Você está na página 1de 20

https://quizlet.

com/14761615/cisco-chapter-3-flash-cards/

https://quizlet.com/br/199767996/capitulo-3-flash-cards/

https://quizlet.com/297141003/cisco-netacad-chapter-3-quiz-flash-cards/

https://quizlet.com/119953917/cisco-chapter-3-exam-flash-cards/

Abra o Gabinete

Ao montar ou reparar um computador, é importante preparar o ambiente de trabalho antes de abrir o


gabinete. Você precisa de iluminação adequada, ventilação boa e temperatura ambiente confortável. A
bancada ou a mesa precisa ter acesso de todos os lados. Evite aglomerar a superfície da área de
trabalho com ferramentas e componentes do computador. Coloque um tapete antiestático sobre a mesa
para evitar danos de ESD (Electrostatic discharge, descarga eletrostática) nos equipamentos eletrônicos.
Uma dica útil é usar pequenos recipientes para guardar parafusos e outras peças assim que removê-los.

Os gabinetes de computador são fabricados em diversos formatos. Lembre-se de que os formatos


indicam o tamanho e a forma do gabinete. Há também diferentes modos de abrir gabinetes. Para saber
como abrir um determinado gabinete de computador, consulte o manual do usuário ou o site do
fabricante.

A maioria dos gabinetes de computador é aberta de uma das seguintes maneiras:

 A tampa do gabinete de computador é removida como uma única peça.

 Os painéis superior e laterais do gabinete são removidos.

 A parte superior do gabinete é removida antes da remoção dos painéis laterais.

 Um lacre é retirado para soltar o painel lateral e abri-lo.

A figura exibe um gabinete de computador ATX novo e vazio. O gabinete, ou chassi, é uma estrutura
vazia com uma ou mais ventoinhas instaladas, cabos para conectar ventoinhas, botões e indicadores de
LED no painel frontal e conexões USB, de áudio, entre outra

Instale a Fonte de Alimentação

Talvez um técnico seja necessário para substituir ou instalar uma fonte de alimentação, como a mostrada
na Figura 1. Há apenas uma forma de encaixar a maioria das fontes de alimentação no gabinete de
computador. Sempre siga as orientações de instalação da fonte de alimentação nos manuais do gabinete
e da fonte de alimentação.

Estas são as etapas básicas para instalar uma fonte de alimentação:

Etapa 1. Insira a fonte de alimentação no gabinete.

Etapa 2. Alinhe os furos da fonte de alimentação com os do gabinete.

Etapa 3. Fixe a fonte de alimentação ao gabinete utilizando os parafusos adequados.

Dica de instalação: aperte totalmente os parafusos somente após todos eles terem sido levemente
apertados à mão. Assim ficará mais fácil apertar os últimos dois parafusos.

As fontes de alimentação possuem ventoinhas que podem vibrar e soltar os parafusos que não estiverem
apertados corretamente. Ao instalar uma fonte de alimentação, certifique-se de que todos os parafusos
estejam no lugar e apertados corretamente.
Coloque os cabos não usados em um local do gabinete que não interfira em outros componentes ou
ventoinhas. Use braçadeiras de cabos, elásticos ou cintas de velcro para agrupar os cabos elétricos e
mantê-los fora do caminho. Para ajudar a eliminar a aglomeração de cabos no gabinete, algumas fontes
de alimentação são modulares. Isso significa que somente os cabos necessários são conectados à fonte
de alimentação. Quando outros componentes forem instalados no futuro, cabos elétricos adicionais serão
instalados de acordo com a necessidade. A Figura 2 mostra alguns cabos de uma fonte de alimentação
modular.

Dica de instalação: use uma braçadeira de cabos para prender todos os cabos e deixá-los fora do
caminho até o momento de conectá-los.

Instale a CPU e o Dissipador de Calor com Ventoinha

A CPU e o dissipador de calor com ventoinha devem ser instalados na placa-mãe antes de ela ser
colocada no gabinete do computador. Dessa forma, você consegue enxergar e manusear melhor os
componentes durante a instalação.

Antes de instalar a CPU em uma placa-mãe, verifique se a placa-mãe é compatível com o soquete da
CPU, conforme mostrado na Figura 1. As placas-mãe foram desenvolvidas para funcionarem com
determinados tipos de CPU, e nem todas as CPUs usam o mesmo soquete da placa mãe. A tabela da
Figura 2 descreve os tipos de soquete comuns e as notas de instalação.

Nota: SEC e LIF são as antigas conexões de soquete.

A CPU e a placa-mãe são altamente suscetíveis à ESD. A ESD pode danificar facilmente esses
componentes se eles não forem manuseados corretamente. Portanto, sempre os coloque sobre um tapete
antiestático e use uma pulseira antiestática (ou luvas antiestáticas) ao instalar e remover CPUs.

CUIDADO: ao manusear a CPU, nunca toque nos contatos dela. Coloque a CPU sobre um tapete
antiestático até que você esteja pronto para usá-la. Armazene as CPUs em embalagens antiestáticas.

Para instalar a CPU e o dissipador de calor com ventoinha em uma placa-mãe, siga estas etapas:

Etapa 1. Alinhe o pino 1 da CPU com o pino 1 do soquete, conforme mostrado na Figura 3. Procure um
ponto na CPU e um triângulo no soquete para localizar o pino 1. Verifique a CPU e a documentação da
placa-mãe para garantir o alinhamento. Coloque a CPU no soquete com delicadeza. Nunca force a CPU
no soquete, pois a força excessiva pode facilmente danificar a CPU e o soquete. Interrompa a ação se
você encontrar qualquer resistência e verifique se alinhou a CPU de forma correta.

Etapa 2. A CPU é presa ao soquete da placa-mãe por uma trava. Feche a trava da CPU, conforme
mostrado na Figura 4.

Etapa 3. Mantenha a trava presa, fechando a alavanca, conforme mostrado na Figura 5.

Etapa 4. Prenda a alavanca embaixo da guia de retenção, conforme mostrado na Figura 6.

Etapa 5. Aplique a pasta térmica à CPU, conforme mostrado na Figura 7. A pasta térmica ajuda a
conduzir o calor para fora da CPU. Na maioria dos casos, é necessária somente uma quantidade bem
pequena de pasta térmica. A pasta térmica se espalha uniformemente de acordo com o peso e a pressão
do dissipador de calor com ventoinha. Siga as instruções de aplicação disponibilizadas pelo fabricante da
pasta térmica.

Etapa 6. Alinhe as travas do dissipador de calor com ventoinha aos furos da placa-mãe e coloque o
conjunto no soquete da CPU, conforme mostrado na Figura 8. Evite apertar os cabos da ventoinha da
CPU.

Etapa 7. Fixe as travas de montagem, a fim de evitar movimentos. Siga atentamente as instruções do
fabricante do dissipador de calor com ventoinha.

Se você estiver instalando uma CPU usada, limpe o topo da CPU e a base do dissipador de calor com
álcool isopropílico e um pano que não solte fiapos. Essa limpeza remove a pasta térmica antiga e os
contaminantes. Qualquer contaminante que ficar entre a CPU e o dissipador de calor reduzirá a
capacidade da pasta térmica de absorver o calor da CPU. Siga as recomendações de aplicação da pasta
térmica do fabricante.

Dica de instalação: um coador de café de papel funciona bem como um pano que não solta fiapos.

Nota: Sempre siga as instruções disponibilizadas com a placa-mãe durante a instalação da CPU.
Clique aqui para obter um manual de exemplo.

Instale a Memória RAM

A memória RAM proporciona armazenamento de dados rápido e temporário para a CPU durante o
funcionamento do computador. A memória RAM é volátil. Isso significa que ela perde seu conteúdo
sempre que o computador é desligado.

Ela pode ser instalada na placa-mãe antes de a placa-mãe ser instalada no gabinete de computador.
Antes da instalação, consulte a documentação da placa-mãe ou o site do fabricante para verificar se a
memória RAM é compatível com a placa-mãe.

