Você está na página 1de 3

XIII JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX 2013 – UFRPE: Recife, 09 a 13 de dezembro.

PROCESSO SOCIOEDUCATIVO DOS USUÁRIOS DO HOSPITAL


VETERINÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO
SOBRE A IMPORTÂNCIA DA CASTRAÇÃO COMO MELHOR MÉTODO
CONTRACEPTIVO E PROFILÁTICO CONTRA DOENÇAS OCASIONADAS
PELA SUPERPOPULAÇÃO DE CÃES E GATOS

Joana Amélia de Senna Costa1, Fernando Leandro dos Santos2, Lúcia Virgínia Barbosa3 Flávia Kelly Araújo Magalhães4
Jéssica Yasminne Bernardo de Lima5 Arthur Carvalho de Moura6.

Introdução
O êxodo rural e o aumento exagerado das populações tem gerado um crescimento descontrolado das áreas urbanas,
modificando-as a tal ponto de criar condições ecológicas favoráveis para a sobrevivência de espécies animais
domesticas e sinantrópicas (LARRIEU et al, 1990).Em vários países, como no caso de Brasil, a questão do sofrimento
de cães devido ao desconhecimento ou à inobservância da guarda responsável torna-se central, pelo número de animais
envolvidos. A estratégia de captura e extermínio como método de controle populacional de cães significou décadas de
sofrimento adicional para cães de rua e semi-domiciliados. Recentemente, a Organização Mundial da Saúde emitiu
relatório sobre os métodos de controle populacional de cães, no qual declara ineficiente a captura e extermínio (WHO,
2005), sendo que o controle reprodutivo mais recomendado é a esterilização em larga escala, obtida por meio de
cirurgias de castração (HOWE, 2006; OLSON et al, 2000), evitando também os riscos de doenças que ocorrem com o
uso de fármacos anticoncepcionais (SOARES & SILVA, 1998).

A superpopulação de cães e gatos é um problema mundial que gera sérios transtornos para os habitantes dos locais
onde ele não é enfrentado de maneira efetiva (NASSAR & FLUKE,1991). Entre os agravos provocados pela falta de um
manejo adequado desses animais estão sérias doenças que podem ser transmitidas ao homem como a raiva, a
leishmaniose e a toxoplasmose, a proliferação de parasitas como pulgas, carrapatos e sarna e outras perturbações
(WHO, 1990). A raiva é uma importante zoonose, sendo o cão o transmissor mais representativo, estudos realizados por
KREBS et al. (2001), mostrou que houve significativa diminuição da raiva nos EUA, quando a população canina esteve
controlada.

A esterilização cirúrgica de cães e gatos é um dos procedimentos mais comumente realizado na prática veterinária e
é feito como um método de contracepção para atuar no problema da superpopulação animal, bem como na prevenção
das doenças relacionadas com o sistema reprodutor (HOWE, 2006; BOJRAB, 1996), seu procedimento consiste na
remoção das gônadas de alguns órgãos reprodutivos do paciente. No caso das fêmeas, normalmente se realiza ovário-
salpingo-histerectomia (OSH- remoção dos ovários, tubas uterinas e útero) e nos machos orquiectomia (remoção dos
testículos e parte do cordão espermático) (TUDURY & POTIER, 2006) Esse procedimento é recomendado ainda para
evitar o sofrimento dos animais, como desnutrição e maus tratos consequência da superpopulação existente, e a
propagação de zoonoses (REICHLER, 2009).

Objetivou-se a conscientização dos tutores usuários do Hospital Veterinário/UFRPE, através de uma investigação a
cerca da importância da castração como melhor método para controle populacional, citando os problemas causados pela
superpopulação, e as vantagens da castração na precaução de problemas de origem endócrina, como tumor de mama,
testicular e prostático. Além disso, fazer uma investigação a cerca do conhecimento dos tutores, realizando um
levantamento estatístico dos que optaram pela castração após o processo socioeducativo e coletar dados através de
investigação realizada, para estudo e documentação cientifica. Informa-los a cerca dos métodos de castração e orientá-
los sobre os cuidados que se deve ter com o animal castrado. Confecção de folders educativos com linguagem simples,
abordando o tema, para uma fácil assimilação do conteúdo apresentado.

1
Primeiro Autor é Discente da Graduação do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural
de Pernambuco. R. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP: 52171-900, email: joana.amelia29@gmail.com.
2
Segundo Autor é Professor Doutor Associado do Departamento de Medicina Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade
Federal Rural de Pernambuco. R. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP: 52171-900.
3
Terceiro Autor é Médica Veterinária do Hospital Veterinário da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Departamento de Medicina
Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, R. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP: 52171-900.
4
Quarto Autor é Discente da Graduação do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural
de Pernambuco. R. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP: 52171-900.
5
Quinto Autor é Discente da Graduação do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural
de Pernambuco. R. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP: 52171-900.
6
Sexto Autor é Discente da Graduação do Curso de Medicina Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de
Pernambuco. R. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP: 52171-900.
XIII JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX 2013 – UFRPE: Recife, 09 a 13 de dezembro.

Material e métodos

No Hospital Veterinário da UFRPE, os tutores usuários foram conscientizados do esclarecimento, da troca de


informações e com a entrega de folders sobre o assunto-tema do projeto.

Realizou-se uma investigação e conscientização com os tutores dos animais, sobre o conhecimento a respeito da
castração e suas vantagens, as consequências de uma população indesejada de filhotes, e conceitos equivocados
influenciam diretamente na escolha da castração.

