Você está na página 1de 40

Faculdade de Viçosa - FDV

Engenharia Ambiental

Biodegradação do Petróleo

DEA 230 – Microbiologia e Bioquímica Aplicadas


Professora: Narah Vitarelli
O que é Petróleo?

• Petróleo (do latim petroleum: petrus = pedra e oleum = óleo

• combinação complexa de hidrocarbonetos (carbono + hidrogênio),


composta na sua maioria de hidrocarbonetos alifáticos, alicíclicos e
aromáticos, podendo conter também quantidades pequenas de nitrogênio,
oxigênio, compostos de enxofre e íons metálicos

• É a principal fonte de energia utilizada pelo homem, porém


não é renovável
• derivados do petróleo: querosene, óleos combustíveis,
óleos lubrificantes, óleo diesel, combustível para avião,
parafina, ...
Petróleo - origem

Sedimentos do
carbonífero
Petróleo e Meio
Ambiente
• Um dos maiores desastres ecológicos mundiais

• Contaminação das águas

• Fauna marinha ameaçada

• Difícil degradação!!!
Desastre de 2010: plataforma Deepwater Horizon
(Golfo do México)

20 de abril: explosão da
25 de abril: imagem de satélite do
plataforma
derramamento de petróleo
Consequências do derramamento de petróleo:
Tentando amenizar o problema ...
Tentando amenizar o problema ...
A solução (se é que assim podemos dizer) mais
eficiente é ...

Biodegradação do Petróleo
Biodegradação do Petróleo

• Capacidade de certos microrganismos de utilizar hidrocarbonetos como


fonte de energia (fonte de carbono)

• Na déc. 60 ocorreram 3 incidentes ambientais com petróleo (naufrágio


do tanque Torrey Canyon; Santa Bárbara e Flórida) -> colocaram a
poluição ambiental por vazamento de petróleo no foco do mundo

• o petróleo pode ser eliminado do meio por evaporação, queima ou


biodegradação, porém outros compostos são recalcitrantes.

• a biodegradação completa do petróleo consiste na quebra dos


hidrocarbonetos tendo como produtos finais CO2 + H2O.
Hidrocarbonetos do petróleo N-alcanos Metano

BTEX: Benzeno, Tolueno, Etilbenzenos e Xilenos

HPAs: Hidrocarbonetos Policíclicos, Aromáticos

A maioria das moléculas


é composta por C e H,
podendo ocorrer S e N
Quais são os
microrganismos capazes de
degradar o petróleo?
• Há uma grande diversidade de microrganismos capazes de utilizar
hidrocarbonetos como fonte de energia (fonte de carbono)
• A maioria são mesofílicos. Porém alguns foram encontrados em
ambientes extremos (Ártico e Antártico), poucos em ecossistemas com
altas temperaturas (temperatura máxima de biodegradação 60°C, ex:
deserto do Kuwait)
• quem são: Maioria bactérias, porém fungos, cianobactérias, algas e
protozoários também são degradadores de hidrocarbonetos do petróleo

• a degradação de hidrocarbonetos -> CO2 envolve reação de oxidação,


portanto: ↑ microrganismos aeróbios (há lenta degradação anaeróbia)
• Atenção: os produtos parcialmente oxidados podem ser mais tóxicos do
que os hidrocarbonetos -> pode ocorrer aumento temporário da toxicidade
no processo de biodegradação
Biodegradação da fração saturada N-alcanos alcanos ramificados

Cicloalcanos (naftenos)

• n-alcanos são os mais facilmente degradados


(foi demonstrada biodegradação até n-C44)
• degradação: ataque terminal -> ác. Carboxílico -> β-oxidação ->
ác. graxos -> CO2
• ác. graxos tóxicos podem se acumular
• presença de grupo metil aumentam a resistência dos
hidrocarbonetos ao ataque microbiano

• os cicloalcanos são particularmente resistentes à biodegradação

• compostos alicíclicos são


mais persistentes na
natureza
•Estruturas com no máximo 6 anéis condensados podem ser
degradadas
HPAs: Hidrocarbonetos Policíclicos, Aromáticos
Biodegradação da fração aromática

• 1 a 3 anéis são degradados facilmente, há microrganismos


capazes de degradar até 5 anéis

• cianobactérias são capazes de oxidar o naftaleno em


presença de luz apenas
• importante em ecossistemas aquáticos (marinho ou doce)
já que o petróleo espalha-se superficialmente, porém...