Assim como a CPU, a memória RAM é altamente suscetível à ESD. Portanto, sempre trabalhe sobre um
tapete antiestático e use uma pulseira ou luvas antiestáticas ao instalar e remover a memória RAM.

Para instalar a memória RAM na placa-mãe, siga estas etapas:

Etapa 1. (Figura 1) Abra as travas no slot DIMM.

Etapa 2. (Figura 2) Alinhe os sulcos do módulo da RAM às guias do slot e pressione firmemente para
baixo.

Etapa 3. (Figura 3) As travas devem fazer um clique ao encaixarem.

CUIDADO: ao ligar o computador, a memória RAM poderá ser danificada e também causar danos graves
à placa-mãe caso seja alinhada de forma incorreta.

Etapa 4. Verifique se cada módulo de memória foi inserido completamente no soquete e se as travas
fixaram o módulo de RAM.

Etapa 5. Verifique visualmente se há contatos expostos.

Dica de instalação: quando um módulo de RAM for pressionado corretamente no slot, você ouvirá um
clique e perceberá que a trava se encaixará.

Instale a Placa-Mãe

Agora a placa-mãe está pronta para ser instalada no gabinete do computador.

Para instalar a placa-mãe, siga estas etapas:

Etapa 1. Selecione os espaçadores de placa-mãe adequados para o gabinete. O PCB (printed circuit
board, circuito impresso) da placa-mãe não pode tocar nas partes de metal do gabinete do computador.
Portanto, é preciso montar a placa-mãe no gabinete usando espaçadores especiais de metal ou plástico,
como os mostrados na Figura 1.

Etapa 2. Instale os espaçadores no gabinete do computador no mesmo lugar dos furos de montagem na
placa-mãe. Instale somente os espaçadores que se alinharem aos furos da placa-mãe, conforme
mostrado na Figura 2, referente a uma placa-mãe ATX. A instalação de espaçadores adicionais pode
impedir que a placa-mãe seja encaixada corretamente no gabinete do computador ou pode causar danos.

Etapa 3. Instale a chapa dos conectores de E/S na parte de trás do gabinete do computador, conforme
mostrado na Figura 3. A chapa de E/S apresenta recortes que se ajustam ao layout dos conectores da
placa-mãe.
Etapa 4. Alinhe os conectores de E/S que estão na parte de trás da placa-mãe às aberturas da chapa de
E/S.

Etapa 5. Alinhe os furos de parafuso da placa-mãe com os espaçadores.

Etapa 6. Insira todos os parafusos da placa-mãe e aperte-os usando as mãos antes de apertá-los com
uma chave de fenda. Não aperte os parafusos excessivamente.

Dicas de instalação: pressione a placa-mãe contra a placa do conector de E/S para alinhar os furos de
montagem com os espaçadores e colocar o primeiro parafuso. Além disso, é útil usar o recuperador de
peças para colocar os parafusos nos furos de montagem e apertá-los com as mãos.

Instale o Disco Rígido

Um gabinete de computador comporta as unidades em baias. A tabela da Figura 1 descreve os três tipos
mais comuns de baias.

Para instalar um disco rígido, localize uma baia de disco rígido vazia no gabinete que acomodará a
largura total da unidade. Muitas vezes, as unidades menores podem ser instaladas em baias mais largas
usando bandejas ou adaptadores especiais.

Para instalar um disco rígido de 8,9 cm (3,5 pol.) em um compartimento do mesmo tamanho, siga estas
etapas:

Etapa 1. Posicione o disco rígido de forma que ele se alinhe à abertura da baia.

Etapa 2. Insira o disco rígido na baia para que os furos para parafusos da unidade se alinhem aos do
gabinete, conforme mostrado na Figura 2.

Etapa 3. Prenda o disco rígido no gabinete usando os parafusos adequados, conforme mostrado na
Figura 3.

Ao instalar diversas unidades em um gabinete, é recomendável manter algum espaço entre as unidades
para o ar circular e melhorar o resfriamento. Além disso, monte a unidade com a superfície de metal
voltada para cima. A superfície de metal ajuda a dissipar o calor do disco rígido.

Dica para instalação: Aperte todos os parafusos com as mãos antes de apertá-los com a chave de
fenda. Assim ficará mais fácil apertar os últimos dois parafusos.

Instale a Unidade Óptica

As unidades ópticas são instaladas em baias de 13,34 cm (5,25 pol.), que podem ser acessadas pela
parte frontal do gabinete. As baias permitem o acesso às mídias sem que seja preciso abrir o gabinete.

Para instalar a unidade óptica, siga estas etapas:

Etapa 1. Posicione a unidade óptica de forma que ela se alinhe com a abertura da baia de 13,34 cm (5,25
pol.), na parte frontal do gabinete, conforme mostrado na figura.

Etapa 2. Insira a unidade óptica na baia de forma que os furos para parafusos dela se alinhem com os do
gabinete.

Etapa 3. Fixe a unidade óptica ao gabinete utilizando os parafusos adequados.

Dica para instalação: Aperte todos os parafusos com as mãos antes de apertá-los com a chave de
fenda. Assim ficará mais fácil apertar os últimos dois parafusos.

Tipos de Placas de Expansão


As placas de expansão adicionam recursos a um computador. Há diversos tipos de placas, incluindo
vídeo, rede Ethernet e sem fio, som, sintonizador de TV, captura de vídeo, portas externas, como USB,
FireWire e Thunderbolt, e muito mais.

As placas são inseridas nos seguintes slots de expansão de uma placa-mãe:

 PCI – (Figura 1) o PCI (Peripheral Component Interconnect, Interconector de Componentes


Periféricos) normalmente está disponível para comportar placas de expansão legadas.

 PCIe - O PCI Express tem quatro tipos de slots; x1 (Figura 2), x4, x8 e x16 (Figura 3). Observe
como esses slots PCIe variam em comprimento, respectivamente do menor (x1) para o maior (x16).

As placas, mostradas na Figura 4, precisam ser compatíveis com os slots de expansão da placa-mãe.

Instale uma Placa de Rede Sem Fio

Uma placa de rede sem fio permite que um computador se conecte a uma rede sem fio (WiFi). As placas
de rede sem fio usam os slots de expansão PCI ou PCIe na placa-mãe. Diversas placas de rede sem fio
são conectadas usando um conector USB.

Para instalar uma placa de rede sem fio, siga estas etapas:

Etapa 1. (Figura 1) Localize um slot PCI vazio no gabinete e remova a pequena tampa de metal.

Etapa 2. Alinhe a placa ao slot de expansão apropriado na placa-mãe.

Etapa 3. (Figura 2) Pressione a placa com delicadeza até que ela esteja totalmente encaixada.

Etapa 4. (Figura 3) Prenda o suporte de montagem da placa no gabinete com o parafuso adequado.

Dica de instalação: alguns gabinetes têm pequenos slots na parte inferior, onde a tampa foi removida.
Encaixe a parte inferior do suporte de montagem para dentro do slot antes de encaixar a placa.

Instale um Adaptador de Vídeo

Os adaptadores de vídeo usam slots de expansão PCI, AGP ou PCIe na placa-mãe.

Para instalar um adaptador de vídeo, siga estas etapas:

Etapa 1. Localize um slot PCIe x16 no gabinete e remova a pequena tampa de metal.

Etapa 2. Alinhe o adaptador de vídeo ao slot de expansão apropriado da placa-mãe.

Etapa 3. Pressione levemente o adaptador de vídeo até que ele esteja totalmente encaixado.

Etapa 4. Prenda o suporte de montagem do adaptador de vídeo no gabinete com o parafuso adequado.

Diversos adaptadores de vídeo exigem uma alimentação separada da fonte de alimentação usando um
conector de energia de 6 ou 8 pinos. Alguns talvez precisem de dois desses conectores. Se possível,
deixe um espaço entre o adaptador de vídeo e as outras placas. Os adaptadores de vídeo geram um
calor excessivo que, normalmente, é movido para fora da placa por uma ventoinha.

