Você está na página 1de 16

EXPOSITOR CRISTÃO, ELEITO O MELHOR JORNAL CRISTÃO DO BRASIL E PREMIADO NA FLIC 2017

Distribuição Gratuita
Jornal Oficial da Igreja Metodista
Abril de 2019 | ano 133 | nº 4

LIDERANÇA
PASTORAL
O gemido do
corpo pastoral
Página 8

IGREJA E
SOCIEDADE
Diaconia assina
Termo de Convênio
do Projeto Algodão
em Sergipe.
Página 6

MEIO AMBIENTE
A responsabilidade
ecológica da Igreja.
Página 12

INTERNACIONAL: Ciclone Idai, em Moçambique e Zimbábue, deixa mais de 700 mortos. Página 5
MARCA PÁGINA.pdf 1 27/09/2017 15:13:32

2 EDITORIAL 2018
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br
Nos caminhos da missão

Cuidado Pastoral
servem com integridade
COMENTÁRIOS
Edição de Março de 2019 Ênfases missionárias
Capa – Brumadinho da Igreja Metodista
Em abril comemora-se o Dia do Pastor e da mos ouvir especialistas na tentativa de apontar
É muito bom saber que a Igreja
Metodista se envolveu para ajudar
Pastora na Igreja Metodista. Poderíamos elencar
uma série de exemplos de homens e mulheres ín-
tegros/as, retos/as que são verdadeiros/as canais
caminhos para um ministério pastoral saudável.
Também destacamos as ações missionárias
e sociais da Igreja. A passagem do ciclone Idai,
1 Estimular o zelo
evangelizador na vida
as vítimas da tragédia da Vale, em de cada metodista, de
de bênçãos na vida de muitas pessoas. Mas um na noite do dia 14 de março, deixou mais de 500
Brumadinho. Fiquei comovida de ler os
fato preocupante que temos visto ulti- pessoas mortas em Moçambique e no cada igreja local;
relatos na reportagem. mamente é a depressão que tem Zimbábue, segundo a agência Reu-
2
M
.CO
chegado à liderança pastoral. KP
HO
TO
ters, citando autoridades locais. Revitalizar o carisma
Juliana Menezes C C
dos ministérios clérigo
Muitas vezes, para muitas O furacão avançou rumo
O
ST
/I
Z
Belo Horizonte/MG lideranças, a opção é a
C
ao Zimbábue e Malawi, M
e leigo nos vários

I
W
IE
licença pastoral como destruindo tudo em sua aspectos da missão;

AS
AL
Y

BI
refúgio de um esgo- NA
passagem: estradas,
3 Promover
ZY

tamento profundo, escolas, casas, lojas,


CM
o discipulado
AR

Episcopal
AT

outros/as não po- hospitais e até mesmo na perspectiva da


©K

MY

salvação, santificação
Muito bom ver nossos Bispos e dem tirar a licença uma represa. A Sede CY
e serviço;
Bispas se posicionando quanto à porque a Igreja aca- Nacional disponi- CMY

violência em nossa sociedade. Texto


muito atual e que norteia a vida da
ba sendo a única
fonte de renda da
família pastoral. As
bilizou uma conta
específica para re-
ceber doações que
K
4 Fortalecer a identidade,
conexidade e unidade
da igreja;
Igreja. cobranças acompa- serão enviadas para
Solange de Almeida Rosa
nhadas do esmero
e dedicação pastoral,
Moçambique. Já no
Brasil, as chuvas de 5 Implementar ações que
envolvam a igreja no
cuidado e preservação
Rio de Janeiro/RJ se não forem bem do- março deixaram mui- do meio ambiente;
sadas, podem ocasio- tas famílias desabriga-

6
nar a depressão. das. A Igreja Metodista Promover maior
Como lidar com essas em Rudge Ramos e em Bar- comprometimento e
Igreja e Sociedade situações? Como ajudar pas- ra Mansa são alguns exemplos resposta da igreja ao
Que história a da Dona Antonia! Uma tores e pastoras que sofrem cala- de mobilização comunitária. clamor do desafio urbano.
dos/as em seu trabalho ministerial?
senhora de 82 anos que faz sabão
Como prevenir para que não ocorram ou- Que Deus nos ajude!
e cobertores para as pessoas que tras tragédias pessoais nas histórias das igrejas
moram nas ruas. Um exemplo de pelo Brasil afora? Há relatos de muitos suicídios Pr. José Geraldo Magalhães
mulher. de líderes religiosos/as. Nesse sentido, procura- Editor-chefe | Expositor Cristão

Robson Trindade
São Paulo/SP

OPINIÃO | GEMIDO PASTORAL


Homenagem
Parabéns à missionária Simei “Os valores de sua fé estimulam o pastor e a pastora a
“O tema depressão anda, de certa forma, banalizado. ser simples e humilde, seus/as amigos/as e parentes
Monteiro pela justa homenagem do
Como portadora de depressão de causa endógena, esperam que ele/a seja um sucesso profissional
Colégio Episcopal. Certamente ela tratada por psiquiatra e psicóloga, oro para que e sua comunidade espera que ele/a trabalhe
muito contribuiu para nossa Igreja. mais pessoas encontrem a saúde que tenho duro, para ela crescer e todos/as se sentirem
encontrado.” orgulhosos/as de fazer parte daquela grande e
Marluce Dias Rosa famosa igreja.”
Fortaleza/CE Bispa Marisa de Freitas Ferreira
Presidente na Remne Marcos Quaresma
Missionário da Sepal
ENVIE SEU COMENTÁRIO!
expositorcristao@metodista.org.br
expositorcristao@gmail.com

“A depressão pode ser prevenida e amenizada, mas é um


Acesse a versão digital desta edição “Uma das urgentes tarefas da Igreja é reconhecer
processo permanente. A pessoa precisa aprender a lidar
e compartilhe! as fragilidades de compreensão da dimensão
terapêutica na agenda pastoral. Além disso,
é preciso reconhecer também o alto grau de
com seus sentimentos e emoções com as cobranças
externas e internas. A cobrança do mundo é que
as pessoas façam muitas coisas, com isso elas se
individualismo do cristianismo contemporâneo.”
distanciam delas mesmas."
Pr. Helerson Alves Nogueira
Valquiria Leite Moraes
Docente na Fateo
Psicóloga e Presidente do Núcleo Pequeno Cidadão

http://bit.ly/ec-maio-2019

SIGA A GENTE!
i Expositor Jornal Oficial da Igreja Metodista
Fundado em 1º de janeiro de 1886 pelo missionário John James Ransom
/expositorcristao
Cristão
Editor e jornalista responsável:
Pr. José Geraldo Magalhães
/sedenacionalmetodista (MTB 79517/SP)
@jornal_ec Presidente do Colégio Episcopal:
Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa
@metodistabrasil Produção Audiovisual: MISTO
Bispa Assessora do jornal Expositor Cristão Rodrigo de Britos Entre em contato conosco:
/jornalEC Hideíde Brito Torres Foto de Capa: (11) 2813-8600
/metodistabrasil Mauro Pimentel/AFP/Getty Images www.expositorcristao.com.br
Conselho Editorial: Arte: Fullcase Comunicação expositorcristao@metodista.org.br
/jornal_ec Camila Abreu, Patrícia Monteiro, Pr. Odilon Revisão: Adriana Giusti Av. Piassanguaba, 3031 - Planalto Paulista
/metodistabrasil Chaves e Nancy Vianna Tiragem: 30 mil exemplares São Paulo/SP - CEP 04060-004

(11) 98335-9034 *A REDAÇÃO DO JORNAL EXPOSITOR CRISTÃO É RESPONSÁVEL POR TODAS AS MATÉRIAS NELE PUBLICADAS, COM EXCEÇÃO DE ARTIGOS E REFLEXÕES, QUE SÃO RESPONSABILIDADE DE SEUS/AS AUTORES/AS.
NACIONAL 3
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Dia da Pastora

© FABIO H. MENDES
PALAVRA
e do Pastor EPISCOPAL
“Lançando sobre ele toda a vossa Bispo Emanuel Adriano Siqueira
ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” Presidente da 7ª Região Eclesiástica

(1 Pedro 5.7)

A guerra da água
A lguns/as historiadores/as dis-
seram que a Primeira Grande
Guerra Mundial aconteceu
porque as nações europeias tinham
interesse em territórios, chamados
cursos hídricos, mais precisamente a
água potável.
Há os/as que dizem que já passa-
mos do ponto em que a água potável
é um recurso renovável, pelo excesso
de colônia, na África e na Ásia e em de consumo; ou seja, consumimos
seus recursos; o evento que deflagrou mais água potável do que a natureza
a guerra usado como desculpa foi produz, mesmo com a descoberta de
o assassinato do príncipe Francis- novos aquíferos.
co Ferdinando e sua esposa. Ele era O desenvolvimento de algumas
herdeiro do império austro-húngaro, tecnologias, como o processo de des-
que se dissolveu com o fim da guerra. salinização da água do mar, apro-
Já sobre a Segunda Guerra Mun- veitamento de águas pluviais e o
dial, os/as historiadores/as dizem que reaproveitamento da água utilizada
diversos fatores contribuíram para em indústrias, descargas, chuveiros e
sua ocorrência, torneiras, tem ten-
em consequência tado reverter essa
de uma profunda “O desenvolvimento equação, mas sem
crise econômica e sucesso ainda.
de grandes tensões de algumas O crescimento
políticas e sociais tecnologias, como dos centros urba-
que permitiram nos que se expan-
que regimes xe- o processo de dem em direção a
nófobos e totalitá- dessalinização rios e mananciais,
rios surgissem na poluindo-os, tam-
Alemanha, Itália e da água do mar, bém contribui para
Japão (aliados na
Segunda Guerra),
aproveitamento de essa triste equação.
O aumento da po-
bem como o viés águas pluviais e o pulação mundial é
expansionista des-
sas nações em bus-
reaproveitamento outro causador.
Segundo estatís-
ca de mais recursos da água utilizada ticas da OMS, 2,1
em outras nações. em indústrias, bilhões de pessoas

