Você está na página 1de 5
ESCREVER O° ifort Gert, provevlmene oss Jan enepog omercone Cenlenorbto,realuconn o form ela dwn sous asomigurgar irene enlpelga cov fede odo Jndues~ epnito do Gcdne¢ ascent de uma eng avai as foes da cincia. No ities 20 anes, senudo como quttonantte dt tev teno ta como da cule ecles,osetrpdogsconearom 0 repent papel A rape, comma, Goes “0 fon clits alr) sean nterte ‘omnnectnirone | rian slam ¢ gro Toedacexettnat afte do oar) sa nando dDentoplge aga por att Om to es Tradogto de Mai Sav Sta novo papel da antropologia sera ajudar a melhorar a comunicagao através de linhas societais diferentes: etnicidade, religido, classe, sexo, raca. AQUI Clifford Geertz [No inicio da tarde vou com Abba Jérome ver [a mulher etipe] Emawayish para The dar eanetay, tnt ¢ wm eaderno ers ue tla posse registrar por si mesma — ou itr parse filko— 0 ‘nanuscrito [de as cance), fcandoentendido que ochefe da Uapedigdo, seo quite, Ine entrgariapesroaimenteo desejado presente ‘As polaras de Bnavayish eta tarde, quando le disse, falando do st manusrio, que era especialmente bom para ele retigi algumas cansees de amor com asd noite anterior, foram: Triste poesia au Franga?E depos existe amor na Fraga? De*Phantom Aca (1934) por cht Lets em alte N78 ‘or maisdistantes que estejam dos bosques da academia, os antro- ppélogos buscam os seus assuntos —uma praia na Polinésia, um platd conceitual do que com a capacidadede- etep To, quero rem do: | Imprint do que nunca ajuda as crexado na Amazbnia—¢ escrevem —penetfados por em outa forma det prsogtem indsasunde aconvverem | sobre eles com a ajuda dee Zt. Hida, de terem, de um modo ou de ou ‘ellortdoforaiecznta da) —‘blotess. gust nctoe—_ Gorverditetanieme atado}eE mnicagioeulural nada” no mais | ESE EO jie ponto, quando nos convencemos l¢ camp sentido Esa mist, dit Geers, | plogor qUeOTicenca para fausrem 0 daocorrénciadetal milagre dstate do Sea amp opus des tipode trabati ppilblico, que chegaa ver de passar tudo hlgotuligente entre pecs que Qual devem enconttar lugar para que para pape ‘ierent Cansideraetnenté entre st ossam ser objeto de atencio. Em si fato de que quase todos os eind- inteesses, perspectivas ¢ poder. no mesmo, Estar L4é uma experiéncia de grafossio figurasde universidade é tao, | “rian eda limtadai mn mundo Cartio postal, qué afinal requer algo comuma pontode confundir aidéiade ‘ide, enoovidas em intermindvel coexdo, . tyaisdo que um eaderno de anowagbes, que as coisas podcriam ser diferentes, ‘fica cada.uez mais dificil sair wma do a disponiao de oles fe tolerar um certo grau Contudo, as incongrutncas impliciaseS “caminko da outra” desolidioedesconfortofisico,eaespé- em uma existéncia tao dividida — a ‘ Clifford Geertz? profesor de cigncias_' cie de paci€ncia capaz de suportar uma guns anos, de quando em quando, as sodas no Iain de Estudos Avangades_uncaintermindvel de invisiyeis agu- volts com vaqueirosou plantadores de tn Princon, Nova Jers, Enivesuas {has em infinitos palheiros. £0 Estar batatas, toda uma vida fazendo co | ciras mais conbecidat eto The Religion fo chute doutos, que Tax , feréncas ou discutindo com colegus i of Java (1960), The Incerpreution of cof que o antrapdloga sea lida. pur comesaram recentement a ser ma Cals (1973) etoat Keowiedge | oieadoccrtenlorctadaesnsinado. notadss. Adisincs etce meres L963) 0 presente age e aap ¢ “A capacidade dos antrop6 gers ade ee sa epari> | (atid des coptus desex lie vosTaarem lear tat paves 2s onde alo ein. erpre mens MeoremtcWoesed teeing Sree ee cialae ma pacoomenada desis) Anibropologistas