Dica de instalação: pesquise o comprimento da placa de vídeo (e de outras placas de expansão) antes
de comprá-las. As placas mais longas podem não ser compatíveis com determinadas placas-mãe. Chips
e outros produtos eletrônicos podem obstruir o adaptador quando você tentar encaixá-lo no slot de
expansão. Talvez alguns gabinetes também limitem o tamanho das placas que podem ser instaladas.
Algumas placas podem vir com suportes de montagem de diferentes alturas para acomodar esses
gabinetes.
Conecte a Alimentação a Placa-Mãe

As placas-mãe precisam de energia para operar. Elas também transferem um pouco da sua energia para
diversos componentes conectados a elas. O número e o tipo de conectores da fonte de alimentação
necessários dependem da combinação de placa-mãe e processador. A tabela da Figura 1 destaca
diversos tipos de conectores que podem ser encontrados em uma placa-mãe. Observe como a placa-mãe
normalmente exige dois conectores de energia.

CUIDADO: seja cauteloso ao conectar os cabos da fonte de alimentação a outros componentes. Os


cabos, conectores e componentes são projetados para encaixe firme. Se for difícil conectar um cabo ou
outra peça, algo está errado. Nunca force o encaixe de um conector ou componente. Se forçá-lo, você
poderá danificar o plugue e o conector. Caso tenha dificuldades para inserir o conector, verifique se ele
está posicionado corretamente e se não há pinos tortos.

As etapas para instalar conectores de energia da placa-mãe incluem:

Etapa 1. Alinhe o conector de energia ATX de 24 pinos (ou 20 pinos) ao soquete da placa-mãe.

Etapa 2. (Figura 2) Pressione o conector com cuidado até que o clipe faça um clique ao encaixar.

Etapa 3. Alinhe o conector de energia complementar de 4 pinos (ou 8 pinos) ao soquete da placa-mãe.

Etapa 4. (Figura 3) Pressione o conector com cuidado até que o clipe faça um clique ao encaixar.

Etapa 5. (Figura 4) Alinhe o conector de energia da ventoinha da CPU ao soquete da placa-mãe.

Etapa 6. Pressione o conector com cuidado até que ele fique totalmente encaixado.

Dica de instalação: os conectores de energia são chanfrados para encaixarem nos soquetes de energia
em uma única posição. Algumas peças do conector são quadradas, enquanto outras são levemente
arredondadas. Se parecer que um conector não se encaixará no soquete devido a essas formas, lembre-
se de que as peças levemente arredondadas se encaixarão nos furos quadrados, mas as peças
quadradas não se encaixarão nos que são levemente arredondados. Isso é proposital.

Conecte a Alimentação às Unidade Internas e às Ventoinhas do


Gabinete

Tradicionalmente, a unidade de disco rígido e as unidades ópticas eram alimentadas por um conector de
energia Molex de 4 pinos. Agora essas unidades normalmente usam um conector SATA de 15 pinos,
conforme mostrado na Figura 1.

Para proporcionar flexibilidade, algumas unidades têm um conector SATA de 15 pinos e um conector
Molex de 4 pinos. Nessas unidades, use somente um dos conectores, nunca os dois. Algumas fontes de
alimentação antigas podem não ter conectores SATA. Um adaptador de Molex para SATA, conforme
mostrado na Figura 2, pode ser usado para conectar as unidades.

As etapas para conectar o cabo SATA a uma unidade são:

Etapa 1. Alinhe o conector de energia SATA de 15 pinos à porta da unidade.

Etapa 2. (Figura 3) Pressione o conector com delicadeza até que ele se encaixe totalmente.

Dica de instalação: tome bastante cuidado ao conectar cabos SATA. Dependendo do ângulo que forem
pressionados, eles poderão quebrar o conector da unidade.

Outros dispositivos periféricos, como as ventoinhas do gabinete, também precisam ser alimentados. A
maioria das placas-mãe apresenta conectores de 3 ou 4 pinos para conectar as ventoinhas. As etapas
básicas para alimentar as ventoinhas do gabinete incluem:

Etapa 1. Alinhe o conector de energia da ventoinha de 3 ou 4 pinos à porta da placa-mãe.


Etapa 2. (Figura 4) Pressione o conector com cuidado até que ele se encaixe totalmente.

Conecte os cabos restantes do gabinete aos conectores adequados, de acordo com o manual da placa-
mãe e do gabinete.

Dica de instalação: os conectores de energia de 3 pinos podem ser conectados à portas de 4 pinos. O
conector e o soquete são feitos para que se encaixem mesmo se um pino ficar desconectado.

Conecte os Cabos de Dados Internos

As unidades internas e as unidades ópticas se conectam à placa-mãe usando cabos de dados SATA.

Os cabos de dados SATA possuem um conector de 7 pinos, conforme mostrado na Figura 1. Os cabos
SATA são chanfrados para se conectarem somente de uma maneira. Muitos cabos SATA possuem
conectores de travamento que impedem que os cabos fiquem desconectados. Para remover um cabo
travado, pressione a guia de metal levantada no plugue e puxe o conector para fora.

As etapas para conectar uma unidade à placa-mãe usando um cabo de dados SATA inclui:

Etapa 1. (Figura 2) Conecte uma extremidade do cabo SATA ao soquete da placa-mãe. Observe que a
placa-mãe tem mais de um conector SATA.

Etapa 2. (Figura 3) Plugue a outra extremidade do cabo SATA à porta SATA menor da unidade.

Dica de instalação: tome o mesmo cuidado para instalar os cabos de dados SATA que você toma ao
instalar os cabos elétricos SATA. Além disso, evite dobrar muito o cabo. As dobras podem limitar as taxas
de transmissão.

nstale os Cabos do Painel Frontal

Um gabinete de computador possui botões, para controlar a energia que é transmitida para a placa-mãe,
e luzes que indicam as atividades. Conecte esses botões e luzes à placa-mãe com cabos a partir da parte
frontal do gabinete. A Figura 1 mostra os cabos do painel frontal que normalmente são encontrados em
um gabinete de computador. A Figura 2 mostra um conector comum do painel de sistema em uma placa-
mãe, onde os cabos são conectados. As indicações na placa-mãe, próximo ao conector do painel de
sistema, mostram onde cada cabo deve ser conectado.

Os conectores do painel de sistemas não são chanfrados. As diretrizes para conectar cabos aos
conectores do painel de sistema são gerais, pois ainda não foi definido padrão algum para rotular os
cabos do gabinete ou os conectores do painel de sistema. No entanto, cada cabo do painel frontal
normalmente tem uma pequena seta indicando o pino 1, conforme mostrado na Figura 3.

Nota: as marcações dos seus cabos do painel frontal e conectores do painel de sistema podem ser
diferentes das mostradas. Sempre consulte o manual da placa-mãe para obter diagramas e informações
adicionais sobre como conectar os cabos do painel frontal.

Os conectores do painel de sistema incluem:

 Botão de energia - O botão de energia liga ou desliga o computador. Caso o botão de energia falhe
em desligar o computador, pressione-o por 5 segundos.

 Botão de reset - O botão de reset (se disponível) reinicializa o computador sem desligá-lo.

 LED de energia - O LED de energia permanece aceso quando o computador está ligado e fica
piscando quando o computador está no modo de suspensão. Cada par de pinos de LED no
conector do painel de sistema da placa-mãe apresenta um pino 1 marcado com um sinal de adição
(+), conforme mostrado na Figura 4.
 LEDs de atividade das unidades - O LED de atividade das unidades permanece acesso ou pisca
quando o sistema está lendo unidades de disco rígido, ou gravando nelas.