N
O evento tido como não têm acesso à
o segundo domingo do fortalecida. Para isso, é essencial a início da guerra foi descargas, água potável e em
mês de abril celebramos o
Dia da Pastora e do Pastor
companhia de pessoas que olham
para pastoras e pastores e enten-
a invasão da Polô-
nia pela Alemanha
chuveiros e 2017 verificaram
que 1,7 milhão de
metodista. Nosso desejo é que esse dem a necessidade de estar presente em 1º de setembro torneiras, tem crianças morreram
dia seja celebrado com alegria em
todas as igrejas locais espalhadas
para ajudar a carregar suas pesadas
cargas (Gálatas 6.2).
de 1939.
Com o fim do
tentado reverter em função da polui-
ção, falta de sanea-
pelo país, em um tempo especial Enviamos para cada pastor e conflito, várias or- essa equação, mas mento e utilização
dedicado ao cuidado da Igreja para
com pastores e pastoras nomeados/
pastora metodista o cartaz acima,
junto com uma carta assinada pelo
ganizações foram
criadas com o in- sem sucesso ainda” deAágua imprópria.
Terceira Guer-
as para a sua comunidade, como Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, tuito de evitar um ra Mundial é aguar-
do/a pastor/a para com cada me- presidente do Colégio Episcopal da terceiro combate, como a ONU, a dada e foi batizada de “guerra da
todista que pastoreia. Além disso, Igreja Metodista. Se a sua igreja OTAN e mesmo a OEA mais tarde, água”, e o colapso está previsto para
abordamos este ano mais um tipo não recebeu o envelope, ou se você, por pensarem que um conflito de pro- o nosso século.
de cuidado: o cuidado do/a pastor/a pastor/a, não recebeu a carta, por porções mundiais numa época de ar- Gênesis diz que Deus pôs o ser
para consigo mesmo/a. favor escreva para o e-mail comu- mamentos nucleares seria devastador. humano como administrador dos
Este ano a Igreja Metodista bra- nicacao@metodista.org.br e envia- Porém, alguns/as especialistas di- recursos naturais que criou.
sileira trabalha o tema Discípulas e remos a versão digital. zem que, mesmo com todo o aparato Se nós, que nos chamamos povo
Discípulos nos caminhos da missão Agradecemos à artista Flávia que criamos para evitar uma Tercei- de Deus, não nos preocuparmos com
cuidam do meio ambiente. Temos Norte, da Haba Poster, que pelo se- ra Guerra Mundial, há possibilidade isso e não tivermos a sabedoria do
nos esforçado para lembrar cada gundo ano consecutivo em parceria de que ela aconteça em função do es- Senhor para dar o exemplo e orien-
metodistas de que o ser humano faz com a Igreja Metodista produziu a gotamento dos recursos naturais. tar os/as demais, teremos um futuro
parte dessa criação, e que, portan- arte para o cartaz oficial do Dia da Para muitos/as, a grande riqueza difícil. Que Deus nos dê graça para
to, necessita ser cuidado também. Pastora e do Pastor Metodista. em um futuro próximo serão os re- revertermos essa situação.
Não apenas na saúde física, mas
também no desenvolvimento de /// Veja materiais de apoio para cele-
uma saúde espiritual e emocional brar em: www.metodista.org.br
4 NACIONAL
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Câmara de Expansão Missionária


e Cogeam fazem planejamentos
Câmara Nacional
de Expansão
Missionária esteve
reunida em São Paulo
no mês de março.

Pr. José Geraldo Magalhães


O Secretário Executivo do

A
Concílio Geral, Pastor Jonadab
Coordenação Geral de Domingues de Almeida, e o
Ação Missionária (Coge- Bispo Emérito Adriel de Souza
am), presidida pelo Bispo Maia informaram, respectiva­
Luiz Vergílio Batista da Rosa, mente, sobre a organização do
reuniu-se nas dependências da Concílio Geral e os 80 anos do
Sede Nacional da Igreja Meto- no Cenáculo, que será celebra­
dista nos dias 7 e 8 de março. O do em junho.
encontro presencial teve como O Conselho Superior de Ad­
objetivo discutir e tratar temas ministração da Rede Metodista
relacionados à missão da Igreja. de Educação, o Consad, partici­
© RODIRGO DE BRITOS

Entre os assuntos da pauta pou da reunião e anunciou de­


estavam as informações da Te­ talhes do Planejamento Estraté­
souraria; o que foi orçado e rea­ gico para a liderança nacional.
lizado; balanço; aluguéis; cotas
de participação missionária; Expansão Missionária
relatório da auditoria; aplica­
ções; inadimplência das regiões
Nos dias 19 e 20 de mar­
ço, representantes da Câmara
“O Congresso lhar as ações missionárias das
respectivas regiões.
MAL e Congresso Nacional de
Missões e Discipulado.
(cotas e concílio). A AIM teve Nacional de Expansão Mis­ Nacional de Também houve uma videocon­ A Câmara Nacional de Expan­
também uma participação para
falar do uso da identidade vi­
sionária da Igreja Metodista
também se reuniram na Sede Missões e ferência para falar sobre mapas
e outros dados atualizados do
são Missionária tem o objetivo
de trazer representantes de agên­
sual da Igreja Metodista. Nacional da organização, em Discipulado metodismo e a presença evangé­ cias e organizações missionárias
A Secretária para a Vida e Mis­ São Paulo, incluindo o Bispo lica no Brasil. Outros assuntos que atuam no Brasil e no mundo
são, Pastora Joana D'Arc Meire­ João Carlos Lopes, assessor também esteve abordados foram o Planejamento para contextualizar os/as res­
les, entre outros assuntos, apre­ da câmara, e a pessoa de re­ na pauta da Estratégico do Avanço Missioná­ ponsáveis de cada região com as
sentou os resultados alcançados ferência do grupo na área na­ rio, Parcerias Missionárias entre mudanças e realidades no desa­
na Oferta para Ação Social 2018 cional, Pastor Paulo de Tarso. Câmara Nacional as Regiões Eclesiásticas, Projeto fio de levar o Evangelho a todas
e a Campanha Nacional para a Durante a reunião, os mem­ de Expansão Missionário com Venezuelanos/ as pessoas. A próxima reunião
Oferta Missionária 2019, que está bros da câmara tiveram 15 mi­ as, Treinamento Missionário está prevista para os dias 1º e 2
em fase de execução. nutos cada um para comparti­ Missionária” Transcultural no Panamá, CIE­ de outubro de 2019.
INTERNACIONAL 5
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Ciclone Idai, em Moçambique e Zimbábue,


deixa mais de 700 pessoas mortas
Redação EC soas precisam de resgate ime-

A
diato”, escreveu Nhanala à Igre-
passagem do ciclone ja Metodista brasileira.
Idai, na noite do dia 14 Beira é a segunda maior ci-
de março, deixou mais dade moçambicana, e seus ar-
de 700 pessoas mortas em redores ficaram 90% danifica-
Moçambique e no Zimbábue, dos ou destruídos. “O alcance
segundo a agência Reuters, ci- dos danos provocados pelo
tando autoridades locais. O fu- ciclone Idai é enorme e aterro-
racão avançou rumo ao Zimbá- rizante”, afirmou a Federação
bue e Malawi, destruindo tudo Internacional da Cruz Ver-
em sua passagem: estradas, es- melha (FICV) em um comu-
colas, casas, lojas, hospitais e até nicado. Segundo a FICV, pelo
mesmo uma represa. menos 55 das mortes foram
A Bispa da Igreja Metodista registradas nessa cidade de 530
Unida, Joaquina Filipe Nhana- mil habitantes.
la, pede orações. “Estou escre- As fortes chuvas previstas
vendo para pedir suas orações para a região e o avanço das
por Moçambique no Centro e equipes de emergência pelas lo-
Norte do país. Nós fomos atin- calidades atingidas devem elevar
gidos/as por outro ciclone e o número de vítimas, segundo a
desta vez é o Idai. A destruição Cruz Vermelha. “A situação é
é tal que não temos comunica- terrível. Os meios de comuni-

© DEBORAH NGUYEN / WFP / AFP


ção com o povo, especialmente cação estão totalmente cortados
em duas das províncias, Sofala e as estradas estão destruídas.
e Manica; temos dois distritos Muitas localidades são inacessí-
com os mesmos nomes e não veis”, afirmou Jamie LeSueur, da
podemos contatar nenhum dos FICV, citado no comunicado, e
superintendentes nem o assis- complementou: “Nos contaram
tente administrativo. A cidade que a situação pode ser pior fora Danos no aeroporto de Beira em Moçambique devido à a passagem do ciclone Idai.
mais devastada é a de Beira; é da cidade. No domingo, uma re-
onde temos a sede do Norte de presa cedeu e obstruiu a última foram registradas principalmen- de Farias, e o filho, Victhor
Moçambique, e a cidade está estrada ainda acessível para se- te em Chimanimani, uma região Hugo de Farias Machado. Eles DADOS BANCÁRIOS
abaixo do nível do mar. A visão guir até a cidade”. montanhosa perto da fronteira passam bem. Com o intuito de
é apenas por ar, o presidente do com Moçambique. Não havia re- apoiar e dar suporte para dimi- Bradesco agência 2818
país anunciou hoje que enquan- Zimbábue gistro de turistas entre as vítimas. nuir o sofrimento daquele povo, Conta Corrente 14.249-2
to voava a área esta manhã, ele O governo de Zimbábue de- a Igreja Metodista no Brasil,
podia ver corpos flutuando nos clarou estado de calamidade em Apoio sensibilizada com a catástrofe CNPJ: 33.749.946/0001-04
rios, então o número real de áreas afetadas pela tempestade, a O missionário Ailton Ma- natural, disponibilizou uma
ASSOCIAÇÃO
mortes não é conhecido, mas pior a atingir o país desde que o chado, da 1ª Região Eclesiásti- conta bancária para arrecadar
DA IGREJA METODISTA
pode subir para 1.000; pelo que ciclone Eline devastou o Leste e o ca, está em Moçambique desde doações para Moçambique. Ore
viu, ele estima que 100.000 pes- Sul do país, em 2000. As mortes 2018 com a esposa, Ana Lúcia e faça sua doação!