Author, Wma andlie (wal-oy comeum-certa.arde elegincis nou exiremamentevsivelO que pare? da eslo de server de quatro grandes earner Frandes amrop6Togos da pri | hale: Cie Liou, Bivord FRI meatal denetclosnes ee | van Evans Pritchard, Bronslaw joy UnrernyRepreduaiocom permite, nicamente diffi, introduzir “suas vi | ‘Malinowski ¢ Ruth Benedict, aso ddas em “nossos” wabalhos, Tornomse as em “nostoy”abaThon ences % i ee oe 7 a ee O wily be gen oft eon +O ely agus ~ bee, ef it Leerned, the O gant ab appl oe — Aroha sess rial ime nooner fucbller, fae ws Tanto 0 mundo que os antropélogos pesquisam — que outrora se chamava primitivo ou tradicional, € hoje emergente — como o que eles estudam {pobelosadesecurmassibuia paras fesatendidos, um representante dos. nos bancos académicos mudaram profundamente. delicado do ponto de vista moral, poli oe epinemotogien arafcance de TEVESiraustea feputanga de Evans l ‘YF Pritchard, o impeto de Malinowski ea serenidade de Benedict parecer muito ‘Oque se tem mais pertoé um nervo- i S snoldtasosote ft ‘aaltaemgmdicor outros preety ‘ethan se pauou a sa-hor cro dcque a easeram. A pergunta de Emanayash agora est por fod parte que comets com areadade quando T x § XY ss seals 68 phe Tico Ou submerso, quanto. tinund® que eles estudam nos bancos I genic, O Tim do-cofonialismorallerou- os questo perguntados ese tornam ckjewodoo Oc tino date no fat Tuto. a Tago de procedimentos e 3 “Conbetimento ndo situado em materia de cidncias humanas, ena vida acadé- rmicaem geralalieraram no menosra- dicalmente a foncepeio dos que per= uname olham soOreo que des ea aeademicos — mudaram protunda dp grafico. Mesmo aqueles exemplares Faioves — a Amazinia de Lévi-Strauss ‘0 Japio de Benedict — que nao svaim coldnias, mas hinterlands abandonados ‘ou impérios fechados "no meio do mar’, assumem uma feigdo inteira eva desdea pata dosubcon- itienteTndlano,e deSuer do Vieins que mudaram a gramatica politica do tnunde~A-masFecente dispersio de povosisolados através do mundo —ar- {gelinos na Franca, coreanos no Kuwait, paquistaneses em Londres e cubanos ‘em Miami — apenas gesdobrou.o pro- cesso reduzindo o ¢spacamento das atom dar grandes hipoveses em cava St ontem a literatura os que antropolgia, ade que seus Seu public eram nin timeate sepa ae arlaaern tte Geseoaesoe: ee sles dgirse eo pao onan ‘informag autho impliseln. disal se por Compleio.O mundo aind seus compartimeitos, mas as pas Jsagens entre eles s4o muito mais nt ‘merosase muito menos seguras Esta ine assunio.e pi "iis comase Gibbon deveneachaie fe repenté perante uma audiencia de itores romanos, deixa os antropdlo- Tiperialismo {quem somos nds para descrevé-los) oe ee _—t— XM fell hewanoy Wha agpanete ope eb Le confer , Alt rise nicole prsticws pepes> Estar Lb, Exrever Aqui 0 OBSERVADOR OBSERVADO Godfrey Lienhardt 0 trecho abaixo foi extraido da critica feta por Godfrey Lienhardt de Works and Lives em The Times Literary Supplement. Lienhardt € professor ‘enérito de antropologia social da Universidade de Oxford. Clifford Geertz é conhecido por seu interesse pelo papel ambivalente dos antropélogos como intermedidrios entre as pessoas que ‘estuclam e as pessoas para quéim escrevem. The Interpretation of Cultures, uma colegio Tepresentativa de seus ensaios publicados no inicio dos anos 70, ocupou-se grandemente de tal hermenéutica antropologica. Works ‘and Lives € um estudo sobre quatro antrop6logos eminentes — Lévi-Strauss, Evans Pritchard, Malinowski ¢ Ruth Benedict. O que foi, pergunta Geertz, que deu aos livros destes autores sua reputacdo como ‘léssicos