 Alto-falante do sistema - A placa-mãe usa um alto-falante de gabinete (se disponível) para indicar
o status do computador. Por exemplo, um bipe indica que o computador foi iniciado sem problemas.
Em caso de problema com o hardware, uma série de bipes diagnósticos são emitidos para indicar o
tipo de problema. É importante observar que o alto-falante do sistema não é o mesmo que o
computador usa para reproduzir música e outros tipos de áudio. Normalmente, o alto-falante do
sistema usa quatro pinos do conector do painel de sistema.

 Áudio - Alguns gabinetes têm portas de áudio externas para conectar microfones e equipamentos
de áudio externos, como processadores de sinal, mesas de som e instrumentos. Também é
possível comprar painéis de áudio especiais e conectá-los diretamente à placa-mãe. Esses painéis
também podem ser instalados em uma ou mais baias de unidade externas ou podem ser painéis
autônomos.

 USB - As portas USB ficam localizadas na parte externa da maioria dos gabinetes de computador.
Os conectores USB da placa-mãe normalmente são compostos por 9 ou 10 pinos, em duas fileiras,
conforme mostrado na Figura 5. Essa disposição permite duas conexões USB. Assim, os
conectores ficam sempre em pares. Algumas vezes, os dois conectores ficam em uma única peça,
conforme mostrado na Figura 6, e podem ser conectados a um conector USB inteiro da placa-mãe.
Os conectores USB também podem ter quatro ou cinco pinos, ou grupos individuais de quatro ou
cinco pinos. A maioria dos dispositivos USB exige somente a conexão de quatro pinos. O quinto
pino serve como terra para a blindagem de alguns cabos USB.

CUIDADO: tenha certeza que o conector da placa-mãe está indicado como USB. Os conectores FireWire
são bem semelhantes. Conectar um cabo USB a um conector FireWire causará danos.

A tabela da Figura 7 disponibiliza notas de conexão sobre diversos indicadores do painel frontal.

Novos gabinetes e placas-mãe têm recursos de USB 3.0 ou, até mesmo, de USB 3.1. Os conectores de
placa-mãe USB 3.0 e 3.1 têm o design semelhante ao de um conector USB, mas com pinos adicionais.

As etapas básicas para conectar os cabos do painel frontal incluem:

Etapa 1. Conecte o cabo de energia ao conector do painel de sistema, no local com a indicação
PWR_SW.

Etapa 2. Conecte o cabo de reset ao conector do painel de sistema, no local com a indicação RESET.

Etapa 3. Conecte o cabo do LED de energia ao conector do painel de sistema, no local com a indicação
PWR_LED.

Etapa 4. Conecte o cabo do LED de atividade das unidades ao conector do painel de sistema, no local
com a indicação HDD_LED.

Etapa 5. Conecte o cabo do alto-falante ao conector do painel de sistema, no local com a indicação
SPEAKER.

Etapa 6. Conecte o cabo USB ao conector USB.

Etapa 7. Conecte o cabo de áudio ao conector de áudio.

Geralmente, se um botão ou LED não funcionar, significa que o conector está posicionado de forma
incorreta. Para corrigir isso, desligue e desconecte o computador, abra o gabinete e vire ao contrário o
conector do botão ou do LED que não está funcionando. Para evitar ligações elétricas incorretas, alguns
fabricantes incluem um extensor de pinos chanfrado compatível com diversos conectores de cabos de
painel frontal (isto é, energia, reset e LEDs) em um único conector.

Dica de Instalação : as extremidades do conector do painel e do cabo do gabinete são bem pequenas.
Tire fotos delas para localizar o pino 1. Como o espaço no gabinete pode ficar limitado no final da
montagem, um recuperador de peças talvez seja útil para conectar os cabos aos conectores.
Remonte o Gabinete

Antes de reconectar os painéis laterais ao gabinete do computador, verifique se todos os itens estão
alinhados e encaixados corretamente. Essa lista inclui a CPU, a memória RAM, as placas, os cabos de
dados, os cabos do painel frontal e os cabos elétricos.

Quando a tampa estiver no lugar, verifique se ela está presa por todos os parafusos. Alguns gabinetes de
computador usam parafusos que são inseridos com uma chave de fenda. Outros casos têm parafusos de
rosca que podem ser apertados à mão.

Se você não estiver seguro sobre como remover ou substituir o gabinete do computador, consulte a
documentação ou o site do fabricante.

CUIDADO: manuseie as peças do gabinete com atenção. Algumas tampas de gabinete de computador
têm bordas afiadas e entalhadas.

Dica de instalação: inspecione as áreas em que os painéis correspondam ao quadro do gabinete. Retire
os cabos dessas áreas para evitar apertá-los ou cortá-los.

Instale os Cabos Externos

Após reconectar os painéis do gabinete, conecte os cabos à parte de trás do computador.

NOTA: conecte o cabo elétrico após conectar todos os outros cabos.

Ao conectar cabos, verifique se eles estão conectados aos locais corretos do computador. Por exemplo,
os sistemas antigos usam o mesmo tipo de conector PS/2 para os cabos do mouse e do teclado, mas são
codificados por cores para evitar a conexão incorreta. Um ícone do dispositivo conectado, como um
símbolo de teclado, mouse, monitor ou USB, normalmente é mostrado no conector.

CUIDADO: ao conectar os cabos, nunca force a conexão.

Para instalar os diversos cabos externos, siga estas etapas:

Etapa 1. (Figura 1) Conecte o cabo do monitor à porta de vídeo. Fixe o cabo, apertando os parafusos do
conector. Se o computador montado tiver um adaptador de vídeo instalado, conecte o cabo ao adaptador,
e não à porta de vídeo da placa-mãe.

Etapa 2. (Figura 2) Conecte o cabo do teclado à porta do teclado PS/2.

Etapa 3. (Figura 3) Conecte o cabo do mouse à porta do mouse PS/2.

Etapa 4. (Figura 4) Conecte o cabo USB à porta USB.

Etapa 5. (Figura 5) Conecte o cabo elétrico à fonte de alimentação.

NOTA: algumas placas-mãe têm apenas uma porta PS/2. Algumas placas-mãe podem não ter portas
PS/2 para conectar o teclado e o mouse. Conecte um teclado USB, um mouse USB ou os dois a esse tipo
de placa-mãe.

Dica de instalação: os adaptadores de PS/2 para USB podem ser usados para conectar periféricos
antigos às placas-mãe que não tiverem conectores PS/2.

Códigos de Bipe e Configuração da BIOS

Quando um computador é inicializado, a BIOS (Basic input/output system, Sistema Básico de


Entrada/Saída) realiza uma verificação de hardware nos principais componentes do computador. Essa
verificação é chamada de POST (power-on self-test, autoteste de inicialização).
O POST, mostrado na Figura 1, verifica se o hardware do computador está funcionando corretamente. Se
algum dispositivo não estiver funcionando direito, um erro ou código de bipe alertará o técnico sobre o
problema. Normalmente, um único bipe significa que o computador está funcionando corretamente. Se
tiver um problema de hardware, uma tela em branco poderá aparecer na inicialização e o computador
emitirá uma série de bipes. Cada fabricante de BIOS usa diferentes códigos para indicar problemas de
hardware. A Figura 2 mostra um gráfico de códigos de bipe. Sempre consulte a documentação da placa-
mãe para obter os códigos de bipe do seu computador.

Um problema de POST pode surgir antes de o vídeo ser ativado. Ao solucionar problemas de um
computador sem vídeo, uma placa de POST poderá ser usada. A placa de POST, às vezes chamada de
placa de depuração, é instalada em uma porta da placa-mãe, como PCI, PCIe ou USB.

Quando o computador é iniciado, ele exibe uma série de códigos hexadecimais de dois ou quatro dígitos
que são mostrados na placa de POST. Se ocorrer um erro, o código de POST ajudará a diagnosticar a
causa do problema por meio do fabricante da placa-mãe, da BIOS ou da placa de POST.