Metodista participa de
da população afro-indígena em ao lado de representações do
vários territórios”, afirmava a CMI. Durante o mês de março,
apresentação. em apoio ao Dia Internacional

treinamento da Onu
O CMI afirmou no convite da Mulher, a Igreja Metodista
feito às lideranças que a injus- divulgou mais um vídeo, que
tiça racial, a discriminação e a conta com a divulgação de dados
xenofobia são prejudiciais para da violência contra a mulher no
indivíduos, comunidades, so- Brasil e tem a participação das
Sara de Paula ciedades, estados. Alcançar Bispas Marisa Ferreira de Freitas

O
a justiça racial destacando a e Hideide Brito Torres, além de
treinamento “Alcançan- vida e a dignidade das vítimas membros das Confederações de
do a justiça racial atra- tem sido uma dimensão cen- Mulheres e Jovens. Saiba mais so-
vés dos mecanismos de tral do legado do CMI desde a bre as mobilizações da campanha
Direitos Humanos da ONU”, sua criação, e é essencial para a na página 13.
promovido pelo Conselho construção de sociedades justas A liderança do Comitê Cen-
Mundial de Igrejas (CMI), de 26 e pacíficas em todo o mundo. O tral do Conselho Mundial de
a 28 de março, contou com in- Programa do CMI de Combate Igrejas (CMI) também se reu-
formações sobre a mobilização ao Racismo é um exemplo con- niu nos dias 27 e 28 de março no
de metodistas brasileiros/as na creto de mobilização ecumêni- Centro Ecumênico de Genebra.
busca pela igualdade racial. O ca que pode desempenhar um O principal tópico de discussão
evento aconteceu em Genebra, papel crucial na obtenção de foi a 11ª Assembleia, a ser reali-
na Suíça. mudanças significativas. zada em Karlsruhe, Alemanha,
A Igreja Metodista brasilei- tes de igrejas e organizações documentos e ações em todas A campanha Quinta-Feira De de 8 a 16 de setembro de 2021.
ra foi representada pela Pas- vindos de diversos países foi o as áreas da Igreja. “No contexto Preto foi promovida durante o “O amor de Cristo leva o mun-
tora Joana D’Arc Meireles, racismo estrutural instaurado latino-americano, as primeiras encontro. Na foto, a pastora Joa- do à reconciliação e unidade”
secretária para vida e missão no Brasil e na América Latina, décadas do século XX foram na D’Arc usa a camiseta produzi- será o tema usado no desenvol-
da organização. O foco de sua problema enfrentado pelos/as determinantes para a instaura- da pela Confederação Metodista vimento de programas e outros
apresentação para representan- metodistas através de pastorais, ção de políticas de apagamento de Mulheres para a campanha, preparativos.
6 NACIONAL
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Presidente da Diaconia assina Termo de


Convênio do Projeto Algodão em Sergipe
A Presidente do Conselho
Diretor da Diaconia,
Pastora Joana D'Arc
Meireles, assinou no dia 12 de
março, no Campus Sertão da
nha, ambas apoiando e incen-
tivando a cultura do algodão
orgânico e o mercado da moda
sustentável no mundo, assina-
ram com os OPACs e coopera-
sigualdades. As mulheres cam-
ponesas têm menos acesso aos
recursos produtivos, serviços
e oportunidades, como terra,
créditos, assistência técnica e
Universidade Federal de Sergi- tivas acordos que garantirão a educação. Para enfrentar este
pe (UFS), localizado no municí- compra do que for produzido cenário, as famílias cadastradas
pio de Nossa Senhora da Glória, no campo. A expectativa das participarão de formação, em
Alto Sertão Sergipano, o Termo famílias é produzir mais de 70 conjunto com os temas técni-
de Convênio do Projeto Algo- toneladas de pluma orgânica e cos que acontecerão nas UAPs,
dão, que tem início em seis es- em transição no primeiro ano onde serão debatidos assuntos
tados do Semiárido Nordestino de plantio. como: equidade de gênero (con-
do Brasil. A proposta pretende Em números, o valor do qui- templando o movimento de
atingir mais de 70 toneladas de lo da pluma orgânica certifica- mulheres camponesas), a luta
pluma orgânica e em transição da sairá a R$ 12,57, enquanto pela terra e reforma agrária,
apenas no primeiro ano de ati- a pluma em processo de certi- violências contra as mulheres e
vidades com geração de renda ficação será comprada por R$ empoderamento.
para mais de duas mil famílias 11,43, ambas com os valores Diaconia - Organização social
agricultoras com o aprimora- dos impostos (ICMS) já inclu- brasileira, de inspiração cristã e
mento e expansão do algodão assumiram conjuntamente as poupar a mão de obra no plan- sos. Os OPACs ainda receberão sem fins lucrativos, fundada em
agroecológico consorciado com ações do projeto. As operações tio, manejo e colheita. um prêmio social no valor de 1967. A ONG, que atua em qua-
outras culturas alimentares no no Alto Sertão de Alagoas e no À Universidade Federal de R$ 1,00 por cada quilo vendi- se toda Região Nordeste, tem
Semiárido Nordestino. Alto Sertão de Sergipe estão a Sergipe (UFS) caberá estudar do pelas famílias. O recurso como missão trabalhar para a
Durante o primeiro ano, dos cargo do Instituto Palmas e do meios de agregar valor às cultu- será destinado para aquisição efetivação de políticas públicas
dois anos totais de duração, Centro Dom José Brandão de ras, desde o tocante até o pro- de insumos e equipamentos a de promoção e defesa de direi-
o projeto favorecerá a produ- Castro, respectivamente. cessamento dos produtos do serem usados coletivamente no tos, priorizando populações de
ção de mais de 70 toneladas de Enquanto no Sertão do Pa- consórcio (feijão, milho e ger- âmbito de fortalecimento dos baixa renda, para a transforma-
pluma orgânica e em transição, jeú/PE e no Oeste Potiguar/ gelim). A universidade também OPACs. ção da sociedade. A Diaconia
juntamente com 127 toneladas RN, a Diaconia se encarrega está envolvida na formação do trabalha em quatro linhas de
de feijão, 242 toneladas de mi- pela implementação da tarefa, OPAC de Sergipe. Gênero atuação: Segurança Alimentar,
lho e 23 toneladas de gergelim. pois são territórios onde a or- Uma das linhas de atuação da Meio Ambiente e Clima, Justi-
Paralelo à produção, haverá ganização já mantém escritó- Fundo Diaconia é promover a justiça ça de Gênero e Direitos das Ju-
o fortalecimento dos Organis- rios e atividades. Para inserir a produção ao de gênero. Dentro do concei- ventudes. A Sede da ONG é no
mos Participativos de Avalia- Uma das principais atribui- comércio justo e ao mercado de to da equidade, o projeto tem Recife, mas a instituição possui
ção da Conformidade Orgânica ções dessas ONGs é o fortaleci- orgânicos, as famílias precisam a preocupação de desenvolver unidades territoriais no Sertão
(OPACs), associações habilita- mento dos OPACs, responsáveis ter uma infraestrutura adequa- uma abordagem de gênero, em do Pajeú/PE, Oeste Potiguar/
das em conferir o Selo Orgânico pela certificação das culturas, da que garanta a qualidade dos que mulheres e homens possam RN e Região Metropolitana de
Brasileiro aos produtos consor- contribuindo para a organiza- produtos, além da certificação se envolver em qualquer tipo de Fortaleza/CE.
ciados. A ação visa aproximar ção e autonomia das famílias conferida pelos OPACs da Serra atividade, principalmente no
as famílias agricultoras do agricultoras. Existem cinco da Capivara, Sertão do Araripe campo, como forma de atingir /// Saiba mais em:
comércio justo e do mercado OPACs formalizadas: Associa- e Alto Sertão Sergipano. Pen- justiça social e diminuir as de- www.institutocea.org.br
orgânico, além de garantir a se- ção dos Produtores Agroeco- sando nisso, o projeto criou o
gurança alimentar e nutricional lógicos do Semiárido Piauien- Fundo de Incentivo Produtivo
delas. se (APASPI/PI); Associação e Ambiental (FIPA), uma ferra-
Outros fatores a serem desta-
cados são o protagonismo das
Agroecológica do Pajeú (ASAP/
PE); Associação de Certificação
menta que permitirá o enfrenta-
mento das principais barreiras
AVANÇO MISSIONÁRIO
mulheres e a conservação dos
recursos naturais. A iniciativa,
Orgânica Participativa do Ser-
tão do Apodi (ACOPASA/RN);
entre os OPACs e o concorrido
mercado, a exemplo da infra-
NO RIO GRANDE DO NORTE
que teve início em agosto de Associação de Agricultores e estrutura para beneficiamen-
2018, é coordenada pela Diaco- Agricultoras Agroecológicos to, logística, armazenamento
nia em parceria estratégica com do Araripe (ECOARARIPE/ e capital de giro. Além disso, a
a Embrapa Algodão e a Univer- PE) e Associação Agroecológi- ferramenta também servirá de
sidade Federal de Sergipe (UFS, ca de Certificação Participativa ponte para viabilizar a entra-
Campus Sertão – Nossa Senho- do Cariri Paraibano (ACEPAC/ da qualificada dos produtos no
ra da Glória). O projeto ainda PB). Em Sergipe e Alagoas, as mercado e superar as principais
conta com o apoio técnico e fi- ONGs estão trabalhando na dificuldades, a fim de evitar que
nanceiro do Instituto C&A. criação dos OPACs. Por en- a produção termine no mercado
Para a execução do projeto, quanto, esses territórios estabe- informal. O FIPA futuramente No Rio Grande do Norte, a obra Você poderá assistir em nossa
a Diaconia também estabele- lecerão relações com o OPAC da será suprido com recursos ge- Missionária não para. Finalizada a página no Facebook ao vídeo
ceu parcerias com ONGs locais Serra da Capivara/PI. rados a partir do Fundo de In- construção de um posto médico, enviado pelo Pr. Georg Emeritch.
com experiência em agroecolo- A Embrapa Algodão está en- centivo à Autonomia Financei- de barragens e cisternas de cap- E se deseja abraçar este sonho,
gia, que serão responsáveis pelo carregada das pesquisas e da ra (FIAF), que será alimentado tação e a criação da cooperativa faça sua contribuição.
assessoramento técnico para condução das formações téc- pela doação de uma pequena de costureiras em Maxinaré, ago-
fortalecimento dos OPACs e da nicas para as agricultoras e os fração da comercialização dos ra o objetivo é a construção de
produção agroecológica. agricultores. A entidade está produtos com valor agregado três salas no Povoado Cruz, a se- Agência: 4883
No Sertão do Piauí, a Cáritas implantando uma Unidade pela certificação orgânica. gunda base missionária da Igreja
Diocesana de São Raimundo de Aprendizagem e Pesquisas Metodista em Natal. Op: 013
Nonato desenvolve as ativida- (UAP) em cada território para Produção Conta poupança: 361-6
des na Serra da Capivara. No capacitar o público envolvido A produção do algodão agro- Nessa etapa, a igreja inaugurará
Sertão do Cariri, na Paraíba, no cultivo do algodão, que ser- ecológico, durante esses dois três projetos: Um polo de informá- Caixa Econômica Federal
o trabalho está sendo realiza- virão de referência para as for- anos de atuação, já está com a tica, uma cooperativa de costuras
Associação da Igreja Metodista -
do pela Arribaçã. Já no Sertão mações. O objetivo da criação venda garantida. As empresas e bordados e uma padaria comu-
REMNE
do Araripe, em Pernambuco, é aumentar a produtividade e Vert Shoes, da França, e Orga- nitária, que é o maior desafio.
as ONGs Caatinga e Chapada desenvolver as tecnologias para nic Cotton Colours, da Espa-
MISSÃO 7
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Visão Mundial une-se a parceiros e


promove caminhada continental pedindo
mais ternura para crianças e adolescentes
Redação