• petróleo impede completamente a passagem de luz


Microrganismos degradadores de hidrocarbonetos

• microrganismos são capazes de metabolizar número


limitado de hidrocarbonetos -> é requerida uma mistura de
populações com capacidade enzimática ampliada para
degradação de complexos de hidrocarbonetos do petróleo
no solo, água doce e mar
Microrganismos degradadores de hidrocarbonetos

Ecossistemas:
22 bactérias
Aquático 1 alga
14 fungos

Capacidade de
22 bactérias degradação dos
Solo microrganismos
31 fungos
dependem das
condições ambientais

25 bactérias
Marinho
27 fungos

Espécies de protozoários podem transformar n-alcanos


Biodegradação no ambiente marinho
Principal componente dos derrames: óleo cru ou petróleo bruto
(carga principal de grandes cargueiros)

Após o derrame no mar: hidrocarbonetos começam a ser


transformados por fatores físicos, químicos e biológicos

Grau do dano ambiental depende: localização do derrame, tipo de


óleo e quantidade

Derrames catastróficos: ocorrem em regiões costeiras, afetando o


ecossistema marinho e litorâneo
1: óleo se espalha pela superfície da água

2: evaporação dos componentes voláteis

3: componentes solúveis em água se dissolvem no oceano

4: luz do sol pode oxidar moléculas, podendo até levar a uma


degradação completa liberando CO2 e H2O.
Derrames em regiões costeiras

• Poluição da região litorânea

• petróleo em contato com o sedimento: reações complexas ->


compostos aromáticos ficam mais protegidos, ↓ degradação
Ação de Surfactantes
• substância capaz de alterar as propriedades superficiais de um líquido

• Aplicações: detergência, emulsificação, capacidade espumante,


solubilização.
• Desempenham papel importante na remediação in situ: permitem maior
solubilização dos componentes do petróleo, aumentando a área de superfície e
consequentemente permitem maior contato dos microrganismos com o substrato

• Muitos microrganismos são produtores de surfactantes (biosurfactantes)


-> amplamente utilizados na limpeza de tanques-reservatórios de petróleo
Efeito dos fatores físicos e químicos na
biodegradação

Temperatura

• A biodegradação pode ocorrer numa faixa grande de 0° a 70°C

• Em baixa temperatura: ↑ vicosidade


↓ Degradação
↓ volatilização

↓ atividade
enzimática

• A biodegradação máxima de hidrocarbonetos de 30° a 40°C

• Porém varia com a composição do hidrocarboneto


Efeito dos fatores físicos e químicos na
biodegradação

Nutrientes
• Hidrocarbonetos são fonte de carbono para os
microrganismos
• Há necessidade de outros nutrientes como N e P em grande quantidade
e micronutrientes em menor quantidade (S, Fe, Mg, Ca e K)
• Nutrientes podem ser adicionados ao meio como forma de estimular a
biodegradação
Solo • ajuste no balanço C/N/P é feito pela adição de fertilizantes

Água • cuidados para não dissipar nutrientes na interface óleo-água:


1. encapsulamento do fertilizante em matriz com lenta liberação
2. Utilizar fertilizantes oleofílicos. Ex: uréia parafinada
Efeito dos fatores físicos e químicos na
biodegradação

pH
• solo: varia de 2,5 a 11

• a maioria das bactérias e fungos se desenvolvem melhor em pH neutro

• Com a correção do pH do solo pode-se obter o dobro da taxa de


biodegradação
Efeito do derrame na comunidade
microbiana
• a presença de hidrocarbonetos pode resultar num
aumento ou redução da população microbiana

• O efeito dependerá da composição química do óleo

• pode ocorrer: enriquecimento primário de


microrganismos que usam hidrocarbonetos ->
enriquecimento de microrganismos que usam os
produtos liberados pelos primeiros