Dica de instalação: para determinar se o POST está funcionando corretamente, remova todos os
módulos de memória RAM do computador e ligue-o. O computador deve emitir um código de bipe para
um computador sem memória RAM instalada. Isso não danificará o computador.

BIOS e CMOS

Todas as placas-mãe precisam da BIOS para operar. A BIOS é um programa armazenado no chip de
memória ROM da placa mãe que contém um pequeno programa. Esse programa controla a comunicação
entre o sistema operacional e o hardware.

Durante o POST, a BIOS também identifica:

 Quais unidades estão disponíveis.

 Quais unidades são inicializáveis.

 Como a memória está configurada e quando ela pode ser usada.

 Como os slots de expansão PCIe e PCI estão configurados.

 Como as portas SATA e USB estão configuradas.

 Recursos de gerenciamento de energia da placa-mãe.

 O fabricante da placa-mãe salva a configuração da BIOS da placa-mãe em um chip de memória


CMOS (Complementary Metal Oxide Semiconductor, Semicondutor de Óxido Metálico
Complementar), como o mostrado na Figura 1.

Quando um computador é inicializado, o software da BIOS lê as configurações definidas, armazenadas no


CMOS, para determinar como configurar o hardware.

A configuração da BIOS é retida pelo CMOS por meio de uma bateria, como a mostrada na Figura 2. Se a
bateria falhar, configurações importantes poderão ser perdidas. Portanto, é recomendável documentar
sempre a configuração da BIOS.

Nota: uma maneira fácil de documentar é tirar fotos das diversas configurações da BIOS.

Dica de instalação: se a data e a hora do computador estiverem incorretas, isso pode indicar que a
bateria da CMOS está ruim ou está ficando muito fraca.

Programa de Configuração da BIOS


A configuração padrão da BIOS pode ser alterada sempre que o hardware, como módulos de memória,
dispositivos de armazenamento e placas, for adicionado ou modificado. O programa de configuração da
BIOS precisa ser usado para alterar essas configurações.

Para entrar no programa de configuração da BIOS, pressione a tecla ou sequência de teclas apropriada
durante o POST. Essa sequência de teclas varia de acordo com o fabricante, mas normalmente é usada a
tecla DEL ou uma tecla de função para acessar o programa de configuração da BIOS. Por exemplo, em
uma placa-mãe ASUS, use a tecla DEL ou a tecla de função F2 durante o POST para acessar o programa
da BIOS.

Nota: consulte a documentação da placa-mãe para saber qual a tecla ou combinação de teclas correta
para seu computador.

Diversas placas-mãe exibem um gráfico, chamado de tela inicial, enquanto o computador executa o
processo de POST. A tela inicial às vezes inclui a combinação de teclas do fabricante para acessar a
BIOS.

Embora os programas de configuração da BIOS variem de acordo com o fabricante, todos eles tem itens
de menu semelhantes, como os mostrados na figura:

 Principal (Main) - Configurações básicas do sistema

 Avançado (Advanced) - Configurações avançadas do sistema

 Inicialização (Boot) - Opções dos dispositivos de inicialização e ordem de inicialização

 Segurança (Security) - Configurações de segurança

 Energia (Power) - Configurações avançadas de gerenciamento de energia

 JUSTw00t! - Configurações avançadas de tensão e clock

 Sair (Exit) - Opções para sair da BIOS e carregar as configurações padrão

Nota: as telas de configuração da BIOS desta seção são apenas referência e, provavelmente, são
diferentes das suas. Encare-as como guias e consulte os documentos do fabricante da placa-mãe.

Programa de configuração da UEFI

Alguns computadores executam a UEFI (Extensible Firmware Interface, Interface Unificada de Firmware
Extensível). A UEFI define as mesmas configurações que a BIOS tradicional, mas também disponibiliza
opções adicionais. Por exemplo, a UEFI viabiliza uma interface de software com suporte a mouse, em vez
das telas das BIOS tradicionais.

Nota: as telas de configuração da UEFI desta seção são apenas referência e, provavelmente, são
diferentes das suas. Encare-as como guias e consulte os documentos do fabricante da placa-mãe.

Informações dos Componentes da BIOS

Um técnico pode usar as informações da BIOS para saber quais componentes estão instalados no
computador e quais são seus atributos. Essas informações podem ser úteis ao solucionar problemas de
funcionamento de hardware e para determinar as opções de atualização. Estes são alguns dos itens
comuns de informações sobre componentes exibidos na BIOS:

 CPU - Exibe o fabricante e a velocidade da CPU. O número de processadores instalados também é


exibido.
 RAM - Exibe o fabricante e a velocidade da RAM. O número de slots e quais slots os módulos de
RAM ocupam também podem ser exibidos.

 Disco rígido - Exibe o fabricante, o tamanho e o tipo dos discos rígidos. O tipo e o número de
controladores de disco rígido também podem ser exibidos.

 Unidade óptica - Exibe o fabricante e o tipo de unidades ópticas.

Configurações da BIOS

Outra função do programa de configuração da BIOS é personalizar os aspectos específicos do hardware


do computador para se ajustar às necessidades específicas. Os recursos que podem ser personalizados
são determinados pela versão e pelo fabricante da BIOS. Antes de fazer as alterações na BIOS, é
importante saber claramente como as alterações podem afetar o computador. As configurações erradas
podem ter um efeito negativo.

Os principais itens da BIOS a serem configurados incluem:

 Hora e data - A página inicial da BIOS apresenta o campo Hora do sistema e o campo Data do
sistema para configurar o relógio do sistema, conforme mostrado na Figura 1.

 Desativar dispositivos - Você pode definir a configuração da BIOS avançada para desativar os
dispositivos que não são necessários ou que não estão sendo usados pelo computador, conforme
mostrado na Figura 2.

 Ordem de inicialização - Logo após concluir o POST, o computador tenta carregar o sistema
operacional. A BIOS verifica se o primeiro dispositivo na lista da ordem de inicialização tem uma
partição inicializável. A lista da ordem de inicialização, ou sequência de inicialização, é uma lista
ordenada de dispositivos, dos quais o computador tem autorização para inicializar. Se o dispositivo
não tiver uma partição inicializável, o computador verificará o próximo dispositivo da lista. Quando
um dispositivo com uma partição inicializável é encontrado, a BIOS verificará se há um sistema
operacional instalado. Essa lista normalmente é localizada na aba Inicialização (Boot) da BIOS,
conforme mostrado na Figura 3. Você pode designar unidades de disco rígido, unidades ópticas,
inicialização pela rede, USB e mídias flash na ordem de inicialização.

 Velocidade do clock - Alguns programas de configuração de BIOS permitem que você altere a
velocidade do clock da CPU, conforme mostrado na Figura 4. Reduzir a velocidade do clock da
CPU torna a execução do computador mais lenta e fria. Esse processo é chamado de
underclocking. Isso pode resultar em menos ruído das ventoinhas e poderá ser útil em locais onde
um computador mais silencioso é necessário, como em um home theater ou quarto. O overclocking
da CPU aumenta a velocidade do clock da CPU para fazer com que o computador seja executado
de forma mais rápida. Esse processo faz a CPU gerar mais calor e, provavelmente, fará com que o
computador emita mais ruídos devido ao aumento da velocidade da ventoinha.

 Virtualização - A tecnologia de virtualização permite que um computador execute diversos sistemas


operacionais em arquivos ou partições separados. Para fazer isso, um programa de virtualização
emula as características de todo um computador, incluindo o hardware, a BIOS, o sistema
operacional e os programas. Ative as configurações de virtualização na BIOS de um computador
que usará a tecnologia de virtualização, conforme mostrado na Figura 5.

A tabela da Figura 6 mostra sugestões de configuração da BIOS.

Configurações de Segurança da BIOS

A BIOS normalmente é compatível com diversos recursos de segurança para proteger sua configuração,
os dados na unidade de disco rígido e as opções de recuperação em caso de roubo do computador.