C onscientes da solidão, do “Importante socializar


abandono e da violência
interpessoal e estrutural
a caminhada
que cercam e afetam as crian- apontando seus
ças e adolescentes, o Conselho
Episcopal Latino-Americano objetivos, estratégias
(CELAM), a Visão Mundial
América Latina e Caribe, a Cá-
e avanços mostrando
ritas América Latina e Caribe, imagens do que foi
a Federação Internacional Fé
e Alegria – organizações ecle-
feito em outros países”
siais associadas ao Programa
Centralidade da Infância – con-
vidam todos os cidadãos e ci-
dadãs, organizações não gover-
namentais, setor empresarial,
Igrejas, articuladores/as cultu-
rais, servidores/as públicos/as,
comunicadores/as, políticos/as
e influenciadores/as de decisões
para uma ampla mobilização
continental chamada Caminha-
da Pegadas de Ternura (Huellas
de Ternura), assumindo-a como
uma estratégia de enfrentamen-
to às múltiplas violências contra
crianças e adolescentes.
A Caminhada estará no Bra-
sil entre os dias 31/03, quando
chegou da Bolívia, até o dia
13/04, quando segue para o Pa-
raguai. Ao longo das duas se-
manas teremos grandes eventos
pontuais, e cada parceiro esco-
lherá o dia – ou dias – de sua
participação.
A inciativa foi lançada no dia
24 de março do ano passado no
Parque Ana Lídia, em Brasília,
e pretende alcançar 20 países da
América Latina e Caribe. O Ato
marcou o início da participa-
ção do Brasil nesta jornada que
pretende mobilizar a sociedade PROGRAMAÇÃO
contra a violência que atinge ví-
timas – meninos e meninas – no 31/03 – Recepção da Pipa em tazes sobre ternura e fechando ternura no Cristo Redentor.
continente Latino-Americano. Guajará-Mirim/RO. Caminhada o dia com a canção Hallellujah Crianças serão levadas até o
em Boa Vista/RR. Ao longo do de Leonardo Cohen entoada Cristo para ali celebrar mais
Conscientização, da – a pipa – e a socializar trajeto as crianças terão car- por corais, artistas, bandas, um ato ecumênico e pedir
mobilização e nas redes com as seguintes tazes e pipas. Ao final será cantores/as solo e a popula- mais ternura. Nesse dia todas
envolvimento hashtags: #pegadasdeternura celebrado um culto ecumêni- ção em geral, num ato de ce- as escolas e projetos poderão
É importante socializar a ca- #precisamosdetodos #zero- co, pedindo a bênção de Deus lebração e união pela ternura. organizar seu próprio evento
minhada apontando seus ob- violência #100porcentoter- sobre todas as crianças. Que Em Brasília será entregue às
também, que deverá incluir
jetivos, estratégias e avanços nura. É muito importante seja estabelecida uma cultura autoridades convidadas uma
muitas pipas empinadas e
mostrando imagens do que foi fotografar, filmar, postar ao de ternura em nosso país. petição por mais ternura para
muitas orações por mais ter-
feito em outros países. Deve- vivo, usar as hashtags e mo- nossas crianças.
06/04 – Canção ao Pôr do Sol nura no Brasil.
mos convidar as crianças e ado- vimentar as redes sociais. Todas as igrejas que desejarem
– com movimentos principais 11/04 – Haverá uma oficina
lescentes para participar como Precisamos espalhar uma se envolver o farão nesse dia,
atores principais do chamado cultura de ternura para o em Brasília, Recife e Fortaleza virtual sobre o tema da Crian-
e eventos que sejam organiza- unindo-se aos eventos prin-
para a ternura e proteção da in- maior número possível de cipais ou organizando em sua ça e a Ternura.
fância. Organizações, institui- pessoas e, principalmente, dos por todo o país, faremos
cidade. 13/04 – Ato no parque das
ções e escolas também podem conscientizar crianças e ado- uma tarde no parque para fa-
participar da Caminhada por lescentes acerca do tema. mílias, com espaço para fazer 08/04 – No Rio de Janeiro as Cataratas e entrega da pipa ao
meio de ações internas que já e empinar pipas, para criar car- crianças serão abraçadas pela Paraguai na Ponte da Amizade.
sejam realizadas em suas ins- // Confira o projeto completo em
tituições, sendo convidadas a nosso site para saber mais detalhes!
unificar o símbolo da caminha- www.metodista.org.br
8 CAPA
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

O gemido da
liderança pastoral

E m abril comemora-se o
Dia do Pastor e da Pastora
na Igreja Metodista. Po-
deríamos elencar uma série de
exemplos de homens e mulheres
e pastoras que sofrem calados/
as em seu trabalho ministerial?
Como prevenir para que não
ocorram outras tragédias pes-
soais nas histórias das igrejas
Ainda que pouco conhecida,
o diagnóstico da síndrome de
Burnout tem sido muito co-
mum em pastores/as devido às
demandas desmedidas e metas
les/as que es-
tão flertando
com a própria
morte median-
te o sofrimento
íntegros/as, retos/as que são ver- pelo Brasil afora? São questões utópicas às quais se submetem insuportável e
dadeiros/as canais de bênçãos que Everton Lacerda procurou e se frustram por não atingirem a desesperança,
na vida de muitas pessoas. Mas corajosamente responder em no contexto da religião. a fim de que eles/
um fato preocupante que temos sua pesquisa: Suicídio de Pas- Jacira Lima, teóloga e mestra as resgatem o sentido da exis-
visto ultimamente é a depressão tores: uma análise dos fatores em Psicologia, explica que é pre- tência a partir da tomada de
que tem chegado à liderança pas- de risco que contribuem para a ciso coragem para falar sobre o consciência da importância
toral. Muitas vezes, para muitos/ consumação do suicídio. O tra- tema. “A pesquisa exigiu cora- do cuidado de si mesmo/a, que
as desses/as líderes, a opção é a balho relata a trajetória do con- gem porque o autor procurou acontece mediante a definição
licença pastoral como refúgio de ceito de suicídio analisando sua abordar as causas e principal- e priorização de parâmetros
um esgotamento profundo, ou- evolução histórica, enfatizando mente o cuidado que homens que estruturam os pilares de
tros/as não podem tirar a licen- a produção de estudos sobre pastores evangélicos precisam sustentação da vida pessoal, fa-
ça porque a Igreja acaba sendo a suicídios de pastores e pastoras, tomar para viver bem em meio miliar e ministerial proporcio-
única fonte de renda da família que têm aumentado nos últi- a uma sociedade que exige cada nando o equilíbrio necessário
pastoral. As cobranças acompa- mos anos, mas ainda são escas- vez mais deles no exercício do para uma mente saudável.
nhadas do esmero e dedicação sos. Da mesma forma que são ministério”, destacou. A Bispa Marisa de Freitas
pastoral, se não forem bem dosa- escassas as pesquisas sobre de- A pesquisa, disponível no Ferreira, presidente da Região
das, podem ocasionar depressão. pressão e Burnout, considerada site da Amazon, propõe que Missionária da Amazônia, tam-
Como lidar com essas situ- como “síndrome da desistência ações e medidas preventivas bém defende que não é fácil dis-
ações? Como ajudar pastores de exaustão ou consumição”. possam contribuir para aque- cutir o assunto. “Esta não é uma
CAPA 9
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