de sua espécie? Nao foi, certamente, apenas seu contetido etnografico, no qual alguns so muito mais ricos do que outros. Geertz descarta imediatamente qualquer idéia de que “o que um etndgrafo apropriado precisa fazer apropriadamente é sair para os lugares, voltar com informagées sobre como vive as pessoas ali colocar estas informagbes de forma pratica & disposicio da comunidade profissional”. Nao foi assim que influentes antropélogos tornaram as pessoas que aconteceu estudarem to mais conhecidas do que muitas intrinsecamente nao ‘menos notaveis. Nem as minuciosas pesquisas empiricas nem a sutileza analitica em si mesmas bastam para persuadir uma grande variedade de leitores de que os distantes indios amazdnicos, os sudaneses do Sul ou os melanésios sio de importincia intelectual e moral para eles. Tal éxito requer “estratégias literarias” superiores, a marca estilistca pessoal dos ‘autores em seus textos — ¢, assim, embora antropélogos excessivamente “sansiosos por protegerem a condigao cientifica de seus temas talvez Ja prefiram negélo, 0 melhor escrito enogréfice ¢ princpalmente, uma forma de arte literaria. essa, em linhas gerais, a principal forga de Works and Lives. Geertz nio convencera todos os seus colegas antropélogos de aque “a separacio entre o que alguém diz e como o diz...é do daninha na antropologia como na poesia, na pintura ou na orat6ria polti tntanto, o proprio esto de Geert desartna “de alguna for diz freqientemente) as crticas ao mesmo tempo em que pretende estimuli-as, Ele diagnostica “graves incertezas interiores, que equivalem quase a uma espécie de hipocondria epistemol6gica”, nos antropélogos de hoje e sugere como eles podem aliviar-se — principalmente aceitando-se modestamente pelo que sio, hibridos da arte e da eigncia, (0 Times Newspapers Limied, 1988 sto até menos bem preparados para idar. Como se sabe nao € uma per ata que cles estejam acostumados a fazer em outros termos senio os prat ‘cos empiricos: qual €aevidéncia? ‘Como ela foi obiida? O que ela most mo as palavras se Tigam 20 mundo, 65 (ex0OF 8 experienc ae ONTIC TE 45, si0 coisas que cles jados a pergun c S 6 agora eles esto comecando, pelo menos aqueles descontentes por ter que ensaiar hablidades funtas,e alguns, um pouco inseguros, procuram a€ teniar responde-las, até porque seo nao ierer, outros it iste, semioticisas, Also e, det fs os pores, os erticoslterdrios — © farko por els zado, dg.que “dizer uma coisa como ela © ¢unbbgenamepouce man ademas Sopartacinopratta doquepaaa tio. _( sofia parar de Ludwig Witgensicin, para historia a partir de Robin Col. lingwood, para. politica a partirde Mi chel Foucault ou paraa fisicaa partirde ‘Thomas Kuhn. A inadequagio da palvras 4 experiéncia sua tendénct ‘dése diluir somente dentro de outrz See ed Como os THateMTaUCOs fis muito cone Berar ho que di Tespelto aon Una guins deles, numa espécie de confusa "S€0 periodo imediatamente a frente leva a uina renovagio das energias dis cursivas da antropotogtr ou asua dis pao, a uma recuperacao da orca cri. (Gurmns ortamente dos que Tota fuente forem ali porem prdtca sua rie) poder ajsiar-se a uma sur cf cm que suns meta, sun revi, Sone ee ee jam todos questonadoe LéviSuraus, vans Pritcherd, Malinowski, Beneuit vishes autres pelo Teeio Ho roe (quentes — fundadores da dscuridade da etnografia, para usar o ter “Foucault au utores que produziram nao somente seus proprios trabalhos, mas~ que ambim-20 lare-lo algo mai ° x pts formato de cts terior Feo enorme problemasde Tormula- oe peennadod ouperatt aszapensto Tudclecna munca foiagulparteula