Estes são os recursos de segurança comuns, encontrados na BIOS:


 Senhas da BIOS - As senhas permitem diferentes níveis de acesso à configuração da BIOS,
conforme mostrado na Figura 1. Observe que há duas configurações de senha que podem ser
alteradas. A senha do supervisor pode acessar todas as senhas de acesso de usuário e todas as
configurações e telas da BIOS. A senha do usuário concede acesso à BIOS de acordo com um
nível definido. A tabela da Figura 2 exibe os níveis comuns de acesso de usuário à BIOS. A senha
do supervisor precisa ser definida primeiro para que a senha do usuário possa ser configurada.

 Criptografia de unidade - Uma unidade de disco rígido pode ser criptografada para evitar o roubo
de dados. A criptografia transforma os dados da unidade em código. Sem a senha correta, o
computador não pode ser inicializado e a leitura de dados da unidade de disco rígido não pode ser
compreendida. Mesmo se a unidade de disco rígido for colocada em outro computador, os dados
permanecerão criptografados.

 LoJack – Este é um recurso de segurança composto por dois programas: o Módulo de Persistência,
que é integrado à BIOS, e o Aplicativo Agente, instalado pelo usuário. Quando instalado, o Módulo
de Persistência da BIOS é ativado e não pode ser desligado. O Aplicativo Agente entra em contato,
sistematicamente, com uma central de monitoramento para relatar o local e as informações do
dispositivo. O proprietário pode executar as funções descritas na Figura 3.

 TPM (Trusted Platform Module - Módulo de Plataforma Confiável) – Este é um chip


desenvolvido para proteger o hardware armazenando as chaves de criptografia, os certificados
digitais, as senhas e os dados. O TPM é usado pelo Windows para auxiliar na criptografia total de
disco BitLocker.

 Inicialização segura - A inicialização segura é o padrão de segurança UEFI que garante que um
computador seja inicializado somente em um sistema operacional de confiança do fabricante da
placa-mãe. A inicialização segura impede que um sistema operacional não autorizado seja
carregado durante a inicialização.

Diagnóstico e Monitoramento de Hardware da BIOS

Os recursos de monitoramento de hardware da BIOS são úteis para coletar informações e monitorar a
atividade da placa-mãe e do hardware conectado. O tipo e o número de recursos de monitoramento
variam de acordo com o modelo de placa-mãe. Use a página de monitoramento de hardware para
visualizar as temperaturas, velocidades das ventoinhas, tensões e outros itens. Essa página também
pode apresentar informações sobre os dispositivos de detecção de intrusão.

Estes são alguns dos recursos de diagnóstico e monitoramento de hardware comuns da BIOS:

 Temperaturas - As placas-mãe possuem sensores de calor para monitorar o hardware suscetível


ao aquecimento. Por exemplo, um sensor de calor no soquete da CPU monitora a temperatura da
CPU. Se a CPU ficar muito quente, a BIOS poderá aumentar a velocidade da ventoinha da CPU
para resfriá-la, abaixar a velocidade da CPU para reduzir sua temperatura ou, até mesmo, desligar
o computador para impedir que ela seja danificada. Outros sensores de calor monitoram a
temperatura do gabinete ou da fonte de alimentação. Além disso, os sensores de calor podem
monitorar a temperatura dos módulos de RAM ou do chipset.

 Velocidades das ventoinhas - Algumas configurações de BIOS permitem que você defina perfis
para estabelecer as velocidades das ventoinhas a fim de obter um resultado específico. A tabela da
Figura 1 descreve os perfis comuns das velocidades da ventoinha da CPU.

 Tensões - Você pode monitorar a tensão da CPU ou os reguladores de tensão da placa-mãe,


conforme mostrado na Figura 2. Se as tensões forem muito altas ou muito baixas, os componentes
do computador poderão ser danificados. Se você observar que as tensões não estão nos níveis
corretos, verifique se a fonte de alimentação está funcionando corretamente. Se a fonte de
alimentação não estiver entregando as tensões corretas, pode ser que os reguladores de tensão da
placa-mãe estejam danificados. Nesse caso, a placa-mãe talvez precise ser reparada ou
substituída.
 Velocidades de clock e de barramento - Em algumas configurações de BIOS, você pode
monitorar a velocidade da CPU, conforme mostrado na Figura 3. Algumas configurações de BIOS
também podem permitir que você monitore um ou mais barramentos. Talvez seja necessário
observar esses itens para averiguar se as configurações corretas da CPU foram detectadas pela
BIOS ou foram inseridas manualmente por um cliente ou técnico de computadores. As velocidades
de barramento incorretas podem aumentar o calor da CPU e do hardware conectado ou fazer com
que as placas e a memória RAM não funcionem adequadamente.

 Detecção de intrusão - Alguns gabinetes de computador possuem um switch que é acionado


quando o gabinete se abre. Você pode configurar a BIOS para registrar quando o switch for
acionado. Dessa forma, o proprietário poderá dizer se o gabinete foi manipulado indevidamente. O
switch é conectado à placa-mãe.

 Diagnósticos integrados - Se você observar um problema em um dispositivo conectado ao


computador ou a uma função básica, como um controle de ventoinha ou de tensão ou de
temperatura, talvez seja necessário usar os diagnósticos integrados para verificar onde está o
problema. Normalmente, o programa disponibiliza uma descrição do problema ou um código de erro
para facilitar a solução de problemas. Os diagnósticos comuns estão relacionados na tabela da
Figura 4. Muitos programas de diagnósticos integrados mantêm um registro que contém o histórico
dos problemas encontrados. Você pode usar essas informações para investigar os problemas e os
códigos de erro. Quando um dispositivo estiver na garantia, você poderá usar essas informações
para comunicar o problema ao suporte técnico.

Modo EZ da UEFI

Os computadores mais novos substituíram a interface da BIOS pela UEFI. Embora as telas de UEFI
variem de acordo com o fornecedor, elas apresentam recursos semelhantes.

A figura mostra o utilitário UEFI da BIOS da ASUS no Modo EZ. Por padrão, a tela do Modo EZ aparece
quando você acessa a UEFI. O Modo EZ apresenta um resumo das informações básicas do sistema e
exibe a temperatura da CPU/placa-mãe, a saída de tensão da CPU, as velocidades das ventoinhas, os
dados de memória e as informações SATA.

Especificamente, do Modo EZ, você pode:

 Alterar a hora e a data.

 Selecionar o idioma do programa.

 Usar o Assistente de Ajuste Fino EZ para automatizar a criação do armazenamento em RAID e para
auxiliar no overclocking do sistema.

 Usar o Ajuste Fino EZ do sistema para configurar o modo de desempenho do sistema.

 Ativar ou desativar o SATA RAID.

 Selecionar a prioridade de dispositivos de inicialização.

Há também outro modo, chamado de Modo Avançado, que serve para configurar e gerenciar as
configurações avançadas. Para alternar entre o Modo EZ e o Modo Avançado, pressione F7.

Modo Avançado da UEFI

A tela do menu principal do Modo Avançado da ASUS aparece quanto você acessa o Modo Avançado.
Conforme mostrado na Figura 1, esse modo disponibiliza opções para definir as configurações da UEFI.

Nota: para voltar ao Modo EZ, pressione F7.


Esses são os itens encontrados no menu, na parte superior da tela:

 Meus favoritos – (Figura 2) Usado para prover acesso rápido às configurações usadas com mais
frequência. Pressione F3 ou clique em Meus favoritos (F3) para abrir a tela do mapa da árvore de
configuração, mostrada na Figura 3.

 Principal – (Figura 4) Usado para exibir as informações do computador e alterar as configurações


básicas. Ele permite que você altere as configurações de data, hora, idioma e segurança.

 Ai Tweaker – (Figura 5) Usado para alterar as configurações de overclocking da CPU e as


configurações operacionais da memória. Sempre mantenha cautela ao alterar as configurações.
Configurações incorretas podem causar defeitos no sistema.