ENTREVISTA COM A BISPA MARISA DE FREITAS FERREIRA,


PRESIDENTE DA REGIÃO MISSIONÁRIA DO NORDESTE diopatias, circulatórias e tantas
mais. Até procuram cuidados
médicos sem maior dificuldade.
Entretanto, em relação à do-
BISPA MARISA, EM SUA PER- dores/as do assunto, que na verdade cina (assim como a medicina tem a
ença depressiva, há uma falsa
CEPÇÃO, QUAIS OS CAMINHOS só têm um conhecimento superficial aprender com a fé cristã).
aura de que ela só se achega a
QUE DEVEM SER PERCORRIDOS da depressão.
ENTÃO, BUSCAR pessoas que não “exercem a fé”
PARA EVITAR ESSA TRAGÉDIA NO
QUAL O PRIMEIRO PASSO AJUDA É FUNDAMENTAL? ou de que é uma doença pro-
MINISTÉRIO PASTORAL?
A SEGUIR PARA EVITAR A veniente de ação do demônio.
Sim. Buscar um conhecimento mais
Esta não é uma resposta fácil de se DEPRESSÃO? Esses conceitos trazem vergo-
profundo e verdadeiro é o que per-
dar. O tema depressão anda, de certa nha e temor a quem se sente
O passo mais responsável para lidar mitirá que pessoas, cristãs ou não, se
forma, banalizado. Por estar em voga deprimido, inibindo mais ainda
com a depressão é o de obter conhe- autoavaliem e percebam que preci-
nas mídias, em meios de comunica- o enfrentamento da doença.
cimento mais profissional e menos sam de auxílio para sua saúde. Uma
ção em massa e até na mídia cristã
acercado de “achismos”. Depressão conduta médica, na grande maioria
e gospel, o sentido da palavra me
é uma enfermidade comprovada das vezes acompanhada do suporte
parece estar empobrecido. Muitas A SENHORA JÁ
pela medicina. Ela não é uma rea- da terapia psicológica, certamente
pessoas, pelo fácil acesso ao tema, se DECLAROU QUE TEM
ção imatura ou carencial oriunda de permitirá que a depressão seja er-
sentem em condição de discutir o as- DEPRESSÃO. COMO LIDA
pessoas sem fé ou sem força (em radicada. Em casos de depressão de
sunto – o que é bom por um lado (di- COM A DOENÇA?
alguns poucos casos de outras en- causa endógena (que independem de
vulgação do tema). Há, porém, o risco
fermidades psíquicas isso até pode uma causa externa, seja emocional, Como portadora de depressão
presumido de ter muitos/as entende-
ocorrer, mas são exceções). Depres- traumática ou similar), a doença pode de causa endógena, tratada por
são é uma patologia tal como o são ficar sob controle, tal como se dá psiquiatra e psicóloga, oro para
a diabetes, a hipertensão arterial, com qualquer outra doença crônica. que mais pessoas encontrem a
o lúpus, a artrose, uma cardiopatia saúde que tenho encontrado. E
QUEM É A MAIOR
etc. Como tal, para evitar tragédias isto graças a reconhecimento da
INIMIGA DA DEPRESSÃO?
envolvendo o quadro clínico da de- doença e o devido tratamento. Eu
pressão (estagnação e/ou suicídio), A maior inimiga do controle da de- sou portadora de depressão, mas
é necessário que pastoras e pasto- pressão é a resistência que se tem eu não sou a doença. Sou, sim, al-
res reconheçam que há muito que a ela. Líderes cristãos/ãs já admitem guém com limitação, mas criada
se aprender também com a medi- doenças tais como parasitoses, car- à imagem e semelhança de Deus.

resposta fácil de se dar. O tema da vocação pode fazer com que humana é fundamental. “Uma
depressão anda, de certa forma, o/a pastor/a perca o senso de das urgentes tarefas da Igre-
banalizado. Como portadora de si mesmo/a, tornando-se uma ja é reconhecer as fragilidades
depressão de causa endógena, ‘propriedade da sua vocação’. de compreensão da dimensão
tratada por psiquiatra e psicó- Por isso, ocorre em muitos ca- terapêutica na agenda pasto-
loga, oro para que mais pessoas sos a perda da individualidade e ral. Além disso, é preciso reco-
encontrem a saúde que tenho da identidade, para não dizer da nhecer também o alto grau de
encontrado”, disse a bispa. santidade”, destacou Martins. individua­lismo do cristianismo
Para o missionário da Sepal, contemporâneo”, disse o pastor.
Preocupação Marcos Quaresma, na vida de Nogueira destaca ainda que
Segundo estudos realizados um pastor ou pastora, há três pastores e pastoras correm o
pelo Instituto de Desenvolvi- fatores que influenciam mais risco de sucumbir aos crescen-
“O tema mento de Liderança da Igreja, fortemente seu comportamen- tes apelos da opinião pública
cerca de 70% dos/as pastores/ to. “Sua fé, seus/as amigos/as e evangélica que, em certa me-
depressão anda, as lutam diariamente contra a parentes e sua comunidade. Os dida, refletem tal individualis-
de certa forma, depressão e 72% dizem que es-
tudam a Bíblia somente para
valores de sua fé o/a estimulam
a ser simples e humilde, seus/as
mo em expectativas e anseios
projetados na figura pastoral.
banalizado. preparar sermão. Esse mesmo amigos/as e parentes esperam “Precisamos enfrentar e supe-
Como portadora estudo demonstrou que 80%
consideraram que o ministério
que ele/a seja um sucesso profis-
sional e sua comunidade espera
rar a cultura do isolamento e do
individualismo com sabedoria
de depressão de pastoral afeta de maneira nega- que ele/a trabalhe duro, para ela bíblica e conhecimento de nos-
causa endógena, tiva as suas próprias famílias e
70% dizem que não têm um/a
crescer e todos/as se sentirem
orgulhosos/as de fazer parte
sa própria tradição teológica
metodista”, disse.
tratada por amigo/a próximo/a. daquela grande e famosa igreja. A Bispa Marisa aponta que a
psiquiatra Os dados são realmente preo­
cupantes. José Carlos Martins,
O problema é que em geral essas
três influências não conseguem
busca por ajuda clínica é uma
saída indispensável. “Depres-
e psicóloga, em sua obra “O Pastor”, destaca se equilibrar, o que gera tensão são é uma patologia tal como
oro para que algo extremamente alarmante.
“A família do/a pastor/a é sem-
e estresse no/a pastor/a. Quan-
do esta situação chega ao limite,
o são a diabetes, a hipertensão
arterial, o lúpus, a artrose, uma
mais pessoas pre a primeira que sofre com ele/a perde a esperança e o sen- cardiopatia etc. Como tal, para
encontrem a ele/a. A Igreja tem o/a pastor/a,
mas nem sempre a família o/a
tido de viver e prega seu ‘último
sermão’”.
evitar tragédias envolvendo o
quadro clínico da depressão
saúde que tenho tem. O/a líder religioso/a acaba (estagnação e/ou suicídio), é ne-
tendendo a ser mais atencioso/a Novos caminhos cessário que pastoras e pastores
encontrado” com a Igreja do que com a pró- Um dos caminhos a serem tri- reconheçam que há muito que
Bispa Marisa pria família. Isso é uma ca- lhados é o Pastoreio de Pastores. se aprender também com a me-
racterística da nossa herança Para o Pastor Helerson Alves dicina (assim como a medicina
teológica espiritual. É muito Nogueira, docente na Faculda- tem a aprender com a fé cristã)”,
bom sentir-se vocacionado/a, de de Teologia da Igreja Meto- relatou a bispa em entrevista
mas a excessiva sacralização dista, reconhecer a fragilidade publicada no quadro.
10 ENTREVISTA
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Ministério pastoral e seus cuidados


saiba, mas pelo que li e os relatos
que ouvi sobre pastores/as que se
suicidaram, e de alguns/as que
pensaram no assunto, três moti-
vos estão mais evidentes:
Sensação de fracasso minis-
terial – Desde que a Igreja de
Cristo se tornou uma institui-
ção, seus/as pastores/as passa-
ram a ser uma espécie de exe-
cutivos/as que precisam gerir “o
negócio” e entram em competi-
ção uns/as com os/as outros/as
comparando os resultados da
“empresa”. Como nem todos/
as terão os mesmos números,
quem fica para trás se sente
envergonhado/a e fracassado/a
e questiona a Deus: “Se estamos
servindo ao Senhor, como meu
ministério pode estar regredin-
do enquanto meu/a colega está
prosperando?”;
Crise financeira – A maioria
dos/as pastores/as que pensa-
ram, tentaram e os/as que efe-
tivamente se suicidaram esta-
vam envolvidos/as em dívidas
financeiras;
Crise familiar – Alguns/as dos/
as que se suicidaram haviam se
divorciado ou estavam vivendo
uma forte crise conjugal. As
crises ministeriais, financeiras
e familiares podem levar um/a
pastor/a a sair do seu ponto de
equilíbrio emocional e pensar,
tentar ou efetuar o suicídio.
Na vida de um/a pastor/a há
três fatores que influenciam
mais fortemente seu compor-
tamento: sua fé, seus/as ami-

© KAIPONG / ISTOCKPHOTO.COM
gos/as e parentes e sua comu-
nidade. Os valores de sua fé
o/a estimulam a ser simples e
humilde, seus/as amigos/as e
“De modo geral, parentes esperam que ele/a seja
um sucesso profissional e sua
entende-se comunidade espera que ele/a
Pr. José Geraldo Magalhães
peramos que as duas entrevistas,
somadas com a matéria de capa,
que há fatores te por uma vida saudável, equi-
librada, envolvendo os aspec-
trabalhe duro, para ela crescer
e todos/as se sentirem orgulho-
biológicos

N
possam contribuir com a vida e tos físicos, sociais, psicológicos sos/as de fazer parte daquela
a matéria de capa deste
mês abordamos o cui-
o ministério de muitos/as líderes
religiosos/as em nosso país.
e sociais e espirituais. É fundamental
cuidar do corpo, procurar boas
grande e famosa igreja. O pro-
blema é que em geral essas três
dado que o/a pastor/a que, quando amizades e se envolver em uma influências não conseguem se
deve ter consigo mesmo/a. Isso Expositor Cristão: Em associados, comunidade de fé na qual pos- equilibrar, o que gera tensão e
para evitar a fadiga no ministé- sua percepção, quais sa alimentar a espiritualidade. estresse no/a pastor/a. Quando
rio pastoral, além da depressão são os motivos que podem A psicoterapia pode ajudar a esta situação chega ao limite,
levam os pastores
e suicídio, como já aconteceu
várias vezes em diversas deno- à depressão e culminar em ver a vida e o mundo com os
olhos da subjetividade, ou seja,
ele/a perde a esperança e o sen-
tido de viver e prega seu “últi-
minações. consequentemente uma depressão” com um olhar singular, parti- mo sermão”.
Entrevistamos duas referên- ao suicídio? cular. Para ver e viver assim,
cias no assunto do cuidado pas- Marcos Quaresma: Os moti- uma boa psicoterapia ajuda a EC: O senhor gostaria
toral, a Bispa Marisa de Freitas vos que levam uma pessoa à de- pessoa a desenvolver a autono- de apontar mais algum
Ferreira, presidente da Região pressão não são totalmente co- quer dizer que, grosso modo, se mia e ao mesmo tempo a flexi- caminho?
Missionária do Nordeste, que, nhecidos e talvez nunca sejam a predisposição genética encon- bilidade diante das circunstân- MQ: Sem amigos/as, a vida é
além de exercer o ministério completamente. Estudos cientí- tra a situação adequada, ela se cias enfrentadas. cinza. Pastores/as precisam de
pastoral na função de Bispa da ficos sugerem que ela está liga- manifesta. amigos/as, mesmo que sejam de
Igreja, também se formou em da à perda de algo que a pessoa EC: Quais são os fora da igreja. Nesta busca, a pri-
Medicina e sabe muito bem dos teve, como um grande amor, EC: Quais são os primeiros sinais que meira qualidade desse/a amigo/a
cuidados e prevenções que to- ou quando sai de uma posição caminhos alternativos a liderança pastoral deve ser a inutilidade, ou seja,
dos/as nós precisamos ter com social importante, como um para não chegar ao apresenta antes de aquele/a amigo/a que não seja
nosso corpo. A outra pessoa é bom emprego, por exemplo. De suicídio? Terapias cometer o suicídio? necessário um motivo para estar
o missionário da Sepal Marcos modo geral, entende-se que há ajudam? Por quê? perto dele/a. Pessoas precisam
Quaresma, que tem formação fatores biológicos e sociais que, MQ: Os caminhos para que MQ: Não há muitas estatís- de outras para nada, apenas para
em Teologia e mestrado em quando associados, podem cul- uma pessoa não se suicide são ticas sobre os primeiros sinais jogar conversa fora e dar risadas
Aconselhamento Pastoral. Es- minar em uma depressão. Isso os caminhos da busca constan- apresentados, pelo menos que eu das coisas da vida.
ARTIGO 11
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Repensando a dimensão terapêutica