tmenteconsentida. Mas eles foram bas tante poupados no que se refere aa ues 4 jusifieabiidade de sua inci ta ou 4 mera powiblidade de levdla a efeito. Q que cles estavam fazcndo pode ter sido squisto, mas foiadmira- Yel, pode ter sido altel, mas pode ra etnografia agora ¢ fazé-lo tendo em_ fina Sue tals ipteses este mora inbto bes titoret come i uel. Ictores de suas Frageisconvigbes no parecer em stuaga especialmente fa qorivel para a produguo de obras de tra orgy obfan que posta, que quer que sejam suas falas fazer 0 que feral aguels de geracdes anteriores de ctndgefes:aumenar oventiments oop sa Qualguer coisa que a etnografia possa ser. ela é acima de tudo uma interpretacao do real, ‘como é isto para ser especifico em algum ponto vital do mundo: Aqui, como Pascal disse, mais do que La. coisas vere que continuar. Ese oato_sideradas como privadas de referén de fazer escavagoes ("nao pense sobre cia com qualquer coisa real. X si ‘cinografia, apenas a execute”) ou de ples identificagso de Objetos Comuns_ \\\_ no fazé-las ("nao faga etnografia, ape-_“€ de fato muito rars em antropologis nas pense nela”) pode ser evitado, Seve até do nivel diet de aoa — erposivel Tudooquee predsoeane of U0 Game de lain © no ¢ sabre comparivel ‘Gis rabalios que a. campo procur FPotlierguciogarte—enioalguma sttiirsateree eral massobeeseine realiapac inferior: Como a pevien, ou res oferes cost : Outra maior, como a insrugio —-que lore Lévr-Strausy, Evans: Pritchard eve sr imediaumentesubentendida Malinowski e Benedict. para manuero gencro viva caro. Einbém dr que o Onus da autora tio pode ser conor nada, por mais que 7 Find poss latle muito general cle tenha aumentado; nao hé possbil dade de desloci-lo para omatodo" ag fzada. Mas-sta€ eim i mesina uma e “imgaagem” ow (uma manobra espe- Trgégia retGrica, um modo de persia Siatmmente popular Ho MOMENT} ol stb. que pode sot lent GHGS Mando” proprio povo” novamente jaF totalmente «ainda assim ser lida, Soy cocswior- Se ha agus ne © amenie S30 omo co-autor- de_courmanter tonimente € ainda asst combater 0 concéiio de ctnogralia—merecer fé. Nao est claro que fac, Sono wero mGuo Too impos. — Wabalhoimaginaiaa sobre pessoas TealizaPse, sefiaatnibuit-se 0 ~ veaitentRigares e tempos verdadeires, “ato areunstinei de que se ata de— vectbetratamento habil_uma liga de ‘Sina obra da imaginacio. A sesponsa- "fata cfg, mas a antropologia vai ter “Wildade pela einogratia, ou o seu cré-,” que descobrir se deve continuar como dito, nao pode ser colocada em outras” “uma forca intelectual na cultura cor Portas sengo naquelas dos fantasistas “-temporinea. a (gue sonharam com ela. — axgumentar (afirmar, na verdade, ‘em considerar a voca“, como no teorema de Pitigoras, que tama coisa uma vez Vista nao pode ser Pecos ‘nao vista) que escrever sobre etnografi Se ako prado, 3 weescrever sobre “Gaia pode ser vis Como Birando, 3 imitagao de certas variedades de filoso- fias, iaventar simbolismos @ com\ uisca,em trio do sentido das mente combmtda.issezes violenta-_ palvras, com suas dias bias de mnie, por ciusa de uma confusio, en-—_ semi conceital nserminayelmente ‘Ocidente desde Plate pelo analisadas e nunca revolvidas."O que € 5, entre o imaginade e 0 imagi-—_ Cult cla esta)?” “Pode centre 0 iccional e«-falso em ‘emender ¢ inventar. A estranha idéie— ti Eis i de que a Feahdade tein-um idioma em que preTer® ser descr que sua pro considerado-sedugan verbal: atificio Disa naturess requer quesefalcels_ revoricodestinado a mudar a posigio Smespahatiio un pif uma'pie” de bens imclecunis em um mercado UmaTeS