 Avançado - (Figura 6) Usado para alterar as configurações da CPU e de outros dispositivos.


Sempre mantenha cautela ao alterar as configurações. Configurações incorretas podem causar
defeitos no sistema.

 Monitor - (Figura 7) Usado para exibir as temperaturas, o status de energia e as mudanças nas
configurações de velocidade das ventoinhas.

 Inicialização - (Figura 8) Usado para alterar as opções de inicialização.

 Ferramentas - (Figura 9) Usado para configurar as opções de funções especiais.

 Sair - (Figura 10) Usado para selecionar a opção de saída e carregar as configurações padrão.

Atualizações de Componentes da Placa-mãe

Os computadores precisam de atualizações periódicas por diversos motivos:

 Alteração dos requisitos do usuário

 Os pacotes de software atualizados exigem um hardware novo

 O hardware novo apresenta um desempenho melhor

As alterações feitas no computador talvez exijam que você atualize ou substitua componentes e
periféricos. Pesquise a eficácia e os custos de atualização e substituição.

Se você atualizar ou substituir uma placa-mãe, talvez seja necessário substituir outros componentes,
inclusive a CPU, o dissipador de calor com a ventoinha e a memória RAM. A nova placa-mãe também
precisa se encaixar no gabinete do computador antigo e precisa ser compatível com a fonte de
alimentação.

Ao atualizar a placa-mãe, comece movendo a CPU e o dissipador de calor com ventoinha para a nova
placa-mãe se eles forem ser reutilizados. É mais fácil trabalhar com esses itens quando eles estão fora do
gabinete. Trabalhe sobre um tapete antiestático e use luvas ou pulseiras antiestáticas para evitar danos à
CPU. Se a nova placa-mãe exigir uma CPU e memória RAM diferentes, instale-as nesse momento. Limpe
a pasta térmica da CPU e do dissipador de calor. Lembre-se de reaplicar a pasta térmica entre a CPU e o
dissipador de calor.

A maioria das placas-mãe antigas possui jumpers que foram movidos entre os pinos para alterar as
configurações. No entanto, as novas placas-mãe raramente têm jumpers. Os itens eletrônicos avançados
permitem que essas opções sejam configuradas na UEFI ou no programa de configuração da BIOS.

As baterias CMOS duram vários anos. No entanto, se o computador não mantiver a hora e a data
corretas, ou perder as configurações entre os desligamentos, provavelmente a bateria acabará mais
rápido e precisará ser trocada. Verifique se a nova bateria corresponde ao modelo exigido pela placa-
mãe.

Para instalar uma bateria CMOS, siga estas etapas:

Etapa 1. Afaste para o lado ou levante gentilmente o clipe fino de metal para remover a bateria.

Etapa 2. Alinhe o polo positivo ao negativo para corrigir a orientação.

Atualize a Placa-mãe

Antes de iniciar a atualização, certifique-se de que você saiba onde e como tudo está conectado. Sempre
faça anotações em um diário para registrar como o computador atual está configurado. Uma forma rápida
de fazer isso é usar o celular para tirar fotos dos itens importantes, para registrar, por exemplo, como os
componentes estão conectados à placa-mãe. Essas imagens serão surpreendentemente úteis quando for
remontar.

Para atualizar a placa-mãe de um gabinete de computador, siga estas etapas:

Etapa 1. Registre como a fonte de alimentação as ventoinhas, LEDs e botões do gabinete estão
conectados à placa-mãe antiga.

Etapa 2. Desconecte os cabos da placa-mãe antiga.

Etapa 3. Desconecte as placas de expansão do gabinete. Remova todas as placas de expansão e


coloque cada uma em um saco antiestático, sobre um tapete antiestático.

Etapa 4. Registre criteriosamente como a placa-mãe antiga está presa ao gabinete. Alguns parafusos de
montagem servem como sustentação, enquanto outros podem estabelecer uma importante conexão de
aterramento entre a placa-mãe e o chassi. Preste atenção especial nos parafusos e espaçadores que não
são metálicos, pois eles podem ser isolantes. Substituir os parafusos e suportes isolantes pelo hardware
de metal que conduz eletricidade pode danificar os componentes elétricos.

Etapa 5. Remova a placa-mãe antiga do gabinete.

Etapa 6. Examine a nova placa-mãe e identifique onde estão todos os conectores, como os de energia,
SATA, ventoinha, USB, áudio, conector do painel frontal e quaisquer outros.

Etapa 7. Examine a chapa de E/S, localizada na parte de trás do gabinete do computador. Substitua a
chapa de E/S antiga pela chapa que vem com a nova placa-mãe.

Etapa 8. Insira e prenda a placa-mãe no gabinete. Consulte os guias do usuário dos fabricantes do
gabinete e da placa-mãe. Use os tipos apropriados de parafusos. Não troque os parafusos de rosca por
parafusos autorroscantes de metal, pois eles podem danificar os furos para parafusos de rosca e podem
não ser seguros. Verifique se os parafusos de rosca têm o comprimento correto e o mesmo número de
roscas por polegada. Se a rosca estiver correta, os parafusos se encaixarão facilmente. Se forçar o
encaixe do parafuso, você poderá danificar o furo de rosca e não prenderá a placa-mãe com firmeza. O
uso de parafuso errado talvez gere rebarbas de metal que podem causar curto-circuitos.

Etapa 9. Em seguida, conecte a fonte de alimentação, as ventoinhas do gabinete, os LEDs do gabinete, o


painel frontal e qualquer outro cabo necessário. Se os conectores de energia ATX não tiverem o mesmo
tamanho (alguns possuem mais pinos), talvez seja necessário usar um adaptador. Consulte a
documentação da placa-mãe para obter o layout dessas conexões.

Etapa 10. Após instalar a placa-mãe e conectar os cabos, instale e prenda as placas de expansão.

Agora é necessário verificar seu trabalho. Verifique se há peças soltas ou cabos desconectados. Conecte
o teclado, o mouse, o monitor e a energia. Se for detectado um problema, desligue a fonte de alimentação
imediatamente.

Atualize a BIOS
Talvez os fabricantes de placas-mãe publiquem versões de BIOS atualizadas para proporcionar melhorias
à estabilidade, à compatibilidade e ao desempenho do sistema. No entanto, atualizar o firmware é um
risco. As notas de versão, como as mostradas na Figura 1, descrevem a atualização para o produto, os
aprimoramentos de compatibilidade e os erros conhecidos que foram resolvidos. Alguns dos dispositivos
mais novos operam corretamente somente com uma BIOS atualizada instalada. Para verificar a versão
instalada da BIOS em um computador, consulte a configuração da BIOS (Figura 2) ou o utilitário UEFI da
BIOS (Figura 3).

Antes de atualizar o firmware da placa-mãe, registre o fabricante da BIOS e o modelo da placa-mãe. Use
essas informações para identificar os arquivos exatos para download no site do fabricante da placa-mãe.
Atualize o firmware somente se houver problemas no hardware do sistema ou para adicionar recursos ao
sistema.

Antes, as informações da BIOS ficavam armazenadas em chips ROM. Para atualizar as informações da
BIOS, o chip ROM precisava ser substituído, o que nem sempre era possível. Os chips das BIOS
modernos são EEPROM (Electronically Erasable Programmable Read Only Memory, Memória
Programável Somente Para Leitura, que pode ser apagada eletronicamente) e podem ser atualizados
pelo usuário sem abrir o gabinete do computador. Esse processo é chamado de atualização da BIOS.

Para fazer download de uma nova BIOS, consulte o site do fabricante e siga os procedimentos de
instalação recomendados. A instalação on-line do software da BIOS pode envolver o download de um
novo arquivo da BIOS, a cópia ou a extração de arquivos para mídias removíveis e a inicialização a partir
de mídias removíveis. Um programa de instalação solicita informações ao usuário para poder concluir o
processo.