do cuidado e pastoreio mútuo
U ma leitura atenta do
Novo Testamento nos
ajuda a perceber a im-
portância da dimensão tera-
pêutica da Igreja. O anúncio e a
munidade que, de acordo com 1
Coríntios 12.9,28 e 30, a Igreja
dispõe do “carisma da cura” en-
quanto expressão do amor e mi-
sericórdia de Deus. No entanto,
lação à doutrina da salvação é
que “a cura sofre uma seculari-
zação indevida. Há um divórcio
entre o ‘reino da cura’ e o ‘reino
da salvação’. A ciência da cura
de apoio e encorajamento mú-
tuo. Nas palavras de Theodore
Runyon, “o grau a que essa vi-
são chegou a dominar a cultu-
ra ocidental, incluindo aqueles
e ministério, ele decidiu buscar
ajuda de um conselheiro cujo
nome permaneceu desconheci-
do. A única menção que ele faz
a essa pessoa é que se tratava
manifestação do reino de Deus durante certo período, algumas perde o contato com a teologia que se consideram seculares, é de um “homem sério”. Naquela
encontram expressão marcante igrejas (especialmente as carac- e a práxis da Igreja. O diálogo percebido no modo como a fé ocasião angustiante e decisiva
através da ação terapêutica da terizadas como protestantismo entre a teologia e a medicina religiosa é compreendida como em sua jornada espiritual, de-
comunidade dos/as discípulos/ de missão) privilegiaram uma (ciên­
cias) tornou-se difícil” uma questão particular, algo pois de levantar algumas ques-
as conforme Lucas 10.9: “Curai leitura bíblica onde apenas o (DOBBERAHN). que cada pessoa determina para tões que o deixavam inquieto e
(therapeúete) os enfermos que pregar e o ensinar ocupavam si mesma e que normalmente com dúvidas, ele ouve atenta-
nela (cidade) houver e dizei ao um lugar de destaque. O Desafio de (re) não é discutida em grupos mais mente o seguinte conselho: “O
povo: O reino de Deus está pró- Ao mesmo tempo, não se sa- construir uma cultura instruídos”. senhor deseja servir a Deus e ir
ximo de vós”. bia ao certo o que deveria ser de cuidado e pastoreio Pastores e pastoras correm o para o céu. Lembre-se de que o
Na perspectiva do evangelista feito em relação à dimensão da mútuo risco de sucumbir aos crescen- senhor não poderá servi-lo so-
Mateus, a pregação, o ensino e cura (dimensão terapêutica). Uma das urgentes tarefas da tes apelos da opinião pública zinho. Por isso o senhor deve
a cura “formam um tripé onde Alguns sintomas dessa difi- Igreja é reconhecer as fragili- evangélica que, em certa medi- encontrar seus companheiros;
estes três movimentos carac- culdade podem ser observados dades de compreensão da di- da, refletem tal individualismo ou, então, fazê-los. A Bíblia
terizam o ministério público no empobrecimento da dou- mensão terapêutica na agenda em expectativas e anseios pro- não sabe nada de uma religião
de Jesus e eles envolvem uma trina da salvação. A teologia e pastoral. Além disso, é preciso jetados na figura do/a pastor/a. solitária”.
mesma realidade” (SOUZA): a práxis da Igreja passaram a reconhecer também o alto grau Precisamos enfrentar e superar A partir daquele momento
“Percorria Jesus toda a Galileia, focalizar as doutrinas da sal- de individualismo do cristia- a cultura do isolamento e do Wesley decide voltar a Oxford e
ensinando nas sinagogas, pre- vação “eterna” (pouco cuidado nismo contemporâneo, uma individualismo com sabedoria juntar-se a um pequeno grupo
gando o evangelho do reino e com as necessidades do coti- tendência surgida a partir do bíblica e conhecimento de nos- de amigos junto com seu irmão
curando toda sorte de doenças diano). Cura dizia respeito ape- pietismo e de seu entendimen- sa própria tradição teológica Charles. Desde então, o movi-
e enfermidades entre o povo” nas à purificação dos pecados to do cristianismo, dificultando metodista. mento metodista passou a cul-
(Mateus 4.23). O apóstolo Paulo e à conversão (para o “além”), o engajamento e compromisso John Wesley nos deixou um tivar uma leitura bíblica comu-
nos ensina que o reino de Deus reforçando assim uma visão com mudanças de comporta- importante legado a esse res- nitária, um pastoreio e cuidado
se manifesta através da luta conservadora e conformista da mento que impliquem vínculos peito. No ano de 1729, em um mútuo pautado em amor, soli-
constante contra as forças da realidade. Outro efeito de tal comunitários mais profundos momento de intensa luta pes- dariedade, amizade, santidade
morte, é através do “curar” a co- desvalorização da cura em re- em redes formais e informais soal sobre os rumos de sua vida e misericórdia. Não precisamos
reinventar a roda quando o as-
sunto é o cuidado e o pastoreio

© D-KEINE / ISTOCKPHOTO.COM
mútuo de pastores e pastoras.
Contudo, carecemos de uma
atitude humilde capaz de nos
conduzir de volta à Escritura,
a uma redescoberta do valor da
dimensão terapêutica em nos-
sa agenda pastoral iluminada
pela rica e relevante tradição
bíblica e teológica metodista.
Sozinho/a não!
Pr. Helerson Alves Nogueira
Docente na Fateo

REFERÊNCIAS
BARBOSA, Ricardo. Pregar, Ensinar e Curar.
Igreja Evangélica Holiness do Bosque.
Mensagens Fevereiro/2017. Disponível
em http://www.holinessbosque.org.br/
mensagem.php?code=535 (acesso em
10/03/2019).
DOBBERAHN, Friedrich E. Estudos Bíblicos
Sobre Cura e Salvação. Revista Estudos
Teológicos. V. 33, n. 03 (1993): EST/São
Leopoldo, p. 278-293. Disponível em est.
com.br/periodicos/index.php/estudos_te-
ologicos/article/view/949 (acesso em
10/03/2018).
JOSGRILBERG, Rui S. A Motivação Originá-
ria da Teologia Wesleyana: O Caminho da
Salvação. Revista Caminhando, vol. 8, n. 2
[12], (2003). São Bernardo do Campo-SP:
Editeo. Disponível em https://www.meto-
dista.br/revistas/revistas-ims/index.php/
Caminhando/article/view/1419 (acesso em
10/03/2019).
RUNYON, Theodore. A Nova Criação: a teo­
logia de John Wesley hoje. [trad. Cristina
Paixão Lopes]. São Bernardo do Campo-
-SP: Editeo, 2002, p.133.
12 MEIO AMBIENTE
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

A responsabilidade ecológica da Igreja


A responsabilidade ecoló-
gica da Igreja é garantir
que a vontade de Deus
seja ouvida, entendida e estabe-
lecida. Há um texto do teólogo
Carlos Mesters falando do pro-
jeto de Deus para o ser huma-
no e para o mundo criado. O
texto desafia-nos, por exemplo,
a pensar numa ação e numa
ética cristã que impliquem re-
lacionamentos em dominação,
a recuperação da fertilidade da
terra, um trabalho que não é
instrumento de opressão, a res-
tauração da harmonia entre os
animais (leia-se fauna e flora) e
o homem e também (e isto é o
princípio desencadeador de to-
© IPOPBA / ISTOCKPHOTO.COM