Além disso foi realizado o acompanhamento clinico dos animais no qual os tutores decidiram optar pela castração
após a conscientização.

Resultados e Discussão

Observou-se no Hospital Veterinário da UFRPE uma grande quantidade de tutores que possuem animais que
procriam de forma descontrolada, têm comportamentos sexuais abusivos e que são territorialistas, demarcando e
disputando seus territórios, esses animais são alvos de queixas de seus tutores, porém, os mesmos não possuem
informações adequadas de como agir, utilizando métodos empíricos para controlar seus animais e fármacos, não
indicados, para o controle do cio, desenvolvendo patologias que podem ser letais aos animais. Esses tutores possuem
muito preconceito a cerca da castração, sendo muitas vezes intolerantes quando se trata deste assunto.

Pode-se constatar também o grande número de animais abandonados no campus e no Hospital Veterinário da
UFRPE, reflexo de um aumento desenfreado na população de cães e gatos, que agravam a proliferação de zoonoses,
parasitos e outras perturbações, essas mazelas poderiam ser evitadas se houvesse uma conscientização coletiva sobre a
importância da castração no controle populacional desses animais.

Sendo assim, o projeto buscou fornecer ações que visassem a conscientização dos tutores usuários do Hospital
Veterinário/UFRPE com relação à castração, suas vantagens e a importância dela no controle populacional de animais,
desmistificando alguns preconceitos e orientando sobre os cuidados que deve-se tomar com essa alternativa.

Referências
BOJRAB, M.J.: cap 31 orquiectomia de testículos descidos e retidos no cão e no gato, in: CRANE, S.W. Técnicas
atuais em cirurgia de pequenos animais: 3.ed. ROCA,1996, Pag 391.
BORTOLOTI, R.; D’AGOSTINO, G. R. Ações pelo Controle Reprodutivo e Posse Responsável de Animais
Domésticos Interpretadas a Luz do Conceito de Metacontingencia. Revista Brasileira De Analise do Comportamento,
2007. vol. 3, No. 1, p.17-28.
CARVALHO, M.P.P.; KOIVISTO, M.B.; PERRI, S.H.V.; SAMPAIO, T.S.M.C. Estudo Retrospectivo da Esterilização
em Cães e Gatos no Município de Araçatuba. Revista Ciência em Extensão, v.3, n.2, 2007, p.81-94.
FOSSUM, T. W. Cirurgia dos sistemas reprodutivos e genital. Cirurgia de pequenos animais. Mosby Elsevier, 2008. 3º
ed, pp. 702-774.
GREIF, S.; THALES, E.T. A Verdadeira Face da Experimentação Animal: 2º Edição, Rio de Janeiro, 2000, p. 147
HOWE, L. M. Surgical methods of contraception and sterilization. Theriogenology, 66. 2006, p.500-509.
LARRIEU, E.; ALVARES, T.; CAVAGION, L. Aporte al estúdio de La dinâmica de las poblaciones caninas.
Veterinaria Argentina, v.7, n.64, p.242-247,1990.
NASSAR, R.; FLUKE, J. Pet population dynamics and community planning for animal welfare and animal control.
Journal of American Veterinary Medicine Association, 1991. 198 (7), p.1160-1164.
OLSON, P. N., KUSTRIZ, M. V.R.; JOHNSTON, S. D. Early-age neutering of dogs and cats in the United States (A
review). Journal of Reproduction and Fertility, 2000. 57, p.223-232.
OPAS. Organização Panamericana de Saúde. Atenção Primária Ambiental. Informe Técnico OPS/BRA/HEP/001/1999.
Recuperado em 05/01/2008 de: http:// w w w . o p a s . o r g . b r / a m b e n t e /temas.cfm?id=52&area=Conceito>
REICHMANN, M. L. A. B. controle de populações animais de estimação. Manual técnico do instituto Pasteur, são
Paulo: n.6,44 p.200
ROMAGNOLI, S. Surgical Gonadectomy in the bitch & queen: should it be done and at what age? Paper presented at
the southern European Veterinary Conference & Congresso Nacional AVEPA, Barcelona, Spain. 2008.
XIII JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX 2013 – UFRPE: Recife, 09 a 13 de dezembro.

SHERDING, R.G.; BICHARD, M.A. cap. 106, in: SODERBERG, S.F Clinica de pequenos animais. 2ed. ROCA,
p.1097, 2003.
SOARES J.A.G.; SILVA, P.A.R. Castração precoce em cães e gatos. Clinica veterinária, 1998,.São Paulo, n.13, p.34-
40.
TUDURY, E.A.; POTIER, G.M.A. Cirurgias gerais e especiais. In: ARAUJO, F.P.; GONÇALVES,
L.P.;TUDURY,E.A.; POTIER, G.M.A. Tratado de técnica cirúrgica veterinária: 1. Ed.: MedVet, 2009, p.287.
World Health Organization Expert Consultation on Rabies. WHO Technical Report Series, 931, First Report. 2005.
Genebra.

Figura 1. Animal acompanhado na consulta clínica depois da conscientização dos tutores sendo encaminhado para
castração no Hospital Veterinário da UFRPE .

Figura 2. Investigação realizada com tutores e entrega de folders educativos.

Gráfico 1. Levantamento estatístico acerca da investigação realizada com os tutores do Hospital Veterinário da
UFRPE.

Você também pode gostar