Muitos fabricantes de placa-mãe agora disponibilizam um software para atualizar a BIOS a partir de um
sistema operacional. Por exemplo, o utilitário ASUS EZ Update atualiza a versão de software, dos drivers
e da BIOS da placa-mãe. Ele também permite que um usuário atualize manualmente uma BIOS salva e
selecione um logotipo de inicialização quando o sistema entra no POST. O utilitário vem com a placa-mãe
ou pode ser baixado no site da ASUS.

CUIDADO: uma atualização da BIOS instalada ou interrompida incorretamente pode fazer com que o
computador fique inutilizável.

Atualize a CPU e o Dissipador de Calor com Ventoinha

Uma forma de aumentar a potência de um computador é aumentar a velocidade de processamento. Você


pode fazer isso atualizando a CPU. No entanto, a CPU precisa cumprir os requisitos listados na figura.

A nova CPU pode exigir um dissipador de calor com ventoinha diferente. O dissipador precisa se encaixar
fisicamente na CPU e ser compatível com o soquete da CPU. Ele também precisa ser apropriado para
remover o aquecimento da CPU mais rápida.

CUIDADO: você precisa aplicar a pasta térmica entre a nova CPU e o dissipador de calor com ventoinha.

Visualize as configurações térmicas da BIOS para averiguar se há problemas na CPU e no dissipador de


calor com ventoinha. Os aplicativos de software de terceiros também podem relatar informações de
temperatura da CPU em um formato de fácil leitura. Consulte a documentação de usuário da placa-mãe e
da CPU para averiguar se o chip está funcionando na faixa de temperatura correta.

Para instalar ventoinhas adicionais no gabinete a fim de resfriar o computador, siga estas etapas:

Etapa 1. Alinhe a ventoinha de forma que ela fique voltada para a direção correta a fim de puxar o ar para
dentro ou soprar o ar para fora.

Etapa 2. Monte a ventoinha usando os furos pré-existentes do gabinete. É comum montar as ventoinhas
próximas ao topo do gabinete para soprar o ar para fora, ou próximas à parte inferior do gabinete para
puxar o ar para dentro. Evite montar uma ventoinha que puxe o ar próxima de uma que sopre o ar.

Etapa 3. Conecte a ventoinha à fonte de alimentação ou à placa-mãe, dependendo do tipo de plugue da


ventoinha do gabinete.
Atualize a Memória RAM

Aumentar a quantidade de memória RAM quase sempre melhora o desempenho do computador. Antes
de atualizar ou substituir a memória RAM, responda às perguntas listadas na figura.

Nota: normalmente, a memória precisa ser instalada na placa-mãe em uma ordem específica. Consulte o
guia do usuário da placa-mãe para obter mais informações.

Para atualizar a memória RAM na placa-mãe, siga estas etapas:

Etapa 1. Remova o módulo atual liberando as travas que o prendem.

Etapa 2. Retire o módulo diretamente do soquete.

Etapa 3. Insira o novo módulo diretamente no soquete.

Etapa 4. Feche as travas.

O sistema detecta se a memória RAM implantada recentemente é compatível e se foi instalada de forma
correta. Caso a BIOS não indique a presença da quantidade correta de memória RAM, verifique se a RAM
é compatível com a placa-mãe e se ela foi instalada corretamente.

Atualize as Unidades de Disco Rígido

Em vez de comprar um novo computador para obter mais velocidade e espaço de armazenamento, você
pode optar por adicionar outra unidade de disco rígido. Há diversos motivos para instalar uma unidade
adicional, conforme listado na figura.

Após selecionar a unidade de disco rígido apropriada para o computador, siga estas diretrizes gerais
durante a instalação:

Etapa 1. Coloque a unidade de disco rígido em uma baia vazia e aperte os parafusos para prendê-la.

Etapa 2. Conecte a unidade à placa-mãe usando o cabo correto.

Etapa 3. Conecte o cabo de alimentação à unidade.

Atualize os Dispositivos de Entrada e Saída

Os dispositivos periféricos precisam ser atualizados periodicamente. Por exemplo, se o dispositivo parar
de operar ou se você quiser aprimorar o desempenho e a produtividade, talvez uma atualização seja
necessária.

Estes são alguns motivos para atualizar um teclado e/ou um mouse:

 Mudar o teclado e o mouse para um design ergonômico, conforme mostrado na Figura 1. Os


dispositivos ergonômicos foram desenvolvidos para serem mais confortáveis de usar e para ajudar
a prevenir lesões por movimentos repetitivos.

 Reconfigurar o teclado para acomodar uma tarefa especial, como digitar em um segundo idioma
com caracteres adicionais.

 Acomodar usuários com deficiência.

Os monitores podem ser atualizados por diferentes motivos:


 Adicionar um filtro de privacidade para impedir que as pessoas ao lado do monitor leiam as
informações da tela. Somente o usuário e as pessoas diretamente atrás dele podem ler a tela.

 Adicionar um filtro antirreflexo para impedir que o reflexo do sol e o brilho das luzes reflitam na tela.
Um filtro antirreflexo facilita muito a leitura da tela durante o dia ou quando há uma luz atrás do
usuário.

 Adicionar diversos monitores, conforme mostrado na Figura 2, para aumentar a produtividade


permitindo que o usuário exiba mais informações e mova os dados entre programas abertos de
forma mais fácil e rápida. Isso normalmente exige um adaptador de vídeo para comportar conexões
adicionais, ou a instalação de um segundo adaptador de vídeo.

Às vezes, não é possível realizar uma atualização usando os soquetes ou slots de que você dispõe.
Nesse caso, talvez você consiga realizar a atualização usando uma conexão USB. Se o computador não
tiver uma conexão USB extra, você precisará instalar uma placa adaptadora USB ou comprar um hub
USB, conforme mostrado na Figura 3.

Após obter o novo hardware, você precisará instalar os novos drivers. Normalmente, você pode fazer isso
usando as mídias de instalação. Se não tiver as mídias de instalação, você pode obter os drivers
atualizados no site do fabricante.

Nota: um driver assinado é um driver que foi aprovado no teste de laboratório de qualidade de hardware
do Windows e recebeu uma assinatura de driver da Microsoft. A instalação de um driver não assinado
pode causar instabilidade ao sistema, gerar mensagens de erro e desencadear problemas de
inicialização. Se um driver não assinado for detectado durante a instalação de hardware, será solicitado
se você deseja parar ou continuar a instalação. Instale drivers não assinados somente se você confiar na
fonte. Alguns sistemas operacionais Windows não permitem a instalação de drivers não assinados.

Capítulo 3: Montagem de computadores

Este capítulo detalhou as etapas usadas para montar um computador e inicializar o sistema pela primeira
vez. Estes são alguns pontos importantes para recordar:

 Os gabinetes de computador vêm em diversos tamanhos e configurações. A maioria dos


componentes do computador deve ser compatível com o formato do gabinete.

 A CPU é instalada na placa-mãe com a pasta térmica e um dissipador de calor com ventoinha.

 A memória RAM é instalada nos slots de RAM da placa-mãe.

 As placas são instaladas nos slots de expansão PCI e PCIe da placa-mãe.

 As unidades de disco rígido são instaladas em baias de 8,9 cm (3,5 pol.), localizadas no gabinete.

 As unidades ópticas são instaladas em baias de 13,34 cm (5,25 pol.), que podem ser acessadas
pela parte externa do gabinete.

 Os cabos da fonte de alimentação são conectados a todas as unidades e à placa-mãe.

 Os cabos de dados internos transferem dados entre a placa-mãe e as unidades.

 Os cabos externos conectam os dispositivos periféricos ao computador.

 Os códigos de bipe representam mau funcionamento do hardware.

 O programa de configuração da BIOS exibe informações sobre os componentes do computador e


permite ao usuário alterar as configurações do sistema.
 Os componentes do computador exigem atualizações periódicas e peças de reposição.

 As unidades de disco rígido adicionais apresentam tolerância a falhas e capacidade para instalar
sistemas operacionais adicionais.