dos os outros!) a construção de


uma nova história na qual Deus
e os homens são amigos.
Como vemos, o entendimen-
to e a responsabilidade ética da
Igreja para a questão da ecolo-
gia não pode se limitar apenas à
proteção da fauna, da flora e dos sofre esses danos. É importante Embora para nós, cristãos/ãs, da pessoa total, não só espiritu- Sentir a presença de Deus e
ecossistemas, mas deve visar à que haja preocupação com a pre- a fé cristã não se reduza apenas al, mas também seus aspectos estar em comunhão com
superação teológica e cultural servação também de sua vida e a uma ética, entendemos que ela sociais” (Cânones 2012)2, no Ele nos proporciona conhe-
da dicotomia entre o homem e da qualidade de vida. Não ape- tem a exigência de uma ética, combate permanente aos pro- cer a vontade divina e rece-
a natureza, de modo que haja nas com sua sobrevivência, com de um comportamento ético. blemas sociais que oprimem ber o poder para realizá-la.
uma consciência ecológica, éti- seu cativeiro na miséria e aban- Por isso a tarefa de evangeliza- pessoas, povos e as sociedades, c. A razão – o uso da razão
ca cristã de que o ser humano dono. É importante propugnar ção confiada por Deus à Igreja “denunciando as causas sociais, significa aceitar uma das
é parte da fauna e está inseri- por políticas públicas que lhe implica também a vivência, o políticas, econômicas e morais grandes dádivas do Senhor.
do na criação como parte dela, possibilitem moradia, trabalho, anúncio e um desafio de uma que determinam a miséria e a Deus espera que amemos,
com privilégios e também com subsistência. ética para o mundo. Esta “evan- exploração e anunciando a liber- mas espera também que
as responsabilidades inerentes A ética cristã deve, com toda gelização ética” (evangelização tação que o Evangelho de Jesus sejamos capazes de pensar,
desses privilégios. Evitando certeza, promover ações que promotora da ética cristã) con- oferece às vítimas da opressão”. escolher, de ser lógicos/as.
assim, como aponta Afonso protejam os ecossistemas na- dena o mundo em suas relações Esta compreensão abrangente da d. A tradição – os ensinos da
Garcia: “tanto a desumaniza- turais, a vida silvestre, o uso opressoras e destrutivas, pro- salvação faz com que os/as cris- Igreja, como o Credo Apos-
ção do super-homem moderno, racional das reservas naturais, pondo o estabelecimento de re- tãos/ãs se comprometam com as tólico e as decisões dos
fechado na própria subjetivida- controle rigoroso da poluição lações de misericórdia, justiça, lutas que visam a eliminar a po- Concílios Gerais da Igreja,
de, dominador dos mais fracos (industrial, a feita pelos veí- solidariedade e paz. De modo breza, a exploração e toda forma são parâmetros importan-
e destruidor do meio ambiente, culos, sonora, visual, etc.), re- que, se o pecado humano en- de discriminação. Evangeliza- tes para o conhecimento de
quanto a desumanização impli- ciclagem do lixo e materiais, volveu toda a criação num caos ção integral é a que compreende Deus revelado nas Escritu-
cada na mera adaptação do ser combate às queimadas, com- e em desarmonia, a ética cris- a Missão de Deus no mundo e na ras, pela experiência pes­
humano aos mecanismos im- bate ao uso indiscriminado tã deve ser praticada de modo história acontecendo na promo- soal e pela razão.
pessoais da evolução cósmica”1. de agrotóxicos, melhoria no também a alcançar relaciona- ção da vida. e. A criação – na criação está
A ética cristã deve tratar o ser ambiente urbano (moradia, mentos misericordiosos, justos, A Evangelização integral e a expressão da presença,
humano e a cultura do homem trabalho, alimentação, trans- pacíficos e solidários com toda “ética” é a melhor proposta de da sabedoria, do poder e
como parte de sua preo­cupação porte, saneamento básico, jar- a criação, restabelecendo a har- ética ligada à ecologia e a qual- do cuidado amoroso de
ecológica também. Não pode- dinização, lazer), melhoria no monia, a amizade e a coopera- quer outra área da ação huma- Deus. Podemos conhecer
mos ter uma visão e um pensa- ambiente rural (reforma agrá- ção. Isso provoca mudança de na, ou ainda, serve para orien- também a vontade de Deus
mento ético que não considerem ria e condições sanitárias, por valores, mudança na cultura. tar a participação humana na para a vida humana e de
o ser humano e seu contexto so- exemplo). Mas, evidentemente, Portanto, mais que diagnos- história e na ecologia. Falar de toda a criação.
cial e cultural dentro do contexto a realização de todo esse pro- ticar a necessidade da proteção evangelização ética e integral
maior e como parte do meio am- grama de mudanças na produ- ambiental, é necessário o prog- significa falar de uma contri- Concluindo, podemos dizer
biente. Ou seja, tão justa quanto ção e na organização social não nóstico da mudança sociocul- buição teológica para a cons- que a responsabilidade ecoló-
a preocupação com preservação poderá ser concretizada sem a tural, e tanto quanto refletir, é trução de uma ética cristã pro- gica da Igreja de fato é sua par-
de espécies como tartaruga-de- conscientização da população, fundamental uma ação ampla. testante construída sobre pelo ticipação na Missão de Deus
-pente ou mico-leão-dourado sem mudanças de mentalidade, A “evangelização ética”, além menos cinco fontes pelas quais com a prática de um evangelho
ou jacaré-de-papo-amarelo, mudanças profundas na com- de alcançar os indivíduos, deve podemos conhecer e perceber a integral. “A Missão de Deus no
deve ser também a preservação preensão do ser humano com também “evangelizar eticamen- revelação da vontade de Deus, a mundo é estabelecer o seu Rei-
da espécie humana. Embora na o meio ambiente e sem uma te” as instituições e estruturas saber: no. Participar da construção do
teoria tudo esteja interligado, grande mudança em nossos sociais e a cultura, ou melhor Reino de Deus em nosso mun-
muitas vezes na prática, o/a ho- valores e em nossa cultura. dizendo, as diferentes culturas. a. A Bíblia – a maior fonte do, pelo Espírito Santo, consti-
mem/mulher, particularmente Miséria, machismo e racismo, “Evangelização ética” no sen- de conhecimento e auto- tui-se na tarefa evangelizante
o/a pobre, sem-terra, sem-teto, por exemplo, não devem ser vis- tido em que estamos usando ridade: única regra de fé e da Igreja”.
sem-trabalho, vítima da fome, tos apenas religiosamente como neste texto refere-se à responsa- prática.
da guerra, etc., não tem sido pecado ou socialmente como si- bilidade e à participação ecológi- b. A experiência pessoal com Pr. Ronan Boechat
encarado/a pela ética cristã e tuações de relações opressoras. ca da igreja. Mas o que vem a ser Deus – a leitura da Bíblia 1ª Região Eclesiástica
inserido/a dentro de um contex- Devem ser vistos também etica- de fato uma “evangelização éti- deve nos levar à experiência
to ecológico no sentido de que mente como causa a ser supera- ca”? É aquilo que se convencio- pessoal com Deus, ao mes- REFERÊNCIAS
sua espécie não é apenas a que da, como situação de agressão à nou chamar de “evangelização mo tempo em que a experi- 1 RUBIO, Alfonso García. Unidade na Plu-
maior dano causa ao meio am- vida coletiva, à “fauna” huma- integral”, ou seja, “permanente ência de fé leva o/a crente a ralidade. São Paulo, Paulinas, 1989, p. 461.
biente, mas também a que mais na, ao meio ambiente. compromisso com o bem-estar outra leitura das Escrituras. 2 Cânones da Igreja Metodista.
MISSÃO 13
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

Igreja Metodista em
João Pessoa realiza Diadema adota
marcha pelo fim da ação de hortas
violência contra a mulher comunitárias
da UMESP
A Igreja Metodista de João
Pessoa e de Cabedelo, na

U
Paraíba, promoveram,
no dia 8 de março, em alusão ao ma das principais de Extensão e Ações Comuni-
Dia Internacional da Mulher, a ações do Projeto tárias, professora Alessandra
IV Marcha Pelo Fim da Violên- Rondon-Metodista Zambone, e o responsável pelo
cia Contra a Mulher. O evento acaba de ganhar vida pró- Instituto Projeto Rondon-SP
teve a concentração inicial no pria. As hortas comunitá- na Metodista, professor Ismael
Ponto de Cem Réis, no Centro rias foram incorporadas Valentim.
da Capital, a partir das 15h30. para reforçar iniciativas se- Segundo a Prefeitura de Dia-
De lá, mulheres e homens saí- melhantes da Prefeitura de dema, as hortas comunitárias
ram em caminhada até a Lagoa Diadema, no Grande ABC, tiveram início em 2003. A ci-
do Parque Solon de Lucena. e podem ser a ponta de lan- dade conta com 68 instalações
“Essa mobilização é para mu- ça para outras atividades entre comunitárias, escolares,
lheres, mas homens e juventude envolvendo o município, ocupacionais e institucionais.
também saem às ruas, denun- além de professores/as e Em ao menos 10 há venda de
ciando todo tipo de agressão alunos/as da Universidade verduras, temperos e hortali-
contra a mulher, pois entende- Metodista de São Paulo. ças. São 443 agricultores/as ca-
mos que a Igreja tem a missão Mulheres saem às ruas em João Pessoa dizendo não à violência contra as mulheres. Quatro secretarias de pacitados/as pela Secretaria de
de combater a violência e aco- Diadema – Educação, Saú- Segurança Alimentar e 1.074
lher as vítimas”, disse a Pastora em João Pessoa promove ações da nossa igreja. Ao longo des- de, Planejamento Econô- pessoas beneficiadas tanto pelo
Thaiana Assis, uma das organi- de conscientização, utilizando sa semana, divulgamos um ví- mico e Assistência Social e consumo dos produtos da horta
zadoras do evento. as redes sociais Facebook e Ins- deo por dia. Um esforço para a Cidadania – deram o ponta- como pela venda.
tagram. A campanha “Nós Voz conscientização da sociedade e pé inicial na parceria com a Vários/as integrantes da Pre-
Mobilização Elas”, que conta casos reais de convite a se engajar na luta pelo UMESP, acertada em 14 de feitura de Diadema estiveram
Além da Marcha que aconte- violência sofrida por várias mu- fim da violência contra a mu- março por meio do Centro no ato de oficialização da par-
ce no dia 8, durante todo o mês lheres, é uma delas. “Os textos lher”, afirmou a Pastora Thaia- de Sustentabilidade e da Di- ceria, entre eles/as, pedagogos/
de março, a Igreja Metodista foram interpretados por irmãs na Assis. retoria de Extensão e Ações as, coordenadores/as de saúde
Comunitárias da universi- mental e agentes ambientais,
dade (foto). tendo à frente lideranças das
Além de expandir a im- secretarias municipais de Assis-
plantação de hortas comu- tência Social, Saúde e Educação,
nitárias pelo município a respectivamente Caroline Mi-
partir das escolas, a parce- chels, Denise Oliveira e Luciene
ria prevê contribuir com a Figueiredo.
criação de compostagem “Estamos muito satisfeitos/as
nos estabelecimentos de en- porque as ações da Metodista
sino, desenvolver hortas-te- coincidem com a disposição da
rapia e medicinais, oferecer cidade de Diadema de transfor-
oficinas para cozinheiros/ mar realidades sociais”, afir-
as e professores/as sobre mou a professora do curso de
alimentação saudável, bem Engenharia Ambiental e Sani-
como implementar educa- tária e coordenadora do projeto
ção ambiental entre agentes de extensão Horta Comunitá-
públicos e promover inclu- ria: Novos Caminhos e Saberes,
são social de moradores/as Tassiane Pinato. Segundo en-
locais. Serão mobilizados fatizou a professora Tassiane,
os projetos de extensão o conceito de educação para a
envolvendo docentes e alu- sustentabilidade busca contri-
nos/as dos cursos de Enge- buir não apenas para o desen-
nharia Ambiental, Peda- volvimento socioeconômico,
gogia, Recursos Humanos, mas auxiliar comunidades que
Marketing, Comunicação, vivem em condições de vulne-
Logística e Qualidade. As rabilidade.
ações envolverão estagiá- Também participaram do en-
rios/as e professores/as para contro o professor Carlos Santi,
as mentorias. diretor do campus Vergueiro e
da Escola de Engenharias e TI,
Conhecimento para e as professoras Márcia Sartori,
© ARQUIVO: CCMW

a comunidade Valéria Calipo, Karin Muller e


“O papel da universida- Luciane Duarte, que se encar-
de é colocar seus múltiplos regarão das oficinas de trei-
conhecimentos a serviço da namento dos/as estagiários/as
Nós do Centro Cultural Martha Watts #CCMW fazemos parte da campanha quinta-feira de preto, um protesto comunidade. Vamos dis- para o projeto.
silencioso que tem como objetivo conscientizar para o fim da violência contra a mulher. Convidamos todos/as a ponibilizar todos os nossos
participarem, mostrando apoio nas redes sociais! instrumentos para a par- /// Com informações www.metodista.br.
ceria”, disseram a diretora
14 MÍDIA
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