Cuma ToHa wb penadehe competitive. Ou, talver tnais popular sto, enganos ¢ auto-encantamento, mente, hoje que o nu parece habi conduz a idéia ainda mais estranha de_ tado pela hipocrisia cle classe, a Falsa ~ Ge, alismo esta perdido, ite s40 quando s6 Deus esta? conscigncia © as agendas secretas, po- de-se falar em ideologia soba aparéncia de ciéneia (desapaixonada) — uma iascara a ser perfurada, uma impos tura a ser desmoralizada, E ha, comose sempre quando se atende a um esto = ou sesublinha um género, oriscodo es- teticismo, a possibilidade de que ‘anioge 0s etnégrafos como o seu publico pos sam vira acreditar que o valor de esr tos sobre tatuagem ou bruxarias sea texatre nos prazeres do texto. A antro- ae pologia como boa letura = Evvalido correr os riscos porque ito leva a uma completa revisto de nossa compreensio do que é abrirmos (vim _pouco) a conscignem-de um grupo de pessoas 3 Tormna-de vida de outras,€ dessa Torma a nossa propria. Trata-se (caretarenr que geralmente se fracas) de inscrever um presente — dizer em palavras "como € sto" para ser espect Fico em algum ponto da linka vital do mundo. Agu, como Pascal disse, mais ddo que Lé; Agora, mais do que Depot ‘Qualquer outra coisa que a ctnogra- fia possa ser — busca de experincia por Malinowski, o entusiasmo pela or- Gem de Lévi-Strauss, a ironia cultural de Benedict ou a confianga cultural de Evane-Pritchard — ela éacima de tudo uma interpretacao do real, uma vital ade tea Esa capacdade de persuadir os tras tores (a maior parte académicos, todos am pelo menos virtualmente participantes desea forma peculiar de existencta eva Sivamente chamada”*moderna”) de que ‘que eles esl endo eo relatos Tiode alguém pessoalmense familia zado com a vida em algum lugar, em determinado tempo, entre certo gi po, €a base emi que repousa tudo o™na ques emograta procs brar. edificar, desculpar, assombrar, subverter. A conexio textual entre os Estar Aqui €o Estar Li, 05 = antropologia, a construgso imaginat de um terreno comum entre 0 Escrito ™® Para € 0 Escrito Sobre (que nao si0 hoje, como se mencionou. as mesmas pessoas ‘emuma diferente estruturamental)€a {ons et origo do poder que a antropale-~— gia possui dec téFio, por-mais consequentes que por Tal construgao de um terreno co: smum, agora que as Faces hipoteses so brea convergencia de interesse entre as > oh uv / Be & pessoas (4exos,ragas, classes ¢ cults... de poder desigual foram historica: rente explodidase a propria possi dade da deierigdo nto Condicionads tears ao parece ima jnfetauvatzocoerente como foi qua quando exista ierarquia ea linguagem nao ‘enha peso. Asassimetrias morais através “das quais 7 etnografia funciona € a eeitiplontinde dicursiva dentro da Seecre cee TairdO HEN TEpTESENaGRO dem ipo ‘fever eregors de ao mpos frmcateportas dc euiroimpost (aUde delemer Tete pode er bastante: Eu proj i opr penso assim, ha ist im ‘porta no fim de ceras pretensdes 4 varias dessas pretensdes, mas todastendem a reduair-se de umm modo ou outro em contornar 0 favo irredutivel de que todas as descri- jescrica0 de como se mas coisas "do ponto de vista de _uma etiope” (uma poetisa) como se fos- ‘SEadecripio de uma etiope (a poetisa) de como a8 coisas se parecem de tal ponte de vista. Ha 0 positivisme do texto: anocao de que se Emawayish for se convencida 2 ditar ou escrever seus poemas da maneira mais cuidadosa possivele eles fossem traduaides com © ‘maximo de fidelidade, entioo papel do ctndgrafo se diluiria no de um honesto, ‘Srrregr paid sciante a bsiancis fe certas coisas Ge erecta por icp Pe peranga de jue