• Pode haver redução de microrganismos em contato


com componentes tóxicos do petróleo (ex: tolueno e
fenol são usados como desinfetantes)

• alguns microrganismos têm comportamento neutro


Estratégias de Remediação

Ecossistemas Aquáticos
1. Coleta física do material
Estratégias de Remediação
Ecossistemas Aquáticos
2. Uso de dispersantes químicos + catalisadores de fotoxidação

Veja: “dispersores químicos são armas poderosas contra o vazamento de


petróleo”
Scientiphic America - Brasil: “dispersores químicos aumentam a toxicidade
Estratégias de Remediação
Ecossistemas Aquáticos
3. Barreiras Físicas + queima do óleo in situ
Estratégias de Biorremediação
Ecossistemas Aquáticos
4. Biorremediação

• Há diversas patentes e mais de 40 companhias oferecem produtos e


serviços de biorremediação

• O princípio é o mesmo: estimular a biorremediação via adição de


nutrientes (N e P)

• Outro método: introdução de microrganismos exógenos (isolados


naturalmente ou manipulados geneticamente)
4. Biorremediação – estudo de caso no Alaska em 1989

“A maré Negra do Exxon Valdez”


• O navio petroleiro Exxon Valdez despejou na costa do Alaska nada menos
que 257.000 a 750.000 barris
• 250.000 aves marinhas
• 2.800 lontras
• 250 águias
• 22 orcas
4. Biorremediação – estudo de caso no Alaska em 1989

Métodos de biorremediação usando adição de fertilizantes:

• fertilizante de liberação lenta

• fertilizante oleofílico Inipol EAP22 (microemulsão estável, consistindo


de matriz de uréia coberta por ác. Oléico)
• fertilizante solúvel
• 2-3 semana após aplicação dos fertilizantes observou-se maior
limpeza do ambiente
• O uso de fertilizantes acelerou o processo de limpeza
• fertilizantes estimularam de 3 a 4 vezes a biorremediação
4. Biorremediação – estudo de caso no Alaska em 1989

Métodos de biorremediação usando adição de microrganismos exógenos:

• linhagens microbianas, desenvolvidas por C. Oppenheimer,


foram utilizadas para a descontaminação em mar aberto
• Esses microrganismos utilizaram uma ampla variedade de
hidrocarbonetos em seu metabolismo
Estratégias de Biorremediação
Ecossistemas Terrestres
• Fonte de contaminação principal: fundo dos tanques-reservatórios e das
unidades de tratamento
• Nos EUA há 2 milhões de tanques subterrâneos para armazenamento de
gasolina e 90.000 deles oferecem risco

• Refinaria Gabriel Passos (Betim, MG): capacidade 150.000 barris/dia


Estratégias de Biorremediação
Ecossistemas Terrestres

• Refinaria Gabriel Passos (Betim, MG): estudo constatou contaminação do


solo, subsolo e lençol freático devido a falta de correta impermeabilização
dos tanques
Estratégias de Biorremediação
Ecossistemas Terrestres
Métodos de biorremediação:
1. Landfarming
• consiste na dispersão de resíduos do solo e utilização de
microrganismos na biorremediação
•Revolvimento do solo para que os contaminantes estejam em
contato com a “fase fértil” do solo (parte orgânica).
•Experimento mostrou maior eficiência em: umidade 30-90%; pH de
7,5-7,8; temperatura > 20°C.
2. Compostagem

•Adição de material orgânico -> estímulo desenvolvimento microbiano

•Materiais adicionados: palha, grama, folhas, bagaço de cana,


serragem, esterco.
Estratégias de Biorremediação
Ecossistemas Terrestres
Fitorremediação:

• Rizosfera estimulando o crescimento de microrganismos in situ

•Plantas resistentes à presença de óleos devem ser cultivadas nas


regiões poluídas
•A população microbiana presente é dependente do tipo de raiz,
idade da planta e tipo de solo
Como as plantas atuam?

• Absorção direta dos contaminantes do solo e acúmulo


•Liberação de exsudados e enzimas que estimulam a
atividade microbiana
•Aumento da mineralização na rizosfera
Obrigada

Você também pode gostar