W W W. E X POSI TORC R ISTAO.COM . BR PROJETO:


VENEZUELANOS/AS

GIRO DE
EM DOURADOS/MS
O QUE FOI
Expositor
No início de janeiro de 2019, as
DESTAQUE

NOTÍCIAS
igrejas metodistas em Dourados
NO PORTAL
EXPOSITOR
CRISTÃO
Cristão (Central e Cabeceira Alegre) re-
ceberam um apelo do Cel. Sou-
za Holanda, de Roraima, através
do Pastor Paulo Pontes, pedindo
que as igrejas locais dessem su-
MÊS DA porte aos/às venezuelanos/as
que chegariam a Dourados/MS.
JUVENTUDE A partir de então, passamos a
Jovens metodistas de todo o fazer parte de uma força-tarefa
país mobilizaram-se na 9ª edição composta pelo Exército, Mór-
da Campanha da Juventude mons, Igrejas Metodistas, uma
Metodista, que acontece tradi- empresa da cidade e Igreja Ca-
cionalmente no mês de março tólica. No início de fevereiro,
com diversas ações em todo o 100 venezuelanos/as chegaram
Brasil. Este ano o tema “Edificar, a Dourados, já que a cidade faz
parte do Circuito de Interioriza-

© DIVULGAÇÃO
Cuidar e Amar” conduziu as
celebrações. ção. Dentre os/as que chegaram
primeiramente, a Igreja Meto-
dista Central está responsável
diretamente por nove pessoas,
RÁPIDAS dando suporte total através de
Áureo e Luzia, responsáveis pelo
Ponto Missionário da Vila Seac,
DIA DA ÁGUA: No conteúdo da liturgia dispo-
© MRJN PHOTOGRAPHY

© SID HASTINGS / ASSOCIATED PRESS


nibilizada para o dia 22 de março, a missionária onde fica a atual residência dos/
metodista Simei Monteiro, a pedido do Departa- as nove venezuelanos/as. Eles/as
mento Nacional de Escola Dominical, organizou têm recebido acompanhamento
uma série de cânticos com temas ligados à água psicológico dado voluntariamen-
© RODRIGO DE BRITOS

e à natureza. Faça download da música e das te pelo psicólogo Carlos Martins,


partituras no site. membro da igreja. Os/as outros/
as estão sob responsabilidade de
INTERNACIONAL: A Igreja Metodista brasi-
outras igrejas. Todos/as já estão
leira mobilizou igrejas de todo o país através de IGREJA vindo com emprego garantido
© DIVULGAÇÃO

ELAS CUIDAM
suas redes socias para intercederem por amigos/
as e familiares das vítimas do desabamento
METODISTA em uma empresa da cidade.
No ano em que a Igreja Me- de uma escola na Nigéria e da queda do avião UNIDA Atualmente mais 130 chega-
todista brasileira prega com da Ethiopian Airlines, que ceifou a vida de 157 Aconteceu em St. Louis, no ram a Dourados acolhidos/as
ênfase o cuidado com o Meio pessoas ao cair na região de Addis Abeba, na Etiópia, incluindo a Missouri (EUA), a Conferência
do Rev. Norman Tendis, que lutava pela justiça social e ambiental
por essa força-tarefa que hoje
Ambiente, a Bispa Marisa Especial da Igreja Metodista
no Conselho Mundial de Igrejas (CMI). já conta com o apoio de outras
de Freitas Ferreira e a Bispa Unida para discutir questões da
igrejas e do CONPED (Conse-
Hideide Brito Torres trouxeram sexualidade humana. O Plano
reflexões sobre algumas das ALAGAMENTOS: A Igreja Metodista de Tradicional, que defende reforçar lho de Pastores Evangélicos de
mulheres que tiveram suas Rudge Ramos mobilizou uma série de ações as proibições relacionadas à no- Dourados). Tivemos a oferta de
© DIVULGAÇÃO

histórias registradas nas Escri- para atender vítimas dos alagamentos em São meação de clérigos homossexuais nove bicicletas novas doadas
turas, ao tomarem uma atitude Bernardo do Campo/SP, um dos pontos mais autodeclarados e casamentos pela Igreja Metodista nos Esta-
de cuidado junto com outras atingidos pelas chuvas ocorridas no início de entre pessoas do mesmo sexo, foi dos Unidos, do Pastor Juarez e
mulheres. março em São Paulo. Além de arrecadar doa- aprovado. Pastora Clauri. Com a doação,
ções, voluntários/as da igreja limparam casas atingidas e prepara-
ram refeições para desabrigados/as. um trajeto que eles/as faziam em
cerca de duas horas agora fazem
em aproximadamente 20 minu-
Sou portadora de depressão de causa endógena, tratada por psiquiatra e tos com as bicicletas.
psicóloga, oro para que mais pessoas encontrem a saúde que tenho encontrado
As igrejas Metodistas de Dou-
BISPA MARISA DE FREITAS FERREIRA
rados continuam dando supor-
te aos/às venezuelanos/as que
MAIS LIDAS AS MATÉRIAS MAIS ACESSADAS NO PORTAL EXPOSITOR CRISTÃO chegaram em conjunto com essa
EXPOSITOR CRISTÃO, ELEITO O MELHOR JORNAL CRISTÃO DO BRASIL E PREMIADO NA FLIC 2017 abençoada força-tarefa. Domin-
go, dia 24 de março, tivemos
DONA EC DE
um almoço de confraternização,
momento em que foram entre-
ANTONIA MARÇO
Jornal Oficial da Igreja Metodista
Março de 2019 | ano 133 | nº 3
Distribuição Gratuita

gues as nove bicicletas e tam-


Metodista de 82 anos bém nove Bíblias doadas pelo
Leia a cobertura
faz cobertores e sabão irmão Eduardo. Foi um tempo de
sobre a missão de
para pessoas que moram comunhão e de acolhimento aos/
metodistas diante do
na rua. Conheça a às venezuelanos/às. É a igreja no
desastre da Vale em
história da dona Antonia
Brumadinho/MG. cumprimento da missão.

TRAGÉDIA
© ARQUIVO PESSOAL

Ildoraina de Oliveira.
© DIVULGAÇÃO

/// Pastor Agmar Gonçalves


DA VALE
Metodistas continuam a missão em Brumadinho
Venâncio
Pastor local da Igreja Metodista
Página 8 em Dourados (MS)
EPISCOPAL IGREJA E SOCIEDADE
Bispos e Bispas reafirmam Metodista de 82 anos faz
princípios diante da violência sabão e cobertores para
na sociedade. Página 3 moradores de rua. Página 11

MISSÃO: Jovens firmam parceria missionária com a juventude metodista no Chile. Página 7
CRIANÇA 15
Abril de 2019 | www.expositorcristao.com.br

O cuidado da comunidade
com a liderança pastoral

© WEEKEND IMAGES INC / ISTOCKPHOTO.COM


M uitos pastores e pastoras
com dores na alma e no
corpo tentam esconder seus
sentimentos, problemas ministeriais
e familiares, por medo da reação de
bilhetinho, está ensinando a criança
o zelo para com seu pastor/a. Essas
são atitudes simples que dizem mui-
to. Palavras como “conte comigo”,
“posso te ajudar?”, um elogio, uma
seus/as líderes, até que seu corpo gri- boa conversa sem nenhum tipo de
ta, refletindo em dor física o que es- cobrança fazem toda a diferença.
tava armazenado em suas emoções. Como uma palavra de incentivo
Precisamos, como Igreja, ser uma co- pode ajudar! Lembro-me de uma
munidade terapêutica, onde cuidamos senhora idosa dizer a seu pastor que
uns/as dos/as outros/as com amor, mi- ele estava com semblante cansado e
sericórdia e graça. Lembrando que pas- com olheiras e  queria oferecer-lhe
tores e pastoras são líderes humanos/as, seu sítio para ele descansar uns dias
que cuidam de outros/as humanos/as. com a família, porque ele precisava
Sabe-se que a criança observa e se cuidar.
aprende com o exemplo dos/as adul- A criança que cresce vendo essas
tos/as. Dessa forma, ao falarem bem atitudes de amor e cuidado para com
do/a seu/a pastor/a, mesmo perce- seu/a pastor/a terá uma visão diferen-
bendo algumas dificuldades, os pais ciada quando crescer e, quem sabe, se
estão ensinando a criança a fazer o tornará um/a líder. Ela terá atitudes de
mesmo. Quem compreende a huma- valorização em relação a seu/a pastor/a.
nidade desse ser humano, que exerce Pais e/ou responsáveis pelas nossas
o trabalho de pastoreio, e demonstra crianças, vamos ensiná-las através
seu amor e aceitação com abraços, do exemplo o cuidado para com nos-
com palavra de consolo e carinho, e sos pastores e pastoras?
até mesmo com aquele bolo que sabe
que o/a pastor/a gosta, junto com um /// Equipe DNTC