O. ethografico pis mare de alguma forma "he {eroglosico” de modo que Emawayish falar dentro dele 0 lado do 2m. tropBlogo- teagan medio diet, igual independ piesenea To cE “em um texto elaborado Agui. Ha con- “fessionaismo: a acehacio 4a Sxpeniey “| sia do eindgrafo maisdo quedo seu ub- Seccomee, wrincipal assunto para con- feragio analftca, retratando Ema- ore saa erect: {RUTOF, 0 excurecimento posta ser mini- j 0 escurecimento posta Ser mini a au wreconceito” ou “subjetvi am ser vistos face nieado mace thee? eeln oe possi “Tudo isto nio é paradizer quea des- ripe Ge coe ues pestecm 208 icitores, os cxforns para Obtr txt03, exatos¢ adugbes verdieas- Wm pereras pestle ogaates ere Gaoneta ii orsmins qieoreeponde tou Srroorsacsadetllesioenplcia se Bree que o tabalho de campo far ou dina defer sobre o pesquisa er boro exame de que wonssbipteses Fao valem a pen ser tentadas por a fuem que asbraa ders algae que Eup de id ant oe tama mulher eope de destaques pare cheer qu fesers soa nig aes eeenrerest FBeniat Oplabes de Ererwayih, tore mar seus poemasacestves fare ua Feaidade pereptvelecclrecer se cae clara ual cae fea coloc os sufientemente no pa pel para dar wma iela do que seam ome ¢somemte uma area ditch tem conseqUencas pera “Patro", 0 shator co litre als, para aqucla cacrravtama das aided de cuts posonso-noceme epeetador”) Jomo qualeerinsiugao cultural stasopclga=qoed ex a secundaria en compare com irc, a Fiska, a Misi on a Contr bildade-— pertencea um hogar ea um ‘peg erate tr remo, masque nfo esd berets aie oe reaming As cece ane Seriratns prineire ne seeulo XOX (ganado ania aver cdo ssa gente da humana) e depois na pt Fiera parte dese secu (quando par Sou a 4 concentar em dcterminsdos povos, solados e homogenos), cram SGrarente lindas mals ecipiere seate do quese Teprevencs Cone there, ants corn a cepanst imperial do Ocideme quandocom aascensie de tia creneatalvaconista nos poderes da citncia: Desde a Segunda Guerra Mundial, adisolugdodocoloniasmoe Oaparecimento de uma visio mais eo Tse da clncadsiparamum povco es sas encrgins Nem popel dovnterme- Gianocutwrah indoerolandoentreos cesta enresamenicnor to poder foil pars a care os preci its de un eo patente de ou Estar Ub Exrever Aas ‘ros, nem 0 do teérico transcultural. submietendo a Fegras ge crengas e estrururay socials Srasurges pagum oque dipont we O que’ a proni eos neced sira? Nio hd, nmturaimente, uma inion resposta para esa queso, nm a es posta podem ser dadas antes do fat, Totes que cs autores antropdlogos real tiea Wadicional — Bo 3 pode (arer. quilo ndo— € to absurds em antro- palogi como em cyslquer outa inca tea intelectual nae baseada dogmatica- mente, Comoos poemases hpétscs, as eipograins 00 poder sr pgadas Sepots que algutm a cia. Mia, apesar dle todo parece provivel que su goal for o use que os texioa einogrditos {ero no fara, cles permltrano dle. go entre links sorta — Oe eine dade, religito, classe, sexo, Tingiagem, rea quesédeseaspiveram com de tales cadaver mais ut, mals imedin necessaria (pelo menos € 0 que me parece)naoé nem acriagio de uma cul- {ura universal tipo esperanto, a cultura dos seroportos ¢ dos mottis, nem a in vengie de uma enorme tecnologia de administragao humana. O que se fai necessirio € ampliar a possbilidade de tum dislogo inteligente entre pessoa que diferem considesavelmente entr sieminteresses, perspectivase poder. no entanto esido himitadas em w mundo onde, envolvidas em intermi nivel conexao, fica cada ver mais dific sairumadocaminhoda outa « Aege ele other ip Lohaole 2 Aevels ole oer 0m ° atl a e. th 2b honk