fabianathives.com.br Acesso em: 10/03/2013.

11. BOCCANERA, NÉLIO BARBOSA; BOCCANERA, SULVIA F.B.;


BARBOSA, MARIA ALVES. As cores no ambiente de terapia
intensiva: percepções de pacientes e profissionais, 2006. Disponível
em: http://www.scielo.br Acesso em: 26/04/2013.

12. WILLS, PAULINE. Manual da Cura pela Cor. Editora Pensamento,


2008.

13. LOPES, ROSIMERI BRUNO. As Emoções. Psicologado, 2011.


Disponível em: http://artigos.psicologado.com Acesso em: 21/03/2013.

12
14. KLOTSCHE, CHARLES. A medicina da Cor. Editora Pensamento, 2008

15. SACCOMANDI, CLAUDIA PIRES. A cromoterapia na estética, 2012


Disponível em: http://portaleducacao.com.br acesso em: 15/04/2013.

16. GADELHA, MARIA UMBELINA MARÇAL. A psicodinâmica das Cores


Aplicadas na publicidade e Comunicação Visual, 2007. Disponível
em:http://www.acervo.floriano.pi.gov.br/dawnloads/monografia_umbelina
.pdf Acesso em: 30/04/2013.

13

Você também pode gostar